Aplicação ao Gerenciamento de Redes de Telecomunicações

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Aplicação ao Gerenciamento de Redes de Telecomunicações"

Transcrição

1 Aplicação ao Gerenciamento de Redes de Telecomunicações Este tutorial apresenta o modelo TMN (Telecommunications Management Network) para gerenciamento de redes de Telecomunicações criado pelo ITU-T (International Telecommunications Union Telecomunications). O modelo TMN é o padrão de gerenciamento mais utilizado pelas ferramentas disponíveis no mercado para redes de telecomunicações. Serão apresentados as áreas funcionais de gerenciamento, os níveis de gerenciamento e a arquitetura TMN para implantação em uma rede. Esdras de Oliveira Eler É Professor da Faculdade de Tecnologia INED (Belo Horizonte, MG). É também Engenheiro Eletrônico e de Telecomunicações pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerias (PucMinas, 2004) e Especialista em Gestão de Negócios pelo Ibmec-MG (2006). Atuou durante 4 anos no Centro de Gerência de Redes da Telemar-MG (CGR-MG) e durante 5 anos como Gerente de Implantação de serviços de Telecomunicações para o mercado corporativo da Embratel em Minas Gerais. Atualmente é coordenador de projetos de Serviço de Valor Agregado (SVA) para Telefonia Celular e Professor do curso de Redes de Computadores da Faculdade de Tecnologia Ined em Belo Horizonte, MG. Categoria: Operação e Gestão Nível: Intermediário Enfoque: Técnico Duração: 20 minutos Publicado em: 21/01/2008 1

2 Modelo TMN: Introdução Uma rede de computadores necessita ser monitorada para aumentar a produtividade e a eficiência do sistema, a fim de evitar que possíveis falhas ou interrupções possam afetar o core business de uma organização. Existem várias ferramentas disponíveis no mercado que permitem o gerenciamento de redes locais, analisando o tráfego da rede e o status de todos os equipamentos nela instalados. São exemplos de ferramentas gratuitas disponíveis o MRTG e Nagios. Da mesma forma, um sistema de telecomunicações precisa ser gerenciado. Centrais telefônicas, equipamentos SDH, roteadores, sistema de rádio enlace, etc. necessitam de monitoramento com o objetivo de alcançar os requisitos de desempenho operacional e de qualidade de serviço, que muitas vezes estão especificados em contratos através de um SLA (Service Level Agreemment). Por sua vez, um sistema de gerenciamento de redes de computadores ou de telecomunicações, não se resume apenas à tecnologia capaz de colher dados dos vários recursos da rede. Ela está relacionada também a transformação destes dados em conhecimento e a transformação do conhecimento em ações, que podem ser corretivas ou pró-ativas. Por exemplo, ao detectar uma situação de congestionamento em uma rede devemos buscar alternativas para solucionar o problema (ações) como aumentar os recursos da rede ou diminuir a carga (tráfego). Assim quando se fala em gerenciamento de sistemas, estamos nos referindo também ao gerenciamento e coordenação das ações humanas que são realizadas a fim de alcançar os objetivos propostos, o gerenciamento dos recursos físicos nela instalados, entre outras funções. E para realizar este gerenciamento, normalmente existe implantado nas empresas prestadoras de serviços de Telecomunicações, Internet ou TI, um centro de operações de gerenciamento denominado CGR (Centro de Gerência de Rede) ou NOC (Network Operation Center) que é responsável por centralizar as ações de gerenciamento da rede, utilizando ferramentas de gerência que podem ser proprietárias ou padronizadas. Uma solução de gerência proprietária apresenta interfaces e protocolos que são utilizados somente por aquele fabricante em específico e são incompatíveis com sistemas de outros fabricantes. O cenário atual das redes de telecomunicações apresenta equipamentos de diferentes tecnologias e diferentes fabricantes que muitas vezes atuam isoladamente em uma rede. Fica fácil observar que quando são utilizas soluções proprietárias e existem vários sistemas de diferentes fabricantes instalados é necessário implantar vários sistemas de gerência em uma mesma rede. O grande impacto gerado por está situação é, com certeza, o aumento do custo de implantação e manutenção desses sistemas de gerência, contradizendo com o objetivo inicial que é a redução dos custos de manutenção e das perdas geradas pelas possíveis interrupções de uma rede, ao detectar com antecedência os problemas e reduzir o tempo de manutenção. Soma-se a este problema principal, outras conseqüências não desejadas como base de dados redundantes e inconsistentes, gerenciamento isolado e ineficiente, presença de múltiplas interfaces no centro de gerência, necessidade de treinamento em várias interfaces para área técnica, entre outras. 2

3 Figura 1: NOC utilizando ferramentas de gerenciamento proprietárias. Para resolver este problema, surgem as ferramentas que seguem normas padronizadas por algum modelo de gerenciamento com o objetivo de resolver os problemas citados anteriormente. Através desses sistemas é possível gerenciar equipamentos de vários fabricantes e várias tecnologias através de uma única ferramenta, pois todos os equipamentos seguirão o padrão proposto, permitindo assim a integração das informações de gerência. Como exemplos desses padrões, podemos citar o Modelo OSI de gerenciamento, Modelo SNMP e Modelo TMN. O Modelo TMN é o modelo desenvolvido pela ITU-T (International Telecommunications Union Telecomunications) para padronizar as informações de gerência de uma rede de telecomunicações. Veremos a seguir detalhes deste modelo e uma introdução sobre o Modelo SNMP e o Modelo OSI. Figura 2: NOC utilizando ferramentas de gerenciamento padronizadas. 3

4 Modelo TMN: SNMP x OSI Existem dois modelos comumente utilizados para gerenciamento de redes de computadores atualmente: o modelo SNMP e o Modelo OSI. O modelo SNMP (Simple Network Management Protocol) foi o primeiro modelo não proprietário desenvolvido pelo IETF (Internet Engineering Task Force) apresentando facilidade de implementação e possibilitando o gerenciamento de sistemas heterogêneos. Consiste em um esquema centralizado de gerência baseado num modelo Agente/Gerente, utilizando o protocolo de gerenciamento SNMP. Desde o lançamento da primeira versão na década de 80, o SNMP mantém-se como um protocolo simples e eficaz de gerenciamento e é amplamente utilizado no gerenciamento de sistema da Internet, por isso este modelo também é denominado de Modelo da Internet de Gerenciamento. O modelo SNMP, e a maior parte dos sistemas de gerenciamento disponíveis, é baseado no modelo Agente/Gerente, que normalmente é formado pelos seguintes elementos: Agente: É um programa que é executado nos elementos que serão gerenciados. Tem como função responder as solicitações vindas do Gerente e gerar mensagens a cada alteração de status de um determinado objeto; Gerente: É um programa que é executado em um elemento de rede que realiza a interface entre o usuário final é os o sistema de gerenciamento, ou seja, realiza a conversão das solicitações do usuário em ações que serão executadas na rede; Protocolo de Gerenciamento: É o protocolo que normaliza a troca de informações entre um gerente e um agente. É o elemento principal de uma rede de gerenciamento. Esta troca de informações pode acontecer de duas formas: Interações comando/resposta do Gerente para o Agente (o Gerente faz uma solicitação e o Agente responde) e apenas envio de informações do Agente para o Gerente sem a solicitação prévia (também conhecido como mensagens do tipo TRAP); MIB: Por último, a MIB é uma base de dados localizada no Agente que contém as informações e a estrutura dos objetos que podem ser gerenciados pelo Gerente. Esses objetos a serem gerenciados podem ser, por exemplo, uma interface serial ou uma Fonte em um roteador. Com o desenvolvimento e o crescimento das redes, surgiu a necessidade de criação de protocolos mais complexos para realizar o gerenciamento de redes de mais robustas, que até então não poderiam ser atendidos pelo SNMP. O SNMP na sua versão inicial (SNMPv1) possuía algumas limitações, como por exemplo, problemas de segurança, ineficiência de aquisição de grandes quantidades de informações de gerência e era baseado somente em redes TCP/IP. Nesse contexto, surgiram duas novas versões do protocolo SNMP e um novo modelo de gerenciamento, desenvolvido pela ISO (Internation Organization for Standardization), o modelo OSI de gerenciamento. O SNMPv2 apresentou principalmente a possibilidade de gerenciar redes não baseadas em TCP/IP e o SNMPv3, lançado em Abril de 1999 e atualizado em Dezembro de 2002 (RFC 3410) resolveu problemas de segurança das versões anteriores. Em paralelo ao desenvolvimento do protocolo SNMP, o modelo OSI de gerenciamento também é baseado no modelo Agente/Gerente e utiliza o protocolo CMIP (Common Management Information Protocol), que é 4

