Modelo de Rede para Otimizar a Relação Conflitante Tempo-Custo em Gerenciamento de Projetos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Modelo de Rede para Otimizar a Relação Conflitante Tempo-Custo em Gerenciamento de Projetos"

Transcrição

1 Modelo de Rede para Otimizar a Relação Conflitante Tempo-Custo em Gerenciamento de Projetos Lidio Mauro Lima de Campos Universidade Federal do Pará Faculdade de Sistemas de Informação Castanhal, Pará, Brasil Alberto Sampaio Lima Universidade Federal do Ceará Fortaleza, Ceará, Brasil Resumo: Neste trabalho apresentamos um modelo baseado em Programação Linear para resolver o problema da relação conflitante tempo-custo em gerenciamento de projetos. No problema, pelo fato de um projeto ter um tempo específico para ser desenvolvido caso as atividades sejam executadas de forma normal o projeto não será completado no prazo. O Modelo de Programação Linear Proposto resolve esse problema determinando o prazo ótimo para acelerar determinadas atividades minimizando o custo total do projeto. Palavras-Chave: Programação linear, gerenciamento de projetos Abstract: This work presents a model based on Linear Programming that solves the problem of conflict relationship between cost and time in project management. In this problem, the project has a specific time to be developed, if the activities are executed in the normal way the project won't be completed in time. The proposed model of linear programming solves this problem determining the best period to accelerate activities, minimizing the project total cost. Keywords: Linear Programming, project management. I. INTRODUÇÃO De acordo com o PMBOK 4 a. Ed (2008), Gerenciamento de Projetos é a aplicação de conhecimentos, habilidades, ferramentas e técnicas nas atividades do projeto a fim de atender os requisitos do projeto. Para que um projeto seja bemsucedido, a equipe do projeto deve: Balancear as demandas conflitantes de escopo, tempo, custo, qualidade, recursos e risco para produzir um produto de qualidade. Não existe um método padrão para tratar o problema da relação conflitante tempo-custo em gerenciamento de projetos. A complexidade aumenta muito quando a quantidade de atividades crescem. Reduzir o prazo de execução de uma atividade aleatoriamente pode elevar bastante o custo. Ao mesmo tempo em que antecipar a conclusão de uma atividade sem investir mais dinheiro, pode comprometer o escopo do projeto (OLIVEIRA,2007). As redes fornecem uma maneira natural de se exibir graficamente o fluxo das atividades em um projeto importante, como de construção ou um projeto de pesquisa e desenvolvimento. Portanto, uma aplicação importante da teoria de redes está em auxiliar o gerenciamento de tais projetos. Atualmente muito se usa a técnica de Pert/CPM que é utilizada para planejamento e controle de projetos, ela é um modelo de otimização de rede e, portanto, se encaixa no tema tratado nessa pesquisa. O problema genérico que se pretende resolver é o seguinte: Um projeto precisa ser completado dentro de um prazo especifico. Suponha que esse prazo não será atendido caso as atividades sejam realizadas da maneira normal, mas que existam diversas maneiras de se atender a esse prazo gastando-se mais dinheiro, para acelerar algumas

2 das atividades. Qual é o prazo ótimo para acelerar algumas atividades de modo a minimizar o custo total de realizar o projeto dentro do prazo? A secção II mostra o problema de gerenciamento de projetos, a secção III ilustra a relação conflitante tempo-custo em gerenciamento de projetos, a secção IV apresenta um modelo baseado em programação linear que resolve o problema, a secção V mostra os resultados de simulação obtidos, a secção VI apresenta as conclusões. II. O PROBLEMA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS Nesse exemplo, a Empresa Brasileira de Construção Civil acaba de ganhar uma concorrência no valor de US$5.4 de milhões para construir uma nova unidade fabril para uma importante indústria. Esse novo cliente necessita que essa nova unidade entre em operação em 40. A empresa designou um gerente de projetos de construção, para esse projeto a fim de ajudar a garantir que ele permaneça dentro do prazo estabelecido, o mesmo deverá contratar uma série de turmas para executar as diversas atividades de construção em horários diferentes. A Tabela 1.1 mostra a lista das atividades em questão. A terceira coluna fornece informações importantes para coordenar o cronograma das turmas. Uma forma prática de representar o cronograma de execução do projeto é por meio das redes de projetos como mostrado na Figura 1.1. Uma rede usada para representar um projeto é chamada rede de projetos. A mesma é formada por uma séria de nós (mostrada como retângulos ou círculos) e uma série de arcos (indicado por setas) que conectam dois nós diferentes (GOLBART, 2000). A Figura 1.1 mostra uma rede de projetos para o problema apresentado na secção I (Tabela 1.1). Quanto tempo deve durar o projeto? No exemplo da Tabela 1.1., teríamos um total de 79. Entretanto essa não é a resposta para a pergunta, pois algumas atividades podem ser executadas (grosso modo) simultaneamente. O que na verdade é relevante é o comprimento de cada caminho da rede. Um caminho em uma rede de projeto é uma ou mais rotas seguindo do nó INICIO ao nó TÉRMINO. O comprimento é a soma das durações (estimadas) das atividades no caminho (NOCERA, 2009). AT Descrição Predecessor es Imediatos Duração Estimada A Escavação - 2 SEMANAS B Fundações A 4 SEMANAS C Levantar B 10 SEMANAS Paredes de Alvenaria D Instalar teto C 6 SEMANAS E Instalar Tubulação Externa C 4 SEMANAS F G Instalar Tubulação Interna Fazer Revestimento Externo H Fazer Pintura Externa I Fazer Instalação Elétrica J Colocar Chapas para revestimento das paredes E D E,G C F,I 5 SEMANAS 7 SEMANAS 9 SEMANAS 7 SEMANAS 8 SEMANAS K Instalar Pisos J 4 SEMANAS L Fazer Pintura J 5 SEMANAS Interna M Instalar H 2 SEMANAS Acessórios Externos N Instalar Acessórios Internos K,L 6 SEMANAS Tabela 1.1 Lista de Atividades para o Projeto de Construção (Fonte: Hillier et.al. 2010) Caminho INICIO A B C D G H M TÉRMINO INICIO A B C E H M TÉRMINO INICIO A B C E F J K N TÉRMINO INICIO A B C E F J L N TÉRMINO INICIO A B C I J K N TÉRMINO INICIO A B C I J L N TÉRMINO Comprimento = = = = = =42 Tabela 1.2 Método do Caminho Crítico para o Projeto de Construção Civil (Fonte: Hillier et.al. 2010)

