MINERAÇÃO SERRA ALTA DE SÃO TOMÉ LTDA.

Save this PDF as:
Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MINERAÇÃO SERRA ALTA DE SÃO TOMÉ LTDA."

Transcrição

1 ESTABELECIMENTO: MINERAÇÃO SERRA ALTA DE SÃO TOMÉ LTDA. ENDEREÇO: SERRA DO CARIMBADO, S/N SÃO TOMÉ DAS LETRAS-MG CNPJ: / RAMO DE ATIVIDADE: MINERAÇÃO CNAE: GRAU DE RISCO: 4 (quatro) NÚMERO DE COLABORADORES: 46 (QUARENTA E SEIS) REPRESENTANTE: ANTONIO CARLOS ALVES DE OLIVEIRA DATA: 20 DE FEVEREIRO DE 2015 PROJETO: ARREDORES DA EMPRESA DATA DA AVALIAÇÃO DO RUÍDO NA EMPRESA: 20/02/2015

2 Empresa responsável pelos serviços de avaliação do ruído nas áreas habituais: Razão Social: E & E Segurança ocupacional S/C Ltda. Endereço: Rua Santa Cruz, 564, Sala 802 Centro, Varginha-MG. Responsável técnico pela avaliação do ruído nas áreas habituais: Alexssandro Estevam Pereira TST./Esp. Eng. Segurança CREA

3 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 2. METODOLOGIA DE REFERÊNCIA 3. EQUIPAMENTO UTILIZADO 4. RESULTADOS 5. RASTREABILIDADE 6. TERMO DE CONFIDENCIALIDADE 7. CONCLUSÃO 8. RESPONSÁVEL PELA AVALIAÇÃO

4 1. INTRODUÇÃO O equipamento de medição deve ser feito na curva A, do instrumento de medição. A medição deve ser feita utilizando se a resposta rápida (FAST), do instrumento de medição. Altura do microfone 1,20m acima do solo e 1,5m de paredes, edifícios e outras superfícies refletoras. O microfone deverá estar provido de protetor de vento. Não deverão ser efetuadas avaliações na ocorrência de precipitação (chuva). 2. METODOLOGIA DE REFERÊNCIA NBR Esta norma fixa as condições exigíveis para avaliação da aceitabilidade do ruído em comunidades, independente da existência de reclamações. Ela especifica um método para a medição de ruído, a aplicação de correções nos níveis medidos se o ruído apresentar características especiais e uma comparação dos níveis corrigidos com um critério que leva em conta vários fatores. O método de avaliação envolve as medições do nível de pressão sonora equivalente ( Leq ), em decibéis ponderados em A, comumente chamado db(a). 3. EQUIPAMENTO UTILIZADO Para serem realizadas as avaliações do ruído utilizamos o equipamento Analisador Multifunções, modelo THDL 400 N Série Função utilizada: Medidor de Nível Sonoro com Certificado de Calibração.

5 4. RESULTADOS Tabela 1 Data de realizações das medições: 20/02/2015 MINERAÇÃO SERRA ALTA db(a) Horário 01 Entorno A :00 02 Entorno B :10 03 Entorno C :15 04 Entorno D :20 05 Entorno E :25 06 Entorno F :30 07 Entorno G :35 08 Entorno H :40

6 Tabela 2 Tipos de Áreas Diurno Noturno Áreas de sítios e fazendas Área estritamente residencial urbana ou de hospitais ou de escolas Área mista, predominantemente residencial Área mista, com vocação comercial e administrativa Área mista, com vocação recreacional Área predominantemente industrial Conforme NBR Tabela 1. Nível de critério de avaliação NCA para ambientes externos, em db(a). Conforme a NBR em áreas mista, com vocação comercial e administrativa o limite de tolerância para ruído diurno é de: 60 db(a). Comparação em db(a), conforme a NBR em áreas mista, com vocação comercial e administrativa o limite de tolerância para ruído diurno é de: 60 db(a).

7 Tabela 3 PONTO DESCRIÇÃO DO LOCAL Entorno A área não Entorno B área não Entorno C área não Entorno D área não Entorno E área não Entorno F área não Entorno G área não Entorno H área não AVALIAÇÃO DO RUIDO ENCONTRADO db(a) LOCAL TEM OU NÃO VIZINHANÇA HORARIO QUE FOI REALIZADAS AS AVALIAÇÕES : :10 08:15 09:20 09:25 10:30 13:35 14:40 EMPRESA MINERAÇÃO SERRA ALTA DE SÃO TOMÉ LTDA. UNIDADE DE MEDIÇÃO db(a) CONFORME NBR db(a) VALORES EM db(a) ENCONTRADOS NA AVALIAÇÃO DO RUÍDO EM ÁREAS HABITUAIS 67.5 Entorno A 66.3 Entorno B 62.9 Entorno C 54.6 Entorno D 54.2 Entorno E 47.7 Entorno F 51.4 Entorno G 63.2 Entorno H

8 5. RASTREABILIDADE Conforme a NBR as medições devem ser feita na curva A, utilizando-se a resposta rápida (FAST) o equipamento utilizado atende os requisitos, no item três 3 do documento temos a marca instrutherm modelo THDL 400 instrumento analisador multifunções, utilizamos o medidor de nível sonoro. A empresa E & E Segurança Ocupacional S/C Ltda. garante os resultados em db(a) conforme a norma NBR ISO/IEC 17025:2005 data da calibração N A do instrumento utilizado para medições do ruído.

9 6. TERMO DE CONFIDENCIALIDADE Declara-se, para os devidos fins, que: Há plena ciência da confidencialidade dos dados e informações de propriedade da Empresa MINERAÇÃO SERRA ALTA DE SÃO TOMÉ LTDA, a que a empresa E & E Segurança Ocupacional S/C Ltda. terá acesso por ocasião da realização do documento denominado Avaliação do Ruído em Áreas Habituais. Deseja participar, considerando-se dados e informações confidenciais, para os fins deste documento, quaisquer informações e/ou dados relativos a qualquer tipo de negócio, comércio, ou dados técnicos da referida empresa. As informações deste documento poderão ser divulgadas com a autorização da empresa.