5 um protocolo mais complexo e robusto se comparado ao SNMP. Comparando os dois modelos, podemos levantar as seguintes características principais de cada um deles: Tabela 1: Modelo SNMP x Modelo OSI. Quesito Modelo SNMP Modelo OSI Complexidade Simples Complexa Tipos de Redes em que é implantado Padrão de Gerenciamento de Redes Redes mais simples Internet Redes mais complexas Base do Modelo TMN Utilização Amplamente utilizado Pouca utilização Transporte Não orientado a conexão (utiliza o UDP) Orientado a conexão Arquitetura Modelo Agente Gerente Modelo Agente Gerente Operação Comando/Resposta e Trap Comando/Resposta e Trap Os dois modelos vistos até aqui, não podem ser utilizados diretamente em redes de Telecomunicações, por um motivo bem simples: as redes de Telecomunicações não estão preparadas para tráfego de gerenciamento. As redes de computadores permitem através da arquitetura TCP/IP, por exemplo, transportar facilmente os protocolos SNMP e CMIP, que atuam na camada de aplicação do modelo OSI em paralelo com o transporte de outras aplicações. Uma central telefônica, por exemplo, não está preparada para tráfego IP e consequentemente, não está preparada para tráfego de gerenciamento (a não ser as centrais telefônicas VOIP, mais recentes). Assim, surge o modelo TMN, padrão de gerenciamento de redes de telecomunicações. Como veremos a seguir, o modelo TMN segue algumas normas definidas pelo modelo OSI. 5

6 Modelo TMN: Rede de Telecomunicações Uma rede de telecomunicação pode ser apresentada sendo constituída de rede principal, redes de acesso e de equipamentos terminais conforme figura 3. Figura 3: Partes principais de uma Rede de Telecomunicações. A Rede principal é formada pelos equipamentos centrais, do núcleo da rede, normalmente presentes nas empresas prestadoras de serviço de Telecomunicações. Por exemplo, em uma rede de telefonia, a rede principal é formada por todas as centrais telefônicas (por exemplo, as CPA s Centrais de Processamento Armazenado) e os sistemas e meios de transmissão necessários para interligar esses equipamentos. As Redes de Acessos são formadas por todos os meios de transmissão que interligam a rede principal e o usuário final representado pelos equipamentos principais. Fazem parte deste item, as linhas ISDN, ADSL, Sistemas Wireless, Linhas Telefônicas, Sistemas PLC, etc. Por fim, os Equipamentos Terminais realizam a interface final entre o usuário e o sistema de telecomunicações responsável pela prestação do serviço. Como exemplos, fazem parte deste item o Telefone, um modem de acesso, um computador, etc. Nenhum desses elementos está preparado para o transporte de informações de gerência de rede, apenas para realizar a função de transporte de tráfego de Telecomunicações. Assim, para implantar uma gerência de redes de telecomunicações torna-se necessário implementar uma rede de gerência à parte da rede principal de telecomunicações e definir as interfaces para acesso a essa rede. O padrão TMN define como realizar a implantação e manutenção de forma padronizada dessa rede de Gerência paralela. Ele é baseado em interfaces padronizadas (Q, F, X, M, G) para permitir o acesso às redes de telecomunicações que incluem a definição de Protocolos e a sintaxe e semântica da informação tratada entre os componentes. Veremos a seguir a função e a definição de cada uma dessas interfaces. 6

7 Figura 4: Implantação de Rede de Gerência em Redes de Telecomunicações. O fato do modelo TMN definir interfaces padronizadas permite a integração de diferentes fabricantes, tecnologias, áreas funcionais e níveis de gerenciamento. Os níveis de gerenciamento e áreas funcionais foram definidos pelo Modelo OSI de gerenciamento e seguidos pelo Modelo TMN. 7

8 Modelo TMN: Áreas Funcionais e Níveis de Gerência Podemos relacionar cinco áreas funcionais de gerenciamento presentes no modelo de gerenciamento TMN. Estas áreas funcionais foram desenvolvidas pelo IOS e estão presentes no modelo OSI de gerenciamento e são seguidas pelo modelo TMN. A função destas áreas funcionais é definir o que deve ser monitorado em uma rede e qual a profundidade do gerenciamento a ser executado em cada área. São elas: Gerenciamento de Falhas: Tem a função de monitorar os estados dos recursos verificando em qual ponto da rede e quando uma falha ou um erro pode ocorrer. Uma falha é uma condição anormal persistente que requer uma ação de reparo imediata. Ex. Interrupção em um link de comunicação. Um erro é uma condição anormal ocasional que pode ser corrigida ou compensada. Ex. Erro de bits ou falha de sincronismo em um link de comunicação. Faz parte do gerenciamento de falhas isolar o ponto da falha, buscar soluções alternativas até a solução do problema com o objetivo de reduzir o impacto no sistema como um todo, e por fim, reparar a falha e retornar a situação inicial; Gerenciamento de Contabilidade: Tem a função de contabilização e verificação de limites de utilização de recursos da rede, com a divisão de contas feita por usuários ou grupos de usuários, podendo inclusive permitir a cobrança diferenciada por tráfego e utilização dos recursos da rede; Gerenciamento de Configuração: Uma rede de computadores ou de telecomunicações está em constante mudança, ou seja, novos equipamentos são retirados ou adicionados à rede a todo o momento. O gerenciamento de configuração permite manter atualizadas as informações de hardware e software de uma rede, incluindo as informações de configurações de todos os equipamentos. Como resultado, por exemplo, é possível reduzir o tempo de substituição de um equipamento defeituoso se existir um backup de configuração desse equipamento; Gerenciamento de Desempenho: É a partir da gerência de desempenho que é possível realizar o planejamento das atividades futuras em uma rede de computadores, cobrar soluções para problemas recorrentes de fornecedores e garantir o cumprimento do SLA, emissão de relatórios sobre o desempenho da rede para demonstração do impacto das interrupções no negócio da empresa, etc. A meta do gerenciamento de desempenho é quantificar, medir, informar, analisar e controlar o desempenho de diferentes componentes da rede; Gerenciamento de Segurança: É responsável pela proteção dos elementos da rede, monitorando e detectando violações da política de segurança estabelecida. Assim, a meta do gerenciamento de segurança é controlar o acesso aos recursos da rede. Figura 5: Áreas de Gerenciamento. Também é muito importante conhecer os níveis de gerenciamento que uma solução de gerenciamento pode 8

