Ícones do Ecletismo ao Art Déco

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ícones do Ecletismo ao Art Déco"

Transcrição

1 Ícones do Ecletismo ao Art Déco Resumo Através da disciplina Análise da Forma, foi analisado qual o intuito da utilização de ícones na Arquitetura e quais as mensagens estéticas que eles transmitem. Tomando como base o período entre o Ecletismo e o Art Deco, procurou-se esclarecer quais os ícones eram utilizados em cada época e quais as grandes mudanças ocorridas na utilização destes. Referencial teórico-conceitual Os ícones são representações a partir de um objeto, conceito ou ação. Assim, encontramos ícones de figuras religiosas, pessoas, animais, figuras que existem, já existiram ou fazem parte da imaginação das pessoas, por isso são chamados de ícones. (...) uma importante propriedade peculiar ao ícone é a de que, através de sua observação direta, outras verdades relativas a seu objeto podem ser descobertas além das que bastam para determinar sua construção. (PEIRCE, 2008) O Art Déco caracteriza-se por linhas retas e figuras geométricas basicamente. São desenhos de caráter industrial. Constitui-se como uma combinação de movimentos artísticos, tais como Construtivismo, Cubismo e Futurismo. Também seu alto rigor geométrico suscita uma simplicidade de estilo. Já o Ecletismo, busca a grandiosidade diante de uma grande simetria de composição. Funda-se na mistura de estilos arquitetônicos do passado criando uma nova linguagem conceitual. Seus ícones mostram-se através da utilização de estátuas e imagens introduzidas diretamente no projeto, no cerne do edifício criando assim uma grande riqueza decorativa. A única maneira de comunicar diretamente uma ideia é através de um ícone; e todo método de comunicação indireta de uma ideia deve depender, para ser estabelecido, do uso de um ícone. (PEIRCE, 2008). Materiais e métodos A partir de textos base como Semiótica de Charles Peirce e História da arquitetura Moderna de Leonardo Benevolo foram analisados os conceitos para uso comparativo entre duas grandes obras selecionadas de cada período da história analisado. Refletiu-se, assim, sobre o que faz com que o estilo de cada obra represente ícones diferentes e a significância destes. Para representar o Ecletismo, optamos por descrever a Villas Wagner ( ) de Otto Wagner e a Casa Steiner (1910) de Adolf Loos.

2 Discussão e análise dos resultados A arquitetura Eclética tem uma de suas bases estéticas na Teoria do Associacionismo. Segundo esta, o prazer estético estaria fundado em associações mentais que a figura observada provoca no observador, tornando presentes, na mente, princípios, ideias, imagens, símbolos e impressões já vividas ou experimentadas e, consequentemente, as emoções originais. O projeto escolhido, Villas Wagner, mostra-se em contraste com o ambiente localizado no bosque de Viena por ser toda em branco, dourado e verde, com um design modernista. A casa possui uma entrada com colunas jônicas e as laterais possuem planos de vidro ao lado de elementos dóricos. Seus ícones aparecem introduzidos na estrutura da casa, são imagens que foram pintadas nas paredes em alto relevo, estátuas que compõe a estética da casa, e não objetos introduzidos posteriormente, como se pode observar nas imagens.

3 Na parte superior da escada há um desenho realizado por Ernst Furchs, que ocupou a casa após Otto Wagner e adaptou a casa com suas esculturas e pinturas internamente e externamente. Há várias estátuas no local, porém apenas foram identificados os ícones que estão na estrutura que são do arquiteto.

4 Quadros, estátuas sem relações com a estrutura, tapete com formas e figuras desenhadas são todos ícones não relacionados com o projeto, que foram inseridos posteriormente, mas que ainda assim demonstram o estilo eclético presente no contexto.

5

6 Casa Steiner Adolf Loos (1910) Arquitetura e artes aplicadas devem dispensar todo ornamento, considerando como um resíduo de hábitos bárbaros Ornamento e Delito, Loos (1908). A casa Steiner é um exemplo de arquitetura Art Déco. Foi a primeira em Viena de um conjunto em que Loos desenvolveu a sua conceito do Raumplan. A casa não seguiu rigorosamente os regulamentos impostos na área de vivência de Hietzing, em que só eram permitidas casas de um pavimento. Para tanto, Loos projeta uma cobertura semicircular que articula a transição entre a fachada principal de um piso e a fachada posterior de três pisos, influenciando assim o resultado obtido. Casa Steiner Adolf Loos (1910) O projeto em seu total constitui-se basicamente de linhas retas e seus formatos retangulares. É possível notar que os ícones já foram inseridos na estrutura da casa, como os recortes das janelas e portas em formatos retangulares e quadrados. Diante disso percebe-se que os ícones no Art Déco, são figuras geométricas, com seus recortes nas aberturas e seu formato retilíneo, não se utilizando mais de figuras humanas, animais ou de acontecimentos. É suficiente ver como o abandono de certos valores estilísticos (a plástica secundária, a cor) exige ser equilibrada pela rigorosa conservação de outros (a ordenação volumétrica) (BENEVOLO,1998).

7 Casa Steiner Adolf Loos (1910) Casa Steiner Adolf Loos (1910) Suas fachadas em concreto, planas e limpas de ornamentos contrastam com seu interior intimista de alta qualidade, que revela a forma de pensar de Loos. Seu interior possui uma decoração com retratos, quadros, vasos, sendo estes introduzidos após a ocupação da casa, e que portanto não fazem parte de sua estrutura.

8 Casa Steiner Adolf Loos (1910) Casa Steiner Adolf Loos (1910) Discussão e análise dos resultados Da mesma forma que o ecletismo constituiu a arquitetura do liberalismo e das aspirações européias vigentes no quadro agroexportador, o neocolonial, associado à retomada de nossas tradições, assumiu muitas vezes uma conotação nostálgica, patriarcal e ruralista, enquanto, o cosmopolitismo do Art Déco denotava as novas formas de vida urbana, e o racionalismo

9 clássico fornecia uma expressão adequada às tendências racionalizadoras (muitas vezes autoritárias) do entreguerras. Sendo assim, é possivel entender as diferentes utilizações de ícones diante das mudanças significativas na história da arte com relação a conceitos e estilos. Estes elementos surgem para marcar e exemplificar diretamente a época em que estão sendo inseridos, ou mais ainda para reforçar a mensagem estética almejada para a construção. Referências BENEVOLO, L. Trad. Ana M. Goldenberg. História da Arquitetura Moderna. 3. ed. São Paulo: Perspectiva, FRAMPTON, K. Trad. Jefferson L. Camargo. História Crítica da Arquitetura Moderna. São Paulo: Martins Fontes, BLANCO, G.; CAMPOS NETO, C. M. Redescobrindo o Art Déco e o racionalismo clássico na arquitetura belenense. Disponível em: <http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/03.032/719> Acesso em 13/10/2012. PEIRCE, C. S. Semiótica. 4.ed. São Paulo: Perspectiva, 2008.