10 7. CONCLUSÃO: De acordo com a NBR , o ruído emitido pela empresa, está dentro dos limites permitidos pela norma uma vez que o limite de tolerância para área predominantemente industrial é de 70 db (A) diurno, e de 60 db(a) Noturno. O ruído emitido pela empresa em horário diurno não ultrapassa 67,5 db(a), sendo assim, a empresa está de acordo com as normas NBR

11 8. RESPONSÁVEL PELA AVALIAÇÃO DO RUÍDO EM ÁRES HABITUAIS

LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DO RUÍDO EM ÁREAS HABITADAS, VISANDO O CONFORTO DA COMUNIDADE, SEGUNDO A NBR 10.151: 2000/ABNT 1- IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA

LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DO RUÍDO EM ÁREAS HABITADAS, VISANDO O CONFORTO DA COMUNIDADE, SEGUNDO A NBR 10.151: 2000/ABNT 1- IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DO RUÍDO EM ÁREAS HABITADAS, VISANDO O CONFORTO DA COMUNIDADE, SEGUNDO A NBR 10.151: 2000/ABNT 1- IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA EMPRESA/RAZÃO SOCIAL: NOME DE FANTASIA: CNPJ/MF: INSCRIÇÃO

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DE RUÍDO AMBIENTAL

RELATÓRIO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DE RUÍDO AMBIENTAL RELATÓRIO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DE RUÍDO AMBIENTAL AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE PRESSÃO SONORA Conforme Resolução CONAMA 001/90 CONSTRUTORA NORBERTO ODEBRECHT S/A ESTALEIRO E BASE NAVAL DO PROJETO PROSUB - ITAGUAÍ/RJ

Leia mais

LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DO RUÍDO

LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DO RUÍDO LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DO RUÍDO Contratante: Sistema Ribrane de Ensino Ltda ME Praça Padre Tavares, 46 - Centro Avaré - SP. Responsável Técnico: Engenheiro Eletricista e de Segurança do Trabalho CREA:

Leia mais

ESTRADA PARQUE VISCONDE DE MAUÁ MEDIÇÃO DE RUÍDO AMBIENTAL

ESTRADA PARQUE VISCONDE DE MAUÁ MEDIÇÃO DE RUÍDO AMBIENTAL Rio de Janeiro, 10/10/2011 ESTRADA PARQUE VISCONDE DE MAUÁ MEDIÇÃO DE RUÍDO AMBIENTAL 1 Objetivo Monitorar os níveis de ruído ambiental ao longo da Estrada Parque Visconde de Mauá (RJ-163 / RJ-151, no

Leia mais

VALIAÇÃO DO RUÍDO EM ÁREAS HABITADAS VISANDO O CONFORTO DA COMUNIDADE

VALIAÇÃO DO RUÍDO EM ÁREAS HABITADAS VISANDO O CONFORTO DA COMUNIDADE VALIAÇÃO DO RUÍDO EM ÁREAS HABITADAS VISANDO O CONFORTO DA COMUNIDADE 1. OBJETIVO 1.1 Esta Norma fixa as condições exigíveis para avaliação da aceitabilidade do ruído em comunidades. Ela especifica um

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO 046/15-A

RELATÓRIO TÉCNICO 046/15-A SPE FASHION CITY RUÍDO AMBIENTAL R.T 046/15-A PÁG. 1/21 RELATÓRIO TÉCNICO 046/15-A RUÍDO AMBIENTAL NATUREZA DO TRABALHO: AVALIAÇÃO DOS NÍVEIS DE PRESSÃO SONORA CLIENTE: SPE FASHION CITY BRASIL S/A RODOVIA:

Leia mais

MANUAL DE MEDIÇÃO E CÁLCULO DAS CONDIÇÕES ACÚSTICAS

MANUAL DE MEDIÇÃO E CÁLCULO DAS CONDIÇÕES ACÚSTICAS 1 Programa de Recuperação de Espaços Didáticos Pró-Reitoria de Graduação MANUAL DE MEDIÇÃO E CÁLCULO DAS CONDIÇÕES ACÚSTICAS 2 1. INTRODUÇÃO Adotou-se um processo de trabalho convencional, de desenvolvimento

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO AVALIAÇÃO AMBIENTAL DE RUÍDO

RELATÓRIO TÉCNICO AVALIAÇÃO AMBIENTAL DE RUÍDO RELATÓRIO TÉCNICO AVALIAÇÃO AMBIENTAL DE RUÍDO Empresa: CAL-COMP INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE ELETRÔNICO E INFORMÁTICA LTDA Elaboração: Reginaldo Beserra Alves Eng. Segurança CREA: 5907-D/PB Março / 2013 MANAUS

Leia mais

A/C da Câmara Municipal da Estância Turística de Ribeirão Pires. Excelentíssimo Senhor Presidente e Ilustríssimos Senhores Vereadores,

A/C da Câmara Municipal da Estância Turística de Ribeirão Pires. Excelentíssimo Senhor Presidente e Ilustríssimos Senhores Vereadores, Ribeirão Pires, 16 de março de 2009 A/C da Câmara Municipal da Estância Turística de Ribeirão Pires Excelentíssimo Senhor Presidente e Ilustríssimos Senhores Vereadores, Nós, moradores do Centro Novo,

Leia mais

Engenharia Automotiva Parte II

Engenharia Automotiva Parte II Engenharia Automotiva Parte II PROF. KEY FONSECA DE LIMA 2 0 1 1 Medições de Ruído AMBIENTAL Levantamento ponto a ponto com medições instantâneas para conhecimento do perfil do ruído na área; Rastreamento

Leia mais

Marco Antonio Nabuco de Araujo Laboratório de Ensaios Acústicos INMETRO-Brasil

Marco Antonio Nabuco de Araujo Laboratório de Ensaios Acústicos INMETRO-Brasil Marco Antonio Nabuco de Araujo Laboratório de Ensaios Acústicos INMETRO-Brasil Até 1990, a legislação ambiental federal no Brasil se limitava a uma Portaria do Ministério do Interior (hoje extinto), muito

Leia mais

PROJETO DE BARREIRA ACÚSTICA EM RODOVIA PARA PROTEÇÃO DE CONDOMÍNIO RESIDENCIAL - RELATO DE EXPERIÊNCIA

PROJETO DE BARREIRA ACÚSTICA EM RODOVIA PARA PROTEÇÃO DE CONDOMÍNIO RESIDENCIAL - RELATO DE EXPERIÊNCIA Acústica 2008 20-22 de Outubro, Coimbra, Portugal Universidade de Coimbra PROJETO DE BARREIRA ACÚSTICA EM RODOVIA PARA PROTEÇÃO DE CONDOMÍNIO RESIDENCIAL - RELATO DE EXPERIÊNCIA M. Holtz e D. Akkerman

Leia mais

1. INFORMAÇÕES GERAIS

1. INFORMAÇÕES GERAIS 1. INFORMAÇÕES GERAIS 1.1 EMPRESA CONTRATANTE Razão Social: Multiplan Greenfield VII Empreendimento Imobiliário Ltda. CNPJ: 14.447.630/0001-13 Endereço: Av. das Américas, 4.200 - Bloco 02 / Sala 501 -

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO 028/14 B

RELATÓRIO TÉCNICO 028/14 B SPE FASHION CITY RUÍDO AMBIENTAL R.T 028/14 B PÁG. 1/23 RELATÓRIO TÉCNICO 028/14 B RUÍDO AMBIENTAL NATUREZA DO TRABALHO: AVALIAÇÃO DOS NÍVEIS DE PRESSÃO SONORA CLIENTE: SPE FASHION CITY BRASIL S/A RODOVIA:

Leia mais

Minuta de Norma AVALIAÇÃO DA EXPOSIÇÃO HUMANA À VIBRAÇÃO VISANDO O CONFORTO DA COMUNIDADE PREFÁCIO

Minuta de Norma AVALIAÇÃO DA EXPOSIÇÃO HUMANA À VIBRAÇÃO VISANDO O CONFORTO DA COMUNIDADE PREFÁCIO Minuta de Norma AVALIAÇÃO DA EXPOSIÇÃO HUMANA À VIBRAÇÃO VISANDO O CONFORTO DA COMUNIDADE PREFÁCIO As vibrações afetam as pessoas de muitas formas causando desconforto, problemas de saúde, diminuição da

Leia mais

PROJETO DE LEI (Do Senhor Paulo Roberto)

PROJETO DE LEI (Do Senhor Paulo Roberto) PROJETO DE LEI (Do Senhor Paulo Roberto) Fixa limite para emissão sonora nas atividades em templos religiosos. Art. 1º As atividades das Entidades Religiosas em templos de qualquer crença, não poderão

Leia mais

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx LTDA

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx LTDA xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx LTDA R E C I F E MURIBECA - SETEMBRO / 2009 Levantamento ruído - set/2009 - Pág. 1/6. Í N D I C E 1. - APRESENTAÇÃO 2. - OBJETIVO 3. - EMPRESA BENEFICIADA 4. - AVALIAÇÃO DA EXPOSIÇÃO

Leia mais

CALILAB - LABORATÓRIO DE CALIBRAÇÃO E ENSAIOS RBC - REDE BRASILEIRA DE CALIBRAÇÃO.

CALILAB - LABORATÓRIO DE CALIBRAÇÃO E ENSAIOS RBC - REDE BRASILEIRA DE CALIBRAÇÃO. da TOTAL ner SAFETY CALILAB Laboratório de Calibração RBC - REDE BRASILEIRA DE CALIBRAÇÃO. CERTIFICADO DE CALIBRAÇÃO Na: RBC3-9319-482 1- CLIENTE/ EQUIPAMENTO Data da calibração: Processo: Nome: Labor

Leia mais

Anexo VIII - Fichas de medições de ruídos e de vibrações e Certificado de Calibração do Equipamento

Anexo VIII - Fichas de medições de ruídos e de vibrações e Certificado de Calibração do Equipamento RELATÓRIO TÉCNICO Código RT-020.00/RA2/004 Emissão O.S. 15/08/13 Folha 10 de 12 Rev. A Emitente Resp. Técnico Emitente 15/08/13 Verificação / São Paulo Transporte Anexo VIII - Fichas de medições de ruídos

Leia mais

AVALIAÇÃO DO RUÍDO NA ÁREA CENTRAL DE IJUÍ, RS1

AVALIAÇÃO DO RUÍDO NA ÁREA CENTRAL DE IJUÍ, RS1 AVALIAÇÃO DO RUÍDO NA ÁREA CENTRAL DE IJUÍ, RS1 Jaciele Schirmer Strieder 2, Luiza A. U. Scortegagna 3, Thiana D. Herrmann 4, Raquel Kohler 5. 1 Pesquisa Institucional desenvolvida no Departamento de Ciências

Leia mais

Audição e Trabalho. Marcelo Madureira

Audição e Trabalho. Marcelo Madureira Audição e Trabalho Marcelo Madureira Som Qualquer perturbação vibratória em meio elástico, a qual produz uma sensação auditiva Energia transmitida por vibrações no ar (ou outros materiais) e que causa

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO No. RT002-062010 AVALIAÇÃO DA ISOLAÇÃO SONORA AÉREA DE PAINEL DE FIBROCIMENTO E GESSO ACARTONADO

RELATÓRIO TÉCNICO No. RT002-062010 AVALIAÇÃO DA ISOLAÇÃO SONORA AÉREA DE PAINEL DE FIBROCIMENTO E GESSO ACARTONADO Universidade Federal de Santa Maria Centro de Tecnologia Laboratório de Acústica Av. Roraima 1000, Campus Universitário, Bloco 10, Sala 439, Camobi, CEP 97105-900, Santa Maria/RS, Brasil Tel.: 55-55 -

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE FONOAUDIOLOGIA

CONSELHO FEDERAL DE FONOAUDIOLOGIA OF./CIRC./CFFa nº 029/20 Brasília-DF, 12 de março de 20 Aos Conselhos Regionais de Fonoaudiologia Prezado(a) Senhor(a), Encaminhamos a V.Sª. Recomendação CFFa nº 11, de 08 de março de 20, que dispõe sobre

Leia mais

Laudo Técnico de condições Ambientais do Trabalho LTCAT MOBRA SERVIÇOS DE VIGILNCIA LTDA

Laudo Técnico de condições Ambientais do Trabalho LTCAT MOBRA SERVIÇOS DE VIGILNCIA LTDA Laudo Técnico de condições Ambientais do Trabalho LTCAT MOBRA SERVIÇOS DE VIGILNCIA LTDA JANEIRO / 2014 DADOS DA EMPRESA Razão Social: MOBRA SERVIÇOS DE VIGILÂNCIA LTDA. CGC: 87.134.086/0001-23, Endereço:

Leia mais

INSTRUÇÃO SUPLEMENTAR IS

INSTRUÇÃO SUPLEMENTAR IS INSTRUÇÃO SUPLEMENTAR IS IS Nº 161.55-001 Aprovação: Assunto: Portaria nº 1408/SIA, de 29 de maio de 2013, publicada no Diário Oficial da União nº 103, Seção 1, p. 4, de 31 de maio de 2013. Projeto de

Leia mais

Poluição sonora no município de São Paulo: avaliação do ruído e o impacto da exposição na saúde da população

Poluição sonora no município de São Paulo: avaliação do ruído e o impacto da exposição na saúde da população Poluição sonora no município de São Paulo: avaliação do ruído e o impacto da exposição na saúde da população Introdução O ruído pode ser definido como um som desagradável e indesejável que pode afetar

Leia mais

As cartas de Brasília Mapas de ruído da capital federal. Prof. Dr. Sérgio Garavelli

As cartas de Brasília Mapas de ruído da capital federal. Prof. Dr. Sérgio Garavelli As cartas de Brasília Mapas de ruído da capital federal Prof. Dr. Sérgio Garavelli Grupo de Pesquisa em Acústica Ambiental Dr. Sérgio Luiz Garavelli Coordenador Dr. Armando de Mendonça Maroja MSc. Cleber

