Index of VWC Networked Interaction tasks for Portuguese

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Index of VWC Networked Interaction tasks for Portuguese"

Transcrição

1 Networked Interaction in Foreign Language Acquisition and Research Grant Agreement Number / NIFLAR Index of VWC Networked Interaction tasks for Portuguese Deliverable number Dissemination level Portugese Public Delivery date 28 October 2010 Status Author(s) Final Marian Schoenmakers (Coord.)

2 1. Pilot-Task 1 : Estudar noutro país Estudar noutro país Língua Nível (QECR) Participantes Instituições participantes O aluno aprendente, ao longo de 2 sessões de trabalho colaborativo e de momentos prévios de trabalho individual em casa, irá reflectir sobre aspectos relativos à integração académica e à acomodação numa nova cidade/ país para registar diferenças culturais, descobri-las e contrastá-las e assim conhecer, através de uma língua comum, formas diferentes de entender a vida e a comunicação. A consta de 4 partes: (i) diálogo informal; (ii) dois jeux de roles; (iii) análise de documentos autênticos; (iv) escrita colaborativa e avaliação da. Nível B1/B2 Alunos de Coimbra e aprendentes de Utrecht Universidade de Coimbra Utrecht University linguísticas Argumentar sobre um tema determinado Interpretar textos e fazer descrições Trocar opiniões Tempo de preparação Realização em VWC Trabalho em casa Avaliação Questões técnicas: Materiais necessários Outros materiais Oferecer informação sobre a própria cultura e receber informação de outra Contrastar, explicar e justificar difrenças Dar a sua opinião acerca da importância de alguns hábitos de apresentação e comunicação na cultura de um povo Preparação prévia: 30 minutos Execução da : 2 momentos de 30/45 minutos Trabalho em casa entre cada sessão da : 30 minutos Avaliação: 20 minutos A foi preparada com recurso aos seguintes materiais: Imagens/ anúncios de aluguer de quartos Consultas de sítios da internet Páginas Web com formulários Avaliação e reflexão: Avaliação das etapas da Reflexão sobre as Questionário (aprendentes) Avaliação dos alunos aprendentes segundo critérios realizadas nas 2 sessões da 2

3 2. Pilot-Task 2 : Formas de Convívio Formas de Convívio O aluno aprendente, ao longo de 2 sessões de trabalho colaborativo, após preparação prévia individual, irá reflectir sobre aspectos relativos ao convívio entre jovens / estudantes no seu país e tomar consciência de eventuais diferenças culturais. Deve contrastá-las e assim conhecer, através de uma língua comum, formas diferentes de entender a vida e a comunicação. A está dividida em duas partes: a primeira com enfâse na produção e compreensão oral, a segunda, na leitura e produção escrita. Avaliação em comum. Língua Nível (QECR) Participantes Instituições participantes Nível A2/A2+ Alunos de Coimbra e aprendentes de Utrecht Universidade de Coimbra Universidade de Utrecht linguísticas Argumentar sobre un tema determinado Interpretar textos e fazer descrições Trocar opiniões Oferecer informação sobre a própria cultura e receber informação de outra Contrastar e explicar diferenças Dar a sua opinião acerca da importância de alguns hábitos de apresentação e comunicação na cultura de um povo Tempo de preparação Realização em VWC Avaliação Questões técnicas: Materiais necessários Outros materiais Preparação prévia: 60 minutos Execução da : 2 sessões de 60 minutos Avaliação: 20 minutos A foi preparada com recurso aos seguintes materiais: Dois textos Imagens de convívio (cultural) Avaliação e reflexão: Avaliação das etapas da Reflexão sobre as Questionário (aprendentes) Avaliação dos alunos aprendentes segundo critérios realizadas nas 2 sessões da 3

4 3. Pilot-Task 3: A primeira impressão A primeira impressão O aluno aprendente, ao longo de 2 sessões de trabalho colaborativo e de momentos prévios de trabalho individual em casa, irá reflectir sobre aspectos relativos à imagem pessoal para comprovar se podem gerar diferenças culturais, descobri-las e contrastá-las e assim conhecer, através de uma língua comum, formas diferentes de entender a vida e a comunicação. A consta de três partes, as duas primeiras compostas cada uma delas de um texto (imput) que serve de base para a reflexão e o comentário, e a terceira é dedicada à avaliação da : 1ª parte: A Primeira impressão. 2ª parte: A Indumentária. 3ª parte: Avaliação. Língua Nível (QECR) Participantes Instituições participantes Nível A2 Alunos de Coimbra e aprendentes de Valencia Universidade de Coimbra Universitat de València linguísticas Argumentar sobre un tema determinado Interpretar textos e fazer descrições Trocar opiniões Oferecer informação sobre a própria cultura e receber informação de outra Contrastar, explicar e justificar difrenças Dar a sua opinião acerca da importância de alguns hábitos de apresentação e comunicação na cultura de um povo Tempo de preparação Realização em VWC Trabalho em casa Avaliação Questões técnicas: Materiais necessários Outros materiais Preparação prévia: 30 minutos Execução da : 2 momentos de 30/45 minutos Trabalho em casa entre cada sessão da : 30 minutos Avaliação: 20 minutos A foi preparada com recurso aos seguintes materiais: Imagem de dois textos 2 Questionários de trabalho para cada sessão 4

5 Avaliação e reflexão: Avaliação das etapas da Reflexão sobre as Questionário (aprendentes) Avaliação dos alunos aprendentes segundo critérios realizadas nas 2 sessões da 5

6 Follow-Up Task 1: Vamos ás compras Vamos ás compras A consta de três partes construídas a partir da análise de textos, vídeos e imagens que servem de ponto de partida para a reflexão, o comentário e a troca de opiniões. Seguem-se pequenos questionários formulados a partir das ideias dos textos, dos vídeos ou das imagens para que os participantes da possam descobrir os aspectos, relativos ao tema central da, que aproximam ou afastam as suas culturas. A primeira sessão é dedicada à reflexão sobre as compras, os diferentes tipos de estabelecimentos comerciais existentes em cada um dos países e os critérios que influenciam a opção pela compra de um determinado produto. A segunda sessão é dedicada à reflexão sobre dois temas distintos: o papel da publicidade na sociedade actual e o uso mais adequado da língua, numa determinada situação comunicativa. A terceira sessão é dedicada à reflexão sobre os direitos dos consumidores na sociedade actual e os procedimentos de devolução, troca e reclamação. Língua Nível (QECR) Participantes Instituições participantes Nível B1 Pre-teachers de Coimbra e aprendentes de Utrecht Universidade de Coimbra Universidade de Utrecht linguísticas Respeitar indicadores de produção oral (plano/ registo); Distinguir actos de fala de acordo com a situação comunicativa Respeitar indicadores de produção escrita (plano/ registo/ tipologia textual); Regular a produção escrita segundo as fases de planificação, textualização e revisão Conhecer e comparar os diferentes tipos de estabelecimentos comerciais Exprimir o juízo crítico perante publicidade e os hábitos de compra/venda Conhecer os direitos dos consumidores Sabre reclamar e proceder a uma troca/ devolução Tempo de preparação Preparação prévia: 30 minutos 6

7 Realização em VWC Trabalho em casa Avaliação Questões técnicas: Materiais necessários Outros materiais Avaliação e reflexão: Avaliação das etapas da Reflexão sobre as Execução da : 3 momentos de 45/60 minutos Trabalho em casa entre cada sessão da : 45 minutos Avaliação: 30 minutos A foi preparada com recurso aos seguintes materiais: Imagens Vídeos retirados do Youtube Folhetos publicitários e pressupõe a consulta de sites com informação Questionário (aprendentes e pre-teachers) Avaliação dos alunos aprendentes Segundo critérios realizadas nas 3 sessões da Contexto pedagógico: Papel dos pre-teachers Objectivos do seu envolvimento Preparação da primeira versão dos guiões das s Colocação em prática de critérios epistemológicos das teorias de ensino/aprendizagem das línguas estrangeiras Percepção das implicações técnicas e metodológicas para o ensino de LE baseado nas TIC. 7

