DAS - Departamento de Automação e Sistemas Curso de Engenharia de Controle e Automação Industrial. Internet, Intranet, Extranet

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DAS - Departamento de Automação e Sistemas Curso de Engenharia de Controle e Automação Industrial. Internet, Intranet, Extranet"

Transcrição

1 DAS - Departamento de Automação e Sistemas Curso de Engenharia de Controle e Automação Industrial Internet, Intranet, Extranet

2 Internet, Intranet, Extranet - Motivação - Com o advento da Internet e o potencial de soluções que ela propicia, o seu uso nos sistemas de automação modernos tem sido visto como simplesmente obrigatório. De um cenário inicial onde a Internet era apenas utilizada para busca de informação em sites e correio eletrônico, cada vez mais a Internet e seus princípios são utilizados como ambiente para integrar sistemas, para trabalho colaborativo e remoto, tanto a nível intra como inter-organizacional. Mas o que significa usar a Internet para tal? Quais são as potenciais vantagens, os ganhos, os problemas e os riscos? E qual é o papel do engenheiro de automação nisso?

3 Internet, Intranet, Extranet - Motivação - Além das questões tecnológicas, dos impactos organizacionais e de custos, o problema número 1 e que é o principal papel do engenheiro de automação é entender esses impactos e ponderá-los perante o que é necessário fazer na empresa. Cada setor é diferente. São visões diferentes, interesses diferentes, expectativas diferentes, noções de importância diferentes, noções de o que é uma boa solução diferentes.

4 Internet, Intranet, Extranet - Realidade - Tanto Gerentes como Implementadores não trabalham pensando no que é a Missão essencial do trabalho deles: melhorar os processos, alavancar inovação e alinhar soluções de TICs com o planejamento estratégico. Gerentes têm enormes dificuldades de conversar com Implementadores, e vice-versa. Ambos não sabem o real valor de uma correta e adequada automação dos processos. Cada um vive apenas no seu mundo. O Engenheiro de Automação pode ser um profissional altamente adequado para esta tarefa, pois tem uma boa base desses dois mundos.

5 Internet, Intranet, Extranet - Realidade - Gerentes Precisamos de um sistema para fazer algo mais ou menos assim, que possa ser acessado pela Internet, e não quero saber como isso será implementado X Implementadores Vamos fazer um sistema para fazer assim, que possa ser acessado pela Internet, e não quero saber como isso será usado Sistema impossível de ser feito e/ou inviável de ser realizado: - falha de especificação - desconhecimento das TICs, potenciais e limitações Sistema inútil, complicado e/ou repleto de coisas desnecessárias. - Incompreensão dos requisitos - desconhecimento dos processos

6 Mas e quando o que se quer são soluções baseadas na Internet / Web?! O que considerar?

7 Internet Intranet Extranet

8 Internet, Intranet, Extranet - Enquadramento - Objetivo: Disponibilização de informação, que se encontra distribuída e em local não totalmente conhecido. Rede de computadores interligados por meio de uma rede pública de comunicações. Protocolos de base: TCP/IP, HTTP e FTP Requisito básico: computador + acesso à rede + Browser

9 Redes de Computadores Rede de Computadores: Conjunto de computadores interligados usando o protocolo IP para o roteamento de dados. Tipos de rede: Internet Extranet Intranet

10 Internet Conjunto de todos os computadores interligados, a nível mundial, via IP. Conglomerado de milhares de redes de computadores interconectadas.

11 Histórico sobre Internet Criada em 1969: Pequena rede experimental da Advanced Research Projects Agency (ARPA) do Departamento de Defesa dos EUA, para permitir a partilha de recursos computacionais. Logo passou a ser usada como meio de cooperação entre os participantes do projeto através de correio eletrônico e transferência de arquivos.

12 Histórico sobre Internet Em 1980, foi dividida em outras redes: Arpanet, para pesquisa civil com fins militares, Milnet, com fins exclusivamente militares. A interligação dessas redes foi chamada de Defense Advanced Research Projects Agency Inter-network, abreviado posteriormente para Internet.

13 Internet (Pública) no Brasil (Rede de Ensino & Pesquisa) A solução que se pretende requer a integração de várias empresas, filiais, etc., espalhadas pelo País? Como é a qualidade da infraestrutura de rede pública e privada para tal?

14 Internet (Pública) em Santa Catarina (Rede de Ensino & Pesquisa)

15 Web Uma web é uma rede não estruturada de clientes e servidores que usam o HTTP como protocolo de transações. World Wide Web é o conjunto de todos os nós que usam HTTP na Internet. Informações e serviços podem ser acessados, usando a filosofia cliente:servidor. Ex.: home banking.

16 Internet, Intranet, Extranet - Enquadramento -

17 Internet, Intranet, Extranet - Enquadramento - Intranet: Internet limitada às fronteiras de uma (1) dada Empresa (mas não necessariamente restrita a um local físico) Informações e Serviços de uso & acesso restrito.

18 Internet, Intranet, Extranet - Enquadramento -

19 Internet, Intranet, Extranet - Enquadramento -

20 Internet, Intranet, Extranet - Enquadramento - Extranet: Internet limitada às fronteiras de um conjunto de empresas. Parte das Informações e Serviços de acesso restrito. Ligeiramente diferente de Portais.

21 Internet, Intranet, Extranet - Enquadramento -

22 Internet, Intranet, Extranet - Enquadramento -

23 Internet, Intranet, Extranet - Enquadramento -

24 Portais vs. Extranet Não há uma definição ou diferenciação padrão entre Portais e Intranet/Extranet. Um Portal está normalmente associado a um site aberto, onde o público pode ser acesso a pelo menos certas informações e/ou funções. Além disso, pode conter informações apenas relacionadas ao negócio ou objetivo do site, e não necessariamente serve como um meio de se fazer negócios ou estar atrelado a processos de empresas. É também bastante usado como elemento de integração de várias empresas independentes, mas que desejam se apresentar (para um dado fim) com uma mesma camada de apresentação.

25 Portais vs. Extranet Uma Intranet/Extranet é fechada a uma ou várias empresas, sem acesso pelo público. Em muitas empresas o acesso à Internet livremente é vedado. O horizonte de trabalho é limitado exclusivamente às funções que a Intranet/Extranet permite.

26 Intranet & Extranet nos processos Uma Intranet/Extranet pode e tem sido usada de forma crescente como elo de integração entre as várias pessoas, áreas e filiais de uma empresa - ou de várias empresas - como uma tecnologia de suporte a uma série de processos, para serem executados de forma não apenas mais integrada, mas também eficiente. Do ponto de vista de TI, também como uma cama da de apresentação que esconde as heterogeneidades dos softwares associados aos variados processos envolvidos.

