Contabilidade de custos como base para obtenção da excelência operacional na gestão e governança de TI Alfredo Pinheiro 1

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Contabilidade de custos como base para obtenção da excelência operacional na gestão e governança de TI Alfredo Pinheiro 1"

Transcrição

1 Contabilidade de custos como base para obtenção da excelência operacional na gestão e governança de TI Alfredo Pinheiro 1 1

2 2 Agenda Prólogo Objetivos e Benefícios Como é feito Output Armadilhas e Cuidados

3 Perspectivas da Função de TI Business Appeal Alto (+ Business) Next Office O que TI pode mudar no Negócio LIDERANÇA Transformação do Negócio Requer EFICÁCIA Tem QUE SER viável, a qualquer custo! Equiparação Front Office Interface com CLIENTE AMANHÃ COMPETITIVIDADE Posicionamento do Negócio (mercado) Requer EFICÁCIA e EFICIÊNCIA Tem QUE SER viável! Transformação Manutenção Baixo (+Technical) Back Office Legado / Foundation CONTINUIDADE Manutenção do Negócio Requer EFICIÊNCIA Tem QUE SER barato e seguro! Operational Tactical ONTEM Sem graça HOJE Sem charme Sem visibilidade Sem projeção Sem medalhas 75% a 85% dos custos de TI Strategic Technical Approach 3

4 4 O Paradigma de Gestão Excelência de Gestão Real Excelência de Gestão Percebida

5 O Modelo Funcional Comum A Contabilidade Principal ferramenta de Gestão, a Contabilidade assumiu formas sistemáticas de registro, no século XV, quando Luca Paciolli publica o seu famoso TRACTATUS, na Summa de Arithmetica. + + SAC - Standards Advisory Council + IFRIC - International Financial Reporting Interpretations Committee = Contabilidade Exógena (Wikpédia) capacidade de comparação com outros Sem o intuito de comparação é pouco útil dispender tempo com governança Sem padronização das réguas de medição é impossível definir um posicionamento 5

6 O Modelo Funcional Comum A Contabilidade em TI A Compass é fundada na Suécia por Olof Söderblom e Thomas Blitz. Olof Söderblom (também inventor da Token Ring Network) foi o pioneiro da análise comparativa a formação de modelos complexos para permitir a análise de métrica de desempenho detalhada. Os primeiros clientes foram a Volvo, L M Ericsson Data AB e SKF Dataservice, que se submeteram a métricas de desempenho para formar os alicerces do que é hoje um banco de dados mundial que abrange todos os aspectos de operação de TI e de negócios Len Bergstrom é conhecido como o criador do primeiro programa interno de métricas de IT estabelecido em 1982 (originalmente chamado de DSC [Decision Support Center, Centro de Apoio à Decisão], da empresa Real Decisions, na época controlada pela Holding NINEX e vendida ao Gartner em Dezembro de Len Bergstrom foi a figura central no projeto, desenvolvimento, disponibilização e melhoria dos componentes básicos de benchmark do DSC nas áreas de centro de dados, rede, desenvolvimento de aplicações e computação distribuída. Foi pioneiro no estabelecimento da concorrência baseada no mercado para situações de terceirização O expressão TCO (Total Cost of Ownership) é cunhada por Bill Kirwin do Gartner. TCO é uma ferramenta e uma metodologia que, quando utilizada como parte de uma estratégia de gestão de TI abrangente, oferece uma enorme valor através do aumento da visibilidade e transparência a qualquer operação de TI. Ele é a visão holística dos custos e questões da TI corporativa através do tempo. 6

7 7 Agenda Prólogo Objetivos e Benefícios Como é feito Output Armadilhas e Cuidados

8 8 Background e Objetivos Melhorar a eficiência sem impactar a qualidade Que mudanças são possíveis dado o estado atual da organização (cultura, equipe de funcionários, situação legal)? Melhorar a qualidade do serviço É possível entregar o mesmo nível de qualidade usando menos recursos (financeiros ou outros)? Se sim, como? Definir Metas competitivas de Custos e Preços (repasses) de serviço Quais são os custos / preços (repasses) apropriados para as operações de serviços de TI atualmente entregues aos clientes? Quais são os componentes desses custos / preços (repasses)? Desvendar Economias de escala e volumes críticos Qual volume adicional oriundo de negócios pode ser suportado pelo ambiente existente? Qual é o tamanho crítico para produzir serviços de TI competitivos?

9 9 Benefícios da Aplicação de conceitos contábeis Para a Administração Executiva Sênior do Negócio Enxergar o valor de TI Entender o que TI está fazendo Usar isso em seu planejamento estratégico Para a Gerência de TI Gerenciar Operações Lutar por mais recursos Utilizar em planejamento estratégico Saber onde e quando cortar Para usuários finais Para obter evidência objetiva de qualidade e evolução

10 10 O que se busca responder?? Estou gastando o meu orçamento de forma adequada, de acordo com cada área funcional?? Quais são os meus maiores custos? Não há uma forma de reduzi-los ou racionalizálos? Não há outra alternativa para evitá-los?? Onde existem gaps de desempenho, o que os está gerando e como podemos gerar melhorias sustentáveis?? Quais são as mudanças de alto impacto, com alto ROI que podemos implementar de imediato?? O meu pessoal é realmente produtivo? A distribuição da carga de trabalho entre os membros da minha equipe é a ideal?? Estou obtendo preços competitivos de meus fornecedores (outsourcers, telecom, etc.)? Estou administrando bem os meus contratos?? Meus níveis e mix de staff estão corretos nas várias áreas funcionais?? Os meus clientes internos sabem quanto custam os serviços que são prestados pela Organização de TI?? Estamos entregando os níveis apropriados dos serviços a nossos clientes finais?? Será que estamos organizados de forma a ser eficientes e eficazes ao máximo?? Nós temos uma estrutura relevante e apropriada do Governança em funcionamento?? Quais são as minhas distorções em relação às melhores práticas?? Será que existem serviços atualmente internalizados que possam ser terceirizados?

11 11 Agenda Prólogo Objetivos e Benefícios Como é feito Output Armadilhas e Cuidados

12 12 Como é um programa de aplicação de conceitos contábeis Em um programa de aplicação de conceitos contábeis são importantes: Metodologias que garantam a integridade e coerência Análise comparativa - onde estou frente a meus pares? Régua Única - Comparar bananas com bananas Processo consistente e testado de coleta de dados Entrevistas, planilhas, workshops, Intranet, etc. Processo de consistência dos dados coletados Criação/obtenção dos dados de comparação - Dados externos robustos e coerentes como benchmark (Banco de Dados) Profissionais experientes como apoio Análise comparativa INTELIGENTE Descoberta de fatos e causas raiz Geração de relatórios Documentação Apresentação dos resultados