Leia mais

ROTEIRO DE CÁLCULO PARA ACÚSTICA

ROTEIRO DE CÁLCULO PARA ACÚSTICA ROTEIRO DE CÁLCULO PARA ACÚSTICA DIAGNÓSTICO, PROJETO E AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO a. Caracterizar as condições de exposição: ruído urbano móvel (tráfego viário, aéreo, etc) e fixo (casas noturnas, indústrias,

Leia mais

Capítulo 6. O Ruído Ambiental. Acústica e Ruídos. 1. Avaliação do Ruído Ambiental

Capítulo 6. O Ruído Ambiental. Acústica e Ruídos. 1. Avaliação do Ruído Ambiental 48 Capítulo 6 O Ruído Ambiental Os altos níveis de ruído urbano têm se transformado, nas últimas décadas, em uma das formas de poluição que mais tem preocupado os urbanistas e arquitetos. Os valores registrados

Leia mais

AVALIAÇÃO DOS NÍVEIS DE PRESSÃO SONORA NAS ÁREAS LIMÍTROFES

AVALIAÇÃO DOS NÍVEIS DE PRESSÃO SONORA NAS ÁREAS LIMÍTROFES AVALIAÇÃO DOS NÍVEIS DE PRESSÃO SONORA NAS ÁREAS LIMÍTROFES RESUMO ESCOPO: Este trabalho representa os resultados das avaliações realizada no dia 24 de outubro de 2016. OBJETIVO: Identificar e avaliar

Leia mais

Ref.: Procedimento Preparatório nº 06.2014.00001194-0 RECOMENDAÇÃO Nº 0002/2014

Ref.: Procedimento Preparatório nº 06.2014.00001194-0 RECOMENDAÇÃO Nº 0002/2014 MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE 28ª PROMOTORIA DE JUSTIÇA DEFESA DO MEIO AMBIENTE Av. Mal. Floriano Peixoto, nº 550, Petrópolis, Natal-RN - CEP 59012-500 Tel.: 3232-7176 meioambiente@rn.gov.br

Leia mais

ITUC Instituto Tecnológico PUC-Rio (Lab Motores) 1 de 23

ITUC Instituto Tecnológico PUC-Rio (Lab Motores) 1 de 23 Cliente: Projeto: N : PUC_09 Data: 02/07/09 1 de 23 Avaliação Ambiental de Nível de Pressão Sonora e Diretrizes Edição: 1 Revisão: 1 Capítulo: I Avaliador: Rogério Dias Regazzi Local: Rio de Janeiro I.

Leia mais

Avaliação do Ruído em Zona Habitacional causado por Serralheria no Jardim Aeroporto em Ilha Solteira - SP

Avaliação do Ruído em Zona Habitacional causado por Serralheria no Jardim Aeroporto em Ilha Solteira - SP Laudo Técnico Avaliação do Ruído em Zona Habitacional causado por Serralheria no Jardim Aeroporto em Ilha Solteira - SP 1. INTRODUÇÃO O presente trabalho realiza-se em cumprimento ao requisito determinado

Leia mais

RUÍDO URBANO E CONFORTO AMBIENTAL EM LOGRADOUROS DA CIDADE DE FEIRA DE SANTANA, BRASIL

RUÍDO URBANO E CONFORTO AMBIENTAL EM LOGRADOUROS DA CIDADE DE FEIRA DE SANTANA, BRASIL RUÍDO URBANO E CONFORTO AMBIENTAL EM LOGRADOUROS DA CIDADE DE FEIRA DE SANTANA, BRASIL Autores Anastácio Pinto Gonçalves Filho, MsC Prof. Luiz Roberto Santos Moraes, PhD EFEITOS DO RUÍDO URBANO Interferência

Leia mais

NBR 10151/00 Avaliação de ruídos em áreas habitadas visando o conforto da comunidade

NBR 10151/00 Avaliação de ruídos em áreas habitadas visando o conforto da comunidade http://smmaspbh.vilabol.uol.com.br/10151.htm NBR 10151/00 Avaliação de ruídos em áreas habitadas visando o conforto da comunidade JUN 2000 NBR 10151 Acústica - Avaliação do ruído em áreas habitadas, visando

Leia mais

Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho

Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho Josevan Ursine Fudoli ENGº CIVIL E DE SEGURANÇA DO TRABALHO HIGIENE OCUPACIONAL RUÍDO Aula

Leia mais

N : 3R Brasil Tecnologia Ambiental Ltda. Exposição Humana a Vibrações no Trabalho Edição: 1

N : 3R Brasil Tecnologia Ambiental Ltda. Exposição Humana a Vibrações no Trabalho Edição: 1 Cliente: Projeto: N : Data:07/07/06 Exposição Humana a Vibrações no Trabalho Edição: 1 Revisão: 0 1 de 9 Capítulo: I ESCOPO DE FORNECIMENTO Local: XX - RJ 1. OBJETIVO Medição da exposição a vibrações no

Leia mais

CHECK LIST DE AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES Divisão:

CHECK LIST DE AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES Divisão: 4.2.2 Manual da Qualidade Está estabelecido um Manual da Qualidade que inclui o escopo do SGQ, justificativas para exclusões, os procedimentos documentados e a descrição da interação entre os processos

Leia mais

PARECER Nº, DE 2013. RELATOR: Senador WELLINGTON DIAS

PARECER Nº, DE 2013. RELATOR: Senador WELLINGTON DIAS PARECER Nº, DE 2013 Da COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 286, de 2010, do Senador Raimundo Colombo, que flexibiliza limites de ruído para cidades litorâneas de vocação turística.

Leia mais

PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCO AMBIENTAL - PPRA NR 09

PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCO AMBIENTAL - PPRA NR 09 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCO AMBIENTAL - PPRA NR 09 Prof. Me. Vítor Hugo Magalhães Vono Engenheiro de Segurança do Trabalho Lei 6514 de 12/77 Capítulo V da CLT da Segurança e Medicina do Trabalho (art.

Leia mais

GESTÃO AMBIENTAL DA CONSTRUÇÃO. LI n 711/2010

GESTÃO AMBIENTAL DA CONSTRUÇÃO. LI n 711/2010 Estaleiro e Base Naval para a Construção de Submarinos Convencionais e de Propulsão Nuclear GESTÃO AMBIENTAL DA CONSTRUÇÃO LI n 711/2010 RELATÓRIO ANUAL 2012 SEÇÃO III - PROGRAMA AMBIENTAL DA CONSTRUÇÃO

Leia mais

América Latina Logística Malha Sul ALL

América Latina Logística Malha Sul ALL Malha Sul ALL Capítulo 12. Investigação de Ruídos Rio Grande do Sul Junho/2010 Revisão 0 12.1 INTRODUÇÃO As empresas que ao seu redor possuem populações circunvizinhas, por exemplo, residências e/ou outras

Leia mais

SUMÁRIO. Este procedimento estabelece as condições que permitam identificar, avaliar e controlar os equipamentos críticos. ÍNDICE.