27 Internet, Intranet, Extranet Palavras-chave: Conteúdo + Comunicação No ambiente corporativo, isso dá base à ações Cooperativas e Colaborativas. Com informação vinda de fora, processos internos são feitos apenas pela empresa, com ferramentas individuais. Com informação vinda de fora, processos internos são feitos por várias empresas, podendo partilhar ferramentas.

28 Internet vs. Intranet & Extranet Internet - Informação pública, podendo ter algum controle de níveis de acesso. - IP. - Custo distribuído. - Gestão global e de uso frouxas (segurança, atualizações, etc.). - Processos não passam pelo seu uso. - Sem controle. - Velocidade baixa. - Popularmente chamada de Rede Mundial. Intra & Extranet - Informação privada e com vários níveis de acesso (configurados). - IP. - Custo partilhado pela(s) empresa(s). - Gestão global e de uso apertadas (segurança, atualizações, etc.). - Processos passam pelo seu uso. - Controle forte. - Velocidade pode ser bastante alta. - Popularmente chamadas de Redes Corporativas.

29 Intranet, Extranet - Potenciais Vantagens - Aumento da produtividade. Redução de custos (administrativos, de operação, etc.). Maior velocidade de disponibilização e conhecimento. Maior agilidade de resposta ao mercado. Expansão de mercado & vendas. A disponibilização de informação e conhecimento potencializa maior competitividade... Como? Porque? Democratização da informação e do conhecimento, Ruptura de estruturas de poder e de decisão, Mudança de cultura da empresa, Novo modo de trabalho, Nova maneira de fazer as coisas (i.e. o processo), em termos de tempo, qualidade e modo, Espaço para criatividade e mudanças, Melhoria contínua do processo, Maior competitividade!

30 Intranet, Extranet - Utilização - Disponibilização de informação e conhecimento. Publicidade. Trabalho Colaborativo. Transações Comerciais B2C & B2B Transações de Engenharia (intra) - desenvolvimento de produto - manutenção & suporte técnico - controle de qualidade - acompanhamento da produção e transporte. Transações Colaborativas de Engenharia (inter) Diferentes níveis de suporte financeiro, técnico, e de uso. Depende do processo e das regras estipuladas quando da criação ou após a criação da rede de empresas!

31 Intranet na Engenharia

32 Intranet na Engenharia Groupware baseado na web para suporte ao trabalho colaborativo: Compartilhamento de documentos. Autoria colaborativa. Controle de versões. Troca de mensagens. Controle de acesso. Indexação e procura. Fóruns de discussão. Integração de bancos de dados.

33 Correio eletrônico O correio eletrônico ou é a aplicação mais usada da Internet, e provavelmente uma das causas de sua grande aceitação e difusão. O tem sido a base para todos os sistemas de troca de mensagens na Xnet. EDI (Electronic Data Interchange) é bastante usado para grandes volumes de dados em comércio eletrônico, atualmente fortemente baseado em XML e em processos de negócios padronizados (p. ex. Rosettanet e ebxml). Ferramentas baseadas em Redes Sociais começam a ganhar terreno em muitas empresas.

34 e-manufacturing e-manufacturing é a aplicação da tecnologia da Internet / Intranet nas operações de chão de fábrica, desde o maquinário até os sistemas de controle da manufatura e de planejamento de recursos da empresa.

35 e-manufacturing A Xnet permite: Dados atualizados em tempo real para o pessoal do chão de fábrica. Desenvolvimento colaborativo de novos projetos. Processamento imediato de serviços. Acesso mais fácil e on-line dos empregados e clientes aos dados corporativos.

36 Xnet como suporte à Avançada Manufatura Assistida pelo Computador (Computer Aided Manufacturing) Fonte: Internet-based CAM, by Hohwieler 98 [BASYS 98]

37 Xnet como suporte à Avançada Manufatura Assistida pelo Computador (Computer Aided Manufacturing)

38 Xnet como suporte à Avançada Manufatura Assistida pelo Computador (Computer Aided Manufacturing)

39 Xnet como suporte à Avançada Manufatura Assistida pelo Computador (Computer Aided Manufacturing)

40 Coleta de Dados Exemplos Máquinas que enviam automaticamente s para o pessoal de manutenção em caso de panes. Dispositivos web-enabled : capazes de se integrar com a Intranet da empresa de maneira transparente. Exemplo: CLPs web-enabled são capazes de monitorar e enviar informações em tempo real através de páginas web com gráficos e envio de alarmes via .

41 Xnet como suporte à Avançada Manufatura Assistida pelo Computador (Computer Aided Manufacturing)

42 A Computação Móvel Acesso sem-fio (wireless) no chão de fábrica, usando dispositivos de computação móvel (handheld computers), que permitem o controle da mesma maneira que um terminal fixo de computador. a b c

43 Intranet, Extranet No entanto, para se atingir os objetivos previstos com uma Xnet é importante se ter claro o que realmente se quer e o que realmente é necessário.

44 Projeto Tecnológico da Xnet

45 Intranet, Extranet Basicamente, quando se projetam soluções que visam utilizar a Xnet como meio, há 4 requisitos tecnológicos essencias / macro, com variados graus de profundidade e/ou prioridade.

46 Requisitos básicos para como uma Xnet 1. Integrate data from diverse sources. 2. Provide access to data by all stakeholder in company (s) value chains. 3. Present information in the format appropriate for each actor and system. 4. Guarantee QoS (e.g. Performance, Availability, Serviceability and Security).

47 Xnet e sistemas cliente/servidor Xnets seguem uma arquitetura tipicamente multicamadas (multi-tier): Navegador = Cliente. Servidor Web e de Aplicação = Business logic tiers. CGI, API proprietária, Servlets, JDBC ou MQ = Middleware. Component Transaction Server = Transaction Manager. Database servers = Back-end data stores. Importância extrema de manutenção dos Bancos de Dados e associada infraestrutura para garantir persistência e coerência.

48 Intranet, Extranet O projeto de soluções baseadas em Xnet deve sempre ver pelos menos duas óticas essenciais: - O impacto e operacionalização das soluções do ponto de vista dos negócios e processos; - O impacto e operacionalização das soluções do ponto de vista tecnológico & das TICs a serem usadas.

49 Questões de base na Intranet e Extranet do ponto de vista Negócios & Processos What will be the value of the Intranet to your business? How much will it cost? How Intranet will change our current processes? How will we organize for our Intranet (new roles)? Will our corporate culture be favorable to Intranet? How will the employees be using it to achieve benefits? What training will be needed for the employees? How will we measure success with the Intranet? What are our competitors doing with the Intranet?

50 Questões de base na Intranet e Extranet do ponto de vista Tecnológico How will we design the Intranet to meet business goals? Will we be able to reuse the existing technologies? What will be the requirements for content management? How will we integrate existing applications & legacy data? How will we protect my Intranet from outsider entry? How will the Intranet impact our current network? What centralized functions will be required? How will we support an Intranet? What will be our operational requirements (additional staff and organizational structure)?