3 Os seis caminhos da rede de projetos da Figura 1.1 são dados na Tabela 1.2 juntamente com os cálculos dos comprimentos dos caminhos. Os mesmos variam de 31 a 44. Segundo o PMI (2008) A duração estimada de um projeto é igual a comprimento mais longo da rede do projeto. Esse caminho é chamado caminho crítico. Se houver mais de um caminho critico longo de igual comprimento, todos eles serão críticos. Portanto, como mostrado na Tabela 1.2 conclui-se que o caminho crítico é de 44. Figura A Rede de Projetos para o Problema apresentado. Assim, se não ocorrer nenhum atraso, o tempo total necessário para completar o projeto deveria ser aproximadamente 44. Além disso, as atividades nesse caminho crítico são atividades críticas de gargalo em que quaisquer atrasos no seu término têm de ser evitados para impedir atrasos no termino do projeto como um todo. O gerente de projetos deve determinar especificamente quais atividades devem ter durações reduzidas e em que proporção, de modo a atender ao prazo de 40 da forma menos onerosa possível. O CPM dispõe de excelente procedimento para investigar tais relações tempo-custo de modo que ele usará essa metodologia para resolver a questão. III RELAÇÃO CONFLITANTE TEMPO CUSTO EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS Impactar uma atividade refere-se a tomar medidas especialmente dispendiosas para reduzir a duração de uma atividade abaixo do seu valor normal. Essas medidas especiais poderiam adotar um regime de horas extras, contratar mão-de-obra temporária usar materiais especiais que economizem tempo, obter equipamento especial. Impactar um projeto refere-se a impactar um número de atividades de modo a reduzir a duração do mesmo (MARTINS, 2007). O método CPM de relações conflitantes tempocusto se preocupa em determinar quanto (se realmente existir) impactar cada uma das atividades de forma a reduzir a duração prevista do projeto para algum valor desejado. Os dados necessários para determinar quanto impactar determinada atividade são fornecidos pelo gráfico tempo-custo para a atividade. A Figura 1.2 mostra um gráfico de tempo-custo. Usando essa metodologia o gerente de projetos reuniu-se com supervisores de grupos de trabalho para calcular as estimativas de impacto das atividades. Por exemplo, o supervisor do grupo responsável por colocar chapas para revestimento das paredes indica que acrescentar dois empregados temporários e usar horas extras possibilitam a redução na duração dessa atividade de oito que é o mínimo possível, para seis. Figura Um gráfico tempo-custo típico para uma atividade.

4 Dessa forma para a Atividade J (colocar chapas para revestimento das paredes) teríamos: Ponto normal : tempo= 8, custo = U$$430.00, Ponto impactado : tempo = 6, custo = U$$490.00, Redução Máxima de tempo = 8-6=2. Custo impactado por semana reduzida = (U$$ U$$430000)/2=U$$ O próximo passo foi tomar decisão sobre quais atividades deveriam ser impactadas. Somando-se as colunas custo normal e custo impactado da Tabela 6.3 resulta em Soma dos custos normais = US$ 4,55 milhões, Soma dos Custos impactados = US$6,15 milhões. duração (estimada) do projeto para o nível especificado (40 )? IV MODELO BASEADO EM PROGRAMAÇÃO LINEAR PARA SOLUÇÃO DO PROBLEMA O problema de determinar a maneira menos onerosa de impactar atividades pode ser expresso de uma forma mais familiar ao ambiente da programação linear como segue: 4.1-Identificação das Variáveis do Problema e Função Objetivo As variáveis de decisão são: Xj=redução da atividade j em virtude de impactar essa atividade j=a,b,...,n. Logo a Função Objetivo será: N Min Cust j * X j A j, onde Custj é o custo impactado para redução da atividade j. MinimizarCusto=100000*XA+50000*XB *XC+40000*XD *XE+40000*XF+40000* XG+60000*XH+30000*XI+30000*XJ+40000*XK *XL *XM+60000*XN; Tabela 1.3- Dados da relação conflitante tempo-custo para as atividades do projeto (Tempo em e custo em US$) Entretanto a empresa receberá US$ 5,4 milhões para executar esse projeto. Esse pagamento precisará cobrir alguns custos indiretos, além dos custos listados na Tabela 1.3, bem como gerar um lucro razoável para a empresa. Conforme visto na Tabela 1.3, caso todas as atividades fossem executadas de maneira normal, a duração prevista do projeto seria 44 (caso possam ser evitados atrasos). Se, no entanto todas as atividades forem impactadas plenamente, então o cálculo resultaria em 28, porém com um custo proibitivo (US$6,15 milhões). O Gerente de projetos ainda quer investigar a possibilidade de impactar parcial ou plenamente apenas algumas atividades para reduzir a duração do projeto para o nível especificado (40 )? PROBLEMA: Qual é a maneira menos dispendiosa de impactar algumas atividades para reduzir a Para impor a restrição de que a duração do projeto deve ser menor ou igual ao valor desejado (40 ) façamos: YTERMINO = duração do projeto, isto é, o horário no qual o nó TERMINO é atingido na rede do projeto, a restrição é então: YTERMINO tempo estabelecido para o término do projeto. YTERMINO 40 Para auxiliar o modelo de PL na designação do valor apropriado a YTERMINO, dados os valores de XA,XB,...XN, é conveniente introduzir no modelo as seguintes variáveis adicionais. Yj=MOMENTO DE INÍCIO DA ATIVIDADE J (J=A,B,C...,N), dados os valores de XA, XB,..., XN. Uma atividade desta não é necessária para a atividade A, já que ela inicia o projeto recebendo o valor zero. Tratando o nó termino como outra atividade (embora com duração nula), essa definição de yj para a atividade

5 TÉRMINO também atende à definição de YTERMINO dada no parágrafo anterior. Para cada atividade (B,C,...N)e cada um de seus predecessores imediatos o horário de inicio dessa atividade (horário de inicio + duração) para esse predecessor imediato. Além disso, a duração de cada atividade é dada pela seguinte fórmula: Duração da atividade j=seu tempo normal-xj Para ilustrar essas relações, consideremos a atividade F da rede do projeto Figura 1.1: Predecessor da Atividade F: Atividade E que tem duração=4-xe, Logo a relação entre as atividades F e E é dada por: Ysucessora Ypredecesora imediata+(duração normal da predecessora imediata- redução da atividade predecessora imediata), YF YE+4-XE Para a atividade J, que tem dois predecessores imediatos : Predecessores imediatos da atividade J Atividade F tem a duração=5-xf, Atividade I tem duração =7-XI, YJ YF+5-XF; YJ YI+7-XI; 4.2-Modelo de Programação Linear Completo A Função objetivo é dada por: MIN=100000*XA+50000*XB+80000*XC *XD *XE+40000*XF+40000*XG *XH+30000*XI+30000*XJ+40000* XK+50000*XL *XM+60000*XN; As Restrições de Horário de inicio são dadas por : YB>=(2+XA); YC>=YB+(4-XB); YD>=YC+(10-XC);YI>=YC+(10-XC); YE>=YC+(10-XC); YG>=YD+(6-XD); YF>=YE+(4-XE); YM>=YH+(9-XH); YK>=YJ+(8-XJ); YL>=YJ+(8-XJ); YH>=YG+(7-XG); YH>=YE+(4-XE); YJ>=YI+(7-XI); YJ>=YF+(5-XF); YN>=YK+(4-XK); YN>=YL+(5-XL); YTERMINO>=YM+(2-XM); YTERMINO>=YN+(6-XN); A Restrição de duração de término do projeto é : YTERMINO<=40; V EXPERIMENTOS E ANÁLISE DOS RESULTADOS Utilizou-se o LINGO para realizar as simulações para o modelo apresentado no item IV.2 Note que na definição das variáveis que indicam o momento de inicio da atividade j(j=b,c,d,...,n) uma destas variáveis não é necessária para a atividade A, já que uma atividade inicia o projeto recebe automaticamente o valo zero(0). A Figura 1.3 mostra os resultados obtidos para cada variável do problema na janela de resultados (Solution Report) Restrições de redução máxima Usando a penúltima coluna da Tabela 1.3, tem-se: XA<=1;XB<=2;XC<=3;XD<=2;XE<=1;XF<=2;X G<=3;XH<=3;XI<=2;XJ<=2;XK<=1;XL<=2;XM< =1;XN<=3; As Restrições de Não-Negatividade são dadas por: XA>=0;XB>=0;XC>=0;XD>=0;XE>=0;XF>0;XG >=0;XH>=0;XI>=0;XJ>=0;XK>=0;XL>=0;XM>= 0;XN>=0; YA>=0;YB>=0;YC>=0;YD>=0;YE>=0;YF>0;YG >=0;YH>=0;YI>=0;YJ>=0;YK>=0;YL>=0;YM>= 0;YN>=0;YTERMINO>=0; Tabela 1.4 Resultados obtidos de Simulação da relação conflitante tempo-custo para as atividades do projeto (Tempo em e custo em US$) A Tabela 1.4 apresenta os resultados obtidos após a simulação, como o problema principal consistia em investigar a possibilidade de impactar parcial ou plenamente apenas algumas atividades

