Curso de Engenharia de Computaç ão GERENCIAMENTO EM REDES UTILIZANDO A FERRAMENTA NAGIOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Curso de Engenharia de Computaç ão GERENCIAMENTO EM REDES UTILIZANDO A FERRAMENTA NAGIOS"

Transcrição

1 Curso de Engenharia de Computaç ão GERENCIAMENTO EM REDES UTILIZANDO A FERRAMENTA NAGIOS Ricardo Luiz de Oliveira Itatiba São Paulo Brasil Dezembro de 2007

2 ii Curso de Engenharia de Computaç ão GERENCIAMENTO EM REDES UTILIZANDO A FERRAMENTA NAGIOS Ricardo Luiz de Oliveira Monografia apresentada à disciplina Trabalho de Conclusão de Curso, do Curso de Engenharia de Computaçã o da Universidade São Francisco, sob a orientaçã o do Prof. Ms Sidney Pio de Campos, como exigência parcial para conclusão do curso de graduaçã o. Orientador: Prof. Ms. Sidney Pio de Campos Itatiba São Paulo Brasil Dezembro de 2007

3 iii GERENCIAMENTO EM REDES UTILIZANDO A FERRAMENTA NAGIOS Ricardo Luiz de Oliveira Monografia defendida e aprovada em 11 de Dezembro de 2007 pela Banca Examinadora assim constituída: Prof. Ms. Sidney Pio de Campos (Orientador) USF Universidade São Francisco Itatiba SP. Prof. Ms. Carlos Eduardo Pagani (Membro Interno) USF Universidade São Francisco Itatiba SP. Prof. Ms. Má rcio Henrique Zuchini (Membro Interno) USF Universidade São Francisco Itatiba SP.

4 iv "As pessoas que vencem neste mundo são as que procuram as circunstâncias de que precisam e, quando nã o as encontram, as criam." George Bernard Shaw

5 v. Dedico essa monografia aos meus pais, a minha esposa, aos amigos, aos professores e ao meu orientador que de alguma forma me ajudaram a concluir essa etapa da minha vida.

6 vi Agradecimentos Primeiramente agradeço a Deus por me dar força e coragem para que conseguisse concluir os estudos. Agradeço aos meus pais José Luiz A. de Oliveira e Rosana Barbosa de Oliveira, que me deram a oportunidade de seguir uma carreira ao qual me sinto honrado em chegar ao fim. A minha esposa Ana Irene C. de Oliveira, que teve muita paciência todos esses anos em entender o quanto foi importante eu chegar até aqui, em que vá rios momentos deixei-lhe de dar atençã o para me dedicar aos estudos. Aos professores que souberam passar as informaçõ es para que eu pudesse adquirir conhecimentos específicos onde pude crescer na vida pessoal e profissional. Meu orientador Sidney Pio de Campos, que acreditou em meu trabalho, e me deu total apoio para o desenvolvimento do trabalho. Enfim, agradeço a todos os amigos, parentes que me ajudaram de alguma forma direta ou indiretamente para a conclusã o desse trabalho.

7 vii Sumário Lista de Siglas...ix Lista de Figuras... x Lista de Tabelas...xi Lista de Tabelas...xi Resumo...xii Abstract...xiii 1 INTRODUÇÃO MOTIVAÇÃO OBJETIVOS GERENCIAMENTO COM SNMP (Simple Network Management Protocol) Introduçã o do SNMP O Modelo SNMP ASN.1 (Abstract Syntax Notation 1) A MIB (Management Information Base) Funcionalidade do SNMP Gerente Agente NAGIOS Estatística dos usuá rios registrados no Nagios Monitoramento de Rede e Serviços Monitoramento dos Recursos dos Hospedeiros Organizaçã o Simples de Plugins Habilidade para definir Hierarquia de Redes Notificaçõ es de Contatos Monitorando o Ambiente Demais Ferramentas do Nagios AS CGIS (COMMON GATEWAY INTERFACE) DO NAGIOS CGI de Status CGI de Mapa de Status CGI de Interface WAP CGI de Apagão de Rede CGI de Tendência CGI de Relatório de Disponibilidade CGI de Histograma de Alerta RECURSOS ADICIONAIS PARA O NAGIOS...16

8 viii NRPE (Nagios Remote Plugin Executer) NSCA (Nagios Service Check Acceptor) FALHAS NA REDE (Network Outages) Diagramas Determinando o Status e Alcance de Hospedeiros da Rede Monitorando Serviços em Hospedeiros Inoperantes (Down) ou Inalcançá veis (Unreachable) Hospedeiros Locais Monitorando Hospedeiros Locais Hospedeiros Remotos Monitorando Hospedeiros Remotos Notificaçõ es Plugins do Nagios Usando os Plugins para checagem de Serviços e Hospedeiros ESTUDO DE CASO Instalaçã o do Nagios Instalando Plugins Instalando servidor web Configurando o Apache Configurando o Nagios CGI.cfg NAGIOS.cfg Adicionando Hospedeiros e Serviços para Monitoramento Definiçã o de contatos e grupo de contatos Definiçã o de serviços a serem monitorados Configurando imagens nos hospedeiros Definiçã o de Hospedeiros Definiçã o de Serviços por grupo Definiçã o de Grupo de Hospedeiros Definiçã o de monitoraçã o por período de tempo TESTES REALIZADOS Dificuldades Encontradas CONCLUSÃO Contribuiçõ es Extensões...35 Anexo 1 - Telas da ferramenta de monitoramento do Nagios...38

9 ix Lista de Siglas ASN.1 Abstract Syntax Notation 1 CGI Common Gateway Interface GD GD Graphics Library GPL General Public Licensing HEMS High-level Entity Monitoring System HTTP Hyper Text Transport Protocol ICMP Internet Control Message Protocol IETF Internet Engineering Task Force NNTP Network News Transfer Protocol NRPE Nagios Remote Plugin Executer NSCA Nagios Service Check Acceptor MIB Managment Information Base OCSP Oline Certificate Status Protocol POP Post Office Protocol RFC Request for Comments RPC Remote Procedure Call SMS Short Message Service UDP User Datagram Protocol SMTP Simple Mail Transfer Protocol SNMP Simple Network Managment Protocol VRML Virtual Reality Modeling Language WAP Wireless Application Protocol

10 x Lista de Figuras Figura 1 - Mostra como funciona o gerente ao se relacionar com o objeto gerenciado...8 Figura 2 Todos os hospedeiros mostrados em vermelho estão inoperantes ou inalcançá veis, os demais estão em operaçã o normal...11 Figura 3 Notificaçã o por WAP...12 Figura 4 WebSensor EM01B...13 Figura 5 Diagrama da rede dos hospedeiros inalcançá veis...18 Figura 6 Causa da falha da rede...18 Figura 7 Mostra o Nagios monitorando hospedeiros locais e remotos...20 Figura 8 Mostra a á rvore de dependência do Nagios...21

11 xi Lista de Tabelas Tabela 1: Conjunto de possíveis operaçõ es do SNMP...5 Tabela 2 Os grupos de objetos na MIB-II da Internet (Retirado de [9])...7 Tabela 3: Ranking dos Países que utilizam o Nagios...9 Tabela 4 Ranking das Á reas que as Empresas utilizam o Nagios...9 Tabela 5: Ranking dos Sistemas Operacionais que o Nagios está instalado...10

12 xii OLIVEIRA, Ricardo Luiz. Gerenciamento em Redes Utilizando a Ferramenta Nagios Monografia Curso de Engenharia de Computaçã o da Universidade São Francisco, Câmpus de Itatiba. Resumo Uma empresa que possui Servidores trabalhando ininterruptamente necessita que seus Servidores, Serviços e Sistemas trabalhem sem que ocorram falhas. Para poder identificar qualquer problema que venha a ocorrer em algum desses Servidores pode-se utilizar uma ferramenta de gerenciamento de redes. O Nagios é uma ferramenta de monitoraçã o de sistemas e aplicaçõ es de rede, ele tem como funçã o fazer checagens periodicamente nos status de um servidor ou serviço que é indicado, se houver qualquer falha é enviado uma notificaçã o ao administrador. Essas notificaçõ es podem ser enviadas por: , SMS, Pager, etc. Através da Internet pode-se visualizar o status atual da rede, histórico de notificaçõ es e problemas, arquivos de log, etc. O Nagios pode monitorar todos os servidores de um único local, alguns recursos monitorados pelo Nagios são SMTP, POP3, HTTP, carga do processador, memória, espaço em disco, etc. Pode-se desenvolver seu próprio plugin para checagem de outros serviços. Com esse recurso de gerenciamento, a empresa irá obter uma melhora significativa na gestão dos recursos de infra-estrutura de Tecnologia da Informaçã o. PALAVRAS-CHAVE: Monitoramento, Falha na Rede, Plugin, Hospedeiros, Status da Rede, Software livre.