SUMÁRIO. Este procedimento estabelece as condições que permitam identificar, avaliar e controlar os equipamentos críticos. ÍNDICE. OGX Procedimento de Gestão Denominação: Gestão de Equipamentos Críticos SUMÁRIO Este procedimento estabelece as condições que permitam identificar, avaliar e controlar os equipamentos críticos. ÍNDICE

Leia mais

COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº 171391. Ruídos e vibrações em trens; estudos dos níveis de ruídos e vibrações

COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº 171391. Ruídos e vibrações em trens; estudos dos níveis de ruídos e vibrações COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº 171391 Ruídos e vibrações em trens; estudos dos níveis de ruídos e vibrações Marcelo de Mello Aquilino Fúlvio Vittorino Palestra apresentada no 1.Ciclo de Palkestra em Gestão Ambiental;

Leia mais

MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE

MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE Revisão: 07 Data: 05.03.09 Página 1 de 7 Copia controlada MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE José G. Cardoso Diretor Executivo As informações contidas neste Manual são de propriedade da Abadiaço Ind. e Com.

Leia mais

ENQUALAB 2013 QUALIDADE & CONFIABILIDADE NA METROLOGIA AUTOMOTIVA. Elaboração em planos de Calibração Interna na Indústria Automotiva

ENQUALAB 2013 QUALIDADE & CONFIABILIDADE NA METROLOGIA AUTOMOTIVA. Elaboração em planos de Calibração Interna na Indústria Automotiva ENQUALAB 2013 QUALIDADE & CONFIABILIDADE NA METROLOGIA AUTOMOTIVA Elaboração em planos de Calibração Interna na Indústria Automotiva Joel Alves da Silva, Diretor Técnico JAS-METRO Soluções e Treinamentos

Leia mais

Esta Norma substitui e cancela a sua revisão anterior. Esta Norma é a Revalidação da revisão anterior. Apresentação

Esta Norma substitui e cancela a sua revisão anterior. Esta Norma é a Revalidação da revisão anterior. Apresentação INSPEÇÃO SUBMARINA - MEDIÇÃO DE ESPESSURA DE PAREDE Procedimento Esta Norma substitui e cancela a sua revisão anterior. Esta Norma é a Revalidação da revisão anterior. CONTEC Comissão de Normas Técnicas

Leia mais

MADETAL RUA SANTA ISABEL, 68. Porto Alegre RS. Ref.: LAUDO TÉCNICO DE ISOLAMENTO ACÚSTICO. Porto Alegre, 21 de abril de 2014. Prezados Senhores:

MADETAL RUA SANTA ISABEL, 68. Porto Alegre RS. Ref.: LAUDO TÉCNICO DE ISOLAMENTO ACÚSTICO. Porto Alegre, 21 de abril de 2014. Prezados Senhores: MADETAL RUA SANTA ISABEL, 68 Porto Alegre RS Ref.: LAUDO TÉCNICO DE ISOLAMENTO ACÚSTICO Porto Alegre, 21 de abril de 2014. Prezados Senhores: Vimos por meio desta apresentar os resultados de Medição e

Leia mais

"L.T.C.A.T" LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES AMBIENTAIS DO TRABALHO. Demonstração LTDA CST INFORMÁTICA LTDA.

L.T.C.A.T LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES AMBIENTAIS DO TRABALHO. Demonstração LTDA CST INFORMÁTICA LTDA. LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES AMBIENTAIS DO TRABALHO "L.T.C.A.T" Demonstração LTDA Fevereiro / 2008 SUMÁRIO Demonstração LTDA 4 Administração 7 Assistente Administrativo 8 Auxiliar de Escritório 9 Manutenção

Leia mais

Cliente: Folha: Projeto: Assunto:

Cliente: Folha: Projeto: Assunto: Cliente: Projeto: N : Data: 11/01/11 1 de 23 Avaliação Ambiental do Ruído Perimetral Edição: 1 Revisão: 1 Capítulo: I Avaliador: Rogério Dias Regazzi Local: Duque de Caxias-RJ 1. APRESENTAÇÃO Este relatório

Leia mais

a) garantir a efetiva implementação das medidas de proteção estabelecidas nesta Norma;

a) garantir a efetiva implementação das medidas de proteção estabelecidas nesta Norma; TRABALHO EM ALTURA 36.1 Objetivo e Campo de Aplicação 36.1 Objetivo e Definição 36.1.1 Esta Norma tem como objetivo estabelecer os requisitos mínimos e as medidas de proteção para o trabalho em altura,

Leia mais

RM 62 REQUISITOS SOBRE A PARTICIPAÇÃO DE LABORATÓRIOS EM ENSAIOS DE PROFICIÊNCIA SUMÁRIO

RM 62 REQUISITOS SOBRE A PARTICIPAÇÃO DE LABORATÓRIOS EM ENSAIOS DE PROFICIÊNCIA SUMÁRIO SUMÁRIO 1 OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO 2 REFERÊNCIAS 3 DEFINIÇÕES 4 METODOLOGIA 1 OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO O presente documento tem o objetivo definir os requisitos sobre a participação de laboratórios

Leia mais

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO 1 de 9 1. OBJETIVO: Este procedimento estabelece o processo para concessão, manutenção, extensão e exclusão da certificação de Sistema de Gestão de Segurança da Informação, em conformidade com norma ABNT

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE E/OU AMBIENTAL (ISO 9001 / 14001) Palavra chave: certificação, qualidade, meio ambiente, ISO, gestão

CERTIFICAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE E/OU AMBIENTAL (ISO 9001 / 14001) Palavra chave: certificação, qualidade, meio ambiente, ISO, gestão 1 de 8 1. OBJETIVO Estabelecer o processo para concessão, manutenção, extensão, suspensão e cancelamento de certificações de Sistema de Gestão da Qualidade, conforme a Norma NBR ISO 9001 e Sistema de Gestão

Leia mais

AVALIAÇÃO DOS NÍVEIS DE RUÍDO EM AGLOMERADOS POPULACIONAIS INTERCEPTADOS POR UMA RODOVIA FEDERAL NA REGIÃO NORDESTE DO BRASIL

AVALIAÇÃO DOS NÍVEIS DE RUÍDO EM AGLOMERADOS POPULACIONAIS INTERCEPTADOS POR UMA RODOVIA FEDERAL NA REGIÃO NORDESTE DO BRASIL AVALIAÇÃO DOS NÍVEIS DE RUÍDO EM AGLOMERADOS POPULACIONAIS INTERCEPTADOS POR UMA RODOVIA FEDERAL NA REGIÃO NORDESTE DO BRASIL Suane Wurlitzer Bonatto (*), Jaerton Santini, Heberton Junior dos Santos, Guilherme

Leia mais

Qualificação Profissional (Capacitação)

Qualificação Profissional (Capacitação) Qualificação Profissional (Capacitação) M.SC Rogério Dias Regazzi Mestre em Metrologia e Qualidade Industrial PUC-Rio Engenheiro de Segurança do Trabalho e Ambiental Engo Mecânico e de Instrumentação e

Leia mais

DELIMITAÇÃO Km 15 da Marginal Esquerda da Rodovia Anchieta, sentido São Paulo,em São Bernardo do Campo.