9 alcançar. Especificado pelo IOS e presente no modelo OSI e TMN, os níveis de gerenciamento têm a função de definir como será realizada a integração do gerenciamento da rede. Cada nível possui um conjunto de requisitos de gerenciamento que determinam o nível de gerenciamento desejado para a rede. O gerenciamento implantado em uma rede pode atuar e em todos os níveis ou em alguns apenas. São eles: Elemento de Rede: É a base da pirâmide de gerenciamento é corresponde aos componentes da rede de computadores ou telecomunicações que necessitam ser gerenciados, e que possuem funções de gerenciamento. Ex. Roteadores, Mux SDH, etc; Gerência de Elemento de Rede: Neste nível de gerenciamento é possível realizar o gerenciamento dos elementos da rede definidos no nível anterior de forma individual. Ex. configuração de dispositivos, verificação de falhas individuais, etc; Gerência de Rede: É a primeira camada que relaciona os elementos de rede para realizar uma função de gerenciamento. Nesse nível de gerenciamento, as ferramentas de gerenciamento realizam o monitoramento dos elementos de rede e as interligações entre estes elementos, tendo uma cisão integrada da rede; Gerência de Serviços: Composta por sistemas destinados à operação, administração e manutenção de serviços, abrangendo cadastro de usuários, relacionamento com usuários, aprovisionamento e manutenção de serviços, informações de faturamento, dentre outros. É através do gerenciamento no nível de serviço que é possível, por exemplo, assegurar que um SLA está sendo cumprido; Gerência de Negócios: A gerência de negócio trata das questões relativas às finanças, aos interesses dos acionistas, dos clientes, dos empregados e da sociedade, ou seja, trata da visão estratégica da empresa e o relacionamento com a área de TI. A maior parte das empresas vêm a área de TI ou de Telecomunicações como gastos desnecessários, por isso é importante demonstrar a importância da área de TI e do Gerenciamento para a empresa. Infelizmente, pouquíssimas soluções de gerenciamento implementam o gerenciamento no seu nível mais elevado, o nível de negócios. Figura 6: Níveis de Gerenciamento. Poucas implementações no mercado atualmente que seguem o modelo TMN, realizam o gerenciamento de serviço e de negócio. Este fato impede uma adoção maior deste modelo de gerenciamento e redes de telecomunicações. 9

10 Modelo TMN: Arquitetura O modelo TMN está estruturado em três arquiteturas básicas que podem ser trabalhadas separadamente quando da implantação de um sistema de gerenciamento. Essas arquiteturas são apresentadas a seguir. Arquitetura Informacional ou de Informação O modelo de informação TMN tem por objetivo estruturar e representar as informações de gerência trocadas entre gerente e agente através de um protocolo de gerência. Segue o padrão CMIS (Common Management Information Service) do modelo OSI é um serviço totalmente orientado a conexão. A padronização das informações de gerência está relacionado à definição da sintaxe e semântica das informações e a visão de gerência dos recursos gerenciados. O modelo TMN não define um protocolo único para a troca de informações entre Gerente e Agente. Cada interface definida na arquitetura física (que veremos a seguir) pode utilizar um determinado protocolo de gerência. O protocolo CMIP, definido pelo modelo OSI, é o protocolo que normalmente é utilizado pela interface Q3. Arquitetura Funcional O modelo funcional TMN tem como objetivo definir quais serão e qual a função dos objetos implantados na rede de gerência TMN. É baseada em blocos funcionais, que fornecem as funções gerais que possibilitam a uma TMN executar os procedimentos de gerenciamento. Os blocos funcionais definidos nessa arquitetura são: Sistema de Suporte a Operação (OSF): é responsável pelo controle da Gerência das redes (Função de Gerente). Processa as informações relacionadas ao gerenciamento de telecomunicações com o objetivo de monitorar, coordenar e controlar as funções de Telecomunicações; Elemento de Rede (NEF): comunica-se com a TMN para ser monitorado e/ou controlado, provendo as funções de telecomunicações e de suporte que são requeridas pela rede de telecomunicações e funções de gerência requeridas pela rede de gerência TMN (Função de Agente); Estação de Trabalho (WSF): permite o usuário final ter acesso à plataforma de gerência TMN, ou seja, realiza a interface entre o usuário do sistema de gerência e a rede de gerenciamento; Adaptador Q (QAF): Realiza a interface com outros sistemas não padronizados com o padrão TMN; Elemento Mediador (MF): é responsável pela compatibilização da informação trocada pelos blocos funcionais OSF e NEF ou OSF e QAF, quando os mesmos não podem se comunicar diretamente entre si; Rede de Comunicação de Dados (DCN): é a rede que suporte a comunicação entre os diversos blocos funcionais definidos anteriormente. Arquitetura Física A Arquitetura Física provê meios para a implementação dos blocos funcionais definidos pela arquitetura funcional. São definidas várias interfaces que asseguram a compatibilização dos dispositivos interconectados ou blocos funcionais definidos anteriormente. São necessários protocolos de comunicação compatíveis e um método compatível de representação de dados 10

11 para as mensagens, incluindo definições genéricas de mensagens para as funções de gerenciamento da TMN. Um conjunto mínimo de protocolos a ser utilizado nas interfaces padronizadas TMN deve ser determinado. As interfaces definidas pela arquitetura física são: Interface Q: entre os blocos OSF, WSF, QAF, MF, e NEF (interfaces internas da TMN); Interface F: para a ligação de estações de trabalho (WSF); Interface X: entre os blocos OSF ou WSF de TMNs diferentes; Interface G: entre estações de trabalho (WSF) e usuários; Interface M: entre uma QAF (adaptador Q) e entidades gerenciadas não TMN. A interface Q, a mais importante, é dividida em 2 interfaces: A interface Qx e caracterizada pela interface entre Dispositivo de Mediação (MF) e os Elementos de Rede (NEF); A interface Q3 é caracterizada pela interface entre os Sistemas de Suporte as Operações (OSF) ou estações de trabalho (WSF) e os elementos da TMN que realizam interface com eles. Esta interface obrigatoriamente utiliza o protocolo de gerenciamento CMIP. Abaixo um exemplo de uma rede TMN com os seus blocos funcionais e as interfaces de conexão entre eles: Referências Figura 7: Exemplo de Blocos Funcionais e Interfaces TMN. [1] James F. Kurose and Keith W. Ross. Redes de Computadores e a Internet. Addison Wesley, 3º ed., 2006 [2] Cyclades Brasil. Guia Internet de Conectividade. Editora Senac, 7º Ed., [3] Teleco: [4] Willian Stallings. SNMP, SNMPv2 and CMIP, Don Mills: Addison Wesley, [5] Gerenciamento TMN: 11

12 Modelo TMN: Teste seu Entendimento 1. Qual das afirmativas abaixo é falsa? O protocolo SNMP é mais complexo que o protocolo CMIP que é utilizado para o gerenciamento da Internet. O SNMPv3 corrigiu problemas de segurança presentes nas duas versões iniciais desse protocolo de gerenciamento. O CMIP é um protocolo orientado a conexão enquanto que o SNMP é não orientado a conexão é utiliza o UDP na camada de transporte. O SNMP e o CMIP permitem mensagens do tipo TRAP sendo enviadas do Agente para o Gerente. 2. O gerenciamento de falhas não é responsável por: Verificar onde e quando ocorreu uma falha em uma rede. Procurar alternativas de contingência para minimizar os impactos gerados pela interrupção. Controlar o acesso aos recursos da rede. Solucionar o problema e restabelecer o funcionamento da rede. 3. A arquitetura física do modelo TMN define várias interfaces para interligação dos blocos funcionais. Qual das interfaces abaixo é utilizada para interligar uma rede TMN com redes de gerenciamento não TMN? Q3. F. G. M. 12