6 para reduzir a duração do projeto para o nível especificado (40 ). Percebe-se pelos resultados obtidos que as únicas atividades (Xj) que sofreram redução de duração foram F e J, a Figura 6.4 mostra que esses valores são ambos iguais a 2. Da Tabela 6.3 percebe-se que o custo impactado por semana reduzida para a atividade F é igual a $40000 e para a atividade J é $ Logo como são duas para cada atividade o Custo Impactado Total para ambas é igual a $140000, o que é mostrado na Figura 1.3 (Objective value). Dessa forma o custo total do projeto será (Soma dos custos normais = US$ 4,55 milhões+ Soma dos custos impactados = ) $ VI CONCLUSÃO Redes de algum tipo surgem em ampla gama de contextos que podem ser avaliados. Essas representações são muito úteis para modelar as relações e conexões entre os componentes de sistemas. Frequentemente, o fluxo de algum tipo tem de ser enviado através de uma rede, de modo que precisa ser tomada uma decisão em relação à melhor maneira de se fazer um procedimento. Os tipos de modelos para otimização de redes introduzidos nessa pesquisa fornecem uma ferramenta poderosa para tais tomadas de decisão. O modelo em rede para otimizar as relações conflitantes tempo-custo oferece uma maneira eficiente de se usar um modelo de otimização de redes para desenvolver um projeto de modo que ele possa atender ao prazo estabelecido com um custo total mínimo. A utilização da Programação Linear para esse tipo de problema é importantíssima, pois à medida que aumentam o número de nós do problema, bem como o número de predecessores imediatos de cada atividade, aumenta a complexidade de solução mesmo por técnicas convencionais. Referências [1] Bazarra, M S.Jarvis, J.J. linear Programming and networks flows, 3 rd Edition by M.S [2] Hillier, Frederick S.; Lieberman, Gerald J..Introdução à Pesquisa Operacional, oitava edição, McGraw Hill,2010. [3] PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE (PMI), Guia de Conhecimentosem Gerenciamento de Projetos, PMBOK, Quarta Edição, Pensilvânia, [4] GOLBARG, M.C, LUNA, H.P.L. Otimização Combinatória e Programação Linear, Modelos e Algoritmos. Editora Campus, Rio de Janeiro, [5] MARTINS, JOSE CARLOS. Gerenciando Projetos de Desenvolvimento de Software com PMI, RUP e UML, 4ª Edição.Brasport Figura 1.3- Resultados de Simulação usando o LINGO. [6] NOCERA, ROSALDO DE JESUS. Gerenciamento de Projetos. Queen Books. Rio de Janeiro, [7] Oliveira, Guilherme Bueno de, MS-Project e Gestão de Projetos, Makron Books, SP, 2007.

Pesquisa Operacional - PERT/CPM

Pesquisa Operacional - PERT/CPM PERT/CPM 1. Introdução As técnicas denominadas PERT e CPM foram independentemente desenvolvidas para o Planejamento e Controle de Projetos em torno de 1950, porém a grande semelhança entre estas fez com

Leia mais

Gestão de Projetos. Tudo isso seria possível:

Gestão de Projetos. Tudo isso seria possível: Gestão de Projetos Prof. Msc. Cláudio Márcio cmarcio@gmail.com 1 - Torre Burj Dubai, considerada o novo prédio mais alto do mundo. - A estrutura tem mais de 800 metros de altura e 160 andares - Aproximadamente

Leia mais

Capítulo 7. Sequenciamento das Tarefas

Capítulo 7. Sequenciamento das Tarefas Capítulo 7 Sequenciamento das Tarefas 125 5.1 RELACIONAMENTO ENTRE TAREFAS Para que o cronograma do projeto seja executado corretamente e as mudanças inseridas seja calculadas de forma correta é importante

Leia mais

Engenharia de Software II: Criando o cronograma do projeto. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br

Engenharia de Software II: Criando o cronograma do projeto. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Engenharia de Software II: Criando o cronograma do projeto Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Sumário Definição das atividades. Sequenciamento das atividades. Estimativa de recursos

Leia mais

Microsoft Project 2003

Microsoft Project 2003 Microsoft Project 2003 1 [Módulo 4] Microsoft Project 2003 2 Definindo durações Inter-relacionamentorelacionamento Caminho crítico Microsoft Project 2003 3 1 Duração das Atividades Microsoft Project 2003

Leia mais

Quando pagar multa compensa

Quando pagar multa compensa Quando pagar multa compensa Aldo Dórea Mattos, MSc, PMP aldo@aldomattos.com Resumo Custo e tempo sao grandezas intrinsecamente relacionadas em qualquer projeto. Alterar prazo implica alterar custo e vice-versa.

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS COMPUTACIONAIS VISANDO O APRENDIZADO DA PROGRAMAÇÃO LINEAR

DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS COMPUTACIONAIS VISANDO O APRENDIZADO DA PROGRAMAÇÃO LINEAR DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS COMPUTACIONAIS VISANDO O APRENDIZADO DA PROGRAMAÇÃO LINEAR Patrícia Oliveira de Souza Escola de Engenharia Industrial e Metalúrgica de Volta Redonda da UFF Av. dos Trabalhadores

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DE PROJETOS

ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DE PROJETOS ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DE PROJETOS Atualizado em 31/12/2015 GESTÃO DE PROJETOS PROJETO Para o PMBOK, projeto é um esforço temporário empreendido para criar um produto, serviço ou resultado exclusivo.

Leia mais

Conceituar projetos e a gerência de projetos. Conhecer a importância e os benefícios do gerenciamento de projetos Conhecer o PMI, o PMBOK, os grupos

Conceituar projetos e a gerência de projetos. Conhecer a importância e os benefícios do gerenciamento de projetos Conhecer o PMI, o PMBOK, os grupos Gestão de Projetos Empresariais Objetivos: Conceituar projetos e a gerência de projetos. Conhecer a importância e os benefícios do gerenciamento de projetos Conhecer o PMI, o PMBOK, os grupos de processos

Leia mais

Gerenciamento de Tempo: MS Project

Gerenciamento de Tempo: MS Project Gerenciamento de Tempo: MS Project Fevereiro/2014 Garante o planejamento e execução do projeto em um prazo adequado, consistindo na definição, seqüenciamento e estimativa de duração das atividades, com

Leia mais

MRP / MRP II / ERP (capítulos 11 e 12)

MRP / MRP II / ERP (capítulos 11 e 12) MRP / MRP II / ERP (capítulos 11 e 12) As siglas MRP, MRP II e ERP são bastante difundidas e significam: MRP Materials Requirements Planning Planejamento das Necessidades de Materiais; MRP II Resource

Leia mais

fagury.com.br. PMBoK 2004

fagury.com.br. PMBoK 2004 Este material é distribuído por Thiago Fagury através de uma licença Creative Commons 2.5. É permitido o uso e atribuição para fim nãocomercial. É vedada a criação de obras derivadas sem comunicação prévia

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento do Tempo

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento do Tempo Gerenciamento de Projetos Gerenciamento do Tempo Metodologia Aula Teórica Exemplos e Exercícios práticos Questões de concursos anteriores Metodologia e Bibliografia Bibliografia PMBOK, 2004. Project Management

Leia mais

TC042 CONSTRUÇÃO CIVIL IV AULA 5

TC042 CONSTRUÇÃO CIVIL IV AULA 5 TC042 CONSTRUÇÃO CIVIL IV AULA 5 DURAÇÃO DAS ATIVIDADES Como estimar a duração das atividades ou serviços? Existem duas formas básicas: Determina-se a quantidade de dias e a partir deste parâmetro compõe-se

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Web. Professor: Guilherme Luiz Frufrek Email: frufrek@utfpr.edu.br http://paginapessoal.utfpr.edu.