DELIMITAÇÃO Km 15 da Marginal Esquerda da Rodovia Anchieta, sentido São Paulo,em São Bernardo do Campo. ESTUDO DA POLUIÇÃO SONORA NA RODOVIA ANCHIETA Paula Alexandre de Siqueira Orientador: Prof. Dr. Alejandro Jorge Dorado Coordenador geral: Prof. Msc. Fernando Codelo Nascimento Música para uma pessoa, pode

Leia mais

9. RUÍDO E POLUIÇÃO SONORA

9. RUÍDO E POLUIÇÃO SONORA 9. RUÍDO E POLUIÇÃO SONORA 9.1 INTRODUÇÃO E OBJETIVOS As ondas sonoras emitidas por fontes diversas de ruído se propagam no meio ambiente de várias formas. Qualquer processo que provoque flutuações no

Leia mais

Submódulo 12.5. Certificação de padrões de trabalho

Submódulo 12.5. Certificação de padrões de trabalho Submódulo 12.5 Certificação de padrões de trabalho Rev. Nº. 0 1 Motivo da revisão Este documento foi motivado pela criação do Operador nacional do Sistema Elétrico Atendimento à Resolução Normativa ANEEL

Leia mais

Estudo dos efeitos do ruído ferroviário no desempenho acústico de habitações no bairro Álvaro Weyne na cidade de Fortaleza, CE.

Estudo dos efeitos do ruído ferroviário no desempenho acústico de habitações no bairro Álvaro Weyne na cidade de Fortaleza, CE. Estudo dos efeitos do ruído ferroviário no desempenho acústico de habitações no bairro Álvaro Weyne na cidade de Fortaleza, CE. Daniela Maria de Sousa Martins a, Adeildo Cabral da Silva b a Estudante de

Leia mais

Ruído Urbano e seus Efeitos na Saúde Pública. Alfred Szwarc

Ruído Urbano e seus Efeitos na Saúde Pública. Alfred Szwarc Ruído Urbano e seus Efeitos na Saúde Pública Alfred Szwarc Seminário O Impacto da Poluição na Saúde Pública São Paulo 21/09/2009 Som e Ruído Som é a sensação auditiva resultante da propagação de vibrações

Leia mais

Acústica - Avaliação do ruído ambiente em recintos de edificações visando o conforto dos usuários Procedimento

Acústica - Avaliação do ruído ambiente em recintos de edificações visando o conforto dos usuários Procedimento Março 1999 Projeto 02:135.01-004 Acústica - Avaliação do ruído ambiente em recintos de edificações visando o conforto dos usuários Procedimento Origem: NBR 152:1987 e errata de Junho 1992 CB-02- Comitê

Leia mais

Secretaria da Administração

Secretaria da Administração Secretaria da Administração Procedimento para Elaboração de Programas de Segurança para Empresas Contratadas PCMSO / PPRA / PCMAT / ARO Revisão 00 2014 1. Objetivo Estabelecer as exigências mínimas sobre

Leia mais

Medição e Avaliação de Ruído Ambiental

Medição e Avaliação de Ruído Ambiental Medição e Avaliação de Ruído Ambiental Ministrantes Sérgio Soares da Silva Técnico Ambiental de Eng.ª Sanitária - MPGO Engº Sanitarista e Ambiental Esp. em Eng. De Segurança do Trabalho Programação Conceito

Leia mais

PLATAFORMA DE TESTES - PROPOSTA. JOSÉ EDUARDO MARTI CAPPIA Comitê Técnico AESP

PLATAFORMA DE TESTES - PROPOSTA. JOSÉ EDUARDO MARTI CAPPIA Comitê Técnico AESP PLATAFORMA DE TESTES - PROPOSTA JOSÉ EDUARDO MARTI CAPPIA Comitê Técnico AESP - O RÁDIO DIGITAL NÃO RESOLVE O PROBLEMA DA ONDA MÉDIA. - O AUMENTO DO RUÍDO ELÉTRICO URBANO MUNDIAL - - A PRESERVAÇÃO DO CONTEÚDO

Leia mais

Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho

Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho Curso de Engenharia de Segurança do Trabalho Disciplina: Higiene do Trabalho III Aula 47

Leia mais

POLUIÇÃO SONORA VERÔNICA MARIA MIRANDA BRASILEIRO

POLUIÇÃO SONORA VERÔNICA MARIA MIRANDA BRASILEIRO VERÔNICA MARIA MIRANDA BRASILEIRO Consultora Legislativa da Área XI Meio Ambiente e Direito Ambiental, Organização Territorial, Desenvolvimento Urbano e Regional MARÇO/2012 Verônica Maria Miranda Brasileiro

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO Trata-se de proposta de texto para revisão do Anexo 8 da Norma Regulamentadora n.º 15 (Atividades

Leia mais

Experimento de medição da intensidade sonora em campo ON/OFF para ligar ou desligar o aparelho. DECIBELÍMETRO Microfone Escala: 35 a 130 db em 3 faixas Precisão: ± 5 db Resolução: 0.1 db C/A Seleciona

Leia mais

PROTOCOLO DO 1º PROGRAMA DE ENSAIOS DE PROFICIÊNCIA

PROTOCOLO DO 1º PROGRAMA DE ENSAIOS DE PROFICIÊNCIA PROTOCOLO DO 1º PROGRAMA DE ENSAIOS DE PROFICIÊNCIA PROGRAMA DA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL DE CALIBRAÇÃO CALIBRAÇÕES REALIZADAS NAS INSTALAÇÕES PERMANENTES Rodada 01 Revisão 03 11 de NOVEMBRO de 2014

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO - IFMG

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO - IFMG PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO - IFMG Análise descritiva da poluição sonora na área central da cidade de Governador Valadares- MG Governador Valadares,

Leia mais

6 Calibração de Sistemas de. Fundamentos de Metrologia

6 Calibração de Sistemas de. Fundamentos de Metrologia 6 Calibração de Sistemas de Medição Fundamentos de Metrologia Motivação definição do mensurando procedimento de medição resultado da medição condições ambientais operador sistema de medição Posso confiar