8 Follow-Up Task 2.1: Trabalhar em Portugal Língua Nível (QECR) Participantes Instituições participantes linguísticas Trabalhar em Portugal Os temas desta são muito pertinentes na actualidade e dizem muito a jovens universitários que estão a fazer a sua preparação para o mundo do trabalho. Ao longo da, durante a primeira sessão, irão debater questões tão importantes como o emprego/desemprego, comparar a situação em diferentes países da UE e analisar a situação mais particular de Portugal. Na segunda sessão, o aluno aprendente irá ainda aprender ou aperfeiçoar a sua técnica de preenchimento de um curriculum da Europass e também irá escrever uma carta de candidatura a um emprego, segundo regras e modelos. Na terceira sessão irão corrigir a carta de apresentação para um emprego elaborada em casa e simular uma entrevista de candidatura a um trabalho numa empresa. Nível B1 Pre-teachers de Coimbra e aprendentes de Utrecht Universidade de Coimbra Universidade de Utrecht Respeitar indicadores de produção oral (plano/ registo); Distinguir actos de fala de acordo com a situação comunicativa Respeitar indicadores de produção escrita (plano/ registo/ tipologia textual); Regular a produção escrita segundo as fases de planificação, textualização e revisão Perspectivar e comparar dados relativos às condições de trabalho e desemprego nos respectivos países e na Europa Exprimir o juízo crítico perante a realidade do mundo do trabalho Saber elaborar um CV segundo o modelo Europass Saber concorrer e responder a uma entrevista para um emprego Tempo de preparação Preparação prévia: 30 minutos 8

9 Realização em VWC Trabalho em casa Avaliação Questões técnicas: Materiais necessários Outros materiais Execução da : 3 momentos de 45/60 minutos Trabalho em casa entre cada sessão da : 45 minutos Avaliação: 30 minutos A foi preparada com recurso aos seguintes materiais: Imagens e notícias retiradas da imprensa diária Anúncio de emprego Modelo de CV e pressupõe a consulta de sites com informação e formulários para preenchimento online. Avaliação e reflexão: Avaliação das etapas da Reflexão sobre as Contexto pedagógico: Papel dos pre-teachers Objectivos do seu envolvimento Questionário (aprendentes e pre-teachers) Avaliação dos alunos aprendentes Segundo critérios realizadas nas 3 sessões da Preparação da primeira versão dos guiões das s Colocação em prática de critérios epistemológicos das teorias de ensino/aprendizagem das línguas estrangeiras Percepção das implicações técnicas e metodológicas para o ensino de LE baseado nas TIC. 9

10 Follow-Up Task 2.2: Trabalhar em Portugal Língua Nível (QECR) Participantes Instituições participantes linguísticas Trabalhar em Portugal Os temas desta são muito pertinentes na actualidade e dizem muito a jovens universitários que estão a fazer a sua preparação para o mundo do trabalho. Ao longo da, durante a primeira sessão, irão debater questões tão importantes como o emprego/desemprego, comparar a situação em diferentes países da UE e analisar a situação mais particular de Portugal. Na segunda sessão, o aluno aprendente irá ainda aprender ou aperfeiçoar a sua técnica de preenchimento de um curriculum da Europass e também irá escrever uma carta de candidatura a um emprego, segundo regras e modelos. Na terceira sessão irão corrigir a carta de apresentação para um emprego elaborada em casa e simular uma entrevista de candidatura a um trabalho numa empresa. Nível B1 Pre-teachers de Coimbra e aprendentes de València Universidade de Coimbra Universidade de València Respeitar indicadores de produção oral (plano/ registo); Distinguir actos de fala de acordo com a situação comunicativa Respeitar indicadores de produção escrita (plano/ registo/ tipologia textual); Regular a produção escrita segundo as fases de planificação, textualização e revisão Perspectivar e comparar dados relativos às condições de trabalho e desemprego nos respectivos países e na Europa Exprimir o juízo crítico perante a realidade do mundo do trabalho Saber concorrer e responder a uma entrevista para um emprego Tempo de preparação Preparação prévia: 30 minutos 10

11 Realização em VWC Trabalho em casa Avaliação Questões técnicas: Materiais necessários Outros materiais Execução da : 3 momentos de 45/60 minutos Trabalho em casa entre cada sessão da : 45 minutos Avaliação: 30 minutos A foi preparada com recurso aos seguintes materiais: Imagens e notícias retiradas da imprensa diária Anúncio de emprego e pressupõe a consulta de sites com informação e formulários para preenchimento online. Avaliação e reflexão: Avaliação das etapas da Reflexão sobre as Contexto pedagógico: Papel dos pre-teachers Objectivos do seu envolvimento Questionário (aprendentes e pre-teachers) Avaliação dos alunos aprendentes Segundo critérios realizadas nas 3 sessões da Preparação da primeira versão dos guiões das s Colocação em prática de critérios epistemológicos das teorias de ensino/aprendizagem das línguas estrangeiras Percepção das implicações técnicas e metodológicas para o ensino de LE baseado nas TIC. 11

12 4. Follow-Up Task 3 : Assaltantes Foram Aphanhados Os assaltantes foram apanhados Segurança, criminalidade, justiça O aluno aprendente, ao longo de 3 sessões de trabalho colaborativo e ainda 3 momentos de trabalho prévio e individual em casa, será convidado a conhecer a realidade da segurança em Portugal e a comparar com o conhecimento que possui do mesmo tema em Espanha. Deverá ainda apresentar e confrontar modelos de justiça bem como saber como é que em Portugal se poderá reclamar de um mau serviço público. A partir de uma página de Banda Desenhada, deverá ainda construir uma narrativa associada ao tema Língua Nível (QECR) Participantes Instituições participantes Nível A2/B1 Pre-teachers de Coimbra e aprendentes de València Universidade de Coimbra Universidade de València linguísticas Interpretar textos e imagens e fazer descrições Respeitar indicadores de produção oral (plano/ registo); Distinguir actos de fala de acordo com a situação comunicativa Respeitar indicadores de produção escrita (plano/ registo/ tipologia textual); Regular a produção escrita segundo as fases de planificação, textualização e revisão Perspectivar e comparar os modelos de segurança e de justiça em ambos os países Dar a sua opinião acerca da criminalidade a partir da interpretação de gráficos Exprimir o juízo crítico perante a realidade da segurança. Saber reclamar da má prestação de um serviço Tempo de preparação Realização em VWC Trabalho em casa Avaliação Preparação prévia: 30 minutos Execução da : 3 momentos de 45/60 minutos Trabalho em casa entre cada sessão da : 45 minutos Avaliação: 30 minutos 12

13 Questões técnicas: Materiais necessários Outros materiais A foi preparada com recurso aos seguintes materiais: Imagens para descrever e construir narrativas Sites com formulários de escrita online Uma BD para reconstruir uma história Avaliação e reflexão: Avaliação das etapas da Reflexão sobre as Contexto pedagógico: Papel dos pre-teachers Objectivos do seu envolvimento Questionário (aprendentes e pre-teachers) Avaliação dos alunos aprendentes Segundo critérios realizadas nas 3 sessões da Preparação da primeira versão dos guiões das s Colocação em prática de critérios epistemológicos das teorias de ensino/aprendizagem das línguas estrangeiras Percepção das implicações técnicas e metodológicas para o ensino de LE baseado nas TIC. 13

14 5. Follow-Up Task 4 : Saúde Cuidados de saúde e estilos de vida O aluno aprendente, ao longo de 3 sessões de trabalho colaborativo e ainda 3 momentos de trabalho prévio e individual em casa, será convidado a conhecer e a dar opinião sobre estilos de vida em Portugal e Espanha relativamente aos hábitos de prática desportiva, tempos de lazer e hábitos alimentares. Vai participar numa simulação de marcação de uma consulta por telefone, descrevendo sintomas. Vai ainda conhecer e confrontar a prática da medicina termal e, finalmente, escrever uma carta de reclamação a apresentar num hospital, fazendo valer os seus direitos de cidadão. Língua Nível (QECR) Participantes Instituições participantes Nível A2/B1 Pre-teachers de Coimbra e aprendentes de València Universidade de Coimbra Universidade de València linguísticas Respeitar indicadores de produção oral (plano/ registo); Distinguir actos de fala de acordo com a situação comunicativa Respeitar indicadores de produção escrita (plano/ registo/ tipologia textual); Regular a produção escrita segundo as fases de planificação, textualização e revisão Perspectivar e comparar os sistemas de saúde em ambos os países Exprimir o juízo crítico perante a realidade e qualidade dos hospitais e clínicas Saber reclamar da má prestação de um serviço Tempo de preparação Realização em VWC Trabalho em casa Avaliação Questões técnicas: Materiais necessários Preparação prévia: 30 minutos Execução da : 3 momentos de 45/60 minutos Trabalho em casa entre cada sessão da : 45 minutos Avaliação: 30 minutos A foi preparada com recurso à consulta de sites com 14

