GERÊNCIA DE REDES DE COMPUTADORES EM UM AMBIENTE CORPORATIVO REAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GERÊNCIA DE REDES DE COMPUTADORES EM UM AMBIENTE CORPORATIVO REAL"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE COMPUTAÇÃO GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO GERÊNCIA DE REDES DE COMPUTADORES EM UM AMBIENTE CORPORATIVO REAL RICARDO FERREIRA FERNANDES WISBLER DA SILVA FARIAS JUNHO 2007

2 i UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE COMPUTAÇÃO GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO GERÊNCIA DE REDES DE COMPUTADORES EM UM AMBIENTE CORPORATIVO REAL Trabalho de Projeto Final de Curso II apresentado por Ricardo Ferreira Fernandes e Wisbler da Silva Farias à Universidade Católica de Goiás, para obtenção do Título de Bacharel em Ciência da Computação, orientado pela professora Dra. Solange da Silva.

3 ii GERÊNCIA DE REDES DE COMPUTADORES EM UM AMBIENTE CORPORATIVO REAL RICARDO FERREIRA FERNANDES WISBLER DA SILVA FARIAS Trabalho de Projeto Final de Curso II apresentado por Ricardo Ferreira Fernandes e Wisbler da Silva Farias à Universidade Católica de Goiás, como requisito parcial para obtenção do Título de Bacharel em Ciência da Computação. Professora Solange da Silva, Dra. Orientadora Professor Olegário Correa da Silva Neto, Dr. Coordenador de Projeto Final de Curso

4 iii DEDICATÓRIA (EPÍGRAFE) Nenhum homem nem nenhuma nação podem existir sem uma idéia sublime. E no mundo existe uma única idéia sublime - nomeadamente, a idéia da imortalidade da alma do homem - pois todas as outras idéias "sublimes" de vida, que dão vida ao homem, são meras derivações desta única idéia. Dostoievski, Fiodor

5 iv AGRADECIMENTOS Agradeço a todos que contribuíram direta ou indiretamente para a realização deste trabalho. Primeiramente a Deus, que me fortalece e está presente em todos os momentos de minha vida. Agradeço também aos meus familiares e à minha namorada, que com muita dedicação e incentivo, me ajudaram nos momentos em que me encontrava cheio de obrigações. Em especial, à minha orientadora, Profa. Dra. Solange da Silva pelo incentivo, apoio e por sua cumplicidade e comprometimento no desenvolvimento deste trabalho. Ricardo Ferreira Fernandes Agradeço primeiramente a Deus pela vida que me destes, ao meu pai pela vida que me proporciona, a minha irmã por, acima de tudo, suportar meus momentos de nervosismo. A minha tão querida mãe, que já não se encontra fisicamente em nossa presença, mas que vive eternamente em meu coração, todos os seus predicados, amor, carinho, compaixão, caridade, cumplicidade, compreensão, dedicação, entrega, generosidade, honestidade, integridade e outras palavras do gênero, podem ser resumidos em uma única palavra: mãe! A minha Orientadora Dra. Solange da Silva, por seu apoio, dedicação, paciência, sugestões e amizade. Difícil agradecer a todos que me são caros nessa vida citando seus nomes sem me esquecer de pelo menos uma dúzia de meus estimados amigos, que mesmo que não deram uma contribuição direta nesse trabalho, muito me ajudaram com o que têm de mais valioso, a amizade, dedicação, carinho, apoio, momentos em que compartilhamos felicidades e dividimos as dificuldades. Wisbler da Silva Farias

6 v RESUMO Este trabalho, tem o objetivo principal de, além de efetuar um estudo teórico sobre o protocolo de gerência de redes de computadores SNMP (Simple Network Management Protocol), o de implementar uma solução prática de gerenciamento de redes de computadores na EMBRAPA Arroz e Feijão (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), utilizando uma ferramenta de custo gratuito, sob a licença General Public License (GPL). Após o estudo das ferramentas disponíveis no mercado e análise do levantamento de requisitos da empresa, a solução implantada foi a ferramenta ZABBIX. Palavras chave: SNMP, dispositivos gerenciados, MIB, gerenciamento de redes de computadores, ZABBIX.

7 vi ABSTRACT This work, has the primary objective of, besides occur an abstract study about the computer web management protocol Simple Network Management Protocol), to implement a custom solution of a computer web services management in EMBRAPA Rice and Beans (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) using a free cost tool, under the General Public License (GPL). After the study of the available tools on market and analysis of the survey of the company requirements, the introduced chosen solution use the ZABBIX. Keywords: SNMP, managed devices, MIB, Network Management, ZABBIX.

8 vii GERÊNCIA DE REDES DE COMPUTADORES EM UM AMBIENTE CORPORATIVO REAL SUMÁRIO LISTA DE FIGURAS...XI LISTA DE TABELAS... XII LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS...XIII LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS...XIII CAPÍTULO I... 1 INTRODUÇÃO... 1 CAPÍTULO II... 4 FUNDAMENTOS SOBRE GERENCIAMENTO DE REDES INTRODUÇÃO VISÃO GERAL SOBRE GERENCIAMENTO DE REDES PROTOCOLO SNMP BASE DE DADOS MIB Tipos de Objetos de uma MIB Estrutura Lógica da MIB Exemplo dos Grupos da MIB II Grupo System Grupo Interfaces Grupo IP Grupo ICMP Grupo TCP Grupo UDP Grupo SNMP Compilador de MIBs... 22

9 viii 2.5 FERRAMENTAS PARA O GERENCIAMENTO DE REDES NAGIOS OpenNMS ZABBIX Comparação entre as principais ferramentas de gerenciamento CAPÍTULO III ANÁLISE DE REQUISITOS INTRODUÇÃO SITUAÇÃO ATUAL DA REDE DE COMPUTADORES Especificação Técnica do Escritório Técnico Especificação do Setor de Serviços Auxiliares (SSA) Especificação da Administração (ADM) / Chefia Especificação da Área de Comunicação Empresarial (ACE) Especificação da ADM/Biblioteca Especificação do Banco Ativo de Germoplasa (BAG) Especificação da Casa de vegetação Especificação do Laboratório de Mecanização Especificação do Setor de Máquinas e Implementos Agrícolas (SMI) Especificação do Galpão Especificação da Garagem Especificação da Criação de Insetos Especificação dos Alojamentos Especificação técnica dos equipamentos de rede Switch tipo I Switch tipo III Módulo 1000/BaseLX Módulo Planet SGSW-A1LX Transceiver 100BaseFX/100BaseTX Placa de rede 1000BaseT Patch Panel 24 portas Patch Panel 48 portas Rack 10U... 43

10 ix Rack 12U Switch KVM (Keyboard, video, mouse) Cabo KVM 5m Cabo KVM 3m Adaptador PS/2 para teclado e mouse SUN Especificação dos cabos e conectores Tomadas RJ-45 tipo Puch Down Conectores RJ-45 Macho Cabo UTP Cabos de comutação no Patch Panel (Patch Cable UTP) Conectores ópticos Cabo de fibra óptica Cabos de comutação no distribuidor óptico (Patch Cable óptico) LEVANTAMENTO DE REQUISITOS PROPOSTA DE SOLUÇÃO Protótipo da Proposta de Solução CAPÍTULO IV ZABBIX INTRODUÇÃO CARACTERÍSTICAS DO ZABBIX COMPONENTES DA FERRAMENTA Servidor ZABBIX Agente ZABBIX Interface WEB REQUISITOS Requisitos de Hardware Requisitos de Software MONITORAMENTO DE DESEMPENHO MECANISMO DE ALERTA VERIFICAÇÃO DE INTEGRIDADE DE ARQUIVOS SERVIÇOS DE AUDITORIA GERAÇÃO DE GRÁFICOS... 59

11 x 4.10 CAPACIDADE DE PLANEJAMENTO ACORDO DE NÍVEL DE SERVIÇO SLA CRIAÇÃO DE GRUPOS E MODELOS DE CONFIGURAÇÃO EXECUÇÃO DE COMANDOS REMOTOS CAPÍTULO V INSTALAÇÃO DO SISTEMA DE GERÊNCIA DE REDES DE COMPUTADORES ZABBIX NA EMBRAPA ARROZ E FEIJÃO INTRODUÇÃO INSTALAÇÃO DO ZABBIX Configuração do Banco de dados Configuração do ZABBIX O ZABBIX EM OPERAÇÃO NA EMPRESA AVALIAÇÃO DO ZABBIX EM OPERAÇÃO NA EMPRESA CAPÍTULO VI CONCLUSÃO REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BIBLIOGRAFIA SUGERIDA... 72

