Vantagens e Desvantagens do Ensino a Distância

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Vantagens e Desvantagens do Ensino a Distância"

Transcrição

1 Solda soldagem EaD 10/10/2010 Vantagens e Desvantagens do Ensino a Distância Prof. Dr. Almir M. Quites O mercado exige cada vez mais qualificação profissional, mas todos nós temos limitações! Precisamos também dedicar tempo à família, ao lazer e aos cuidados com a nossa própria saúde. O curso a distância é uma solução? Quais são as suas vantagens e desvantagens? VANTAGENS Com os recursos que a internet atualmente proporciona, os cursos poderão ser mais profundos sem se tornarem mais difíceis. Além de pouparem o tempo de deslocamento até a instituição e de permanência nela diariamente, a educação a distância (EaD) oferece melhores condições de pagamento, sendo que podem sair até pela metade do preço de um curso em instituição presencial privada. Flexibilidade de ritmo: o aluno evolui de acordo com o seu ritmo próprio, embora tenha que se disciplinar para estabelecer e cumprir seu cronograma de estudos. O aluno pode escolher o dia e a hora mais apropriados para estudar e contará com o apoio de um tutor. Um estudante que não possa freqüentar a escola, por quaisquer motivos, inclusive de doença ou de viagem, tem a oportunidade de estudar em casa e, portanto, não se coloca em desvantagem em relação aos seus colegas. Uma grande vantagem do ensino à distância através da internet é que este tipo de ensino pode ser utilizado por um grupo variado de pessoas que dele necessitam, pois basta que tenham disciplina e capacidade de compreensão. Geralmente não há exigências de pré-requisitos como diplomas ou qualquer tipo de comprovante de escolaridade. Os alunos são pessoas interessadas no tema, sejam estudantes universitários, trabalhadores ou pessoas que almejam voltar ao trabalho após um período de ausência. Os trabalhadores podem aumentar e atualizar os seus conhecimentos específicos no seu próprio local de trabalho. A "gestão de tempo flexível" é particularmente importante, visto que as pessoas têm a oportunidade de

2 aprofundar as suas capacidades profissionais sem a necessidade de se afastar do local de trabalho. Os interessados que residem muito longe de uma escola ou universidade, ou pessoas incapacitadas, têm também agora a possibilidade de estudar. Além disso, pessoas de diferentes escalões sociais, culturais e econômicos têm a oportunidade de interagir. A metodologia utilizada deve promover a ampliação da autonomia do aluno e tornar possível discorrer, discutir, questionar e testar o aprendizado. Os alunos predispostos ao auto-aprendizado sempre terão vantagens em cursos á distância. Estes desenvolverão a capacidade de aprender, a compreensão e a capacidade de se expressar com linguajar preciso. Os computadores utilizados no ensino à distância aumentam a flexibilidade e a interação. Além disso, os custos relativos aos estabelecimentos educacionais permanentemente disponíveis podem ser reduzidos. Oradores convidados" podem ser integrados sem a necessidade de estarem presentes. O fato de os cursos se encontrarem disponíveis praticamente em qualquer lugar e durante qualquer período significa que cada vez mais pessoas os podem freqüentar. Os participantes podem trabalhar de acordo com as suas próprias necessidades e podem se concentrar nos conteúdos que realmente precisam ou que têm que aprender. Uma vez que a organização da disciplina, incluindo a interação entre alunos, dispensa a presença de um professor convencional, esta pode ser continuamente acompanhada e aperfeiçoada por outros professores e colaboradores. DESVANTAGENS Em comparação com os métodos de estudo convencionais, o ensino à distância requer um elevado grau de maturidade e compromisso por parte dos alunos. A ausência destes pré-requisitos poderá comprometer seriamente o processo de ensino-aprendizagem. O aluno precisa ter a capacidade de se auto-disciplinar. Ele estuda no horário que lhe convier, mas precisa disciplinar-se e desejar o aprendizado. O aluno precisa ter motivação e assim estar interessado em se auto-avaliar. A avaliação precisa ser encarada como um desafio a ser enfrentada com ética, coragem e inteligência. Às vezes os alunos têm dificuldades em disciplinarem-se e, muitos deles, precisam de ajuda para organizar o seu estudo e os seus horários.

3 Alguns estudantes não têm os conhecimentos básicos de informática e, por conseguinte, não encontrarão a motivação necessária para estudar com sucesso. No que respeita ao relacionamento entre os estudantes, deve ter-se em conta que o ensino à distância não inclui a motivação e a competição que resultam do contato entre alunos. O mesmo acontece com a integração aluno-professor. Os cursos não são suficientemente flexíveis, uma vez que não incluem os imprevistos, dificuldades na compreensão e as reações espontâneas dos alunos. Portando, mais uma vez, vale mais a iniciativa do aluno. Ele mesmo deve formular perguntas aos colegas e aos professores. Ele mesmo proporcionar o seu próprio aprendizado e o dos seus colegas. O ensino à distância oferece ao professor um desafio novo: o seu método de ensino deve ir ao encontro das necessidades e expectativas dos vários participantes. Os professores deverão também fazer um esforço para compreender as capacidades e necessidades dos estudantes, sem o contato pessoal e a experiência direta de trabalho com os participantes do curso. Ambiente de Ensino-Aprendizagem da SOLDASOFT Os cursos da SOLDASOFT baseiam-se nos seguintes princípios: 1. A aprendizagem verdadeira se dá quando mobiliza a inteligência. O raciocínio desenvolve mecanismos mais avançados de pensamento. 2. Cabe ao professor: * evitar rotina, a fixação de respostas, hábitos. * provocar desequilíbrios, fazer desafios. 3. Cabe ao aluno * estudar, pesquisar, avaliar-se e colaborar com os colegas. * colaborar com o processo de ensino, apontando falhas, propondo mudanças e complementações. O Ambiente de Aprendizagem do PORTAL DA SOLDASOFT, por meio do ensino a distância, oferece a oportunidade de aperfeiçoamento na área da soldagem com o apoio de um tutor. É recomendável que o participante tenha alguma experiência na área de soldagem e formação no ensino médio, porém a comprovação da escolaridade não é prérequisito para o candidato participar do curso. O ambiente de aprendizagem foi concebido para oferecer oportunidade de aprendizado técnico de forma atraente e eficiente, por intermédio da EaD (Educação a Distância). Oferece aos participantes, além do conteúdo on-line, figuras, fotos, filmes, glossários, animações, videoconferência, bate-papo, Wikipédia da SOLDASOFT, links interessantes, exercícios de fixação e outros objetos de aprendizagem, que auxiliam na formação continuada do técnico contemporâneo, crítico e atuante.

