LINHA VERDE. Novo Eixo de Transporte e de Desenvolvimento Urbano

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LINHA VERDE. Novo Eixo de Transporte e de Desenvolvimento Urbano"

Transcrição

1 LINHA VERDE Novo Eixo de Transporte e de Desenvolvimento Urbano

2 Região Metropolitana de Curitiba RIO BRANCO DO SUL ITAPERUÇU BOCAIÚVA DO SUL ALMIRANTE TAMANDARÉ CAMPO MAGRO CAMPO LARGO ARAUCÁRIA BALSA NOVA CONTENDA CURITIBA COLOMBO PINHAIS FAZENDA RIO GRANDE MANDIRITUBA CAMPINA GRANDE DO SUL QUATRO BARRAS PIRAQUARA SÃO JOSÉ DOS PINHAIS Curitiba e Região Metropolitana ANO POPULAÇÃO

3 Tráfego: em média veículos/ dia BR - 476

4 ANTIGA BR-116 ZONA DE SERVIÇOS 08 TRANSPOSIÇÕES

5 BAIRROS ATENDIDOS Linha Verde 6º eixo de transporte Extensão total: 18 Km 23 bairros beneficiados 287 mil pessoas População direta: 25 mil pessoas (duas quadras de cada lado)

6 CONCEITO Integração Urbana Maior permeabilidade: novas conexões de integração (binários) Desafogamento dos Eixos N-S: divide e seleciona a demanda Linha Verde: estações a cada Km = maior deslocamento em menor tempo Eixo N- S: estações a cada 400m = demanda local, deslocamentos menores Fortalecimento da identidade da região Flexibilidade para novos modais 3 terminais Setor Norte: 8 estações (1 futura) Setor Sul - 5 estações

7 SISTEMA DE VIAS VIA LOCAL UMA FAIXA + ESTACIONAMENTO VIA MARGINAL VIA MARGINAL TRÊS FAIXAS TRÊS FAIXAS CANALETA EXCLUSIVA TRANSPORTE COLETIVO VIA LOCAL UMA FAIXA + ESTACIONAMENTO

8 SISTEMA TRINÁRIO DE VIAS Largura: 60m Largura: 70m SETOR NORTE SETOR SUL Via Central: Canaleta exclusiva com duas faixas para o transporte coletivo. Duas vias marginais com 03 faixas para veículos cada. Duas vias locais, uma faixa de circulação e uma área para estacionamento em cada sentido. 13 cruzamentos semaforizados + 04 novos cruzamentos em desnível

9

10 ESTAÇÕES

11 INTEGRAÇÃO VERTICAL

12 USO DO SOLO Lei nº 9.800/ SETOR ESPECIAL DA BR ZONA DE TRANSIÇÃO DA BR PÓLOS

13 USO DO SOLO TERRENOS COM TESTADA PARA A LINHA VERDE E COM ÁREA MÍNIMA DE 2.000M² Redução do valor do Solo Criado em função do potencial construtivo total Diversificação de usos

14 PERFIL DE OCUPAÇÃO SETOR NORTE 60m SETOR SUL 70m

15 PÓLOS DA BR SETOR ESPECIAL DA BR-116 ÁREA PARA AS OPERAÇÕES URBANAS CONSORCIADAS RENOVAÇÃO URBANA

16 PÓLOS DA BR PÓLO FANNY

17 PROPOSTAS PARA OS PÓLOS DA BR Terrenos com testada para BR e área mínima de 2.000m² INCENTIVOS CONSTRUTIVOS: Área Comercial não computável = até 10% da Área Computável Total Estacionamento acima do solo = até 15% da Área Computável Total Área Comercial Prêmio 10% Área Estacionamento Prêmio 15%

18 PROPOSTAS PARA OS PÓLOS DA BR Terrenos com testada para BR e área mínima de 2.000m² OUTROS INCENTIVOS: Redução do valor do Solo Criado em função do potencial construtivo total: edifícios com até o coeficiente 2 = 75% do valor do m² edifícios com coeficiente 2 ao 3 = de 65% à 50% do valor do m² Até coeficiente 2 Até coeficiente 3 Solo Criado= 75% Solo Criado= 50%

19 PROPOSTAS PARA OS PÓLOS DA BR Terrenos com testada para BR e área mínima de 2.000m² OUTROS INCENTIVOS: Redução do valor do Solo Criado - diversificação de usos - empreendimentos que utilizem o potencial máximo (coeficiente 3) com, no mínimo, 1 coeficiente de uso diversificado (uso misto): valor do solo criado = 40% do valor do Até coeficiente 3 Uso Misto Solo Criado= 40%

20 PROPOSTAS PARA OS PÓLOS DA BR Demais terrenos com testada para a BR, até 100m de profundidade INCENTIVOS IGUAIS AOS PÓLOS LIMITADOS EM 12 PAVIMENTOS (Área Comercial, Área de Estacionamento e redução do valor do solo criado em função do coeficiente e do uso diversificado) PROPOSTAS PARA A ZONA DE TRANSIÇÃO DA BR INCENTIVOS Redução do valor do Solo Criado para empreendimentos residenciais com área das unidades de até 60 m2: valor do solo criado = 60% do valor do m²

21 PADRÕES DE OCUPAÇÃO PROPOSTOS

22 PÓLOS DA BR / TECNOPARQUE PERÍMETRO ANEL LOGÍSTICO - UFPR e PUC-PR; - Eixo Estrutural da Av. Marechal Floriano Peixoto - Linha Verde Novo Eixo de Transporte - Área Comercial (ZR3) em frente à PUC-PR; - Futuro Núcleo Empresarial, na ZT-BR116 - LATEC/CIETEP NÚCLEO TECNOPARQUE

23 PÓLOS DA BR / TECNOPARQUE

24 PADRÕES DE OCUPAÇÃO POSSÍVEIS ATUALMENTE Lei nº 9800/ Zoneamento e Uso do Solo

25 MEIO AMBIENTE Parque Atuba Parque Bacacheri Bosque Portugal/ Eixo Olímpico Jardim Botânico Parque da Cidade Horto Municipal Parque com m2 18 Km de ciclovias Boulevard (Parque) Recuperação da mata ciliar do rio Belém

26 PRIMEIRA ETAPA Terminal Pinheirinho Estação UFPR 200m antes do viaduto da UFPR 1 a Etapa

27 SEGUNDA ETAPA

28 JARDIM BOTÂNICO SISTEMA VIÁRIO ATUBA SOLAR FAGUNDES VARELA OLÍMPICA TARUMÃ JARDIM BOTÂNICO LINHA VERDE X AV. PRES. AFFONSO CAMARGO INTEGRAÇÃO VERTICAL COM O EIXO LESTE

29 JARDIM BOTÂNICO SISTEMA VIÁRIO ATUBA SOLAR FAGUNDES VARELA OLÍMPICA TARUMÃ JARDIM BOTÂNICO

30 JARDIM BOTÂNICO SISTEMA VIÁRIO ATUBA SOLAR FAGUNDES VARELA OLÍMPICA TARUMÃ JARDIM BOTÂNICO

31 JARDIM BOTÂNICO SISTEMA VIÁRIO ATUBA SOLAR FAGUNDES VARELA OLÍMPICA TARUMÃ JARDIM BOTÂNICO

32 BINÁRIO ROBERTO CHICHON AGAMENOM MAGALHÃES SISTEMA VIÁRIO ATUBA SOLAR FAGUNDES VARELA OLÍMPICA TARUMÃ JARDIM BOTÂNICO

33 TARUMÃ SISTEMA VIÁRIO ATUBA SOLAR FAGUNDES VARELA OLÍMPICA TARUMÃ JARDIM BOTÂNICO LINHA VERDE X AV. VICTOR FERREIRA DO AMARAL INTEGRAÇÃO VERTICAL