13 xiii Abstract A company that has Servers working continuously, need that your Servers, Services and Systems keep working without failure. A way to keep able for identify any problem that come to happen in anyone of these Servers can be to use a tool of Network Management. The Nagios is a tool for monitoring of systems and network applications, it has like main function to check periodically the status of a server or service that is indicated, if to have any failure, a notification is sent to administrator. These notification can be to send by e- mail, SMS, Pager, etc. Through of Internet can visualize the current status of network, historical of notifications and problems, files of log, etc. The Nagios can monitory all of servers of a unique local, resources monitored by Nagios are SMTP, POP3, HTTP, processor load, memory, disc space, etc. It is possible to develop your own plugin for checking another services. With this resource of management, the company will obtain a significant improvement in the administration of infra-structure resources for Technology of information. KEY-WORDS: Monitoring, Network Failure, Plugin, Hosts, Status of network, Free Software.

14 1 1 INTRODUÇ ÃO Uma empresa dotada de uma grande rede de computadores, como no caso da Universidade São Francisco, que tem computadores ligados no horá rio de expediente administrativo e, na parte especifica ao atendimento hospitalar que a rede permanece ligada durante vinte e quatro horas ininterruptamente se faz necessá rio que os servidores operem também vinte e quatro horas. Para isso é necessá rio que os seus serviços permaneçam está veis não se permitindo a ocorrência de falhas nos servidores, onde alguns serviços são de prioridade má xima não podendo sair do ar de forma alguma, como por exemplo, o servidor de , Proxy, sistemas entre outros. Desta forma há a necessidade de se corrigir esses problemas no menor tempo, ou se possível antes que os mesmos aconteçam, portanto, surgindo à necessidade de se implantar um sistema de monitoramento desses recursos de rede. Para isso utiliza-se uma ferramenta de software livre denominada Nagios. O Nagios é uma aplicaçã o popular de código aberto e licenciado pelo sistema GPL utilizado para monitoraçã o de redes e serviços. Esta ferramenta é a evoluçã o do NetSaint, a qual foi escrita e é atualmente mantida por Ethan Galstad, junto com um exército de desenvolvedores que ativamente mantém plugins oficiais e não-oficiais. Nagios é uma ferramenta de monitoraçã o de sistemas e aplicaçõ es de rede, onde realiza checagens periodicamente nos status de um serviço ou hospedeiros, e em caso de falhas envia um alerta aos responsá veis. Quando ocorre um problema, o servidor pode enviar notificaçõ es para o administrador de diferentes maneiras: seja elas por , SMS, Pager, etc. Para visualizaçã o do status atual da rede, histórico de notificaçõ es e problemas, arquivos de log, etc pode ser acompanhado on-line através de um browser. Todo monitoramento feito pelo Nagios é através de plugins. Esses plugins são programas usados sob demanda. Trata-se de executá veis, compilados ou scripts desenvolvidos em (Perl, Shell, C, etc.), que podem ser executados por meio da linha de comando para checar o status de um hospedeiro ou serviço. O Nagios necessita dos plugins para o seu funcionamento.

15 2 Dentre os monitoramentos, podem destacar-se os seguintes serviços: 1. Monitoramento de rede e serviços como SMTP, POP3. HTTP, NNTP através do protocolo SNMP e conectividade através do protocolo ICMP; 2. Monitoramento dos recursos dos servidores como, carga do processador, memória, espaço em disco, etc; 3. Notificaçõ es de contatos em tempo real quando ocorrerem falhas e quando são solucionados por , Pager, SMS, etc; 4. Criaçã o simples de plugins que permitem aos usuá rios desenvolverem seus próprios plugins para realizaçã o de serviços de checagens; 5. Capacidade para definir hierarquia em redes ao utilizar parent hosts, permitindo a detecçã o e distinçã o entre os hospedeiros que estão desligados e aqueles que não são alcançá veis; 6. Capacidade para definir tratadores de eventos afins de que sejam executados os eventos de serviços ou hospedeiros para soluçã o de problemas; 7. Suporte para monitoraçã o e implementaçã o de hospedeiros redundantes; 8. Checagem de Serviços paralelos; 9. Interface Web com visualizaçã o do status atual da rede, que podemos identificar de maneira fá cil os problemas.

16 3 2 MOTIVAÇ ÃO É possível se obter uma resposta rápida sobre falhas da rede realizando o monitoramento on-line, podendo-se acompanhar o seu status da rede mantendo em um único local todos os dados monitorados. O acesso à documentaçã o da ferramenta de monitoraçã o Nagios são insuficientes e distintas. A idéia de montar um servidor de monitoramento em redes com o software livre Nagios, surgiu devido à escassez da rede da Universidade São Francisco, onde ocorrem problemas, sendo solucionado somente a partir da comunicaçã o do cliente, desta forma, é possível o conhecimento do problema com antecedência. 2.1 OBJETIVOS Apresentar e analisar um software para gerenciamento de redes e serviços e realizar um estudo de caso implantando um servidor para gerenciamento parcial da rede da Universidade São Francisco configurando o servidor NAGIOS, dessa forma o gerenciamento de todos os equipamentos será em um único local. O Servidor de Gerenciamento está implantado na Universidade São Francisco Campus de Bragança Paulista, no qual o gerenciamento será aplicado em equipamentos ativos como roteadores, switches, centrais telefônicas e também em servidores (serviços e processos). Um projeto futuro seria a implantaçã o de um sistema de gerenciamento NAGIOS na rede Corporativa do Grupo Bom Jesus / USF, instalando o servidor de Gerenciamento em um DataCenter, ponto de consolidaçã o de toda a rede corporativa, abrangendo vinte e cinco unidades em quatro estados do país. O conteúdo do trabalho será apresentado focando a parte técnica e de conteúdo acadêmico sobre a implantaçã o do sistema Nagios e características dos equipamentos a serem monitorados. Por fim, a expectativa é obter-se um resultado satisfatório com a implantaçã o desse projeto que beneficiará a empresa, obtendo uma melhora significativa na gestão dos recursos de infra-estrutura da TI.

17 4 3 GERENCIAMENTO COM SNMP (SIMPLE NETWORK MANAGEMENT PROTOCOL) Conforme [10], os protocolos de gerenciamento de rede especificam a comunicaçã o entre o programa cliente de gerenciamento de rede chamado pelo administrador e o programa do servidor de gerenciamento de rede que está sendo executado em um hospedeiro ou roteador. O SNMP apresenta uma alternativa para o gerenciamento de rede. Em vez de definir um grande conjunto de comandos, o SNMP lança todas as operaçõ es em um paradigma de busca e armazenamento (fetch-store paradigm). O paradigma de busca e armazenamento tem sua origem em um sistema de protocolo de gerenciamento conhecido como HEMS (High-level Entity Monitoring System). As principais vantagens de se usar um paradigma de busca e armazenamento são estabilidade, simplicidade e flexibilidade. 3.1 Introduç ão do SNMP Como as redes de computadores vêm crescendo a cada dia, tornando-se uma rede interconectada, a exemplo disso, a Internet, houve a necessidade de criar protocolos de gerenciamentos de rede, para que de uma forma mais simples pudessem monitorar os equipamentos ativos. Assim houve a necessidade da integraçã o e comunicaçã o entre os equipamentos a serem gerenciados, dessa forma obtendo as informaçõ es necessá rias para garantir que a integridade da rede seja mantida e alertando para que não ocorram possíveis falhas. De acordo com [10], a operaçã o de interrupçã o permite ao administrador programar servidores para enviar informaçõ es quando ocorrer um evento. Por exemplo, um servidor SNMP pode ser programado para enviar ao administrador uma mensagem de interrupçã o quando uma das redes conectadas deixarem de ser operacionais (ou seja, uma interface for desativada). De acordo com [6]. No início da década de 80 o protocolo Simple Network Management Protocol SNMP começou a ser desenvolvido pelo Internet Engineering Task Force IETF, com o objetivo de disponibilizar uma forma simples e prá tica de realizar o controle de equipamentos em uma rede de computadores. Atualmente as pesquisas na á rea de

18 5 gerenciamento de redes possuem o objetivo de obter da rede seu rendimento máximo. É com este objetivo que foi realizada esta publicaçã o. Sua especificaçã o está contida no RFC 1157 Conforme [5], [11] : SNMP v : Remote Monitoring RMON : SNMP v : SNMP v2c (Community Security) : MIB RMON v : SNMP v3 (User Security Model) De acordo com [5], [6], [9], [10] o SNMP é um protocolo de gerenciamento de redes que tem como objetivo mostrar de uma forma simples e prá tica como obter o controle dos equipamentos da rede. Estando na camada de aplicaçã o o SNMP utiliza o UDP (User Datagram Protocol) como serviço de protocolo de transporte para enviar e receber as mensagens pela rede. O SNMP tem dominado nos últimos anos o mercado de sistemas de gerenciamento de redes, pois é muito simples sua implementaçã o consumindo o mínimo de recursos de processamento e de redes, permitindo sua inclusão até nos equipamentos mais simples, dessa forma esse protocolo ajuda a localizar e solucionar os problemas e erros que ocorrem na rede, possibilitando visualizar as estatísticas de trá fego da rede. Na tabela 01 apresenta-se o conjunto de possíveis operaçõ es do SNMP, [10] Tabela 01: conjunto de possíveis operaçõ es do SNMP Comando Significado get-request Busca o valor de uma variá vel específica e armazena operaçõ es get-next-request Busca o valor sem saber o nome exato, permite que o administrador promova a iteraçã o através de tabela de itens get-response Responde a uma operaçã o de busca e armazena operaçõ es set-request Armazena um valor em uma variá vel específica Trap Resposta acionada por um evento O SNMPv2 adiciona a operaçã o get-bulk, que permite ao administrador buscar vá rios valores em uma única solicitaçã o.