15 Outros materiais informação e formulários para preenchimento online. Avaliação e reflexão: Avaliação das etapas da Reflexão sobre as Contexto pedagógico: Papel dos pre-teachers Objectivos do seu envolvimento Questionário (aprendentes e pre-teachers) Avaliação dos alunos aprendentes Segundo critérios realizadas nas 3 sessões da Preparação da primeira versão dos guiões das s Colocação em prática de critérios epistemológicos das teorias de ensino/aprendizagem das línguas estrangeiras Percepção das implicações técnicas e metodológicas para o ensino de LE baseado nas TIC. 15

16 6. Follow-Up Task 5 : Lendas e Tradições Lendas e tradições: Que sentidos? Qual a sua importância? O aluno aprendente, ao longo de 3 sessões de trabalho colaborativo e ainda 2 momentos de trabalho individual em casa, irá contactar com duas tradições bastante conhecidas no Sul de Portugal: a Lenda das Amendoeiras e a Tradição do Banho. Será convidado a descrever e interpretar imagens; a construir narrativas orais e a escrever textos orientados. Todas as performances serão objecto de análise crítica relativamente à eficácia comunicativa e à relatividade cultural das mesmas. Implica a pesquisa de tradições da própria região ou país e a sua apresentação ao falante nativo, procurando as individualizações e as universalidades da cultura popular. Língua Nível (QECR) Participantes Instituições participantes Nível B1/B2 Pre-teachers de Coimbra e aprendentes de Utecht Universidade de Coimbra Universidade de Utrecht linguísticas Interpretar textos e imagens e fazer descrições Aprofundar o conhecimento de conectores diversos da Língua Portuguesa Respeitar indicadores de produção oral (plano/ registo); Distinguir actos de fala de acordo com a situação comunicativa Respeitar indicadores de produção escrita (plano/ registo/ tipologia textual); Regular a produção escrita segundo as fases de planificação, textualização e revisão Conhecer algumas tradições de Portugal Dar a sua opinião acerca da importância das tradições na cultura de um povo Apresentar ao falante nativo uma ou mais tradições do seu país ou região. Tempo de preparação Realização em VWC Preparação prévia: 30 minutos Execução da : 3 momentos de 45/60 minutos 16

17 Trabalho em casa Avaliação Questões técnicas: Materiais necessários Outros materiais Avaliação e reflexão: Avaliação das etapas da Reflexão sobre as Trabalho em casa entre cada sessão da : 45 minutos Avaliação: 30 minutos A foi preparada com recurso aos seguintes materiais: PowerPoint com imagens em sequência narrativa Imagem de um texto (lenda das Amendoeira) 2 Fichas de trabalho sobre conectores e sobre vocabulário Sequência de imagens sobre a tradição da festa do banho Questionário (aprendentes e pre-teachers) Avaliação dos alunos aprendentes Segundo critérios realizadas nas 3 sessões da Contexto pedagógico: Papel dos pre-teachers Objectivos do seu envolvimento Preparação da primeira versão dos guiões das s Colocação em prática de critérios epistemológicos das teorias de ensino/aprendizagem das línguas estrangeiras Percepção das implicações técnicas e metodológicas para o ensino de LE baseado nas TIC. 17

18 7. Follow-Up Task 6 : Vamos conhever Portugal Vamos conhecer Portugal Esta permite reflectir e trocar opiniões sobre a cultura popular, os símbolos, as lendas dos dois países. A primeira sessão é dedicada à leitura e compreensão de uma lenda de Portugal, em que o aluno de língua Portuguesa deve apresentar a sua opinião relativamente ao texto apresentado e os aspectos que o caracterizam como lenda. A segunda sessão é centrada no conhecimento de vários aspectos da cidade de Coimbra na planificação de um roteiro turístico para esta cidade. Em conjunto, o falante nativo e o aluno de língua Portuguesa devem projectar um eventual roteiro pela cidade, explorando as alternativas mais apelativas para as pessoas visitarem a cidade. Língua Nível (QECR) Participantes Instituições participantes Nível B1/B2 Pre-teachers de Coimbra e aprendentes de Utrecht Universidade de Coimbra Universidade de Utrecht linguísticas Respeitar indicadores de produção oral (plano/ registo); Distinguir actos de fala de acordo com a situação comunicativa Respeitar indicadores de produção escrita (plano/ registo/ tipologia textual); Regular a produção escrita segundo as fases de planificação, textualização e revisão Conhecer algumas lendas e tradições portuguesas Conhecer as principais características da cidade de Coimbra Elaborar um roteiro turístico após consulta de dados na internet Tempo de preparação Realização em VWC Trabalho em casa Avaliação Questões técnicas: Materiais necessários Preparação prévia: 30 minutos Execução da : 2 momentos de 45/60 minutos Trabalho em casa entre cada sessão da : 45 minutos Avaliação: 30 minutos A foi preparada com recurso aos seguintes materiais: PowerPoint com uma sequência de imagens Música de Zeca Afonso, Youtube 18

19 Outros materiais e pressupõe a consulta de sites com informação turística Avaliação e reflexão: Avaliação das etapas da Reflexão sobre as Contexto pedagógico: Papel dos pre-teachers Objectivos do seu envolvimento Questionário (aprendentes e pre-teachers) Avaliação dos alunos aprendentes Segundo critérios realizadas nas 3 sessões da Preparação da primeira versão dos guiões das s Colocação em prática de critérios epistemológicos das teorias de ensino/aprendizagem das línguas estrangeiras Percepção das implicações técnicas e metodológicas para o ensino de LE baseado nas TIC. 19

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES PLANIFICAÇÃO ANUAL

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES PLANIFICAÇÃO ANUAL ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES ENSINO SECUNDÁRIO Curso Profissional de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos PLANIFICAÇÃO ANUAL INGLÊS MÓDULOS 7, 8 e 9 12º ANO TURMA F ANO LETIVO

Leia mais

Níveis de desempenho. Perguntar e fornecer opiniões. Perguntar e responder sobre os diferentes tipos de férias

Níveis de desempenho. Perguntar e fornecer opiniões. Perguntar e responder sobre os diferentes tipos de férias Competências.Adquirir conhecimentos sobre a cultura e civilização Anglo- Americana numa perspectiva intercultural. - Aprofundar o conhecimento da realidade Portuguesa através do confronto com aspectos

Leia mais

Planificação da Formação Total

Planificação da Formação Total Planificação da Formação Total Mobility Coach - Introdução e Indução - Duração 5 horas Tempo: Assunto: Método: Resultado: Material: Introdução à Formação e ao Projeto Mobility Coach Apresentação-PP Os

Leia mais

Escola Secundária com 3º ciclo de Manuel da Fonseca Curso Profissional de Turismo

Escola Secundária com 3º ciclo de Manuel da Fonseca Curso Profissional de Turismo Domínios de Referência Competência Linguística Componentes Competência Funcional e Discursiva Competência Sociocultural Nº Horas Estratégias Recursos Avaliação Módulo 1: Nós e o mundo à nossa volta Pronomes

Leia mais

CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO CONTABILIDADE

CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO CONTABILIDADE CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO CONTABILIDADE DISCIPLINA: INGLÊS ANO LECTIVO: 2013/2014 PLANIFICAÇÃO MÓDULO 8 O MUNDO DO TRABALHO Nº DE AULAS COMPETÊNCIAS GERAIS DO TEMA Pretende-se que o aluno desenvolva

Leia mais

Clube de Francês / Oficina de Francês (Sala Virtual)

Clube de Francês / Oficina de Francês (Sala Virtual) Agrupamento de Escolas de Santo André, Santiago do Cacém Código: 135513 NIFPC: 600075907 Escola Secundária Padre António Macedo Clube de Francês / Oficina de Francês (Sala Virtual) 2007/2014 Luísa Maria

