Relatório Anual 2011

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Relatório Anual 2011"

Transcrição

1 Relatório Anual 2011

2 ÍNDICE 1 Nota Introdutória 3 2. Champalimaud Centre for the Unknown Organização 2.2. Infra-estruturas Sistema de Gestão do Edifício (BMS) Economia energética Iluminação Comunicações Centro de Cálculo 2.3. Licenciamentos 2.4. Sistemas Informáticos 2.5. Restauração 2.6. Gestão dos Espaços 2.7. Manutenção e Engenharia 3. Centro Clínico Champalimaud Organização 3.2. Actividade Clínica 3.3. Atendimento ao Doente 3.4. Acordos 4. Programa Champalimaud de Neurociências Programa de Cancro Programa Doutoral para Médicos 5.2. Simpósios e Reuniões 5.3. Champalimaud Metastasis Programmes 6. Prémio António Champalimaud de Visão Reunião do Júri e selecção dos premiados 6.2. Cerimónia de atribuição do Prémio 6.3. Preparação do Prémio Conferência sobre o Prémio António Champalimaud de Visão na ARVO 7. Rede C-TRACER C-TRACER Índia 7.2. The Fourth Annual Champalimaud Research Symposium - LVPEI 7.3. C-TRACER Coimbra 7.4. C- TRACER Brasil 8. Outras Parcerias Health Cluster Portugal 8.2. EARMA European Association of Research Managers and Administrators 8.3. Centro Português de Fundações e European Foundation Centre

3 9. Programa Champimóvel Eventos 9.2. Roteiro 9.3. Sessões e visitas 9.4. Reuniões 9.5. Divulgação 10. Reuniões da Fundação Conselho de Curadores 11. Comunicação e Relações Públicas Visitas ao Centro Nos média Livro O binómio de Newton & a Vénus de Milo 12. Biografias 129 Médicos Contratados em 2011 Zvi Fuks Carlo Greco António Parreira Investigadores contrados em Programa Champalimaud de Neurociências Christian Machens Alfonso Renart Leopoldo Petreanu Maria Luísa Vasconcelos 13. Gestão do Património Financeiro 136 Foto da capa e separadores Rosa Reis

4 Leonor Beleza Presidente da Fundação Champalimaud Nota introdutória O ano de 2011 ficará na nossa memória colectiva (refiro- -me à dos que trabalhamos na Fundação Champalimaud) como o tempo em que passámos a ocupar o maravilhoso complexo à beira-tejo a que chamamos Champalimaud Centre for the Unknown. Um tempo diferente, em que ficava para trás o processo de construção física do nosso campus, e em que finalmente se consumava a execução do nosso principal objectivo: um centro de investigação translacional, na área das ciências da vida, que ombreie com os melhores do mundo e nos permita participar no combate científico à doença e ao sofrimento humano. As instalações físicas, os licenciamentos necessários, a montagem e verificação de todos os sistemas ocuparam, como dá conta este relatório, muita da actividade que a Fundação desenvolveu em 2011, por forma a garantir o entorno eficaz e seguro do desenvolvimento da nossa missão principal. Orgulhamo-nos, também a esse nível, do que já alcançámos. A envergadura física do espaço que ocupamos, o lugar em que nos situamos, a relação que queremos consolidar com os cida- dãos que servimos nós também tornaram particularmente exigente todo o processo de montagem dos mais variados sistemas, ora virados para dentro, para a actividade exercida nas nossas instalações, ora para fora, para permitir a circulação nos nossos espaços e a proximidade com o que fazemos das pessoas que o desejem. Mas é claro que o que conta verdadeiramente na nossa actividade é a qualidade da ciência e dos tratamentos que prestamos. E por isso o coração do que fizemos em 2011 reside no que fizeram os nossos cientistas e os nossos médicos, nos programas que pudemos montar, na coerência e na consistência do conjunto de toda a actividade, como sempre a concebemos. O programa de neurociências existe desde Esteve alojado, entre essa data e 2011, no Instituto Gulbenkian de Ciência, ao abrigo de um protocolo com a Fundação Calouste Gulbenkian, que incluía o designado Champalimaud Neuroscience Program (CNP), encontros e seminários e um doutoramento de respon-

5 4/5 sabilidade conjunta das duas fundações, que se mantém aliás nesses termos. Ao longo do ano de 2011, decorreu quase todo o processo de transferência de instalações, bem como um crescimento do programa, em que alguns dos investigadores principais e respectivos laboratórios se instalaram directamente no novo campus. Quero nesta circunstância e neste lugar agradecer à Fundação Gulbenkian, muito em particular ao director do IGC, Prof. António Coutinho, o acolhimento de que fomos alvo, que nos permitiu em condições únicas a incubação do programa de neurociências antes de este poder dispor de instalações próprias. Do desenvolvimento do programa dá conta, de forma circunstanciada, este relatório. A passagem para as instalações que agora ocupam constituiu um processo relativamente complexo, que não implicou apenas a deslocação de pessoas e equipamentos, mas também a garantia de que os trabalhos em curso podiam ser prosseguidos nas novas instalações e a reorganização de todo o sistema de plataformas e de pessoal de apoio. Ainda em 2011, o CNP organizou o simpósio inaugural nas novas instalações, bem como uma série de iniciativas destinadas ao grande público (Ar), num caso e noutro com ampla participação, do mundo científico e de pessoas interessadas sem formação especial, revelando uma grande capacidade de alcance na área especializada e na divulgação da ciência. No conjunto de financiamentos e distinções obtidas em 2011 pelos neurocientistas, quero distinguir, pela sua relevância, que Megan Carey e Rui Costa obtiveram bolsas do prestigiadíssimo Howard Hughes Medical Institute, que os considerou como futuros líderes nas áreas que investigam. Na outra grande área de trabalho do Centro, o cancro, o ano que passou foi decisivo na definição do respectivo programa científico e no lançamento da base de prestação de cuidados clínicos que o sustenta. O recrutamento e contratação do Dr. Zvi Fuks como director do Centro no início do ano, imediatamente seguido da escolha do Prof. António Parreira como director clínico e do Prof. Carlo Greco como director de investigação clínica, garantiram a presença dos elementos essenciais para que o sector do cancro fosse assumido na Fundação como um projecto de natureza translacional com uma forte componente de investigação clínica e tecnológica. Já anteriormente, a entrada da Dra. Fátima Cardoso, dirigindo a unidade da mama e, mais tarde, a do Prof. Durval Costa, responsável pelo serviço de medicina nuclear, do Dr. Carlos Carvalho, dirigindo o departamento de oncologia médica, do Dr. Luís Rosa, responsável pelo serviço de radiologia, e dos Prof. Jorge Cruz e Dr. Jorge Fonseca, responsáveis respectivamente pelas unidades de cirurgia torácica e urologia, compuseram no conjunto uma equipa, a ser completada este ano, que garante um altíssimo nível de prestação de cuidados e a capacidade de desenvolvimento de investigação de ponta, quer na área farmacológica, quer na de diagnóstico e tratamento de alta tecnologia. O Dr. Zvi Fuks, antigo director de radioterapia do Memorial Sloan Kettering Cancer Center, em Nova Iorque, reputado especialista e cientista a nível mundial, creditado como autor de alguns dos maiores avanços no domínio do tratamento do cancro, e recebido no ano de 2011 como membro do Instituto de Medicina da Academia Nacional de Ciências dos EUA, dirige agora todo o conjunto do Centro, garantindo a coerência do projecto e a excelência da investigação e da prestação de cuidados. Tem sido capaz de captar, para trabalhar no Centro ou com ele colaborar, um conjunto de técnicos de alta capacidade e de instituições com quem precisamos de manter uma prática constante de colaboração e de exigência. O esforço de recrutamento e de constituição de equipas, que prossegue, iniciado basicamente em 2011, assenta na ideia de grupos multidisciplinares por áreas de cancro, apoiadas em equipas transversais de diagnóstico e terapêutica, com um interesse científico que incide de forma especial na área da prevenção e tratamento das metástases. Os serviços clínicos dedicam-se à prevenção, diagnóstico precoce e tratamento do cancro usando e desenvolvendo os conhecimentos mais actualizados e as tecnologias mais sofisticadas.