12 xi LISTA DE FIGURAS Figura A estrutura de gerenciamento de rede [Flint, 1997] Figura Localização do Protocolo SNMP no TCP/IP [Messias, 2005]... 9 Figura Formato de mensagem SNMP [Messias, 2005] Figura Árvore MIB [Messias, 2005] Figura MIB II [Messias, 2005] Figura 2.6 Tela principal do NAGIOS (traduzida para o português) [NAGIOS, 2006] Figura 2.7 Tela do gerenciamento de falhas de serviços [NAGIOS, 2006] Figura 2.8 Tela principal do OpenNMS [OpenNMS, 2006] Figura 2.9 Tela do ZABBIX: Estrutura da rede [ZABBIX, 2006] Figura 3.1 Ilustração da estrutura de firewall utilizando uma rede DMZ Figura 3.2 Antena de rádio da EMBRAPA Arroz e Feijão Figura 3.3 Ala A Figura 3.4 Ala B Figura 3.5 Ala C Figura 3.6 Rack Ala D Figura 3.7 Switches internos (SSA) Figura 3.8 Fibras Ópticas Figura 3.9 Protótipo da solução Figura 4.1 Interface web do ZABBIX Figura 4.2 Monitoramento do host GERENTE Figura 4.3 Monitoramento Alertas Figura 4.4 Monitoramento de alterações no arquivo /etc/passwd Figura 4.5 Configuração Auditoria Figura 4.6 Monitoramento gráficos: Espaço livre no ponto de montagem/do GERENTE 60 Figura 4.7 Monitoramento Serviços IT Figura 4.8 Configuração de grupos e modelos de configuração Figura 4.9 Configuração Ações Figura 5.1 Divisão dos pré-requisitos... 65

13 xii LISTA DE TABELAS Tabela Grupos da MIB II [Messias, 2005] Tabela Comparação entre as ferramentas de gerenciamento mais atuais Tabela 4.1 Requisitos de Hardware [ZABBIX,2006]... 53

14 xiii LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS ACE - Área de Comunicação Empresarial ACL - Access Control List ADM Administração API - Application Program Interface ARP - Address Resolution Protocol ASCII - American Standard Code for Information Interchange ASN 1 - Abstract Syntax Notation One BAG - Banco Ativo de Germoplasma BOOTP - Bootstrap Protocol CCITT - Consultative Committee for International Telegraph and Telephone DHCP - Dynamic Host Configuration Protocol DMZ De-Militarized Zone Zona Desmilitarizada DNS Domain Name Service DSCP - Differentiated Services Code Point EMBRAPA Arroz e Feijão - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária/Centro Nacional de Pesquisa de Arroz e Feijão FTP File Transfer Protocol GBIC - Gigabit Interface Converter GPL - General Public License - Licença Pública Geral GUI Graphic User Interface HTTP - Hypertext Transfer Protocol HTTPS - Hypertext Transfer Protocol Security IAB - International Activities Board IBM - International Business Machines ICMP - Internet Control Message Protocol IEEE - Institute of Electrical and Electronics Engineers IP - Internet Protocol IPX - Internetwork Packet Exchange ISO - International Organization for Standardization ITU-T International Telecommunication Union - Telecommunications

15 xiv KVM - Keyboard, Video, Mouse LAN - Local Area Network LDAP - Lightweight Directory Access Protocol MAC - Message Authentication Code MIB - Management Information Base MRTG - Multi Router Traffic Grapher MSTP - Multiple Spanning Tree Protocol NAGIOS - NAGIOS Ain't Gonna Insist On Sainthood NAT - Network Address Translation NFS - Networking File System NIS - Network Information Service NMS - Network Management Station OSI - Open Systems Interconnection PCI - Peripheral Component Interconnect PCMCIA - Personal Computer Memory Card International Association PDU Protocol Description Unit PHP Hypertext Preprocessor PING - Packet Internet Group POP - Post Office Protocol QoS Qualidade de Serviços RADIUS - Remote Authentication Dial-In User Service RFC Request For Comments RIP - Routing Information Protocol RJ45 - Registered Jack 45 RMON - Remote Monitoring RNP Rede Nacional de Ensino e Pesquisa RRDTool - Round Robin Database Tool RSTP - Rapid Spanning Tree Protocol SLA Service Level Agreement SMI - Setor de Máquinas e Implementos Agrícolas SMS - Short Message Service SMTP - Simple Mail Transfer Protocol SNA - System Network Architecture

16 xv SNMP - Simple Network Management Protocol SO Sistema Operacional SQL - Structured Query Language SSA - Setor de Serviços Auxiliares SSH - Secure Shell SSL - Secure Sockets Layer STP - Spanning Tree Protocol TCP - Transmission Control Protocol TFTP - Trivial File Transfer Protocol UDP - User Datagram Protocol UFG Universidade Feral de Goiás UTP - Unshielded Twisted Pair VLAN - Virtual Local Area Network VPN - Virtual Private Network WWW World Wide Web

17 GERÊNCIA DE REDES DE COMPUTADORES EM UM AMBIENTE CORPORATIVO REAL CAPÍTULO I INTRODUÇÃO Atualmente, um número cada vez maior de negócios baseia seus serviços em recursos de informações, telecomunicações e Internet. Com isso, independente do tamanho de uma rede de computadores, ela precisa ser gerenciada e administrada, a fim de garantir que suas aplicações de redes estejam disponíveis por tempo integral, consumindo um mínimo de recursos físico, humano e estrutural [Flint, 1997]. Administradores de redes de computadores gerenciam várias informações, de forma a manter todos os serviços em pleno funcionamento para o usuário dessa rede. No entanto, existem problemas que o administrador não consegue identificar devido ao grande número de serviços, trazendo transtornos ao usuário. Segundo [Carvalho, 1997], os sistemas de gerenciamento de redes devem prover mecanismos que permitam gerenciar, consultar, contabilizar, organizar e até planejar a utilização de recursos durante as comunicações realizadas dentro do ambiente OSI (Open Systems Interconnection). A atuação de tais sistemas deve, então, englobar cinco áreas funcionais: gerenciamento de falhas permitem detectar, isolar e corrigir situações de erro; gerenciamento de contabilização permite determinar o índice de utilização de recursos e associar a ele tarifas e custos; gerenciamento de configuração possibilita obter informações, supervisionar e exercer controle sobre a configuração dos componentes de rede; gerenciamento de desempenho inclui mecanismos de avaliação do 1

18 comportamento dos recursos gerenciados e da eficiência das atividades de comunicação; gerenciamento de segurança permite gerenciar o emprego de mecanismos de segurança referente ao controle de acesso, autenticação, criptografia entre outros [Carvalho, 1997]. Assim, surgiu a necessidade de utilizar sistemas capazes de auxiliar o gerenciamento do funcionamento desses serviços de redes de computadores, de forma que notifique ao administrador da rede o tipo de problema que está acontecendo e em qual tipo de serviço, para que este tome as devidas providências, de forma que afete o mínimo possível o usuário, tomando decisões eficientes, de forma a manter o funcionamento normal da rede. Este trabalho, tem o objetivo principal, além do estudo teórico, de implementar um sistema prático de gerenciamento de rede de computadores em uma empresa real, no caso, a EMBRAPA Arroz e Feijão (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária/Centro Nacional de Pesquisa de Arroz e feijão); após o estudo teórico dos sistemas disponíveis e mais atuais do mercado nessa área, verificou-se métodos bastante eficientes para notificar os administradores da rede sobre falhas de serviços de rede e hardware, facilitando a análise das falhas mais constantes dos serviços e suas correções, de forma a propor a solução mais adequada para a empresa citada. Conforme as pesquisas efetuadas, no mercado atual, são encontrados diversos programas capazes de fazer esse tipo de gerenciamento, tais como: Soluções proprietárias: o Software WhatUp ($ 1.495,00), o Software BigBrother ($ 2.500,00 + $ 100,00 por cliente gerenciado) e o OpenView ($ ,00); Soluções de Software Livre: NAGIOS, ZABBIX e OpenNMS, todos disponibilizados de forma gratuita sob a licença GPL (General Public License) [Machado, 2006]. Como a empresa EMBRAPA Arroz e Feijão exigiu uma solução com software livre, ou seja, de custo gratuito, o foco desse trabalho será o de realizar um estudo dessas ferramentas disponíveis no mercado, buscando aquela que melhor se adequar à realidade da rede de computadores da empresa. 2