51 Todas essas questões convergem ou se fazem refletir em uma série de aspectos concretos de projeto.

52 Projeto e Gestão da Intranet e Extranet - Aspectos a serem considerados - Infraestrutura de Rede Aplicações Escalabilidade Organização da Informação Disponibilização da Informação Pessoal Gestão Suporte Financeiro Segurança

53 Gestão da Intranet e Extranet - Aspectos a serem considerados - Infraestrutura de Rede Requires network capability (TCP/IP) IP to every desktop? IP gateways? Mix IP and non-ip desktops? do not ignore need for mainframe connectivity IP everywhere requires admin tools Dynamic Host Configuration Protocol (DHCP) servers and router upgrades to pass IP packets Initial traffic may not cause problems Future uses (multimedia)

54 Gestão da Intranet e Extranet - Aspectos a serem considerados - Aplicações Web mechanisms simplify the delivery of client/server applications Interactive applications can be harder to develop Web applications can be very difficult to debug Many IS applications create reports

55 Gestão da Intranet e Extranet - Aspectos a serem considerados - Expansão / Escalabilidade To scale and be useful requires investments Central architecture/distributed Common or shared mechanisms Central services

56 Gestão da Intranet e Extranet - Aspectos a serem considerados - Organização da Informação Information Anarchy The goal - make the Intranet a trusted tool for business It doesnít work if only some information is available, or is not up to dateóor is wrong! Chaos can create content, and/or lead to user confusion and frustration.

57 Gestão da Intranet e Extranet - Aspectos a serem considerados - Disponibilização da Informação - Tough issues: Who owns information? What can be published? Who polices? How do we know it is the latest? What happens when they lose interest? - Ties to legacy systems may help - New roles needed

58 Gestão da Intranet e Extranet - Aspectos a serem considerados - Pessoal Initial challenges Grow your own vs. use consultants What are other companies doing? New roles: information designer, Web developer, Webmaster

59 Gestão da Intranet e Extranet - Aspectos a serem considerados - Gestão Only some of the anticipated changes can come from technology Fundamental changes requires organizational and management work. This is an evolutionary not revolutionary process.

60 Gestão da Intranet e Extranet - Aspectos a serem considerados - Suporte Financeiro Who pays for this? Different models Business funded - based on value Cost of doing business Value-based allocation Reality: most cost comes in maintaining, extending intranet.

61 Gestão da Intranet e Extranet - Aspectos a serem considerados - Segurança Include security mechanisms, policies, and education, don t threaten the livelihood of the corporation. Policies need to be communicated, enforced and continuously monitored.

62 F I M

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo de Gestão Aplicada a TIC AULA 06. Prof. Fábio Diniz

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo de Gestão Aplicada a TIC AULA 06. Prof. Fábio Diniz FTIN Formação Técnica em Informática Módulo de Gestão Aplicada a TIC AULA 06 Prof. Fábio Diniz Na aula anterior ERP Enterprise Resource Planning Objetivos e Benefícios ERP Histórico e Integração dos Sistemas

Leia mais

Sistema centralizado O Paradigma Cliente/Servidor

Sistema centralizado O Paradigma Cliente/Servidor centralizado O Paradigma Cliente/Servidor Computador central (mainframe) + conjunto de terminais + recursos centralizados recursos mainframe terminais 2 distribuído Relações entre entidades Grupo de computadores

Leia mais

Gestão Automática de Senhas Privilegiadas

Gestão Automática de Senhas Privilegiadas Gestão Automática de Senhas Privilegiadas Fernando Oliveira Diretor da Lieberman Software para a América Latina Foliveira@LiebSoft.com +1 (954) 232 6562 2013 by Lieberman Software Corporation O que é a

Leia mais

Criando diferenciais competitivos e minimizando riscos com uma boa. Claudio Yamashita Country Manager Intralinks Brasil

Criando diferenciais competitivos e minimizando riscos com uma boa. Claudio Yamashita Country Manager Intralinks Brasil Criando diferenciais competitivos e Informação minimizando riscos com uma boa Governança da Claudio Yamashita Country Manager Intralinks Brasil PESQUISA GLOBAL DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO 2014 - EY Pensando

Leia mais

Microsoft. Driving Better Business Performance. André Amaral aamaral@microsoft.com

Microsoft. Driving Better Business Performance. André Amaral aamaral@microsoft.com Microsoft Driving Better Business Performance André Amaral aamaral@microsoft.com Business Intelligence Improving business insight A broad category of applications and technologies for gathering, storing,

Leia mais

*Conceitos básicos *Formas de conexão *Correio Eletrônico *WWW *Principais navegadores para Internet

*Conceitos básicos *Formas de conexão *Correio Eletrônico *WWW *Principais navegadores para Internet Conceitos básicos Formas de conexão Correio Eletrônico WWW Principais navegadores para Internet Para compreender a Internet faz-se necessário o conhecimento de conceitos simples e que muitas vezes causam

Leia mais

Internet. A Grande Rede Mundial. Givanaldo Rocha givanaldo.rocha@ifrn.edu.br http://docente.ifrn.edu.br/givanaldorocha

Internet. A Grande Rede Mundial. Givanaldo Rocha givanaldo.rocha@ifrn.edu.br http://docente.ifrn.edu.br/givanaldorocha Internet A Grande Rede Mundial Givanaldo Rocha givanaldo.rocha@ifrn.edu.br http://docente.ifrn.edu.br/givanaldorocha O que é a Internet? InterNet International Network A Internet é uma rede mundial de

Leia mais

Introdução à Tecnologia Web. Conceitos Gerais. Profª MSc. Elizabete Munzlinger www.elizabete.com.br

Introdução à Tecnologia Web. Conceitos Gerais. Profª MSc. Elizabete Munzlinger www.elizabete.com.br IntroduçãoàTecnologiaWeb ConceitosGerais ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger www.elizabete.com.br ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger www.elizabete.com.br ConceitosGerais Índice 1 História da Internet... 2 a) No Mundo...