Gerenciamento de Projetos Web. Professor: Guilherme Luiz Frufrek Email: frufrek@utfpr.edu.br http://paginapessoal.utfpr.edu. Gerenciamento de Projetos Web Professor: Guilherme Luiz Frufrek Email: frufrek@utfpr.edu.br http://paginapessoal.utfpr.edu.br/frufrek Possui Especialização em Engenharia de Software e Banco de Dados pela

Leia mais

CAPÍTULO 7 TÉCNICAS GRÁFICAS DE PLANEAMENTO

CAPÍTULO 7 TÉCNICAS GRÁFICAS DE PLANEAMENTO Processos de Gestão ADC/DEI/FCTUC 1999/000 Cap. 7. Técnicas Gráficas de Planeamento 1 7.1. Interesse CAPÍTULO 7 TÉCNICAS GRÁFICAS DE PLANEAMENTO Da fase anterior de planificação do projecto resulta uma

Leia mais

Planejamento Recursos

Planejamento Recursos UDESC Universidade do Estado de Santa Catarina FEJ Faculdade de Engenharia de Joinville Planejamento Recursos Prof. Régis K. Scalice DEPS Departamento de Engenharia de Produção e Sistemas Objetivos da

Leia mais

Capítulo 1 Introdução ao gerenciamento de projetos

Capítulo 1 Introdução ao gerenciamento de projetos Capítulo 1 Introdução ao gerenciamento de projetos 1.1 Introdução 31 1.2 O que é um projeto? 31 1.3 Ciclo de vida do projeto 33 1.4 O que é gerenciamento de projetos? 36 1.5 Relacionamento entre grupos

Leia mais

Proposta. Gerenciando Projetos com Microsoft Project. Apresentação Executiva. Gerenciando Projetos com Ms-Project

Proposta. Gerenciando Projetos com Microsoft Project. Apresentação Executiva. Gerenciando Projetos com Ms-Project Gerenciando Projetos com Microsoft Project Apresentação Executiva 1 O Microsoft Project é utilizado principalmente para o planejamento e controle de projetos. Atualmente é a ferramenta mais utilizada no

Leia mais

PROBLEMA DE TRANSPORTE: MODELO E MÉTODO DE SOLUÇÃO

PROBLEMA DE TRANSPORTE: MODELO E MÉTODO DE SOLUÇÃO PROBLEMA DE TRANSPORTE: MODELO E MÉTODO DE SOLUÇÃO Luciano Pereira Magalhães - 8º - noite lpmag@hotmail.com Orientador: Prof Gustavo Campos Menezes Banca Examinadora: Prof Reinaldo Sá Fortes, Prof Eduardo

Leia mais

Investigação Operacional

Investigação Operacional Sumário Victor Lobo Investigação Operacional Introdução Programa da cadeira Bibliografia Horário de dúvidas e contactos Avaliação O que é Investigação Operacional? Investigar as operações da empresa, embora

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais

Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais Prof. Walter Cunha falecomigo@waltercunha.com http://waltercunha.com Bibliografia* Project Management Institute. Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento

Leia mais

Gerência de Projetos. Aula 5. Nivelamento de Recursos Humanos. Data: 13/05/2015

Gerência de Projetos. Aula 5. Nivelamento de Recursos Humanos. Data: 13/05/2015 Gerência de Projetos Aula 5 Nivelamento de Recursos Humanos Data: 13/05/2015 Prof. Cássio Montenegro Estrutura da Aula Parte 1 Resolução da Atividade 8; Apresentação da Atividade 9; Teoria na qual será

Leia mais

A estrutura do gerenciamento de projetos

A estrutura do gerenciamento de projetos A estrutura do gerenciamento de projetos Introdução O Guia do Conhecimento em Gerenciamento de Projetos (Guia PMBOK ) é uma norma reconhecida para a profissão de gerenciamento de projetos. Um padrão é

Leia mais

PROJETO NOVAS FRONTEIRAS. II - Nome do gerente do projeto, suas responsabilidades e sua autoridade

PROJETO NOVAS FRONTEIRAS. II - Nome do gerente do projeto, suas responsabilidades e sua autoridade PROJETO NOVAS FRONTEIRAS DECLARAÇÃO DE ESCOPO SCOPE STATEMENT Preparado por Rodrigo Mendes Lemos Gerente do Projeto Versão 3 Aprovado por Ricardo Viana Vargas Patrocinador 01/11/2010 I - Patrocinador Ricardo

Leia mais

INTRODUÇÃO A ENGENHARIA MECÂNICA (IEM)

INTRODUÇÃO A ENGENHARIA MECÂNICA (IEM) UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá INTRODUÇÃO A ENGENHARIA MECÂNICA (IEM) Apresentação de softwares e metodologia para realização de projetos Prof.: Marcelo Sampaio

Leia mais

Universidade Federal de Ouro Preto Escola de Minas DECIV. Gestão de Obras em Construção Civil. Aula 3 PLANEJAMENTO DE OBRAS

Universidade Federal de Ouro Preto Escola de Minas DECIV. Gestão de Obras em Construção Civil. Aula 3 PLANEJAMENTO DE OBRAS Universidade Federal de Ouro Preto Escola de Minas DECIV CIV 43 Aula 3 PLANEJAMENTO DE OBRAS SISTEMA DE PLANEJAMENTO DE OBRAS DEFINIÇÃO DE PLANEJAMENTO a palavra: Visão a sentença: Planejamento é uma ferramenta

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA nº 0010/2015

TERMO DE REFERÊNCIA nº 0010/2015 1 BANCO INTERAMERICANO DE DESENVOLVIMENTO REPRESENTAÇÃO NO BRASIL TERMO DE REFERÊNCIA nº 0010/2015 PARA A CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL PARA CAPACITAÇÃO DA EQUIPE DO FUNBIO NA UTILIZAÇÃO EFICIENTE

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Definição Gerenciamento de Projetos SWEBOK Aplicação de atividades de gerenciamento (planejamento, coordenação, medição, controle e relatório) para assegurar que o desenvolvimento de software é sistemático,

Leia mais

Gestão de Projetos Ferramentas e Softwares para Gerenciamento de Projetos

Gestão de Projetos Ferramentas e Softwares para Gerenciamento de Projetos Gestão de Projetos Ferramentas e Softwares para Gerenciamento de Projetos Aula 1 Prof. Rodrigo Rocha prof.rodrigorocha@yahoo.com http://www.bolinhabolinha.com Apresentação Prof. Rodrigo Rocha prof.rodrigorocha@yahoo.com

Leia mais

Gerenciamento de Tempo em Projetos

Gerenciamento de Tempo em Projetos Gerenciamento de Tempo em Projetos Gisele Blak Bernat, MSc, PMP Por que Gerenciar o Tempo? É um dos tópicos mais importantes dentro da Gestão de Projetos; Recurso escasso na atualidade; Para aproveitá-lo

Leia mais

MODELAGEM OTIMIZAÇÃO EM GAMS

MODELAGEM OTIMIZAÇÃO EM GAMS Aneirson Francisco da Silva Doutor em Engenharia Mecânica- UNESP Mestre em Engenharia de Produção- UNIFEI Pós Graduado em Economia e Planejamento Empresarial-UFU MODELAGEM OTIMIZAÇÃOEMGAMS 1- Definir