13 Modelo Infra Estrutura Mainframe Storage Servers Desktop Network Service Desk D1 Mainframe Processors B1 Transaction Processing B2 Interactive Processing B3 Batch Processing B4 VM Processing BF Mainframe Databases G3 Mainframe Planning L5 Production Control E1 Disk Storage DA Server Processors E2 Automatic Tape Retrieval DB Server Function Systems BA Server Batch Processing E3 Manual Tape Storage and Job Scheduling E4 Optical Storage BB Server Transaction 12 M1 Backup disciplinas, and Restore Processing ZD Storage Management BD Server Databases and Tools G5 Server Planning and L6 Mainframe Operations M5 Mainframe Change ZA Mainframe Management and Tools Design K5 Server Hardware MAC K6 Server Software Distribution 131 Central subprocessos, Printing L8 Server Support L9 Server Hardware F1 Laser Printing Maintenance F2 Impact Printing LA Server Monitoring and Maintenance F3 COM Production F7 Post Processing F8 Enveloping 806 ZV Central KPIs, Printing Management and Tools I4 Executive Management I3 Central Services I7 Outsourcer Management M4 IT Service Continuity General Information Management Services Supervision M7 Server System Administration ZG Server Management and Tools Telecoms B8 Common Office Applications BC D6 Personal Computers D7 Infrastructure Servers D8 Thin Clients F9 Distributed Printers G1 Desktop Planning and Design K1 Desktop MAC K2 Desktop Software Distribution L1 Common Software Support L3 Desktop Hardware M8 Infrastructure Server Administration N3 Desktop Training M6 IT Security S1 Private Circuits T1 International Leased Circuits 3500 N2 Service and Account questões padronizadas S3 Public Frame Relay T3 International Public Frame Management Virtual Circuits Relay Virtual Circuits Z2 Premises S4 IP VPN Connections T6 International Call Volumes and Management and Tools ZS Management Services Tools S6 Call Volumes and Charges Charges T7 Calling Cards S8 Access Connections T8 International ATM Circuits S9 Internet Circuits V3 Telecommunications Information H1 Budget Analysis H2 Business Volumes Z1 Study Related Information Z6 Additional Services Z9 Data Quality ZJ Desktop Management and Tools A1 LAN Architecture A2 LAN Switching A3 LAN Routing AA LAN Planning & Design AB LAN Changes AC LAN Support AD LAN Operations W1 WAN Architecture W2 WAN Switching W3 WAN Routing WA WAN Planning & Design WB WAN Changes WC WAN Support WD WAN Operations V1 Voice Architecture V2 Voice PBX/Centrex V4 VoIP VA Voice Planning & Design VB Voice Changes VC Voice Support VD Voice Operations X1 Contact Centre X2 Network Security X3 Remote Network Access X4 Cabling X5 Internet Connectivity ZP Network Line C3 Central Service Desk C4 Local Service Desk C5 Incident Management & Problem Management ZM Service Desk Management and Tools Surveys UA User Profile UB User Problem Solving UC Support Satisfaction UD Office Technology Satisfaction UE Business Systems Satisfaction UF Overall Satisfaction UP Employee Questionnaire UZ User Population Middleware and Applications B6 Middleware B9 Business Applications BE Internet Applications ER SAP Applications ZB Middleware and Applications Management and Tools 13

14 14 Modelo Aplicativos(AD&AM) App. Customer Services Application Development Application Maintenance Service Desk AY Consulting & User Training Xx Planning & Strategy P0 Project Characteristics P1 Study P2 Analysis 10 disciplinas, P8 Source Code P3 Design P9 Function Points P4 Implementation & Test ZC AD Tools & Techn. P5 Installation ZF AD Management & P6 User Documentation Administration Application Strategy & Planning P7 Project Resources & Documentation 33 subprocessos, AD/AM Services I4 Executive Management I3 Central Services I7 Outsourcer Management M4 IT Service Continuity AV Standards & Methods AW Quality Assurance AX Training ZK AD/AM Services Management & Admin ZL AD/AM Tools & Technologies 40 KPIs, Management Services Q0 Application Characteristics Q1 Application Processing Q2 User Support Q3 Repair Q4 Upgrade Q5 Technical Enhancement Q6 Function Points Q7 Source Code ZE AM Tools & Technologies ZH AM Management & Administration Application Operations Xx User Profile Administration XX Data Management Xx Interface Control & Admin Xx Business Application Operations 676 questões padronizadas General Information M6 IT Security N2 Service and Account Management H1 Budget Analysis Z2 Premises ZS Management Services Tools H2 Business Volumes Z1 Study Related Information Z6 Additional Services Z9 Data Quality C3 Central Service Desk C4 Local Service Desk C5 Incident Management & Problem Management ZM Service Desk Management and Tools Surveys UA User Profile UB User Problem Solving UC Support Satisfaction UD Office Technology Satisfaction UE Business Systems Satisfaction UF Overall Satisfaction UP Employee Questionnaire UZ User Population

15 Modelo Dados Coletados L14100 L34300 B88920 B88930 K18500 L18500 ZJ1200 ZJ7100 ZJ7250 ZJ8100 ZJ8300 ZJ8400 D61010 D68810 D68840 D68850 D68860 L38500 D68910 D68920 D68930 D71010 D78100 D78110 D78120 D78300 D78310 D78320 F91010 F98810 F98820 Horas por semana durante as quais o Suporte de Software Comum está disponível Horas por semana durante as quais a Manutenção de Hardware de Microcomputação está disponível Preço de compra de software de Aplicativos Comuns de Escritório adquiridos nos últimos 3 anos, em milhares, sem impostos Custo de manutenção de software de Aplicativos comuns de Escritório, em milhares, por mês, sem impostos Custo de MACs de Hardware de Microcomputação terceirizada, em milhares, por mês, sem impostos. Subconjunto de ZJ8500 Custo de Suporte a Software Comum terceirizado, em milhares, por mês, sem impostos. Subconjunto de ZJ8500 Número de locais onde Microcomputação está implantada. Inclua todos os locais que pessoal de TI possa visitar para dar suporte a Microcomputação. Número de empregados prestando serviços de microcomputação. O número de pessoas que são empregados e contribuem para o esforço FTE relatado em Microcomputador. Seus custos são informados em ZJ8100 e cujos custos de treinamento são informados em ZJ8400 Número de contratados prestando serviço de Microcomputação, incluindo pessoal de Service Desk local. O numero de pessoas que são contratadas e contribuem para o esforço FTE informadas em Microcomputador. Seus custos são informados em ZJ8300. Custos totais anuais de folha de pagamento para pessoal de Microcomputador, em milhares, incluindo impostos. Inclua salário-base e benefícios, mas exclua custos de viagem a trabalho, escritório e custos de TI. Custo anual de emprego do pessoal em ZJ7100 Custo de contratados de Microcomputador, em milhares, por mês, sem impostos. O custo mensal dos contratados em ZJ7250 Custo anual de pessoal externo de treinamento de TI para Microcomputador, em milhares, sem impostos. Isto informa o custo externo do treinamento proporcionado em ZJ1120 ao pessoal em ZJ7100 Número total de computadores pessoais implantados, tanto microcomputadores quanto portáteis, não contando reservas e sobressalentes Custo de aluguel ou leasing de hardware de computador pessoal, em milhares, por mês, sem impostos Preço de compra de hardware de computador pessoal adquirido durante os últimos 12 meses, incluindo custo de atualização de hardware, em milhares, sem impostos Preço de compra de hardware de computador pessoal adquirido durante os últimos meses, incluindo custo de atualização de hardware, em milhares, sem impostos Preço de compra de hardware de computador pessoal adquirido durante os últimos meses, incluindo custo de atualização de hardware, em milhares, sem impostos Custo de contratos de Manutenção de Hardware de Microcomputação, em milhares, por mês, sem impostos Custo de Aluguel ou leasing de software de sistema de computador pessoal, em milhares, por mês, sem impostos Preço de compra de software de sistema de computador pessoal adquirido nos últimos 3 anos, em milhares, sem impostos Custo de manutenção de software de sistema de computador pessoal, em milhares, por mês, sem impostos Número de servidores de infra-estrutura instalados, não contando sobressalentes ou estocados Custo de aluguel ou leasing de hardware de servidor de infra-estrutura, em milhares, por mês, sem impostos. Preço de compra de hardware de servidor de infra-estrutura adquirido nos últimos 3 anos, incluindo atualizações, em milhares, sem impostos Custos de manutenção para hardware de servidor de infra-estrutura, em milhares, por mês, sem impostos Custo de aluguel ou leasing de software de sistema de servidor de infra-estrutura, em milhares, por mês, sem impostos Preço de compra de software de sistema de servidor de infra-estrutura adquirido nos últimos 3 anos, em milhares, sem impostos Custos de manutenção de software de sistema de servidor de infra-estrutura, em milhares, por mês, sem impostos Número de impressoras distribuídas implantadas. Conte tanto as impressoras branco e preto quanto impressoras coloridas. Conte todas as impressoras, sejam elas dedicadas a um usuário individual ou compartilhada na rede Custo de aluguel ou leasing de hardware de Impressoras Distribuídas, em milhares, por mês, sem impostos Preço de compra de hardware Impressoras Distribuídas, adquiridos nos últimos 3 anos, em milhares, sem impostos 15