A ARQUITETURA MODERNA NO BRASIL E SEUS PRINCIPAIS REPRESENTANTES

A ARQUITETURA MODERNA NO BRASIL E SEUS PRINCIPAIS REPRESENTANTES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO CAMPUS DE PRESIDENTE EPITÁCIO Curso: Técnico em Edificações Disciplina: ICCC I Introdução à Construção Civil I Professora:

Leia mais

ARTE DOS SÉCULOS XIX E XX

ARTE DOS SÉCULOS XIX E XX ARTE DOS SÉCULOS XIX E XX Os movimentos europeus de vanguarda eram aqueles que, segundo seus próprios autores, guiavam a cultura de seus tempos, estando de certa forma à frente deles. Movimentos vanguardistas

Leia mais

Filosofia dos Gregos

Filosofia dos Gregos ARQUITETURA GREGA Parte de nossa cultura e valores artísticos vem dos gregos. Vemos a arquitetura grega sob uma perspectiva especial e consequências que resultaram dos gregos. O projetista medita sobre

Leia mais

ARTE BRASILEIRA DO SÉCULO XIX

ARTE BRASILEIRA DO SÉCULO XIX ARTE BRASILEIRA DO SÉCULO XIX Pintura Brasileira século XIX Assim como a arquitetura, a pintura irá assimilar as mudanças sociais e políticas. Criaram-se neste período, no Brasil, empresas de mineração,

Leia mais

CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL AULA ARTES. Aula 2.1 Conteúdo: Roma Arte Primitiva Cristã

CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL AULA ARTES. Aula 2.1 Conteúdo: Roma Arte Primitiva Cristã Aula 2.1 Conteúdo: Roma Arte Primitiva Cristã 2 Habilidades: Reconhecer as manifestações artísticas relacionadas ao período da arte: Roma Antiga e primitiva Cristã. 3 4 5 Todos os caminhos levam à Roma:

Leia mais

Arte em cada parte. Harmonia no todo. MOSAICO 1

Arte em cada parte. Harmonia no todo. MOSAICO 1 Arte em cada parte. Harmonia no todo. MOSAICO 1 Surpreenda-se com a Mosaico e realize uma revolução na sua casa ou construção, além da sua imaginação. A Mosaico é a combinação perfeita entre beleza e sofisticação.

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS - BARREIRO Ficha de avaliação 03 de História A. 10º Ano Turma C Professor: Renato Albuquerque. 8.junho.

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS - BARREIRO Ficha de avaliação 03 de História A. 10º Ano Turma C Professor: Renato Albuquerque. 8.junho. ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS - BARREIRO Ficha de avaliação 03 de História A 10º Ano Turma C Professor: Renato Albuquerque Duração da ficha: 15 minutos. Tolerância: 5 minutos 3 páginas 8.junho.2012 NOME:

Leia mais

A Música da Arquitetura

A Música da Arquitetura A Música da Arquitetura 1 Cláudia Borges de Miranda Deve haver um código que traduza as formas espaciais em música. Esse código são as relações numéricas. Baseando em estudos de diversos autores, colocamos

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS - BARREIRO Ficha de avaliação 03 de História A. 10º Ano Turma D Professor: Renato Albuquerque. 8.junho.

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS - BARREIRO Ficha de avaliação 03 de História A. 10º Ano Turma D Professor: Renato Albuquerque. 8.junho. ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS - BARREIRO Ficha de avaliação 03 de História A 10º Ano Turma D Professor: Renato Albuquerque Duração da ficha: 15 minutos. Tolerância: 5 minutos 3 páginas 8.junho.2012 NOME:

Leia mais

Desenho Arquitetônico - 1

Desenho Arquitetônico - 1 Desenho Arquitetônico - 1 ELEMENTOS, SÍMBOLOS E GRÁFICOS Profª Joana Pinheiro Desenho Arquitetônico Definição: é uma linguagem gráfica, constituída de linhas e símbolos que representam uma criação, um

Leia mais

ANEXO I. QUADRO DE OFICINAS INTEGRANTES DOS PROGRAMAS DE FORMAÇÃO ARTÍSTICA DO CUCA (COM EMENTAS) Categoria I

ANEXO I. QUADRO DE OFICINAS INTEGRANTES DOS PROGRAMAS DE FORMAÇÃO ARTÍSTICA DO CUCA (COM EMENTAS) Categoria I ANEXO I QUADRO DE OFICINAS INTEGRANTES DOS PROGRAMAS DE FORMAÇÃO ARTÍSTICA DO CUCA (COM EMENTAS) Categoria I Desemho básico Desemho intermediário Desemho básico de observação Desenho de observação Fotografia

Leia mais

ARQUITETURA PRÉ-MODERNISTA: ADOLF LOOS E A RACIONALIDADE DA FORMA

ARQUITETURA PRÉ-MODERNISTA: ADOLF LOOS E A RACIONALIDADE DA FORMA 257 ARQUITETURA PRÉ-MODERNISTA: ADOLF LOOS E A RACIONALIDADE DA FORMA Liza da Fonseca Jeronymo¹, Francinne Xavier dos Santos¹, Mariana Malheiro Negrão Bandeira¹, Mariele Silva Ferragini¹, Valquíria Patricia

Leia mais

Português. 1. Signo natural

Português. 1. Signo natural Português Ficha de apoio 1 1 os anos João Cunha fev/12 Nome: Nº: Turma: Signos O signo é objeto de estudo de ciências como a Semiologia, a Semiótica e a Linguística, entre outras. Existem várias teorias

Leia mais

Representação Desenho Arquitetônico. Prof. Dr Rossano Silva CEG012 - Agronomia

Representação Desenho Arquitetônico. Prof. Dr Rossano Silva CEG012 - Agronomia Representação Desenho Arquitetônico Prof. Dr Rossano Silva CEG012 - Agronomia OS ELEMENTOS DO DESENHO ARQUITETÔNICO Os desenhos básicos que compõem um projeto de arquitetura, a partir de projeções ortogonais,