19 6 3.2 O Modelo SNMP De acordo com [9] o modelo SNMP de uma rede gerenciada consiste em quatro componentes, que são os seguintes: 1. Nós Gerenciados (hospedeiros, roteadores, pontes, impressoras); 2. Estaçõ es de Gerenciamento; 3. Informaçõ es de Gerenciamento; 4. Um Protocolo de Gerenciamento. Cada dispositivo mantém uma ou mais variá veis que descrevem seu estado, essas variá veis são chamadas de objetos, porém o conjunto formado por todos os objetos possíveis em uma rede é fornecido em uma estrutura de dados chamada de MIB (Management Information Base). 3.3 ASN.1 (Abstract Syntax Notation 1) Para tornar a comunicaçã o entre os equipamentos produzidos por diferentes fabricantes, houve a necessidade de padronizar esses objetos juntamente com regras de codificaçã o, assim o SNMP retirou da camada OSI a especificaçã o de dados do modelo ANS A MIB (Management Information Base) É um conjunto de recursos gerenciá veis, onde as informaçõ es das estaçõ es agentes ficam em bases de informaçõ es de gerência que é definida por uma estrutura SMI (Structure of Management Information) que mostra como as informaçõ es de gerência serão agrupadas e denominadas. Um exemplo, a MIB determina que o software IP deve manter uma contagem de todos os octetos que chegam em cada interface de rede e que o software de gerenciamento de rede pode ler apenas aqueles valores. [Interligaçã o em rede com TCP/IP V.1 Comer, E. Douglas]

20 7 É definido na MIB um conjunto de objetos gerenciados pelo SNMP, esses objetos são agrupados em dez categorias correspondentes aos dez nós sob a mib-2, conforme mostra a tabela 2. Tabela 2 Os grupos de objetos na MIB-II da Internet (Retirado de [9]) GRUPO Nº DE DESCRIÇÃO OBJETOS System 7 Nome, local e descriçã o do equipamento Interfaces 23 Interfaces de rede e seu trá fego AT 3 Conversão de endereço (obsoleto) IP 42 Estatísticas de pacotes IP ICMP 26 Estatísticas sobre as mensagens ICMP recebidas TCP 19 Algoritmos TCP, parâmetro e estatísticas UDP 6 Estatísticas de trá fego UDP EGP 20 Estatística de trá fego de protocolo de gateway externo Transmission 0 Reservado para MIDs de meios físicos específicos SNMP 29 Estatística de trá fego SNMP 3.5 Funcionalidade do SNMP O SNMP utiliza um esquema baseado em dois dispositivos, gerente e agente, onde o gerente é configurado em uma estaçã o e os agentes são as demais estaçõ es monitoradas pelo SNMP, onde cada agente possui uma MIB (Management Information Base) que contém um conjunto de variá veis que mostram o seu estado atual aos objetos gerenciados. Existe uma estaçã o que é responsá vel pelo gerenciamento da rede (gerente), cada agente possui uma MIB associada a ele e por fim é usado o protocolo SNMP para o gerenciamento de rede onde são trocadas as informaçõ es entre o gerente e os agentes.

21 8 Figura 1 - Mostra como funciona o gerente ao se relacionar com o objeto gerenciado. 3.6 Gerente De acordo com [5], [6] é executado em um servidor onde irá obter o envio de informaçõ es de gerenciamento junto aos mecanismos gerenciados mediante a comunicaçã o com um ou mais agentes, o gerente efetua requisiçõ es ao agente. Como também o envio automá tico de informaçõ es do agente a um gerente. 3.7 Agente De acordo com [5], [6] o agente monitora as informaçõ es da máquina utilizando as chamadas de sistemas e utiliza as RPC (Remote Procedure Call) para controlar as informaçõ es das máquinas. É de responsabilidade do agente enviar informaçõ es solicitadas pelo gerente e o envio automá tico de informaçõ es de gerenciamento ao gerente.

22 9 4 NAGIOS 4.1 Estatística dos usuários registrados no Nagios De acordo com [1], as informaçõ es publicadas em 28 de Maio de 2007 em seu site oficial, o Nagios é utilizado por empresas registradas obtendo redes monitoradas, dentre elas o Brasil está em sexto lugar no ranking dos países que utilizam o Nagios, conforme mostra a Tabela 3. Tabela 3 Ranking dos Países que utilizam o Nagios Países Utilização do Nagios United States of América 351 Germany 163 United Kingdom 84 France 77 Netherlands 70 Brazil 68 Australia 53 No ranking das empresas podemos verificar que a maior utilizaçã o vem das empresas Internet Service Provider que ocupa 16,2% e logo em seguida as empresas de Consulting (Information Technology) com 15,4% conforme a Tabela 4. Tabela 4 Ranking das Á reas que as Empresas utilizam o Nagios Empresas Utilização do Nagios Internet Service Provider 223 Consulting (Information Technology) 212 Telecommunications 81 Government 66 Healthcare / Medicine 64 O Nagios já está se tornando uma ferramenta de uso freqüente, onde é possível destacar algumas das distribuiçõ es que mais se utiliza na instalaçã o do Nagios, conforme a Tabela 5.

23 10 Tabela 5 Ranking dos Sistemas Operacionais que o Nagios está instalado. Sistemas Operacionais Utilização do Nagios Linux (RedHat) 404 Linux (Debian) 266 Linux (Suse) 152 Linux (Fedora) 121 FreeBSD 112 De acordo com informaçõ es do site oficial do Nagios, podemos destacar algumas empresas registradas que possuem o Nagios instalado e utiliza-o para algum tipo de serviço como a AT&T Latim América, Câmara dos Deputados, Celepar, Órgãos Governamentais, Companhia do Metropolitano de São Paulo METR, Empresas de Telefonia, Infraero, etc. Podemos destacar algumas ferramentas de monitoramento do Nagios, como monitoramento de rede e serviços, criaçã o e organizaçã o de plugins, checagem de serviços, notificaçõ es de estado entre outras, podemos descrever essas funcionalidades como nas seçõ es seguintes. 4.2 Monitoramento de Rede e Serviç os O administrador do Nagios pode configurar diversos serviços para serem monitorados como; HTTP, SMTP, POP3 e NNTP, quando algum desses serviços paralisa o Nagios é configurado para tomar as devidas providências alertando ao administrador para que adote as medidas cabíveis o mais rápido possível, pois esses serviços não podem parar, caso contrá rio causará problemas em sua empresa. Assim o Nagios consegue verificar a existência ativa de um hospedeiro ou serviço na rede Monitoramento dos Recursos dos Hospedeiros É possível monitorar os recursos de hardware que um hospedeiro possui com objetivo de adquirir estatísticas em tempo real do uso dos hardwares específicos e conseqüentemente fazer um balanço entre as cargas dos servidores, onde podemos destacar alguns desses recursos a serem monitorados como carga de processador, espaço em disco, uso de memória, processos em execuçã o entre outros.