MSc Eliton Smith elitonsmith@gmail.com. Gerenciamento e Administração de Redes

MSc Eliton Smith elitonsmith@gmail.com. Gerenciamento e Administração de Redes MSc Eliton Smith elitonsmith@gmail.com Gerenciamento e Administração de Redes 2 Gerência de Redes ou Gerenciamento de Redes É o controle de qualquer objeto passível de ser monitorado numa estrutura de

Leia mais

Redes de Telecomunicações. Redes de Gestão de Telecomunicações

Redes de Telecomunicações. Redes de Gestão de Telecomunicações Redes de Telecomunicações Redes de Gestão de Telecomunicações (TMN - Telecommunications Management Network) João Pires Redes de Telecomunicações 285 João Pires Redes de Telecomunicações 286 O que é o TMN?

Leia mais

Rede de Computadores II

Rede de Computadores II Rede de Computadores II Slide 1 SNMPv1 Limitações do SNMPv1 Aspectos que envolvem segurança Ineficiência na recuperação de tabelas Restrito as redes IP Problemas com SMI (Structure Management Information)

Leia mais

Capítulo 9. Gerenciamento de rede

Capítulo 9. Gerenciamento de rede 1 Capítulo 9 Gerenciamento de rede 2 Redes de computadores I Prof.: Leandro Soares de Sousa E-mail: leandro.uff.puro@gmail.com Site: http://www.ic.uff.br/~lsousa Não deixem a matéria acumular!!! Datas

Leia mais

Gerência de Redes Padrões de Gerenciamento

Gerência de Redes Padrões de Gerenciamento Gerência de Redes Padrões de Gerenciamento Cássio D. B. Pinheiro pinheiro.cassio@ig.com.br cassio.orgfree.com Sumário Padronizações Gerência OSI Gerência TCP/IP SNMP MIB-II RMON SNMPv2 11/5/2007 Gerência

Leia mais

SENAI - FATESG. Gerência de Redes. Prof. Antônio Pires de Castro Jr, M.Sc.

SENAI - FATESG. Gerência de Redes. Prof. Antônio Pires de Castro Jr, M.Sc. SENAI - FATESG Gerência de Redes Prof. Antônio Pires de Castro Jr, M.Sc. Introdução Redes de Computadores É um conjunto de computadores autônomos interconectados [Tanenbaum, 1997] Introdução Mainframe

Leia mais

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP Modelo Arquitetural Motivação Realidade Atual Ampla adoção das diversas tecnologias de redes de computadores Evolução das tecnologias de comunicação Redução dos

Leia mais

Objetivo Geral - Apender conceitos, protocolos e técnicas na gerencia de redes

Objetivo Geral - Apender conceitos, protocolos e técnicas na gerencia de redes Aula 5 - Projeto de Lei 2126/11 (Marco Civil da Internet). Gerência de Redes de Computadores Objetivo Geral - Apender conceitos, protocolos e técnicas na gerencia de redes Objetivos Específicos - Entender

Leia mais

Protocolos de gerenciamento

Protocolos de gerenciamento Protocolos de gerenciamento Os protocolos de gerenciamento têm a função de garantir a comunicação entre os recursos de redes homogêneas ou não. Com esse requisito satisfeito, operações de gerenciamento

Leia mais

Gerenciamento de Redes

Gerenciamento de Redes Gerenciamento de Redes As redes de computadores atuais são compostas por uma grande variedade de dispositivos que devem se comunicar e compartilhar recursos. Na maioria dos casos, a eficiência dos serviços

Leia mais

Unidade 2.1 Modelos de Referência. Bibliografia da disciplina. Modelo OSI. Modelo OSI. Padrões 18/10/2009

Unidade 2.1 Modelos de Referência. Bibliografia da disciplina. Modelo OSI. Modelo OSI. Padrões 18/10/2009 Faculdade INED Unidade 2.1 Modelos de Referência Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores Disciplina: Fundamentos de Redes Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 2 Bibliografia da disciplina Bibliografia

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO SOFTWARE LIVRE CACTI PARA GERENCIAMENTO DE REDES LOCAIS DE COMPUTADORES

UTILIZAÇÃO DO SOFTWARE LIVRE CACTI PARA GERENCIAMENTO DE REDES LOCAIS DE COMPUTADORES UTILIZAÇÃO DO SOFTWARE LIVRE CACTI PARA GERENCIAMENTO DE REDES LOCAIS DE COMPUTADORES Filipe Herbert da Silva 1, Marco Aurélio G. de Almeida 1, Jonhson de Tarso Silva 1, Karina Buttignon 1 1 Fatec Guaratinguetá,

Leia mais

Unidade 2.1 Modelos de Referência

Unidade 2.1 Modelos de Referência Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Redes de Computadores Disciplina: Redes de Computadores Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 2.1 Modelos de Referência 2 Bibliografia da disciplina

Leia mais

Gerência de Redes. Profa. Márcia Salomão Homci mhomci@hotmail.com

Gerência de Redes. Profa. Márcia Salomão Homci mhomci@hotmail.com Gerência de Redes Profa. Márcia Salomão Homci mhomci@hotmail.com Plano de Aula Histórico Introdução Gerenciamento de Redes: O que é Gerenciamento de Redes? O que deve ser gerenciado Projeto de Gerenciamento

Leia mais

Universidade de Brasília

Universidade de Brasília Universidade de Brasília Instituto de Ciências Exatas Departamento de Ciência da Computação Lista de exercícios Gerência de Redes,Turma A, 01/2010 Marcelo Vale Asari 06/90708 Thiago Melo Stuckert do Amaral

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Prof. Macêdo Firmino Princípios de Gerência de Redes Macêdo Firmino (IFRN) Redes de Computadores Maio de 2011 1 / 13 Introdução Foi mostrado que uma rede de computadores consiste

Leia mais

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP Modelo Arquitetural Agenda Motivação Objetivos Histórico Família de protocolos TCP/IP Modelo de Interconexão Arquitetura em camadas Arquitetura TCP/IP Encapsulamento

Leia mais

Gerência e Segurança de Redes

Gerência e Segurança de Redes Gerência e Segurança de Redes Modelos filipe.raulino@ifrn.edu.br SNMP e CMIP SNMP x CMIP O ambiente de gerenciamento OSI é composto por gerentes, agentes e objetos gerenciados. Um gerente transmite operações

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Gerenciamento de Redes Prof. Thiago Dutra Agenda n Introdução n O que Gerenciar? n Definição n Modelo de Gerenciamento n Infraestrutura de Gerenciamento

Leia mais

Gerencia de Rede (Desempenho) Professor: Guerra (Aloivo B. Guerra Jr.)