6 Foi montado durante o ano de 2011 um sistema especial e humanizado de recepção das pessoas que nos procuram, baseado na individualização do acolhimento e na manutenção da privacidade, num ambiente que preserva até ao limite do possível a normalidade dos lugares e dos tempos, tentando suprimir tudo o que um ambiente hospitalar clássico introduz de pressão e sofrimento acrescido. A manutenção de um nível elevado de prestação de cuidados e de excelência na ciência supõem, aí sim, uma pressão constante sobre os meios, os espaços e as pessoas que trabalham no Centro. Tentamos fazê-lo de forma a motivar e entusiasmar a excelente equipa de colaboradores que temos vindo a recrutar. A revista americana The Scientist, que produz anualmente rankings de instituições científicas que constituem os melhores sítios para trabalhar em pós-doutoramento, distinguindo entre as que estão nos EUA e as que estão em todo o resto do mundo, considerou que a melhor dessas instituições fora de solo americano é a Fundação Champalimaud. Este destaque, que se baseia na opinião dos próprios cientistas, enche-nos de orgulho e de responsabilidade. Ajuda-nos na visibilidade, cá dentro e lá fora, que obviamente procuramos. Mas também nos ajuda a encontrar um estado de permanente alerta para praticar sistematicamente os mais elevados padrões de exigência e qualidade. A enorme curiosidade em torno do nosso Centro e das suas instalações, bem como a nossa política de proximidade com os cidadãos e o nosso desejo de que saibam quem somos e o que fazemos, levam-nos a organizar com carácter sistemático visitas de grupos e de pessoas, que têm ocasião de conhecer os locais e de, moderadamente, entrar em contacto com os nossos colaboradores. Em 2011, estas visitas, quer de pessoas em função de posições que ocupam, em Portugal ou no estrangeiro, quer de grupos de anónimos, revelaram-se muito importantes no nosso relacionamento com o exterior e, com todos os cuidados que a progressiva ocupação dos edifícios sugere, prosseguem intensamente. O Prémio António Champalimaud de Visão foi atribuído em 2011 ao African Programme for Onchocersiasis Control (APOC). Atribuído em ano ímpar, destinava-se a reconhecer uma instituição em plena actividade que se tivesse distinguido no terreno, em áreas do mundo em desenvolvimento, no combate à cegueira. O APOC constitui uma parceria formada pela OMS, o Banco Mundial, governos africanos de países atingidos pela chamada, em linguagem corrente, cegueira dos rios, organizações não governamentais e uma empresa farmacêutica, a Merck, que fornece gratuitamente o medicamento necessário. O objectivo é muito ambicioso: acabar com uma doença profundamente incapacitante, que atormenta gerações de comunidades que vivem em áreas relativamente isoladas, junto aos rios. O APOC é reconhecido por ter salvo da cegueira milhões de pessoas em áreas muito pobres, utilizando, não apenas os parceiros que a compõem, mas uma sábia mobilização das comunidades e dos seus dirigentes, para chegar onde é necessário e convencer as pessoas a deixarem-se imunizar contra a doença. De entre os países africanos onde actua, assumem particular relevância, para nós, Portugueses, a Guiné-Bissau, Angola e Moçambique. A cerimónia de atribuição do Prémio regressou à nossa fórmula habitual, depois de em 2010 ter sido incluída na inauguração das nossas instalações. Voltou a ser o momento mais solene do ano da Fundação, como sempre sob a presidência do Senhor Presidente da República, pela primeira vez utilizando o magnífico anfiteatro ao ar livre de que dispomos. Proporcionou momentos simultaneamente de solenidade e de passagem da mensagem de solidariedade que o Prémio, e esta edição em particular, encerra, bem como de usufruto de um quadro de beleza único e de apreciação de uma execução musical de grande qualidade. Prosseguiram os trabalhos de investigação translacional no âmbito do C- TRACER (Champalimaud Translational Centre for Eye Research), em Hyderabad, na Índia, onde se faz investigação de ponta na melhoria dos mecanismos da visão, e se põe em prática essa investigação. Já foi possível realizar transplantes de córnea, recorrendo à utilização de células estaminais adultas, sem necessidade de uso de laboratório, numa simplificação sofisticada de procedimentos que permitirá, como sempre ambicionámos, levar as técnicas a meios

7 6/7 menos dotados de complexas instalações, em países em desenvolvimento. Iniciou a sua actividade, no âmbito do que chamamos C-TRACER 2, a AIBILI (Associação para a Investigação Biomédica e Inovação em Luz e Imagem), em Coimbra, com a preparação de projectos e um simpósio científico em que também participaram representantes do LV Prasad Eye Institute, onde se situa o C-TRACER original, e ainda o Prof. Rubens Belfort, reconhecido oftalmologista brasileiro que dirige o Instituto Paulista de Estudos e Pesquisas em Oftalmologia, em São Paulo, que constituirá o C-TRACER 3, como logo em Coimbra foi imaginado e decidido. Alargamos assim a nossa rede de instituições associadas que se dedicam à investigação da saúde visual dirigida à obtenção de resultados na melhoria da prevenção e do tratamento de doenças. Escusado será sublinhar o significado de associar, por esta via, à Fundação Champalimaud, e entre si, instituições de investigação na Índia, em Portugal e no Brasil. Entre nós, prosseguiu a actividade do Champimóvel, projecto de promoção da actividade científica entre os jovens que percorre as escolas e cada vez mais iniciativas locais de várias naturezas, onde há aglomerações de pessoas interessadas, com um êxito e pedidos de visita em permanente crescimento. O Champimóvel suscita o interesse que esperávamos nos jovens dos 9 aos 14 anos, para quem foi pensado, mas na verdade entusiasma inúmeros assistentes de outras idades. ao longo de um ano que não deu grande sossego aos mercados financeiros, o que nos levou, logo no início, a adoptar um perfil de investimentos mais conservador. Também no seguimento do que já tive ocasião de anteriormente escrever, aumentámos significativamente a nossa capacidade de nos tornarmos menos dependentes do nosso portefólio financeiro, numa linha de actuação que colherá progressivamente os seus frutos. Mantemos um rigor muito grande na contratação e na utilização de meios, resistindo a todas as pressões e rentabilizando num esforço constante os meios de que dispomos. Quero por fim dirigir uma palavra de profundo reconhecimento a todos os que nos ajudaram, ao longo do ano de 2011, a cumprir os nossos objectivos. Aos membros dos órgãos da Fundação, aos membros do júri do Prémio António Champalimaud de Visão, a todos os nossos colaboradores e aos inúmeros amigos que nos estimulam com o seu saber e dedicação a avançar, o meu muito obrigada. A nossa caminhada não abranda, torna- -se cada vez mais exigente. Dependemos de muitos, e a todos continuaremos a recorrer no cumprimento da missão que nos confiou António Champalimaud. Cada vez mais um hábito estabelecido, promovemos a edição em 2011 de um livro, desta feita uma antologia de poesia dedicada à ciência na literatura portuguesa, coligida e introduzida por Vasco Graça Moura e Maria Bochicchio, intitulada O binómio de Newton e a Vénus de Nilo, que distribuímos no Natal pela nossa rede de amigos. Aos que não se exprimem em português, enviámos uma antologia em língua inglesa, incluindo a tradução de alguns poemas originariamente em português, com o título A Quark for Mister Mark. Esta é uma forma que temos encontrado de nos fazer lembrados, num momento especial, por um número crescente de pessoas que nos vão acompanhando e ajudando no caminho que percorremos. As contas, que agora tornamos públicas, em relação a 2011, reflectem a nossa situação patrimonial e o percurso

8 Champalimaud Centre for the Unknown

9 2. Champalimaud Centre for the Unknown 2.1. Organização 2.2. Infra-estruturas Sistema de Gestão do Edifício (BMS) Economia energética Iluminação Comunicações Centro de Cálculo 2.3. Licenciamentos 2.4. Sistemas Informáticos 2.5. Restauração 2.6. Gestão dos Espaços 2.7. Manutenção e Engenharia

10 Champalimaud Centre for the Unknown 2.1. Organização O ano de 2010 foi o ano de conclusão física do edifício do Centro de Investigação Champalimaud, construído no rigoroso cumprimento do prazo, das especificações técnicas e dos custos previstos. Mas tão ou mais importante que a realização física é o desenho rigoroso da organização necessária para o funcionamento e gestão das áreas da Clínica e da Investigação. Definição do processo de autorizações de compras; Definição dos circuitos logísticos e estruturas de recepção e armazenagem. Em paralelo, foi definido o modelo de codificação para medicamentos, material clínico, bens de imobilizado, projectos de investigação, projectos de investimento, actos médicos, equipamentos em manutenção, etc. Já o ano de 2011 foi o ano em que começou a ser implementada essa organização, que cobriu actividades tão diversas como: Estabelecimento da macroestrutura do Centro de Investigação Champalimaud e definição dos recursos humanos e materiais necessários ao cumprimento dos seus objectivos; Definição das principais funções do Centro; Definição da estrutura de centros de responsabilidade; Definição do relacionamento funcional das diversas estruturas; Definição dos circuitos da área clínica; Centro de Investigação da Fundação Champalimaud