16 16 Processo Sequência de Abordagem Escopo de Estudo Hard Data Contexto Serviços Bus. Transactions Volumes Quantidades Business Model Estrategia Processos Market Position Ciclos de Reação Qualidade Serviços Produtos Processos Estrutura Organiz. Regras Funções Interfaces Custos Pessoal Hardware Software Services Pessoal Qualificação Motivação Skills Recursos Pessoal Hardware Software Fornecedores Ambiente Competição Politicas Localidades Leading Practices Discipline Area Codes Desktop Stds Service Mgmt C13### SLA Mgmt Service Mgmt C24### Sever Cons Server Mgmt RA65## SW Mgmt Mgmt & Admin Knowledge base de leading practices er g ly 9 08# # Grupos de Referência E D A Grupos de Referência C B Performance A B Price C Quality D Cycle time Grupos de Referência significativos Dados de referência atualizados Cost

17 17 Agenda Prólogo Objetivos e Benefícios Como é feito Output Armadilhas e Cuidados

18 Análise Detalhada Aderência do Prazo Este indicador mostra a relação entre a variação (positiva ou negativa) entre as datas prevista e a real de entrega do projeto com a data prevista de entrega. Contabilidade A média da de TI custos da ACME como é base 47% para melhor obtenção ao da média da excelência operacional das empresas na gestão do e RefG. governança Estes dados de TInão refletem a percepção que foram observadas nas 116 Alfredo Pinheiro 1 1 entrevistas com usuários e da Pesquisa Web, conforme gráfico ao lado, de que os sistemas, com frequência, não são entregues na data acordada ( atrasam muito ). Contabilidade de custos como base para obtenção da excelência operacional na gestão e governança de TI Alfredo Pinheiro

19 Análise Detalhada Aderência do Esforço Contabilidade de custos como base para obtenção da excelência operacional na gestão e governança de TI Alfredo Pinheiro 1 1 Este indicador mede a diferença entre as horas previstas e as realizadas no projeto. No Geral as médias da ACME estão 31% melhores que o valor médio das empresas do RefG. Estes números, porém, não refletem a percepção que foi obtida nas 116 entrevistas com usuários, onde eles externaram que a previsão de horas é alterada várias vezes, sempre aumentando o valor anterior. Os projetos de Java e.net são bem mais acurados que os de 4GL, pois na tecnologia 4GL temos números projetos, mais antigos e com pouca documentação, o que dificulta uma estimativa mais exata. 19

20 20 Análise Detalhada Custo Funcionários por hora trabalhada Contabilidade de custos como base para obtenção da excelência operacional na gestão e governança de TI Alfredo Pinheiro 1 1 O Custo de Funcionário por hora trabalhada representa a folha de pagamento + benefícios dividido pelo número de funcionários trabalhando na atividade de Desenvolvimento de TI da ACME. Os valores de TI da ACME estão 4,5% inferiores à média das empresas do RefG. Apresentamos também as médias de empresas do RefG para as distintas tecnologias utilizadas na ACME que não distingue os valores pagos aos funcionários em função destas tecnologias.

21 Análise Detalhada Custo de Contratado por hora trabalhada Contabilidade de custos como base para obtenção da excelência operacional na gestão e governança de TI Alfredo Pinheiro 1 1 O custo do Contratado por hora trabalhada é o resultado do custo total de horas reportadas no período junho/2011 a maio/2012, dividido pelo número de horas alocadas para a atividade. O custo do Contratado de TI da ACME é 14,2% inferior ao da média das empresas do RefG. Apresentamos também as médias de empresas do RefG para as distintas tecnologias utilizadas na ACME que não distingue os valores pagos aos funcionários em função destas tecnologias. 21

22 Análise Detalhada Custo por Billable Hour Contabilidade de custos como base para obtenção da excelência operacional na gestão e governança de TI O Valor da Billable Hour refere-se ao valor do custo-hora de TI. Ele representa o encargo Alfredo total, sem Pinheiro 1 impostos recuperáveis, onde o total de custos em Desenvolvimento e Manutenção é dividido por horas 1 efetivamente trabalhadas na entrega de projetos, manutenção, melhorias e demanda. O valor da hora cobrável na ACME está 20% menor do que a média das companhias do RefG. Ressalvamos que os critérios de cálculo do Billable Hour pela ACME são distintos daquele normalmente utilizados e que, por falta de granularidade dos dados da ACME não conseguimos calcular este indicador pelos critérios padrão. Como exemplo citamos a depreciação de HW/SW que a ACME considera em 5 anos enquanto o padrão é de 3 anos, ou seja estão medidos com réguas distintas. Este indicador foi incluído por solicitação da Diretoria de TI. 22

23 23 Análise Detalhada Qualidade no Desenvolvimento Qualidade em Desenvolvimento é uma medida do número de Falhas detectadas por 10 PF. Esta medida mostra que a TI da ACME está com qualidade superior ao RefG, com 38% de erros a menos que a média do RefG. Este número não coincide com a percepção geral, detectada nas entrevistas realizadas, de baixa qualidade nos sistemas. Uma causa provável desta distorção é a existência de muitos sistemas com tecnologia antiga e de difícil manutenção, com número de falhas bem maior que os sistemas desenvolvidos mais recentemente. A ausência de distinção entre Desenvolvimento de Sistemas Novos e Manutenção de Aplicativos antigos pode ser a causa desta percepção diferenciada. Contabilidade Os números de custos falhas como informados base para na obtenção ACME refletem da excelência apenas aqueles ocorridos na Homologação. Assim não estão operacional considerados na gestão todos e as governança Falhas existentes de TI nas etapas anteriores do Desenvolvimento (que levam a retrabalho) e estes números não devem ser considerados como Alfredo um Indicador Pinheiro 1 de todas as falhas no projeto, ou seja da qualidade do projeto. 1 Recomendamos a contagem de Falhas em todas as fases de desenvolvimento para detectar áreas onde possam estar ocorrendo mais falhas e possibilitar medidas corretivas em áreas específicas.