34 TARUMÃ SISTEMA VIÁRIO ATUBA SOLAR FAGUNDES VARELA OLÍMPICA TARUMÃ JARDIM BOTÂNICO

35 TARUMÃ SISTEMA VIÁRIO ATUBA SOLAR FAGUNDES VARELA OLÍMPICA TARUMÃ JARDIM BOTÂNICO

36 TARUMÃ SISTEMA VIÁRIO ATUBA SOLAR FAGUNDES VARELA OLÍMPICA TARUMÃ JARDIM BOTÂNICO

37 TARUMÃ SISTEMA VIÁRIO ATUBA SOLAR FAGUNDES VARELA OLÍMPICA TARUMÃ JARDIM BOTÂNICO

38 TARUMÃ SISTEMA VIÁRIO ATUBA SOLAR FAGUNDES VARELA OLÍMPICA TARUMÃ JARDIM BOTÂNICO

39 VILA OLÍMPICA SISTEMA VIÁRIO ATUBA SOLAR FAGUNDES VARELA OLÍMPICA TARUMÃ JARDIM BOTÂNICO

40 VILA OLÍMPICA SISTEMA VIÁRIO BOSQUE PORTUGAL ATUBA SOLAR FAGUNDES VARELA OLÍMPICA TARUMÃ JARDIM BOTÂNICO

41 VILA OLÍMPICA SISTEMA VIÁRIO ATUBA SOLAR FAGUNDES VARELA OLÍMPICA TARUMÃ JARDIM BOTÂNICO

42 TRINCHEIRA GUSTAVO RATTMAN SISTEMA VIÁRIO ATUBA SOLAR FAGUNDES VARELA OLÍMPICA TARUMÃ JARDIM BOTÂNICO

43 FAGUNDES VARELA SISTEMA VIÁRIO ATUBA SOLAR FAGUNDES VARELA OLÍMPICA TARUMÃ JARDIM BOTÂNICO

44 FAGUNDES VARELA SISTEMA VIÁRIO ATUBA SOLAR FAGUNDES VARELA OLÍMPICA TARUMÃ JARDIM BOTÂNICO

45 FAGUNDES VARELA SISTEMA VIÁRIO ATUBA SOLAR FAGUNDES VARELA OLÍMPICA TARUMÃ JARDIM BOTÂNICO

46 FAGUNDES VARELA SISTEMA VIÁRIO ATUBA SOLAR FAGUNDES VARELA OLÍMPICA TARUMÃ JARDIM BOTÂNICO

47 SOLAR SISTEMA VIÁRIO ATUBA SOLAR FAGUNDES VARELA OLÍMPICA TARUMÃ JARDIM BOTÂNICO

48 SOLAR SISTEMA VIÁRIO ATUBA SOLAR FAGUNDES VARELA OLÍMPICA TARUMÃ JARDIM BOTÂNICO

49 SOLAR SISTEMA VIÁRIO ATUBA SOLAR FAGUNDES VARELA OLÍMPICA TARUMÃ JARDIM BOTÂNICO

50 SOLAR SISTEMA VIÁRIO ATUBA SOLAR FAGUNDES VARELA OLÍMPICA TARUMÃ JARDIM BOTÂNICO

51 TRANSPOSIÇÃO LINHA VERDE BR-116 SISTEMA VIÁRIO ATUBA SOLAR FAGUNDES VARELA OLÍMPICA TARUMÃ JARDIM BOTÂNICO

52 TRANSPOSIÇÃO LINHA VERDE BR-116 SISTEMA VIÁRIO ATUBA SOLAR FAGUNDES VARELA OLÍMPICA TARUMÃ JARDIM BOTÂNICO

53 ATUBA SISTEMA VIÁRIO ATUBA SOLAR FAGUNDES VARELA OLÍMPICA TARUMÃ JARDIM BOTÂNICO

54 ATUBA SISTEMA VIÁRIO ATUBA SOLAR FAGUNDES VARELA OLÍMPICA TARUMÃ JARDIM BOTÂNICO

55 ATUBA SISTEMA VIÁRIO ATUBA SOLAR FAGUNDES VARELA OLÍMPICA TARUMÃ JARDIM BOTÂNICO

56

57

58 (FUTURA) LINHA VERDE NORTE

59

60

61

62

63 UMA RODOVIA EM TRANSFORMAÇÃO

64 UM NOVO TEMPO Evolução urbana RIO BRANCO DO SUL ITAPERUÇU BOCAIÚVA DO SUL ALMIRANTE TAMANDARÉ CAMPO MAGRO CAMPO LARGO ARAUCÁRIA BALSA NOVA CONTENDA CURITIBA COLOMBO PINHAIS FAZENDA RIO GRANDE MANDIRITUBA CAMPINA GRANDE DO SUL QUATRO BARRAS PIRAQUARA SÃO JOSÉ DOS PINHAIS Curitiba e Região Metropolitana ANO POPULAÇÃO

65 OPERAÇÃO URBANA LINHA VERDE BAIRROS ATENDIDOS Atuba Tingui Bairro Alto Bacacheri Jardim Social Tarumã Capão da Imbuia Cristo Rei Jardim Botânico Cajuru Jardim das Américas Prado Velho Guabirotuba Parolini Hauer Fanny Novo Mundo Xaxim Capão Raso Pinheirinho Tatuquara

66 NORTE UM TERRENO ÚNICO PARA INVESTIMENTO CENTRAL Bairros envolvidos : 22 População aproximada : hab. (Censo 2010) Quantidade de lotes : SUL Área do perímetro : m² Área de lotes : m² Setores : 3 ( Norte, Central, Sul)

67 OPERAÇÃO URBANA CONSORCIADA DIREITO DE CONSTRUÇÃO ADICIONAL

68 INTERVENÇÕES URBANAS Gentilezas urbanas-praças, parques e espaços de convivência. Travessias Verdes ligações viárias em desnível. Acessibilidade e mobilidade priorizando calçadas e ciclovias. Criar a Rede de microclima-drenagem, contenção de cheias e preservação de fundos de vale. Permeabilidade do solo. Equipamentos urbanos e comunitários. Ampliação e melhoria no sistema de integração do transporte coletivo urbano e metropolitano. Sistema de monitoração viária e segurança urbana. Programas de habitação de Interesse Social. Moradias em áreas de risco Saneamento : recuperação e ampliação de redes de coleta. Requalificação de áreas de interesse público.

69 PARQUE ATUBA AEROPORTO DO BACACHERI PORTÃO CENTRO TECNOPARQUE VILA OLIMPICA JARDIM BOTÂNICO PUC FIEP UFPR PINHEIRINHO CAPÃO RASO HAUER BOSQUE TAPAJÓS CARMO

70

71

72

73 NORTE INTERVENÇÕES URBANAS LEGENDA SUL

74 TRAVESSIA

75

76

77

78

79

80 GENTILEZA URBANA EMPREENDEDOR A PRAÇAS FUNDOS DE VALE EQUIPAMENTOS SOCIAIS ESCOLAS, CRECHES E POSTOS DE SAÚDE EMPREENDEDOR B

81 GENTILEZA URBANA Espaço de Convivência no próprio local Fundos de vale contínuos Drenagem e contenção de águas pluviais. Novas praças de vizinhança

82

83 NÚCLEO PUC FIEP UFPR TECNOPARQUE

84 PLANOS ESTRATÉGICOS NÚCLEO Área total do núcleo empresarial: m 2

85

86 VILA OLÍMPICA PÓLO Estação Vila Olímpica Estação Tarumã Capão da Imbuia Estação Capão da Imbuia

87 VILA OLÍMPICA VILA OLÍMPICA SISTEMA VIÁRIO ATUBA SOLAR FAGUNDES VARELA OLÍMPICA TARUMÃ JARDIM BOTÂNICO

88 LINHA VERDE SISTEMA VIÁRIO Estação Tarumã TARUMÃ ATUBA SOLAR FAGUNDES VARELA OLÍMPICA TARUMÃ JARDIM BOTÂNICO

89 Estação Fagundes Varela SISTEMA VIÁRIO ATUBA SOLAR FAGUNDES VARELA OLÍMPICA TARUMÃ JARDIM BOTÂNICO

90 Estação Solar SISTEMA VIÁRIO ATUBA SOLAR FAGUNDES VARELA Aeroporto Bacacheri OLÍMPICA TARUMÃ JARDIM BOTÂNICO

91 Estação Atuba SISTEMA VIÁRIO ATUBA SOLAR FAGUNDES VARELA OLÍMPICA TARUMÃ JARDIM BOTÂNICO

92 Rótula do Atuba OPERAÇÃO TRAVESSIA NORTE Francisco Albizu Gustavo Rattmann Fulvio Alice Vitor Ferreira do Amaral Roberto Cichon LEGENDA Agamenon Magalhães

93 OPERAÇÃO TRAVESSIA SUL LEGENDA

94 CURITIBA Um novo tempo

95 OPERAÇÃO URBANA CONSORCIADA LINHA VERDE OUC-LV Caracterização da região da OUC-Linha Verde

96 OPERAÇÃO URBANA CONSORCIADA LINHA VERDE OUC-LV OPERAÇÃO URBANA CONSORCIADA LINHA VERDE Área de Terreno Líquido Passível de Renovação 2011 Área de Terreno Passível de Renovação OUC-LV SETOR NORTE SETOR NORTE 0, (26,%7) (20%) (2,1%) (1,2%) (24,8%) SETOR CENTRO SETOR CENTRO 0, (8%) (15,9%) (14,1%) (4,5%) (3,4%) SETOR SUL SETOR SUL (15,9%) (38,3%) 0, (18,8%) (5,5%) (1,8%) (18,5%) (35,5%) (16,9%) LEGENDA