11 10/11 A resposta no caso presente é sem dúvida muito positiva e tem vindo a ser dada não só pelos doentes que começámos a tratar no final do ano, mas também pelos médicos, pelos investigadores, por todos os que trabalham no Centro e pelos inúmeros visitantes que elogiam as nossas instalações. De realçar que não houve, durante o primeiro ano de arranque, quaisquer alterações à concepção inicial do edifício (com os custos e inconvenientes que normalmente implicam essas alterações). Efectivamente, a flexibilidade técnica com que o edifício foi projectado e construído tem superado todas as novas necessidades. O edifício foi projectado com áreas de expansão para a Clínica e Investigação que rondam 40% do espaço actualmente ocupado por estas actividades, o que permitirá absorver futuros projectos de desenvolvimento Sistema de Gestão do Edifício (BMS) 2.2. Infra-estruturas Jardim da Quimioterapia Durante o ano de 2011 foi iniciada a utilização da globalidade das infra-estruturas do Centro de Investigação Champalimaud, nomeadamente das áreas de Investigação, Clínica, Auditório, Centro de Exposições, Anfiteatro e Darwin s Café e Cafetaria. Foi o verdadeiro teste à concepção funcional do edifício, à solução arquitectónica, às infra-estruturas de ar condicionado, energia eléctrica, redes de fluidos e sistemas de segurança, que durante cerca de três anos concebemos, projectámos e construímos. A questão que normalmente se levanta quando se finaliza um edifício, particularmente com o grau de complexidade do Centro de Investigação Champalimaud, em que o número de incógnitas à partida era muito elevado, é a seguinte: funciona? O edifício tem um avançado sistema de gestão técnica, que fornece em tempo real a situação de cerca de 6000 sensores (temperatura, pressão, humidade, etc.), permitindo um controlo 24/24 horas de todas as infra- -estruturas, emitindo alertas sobre qualquer anomalia para os responsáveis, de forma a permitir uma actuação imediata sempre que se justifique. Durante o ano de 2011 foi parametrizado este sistema, à medida que foram iniciados os novos serviços da Clínica e da Investigação Economia energética A economia energética foi um requisito imposto aos projectistas, de forma a garantir a sustentabilidade do edifício do Centro Champalimaud dentro de exigentes parâmetros de rentabilidade. O edifício foi certificado energeticamente como classe A. Durante 2011 foram instalados a maior parte dos sistemas relacionados com a economia de energia, desde os painéis solares térmicos ao controlo centralizado da iluminação, à gestão centralizada, aos ensombramentos e revestimentos térmicos até à toma de água no rio Tejo para arrefecimento do ar.

12 Iluminação O projecto de iluminação interior e exterior, que foi concebido com uma grande preocupação a nível estético e energético, visou também elevados níveis de flexibilidade e conforto para todos os utentes, nomeadamente os doentes, os investigadores e o corpo clínico Centro de Cálculo Toda a infra-estrutura de processamento de dados começou a ser instalada em 2011 num Centro de Cálculo externo em cloud computing, garantindo o fornecedor os níveis de serviço contratados de forma a racionalizar os recursos humanos e técnicos da Fundação Champalimaud. Foi também instalado um sistema domótico para gestão da iluminação, o qual durante 2011 foi optimizado de acordo com as necessidades crescentes do Centro Champalimaud. Esta solução permite flexibilizar a utilização dos meios informáticos, nomeadamente servidores ou armazenamento de dados, permitindo adequados níveis de segurança e tempos de resposta a novas solicitações dos utilizadores Comunicações 2.3. Licenciamentos Terraço da Clínica O sistema de comunicações state-of-the-art que integra a rede de voz fixa, móvel e de dados foi concebido no respeito pelos mais elevados níveis de exigência, quer no que respeita à segurança, quer ao desempenho e adaptabilidade às crescentes e específicas necessidades de comunicação do Centro Champalimaud. Durante 2011 foi implementada toda a estrutura do sistema de comunicações, tendo vindo a crescer de forma faseada com o arranque de cada um dos serviços. Após o término da obra de construção do Centro Champalimaud em 5 de Outubro de 2010, o departamento de engenharia da Fundação iniciou os trabalhos de comissionamento das instalações, ensaiando e testando todos os equipamentos e sistemas montados a fim de garantir os padrões de exigência das respectivas entidades licenciadoras. Assim, depois de seis meses de testes e ensaios, iniciámos um largo processo de inspecções por parte das entidades licenciadoras. Após inspecção dos serviços da Direcção Geral de Energia, Regimento de Sapadores Bombeiros e Urbanismo do Município de Lisboa, o Centro obteve o licenciamento para utilização emitido pela Câmara Municipal a 17 de Junho de 2011.

13 12/ Sistemas Informáticos 2.5. Restauração Cafetaria e Darwin s Café Os sistemas informáticos da Fundação Champalimaud foram desenhados de forma a responder às necessidades das suas duas principais áreas funcionais: a Clínica e a Investigação. Durante 2011 foi iniciada a instalação dos sistemas da área administrativa, nomeadamente a gestão de recursos humanos, o recrutamento e a contabilidade geral. Na área clínica, foi iniciada a instalação da gestão de doentes, processo clínico electrónico, enfermagem e facturação a doentes. Com especial incidência na área de investigação, mas transversal a toda a instituição, foi desenvolvido e implementado um sistema de requisições de compras que permite optimizar e controlar a logística de aquisições. Durante o ano de 2011 foi estabelecida uma parceria com a LA Café para a exploração do Darwin s Café e da cafetaria. O Darwin s tornou-se um dos locais mais procurados de Lisboa, tendo servido no primeiro ano (em 11 meses) cerca de refeições. A cafetaria serve refeições aos investigadores, aos colaboradores da Fundação e da Clínica, aos doentes e respectivos acompanhantes, bem como a visitantes em geral. Durante o ano de 2011 (em sete meses) foram servidas cerca de refeições, atingindo uma média diária de 140 refeições, mas em crescendo sistemático. A estrutura do Darwin s fez ainda o catering de 84 eventos na Fundação Champalimaud. Na área da manutenção e engenharia foi implementado um sistema informático para garantir a manutenção curativa, preventiva e preditiva.

14 2.6. Gestão dos Espaços Durante o ano de 2011 o departamento de Gestão dos Espaços organizou os mais variados tipos de eventos, desde simpósios, congressos, concertos, corporate events, até assembleias gerais de accionistas de algumas empresas. Realizaram-se 90 eventos com a participação de mais de pessoas, utilizando o Auditório, o Anfiteatro exterior, o Centro de Exposições e as salas polivalentes. Auditório 2.7. Manutenção e Engenharia O Serviço de Manutenção e Engenharia começou a acompanhar as obras de construção do Centro de Investigação Champalimaud um ano antes da sua finalização, de forma a conhecer todos os detalhes dos seus sistemas e a sua operação, com vista à posterior condução e manutenção. Ainda durante o ano de 2011 foram também estabelecidas as rotinas de manutenção de todos os sistemas e equipamentos, com especial enfoque nas áreas Clínica e de Investigação, tendo sido criado um sistema de e-ticketing para resposta atempada às necessidades de todos os utilizadores. Em 2011, a área de Engenharia concentrou-se essencialmente na instalação e arranque dos equipamentos específicos das áreas Clínica e de Investigação. Foi também efectuada a afinação do edifício, nomeadamente nas áreas de electricidade, ar condicionado, iluminação, sistemas de segurança e tratamento de fluidos.

15 Centro Clínico Champalimaud

16 3. Centro Clínico Champalimaud 3.1. Organização 3.2. Actividade Clínica 3.3. Atendimento ao Doente 3.4. Acordos

17 16/17 Centro Clínico Champalimaud Centro Clínico Champalimaud 3.1. Organização A organização e início de actividades do Centro Clínico Champalimaud (CCC) verificou-se a partir de Março de 2011, com base nas linhas mestras definidas pela administração da Fundação e tendo como objectivo essencial o de criar uma unidade de excelência dedicada à investigação e tratamento do cancro. Foi assim definido como missão do CCC o desenvolvimento de actividades de investigação em paralelo com a actividade clínica, recorrendo a modalidades avançadas e tecnologicamente inovadoras, no diagnóstico e tratamento do cancro. cialistas, enfermeiros e outros que se dedicam preferencialmente a cada um dos tipos de cancro que foram considerados prioritários no desenvolvimento do Centro Clínico e tendo em atenção os objectivos programáticos da Fundação. São eles o cancro da mama, o cancro do pulmão, o cancro digestivo e o cancro da próstata. Foi também considerado importante criar uma unidade multidisciplinar distinta, com objectivos mais abrangentes, essencialmente vocacionada para o estudo e tratamento A organização do Centro Clínico tem como elementos essenciais e estruturantes as Unidades Multidisciplinares de Patologia (DMT disease management teams), que correspondem a unidades multidisciplinares, cada uma delas dirigida a toda a problemática de diagnóstico, tratamento e acompanhamento de doenças neoplásicas de órgão ou sistema. Congregam assim equipas multidisciplinares de técnicos de saúde médicos espe- Tomografia Axial Computorizada (TAC)