24 Análise Detalhada Custo Unitário de Desenvolvimento Enquanto o Custo Unitário para Desenvolvimento para TI na ACME, no geral, está 10% maior que o do RefG a Produtividade de Desenvolvimento está 42% menor que a do RefG, isto devido ao Billable Hour ser 20% menor na ACME. Entre as 3 plataformas, a melhor produtividade em Java reflete-se num custo unitário menor que o do RefG sendo a única plataforma melhor que o RefG. Ressaltamos que, como mencionado anteriormente, o Billable Hour da ACME usa uma régua distinta do padrão. Contabilidade de custos como base para obtenção da excelência operacional na gestão e governança de TI Alfredo Pinheiro

25 25 Consolidação de Detalhes Server Discipline ACME Results Outer Circle: Leading Practice Inner Circle: Average Value of Reference Group

26 Consolidação de Detalhes A Rosa dos Ventos sumariza a performance em áreas chave Cada ponto representa a performance de um serviço em comparação com a Média do Grupo de Referência. Na Rose o círculo externo representa um ótimo teórico e o círculo interno representa a performance da Média do Grupo de Referência (RefG). Ponteiros Longos na Rose, que ultrapassam o círculo interno representam áreas onde o serviço é superior à Média do Grupo de Referência enquanto que ponteiros que não alcançam o círculo interno representam áreas onde a performance são inferiores à Média do Grupo de Referência. Contabilidade de custos como base para obtenção da exc operacional na gestão e governança de TI 26

27 Consolidação de Detalhes -10% 47% 31% As métricas de Aderência de Esforço e Prazo mostram-se boas mas deve-se considerar que são oriundas de poucos projetos recentes, baseados no MDS. Isto pode não representar a totalidade dos projetos da ACME, mas pode também mostrar uma tendência positiva, na medida em que todos os novos projetos sigam os mesmos passos. -42% 4% As métricas coletadas de Custo/Funcionário e Custo/Contratado devem ser consideradas seguras (dados com boa qualidade). A métrica Valor da Billable- Hour é aproximada, na medida em que réguas similares, mas não idênticas, foram utilizadas para a coleta de dados, e só é apresentada por solicitação da Diretoria de TI. 28% 14% A métrica Qualidade de Desenvolvimento mostra-se acima da média e é medida pela ACME apenas na etapa de Homologação. Porém a percepção nas entrevistas com usuários é de sistemas com baixa qualidade (muitos problemas e com muita frequência). 20% -14% 27

28 Descobrindo Oportunidades Total IT Spend $12,000,000 $10,000,000 Cost per Active LAN Port $203 $187 Printer cost per DT $43 $46 Desktop Hardware $730 $715 Cost of DT per User $1,628 $1,604 Infrastr. Server cost per DT $233 $252 Desktop Software $199 $219 Upper Number: Acme Unit Costs Lower Number: Reference Group Unit Costs Cost of MFrame per MIP $1,100 $900 HW Maintenance cost per DT $73 $41 Desktop Personnel $719 $706 Cost of Storage per TB $4,400 $5,000 Infrastructure PC cost per DT $379 $375 Cost per SD Contact $35 $28 Thin Client cost per DT $1.89 $1.74 A análise de Causas Raiz mostra a origem de problemas de performance e define o escopo potencial de oportunidades de melhoria. 28

29 Performance Analysis Hi-Level Benchmark Descobrindo Oportunidades Comparação: Examinando as métricas comuns de alto nível, os custos de operação da rede da ACME encontram-se dentro da média da indústria mas já percebe-se uma dissonância no que toca a gastos com serviços de Leased Lines ( a ser investigado) Uma análise superficial deixaria passar uma possibilidade de economia de $ 8.37 milhões por ano A operação parece ser cost-efficient; melhorias de performance não são necessárias Network Personnel $35.00 $44.00 O componente de Hardware da rede de voz da ACME é dissonante Data Network Hardware $29.00 $40.00 Network Hardware $74.00 $73.00 Voic $14.25 $13.37 Small PBX $2.60 $2.23 Network $ $ Network Software $16.00 $16.00 Voice Network Hardware $45.00 $33.00 PBX $30.75 $19.63 Medium PBX $5.60 $5.49 Todo o diferencial é oriundo de uns poucos contratos antigos de manutenção de grandes PBX Número superior Cutos de rede do cliente ACME, conforme coletados Número Inferior Custos de rede obtidos pelos melhores gestores, obtidos no Banco de dados Leased Services $51.00 $35.00 Large PBX HW & SW $8.65 $6.38 Large PBX $22.55 $11.91 Switched Services $ $ Large PBX Maintenance $13.90 $5.53 A análise preliminar já denuncia uma necessidade de melhorias de performance 29

30 Recomendações 30

31 Recomendações 31

32 Recomendações Brazil Brazil Brazil Brazil Mexico Mexico Mexico Mexico ACME Brazil higher hardware costs per logical server are compounded by lower utilization rates. Higher levels of virtualization are needed to fully capitalize the higher hardware specification and costs. Staffing levels overall are lower than the reference group. FTE reviews should be centered on Planning, Server Management and Middleware. Software costs are higher especially those for Server management. ACME Mexico have several opportunities to review FTE with primary focus on Monitoring and Supervision, System Admin, Planning and Design, Hardware Maintenance and Server Management and Tools. Hardware costs per logical are higher than the reference group but those servers being well utilized. It is recommended a review of the strategy to buy low numbers of high capacity servers rather than clusters of lower capacity servers to further reduce cost and perhaps provide greater resilience. Cost savings or higher costs of totaling $5.6 million per year 32

33 Recomendações 33

34 34 Agenda Prólogo Objetivos e Benefícios Como é feito Output Armadilhas e Cuidados

35 Armadilhas e cuidados Baixo Compromisso da gerência sênior Alocação de recursos imprópria Levantamentos de dados intermináveis Uso de métricas para inglês ver Tendência a só salientar e publicar os bons resultados Generalidades, alto nível de agregação % sobre faturamento, $ por micro Com ou sem impostos? Considero os encargos? Quais? Boicote Os empregados envolvidos poderão ter a percepção de que estarão sendo vigiados. As reações pode ser variadas: Medo que a métrica não meça a sua particular área de contribuição Medo que as suas fraquezas apareçam de maneira mais expressiva que suas virtudes Acreditar que é fácil de fazer 35

36 Armadilhas e cuidados Grupos de referência Só posso ser comparado com alguém igual... Grupos de Comparação potenciais: Cultura Volumes Organização de TI Modelos de Negócio Semelhança de Tarefas (ex.: impressão central..) Erros de coleta: Dados não coletados Sem integridade (ex.: há pessoas mas não há custos) Confusão fiscal Depreciação, incentivos regionais, one-timers, etc... Perfeccionismo Alocação de pessoas à atividades Auto proteção Fraude nos dados por receio quanto ao uso Geração de Surpresas Embaraços nas reuniões de apresentação 36

37 37 Agenda Prólogo Objetivos e Benefícios Como é feito Output Armadilhas e Cuidados A Sequência

38 A sequência 38

39 Contabilidade de custos como base para obtenção da excelência operacional na gestão e governança de TI Alfredo Pinheiro ( ) 39

tabilidade de custos como base para obtenção da excelênci

tabilidade de custos como base para obtenção da excelênci tabilidade de custos como base para obtenção da excelênci Prólogo Objetivos e Benefícios Como é feito Output Armadilhas e Cuidados ão de TI Alto ess) utenção aixo ical) Transformação Next Office O que

Leia mais

O que o Negócio quer da TI? www.companyweb.com.br Download: www.companyweb.com.br/downloads 1