97 OPERAÇÃO URBANA CONSORCIADA LINHA VERDE OUC-LV Área de Terreno Passível de Renovação OUC-LV Cálculo da Área Construída Adicional - ACA Setor OPERAÇÃO URBANA CONSORCIADA LINHA VERDE Área de Terreno Líquida Passível de Transformação 2011 AT Total Líquida Área Terreno Renovável TOTAL Potencial Renovação assumido (ADESÃO) A.Terr. Renovável FINAL Acrescimo Coeficiente Proposto OUC-LV ACA Total NORTE Polos % , ZT % , SE-Set. Espec % , ZR % , Total Norte % , CENTRO Polos % , ZT % , SE-Set. Espec % , ZR % , ZED % , Total Centro % , SUL Polos % , ZT % , SE-Set. Espec % , ZR % , ZS ZI Total Sul % , TOTAL OUC-LV % ,

98 Fatores de Equivalência Setor Sub-Setor Uso Resid. Uso Não resid. Norte Central Sul Pólos - 1 0,95 1,15 Área diretamente beneficiada - 1 1,00 0,85 Área indiretamente beneficiada - 1 1,40 1,15 Pólos - 2 0,60 0,75 Área diretamente beneficiada - 2 0,65 0,50 Área indiretamente beneficiada - 2 1,00 0,85 Pólos - 3 0,90 1,10 Área diretamente beneficiada - 3 0,80 0,70 Área indiretamente beneficiada - 3 1,35 1,10

99 Zona / Setor de uso Parâmetros Construtivos Básico Potencial adicional Coeficiente Altura Coeficiente Altura PÓLO - LV 1,0 Livre 4,0 Livre SE-LV 1,0 6 4 Livre ZT - LV 1,0 4 2,5 8 ZE D 0,5 4 (1) 2,5 (Hab. Transitória) 1,0 (Comércio) 8 (1) ZR - 4 2,0 6 2,5 8

100 Interferência do cone de aproximação de vôo Aeroporto Bacacheri

101

102 CAD CONE 1010 m COTA MÉDIA DE TERRENO 900 m DIFERENÇA 110 m ( 36 pavim.) CONE 975 m COTA MÉDIA DE TERRENO 895 m DIFERENÇA 80 m ( 26 pavim.)

Adequação da Lei de Zoneamento, Uso e Ocupação do Solo ao Plano Diretor de Curitiba 2015

Adequação da Lei de Zoneamento, Uso e Ocupação do Solo ao Plano Diretor de Curitiba 2015 Adequação da Lei de Zoneamento, Uso e Ocupação do Solo ao Plano Diretor de Curitiba 2015 O zoneamento é a linguagem física da cidade. Divide a cidade em compartimentos sobre os quais incidem diretrizes

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA. OPERAÇÃO URBANA CONSORCIADA LINHA VERDE - Setembro. 2012 -

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA. OPERAÇÃO URBANA CONSORCIADA LINHA VERDE - Setembro. 2012 - PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA OPERAÇÃO URBANA CONSORCIADA LINHA VERDE - Setembro. 2012 - OPERAÇÃO URBANA CONSORCIADA - LINHA VERDE - Lei de criação : Lei Municipal n.º 13.919 de 19 de dezembro de 2011

Leia mais

DAS 11 ÀS 17 HORAS, DE SEGUNDA A SEXTA-FEIRA CURITIBA CENTRO MÊS SIM NÃO

DAS 11 ÀS 17 HORAS, DE SEGUNDA A SEXTA-FEIRA CURITIBA CENTRO MÊS SIM NÃO Curso: 1532 - (4 S) TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Página: 1 10000559538 1-3 DAS 11 ÀS 17 HORAS, DE SEGUNDA A SEXTA- CURITIBA CENTRO 500.00 MÊS SIM NÃO 10000559719 1-3 DAS 12 ÀS 18 HORAS, DE

Leia mais

DAS 08 ÀS 12 HORAS E DAS 13 ÀS 15 HORAS, DE SEGUNDA A SEXTA-FEIRA CURITIBA CENTRO MÊS SIM NÃO

DAS 08 ÀS 12 HORAS E DAS 13 ÀS 15 HORAS, DE SEGUNDA A SEXTA-FEIRA CURITIBA CENTRO MÊS SIM NÃO Curso: 1532 - (4 S) TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Página: 1 10000533699 1-3 DAS 08 ÀS 12 HORAS E DAS 13 ÀS 15 HORAS, DE SEGUNDA A CURITIBA CENTRO 700.00 MÊS SIM NÃO 10000535109 3-4 DAS 08 ÀS

Leia mais

Mobilidade e Políticas Urbanas em Belo Horizonte

Mobilidade e Políticas Urbanas em Belo Horizonte I Seminário Nacional de Política Urbana e Ambiental Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil Brasília abril 2016 Mobilidade e Políticas Urbanas em Belo Horizonte Tiago Esteves Gonçalves da Costa ESTRUTURA

Leia mais

Localização Estratégica

Localização Estratégica Porto Maravilha Localização Estratégica Aeroporto Internacional Tom Jobim 11 km Aeroporto Santos Dumont Oceano Atlântico 2 km Maracanã 5 km Pão de Açúcar Corcovado 7 km 6 km Copacabana 8 km Perímetro Porto

Leia mais

Desenvolvimento da Zona Leste

Desenvolvimento da Zona Leste Cidade de Oportunidades Desenvolvimento da Zona Leste SEMINÁRIO PLANEJAMENTO, DESENVOLVIMENTO URBANO E SUSTENTABILIDADE Maria Teresa Oliveira Grillo ESCOLA DE FORMAÇÃO DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL Março/

Leia mais

DAS 08 ÀS 12 HORAS E DAS 13 ÀS 15 HORAS, DE SEGUNDA A SEXTA-FEIRA CURITIBA CENTRO MÊS SIM SIM

DAS 08 ÀS 12 HORAS E DAS 13 ÀS 15 HORAS, DE SEGUNDA A SEXTA-FEIRA CURITIBA CENTRO MÊS SIM SIM Curso: 1532 - (4 S) TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Página: 1 10000544194 2-3 DAS 08 ÀS 12 HORAS E DAS 13 ÀS 15 HORAS, DE SEGUNDA A CURITIBA CENTRO 800.00 MÊS SIM SIM 10000544248 2-3 DAS 11 ÀS

Leia mais

Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba

Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba SISTEMA INTEGRADO DE TRANSPORTE METROPOLITANO EMPRESA : ARAUCÁRIA H01 CTBA / ARAUCÁRIA Troncal 3,70 Araucária H02 ARAUCÁRIA / C. RASO Linha Direta 3,70 Araucária

Leia mais

AVENIDA DONA BELMIRA MARIN MELHORAMENTOS E ALARGAMENTO IMPLANTAÇÃO DE CORREDOR DE ÔNIBUS

AVENIDA DONA BELMIRA MARIN MELHORAMENTOS E ALARGAMENTO IMPLANTAÇÃO DE CORREDOR DE ÔNIBUS AVENIDA DONA BELMIRA MARIN MELHORAMENTOS E ALARGAMENTO IMPLANTAÇÃO DE CORREDOR DE ÔNIBUS OPORTUNIDADES PROMOVER ORGANIZAÇÃO DO SISTEMA VIÁRIO E ALÍVIO DOS VOLUMES DE TRÁFEGO IMPORTANTE VIA ESTRUTURAL.