Leia mais

Teoria e Prática. Totalmente de acordo com a 4 a Edição/2009. Rosaldo de Jesus Nocêra, PMP, PMI-SP, MCTS. do PMBOK do PMI. Acompanha o livro:

Teoria e Prática. Totalmente de acordo com a 4 a Edição/2009. Rosaldo de Jesus Nocêra, PMP, PMI-SP, MCTS. do PMBOK do PMI. Acompanha o livro: Gerenciamento de Projetos Teoria e Prática Totalmente de acordo com a 4 a Edição/2009 do PMBOK do PMI Acompanha o livro: l CD com mais de 70 formulários exemplos indicados pelo PMI e outros desenvolvidos

Leia mais

Faculdade de Engenharia Optimização. Prof. Doutor Engº Jorge Nhambiu

Faculdade de Engenharia Optimização. Prof. Doutor Engº Jorge Nhambiu Redes Aula 22: Modelos de Optimização de Redes (Prática) O Modelo de rede para Optimizar a relação Conflituosa Tempo-Custo 2 Problema 22.1 Eduardo Sabão tem como tarefa coordenar o próximo curso de actualização

Leia mais

Introdução à Pesquisa Operacional - Otimização Linear

Introdução à Pesquisa Operacional - Otimização Linear Introdução à Pesquisa Operacional - Otimização Linear Professora: Maristela Oliveira dos Santos - mari@icmc.usp.br Auxilio 2009: Victor C.B. Camargo Auxilio 2010 - PAE: Marcos Mansano Furlan - L-1007 Instituto

Leia mais

Metodologia de Projetos. André Gomes Coimbra

Metodologia de Projetos. André Gomes Coimbra Metodologia de Projetos André Gomes Coimbra Cronograma Aula 3 Trabalho (10 pts) Aula 5 Avaliação (5 pts) Aula 9 Exercício (10 pts) Aula 10 Apresentação do projeto REDES (25 pts) Aula 11 Avaliação (10 pts)

Leia mais

Estratégia de Manutenção em Oficinas utilizando Caminho Critico

Estratégia de Manutenção em Oficinas utilizando Caminho Critico SEGeT Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia 1 Estratégia de Manutenção em Oficinas utilizando Caminho Critico RESUMO Entre as estratégias gerenciais em empresas de médio e grande porte existe o

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Project Management Institute. Prof. Miguel Torres miguel.torres@terra.com.br

Gerenciamento de Projetos Project Management Institute. Prof. Miguel Torres miguel.torres@terra.com.br Gerenciamento de Projetos Project Management Institute Prof. Miguel Torres miguel.torres@terra.com.br Objetivo do Curso Criar condições e proporcionar métodos para o desenvolvimento da capacidade gestora,

Leia mais

Título da apresentação Curso Gestão de Projetos I (Verdana, cor branca) Curso de Desenvolvimento de Servidores - CDS

Título da apresentação Curso Gestão de Projetos I (Verdana, cor branca) Curso de Desenvolvimento de Servidores - CDS Título da apresentação Curso Gestão de Projetos I (Verdana, cor branca) Curso de Desenvolvimento de Servidores - CDS Prof. Instrutor Elton Siqueira (a) (Arial Moura preto) CURSO DE GESTÃO DE PROJETOS I

Leia mais

Objetivos da aula. Planejamento, Execução e Controle de Projetos de Software. O que é um plano de projeto? O que é um projeto?

Objetivos da aula. Planejamento, Execução e Controle de Projetos de Software. O que é um plano de projeto? O que é um projeto? Planejamento, Execução e Controle de Projetos de Software. Objetivos da aula 1) Dizer o que é gerenciamento de projetos e a sua importância; 2) Identificar os grupos de processos do gerenciamento de projetos

Leia mais

1. Método Simplex. Faculdade de Engenharia Eng. Celso Daniel Engenharia de Produção. Pesquisa Operacional II Profa. Dra. Lílian Kátia de Oliveira

1. Método Simplex. Faculdade de Engenharia Eng. Celso Daniel Engenharia de Produção. Pesquisa Operacional II Profa. Dra. Lílian Kátia de Oliveira Faculdade de Engenharia Eng. Celso Daniel Engenharia de Produção. Método Simple.. Solução eata para os modelos de Programação Linear O modelo de Programação Linear (PL) reduz um sistema real a um conjunto

Leia mais

Gerência de Projetos e EVTE. Fabiana Costa Guedes

Gerência de Projetos e EVTE. Fabiana Costa Guedes Gerência de Projetos e Fabiana Costa Guedes 1 Agenda O que é um Projeto O que é Gerenciamento de Projetos O Contexto da Gerência de Projetos PMI Project Management Institute Ciclo de Vida do Projeto Áreas

Leia mais

WWW.RJN.COM.BR. De acordo com a 5ª Edição (2013) do PMBOK

WWW.RJN.COM.BR. De acordo com a 5ª Edição (2013) do PMBOK De acordo com a 5ª Edição (2013) do PMBOK EMENTA DO TREINAMENTO Apresentar metodologia de estudo dos fundamentos de gerenciamento de projetos, das áreas de conhecimento (integração, escopo, tempo, custo,

Leia mais

Unidade II. Outras ferramentas que também auxiliam o gerenciamento de projetos são: WBS, gráficos Gantt, PERT/CPM, ECD, entre outros.

Unidade II. Outras ferramentas que também auxiliam o gerenciamento de projetos são: WBS, gráficos Gantt, PERT/CPM, ECD, entre outros. GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE TI Unidade II 2 FERRAMENTAS PARA GESTÃO DE PROJETOS A gestão de projeto como já visto no capítulo anterior é uma tarefa trabalhosa que requer muito controle. Assim, para ajudar

Leia mais

UM GUIA DO CONHECIMENTO EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS (GUIA PMBOK ) Quarta Edição

UM GUIA DO CONHECIMENTO EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS (GUIA PMBOK ) Quarta Edição UM GUIA DO CONHECIMENTO EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS (GUIA PMBOK ) Quarta Edição Project Management Institute UM GUIA DO CONHECIMENTO EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS (GUIA PMBOK ) Quarta Edição NOTA As

Leia mais

Lista 2 - Modelos determinísticos

Lista 2 - Modelos determinísticos EA044 - Planejamento e Análise de Sistemas de Produção Lista 2 - Modelos determinísticos Exercício 1 A Companhia Ferroviária do Brasil (CFB) está planejando a alocação de vagões a 5 regiões do país para

Leia mais

GERENCIAMENTO DE PROJETOS

GERENCIAMENTO DE PROJETOS GERENCIAMENTO DE PROJETOS SERENA OPEN PROJ FABIANO KEIJI TAGUCHI ESTE MATERIAL TEM UM OBJETIVO DE COMPLEMENTAR OS ASSUNTOS ABORDADOS DENTRO DE SALA DE AULA, TORNANDO-SE UM GUIA PARA UTILIZAÇÃO DA FERRAMENTA

Leia mais

WWW.RJN.COM.BR/SIMULADOPMP

WWW.RJN.COM.BR/SIMULADOPMP EMENTA DO TREINAMENTO Apresentar metodologia de estudo dos fundamentos de gerenciamento de projetos, das áreas de conhecimento (integração, escopo, tempo, custo, qualidade, recursos humanos, comunicação,

Leia mais

Gestão de Projetos Logísticos

Gestão de Projetos Logísticos Gestão de Projetos Logísticos Professor: Fábio Estevam Machado CONTEÚDO DA AULA ANTERIOR Teoria Gestão de Projetos Introdução História Ferramentas Áreas do Conhecimento - Exercício AULA 3 Gestão de Projetos