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES ACTIVIDADES ESTRATÉGIAS. Apresentação. Teste Diagnóstico prova teórico-prática

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES ACTIVIDADES ESTRATÉGIAS. Apresentação. Teste Diagnóstico prova teórico-prática ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES 3º C.E.B. DISCIPLINA: EDUCAÇÃO VISUAL ANO: 8º ANO LECTIVO 010/011 COMPETÊNCIAS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ACTIVIDADES ESTRATÉGIAS AULAS PREVISTAS INSTRUMENTOS

Leia mais

REVESTIMENTOS EM GESSO 3D COLLECTION

REVESTIMENTOS EM GESSO 3D COLLECTION REVESTIMENTOS EM GESSO 3D 2016 COLLECTION Fundada em 2015 e nascida a partir de uma ideia de inovação de produtos para o setor de revestimentos e decoração a 3DWALL entra no mercado para ser a maior fornecedora

Leia mais

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO PROGRAMA DE DISCIPLINA

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO PROGRAMA DE DISCIPLINA CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO PROGRAMA DE DISCIPLINA DISCIPLINA: TÉCNICAS RETROSPECTIVAS CÓDIGO: TAU079 CLASSIFICAÇÃO: Obrigatória PRÉ-REQUISITO: CARGA HORÁRIA: TEÓRICA: 45 horas PROFESSOR: Marco Antônio

Leia mais

Colégio Santa Dorotéia

Colégio Santa Dorotéia Colégio Santa Dorotéia Área de Ciências Humanas Disciplina: Série: 6ª Ensino Fundamental Professora: Ione Botelho Atividades para Estudos Autônomos Data: 5 / 9 / 2016 Valor: xxx pontos Aluno(a): Nº: Turma:

Leia mais

Desenho Técnico. Desenho Mecânico. Eng. Agr. Prof. Dr. Cristiano Zerbato

Desenho Técnico. Desenho Mecânico. Eng. Agr. Prof. Dr. Cristiano Zerbato Desenho Técnico Desenho Mecânico Eng. Agr. Prof. Dr. Cristiano Zerbato Introdução O desenho, para transmitir o comprimento, largura e altura, precisa recorrer a um modo especial de representação gráfica:

Leia mais

A GEOMETRIA NOS SÍMBOLOS, LOGOTIPOS E LOGOMARCAS. Palavras-chave: Geometria; Símbolos; Logotipos; Construções Geométricas.

A GEOMETRIA NOS SÍMBOLOS, LOGOTIPOS E LOGOMARCAS. Palavras-chave: Geometria; Símbolos; Logotipos; Construções Geométricas. na Contemporaneidade: desafios e possibilidades A GEOMETRIA NOS SÍMBOLOS, LOGOTIPOS E LOGOMARCAS Ruth Ribas Itacarambi GCIEM (Grupo Colaborativo de Investigação em ) ritacarambi@yahoo.com.br Resumo: A

Leia mais

Síntese da Planificação da Área de Língua Portuguesa 1º Ano

Síntese da Planificação da Área de Língua Portuguesa 1º Ano Síntese da Planificação da Área de Língua Portuguesa 1º Ano Período Dias de aulas previstos 2.ª 3.ª 4.ª 5.ª 6.ª 1.º período 13 12 12 12 14 2.º período 10 11 11 12 12 3.º período 9 9 9 9 10 (Carga horária:

Leia mais

MÉTODO DE ANÁLISE DE IMAGEM ICONOLOGIA. Profa. Dra. Ana Luisa Fayet Sallas (UFPR)

MÉTODO DE ANÁLISE DE IMAGEM ICONOLOGIA. Profa. Dra. Ana Luisa Fayet Sallas (UFPR) MÉTODO DE ANÁLISE DE IMAGEM ICONOLOGIA Profa. Dra. Ana Luisa Fayet Sallas (UFPR) analuisa@ufpr.br Escopo Conceitual Estudos de Iconologia Erwin Panofsky. Editorial Estampa, Lisboa, 1986, p.19-37 - Introdução.

Leia mais

01. A pintura rupestre apresenta no período paleolítico figuras feitas do modo naturalista. Defina o termo Naturalismo.

01. A pintura rupestre apresenta no período paleolítico figuras feitas do modo naturalista. Defina o termo Naturalismo. Capítulo 01 - A Arte na Pré-História 01. A pintura rupestre apresenta no período paleolítico figuras feitas do modo naturalista. Defina o termo Naturalismo. R Na pág. 09, na caixa de texto. 02. Os artefatos

Leia mais

Artes visuais AULA 3 Barroco, Rococó e Neoclassicismo

Artes visuais AULA 3 Barroco, Rococó e Neoclassicismo Artes visuais AULA 3 Barroco, Rococó e Neoclassicismo Prof. André de Freitas Barbosa Altar do Mosteiro de São Bento (Rio de Janeiro, 1617), traçado original de Francisco Frias de Mesquita. Numa época de

Leia mais

Aula 3 : Desenho Arquitetônico

Aula 3 : Desenho Arquitetônico Universidade Federal do Oeste da Bahia UFOB CENTRO DAS CIÊNCIAS EXATAS E DAS TECNOLOGIAS IADB79 - Desenho Técnico Aplicado à Engenharia Civil Prof. Dennis Coelho Cruz Aula 3 : Desenho Arquitetônico Introdução:

Leia mais

DOUBLE (junção de 2 salas)

DOUBLE (junção de 2 salas) CADERNO TÉCNICO DE LANÇAMENTO 15/07/2010 PADRONIZAÇÃO DE REPRESENTAÇÃO DO PRODUTO SINGLE (opção com copa) SINGLE (opção com copa) DOUBLE (junção de 2 salas) HALF FLOOR (junção de meio pavimento) 46m 2

Leia mais

Aplicação de métodos para a avaliação do nível de eficiência energética de um edifício exemplo

Aplicação de métodos para a avaliação do nível de eficiência energética de um edifício exemplo Aplicação de métodos para a avaliação do nível de eficiência energética de um edifício exemplo Gustavo Daou Palladini Ana Paula Melo Márcio José Sorgato Rogério Versage Roberto Lamberts Florianópolis,

Leia mais

ARTE MEDIEVAL. Estilo Bizantino

ARTE MEDIEVAL. Estilo Bizantino ARTE MEDIEVAL Durante a Idade Média (século V ao XV), a arte europeia foi marcada por uma forte influência da Igreja Católica. Esta atuava nos aspectos sociais, econômicos, políticos, religiosos e culturais