Leia mais

Semestre Bairro Bolsa-Auxílio (R$) Benefícios Requisitos CURITIBA CURITIBA CURITIBA CURITIBA CURITIBA CURITIBA CURITIBA CURITIBA CURITIBA CURITIBA

Semestre Bairro Bolsa-Auxílio (R$) Benefícios Requisitos CURITIBA CURITIBA CURITIBA CURITIBA CURITIBA CURITIBA CURITIBA CURITIBA CURITIBA CURITIBA Curso: 1.532 - (4 S) TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Página:1 10000461660 3-3 M/F DAS 12 ÀS 18 HORAS, DE SEGUNDA A ALTO DA RUA XV 400.00 MÊS 10000465780 3-4 M/F DAS 08H30MIN ÀS 14H30MIN, SEGUNDA

Leia mais

Companhia de Engenharia de Tráfego CET

Companhia de Engenharia de Tráfego CET Secretaria Municipal de Transporte SMT Sec e a a u cpa de a spo e S Companhia de Engenharia de Tráfego CET Anhanguera Bandeirantes Fernão Dias Presidente Dutra Ayrton Senna MAIRIPORÃ Castello Branco CAIEIRAS

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE. Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos

SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE. Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos Curitiba Tem 317 anos Possui cerca de 1.851.215 hab. Área - 432,17 km2 VISTA AÉREA DE CURITIBA ORGANIZAÇÃO E RESPONSABILIDADE

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana. O Brasil vai continuar crescendo

MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana. O Brasil vai continuar crescendo MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana O Brasil vai continuar crescendo O Brasil vai continuar crescendo PAVIMENTAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DE VIAS URBANAS MINISTÉRIO

Leia mais

Parcerias Público- Privadas do Rio de Janeiro. Rio Metropolitano. Jorge Arraes. 09 de julho 2015

Parcerias Público- Privadas do Rio de Janeiro. Rio Metropolitano. Jorge Arraes. 09 de julho 2015 Parcerias Público- Privadas do Rio de Janeiro Rio Metropolitano Jorge Arraes 09 de julho 2015 Prefeitura do Rio de Janeiro Secretaria Especial de Concessões e Parcerias Público-Privadas Em 2009, institucionalizou-se

Leia mais

10000540009 1-4 DAS 08H45MIN ÀS 12H45MIN, DE SEGUNDA A SEXTA-FEIRA CURITIBA CABRAL 450.00 MÊS SIM SIM

10000540009 1-4 DAS 08H45MIN ÀS 12H45MIN, DE SEGUNDA A SEXTA-FEIRA CURITIBA CABRAL 450.00 MÊS SIM SIM Curso: 1532 - (4 S) TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Página: 1 10000540009 1-4 DAS 08H45MIN ÀS 12H45MIN, DE SEGUNDA A CURITIBA CABRAL 450.00 MÊS SIM SIM 10000543664 3-4 A COMBINAR CURITIBA AGUA

Leia mais

Fabio Villas Bôas. Jardim das Perdizes, São Paulo

Fabio Villas Bôas. Jardim das Perdizes, São Paulo Fabio Villas Bôas Jardim das Perdizes, São Paulo O que é um bairro sustentável? Sustentabilidade a partir dos bairros Conceito: escala ideal para acelerar a implantação Portland: algumas iniciativas Anos

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº /2015

PROJETO DE LEI Nº /2015 Sumário PROJETO DE LEI Nº /2015 TÍTULO I DOS FUNDAMENTOS, ABRANGÊNCIA E FINALIDADES...7 CAPÍTULO I DOS FUNDAMENTOS E ABRANGÊNCIA... 7 CAPÍTULO II DA FINALIDADE E PROCEDIMENTOS DE AVALIAÇÃO... 7 TÍTULO

Leia mais

PREFEITURA DE GOIÂNIA

PREFEITURA DE GOIÂNIA ANEXO III CORREDORES EXCLUSIVOS CORREDORES EXCLUSIVOS, definidos na Figura 3 Sistema de Transporte Coletivo, são vias dotadas de pistas exclusivas para a circulação dos ônibus, localizados no eixo central

Leia mais

O Processo de Adensamento de Corredores de Transporte. Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba

O Processo de Adensamento de Corredores de Transporte. Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba O Processo de Adensamento de Corredores de Transporte Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba Curitiba SÃO PAULO População: 1.828.092 hab. Taxa de crescimento pop. 2000-2009: 1,71% 2008-2009:

Leia mais

40ª Reunião Ordinária do Conselho da Cidade de Curitiba 31 de março de 2016

40ª Reunião Ordinária do Conselho da Cidade de Curitiba 31 de março de 2016 Adequação da Lei de Zoneamento, Uso e Ocupação do Solo ao Plano Diretor de Curitiba 2015 40ª Reunião Ordinária do Conselho da Cidade de Curitiba 31 de março de 2016 Em dezembro de 2015, após 20 meses de

Leia mais

10000721141 1-4 DAS 13H30MIN ÀS 18H30MIN, DE SEGUNDA A SEXTA-FEIRA 26/04/2016 CURITIBA CAMPO COMPRIDO 500.00 MÊS SIM NÃO

10000721141 1-4 DAS 13H30MIN ÀS 18H30MIN, DE SEGUNDA A SEXTA-FEIRA 26/04/2016 CURITIBA CAMPO COMPRIDO 500.00 MÊS SIM NÃO Curso: 2056 - (4 S) TECNOLOGIA EM MARKETING Página: 1 10000721141 1-4 DAS 13H30MIN ÀS 18H30MIN, DE SEGUNDA A 26/04/2016 CURITIBA CAMPO COMPRIDO 500.00 MÊS SIM NÃO 10000721255 1-4 DAS 13H30MIN ÀS 18H30MIN,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA OFICINA DE CAPACITAÇÃO PARA O PLANO DIRETOR: REGIONAL CAJURU 24/03/2014 CURITIBA MARÇO/2014 Propostas do dia 24

Leia mais

DIRETRIZES DA POLÍTICA DE MOBILIDADE SP

DIRETRIZES DA POLÍTICA DE MOBILIDADE SP DIRETRIZES DA POLÍTICA DE MOBILIDADE SP SETEMBRO 2014 ANTECEDENTES CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 182/183 > CONDICIONAM O DIREITO DE PROPRIEDADE A SUA FUNÇÃO SOCIAL INSTRUMENTOS PARA CUMPRIR FUNÇÃO SOCIAL DA

Leia mais

Oportunidades para o Desenvolvimento Urbano Sustentável

Oportunidades para o Desenvolvimento Urbano Sustentável Oportunidades para o Desenvolvimento Urbano Sustentável Miguel Luiz Bucalem Secretário Municipal de Desenvolvimento Urbano Organização Agosto / 2009 Desenvolvimento Urbano Sustentável Desafios Oportunidades

Leia mais

ESTILO E PREÇO CURITIBA E REGIÃO GANHAM SEU PRIMEIRO OUTLET

ESTILO E PREÇO CURITIBA E REGIÃO GANHAM SEU PRIMEIRO OUTLET ESTILO E PREÇO CURITIBA E REGIÃO GANHAM SEU PRIMEIRO OUTLET Uma estrutura à altura para receber a sua marca O Grupo Amalfitana tem a satisfação de apresentar ao mercado o primeiro outlet de Curitiba e

Leia mais

Calçada Para Todos Mobilidade Urbana LONDRINA, PR

Calçada Para Todos Mobilidade Urbana LONDRINA, PR Calçada Para Todos Mobilidade Urbana LONDRINA, PR MUNICÍPIO DE LONDRINA CARACTERIZAÇÃO DO MUNICÍPIO DE LONDRINA Situado ao norte do estado do Paraná Município foi criado em dezembro de 1934 e acaba de

Leia mais

Instrumentos urbanísticos: alcances, limitações e possibilidades para Salvador

Instrumentos urbanísticos: alcances, limitações e possibilidades para Salvador Instrumentos urbanísticos: alcances, limitações e possibilidades para Salvador FÓRUM TEMÁTICO DO PLANO SALVADOR 500 Camila Maleronka camila@p3urb.com.br c.maleronka@gmail.com 17 de abril de 2015. OPERAÇÃO

Leia mais

Zoneamento Santos (Porção Insular - Lei Complementar nº 730/2011)

Zoneamento Santos (Porção Insular - Lei Complementar nº 730/2011) Zona da Orla - ZO Área caracterizada pela predominância de empreendimentos residenciais verticais de uso fixo e de temporada, permeada pela instalação de atividades recreativas e turísticas onde se pretende

Leia mais

Política de Combate a Inundações de Belo Horizonte. Prefeitura de Belo Horizonte

Política de Combate a Inundações de Belo Horizonte. Prefeitura de Belo Horizonte Política de Combate a Inundações de Belo Horizonte Prefeitura de Belo Horizonte Belo Horizonte, fevereiro/2011 ASPECTOS GERAIS DA CIDADE DE BELO HORIZONTE Área superficial : 330 km 2 População : 2,5 milhões

Leia mais

Entre Rios PROJETO ESTRATÉGICO

Entre Rios PROJETO ESTRATÉGICO Entre Rios PROJETO ESTRATÉGICO SOBRE O MUNICÍPIO domicílios com renda mensal até 2 s.m. 2010 Fonte: IBGE 2010 Base Cartográfica: MDC/SMDU; Emplasa, 2007 Elaboração: SMDU/SPurbanismo, 2013 3 domicílios