4 A metodologia utilizada visa promover a ampliação da autonomia do aluno, pois torna possível discorrer, discutir, questionar e testar o aprendizado. Além do curso de Tecnologia da Soldagem a Arco Voltaico, já em funcionamento, os novos cursos, a serem implementados gradativamente, serão os seguintes: Inspetor de Soldagem N1 Controle de Defeitos em Soldagem Metalurgia da soldagem Tensões e deformações em soldagem Segurança e higiene em soldagem Especificação de procedimentos de soldagem Processos modernos e automação na soldagem Fadiga de peças e estruturas soldadas. Mecânica da fratura aplicada a estruturas soldadas Critérios para o projeto de peças e estruturas soldadas. Conteúdo programático do curso de TECNOLOGIA DA SOLDAGEM A ARCO VOLTAICO 1. Conceitos fundamentais Definição de soldagem, solda, cordão e conceitos conexos. 2. Fundamentos da soldagem a arco voltaico Soldagem elétrica a arco voltaico. O arco voltaico. Primeiras aplicações do arco à soldagem. A evolução da soldagem. 3. Eletrotécnica aplicada à soldagem. Corrente elétrica. Tipos de corrente elétrica. Conseqüências da Polaridade. Valor médio e valor eficaz. Características estáticas de arco. 4. Resumo dos processos atuais de soldagem a arco voltaico. Soldagem com eletrodos revestidos. Soldagem TIG. Soldagem Plasma. Soldagem MIG/MAG. Soldagem a arco submerso. Soldagem a escória eletrocondutora. Eletrodo tubular. Versatilidade dos processos a arco voltaico. 5. Fontes de energia para soldagem a arco voltaico. Fontes eletromagnéticas. Fontes eletrônicas. Características das fontes eletrônicas de energia. Performances. Fontes universais 6. Preparação de juntas para soldagem. Classificação das juntas quanto à situação relativa dos elementos a soldar. Classificação de juntas quanto à posição de soldagem. Classificação de juntas quanto à forma como é preparada. Seleção do tipo de junta. Fixação dos bordos

5 7. Símbolos de solda. Representação básica. Esquema geral da simbologia de soldagem. Notas para o uso dos símbolos de solda. 8. Noções de soldabilidade dos materiais de base. Aços. Alumínios. Cobres. Níqueis 9. Consumíveis de soldagem Classificação dos eletrodos. Eletrodos revestidos para soldagem a arco voltaico. Varetas e arames para aços de baixa liga. Metais de adição para aços inoxidáveis. Metais de adição para ligas de alumínio. Metais de adição de ligas de níquel. Metais de adição de cobre e ligas de cobre. Metais de adição de magnésio e ligas de magnésio. Metais de adição para titânio e ligas de titânio. Metais de adição para recobrimentos superficiais. Insumos para arco submerso. Gases de proteção 10. Parâmetros de soldagem Categorização das variáveis de soldagem. Processo de soldagem com eletrodo permanente. Processo de soldagem com eletrodo consumível revestido. Processos de soldagem para alta produção. A importância dos parâmetros de soldagem. Transferência de metal em eletrodos consumíveis. 11. Soldagem TIG Princípios de operação. A abertura e extinção do arco. Fontes de energia. Corrente de soldagem. Corrente pulsada. Gases de proteção. Escolha do eletrodo. Tocha. Técnica de soldagem. Parâmetros de soldagem recomendados. 12. Soldagem a plasma Fundamentos do processo. Modos de arco. Tipos de corrente de soldagem. Características básicas do processo. Modos de soldagem a plasma. Corrente pulsada e alternada. 13. Soldagem a eletrodo revestido Funções do revestimento. Tipos de revestimentos. Classificação dos eletrodos. Classificações oficiais. Características estáticas de arco de eletrodos revestidos. Escolha do revestimento e do tipo de corrente. Técnicas da soldagem manual. Cuidados na armazenagem e secagem dos eletrodos. 14. Soldagem MIG/MAG Fundamentos. Modos de transferência de metal de adição. Equipamentos. Técnica operatória. 15. Soldagem com eletrodo tubular Fundamentos do processo. Técnica de soldagem. Consumo de material de adição com eletrodo tubular sem proteção gasosa. Comparação com outros processos. Cuidados com a qualidade da solda. Vantagens e limitações do processo ET.

6 16. Soldagem a arco submerso Fundamentos do processo. Modos de soldagem.abertura do arco. Influência dos parâmetros de soldagem. Versatilidade do processo. Fontes de corrente contínua. Fontes de corrente alternada. Problemas de porosidade. Vantagens da soldagem a arco submerso. Limitações da soldagem A arco submerso. Exemplos de procedimentos a arco submerso.comparação de consumo de material de adição entre processos. 17. Eletroescória e Eletrogás Eletroescória: Fundamentos. Equipamentos. Consumíveis. Técnica de operação. As variáveis do processo e seus efeitos. Aplicações Industriais Eletrogás: Fundamentos. Consumíveis. Técnica de soldagem. Aplicações Industriais 18. Técnicas complementares de soldagem Técnicas e cuidados térmicos durante e após a soldagem. Preaquecimento. Pós-aquecimento. Tratamentos térmicos: recozimento, normalização, têmpera, revenimento, envelhecimento, Solubilização, alívio de Tensões. Técnicas de Tratamento Térmico: fornos fechados, aquecimento localizado. Instrumentos de controle: lápis térmicos, termopares, termoresistências. Registros e Controle de temperatura. 19. Garantindo a qualidade das soldas SISTEMA DE SOLDAGEM.SISTEMA SOLDADOR. A QUALIFICAÇÃO E sua DOCUMENTAÇÃO. Especificação de Procedimento de Soldagem (EPS). Conteúdo de uma EPS.Formato da EPS. QUALIFICAÇÃO DE SOLDADORES. Considerações gerais. Os corpos de prova. Considerações sobre o procedimento da qualificação. Exame radiográfico das soldas. QUALIFICAÇÃO DE PROCEDIMENTOS DE SOLDAGEM. Qualificação pela AWS. Qualificação pela ASME. REGISTRO DE QUALIFICAÇÃO DE PROCEDIMENTO (RQP). Conteúdo da RQP. Formato da RQP. Os números-p. Combinação de procedimentos de soldagem. A responsabilidade dos fabricantes ou contratantes. 20. Soldagem de manutenção. Introdução. Análise de riscos. Inspeção e manutenção baseadas no potencial de risco. Determinação de vida remanescente. Manutenção por soldagem. Os soldadores. Resumo deste tópico

Curso de Engenharia de Produção. Processos de Fabricação

Curso de Engenharia de Produção. Processos de Fabricação Curso de Engenharia de Produção Processos de Fabricação Soldagem MIG/MAG MIG e MAG indicam processos de soldagem por fusão que utilizam o calor de um arco elétrico formado entre um eletrodo metálico consumível

Leia mais

Soldabilidade de Metais. Soldagem II

Soldabilidade de Metais. Soldagem II Soldabilidade de Metais Soldagem II Soldagem de Ligas Metálicas A American Welding Society (AWS) define soldabilidade como a capacidade de um material ser soldado nas condições de fabricação impostas por