Leia mais

Informação-Prova de Equivalência à Frequência

Informação-Prova de Equivalência à Frequência Informação-Prova de Equivalência à Frequência ENSINO SECUNDÁRIO PROVA ESCRITA E ORAL Prova de Equivalência à Frequência de Espanhol, 11º ano (Iniciação) Prova 375 (ter como referência quadro III do Desp.Norm.5/2013)

Leia mais

Género e Actividades com as TIC

Género e Actividades com as TIC Género, Cidadania e Intervenção Educativa: Sugestões Práticas q Actividade Género e Actividades com as TIC Objectivos Sugestões Reconhecer que a interpretação da realidade é influenciada por expectativas

Leia mais

SEQUÊNCIA DE ENSINO _ APRENDIZAGEM Nº1 COMPETÊNCIAS OBJETIVOS CONTEÚDOS ESTRATÉGIAS AVALIAÇÃO TEMPO

SEQUÊNCIA DE ENSINO _ APRENDIZAGEM Nº1 COMPETÊNCIAS OBJETIVOS CONTEÚDOS ESTRATÉGIAS AVALIAÇÃO TEMPO SEQUÊNCIA DE ENSINO _ APRENDIZAGEM Nº1 COMPETÊNCIAS OBJETIVOS CONTEÚDOS ESTRATÉGIAS AVALIAÇÃO TEMPO Competência(s) Visada(s) de Comunicação: componentes linguística, discursiva/textual, sociolinguística

Leia mais

PROVA 367. (Dec.- Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) 2014/2015 1.ª e 2.ª Fases

PROVA 367. (Dec.- Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) 2014/2015 1.ª e 2.ª Fases PROVA 367 INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INGLÊS- continuação 10.º e 11.º Anos (Dec.- Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) 2014/2015 1.ª e 2.ª Fases Provas Escrita e Oral Cursos Científico-

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Rio Tinto AERT E. B. 2, 3 de Rio Tinto

Agrupamento de Escolas de Rio Tinto AERT E. B. 2, 3 de Rio Tinto Agrupamento de Escolas de Rio Tinto AERT E. B. 2, 3 de Rio Tinto CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE INGLÊS - 3º CICLO - 2015/2016 Os critérios de avaliação têm como documentos de referência o Programa de Inglês

Leia mais

Retratos: Guia para @s professor@s

Retratos: Guia para @s professor@s Retratos: Guia para @s professor@s Nivel: 10 a 12 anos Fauna Duraçao: de 5 a 7 sessões Áreas: Estudo do meio, Língua portuguesa (1º ciclo). Ciências, Língua portuguesa (2º ciclo). Descriçao: O grupo selecciona

Leia mais

Programa Curso Português nível B1

Programa Curso Português nível B1 Unidade 1 : Vamo-nos conhecer! Programa Curso Português nível B1 Apresentar-se Dar e pedir informações de carácter pessoal, profissional e de ocupação dos tempos livres. Falar sobre acções habituais no

Leia mais

EURES: uma carreira na Europa

EURES: uma carreira na Europa EURES: uma carreira na Europa REDE EURES http://www.youtube.com/watch?v=-b-cf05oo7y&list=plw_7qqldjbjd-uce36bl25dpvwljlyxfq&index=93 Porquê ir para fora? MOTIVAÇÕES Perspetivas de emprego Enriquecimento

Leia mais

Matemática Aplicada às Ciências Sociais

Matemática Aplicada às Ciências Sociais DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA Matemática Aplicada às Ciências Sociais Ensino Regular Curso Geral de Ciências Sociais e Humanas 10º Ano Planificação 2014/2015 Índice Finalidades... 2 Objectivos e competências

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU PLANIFICAÇÃO ANUAL INGLÊS. MÓDULOS 1,2,3 e 4 ACTIVIDADES ESTRATÉGIAS. - Exercícios de:

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU PLANIFICAÇÃO ANUAL INGLÊS. MÓDULOS 1,2,3 e 4 ACTIVIDADES ESTRATÉGIAS. - Exercícios de: Página1 ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU PLANIFICAÇÃO ANUAL ENSINO SECUNDÁRIO PROFISSIONAL Cursos: Comunicação, Marketing, Relações Públicas e Publicidade; Gestão e Programação de Sistemas Informáticos;

Leia mais

Informação Prova de Equivalência à Frequência

Informação Prova de Equivalência à Frequência Ano letivo 2014/2015 Ensino Secundário - 1ª e 2ª Fase Disciplina de ESPANHOL (INICIAÇÃO BIENAL) - 375 Informação Prova de Equivalência à Frequência 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características

Leia mais

PERCURSO CURRICULAR ALTERNATIVO 7º F

PERCURSO CURRICULAR ALTERNATIVO 7º F AGRUPAMENTO DE ESCOLAS À BEIRA DOURO- ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA À BEIRA DOURO- MEDAS PLANIFICAÇÃO ANUAL E SEMESTRAL DA TURMA DE PERCURSO CURRICULAR ALTERNATIVO 7º F ANO LECTIVO 2010 / 2011 1º PERÍODO

Leia mais

Propostas para o desenvolvimento da Língua Estrangeira no PRA. Domínio de Referência. Núcleo Gerador DR1 DR2 DR3 DR4.

Propostas para o desenvolvimento da Língua Estrangeira no PRA. Domínio de Referência. Núcleo Gerador DR1 DR2 DR3 DR4. Propostas para o desenvolvimento da Língua Estrangeira no PRA Candidato(a): Alguns esclarecimentos e propostas de temas que devem ser desenvolvidos de acordo com a história de vida de cada adulto. Todas

Leia mais

ANO LETIVO 2013/2014. 10º ano nível VI - Inglês Planificação a Longo Prazo. Conteúdos Procedimentos Blocos previstos MÓDULO O trabalho diagnóstico

ANO LETIVO 2013/2014. 10º ano nível VI - Inglês Planificação a Longo Prazo. Conteúdos Procedimentos Blocos previstos MÓDULO O trabalho diagnóstico Conteúdos Procedimentos Blocos previstos MÓDULO O trabalho diagnóstico - Leitura de textos MÓDULO 1 - Um mundo de muitas línguas: contacto com outras línguas, experiências e culturas Línguas e culturas

Leia mais

Ano letivo 2014/2015. Planificação da disciplina: Tecnologias de Informação e Comunicação 8º ano. Domínio: Comunicação e Colaboração CC8

Ano letivo 2014/2015. Planificação da disciplina: Tecnologias de Informação e Comunicação 8º ano. Domínio: Comunicação e Colaboração CC8 Ano letivo 2014/2015 Planificação da disciplina: Tecnologias de Informação e Comunicação 8º ano Domínio: Comunicação e Colaboração CC8 Aulas Previstas Semestre 32 Subdomínio: Conhecimento e utilização

Leia mais

CURSOS E EXAMES DE ALEMÃO

CURSOS E EXAMES DE ALEMÃO CURSOS E EXAMES DE ALEMÃO Outubro 2015 Fevereiro 2016 Goethe-Institut Lisboa Sprache. Kultur. Deutschland. Cursos de alemão Aprenda alemão com profissionais: O Goethe-Institut em Lisboa oferece uma vasta

Leia mais

INGLÊS Cont. Ano Letivo 2014/2015 INFORMAÇÃO. 11º Ano de Escolaridade. Prova 367 2015. Pág. 1 de 5. 1. Objeto de avaliação

INGLÊS Cont. Ano Letivo 2014/2015 INFORMAÇÃO. 11º Ano de Escolaridade. Prova 367 2015. Pág. 1 de 5. 1. Objeto de avaliação Ano Letivo 2014/2015 INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA A À FREQUÊNCIA INGLÊS Cont. Prova 367 2015 11º Ano de Escolaridade Decreto-Lei nº 139/2012, de 5 de julho 1. Objeto de avaliação A prova a que esta

Leia mais

Regulamento do Programa Erasmus +

Regulamento do Programa Erasmus + Regulamento do Programa Erasmus + Projeto Novas competências para o futuro 2015-2017 O que é o Erasmus +? Erasmus+ é o programa da União Europeia nos domínios da educação, da formação, da juventude e do