Leia mais

TECNOLOGIA WEB Aula 1 Evolução da Internet Profa. Rosemary Melo

TECNOLOGIA WEB Aula 1 Evolução da Internet Profa. Rosemary Melo TECNOLOGIA WEB Aula 1 Evolução da Internet Profa. Rosemary Melo Tópicos abordados Surgimento da internet Expansão x Popularização da internet A World Wide Web e a Internet Funcionamento e personagens da

Leia mais

Caracterização de Sistemas Distribuídos

Caracterização de Sistemas Distribuídos Aula 1 Caracterização de Sistemas Distribuídos Prof. Dr. João Bosco M. Sobral mail: bosco@inf.ufsc.br - página: http://www.inf.ufsc.br/~bosco Rodrigo Campiolo mail: rcampiol@inf.ufsc.br - página: http://ww.inf.ufsc.br/~rcampiol

Leia mais

Informática I. Aula 22. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 22-03/07/06 1

Informática I. Aula 22. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 22-03/07/06 1 Informática I Aula 22 http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 22-03/07/06 1 Critério de Correção do Trabalho 1 Organização: 2,0 O trabalho está bem organizado e tem uma coerência lógica. Termos

Leia mais

CMDB no ITIL v3. Miguel Mira da Silva. mms@ist.utl.pt 919.671.425

CMDB no ITIL v3. Miguel Mira da Silva. mms@ist.utl.pt 919.671.425 CMDB no ITIL v3 Miguel Mira da Silva mms@ist.utl.pt 919.671.425 1 CMDB v2 Configuration Management IT components and the services provided with them are known as CI (Configuration Items) Hardware, software,

Leia mais

egovernment The Endless Frontier

egovernment The Endless Frontier CENTRO DE GESTÃO DA REDE INFORMÁTICA DO GOVERNO (Management Center for the Electronic Government Network) egovernment The Endless Frontier Alexandre Caldas 29 th June 2010 Summary VISION AND LEADERSHIP

Leia mais

Microsoft Nosso Comprometimento Mais de 9 bilhões em P&D/ano

Microsoft Nosso Comprometimento Mais de 9 bilhões em P&D/ano Microsoft Nosso Comprometimento Mais de 9 bilhões em P&D/ano Windows e Web Dynamics Comunicação e Produtividade Servidores Infraestrutura Empresarial Busca e Anúncios Mobilidade Entretenimento e TV PRODUTIVIDADE

Leia mais

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS INTERNET PROTOCOLOS 1 INTERNET Rede mundial de computadores. Também conhecida por Nuvem ou Teia. Uma rede que permite a comunicação de redes distintas entre os computadores conectados. Rede WAN Sistema

Leia mais

Modelos e Arquiteturas de Sistemas Computacionais

Modelos e Arquiteturas de Sistemas Computacionais Modelos e Arquiteturas de Sistemas Computacionais Prof. Ricardo J. Rabelo UFSC Universidade Federal de Santa Catarina DAS Departamento de Automação e Sistemas SUMÁRIO Importância da definição da Arquitetura

Leia mais

Projeto de Sistemas Distribuídos. Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com

Projeto de Sistemas Distribuídos. Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com Projeto de Sistemas Distribuídos Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com Agenda Introdução Exemplos de Sistemas Distribuídos Compartilhamento de Recursos e a Web Principais Desafios para a Implementação

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos Computação Aula 01-02: Introdução 2o. Semestre / 2014 Prof. Jesus Agenda da Apresentação Definição e surgimento de Sistemas Distribuídos Principais aspectos de Sistemas Distribuídos

Leia mais

Universidade Federal do Acre. Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas

Universidade Federal do Acre. Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Universidade Federal do Acre Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Universidade Federal do Acre Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Pós-graduação Lato Sensu em Desenvolvimento de Software e Infraestrutura

Leia mais

APOSTILA BÁSICA SOBRE INTERNET

APOSTILA BÁSICA SOBRE INTERNET APOSTILA BÁSICA SOBRE INTERNET DEFINIÇÕES BÁSICAS A Internet é um conjunto de redes de computadores interligados pelo mundo inteiro, ue têm em comum um conjunto de protocolos e serviços. O ue permite a

Leia mais

INTERNET -- NAVEGAÇÃO

INTERNET -- NAVEGAÇÃO Página 1 INTRODUÇÃO Parte 1 O que é a Internet? A Internet é uma rede mundial de computadores, englobando redes menores distribuídas por vários países, estados e cidades. Ao contrário do que muitos pensam,

Leia mais

Noções de redes de computadores e Internet

Noções de redes de computadores e Internet Noções de redes de computadores e Internet Evolução Redes de Comunicações de Dados Sistemas Centralizados Características: Grandes Centros de Processamentos de Dados (CPD); Tarefas Científicas; Grandes

Leia mais

Redes - Internet. Sumário 26-09-2008. Aula 3,4 e 5 9º C 2008 09 24. } Estrutura baseada em camadas. } Endereços IP. } DNS -Domain Name System

Redes - Internet. Sumário 26-09-2008. Aula 3,4 e 5 9º C 2008 09 24. } Estrutura baseada em camadas. } Endereços IP. } DNS -Domain Name System Redes - Internet 9º C 2008 09 24 Sumário } Estrutura baseada em camadas } Endereços IP } DNS -Domain Name System } Serviços, os Servidores e os Clientes } Informação Distribuída } Principais Serviços da

Leia mais

Introdução ao Conceito de Redes e Infra estrutura Internet

Introdução ao Conceito de Redes e Infra estrutura Internet Introdução ao Conceito de Redes e Infra estrutura Internet Prof. José Alexandre da Costa Alves (MSc) O que é uma rede de Computadores Conjunto de unidades de processamento com capacidade de trocar informações

Leia mais

É uma rede mundial de computadores ligados entre si. INTERNET

É uma rede mundial de computadores ligados entre si. INTERNET INTERNET O QUE É A INTERNET? O QUE É NECESSÁRIO PARA ACEDER À INTERNET? QUAL A DIFERENÇA ENTRE WEB E INTERNET? HISTÓRIA DA INTERNET SERVIÇOS BÁSICOS DA INTERNET 2 1 INTERCONNECTED NETWORK INTERNET A Internet

Leia mais

Redes de Computadores II

Redes de Computadores II Redes de Computadores II INTERNET Protocolos de Aplicação Intranet Prof: Ricardo Luís R. Peres As aplicações na arquitetura Internet, são implementadas de forma independente, ou seja, não existe um padrão

Leia mais

PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS

PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS Aulas : Terças e Quintas Horário: AB Noite [18:30 20:20hs] PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS 1 Conteúdo O que Rede? Conceito; Como Surgiu? Objetivo; Evolução Tipos de

Leia mais

Intranets. FERNANDO ALBUQUERQUE Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília 1.INTRODUÇÃO

Intranets. FERNANDO ALBUQUERQUE Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília 1.INTRODUÇÃO Intranets FERNANDO ALBUQUERQUE Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília 1.INTRODUÇÃO As intranets são redes internas às organizações que usam as tecnologias utilizadas na rede mundial

Leia mais

Rede de Computadores. Arquitetura Cliente-Servidor

Rede de Computadores. Arquitetura Cliente-Servidor Rede de Computadores Arquitetura ClienteServidor Coleção de dispositivos de computação interconectados que permitem a um grupo de pessoas compartilhar informações e recursos É a conexão de dois ou mais