24 Organizaç ão Simples de Plugins Todo o monitoramento feito pelo Nagios é realizado através de plugins que fazem parte dos arquivos CGIs, dessa forma é possível que o próprio administrador possa desenvolver seu próprio plugin. Essas CGIs sã o armazenadas em uma única pasta e só sã o executadas quando é feito uma solicitaçã o via browser Habilidade para definir Hierarquia de Redes Com o Nagios é possível definir um sistema de hierarquia, onde sã o definidos os hospedeiros pais e hospedeiros filhos dentro de uma mesma rede, com isso torna-se possível detectar quais sã o os hospedeiros que estã o caídos ou inalcançá veis. Partindo do servidor de monitoramento, é construído um grafo hierá rquico, assim os servidores ficam no topo e os demais hospedeiros sã o posicionados ao longo das ramificações. A Figura 2 mostra como o Nagios visualiza a rede. Figura 2 Todos os hospedeiros mostrados em vermelho estã o inoperantes ou inalcançá veis, os demais estã o em operaçã o normal. [Imagem retirada do site

25 Notificaç ões de Contatos É possível configurar no Nagios quando da ocorrência de algum problema ou falha, para que ele envie um alerta para o administrador ou para um grupo de contatos cadastrados. Esses alertas podem ser enviados por , Pager, SMS, mensagens instantâneas como ICQ, MSN, Yahoo ou até mesmo por outro meio de comunicaçã o. Assim é possível saber se houve uma falha ou uma soluçã o do determinado problema em tempo real, pois assim que ocorrer alguma irregularidade o Nagios se encarregará de encaminhar o alerta. Uma grande vantagem nisso é que mesmo o administrador estando fora da empresa, ele fica ciente dos problemas que estão ocorrendo. A Figura 3 Mostra uma das formas que o Nagios Notifica Figura 3 Notificaçã o por WAP [http://www.nagios.org] Monitorando o Ambiente O Nagios além de realizar o monitoramento de sistemas e redes, também é possível realizar o monitoramento de fatores ambientais como, temperatura, iluminaçã o e umidade relativa do ar, tudo isso é possível através de um aparelho chamado WebSensor EM01B, ele pode ser conectado por um cabo de rede através de um switch ou hub, onde possui um endereço TCP/IP. O Administrador do Nagios pode configurá -lo para que em caso de alguma irregularidade seja enviada uma mensagem de alerta, assim o administrador irá especificar as configuraçõ es em que o equipamento deverá atuar, os dados serão transmitidos

26 13 através da rede ou Internet de acordo com que foi solicitado. Isso é ideal para controlar a temperatura de uma sala de servidores onde pode ocorrer que a temperatura, iluminaçã o ou a umidade do ar excedam os requisitos especificados. A Figura 4 mostra o aparelho Figura 4 WebSensor EM01B [http://www.nagios.org] Demais Ferramentas do Nagios Além dessas ferramentas que foram apresentadas até agora, o Nagios ainda possui diversas ferramentas, no caso de receber notificaçõ es WAP é necessá rio ter uma autorizaçã o de operadoras de telefonia para o envio de SMS ou serviços de Pager, histórico de notificaçõ es e falhas, arquivos de logs. Possui um recurso que é a exibiçã o do mapa da rede onde são monitorados os hospedeiros que podem ser visualizados em 2D e 3D podendo distinguir o sistema operacional dos hospedeiros como Servidores (Linix, Windows), proxy, roteador, estaçã o de trabalho entre outras.

27 AS CGIS (COMMON GATEWAY INTERFACE) DO NAGIOS Conforme [1], como o Nagios não tem nenhuma funcionalidade sem os plugins, o Nagios também necessita das CGIs para poder trabalhar. No caso do Nagios utilizar uma interface WEB é necessá rio uma autorizaçã o para autenticar no servidor e obter o acesso e que esteja configurado com autorizaçã o para verificar qualquer informaçã o que foi requisitada. Seguem abaixo as CGIs que acompanham o pacote de instalaçã o do Nagios: CGI de status CGI de mapa de status CGI da interface WAP CGI do status world (VRML) CGI de visã o geral tática CGI de apagões na rede CGI de configuraç ão CGI de comando CGI de informaç ão extendida CGI de log de evento CGI de histó rico de alerta CGI de notificaç ões CGI de tendências CGI de relató rio de disponibilidade CGI de histograma de alerta CGI de sumário de alertas Conforme [1], serão comentados alguns dos plugins mais importantes CGI de Status (Nome do arquivo: status.cgi) - Para o Nagios esse é o CGI mais importante, é através dele que é possível visualizar o status de todos os serviços e hospedeiros que estão sendo monitorados. O CGI de status pode produzir dois tipos principais de saída - uma visão geral do status de todos os grupos de hospedeiros (ou de um grupo de hospedeiro em particular) e uma visão detalhada de todos os serviços (ou aqueles associados a um hospedeiro em particular).

28 CGI de Mapa de Status (Nome do arquivo: statusmap.cgi) É essa CGI que cria o mapa mostrando todos os hospedeiros configurados no Nagios, para que sejam exibidas as imagens e grá ficos a CGI utiliza a biblioteca gd Library (Thomas Boutell) CGI de Interface WAP (Nome do arquivo: statuswml.cgi) Se você tiver um aparelho habilitado para WAP (ex.: celular) é esta a CGI que serve como interface WAP para visualizaçã o do status da rede. Vantagem é que você pode obter as informaçõ es do status da rede de qualquer lugar. Visões diferentes de status incluem sumá rio de grupo de hospedeiros, visão geral de grupo de hospedeiro, detalhes de hospedeiros, detalhes de serviços e todos os problemas CGI de Apagão de Rede (Nome do arquivo: outages.cgi) Assim que começam a apresentar as falhas nos hospedeiros, esta CGI mostra uma listagem dos hospedeiros que estão causando as falhas na rede, isso é bastante útil se você tiver uma rede de médio a grande porte, pois consegue identificar o problema mais rá pido CGI de Tendência (Nome do arquivo: trends.cgi) Caso você deseje gerar um grá fico para saber por quanto tempo um determinado hospedeiro ou serviço ficou está vel, essa CGI é responsá vel por mostrar essas informaçõ es por um período de tempo arbitrá rio CGI de Relatório de Disponibilidade (Nome do arquivo: avail.cgi) É possível tirar relatório para analisar a disponibilidade dos hospedeiros e serviços em um determinado período de tempo especificado CGI de Histograma de Alerta (Nome do arquivo: histogram.cgi) Essa é mais uma forma de reportar a disponibilidade de um hospedeiro ou serviço através de um período de tempo especifico. Caso deseje saber o que cada uma das outras CGI são responsá veis, pode ser obtida através do site oficial do Nagios [1].

Por padrão o Nagios é instalado em /usr/local/nagios. Os próximos passos são: # make install-ini -> para instalar o script de inicialização do nagios.

Por padrão o Nagios é instalado em /usr/local/nagios. Os próximos passos são: # make install-ini -> para instalar o script de inicialização do nagios. Introdução Nagios é um programa open source de monitoramento de redes que verifica constantemente a disponibilidade do serviço, local ou remoto e avisa por meio de email ou celular sobre o problema ocorrido.

Leia mais

Gerência de falhas, configuração e desempenho dos ativos de redes, servidores e serviços da Cooperativa Agropecuária Castrolanda. Alex Martins Garcia

Gerência de falhas, configuração e desempenho dos ativos de redes, servidores e serviços da Cooperativa Agropecuária Castrolanda. Alex Martins Garcia Gerência de falhas, configuração e desempenho dos ativos de redes, servidores e serviços da Cooperativa Agropecuária Castrolanda Alex Martins Garcia Curso de Especialização em Redes e Segurança de Sistemas

Leia mais

Instalação e Configuração do Nagios

Instalação e Configuração do Nagios Instalação e Configuração do Nagios O NAGIOS é um poderoso monitorar de Rede. Com ele é possível verificar o status de equipamentos ou da rede toda. Também é possível criar grupos de usuários para receber

Leia mais

Monitorando Redes com o Nagios. Autor: Leonardo Henrique Machado

Monitorando Redes com o Nagios. Autor: Leonardo Henrique Machado Monitorando Redes com o Nagios Autor: Leonardo Henrique Machado Apresentação Recém formado em Ciência da Computação Estágio na administração da Rede do DCC/UFMG (implantação do Nagios) Monitoramento de

Leia mais

Rede sob Controle com o NAGIOS

Rede sob Controle com o NAGIOS Rede sob Controle com o NAGIOS Carlos Coletti Assessoria de Informática carlos@unesp.br Agenda Conceitos de Monitoramento Nagios: histórico e funcionamento Instalação Os Arquivos de Configuração A Interface

Leia mais

Palestra Nagios. Anderson Jacson contato@andersonjacson.com.br

Palestra Nagios. Anderson Jacson contato@andersonjacson.com.br Palestra Nagios Anderson Jacson contato@andersonjacson.com.br O que é? Nagios é uma poderosa aplicação de monitoração de rede de código aberto, distribuída sob a licença GPL. Ele pode monitorar tanto hosts

Leia mais

Nagios Trabalhando em Maquina Virtual

Nagios Trabalhando em Maquina Virtual Nagios Trabalhando em Maquina Virtual Anderson Rodrigo Antunes Curso de Especialização em Redes e Segurança de Sistemas Pontifícia Universidade Católica do Paraná Curitiba, novembro de 2010 Resumo Este

Leia mais

Monitorando. Serviços. com

Monitorando. Serviços. com Monitorando Serviços com Aluno: Higor Leonardo Ribeiro Barbosa SI-III Noturno Introdução: Nagios, aplicativo que essencialmente monitora ativos e serviços de rede. Algumas das características do Nagios

Leia mais

Rede de Computadores II

Rede de Computadores II Rede de Computadores II Slide 1 SNMPv1 Limitações do SNMPv1 Aspectos que envolvem segurança Ineficiência na recuperação de tabelas Restrito as redes IP Problemas com SMI (Structure Management Information)

Leia mais

GERENCIAMENTO ESTUDO SOBRE FERRAMENTAS DE MONITORAMENTO DE REDES. 1. TIVOLI 1.1 Conceitos Básicos do Tivoli