Leia mais

SOLDAGEM POR ARCO SUBMERSO

SOLDAGEM POR ARCO SUBMERSO SOLDAGEM POR ARCO SUBMERSO Juntas com excelentes propriedades mecânicometalúrgicas Altas taxas de deposição Esquema básico do processo 1 Vantagens do processo Pode-se usar chanfros com menor área de metal

Leia mais

PROGRAMA DE MANUTENÇÃO INDUSTRIAL POR SOLDAGEM

PROGRAMA DE MANUTENÇÃO INDUSTRIAL POR SOLDAGEM PROGRAMA DE MANUTENÇÃO INDUSTRIAL POR SOLDAGEM Know-How no Segmento Industrial de Fundição A Eutectic Castolin acumulou vasto conhecimento nos principais setores industriais do Brasil e possui um programa

Leia mais

INSPECTORES DE SOLDADURA SISTEMA AWS / CWI PROGRAMA DO CURSO AWS / CWI

INSPECTORES DE SOLDADURA SISTEMA AWS / CWI PROGRAMA DO CURSO AWS / CWI INSPECTORES DE SOLDADURA SISTEMA AWS / CWI PROGRAMA DO CURSO AWS / CWI Programa de Formação AWS / CWI, Documentos a distribuir aos Formandos, exames AWS conteúdo e respectiva classificação para aprovação

Leia mais

Soldagem de Aço Inox Utilizando Arco Gasoso com Tungstênio (GTAW ou TIG)

Soldagem de Aço Inox Utilizando Arco Gasoso com Tungstênio (GTAW ou TIG) Soldagem de Aço Inox Utilizando Arco Gasoso com Tungstênio (GTAW ou TIG) Este é o processo mais amplamente usado devido a sua versatilidade e alta qualidade bem como a aparência estética do acabamento

Leia mais

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Módulo IV Aula 07 Solda A soldagem é um tema muito extenso. Basicamente a soldagem é a união de materiais, mas existem inúmeros processos totalmente diferentes

Leia mais

ÍNDICE CORROSÃO E MEDIDAS DE PROTEÇÃO... 3. ESPECIFICAÇÃO DE AÇOS, LIGAS ESPECIAIS E FERROS FUNDIDOS (Módulo I)... 4 ACABAMENTO DE SUPERFÍCIE...

ÍNDICE CORROSÃO E MEDIDAS DE PROTEÇÃO... 3. ESPECIFICAÇÃO DE AÇOS, LIGAS ESPECIAIS E FERROS FUNDIDOS (Módulo I)... 4 ACABAMENTO DE SUPERFÍCIE... ÍNDICE CORROSÃO E MEDIDAS DE PROTEÇÃO... 3 ESPECIFICAÇÃO DE AÇOS, LIGAS ESPECIAIS E FERROS FUNDIDOS (Módulo I)... 4 ACABAMENTO DE SUPERFÍCIE... 5 FUNDAMENTOS DOS TRATAMENTOS TÉRMICOS DAS LIGAS FERROSAS

Leia mais

1.OBJETIVO. Os principais objetivos da prática de soldagem com eletrodo revestido são:

1.OBJETIVO. Os principais objetivos da prática de soldagem com eletrodo revestido são: 1 Objetivo/Justificativa 2 Introdução 2.1 Soldagem por Arco Submerso 2.1.1 Princípio de Funcionamento 2.2 Soldagem por Arame Tubular 2.2.1 Princípio de Funcionamento 3 Descrição da Prática 3.1 Materiais

Leia mais

MANUAL DO ALUNO EM DISCIPLINAS NA MODALIDADE A DISTÂNCIA

MANUAL DO ALUNO EM DISCIPLINAS NA MODALIDADE A DISTÂNCIA MANUAL DO ALUNO EM DISCIPLINAS NA MODALIDADE A DISTÂNCIA ORIENTAÇÕES PARA OS ESTUDOS EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Caro (a) Acadêmico (a), Seja bem-vindo (a) às disciplinas ofertadas na modalidade a distância.

Leia mais

Trabalho Prático N o :. Técnica Operatória da Soldagem GMAW

Trabalho Prático N o :. Técnica Operatória da Soldagem GMAW Trabalho Prático N o :. Técnica Operatória da Soldagem GMAW 1. Objetivos: Familiarizar-se com o arranjo e a operação do equipamento utilizado na soldagem semi-automática GMAW. Familiarizar-se com os consumíveis

Leia mais

- Bibliografia Recomendada

- Bibliografia Recomendada 1 7 a aula - ELETRODOS REVESTIDOS - Bibliografia Recomendada 1) Soldagem Processos e Metalurgia Capítulo 2b 2) Normas da AWS A5.1-81, A5.5-81 e demais normas 3) Catálogo de fabricantes de eletrodos revestidos

Leia mais

Qualificação de Procedimentos

Qualificação de Procedimentos Qualificação de Procedimentos Os equipamentos em geral são fabricados por meio de uniões de partes metálicas entre si empregando-se soldas. Há, portanto a necessidade de se garantir, nestas uniões soldadas,

Leia mais

FUNDAÇÃO BRASILEIRA DE TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

FUNDAÇÃO BRASILEIRA DE TECNOLOGIA DA SOLDAGEM FUNDAÇÃO BRASILEIRA DE TECNOLOGIA DA SOLDAGEM NORMA FBTS N-008 Novembro/15 Revisão 0 CRITÉRIOS PARA A QUALIFICAÇÃO E A CERTIFICAÇÃO DE SUPERVISORES E ENCARREGADOS DE SOLDAGEM FUNDAÇÃO BRASILEIRA DE TECNOLOGIA

Leia mais

SOLDAGEM DOS METAIS CAPÍTULO 8 SOLDAGEM MIG/MAG

SOLDAGEM DOS METAIS CAPÍTULO 8 SOLDAGEM MIG/MAG 53 CAPÍTULO 8 SOLDAGEM MIG/MAG 54 PROCESSO MIG/MAG (METAL INERT GAS/METAL ACTIVE GAS) MIG é um processo por fusão a arco elétrico que utiliza um arame eletrodo consumível continuamente alimentado à poça

Leia mais

PROGRAMA DE MANUTENÇÃO INDUSTRIAL POR SOLDAGEM

PROGRAMA DE MANUTENÇÃO INDUSTRIAL POR SOLDAGEM PROGRAMA DE MANUTENÇÃO INDUSTRIAL POR SOLDAGEM Know-How no Segmento Industrial de Forjaria A Eutectic Castolin acumulou vasto conhecimento nos principais setores industriais do Brasil e possui um programa