O que o Negócio quer da TI? www.companyweb.com.br Download: www.companyweb.com.br/downloads 1 O que o Negócio quer da TI? www.companyweb.com.br Download: www.companyweb.com.br/downloads 1 Exemplo de Relatório Velocidade na Resolução dos incidentes 97% 95% Qualidade na resolução dos incidentes 85%

Leia mais

Gestão de T.I. GESTÃO DE T.I. ITIL. José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com

Gestão de T.I. GESTÃO DE T.I. ITIL. José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com GESTÃO DE T.I. José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com 1 Information Technology Infrastructure Library 2 O que é o? Information Technology Infrastructure Library é uma biblioteca composta por sete livros

Leia mais

Proteção de Dados no Contexto do Outsourcing de Infraestrutura de TI TIVIT Leonardo Brito Gibrail

Proteção de Dados no Contexto do Outsourcing de Infraestrutura de TI TIVIT Leonardo Brito Gibrail Proteção de Dados no Contexto do Outsourcing de Infraestrutura de TI TIVIT Leonardo Brito Gibrail Engenharia de Negócios 1 Agenda 1 Sobre a TIVIT 2 IT Outsourcing 3 Parceria TIVIT & Symantec 4 Projeto

Leia mais

2º Encontro GE-SP ITIL 05.03.2005

2º Encontro GE-SP ITIL 05.03.2005 ITIL (IT Infrastructure Library) ITIL - Information Technology Infrastructure Library Uma Introdução 2º Encontro GE-SP ITIL 05.03.2005 05/03/2005 GE-SP ITIL 1 Apresentadores Carlos Teixeira - Automidia

Leia mais

Governança. Sistemas de Informação 8º Período Prof: Mafran Oliveira

Governança. Sistemas de Informação 8º Período Prof: Mafran Oliveira Governança Sistemas de Informação 8º Período Prof: Mafran Oliveira 1 Definição de Governança Governança Corporativa: É a Estrutura que identifica os objetivos de uma organização e de que forma pode-se

Leia mais

SPED e NF- e Claudio Coli

SPED e NF- e Claudio Coli SPED e NF- e Claudio Coli A MASTERSAF Nossa Visão Missão Negócio Nossa Razão Convergência Promover Ética e Responsabilidade Social deixando um legado que seja motivo de Orgulho para nossos Clientes e Colaboradores

Leia mais

CONTRATO DE CONCESSÃO [ ]/2013 EDITAL DE CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL [ ]/2013

CONTRATO DE CONCESSÃO [ ]/2013 EDITAL DE CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL [ ]/2013 CONTRATO DE CONCESSÃO [ ]/2013 EDITAL DE CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL [ ]/2013 CONCESSÃO ADMINISTRATIVA PARA DESENVOLVIMENTO, IMPLANTAÇÃO, OPERAÇÃO, MANUTENÇÃO E GERENCIAMENTO DA SOLUÇÃO GRP DO MUNICÍPIO

Leia mais

Garantindo a produtividade dos usuários e o máximo uso de aplicações SAP

Garantindo a produtividade dos usuários e o máximo uso de aplicações SAP SAP Forum 2013 Garantindo a produtividade dos usuários e o máximo uso de aplicações SAP Versão 5.0 / Março 2013 Siemens Ltda. 2010 2013. / Todos os direitos reservados. SAP UEM by Knoa Case Siemens A Siemens

Leia mais

ITIL Overview. Gestão de Serviços de TI

ITIL Overview. Gestão de Serviços de TI ITIL Overview Gestão de Serviços de TI Sobre a ILUMNA Atuando na área Gerenciamento de Serviços em TI (ITSM) desde 1997, a ILUMNA presta serviços de Consultoria, Educação e Tecnologia, com o objetivo de

Leia mais

Otimização de recursos de TI

Otimização de recursos de TI Otimização de recursos de TI Maurício Affonso da Conceição Executivo de Unidade de Negócio, IBM Brasil mauaff@br.ibm.com 2005 IBM Corporation Agenda Systems Sales Estratégias de Otimização de Recursos

Leia mais

Gerenciamento de Serviços de TI ITIL v2 Módulo 1 Conceitos básicos

Gerenciamento de Serviços de TI ITIL v2 Módulo 1 Conceitos básicos Gerenciamento de Serviços de TI ITIL v2 Módulo 1 Conceitos básicos Referência: An Introductory Overview of ITIL v2 Livros ITIL v2 Cenário de TI nas organizações Aumento da dependência da TI para alcance

Leia mais

PROJETO NOVAS FRONTEIRAS. Descrição dos processos de gerenciamento da qualidade

PROJETO NOVAS FRONTEIRAS. Descrição dos processos de gerenciamento da qualidade PROJETO NOVAS FRONTEIRAS PLANO DE GERENCIAMENTO DA QUALIDADE QUALITY MANAGEMENT PLAN Preparado por Mara Lúcia Menezes Membro do Time Versão 3 Aprovado por Rodrigo Mendes Lemos Gerente do Projeto 15/11/2010

Leia mais

Scitum reduz em 50% o tempo de produção de relatórios com CA Business Service Insight

Scitum reduz em 50% o tempo de produção de relatórios com CA Business Service Insight CUSTOMER SUCCESS STORY Scitum reduz em 50% o tempo de produção de relatórios com CA Business Service Insight PERFIL DO CLIENTE Indústria: Serviços de TI Empresa: Scitum Funcionários: 450+ EMPRESA Empresa

Leia mais

Nossa relação com o Mercado TIC

Nossa relação com o Mercado TIC Nossa relação com o Mercado TIC Consulting Services Consultoria Técnica e Gerencial em Processos de TI e Aplicações, redesenhando-os à maximização de resultados. Gestão Estratégica: Outsourcing do Desenvolvimento,

Leia mais

C l a s s S e r v i c e P r o v i d e r

C l a s s S e r v i c e P r o v i d e r G l o b a l C l a s s S e r v i c e P r o v i d e r v.1.8 de 14/07/2010 1 1993: fundada como Integradora de Sistemas 2009: reconhecida Inteligência em Projetos 16 anos de realizações: + 350 projetos no

Leia mais

Porquê na ITIL nas empresas? o Para termos uma resposta efetiva é preciso entender o porque da governança; o Entender gerenciamento de riscos.

Porquê na ITIL nas empresas? o Para termos uma resposta efetiva é preciso entender o porque da governança; o Entender gerenciamento de riscos. ITIL V3 Porquê na ITIL nas empresas? o Para termos uma resposta efetiva é preciso entender o porque da governança; o Entender o gerenciamento de riscos. Porquê Governança? Porque suas ações e seus requisitos

Leia mais

Soluções Inteligentes para regulamentações e negócios em aplicações SAP

Soluções Inteligentes para regulamentações e negócios em aplicações SAP Soluções Inteligentes para regulamentações e negócios em aplicações SAP Uma nova visão no Gerenciamento da Aplicação INDICE 1. A Union IT... 3 2. A importância de gerenciar dinamicamente infra-estrutura,

Leia mais

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani Planejamento Estratégico de TI Prof.: Fernando Ascani BI Business Intelligence A inteligência Empresarial, ou Business Intelligence, é um termo do Gartner Group. O conceito surgiu na década de 80 e descreve

Leia mais

As Service Management Functions - SMFs

As Service Management Functions - SMFs As Service Management Functions - SMFs Última revisão feita em 13 de Setembro de 2007. Objetivo Estamos de volta com mais um artigo da nossa série, nesta sexta parte pretendo apresentar para vocês o conceito

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Disciplina: Curso de Tecnologia em Redes de Computadores Auditoria e Análise de Segurança da Informação - 4º período Professor: José Maurício S. Pinheiro AULA

Leia mais

Os Quadrantes do Modelo de Processo Última revisão feita em 23 de Agosto de 2007.