Leia mais

SPED e NF- e Claudio Coli

SPED e NF- e Claudio Coli SPED e NF- e Claudio Coli A MASTERSAF Nossa Visão Missão Negócio Nossa Razão Convergência Promover Ética e Responsabilidade Social deixando um legado que seja motivo de Orgulho para nossos Clientes e Colaboradores

Leia mais

Desenvolvimento Cliente-Servidor 1

Desenvolvimento Cliente-Servidor 1 Desenvolvimento Cliente- 1 Ambiienttes de Desenvollviimentto Avançados Engenharia Informática Instituto Superior de Engenharia do Porto Alexandre Bragança 1998/99 Ambientes de Desenvolvimento Avançados

Leia mais

Tipos de Redes. Redes de Dados. Comunicação em Rede Local. Redes Alargadas. Dois tipos fundamentais de redes

Tipos de Redes. Redes de Dados. Comunicação em Rede Local. Redes Alargadas. Dois tipos fundamentais de redes Tipos de Redes Redes de Sistemas Informáticos I, 2005-2006 Dois tipos fundamentais de redes LAN = Local Area Network Interliga um conjunto de computadores locais, próximos Tecnologias mais típicas: Ethernet

Leia mais

Programação para Web

Programação para Web Programação para Web Introdução Professor: Harlley Lima E-mail:harlley@decom.cefetmg.br Departamento de Computação Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais Belo Horizonte, 17 de Fevereiro

Leia mais

C o m p o s i t e A p p l i c a t i o n M a n a g e m e n t

C o m p o s i t e A p p l i c a t i o n M a n a g e m e n t EUGENIOf@br.ibm.com IT Specialist Pre Sales Support (55 11) 2132-7793 C o m p o s i t e A p p l i c a t i o n M a n a g e m e n t 2005 IBM Corporation Tendências da Infra-Estrutura Complexidade Alterações

Leia mais

Internet. Professor: Francisco Silva

Internet. Professor: Francisco Silva Internet e Serviços Internet A Internet, ou apenas Net, é uma rede mundial de computadores ligados entre si através de linhas telefónicas comuns, linhas de comunicação privadas, satélites e outros serviços

Leia mais

CONSTRUÇÃO DE PÁGINAS WEB I. Prof. Antonio Miguel Faustini Zarth antonio.zarth@ifms.edu.br

CONSTRUÇÃO DE PÁGINAS WEB I. Prof. Antonio Miguel Faustini Zarth antonio.zarth@ifms.edu.br CONSTRUÇÃO DE PÁGINAS WEB I Prof. Antonio Miguel Faustini Zarth antonio.zarth@ifms.edu.br INTERNET Tópicos desta aula Internet sob a perspectiva do desenvolvedor web Funcionamento geral Protocolos e portas

Leia mais

Capítulo 8 - Aplicações em Redes

Capítulo 8 - Aplicações em Redes Capítulo 8 - Aplicações em Redes Prof. Othon Marcelo Nunes Batista Mestre em Informática 1 de 31 Roteiro Sistemas Operacionais em Rede Modelo Cliente-Servidor Modelo P2P (Peer-To-Peer) Aplicações e Protocolos

Leia mais

OVERVIEW DO EAMS. Enterprise Architecture Management System 2.0

OVERVIEW DO EAMS. Enterprise Architecture Management System 2.0 OVERVIEW DO EAMS Enterprise Architecture Management System 2.0 NETWORKS @arqcorp_br #eamsrio http://arquiteturacorporativa.wordpress.com/ WE MANAGE KNOWLEDGE, WITH YOU Arquitetura Empresarial Repositório

Leia mais

Introdução ao Desenvolvimento e Design de Websites

Introdução ao Desenvolvimento e Design de Websites Introdução ao Desenvolvimento e Design de Websites Prof.: Salustiano Rodrigues de Oliveira Email: saluorodrigues@gmail.com Site: www.profsalu.wordpress.com Introdução ao Desenvolvimento e Design de Websites

Leia mais

World Wide Web e Aplicações

World Wide Web e Aplicações World Wide Web e Aplicações Módulo H O que é a WWW Permite a criação, manipulação e recuperação de informações Padrão de fato para navegação, publicação de informações e execução de transações na Internet

Leia mais

5/10/10. Implementação. Building web Apps. Server vs. client side. How to create dynamic contents?" Client side" Server side"

5/10/10. Implementação. Building web Apps. Server vs. client side. How to create dynamic contents? Client side Server side 5/10/10 Implementação Mestrado em Informática Universidade do Minho! 6! Building web Apps How to create dynamic contents?" Client side" Code runs on the client (browser)" Code runs on a virtual machine

Leia mais

Tipos de Redes. Dois tipos fundamentais de redes

Tipos de Redes. Dois tipos fundamentais de redes Redes de Tipos de Redes Dois tipos fundamentais de redes LAN = Local Area Network Interliga um conjunto de computadores locais, próximos Tecnologias mais típicas: Ethernet / FastEthernet / GigabitEthernet

Leia mais

Capítulo I Introdução aos Sistemas Distribuídos

Capítulo I Introdução aos Sistemas Distribuídos Capítulo I Introdução aos Sistemas Distribuídos From: Wolfgang Emmerich Engineering Distributed Objects John Wiley & Sons, Ltd 2000 From: Coulouris, Dollimore and Kindberg Distributed Systems: Concepts

Leia mais

Sistemas Distribuídos. Introdução

Sistemas Distribuídos. Introdução Sistemas Distribuídos Introdução Definição Processos Um sistema distribuído é um conjunto de computadores independentes, interligados por uma rede de conexão, executando um software distribuído. Executados

Leia mais

TERCEIRIZAÇÃO, OUTSOURCING, INFRAESTRUTURA DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS E SITES, AUDITORIAS E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO.

TERCEIRIZAÇÃO, OUTSOURCING, INFRAESTRUTURA DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS E SITES, AUDITORIAS E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO. TERCEIRIZAÇÃO, OUTSOURCING, INFRAESTRUTURA DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS E SITES, AUDITORIAS E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO. OneIT A gente trabalha para o seu crescimento. Rua Bento Barbosa, n 155, Chácara Santo

Leia mais

Sistemas Distribuídos Arquitetura de Sistemas Distribuídos Aula II Prof. Rosemary Silveira F. Melo Arquitetura de Sistemas Distribuídos Conceito de Arquitetura de Software Principais elementos arquiteturais

Leia mais

2012 State of the Industry Survey

2012 State of the Industry Survey 2012 State of the Industry Survey Contact Information Por favor, preencha suas informações de contato (* indicates required information) Nome * Título * Title Razão Social completa da Empresa/Organização

Leia mais

Silvana Lopes Profª de Informática ETEC São Paulo

Silvana Lopes Profª de Informática ETEC São Paulo Profª de Informática ETEC São Paulo Navegador = Browser Navegador Mozilla Firefox Navegador = Browser Navegador Internet Explorer Navegador = Browser Navegador Chrome Rede local LAN Definição de Rede Local

Leia mais

Arquiteturas de Aplicações Distribuídas

Arquiteturas de Aplicações Distribuídas Arquiteturas de Aplicações Distribuídas Fernando Albuquerque 061-2733589 fernando@cic.unb.br www.cic.unb.br/docentes/fernando Tópicos Introdução. HTTP / CGI. API sockets. JDBC. Remote Method Invocation.