Gerencia de Rede (Desempenho) Professor: Guerra (Aloivo B. Guerra Jr.) Gerencia de Rede (Desempenho) Professor: Guerra (Aloivo B. Guerra Jr.) Unidade 3 3.1 Introdução 3.2. Definições 3.3. Motivações 3.4. Problemas 3.5. Desafios 3.6. Padronização e Arquitetura 3.7. Gerência

Leia mais

Revisão Gerenciar consiste em supervisionar e controlar seu funcionamento para que ele satisfaça aos requisitos tanto dos seus usuários quanto dos

Revisão Gerenciar consiste em supervisionar e controlar seu funcionamento para que ele satisfaça aos requisitos tanto dos seus usuários quanto dos Revisão Gerenciar consiste em supervisionar e controlar seu funcionamento para que ele satisfaça aos requisitos tanto dos seus usuários quanto dos seu proprietários. A sua rede deve está rigorosamente

Leia mais

TMN. Telecommunications Management Network

TMN. Telecommunications Management Network 1 TMN Telecommunications Management Network Setembro/99 -Ba 2 Universidade Disciplina - Teleprocessamento e Redes Alunos: Carlos Augusto Barreto Osnildo Falcão Soares TMN Telecomunications Management Network

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS. Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos cpgcarlos@yahoo.com.br www.oficinadapesquisa.com.br

FACULDADE PITÁGORAS. Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos cpgcarlos@yahoo.com.br www.oficinadapesquisa.com.br FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA FUNDAMENTOS DE REDES REDES DE COMPUTADORES Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos cpgcarlos@yahoo.com.br www.oficinadapesquisa.com.br Material elaborado com base nas apresentações

Leia mais

Cap. 02 Modelo de Informação

Cap. 02 Modelo de Informação Cap. 02 Modelo de Informação 2.1 Padrões de Gerência de Redes 2.2 Arquitetura da Solucão SNMP 2.3 Objetos, Instâncias e MIBs 2.4 MIB-2 2.5 Structure of Management Information (SMI v1) 2.6 SMI V2 Luís F.

Leia mais

Apostila de Gerenciamento e Administração de Redes

Apostila de Gerenciamento e Administração de Redes Apostila de Gerenciamento e Administração de Redes 1. Necessidades de Gerenciamento Por menor e mais simples que seja uma rede de computadores, precisa ser gerenciada, a fim de garantir, aos seus usuários,

Leia mais

Gerenciamento e Interoperabilidade de Redes

Gerenciamento e Interoperabilidade de Redes EN-3610 Gerenciamento e Interoperabilidade de Redes Aula 01 Introdução Prof. João Henrique Kleinschmidt Santo André, julho de 2013 Roteiro PARTE I Apresentação da Disciplina Apresentação do Professor Metodologia

Leia mais

Gerência de Redes. Arquitetura de Gerenciamento. filipe.raulino@ifrn.edu.br

Gerência de Redes. Arquitetura de Gerenciamento. filipe.raulino@ifrn.edu.br Gerência de Redes Arquitetura de Gerenciamento filipe.raulino@ifrn.edu.br Sistema de Gerência Conjunto de ferramentas integradas para o monitoramento e controle. Possui uma interface única e que traz informações

Leia mais

GERÊNCIA DE REDES DE COMPUTADORES

GERÊNCIA DE REDES DE COMPUTADORES GERÊNCIA DE REDES DE COMPUTADORES Versão 2.0 Preliminar 2014 neutronica.com.br Gerência de Redes de Computadores Apresentação da disciplina Objetivo Geral Apresentar ao aluno as características fundamentais

Leia mais

Uc-Redes Técnico em Informática André Luiz Silva de Moraes

Uc-Redes Técnico em Informática André Luiz Silva de Moraes Roteiro 2: Conceitos Básicos de Redes: parte 1 Neste roteiro são detalhados os equipamentos componentes em uma rede de computadores. Em uma rede existem diversos equipamentos que são responsáveis por fornecer

Leia mais

Gerência de Redes de Computadores Gerência de Redes de Computadores As redes estão ficando cada vez mais importantes para as empresas Não são mais infra-estrutura dispensável: são de missão crítica, ou

Leia mais

Como manter uma rede com qualidade de serviço? Gerência de Rede. Visão Geral da Gerência de Redes. Importância de gerência de Redes. Cont.

Como manter uma rede com qualidade de serviço? Gerência de Rede. Visão Geral da Gerência de Redes. Importância de gerência de Redes. Cont. Gerência de Rede A importância estratégica crescente das redes envolve: Aplicações indispensáveis à organização Quanto mais complexo o ambiente maior o risco de coisas erradas acontecerem. Como manter

Leia mais

MIB (Management Information Base) Objetos Gerenciados Um objeto gerenciado é a visão abstrata.

MIB (Management Information Base) Objetos Gerenciados Um objeto gerenciado é a visão abstrata. MIB (Management Information Base) Objetos Gerenciados Um objeto gerenciado é a visão abstrata. A MIB é o conjunto dos objetos gerenciados. Basicamente são definidos três tipos de MIBs: MIB II, MIB experimental

Leia mais

ANEXO II PROJETO BÁSICO - INTERNET

ANEXO II PROJETO BÁSICO - INTERNET 1. Objetivo 1.1. Contratação de serviços para fornecimento de uma solução de conexão IP Internet Protocol que suporte aplicações TCP/IP e disponibilize a PRODEB acesso a rede mundial de computadores Internet,

Leia mais

Uc-Redes Técnico em Informática André Luiz Silva de Moraes

Uc-Redes Técnico em Informática André Luiz Silva de Moraes Roteiro 2: Conceitos Básicos de Redes: parte 1 Neste roteiro são detalhados os equipamentos componentes em uma rede de computadores. Em uma rede existem diversos equipamentos que são responsáveis por fornecer

Leia mais

O que é Gerenciamento de Redes de Computadores? A gerência de redes de computadores consiste no desenvolvimento, integração e coordenação do

O que é Gerenciamento de Redes de Computadores? A gerência de redes de computadores consiste no desenvolvimento, integração e coordenação do O que é Gerenciamento de Redes de Computadores? A gerência de redes de computadores consiste no desenvolvimento, integração e coordenação do hardware, software e usuários para monitorar, configurar, analisar,

Leia mais

Redes de Computadores II

Redes de Computadores II Redes de Computadores II Slide 1 Gerenciamento de Redes Gerenciamento de redes inclui o fornecimento, a integração e a coordenação de hardware, software e elementos humanos para monitorar, testar, configurar,

Leia mais

Curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Software

Curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Software Curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Software Disciplina: Redes de Computadores 2. Arquiteturas de Redes: Modelo em camadas Prof. Ronaldo Introdução n Redes são

Leia mais

Gerência de Redes Apresentação da Disciplina

Gerência de Redes Apresentação da Disciplina Gerência de Redes Apresentação da Disciplina Cássio D. B. Pinheiro pinheiro.cassio@ig.com.br cassio.orgfree.com Objetivos Apresentação dos principais conceitos relacionados a gerência de redes de computadores.

Leia mais

Gerenciamento de Redes de Computadores. Introdução ao Gerenciamento de Redes

Gerenciamento de Redes de Computadores. Introdução ao Gerenciamento de Redes Introdução ao Gerenciamento de Redes O que é Gerenciamento de Redes? O gerenciamento de rede inclui a disponibilização, a integração e a coordenação de elementos de hardware, software e humanos, para monitorar,

Leia mais

GIRS: Gerência Integrada de Redes e Serviços

GIRS: Gerência Integrada de Redes e Serviços GIRS: Gerência Integrada de Redes e Serviços Este Tutorial apresenta os conceitos básicos de Gerência Integrada de Redes e Serviços (GIRS) como defina pela UIT sob o título de TMN(Telecommunications Management

Leia mais

Anderson Alves de Albuquerque

Anderson Alves de Albuquerque SNMP (Simple Network Management Protocol) Anderson Alves de Albuquerque 1 Introdução: O que é SNMP (Basicamente): Através de variáveis ou estruturas certos acontecimentos podem ser contabilizados (contados).