Os Quadrantes do Modelo de Processo Última revisão feita em 23 de Agosto de 2007. Os Quadrantes do Modelo de Processo Última revisão feita em 23 de Agosto de 2007. Objetivo Com o quarto artigo da nossa série teremos a oportunidade de entender como funcionam os quadrantes do Modelo de

Leia mais

EMBRATEL- Business Security. Provedor de Serviços Gerenciados de Segurança (MSSP*) *Managed Security Services Provider

EMBRATEL- Business Security. Provedor de Serviços Gerenciados de Segurança (MSSP*) *Managed Security Services Provider EMBRATEL- Business Security Provedor de Serviços Gerenciados de Segurança (MSSP*) *Managed Security Services Provider Daniela Ceschini Especialista em Segurança da Informação 1 AGENDA Panorama e desafios

Leia mais

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO NBR ISO/IEC 27002: 2005 (antiga NBR ISO/IEC 17799) NBR ISO/IEC 27002:2005 (Antiga NBR ISO/IEC 17799); 27002:2013. Metodologias e Melhores Práticas em SI CobiT; Prof. Me. Marcel

Leia mais

Gerenciamento de Serviços de TIC. ISO/IEC 20.000 / ITIL V2 e V3

Gerenciamento de Serviços de TIC. ISO/IEC 20.000 / ITIL V2 e V3 Gerenciamento de Serviços de TIC ISO/IEC 20.000 / ITIL V2 e V3 Agenda O que é serviço de TIC? O que é Qualidade de Serviços de TIC? O que é Gerenciamento de Serviços de TIC? ISO IEC/20.000-2005 ITIL versão

Leia mais

Glossário Apresenta a definição dos termos, siglas e abreviações utilizadas no contexto do projeto Citsmart.

Glossário Apresenta a definição dos termos, siglas e abreviações utilizadas no contexto do projeto Citsmart. Apresenta a definição dos termos, siglas e abreviações utilizadas no contexto do projeto Citsmart. Versão 1.6 15/08/2013 Visão Resumida Data Criação 15/08/2013 Versão Documento 1.6 Projeto Responsáveis

Leia mais

Professor: Conrado Frassini cfrassini@uol.com.br

Professor: Conrado Frassini cfrassini@uol.com.br Governança de TI e ISO20000 Quo Vadis TI? quinta-feira, 14 de agosto de 2008, 17h09 A área de Tecnologia da Informação vem sofrendo mudanças profundas e esse fenômeno aumentará nos próximos anos. Além

Leia mais

Glossário BiSL. Bert Pranger / Michelle Hofland 28 Maio 2012 Versão 1.0-1 -

Glossário BiSL. Bert Pranger / Michelle Hofland 28 Maio 2012 Versão 1.0-1 - Glossário BiSL Bert Pranger / Michelle Hofland 28 Maio 2012 Versão 1.0-1 - 1. Glossário de Terminologia Terminologia em Inglês Terminologia em Português BiSL processes Processos de BiSL Business data management

Leia mais

SUMÁRIO. Sistemas a serem considerados na construção de data centers. A gestão do projeto e a integração dos fornecedores

SUMÁRIO. Sistemas a serem considerados na construção de data centers. A gestão do projeto e a integração dos fornecedores REPORT 04 e fevereiro de 2013 INFRAESTRUTURA FÍSICA E DATA CENTERS SUMÁRIO Introdução O que são data centers Padrões construtivos para data centers Sistemas a serem considerados na construção de data centers

Leia mais

GERENCIANDO SERVIÇOS DE MENSAGENS OTT PARA UM PROVEDOR DE TELECOM GLOBAL

GERENCIANDO SERVIÇOS DE MENSAGENS OTT PARA UM PROVEDOR DE TELECOM GLOBAL GERENCIANDO SERVIÇOS DE MENSAGENS OTT PARA UM PROVEDOR DE TELECOM GLOBAL A Sytel Reply foi comissionada por uma grande operadora global de Telecom para o fornecimento de um Service Assurance de qualidade.

Leia mais

CobiT 5. Como avaliar a maturidade dos processos de acordo com o novo modelo? Conhecimento em Tecnologia da Informação

CobiT 5. Como avaliar a maturidade dos processos de acordo com o novo modelo? Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação CobiT 5 Como avaliar a maturidade dos processos de acordo com o novo modelo? 2013 Bridge Consulting All rights reserved Apresentação Sabemos que a Tecnologia da

Leia mais

Excelência em Metodologia de Helpdesk

Excelência em Metodologia de Helpdesk Excelência em Metodologia de Helpdesk O IntraDesk foi desenvolvido com base nas melhores práticas conhecidas de Helpdesk, indicadas por organizações como o Gartner Group e o Helpdesk Institute, que, aliadas

Leia mais

Aplicativo para ITIL - Conectando os processos ITIL com o CMDB. Guilherme Azevedo EMC Ionix. Copyright 2009 EMC Corporation. All rights reserved.

Aplicativo para ITIL - Conectando os processos ITIL com o CMDB. Guilherme Azevedo EMC Ionix. Copyright 2009 EMC Corporation. All rights reserved. Aplicativo para ITIL - Conectando os processos ITIL com o CMDB Guilherme Azevedo EMC Ionix 1 ITIL V3 - Abordagem do ciclo de vida do serviço Estratégia do Serviço Gerenciamento de Serviços como uma ferramenta

Leia mais

Unidade I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Prof. Daniel Arthur Gennari Junior

Unidade I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Prof. Daniel Arthur Gennari Junior Unidade I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Prof. Daniel Arthur Gennari Junior A disciplina Nossa disciplina se divide em 4 unidades de aprendizagem: 1. Conceitos e contexto empresarial

Leia mais

Governança de T.I. Professor: Ernesto Junior E-mail: egpjunior@gmail.com

Governança de T.I. Professor: Ernesto Junior E-mail: egpjunior@gmail.com Governança de T.I Professor: Ernesto Junior E-mail: egpjunior@gmail.com Information Technology Infrastructure Library ITIL ITIL é um acrônimo de Information Technology Infraestruture Library. Criado em

Leia mais

Conceitos Básicos e Implementação. Entrega de Serviços. Professor Gledson Pompeu (gledson.pompeu@gmail.com)

Conceitos Básicos e Implementação. Entrega de Serviços. Professor Gledson Pompeu (gledson.pompeu@gmail.com) Conceitos Básicos e Implementação Pref. Mun. Vitória 2007 Analista de Suporte 120 A ITIL (information technology infrastructure library) visa documentar as melhores práticas na gerência, no suporte e na

Leia mais

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras Núcleo de Pós Graduação Pitágoras MBA Gestão em TI Disciplina: Administração de Suporte e Automação Gerenciamento de Suporte Professor: Fernando Zaidan Ago-2009 1 2 Contexto Área de TI lugar estratégico

Leia mais

Governança de TI. Importância para as áreas de Auditoria e Compliance. Maio de 2011. IT Governance Discussion

Governança de TI. Importância para as áreas de Auditoria e Compliance. Maio de 2011. IT Governance Discussion Governança de TI Importância para as áreas de Auditoria e Compliance Maio de 2011 Page 1 É esperado de TI mais do que deixar o sistema no ar. Page 2 O que mudou o Papel de TI? Aumento de riscos e de expectativas