19 Este trabalho está estruturado da seguinte forma: O Capítulo 2 apresenta uma visão geral sobre o tema de gerenciamento de serviços em uma rede de computadores, trazendo seu histórico, desde seu início até o momento atual. Além disso, apresenta a visão geral de algumas dos principais softwares livres existentes que podem atender as exigências da empresa para a implantação da ferramenta de gerenciamento de redes de computadores, levantando os seus principais pontos positivos e negativos. O Capítulo 3 traz um levantamento e análise de requisitos in loco, apresentando a situação atual da rede de computadores da empresa EMBRAPA Arroz e Feijão, os problemas enfrentados e uma proposta de solução (protótipo) que auxilie no gerenciamento dos serviços disponíveis dessa rede. Além disso, é apresentada uma proposta de solução com a ferramenta que poderá corresponder às necessidades da EMBRAPA Arroz e Feijão. O Capítulo 4 apresenta uma visão geral da ferramenta ZABBIX, que é uma das mais robustas, em se tratando de software livre para a gerencia de rede de computadores, a qual possui características que possibilita o gerenciamento de dispositivos que possuam o protocolo SNMP (Simple Network Management Protocol), suporta a maioria dos Sistemas Operacionais (Unix, Windows e Novell), interface Web, banco de dados MYSQL e PostgreSQL e geração de gráficos em tempo real. O Capítulo 5 trata da instalação da solução proposta para o sistema de gerenciamento de redes de computadores ZABBIX na empresa EMBRAPA Arroz e Feijão. Finalmente, o capítulo 6 traz as conclusões gerais do trabalho. 3

20 CAPÍTULO II FUNDAMENTOS SOBRE GERENCIAMENTO DE REDES 2.1 INTRODUÇÃO Este capítulo traz uma visão geral sobre gerenciamento de serviços em uma rede de computadores baseado no modelo de referência TCP/IP (Transmission Control Protocol/Internet Protocol), trazendo seu histórico até o momento atual. Além disso, apresenta a visão geral de algumas das principais ferramentas disponíveis no mercado, priorizando as soluções de software livre. A seção 2.2 trata dos fundamentos básicos sobre gerenciamento de serviços. A seção 2.3 diz respeito ao funcionamento e características do Protocolo SNMP (Simple Network Management Protocol). A seção 2.4 apresenta as MIBs (Management Information Base), suas categorias, os tipos de objetos utilizados em sua estrutura, sua árvore hierárquica com a representação de cada nó, como as informações ficam armazenadas em sua base de dados seguindo um padrão para que o compilador MIB possa acessar essas informações e tratá-las. A seção 2.5 mostra o funcionamento de algumas ferramentas livres para o gerenciamento de redes, mostrando uma visão geral do NAGIOS, OpenNMS e do ZABBIX. 2.2 VISÃO GERAL SOBRE GERENCIAMENTO DE REDES Atualmente os sistemas de redes de computadores comerciais existentes estão se tornando extremamente complexos. Partindo de algumas poucas redes locais isoladas, esses sistemas se expandiram em LAN s (Local Area Network) que operam ao longo de corporações inteiras. Roteadores conectam LAN s a escritórios remotos e redes de alcance 4

21 mundial se tornam cada vez mais presentes. Gerenciar e fazer manutenção desses sistemas, para não mencionar problemas isolados, pode ser um desafio. Entre as atividades básicas do gerenciamento de redes, estão a detecção e correção de falhas, em um tempo mínimo, e o estabelecimento de procedimentos para a previsão de problemas futuros. O gerenciamento de redes é composto pelo hardware que constitui a rede, o qual inclui as estações de trabalho, servidores, placas de rede, roteadores, pontes e hubs. Os fabricantes desses dispositivos os construíram com capacidades de gerenciamento de rede, a fim de se saber remotamente sobre seu estado e permitir que eles nos alertem quando ocorre certo tipo de evento. Os sistemas de gerenciamento de rede empregam um software, implementado em um host da rede, que controla e administra os dispositivos dessa rede. Para se gerenciar um serviço de rede, apenas esses recursos não são suficientes. Todas as ferramentas de gerenciamento de redes que serão apresentadas neste trabalho são grátis, com a licença GLP [Flint, 1997]. Segundo [Flint, 1997], o gerenciamento de rede é dividido em quatro categorias, conforme apresentado na figura 2.1: Figura A estrutura de gerenciamento de rede [Flint, 1997]. Nós de gerenciamento são os dispositivos que se quer gerenciar, o qual possuem um software ou firmware que detecta o estado do dispositivo gerenciado. Estação de gerenciamento de rede (gerente) dispositivo centralizado que comunica e apresenta o estado dos agentes nos nós gerenciados, geralmente é 5

22 uma estação de trabalho dedicada (UNIX ou DOS/Windows) que executa algum software de gerenciamento de rede. Protocolo de gerenciamento de rede usado pela estação de gerenciamento de rede e pelos agentes para trocar informações de gerenciamento. MIB (Management Information Base) base de dados onde ficam armazenadas as informações dos dispositivos gerenciados. Muitos fabricantes, SynOptics, Cisco e outros, produzem equipamentos gerenciáveis pelo protocolo SNMP, que é um conjunto de funcionalidades que permitem a consulta remota de variáveis da MIB de um dispositivo SNMP, que por sua vez pode gerar alarmes no console de gerenciamento (gerente). Ao projetar e estabelecer a infra-estrutura de gerenciamento de rede é necessário se levar em consideração dois axiomas [Flint, 1997]: 1. O tráfego devido às informações de gerenciamento não deve aumentar significativamente o tráfego da rede. 2. O agente de protocolo no dispositivo gerenciado não deve aumentar significativamente o resultado de processamento a ponto de prejudicar a função principal daquele dispositivo. Atualmente existe uma grande diversidade de ambientes de rede, podendo se encontrar tanto um mainframe IBM (International Business Machines) com uma rede SNA (System Network Architecture), que é a arquitetura proprietária da IBM, como uma rede local com ambiente Linux. Diante de tal heterogeneidade, a dificuldade de se projetar um gerenciamento de rede pode ser grande, o qual podem ser resolvidos padrozinando as informações provenientes dos dispositivos gerenciados utilizando, por exemplo, o protocolo SNMP [Flint, 1997] e [Messias, 2005]. Segundo [Carvalho, 1997], as atividades de gerenciamento de redes são divididas em cinco áreas funcionais denominadas: Gerenciamento de Falhas, Gerenciamento de Configuração, Gerenciamento de Desempenho, Gerenciamento de Segurança e Gerenciamento de Contabilização. Estas áreas funcionais constituem processos de aplicação de gerenciamento que utilizam os serviços oferecidos pela camada de aplicação do Modelo OSI (Open Systems Interconnection). Cada uma das áreas funcionais, dentro de seu escopo, buscam resolver problemas 6

23 relativos a falhas de componentes, configuração da rede, níveis de desempenho alcançados pela rede, segurança e contabilização de sua utilização. A área de Gerenciamento de Falhas busca isolar e corrigir operações anormais do ambiente OSI. Sua principal função é investigar a ocorrência de falhas, identificar falhas, realizar seqüências de testes para fins de diagnósticos e corrigir falhas. O Gerenciamento de Contabilização oferece funções que possibilitam determinar o custo associado à utilização dos recursos da rede, e inclui funções que permitem determinar quais recursos e quanto desses recursos está sendo utilizado. O Gerenciamento de Configuração tem como função controlar as condições do ambiente de comunicação do sistema aberto, identificando mudanças significativas e modelando a configuração dos recursos físicos e lógicos da rede. O Gerenciamento de Desempenho oferece funções para medir, gerenciar, avaliar e relatar os níveis de desempenho alcançados pela rede. Tais informações podem ser utilizadas para fins de planejamento e controle da qualidade de serviços da rede. A área funcional de Gerenciamento de Segurança apresenta três categorias de atividades gerenciamento de segurança do sistema, gerenciamento dos serviços de segurança e gerenciamento dos mecanismos de segurança e inclui funções que buscam garantir a política de segurança definida para a rede [Carvalho, 1997]. 2.3 PROTOCOLO SNMP O protocolo SNMP foi projetado para permitir a comunicação entre os agentes e os gerentes. Essa comunicação possui basicamente duas funções: uma de obtenção dos valores dos objetos (função GET) e outra de alteração desses valores (função SET) que pode ser usada para disparar remotamente a execução de operações nos recursos associados aos objetos gerenciados (como uma reinicialização). É ainda previsto um mecanismo de notificação de alterações nos objetos da MIB (TRAP). Tal estrutura torna um protocolo simples, flexível e estável, pois mantém um formato básico fixo, mesmo que novos objetos sejam implementados ou mesmo que novas operações sejam definidas, o que poderá ser feito utilizando as operações básicas [Messias, 2005]. O SNMP é implementado usando uma abordagem cliente/servidor assíncrona, para que o tráfico do gerenciamento de rede seja mínimo [Flint, 1997]. É um protocolo da camada 7