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Departamento da Educação Pré-Escolar Planificação Mensal Ano Letivo 2015/2016

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Departamento da Educação Pré-Escolar Planificação Mensal Ano Letivo 2015/2016 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Departamento da Educação Pré-Escolar Planificação Mensal Ano Letivo 2015/2016 MÊS: maio Área de Conteúdo Domínio Objetivos Estratégias Formação Pessoal e Social

Leia mais

Guião de visionamento do filme ESTÓRIA DO GATO E DA LUA, de Pedro Serrazina, 1995

Guião de visionamento do filme ESTÓRIA DO GATO E DA LUA, de Pedro Serrazina, 1995 Por Dentro do Filme II / Construção de Guiões de trabalho Julho 2011 Tavira André Mantas Guião de visionamento do filme ESTÓRIA DO GATO E DA LUA, de Pedro Serrazina, 1995 Planificação de actividades para

Leia mais

CURRÍCULO DO CURSO. Mínimo: 7 semestres. Prof. Dr. Paulo de Tarso Mendes Luna

CURRÍCULO DO CURSO. Mínimo: 7 semestres. Prof. Dr. Paulo de Tarso Mendes Luna Documentação: Objetivo: Titulação: Diplomado em: Resolução 12/CGRAD/2015 de 09/09/2015 Fornecer meios para formação de profissionais capazes para atuar em ambientes dinâmicos plurais, atendendo necessidades

Leia mais

ARTE: Conceito, Origem e Função

ARTE: Conceito, Origem e Função ARTE: Conceito, Origem e Função Irama Sonary de Oliveira Ferreira Lívia Freire de Oliveira INTRODUÇÃO Arte é conhecimento, e partindo deste princípio, pode-se dizer que é uma das primeiras manifestações

Leia mais

MOSAICOS, FAIXAS E ROSETAS NO GEOGEBRA

MOSAICOS, FAIXAS E ROSETAS NO GEOGEBRA MOSAICOS, FAIXAS E ROSETAS NO GEOGEBRA Sérgio Carrazedo Dantas Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR) sergio@maismatematica.com.br Guilherme Francisco Ferreira Universidade Estadual Paulista (UNESP)

Leia mais

HISTÓRIA DA ARTE. Pré-História e Antiguidade O mundo antigo. Professor Isaac Antonio Camargo

HISTÓRIA DA ARTE. Pré-História e Antiguidade O mundo antigo. Professor Isaac Antonio Camargo HISTÓRIA DA ARTE Pré-História e Antiguidade O mundo antigo Professor Isaac Antonio Camargo 1 4 O MUNDO ANTIGO Encontramos a arte na antigüidade dentro de civilizações mais preparadas técnica e socialmente,

Leia mais

RELATÓRIO FOTOGRÁFICO MÊS: AGOSTO / 2013

RELATÓRIO FOTOGRÁFICO MÊS: AGOSTO / 2013 RELATÓRIO FOTOGRÁFICO MÊS: AGOSTO / 2013 OBRA: RESERVA DA LAGOA Informações da Obra: Att. Aos clientes do Reserva da Lagoa A Iguatemi Construções Ltda. tem a satisfação em informar aos nossos clientes

Leia mais

ANEXO FOTOGRÁFICO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E CULTURAL

ANEXO FOTOGRÁFICO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E CULTURAL ANEXO FOTOGRÁFICO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E CULTURAL FOTO 01 Palacete em ruínas, conhecida como Vila Charquetti. UTM: 675.284 me X 7.252.158 mn. FOTO 02 Detalhe da ornamentação na fachada principal. UTM:

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL - AEC DE EXPRESSÃO PLÁSTICA

PLANIFICAÇÃO ANUAL - AEC DE EXPRESSÃO PLÁSTICA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PEDRÓGÃO GRANDE PLANIFICAÇÃO ANUAL - AEC DE EXPRESSÃO PLÁSTICA Ano letivo 2015/2016 Página 1 Plano Anual de AEC - Expressão Plástica Ano Letivo 2015/2016 Introdução: A manipulação

Leia mais

UFT/COPESE Vestibular

UFT/COPESE Vestibular QUESTÃO 01 João Filgueiras Lima (1932-2014), apelidado Lelé, foi um arquiteto que participou como protagonista no movimento moderno da arquitetura brasileira. Atuou em diversos projetos, em diferentes

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÂO VISUAL 5ºANO

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÂO VISUAL 5ºANO PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÂO VISUAL 5ºANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO O aluno é capaz de: Distinguir características de vários materiais riscadores (lápis de grafite, lápis de cor, lápis de cera,

Leia mais

PERSPECTIVA ISOMÉTRICA ELEMENTOS PARALELOS

PERSPECTIVA ISOMÉTRICA ELEMENTOS PARALELOS PERSPECTIVA ISOMÉTRICA ELEMENTOS PARALELOS Como estudado anteriormente, existem diferentes tipos de perspectiva (cônica, cavaleira e isométrica), veja a representação do cubo nas três perspectivas: Cada

Leia mais

Técnico Design Interior

Técnico Design Interior Técnico Design Interior A ARTE NO EGITO Professora Alba Baroni Arquiteta A ARTE NO EGITO O Egito foi uma das principais civilizações da antiguidade. Com uma civilização bastante desenvolvida em sua organização

Leia mais

Figura 1: Implantação da casa no Derby O Norte Oficina de criação. Fonte: Jéssica Lucena, 2015.

Figura 1: Implantação da casa no Derby O Norte Oficina de criação. Fonte: Jéssica Lucena, 2015. CASA NO DERBY Local Recife - PE Ano 2007-08 Escritório O Norte Oficina de Criação Autoras: Jéssica Lucena e Tamires Cabral Implantação e Partido Formal A Casa no Derby é uma residência unifamiliar de uso

Leia mais

O formato determina a composição. O formato exerce um papel fundamental no resultado final da composição.