Leia mais

Language descriptors in Portuguese Portuguese listening - Descritores para a Compreensão do Oral em História e Matemática

Language descriptors in Portuguese Portuguese listening - Descritores para a Compreensão do Oral em História e Matemática Language descriptors in Portuguese Portuguese listening - Descritores para a Compreensão do Oral em História e Matemática Compreender informação factual e explicações Compreender instruções e orientações

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PEDROUÇOS. Planificação de Português

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PEDROUÇOS. Planificação de Português AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PEDROUÇOS Escola Básica 2/3 de Pedrouços Planificação de Português 7. 7ºano de escolaridade Ano letivo 2012/2013 Expressão oral Compreensão oral 1. o Período (+-64 aulas ) ))))))))646464+66666646

Leia mais

Comunicações e Informações

Comunicações e Informações Jornal Oficial da União Europeia C 183 A Edição em língua portuguesa Comunicações e Informações 58. o ano 4 de junho de 2015 Índice V Avisos PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS Serviço Europeu de Seleção do

Leia mais

Um outro olhar sobre o Universo

Um outro olhar sobre o Universo Escola Superior de Educação Jean Piaget Um outro olhar sobre o Universo (disciplina leccionada em regime semi-presencial) Edição 2007 Guia de aprendizagem do aluno Ana Filipa Coelho, Júlia M. Carvalho,

Leia mais

inglês MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DE EDIÇÕES SM Comparativos Curriculares SM língua estrangeira moderna ensino médio

inglês MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DE EDIÇÕES SM Comparativos Curriculares SM língua estrangeira moderna ensino médio MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DE EDIÇÕES SM língua estrangeira moderna Comparativos Curriculares SM inglês ensino médio A coleção Alive High Língua Estrangeira Moderna Inglês e o currículo do Estado de Goiás

Leia mais

PÁGINAS WEB. António Ginja Carmo

PÁGINAS WEB. António Ginja Carmo PÁGINAS WEB António Ginja Carmo Índice 1 - Titulo 2 2 Enquadramento 2 3 - Descrição 3 4 - Objectivos 3 5 Público-Alvo 3 6 - Conteúdos 4 7 - Calendário das Actividades 5 8 - Estratégias Pedagógicas 8 9

Leia mais

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS (GRUPO INFORMÁTICA) Ano Letivo de 2014/2015 MÓDULO 1 FOLHA DE CÁLCULO

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS (GRUPO INFORMÁTICA) Ano Letivo de 2014/2015 MÓDULO 1 FOLHA DE CÁLCULO Ensino Regular Diurno Disciplina: T.I.C. Professores: Margarida Afonso Curso Profissional - Técnico de Auxiliar de Saúde Ano: 10.º Turma(s): TAS MÓDULO 1 FOLHA DE CÁLCULO OBJECTIVOS Indicar as principais

Leia mais

GUIÃO DE ENTREVISTA ÀS EDUCADORAS DE INFÂNCIA. 2º Momento

GUIÃO DE ENTREVISTA ÀS EDUCADORAS DE INFÂNCIA. 2º Momento 4.1.8. Orientação específica de codificação: Entrevista a educadoras de infância (2º momento) (2001) GUIÃO DE ENTREVISTA ÀS EDUCADORAS DE INFÂNCIA 2º Momento I. Questões sobre a modalidade de prática pedagógica

Leia mais

AVISO DE VAGA DE LUGAR ECA/2015/JUR. 2 lugares de jurista - Graus AD 8 - AD 9 Unidade Assuntos Jurídicos - Presidência

AVISO DE VAGA DE LUGAR ECA/2015/JUR. 2 lugares de jurista - Graus AD 8 - AD 9 Unidade Assuntos Jurídicos - Presidência RECURSOS HUMANOS Recrutamento e evolução de carreira AVISO DE VAGA DE LUGAR ECA/2015/JUR 2 lugares de jurista - Graus AD 8 - AD 9 Unidade Assuntos Jurídicos - Presidência SOMOS O Tribunal de Contas Europeu

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL 2015/2016 PORTUGUÊS - 3ºANO

PLANIFICAÇÃO ANUAL 2015/2016 PORTUGUÊS - 3ºANO DIREÇÃO DE SERVIÇOS DA REGIÃO ALGARVE Agrupamento de Escolas José Belchior Viegas (Sede: Escola Secundária José Belchior Viegas) PLANIFICAÇÃO ANUAL 2015/2016 PORTUGUÊS - 3ºANO METAS Domínios/ Conteúdos

Leia mais

LENDO, ESCREVENDO E PRODUZINDO JORNAL: A APROPRIAÇÃO DA ESCRITA POR ALUNOS DE EJA

LENDO, ESCREVENDO E PRODUZINDO JORNAL: A APROPRIAÇÃO DA ESCRITA POR ALUNOS DE EJA LENDO, ESCREVENDO E PRODUZINDO JORNAL: A APROPRIAÇÃO DA ESCRITA POR ALUNOS DE EJA CENTRO MUNICIPAL DE REFERÊNCIA DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS PROFESSORA FABÍOLA DANIELE DA SILVA A lingüística moderna

Leia mais

Curso Profissional 11º ano. Módulo III Lugares e Transportes

Curso Profissional 11º ano. Módulo III Lugares e Transportes Curso Profissional 11º ano Módulo III Lugares e Transportes 1. Competências visadas (a desenvolver no aluno) Compreensão oral: - Compreender o suficiente para resolver necessidades concretas, desde que

Leia mais

Retratos: Guia para @s professor@s

Retratos: Guia para @s professor@s Retratos: Guia para @s professor@s Nivel: 12 a 14 anos Pássaros Duraçao: de 5 a 7 sessões Áreas: Ciências da Natureza e Humanas e Sociais, Língua Portuguesa Descriçao: O grupo selecciona um pássaro característico

Leia mais

Falar em público Uma competência Transversal no Ensino

Falar em público Uma competência Transversal no Ensino Ação de Formação Falar em público Uma competência Transversal no Ensino Abril: 29 Maio: 6, 13, 20 e 22 Formadora Doutora Carla Gerardo Modalidade: 1- Curso de Formação Duração: 16 horas Créditos: 0,6 créditos

Leia mais

BIBLIOTECA ESCOLAR CENTRO DE RECURSOS EDUCATIVOS COMO FAZER UM TRABALHO DE PESQUISA

BIBLIOTECA ESCOLAR CENTRO DE RECURSOS EDUCATIVOS COMO FAZER UM TRABALHO DE PESQUISA BIBLIOTECA ESCOLAR CENTRO DE RECURSOS EDUCATIVOS COMO FAZER UM TRABALHO DE PESQUISA Se pesquisares sobre os temas das aulas, serás um aluno de sucesso que saberá aprender e continuará a aprender pela vida

Leia mais

ELABORAÇÃO DE UM GUIÃO DE PESQUISA DE INFORMAÇÃO

ELABORAÇÃO DE UM GUIÃO DE PESQUISA DE INFORMAÇÃO ELABORAÇÃO DE UM GUIÃO DE PESQUISA DE INFORMAÇÃO Este guia pretende ajudar os professores e os alunos na criação de guiões de pesquisa de informação. Os guiões de pesquisa podem ser mais ou menos detalhados,

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE PORTUGUÊS 6.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE PORTUGUÊS 6.º ANO DE PORTUGUÊS 6.º ANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO No final do 6.º ano de escolaridade, o aluno deve ser capaz de: interpretar e produzir textos orais com diferentes finalidades e coerência, apresentando

Leia mais

Direção Regional de Educação do Centro Agrupamento de Escolas Figueira Mar. Código 161366 Contribuinte nº 600 074 978

Direção Regional de Educação do Centro Agrupamento de Escolas Figueira Mar. Código 161366 Contribuinte nº 600 074 978 Direção Regional de Educação do Centro Agrupamento de Escolas Figueira Mar Código 161366 Contribuinte nº 600 074 978 Escola Secundária Dr. Bernardino Machado 1. Planificação do Ano Letivo 9º A,B,C 1º 2º

Leia mais

FORMAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL DE FORMADORES 96 HORAS

FORMAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL DE FORMADORES 96 HORAS FORMAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL DE FORMADORES 96 HORAS MÓDULOS HORAS FORMADOR 1 - FORMADOR: SISTEMA, CONTEXTOS E PERFIL 10H FRANCISCO SIMÕES 2 SIMULAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL 13H FILIPE FERNANDES 3 COMUNICAÇÃO

Leia mais

Falemos um pouco sobre o conceito DESPORTO. (3 a 3, definam desporto )

Falemos um pouco sobre o conceito DESPORTO. (3 a 3, definam desporto ) Falemos um pouco sobre o conceito DESPORTO (3 a 3, definam desporto ) Falemos um pouco sobre os conceitos DESPORTO Entendemos por Desporto todas as formas de actividade física que, através de uma participação

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS E COOPERAÇÃO GABINETE DO ORDENADOR NACIONAL PARA A COOPERAÇÃO MOÇAMBIQUE / UE

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS E COOPERAÇÃO GABINETE DO ORDENADOR NACIONAL PARA A COOPERAÇÃO MOÇAMBIQUE / UE REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS E COOPERAÇÃO GABINETE DO ORDENADOR NACIONAL PARA A COOPERAÇÃO MOÇAMBIQUE / UE ANÚNCIO DE CONCURSO O Gabinete do Ordenador Nacional para a Cooperação

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.934, DE 22 DE JANEIRO DE 2010

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.934, DE 22 DE JANEIRO DE 2010 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.934, DE 22 DE JANEIRO DE 2010 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em

Leia mais

EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM PORTUGUESA DE LÍNGUA. Anos Iniciais do Ensino Fundamental (1º ao 5º ano) MARÇO

EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM PORTUGUESA DE LÍNGUA. Anos Iniciais do Ensino Fundamental (1º ao 5º ano) MARÇO EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM DE LÍNGUA PORTUGUESA MARÇO 2013 Expectativas de Aprendizagem de Língua Portuguesa dos anos iniciais do Ensino Fundamental 1º ao 5º ano Anos Iniciais do Ensino Fundamental (1º

Leia mais

Projeto INQUIRE - Formação em Biodiversidade e Sustentabilidade OBJETIVOS

Projeto INQUIRE - Formação em Biodiversidade e Sustentabilidade OBJETIVOS Projeto INQUIRE - Formação em Biodiversidade e Sustentabilidade OBJETIVOS Projeto INQUIRE: Formação em biodiversidade e sustentabilidade Objectivos do projeto Inquire O programa pan-europeu INQUIRE é uma

Leia mais

Pixel. Aprenda Italiano em Florença Cursos Individuais para Estrangeiros

Pixel. Aprenda Italiano em Florença Cursos Individuais para Estrangeiros Certified Quality System in compliance with the standard UNI EN ISO 9001:2000. Certificate n SQ.41823. Pixel Aprenda Italiano em Florença Cursos Individuais para Estrangeiros CURSOS INDIVIDUAIS PARA ESTRANGEIROS

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.931, DE 22 DE JANEIRO DE 2010

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.931, DE 22 DE JANEIRO DE 2010 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.931, DE 22 DE JANEIRO DE 2010 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em

Leia mais

Etapas para a aplicação de cursos de PLE (geral e para fins específicos): reflectir para agir! 1

Etapas para a aplicação de cursos de PLE (geral e para fins específicos): reflectir para agir! 1 Etapas para a aplicação de cursos de PLE (geral e para fins específicos): reflectir para agir! 1 Ana Rita Bernardo Leitão Mestre em Língua e Cultura Portuguesa, área de PLE/L2 Cientes do apelo que se impõe

Leia mais

O Storytelling. T- Story NEWSLETTER. Junho 2013 1ª Edição. Porquê utilizar o Storytelling

O Storytelling. T- Story NEWSLETTER. Junho 2013 1ª Edição. Porquê utilizar o Storytelling Apresentamos a newsletter oficial do projeto T-Story - Storytelling Aplicado à Educação e Formação, um projeto financiado pela ação transversal Atividade-chave 3 Tecnologias de Informação e Comunicação,

Leia mais

AGRUPAMENTO DE CLARA DE RESENDE COD. 242 937 COD. 152 870

AGRUPAMENTO DE CLARA DE RESENDE COD. 242 937 COD. 152 870 CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO (Aprovados em Conselho Pedagógico de 16 outubro de 2012) No caso específico da disciplina de PORTUGUÊS, do 3.º ano de escolaridade, a avaliação incidirá ainda ao nível

Leia mais

* Tempo = 45minutos Grupo 300 Página 1 de 8

* Tempo = 45minutos Grupo 300 Página 1 de 8 Conteúdos Objectivos/Competências a desenvolver Tempo* Estratégias Recursos Avaliação Apresentação: Turma e professor Programa Critérios de avaliação Normas de funcionamento Conhecer os elementos que constituem

Leia mais

Projeto Político-Pedagógico Estudo técnico de seus pressupostos, paradigma e propostas

Projeto Político-Pedagógico Estudo técnico de seus pressupostos, paradigma e propostas Projeto Político-Pedagógico Estudo técnico de seus pressupostos, paradigma e propostas Introdução A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional afirma que cabe aos estabelecimentos de ensino definir

Leia mais

AS NOSSAS EMBARCAÇÕES

AS NOSSAS EMBARCAÇÕES Trabalho de Projecto AS NOSSAS EMBARCAÇÕES Disciplinas intervenientes: Língua Portuguesa, Língua Estrangeira, História e Geografia de Portugal, Educação Visual e Tecnológica. Tópicos que podem ser tratados

Leia mais

Escola Secundária com 3º Ciclo de Manuel da Fonseca Santiago do Cacém

Escola Secundária com 3º Ciclo de Manuel da Fonseca Santiago do Cacém 1. O mundo à nossa volta 1.1 Ameaças ao ambiente 1.2 Sobrepopulação, genética e questões bioéticas 1.3 Mudanças de padrões de vida 2. Um mundo de muitas culturas 2.1 A sociedade multicultural: Tolerância

Leia mais

Marcos de Aprendizagem de Língua Inglesa

Marcos de Aprendizagem de Língua Inglesa PREFEITURA MUNICIPAL DE SALVADOR Secretaria Municipal da Educação e Cultura SMEC Coordenação de Ensino e Apoio Pedagógico CENAP Marcos de Aprendizagem de Língua Inglesa Ciclo de Aprendizagem I e II MARCOS

Leia mais

EDUCAÇÃO PARA A CIDADANIA

EDUCAÇÃO PARA A CIDADANIA EDUCAÇÃO PARA A CIDADANIA Ano lectivo 2014/2015 Introdução A Educação para a Cidadania é um processo ao longo da vida. Começa em casa e no meio próximo das crianças com as questões da identidade, relações

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO O presente Regulamento pretende enquadrar as principais regras e linhas de orientação pelas quais se rege a atividade formativa da LEXSEGUR, de forma a garantir

Leia mais

PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE INGLÊS

PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE INGLÊS PEF 367 PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE INGLÊS TIPO DE PROVA DURAÇÃO Teórico/prática 90 Minutos (escrita) +25 Minutos (oral) X Escrita Com tolerância de 30 minutos X Oral X Sem tolerância 11º ANO

Leia mais

B-Bruxelas: Estudo sobre a situação do mercado de encomendas da UE, com especial ênfase no comércio electrónico 2012/S 99-163950. Anúncio de concurso

B-Bruxelas: Estudo sobre a situação do mercado de encomendas da UE, com especial ênfase no comércio electrónico 2012/S 99-163950. Anúncio de concurso 1/5 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:163950-2012:text:pt:html B-Bruxelas: Estudo sobre a situação do mercado de encomendas da UE, com especial ênfase no comércio

Leia mais

Direcção Regional de Educação do Algarve

Direcção Regional de Educação do Algarve MÓDULO 1 Folha de Cálculo 1. Introdução à folha de cálculo 1.1. Personalização da folha de cálculo 1.2. Estrutura geral de uma folha de cálculo 1.3. O ambiente de da folha de cálculo 2. Criação de uma