24 de aplicação, como mostrado na Figura 2.2, que usou primeiramente UDP/IP para se comunicar através da rede interna [Harnedy, 1997]. A console de gerenciamento SNMP é um programa executado em um PC ou estação de trabalho UNIX que reúne informações gerenciais fornecidas pelos agentes SNMP. Os agentes SNMP são componentes sofisticados de comunicação de rede, como pontes, roteadores e concentradores de fiação. Os agentes enviam informações gerenciais à console no formato MIB. MIB é um padrão que define o tipo das informações que o agente deve reunir e como elas devem ser armazenadas. Existem duas MIBs padrão a MIB I e a MIB II. Elas definem determinadas variáveis de informação que toda console SNMP deve monitorar [Rigney, 1996]. A principal vantagem do SNMP está no fato de ele ser um padrão e de um agente SNMP de determinado fornecedor comunicar com uma console de gerenciamento SNMP de outro fornecedor. Um problema está nao fato de as MIBs padrão I e II estarem limitadas ao volume de informações que obtêm do seu componente de rede, fazendo com que os diversos fornecedores adotem os padrões de diferentes maneiras. Para aumentar a funcionalidade e melhorar o gerenciamento, os fornecedores de SNMP criam suas próprias MIBs (MIB privada) para reunirem mais informações sobre o hardware. No entanto, convém notar que, se a console de gerenciamento não reconhecer a MIB privada, não poderá reunir as informações necessárias [Rigney, 1996]. Segundo [Rigney, 1996], a maioria das consoles de gerenciamento SNMP oferece um compilador MIB, capaz de obter o conteúdo da MIB privada de um fornecedor. O compilador permite que a console de gerenciamento reúna informações específicas sobre o hardware desse fornecedor. De modo geral, o SNMP é o que mais se assemelha a um padrão universal de gerenciamento, mas não deve-se pressupor que toda console de gerenciamento conseguirá se comunicar com o agente de gerenciamento SNMP. O SNMP é a estrutura de gerência de redes mais utilizada atualmente. Fornece uma estrutura básica para a administração, autenticação, autorização, controle de acesso e das políticas de privacidade que podem ser alcançadas com a gerência de redes. Segundo [Harnedy, 1997], os principais desenvolvedores do SNMP versão 1 (RFCs SNMP) são Jeffrey, Mark Fedor, Martin Schoffstall, e James Davin e os escritores do SNMP versão 1. Marshal Rose e Keith McCloghrie também fizeram muitas contribuições, escreveram o SMI RFC e editaram a MIB-I e a MIB-II RFCs. Os princípios para a versão 2 são o exemplo de Jeffrey, Keith McCloghrie, Marshall Rosa e Steven Waldbusser. 8

25 As execuções da versão 1 do SNMP apareceram primeiramente em O SNMP v2 que propôs padrões foi publicado originalmente em abril 1993, mas modificado extremamente pelas propostas de esboço apresentadas em Janeiro Os processos que implementam as funções de gerenciamento da Internet atuam como agentes ou gerentes. Assim sendo, os agentes coletam as informações relevantes para o gerenciamento de rede junto aos objetos gerenciados. O gerente processa as informações recolhidas pelos agentes, com o objetivo de detectar falhas no funcionamento dos componentes da rede, para que os sistemas de gerenciamento de redes possam tomar as devidas providências, com o objetivo de corrigir as falhas decorridas [Flint, 1997] e [Soares, 1995]. As informações sobre os objetos gerenciados são armazenadas na MIB, que contém informações sobre o funcionamento dos hosts, gateways, e processos que executam os protocolos de comunicação (IP, TCP, ARP etc) [Soares, 1995]. SNMP HTTP SMTP... UDP TCP IP Protocolo dependente da Rede Figura Localização do Protocolo SNMP no TCP/IP [Messias, 2005] A estação de gerenciamento SNMP é uma coleção de aplicações e uma base de dados que controlam um grupo de agentes. Composta por quatro componentes, sendo uma interface para o usuário (agente), aplicações de gerenciamento (gerente), uma base de dados, um dispositivo SNMP (canal de transporte/ligação entre gerente e agente). A interface do usuário permite ao administrador da rede mandar comandos de gerenciamento e receber do agente as respostas solicitadas ou não. Tal interface poderia ser em formato texto ou em algum tipo de interface gráfica para o usuário GUI (Graphic User Interface). As aplicações de gerenciamento operam na análise e processamento da informação de gerenciamento de rede obtida do agente. A base de dados, ou variáveis de interesse, contém todos os nomes, configurações, desempenhos, topologia e dados examinados da rede. A base de dados é separada em categorias que incluem a MIB, a base de dados do elemento de rede e a base de dados da aplicação de gerenciamento [Messias, 2005]. 9

Gerenciamento de Redes - Evolução. Gerenciamento de Rede. Gerenciamento de Rede NOC NOC

Gerenciamento de Redes - Evolução. Gerenciamento de Rede. Gerenciamento de Rede NOC NOC s - Evolução 1970s 1970s 1980s 1980s Dispositivos 1990s 1990s Browser A Web Server Mainframe Estação Gerenciadora Browser C Browser B NOC (Network( Operation Center) Conjunto de atividades para manter

Leia mais

Revisão Gerenciar consiste em supervisionar e controlar seu funcionamento para que ele satisfaça aos requisitos tanto dos seus usuários quanto dos

Revisão Gerenciar consiste em supervisionar e controlar seu funcionamento para que ele satisfaça aos requisitos tanto dos seus usuários quanto dos Revisão Gerenciar consiste em supervisionar e controlar seu funcionamento para que ele satisfaça aos requisitos tanto dos seus usuários quanto dos seu proprietários. A sua rede deve está rigorosamente

Leia mais

Lista 3 Exercícios de Gestão de Redes

Lista 3 Exercícios de Gestão de Redes 1. Quais os fatores que contribuem para o sucesso de uma operação de gerenciamento? O sucesso de uma operação de Gerenciamento depende dos seguintes fatores: O sistema de gerenciamento invocador deve ter

Leia mais

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP HTTP (Hypertext Transfer Protocol ) Protocolo usado na Internet para transferir as páginas da WWW (WEB). HTTPS (HyperText Transfer

Leia mais

Sistemas de Monitoração de Rede. Resumo

Sistemas de Monitoração de Rede. Resumo Sistemas de Monitoração de Rede Roberto Majewski Especialização em Redes e Segurança de Sistemas Pontifícia Universidade Católica do Paraná Curitiba, novembro de 2009 Resumo Com o grande crescimento da

Leia mais

Universidade Católica do Salvador CURSO DE BACHARELADO EM INFORMÁTICA

Universidade Católica do Salvador CURSO DE BACHARELADO EM INFORMÁTICA Universidade Católica do Salvador CURSO DE BACHARELADO EM INFORMÁTICA O Protocolo SNMP Por Lécia de Souza Oliveira Índice Página 2... O que é SNMP? Histórico Página 3 e 4... Estrutura Geral do Sistema

Leia mais

Gerenciamento de Equipamentos Usando o Protocolo SNMP

Gerenciamento de Equipamentos Usando o Protocolo SNMP Gerenciamento de Equipamentos Usando o Protocolo SNMP Diego Fraga Contessa, Everton Rafael Polina Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento - CP Eletrônica S.A. Rua da Várzea 379 - CEP 91040-600 - Porto

Leia mais

Gerência de Redes e Serviços de Comunicação Multimídia

Gerência de Redes e Serviços de Comunicação Multimídia UNISUL 2013 / 1 Universidade do Sul de Santa Catarina Engenharia Elétrica - Telemática 1 Gerência de Redes e Serviços de Comunicação Multimídia Aula 4 Ferramentas de Gerência de Redes Sistema de Gerência

Leia mais

Gerência de Redes Padrões de Gerenciamento

Gerência de Redes Padrões de Gerenciamento Gerência de Redes Padrões de Gerenciamento Cássio D. B. Pinheiro pinheiro.cassio@ig.com.br cassio.orgfree.com Sumário Padronizações Gerência OSI Gerência TCP/IP SNMP MIB-II RMON SNMPv2 11/5/2007 Gerência