GERENCIAMENTO ESTUDO SOBRE FERRAMENTAS DE MONITORAMENTO DE REDES. 1. TIVOLI 1.1 Conceitos Básicos do Tivoli ESTUDO SOBRE FERRAMENTAS DE MONITORAMENTO DE REDES 1. TIVOLI 1.1 Conceitos Básicos do Tivoli O gerenciamento de uma rede através do Tivoli esta baseado no conceito de regiões de policiamento (Policy Region

Leia mais

Implementação da ferramenta NAGIOS em uma rede corporativa de uma instituição financeira. Eider Jackson Conzatti

Implementação da ferramenta NAGIOS em uma rede corporativa de uma instituição financeira. Eider Jackson Conzatti Implementação da ferramenta NAGIOS em uma rede corporativa de uma instituição financeira. Eider Jackson Conzatti Curso de Especialização em Redes e Segurança de Sistemas Pontifícia Universidade Católica

Leia mais

INSTALANDO E CONFIGURANDO NAGIOS NO LINUX DEBIAN 6.0

INSTALANDO E CONFIGURANDO NAGIOS NO LINUX DEBIAN 6.0 INSTALANDO E CONFIGURANDO NAGIOS NO LINUX DEBIAN 6.0 Gerson Ribeiro Gonçalves www.websolutti.com.br MANUAL DE INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO DO NAGIOS DEBIAN 1. INSTALANDO NAGIOS-CORE Para todo administrador

Leia mais

Sistemas de Monitoração de Rede. Resumo

Sistemas de Monitoração de Rede. Resumo Sistemas de Monitoração de Rede Roberto Majewski Especialização em Redes e Segurança de Sistemas Pontifícia Universidade Católica do Paraná Curitiba, novembro de 2009 Resumo Com o grande crescimento da

Leia mais

Nesta sessão introduziremos os conceitos básicos do Cacti, e como fazer para instalá-lo em seu computador.

Nesta sessão introduziremos os conceitos básicos do Cacti, e como fazer para instalá-lo em seu computador. Cacti é uma ferramenta gráfica de gerenciamento de dados de rede que disponibiliza a seus usuários uma interface intuitiva e bem agradável de se usar, sendo acessível a qualquer tipo de usuários. Este

Leia mais

Funcionalidades da ferramenta zabbix

Funcionalidades da ferramenta zabbix Funcionalidades da ferramenta zabbix Jordan S. Romano¹, Eduardo M. Monks¹ ¹Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS (FATEC PELOTAS) Rua Gonçalves Chaves,

Leia mais

Monitoramento de Servidores e Infraestruturas

Monitoramento de Servidores e Infraestruturas Monitoramento de Servidores e Infraestruturas Aprenda como implementar um completo monitoramento do parque computacional e da rede de sua empresa, de maneira profissional PAULO ROBERTO JUNIOR HTTP://WWW.PAULOJR.INFO

Leia mais

Gerência de Redes Padrões de Gerenciamento

Gerência de Redes Padrões de Gerenciamento Gerência de Redes Padrões de Gerenciamento Cássio D. B. Pinheiro pinheiro.cassio@ig.com.br cassio.orgfree.com Sumário Padronizações Gerência OSI Gerência TCP/IP SNMP MIB-II RMON SNMPv2 11/5/2007 Gerência

Leia mais

Descrição do Contexto Mostrar a necessidade de se usar essa ferramenta para monitoramento de rede e suas principais funcionalidades.

Descrição do Contexto Mostrar a necessidade de se usar essa ferramenta para monitoramento de rede e suas principais funcionalidades. Avaliação da Ferramenta Nagios Diego Graciano Damacena Pós Graduação em Redes e Segurança de Sistemas Pontifícia Universidade Católica do Paraná Curitiba, Fevereiro de 2013 1 Introdução Este artigo o objetivo

Leia mais

INSTALANDO E CONFIGURANDO NAGIOS NO LINUX CENTOS 5.7

INSTALANDO E CONFIGURANDO NAGIOS NO LINUX CENTOS 5.7 INSTALANDO E CONFIGURANDO NAGIOS NO LINUX CENTOS 5.7 Gerson Ribeiro Gonçalves www.websolutti.com.br MANUAL DE INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO DO NAGIOS CENTOS 1. INSTALANDO NAGIOS-CORE Para todo administrador

Leia mais

Aula 07 - Ferramentas para Administração e Gerência de Redes

Aula 07 - Ferramentas para Administração e Gerência de Redes Arquitetura do Protocolo da Internet Aula 07 - Ferramentas para Administração e Gerência de Redes Prof. Esp. Camilo Brotas Ribeiro cribeiro@catolica-es.edu.br Revisão AS ou SA; IGP e EGP; Vetor de Distância,

Leia mais

Gerenciamento de Redes - Evolução. Gerenciamento de Rede. Gerenciamento de Rede NOC NOC

Gerenciamento de Redes - Evolução. Gerenciamento de Rede. Gerenciamento de Rede NOC NOC s - Evolução 1970s 1970s 1980s 1980s Dispositivos 1990s 1990s Browser A Web Server Mainframe Estação Gerenciadora Browser C Browser B NOC (Network( Operation Center) Conjunto de atividades para manter

Leia mais

Análise do Monitoramento de Redes com Software Livre Utilizando Nagios

Análise do Monitoramento de Redes com Software Livre Utilizando Nagios Análise do Monitoramento de Redes com Software Livre Utilizando Nagios Thiago Guimarães Tavares 1 1 Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFTO) Araguatins TO Brasil {thiagogmta}@gmail.com

Leia mais

Protocolos de gerenciamento

Protocolos de gerenciamento Protocolos de gerenciamento Os protocolos de gerenciamento têm a função de garantir a comunicação entre os recursos de redes homogêneas ou não. Com esse requisito satisfeito, operações de gerenciamento

Leia mais

Capítulo 8 - Aplicações em Redes

Capítulo 8 - Aplicações em Redes Capítulo 8 - Aplicações em Redes Prof. Othon Marcelo Nunes Batista Mestre em Informática 1 de 31 Roteiro Sistemas Operacionais em Rede Modelo Cliente-Servidor Modelo P2P (Peer-To-Peer) Aplicações e Protocolos

Leia mais

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial 2 1. O Sistema PrinterTux O Printertux é um sistema para gerenciamento e controle de impressões. O Produto consiste em uma interface web onde o administrador efetua o cadastro

Leia mais

Utilizando o Cricket para monitoração de Servidores. Sérgio A. Meyenberg Jr. Especialização em Redes e Segurança de Sistemas

Utilizando o Cricket para monitoração de Servidores. Sérgio A. Meyenberg Jr. Especialização em Redes e Segurança de Sistemas Utilizando o Cricket para monitoração de Servidores Sérgio A. Meyenberg Jr Especialização em Redes e Segurança de Sistemas Curitiba, outubro de 2010 Resumo O objetivo deste Artigo é demonstrar as funcionalidades

Leia mais

Uma poderosa ferramenta de monitoramento. Madson Santos - madson@pop-pi.rnp.br Técnico de Operação e Manutenção do PoP-PI/RNP

Uma poderosa ferramenta de monitoramento. Madson Santos - madson@pop-pi.rnp.br Técnico de Operação e Manutenção do PoP-PI/RNP Uma poderosa ferramenta de monitoramento Madson Santos - madson@pop-pi.rnp.br Técnico de Operação e Manutenção do PoP-PI/RNP Abril de 2008 O que é? Características Requisitos Componentes Visual O que é?

Leia mais

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS INTERNET PROTOCOLOS 1 INTERNET Rede mundial de computadores. Também conhecida por Nuvem ou Teia. Uma rede que permite a comunicação de redes distintas entre os computadores conectados. Rede WAN Sistema

Leia mais

Universidade Católica do Salvador CURSO DE BACHARELADO EM INFORMÁTICA

Universidade Católica do Salvador CURSO DE BACHARELADO EM INFORMÁTICA Universidade Católica do Salvador CURSO DE BACHARELADO EM INFORMÁTICA O Protocolo SNMP Por Lécia de Souza Oliveira Índice Página 2... O que é SNMP? Histórico Página 3 e 4... Estrutura Geral do Sistema

Leia mais

Ferramentas Livres para Monitoração de Servidores

Ferramentas Livres para Monitoração de Servidores Ferramentas Livres para Monitoração de Servidores Arlindo Follador Neto 1, Joaquim Quinteiro Uchôa 2 1 Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Engenharia Elétrica Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Leia mais

MSc Eliton Smith elitonsmith@gmail.com. Gerenciamento e Administração de Redes

MSc Eliton Smith elitonsmith@gmail.com. Gerenciamento e Administração de Redes MSc Eliton Smith elitonsmith@gmail.com Gerenciamento e Administração de Redes 2 Gerência de Redes ou Gerenciamento de Redes É o controle de qualquer objeto passível de ser monitorado numa estrutura de