Leia mais

As Olimpíadas. e a Conquista da Cidade. e a Conquista da Cidade

As Olimpíadas. e a Conquista da Cidade. e a Conquista da Cidade Legado Urbano e Ambiental Ações Prioritárias: rias: - Reordenamento do espaço o urbano - Integração do sistema de transporte - Despoluição e controle ambiental - Reabilitação de áreas centrais degradadas

Leia mais

PREFEITO LUCIANO DUCCI

PREFEITO LUCIANO DUCCI Câmara dos Deputados Comissão de Desenvolvimento Urbano Curitiba PREFEITO LUCIANO DUCCI Mobilidade Urbana Cléver Ubiratan Teixeira de Almeida Presidente do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de

Leia mais

ESPAÇO URBANO: vias de circulação (hierarquias)

ESPAÇO URBANO: vias de circulação (hierarquias) UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA FACULDADE DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DE URBANISMO - ENGENHARIA CIVIL ESPAÇO URBANO: vias de circulação (hierarquias)

Leia mais

USO DO SOLO E ADENSAMENTO AO LONGO DOS CORREDORES DE TRANSPORTE DE BELO HORIZONTE

USO DO SOLO E ADENSAMENTO AO LONGO DOS CORREDORES DE TRANSPORTE DE BELO HORIZONTE USO DO SOLO E ADENSAMENTO AO LONGO DOS CORREDORES DE TRANSPORTE DE BELO HORIZONTE Land use and densification along mass transit corridors in Belo Horizonte Daniel Freitas Prefeitura Municipal de Belo Horizonte

Leia mais

PLANO DIRETOR garagens, mobilidade e outras questões urbanas

PLANO DIRETOR garagens, mobilidade e outras questões urbanas PLANO DIRETOR garagens, mobilidade e outras questões urbanas EDUARDO DELLA MANNA DIRETOR-EXECUTIVO SECOVI-SP VICE-PRESIDÊNCIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS E URBANISMO METROPOLITANO número mínimo de vagas LEI

Leia mais

Data: 14 de novembro de A Câmara Municipal de Guaratuba, Estado do Paraná, aprovou e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte lei:

Data: 14 de novembro de A Câmara Municipal de Guaratuba, Estado do Paraná, aprovou e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte lei: LEI Nº 1. 1 7 2 Data: 14 de novembro de 2005. Súmula: Dispõe sobre a Transferência do Direito de Construir e dá outras providências. A Câmara Municipal de Guaratuba, Estado do Paraná, aprovou e eu, Prefeito

Leia mais

Macrozona 7 Caracterização Rodovias e Leitos Férreos

Macrozona 7 Caracterização Rodovias e Leitos Férreos Macrozona 7 Caracterização Rodovias e Leitos Férreos MONTE MOR MACROZONA 6 INDAIATUBA Barreiras físicas Rodovia Santos Dumont principal ligação com Viracopos; utilizada para tráfego urbano, opera já no

Leia mais

Porto Maravilha. Out/2013

Porto Maravilha. Out/2013 Porto Maravilha Out/2013 O Projeto Porto Maravilha Operação Urbana Consorciada A Operação Urbana Consorciada do Porto do Rio de Janeiro é o maior projeto de revitalização urbana do mundo na atualidade

Leia mais

LOTEAMENTO CA URBANISMO BAURU

LOTEAMENTO CA URBANISMO BAURU LOTEAMENTO CA URBANISMO BAURU RELATÓRIO DE IMPACTO VIÁRIO CA URBANISMO SPE LTDA. JUNHO / 2015 1 INDICE INTRODUÇÃO...2 1. EMPREENDIMENTO...3 1.1 ATIVIDADES E DIMENSÕES...3 1.2 TOPOGRAFIA...6 2. CARACTERIZAÇÃO

Leia mais

CORREDOR METROPOLITANO VEREADOR BILÉO SOARES NOROESTE - RMC

CORREDOR METROPOLITANO VEREADOR BILÉO SOARES NOROESTE - RMC ESTRUTURA ORGANIZACIONAL ÁREA DE ATUAÇÃO: ESTADO DE SÃO PAULO REGIÕES METROPOLITANAS A EMTU é Responsável pelo gerenciamento do transporte coletivo intermunicipal metropolitano RMC RMVP RMBS - 1,8 milhão

Leia mais

As influências das políticas e do planejamento urbano no desenho de cidades mais sustentáveis:

As influências das políticas e do planejamento urbano no desenho de cidades mais sustentáveis: ECOINOVAÇÃO PARA A MELHORIA AMBIENTAL DE PRODUTOS E SERVIÇOS: EXPERIÊNCIAS ESPANHOLAS E BRASILEIRAS NOS SETORES INDUSTRIAL, URBANO E AGRÍCOLA. As influências das políticas e do planejamento urbano no desenho

Leia mais

DISCIPLINAMENTO DA CIRCULAÇÃO DE VEÍCULOS DE CARGA CENTRO HISTÓRICO DE PORTO ALEGRE

DISCIPLINAMENTO DA CIRCULAÇÃO DE VEÍCULOS DE CARGA CENTRO HISTÓRICO DE PORTO ALEGRE DISCIPLINAMENTO DA CIRCULAÇÃO DE VEÍCULOS DE CARGA CENTRO HISTÓRICO DE PORTO ALEGRE Diagnóstico Perturbações na fluidez Grandes dimensões Manobras lentas Raio de giro restrito Remoção difícil em caso de

Leia mais

Região Metropolitana de Curitiba

Região Metropolitana de Curitiba RORAIMA AMAPÁ AMAZONAS PARÁ MARANHÃO CEARÁ DO N ORTE PARAÍBA PIAUÍ PERNAMBUCO ACRE TOCANTINS ALA GOAS RONDÔNIA SERGIPE MATO G ROSSO BAHIA GOIÁS DF MINAS GERAIS MATO G ROSSO DO S UL E SPÍRITO SANTO SÃO

Leia mais

INFRAESTRUTURA PARA A COPA Obras de Mobilidade Urbana em Belo Horizonte

INFRAESTRUTURA PARA A COPA Obras de Mobilidade Urbana em Belo Horizonte INFRAESTRUTURA PARA A COPA 2014 Obras de Mobilidade Urbana em Belo Horizonte Agosto/2011 Programa de Mobilidade Urbana AÇÃO Prazo de execução obras nº meses Início Conclusão Obra Desapropriação BRT Antonio

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL SANTA CATARINA CURITIBA ATÉ A DIVISA DE

RELATÓRIO MENSAL SANTA CATARINA CURITIBA ATÉ A DIVISA DE RELATÓRIO MENSAL CONCESSIONÁRIA: RODOVIA: TRECHO: SANTA CATARINA EXTENSÃO: AUTOPISTA PLANALTO SUL BR-116/PR/SC CURITIBA ATÉ A DIVISA DE 412,700 KM RIO NEGRO PR FEVEREIRO DE 2015 1 ÍNDICE ITEM DESCRIÇÃO

Leia mais

de Belo Horizonte Projeto BRT Do sistema tronco alimentado convencional aos corredores de BRT

de Belo Horizonte Projeto BRT Do sistema tronco alimentado convencional aos corredores de BRT Sistema IntegradodeTransporte de porônibus de Belo Horizonte Projeto BRT Do sistema tronco alimentado convencional aos corredores de BRT Sumário Premissas e condicionantes do Projeto Conceito e características

Leia mais

Urbanismo e Mobilidade

Urbanismo e Mobilidade Urbanismo e Mobilidade Área de Abrangência: 3,8 milhões de m² Inclui 5 bairros completos (Centro, São Domingos, Gragoatá, Boa Viagem e Morro do Estado) e parte de 2 bairros (Ponta D Areia e São Lourenço).

Leia mais

Objetivo Geral Principais secretarias envolvidas: SMC, SEME, SMMA, SAS, SEMAB, SEHAB, SIURB, SSO, SEMPLA, SMT, SIS, SF, SMA, SJ e GP.