Leia mais

Utilizando o Cricket para monitoração de Servidores. Sérgio A. Meyenberg Jr. Especialização em Redes e Segurança de Sistemas

Utilizando o Cricket para monitoração de Servidores. Sérgio A. Meyenberg Jr. Especialização em Redes e Segurança de Sistemas Utilizando o Cricket para monitoração de Servidores Sérgio A. Meyenberg Jr Especialização em Redes e Segurança de Sistemas Curitiba, outubro de 2010 Resumo O objetivo deste Artigo é demonstrar as funcionalidades

Leia mais

A Camada de Rede. A Camada de Rede

A Camada de Rede. A Camada de Rede Revisão Parte 5 2011 Modelo de Referência TCP/IP Camada de Aplicação Camada de Transporte Camada de Rede Camada de Enlace de Dados Camada de Física Funções Principais 1. Prestar serviços à Camada de Transporte.

Leia mais

Gerencia de Rede (Desempenho) Professor: Guerra (Aloivo B. Guerra Jr.)

Gerencia de Rede (Desempenho) Professor: Guerra (Aloivo B. Guerra Jr.) Gerencia de Rede (Desempenho) Professor: Guerra (Aloivo B. Guerra Jr.) Tópicos Gerencia de Rede Motivação da Gerência Desafios Principais Organismos Padronizadores Modelo Amplamente Adotado As Gerências

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS Tecnologia em Redes de Computadores 4ª Série Gerência de Redes A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensinoaprendizagem desenvolvido por meio de um

Leia mais

Network Management. Joao.Neves@fe.up.pt. João Neves, 2009

Network Management. Joao.Neves@fe.up.pt. João Neves, 2009 Network Management Joao Neves Digitally signed by Joao Neves DN: cn=joao Neves, o=feup, ou=deec, email=joao.neves@fe. up.pt, c=pt Date: 2009.12.16 00:12:07 Z G tã de Gestão d R Redes d Joao.Neves@fe.up.pt

Leia mais

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS INTERNET PROTOCOLOS 1 INTERNET Rede mundial de computadores. Também conhecida por Nuvem ou Teia. Uma rede que permite a comunicação de redes distintas entre os computadores conectados. Rede WAN Sistema

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com - Aula Complementar - MODELO DE REFERÊNCIA OSI Este modelo se baseia em uma proposta desenvolvida pela ISO (International Standards Organization) como um primeiro passo em direção a padronização dos protocolos

Leia mais

Gerenciamento de Redes Gerenciamento OSI

Gerenciamento de Redes Gerenciamento OSI Gerenciamento de Redes Gerenciamento OSI Disciplina: Gerenciamento e Segurança de Redes Prof.: Edmar Roberto Santana de Rezende Faculdade de Engenharia de Computação Centro de Ciências Exatas, Ambientais

Leia mais

1. Funcionalidades TMN

1. Funcionalidades TMN 1. Funcionalidades TMN Uma TMN pretende suportar uma ampla variedade de áreas gerenciais que abrange o planejamento, instalação, operação, administração, manutenção e provisionamento de serviços de telecomunicações.

Leia mais

GESTÃO Falhas Contabilidade Configuração Desempenho Segurança. FALHAS Determinar a falha Isolar a falha da rede Reconfigurar a rede Corrigir a falha

GESTÃO Falhas Contabilidade Configuração Desempenho Segurança. FALHAS Determinar a falha Isolar a falha da rede Reconfigurar a rede Corrigir a falha SCENÁRIO Recursos Controlo de custos Protocolos diversos Exigência dos utilizadores Diversidade de aplicações Controlo de acesso a aplicações e bases de dados Aumento qualitativo e quantitativo da area

Leia mais

ARQUITETURAS DE GERENCIAMENTO. Baseado em slides gentilmente cedidos pelo Prof. João Henrique Kleinschmidt da UFABC.

ARQUITETURAS DE GERENCIAMENTO. Baseado em slides gentilmente cedidos pelo Prof. João Henrique Kleinschmidt da UFABC. ARQUITETURAS DE GERENCIAMENTO Baseado em slides gentilmente cedidos pelo Prof. João Henrique Kleinschmidt da UFABC. Introdução 2 A gerência de redes é decomposta nas tarefas de monitoração e controle das

Leia mais

Redes de computadores são sistemas complexos. Decomposição dos sistemas em elementos realizáveis

Redes de computadores são sistemas complexos. Decomposição dos sistemas em elementos realizáveis Redes de computadores são sistemas complexos Decomposição dos sistemas em elementos realizáveis Maioria das redes são organizadas como uma série de camadas Permite a divisão de um problema grande e complexo

Leia mais

APOSTILA DE REDES DE COMPUTADORES PARTE - III

APOSTILA DE REDES DE COMPUTADORES PARTE - III APOSTILA DE REDES DE COMPUTADORES PARTE - III 1 REDE DE COMPUTADORES III 1. Introdução MODELO OSI ISO (International Organization for Standardization) foi uma das primeiras organizações a definir formalmente

Leia mais

Gerência e Administração de Redes

Gerência e Administração de Redes Gerência e Administração de Redes IFSC UNIDADE DE SÃO JOSÉ CURSO TÉCNICO SUBSEQUENTE DE TELECOMUNICAÇÕES! Prof. Tomás Grimm Agenda! Apresentação da disciplina! Introdução! Tipos de Gerência! Ferramentas

Leia mais

Gestão de Redes de Telecomunicações: TMN

Gestão de Redes de Telecomunicações: TMN Gestão Res Telecomunicações: TMN Re gestão telecomunicações normalizada pelo ITU-T: Telecommunication Management Network - TMN Cenário operações dos operadores telecomunicações PROBLEMA: Interligação!!!!

Leia mais

O que são DNS, SMTP e SNM

O que são DNS, SMTP e SNM O que são DNS, SMTP e SNM O DNS (Domain Name System) e um esquema de gerenciamento de nomes, hierárquico e distribuído. O DNS define a sintaxe dos nomes usados na Internet, regras para delegação de autoridade

Leia mais

Gerenciamento de Redes - Evolução. Gerenciamento de Rede. Gerenciamento de Rede NOC NOC

Gerenciamento de Redes - Evolução. Gerenciamento de Rede. Gerenciamento de Rede NOC NOC s - Evolução 1970s 1970s 1980s 1980s Dispositivos 1990s 1990s Browser A Web Server Mainframe Estação Gerenciadora Browser C Browser B NOC (Network( Operation Center) Conjunto de atividades para manter

Leia mais

Universidade Católica do Salvador CURSO DE BACHARELADO EM INFORMÁTICA

Universidade Católica do Salvador CURSO DE BACHARELADO EM INFORMÁTICA Universidade Católica do Salvador CURSO DE BACHARELADO EM INFORMÁTICA O Protocolo SNMP Por Lécia de Souza Oliveira Índice Página 2... O que é SNMP? Histórico Página 3 e 4... Estrutura Geral do Sistema

Leia mais

Introdução à Computação Móvel IP Móvel. Movimentação de Host. Movimentação de Host. Francisco José da Silva e Silva

Introdução à Computação Móvel IP Móvel. Movimentação de Host. Movimentação de Host. Francisco José da Silva e Silva Introdução à Computação Móvel IP Móvel Francisco José da Silva e Silva Francisco Silva 1 Movimentação de Host Francisco Silva 2 Movimentação de Host Se um host não estiver no enlace identificado por seu