Leia mais

Universidade de Brasília

Universidade de Brasília Universidade de Brasília Instituto de Ciências Exatas Departamento de Ciência da Computação Lista de exercícios Gerência de Redes,Turma A, 01/2010 Marcelo Vale Asari 06/90708 Thiago Melo Stuckert do Amaral

Leia mais

SERVIDOR WEB - APACHE SERVIDOR WEB - APACHE SERVIDOR WEB - APACHE 27/02/2012

SERVIDOR WEB - APACHE SERVIDOR WEB - APACHE SERVIDOR WEB - APACHE 27/02/2012 O servidor Apache é o mais bem sucedido servidor web livre. Foi criado em 1995 por Rob McCool, então funcionário do NCSA (National Center for Supercomputing Applications). Em maio de 2010, o Apache serviu

Leia mais

Tutorial AwStats Indice

Tutorial AwStats Indice Tutorial AwStats Indice Introdução...2 Funcionamento:...3 Pré-Requisitos:...3 Instalação:...4 Configurações:...7 Utilização:...11 Sobre o Autor:...11 Introdução AwStats Como saber se seu site é um sucesso

Leia mais

O verdadeiro grande irmão

O verdadeiro grande irmão CAPA Vigilância de sistemas O verdadeiro grande irmão O versátil Nagios monitora sua rede através de plugins, e emite alertas antes que haja problemas com máquinas e serviços. Aprenda em profundidade como

Leia mais

Gerência de Redes e Serviços de Comunicação Multimídia

Gerência de Redes e Serviços de Comunicação Multimídia UNISUL 2013 / 1 Universidade do Sul de Santa Catarina Engenharia Elétrica - Telemática 1 Gerência de Redes e Serviços de Comunicação Multimídia Aula 4 Ferramentas de Gerência de Redes Sistema de Gerência

Leia mais

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP HTTP (Hypertext Transfer Protocol ) Protocolo usado na Internet para transferir as páginas da WWW (WEB). HTTPS (HyperText Transfer

Leia mais

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP HTTP (Hypertext Transfer Protocol ) Protocolo usado na Internet para transferir as páginas da WWW (WEB). HTTPS (HyperText Transfer

Leia mais

Estudo da Ferramenta Cacti, para análise de desempenho de rede

Estudo da Ferramenta Cacti, para análise de desempenho de rede Estudo da Ferramenta Cacti, para análise de desempenho de rede Eduardo Perez Pereira 1, Rodrigo Costa de Moura 1 1 Centro Politécnico Universidade Católica de Pelotas (UCPel) Félix da Cunha, 412 - Pelotas

Leia mais

Guia de Conectividade Worldspan Go Res! A V A N Ç A D O

Guia de Conectividade Worldspan Go Res! A V A N Ç A D O Guia de Conectividade Worldspan Go Res! A V A N Ç A D O Í n d i c e Considerações Iniciais...2 Rede TCP/IP...3 Produtos para conectividade...5 Diagnosticando problemas na Rede...8 Firewall...10 Proxy...12

Leia mais

REDES ESAF. leitejuniorbr@yahoo.com.br 1 Redes - ESAF

REDES ESAF. leitejuniorbr@yahoo.com.br 1 Redes - ESAF REDES ESAF 01 - (ESAF - Auditor-Fiscal da Previdência Social - AFPS - 2002) Um protocolo é um conjunto de regras e convenções precisamente definidas que possibilitam a comunicação através de uma rede.

Leia mais

SETIS- III Seminário de Tecnologia Inovação e Sustentabilidade 4 e 5 de novembro de 2014.

SETIS- III Seminário de Tecnologia Inovação e Sustentabilidade 4 e 5 de novembro de 2014. Sistema de Monitoramento Zabbix Eduardo Jonck jonck.info@gmail.com Jeferson Catarina catarinajeferson@gmail.com Resumo: O Sistema Zabbix é um código aberto free lançado em 2001. Em 2005 foi fundada a Empresa

Leia mais

Linux - Servidor de Redes

Linux - Servidor de Redes Linux - Servidor de Redes Servidor Web Apache Prof. Roberto Amaral WWW Breve histórico Início 1989 CERN (Centro Europeu de Pesquisas Nucleares) precisava de um meio de viabilizar o trabalho cooperativo

Leia mais

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross Redes Pablo Rodriguez de Almeida Gross Conceitos A seguir serão vistos conceitos básicos relacionados a redes de computadores. O que é uma rede? Uma rede é um conjunto de computadores interligados permitindo

Leia mais

Sistemas Operacionais Livres. Servidor Web Apache

Sistemas Operacionais Livres. Servidor Web Apache Sistemas Operacionais Livres Servidor Web Apache Apache Implementação do protocolo HTTP(80) e HTTPS(443) Arquitetura Client / Server Proviemento de páginas WEB Open Source Servidor Web mais utilizado no

Leia mais

Implantação do Zabbix para monitoramento de infraestrutura

Implantação do Zabbix para monitoramento de infraestrutura Implantação do Zabbix para monitoramento de infraestrutura Raphael Celuppi Curso de Especialização em Redes e Segurança de Sistemas Pontifícia Universidade Católica do Paraná Curitiba, Setembro 2009 Sumário

Leia mais

Descritivo Técnico. SLAView - Descritivo Técnico Build 5.0 release 4 16/02/2011 Página 1

Descritivo Técnico. SLAView - Descritivo Técnico Build 5.0 release 4 16/02/2011 Página 1 Descritivo Técnico 16/02/2011 Página 1 1. OBJETIVO O SLAview é um sistema de análise de desempenho de redes IP por meio da monitoração de parâmetros de SLA (Service Level Agreement, ou Acordo de Nível

Leia mais

COMPREENDENDO A IMPORTÂNCIA DO PROTOCOLO DE GERENCIAMENTO SNMP

COMPREENDENDO A IMPORTÂNCIA DO PROTOCOLO DE GERENCIAMENTO SNMP COMPREENDENDO A IMPORTÂNCIA DO PROTOCOLO DE GERENCIAMENTO SNMP César Augusto Vieira 1, Júlio César Pereira 2 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí Paraná Brasil cesar.vieira@sanepar.com.br juliocesarp@unipar.br

Leia mais

Gerenciamento de Equipamentos Usando o Protocolo SNMP

Gerenciamento de Equipamentos Usando o Protocolo SNMP Gerenciamento de Equipamentos Usando o Protocolo SNMP Diego Fraga Contessa, Everton Rafael Polina Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento - CP Eletrônica S.A. Rua da Várzea 379 - CEP 91040-600 - Porto

Leia mais

Dell Server PRO Management Pack 4.0 para o Microsoft System Center Virtual Machine Manager Guia de instalação

Dell Server PRO Management Pack 4.0 para o Microsoft System Center Virtual Machine Manager Guia de instalação Dell Server PRO Management Pack 4.0 para o Microsoft System Center Virtual Machine Manager Guia de instalação Notas, avisos e advertências NOTA: uma NOTA indica informações importantes que ajudam você

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO LABORATORIO DE REDE

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO LABORATORIO DE REDE FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO LABORATORIO DE REDE PROFESSOR: Dinailton Laboratorio De Rede DISCENTES: Helton Klinthon Douglas Silva Dyonathan Rodrigues Laboratório de

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO SOFTWARE LIVRE CACTI PARA GERENCIAMENTO DE REDES LOCAIS DE COMPUTADORES

UTILIZAÇÃO DO SOFTWARE LIVRE CACTI PARA GERENCIAMENTO DE REDES LOCAIS DE COMPUTADORES UTILIZAÇÃO DO SOFTWARE LIVRE CACTI PARA GERENCIAMENTO DE REDES LOCAIS DE COMPUTADORES Filipe Herbert da Silva 1, Marco Aurélio G. de Almeida 1, Jonhson de Tarso Silva 1, Karina Buttignon 1 1 Fatec Guaratinguetá,

Leia mais

Tutorial de TCP/IP Parte 21 Roteiro Para Resolução de Problemas

Tutorial de TCP/IP Parte 21 Roteiro Para Resolução de Problemas Introdução: Tutorial de TCP/IP Parte 21 Roteiro Para Resolução de Problemas Prezados leitores, esta é a primeira parte, desta segunda etapa dos tutoriais de TCP/IP. As partes de 01 a 20, constituem o módulo

Leia mais

MIB (Management Information Base) Objetos Gerenciados Um objeto gerenciado é a visão abstrata.