Objetivo Geral Principais secretarias envolvidas: SMC, SEME, SMMA, SAS, SEMAB, SEHAB, SIURB, SSO, SEMPLA, SMT, SIS, SF, SMA, SJ e GP. Plano Plurianual 2.002 2.005 Transformações Urbanas Objetivo Geral Principais secretarias envolvidas: SMC, SEME, SMMA, SAS, SEMAB, SEHAB, SIURB, SSO, SEMPLA, SMT, SIS, SF, SMA, SJ e GP. Melhorar a qualidade

Leia mais

Soluções Utilizadas pela Prefeitura Municipal de Curitiba nos Pavimentos Urbanos. Engª. Manuela do Amaral Marqueño Prefeitura Municipal de Curitiba

Soluções Utilizadas pela Prefeitura Municipal de Curitiba nos Pavimentos Urbanos. Engª. Manuela do Amaral Marqueño Prefeitura Municipal de Curitiba Soluções Utilizadas pela Prefeitura Municipal de Curitiba nos Pavimentos Urbanos Engª. Manuela do Amaral Marqueño Prefeitura Municipal de Curitiba Apresentação Pavimentos de Concreto em Curitiba Evolução

Leia mais

IMPLANTACAO VIARIA PARA CORREDOR EXCLUSIVO DE ONIBUS,LIGANDO SANTA CRUZ A BARRA DA TIJUCA - BRT TRANSOESTE

IMPLANTACAO VIARIA PARA CORREDOR EXCLUSIVO DE ONIBUS,LIGANDO SANTA CRUZ A BARRA DA TIJUCA - BRT TRANSOESTE 1 IMPLANTACAO VIARIA PARA CORREDOR EXCLUSIVO DE ONIBUS,LIGANDO SANTA CRUZ A BARRA DA TIJUCA - BRT TRANSOESTE AUDIÊNCIA PÚBLICA OUTRAS INFORMAÇÕES 2266-0369 SMTR www.rio.rj.gov.br 2589-0557 SMO Rio de Janeiro

Leia mais

TRAJETÓRIA DO MERCADO IMOBILIÁRIO E CENÁRIOS FUTUROS

TRAJETÓRIA DO MERCADO IMOBILIÁRIO E CENÁRIOS FUTUROS TRAJETÓRIA DO MERCADO IMOBILIÁRIO E CENÁRIOS FUTUROS Fonte:SMDU/SP Fonte:SMDU/SP Fonte:SMDU/SP Fonte:SMDU/SP Fonte:SMDU/SP CENÁRIO Apresentação do PL 688/13 na CMSP Promulgado o PDE Lei nº 16.050/14 Apresentação

Leia mais

ATUAÇÃO DA SH/CDHU Portfólio

ATUAÇÃO DA SH/CDHU Portfólio Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo ATUAÇÃO DA SH/CDHU Portfólio Reunião do Grupo de Trabalho sobre Responsabilidade com o Investimento 16 de junho de 2014 PORTFÓLIO

Leia mais

masterplan conceitual Parque Tia Nair Cuiabá / MT

masterplan conceitual Parque Tia Nair Cuiabá / MT masterplan conceitual Parque Tia Nair Cuiabá / MT abril 2013 masterplan conceitual - parque tia nair- CUIABÁ/MT abril 2013 APRESENTAÇÃO Perto de completar 300 anos, Cuiabá é a capital que mais cresceu

Leia mais

10000506669 3-4 DAS 09 ÀS 12HORAS E DAS 13 ÀS 16HORAS, DE SEGUNDA A SEXTA-FEIRA CURITIBA AHU 700.00 MÊS SIM SIM

10000506669 3-4 DAS 09 ÀS 12HORAS E DAS 13 ÀS 16HORAS, DE SEGUNDA A SEXTA-FEIRA CURITIBA AHU 700.00 MÊS SIM SIM Curso: 1532 - (4 S) TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Página: 1 10000506669 3-4 DAS 09 ÀS 12HORAS E DAS 13 ÀS 16HORAS, DE SEGUNDA A CURITIBA AHU 700.00 MÊS SIM SIM 10000519970 3-4 DAS 08 ÀS 14 HORAS,

Leia mais

Propostas para o Plano 500 Pddu e Lous

Propostas para o Plano 500 Pddu e Lous Propostas para o Plano 500 Pddu e Lous Meio Ambiente 1º urbanização das vias públicas e a criação de áreas verdes (praças, bosques, parques) de livre acesso a população 2º Implementação de ação social

Leia mais

Apresentado por: Tiago Mendonça

Apresentado por: Tiago Mendonça Apresentado por: Tiago Mendonça Lisboa, 19 de Novembro 2014 KaTembe Melhor Projecto Transversal de África Mapa Ferroviário de Moçambique Moçambique Mapa Ferroviário Moçambique Rede Ferroviária de Moçambique

Leia mais

ARCO METROPOLITANO. Ordenamento urbano e desenvolvimento social na Baixada Fluminense. Roberto Kauffmann Conselho Empresarial da Construção Civil

ARCO METROPOLITANO. Ordenamento urbano e desenvolvimento social na Baixada Fluminense. Roberto Kauffmann Conselho Empresarial da Construção Civil ARCO METROPOLITANO Ordenamento urbano e desenvolvimento social na Baixada Fluminense Roberto Kauffmann Conselho Empresarial da Construção Civil 29 de setembro de 2015 Baixada Fluminense I & II Municípios:

Leia mais

F L U X O S D E C A I X A ANO 2010 ENTIDADE CM MORA MUNICIPIO DE MORA Pág. 1 PERÍODO JANEIRO A DEZEMBRO /12/31 R E C E B I M E N T O S

F L U X O S D E C A I X A ANO 2010 ENTIDADE CM MORA MUNICIPIO DE MORA Pág. 1 PERÍODO JANEIRO A DEZEMBRO /12/31 R E C E B I M E N T O S 10:37 2011/04/02 Fluxos de caixa Pag. 1 ENTIDADE CM MORA MUNICIPIO DE MORA Pág. 1 PERÍODO JANEIRO A DEZEMBRO - 2010/12/31 R E C E B I M E N T O S SALDO DA GERÊNCIA ANTERIOR... 165.362,24 EXECUÇÃO ORÇAMENTAL...

Leia mais

Curso de Gestão de Mobilidade Urbana Ensaio Crítico Turma 18 Transporte Público coletivo como prioridade

Curso de Gestão de Mobilidade Urbana Ensaio Crítico Turma 18 Transporte Público coletivo como prioridade 1 Curso de Gestão de Mobilidade Urbana Ensaio Crítico Turma 18 Transporte Público coletivo como prioridade Fernando Soares dos Santos (*) O planejamento das cidades para as próximas décadas passa, necessariamente,

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS Aula 12. Prof. a Dr. a Maria das Graças Rua

POLÍTICAS PÚBLICAS Aula 12. Prof. a Dr. a Maria das Graças Rua POLÍTICAS PÚBLICAS Aula 12 Prof. a Dr. a Maria das Graças Rua PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO (PAC), criado pelo Decreto 6.025/2007 que define a estrutura formal da sua gestão. PAC medidas de estímulo

Leia mais

Freguesia de Quinta do Anjo

Freguesia de Quinta do Anjo Freguesia de Quinta do Anjo Escola Básica Bairro Alentejano - reparação da cobertura 5.000 30.000 Plano Urbanização de Cabanas 19.680 3.075 Plano Pormenor da Quinta do Bacelo - Qta do Anjo 17.670 10.423

Leia mais

Diagnóstico do Parque Augusta

Diagnóstico do Parque Augusta Diagnóstico do Parque Augusta Bruno Massao Carolina Camargo Daniela Gomes Giuliana Takahashi Luciana Santiago ESCRITÓRIO MODELO 2013 Localização Próximo ao local há comércios, universidades (Mackenzie,

Leia mais

estruturando a mobilidade da metrópole COMPANHIA PAULISTA DE TRENS METROPOLITANOS Sérgio Avelleda Diretor Presidente - CPTM

estruturando a mobilidade da metrópole COMPANHIA PAULISTA DE TRENS METROPOLITANOS Sérgio Avelleda Diretor Presidente - CPTM estruturando a mobilidade da metrópole COMPANHIA PAULISTA DE TRENS METROPOLITANOS Sérgio Avelleda Diretor Presidente - CPTM novembro/2008 Região Metropolitana da Grande São Paulo 39 municípios 19,7 milhões

Leia mais

DIRETRIZES DA POLÍTICA DE TRANSPORTE COLETIVO SOBRE PNEUS

DIRETRIZES DA POLÍTICA DE TRANSPORTE COLETIVO SOBRE PNEUS DIRETRIZES DA POLÍTICA DE TRANSPORTE COLETIVO SOBRE PNEUS DEZEMBRO 2013 DENSIDADE DE EMPREGOS ÁREA CENTRAL Plano Diretor 2013 Referências Trata da política de transporte e mobilidade urbana integrada com