O formato determina a composição. O formato exerce um papel fundamental no resultado final da composição. Composição Introdução UMA DAS PEÇAS ELEMENTARES NO DESENHO É A COMPOSIÇÃO... Uma pintura ou desenho muito bem feito pode perder todo o seu poder, se não estiver enquadrado dentro de uma composição bem

Leia mais

ARTES. 4 o Bimestre 1. Instrumentos musicais 2. Classificação dos instrumentos musicais (sopro, percussão, cordas, eletrônico)

ARTES. 4 o Bimestre 1. Instrumentos musicais 2. Classificação dos instrumentos musicais (sopro, percussão, cordas, eletrônico) PREFEITURA MUNICIPAL DE POMERODE SECRETARIA DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO EMPREENDEDORA CNPJ 83.102.251/0001-04 Fone: (47) 3395-6300 E-mail: educacao@pomerode.sc.gov.br Rua 15 de Novembro, 649 Bairro Centro 89107-000

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Centro de Comunicação e Letras Curso de Propaganda, Publicidade e Criação PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Centro de Comunicação e Letras Curso de Propaganda, Publicidade e Criação PLANO DE ENSINO PLANO DE ENSINO CÓDIGO 042 UNIDADE CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS CÓD. CURSO CURSO PROPAGANDA, PUBLICIDADE E CRIAÇÃO CÓD. DISC. 17031461 DISCIPLINA EVOLUÇÃO DAS ARTES VISUAIS I ETAPA 1 CH ANO 2009 CRÉDITOS

Leia mais

BARROCO PROFESSORA: GEORGIANA E G SOUSA 3º ANO E. M.

BARROCO PROFESSORA: GEORGIANA E G SOUSA 3º ANO E. M. BARROCO PROFESSORA: GEORGIANA E G SOUSA 3º ANO E. M. BARROCO Surgiu na Itália no século XVII e deve-se a uma série de mudanças econômicas, religiosas e sociais ocorridas na Europa; Contrarreforma reafirmar

Leia mais

Unidade I Tecnologia Corpo, movimento e linguagem na era da informação.

Unidade I Tecnologia Corpo, movimento e linguagem na era da informação. Unidade I Tecnologia Corpo, movimento e linguagem na era da informação. 2 Aula 3.1 Conteúdo: Luz e sombra. 3 Habilidade: Reconhecer, diferenciar e saber utilizar diversas técnicas de arte, com procedimentos

Leia mais

Desenho Técnico. Prof. Aline Fernandes de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010

Desenho Técnico. Prof. Aline Fernandes de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010 de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010 O QUE VIMOS AULA PASSADA?? Traçados das projeções - VF Traçados das projeções - VS Traçados das projeções - VS Traçados das projeções - VS Traçados das projeções VLE

Leia mais

I - Prova BA Turmas do 2º Semestre: Avaliação sobre conteúdos do 1º Semestre AM2AU, BM2AU, CM2AU, AT2AU, AN2AU e BN2AU

I - Prova BA Turmas do 2º Semestre: Avaliação sobre conteúdos do 1º Semestre AM2AU, BM2AU, CM2AU, AT2AU, AN2AU e BN2AU PROVA BA 2º SEMESTRE AU I - Prova BA Turmas do 2º Semestre: Avaliação sobre conteúdos do 1º Semestre AM2AU, BM2AU, CM2AU, AT2AU, AN2AU e BN2AU Projeto de Arquitetura e Urbanismo I 1. Espaço Público e Espaço

Leia mais

A Redução de São Miguel Arcanjo

A Redução de São Miguel Arcanjo 1 Leia o texto a seguir, observe a imagem e responda às questões. A Redução de São Miguel Arcanjo A Redução de São Miguel Arcanjo foi fundada em 1632 na região do Tape. Porém, devido aos ataques de paulistas

Leia mais

EDUCAÇÃO VISUAL - 8º ano

EDUCAÇÃO VISUAL - 8º ano EDUCAÇÃO VISUAL - 8º ano 2016/2017 Rotas de Aprendizagem mesquita.beta@gmail.com Profª Elisabete Mesquita Projeto 1: ANIMAÇÃO GRÁFICA DA CAPA Objetivo Geral: Reinventar uma foto do aprendente através do

Leia mais

A contribuição do movimento humano para a ampliação das linguagens

A contribuição do movimento humano para a ampliação das linguagens A contribuição do movimento humano para a ampliação das linguagens Movimento humano e linguagens A linguagem está envolvida em tudo o que fazemos, ela é peça fundamental para a expressão humana. Na Educação

Leia mais

O Templo foi o edifício de maior expressão da arquitetura grega. Para os gregos, ele simboliza a morada e abrigo da divindade, local onde se colocava

O Templo foi o edifício de maior expressão da arquitetura grega. Para os gregos, ele simboliza a morada e abrigo da divindade, local onde se colocava ORIGEM Os gregos foram os primeiros artistas realistas da história, ou seja, os primeiros a se preocupar em representar a natureza tal qual ela é. Para tal, foi fundamental o estudo das proporções, em

Leia mais

Mix Tape Vinheta De Um Programa De Tv¹. Jacqueline de SOUZA² Felipe LOPES³ Marcio Antonio RINALDI 4 Faculdades Integradas Rio Branco, São Paulo, SP

Mix Tape Vinheta De Um Programa De Tv¹. Jacqueline de SOUZA² Felipe LOPES³ Marcio Antonio RINALDI 4 Faculdades Integradas Rio Branco, São Paulo, SP Mix Tape Vinheta De Um Programa De Tv¹ Jacqueline de SOUZA² Felipe LOPES³ Marcio Antonio RINALDI 4 Faculdades Integradas Rio Branco, São Paulo, SP RESUMO Este trabalho realizado nas Faculdades Integradas

Leia mais

Código da Disciplina CCE0047 AULA 3.

Código da Disciplina CCE0047 AULA 3. Código da Disciplina CCE0047 AULA 3 http://cleliamonasterio.blogspot.com/ Representação de projetos de arquitetura NBR- 6492: INFORMAÇÕES NA PRANCHA: Nome dos ambientes: Em todo e qualquer projeto arquitetônico,

Leia mais

Estudo dirigido artes Milton Gomes Segundo ano Ensino Médio. Capítulo 14. A arte no Barroco Europeu. 01 Como foi criado o termo Barroco? R. na p.