18 Área técnica de imagiologia de doentes com tumores metastizados, em particular com metástases no fígado, no pulmão, nos ossos e no sistema nervoso central. Considerou-se assim na fase inicial da sua actividade a organização de 5 DMTs Mama, Pulmão, T. Digestivos, Próstata e Metástases. O Centro Clínico dispõe de instalações e equipamentos adequados à prática da oncologia moderna, com instalações próprias para as consultas médicas e de enfermagem nas diversas áreas de patologia, com diferenciação do espaço de consultas e exames relacionados com o diagnóstico precoce, permitindo a separação entre os fluxos de doentes oncológicos e indivíduos incluídos nos programas de rastreio e diagnóstico precoce. Centro de Patologia Morfológica e Molecular ALTHIA, com sede em Barcelona, no que respeita ao diagnóstico anatomopatológico. A área terapêutica inclui um espaço de Hospital de Dia para tratamento ambulatório com modalidades de poliquimioterapia intravenosa, dispondo de 29 cadeirões para ciclos de quimioterapia de curta duração (2 a 3 horas) e quatro quartos individuais, preparados para tratamento ambulatório com quimioterapias de longa duração (> 4 horas). Dispõe também de espaços adequados para os serviços de diagnóstico e de tratamento. A área diagnóstica inclui a radiologia convencional, ultra-sonografia, tomografia computadorizada (TC), ressonância magnética (RM), cintigrafias (SPECT), tomografia por emissão de positrões (PET) e espaço laboratorial para patologia clínica convencional e patologia morfológica. Apenas o diagnóstico de patologia clínica e de patologia morfológica não foi ainda activado no CCC, estando assegurado por prestação externa, pelo Hospital da Cruz Vermelha no que respeita à patologia clínica e pelo Acelerador Linear

19 18/19 O plano funcional de cada uma das DMTs pressupõe um trabalho de equipa organizado entre médicos especialistas com particular experiência e interesse na respectiva área de patologia, desde o diagnóstico à terapêutica, em articulação com outros profissionais de saúde que complementam a prestação de todos os cuidados médicos necessários à abordagem abrangente e completa de doentes com diferentes tipos de cancro (enfermagem, psico-oncologia, nutrição, apoio social) Actividade Clínica A actividade clínica teve início no segundo semestre de 2011, com a abertura de consultas de Oncologia Médica, de Cirurgia Oncológica e de Radioterapia, tendo também entrado em funcionamento o sector de diagnóstico, nomeadamente a ultra-sonografia, a TAC e RM e a Medicina Nuclear (PET-CT e cintigrafias). Até ao final de 2011 foram atendidos cerca de 400 doentes, correspondendo a 250 consultas de Oncologia Médica e Radioterapia e 140 exames diagnósticos (TAC, RM e Medicina Nuclear). tendo o ano terminado com 45 sessões de radioterapia administradas. A actividade cirúrgica teve início no Hospital da Cruz Vermelha, de acordo com o planeado, bem como o recurso a tratamentos de quimioterapia ambulatória. Até ao final de Dezembro 2011, foram realizadas 15 intervenções cirúrgicas e foram tratados com quimioterapia ambulatória 10 doentes Atendimento ao Doente O Centro Clínico Champalimaud (CCC) iniciou as suas actividades através da constituição de uma equipa para atendimento ao doente, composta por pessoas jovens, desempregadas e com dinamismo para agarrar um novo desafio. Esse desafio passou pela criação da função de gestor de doentes (GD), com o objectivo de tornar o serviço ao cliente personalizado, acessível, simpático e focado apenas no bem-estar dos doentes e das suas famílias ou amigos. O equipamento de radioterapia entrou em funcionamento com a activação de um acelerador linear, após as necessárias fases de verificação e testes e obtenção do correspondente licenciamento. O primeiro tratamento de radioterapia externa ocorreu já em Dezembro de 2011, Todos os GDs gerem uma pool de doentes, que lhes é atribuída no primeiro contacto dos doentes com o Centro, assegurando e minimizando a burocracia entre o Centro Clínico Champalimaud, as seguradoras ou subsistemas e a instituição parceira, Hospital da Cruz Vermelha. Aos ingredientes acima indicados, foi associada a tecnologia exclusiva de utilização de tablet computers para os GDs, acoplados a smartphones para os doentes, permitindo aos mesmos conhecer a história da instituição, os locais de lazer e de uso comum, o seu agendamento e os eventuais atrasos, ao mesmo tempo que se deslocam e usufruem dos espaços e jardins da Fundação Champalimaud. Utilização de tecnologia Tablet Computers e Smartphones no atendimento aos doentes Para completar o conforto dos doentes foram ainda disponibilizados carros de refeições com pequenos snacks e bebidas, ao serviço de todos os que se desloquem ao Centro Clínico para realização de exames, consultas ou tratamentos, ou simplesmente para acompanhar um familiar ou amigo.

20 Pretendeu-se disponibilizar o acesso ao maior número de doentes possível assegurando acordos, numa primeira fase, com o maior subsistema de saúde público (ADSE), com o maior subsistema de saúde militar (IASFA) e com a seguradora de saúde com a maior quota de mercado (Multicare) Acordos Serviços de apoio ao doente Por outro lado, sendo uma instituição sem fins lucrativos e não perspectivando a margem de lucro, apenas incorporando os custos de investigação e cuidados de saúde, foi elaborada uma tabela de preços mais acessível para disponibilização dos nossos serviços de saúde a quem mais precisa. Esta unidade de saúde aberta ao povo português e construída para o povo português deu prioridade à negociação de acordos com as seguradoras e subsistemas mais relevantes. Gabinete de consulta

Folha Informativa nº 121

Folha Informativa nº 121 Folha Informativa nº 121 VISITA À FUNDAÇÃO CHAMPALIMAUD A AACDN organizou, no passado dia 14 de Junho, mais uma visita Cultural à Fundação Champalimaud. Chegámos à hora marcada: 15H00. Fomos recebidos

Leia mais

Semestre do plano de estudos 1

Semestre do plano de estudos 1 Nome UC Inglês CU Name Código UC 6 Curso LEC Semestre do plano de estudos 1 Área científica Gestão Duração Semestral Horas de trabalho 54 ECTS 2 Horas de contacto TP - 22,5 Observações n.a. Docente responsável

Leia mais

Informática e Programação. Computer Science and Programming. Semestre do plano de estudos 1

Informática e Programação. Computer Science and Programming. Semestre do plano de estudos 1 Nome UC Informática e Programação CU Name Código UC 4 Curso LEC Semestre do plano de estudos 1 Área científica Informática Duração Semestral Horas de trabalho 135 ECTS 5 Horas de contacto TP - 67,5 Observações

Leia mais

Online Collaborative Learning Design

Online Collaborative Learning Design "Online Collaborative Learning Design" Course to be offered by Charlotte N. Lani Gunawardena, Ph.D. Regents Professor University of New Mexico, Albuquerque, New Mexico, USA July 7- August 14, 2014 Course

Leia mais

Sílvia Castro. Um laboratório do Instituto Gulbenkian de Ciência.

Sílvia Castro. Um laboratório do Instituto Gulbenkian de Ciência. Sílvia Castro Um laboratório do Instituto Gulbenkian de Ciência. Instituto Gulbenkian de Ciência Valores em euros Encargos com pessoal 1 520 055 Despesas de funcionamento 1 986 170 Subsídios e bolsas 2

Leia mais

Capital Humano e Capital Social: Construir Capacidades para o Desenvolvimento dos Territórios

Capital Humano e Capital Social: Construir Capacidades para o Desenvolvimento dos Territórios UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE LETRAS DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA Capital Humano e Capital Social: Construir Capacidades para o Desenvolvimento dos Territórios Sandra Sofia Brito da Silva Dissertação

Leia mais

assumptions of that particular strengthening the participation of families and local communities in the strategic direction of schools, not taking

assumptions of that particular strengthening the participation of families and local communities in the strategic direction of schools, not taking Agradecimentos A dissertação do Mestrado que adiante se apresenta resulta na concretização de um projecto que me parecia difícil mas não impossível de alcançar. Foram meses seguidos de trabalho de investigação,

Leia mais

A tangibilidade de um serviço de manutenção de elevadores

A tangibilidade de um serviço de manutenção de elevadores A tangibilidade de um serviço de manutenção de elevadores Tese de Mestrado em Gestão Integrada de Qualidade, Ambiente e Segurança Carlos Fernando Lopes Gomes INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO E CIÊNCIAS Fevereiro

Leia mais

Ficha de unidade curricular Curso de Doutoramento

Ficha de unidade curricular Curso de Doutoramento Ficha de unidade curricular Curso de Doutoramento Unidade curricular História do Direito Português I (Doutoramento - 1º semestre) Docente responsável e respectiva carga lectiva na unidade curricular Prof.