Leia mais

PREFEITURA DE GOIÂNIA

PREFEITURA DE GOIÂNIA 1 Gabinete do Prefeito PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº ----, DE ----- DE DEZEMBRO DE 2012 Altera a Lei Complementar nº 171, de 29 de maio de 2007, que Dispõe sobre o Plano Diretor e processo de planejamento

Leia mais

Transporte Coletivo: Chegando mais rápido ao futuro. Repensar Mobilidade em Transporte Coletivo

Transporte Coletivo: Chegando mais rápido ao futuro. Repensar Mobilidade em Transporte Coletivo Repensar Mobilidade em Transporte Coletivo As Cidades mudaram População mudou A Economia mudou Os Meios de Transportes mudaram E nós? Ainda pensamos igual ao passado? Em TRANSPORTE COLETIVO chega-se ao

Leia mais

Prefeitura Municipal de Curitiba Relatório Plano de Ação - IPPUC

Prefeitura Municipal de Curitiba Relatório Plano de Ação - IPPUC Prefeitura Municipal de Curitiba Relatório Plano de Ação - IPPUC EIXO: Dimensão Desenvolvimento Urbano e Ambiental PROGRAMA: Mobilidade Urbana Integrada COORDENADOR: SERGIO POVOA PIRES OBJETIVO DO PROGRAMA

Leia mais

AlphaVille Urbanismo. Eficiência e qualidade, compromissos cumpridos. Sede - AlphaVille Urbanismo AlphaVille, São Paulo

AlphaVille Urbanismo. Eficiência e qualidade, compromissos cumpridos. Sede - AlphaVille Urbanismo AlphaVille, São Paulo AlphaVille Urbanismo Eficiência e qualidade, compromissos cumpridos Sede - AlphaVille Urbanismo AlphaVille, São Paulo História A história de um conceito de bem viver 1974 1994 História A história de um

Leia mais

Soluções Utilizadas Pela Prefeitura Municipal de Curitiba nos Pavimentos Urbanos

Soluções Utilizadas Pela Prefeitura Municipal de Curitiba nos Pavimentos Urbanos Soluções Utilizadas Pela Prefeitura Municipal de Curitiba nos Pavimentos Urbanos Engª Manuela do Amaral Marqueño Prefeitura Municipal de Curitiba Apoio Engº. Alexsander Maschio ABCP Apresentação Pavimento

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA OFICINA DE CAPACITAÇÃO PARA O PLANO DIRETOR: REGIONAL BOA VISTA MARÇO 2014 CURITIBA MARÇO/2014 Propostas do dia

Leia mais

1º Grupo Caracterização da Bacia do Itacorubi - 6 assuntos

1º Grupo Caracterização da Bacia do Itacorubi - 6 assuntos TEMAS PARA A ELABORAÇÃO DE INFOGRÁFICOS COM O APOIO DO FÓRUM DA BACIA DO ITACORUBI 1º Grupo Caracterização da Bacia do Itacorubi - 6 assuntos 1. A Bacia Hidrográfica do Itacorubi delimitação e características/vocação

Leia mais

CIDADES SUSTENTÁVEIS E A ECONOMIA ATUAL

CIDADES SUSTENTÁVEIS E A ECONOMIA ATUAL CIDADES SUSTENTÁVEIS E A ECONOMIA ATUAL CIDADE A C Encontro Encontro Trading Economia B Desenvolvimento Huacachina Veneza Manhattan PESSOAS Economia Cidade PLANETA O QUE É UMA CIDADE SUSTENTÁVEl? Pessoas

Leia mais

ESTRUTURA ECOLÓGICA DA ÁREA URBANA DE BEJA

ESTRUTURA ECOLÓGICA DA ÁREA URBANA DE BEJA BEJA 1/6 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. PROPOSTA DA ESTRUTURA ECOLÓGICA DA CIDADE... 4 2/6 1. INTRODUÇÃO Com a Estrutura Ecológica Urbana pretende-se criar um «continuum naturale» integrado no espaço urbano,

Leia mais

INSTRUMENTO DA OPERAÇÃO URBANA ÁGUA BRANCA

INSTRUMENTO DA OPERAÇÃO URBANA ÁGUA BRANCA INSTRUMENTO DA OPERAÇÃO URBANA ÁGUA BRANCA LOCALIZAÇÃO E CONTEXTO Jundiaí Campinas Rio de Janeiro Sorocaba Guarulhos OUC AB Congonhas CPTM E METRÔ: REDE EXISTENTE E PLANEJADA OUC AB SISTEMA VIÁRIO ESTRUTURAL

Leia mais

PAINEL 1 GERENCIAMENTO DA DEMANDA NO TRANSPORTE. Jilmar Tatto. Secretário municipal de transportes

PAINEL 1 GERENCIAMENTO DA DEMANDA NO TRANSPORTE. Jilmar Tatto. Secretário municipal de transportes PAINEL 1 GERENCIAMENTO DA DEMANDA NO TRANSPORTE Jilmar Tatto Secretário municipal de transportes GERENCIAMENTO DA DEMANDA DIRETRIZES DA POLÍTICA DE MOBILIDADE URBANA E TRANSPORTE PÚBLICO COLETIVO SÃO PAULO

Leia mais

Bicicleta, Ciclista e a Infraestrutura Cicloviária Município de São Paulo

Bicicleta, Ciclista e a Infraestrutura Cicloviária Município de São Paulo Bicicleta, Ciclista e a Infraestrutura Cicloviária Município de São Paulo Características das Viagens de Bicicleta no Município de São Paulo Sou + De Bicicleta Viagens por Modo de Transporte Fonte: Pesquisa

Leia mais

O PROJETO CIDADE DO POVO. Rio Branco - AC, 26 de julho de 2012

O PROJETO CIDADE DO POVO. Rio Branco - AC, 26 de julho de 2012 O PROJETO CIDADE DO POVO Rio Branco - AC, 26 de julho de 2012 O PROBLEMA O PROBLEMA O PROBLEMA O PROBLEMA O PROBLEMA O PROBLEMA O PROBLEMA O CONTEXTO Sustentabilidade Econômica : ZPE Parque Industrial

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA APROVAÇÃO DE PROJETOS HABITACIONAIS SECRETARIA DE ESTADO DA HABITAÇÃO

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA APROVAÇÃO DE PROJETOS HABITACIONAIS SECRETARIA DE ESTADO DA HABITAÇÃO MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA APROVAÇÃO DE PROJETOS HABITACIONAIS SECRETARIA DE ESTADO DA HABITAÇÃO 1 1. APROPRIAÇÃO FÍSICA DE GLEBAS URBANAS: 1.1. PARCELAMENTO DO SOLO (Lei Federal nº 6.766/79, alterada pela

Leia mais

Cidade Compacta. Diagonal Norte. Carandiru-Vila Maria. Água Branca. Lapa-Brás. Lapa-Brás Celso Garcia Centro. Vila Leopoldina. Rio Verde.

Cidade Compacta. Diagonal Norte. Carandiru-Vila Maria. Água Branca. Lapa-Brás. Lapa-Brás Celso Garcia Centro. Vila Leopoldina. Rio Verde. Repensar a cidade Diagonal Norte Cidade Compacta Vila Leopoldina Lapa-Brás Água Branca Carandiru-Vila Maria Lapa-Brás Celso Garcia Centro Rio Verde Vila Sonia Faria Lima Mooca-Vila Carioca Made by: SMDU/ATOU

Leia mais

MOBILIDADE METROPOLITANA E PROJETO URBANO

MOBILIDADE METROPOLITANA E PROJETO URBANO MOBILIDADE METROPOLITANA E PROJETO URBANO SEMINÁRIO RIO METROPOLITANO: DESAFIOS COMPARTILHADOS O FUTURO DA MOBILIDADE NA METRÓPOLE VERTICALIDADES Aspectos metropolitanos HORIZONTALIDADES Interações entre

Leia mais

Plano Municipal de Habitação Social da Cidade de São Paulo. agosto 2010

Plano Municipal de Habitação Social da Cidade de São Paulo. agosto 2010 Plano Municipal de Habitação Social da Cidade de São Paulo agosto 2010 Plano Municipal da Habitação apresentação marcos institucionais capítulo 1 princípios e diretrizes capítulo 2 a construção do PMH

Leia mais

A CIDADE ONDE QUEREMOS VIVER Planejamento Urbano e Viário. São Luís, 18 de junho de 2012

A CIDADE ONDE QUEREMOS VIVER Planejamento Urbano e Viário. São Luís, 18 de junho de 2012 A CIDADE ONDE QUEREMOS VIVER Planejamento Urbano e Viário São Luís, 18 de junho de 2012 NOVO CORREDOR DE TRANSPORTE URBANO DE SÃO LUÍS-MA EXPANSÃO DO SISTEMA VIÁRIO ITAQUI-BACANGA LEI DA MOBILIDADE