Estudo dirigido artes Milton Gomes Segundo ano Ensino Médio. Capítulo 14. A arte no Barroco Europeu. 01 Como foi criado o termo Barroco? R. na p. Estudo dirigido artes Milton Gomes Segundo ano Ensino Médio Capítulo 14 A arte no Barroco Europeu 01 Como foi criado o termo Barroco? R. na p.141 02 No livro, encontramos duas explicações para o surgimento

Leia mais

8 8/14. Nível 1 9 9/14 1 : 100 1/14

8 8/14. Nível 1 9 9/14 1 : 100 1/14 1 2 3 4 A B 8 8/14 C 9 9/14 D 1 1/14 1 2 3 4 A B 8 8/14 C 9 9/14 D 2 2/14 1 2 3 4 A B 8 8/14 C 9 9/14 D 3 Cobertura 3/14 1 2 3 4 A B C D 4 Fundação 4/14 1 2 3 4 Cobertura 8.00 4.00 5 Elevação Frontal 0.00

Leia mais

APLICAÇÃO DO ARCO DE OGIVA LANCEOLADA NA ARQUITETURA DE JUIZ DE FORA: IGREJA METODISTA CENTRAL 1

APLICAÇÃO DO ARCO DE OGIVA LANCEOLADA NA ARQUITETURA DE JUIZ DE FORA: IGREJA METODISTA CENTRAL 1 APLICAÇÃO DO ARCO DE OGIVA LANCEOLADA NA ARQUITETURA DE JUIZ DE FORA: IGREJA METODISTA CENTRAL 1 Ana Paula Silva Lemos Natalia Cristina Dias Richarles Jesus dos Santos Tais C. Gonçalves Palmieri Thiago

Leia mais

PÓS-MODERNISMO E CONTEMPORANEIDADE

PÓS-MODERNISMO E CONTEMPORANEIDADE PÓS-MODERNISMO E CONTEMPORANEIDADE SÉC. XX - XXI História da Arte Profª Natalia Pieroni PÓS-MODERNISMO - Produção artística a partir dos anos 60 (pós movimento modernista), caracterizada pelas inquietações

Leia mais

DESENHO TÉCNICO E ARQUITETÔNICO

DESENHO TÉCNICO E ARQUITETÔNICO DESENHO TÉCNICO E ARQUITETÔNICO REPRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA Faculdade de Tecnologia e Ciências - FTC Unidade Vitória da Conquista BA Colegiado de Engenharia Civil Prof. Philipe do Prado Santos

Leia mais

OFICINA DAS CORES. Eduardo Dias Mattos. Artes Visuais. Professor. Escola Estadual Júlio Conceição Cubatão / SP. DER-Santos

OFICINA DAS CORES. Eduardo Dias Mattos. Artes Visuais. Professor. Escola Estadual Júlio Conceição Cubatão / SP. DER-Santos OFICINA DAS CORES Professor Eduardo Dias Mattos Escola Estadual Júlio Conceição Cubatão / SP DER-Santos 2016 Artes Visuais Introdução O Projeto foi criado em 2006 pelo Arte Educador, Professor Eduardo

Leia mais

Dicas para fazer esboços da natureza. adriaans.com/on- painting/

Dicas para fazer esboços da natureza.  adriaans.com/on- painting/ Dicas para fazer esboços da natureza. http://www.pieter- adriaans.com/on- painting/ geral Sempre Obrigue- se a trabalhar para e na natureza. Nunca copiar imagens, especialmente desenhos de outros. Estudá-

Leia mais

METODOLOGIA DE PROJETO

METODOLOGIA DE PROJETO METODOLOGIA DE PROJETO DE INTERIORES AULA 11: DIMENSÕES DO MOBILIÁRIO. CARÁTER, ATMOSFERA E ESTILO NA COMPOSIÇÃO. Disciplina do Curso Superior em Design de Interiores da UNAES/Anhanguera Educacional Arq.

Leia mais

Colégio Santa Dorotéia

Colégio Santa Dorotéia Colégio Santa Dorotéia Área de Ciências Humanas Disciplina: Série: 8ª - Ensino Fundamental Professora: Michelle Fialho Atividades para Estudos Autônomos Data: 23 / 5 / 2016 Nome: _ Nº Turma: INTRODUÇÃO

Leia mais

HISTÓRIA DA ARTE. Arte gótica Renascimento Barroco

HISTÓRIA DA ARTE. Arte gótica Renascimento Barroco HISTÓRIA DA ARTE Arte gótica Renascimento Barroco ARTE GÓTICA O Gótico foi notadamente a expressão artística mais importante do final da Idade Média. Seu auge ocorre na Baixa Idade Média. Sua importância

Leia mais

CASA PARA UM CASAL SEM FILHOS

CASA PARA UM CASAL SEM FILHOS CASA PARA UM CASAL SEM FILHOS FUNCIONAL CIRCULAÇÃO E ACESSOS IDENTIFICAR COMO AS RELAÇÕES DE ACESSO E CIRCULAÇÃO OCORREM NO INTERIOR DO LOTE, IDENTIFICAR O(S) ACESSO(S) EXTERIOR - INTERIOR E A COMO SE

Leia mais

ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO

ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO REPRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA Faculdade de Tecnologia e Ciências - FTC Unidade Vitória da Conquista BA Colegiado de Engenharia Civil Prof. Philipe do Prado

Leia mais

3.4 O Largo da Matriz e seu entorno

3.4 O Largo da Matriz e seu entorno 3.4 O Largo da Matriz e seu entorno O Largo da Matriz é o primeiro espaço público da cidade, onde foi fundada a povoação no início do século XVII em torno da capela de Sant ana, de acordo com Grinberg

Leia mais

Arte no Brasil Colonial. Arquitetura e urbanismo. 8º ano

Arte no Brasil Colonial. Arquitetura e urbanismo. 8º ano Arte no Brasil Colonial Arquitetura e urbanismo 8º ano - 2013 A arte no Brasil colonial (1500 a 1808) foi marcada pela forte influência européia. O principal estilo que surge neste período é o BARROCO,

Leia mais

RIF Ensaio Fotográfico

RIF Ensaio Fotográfico RIF Ensaio Fotográfico Mirim Santos: o artista de Ouro Preto Elaine Schmitt 1 As fotografias que compõem esse ensaio fotográfico foram feitas na cidade de Ouro Preto, Minas Gerais, em frente à Igreja Católica

Leia mais

História das artes e estética. UNIARAXÁ - ARQUITETURA E URBANISMO 2015/2!!! Prof. M.Sc. KAREN KELES!

História das artes e estética. UNIARAXÁ - ARQUITETURA E URBANISMO 2015/2!!! Prof. M.Sc. KAREN KELES! UNIARAXÁ - ARQUITETURA E URBANISMO 2015/2 Prof. M.Sc. KAREN KELES Curso Arquitetura e Urbanismo Carga Horária 80 Horas - 4 horas semanais Ementa: Estética como campo filosófico. 66 horas teórica - prática

Leia mais

Capítulo 4 LEITURA E INTERPRETAÇÃO DE DESENHOS

Capítulo 4 LEITURA E INTERPRETAÇÃO DE DESENHOS Capítulo 4 LEITURA E INTERPRETAÇÃO DE DESENHOS Definição e Pré-Requisitos Ler um desenho significa entender a forma espacial do objeto representado no desenho bidimensional resultante das projeções ortogonais.