Leia mais

Interacção Homem-Máquina Interfaces Tangíveis e Realidade Aumentada

Interacção Homem-Máquina Interfaces Tangíveis e Realidade Aumentada Interacção Homem-Máquina Interfaces Tangíveis e Realidade Aumentada Pedro Campos dme.uma.pt/pcampos pcampos@uma.pt Novos paradigmas de interacção Pervasive computing Wearable computing Tangible user interfaces

Leia mais

Course Computer Science Academic year 2012/2013 Subject Social Aspects of Computers ECTS 5

Course Computer Science Academic year 2012/2013 Subject Social Aspects of Computers ECTS 5 Course Computer Science Academic year 2012/2013 Subject Social Aspects of Computers ECTS 5 Type of course Compulsory Year 2º Semester 2nd sem Student Workload: Professor(s) Natalia Gomes, Ascensão Maria

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO JOÃO FÁBIO PORTO. Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO JOÃO FÁBIO PORTO. Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO JOÃO FÁBIO PORTO Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática São Paulo 2010 JOÃO FÁBIO PORTO Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática

Leia mais

PRINCE2 FOUNDATION AND PRACTITIONER INNOVATIVE LEARNING SOLUTIONS WWW.PYLCROW.COM PORTUGAL - BRAZIL - MOZAMBIQUE

PRINCE2 FOUNDATION AND PRACTITIONER INNOVATIVE LEARNING SOLUTIONS WWW.PYLCROW.COM PORTUGAL - BRAZIL - MOZAMBIQUE PYLCROW Portugal LISBOA Email: info.pt@pylcrow.com Telefone: +351 21 247 46 00 http://www.pylcrow.com/portugal WWW.PYLCROW.COM PORTUGAL - BRAZIL - MOZAMBIQUE FOUNDATION AND PRACTITIONER INNOVATIVE LEARNING

Leia mais

UNIVERSIDADE DE ÉVORA

UNIVERSIDADE DE ÉVORA UNIVERSIDADE DE ÉVORA MESTRADO EM INTERVENÇÃO SÓCIO-ORGANIZACIONÀL NA SAÚDE Curso ministrado em parceria com a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (DR Série, n.. 250 de 29 de Outubro de 2002)

Leia mais

FICHAS DE UNIDADES CURRICULARES

FICHAS DE UNIDADES CURRICULARES FICHAS DE UNIDADES CURRICULARES a. Unidade curricular Course unit title: Construção da Imagem Fílmica Construction of the Filmic Image Código: 01343927 Code: 01343927 b. ECTS: 5.0 c. Horas de contacto

Leia mais

Software reliability analysis by considering fault dependency and debugging time lag Autores

Software reliability analysis by considering fault dependency and debugging time lag Autores Campos extraídos diretamente Título Software reliability analysis by considering fault dependency and debugging time lag Autores Huang, Chin-Yu and Lin, Chu-Ti Ano de publicação 2006 Fonte de publicação

Leia mais

Prova de Seleção Mestrado LINGUA INGLESA 15/02/2016

Prova de Seleção Mestrado LINGUA INGLESA 15/02/2016 Prova de Seleção Mestrado LINGUA INGLESA 15/02/2016 Instruções aos candidatos: (1) Preencher somente o número de inscrição em todas as folhas. (2) Usar caneta preta ou azul. 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12

Leia mais

Programa do X Governo Regional. Programa do X Governo dos Açores - Área da Saúde

Programa do X Governo Regional. Programa do X Governo dos Açores - Área da Saúde Programa do X Governo dos Açores - Área da Saúde Ponta Delgada, 26 de Novembro de 2008 6 Saúde A saúde é um factor essencial no desenvolvimento do bem-estar da população, e a qualidade neste sector aparece

Leia mais

Construção, Território e Ambiente. Construction, Planning and Environment. Semestre do plano de estudos 2

Construção, Território e Ambiente. Construction, Planning and Environment. Semestre do plano de estudos 2 Nome UC Construção, Território e Ambiente CU Name Código UC 11 Curso LEC Semestre do plano de estudos 2 Área científica Engenharia Civil Duração Semestral Horas de trabalho 95 ECTS 3.5 Horas de contacto

Leia mais

AIBILI. um sonho transformado em excelência na área da Oftalmologia AIBILI

AIBILI. um sonho transformado em excelência na área da Oftalmologia AIBILI AIBILI AIBILI um sonho transformado em excelência na área da Oftalmologia É o Centro de Coordenação da Rede Europeia de Centros de Ensaios Clínicos em Oftalmologia, que inclui 78 centros europeus, e, desde

Leia mais

Mestrado em Ciências Jurídicas Especialização em História do Direito 2015-16

Mestrado em Ciências Jurídicas Especialização em História do Direito 2015-16 Mestrado em Ciências Jurídicas Especialização em História do Direito Unidade curricular História do Direito Português I (1º sem). Docente responsável e respectiva carga lectiva na unidade curricular Prof.

Leia mais

6 Só será permitido o uso de dicionário INGLÊS/INGLÊS.

6 Só será permitido o uso de dicionário INGLÊS/INGLÊS. 1 2 3 4 5 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. Se, em qualquer outro local deste Caderno, você assinar, rubricar,

Leia mais

Institutional Skills. Sessão informativa INSTITUTIONAL SKILLS. Passo a passo. www.britishcouncil.org.br

Institutional Skills. Sessão informativa INSTITUTIONAL SKILLS. Passo a passo. www.britishcouncil.org.br Institutional Skills Sessão informativa INSTITUTIONAL SKILLS Passo a passo 2 2 British Council e Newton Fund O British Council é a organização internacional do Reino Unido para relações culturais e oportunidades

Leia mais

A. Situação / Situation

A. Situação / Situation A. Situação / Situation A Assembleia Mundial da Saúde (OMS) aprova em 1969 o Regulamento Sanitário Internacional, revisto pela quarta vez em 2005. Esta última versão entrou em vigor no plano internacional

Leia mais

Analysis, development and monitoring of business processes in Corporate environment

Analysis, development and monitoring of business processes in Corporate environment Analysis, development and monitoring of business processes in Corporate environment SAFIRA is an IT consulting boutique known for transforming the way organizations do business, or fulfil their missions,

Leia mais

Ficha de Unidade Curricular Ano letivo 2014/15

Ficha de Unidade Curricular Ano letivo 2014/15 Ficha de Unidade Curricular Ano letivo 2014/15 Unidade curricular: / Curricular Unit: Sociologia da Comunicação Sociology of Communication Docente responsável e respectivas horas de contacto na unidade

Leia mais

Carta de Princípios de Coimbra

Carta de Princípios de Coimbra Carta de Princípios de Coimbra Ficou concluído em Novembro de 2008, durante o Congresso Nacional de Oncologia, um processo que se iniciou em Abril de 2006, numa reunião promovida em Coimbra sob o impulso

Leia mais

A meus pais, Ari e Célia, sempre presentes, todo o meu amor incondicional!

A meus pais, Ari e Célia, sempre presentes, todo o meu amor incondicional! ii A meus pais, Ari e Célia, sempre presentes, todo o meu amor incondicional! iii Agradeço à Deus, esta força maior, pela vida, pela sabedoria e pelo amor. Mas, sobretudo, por me ensinar saber fazer ser

Leia mais

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO ATUALIZA ASSOCIAÇÃO CULTURAL ESPECIALIZAÇÃO EM BIOLOGIA MOLECULAR E CITOGENÉTICA HUMANA JOANA MARIA SANTANA SANTOS

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO ATUALIZA ASSOCIAÇÃO CULTURAL ESPECIALIZAÇÃO EM BIOLOGIA MOLECULAR E CITOGENÉTICA HUMANA JOANA MARIA SANTANA SANTOS UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO ATUALIZA ASSOCIAÇÃO CULTURAL ESPECIALIZAÇÃO EM BIOLOGIA MOLECULAR E CITOGENÉTICA HUMANA JOANA MARIA SANTANA SANTOS CITOGENÉTICA NO DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DA LEUCEMIA MIELÓIDE

Leia mais

TUTORIA INTERCULTURAL NUM CLUBE DE PORTUGUÊS

TUTORIA INTERCULTURAL NUM CLUBE DE PORTUGUÊS UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE PSICOLOGIA E DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO TUTORIA INTERCULTURAL NUM CLUBE DE PORTUGUÊS SANDRA MARIA MORAIS VALENTE DISSERTAÇÃO DE MESTRADO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO Área de

Leia mais

Erasmus Student Work Placement

Erasmus Student Work Placement Erasmus Student Work Placement EMPLOYER INFORMATION Name of organisation Address Post code Country SPORT LISBOA E BENFICA AV. GENERAL NORTON DE MATOS, 1500-313 LISBOA PORTUGAL Telephone 21 721 95 09 Fax

Leia mais

Transportes. Transportation. Semestre do plano de estudos 1

Transportes. Transportation. Semestre do plano de estudos 1 Nome UC Transportes CU Name Código UC 706 Curso MEC Semestre do plano de estudos 1 Área científica Engenharia Civil Duração Semestral Horas de trabalho 120 ECTS 4.5 Horas de contacto T - 22,5; TP - 22,5

Leia mais

JOSE GABRIEL REGO. Resumo. Especializações. Experiência. Assistant Card Manager at Grupo Banco Popular jgrego@netcabo.pt

JOSE GABRIEL REGO. Resumo. Especializações. Experiência. Assistant Card Manager at Grupo Banco Popular jgrego@netcabo.pt JOSE GABRIEL REGO jgrego@netcabo.pt Resumo My main objective is to develop my career in order to deepen the experience I accumulated over the years based in the development of practical and theoretical

Leia mais

PAPILOMA VÍRUS HUMANO HPV REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

PAPILOMA VÍRUS HUMANO HPV REVISÃO BIBLIOGRÁFICA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO ASSOCIAÇÃO ARTÍSTICA E CULTURAL ATUALIZA CITOLOGIA CLÍNICA JOSUÉ GONCALVES LINS SANTOS PAPILOMA VÍRUS HUMANO HPV REVISÃO BIBLIOGRÁFICA SALVADOR 2011 JOSUÉ GONCALVES LINS SANTOS