Leia mais

GESTAO DE PROJETOS. Núcleo de Engenharia e TI Prof. Esdras E-mail: esdraseler@terra.com.br

GESTAO DE PROJETOS. Núcleo de Engenharia e TI Prof. Esdras E-mail: esdraseler@terra.com.br Planejamento de Tempo e Escopo do Projeto Faculdade Pitágoras Faculdade Pitágoras Núcleo de Engenharia e TI Prof. Esdras E-mail: esdraseler@terra.com.br 1 Templates de Documentos http://www.projectmanagementdocs.com

Leia mais

30/10/2012. Ciclo de vida típico. Módulo: Projeto de Investimento e Financiamento 2º sem 2012. Objetivos

30/10/2012. Ciclo de vida típico. Módulo: Projeto de Investimento e Financiamento 2º sem 2012. Objetivos Gestão financeira GESTÃO DE PROJETOS 2 Planejamento, execução e conclusão do projeto Módulo: Projeto de Investimento e Financiamento 2º sem 2012 Objetivos Compreender os passos e requisitos de um plano

Leia mais

EMENTA E8 E9. PIP Trabalho Final de Planejamento Integrado (Projetos e Sub-Projetos) MIP Medição do Projeto ESTUDO DE CASO

EMENTA E8 E9. PIP Trabalho Final de Planejamento Integrado (Projetos e Sub-Projetos) MIP Medição do Projeto ESTUDO DE CASO Anexo 1 - Escopo do Curso de Ferramenta de Apoio ao Gerenciamento de Projetos MSProject 2010 Abordagem PMBOK 4ª Edição E1 Elaborar Termo de Abertura do Projeto (TAP) e Registro das Especificações do Projeto

Leia mais

Minicurrículo. Prof. Dr. Adilson de Oliveira Computer Engineering Ph.D Project Management Professional. Líder no PMO. Diretor e Professor

Minicurrículo. Prof. Dr. Adilson de Oliveira Computer Engineering Ph.D Project Management Professional. Líder no PMO. Diretor e Professor Adilson de Oliveira Minicurrículo Mestre em Ciência da Informação Doutor em Engenharia de Computação Diretor e Professor Líder no PMO Gerente de Projetos Profissional Prof. Dr. Adilson de Oliveira Computer

Leia mais

Cada elemento da EAP deve representar um resultado tangível e verificável; Todos os resultados principais devem estar explicitamente

Cada elemento da EAP deve representar um resultado tangível e verificável; Todos os resultados principais devem estar explicitamente EAP ou WBS EAP ou WBS Estrutura analítica do projeto (EAP) ou estrutura analítica do trabalho (WBS), é a base para o detalhamento do projeto e após elaborada passa a ser a base para a manutenção do escopo

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Modulo VI Tempo

Gerenciamento de Projetos Modulo VI Tempo Gerenciamento de Projetos Modulo VI Tempo Prof. Walter Cunha falecomigo@waltercunha.com http://waltercunha.com Bibliografia* Project Management Institute. Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento de

Leia mais

Gerenciamento de Projetos (parte 1)

Gerenciamento de Projetos (parte 1) Universidade Federal do Vale do São Francisco Campus de Juazeiro Colegiado de Engenharia de Produção Gerenciamento de Projetos (parte 1) Disciplina: Gestão de serviços Professor: Marcel de Gois Pinto Considere

Leia mais

Podemos encontrar uma figura interessante no PMBOK (Capítulo 7) sobre a necessidade de organizarmos o fluxo de caixa em um projeto.

Podemos encontrar uma figura interessante no PMBOK (Capítulo 7) sobre a necessidade de organizarmos o fluxo de caixa em um projeto. Discussão sobre Nivelamento Baseado em Fluxo de Caixa. Item aberto na lista E-Plan Podemos encontrar uma figura interessante no PMBOK (Capítulo 7) sobre a necessidade de organizarmos o fluxo de caixa em

Leia mais

SIMULAÇÃO NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM UTILIZANDO TÉCNICAS DE CAMINHO CRÍTICO (REDES P.E.R.T.) E O SOFTWARE MS-PROJECT EM ENGENHARIA

SIMULAÇÃO NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM UTILIZANDO TÉCNICAS DE CAMINHO CRÍTICO (REDES P.E.R.T.) E O SOFTWARE MS-PROJECT EM ENGENHARIA SIMULAÇÃO NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM UTILIZANDO TÉCNICAS DE CAMINHO CRÍTICO (REDES P.E.R.T.) E O SOFTWARE MS-PROJECT EM ENGENHARIA Giancarlo de França Aguiar giancarl@unicenp.edu.br Centro Universitário

Leia mais

PCC173 - Otimização em Redes

PCC173 - Otimização em Redes PCC173 - Otimização em Redes Marco Antonio M. Carvalho Departamento de Computação Instituto de Ciências Exatas e Biológicas Universidade Federal de Ouro Preto 25 de fevereiro de 2015 Marco Antonio M. Carvalho

Leia mais

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT MASTER IN PROJECT MANAGEMENT PROJETOS E COMUNICAÇÃO PROF. RICARDO SCHWACH MBA, PMP, COBIT, ITIL Atividade 1 Que modelos em gestão de projetos estão sendo adotados como referência nas organizações? Como

Leia mais

Curso Prático em Gestão de Projetos com MS Project

Curso Prático em Gestão de Projetos com MS Project Curso Prático em Gestão de Projetos com MS Project Guia Fundamental para Gestão de Projetos com a utilização do MS Project Objetivo Os projetos fazem parte de nossas vidas e das organizações, contudo a

Leia mais

Método do Caminho Crítico PERT /CPM. Prof. Marcio Cardoso Machado

Método do Caminho Crítico PERT /CPM. Prof. Marcio Cardoso Machado Método do Caminho Crítico PERT /CPM Prof. Marcio Cardoso Machado - Conjunto de técnicas utilizado para o planejamento e o controle de empreendimentos ou projetos - Fatores: prazo, custo e qualidade - Aplicado

Leia mais

- Project Management Institute. Disciplina de Engenharia de Software. PMP- Project Management Professional PMBOK

- Project Management Institute. Disciplina de Engenharia de Software. PMP- Project Management Professional PMBOK Disciplina de Engenharia de Software Material elaborado por Windson Viana de Carvalho e Rute Nogueira Pinto em 19/07/2004 Material alterado por Rossana Andrade em 22/04/2009 - Project Management Institute

Leia mais

PLANO DE ENSINO DE DISCIPLINA

PLANO DE ENSINO DE DISCIPLINA UNIVERSIDADE PARANAENSE - UNIPAR Reconhecida pela Portaria - MEC nº 1580, de 09/11/93 - D.O.U. 10/11/93 Mantenedora Associação Paranaense de Ensino e Cultura - APEC UMUARAMA TOLEDO GUAÍRA PARANAVAÍ CIANORTE

Leia mais

GERÊNCIA DE INTEGRAÇÃO DO PROJETO

GERÊNCIA DE INTEGRAÇÃO DO PROJETO GERÊNCIA DE INTEGRAÇÃO DO PROJETO Estevanir Sausen¹, Patricia Mozzaquatro² ¹Acadêmico do Curso de Ciência da Computação ²Professor(a) do Curso de Ciência da Computação Universidade de Cruz Alta (UNICRUZ)

Leia mais

PMBok x PRINCE2. Flávia David de Oliveira Gomes. Prof. Msc. Guilherme A. Barucke Marcondes. Víctor Hugo Rodrigues de Barros