Leia mais

Programa Paulista de Concessões. Dr. Rodrigo José Oliveira Pinto de Campos Diretor de Assuntos Institucionais da ARTESP

Programa Paulista de Concessões. Dr. Rodrigo José Oliveira Pinto de Campos Diretor de Assuntos Institucionais da ARTESP Programa Paulista de Concessões Dr. Rodrigo José Oliveira Pinto de Campos Diretor de Assuntos Institucionais da ARTESP Foz do Iguaçu, 13 de Maio de 2016 Sobre a ARTESP Criada pela Lei Complementar nº 914,

Leia mais

MOBILIDADE URBANA. Miriam Belchior Ministra de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão

MOBILIDADE URBANA. Miriam Belchior Ministra de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão MOBILIDADE URBANA Miriam Belchior Ministra de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão MOBILIDADE URBANA RECURSO DISPONÍVEL 143 bilhões ANTES DO PACTO R$ 93 bilhões 62% das obras concluídas ou em execução

Leia mais

RIOS E CIDADES: RUPTURA E RECONCILIAÇÃO

RIOS E CIDADES: RUPTURA E RECONCILIAÇÃO 3 4 Figuras 161 a 162: Evolução da remoção de um canal onde não há limitação com expansão da margem vegetada etapas 3 e 4 Fonte: COSTA (2001, p. 143) apud CARDOSO (2003) 211 O plano do rio Don parece ser

Leia mais

Seminário Copa 2014 no Paraná. CREA-PR Confea Sinduscon PR 10/05/2011

Seminário Copa 2014 no Paraná. CREA-PR Confea Sinduscon PR 10/05/2011 Seminário Copa 2014 no Paraná CREA-PR Confea Sinduscon PR 10/05/2011 Governo do Paraná Governador Beto Richa Secretaria Estadual da Copa: Mario Celso Cunha Município de Curitiba Prefeito Luciano Ducci

Leia mais

Mobilidade Urbana em Rio Branco: soluções e desafios. Eng. Civil Marcus Alexandre Prefeito de Rio Branco

Mobilidade Urbana em Rio Branco: soluções e desafios. Eng. Civil Marcus Alexandre Prefeito de Rio Branco Mobilidade Urbana em Rio Branco: soluções e desafios Eng. Civil Marcus Alexandre Prefeito de Rio Branco A Cidade que temos e sua complexidade! A ocupação não planejada impõe grande desafio à mobilidade

Leia mais

URBANIZAÇÃO DE CURITIBA S.A. Av. Presidente Affonso Camargo, 330 CEP 80060-090 Curitiba PR E-mail: urbs.curitiba@avalon.sul.com.

URBANIZAÇÃO DE CURITIBA S.A. Av. Presidente Affonso Camargo, 330 CEP 80060-090 Curitiba PR E-mail: urbs.curitiba@avalon.sul.com. URBANIZAÇÃO DE CURITIBA S.A. Av. Presidente Affonso Camargo, 330 CEP 80060-090 Curitiba PR E-mail: urbs.curitiba@avalon.sul.com.br Tel: 55-41-320 3232 Fax: 55-41-232 9475 PLANEJAMENTO, GERENCIAMENTO E

Leia mais

CURITIBA 1966 2016 50 ANOS de PLANO DIRETOR e IPPUC

CURITIBA 1966 2016 50 ANOS de PLANO DIRETOR e IPPUC CURITIBA 1966 2016 50 ANOS de PLANO DIRETOR e IPPUC Estatuto da Cidade O Estatuto da Cidade é a denominação oficial da lei 10.257 de 10 de julho de 2001, que regulamenta o capítulo "Política Urbana" da

Leia mais

FÓRUM DE DEBATES APROVAÇÕES DE GRANDE PORTE - SECRETARIA DA HABITAÇÃO/APROV.

FÓRUM DE DEBATES APROVAÇÕES DE GRANDE PORTE - SECRETARIA DA HABITAÇÃO/APROV. FÓRUM BATES APROVAÇÕES GRAN PORTE - SECRETARIA DA HABITAÇÃO/APROV. EMPREENDIMENTOS GRAN PORTE nr3 Lei 13.885/04 Usos R e nr 1. Compatíveis com R. 2. Toleráveis: não causam impactos nocivos. nr 3. Potencialmente

Leia mais

APLICANDO O CÓDIGO DE OBRAS E EDIFICAÇÕES DO MUNICÍPIO DE SÃO CARLOS Arq. Fernando Mazzeo Grande

APLICANDO O CÓDIGO DE OBRAS E EDIFICAÇÕES DO MUNICÍPIO DE SÃO CARLOS Arq. Fernando Mazzeo Grande APLICANDO O CÓDIGO DE OBRAS E EDIFICAÇÕES DO MUNICÍPIO DE SÃO CARLOS Arq. Fernando Mazzeo Grande Secretaria Municipal de Habitação e Desenvolvimento Urbano 2012 ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO I. PRINCIPAIS DISPOSITIVOS

Leia mais

SECRETARIA DE TRANSPORTES

SECRETARIA DE TRANSPORTES SECRETARIA DE TRANSPORTES Major Events Grandes Eventos 2013 Copa das Confederações 2013 Jornada Mundial da Juventude Católica 2014 Copa do Mundo de Futebol 2016 Jogos Olímpicos Soluções de Mobilidade para

Leia mais

PROGRAMA POLIS OUTUBRO

PROGRAMA POLIS OUTUBRO OUTUBRO 2008 1 PROGRAMA POLIS OUTUBRO 2008 2 O PROGRAMA POLIS Objectivos Desígnios Tipologias PLANO ESTRATÉGICO MODELO ORGANIZACIONAL GESTÃO DE PROJECTO OUTUBRO 2008 3 Objectivos Desenvolver grandes operações

Leia mais

Propostas referentes ao incentivo do rio como caminho:

Propostas referentes ao incentivo do rio como caminho: Propostas referentes ao incentivo do rio como caminho: Remodelação das calçadas e ruas lindeiras. Propostas referentes à conservação da paisagem: Remoção das palafitas, melhoria das vias de pedestres incluindo

Leia mais

Revisão do Plano Diretor Estratégico Desafios para a Revisão do PDE SMDU DEURB

Revisão do Plano Diretor Estratégico Desafios para a Revisão do PDE SMDU DEURB Revisão do Plano Diretor Estratégico Desafios para a Revisão do PDE SMDU DEURB 2013 O desafio de: - Fortalecer espaços produtivos - Aproximar a oferta de empregos dos locais de moradia Fonte: Pesquisa

Leia mais

Fonte:

Fonte: Fonte: www.cm-seixal.pt O Parque Industrial do Seixal PIS 1 Freguesia da Zona Aldeia não de habitacional Paio Pires 3 O Parque Industrial do Seixal PIS 1 4 O Parque Industrial do Seixal PIS 1 Construído

Leia mais

SECRETÁRIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE PORTARIA Nº. 015, DE 21 DE OUTUBBRO DE 2004.

SECRETÁRIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE PORTARIA Nº. 015, DE 21 DE OUTUBBRO DE 2004. SECRETÁRIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE PORTARIA Nº. 015, DE 21 DE OUTUBBRO DE 2004. O SECRETÁRIO MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE, no uso de suas atribuições legais e regulamentares, conforme art. 27º, do Decreto

Leia mais

Gestão de Inundações urbanas. Dr. Carlos E M Tucci Rhama Consultoria e IPH - UFRGS

Gestão de Inundações urbanas. Dr. Carlos E M Tucci Rhama Consultoria e IPH - UFRGS Gestão de Inundações urbanas Dr. Carlos E M Tucci Rhama Consultoria e IPH - UFRGS tucci@rhama.net Tipos de inundações Inundações ribeirinhas: inundações naturais resultado da flutuação dos rios durante

Leia mais

A importância da mudança modal para tirar São Paulo da contramão. Autora: Arqta. Melissa Belato Fortes Co-autora: Arqta. Denise H. S.

A importância da mudança modal para tirar São Paulo da contramão. Autora: Arqta. Melissa Belato Fortes Co-autora: Arqta. Denise H. S. A importância da mudança modal para tirar São Paulo da contramão Autora: Arqta. Melissa Belato Fortes Co-autora: Arqta. Denise H. S. Duarte Objeto da pesquisa Relação entre adensamento, multifuncionalidade

Leia mais