Leia mais

COLETÂNEA DE INFORMAÇÕES TÉCNICAS AÇO INOXIDÁVEL SOLDAGEM DE AÇOS INOXIDÁVEIS. Introdução

COLETÂNEA DE INFORMAÇÕES TÉCNICAS AÇO INOXIDÁVEL SOLDAGEM DE AÇOS INOXIDÁVEIS. Introdução COLETÂNEA DE INFORMAÇÕES TÉCNICAS AÇO INOXIDÁVEL SOLDAGEM DE AÇOS INOXIDÁVEIS Introdução Os aços inoxidáveis austeníticos são facilmente soldados com ou sem arame de enchimento. Ë considerável a utilização

Leia mais

Soldagem de manutenção

Soldagem de manutenção Soldagem de manutenção Prof. Dr. Almir Quites www.soldasoft.com.br 11/11/2001 1) Introdução Aqueles que fazem parte de equipe de manutenção industrial, em uma refinaria, por exemplo, vivem numa rotina

Leia mais

Processos Construtivos

Processos Construtivos Patrocínio: Coordenação: Parcerias: Processos Construtivos Soldagem Elaborado por: Bruno Stupello As informações e análises contidas nesse documento são de responsabilidade do Centro de Estudos em Gestão

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL NOVEMBRO DE 2012 Índice da Apresentação EMPRESA... 3 Missão... 3 Áreas de atuação... 3 Infraestrutura Fabril... 4 ESCOPO DE SERVIÇOS... 4 Serviços de Fabricação e Manutenção... 4 Engenharia de Soldagem...

Leia mais

Fundamentos Equipamentos Consumíveis Técnica operatória Aplicações Industriais. Definição e princípio de operação:

Fundamentos Equipamentos Consumíveis Técnica operatória Aplicações Industriais. Definição e princípio de operação: Fundamentos Equipamentos Consumíveis Técnica operatória Aplicações Industriais Fundamentos Definição e princípio de operação: A soldagem a arco com eletrodo de tungstênio e proteção gasosa (Gas Tungsten

Leia mais

SOLDAGEM DOS METAIS CAPÍTULO 9 SOLDAGEM COM ELETRODO REVESTIDO

SOLDAGEM DOS METAIS CAPÍTULO 9 SOLDAGEM COM ELETRODO REVESTIDO 62 CAPÍTULO 9 SOLDAGEM COM ELETRODO REVESTIDO 63 SOLDAGEM A ARCO ELÉTRICO COM ELETRODO REVESTIDO É um processo de soldagem por fusão a arco elétrico que utiliza um eletrodo consumível, no qual o calor

Leia mais

FUNDAÇÃO BRASILEIRA DE TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

FUNDAÇÃO BRASILEIRA DE TECNOLOGIA DA SOLDAGEM FUNDAÇÃO BRASILEIRA DE TECNOLOGIA DA SOLDAGEM NORMA FBTS N-007 Abril/15 Revisão 02 CRITÉRIOS PARA A QUALIFICAÇÃO E A CERTIFICAÇÃO DE ENGENHEIRO E TECNÓLOGO ESPECIALISTAS EM SOLDAGEM FUNDAÇÃO BRASILEIRA

Leia mais

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Departamento Regional de São Paulo

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Departamento Regional de São Paulo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Departamento Regional de São Paulo Formação Inicial e Continuada (Decreto Federal nº 5154/04 e Lei Federal nº 11741/08) PLANO DE CURSO Área Tecnológica : Metalurgia

Leia mais

GUIA DO ALUNO EAD EAD DO GUIA ALUNO

GUIA DO ALUNO EAD EAD DO GUIA ALUNO GUIA DO ALUNO EAD GUIA DO ALUNO EAD Guia do Aluno Seja bem-vindo(a) às disciplinas EAD! Agora que você já está matriculado na disciplina online, chegou o momento de ficar por dentro de informações muito

Leia mais

MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE IV SOLDAGEM

MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE IV SOLDAGEM MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE IV SOLDAGEM Soldagem A soldagem é o mais importante processo de união de metais utilizado na indústria. Aplicações da soldagem: Estruturas simples Grades Portões Estruturas

Leia mais

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Departamento Regional de São Paulo

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Departamento Regional de São Paulo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Departamento Regional de São Paulo Formação Inicial e Continuada (Decreto Federal nº 5154/04 e Lei Federal nº 11741/08) PLANO DE CURSO Área Tecnológica: Metalurgia

Leia mais

As melhores soluções em corte e solda.

As melhores soluções em corte e solda. As melhores soluções em corte e solda. Desde 1987 no ramo de solda e corte. Certificação ISO 9001/2008 Soluções completas em solda e corte. VENDAS DE EQUIPAMENTOS E CONSUMÍVEIS. MANUTENÇÃO E SERVIÇOS.

Leia mais

1 Qual dos documentos apresentados a seguir não necessita ser mantido sob a responsabilidade do Inspetor de Soldagem?

1 Qual dos documentos apresentados a seguir não necessita ser mantido sob a responsabilidade do Inspetor de Soldagem? 1 Qual dos documentos apresentados a seguir não necessita ser mantido sob a responsabilidade do Inspetor de Soldagem? (a) Controle de Desempenho de Soldadores e Operadores de Soldagem.. (b) Registro da

Leia mais

Caro(a) aluno(a), Estaremos juntos nesta caminhada. Coordenação NEO

Caro(a) aluno(a), Estaremos juntos nesta caminhada. Coordenação NEO Caro(a) aluno(a), seja bem-vindo às Disciplinas Online da Faculdade Presidente Antônio Carlos de Bom Despacho e Faculdade de Educação de Bom Despacho. Em pleno século 21, na era digital, não poderíamos

Leia mais

GRSS. Resistance WELDING SOLDAGEM POR RESISTÊNCIA ELÉTRICA

GRSS. Resistance WELDING SOLDAGEM POR RESISTÊNCIA ELÉTRICA SOLDAGEM POR RESISTÊNCIA ELÉTRICA Princípios A soldagem por resistência elétrica representa mais uma modalidade da soldagem por pressão na qual as peças a serem soldadas são ligadas entre si em estado

Leia mais

Richard Thomas Lermen (FAHOR) richard@fahor.com.br

Richard Thomas Lermen (FAHOR) richard@fahor.com.br Influência da Velocidade de Soldagem sobre as Geometrias dos Cordões de Solda Realizados Através dos Processos de Soldagem FACW e Soldagem Híbrida (TIG/FACW) Richard Thomas Lermen (FAHOR) richard@fahor.com.br

Leia mais

Conceitos Iniciais. Forjamento a quente Forjamento a frio

Conceitos Iniciais. Forjamento a quente Forjamento a frio Forjamento Conceitos Iniciais Forjamento é o processo de conformação através do qual se obtém a forma desejada da peça por martelamento ou aplicação gradativa de uma pressão. Forjamento a quente Forjamento

Leia mais

Soldagem de manutenção II

Soldagem de manutenção II A UU L AL A Soldagem de manutenção II A recuperação de falhas por soldagem inclui o conhecimento dos materiais a serem recuperados e o conhecimento dos materiais e equipamentos de soldagem, bem como o