Leia mais

Modelos de Redes em Camadas

Modelos de Redes em Camadas Modelos de Redes em Camadas Prof. Gil Pinheiro 1 1. Arquitetura de Sistemas de Automação Sistemas Centralizados Sistemas Distribuídos Sistemas Baseados em Redes Arquitetura Cliente-Servidor 2 Sistemas

Leia mais

AULA 5 O E-BUSINESS E OS SISTEMAS DE APOIO ÀS DECISÕES E DE INFORMAÇÃO EXECUTIVA

AULA 5 O E-BUSINESS E OS SISTEMAS DE APOIO ÀS DECISÕES E DE INFORMAÇÃO EXECUTIVA AULA 5 O E-BUSINESS E OS SISTEMAS DE APOIO ÀS DECISÕES E DE INFORMAÇÃO EXECUTIVA APOIO ÀS DECISÕES DE E-BUSINESS E SISTEMAS DE APOIO ÀS DECISÕES Conceito O conceito básico de e-business é simples: negócios

Leia mais

Web Technologies. Tópicos da apresentação

Web Technologies. Tópicos da apresentação Web Technologies Tecnologias de Middleware 2004/2005 Hugo Simões hsimoes@di.fc.ul.pt 1 A Web Tópicos da apresentação Tecnologias Web para suporte a clientes remotos (Applets,CGI,Servlets) Servidores Aplicacionais

Leia mais

Introdução à Internet

Introdução à Internet Tecnologias de Informação e Comunicação Introdução Internet? Introdução 11-03-2007 TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO 2 Internet Introdução É uma rede global de computadores interligados que comunicam

Leia mais

Abstraindo as Camadas de SOA & Aplicações Compostas

Abstraindo as Camadas de SOA & Aplicações Compostas Abstraindo as Camadas de SOA & Aplicações Compostas Serviço Service Requisitante Consumer Service Serviço Provider Provedor consumidores processos business e processes negócios Coreografia process choreography

Leia mais

REDE DE COMPUTADORES

REDE DE COMPUTADORES REDE DE COMPUTADORES Evolução histórica das redes de computadores Prof. Airton Ribeiro de Sousa E-mail: airton.ribeiros@gmail.com 1 Objetivos de Aprendizagem Ao final deste módulo você estará apto a conceituar

Leia mais

Introdução à Tecnologia Web 2010

Introdução à Tecnologia Web 2010 IntroduçãoàTecnologiaWeb2010 Internet ÓrgãosRegulamentadores ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger Internet Órgãosregulamentadores Índice 1 Breve Histórico da Internet... 2 2 Surgimento

Leia mais

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP Modelo Arquitetural Agenda Motivação Objetivos Histórico Família de protocolos TCP/IP Modelo de Interconexão Arquitetura em camadas Arquitetura TCP/IP Encapsulamento

Leia mais

Interoperability through Web Services: Evaluating OGC Standards in Client Development for Spatial Data Infrastructures

Interoperability through Web Services: Evaluating OGC Standards in Client Development for Spatial Data Infrastructures GeoInfo - 2006 Interoperability through Web Services: Evaluating OGC Standards in Client Development for Spatial Data Infrastructures Leonardo Lacerda Alves Clodoveu A. Davis Jr. Information Systems Lab

Leia mais

DATA: 06/05/2015 AUDITÓRIO: ESTRATÉGIA E GESTÃO TEMA: INFORMAÇÕES NÃO FALTAM: O QUE FAZER COM ELAS? PALESTRANTE: FERNANDO LEMOS

DATA: 06/05/2015 AUDITÓRIO: ESTRATÉGIA E GESTÃO TEMA: INFORMAÇÕES NÃO FALTAM: O QUE FAZER COM ELAS? PALESTRANTE: FERNANDO LEMOS DATA: 06/05/2015 AUDITÓRIO: ESTRATÉGIA E GESTÃO TEMA: INFORMAÇÕES NÃO FALTAM: O QUE FAZER COM ELAS? PALESTRANTE: FERNANDO LEMOS Copyright 2014 Oracle and/or its affiliates. All rights reserved. Inovando

Leia mais

Programação e Designer para WEB

Programação e Designer para WEB Programação e Designer para WEB Introdução Prof. Rodrigo Rocha prof.rodrigorocha@yahoo.com Apresentação Prof. Rodrigo Rocha prof.rodrigorocha@yahoo.com Ementa Introdução a hipertexto. A linguagem HTML.

Leia mais

Sistemas Multimédia. Arquitectura Protocolar Simples Modelo OSI TCP/IP. Francisco Maia famaia@gmail.com. Redes e Comunicações

Sistemas Multimédia. Arquitectura Protocolar Simples Modelo OSI TCP/IP. Francisco Maia famaia@gmail.com. Redes e Comunicações Sistemas Multimédia Arquitectura Protocolar Simples Modelo OSI TCP/IP Redes e Comunicações Francisco Maia famaia@gmail.com Já estudado... Motivação Breve História Conceitos Básicos Tipos de Redes Componentes

Leia mais

Computação em Nuvem. Francimara T.G.Viotti Diretoria de Gestão da Segurança Banco do Brasil Setembro 2013

Computação em Nuvem. Francimara T.G.Viotti Diretoria de Gestão da Segurança Banco do Brasil Setembro 2013 Computação em Nuvem 8888 Francimara T.G.Viotti Diretoria de Gestão da Segurança Banco do Brasil Setembro 2013 A Evolução da Computação 2010s Computação em Nuvem 2000s Aplicativos de Internet 1990s Arquitetura

Leia mais

Documento de Requisitos de Rede (DRP)

Documento de Requisitos de Rede (DRP) Documento de Requisitos de Rede (DRP) Versão 1.2 SysTrack - Grupo 1 1 Histórico de revisões do modelo Versão Data Autor Descrição 1.0 30/04/2011 João Ricardo Versão inicial 1.1 1/05/2011 André Ricardo

Leia mais

Arquitetura de um sistema é a especificação de sua estrutura e de seus componentes

Arquitetura de um sistema é a especificação de sua estrutura e de seus componentes Arquiteturas e Modelos de sistemas Arquitetura Arquitetura de um sistema é a especificação de sua estrutura e de seus componentes Localização dos componentes e relação entre eles Objetivo: garantir que

Leia mais

INTERNET. Surgimento da Internet. Cenário antes do Projeto Arpanet. Aula 04 Prof. André Cardia andre@andrecardia.pro.br. Surgimento da ARPANET