MIB (Management Information Base) Objetos Gerenciados Um objeto gerenciado é a visão abstrata. MIB (Management Information Base) Objetos Gerenciados Um objeto gerenciado é a visão abstrata. A MIB é o conjunto dos objetos gerenciados. Basicamente são definidos três tipos de MIBs: MIB II, MIB experimental

Leia mais

Winco Edge Security Instant Messaging Filter Manual do Usuário

Winco Edge Security Instant Messaging Filter Manual do Usuário Winco Edge Security Instant Messaging Filter Manual do Usuário Sumário I. Introdução...3 I.1. Principais características...3 I.2. Exemplos de Uso...4 II. Instalação...6 II.1. Pré-Requisitos...6 II.2. Requisitos

Leia mais

RMON Remote Network Monitoring

RMON Remote Network Monitoring RMON Remote Network Monitoring!"#$%&'(() $&*+, -. / /01 / 2 34 São dispositivos usados para estudar o trafego na rede como um todo, Produzem informação de sumário, incluindo estatísticas de erro, estatísticas

Leia mais

GLADIADOR INTERNET CONTROLADA v.1.2.3.9

GLADIADOR INTERNET CONTROLADA v.1.2.3.9 GLADIADOR INTERNET CONTROLADA v.1.2.3.9 Pela grande necessidade de controlar a internet de diversos clientes, a NSC Soluções em Informática desenvolveu um novo produto capaz de gerenciar todos os recursos

Leia mais

Sistema Operacional Unidade 12 Comandos de Rede e Acesso Remoto

Sistema Operacional Unidade 12 Comandos de Rede e Acesso Remoto Sistema Operacional Unidade 12 Comandos de Rede e Acesso Remoto Curso Técnico em Informática SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 Protocolo de rede... 3 Protocolo TCP/IP... 3 Máscara de sub-rede... 3 Hostname... 3

Leia mais

Cisco ASA Firewall Guia Prático

Cisco ASA Firewall Guia Prático Cisco ASA Firewall Guia Prático 2014 v1.0 Renato Pesca 1 Sumário 2 Topologia... 3 3 Preparação do Appliance... 3 3.1 Configurações de Rede... 7 3.2 Configurações de Rotas... 8 3.3 Root Básico... 9 3.4

Leia mais

Gerência de Redes. Arquitetura de Gerenciamento. filipe.raulino@ifrn.edu.br

Gerência de Redes. Arquitetura de Gerenciamento. filipe.raulino@ifrn.edu.br Gerência de Redes Arquitetura de Gerenciamento filipe.raulino@ifrn.edu.br Sistema de Gerência Conjunto de ferramentas integradas para o monitoramento e controle. Possui uma interface única e que traz informações

Leia mais

O que são DNS, SMTP e SNM

O que são DNS, SMTP e SNM O que são DNS, SMTP e SNM O DNS (Domain Name System) e um esquema de gerenciamento de nomes, hierárquico e distribuído. O DNS define a sintaxe dos nomes usados na Internet, regras para delegação de autoridade

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás. Disciplina: Gerenciamento de Rede de Computadores. Goiânia, 16 de novembro de 2014.

Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás. Disciplina: Gerenciamento de Rede de Computadores. Goiânia, 16 de novembro de 2014. Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás Disciplina: Gerenciamento de Rede de Computadores : Goiânia, 16 de novembro de 2014. Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás Professor: Marissol Martins Alunos: Edy Laus,

Leia mais

Para iniciar um agente SNMP, usamos o comando snmpd. Por padrão, aceita requisições na porta 161 (UDP).

Para iniciar um agente SNMP, usamos o comando snmpd. Por padrão, aceita requisições na porta 161 (UDP). EN3610 Gerenciamento e interoperabilidade de redes Prof. João Henrique Kleinschmidt Prática SNMP 1 MIBs RMON No Linux os arquivos MIB são armazenados no diretório /usr/share/snmp/mibs. Cada arquivo MIB

Leia mais

Procedimento para instalação do OMNE-Smartweb em Raio-X

Procedimento para instalação do OMNE-Smartweb em Raio-X Procedimento para instalação do OMNE-Smartweb em Raio-X A primeira coisa a analisarmos é onde ficará posicionado o servidor de Raio-x na rede do cliente, abaixo será colocado três situações básicas e comuns

Leia mais

Professor: Gládston Duarte

Professor: Gládston Duarte Professor: Gládston Duarte INFRAESTRUTURA FÍSICA DE REDES DE COMPUTADORES Computador Instalação e configuração de Sistemas Operacionais Windows e Linux Arquiteturas físicas e lógicas de redes de computadores

Leia mais

FACSENAC. Versão:1.5. Identificador do documento: Projeto Lógico de Redes. Versão do Template Utilizada na Confecção: 1.0. Histórico de revisões

FACSENAC. Versão:1.5. Identificador do documento: Projeto Lógico de Redes. Versão do Template Utilizada na Confecção: 1.0. Histórico de revisões FACSENAC ECOFROTA Documento de Projeto Lógico de Rede Versão:1.5 Data: 21/11/2013 Identificador do documento: Projeto Lógico de Redes Versão do Template Utilizada na Confecção: 1.0 Localização: FacSenac

Leia mais

Protocolos, DNS, DHCP, Ethereal e comandos em Linux

Protocolos, DNS, DHCP, Ethereal e comandos em Linux Redes de Computadores Protocolos, DNS, DHCP, Ethereal e comandos em Linux Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Bragança Março de 2006 Endereços e nomes Quaisquer duas estações

Leia mais

Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas

Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas Conhecer os modelo OSI, e TCP/IP de cinco camadas. É importante ter um padrão para a interoperabilidade entre os sistemas para não ficarmos

Leia mais

Estudo e Desenvolvimento de Analisadores Estatísticos para

Estudo e Desenvolvimento de Analisadores Estatísticos para Instituto de Matemática e Estatística Universidade de São Paulo Estudo e Desenvolvimento de Analisadores Estatísticos para Especificações de SLA MAC 0499 - Trabalho de Formatura Supervisionado Aluno: Gabriel

Leia mais

Redes de Computadores I Conceitos Básicos (6 a. Semana de Aula)

Redes de Computadores I Conceitos Básicos (6 a. Semana de Aula) Redes de Computadores I Conceitos Básicos (6 a. Semana de Aula) Prof. Luís Rodrigo lrodrigo@lncc.br http://lrodrigo.lncc.br 2013.09 v2 2013.09.10 (baseado no material de Jim Kurose e outros) Arquiteturas

Leia mais

Instalando servidor Apache

Instalando servidor Apache Instalando servidor Apache Apache é um software livre de código aberto que corre mais de 50% dos servidores web do mundo. Para instalar o apache, abra um terminal e digite o comando: 1- # yum install httpd

Leia mais

SolarWinds Kiwi Syslog Server

SolarWinds Kiwi Syslog Server SolarWinds Kiwi Syslog Server Monitoramento de syslog fácil de usar e econômico O Kiwi Syslog Server oferece aos administradores de TI o software de gerenciamento mais econômico do setor. Fácil de instalar

Leia mais

Controlando o tráfego de saída no firewall Netdeep

Controlando o tráfego de saída no firewall Netdeep Controlando o tráfego de saída no firewall Netdeep 1. Introdução Firewall é um quesito de segurança com cada vez mais importância no mundo da computação. À medida que o uso de informações e sistemas é

Leia mais

MANUAL DO ADMINISTRADOR

MANUAL DO ADMINISTRADOR WinShare Proxy admin MANUAL DO ADMINISTRADOR Instalação do WinShare Índice 1. Instalação 2. Licenciamento 3. Atribuindo uma senha de acesso ao sistema. 4. Configurações de rede 5. Configurações do SMTP

Leia mais

PTA Versão 4.0.6 21/11/2012 Manual do Usuário ÍNDICE

PTA Versão 4.0.6 21/11/2012 Manual do Usuário ÍNDICE ÍNDICE INTRODUÇÃO... 2 Finalidade do Aplicativo... 2 Notas sobre a versão... 2 INSTALAÇÃO DO APLICATIVO... 3 Privilégios necessários para executar o instalador... 3 VISÃO GERAL DO PTA... 4 Quando utilizar

Leia mais

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP Modelo Arquitetural Motivação Realidade Atual Ampla adoção das diversas tecnologias de redes de computadores Evolução das tecnologias de comunicação Redução dos

Leia mais

5/7/2010. Apresentação. Introdução. Ponto de vista do usuário. Curso Tecnologia em Telemática. Disciplina Administração de Sistemas Linux

5/7/2010. Apresentação. Introdução. Ponto de vista do usuário. Curso Tecnologia em Telemática. Disciplina Administração de Sistemas Linux Apresentação Servidor Web Administração de Sistemas Curso Tecnologia em Telemática Disciplina Administração de Sistemas Linux Professor: Anderson Costa anderson@ifpb.edu.br Assunto da aula Servidor Web

Leia mais

Faculdade de Tecnologia Senac Goiás Segurança da Informação. Guilherme Pereira Carvalho Neto. Portas e Serviços

Faculdade de Tecnologia Senac Goiás Segurança da Informação. Guilherme Pereira Carvalho Neto. Portas e Serviços Faculdade de Tecnologia Senac Goiás Segurança da Informação Guilherme Pereira Carvalho Neto Portas e Serviços Goiânia 2015 Relatório de portas e serviços na rede Relatório produzido com base em dados colhidos