Leia mais

Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas

Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas Conhecer os modelo OSI, e TCP/IP de cinco camadas. É importante ter um padrão para a interoperabilidade entre os sistemas para não ficarmos

Leia mais

Gerenciamento de Redes e Interconexões

Gerenciamento de Redes e Interconexões Gerenciamento de Redes e Interconexões Prof. Marcos Monteiro, MBA http://www.marcosmonteiro.com.br contato@marcosmonteiro.com.br 1 Porque gerenciar? Controlar a complexidade Dimensao da rede Melhorar a

Leia mais

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP HTTP (Hypertext Transfer Protocol ) Protocolo usado na Internet para transferir as páginas da WWW (WEB). HTTPS (HyperText Transfer

Leia mais

Desafios de Gerência e Segurança de Redes

Desafios de Gerência e Segurança de Redes Desafios de Gerência e Segurança de Redes Elias Procópio Duarte Jr. DInfo /UFPR Itaipu - Julho de 2003 E.P. Duarte Jr. - UFPR Roteiro Sistemas Integrados de Gerência de Redes Funcionalidade O Desafio da

Leia mais

FACSENAC. Versão:1.5. Identificador do documento: Projeto Lógico de Redes. Versão do Template Utilizada na Confecção: 1.0. Histórico de revisões

FACSENAC. Versão:1.5. Identificador do documento: Projeto Lógico de Redes. Versão do Template Utilizada na Confecção: 1.0. Histórico de revisões FACSENAC ECOFROTA Documento de Projeto Lógico de Rede Versão:1.5 Data: 21/11/2013 Identificador do documento: Projeto Lógico de Redes Versão do Template Utilizada na Confecção: 1.0 Localização: FacSenac

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Prof. Macêdo Firmino Princípios de Gerência de Redes Macêdo Firmino (IFRN) Redes de Computadores Maio de 2011 1 / 13 Introdução Foi mostrado que uma rede de computadores consiste

Leia mais

Capítulo 8 - Aplicações em Redes

Capítulo 8 - Aplicações em Redes Capítulo 8 - Aplicações em Redes Prof. Othon Marcelo Nunes Batista Mestre em Informática 1 de 31 Roteiro Sistemas Operacionais em Rede Modelo Cliente-Servidor Modelo P2P (Peer-To-Peer) Aplicações e Protocolos

Leia mais

REDES ESAF. leitejuniorbr@yahoo.com.br 1 Redes - ESAF

REDES ESAF. leitejuniorbr@yahoo.com.br 1 Redes - ESAF REDES ESAF 01 - (ESAF - Auditor-Fiscal da Previdência Social - AFPS - 2002) Um protocolo é um conjunto de regras e convenções precisamente definidas que possibilitam a comunicação através de uma rede.

Leia mais

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross Redes Pablo Rodriguez de Almeida Gross Conceitos A seguir serão vistos conceitos básicos relacionados a redes de computadores. O que é uma rede? Uma rede é um conjunto de computadores interligados permitindo

Leia mais

Redes de Computadores II

Redes de Computadores II Redes de Computadores II Slide 1 Gerenciamento de Redes Gerenciamento de redes inclui o fornecimento, a integração e a coordenação de hardware, software e elementos humanos para monitorar, testar, configurar,

Leia mais

INTERNET = ARQUITETURA TCP/IP

INTERNET = ARQUITETURA TCP/IP Arquitetura TCP/IP Arquitetura TCP/IP INTERNET = ARQUITETURA TCP/IP gatewa y internet internet REDE REDE REDE REDE Arquitetura TCP/IP (Resumo) É útil conhecer os dois modelos de rede TCP/IP e OSI. Cada

Leia mais

Rede de Computadores II

Rede de Computadores II Rede de Computadores II Slide 1 SNMPv1 Limitações do SNMPv1 Aspectos que envolvem segurança Ineficiência na recuperação de tabelas Restrito as redes IP Problemas com SMI (Structure Management Information)

Leia mais

Gerência de Redes de Computadores Gerência de Redes de Computadores As redes estão ficando cada vez mais importantes para as empresas Não são mais infra-estrutura dispensável: são de missão crítica, ou

Leia mais

Protótipo de Software de Gerência SNMP Para o Ambiente Windows NT

Protótipo de Software de Gerência SNMP Para o Ambiente Windows NT Protótipo de Software de Gerência SNMP Para o Ambiente Windows NT Aluno : André Mafinski Orientador : Prof. Sérgio Stringari ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO - Introdução; - Gerenciamento de Redes; - Considerações;

Leia mais

SISGEP SISTEMA GERENCIADOR PEDAGÓGICO

SISGEP SISTEMA GERENCIADOR PEDAGÓGICO FACSENAC SISTEMA GERENCIADOR PEDAGÓGICO Projeto Lógico de Rede Versão: 1.2 Data: 25/11/2011 Identificador do documento: Documento de Visão V. 1.7 Histórico de revisões Versão Data Autor Descrição 1.0 10/10/2011

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS. Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos cpgcarlos@yahoo.com.br www.oficinadapesquisa.com.br

FACULDADE PITÁGORAS. Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos cpgcarlos@yahoo.com.br www.oficinadapesquisa.com.br FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA FUNDAMENTOS DE REDES REDES DE COMPUTADORES Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos cpgcarlos@yahoo.com.br www.oficinadapesquisa.com.br Material elaborado com base nas apresentações

Leia mais

Protocolos de gerenciamento

Protocolos de gerenciamento Protocolos de gerenciamento Os protocolos de gerenciamento têm a função de garantir a comunicação entre os recursos de redes homogêneas ou não. Com esse requisito satisfeito, operações de gerenciamento

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES Conteúdo 1 Topologia de Redes 5 Escalas 5 Topologia em LAN s e MAN s 6 Topologia em WAN s 6 2 Meio Físico 7 Cabo Coaxial 7 Par Trançado 7 Fibra Óptica 7 Conectores 8 Conector RJ45 ( Par trançado ) 9 Conectores

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores SNMP Simple Network Management Protocol 1 Histórico No final dos anos 70 não haviam protocolos de gerenciamento. A única ferramenta efetivamente usada para gerenciamento foi o Internet

Leia mais

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS INTERNET PROTOCOLOS 1 INTERNET Rede mundial de computadores. Também conhecida por Nuvem ou Teia. Uma rede que permite a comunicação de redes distintas entre os computadores conectados. Rede WAN Sistema

Leia mais

Protocolo. O que é um protocolo? Humano: que horas são? eu tenho uma pergunta

Protocolo. O que é um protocolo? Humano: que horas são? eu tenho uma pergunta Protocolo O que é um protocolo? Humano: que horas são? eu tenho uma pergunta Máquina: Definem os formatos, a ordem das mensagens enviadas e recebidas pelas entidades de rede e as ações a serem tomadas

Leia mais

Módulo 9 Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IP

Módulo 9 Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IP CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes Módulo 9 Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IP Introdução ao TCP/IP 2 Modelo TCP/IP O Departamento de Defesa dos Estados Unidos (DoD) desenvolveu o modelo de

Leia mais

Rede d s d e d Com o pu p t u ado d r o es Conceitos Básicos M d o e d los o de d Re R de d s:

Rede d s d e d Com o pu p t u ado d r o es Conceitos Básicos M d o e d los o de d Re R de d s: Tecnologia em Redes de Computadores Redes de Computadores Professor: André Sobral e-mail: alsobral@gmail.com Conceitos Básicos Modelos de Redes: O O conceito de camada é utilizado para descrever como ocorre

Leia mais

Revisão. 1.1 Histórico 1.2 Protocolo 1.3 Classificação 1.4 Lan 1.5 Wan

Revisão. 1.1 Histórico 1.2 Protocolo 1.3 Classificação 1.4 Lan 1.5 Wan Tecnologia Revisão 1.1 Histórico 1.2 Protocolo 1.3 Classificação 1.4 Lan 1.5 Wan Comunicação de Dados As redes de computadores surgiram com a necessidade de trocar informações, onde é possível ter acesso

Leia mais

AGENTE PROFISSIONAL - ANALISTA DE REDES

AGENTE PROFISSIONAL - ANALISTA DE REDES Página 1 CONHECIMENTO ESPECÍFICO 01. Suponha um usuário acessando a Internet por meio de um enlace de 256K bps. O tempo mínimo necessário para transferir um arquivo de 1M byte é da ordem de A) 4 segundos.