Leia mais

Prêmio Soldador Padrão 2016

Prêmio Soldador Padrão 2016 Prêmio Soldador Padrão 2016 Inscrições de 01/04/2016 até 15/07/2016 INSCRIÇÕES GRATUITAS Instruções aos Competidores INTRODUÇÃO O Prêmio Soldador Padrão tem como objetivo estimular o aprendizado e o desenvolvimento

Leia mais

Guia do Aluno - Disciplinas On-line (DOL)

Guia do Aluno - Disciplinas On-line (DOL) GUIA DO ALUNO Seja bem-vindo(a) às disciplinas On-line (DOL) dos cursos de gradução do Centro Universitário Maurício de Nassau (UNINASSAU) e das Faculdades Maurício de Nassau! Agora que você já está matriculado(a)

Leia mais

CM ENCARREGADO DE MONTAGEM MECÂNICA PLANO DE CURSO

CM ENCARREGADO DE MONTAGEM MECÂNICA PLANO DE CURSO CM ENCARREGADO DE MONTAGEM MECÂNICA PLANO DE CURSO Perfil Profissional Competência Geral obra. Coordenar as montagens mecânicas de acordo com o planejamento da Competência de Gestão Identificar e interpretar

Leia mais

Olhal soldável VLBS Elevação e amarração de cargas Cumpre as diretrizes de maquinaria 2006/42/EG C F T D E T I Articulação 180 G B A H Descrição Carga de trab. (t) Dimensões (mm) Solda Peso O VLBS forjado

Leia mais

Lista de cargos e funções disponíveis no Consórcio Ipojuca

Lista de cargos e funções disponíveis no Consórcio Ipojuca Lista de cargos e funções disponíveis no Consórcio Ipojuca 1. INSPETOR CONTROLE DE QUALIDADE- Atuar com inspeção de processos / final, ensaios de rotina, controle de qualidade e verificação de falhas na

Leia mais

APRESENTAÇÃO COMERCIAL

APRESENTAÇÃO COMERCIAL COM (1) Rev. 0 APRESENTAÇÃO COMERCIAL Pronta para atendê-lo Ao longo dos anos, a VEMAG cresceu e desenvolveu importantes projetos que lhe garantem um sólido portifólio de referência nos segmentos em que

Leia mais

PROCESSOS DE SOLDAGEM

PROCESSOS DE SOLDAGEM PROCESSOS DE SOLDAGEM ARCO ELÉTRICO COM ELETRODO REVESTIDO Prof. Marcio Gomes 1 Soldagem a arco elétrico É um processo de soldagem por fusão em que a fonte de calor é gerada por um arco elétrico formado

Leia mais

DISCIPLINAS ON-LINE GUIA DO ALUNO GRADUAÇÕES

DISCIPLINAS ON-LINE GUIA DO ALUNO GRADUAÇÕES DISCIPLINAS ON-LINE GUIA DO ALUNO GRADUAÇÕES GUIA DO ALUNO Seja bem-vindo(a) às disciplinas on-line dos cursos de gradução das Instituições do Grupo Ser Educacional! Agora que você já está matriculado(a)

Leia mais

Processo de Soldagem por Arame Tubular

Processo de Soldagem por Arame Tubular Processo de Soldagem por Arame Tubular Engº Roberto Joaquim INTRODUÇÃO Data da década de 30 o início da utilização de proteção gasosa nas operações de soldagem, para resolver problemas da contaminação

Leia mais

em partilhar sentido. [Gutierrez e Prieto, 1994] A EAD pode envolver estudos presenciais, mas para atingir seus objetivos necessita

em partilhar sentido. [Gutierrez e Prieto, 1994] A EAD pode envolver estudos presenciais, mas para atingir seus objetivos necessita II. COMPETÊNCIAS E HABILIDADES A assessoria pedagógica não consiste em transmitir certezas, mas em partilhar sentido. [Gutierrez e Prieto, 1994] A EAD pode envolver estudos presenciais, mas para atingir

Leia mais

Avaliação das Principais Descontinuidades Encontradas nas Juntas Soldadas, Causas e Possíveis Soluções.

Avaliação das Principais Descontinuidades Encontradas nas Juntas Soldadas, Causas e Possíveis Soluções. São Paulo Brasil 31 de agosto a 2 de setembro, 2010 Avaliação das Principais Descontinuidades Encontradas nas Juntas Soldadas, Causas e Possíveis Soluções. Paulo Rogerio Santos de Novais * * Tecnólogo

Leia mais

Luciano Lima Gerente de Equipamentos

Luciano Lima Gerente de Equipamentos Luciano Lima Gerente de Equipamentos Redução de custo Produtividade Fácil operação Tecnologia ONDE ESTÃO OS CUSTOS E DEFICIÊNCIAS DE PRODUTIVIDADE? Tempo de preparação da junta Tempo para preparação do

Leia mais

Fontes Para Soldagem a Arco Voltaico. Universidade Federal do Pará - UFPA

Fontes Para Soldagem a Arco Voltaico. Universidade Federal do Pará - UFPA Fontes Para Soldagem a Arco Voltaico Fontes Para Soldagem a Arco Voltaico Fontes de energia para soldagem a arco voltaico podem ser consideradas simplesmente como o ponto de alimentação da energia elétrica

Leia mais

ASPERSÃO TÉRMICA EQUIPAMENTOS PLASMA SPRAY PROCESSO PLASMA

ASPERSÃO TÉRMICA EQUIPAMENTOS PLASMA SPRAY PROCESSO PLASMA ASPERSÃO TÉRMICA PROCESSO Resumidamente, Aspersão Térmica consiste em um grupo de processos em que materiais metálicos e não metálicos são projetados na forma fundida ou semifundida sobre uma superfície

Leia mais

PROGRAMA DE MANUTENÇÃO INDUSTRIAL POR SOLDAGEM

PROGRAMA DE MANUTENÇÃO INDUSTRIAL POR SOLDAGEM PROGRAMA DE MANUTENÇÃO INDUSTRIAL POR SOLDAGEM Know-How no Segmento Industrial de Cimento A Eutectic Castolin acumulou vasto conhecimento dos principais setores industrias do Brasil e possui um programa

Leia mais

Inspeção Visual e Dimensional de Eletrodos e Estufas Duração: 60 minutos

Inspeção Visual e Dimensional de Eletrodos e Estufas Duração: 60 minutos Inspeção Visual e Dimensional de Eletrodos e Estufas Duração: 60 minutos Este texto é dividido em duas partes: a primeira descreve os procedimentos para a realização da Inspeção visual e dimensional de

Leia mais

Planificação anual de 3º ciclo de Educação Tecnológica 7º e 8º ano

Planificação anual de 3º ciclo de Educação Tecnológica 7º e 8º ano Planificação anual de 3º ciclo de Educação Tecnológica 7º e 8º ano Domínios TECNOLOGIA E SOCIEDADE Subdomínios/Sugestões de Exploração Tecnologia e necessidades Humanas: Tecnologia como resposta às necessidades