PMBok x PRINCE2. Flávia David de Oliveira Gomes. Prof. Msc. Guilherme A. Barucke Marcondes. Víctor Hugo Rodrigues de Barros PMBok x Flávia David de Oliveira Gomes Instituto Nacional de Telecomunicações - Inatel flavia@cp2ejr.com.br Prof. Msc. Guilherme A. Barucke Marcondes Instituto Nacional de Telecomunicações - Inatel guilherme@inatel.br

Leia mais

Módulo 2: Gerenciamento de Escopo, Tempo e Custos do Projeto

Módulo 2: Gerenciamento de Escopo, Tempo e Custos do Projeto ENAP Diretoria de Desenvolvimento Gerencial Coordenação Geral de Educação a Distância Gerência de Projetos - Teoria e Prática Conteúdo para impressão Módulo 2: Gerenciamento de Escopo, Tempo e Custos do

Leia mais

Técnicas para Programação Inteira e Aplicações em Problemas de Roteamento de Veículos 14

Técnicas para Programação Inteira e Aplicações em Problemas de Roteamento de Veículos 14 1 Introdução O termo "roteamento de veículos" está relacionado a um grande conjunto de problemas de fundamental importância para a área de logística de transportes, em especial no que diz respeito ao uso

Leia mais

! "! # " # $ "! $ %& %

! ! #  # $ ! $ %& % !"#"$! %& O CHAOS Empresas americanas gastam mais de US$275 bilhões a cada ano em projetos de desenvolvimento de software aplicativo. Muitos desses projetos falharão, mas não por falta de dinheiro ou tecnologia;

Leia mais

Gerenciamento de Projetos: Conceitos.

Gerenciamento de Projetos: Conceitos. ELABORAÇÃO E ANÁLISE DE PROJETOS Aula 10: 1 1 O que é Projeto 2 Caracterização de um projeto 3 Processos e áreas do gerenciamento de projeto 4 Análise de viabilidade do projeto 5 O papel do gerente de

Leia mais

1. Resolução de problemas de Programação Linear utilizando Excel

1. Resolução de problemas de Programação Linear utilizando Excel 1. Resolução de problemas de Programação Linear utilizando Excel O software Excel resolve problemas de Programação Linear através da ferramenta Solver. Retomando um problema de Programação Linear já citado,

Leia mais

Projeto é um empreendimento temporário, com objetivo de criar um produto, um resultado ou serviço único. Projetos podem estar integrados em um

Projeto é um empreendimento temporário, com objetivo de criar um produto, um resultado ou serviço único. Projetos podem estar integrados em um Projetos, Programas e Portfólios Projeto é um empreendimento temporário, com objetivo de criar um produto, um resultado ou serviço único. Projetos podem estar integrados em um programa, quando se relacionam

Leia mais

Aula Inaugural. Prof. Gilberto Braga de Oliveira 1

Aula Inaugural. Prof. Gilberto Braga de Oliveira 1 Aplicativos para Projetos Aula Inaugural Prof. Gilberto Braga de Oliveira 1 Co m pe t ê n c ias Selecionar aplicativos para atender as necessidades do projeto Identificar e utilizar aplicativos para o

Leia mais

GERENCIAMENTO DE PROJETOS E CERTIFICAÇÕES PMI. Hedson Rodrigues Lima, CTFL, PMP

GERENCIAMENTO DE PROJETOS E CERTIFICAÇÕES PMI. Hedson Rodrigues Lima, CTFL, PMP GERENCIAMENTO DE PROJETOS E CERTIFICAÇÕES PMI Hedson Rodrigues Lima, CTFL, PMP Sobre o Palestrante Hedson Rodrigues Lima, CTFL, PMP Atua como: Gerente de Projetos Na Empresa: Gestao TI E também como: Instrutor

Leia mais

WWW.RJN.COM.BR. Treinamento Planejamento e Controle de Obras com MS-Project 2013

WWW.RJN.COM.BR. Treinamento Planejamento e Controle de Obras com MS-Project 2013 Treinamento Planejamento e Controle de Obras com MS-Project 201 EMENTA DO TREINAMENTO pelo PMI (de acordo com o PMBOK 5ª. Edição, 201) permite a correta execução do cronograma e o controle pleno do projeto,

Leia mais

Capítulo 3 Aplicando o PMBoK ao Microsoft Office Project 2003

Capítulo 3 Aplicando o PMBoK ao Microsoft Office Project 2003 Capítulo 3 Aplicando o PMBoK ao Microsoft Office Project 2003 29 3.1 GERENCIAMENTO DO ESCOPO O Gerenciamento do Escopo do Projeto engloba os processos necessários para assegurar que o projeto inclua todas

Leia mais

ÁREAS DE CONHECIMENTO DO PMBOK. Faculdade PITÁGORAS Unidade Raja Prof. Valéria E-mail: valeriapitagoras@gmail.com

ÁREAS DE CONHECIMENTO DO PMBOK. Faculdade PITÁGORAS Unidade Raja Prof. Valéria E-mail: valeriapitagoras@gmail.com ÁREAS DE CONHECIMENTO DO PMBOK Faculdade PITÁGORAS Unidade Raja Prof. Valéria E-mail: valeriapitagoras@gmail.com 1 As 10 áreas de Conhecimento 2 INTEGRAÇÃO 3 Gerência da Integração Processos necessários

Leia mais

PROJETOS IV. Plano do Projeto Exportação da Bebida Voltz Equipe Style Project (07/10/2009)

PROJETOS IV. Plano do Projeto Exportação da Bebida Voltz Equipe Style Project (07/10/2009) PROJETOS IV Plano do Projeto Exportação da Bebida Voltz Equipe Style Project (07/10/2009) Assinaturas de Aprovação Responsabilidade Organizacional Assinatura Data Gerente de Projeto 07/10/2009 Líder de

Leia mais

PLANEJAMENTO - ESCOPO - TEMPO - CUSTO

PLANEJAMENTO - ESCOPO - TEMPO - CUSTO PLANEJAMENTO - ESCOPO - TEMPO - CUSTO PAULO SÉRGIO LORENA Julho/2011 1 Planejamento escopo, tempo e custo PROGRAMA DA DISCIPLINA Apresentação professor Programa da disciplina Avaliação Introdução Processos

Leia mais

MINIMIZANDO O NÚMERO DE DIFERENTES PADRÕES DE CORTE - UMA ABORDAGEM DE CAMINHO MÍNIMO

MINIMIZANDO O NÚMERO DE DIFERENTES PADRÕES DE CORTE - UMA ABORDAGEM DE CAMINHO MÍNIMO A pesquisa Operacional e os Recursos Renováveis 4 a 7 de novembro de 2003, Natal-RN MINIMIZANDO O NÚMERO DE DIFERENTES PADRÕES DE CORTE - UMA ABORDAGEM DE CAMINHO MÍNIMO Maria Cristina N. Gramani Universidade

Leia mais

Gerenciamento, planejamento e execução de obras utilização do software MS Project

Gerenciamento, planejamento e execução de obras utilização do software MS Project Gerenciamento, planejamento e execução de obras utilização do software MS Project Prof. Me. Elon Vieira Lima Santa Inês, 18 de junho de 2015 Apresentação Ministrante Prof. Me. Elon Vieira Lima Engenheiro

Leia mais

Aula Nº 06 Determinação do Orçamento

Aula Nº 06 Determinação do Orçamento Aula Nº 06 Determinação do Orçamento Objetivos da Aula: Os objetivos desta aula são, basicamente, apresentar os processos aplicados que possibilitem identificar os recursos necessários para se conduzir