Leia mais

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP Modelo Arquitetural Motivação Realidade Atual Ampla adoção das diversas tecnologias de redes de computadores Evolução das tecnologias de comunicação Redução dos

Leia mais

MSc Eliton Smith elitonsmith@gmail.com. Gerenciamento e Administração de Redes

MSc Eliton Smith elitonsmith@gmail.com. Gerenciamento e Administração de Redes MSc Eliton Smith elitonsmith@gmail.com Gerenciamento e Administração de Redes 2 Gerência de Redes ou Gerenciamento de Redes É o controle de qualquer objeto passível de ser monitorado numa estrutura de

Leia mais

Objetivo Geral - Apender conceitos, protocolos e técnicas na gerencia de redes

Objetivo Geral - Apender conceitos, protocolos e técnicas na gerencia de redes Aula 5 - Projeto de Lei 2126/11 (Marco Civil da Internet). Gerência de Redes de Computadores Objetivo Geral - Apender conceitos, protocolos e técnicas na gerencia de redes Objetivos Específicos - Entender

Leia mais

Sistemas Multimédia. Arquitectura Protocolar Simples Modelo OSI TCP/IP. Francisco Maia famaia@gmail.com. Redes e Comunicações

Sistemas Multimédia. Arquitectura Protocolar Simples Modelo OSI TCP/IP. Francisco Maia famaia@gmail.com. Redes e Comunicações Sistemas Multimédia Arquitectura Protocolar Simples Modelo OSI TCP/IP Redes e Comunicações Francisco Maia famaia@gmail.com Já estudado... Motivação Breve História Conceitos Básicos Tipos de Redes Componentes

Leia mais

Professor: Gládston Duarte

Professor: Gládston Duarte Professor: Gládston Duarte INFRAESTRUTURA FÍSICA DE REDES DE COMPUTADORES Computador Instalação e configuração de Sistemas Operacionais Windows e Linux Arquiteturas físicas e lógicas de redes de computadores

Leia mais

Gerência de Redes de Computadores - SNMPv1 & SNMPv2c

Gerência de Redes de Computadores - SNMPv1 & SNMPv2c Gerência de Redes de Computadores - SNMPv1 & SNMPv2c Prof.: Helcio Wagner / Iguatemi Eduardo Agosto de 2009. p.1/50 Gerência Internet = Introdução Nos primórdios da Internet, as únicas ferramentas utilizadas

Leia mais

PROTÓTIPO TIPO DE UM SOFTWARE AGENTE SNMP PARA REDE WINDOWS

PROTÓTIPO TIPO DE UM SOFTWARE AGENTE SNMP PARA REDE WINDOWS UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU BACHARELADO EM CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO PROTÓTIPO TIPO DE UM SOFTWARE AGENTE SNMP PARA REDE WINDOWS Acadêmico: Luciano Waltrick Goeten Orientador: Prof. Sérgio Stringari

Leia mais

Curso de extensão em Administração de Redes

Curso de extensão em Administração de Redes Curso de extensão em Administração de Redes Italo Valcy - italo@dcc.ufba.br Ponto de Presença da RNP na Bahia Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal da Bahia Administração de Redes,

Leia mais

Aula 07 - Ferramentas para Administração e Gerência de Redes

Aula 07 - Ferramentas para Administração e Gerência de Redes Arquitetura do Protocolo da Internet Aula 07 - Ferramentas para Administração e Gerência de Redes Prof. Esp. Camilo Brotas Ribeiro cribeiro@catolica-es.edu.br Revisão AS ou SA; IGP e EGP; Vetor de Distância,

Leia mais

Universidade de Brasília

Universidade de Brasília Universidade de Brasília Instituto de Ciências Exatas Departamento de Ciência da Computação Lista de exercícios Gerência de Redes,Turma A, 01/2010 Marcelo Vale Asari 06/90708 Thiago Melo Stuckert do Amaral

Leia mais

Nesta sessão introduziremos os conceitos básicos do Cacti, e como fazer para instalá-lo em seu computador.

Nesta sessão introduziremos os conceitos básicos do Cacti, e como fazer para instalá-lo em seu computador. Cacti é uma ferramenta gráfica de gerenciamento de dados de rede que disponibiliza a seus usuários uma interface intuitiva e bem agradável de se usar, sendo acessível a qualquer tipo de usuários. Este

Leia mais

José Messias Alves da Silva. Construção de Agentes SNMP em Ambientes Linux

José Messias Alves da Silva. Construção de Agentes SNMP em Ambientes Linux José Messias Alves da Silva Construção de Agentes SNMP em Ambientes Linux Monografia de Pós-Graduação Lato Sensu apresentada ao Departamento de Ciência da Computação para obtenção do título de Especialista

Leia mais

O que são DNS, SMTP e SNM

O que são DNS, SMTP e SNM O que são DNS, SMTP e SNM O DNS (Domain Name System) e um esquema de gerenciamento de nomes, hierárquico e distribuído. O DNS define a sintaxe dos nomes usados na Internet, regras para delegação de autoridade

Leia mais

PARANÁ GOVERNO DO ESTADO

PARANÁ GOVERNO DO ESTADO PROTOCOLOS DA INTERNET FAMÍLIA TCP/IP INTRODUÇÃO É muito comum confundir o TCP/IP como um único protocolo, uma vez que, TCP e IP são dois protocolos distintos, ao mesmo tempo que, também os mais importantes

Leia mais

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP Modelo Arquitetural Agenda Motivação Objetivos Histórico Família de protocolos TCP/IP Modelo de Interconexão Arquitetura em camadas Arquitetura TCP/IP Encapsulamento

Leia mais

INTERCONEXÃO DE REDES DE COMPUTADORES

INTERCONEXÃO DE REDES DE COMPUTADORES 1 Resumo 2 INTERCONEXÃO DE REDES DE COMPUTADORES Parte 7 Introdução à Gerência de Redes Introdução Segurança SNMPv1, SNMPv2 Segurança SNMPv3 Prof. Pedro S. Nicolletti (Peter), 2013 Introdução 3 4 Com o

Leia mais

PROTÓTIPO DE UM AGENTE SNMP PARA UMA REDE LOCAL UTILIZANDO A PLATAFORMA JDMK

PROTÓTIPO DE UM AGENTE SNMP PARA UMA REDE LOCAL UTILIZANDO A PLATAFORMA JDMK UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS CURSO DE CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO (Bacharelado) PROTÓTIPO DE UM AGENTE SNMP PARA UMA REDE LOCAL UTILIZANDO A PLATAFORMA JDMK TRABALHO

Leia mais

Capítulo 11: Redes de Computadores. Prof.: Roberto Franciscatto

Capítulo 11: Redes de Computadores. Prof.: Roberto Franciscatto Capítulo 11: Redes de Computadores Prof.: Roberto Franciscatto REDES - Introdução Conjunto de módulos de processamento interconectados através de um sistema de comunicação, cujo objetivo é compartilhar

Leia mais

Utilizando o Cricket para monitoração de Servidores. Sérgio A. Meyenberg Jr. Especialização em Redes e Segurança de Sistemas

Utilizando o Cricket para monitoração de Servidores. Sérgio A. Meyenberg Jr. Especialização em Redes e Segurança de Sistemas Utilizando o Cricket para monitoração de Servidores Sérgio A. Meyenberg Jr Especialização em Redes e Segurança de Sistemas Curitiba, outubro de 2010 Resumo O objetivo deste Artigo é demonstrar as funcionalidades

Leia mais

Informática Aplicada I. Sistemas Operacionais Projeto e Implementação Andrew S. Tanenbaum Albert S. woodhull

Informática Aplicada I. Sistemas Operacionais Projeto e Implementação Andrew S. Tanenbaum Albert S. woodhull Informática Aplicada I Sistemas Operacionais Projeto e Implementação Andrew S. Tanenbaum Albert S. woodhull 1 Conceito de Sistema Operacional Interface: Programas Sistema Operacional Hardware; Definida

Leia mais

Modelos de Camadas. Professor Leonardo Larback

Modelos de Camadas. Professor Leonardo Larback Modelos de Camadas Professor Leonardo Larback Modelo OSI Quando surgiram, as redes de computadores eram, em sua totalidade, proprietárias, isto é, uma determinada tecnologia era suportada apenas por seu

Leia mais

Curso de extensão em Administração de redes com GNU/Linux

Curso de extensão em Administração de redes com GNU/Linux Eduardo Júnior Administração de redes com GNU/Linux Curso de extensão em Administração de redes com GNU/Linux Eduardo Júnior - ihtraum@dcc.ufba.br Gestores da Rede Acadêmica de Computação Departamento