Leia mais

5º Semestre. AULA 02 Introdução a Gerência de Redes (Arquitetura e Áreas de Gerenciamento)

5º Semestre. AULA 02 Introdução a Gerência de Redes (Arquitetura e Áreas de Gerenciamento) Disciplina: Gerência de Redes Professor: Jéferson Mendonça de Limas 5º Semestre AULA 02 Introdução a Gerência de Redes (Arquitetura e Áreas de Gerenciamento) 2014/1 Agenda de Hoje Evolução da Gerência

Leia mais

Guia Técnico Inatel Guia das Cidades Digitais

Guia Técnico Inatel Guia das Cidades Digitais Guia Técnico Inatel Guia das Cidades Digitais Módulo 3: VoIP INATEL Competence Center treinamento@inatel.br Tel: (35) 3471-9330 As telecomunicações vêm passando por uma grande revolução, resultante do

Leia mais

Gerenciamento da rede ATM. Prof. José Marcos C. Brito

Gerenciamento da rede ATM. Prof. José Marcos C. Brito Gerenciamento da rede ATM Prof. José Marcos C. Brito 1 Princípios Gerais O SNMP (Simple Network Management Protocol) é o protocolo mais utilizado. Se o dispositivo ATM é gerenciado de uma estação de gerenciamento

Leia mais

Redes de Computadores e Teleinformática. Zacariotto 4-1

Redes de Computadores e Teleinformática. Zacariotto 4-1 Redes de Computadores e Teleinformática Zacariotto 4-1 Agenda da aula Introdução Redes de computadores Redes locais de computadores Redes de alto desempenho Redes públicas de comunicação de dados Computação

Leia mais

Aula 01 Introdução ao Gerenciamento de Redes

Aula 01 Introdução ao Gerenciamento de Redes Aula 01 Introdução ao Gerenciamento de Redes Leonardo Lemes Fagundes leonardo@exatas.unisinos.br São Leopoldo, 15 de outubro de 2004 Roteiro Apresentação da disciplina Objetivos Conteúdo programático Metodologia

Leia mais

Gerenciamento de Equipamentos Usando o Protocolo SNMP

Gerenciamento de Equipamentos Usando o Protocolo SNMP Gerenciamento de Equipamentos Usando o Protocolo SNMP Diego Fraga Contessa, Everton Rafael Polina Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento - CP Eletrônica S.A. Rua da Várzea 379 - CEP 91040-600 - Porto

Leia mais

Assumiu em 2002 um novo desafio profissional como empreendedor e Presidente do Teleco.

Assumiu em 2002 um novo desafio profissional como empreendedor e Presidente do Teleco. O que é IP O objetivo deste tutorial é fazer com que você conheça os conceitos básicos sobre IP, sendo abordados tópicos como endereço IP, rede IP, roteador e TCP/IP. Eduardo Tude Engenheiro de Teleco

Leia mais

Arquiteturas de Redes Prof. Ricardo J. Pinheiro

Arquiteturas de Redes Prof. Ricardo J. Pinheiro Fundamentos de Redes de Computadores Arquiteturas de Redes Prof. Ricardo J. Pinheiro Resumo Arquiteturas de Redes Organizações de padronização Modelos de referência Modelo OSI Arquitetura IEEE 802 Arquitetura

Leia mais

Técnico em Informática. Redes de Computadores 2ºE1/2ºE2

Técnico em Informática. Redes de Computadores 2ºE1/2ºE2 Técnico em Informática Redes de omputadores 2ºE1/2ºE2 SUMÁRIO 2.1 Introdução 2.2 Vantagens do Modelo de amadas 2.3 Modelo de inco amadas 2.4 Funções das amadas 2.5 Protocolos de Rede 2.6 Arquitetura de

Leia mais

Assumiu em 2002 um novo desafio profissional como empreendedor e Presidente do Teleco.

Assumiu em 2002 um novo desafio profissional como empreendedor e Presidente do Teleco. VPN: Redes Privadas Virtuais O objetivo deste tutorial é apresentar os tipos básicos de Redes Privadas Virtuais (VPN's) esclarecendo os significados variados que tem sido atribuído a este termo. Eduardo

Leia mais

Laboratório de Gerência de Redes Introdução. Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal de Minas Gerais

Laboratório de Gerência de Redes Introdução. Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal de Minas Gerais Laboratório de Introdução Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal de Minas Gerais Gerência de redes Monitoração e controle da rede a fim de garantir seu funcionamento correto e seu valor

Leia mais

Protótipo de Software de Gerência SNMP Para o Ambiente Windows NT

Protótipo de Software de Gerência SNMP Para o Ambiente Windows NT Protótipo de Software de Gerência SNMP Para o Ambiente Windows NT Aluno : André Mafinski Orientador : Prof. Sérgio Stringari ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO - Introdução; - Gerenciamento de Redes; - Considerações;

Leia mais

A partir de 1998 passou a se dedicar ao segmento de telecom, tendo sido Gerente de Operação e 1

A partir de 1998 passou a se dedicar ao segmento de telecom, tendo sido Gerente de Operação e 1 Sistemas de Automação de Infra-estrutura de Sites de Telecom Este tutorial apresenta a descrição de conceitos de Sistemas de Automação de Infra-estrutura de Sites de Telecom. (Versão revista do tutorial

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES MEMÓRIAS DE AULA AULA 1 APRESENTAÇÃO DO CURSO, HISTÓRIA, EQUIPAMENTOS E TIPOS DE REDES Prof. José Wagner Bungart CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Definição de Redes de Computadores e Conceitos

Leia mais

Relatorio do trabalho pratico 2

Relatorio do trabalho pratico 2 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA INE5414 REDES I Aluno: Ramon Dutra Miranda Matricula: 07232120 Relatorio do trabalho pratico 2 O protocolo SNMP (do inglês Simple Network Management Protocol - Protocolo

Leia mais

Redes de computadores e a Internet. Capítulo 9. Gerenciamento de rede 9-3. 2005 by Pearson Education

Redes de computadores e a Internet. Capítulo 9. Gerenciamento de rede 9-3. 2005 by Pearson Education Redes de computadores e a Internet Capítulo 9 Gerenciamento de rede 9-3 Gerenciamento de rede Objetivos do capítulo: Introdução ao gerenciamento de redes Motivação Componentes principais Ambiente de gerenciamento

Leia mais

MÓDULO 7 Modelo OSI. 7.1 Serviços Versus Protocolos

MÓDULO 7 Modelo OSI. 7.1 Serviços Versus Protocolos MÓDULO 7 Modelo OSI A maioria das redes são organizadas como pilhas ou níveis de camadas, umas sobre as outras, sendo feito com o intuito de reduzir a complexidade do projeto da rede. O objetivo de cada

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS TÉCNICO EM INFORMÁTICA

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS TÉCNICO EM INFORMÁTICA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS TÉCNICO EM INFORMÁTICA Conectividade (Modelo de Camadas) Autor: Patrick Freitas Fures Relatório Técnico apresentado ao Profº. Nataniel Vieira como requisito final

Leia mais

SISGEP SISTEMA GERENCIADOR PEDAGÓGICO

SISGEP SISTEMA GERENCIADOR PEDAGÓGICO FACSENAC SISTEMA GERENCIADOR PEDAGÓGICO Projeto Lógico de Rede Versão: 1.2 Data: 25/11/2011 Identificador do documento: Documento de Visão V. 1.7 Histórico de revisões Versão Data Autor Descrição 1.0 10/10/2011