Leia mais

2013/2014 CONTEÚDOS TEMÁTICOS CONTEÚDOS GRAMATICAIS CALENDARIZAÇÃO UNIDADE

2013/2014 CONTEÚDOS TEMÁTICOS CONTEÚDOS GRAMATICAIS CALENDARIZAÇÃO UNIDADE Escolas João de Araújo Correia EB 2.3PESO DA RÉGUA Disciplina de Português 6º Ano Ano Letivo 2013/2014 CONTEÚDOS TEMÁTICOS CONTEÚDOS GRAMATICAIS CALENDARIZAÇÃO UNIDADE 0 Ponto de partida Reportagem televisiva

Leia mais

PROVA 358. (Dec.- Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) 2014/2015 1.ª e 2.ª Fases

PROVA 358. (Dec.- Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) 2014/2015 1.ª e 2.ª Fases PROVA 358 INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INGLÊS Formação Específica Anual 12.º Ano (Dec.- Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) 2014/2015 1.ª e 2.ª Fases Provas Escrita e Oral Cursos Científico-

Leia mais

Seminário GVcev Franchising: Tendências e Desafios. Seleção e Recrutamento de Franqueados Filomena Garcia

Seminário GVcev Franchising: Tendências e Desafios. Seleção e Recrutamento de Franqueados Filomena Garcia Seminário GVcev Franchising: Tendências e Desafios Seleção e Recrutamento de Franqueados Filomena Garcia Filomena Garcia Sócia-Diretora do Grupo Cherto: Comercial, Expansão de Franquias e Rede de Negócios

Leia mais

M O D E L O E U R O P E U D E C U R R I C U L U M V I T A E

M O D E L O E U R O P E U D E C U R R I C U L U M V I T A E M O D E L O E U R O P E U D E C U R R I C U L U M V I T A E INFORMAÇÃO PESSOAL Nome Morada Correio electrónico Telefone 96 6257803 Nacionalidade Portuguesa Data de nascimento 08/ 06/1976 EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSO DE DESIGN PRODUTOS DE MERCHANDISING

REGULAMENTO CONCURSO DE DESIGN PRODUTOS DE MERCHANDISING REGULAMENTO CONCURSO DE DESIGN PRODUTOS DE MERCHANDISING Promotor: Organização: // 1. PREÂMBULO O Chapitô é um projecto em que a Formação, a Criação, a Animação e a Intervenção promovem, dia a dia, cruzamentos

Leia mais

Jornadas da Educação, 2015

Jornadas da Educação, 2015 República de Moçambique Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano Instituto Nacional do Desenvolvimento da Educação Jornadas da Educação, 2015 A nossa escola por uma educação inclusiva, humanista

Leia mais

Nota Introdutória. Objetivos da Biblioteca Escolar (de acordo com o MANIFESTO IFLA/UNESCO PARA BIBLIOTECA ESCOLAR)

Nota Introdutória. Objetivos da Biblioteca Escolar (de acordo com o MANIFESTO IFLA/UNESCO PARA BIBLIOTECA ESCOLAR) Nota Introdutória Objetivos da Biblioteca Escolar (de acordo com o MANIFESTO IFLA/UNESCO PARA BIBLIOTECA ESCOLAR) Apoiar e promover os objetivos educativos definidos de acordo com as finalidades e currículo

Leia mais

GESTÃO MUSEOLÓGICA E SISTEMAS DE QUALIDADE Ana Mercedes Stoffel Fernandes Outubro 2007 QUALIDADE E MUSEUS UMA PARCERIA ESSENCIAL

GESTÃO MUSEOLÓGICA E SISTEMAS DE QUALIDADE Ana Mercedes Stoffel Fernandes Outubro 2007 QUALIDADE E MUSEUS UMA PARCERIA ESSENCIAL CADERNOS DE MUSEOLOGIA Nº 28 2007 135 GESTÃO MUSEOLÓGICA E SISTEMAS DE QUALIDADE Ana Mercedes Stoffel Fernandes Outubro 2007 QUALIDADE E MUSEUS UMA PARCERIA ESSENCIAL INTRODUÇÃO Os Sistemas da Qualidade

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO PROGRAMA DE FERIAS DESPORTIVAS E CULTURAIS

PROJETO PEDAGÓGICO DO PROGRAMA DE FERIAS DESPORTIVAS E CULTURAIS 1. APRESENTAÇÃO PRINCÍPIOS E VALORES Acreditamos pela força dos factos que o desenvolvimento desportivo de um Concelho ou de uma Freguesia, entendido na sua vertente quantitativa e qualitativa, exige uma

Leia mais

Retratos: Guia para @s professor@s

Retratos: Guia para @s professor@s Retratos: Guia para @s professor@s Lista de guias Nivel: 8 a 10 anos Paisagens Duraçao: de 5 a 7 sessões Áreas: Estudo do meio, Língua portuguesa (1º ciclo). Línguas e estudos sociais (2ºciclo). Descriçao:

Leia mais

Formação Pedagógica Inicial de Formadores

Formação Pedagógica Inicial de Formadores Formação Pedagógica Inicial de Formadores MÓDULOS CARGA HORÁRIA Acolhimento 1 O formador face aos sistemas e contextos de formação 8 Factores e processos de aprendizagem 6 Comunicação e Animação de Grupos

Leia mais

O GOOGLE SITES NA APRESENTAÇÃO DO V DE GOWIN DE UMA INVESTIGAÇÃO EXPERIMENTAL EM CIÊNCIAS NATURAIS

O GOOGLE SITES NA APRESENTAÇÃO DO V DE GOWIN DE UMA INVESTIGAÇÃO EXPERIMENTAL EM CIÊNCIAS NATURAIS O GOOGLE SITES NA APRESENTAÇÃO DO V DE GOWIN DE UMA INVESTIGAÇÃO EXPERIMENTAL EM CIÊNCIAS NATURAIS Berta Bemhaja, Elizabeth Ashall, Inês Tavares, Sara Barroca, Zara Baltazar Escola Secundária, com 3º ciclo,

Leia mais

INGLÊS. Informação Prova de Equivalência à Frequência Prova 367 2012. 10º/11 anos de Escolaridade. 1. Introdução

INGLÊS. Informação Prova de Equivalência à Frequência Prova 367 2012. 10º/11 anos de Escolaridade. 1. Introdução nformação Prova de Equivalência à Frequência Prova 367 2012 Disciplina NGLÊS 10º/11 anos de Escolaridade Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março 1. ntrodução O presente documento visa divulgar as características

Leia mais

yuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnm qwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxc

yuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnm qwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxc qwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwe rtyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyui opasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopas

Leia mais

1.º Ciclo do Ensino Básico Critérios de Avaliação

1.º Ciclo do Ensino Básico Critérios de Avaliação 1.º Ciclo do Ensino Básico Critérios de Avaliação PORTUGUÊS Domínios em Domínios/Competências Fatores de ponderação Instrumentos de Domínio Cognitivo Compreensão oral 20% Registos e grelhas de observação

Leia mais

Objeto de avaliação. Compreensão. Funcionamento da Língua Inglesa INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INGLÊS

Objeto de avaliação. Compreensão. Funcionamento da Língua Inglesa INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INGLÊS INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INGLÊS abril de2015 PROVA 06 2015 Modalidade ESCRITA /ORAL -----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Recensão do site: «Google Reader» «Google»:

Recensão do site: «Google Reader» «Google»: Recensão do site: «Google Reader» «Google»: Este motor de busca surgiu pela primeira vez na mente de dois jovens da Universidade de Stanford, Larry Page e Sergey Brin. Tudo começou num projecto de doutoramento,

Leia mais

ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA ACERCA DO PROJETO A CONSTRUÇÃO DO TEXTO DISSERTATIVO/ARGUMENTATIVO NO ENSINO MÉDIO: UM OLHAR SOBRE A REDAÇÃO DO ENEM

ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA ACERCA DO PROJETO A CONSTRUÇÃO DO TEXTO DISSERTATIVO/ARGUMENTATIVO NO ENSINO MÉDIO: UM OLHAR SOBRE A REDAÇÃO DO ENEM ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA ACERCA DO PROJETO A CONSTRUÇÃO DO TEXTO DISSERTATIVO/ARGUMENTATIVO NO ENSINO MÉDIO: UM OLHAR SOBRE A REDAÇÃO DO ENEM Daniela Fidelis Bezerra Túlio Cordeiro de Souza Maria Elizabete

Leia mais

I) D A P ( O Ã Ç E IR D A T L A E D A M A R G O R Colaboração; P

I) D A P ( O Ã Ç E IR D A T L A E D A M A R G O R Colaboração; P PROGRAMA DE ALTA DIREÇÃO (PADI) Colaboração; PROGRAMA DE ALTA DIREÇÃO (PADI) DIRIGIDO A: O PADI (Programa de Alta Direção) está dirigido a pessoas que levam vários anos desempenhando funções de Direção

Leia mais

Objetivos. Reconhecer e premiar um projeto académico, que se destaque no âmbito da inovação na áreas de Saúde e Desporto.