INTERNET. Surgimento da Internet. Cenário antes do Projeto Arpanet. Aula 04 Prof. André Cardia andre@andrecardia.pro.br. Surgimento da ARPANET INTERNET Aula 04 Prof. André Cardia andre@andrecardia.pro.br Surgimento da Internet Projeto militar dos Estados Unidos, em 1969 o departamento de defesa norte americano (DoD), por meio da ARPA (Advanced

Leia mais

Capítulo I Introdução aos Sistemas Distribuídos

Capítulo I Introdução aos Sistemas Distribuídos Capítulo I Introdução aos Sistemas Distribuídos From: Wolfgang Emmerich Engineering Distributed Objects John Wiley & Sons, Ltd 2000 From: Coulouris, Dollimore and Kindberg Distributed Systems: Concepts

Leia mais

Sistemas Distribuídos. Introdução. Edeyson Andrade Gomes. www.edeyson.com.br

Sistemas Distribuídos. Introdução. Edeyson Andrade Gomes. www.edeyson.com.br Sistemas Distribuídos Introdução Edeyson Andrade Gomes www.edeyson.com.br SUMÁRIO Definições Características Desafios Vantagens Desvantagens 2 Definições DEFINIÇÕES Um sistema distribuído é uma coleção

Leia mais

Introdução às Redes de Computadores. Por José Luís Carneiro

Introdução às Redes de Computadores. Por José Luís Carneiro Introdução às Redes de Computadores Por José Luís Carneiro Portes de computadores Grande Porte Super Computadores e Mainframes Médio Porte Super Minicomputadores e Minicomputadores Pequeno Porte Super

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES SERVICOS DE REDE LOCAL. Professor Carlos Muniz

SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES SERVICOS DE REDE LOCAL. Professor Carlos Muniz SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES SERVICOS DE REDE LOCAL Na internet, cada computador conectado à rede tem um endereço IP. Todos os endereços IPv4 possuem 32 bits. Os endereços IP são atribuídos à interface

Leia mais

Thin Clients : aumentando o potencial dos sistemas SCADA

Thin Clients : aumentando o potencial dos sistemas SCADA Artigos Técnicos Thin Clients : aumentando o potencial dos sistemas SCADA Tarcísio Romero de Oliveira, Engenheiro de Vendas e Aplicações da Intellution/Aquarius Automação Industrial Ltda. Um diagnóstico

Leia mais

Searching for Employees Precisa-se de Empregados

Searching for Employees Precisa-se de Empregados ALIENS BAR 1 Searching for Employees Precisa-se de Empregados We need someone who can prepare drinks and cocktails for Aliens travelling from all the places in our Gallaxy. Necessitamos de alguém que possa

Leia mais

Sistemas de Informação Gerencial

Sistemas de Informação Gerencial Sistemas de Informação Gerencial Aula 06 Prof.ª Bruna Patrícia da Silva Braga Infraestrutura de TI: Redes de Computadores Redes de Computadores Conjunto de computadores e periféricos ligados entre si através

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação I

Administração de Sistemas de Informação I Administração de Sistemas de Informação I Prof. Farinha Aula 03 Telecomunicações Sistemas de Telecomunicações 1 Sistemas de Telecomunicações Consiste de Hardware e Software transmitindo informação (texto,

Leia mais

AULA 01 INTRODUÇÃO. Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação

AULA 01 INTRODUÇÃO. Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação AULA 01 INTRODUÇÃO Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação CONCEITO Dois ou mais computadores conectados entre si permitindo troca de informações, compartilhamento de

Leia mais

SOLUÇÕES PARA SERVIÇOS DE WEBMAIL

SOLUÇÕES PARA SERVIÇOS DE WEBMAIL SOLUÇÕES PARA SERVIÇOS DE WEBMAIL Maicon de Vargas Pereira Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS (FATEC PELOTAS) Rua Gonçalves Chaves, 602 96.015-000

Leia mais

INFORMÁTICA IINTERNET / INTRANET

INFORMÁTICA IINTERNET / INTRANET INFORMÁTICA IINTERNET / INTRANET Objectivos História da Internet Definição de Internet Definição dos protocolos de comunicação Entender o que é o ISP (Internet Service Providers) Enumerar os equipamentos

Leia mais

Tese / Thesis Work Análise de desempenho de sistemas distribuídos de grande porte na plataforma Java

Tese / Thesis Work Análise de desempenho de sistemas distribuídos de grande porte na plataforma Java Licenciatura em Engenharia Informática Degree in Computer Science Engineering Análise de desempenho de sistemas distribuídos de grande porte na plataforma Java Performance analysis of large distributed

Leia mais

Prof. Cláudio Conceitos e-commerce PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

Prof. Cláudio Conceitos e-commerce PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Cláudio Conceitos e-commerce PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Intranet e Extranet Rede privada baseada na mesma tecnologia utilizada na internet, sendo sua única diferença o objetivo por trás

Leia mais

Serviços: API REST. URL - Recurso

Serviços: API REST. URL - Recurso Serviços: API REST URL - Recurso URLs reflectem recursos Cada entidade principal deve corresponder a um recurso Cada recurso deve ter um único URL Os URLs referem em geral substantivos URLs podem reflectir

Leia mais

No projeto das primeiras redes de computadores, o hardware foi a principal preocupação e o software ficou em segundo plano.

No projeto das primeiras redes de computadores, o hardware foi a principal preocupação e o software ficou em segundo plano. No projeto das primeiras redes de computadores, o hardware foi a principal preocupação e o software ficou em segundo plano. Essa estratégia foi deixada para trás. Atualmente, o software de rede é altamente

Leia mais

Sistemas. ções Gerenciais

Sistemas. ções Gerenciais Sistemas Como elaborar seu currículo? de Informaçõ 04/2006 ções Gerenciais Um currículo bem feito não garante sua contratação mas um currículo mal elaborado elimina-o do processo seletivo. Novas Tecnologias...