Leia mais

O QUE HÁ EM COMUM NESTES DESENHOS?

O QUE HÁ EM COMUM NESTES DESENHOS? O QUE HÁ EM COMUM NESTES DESENHOS? E O QUE OS DIFERE DESTES? A RESPOSTA É PERSPECTIVA. A PERSPECTIVA é um campo de estudo da geometria, em especial a geometria descritiva. Desenhar em PERSPECTIVA é representar

Leia mais

Figura 9.1: Corpo que pode ser simplificado pelo estado plano de tensões (a), estado de tensões no interior do corpo (b).

Figura 9.1: Corpo que pode ser simplificado pelo estado plano de tensões (a), estado de tensões no interior do corpo (b). 9 ESTADO PLANO DE TENSÕES E DEFORMAÇÕES As tensões e deformações em um ponto, no interior de um corpo no espaço tridimensional referenciado por um sistema cartesiano de coordenadas, consistem de três componentes

Leia mais

Arte Alvaro Roteiro de estudos 2º/ /08/2016 Capítulos:

Arte Alvaro Roteiro de estudos 2º/ /08/2016 Capítulos: Nome Nº Ano Ensino Turma 9 o Fund. II Disciplina Professor Natureza Trimestre/Ano Data Arte Alvaro Roteiro de estudos 2º/2016 03/08/2016 Capítulos: 4 - A Arte na Hélade Grécia Antiga 5 - A Arte na Roma

Leia mais

THEATRO BERNARDO GUIMARÃES

THEATRO BERNARDO GUIMARÃES THEATRO BERNARDO GUIMARÃES Localizado na Avenida Dr. Américo Luz, n.º 143, está o Theatro Bernardo Guimarães que foi construído no final do século passado, por volta de 1.890, data aproximada, uma vez

Leia mais

Duração do teste: 90 minutos

Duração do teste: 90 minutos Escola Secundária/3 da Rainha Santa Isabel, Estremoz Duração do teste: 90 minutos Ano Letivo 2011/2012 HISTÓRIA DA CULTURA E DAS ARTES 10º F+H Teste de Avaliação nº 3 7-Fev-2012 Utilize apenas caneta ou

Leia mais

PENA PARQUE E PALÁCIO

PENA PARQUE E PALÁCIO PARQUE E PALÁCIO PENA O Palácio da Pena ergue-se no ponto mais alto da serra de Sintra, de onde se desfruta uma paisagem sublime sobre as colinas circundantes e sobre o Oceano Atlântico. O Palácio foi

Leia mais

Palestra de Vitrinismo. Vitrinismo: técnicas de exposição para valorizar seus produtos e sua vitrine

Palestra de Vitrinismo. Vitrinismo: técnicas de exposição para valorizar seus produtos e sua vitrine Palestra de Vitrinismo Vitrinismo: técnicas de exposição para CONCEITO DE EXPOSIÇÃO DE PRODUTOS A idéia básica: Mostrar ou destacar alguma coisa. Mostrar também significa: Comunicar Vitrinismo: técnicas

Leia mais

Calculando o MMC (mínimo múltiplo comum)

Calculando o MMC (mínimo múltiplo comum) Calculando o MMC (mínimo múltiplo comum) Público Alvo: Anos finais do ensino fundamental. Duração da atividade: 2h/a. Objetivo Geral: Compreender de forma significativa o algoritmo da fatoração simultânea

Leia mais

Século X; tempo em que a Europa se encontrava em crise.o poder real,enfraquecido, foi substituído pelo feudalismo e invasões ameaçavam a

Século X; tempo em que a Europa se encontrava em crise.o poder real,enfraquecido, foi substituído pelo feudalismo e invasões ameaçavam a Arquitetura Gótica Século X; tempo em que a Europa se encontrava em crise.o poder real,enfraquecido, foi substituído pelo feudalismo e invasões ameaçavam a França.Desprotegidos, o povo se organizou em

Leia mais

ARQUITETURA E URBANISMO

ARQUITETURA E URBANISMO ARQUITETURA E URBANISMO MATÉRIA: PROFESSOR: MODELAGEM BIDIMENSIONAL Arquiteto VALENTIM CÉSAR BIGESCHI E-mail: valentim@faccat.com.br vcbigeschi@gmail.com Site: www.bigeschi.com.br CURSO: NÚCLEO : DEPARTAMENTO:

Leia mais

Linguística As Dicotomias Linguísticas e a Dupla Articulação da Linguagem

Linguística As Dicotomias Linguísticas e a Dupla Articulação da Linguagem Linguística As Dicotomias Linguísticas e a Dupla Articulação da Linguagem Profª. Sandra Moreira Conteúdo Programático As Dicotomias Linguísticas Sincronia versus Diacronia Língua versus Fala Significante

Leia mais

Instruções para Uso dos Guias e Especificações Técnicas

Instruções para Uso dos Guias e Especificações Técnicas Instruções para Uso dos Guias e Especificações Técnicas 1. Introdução As orientações aqui contidas têm o objetivo de auxiliar a FRANQUEADA na instalação da AGF. Seguindo todas as orientações e tirando

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SÃO PAULO Campus Presidente Epitácio

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SÃO PAULO Campus Presidente Epitácio INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SÃO PAULO Campus Presidente Epitácio DORMITÓRIOS - SUÍTES QUARTO + BANHEIRO ÁREA DE DESCANSO E HIGIENE Docente: Fabrícia Mitiko Ikuta Verônica de Freitas

Leia mais

Conteúdo 5 - Design Gráfico Brasileiro O design antes do design ( ) professor Rafael Hoffmann

Conteúdo 5 - Design Gráfico Brasileiro O design antes do design ( ) professor Rafael Hoffmann Conteúdo 5 - Design Gráfico Brasileiro O design antes do design (1808-1950) professor Rafael Hoffmann (...) uma cultura visual distintamente brasileira entrelaçada com os estilos internacionais do final

Leia mais

Colégio Santa Dorotéia

Colégio Santa Dorotéia Colégio Santa Dorotéia Área de Ciências Humanas Disciplina: Série: 6ª - Ensino Fundamental Professora: Ione A. Botelho Atividades para Estudos Autônomos Data: 23 / 05 / 2016 Aluno(a): N o.: Turma: ORIENTAÇÕES:

Leia mais

PADRÃO DE ESCOLAS CONCRETTA MANUAL DE COMUNICAÇÃO VISUAL

PADRÃO DE ESCOLAS CONCRETTA MANUAL DE COMUNICAÇÃO VISUAL PADRÃO DE ESCOLAS CONCRETTA MANUAL DE COMUNICAÇÃO VISUAL Prezados Franqueados e Colaboradores, Este manual tem a função de ressaltar algumas informações de extrema importância, as quais influenciam muito

Leia mais

Planificação Anual. Professora: Dulce Direitinho Disciplina: Educação Visual Ano: 5.º Turma: A Ano letivo:

Planificação Anual. Professora: Dulce Direitinho Disciplina: Educação Visual Ano: 5.º Turma: A Ano letivo: Planificação Anual Professora: Dulce Direitinho Disciplina: Educação Visual Ano: 5.º Turma: A Ano letivo: 2014-2015 Domínio/Objetivos Descritores de Desempenho Atividades/Estratégias Avaliação Discurso

Leia mais

PLANO DE INTERVENÇÃO PINTURAS COMO ESTRATÉGIA DE HARMONISAR O AMBIENTE ESCOLAR CONTEXTUALIZAÇÃO

PLANO DE INTERVENÇÃO PINTURAS COMO ESTRATÉGIA DE HARMONISAR O AMBIENTE ESCOLAR CONTEXTUALIZAÇÃO PLANO DE INTERVENÇÃO PINTURAS COMO ESTRATÉGIA DE HARMONISAR O AMBIENTE ESCOLAR Por Eduardo Janner e Kaenara Munhoz CONTEXTUALIZAÇÃO A arte possui o poder de representar ideias através de linguagens particulares,

Leia mais

COMPOSIÇÃO II CASA DE BLAS ALBERTO CAMPO BAEZA. Trabalho I realizado por: Jorge Manuel Monteiro Sequeira

COMPOSIÇÃO II CASA DE BLAS ALBERTO CAMPO BAEZA. Trabalho I realizado por: Jorge Manuel Monteiro Sequeira COMPOSIÇÃO II CASA DE BLAS ALBERTO CAMPO BAEZA Trabalho I realizado por: Jorge Manuel Monteiro Sequeira LOCALIZAÇÃO - Sevilha La Nueva Madrid ARQUITECTURA Alberto Campo Baeza COLABORAÇÃO Raul del Valle

Leia mais

GUIA RÁPIDO DE APLICAÇÃO DE MARCAS

GUIA RÁPIDO DE APLICAÇÃO DE MARCAS GUIA RÁPIDO DE APLICAÇÃO DE MARCAS INTRODUÇÃO GUIA RÁPIDO DE APLICAÇÃO DE MARCAS Este é o guia rápido de aplicação de marcas do Grupo NotreDame Intermédica. Produzimos esse material para garantir uma unidade

Leia mais

METODOLOGIA DE PROJETO

METODOLOGIA DE PROJETO METODOLOGIA DE PROJETO DE INTERIORES AULA 10: PLANEJAMENTO E PRINCÍPIOS DO DESIGN Disciplina do Curso Superior em Design de Interiores da UNAES/Anhanguera Educacional Arq. Urb. Octavio F. Loureiro Data:

Leia mais

Civilização Cicládica Civilização Minóica ou Cretense Civilização Micênica

Civilização Cicládica Civilização Minóica ou Cretense Civilização Micênica A Arte Egéia ou Arte do Mar Egeu está associada às culturas que floresceram no mar Egeu antes do aparecimento dos Gregos por volta do 3000 A.C. e que foram principalmente três: Civilização Cicládica Civilização

Leia mais

ÍNDICE. Memória Descritiva PLANO DE PORMENOR DO ESPAÇO DE REESTRUTURAÇÃO URBANÍSTICA DA QUINTA DO BARÃO

ÍNDICE. Memória Descritiva PLANO DE PORMENOR DO ESPAÇO DE REESTRUTURAÇÃO URBANÍSTICA DA QUINTA DO BARÃO PLANO DE PORMENOR DO ESPAÇO DE REESTRUTURAÇÃO URBANÍSTICA DA QUINTA DO BARÃO ÍNDICE LEVANTAMENTO DO JARDIM E ESPAÇO ANEXO EXISTENTE PEÇAS DESENHADAS 01.1 e 01.2 - Levantamento de Elementos Construídos

Leia mais

Sublime max condominium

Sublime max condominium Incorporação e construção: Vendas: Sublime max condominium Estrada Benvindo de Novais, 2.205 Próximo à Recreio Veículos, Recreio dos Bandeirantes Ligue: 3539-5011 3387-9700 pdg.com.br/sublime Todas as

Leia mais

Figura 1: Lançamento dos pavimento no respectivamente Representação do reservatório program Depois de finalizado o lançamento das tubulações efetuado

Figura 1: Lançamento dos pavimento no respectivamente Representação do reservatório program Depois de finalizado o lançamento das tubulações efetuado Aplica-se às versões: Hydros V4 Flex Assunto Como devo efetuar o lançamento das tubulações e para que este considere que a caixa d'água está Artigo O AltoQi Flex é um pacote comercial contendo a l principais

Leia mais

Ensinar e aprender História na sala de aula

Ensinar e aprender História na sala de aula Ensinar e aprender História na sala de aula Séries iniciais do Ensino Fundamental Ensino de História nas séries iniciais do Ensino Fundamental Por que estudar História? Quais ideias os educandos possuem

Leia mais

Quantitativo de Revestimento de Parede (3 unidades) Tipo Material: Nome Material: Descrição Material: Área

Quantitativo de Revestimento de Parede (3 unidades) Tipo Material: Nome Material: Descrição Material: Área Quantitativo de Revestimento de Parede (3 unidades) Tipo Nome Descrição Parede Exterior Bloco 14 - Pintura externa e Cerâmica interna Parede Exterior Bloco 14 - Pintura externa e Cerâmica interna Alvenaria

Leia mais

Pela linha do tempo da história da arte

Pela linha do tempo da história da arte O processo artístico de ensino/aprendizagem orientado pela Profa. Kenia Olympia Fontan Ventorim, desenvolvido no ano de 2015 com os alunos do ensino médio do Instituto Federal do Espírito Santo Campus

Leia mais