Leia mais

Banca examinadora: Professor Paulo N. Figueiredo, Professora Fátima Bayma de Oliveira e Professor Joaquim Rubens Fontes Filho

Banca examinadora: Professor Paulo N. Figueiredo, Professora Fátima Bayma de Oliveira e Professor Joaquim Rubens Fontes Filho Título: Direção e Taxa (Velocidade) de Acumulação de Capacidades Tecnológicas: Evidências de uma Pequena Amostra de Empresas de Software no Rio de Janeiro, 2004 Autor(a): Eduardo Coelho da Paz Miranda

Leia mais

Tese / Thesis Work Análise de desempenho de sistemas distribuídos de grande porte na plataforma Java

Tese / Thesis Work Análise de desempenho de sistemas distribuídos de grande porte na plataforma Java Licenciatura em Engenharia Informática Degree in Computer Science Engineering Análise de desempenho de sistemas distribuídos de grande porte na plataforma Java Performance analysis of large distributed

Leia mais

Digital Cartographic Generalization for Database of Cadastral Maps

Digital Cartographic Generalization for Database of Cadastral Maps Mariane Alves Dal Santo marianedalsanto@udesc.br Francisco Henrique de Oliveira chicoliver@yahoo.com.br Carlos Loch cloch@ecv.ufsc.br Laboratório de Geoprocessamento GeoLab Universidade do Estado de Santa

Leia mais

2012 State of the Industry Survey

2012 State of the Industry Survey 2012 State of the Industry Survey Contact Information Por favor, preencha suas informações de contato (* indicates required information) Nome * Título * Title Razão Social completa da Empresa/Organização

Leia mais

Id Serviços de Apoio

Id Serviços de Apoio Id Serviços de Apoio Cafetaria do Museu Calouste Gulbenkian e seu prolongamento no jardim. Serviços Centrais Valores em euros Encargos com pessoal 6 219 770 Despesas de funcionamento 9 606 628 Investimento

Leia mais

ÁREA: Ciências Biológicas II

ÁREA: Ciências Biológicas II Ministério da Educação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Diretoria de Avaliação ÁREA: Ciências Biológicas II TRIÊNIO 2007-2010 2010 Coordenador: Adalberto Vieyra Coordenador-Adjunto:

Leia mais

Hidráulica Urbana. Urban Hydraulics. Semestre do plano de estudos 2

Hidráulica Urbana. Urban Hydraulics. Semestre do plano de estudos 2 Nome UC Hidráulica Urbana CU Name Código UC 725 Curso MEC Semestre do plano de estudos 2 Área científica Engenharia Civil Duração Semestral Horas de trabalho 164 ECTS 6 Horas de contacto T - 22,5; PL -

Leia mais

Lung Cancer. Risk Factors

Lung Cancer. Risk Factors Lung Cancer The lungs are the organs that help us breathe. They help to give oxygen to all the cells in the body. Cancer cells are abnormal cells. Cancer cells grow and divide more quickly than healthy

Leia mais

Information technology specialist (systems integration) Especialista em tecnologia da informação (integração de sistemas)

Information technology specialist (systems integration) Especialista em tecnologia da informação (integração de sistemas) Information technology specialist (systems integration) Especialista em tecnologia da informação (integração de sistemas) Professional activities/tasks Design and produce complex ICT systems by integrating

Leia mais

NCE/10/00806 Decisão de apresentação de pronúncia - Novo ciclo de estudos

NCE/10/00806 Decisão de apresentação de pronúncia - Novo ciclo de estudos NCE/10/00806 Decisão de apresentação de pronúncia - Novo ciclo de estudos NCE/10/00806 Decisão de apresentação de pronúncia - Novo ciclo de estudos Decisão de Apresentação de Pronúncia ao Relatório da

Leia mais

A Influência do Correio Eletrônico na Comunicação Organizacional

A Influência do Correio Eletrônico na Comunicação Organizacional Claudia Müller de Almeida A Influência do Correio Eletrônico na Comunicação Organizacional Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial para obtenção do grau de Mestre pelo Programa

Leia mais

LÍNGUA INGLESA CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA AULA. Conteúdo: Reading - Typographic Marks

LÍNGUA INGLESA CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA AULA. Conteúdo: Reading - Typographic Marks Conteúdo: Reading - Typographic Marks Habilidades: Utilizar as Marcas Tipográficas para facilitar a compreensão e também chamar a atenção do leitor. Typographic Marks O que são marcas tipográficas? As

Leia mais

User interface evaluation experiences: A brief comparison between usability and communicability testing

User interface evaluation experiences: A brief comparison between usability and communicability testing User interface evaluation experiences: A brief comparison between usability and communicability testing Kern, Bryan; B.S.; The State University of New York at Oswego kern@oswego.edu Tavares, Tatiana; PhD;

Leia mais

MIT Portugal Program Engineering systems in action

MIT Portugal Program Engineering systems in action MIT Portugal Program Engineering systems in action Paulo Ferrão, MPP Director in Portugal Engineering Systems: Achievements and Challenges MIT, June 15-17, 2009 Our knowledge-creation model An Engineering

Leia mais

PHC Dashboard CS. Diversidade de análises de dados pré-configuradas. Representação gráfica da informação do sistema

PHC Dashboard CS. Diversidade de análises de dados pré-configuradas. Representação gráfica da informação do sistema PHC Dashboard CS Um novo nível de gestão A gestão da informação empresarial de forma sintética, visual e abrangente, possibilitando uma tomada de decisão mais rápida, correcta e precisa. BUSINESS AT SPEED

Leia mais

EPLNA_2012. Ciclo de Garantia da Qualidade Analítica: tendências e etapas fundamentais para a fornecer resultados confiáveis

EPLNA_2012. Ciclo de Garantia da Qualidade Analítica: tendências e etapas fundamentais para a fornecer resultados confiáveis Ciclo de Garantia da Qualidade Analítica: tendências e etapas fundamentais para a fornecer resultados confiáveis Prof. Dr. Igor Renato Bertoni Olivares Top 02 in analytical chemistry Impact Factor - 6,6

Leia mais

Acelerar o desenvolvimento das cidades inteligentes em Portugal. Concurso Cidades Analíticas 2015 Urban Analytics Award 2015

Acelerar o desenvolvimento das cidades inteligentes em Portugal. Concurso Cidades Analíticas 2015 Urban Analytics Award 2015 Cidades Analíticas Acelerar o desenvolvimento das cidades inteligentes em Portugal Concurso Cidades Analíticas 2015 Urban Analytics Award 2015 Apresentação da candidatura: Candidato Luis Maia Oliveira

Leia mais

PHC Dashboard CS. Diversidade de análises de dados pré-configuradas. Representação gráfica da informação do sistema

PHC Dashboard CS. Diversidade de análises de dados pré-configuradas. Representação gráfica da informação do sistema PHC Dashboard CS Um novo nível de gestão A gestão da informação empresarial de forma sintética, visual e abrangente, possibilitando uma tomada de decisão mais rápida, correcta e precisa. BUSINESS AT SPEED

Leia mais

Relatório Anual 2012

Relatório Anual 2012 Relatório Anual 2012 ÍNDICE 1 Mensagem da Presidente 3 2. Programa de Cancro 9 Centro Clínico Champalimaud (CCC) Simpósios e Reuniões Programa Doutoral para Médicos 3. Programa Champalimaud de Neurociências

Leia mais

Portugal Making sure your health comes first. www.medicalport.org. Prestador Global de Turismo Médico. Copyright Medical Port 2015

Portugal Making sure your health comes first. www.medicalport.org. Prestador Global de Turismo Médico. Copyright Medical Port 2015 Portugal Making sure your health comes first www.medicalport.org SOBRE PORTUGAL O Índice Global da Competitividade 2014 2015 posiciona Portugal em 24º lugar no campo da Saúde e da Educação Primária com

Leia mais

desenvolvimento de software em indústria, comunidades acadêmicas e científicas uma fábrica de software?... joa@ufrpe.br silvio@cesar.org.

desenvolvimento de software em indústria, comunidades acadêmicas e científicas uma fábrica de software?... joa@ufrpe.br silvio@cesar.org. desenvolvimento de software em indústria, comunidades acadêmicas e científicas uma fábrica de software?... joa@ufrpe.br silvio@cesar.org.br laboratórios de desenvolvimento... Produção de Software: histórico

Leia mais

Pensamento. Não se envelhece, enquanto buscamos." (Jean Rostand)

Pensamento. Não se envelhece, enquanto buscamos. (Jean Rostand) Pensamento Não se envelhece, enquanto buscamos." (Jean Rostand) AGRADECIMENTOS Os meus primeiros agradecimentos, vão para a minha mãe por estar sempre presente e acreditar em mim, para o meu pai, pelas

Leia mais

Análise Probabilística de Semântica Latente aplicada a sistemas de recomendação

Análise Probabilística de Semântica Latente aplicada a sistemas de recomendação Diogo Silveira Mendonça Análise Probabilística de Semântica Latente aplicada a sistemas de recomendação Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial para obtenção do título de