Leia mais

W Projeto. Gerenciamento. Construindo a WBS e gerando o Cronograma. Autor: Antonio Augusto Camargos, PMP 1/12

W Projeto. Gerenciamento. Construindo a WBS e gerando o Cronograma. Autor: Antonio Augusto Camargos, PMP 1/12 W Projeto BS Construindo a WBS e gerando o Cronograma. Gerenciamento Autor: Antonio Augusto Camargos, PMP 1/12 Índice Remissivo Resumo...3 1. Introdução...3 2. Conceituando a WBS (Work Breakdown Structure/Estrutura

Leia mais

Método do Caminho Crítico

Método do Caminho Crítico www.gerentedeprojeto.net.br Método do Caminho Crítico Uma abordagem prática Alexandre Paiva de Lacerda Costa, PMP, MCTS, ITIL Cálculo da Rede Método do Caminho Crítico (abordagem teórica) O cálculo das

Leia mais

WWW.RJN.COM.BR. Av. Paulista, 1159. 8.º andar. cj 817/818. Cerqueira César. São Paulo/SP (11) 3141.0507 /. (11) 3266.7441

WWW.RJN.COM.BR. Av. Paulista, 1159. 8.º andar. cj 817/818. Cerqueira César. São Paulo/SP (11) 3141.0507 /. (11) 3266.7441 EMENTA DO TREINAMENTO Apresentar metodologia de planejamento e controle de obras específicas de construção civil, com a utilização do software Microsoft Office Project 2010. A metodologia, baseada nas

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UMA PROPOSTA PARA GERENCIAMENTO DA EXECUÇÃO DE PROJETOS DE CABEAMENTO ESTRUTURADO BASEADO NOS PARÂMETROS DA METODOLOGIA PMI

DESENVOLVIMENTO DE UMA PROPOSTA PARA GERENCIAMENTO DA EXECUÇÃO DE PROJETOS DE CABEAMENTO ESTRUTURADO BASEADO NOS PARÂMETROS DA METODOLOGIA PMI UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ELETROTÉCNICA CURSO DE ENGENHARIA INDUSTRIAL ELÉTRICA/AUTOMAÇÃO HENRY MEINELECKI BUENO BARBOSA LUCAS PEVIDOR DE CARVALHO CAVALLARI MURILO

Leia mais

Ciência da Computação ENGENHARIA DE SOFTWARE. Recursos e Cronograma

Ciência da Computação ENGENHARIA DE SOFTWARE. Recursos e Cronograma Ciência da Computação ENGENHARIA DE SOFTWARE Recursos e Cronograma Prof. Claudinei Dias email: prof.claudinei.dias@gmail.com Roteiro Introdução; Recursos; Pessoal; Software; Hardware; Outros recursos;

Leia mais

Resultados alcançados com a Ferramenta Channel em implementação de sucesso da Gerência de Projetos no nível G de maturidade do MR-MPS

Resultados alcançados com a Ferramenta Channel em implementação de sucesso da Gerência de Projetos no nível G de maturidade do MR-MPS Resultados alcançados com a Ferramenta Channel em implementação de sucesso da Gerência de Projetos no nível G de maturidade do MR-MPS Mauricio Fiorese 1, Alessandra Zoucas 2 e Marcello Thiry 2 1 JExperts

Leia mais

Engenharia de Software II: Definindo Projeto III. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br

Engenharia de Software II: Definindo Projeto III. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Engenharia de Software II: Definindo Projeto III Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Sumário Explorando as Áreas de Conhecimento de Gerenciamento de Projeto Entendendo como Projetos Acontecem

Leia mais

Construção Casa Simples. III - Nome do gerente do projeto, suas responsabilidades e sua autoridade.

Construção Casa Simples. III - Nome do gerente do projeto, suas responsabilidades e sua autoridade. Construção Casa Simples TERMO DE ABERTURA PROJECT CHARTER Preparado por Ronilson Ronald Marques Versão 1.0 Aprovado por Durval Marques 06/04/2011 I - Título do projeto Construção Casa Simples II - Resumo

Leia mais

GESTÃO DE PROJETOS. Prof. Anderson Valadares

GESTÃO DE PROJETOS. Prof. Anderson Valadares GESTÃO DE PROJETOS Prof. Anderson Valadares Projeto Empreendimento temporário Realizado por pessoas Restrições de recursos Cria produtos, ou serviços ou resultado exclusivo Planejado, executado e controlado

Leia mais

PMI - PMBoK PMI PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE. PMBoK PROJECT MANAGEMENT BODY OF KNOWLEDGE

PMI - PMBoK PMI PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE. PMBoK PROJECT MANAGEMENT BODY OF KNOWLEDGE PMI - PMBoK PMI PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE PMBoK PROJECT MANAGEMENT BODY OF KNOWLEDGE 1 PMI- Project Management Institute Fundado nos Estudos Unidos em 1969; Instituto sem fins lucrativos, dedicado ao

Leia mais

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo de Gestão Aplicada a TIC AULA 04. Prof. Fábio Diniz

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo de Gestão Aplicada a TIC AULA 04. Prof. Fábio Diniz FTIN Formação Técnica em Informática Módulo de Gestão Aplicada a TIC AULA 04 Prof. Fábio Diniz FTIN FORMAÇÃO TÉCNICA EM INFORMÁTICA GESTÃO DE PROJETOS Na aula anterior Project Charter. EAP / WBS. MS Project.

Leia mais

www.plathanus.com.br

www.plathanus.com.br www.plathanus.com.br A Plathanus Somos uma empresa com sede na Pedra Branca Palhoça/SC, especializada em consultoria e assessoria na criação e desenvolvimento de estruturas e ambientes especializados com

Leia mais

Investigação Operacional- 2009/10 - Programas Lineares 3 PROGRAMAS LINEARES

Investigação Operacional- 2009/10 - Programas Lineares 3 PROGRAMAS LINEARES Investigação Operacional- 2009/10 - Programas Lineares 3 PROGRAMAS LINEARES Formulação A programação linear lida com problemas nos quais uma função objectivo linear deve ser optimizada (maximizada ou minimizada)

Leia mais

Aula 3 Fase de Iniciação de projetos

Aula 3 Fase de Iniciação de projetos Aula 3 Fase de Iniciação de projetos Objetivos da Aula: Os objetivos desta aula são, basicamente, apresentar as atividades que constituem a fase inicial dos projetos. Alem disso, vamos discorrer sobre

Leia mais

Aula 4. Introdução ao PMBOK e aos Processos da Gerência de Projetos

Aula 4. Introdução ao PMBOK e aos Processos da Gerência de Projetos Aula 4 Introdução ao PMBOK e aos Processos da Gerência de Projetos Objetivo Visualizar a gerência de projetos como um conjunto de processos encadeados e integrados. Lidar com as interações que podem ser:

Leia mais

Preparatório Certificação PMP

Preparatório Certificação PMP Preparatório Certificação PMP Apresentação Executiva 1 O curso Preparatório para Certificação PMP tem como premissa preparar o participante para o Exame PMP do Project Management Institute (PMI ) e oferecer

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº xxxxxxx Contrato por Produto Nacional

TERMO DE REFERÊNCIA Nº xxxxxxx Contrato por Produto Nacional Os presentes TERMOS são objetos do edital 002/2012 código: 002/2012/11. O consultor selecionado para o código desejado, será associado a um dos termos de referência conforme as necessidades da Agência

Leia mais

4. PMBOK - Project Management Body Of Knowledge

4. PMBOK - Project Management Body Of Knowledge 58 4. PMBOK - Project Management Body Of Knowledge No Brasil, as metodologias mais difundidas são, além do QL, o método Zopp, o Marco Lógico do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e o Mapp da

Leia mais