Leia mais

Q SETTING CALIBRAÇÕES E ENSAIOS LTDA Fol. 1 de 9

Q SETTING CALIBRAÇÕES E ENSAIOS LTDA Fol. 1 de 9 Q SETTING CALIBRAÇÕES E ENSAIOS LTDA Fol. 1 de 9 4º PROGRAMA DE ENSAIOS DE PROFICIÊNCIA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL ÁREA: CALIBRAÇÃO GRANDEZA: VOLUME E MASSA ESPECÍFICA Revisão 02 de 04-set-2009 Q SETTING

Leia mais

O Ruído e sua Medição

O Ruído e sua Medição 61 Capítulo 8 O Ruído e sua Medição 1. - Introdução Como já vimos no capítulo 2, podemos definir Ruído, de maneira subjetiva, como toda sensação auditiva desagradável, ou fisicamente, como todo fenômeno

Leia mais

Calibração de Equipamentos

Calibração de Equipamentos Vídeo Conferência Calibração de Equipamentos Instituto de Pesos e Medidas do Estado do Paraná Junho/2014 Diferença entre calibração e a verificação metrológica Calibração Estabelece o erro de medição e

Leia mais

Relatório técnico nº 00412. Avaliação de Desempenho Acústico de Sistemas de Pisos NBR 15575:2013 parte 3

Relatório técnico nº 00412. Avaliação de Desempenho Acústico de Sistemas de Pisos NBR 15575:2013 parte 3 Relatório técnico nº 00412 Avaliação de Desempenho Acústico de Sistemas de Pisos NBR 15575:2013 parte 3 SINDUSCON- Grande Florianópolis End.: Avenida Rio Branco,1051- Centro, Florianópolis, SC Contato:

Leia mais

DRAFT. Higiene Ocupacional CONCURSO PETROBRAS. Questões Resolvidas ENGENHEIRO(A) DE SEGURANÇA JÚNIOR

DRAFT. Higiene Ocupacional CONCURSO PETROBRAS. Questões Resolvidas ENGENHEIRO(A) DE SEGURANÇA JÚNIOR CONCURSO PETROBRAS ENGENHEIRO(A) DE SEGURANÇA JÚNIOR ENGENHEIRO(A) JÚNIOR - ÁREA: SEGURANÇA PROFISSIONAL JÚNIOR - ENG. SEGURANÇA DO TRABALHO Higiene Ocupacional Questões Resolvidas QUESTÕES RETIRADAS DE

Leia mais

Portaria n.º 579, de 1º de novembro de 2012. CONSULTA PÚBLICA

Portaria n.º 579, de 1º de novembro de 2012. CONSULTA PÚBLICA Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 579, de 1º de novembro de 2012. CONSULTA

Leia mais

COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL EM ENSAIOS MECÂNICOS: ÁREA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS, PRESSOSTATO

COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL EM ENSAIOS MECÂNICOS: ÁREA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS, PRESSOSTATO COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL EM ENSAIOS MECÂNICOS: ÁREA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS, PRESSOSTATO Programa PEP REDE 1401 Rodada 021/2015 (Instruções aos Participantes, atualizado em 25/08/2015) F.PEP-4.6-003,

Leia mais

PROTOCOLO DO 6º PROGRAMA DE ENSAIOS DE PROFICIÊNCIA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL DE ELETRICIDADE

PROTOCOLO DO 6º PROGRAMA DE ENSAIOS DE PROFICIÊNCIA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL DE ELETRICIDADE PROTOCOLO DO 6º PROGRAMA DE ENSAIOS DE PROFICIÊNCIA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL DE ELETRICIDADE GRANDEZA: MEDIÇÃO DE TENSÃO CONTÍNUA E ALTERNADA, CORRENTE CONTÍNUA E ALTERNADA E RESISTÊNCIA ELÉTRICA Revisão

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE PREVENÇÃO À LAVAGEM DE DINHEIRO E AO FINANCIAMENTO DO TERRORISMO IDENTIFICAÇÃO, CLASSIFICAÇÃO E CADASTRO DE CLIENTES

PROCEDIMENTOS DE PREVENÇÃO À LAVAGEM DE DINHEIRO E AO FINANCIAMENTO DO TERRORISMO IDENTIFICAÇÃO, CLASSIFICAÇÃO E CADASTRO DE CLIENTES SUMÁRIO ITEM INDICE FOLHAS 1 Diretriz 2 2 Objetivo 2 3 Referencias 2 4 Funções Envolvidas 2 5 Procedimentos 2 6 Formulários Aplicáveis 6 7 Avaliação da Eficácia 7 REGISTRO DAS ALTERAÇÕES REVISÃO DATA ALTERAÇÃO

Leia mais

Consultoria Assessoria Projetos

Consultoria Assessoria Projetos Consultoria Assessoria Projetos Giner Sound Vibration Transmissão Interfaces Acústica Recepção Massa Rigidez Amortecimento Conforto Acústico Interno em Hotéis José Carlos Giner, BSc(EEng) CEng Aco Principal

Leia mais

E D I T A L. 1.4 LOCAL: Rua Dom Jaime Câmara, 217, Centro, Florianópolis SC, CEP 88015-120

E D I T A L. 1.4 LOCAL: Rua Dom Jaime Câmara, 217, Centro, Florianópolis SC, CEP 88015-120 E D I T A L 1. Introdução 1.1 A Fundação Codesc Seguridade Social - FUSESC torna público que por meio de sua Comissão Especial de Alienação de Imóveis, promoverá a alienação de imóveis de sua propriedade,

Leia mais

SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO E OBJETIVO... 3 2 COORDENAÇÃO DO PROGRAMA E POLÍTICA DE CONFIDENCIALIDADE... 4 3 ITEM DA COMPARAÇÃO, PARÂMETROS E RESULTADOS...

SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO E OBJETIVO... 3 2 COORDENAÇÃO DO PROGRAMA E POLÍTICA DE CONFIDENCIALIDADE... 4 3 ITEM DA COMPARAÇÃO, PARÂMETROS E RESULTADOS... COMPARAÇÃO ENTRE ORGANISMOS EM INSPEÇÃO: ENSAIOS NÃO DESTRUTIVOS, MEDIÇÕES DE ESPESSURA POR ULTRASSOM Programa PEP REDE 1406 Rodada 012/2015 (Instruções aos Participantes, atualizado em 30/03/2015) SUMÁRIO

Leia mais

PORTEIRO ELETRÔNICO. Modelo: EG-PRL002. Manual do Usuário

PORTEIRO ELETRÔNICO. Modelo: EG-PRL002. Manual do Usuário PORTEIRO ELETRÔNICO Modelo: EG-PRL002 Manual do Usuário 1 Introdução Parabéns por adquirir o Porteiro Eletrônico modelo EG-PRL002 da EcoGold! Para conhecer toda a linha de produtos EcoGold, visite o site:

Leia mais

LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DE IMÓVEL

LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DE IMÓVEL LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DE IMÓVEL Rua Pernambuco, s/nº Lote 11 quadra O Jardim Pacaembu São Carlos/SP Conselho do Patrimônio Imobiliário COORDENADAS GEOGRÁFICAS: S 22.04565º W 47.894178º FICHA CADASTRAL

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO CONSULTA PÚBLICA do ANEXO 8 da NR-15 PROPOSTA DE TEXTO NORMATIVO NR 15 - ATIVIDADES E OPERAÇÕES

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO 404-A/2014

RELATÓRIO TÉCNICO 404-A/2014 SPE FASHION CITY RUÍDO AMBIENTAL R.T 404/14-A PÁG. 1/21 RELATÓRIO TÉCNICO 404-A/2014 RUÍDO AMBIENTAL NATUREZA DO TRABALHO: AVALIAÇÃO DOS NÍVEIS DE PRESSÃO SONORA CLIENTE: SPE FASHION CITY BRASIL S/A RODOVIA:

Leia mais

PROTOCOLO DO 5º PROGRAMA DE ENSAIOS DE PROFICIÊNCIA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL DE MASSA

PROTOCOLO DO 5º PROGRAMA DE ENSAIOS DE PROFICIÊNCIA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL DE MASSA PROTOCOLO DO 5º PROGRAMA DE ENSAIOS DE PROFICIÊNCIA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL DE MASSA Revisão 01-15 de abril de 2013 Fol. 1 de 8 INTRODUÇÃO A SETTING CALIBRATION LABORATORIES iniciou suas atividades

Leia mais

CALIBRAÇÃO 2 O QUE É CALIBRAÇÃO DE UM INSTRUMENTO DE MEDIÇÃO?

CALIBRAÇÃO 2 O QUE É CALIBRAÇÃO DE UM INSTRUMENTO DE MEDIÇÃO? DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE MECÂNICA APOSTILA DE METROLOGIA Cid Vicentini Silveira 2005 1 OBJETIVOS DESTE CAPÍTULO Determinar o que é calibração, por quê, o quê, quando, onde e como calibrar; Interpretar

Leia mais

LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DE IMÓVEL

LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DE IMÓVEL 1 LAUDO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO DE IMÓVEL Lotes 13 e 14 Quadra B Prolongamento da Rua Monsenhor Seckler (Loteamento não implantado) Bairro Vila Oceanópolis Mongaguá SP CPI Conselho do Patrimônio Imobiliário

Leia mais

NORMAS PARA ENVIO DE TRABALHOS

NORMAS PARA ENVIO DE TRABALHOS NORMAS PARA ENVIO DE TRABALHOS Os trabalhos para publicação nos ANAIS DO I SIMPÓSIO MULTIDISCIPLINAR DE SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE deverão ser encaminhados na forma de resumo simples, observando

Leia mais

REGULAMENTO DO PROCESSO ESPECIAL DE ACREDITAÇÃO/RENOVAÇÃO DA ACREDITAÇÃO DE ENTIDADES CANDIDATAS À AVALIAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DOS MANUAIS ESCOLARES

REGULAMENTO DO PROCESSO ESPECIAL DE ACREDITAÇÃO/RENOVAÇÃO DA ACREDITAÇÃO DE ENTIDADES CANDIDATAS À AVALIAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DOS MANUAIS ESCOLARES REGULAMENTO DO PROCESSO ESPECIAL DE ACREDITAÇÃO/RENOVAÇÃO DA ACREDITAÇÃO DE ENTIDADES CANDIDATAS À AVALIAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DOS MANUAIS ESCOLARES CAPÍTULO I Âmbito de aplicação Artigo 1.º Objeto e âmbito

Leia mais

NBR ISO/IEC 17025 CONCEITOS BÁSICOS

NBR ISO/IEC 17025 CONCEITOS BÁSICOS NBR ISO/IEC 17025 CONCEITOS BÁSICOS Alexandre Dias de Carvalho INMETRO/CGCRE/DICLA 1/ 28 NBR ISO/IEC 17025 Estabelece requisitos gerenciais e técnicos para a implementação de sistema de gestão da qualidade

Leia mais

ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO EM ORGANIZAÇÕES

ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO EM ORGANIZAÇÕES V CONGRESSO BRASILEIRO DE METROLOGIA Metrologia para a competitividade em áreas estratégicas 9 a 13 de novembro de 2009. Salvador, Bahia Brasil. ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO

Leia mais

PROTOCOLO DO 2º PROGRAMA DE ENSAIOS DE PROFICIÊNCIA

PROTOCOLO DO 2º PROGRAMA DE ENSAIOS DE PROFICIÊNCIA PROTOCOLO DO 2º PROGRAMA DE ENSAIOS DE PROFICIÊNCIA PROGRAMA DA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL DE CALIBRAÇÃO EM MASSA ESPECÍFICA MEDIÇÕES REALIZADAS NAS INSTALAÇÕES PERMANENTES Rodada 01 Revisão 00 02 de

Leia mais

RESUMOS DE PROJETOS... 80

RESUMOS DE PROJETOS... 80 79 RESUMOS DE PROJETOS... 80 80 RESUMOS DE PROJETOS COMPARAÇÃO ENTRE AS RESPOSTAS DE FONES DE OUVIDO UTILIZADOS EM TOCADORES DE MP3... 81 MEDIÇÃO DO NÍVEL DE RUÍDO AMBIENTAL EM UMA FAZENDA DE AVICULTURA

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA Nº 2, DE 26 DE JANEIRO DE 2010

PORTARIA NORMATIVA Nº 2, DE 26 DE JANEIRO DE 2010 Edição Número 18 de 27/01/2010 Ministério da Educação Gabinete do Ministro PORTARIA NORMATIVA Nº 2, DE 26 DE JANEIRO DE 2010 Institui e regulamenta o Sistema de Seleção Unificada, sistema informatizado

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SR. RONALDO JAIR DONIDA PRESIDENTE DA CÂMARA DE VEREADORES DE GUAPORÉ-RS.

EXCELENTÍSSIMO SR. RONALDO JAIR DONIDA PRESIDENTE DA CÂMARA DE VEREADORES DE GUAPORÉ-RS. EXCELENTÍSSIMO SR. RONALDO JAIR DONIDA PRESIDENTE DA CÂMARA DE VEREADORES DE GUAPORÉ-RS. RODRIGO DE MARCO, vereador com assento nesta Casa Legislativa, pela Bancada do PDT, vem respeitosamente perante

Leia mais

Curso Calibração, Ajuste, Verificação e Certificação de Instrumentos de Medição

Curso Calibração, Ajuste, Verificação e Certificação de Instrumentos de Medição Curso Calibração, Ajuste, Verificação e Certificação de Instrumentos de Medição Instrutor Gilberto Carlos Fidélis Eng. Mecânico com Especialização em Metrologia pelo NIST - Estados Unidos e NAMAS/UKAS

Leia mais