Leia mais

Efficient Locally Trackable Deduplication in Replicated Systems. www.gsd.inesc-id.pt. technology from seed

Efficient Locally Trackable Deduplication in Replicated Systems. www.gsd.inesc-id.pt. technology from seed Efficient Locally Trackable Deduplication in Replicated Systems João Barreto and Paulo Ferreira Distributed Systems Group INESC-ID/Technical University Lisbon, Portugal www.gsd.inesc-id.pt Bandwidth remains

Leia mais

Gestão de Serviços. Mário Lavado itsmf Portugal. Guimarães 18 de Novembro 2010. itsmf Portugal 1

Gestão de Serviços. Mário Lavado itsmf Portugal. Guimarães 18 de Novembro 2010. itsmf Portugal 1 Gestão de Serviços Mário Lavado itsmf Portugal Guimarães 18 de Novembro 2010 itsmf Portugal 1 Agenda 1. O que é o itsmf? 2. A Gestão de Serviços e o ITIL 3. A ISO 20000 4. A certificação ISO 20000 itsmf

Leia mais

Universidade do Minho. Escola de Engenharia. UC transversais Programas Doutorais 1º semestre 2012-13. 11 de outubro 2012

Universidade do Minho. Escola de Engenharia. UC transversais Programas Doutorais 1º semestre 2012-13. 11 de outubro 2012 Universidade do Minho Escola de Engenharia UC transversais Programas Doutorais 1º semestre 2012-13 11 de outubro 2012 1 2 2 courses offered in the first semestre: Métodos de Investigação em Engenharia

Leia mais

Guião A. Descrição das actividades

Guião A. Descrição das actividades Proposta de Guião para uma Prova Grupo: Ponto de Encontro Disciplina: Inglês, Nível de Continuação, 11.º ano Domínio de Referência: Um Mundo de Muitas Culturas Duração da prova: 15 a 20 minutos 1.º MOMENTO

Leia mais

42º Congresso Bras. de Medicina Veterinária e 1º Congresso Sul-Brasileiro da ANCLIVEPA - 31/10 a 02/11 de 2015 - Curitiba - PR

42º Congresso Bras. de Medicina Veterinária e 1º Congresso Sul-Brasileiro da ANCLIVEPA - 31/10 a 02/11 de 2015 - Curitiba - PR 1 MARCELA BENEVENTE [1], LUCIANA MOURA CAMPOS PARDINI [2], ADRIANA CAMARGO FERRASI [1,3], MARIA INES DE MOURA CAMPOS PARDINI [3], ALINE FARIA GALVANI [3], JOSE JOAQUIM TITTON RANZANI [2] 1. Instituto de

Leia mais

Organização Sete de Setembro de Cultura e Ensino - LTDA Faculdade Sete de Setembro FASETE Bacharelado em Administração

Organização Sete de Setembro de Cultura e Ensino - LTDA Faculdade Sete de Setembro FASETE Bacharelado em Administração Organização Sete de Setembro de Cultura e Ensino - LTDA Faculdade Sete de Setembro FASETE Bacharelado em Administração VICTOR HUGO SANTANA ARAÚJO ANÁLISE DAS FORÇAS DE PORTER NUMA EMPRESA DO RAMO FARMACÊUTICO:

Leia mais

2. Conhecer a diversidade e complexidade de temáticas que podem ser abrangidas por esta área de conhecimento.

2. Conhecer a diversidade e complexidade de temáticas que podem ser abrangidas por esta área de conhecimento. Ficha de Unidade Curricular 1. Unidade curricular / Curricular Unit Psicologia Geral / General Psychology 2. Designação do Ciclo de Estudos em que se insere a Unidade Curricular (com semestre e ano lectivo)

Leia mais

CARLA ALEXANDRA SEVES DE ANDRADE CANOTILHO

CARLA ALEXANDRA SEVES DE ANDRADE CANOTILHO Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico da Guarda R E L AT Ó R I O D E AT I V I D A D E P R O F I S S I O N A L N A J. V A R G A S - G A B I N E T E T É C N I C O D E G E S T Ã O E

Leia mais

Regulamento n.º 663/2010. Curso de Estudos Avançados em Gestão Pública (CEAGP) 11.ª Edição (2010-2011) Artigo 1.º. Missão e Objectivos

Regulamento n.º 663/2010. Curso de Estudos Avançados em Gestão Pública (CEAGP) 11.ª Edição (2010-2011) Artigo 1.º. Missão e Objectivos Regulamento n.º 663/2010 Curso de Estudos Avançados em Gestão Pública (CEAGP) 11.ª Edição (2010-2011) Artigo 1.º Missão e Objectivos O CEAGP tem por missão propiciar uma formação generalista, de nível

Leia mais

Ficha da Unidade Curricular

Ficha da Unidade Curricular ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE FELGUEIRAS CURSO Licenciatura em Engenharia Informática U.C. FÍSICA APLICADA Ficha da Unidade Curricular Horas presenciais / Ano 56 Ano Lectivo 2010 / 2011 Horas

Leia mais

Relatório de Atividades da ORPHANET-Portugal 2009-2012

Relatório de Atividades da ORPHANET-Portugal 2009-2012 Relatório de Atividades da ORPHANET-Portugal 2009-2012 ORPHANET-Portugal: Jorge Sequeiros (coordenador nacional) Jorge Pinto Basto (project manager) Sandra Peixoto (information scientist) 26 abril 2012

Leia mais

A Cloud Computing Architecture for Large Scale Video Data Processing

A Cloud Computing Architecture for Large Scale Video Data Processing Marcello de Lima Azambuja A Cloud Computing Architecture for Large Scale Video Data Processing Dissertação de Mestrado Dissertation presented to the Postgraduate Program in Informatics of the Departamento

Leia mais

ACFES MAIORES DE 23 ANOS INGLÊS. Prova-modelo. Instruções. Verifique se o exemplar da prova está completo, isto é, se termina com a palavra FIM.

ACFES MAIORES DE 23 ANOS INGLÊS. Prova-modelo. Instruções. Verifique se o exemplar da prova está completo, isto é, se termina com a palavra FIM. ACFES MAIORES DE 23 ANOS INGLÊS Prova-modelo Instruções Verifique se o exemplar da prova está completo, isto é, se termina com a palavra FIM. A prova é avaliada em 20 valores (200 pontos). A prova é composta

Leia mais

Código IMP.EM.EE.37_00. Ano Lectivo: 2014/2015 I. PREÂMBULO

Código IMP.EM.EE.37_00. Ano Lectivo: 2014/2015 I. PREÂMBULO Ano Lectivo: 2014/2015 I. PREÂMBULO A Escola Superior de Saúde Egas Moniz (ESSEM), tutelada pela Egas Moniz Cooperativa de Ensino Superior, C.R.L., foi criada pelo decreto-lei 381/99 de 22 de Setembro,

Leia mais

Aplicação de um Metamodelo de Contexto a uma Tarefa de Investigação Policial

Aplicação de um Metamodelo de Contexto a uma Tarefa de Investigação Policial Aplicação de um Metamodelo de Contexto a uma Tarefa de Investigação Policial Lucas A. de Oliveira, Rui A. R. B. Figueira, Expedito C. Lopes Mestrado em Sistemas e Computação Universidade de Salvador (UNIFACS)

Leia mais

Software product lines. Paulo Borba Informatics Center Federal University of Pernambuco

Software product lines. Paulo Borba Informatics Center Federal University of Pernambuco Software product lines Paulo Borba Informatics Center Federal University of Pernambuco Software product lines basic concepts Paulo Borba Informatics Center Federal University of Pernambuco Um produto www.usm.maine.edu

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE FELGUEIRAS

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE FELGUEIRAS Curricular Unit Plan ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE FELGUEIRAS CURSO Licenciatura em Engenharia Informática U.C. GESTÃO DE PROJECTOS INFORMÁTICOS Horas presenciais / Ano 56 Ano Lectivo 2010

Leia mais

Serviços Partilhados em Saúde. Interface Jornadas da Saúde Paula Nanita

Serviços Partilhados em Saúde. Interface Jornadas da Saúde Paula Nanita Serviços Partilhados em Saúde Interface Jornadas da Saúde Paula Nanita Lisboa, 22 de Maio de 2007 Unidades de Serviços Partilhados Processos A divisão dos processos entre actividades locais e actividades

Leia mais

Perspectivas nacionais e internacionais sobre as. TIC na escola. Carla Morais e João Paiva

Perspectivas nacionais e internacionais sobre as. TIC na escola. Carla Morais e João Paiva Perspectivas nacionais e internacionais sobre as TIC na escola Carla Morais e João Paiva O que sabemos? Nem dados, nem estatísticas, nem decretos-lei, nem tecnologias mudam verdadeiramente a educação.