Leia mais

Serviço de Service Desk e Field Service Interno

Serviço de Service Desk e Field Service Interno Serviço de Service Desk e Field Service Interno MODELO DE OPERAÇÃO SERVICE DESK INTERNO MODELO DE OPERAÇÃO SERVICE DESK INTERNO Console de gerenciamento Alertas Usuário Remoto VISÃO DE INFRA ESTRUTURA

Leia mais

Simplifique: consolidando a gestão do ambiente de trabalho do usuário final

Simplifique: consolidando a gestão do ambiente de trabalho do usuário final Simplifique: consolidando a gestão do ambiente de trabalho do usuário final Para muitas organizações, a rápida proliferação das tecnologias para o usuário final tem demonstrado uma ambigüidade em seus

Leia mais

ITIL - Information Technology Infraestructure Library

ITIL - Information Technology Infraestructure Library ITIL Biblioteca de infra estrutura de TI (do Inglês, Information Technology Infraestructure Library) e ISO/IEC 20.000 ITIL - Information Technology Infraestructure Library Foi criado no fim dos anos 80

Leia mais

ITIL V3 (aula 6) AGENDA: A VERSÃO 3 ESTRATÉGIA DO SERVIÇO DESENHO DO SERVIÇO TRANSIÇÃO DO SERVIÇO OPERAÇÃO DO SERVIÇO MELHORIA CONTÍNUA

ITIL V3 (aula 6) AGENDA: A VERSÃO 3 ESTRATÉGIA DO SERVIÇO DESENHO DO SERVIÇO TRANSIÇÃO DO SERVIÇO OPERAÇÃO DO SERVIÇO MELHORIA CONTÍNUA ITIL V3 (aula 6) AGENDA: A VERSÃO 3 ESTRATÉGIA DO SERVIÇO DESENHO DO SERVIÇO TRANSIÇÃO DO SERVIÇO OPERAÇÃO DO SERVIÇO MELHORIA CONTÍNUA ITIL - Livros Estratégia de Serviços (Service Strategy): Esse livro

Leia mais

Sequência da Apresentação

Sequência da Apresentação Fernando Welter Orientador: Paulo Roberto Dias Sequência da Apresentação Introdução Objetivos Fundamentação teórica Desenvolvimento do sistema Operacionalidade da implementação Resultados e discussões

Leia mais

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG)

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG) Sistema de Informação Gerencial (SIG) Material de Apoio Os Sistemas de Informação Gerencial (SIG) são sistemas ou processos que fornecem as informações necessárias para gerenciar com eficácia as organizações.

Leia mais

Por Antonio Couto. Autor: Antonio Couto Enterprise Architect

Por Antonio Couto. Autor: Antonio Couto Enterprise Architect Cloud Computing e HP Converged Infrastructure Para fazer uso de uma private cloud, é necessário crescer em maturidade na direção de uma infraestrutura convergente. Por Antonio Couto O que é Cloud Computing?

Leia mais

Melhores práticas para gerenciamento de suporte a serviços de TI

Melhores práticas para gerenciamento de suporte a serviços de TI Melhores práticas para gerenciamento de suporte a serviços de TI Adriano Olimpio Tonelli Redes & Cia 1. Introdução A crescente dependência entre os negócios das organizações e a TI e o conseqüente aumento

Leia mais

A Biblioteca: Gerenciamento de Serviços de TI. Instrutor : Cláudio Magalhães E-mail: cacmagalhaes@io2.com.br

A Biblioteca: Gerenciamento de Serviços de TI. Instrutor : Cláudio Magalhães E-mail: cacmagalhaes@io2.com.br A Biblioteca: Gerenciamento de Serviços de TI Instrutor : Cláudio Magalhães E-mail: cacmagalhaes@io2.com.br 2 A Biblioteca ITIL: Information Technology Infrastructure Library v2 Fornece um conjunto amplo,

Leia mais

Melhores Práticas em TI

Melhores Práticas em TI Melhores Práticas em TI Referências Implantando a Governança de TI - Da Estratégia à Gestão de Processos e Serviços - 2ª Edição Edição - AGUINALDO ARAGON FERNANDES, VLADIMIR FERRAZ DE ABREU. An Introductory

Leia mais

Resumo dos principais conceitos. Resumo dos principais conceitos. Business Intelligence. Business Intelligence

Resumo dos principais conceitos. Resumo dos principais conceitos. Business Intelligence. Business Intelligence É um conjunto de conceitos e metodologias que, fazem uso de acontecimentos e sistemas e apoiam a tomada de decisões. Utilização de várias fontes de informação para se definir estratégias de competividade

Leia mais

Sistemas de Informação I

Sistemas de Informação I + Sistemas de Informação I Tipos de SI Ricardo de Sousa Britto rbritto@ufpi.edu.br + Introdução 2 n As organizações modernas competem entre si para satisfazer as necessidades dos seus clientes de um modo

Leia mais

Introdução. A Travessia do Rio

Introdução. A Travessia do Rio Apresentação 1 Introdução A Travessia do Rio 2 Cenário atual / Motivação Processos de negócios mudando rapidamente; Infra-estrutura de TI complexa e em constante atualização; TRIPÉ: Qualidade Tempo Custo

Leia mais

Profa. Gislaine Stachissini. Unidade III GOVERNANÇA DE TI

Profa. Gislaine Stachissini. Unidade III GOVERNANÇA DE TI Profa. Gislaine Stachissini Unidade III GOVERNANÇA DE TI Information Technology Infrastructure Library ITIL Criado pelo governo do Reino Unido, tem como objetivo a criação de um guia com as melhores práticas

Leia mais

Consumidor multicanal, Empresa multifocal. Nancy Treaster, SVP & GM Strategic Operations

Consumidor multicanal, Empresa multifocal. Nancy Treaster, SVP & GM Strategic Operations Consumidor multicanal, Empresa multifocal Nancy Treaster, SVP & GM Strategic Operations Tópicos de Discussão Voz do Cliente é a visão coletiva para as necessidades dos clientes, percepções e preferências

Leia mais

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA Levantamento da Gestão de TIC Cotação: 23424/09 Cliente: PRODABEL Contato: Carlos Bizzoto E-mail: cbizz@pbh.gov.br Endereço: Avenida Presidente Carlos

Leia mais

TI do Banese foca em negócios com as soluções EITM da CA

TI do Banese foca em negócios com as soluções EITM da CA Case de sucesso TI do Banese foca em negócios com as soluções EITM da CA Perfil do CLIENTE Indústria: Financeira Companhia: BANESE Banco do Quadro de pessoal: 1.200 funcionários NEGÓCIOS O Banese é uma

Leia mais

Aplicando Pontos de Função na Definição de um Sistema de Indicadores BIT

Aplicando Pontos de Função na Definição de um Sistema de Indicadores BIT Aplicando Pontos de Função na Definição de um Sistema de Indicadores BIT Eduardo Alves de Oliveira eduaopec@yahoo.com.br SERPRO - Serviço Federal de Processamento de Dados Rua Pacheco Leão, 1235 - Fundos

Leia mais

efagundes com GOVERNANÇA DE TIC Eduardo Mayer Fagundes Aula 3/4

efagundes com GOVERNANÇA DE TIC Eduardo Mayer Fagundes Aula 3/4 GOVERNANÇA DE TIC Eduardo Mayer Fagundes Aula 3/4 1 CobIT Modelo abrangente aplicável para a auditoria e controle de processo de TI, desde o planejamento da tecnologia até a monitoração e auditoria de