Leia mais

Trabalho realizado por: Daniel Fonseca; No âmbito da disciplina de CLC; Neste trabalho vou falar sobre os seguintes tópicos: O que é a internet? Quando foi criada; A origem da Internet; A História da Internet;

Leia mais

PIMS & MES Process Information Management Systems & Manufacturing Execution Systems

PIMS & MES Process Information Management Systems & Manufacturing Execution Systems PIMS & MES Process Information Management Systems & Manufacturing Execution Systems Prof. Ricardo J. Rabelo UFSC Universidade Federal de Santa Catarina DAS Departamento de Automação e Sistemas SUMÁRIO

Leia mais

Módulo de Gestão aplicada à TIC Curso Técnico de Informática Aulas 05 e 06. Prof. Amadeu Campos

Módulo de Gestão aplicada à TIC Curso Técnico de Informática Aulas 05 e 06. Prof. Amadeu Campos Módulo de Gestão aplicada à TIC Curso Técnico de Informática Aulas 05 e 06 Prof. Amadeu Campos FTIN FORMAÇÃO TÉCNICA EM INFORMÁTICA GESTÃO DA INFORMATIZAÇÃO EMPRESARIAL Competências a serem trabalhadas

Leia mais

SISTEMAS DISTRIBUÍDOS

SISTEMAS DISTRIBUÍDOS SISTEMAS DISTRIBUÍDOS Capítulo 1 Introdução Material de suporte às aulas de Sistemas Distribuídos de Nuno Preguiça Copyright DI FCT/ UNL / 1 NOTA PRÉVIA A apresentação utiliza algumas das figuras do livro

Leia mais

INFRAESTRUTURA DE TI E TECNOLOGIAS EMERGENTES

INFRAESTRUTURA DE TI E TECNOLOGIAS EMERGENTES Sistema de Informação e Tecnologia FEQ 0411 Prof Luciel Henrique de Oliveira luciel@uol.com.br Capítulo 5 INFRAESTRUTURA DE TI E TECNOLOGIAS EMERGENTES PRADO, Edmir P.V.; SOUZA, Cesar A. de. (org). Fundamentos

Leia mais

Treinamento para Pais Cidadania digital No Nível Fundamental. Parent Academy Digital Citizenship. At Elementary Level

Treinamento para Pais Cidadania digital No Nível Fundamental. Parent Academy Digital Citizenship. At Elementary Level Parent Academy Digital Citizenship At Elementary Level Treinamento para Pais Cidadania digital No Nível Fundamental Pan American School of Bahia March 18 and 29, 2016 Digital Citizenship Modules Cyberbullying

Leia mais

Soluções Inteligentes para regulamentações e negócios em aplicações SAP

Soluções Inteligentes para regulamentações e negócios em aplicações SAP Soluções Inteligentes para regulamentações e negócios em aplicações SAP Uma nova visão no Gerenciamento da Aplicação INDICE 1. A Union IT... 3 2. A importância de gerenciar dinamicamente infra-estrutura,

Leia mais

and work, with work having a multiplication factor double). Relacionamento Comercial Internacional International Commercial Relationship

and work, with work having a multiplication factor double). Relacionamento Comercial Internacional International Commercial Relationship Sucesso é a união de três elementos: confiança, reciprocidade e trabalho, tendo o trabalho um fator duplo de multiplicação (success is basically the union of three elements: trust, reciprocity and work,

Leia mais

Equipamentos e Usuários: Você Realmente Conhece Quem se Conecta na Sua Rede?

Equipamentos e Usuários: Você Realmente Conhece Quem se Conecta na Sua Rede? Equipamentos e Usuários: Você Realmente Conhece Quem se Conecta na Sua Rede? Miguel Minicz, H3CNE, H3CSE, H3CDP, IEEE Member Senior Solutions Architect, HP Networking Hewlett-Packard Brasil Desafios Atuais

Leia mais

09/05/2012. O Professor Plano de Disciplina (Competências, Conteúdo, Ferramentas Didáticas, Avaliação e Bibliografia) Frequência Nota Avaliativa Site:

09/05/2012. O Professor Plano de Disciplina (Competências, Conteúdo, Ferramentas Didáticas, Avaliação e Bibliografia) Frequência Nota Avaliativa Site: O Professor Plano de Disciplina (Competências, Conteúdo, Ferramentas Didáticas, Avaliação e Bibliografia) Frequência Nota Avaliativa Site: https://sites.google.com/site/professorcristianovieira Esta frase

Leia mais

IBM MobileFirst: Identificando e Capturando novas oportunidades de negócio

IBM MobileFirst: Identificando e Capturando novas oportunidades de negócio IBM MobileFirst: Identificando e Capturando novas oportunidades de negócio Eduardo Macedo Curro Gerente de Soluções de Mobilidade 2014 IBM Corporation 1 Quais são as principais tendências do mercado de

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO Prof. Adriano Avelar Site: www.adrianoavelar.com Email: eam.avelar@gmail.com O que veremos hoje... Evolução Histórica Motivação Conceitos Características

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 16

REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 16 REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 16 Índice 1. SISTEMA OPERACIONAL DE REDE...3 1.1 O protocolo FTP... 3 1.2 Telnet... 4 1.3 SMTP... 4 1.4 SNMP... 5 2 1. SISTEMA OPERACIONAL DE REDE O sistema

Leia mais

AG8 Informática. Esta apostila foi retirada do www.comocriarsites.net. Como Criar Sites HTML - notícia importante! www.comocriarsites.

AG8 Informática. Esta apostila foi retirada do www.comocriarsites.net. Como Criar Sites HTML - notícia importante! www.comocriarsites. Esta apostila foi retirada do www.comocriarsites.net Como Criar Sites HTML - notícia importante! www.comocriarsites.net Venha conhecer o novo Como Criar Sites HTML, agora é um mega portal para webmasters,

Leia mais

Valor Comercial das Telecomunicações

Valor Comercial das Telecomunicações Valor Comercial das Telecomunicações Superar barreiras geográficas Atendimento ao cliente/preenchimento de pedidos Superar barreiras do tempo Consultas de crédito (POS) Superar barreiras de custo Videoconferência

Leia mais

Parte 2: Sistemas de Informação em Saúde II

Parte 2: Sistemas de Informação em Saúde II Curso: Sistemas de Informação para Gestão da Saúde Parte 2: Sistemas de Informação em Saúde II Beatriz de Faria Leão, MD, PhD http://www.pep.com.br/unidasabril2006 São Paulo, 6 a 7 de abril de 2006 Vamos

Leia mais

APOSTILA BÁSICA INFORMÁTICA: 1. PROCESSADOR DE TEXTOS 1.1 Conhecendo o aplicativo Word 2007 2.EDITOR DE PLANILHAS

APOSTILA BÁSICA INFORMÁTICA: 1. PROCESSADOR DE TEXTOS 1.1 Conhecendo o aplicativo Word 2007 2.EDITOR DE PLANILHAS APOSTILA BÁSICA INFORMÁTICA: 1. PROCESSADOR DE TEXTOS 1.1 Conhecendo o aplicativo Word 2007 2.EDITOR DE PLANILHAS 3.INTERNET 3.1. Internet: recursos e pesquisas 3.2. Conhecendo a Web 3.3. O que é um navegador?

Leia mais

Project Management Activities

Project Management Activities Id Name Duração Início Término Predecessoras 1 Project Management Activities 36 dias Sex 05/10/12 Sex 23/11/12 2 Plan the Project 36 dias Sex 05/10/12 Sex 23/11/12 3 Define the work 15 dias Sex 05/10/12

Leia mais