Leia mais

Plano Estratégico de Sistemas de Informação

Plano Estratégico de Sistemas de Informação Consolidation. Integration. Governance. Accountability. Plano Estratégico de Sistemas de Informação 2010 Versão resumida para web 11 de Maio de 2010 Turismo de Portugal, I.P. Hugo Sousa Departamento de

Leia mais

Implementação e Consolidação da Unidade de Serviços Partilhados. Carlos Rocha

Implementação e Consolidação da Unidade de Serviços Partilhados. Carlos Rocha Apresentação do Estudo: Serviços Partilhados na Administração Pública 20 de Outubro de 2010 Sala do Senado, Reitoria da Universidade Nova de Lisboa Implementação e Consolidação da Unidade de Serviços Partilhados

Leia mais

AS TIC E A SAÚDE NO PORTUGAL DE HOJE

AS TIC E A SAÚDE NO PORTUGAL DE HOJE AS TIC E A SAÚDE NO PORTUGAL DE HOJE 18 MARÇO 2015 Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa PATROCINDADORES Apoio Patrocinadores Globais APDSI APDSI Conferência As TIC e a Saúde no Portugal de Hoje SESSÃO

Leia mais

Integrated Network Operations Support System ISO 9001 Certified A Plataforma Integradora Integrated Platform O INOSS V2 é uma poderosa plataforma de operação e gestão centralizada de redes e serviços de

Leia mais

BRCA e Cancro Hereditário

BRCA e Cancro Hereditário BRCA e Cancro Hereditário Promover a investigação em Portugal e na Europa. Revolucionar essa mesma investigação. Construir network e criar um consórcio. Conquistar visibilidade na opinião pública. COMO?

Leia mais

Hospitais da Universidade de Coimbra Centro de Simulação Biomédica Serviço de Anestesiologia Bloco Operatório Central

Hospitais da Universidade de Coimbra Centro de Simulação Biomédica Serviço de Anestesiologia Bloco Operatório Central Hospitais da Universidade de Coimbra Centro de Simulação Biomédica Serviço de Anestesiologia Bloco Operatório Central Curso Gestão para executivos hospitalares - Uma questão de competitividade Hospitais

Leia mais

Projectos Transversais e Inovadores

Projectos Transversais e Inovadores Ic Projectos Transversais e Inovadores Projecto Arquivo Digital de Arte Portuguesa Iniciativas directas 293 785 Total 293 785 Proveitos 117 514 A Fundação Calouste Gulbenkian, através da Biblioteca de

Leia mais

Curso Geral de Gestão. Pós Graduação

Curso Geral de Gestão. Pós Graduação Curso Geral de Gestão Pós Graduação Curso Geral de Gestão Pós Graduação Participamos num processo acelerado de transformações sociais, políticas e tecnológicas que alteram radicalmente o contexto e as

Leia mais

booths remain open. Typical performance analysis objectives for the toll plaza system address the following issues:

booths remain open. Typical performance analysis objectives for the toll plaza system address the following issues: booths remain open. Typical performance analysis objectives for the toll plaza system address the following issues: What would be the impact of additional traffic on car delays? Would adding Simulação

Leia mais

Igualdade entre homens e mulheres: o caminho percorrido

Igualdade entre homens e mulheres: o caminho percorrido Maria Regina Tavares da Silva Presidente da Comissão da Condição Feminina/Comissão para a Igualdade de Direitos das Mulheres (1986-1992) Igualdade entre homens e mulheres: o caminho percorrido 215 Partindo

Leia mais

Identificação da Empresa. Missão. Visão

Identificação da Empresa. Missão. Visão Identificação da Empresa Designação social: Centro Hospitalar de Lisboa Central, EPE Sede: Rua José António Serrano, 1150-199 - Lisboa Natureza jurídica: Entidade Pública Empresarial Início de actividade:

Leia mais

Geração automática de suíte de teste para GUI a partir de Rede de Petri

Geração automática de suíte de teste para GUI a partir de Rede de Petri Raquel Jauffret Guilhon Geração automática de suíte de teste para GUI a partir de Rede de Petri Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial para obtenção do grau de Mestre pelo

Leia mais

Infraestrutura, Gestão Escolar e Desempenho em Leitura e Matemática: um estudo a partir do Projeto Geres

Infraestrutura, Gestão Escolar e Desempenho em Leitura e Matemática: um estudo a partir do Projeto Geres Naira da Costa Muylaert Lima Infraestrutura, Gestão Escolar e Desempenho em Leitura e Matemática: um estudo a partir do Projeto Geres Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial

Leia mais

ITIL v3 melhora Gestão de Serviço de TI no CHVNG/Espinho

ITIL v3 melhora Gestão de Serviço de TI no CHVNG/Espinho Centro Hospitalar Vila Nova de Gaia/Espinho ITIL v3 melhora Gestão de Serviço de TI no CHVNG/Espinho Sumário País Portugal Sector Saúde Perfil do Cliente O Centro Hospitalar Vila Nova de Gaia/Espinho envolve

Leia mais

Introdução à Engenharia Biomédica IST FMUL, 2013-2014

Introdução à Engenharia Biomédica IST FMUL, 2013-2014 Mestrado Integrado em Engenharia Biomédica Introdução à Engenharia Biomédica IST FMUL, 2013-2014 Docentes responsáveis: Prof. João Miguel Sanches, IST Prof. Fernando Lopes da Silva, IST jmrs@ist.utl.pt

Leia mais

CONVOCATÓRIA PRÉMIO CGC CENTRO GENÉTICA CLÍNICA

CONVOCATÓRIA PRÉMIO CGC CENTRO GENÉTICA CLÍNICA CONVOCATÓRIA PRÉMIO CGC CENTRO GENÉTICA CLÍNICA Prémio CGC Genetics Professor Doutor Amândio Tavares, FWA PRÉMIO CGC Genetics Professor Doutor Amândio Tavares, FWA 1º. Prémio: 5.000 2º. Prémio: 2.000 3º.

Leia mais

Uma Análise da História do VEM, WBVS e WMSWM

Uma Análise da História do VEM, WBVS e WMSWM VEM Uma Análise da História do VEM, WBVS e WMSWM Renato Novais, Thiago S. Mendes, Fernando Teles Instituto Federal da Bahia (IFBA) Salvador Bahia Brasil {renato,thiagosouto,fernandoteles}@ifba.edu.br Abstract.

Leia mais

SUMÁRIO DO CURRICULUM VITAE

SUMÁRIO DO CURRICULUM VITAE SUMÁRIO DO CURRICULUM VITAE Nome Completo: Lino Manuel Martins Gonçalves. Local e Data de Nascimento: Loulé - Portugal, 23 de Setembro de 1960. Estado civil: Casado Nacionalidade: Portuguesa Morada: Rua

Leia mais

Ficha de Unidade Curricular Ano letivo 2014/2015

Ficha de Unidade Curricular Ano letivo 2014/2015 6.2.1.1. Unidade curricular: Curricular Unit: Ficha de Unidade Curricular Ano letivo 2014/2015 Design de Interface Interface Design 6.2.1.2. Docente responsável e respectivas horas de contacto na unidade

Leia mais

Escolha o tipo de entidade: Clínicas Consultórios Hospitais Privados Ordens e Misericórdias

Escolha o tipo de entidade: Clínicas Consultórios Hospitais Privados Ordens e Misericórdias Escolha o tipo de entidade: Clínicas Consultórios Hospitais Privados Ordens e Misericórdias ICare-EHR (ASP) ou Application Service Provider, é uma subscrição de Serviço online não necess ICare-EHR (Clássico)

Leia mais

Interoperability through Web Services: Evaluating OGC Standards in Client Development for Spatial Data Infrastructures

Interoperability through Web Services: Evaluating OGC Standards in Client Development for Spatial Data Infrastructures GeoInfo - 2006 Interoperability through Web Services: Evaluating OGC Standards in Client Development for Spatial Data Infrastructures Leonardo Lacerda Alves Clodoveu A. Davis Jr. Information Systems Lab

Leia mais

Contribution of the top boat game for learning production engineering concepts

Contribution of the top boat game for learning production engineering concepts Contribution of the top boat game for learning production engineering concepts Carla Sena Batista, Fabiana Lucena Oliveira, Enily Vieira do Nascimento, Viviane Da Silva Costa Novo Research Problem: How

Leia mais

MARLI DA COSTA RAMOS SCATRALHE FAMÍLIA E ESCOLA: DOIS SISTEMAS INTERDEPENDENTES NA COMPREENSÃO DOS SIGNIFICADOS NO PROCESSO ESCOLAR DO FILHO/ALUNO

MARLI DA COSTA RAMOS SCATRALHE FAMÍLIA E ESCOLA: DOIS SISTEMAS INTERDEPENDENTES NA COMPREENSÃO DOS SIGNIFICADOS NO PROCESSO ESCOLAR DO FILHO/ALUNO MARLI DA COSTA RAMOS SCATRALHE FAMÍLIA E ESCOLA: DOIS SISTEMAS INTERDEPENDENTES NA COMPREENSÃO DOS SIGNIFICADOS NO PROCESSO ESCOLAR DO FILHO/ALUNO CENTRO UNIVERSITÁRIO FIEO Osasco 2009 MARLI DA COSTA RAMOS

Leia mais