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Gestão de redes. Protocolo SNMP. Maio de 2010 1 Gestão de redes Gestão de redes refere-se neste contexto às actividades relacionadas com a manutenção do bom funcionamento de um conjunto

Leia mais

Arquitetura TCP/IP. Filosofia da Internet

Arquitetura TCP/IP. Filosofia da Internet Arquitetura TCP/IP Filosofia da Internet foi projetada p/: ser aberta o bastante p/ permitir a execução em uma grande variedade de equipamentos de resistir a possíveis danos que prejudicassem seu funcionamento

Leia mais

1 TCI/IP... 3 1.1 MODELO TCP/IP... 3 1.1.1 Camada de Aplicação... 4

1 TCI/IP... 3 1.1 MODELO TCP/IP... 3 1.1.1 Camada de Aplicação... 4 TCP/IP Brito INDICE 1 TCI/IP... 3 1.1 MODELO TCP/IP... 3 1.1.1 Camada de Aplicação... 4 1.1.1.1 Camada de Transporte... 4 1.1.1.2 TCP (Transmission Control Protocol)... 4 1.1.1.3 UDP (User Datagram Protocol)...

Leia mais

TÉCNICO EM REDES DE COMPUTADORES. Pilha de Protocolos TCP/IP

TÉCNICO EM REDES DE COMPUTADORES. Pilha de Protocolos TCP/IP Camadas do Modelo TCP TÉCNICO EM REDES DE COMPUTADORES Pilha de Protocolos TCP/IP 1 A estrutura da Internet foi desenvolvida sobre a arquitetura Camadas do Modelo TCP Pilha de Protocolos TCP/IP TCP/IP

Leia mais

Administração de Redes I (LI) Ano, Semestre: 2, 1

Administração de Redes I (LI) Ano, Semestre: 2, 1 Administração de Redes I (LI) Ano, Semestre: 2, 1 Pedro M. M. Marques pedromarques.eng@gmail.com 1 OBJECTIVOS Compreender a importância da manutenção na conservação do bom estado de uma rede de comunicação;

Leia mais

Introdução. Professor: Leandro Engler Boçon E-mail: leandro@facear.edu.br Disciplina: Comunicação de Dados

Introdução. Professor: Leandro Engler Boçon E-mail: leandro@facear.edu.br Disciplina: Comunicação de Dados Introdução Professor: Leandro Engler Boçon E-mail: leandro@facear.edu.br Disciplina: Comunicação de Dados 1 Objetivo Apresentar os conceitos básicos do: Modelo de referência OSI. Modelo de referência TCP/IP.

Leia mais

MIB (Management Information Base) Objetos Gerenciados Um objeto gerenciado é a visão abstrata.

MIB (Management Information Base) Objetos Gerenciados Um objeto gerenciado é a visão abstrata. MIB (Management Information Base) Objetos Gerenciados Um objeto gerenciado é a visão abstrata. A MIB é o conjunto dos objetos gerenciados. Basicamente são definidos três tipos de MIBs: MIB II, MIB experimental

Leia mais

Arquiteturas de Redes Prof. Ricardo J. Pinheiro

Arquiteturas de Redes Prof. Ricardo J. Pinheiro Fundamentos de Redes de Computadores Arquiteturas de Redes Prof. Ricardo J. Pinheiro Resumo Arquiteturas de Redes Organizações de padronização Modelos de referência Modelo OSI Arquitetura IEEE 802 Arquitetura

Leia mais

Capítulo 9 Gerenciamento de rede

Capítulo 9 Gerenciamento de rede Capítulo 9 Gerenciamento de rede Nota sobre o uso destes slides ppt: Estamos disponibilizando estes slides gratuitamente a todos (professores, alunos, leitores). Eles estão em formato do PowerPoint para

Leia mais

AULA 01 INTRODUÇÃO. Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação

AULA 01 INTRODUÇÃO. Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação AULA 01 INTRODUÇÃO Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação CONCEITO Dois ou mais computadores conectados entre si permitindo troca de informações, compartilhamento de

Leia mais

Action.NET. SNMP Manager Communication Protocol. Manual de Referência

Action.NET. SNMP Manager Communication Protocol. Manual de Referência SCLN212, Bloco D, Sala 101 Brasília DF CEP: 70.865-540 +55 61 3340-8486 contato@spinengenharia.com.br www.spinegenhria.com.br Action.NET SNMP Manager Communication Protocol Versão1.0.1 Manual de Referência

Leia mais

Cap. 02 Modelo de Informação

Cap. 02 Modelo de Informação Cap. 02 Modelo de Informação 2.1 Padrões de Gerência de Redes 2.2 Arquitetura da Solucão SNMP 2.3 Objetos, Instâncias e MIBs 2.4 MIB-2 2.5 Structure of Management Information (SMI v1) 2.6 SMI V2 Luís F.

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO SOFTWARE LIVRE CACTI PARA GERENCIAMENTO DE REDES LOCAIS DE COMPUTADORES

UTILIZAÇÃO DO SOFTWARE LIVRE CACTI PARA GERENCIAMENTO DE REDES LOCAIS DE COMPUTADORES UTILIZAÇÃO DO SOFTWARE LIVRE CACTI PARA GERENCIAMENTO DE REDES LOCAIS DE COMPUTADORES Filipe Herbert da Silva 1, Marco Aurélio G. de Almeida 1, Jonhson de Tarso Silva 1, Karina Buttignon 1 1 Fatec Guaratinguetá,

Leia mais

APOSTILA DE REDES DE COMPUTADORES PARTE - III

APOSTILA DE REDES DE COMPUTADORES PARTE - III APOSTILA DE REDES DE COMPUTADORES PARTE - III 1 REDE DE COMPUTADORES III 1. Introdução MODELO OSI ISO (International Organization for Standardization) foi uma das primeiras organizações a definir formalmente

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br - Aula 2 - MODELO DE REFERÊNCIA TCP (RM TCP) 1. INTRODUÇÃO O modelo de referência TCP, foi muito usado pela rede ARPANET, e atualmente usado pela sua sucessora, a Internet Mundial. A ARPANET é de grande

Leia mais

Gerenciamento e Interoperabilidade de Redes

Gerenciamento e Interoperabilidade de Redes EN-3610 Gerenciamento e Interoperabilidade de Redes Ferramentas de Gerenciamento de Redes Prof. João Henrique Kleinschmidt Gerenciamento baseado na Web Web browser Acesso ubíquo Interface Web vs Gerenciamento

Leia mais

Interligação de Redes

Interligação de Redes REDES II HETEROGENEO E CONVERGENTE Interligação de Redes rffelix70@yahoo.com.br Conceito Redes de ComputadoresII Interligação de Redes Quando estações de origem e destino encontram-se em redes diferentes,

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS. Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos cpgcarlos@yahoo.com.br www.oficinadapesquisa.com.br

FACULDADE PITÁGORAS. Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos cpgcarlos@yahoo.com.br www.oficinadapesquisa.com.br FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA FUNDAMENTOS DE REDES REDES DE COMPUTADORES Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos cpgcarlos@yahoo.com.br www.oficinadapesquisa.com.br Material elaborado com base nas apresentações

Leia mais

Redes de computadores e a Internet. Capítulo 9. Gerenciamento de rede 9-3. 2005 by Pearson Education

Redes de computadores e a Internet. Capítulo 9. Gerenciamento de rede 9-3. 2005 by Pearson Education Redes de computadores e a Internet Capítulo 9 Gerenciamento de rede 9-3 Gerenciamento de rede Objetivos do capítulo: Introdução ao gerenciamento de redes Motivação Componentes principais Ambiente de gerenciamento

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 197, DE 12 DE JULHO DE

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 197, DE 12 DE JULHO DE INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 197, DE 12 DE JULHO DE 2011 A Presidenta do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep),

Leia mais

Gerenciamento da rede ATM. Prof. José Marcos C. Brito

Gerenciamento da rede ATM. Prof. José Marcos C. Brito Gerenciamento da rede ATM Prof. José Marcos C. Brito 1 Princípios Gerais O SNMP (Simple Network Management Protocol) é o protocolo mais utilizado. Se o dispositivo ATM é gerenciado de uma estação de gerenciamento

Leia mais

Universidade Tuiuti do Paraná Faculdade de Ciências Exatas. Tecnologia de Análise e Desenvolvimento de Sistemas. TCP/IP x ISO/OSI