Leia mais

PROGRAMA DE MANUTENÇÃO INDUSTRIAL POR SOLDAGEM

PROGRAMA DE MANUTENÇÃO INDUSTRIAL POR SOLDAGEM PROGRAMA DE MANUTENÇÃO INDUSTRIAL POR SOLDAGEM Know-How no Segmento Industrial de Açúcar & Álcool A Eutectic Castolin acumulou vasto conhecimento dos principais setores industrias do Brasil e possui um

Leia mais

http://www.portaldaindustria.com.br/senai/iniciativas/programas/educacao-a-distancia/2012/09/1,5682/novos-cursos.html

http://www.portaldaindustria.com.br/senai/iniciativas/programas/educacao-a-distancia/2012/09/1,5682/novos-cursos.html www.cni.org.br http://www.portaldaindustria.com.br/senai/iniciativas/programas/educacao-a-distancia/2012/09/1,5682/novos-cursos.html Novos Cursos O SENAI criou 40 novos cursos a distância, sendo 10 cursos

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO PROCESSO MIG BRAZING

BOLETIM TÉCNICO PROCESSO MIG BRAZING O PROCESSO Consiste na união de aços comuns, galvanizados e aluminizados, utilizando um processo de aquecimento à arco elétrico (MIG), adicionando um metal de adição a base de cobre, não ocorrendo a fusão

Leia mais

REVESTIMENTOS AUTOMATIZADOS EM CAMISAS DE MOENDA

REVESTIMENTOS AUTOMATIZADOS EM CAMISAS DE MOENDA REVESTIMENTOS AUTOMATIZADOS EM CAMISAS DE MOENDA Tcg Alexandre Serra dos Santos Para se fazer o trabalho de revestimento protetor das camisas de moenda através de um sistema automatizado é necessário uma

Leia mais

ANÁLISE PRÁTICA DE PENETRAÇÃO DE SOLDA EM AÇO 1045

ANÁLISE PRÁTICA DE PENETRAÇÃO DE SOLDA EM AÇO 1045 ANÁLISE PRÁTICA DE PENETRAÇÃO DE SOLDA EM AÇO 1045 Fabiana Camila Simon (FAHOR) fs000792@fahor.com.br Marcelo Ioris (FAHOR) mi001024@fahor.com.br Tiago Perin (FAHOR) tp000722@fahor.com.br Valtair de Jesus

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES. LARRY FLEX Fonte de soldagem para TIG, eletrodo revestido e MIG/MAG

MANUAL DE INSTRUÇÕES. LARRY FLEX Fonte de soldagem para TIG, eletrodo revestido e MIG/MAG MANUAL DE INSTRUÇÕES LARRY FLEX Fonte de soldagem para TIG, eletrodo revestido e MIG/MAG II Sumário 1. Introdução 1 2. Descrição do Equipamento 2.1 Ligando a fonte na Rede 2.2 Descrição do Painel Frontal

Leia mais

Educação a Distância: a oportunidade vai ao seu encontro

Educação a Distância: a oportunidade vai ao seu encontro DICAS PARA ESTUDAR A DISTÂNCIA Educação a Distância: a oportunidade vai ao seu encontro Ensinar não é transferir conhecimento, mas criar as possibilidades para a sua própria produção ou a sua construção.

Leia mais

Política de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação

Política de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação Missão Promover a educação profissional e tecnológica, a inovação e a transferência de tecnologias industriais, contribuindo para elevar a competitividade da indústria brasileira. Políticas de Gestão do

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ENGENHARIA DE SOLDAGEM

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ENGENHARIA DE SOLDAGEM PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ENGENHARIA DE SOLDAGEM 1. APRESENTAÇÃO A Pós-graduação em Engenharia de Soldagem propicia a oportunidade de especialização na tecnologia e controle da qualidade da soldagem, além

Leia mais

Suportes de Tubulações

Suportes de Tubulações Suportes de Tubulações Classificação dos Suportes Destinados a sustentar os pesos Fixos Semimóveis Móveis (Suportes de mola e suportes de contrapeso) Destinados a limitar os movimentos dos tubos Dispositivo

Leia mais

Pedagogia. Objetivos deste tema. 3 Sub-temas compõem a aula. Tecnologias da informação e mídias digitais na educação. Prof. Marcos Munhoz da Costa

Pedagogia. Objetivos deste tema. 3 Sub-temas compõem a aula. Tecnologias da informação e mídias digitais na educação. Prof. Marcos Munhoz da Costa Pedagogia Prof. Marcos Munhoz da Costa Tecnologias da informação e mídias digitais na educação Objetivos deste tema Refletir sobre as mudanças de experiências do corpo com o advento das novas tecnologias;

Leia mais

Soldagem a Plasma - PAW

Soldagem a Plasma - PAW Universidade Federal de Minas Gerais. Escola de Engenharia. Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mecânica. Soldagem a Plasma - PAW Disciplina: Processo de Soldagem. Professor: Alexandre Queiroz Bracarense,

Leia mais

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro Educação a Distância Os mesmos professores. A mesma aula. O mesmo diploma. A única diferença é a sala de aula que fica em suas

Leia mais

PLANTAS PARA FABRICAÇÃO DE TUBOS HELICOIDAIS. Soluções sob medida com benefícios mensuráveis para o cliente

PLANTAS PARA FABRICAÇÃO DE TUBOS HELICOIDAIS. Soluções sob medida com benefícios mensuráveis para o cliente PLANTAS PARA FABRICAÇÃO DE TUBOS HELICOIDAIS Soluções sob medida com benefícios mensuráveis para o cliente SMS GROUP Líder na fabricação de equipamentos e máquinas Sob o amparo da SMS Holding GmbH, o SMS

Leia mais

Ensaio de fadiga. Em condições normais de uso, os produtos. Nossa aula. Quando começa a fadiga

Ensaio de fadiga. Em condições normais de uso, os produtos. Nossa aula. Quando começa a fadiga A U A UL LA Ensaio de fadiga Introdução Nossa aula Em condições normais de uso, os produtos devem sofrer esforços abaixo do limite de proporcionalidade, ou limite elástico, que corresponde à tensão máxima

Leia mais

Processo de Forjamento

Processo de Forjamento Processo de Forjamento Histórico A conformação foi o primeiro método para a obtenção de formas úteis. Fabricação artesanal de espadas por martelamento (forjamento). Histórico Observava-se que as lâminas

Leia mais

Desempenamento. desempenamento de uma barra

Desempenamento. desempenamento de uma barra A UU L AL A Desempenamento Na área mecânica e metalúrgica, desempenar é a operação de endireitar chapas, tubos, arames, barras e perfis metálicos, de acordo com as necessidades relativas ao projeto de