Leia mais

Gestão de T.I. GESTÃO DE T.I. ITIL. José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com

Gestão de T.I. GESTÃO DE T.I. ITIL. José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com GESTÃO DE T.I. José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com 1 Information Technology Infrastructure Library 2 O que é o? Information Technology Infrastructure Library é uma biblioteca composta por sete livros

Leia mais

Aula 03 Redes Industriais. Informática Industrial II ENG1023 Profª. Letícia Chaves

Aula 03 Redes Industriais. Informática Industrial II ENG1023 Profª. Letícia Chaves 1 Aula 03 Redes Industriais Informática Industrial II ENG1023 Profª. Letícia Chaves Plano de aula Tópicos da aula: 1 Introdução 2 Benefícios na utilização de redes 3 Dificuldades na utilização de redes

Leia mais

Curso de extensão em Administração de redes com GNU/Linux

Curso de extensão em Administração de redes com GNU/Linux Eduardo Júnior Administração de redes com GNU/Linux Curso de extensão em Administração de redes com GNU/Linux Eduardo Júnior - ihtraum@dcc.ufba.br Gestores da Rede Acadêmica de Computação Departamento

Leia mais

2 Fundamentação Teórica

2 Fundamentação Teórica 2 Fundamentação Teórica Neste capítulo será feita uma discussão sobre os aspectos teóricos necessários para o embasamento do trabalho aqui apresentado. Os principais tópicos apresentados dizem respeito

Leia mais

MANUAL CLIENTE TODA A

MANUAL CLIENTE TODA A MANUAL CLIENTE TODA A Qualidade GVT AOS OLHOS DOS CLIENTES. TODA A QUALIDADE GVT AOS SEUS OLHOS O Serviço de Gerência é uma ferramenta fundamental para garantir o melhor desempenho dos serviços de telecomunicações

Leia mais

GERÊNCIA INFRAESTRUTURA Divisão Intragov - GIOV INTRAGOV Rede IP Multisserviços

GERÊNCIA INFRAESTRUTURA Divisão Intragov - GIOV INTRAGOV Rede IP Multisserviços GERÊNCIA INFRAESTRUTURA Divisão Intragov - GIOV INTRAGOV Rede IP Multisserviços Julho 2013 Milton T. Yuki Governo Eletrônico (e-gov) Público Alvo Cidadão/Sociedade Órgãos de Governo Serviços e-gov para

Leia mais

Protocolos Hierárquicos

Protocolos Hierárquicos Protocolos Hierárquicos O que é a Internet? Milhões de elementos de computação interligados: hospedeiros = sistemas finais Executando aplicações distribuídas Enlaces de comunicação fibra, cobre, rádio,

Leia mais

ANEXO II MDMW3 SNMP X CMIP

ANEXO II MDMW3 SNMP X CMIP SNMP X CMIP Uma comparação entre o SNMP e o CMIP demonstra que o SNMP é excessivamente simplesquando usado em aplicações que não foram previstas quando foi definido, e que apresentadeficiências em relação

Leia mais

Mapa de Processos de uma Operadora de Telecomunicações (etom)

Mapa de Processos de uma Operadora de Telecomunicações (etom) Mapa de Processos de uma Operadora de Telecomunicações (etom) Este tutorial apresenta o enhanced Telecom Operations Map (etom) desenvolvido pelo Tele Management Forum (TM Forum). Vergílio Antonio Martins

Leia mais

Sistemas de Informação. Profª Ana Lúcia Rodrigues Wiggers Instrutora Cisco Networking Academy - UNISUL 2013

Sistemas de Informação. Profª Ana Lúcia Rodrigues Wiggers Instrutora Cisco Networking Academy - UNISUL 2013 Sistemas de Informação Profª Ana Lúcia Rodrigues Wiggers Instrutora Cisco Networking Academy - UNISUL 2013 Conjunto de Módulos Processadores (MP) capazes de trocar informações e compartilhar recursos,

Leia mais

Capítulo 9 Gerenciamento de rede

Capítulo 9 Gerenciamento de rede Capítulo 9 Gerenciamento de rede Nota sobre o uso destes slides ppt: Estamos disponibilizando estes slides gratuitamente a todos (professores, alunos, leitores). Eles estão em formato do PowerPoint para

Leia mais

Redes de Computadores I Conceitos Básicos

Redes de Computadores I Conceitos Básicos Redes de Computadores I Conceitos Básicos Prof. Luís Rodrigo lrodrigo@lncc.br http://lrodrigo.lncc.br 2011/2 v3 2011.07.27 (baseado no material de Jim Kurose e outros) Histórico da Evolução das Redes Histórico

Leia mais

Gerenciamento de uma rede através do Protocolo SNMP

Gerenciamento de uma rede através do Protocolo SNMP Gerenciamento de uma rede através do Protocolo SNMP Domingos, T. Pereira, S. Reis, D. Silva, C. Barrére, E. Sistemas de Informação - Associação Educacional Dom Bosco Estrada Resende-Riachuelo, 2535 - Resende

Leia mais

Este tutorial apresenta o enhanced Telecom Operations Map (etom) desenvolvido pelo Tele Management Forum (TM Forum).

Este tutorial apresenta o enhanced Telecom Operations Map (etom) desenvolvido pelo Tele Management Forum (TM Forum). Mapa de Processos de uma Operadora de Telecomunicações (etom) Este tutorial apresenta o enhanced Telecom Operations Map (etom) desenvolvido pelo Tele Management Forum (TM Forum). Eduardo Tude Engenheiro

Leia mais

Protocolo. O que é um protocolo? Humano: que horas são? eu tenho uma pergunta

Protocolo. O que é um protocolo? Humano: que horas são? eu tenho uma pergunta Protocolo O que é um protocolo? Humano: que horas são? eu tenho uma pergunta Máquina: Definem os formatos, a ordem das mensagens enviadas e recebidas pelas entidades de rede e as ações a serem tomadas

Leia mais

Camadas da Arquitetura TCP/IP

Camadas da Arquitetura TCP/IP Camadas da Arquitetura TCP/IP A arquitetura TCP/IP divide o processo de comunicação em quatro camadas. Em cada camada atuam determinados protocolos que interagem com os protocolos das outas camadas desta

Leia mais

Top-Down Network Design

Top-Down Network Design Top-Down Network Design Chapter Nine Developing Network Management Strategies Copyright 2010 Cisco Press & Priscilla Oppenheimer Gerencia da Rede Contribui para atingir os objetivos dos requisitos Contribui

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br CENTRO UNIVERSITÁRIO DE VOLTA REDONDA UniFOA Curso Tecnológico de Redes de Computadores Disciplina: Redes Convergentes II Professor: José Maurício S. Pinheiro

Leia mais

Gerenciamento de Serviços em TI com ITIL. Gerenciamento de Serviços de TI com ITIL

Gerenciamento de Serviços em TI com ITIL. Gerenciamento de Serviços de TI com ITIL Gerenciamento de Serviços de TI com ITIL A Filosofia do Gerenciamento de Serviços em TI Avanços tecnológicos; Negócios totalmente dependentes da TI; Qualidade, quantidade e a disponibilidade (infra-estrutura

Leia mais

Unidade 1. Bibliografia da disciplina 15/11/2008. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Redes de Computadores

Unidade 1. Bibliografia da disciplina 15/11/2008. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Redes de Computadores Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Redes de Computadores Disciplina: Redes de Computadores Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 1 Conceitos básicos de Redes de Computadores 2

Leia mais