Universidade Tuiuti do Paraná Faculdade de Ciências Exatas. Tecnologia de Análise e Desenvolvimento de Sistemas. TCP/IP x ISO/OSI Universidade Tuiuti do Paraná Faculdade de Ciências Exatas Tecnologia de Análise e Desenvolvimento de Sistemas TCP/IP x ISO/OSI A Internet não segue o modelo OSI. É anterior a ele. Redes de Computadores

Leia mais

Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Redes de Computadores Prof. Sergio Estrela Martins

Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Redes de Computadores Prof. Sergio Estrela Martins Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Redes de Computadores Prof. Sergio Estrela Martins Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a leitura

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES 09/2013 Cap.3 Protocolo TCP e a Camada de Transporte 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a leitura da bibliografia básica. Os professores

Leia mais

Cisco ASA Firewall Guia Prático

Cisco ASA Firewall Guia Prático Cisco ASA Firewall Guia Prático 2014 v1.0 Renato Pesca 1 Sumário 2 Topologia... 3 3 Preparação do Appliance... 3 3.1 Configurações de Rede... 7 3.2 Configurações de Rotas... 8 3.3 Root Básico... 9 3.4

Leia mais

Descritivo Técnico. SLAView - Descritivo Técnico Build 5.0 release 4 16/02/2011 Página 1

Descritivo Técnico. SLAView - Descritivo Técnico Build 5.0 release 4 16/02/2011 Página 1 Descritivo Técnico 16/02/2011 Página 1 1. OBJETIVO O SLAview é um sistema de análise de desempenho de redes IP por meio da monitoração de parâmetros de SLA (Service Level Agreement, ou Acordo de Nível

Leia mais

Redes de Computadores I Conceitos Básicos (6 a. Semana de Aula)

Redes de Computadores I Conceitos Básicos (6 a. Semana de Aula) Redes de Computadores I Conceitos Básicos (6 a. Semana de Aula) Prof. Luís Rodrigo lrodrigo@lncc.br http://lrodrigo.lncc.br 2013.09 v2 2013.09.10 (baseado no material de Jim Kurose e outros) Arquiteturas

Leia mais

Professor(es): Fernando Pirkel. Descrição da(s) atividade(s):

Professor(es): Fernando Pirkel. Descrição da(s) atividade(s): Professor(es): Fernando Pirkel Descrição da(s) atividade(s): Definir as tecnologias de redes necessárias e adequadas para conexão e compartilhamento dos dados que fazem parte da automatização dos procedimentos

Leia mais

Gerência de Redes. Profa. Márcia Salomão Homci mhomci@hotmail.com

Gerência de Redes. Profa. Márcia Salomão Homci mhomci@hotmail.com Gerência de Redes Profa. Márcia Salomão Homci mhomci@hotmail.com Plano de Aula Histórico Introdução Gerenciamento de Redes: O que é Gerenciamento de Redes? O que deve ser gerenciado Projeto de Gerenciamento

Leia mais

Relatorio do trabalho pratico 2

Relatorio do trabalho pratico 2 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA INE5414 REDES I Aluno: Ramon Dutra Miranda Matricula: 07232120 Relatorio do trabalho pratico 2 O protocolo SNMP (do inglês Simple Network Management Protocol - Protocolo

Leia mais

Gerência de Redes e Serviços de Comunicação Multimídia

Gerência de Redes e Serviços de Comunicação Multimídia UNISUL 2013 / 1 Universidade do Sul de Santa Catarina Engenharia Elétrica - Telemática 1 Gerência de Redes e Serviços de Comunicação Multimídia Aula 3 Gerenciamento de Redes Cenário exemplo Detecção de

Leia mais

INTERCONEXÃO DE REDES DE COMPUTADORES

INTERCONEXÃO DE REDES DE COMPUTADORES 1 INTERCONEXÃO DE REDES DE COMPUTADORES Parte 7 Introdução à Gerência de Redes Prof. Pedro S. Nicolletti (Peter), 2013 Resumo 2 Conceitos Básicos de SNMP Introdução Arquitetura MIB Segurança SNMPv1, SNMPv2

Leia mais

Modelo de Camadas OSI

Modelo de Camadas OSI Modelo de Camadas OSI 1 Histórico Antes da década de 80 -> Surgimento das primeiras rede de dados e problemas de incompatibilidade de comunicação. Década de 80, ISO, juntamente com representantes de diversos

Leia mais

GERENCIAMENTO ESTUDO SOBRE FERRAMENTAS DE MONITORAMENTO DE REDES. 1. TIVOLI 1.1 Conceitos Básicos do Tivoli

GERENCIAMENTO ESTUDO SOBRE FERRAMENTAS DE MONITORAMENTO DE REDES. 1. TIVOLI 1.1 Conceitos Básicos do Tivoli ESTUDO SOBRE FERRAMENTAS DE MONITORAMENTO DE REDES 1. TIVOLI 1.1 Conceitos Básicos do Tivoli O gerenciamento de uma rede através do Tivoli esta baseado no conceito de regiões de policiamento (Policy Region

Leia mais

LDAP - Tópicos. O que é um Diretório? Introdução. História do LDAP. O que é o LDAP? 5/22/2009

LDAP - Tópicos. O que é um Diretório? Introdução. História do LDAP. O que é o LDAP? 5/22/2009 LDAP - Tópicos Leoncio Regal Dutra Mestre em Engenharia Elétrica Telecomunicações leoncioregal@gmail.com Introdução Definições Funcionamento Segurança Otimizações do LDAP Exemplos Conclusão 2 Introdução

Leia mais

REDE DE COMPUTADORES

REDE DE COMPUTADORES SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL REDE DE COMPUTADORES camadas do Modelo de Referência ISO/OSI Pilha de Protocolos TCP Prof. Airton Ribeiro de Sousa E-mail: airton.ribeiros@gmail.com 1 Camadas

Leia mais

Capítulo 11 - Camada de Transporte TCP/IP e de Aplicação. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página

Capítulo 11 - Camada de Transporte TCP/IP e de Aplicação. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página Capítulo 11 - Camada de Transporte TCP/IP e de Aplicação 1 Introdução à Camada de Transporte Camada de Transporte: transporta e regula o fluxo de informações da origem até o destino, de forma confiável.

Leia mais

Capítulo 9. Gerenciamento de rede

Capítulo 9. Gerenciamento de rede 1 Capítulo 9 Gerenciamento de rede 2 Redes de computadores I Prof.: Leandro Soares de Sousa E-mail: leandro.uff.puro@gmail.com Site: http://www.ic.uff.br/~lsousa Não deixem a matéria acumular!!! Datas

Leia mais

Modelo OSI, TCP/IP e outros protocolos de comunicação

Modelo OSI, TCP/IP e outros protocolos de comunicação Modelo OSI, TCP/IP e outros protocolos de comunicação 43 O Modelo OSI Para que sistemas diferentes possam comunicar em rede, é necessário garantir que todos eles respeitem as mesmas regras. Para isso,

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 16

REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 16 REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 16 Índice 1. SISTEMA OPERACIONAL DE REDE...3 1.1 O protocolo FTP... 3 1.2 Telnet... 4 1.3 SMTP... 4 1.4 SNMP... 5 2 1. SISTEMA OPERACIONAL DE REDE O sistema

Leia mais

Anderson Alves de Albuquerque

Anderson Alves de Albuquerque SNMP (Simple Network Management Protocol) Anderson Alves de Albuquerque 1 Introdução: O que é SNMP (Basicamente): Através de variáveis ou estruturas certos acontecimentos podem ser contabilizados (contados).

Leia mais

1.1 Motivação e âmbito... 1 1.2 Objetivos e abordagem... 3 1.3 Organização do presente texto... 4

1.1 Motivação e âmbito... 1 1.2 Objetivos e abordagem... 3 1.3 Organização do presente texto... 4 Índice de figuras XVII Índice de tabelas XXII Agradecimentos XXIII Nota prévia XXIV 1- Introdução 1 1.1 Motivação e âmbito... 1 1.2 Objetivos e abordagem... 3 1.3 Organização do presente texto... 4 2 -

Leia mais

Capítulo 1: Introdução às redes de computadores

Capítulo 1: Introdução às redes de computadores ÍNDICE Capítulo 1: Introdução às redes de computadores Redes domésticas... 3 Redes corporativas... 5 Servidor... 5 Cliente... 7 Estação de trabalho... 8 As pequenas redes... 10 Redes ponto-a-ponto x redes

Leia mais