Leia mais

ENSINO A DISTÂNCIA NA WEB : UM DESAFIO PARA A EDUCAÇÃO

ENSINO A DISTÂNCIA NA WEB : UM DESAFIO PARA A EDUCAÇÃO 1 ENSINO A DISTÂNCIA NA WEB : UM DESAFIO PARA A EDUCAÇÃO CELINA APARECIDA ALMEIDA PEREIRA ABAR Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - Brasil abarcaap@pucsp.br - VIRTUAL EDUCA 2003-1 INTRODUÇÃO

Leia mais

TECNOLOGIA DOS MATERIAIS

TECNOLOGIA DOS MATERIAIS TECNOLOGIA DOS MATERIAIS Aula 7: Tratamentos em Metais Térmicos Termoquímicos CEPEP - Escola Técnica Prof.: Transformações - Curva C Curva TTT Tempo Temperatura Transformação Bainita Quando um aço carbono

Leia mais

Duvidas administrativas dos cursos da EAD Metodista:

Duvidas administrativas dos cursos da EAD Metodista: Duvidas administrativas dos cursos da EAD Metodista: A metodista é credenciada pelo MEC para o oferecimento de cursos a distância? Sim. A Universidade Metodista de São Paulo recebeu o credenciamento do

Leia mais

PLANTAS PARA FABRICAÇÃO DE TUBOS HELICOIDAIS. Soluções sob medida com benefícios mensuráveis para o cliente

PLANTAS PARA FABRICAÇÃO DE TUBOS HELICOIDAIS. Soluções sob medida com benefícios mensuráveis para o cliente PLANTAS PARA FABRICAÇÃO DE TUBOS HELICOIDAIS Soluções sob medida com benefícios mensuráveis para o cliente GRUPO SMS Líder na fabricação de equipamentos e máquinas Sob o amparo da SMS Holding GmbH, o Grupo

Leia mais

Módulo 1. Introdução. 1.1 O que é EAD?

Módulo 1. Introdução. 1.1 O que é EAD? Módulo 1. Introdução Cada vez mais o mundo social e do trabalho necessitam de sujeitos capazes de fazer a diferença através de suas ações e atitudes. A utilização do ambiente virtual, como meio de interação

Leia mais

FORMAÇÃO SÓLIDA E BENEFÍCIOS PARA VOCÊ

FORMAÇÃO SÓLIDA E BENEFÍCIOS PARA VOCÊ A FUNCEX E O ENSINO A DISTÂNCIA Milhões de pessoas aderiram ao Ensino a Distância no Brasil, e a Funcex, acompanhando esta tendência, desenvolveu sua plataforma de ensino para disponibilizar os treinamentos

Leia mais

PROCESSOS DE SOLDAGEM

PROCESSOS DE SOLDAGEM UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO FACULDADE DE TECNOLOGIA CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO MECÂNICA PROCESSOS DE SOLDAGEM PROF. JAQUES JONAS SANTOS SILVA RESENDE, NOVEMBRO DE 2008. ÍNDICE 1. SOLDAGEM...

Leia mais

Serviço Público. Manutenção e Suporte em Informática

Serviço Público. Manutenção e Suporte em Informática Serviço Público Manutenção e Suporte em Informática Wilson Pedro Coordenador do Curso de Serviço Público etec_sp@ifma.edu.br Carla Gomes de Faria Coordenadora do Curso de Manutenção e Suporte em Informática

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE O FUNCIONAMENTO DO EAD I-UMA SOBRE O EAD

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE O FUNCIONAMENTO DO EAD I-UMA SOBRE O EAD PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE O FUNCIONAMENTO DO EAD I-UMA SOBRE O EAD 1. O que é EAD? EAD é a sigla para Ensino a Distância, ou Educação a Distância, uma modalidade de ensino que acontece a partir da união

Leia mais

Cálculo Diferencial e Integral 80hrs Funções de uma variável e seus gráficos; Limites e continuidade; Derivada; Diferencial; Integral.

Cálculo Diferencial e Integral 80hrs Funções de uma variável e seus gráficos; Limites e continuidade; Derivada; Diferencial; Integral. Ementas: Cálculo Diferencial e Integral 80hrs Funções de uma variável e seus gráficos; Limites e continuidade; Derivada; Diferencial; Integral. Desenho Mecânico 80hrs Normalização; Projeções; Perspectivas;

Leia mais

CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU 2013 INTRODUÇÃO: O presente trabalho apresenta a relação de Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu a serem reorganizados no

Leia mais

Mão de obra especializada: Produtividade Qualidade Conhecimento dos Processos de Soldagem Como solucionar este gargalo?

Mão de obra especializada: Produtividade Qualidade Conhecimento dos Processos de Soldagem Como solucionar este gargalo? Apresentação SOLDA BRASIL 2014 Mão de obra especializada: Produtividade Qualidade Conhecimento dos Processos de Soldagem Como solucionar este gargalo? A escassez de mão de obra qualificada no Brasil, em

Leia mais

Empresa certificada ISO 9001:2000

Empresa certificada ISO 9001:2000 Empresa certificada ISO 9001:2000 Maemfe é uma empresa brasileira, localizada na cidade do Rio de Janeiro, com 22 anos de existência, líder no fornecimento de uma vasta gama de serviços e produtos para

Leia mais

1. Introdução. 2. Fios ortodônticos. Centro de Pós Graduação em Ortodontia

1. Introdução. 2. Fios ortodônticos. Centro de Pós Graduação em Ortodontia 1. Introdução O alinhamento e o nivelamento é o primeiro estágio do tratamento ortodôntico com aparelho fixo. Alinhamento significa colocar os braquetes e os tubos alinhados no sentido vestibulolingual.

Leia mais

Parecer de Autorização de Funcionamento: CEED nº 650/2014.

Parecer de Autorização de Funcionamento: CEED nº 650/2014. CURSO TÉCNICO EM ELETROTÉCNICA O Curso Técnico de Nível Médio em Eletrotécnica, Eixo Tecnológico Controle e Processos Industriais são organizados em 3 módulos de 400 horas. Ao final do curso, 400 horas

Leia mais

Apresentação Wintek.Center... 4. Programa das Ações de Formação... 3. Básico de Refrigeração e Climatização... 6

Apresentação Wintek.Center... 4. Programa das Ações de Formação... 3. Básico de Refrigeração e Climatização... 6 ÍNDICE Apresentação Wintek.Center... 4 Programa das Ações de Formação... 3 Básico de Refrigeração e Climatização... 6 Automação, Controlo e Instrumentação... 7 Electricidade de Sistemas de Refrigeração

Leia mais

TRATAMENTOS TÉRMICOS DOS AÇOS

TRATAMENTOS TÉRMICOS DOS AÇOS Tratamentos térmicos dos aços 1 TRATAMENTOS TÉRMICOS DOS AÇOS Os tratamentos térmicos empregados em metais ou ligas metálicas, são definidos como qualquer conjunto de operações de aquecimento e resfriamento,