Leia mais

Desafios de Gerência e Segurança de Redes

Desafios de Gerência e Segurança de Redes Desafios de Gerência e Segurança de Redes Elias Procópio Duarte Jr. DInfo /UFPR Itaipu - Julho de 2003 E.P. Duarte Jr. - UFPR Roteiro Sistemas Integrados de Gerência de Redes Funcionalidade O Desafio da

Leia mais

Redes de Computadores I Conceitos Básicos

Redes de Computadores I Conceitos Básicos Redes de Computadores I Conceitos Básicos (6 a. Semana de Aula) Prof. Luís Rodrigo lrodrigo@lncc.br http://lrodrigo.lncc.br 2011.02 v1 2011.09.05 (baseado no material de Jim Kurose e outros) Arquiteturas

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE OURINHOS SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO. Felipe Luiz Quenca Douglas Henrique Samuel Apolo Ferreira Lourenço Samuel dos Reis Davi

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE OURINHOS SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO. Felipe Luiz Quenca Douglas Henrique Samuel Apolo Ferreira Lourenço Samuel dos Reis Davi FACULDADE DE TECNOLOGIA DE OURINHOS SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Felipe Luiz Quenca Douglas Henrique Samuel Apolo Ferreira Lourenço Samuel dos Reis Davi ENDIAN FIREWALL COMMUNITY 2.5.1 OURINHOS-SP 2012 HOW-TO

Leia mais

Uc-Redes Técnico em Informática André Luiz Silva de Moraes

Uc-Redes Técnico em Informática André Luiz Silva de Moraes Roteiro 2: Conceitos Básicos de Redes: parte 1 Neste roteiro são detalhados os equipamentos componentes em uma rede de computadores. Em uma rede existem diversos equipamentos que são responsáveis por fornecer

Leia mais

Redes de Dados e Comunicações. Prof.: Fernando Ascani

Redes de Dados e Comunicações. Prof.: Fernando Ascani Redes de Dados e Comunicações Prof.: Fernando Ascani Camada de Aplicação A camada de Aplicação é a que fornece os serviços Reais para os usuários: E-mail, Acesso a Internet, troca de arquivos, etc. Portas

Leia mais

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo de Gestão Aplicada a TIC AULA 06. Prof. Fábio Diniz

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo de Gestão Aplicada a TIC AULA 06. Prof. Fábio Diniz FTIN Formação Técnica em Informática Módulo de Gestão Aplicada a TIC AULA 06 Prof. Fábio Diniz Na aula anterior ERP Enterprise Resource Planning Objetivos e Benefícios ERP Histórico e Integração dos Sistemas

Leia mais

Integração entre o IBM HTTP SERVER, APACHE WEB Server e IBM Websphere Application Server

Integração entre o IBM HTTP SERVER, APACHE WEB Server e IBM Websphere Application Server Integração entre o IBM HTTP SERVER, APACHE WEB Server e IBM Websphere Application Server Índice Resumo sobre este documento... 3 Integrando o IBM HTTP Server com o IBM WebSphere Application Server... 3

Leia mais

Índice INSTALAÇÃO DO SOFTWARE EM SISTEMAS WINDOWS...2 INSTALAÇÃO DO SOFTWARE EM SISTEMAS LINUX...3 TESTANDO A CONEXÃO DA REDE LOCAL...

Índice INSTALAÇÃO DO SOFTWARE EM SISTEMAS WINDOWS...2 INSTALAÇÃO DO SOFTWARE EM SISTEMAS LINUX...3 TESTANDO A CONEXÃO DA REDE LOCAL... Índice INSTALAÇÃO DO SOFTWARE EM SISTEMAS WINDOWS...2 INSTALAÇÃO DO SOFTWARE EM SISTEMAS LINUX...3 TESTANDO A CONEXÃO DA REDE LOCAL...4 Configurações iniciais...5 Arquivo sudoers no Sistema Operacional

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Gestão de redes. Protocolo SNMP. Maio de 2010 1 Gestão de redes Gestão de redes refere-se neste contexto às actividades relacionadas com a manutenção do bom funcionamento de um conjunto

Leia mais

Uc-Redes Técnico em Informática André Luiz Silva de Moraes

Uc-Redes Técnico em Informática André Luiz Silva de Moraes Roteiro 2: Conceitos Básicos de Redes: parte 1 Neste roteiro são detalhados os equipamentos componentes em uma rede de computadores. Em uma rede existem diversos equipamentos que são responsáveis por fornecer

Leia mais

SMTP, POP, IMAP, DHCP e SNMP. Professor Leonardo Larback

SMTP, POP, IMAP, DHCP e SNMP. Professor Leonardo Larback SMTP, POP, IMAP, DHCP e SNMP Professor Leonardo Larback Protocolo SMTP O SMTP (Simple Mail Transfer Protocol) é utilizado no sistema de correio eletrônico da Internet. Utiliza o protocolo TCP na camada

Leia mais

Administrando o sistema linux TCP/IP

Administrando o sistema linux TCP/IP TCP/IP Principais Ferramentas para Redes - ifconfig Configura Interfaces (ethernet, atm, tun, pppoe e etc.) Ex.: ifconfig eth0 192.168.0.10 netmask 255.255.255.0 ifconfig eth0 ifconfig eth0 up ifconfig

Leia mais

Senha Admin. Nessa tela, você poderá trocar a senha do administrador para obter acesso ao NSControl. Inicialização

Senha Admin. Nessa tela, você poderá trocar a senha do administrador para obter acesso ao NSControl. Inicialização Manual do Nscontrol Principal Senha Admin Nessa tela, você poderá trocar a senha do administrador para obter acesso ao NSControl. Inicialização Aqui, você poderá selecionar quais programas você quer que

Leia mais

Redes de Computadores II

Redes de Computadores II Redes de Computadores II Slide 1 Gerenciamento de Redes Gerenciamento de redes inclui o fornecimento, a integração e a coordenação de hardware, software e elementos humanos para monitorar, testar, configurar,

Leia mais

Redes de Computadores. 1 Questões de múltipla escolha. TE090 - Prof. Pedroso. 30 de novembro de 2010. Exercício 1: Considere:

Redes de Computadores. 1 Questões de múltipla escolha. TE090 - Prof. Pedroso. 30 de novembro de 2010. Exercício 1: Considere: TE090 - Prof. Pedroso 30 de novembro de 2010 1 Questões de múltipla escolha Exercício 1: Considere: I. O serviço de DNS constitui-se, em última instância, de um conjunto de banco de dados em arquitetura

Leia mais

A partir do XMon é possível:

A partir do XMon é possível: Monitoramento XMon É uma ferramenta para gerenciar o seu ambiente de TI de forma centralizada e constante, obtendo informações precisas da performance de todos os seus ativos e previna possíveis problemas

Leia mais

Para iniciar um agente SNMP, usamos o comando snmpd. Por padrão, aceita requisições na porta 161 (UDP).

Para iniciar um agente SNMP, usamos o comando snmpd. Por padrão, aceita requisições na porta 161 (UDP). EN3610 Gerenciamento e interoperabilidade de redes Prof. João Henrique Kleinschmidt Prática SNMP Net-SNMP (http://www.net-snmp.org) é um conjunto de aplicações usado para implementar SNMPv1, SNMPv2 e SNMPv3.

Leia mais

Relatorio do trabalho pratico 2

Relatorio do trabalho pratico 2 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA INE5414 REDES I Aluno: Ramon Dutra Miranda Matricula: 07232120 Relatorio do trabalho pratico 2 O protocolo SNMP (do inglês Simple Network Management Protocol - Protocolo

Leia mais

Andarta - Guia de Instalação. Guia de Instalação

Andarta - Guia de Instalação. Guia de Instalação Guia de Instalação 29 de setembro de 2010 1 Sumário Introdução... 3 Os Módulos do Andarta... 4 Instalação por módulo... 6 Módulo Andarta Server... 6 Módulo Reporter... 8 Módulo Agent... 9 Instalação individual...

Leia mais

Controlar Aplicações e Serviços com Monitoramento de Rede

Controlar Aplicações e Serviços com Monitoramento de Rede Controlar Aplicações e Serviços com Monitoramento de Rede White Paper Autor: Daniel Zobel, Chefe de Desenvolvimento de Software Paessler AG Publicado em: março/2014 PÁGINA 1 DE 8 Índice Introdução: Evite

Leia mais

Software de gerenciamento de impressoras

Software de gerenciamento de impressoras Software de gerenciamento de impressoras Este tópico inclui: "Usando o software CentreWare" na página 3-10 "Usando os recursos de gerenciamento da impressora" na página 3-12 Usando o software CentreWare

Leia mais

PRTG Uma ferramenta de apoio ao Administrador de Redes

PRTG Uma ferramenta de apoio ao Administrador de Redes PRTG Uma ferramenta de apoio ao Administrador de Redes Éverton Perleberg 1, André Moraes 1 1 Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores Faculdade de Tecnologia Senac Pelotas (FATECPEL) Rua Gonçalves

Leia mais