Objetivos. Reconhecer e premiar um projeto académico, que se destaque no âmbito da inovação na áreas de Saúde e Desporto. Objetivos O AUA!13/14 tem por finalidade incentivar alunos e docentes do ensino superior a dedicarem o seu esforço no desenvolvimento de projetos nas áreas de Saúde e Desporto, ao mesmo tempo que promove

Leia mais

Prova Escrita + Oral de Inglês

Prova Escrita + Oral de Inglês Informação-Prova de Equivalência à Frequência Prova Escrita + Oral de Inglês Prova 367 2015 11º Ano de Escolaridade Duração da Prova: 90 minutos (sem tolerância); Oral: 25 minutos Decreto-Lei n.º 139/2012,

Leia mais

PROJETO LÍNGUA DE FORA

PROJETO LÍNGUA DE FORA DESCRIÇÃO PROJETO LÍNGUA DE FORA O, de responsabilidade dos professores da disciplina de estágio supervisionado das línguas espanhola, francesa e inglesa, corresponde a 50 horas de estágio, das 200 horas

Leia mais

Agrupamento Vertical de Escolas de Salir Biblioteca Escolar 2008/2009. Como fazer um trabalho

Agrupamento Vertical de Escolas de Salir Biblioteca Escolar 2008/2009. Como fazer um trabalho Agrupamento Vertical de Escolas de Salir Biblioteca Escolar 2008/2009 Como fazer um trabalho Etapas na elaboração de um trabalho 1ª Etapa Penso sobre o tema 2ª Etapa Onde vou encontrar a informação? 3ª

Leia mais

OCUPAÇÃO CIENTÍFICA DE JOVENS NAS FÉRIAS

OCUPAÇÃO CIENTÍFICA DE JOVENS NAS FÉRIAS OCUPAÇÃO CIENTÍFICA DE JOVENS NAS FÉRIAS 2015 REGULAMENTO Artigo 1º Âmbito e Enquadramento A Ciência Viva Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica promove o programa Ocupação Científica

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015 Ensino Técnico Código: 0262 ETEC ANHANQUERA Município: Santana de Parnaíba Componente Curricular: Inglês Instrumental Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Módulo:

Leia mais

INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA. Tipo deprova: Escrita e Oral Disciplina: Inglês. 3.º CICLO DO ENSINO BÁSICO 9º Ano 2015

INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA. Tipo deprova: Escrita e Oral Disciplina: Inglês. 3.º CICLO DO ENSINO BÁSICO 9º Ano 2015 CÓDIGO: 21 / 6 Págs. INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Tipo deprova: Escrita e Oral Disciplina: Inglês 3.º CICLO DO ENSINO BÁSICO 9º Ano 2015 1. Introdução O presente documento visa divulgar

Leia mais

Colaborações em ambientes online predispõem a criação de comunidades de

Colaborações em ambientes online predispõem a criação de comunidades de Ficha de Leitura Tipo de documento: Artigo Título: Colaboração em Ambientes Online na Resolução de Tarefas de Aprendizagem Autor: Miranda Luísa, Morais Carlos, Dias Paulo Assunto/Sinopse/Resenha: Neste

Leia mais

Olimpíada de LP Escrevendo o futuro

Olimpíada de LP Escrevendo o futuro Olimpíada de LP Escrevendo o futuro QUATRO GÊNEROS EM CARTAZ: OS CAMINHOS DA ESCRITA Cristiane Cagnoto Mori 19/03/2012 Referências bibliográficas RANGEL, Egon de Oliveira. Caminhos da escrita: O que precisariam

Leia mais

ANO 2014. As provas do DELE são compostas por seis níveis. Cada um deles é obtido após a aprovação do mesmo.

ANO 2014. As provas do DELE são compostas por seis níveis. Cada um deles é obtido após a aprovação do mesmo. REGULAMENTO PARA A INSCRIÇÃO EM PROVA DE PROFICIÊNCIA EM LÍNGUA ESPANHOLA PARA PARTICIPAÇÃO NO PROGRAMA DE MOBILIDADE ACADÊMICA INTERNACIONAL UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL 1. ABERTURA ANO 2014 A Universidade

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ABEL SALAZAR 2015-2016

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ABEL SALAZAR 2015-2016 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ABEL SALAZAR 2015-2016 1º CICLO - 1º ANO DE ESCOLARIDADE PORTUGUÊS PLANIFICAÇÃO MENSAL DE JANEIRO DOMÍNIOS METAS/OBJETIVOS OPERACIONALIZAÇÃO (DESCRITORES) MATERIAIS/RECURSOS MODALIDADES

Leia mais

AS FONTES DE INFORMAÇÃO DA UNIÃO EUROPEIA. MÓDULO III Bolsas e Estágios

AS FONTES DE INFORMAÇÃO DA UNIÃO EUROPEIA. MÓDULO III Bolsas e Estágios AS FONTES DE INFORMAÇÃO DA UNIÃO EUROPEIA MÓDULO III Bolsas e Estágios Bolsas e Estágios Bolsas Acção Social do Ensino Superior Fundação para a Ciência e a Tecnologia Fundação Calouste Gulbenkian Instituto

Leia mais

INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO. Por favor leia atentamente este documento antes de começar o seu processo de candidatura.

INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO. Por favor leia atentamente este documento antes de começar o seu processo de candidatura. INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO Por favor leia atentamente este documento antes de começar o seu processo de candidatura. Só serão aceites as candidaturas submetidas através do formulário online, disponibilizado

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE CONTEÚDOS

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE CONTEÚDOS ESCOLA SECUNDÁRIA DE MANUEL DA FONSECA Curso Profissional: Técnico de Gestão e Equipamentos Informáticos PLANIFICAÇÃO ANUAL DE CONTEÚDOS GRUPO 550 CICLO DE FORMAÇÃO 2012/2015 ANO LECTIVO 2012/2013 DISCIPLINA:

Leia mais

As pesquisas podem ser agrupadas de acordo com diferentes critérios e nomenclaturas. Por exemplo, elas podem ser classificadas de acordo com:

As pesquisas podem ser agrupadas de acordo com diferentes critérios e nomenclaturas. Por exemplo, elas podem ser classificadas de acordo com: 1 Metodologia da Pesquisa Científica Aula 4: Tipos de pesquisa Podemos classificar os vários tipos de pesquisa em função das diferentes maneiras pelo qual interpretamos os resultados alcançados. Essa diversidade

Leia mais

Catálogo de Formação (por áreas)

Catálogo de Formação (por áreas) Catálogo de Formação (por áreas) Área 144 (DGERT) Formação de Professores 2 A Internet como Recurso para a Aprendizagem Duração: 25 horas Formador: Vítor Amaro Forma de formação: Presencial - Refletir

Leia mais

1. DESIGNAÇÃO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO Oficina de Formação de Professores em Empreendedorismo

1. DESIGNAÇÃO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO Oficina de Formação de Professores em Empreendedorismo 1. DESIGNAÇÃO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO Oficina de Formação de Professores em Empreendedorismo 2. RAZÕES JUSTIFICATIVAS DA ACÇÃO: PROBLEMA/NECESSIDADE DE FORMAÇÃO IDENTIFICADO Esta formação de professores visa

Leia mais

REGULAMENTO POOL DE TALENTOS FEP 2015

REGULAMENTO POOL DE TALENTOS FEP 2015 A POOL DE TALENTOS FEP 2015 é uma iniciativa da Faculdade de Economia da Universidade do Porto (FEP), em colaboração com as empresas parceiras (BPI, Hay Group, Mckinsey & Company, PwC e Sonae) que visa

Leia mais