Leia mais

Centro de Formação Profissional Aloysio Ribeiro de Almeida SOLDAGEM TIG

Centro de Formação Profissional Aloysio Ribeiro de Almeida SOLDAGEM TIG Centro de Formação Profissional Aloysio Ribeiro de Almeida SOLDAGEM TIG Presidente da FIEMG Robson Braga de Andrade Gestor do SENAI Petrônio Machado Zica Diretor Regional do SENAI e Superintendente de

Leia mais

EDUCAÇÃO EXECUTIVA PARA O MERCADO FINANCEIRO MAIO / 2005 108-TC-B4

EDUCAÇÃO EXECUTIVA PARA O MERCADO FINANCEIRO MAIO / 2005 108-TC-B4 1 EDUCAÇÃO EXECUTIVA PARA O MERCADO FINANCEIRO MAIO / 2005 108-TC-B4 NADINE WASSMER TREINA E-LEARNING treina@treina.com.br ROSANA GOMES CONTEÚDOS E HABILIDADES EDUCAÇÃO CORPORATIVA DESCRIÇÃO DE PROJETO

Leia mais

PROPOSTA PEDAGOGICA CENETEC Educação Profissional. Índice Sistemático. Capitulo I Da apresentação...02. Capitulo II

PROPOSTA PEDAGOGICA CENETEC Educação Profissional. Índice Sistemático. Capitulo I Da apresentação...02. Capitulo II Índice Sistemático Capitulo I Da apresentação...02 Capitulo II Dos objetivos da proposta pedagógica...02 Capitulo III Dos fundamentos da proposta pedagógica...02 Capitulo IV Da sinopse histórica...03 Capitulo

Leia mais

CENTRO EDUCACIONAL BANDEIRANTES MANUAL DO ALUNO

CENTRO EDUCACIONAL BANDEIRANTES MANUAL DO ALUNO CENTRO EDUCACIONAL BANDEIRANTES MANUAL DO ALUNO 1 SUMÁRIO INFORMAÇÕES GERAIS 03 QUEM PODE FAZER O CURSO DE EJA A DISTÂNCIA 04 MATRÍCULA 04 COMO FUNCIONA 05 CALENDÁRIO DOS CURSOS 06 AVALIAÇÃO E CRITÉRIOS

Leia mais

Trabalhamos para que você não Pare. Sistema de incêndio (hidrantes) / Sprinklers ; Redes de ar comprimido / vapor / gases ; Sistema de Água Industrial ; Infra Estrutura em Geral ; Transportes Pneumáticos

Leia mais

ARAME PARA SOLDA MIG GERDAU A MELHOR OPÇÃO PARA INDÚSTRIAS

ARAME PARA SOLDA MIG GERDAU A MELHOR OPÇÃO PARA INDÚSTRIAS ARAMES PARA SOLDA ARAME PARA SOLDA MIG GERDAU A MELHOR OPÇÃO PARA INDÚSTRIAS Soldar com Gerdau-MIG é ter alto rendimento nos processos industriais em soldagens semiautomáticas, mecanizadas e robotizadas,

Leia mais

PROCESSOS METALÚRGICOS DE FABRICAÇÃO

PROCESSOS METALÚRGICOS DE FABRICAÇÃO PROCESSOS METALÚRGICOS DE FABRICAÇÃO Amanda Alves PEIXOTO 1 Chelinton Silva SANTOS 1 Daniel Moreira da COSTA 1 Rosângela Chaves dos Santos GUISELINI 1 Eduardo Tambasco MONACO 2 RESUMO Este trabalho visa

Leia mais

materiais ou produtos,sem prejudicar a posterior utilização destes, contribuindo para o incremento da

materiais ou produtos,sem prejudicar a posterior utilização destes, contribuindo para o incremento da Definição De acordo com a Associação Brasileira de Ensaios Não Destrutivos, ABENDE, os Ensaios Não Destrutivos (END) são definidos como: Técnicas utilizadas no controle da qualidade, d de materiais ou

Leia mais

Curso de Especialização em GESTÃO ESCOLAR INTEGRADA E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS

Curso de Especialização em GESTÃO ESCOLAR INTEGRADA E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS Curso de Especialização em GESTÃO ESCOLAR INTEGRADA E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS ÁREA DO CONHECIMENTO: Educação. NOME DO CURSO: Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em Gestão Escolar Integrada e

Leia mais

Curso de Formação Pedagógica para Docentes da FEI. Coordenação Prof. Dr. Marcos T. Masetto

Curso de Formação Pedagógica para Docentes da FEI. Coordenação Prof. Dr. Marcos T. Masetto Curso de Formação Pedagógica para Docentes da FEI Coordenação Prof. Dr. Marcos T. Masetto 1 Curso de Formação Pedagógica para Docentes da FEI Professor Doutor Marcos T. Masetto Objetivos Desenvolver competências

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Automação Industrial. Curso Superior de Tecnologia em Construção Naval

Curso Superior de Tecnologia em Automação Industrial. Curso Superior de Tecnologia em Construção Naval Automação Industrial Indústria O Tecnólogo em Automação Industrial é um profissional a serviço da modernização das técnicas de produção utilizadas no setor industrial, atuando na execução de projetos,

Leia mais

Corte Plasma. Processo de corte plasma

Corte Plasma. Processo de corte plasma Corte Plasma Processo de corte plasma CORTE PLASMA Plasma Três estados físicos da matéria: Sólido - Gelo Líquido - Água Gasoso - Vapor A diferença básica: o quanto de energia existe em cada um deles. Gelo

Leia mais

APOSTILA L&A SOLDAGEM

APOSTILA L&A SOLDAGEM APOSTILA L&A SOLDAGEM PROCESSO DE SOLDAGEM TIG APOSTILA L&A SOLDAGEM PROCESSO DE SOLDAGEM TIG SALVADOR 2012 Copyright 2012 por L&A SOLDAGEM. Todos os direitos reservados Área Tecnológica L&A Soldagem Elaboração:

Leia mais

Processos de Soldagem Soldagem MIG/MAG

Processos de Soldagem Soldagem MIG/MAG Processos Soldagem MIG/MAG No Processo MIG/MAG (Gas Metal Arc Welding GMAW) é estabelecido um arco elétrico entre um eletrodo consumível nu alimentado continuamente (arame-eletrodo) e o metal de base,

Leia mais

Documento de Visão. O sistema atual se baseia no método padrão de ensino, onde a presença física dos alunos é essencial para um bom aprendizado.

Documento de Visão. O sistema atual se baseia no método padrão de ensino, onde a presença física dos alunos é essencial para um bom aprendizado. UFF Universidade Federal Fluminense Instituto de Computação Engenharia de Software II Professora: Bianca Zadrozny 1º Trabalho Prático: Documento de Visão Alunos: Diego Soares, Felipe Maia e Leandro Feijó.

Leia mais