Leia mais

ITIL - Por que surgiu? Dependências de TI; A qualidade, quantidade e disponibilidade de infra-estrutura de TI afetam diretamente;

ITIL - Por que surgiu? Dependências de TI; A qualidade, quantidade e disponibilidade de infra-estrutura de TI afetam diretamente; ITIL ITIL - Por que surgiu? Dependências de TI; A qualidade, quantidade e disponibilidade de infra-estrutura de TI afetam diretamente; ITIL Mas o que gerenciar? Gerenciamento de Serviço de TI. Infra-estrutura

Leia mais

Gerência de Portfólio de Projetos com IBM Rational Portfolio Manager

Gerência de Portfólio de Projetos com IBM Rational Portfolio Manager Gerência de Portfólio de Projetos com IBM Rational Portfolio Manager Sumário Sumário O problema O desafio IBM Rational Portfolio Manager O problema Cenário atual 84% das organizações ou não montam o business

Leia mais

O POSICIONAMENTO DA ARQUITETURA DA INFORMAÇÃO NA GOVERNANÇA DE TI

O POSICIONAMENTO DA ARQUITETURA DA INFORMAÇÃO NA GOVERNANÇA DE TI O POSICIONAMENTO DA ARQUITETURA DA INFORMAÇÃO NA GOVERNANÇA DE TI Claudio Gottschalg Duque Professor Departamento de Ciência da Informação Universidade de Brasília (UnB) Brasil Mauricio Rocha Lyra Aluno

Leia mais

ITIL. Fundamentos do Gerenciamento de Serviços de TI. Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br

ITIL. Fundamentos do Gerenciamento de Serviços de TI. Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br ITIL Fundamentos do Gerenciamento de Serviços de TI Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br Objetivo Prover uma visão geral sobre Gerenciamento de Serviços de TI: Conceito; Desafios; Estrutura; Benefícios;

Leia mais

Avenida Presidente Wilson, 231 11 andar 20030-905 Rio de Janeiro- RJ ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO OPERACIONAL

Avenida Presidente Wilson, 231 11 andar 20030-905 Rio de Janeiro- RJ ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO OPERACIONAL ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO OPERACIONAL MARÇO, 2015 ÍNDICE OBJETIVO 3 ESCOPO 3 DEFINIÇÕES Risco Inerente 4 DEFINIÇÕES Risco Operacional 4 DEFINIÇÕES Evento de Risco Operacional 4 FUNÇÕES E RESPONSABILIDADES

Leia mais

Gerenciamento de Redes de Computadores

Gerenciamento de Redes de Computadores Conteúdo Protocolo SNMP Por quê gerenciar a re corporativa? Abordagem Implementação Requisitos Produtos Política Pessoas Resumo SNMP Simple Network Management Protocol O SNMP (Protocolo Simples Re) foi

Leia mais

SCORE INNOVATION Corporate Profile Luanda Maputo, 1 de Novembro 2012

SCORE INNOVATION Corporate Profile Luanda Maputo, 1 de Novembro 2012 New Standards for Business SCORE INNOVATION Corporate Profile Luanda Maputo, 1 de Novembro 2012 Quem Somos A SCORE INNOVATION é uma empresa que tem como objecto social a prestação de serviços em consultoria,

Leia mais

Solução CA Technologies Garante Entrega de Novo Serviço de Notícias do Jornal Valor Econômico

Solução CA Technologies Garante Entrega de Novo Serviço de Notícias do Jornal Valor Econômico CUSTOMER SUCCESS STORY Abril 2014 Solução CA Technologies Garante Entrega de Novo Serviço de Notícias do Jornal Valor Econômico PERFIL DO CLIENTE Indústria: Mídia Companhia: Valor Econômico Funcionários:

Leia mais

Escritório de Projetos

Escritório de Projetos Escritório de Projetos Agenda Conceito de Escritório de Projetos Por que implementar um Escritório de Projetos? Implementando um Escritório de Projetos Funções do Escritório de Projetos Modelo de Maturizade

Leia mais

Rede. Rede. Informação. Infraestrutura. Gerenciamento. Controle. Visão. Ação. Confiabilidade. Informação. Expertise. Rede. Visão. Rede.

Rede. Rede. Informação. Infraestrutura. Gerenciamento. Controle. Visão. Ação. Confiabilidade. Informação. Expertise. Rede. Visão. Rede. Gerenciamento Expertise Expertise Expertise Expertise A OpServices é uma empresa focada no desenvolvimento de soluções de governança de TI, monitoração de processos de negócios e de infraestrutura de TI.

Leia mais

Governança de TI. Focos: Altas doses de Negociação Educação dos dirigentes das áreas de negócios

Governança de TI. Focos: Altas doses de Negociação Educação dos dirigentes das áreas de negócios Governança de TI Parte 3 Modelo de Governança v2 Prof. Luís Fernando Garcia LUIS@GARCIA.PRO.BR Modelo de Governança de TI Modelo adaptação para qualquer tipo de organização Componentes do modelo construídos/adaptados

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação TLCne-051027-P0 Gestão da Tecnologia da Informação Disciplina: Governança de TI São Paulo, Outubro de 2012 0 Sumário TLCne-051027-P1 Conteúdo desta Aula Abordar o domínio Adquirir e Implementar e todos

Leia mais

Questionário de Avaliação de Maturidade Setorial: Modelo de Maturidade Prado-MMGP

Questionário de Avaliação de Maturidade Setorial: Modelo de Maturidade Prado-MMGP DARCI PRADO Questionário de Avaliação de Maturidade Setorial: Modelo de Maturidade Prado-MMGP Versão 2.0.0 Janeiro 2014 Extraído do Livro "Maturidade em Gerenciamento de Projetos" 3ª Edição (a publicar)

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO ANALISTA DE SISTEMA ÊNFASE GOVERNANÇA DE TI ANALISTA DE GESTÃO RESPOSTAS ESPERADAS PRELIMINARES

CONCURSO PÚBLICO ANALISTA DE SISTEMA ÊNFASE GOVERNANÇA DE TI ANALISTA DE GESTÃO RESPOSTAS ESPERADAS PRELIMINARES CELG DISTRIBUIÇÃO S.A EDITAL N. 1/2014 CONCURSO PÚBLICO ANALISTA DE GESTÃO ANALISTA DE SISTEMA ÊNFASE GOVERNANÇA DE TI RESPOSTAS ESPERADAS PRELIMINARES O Centro de Seleção da Universidade Federal de Goiás

Leia mais

Soluções CA Technologies suportam a governança de TI na Marisa

Soluções CA Technologies suportam a governança de TI na Marisa CUSTOMER SUCCESS STORY Soluções CA Technologies suportam a governança de TI na Marisa PERFIL DO CLIENTE Indústria: Varejo Companhia: Marisa Lojas S/A Empregados: aproximadamente 15 mil Receita líquida

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Custos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Custos Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Custos Metodologia Aula Teórica Exemplos e Exercícios práticos Questões de concursos anteriores Metodologia e Bibliografia Bibliografia PMBOK, 2004. Project Management

Leia mais

RHIND Group. Rhind Group. Nossa Equipe. Nosso objetivo

RHIND Group. Rhind Group. Nossa Equipe. Nosso objetivo Rhind Group É uma empresa estruturada para prover soluções em consultoria e assessoria empresarial aos seus clientes e parceiros de negócios. Com larga experiência no mercado, a Rhind Group tem uma trajetória

Leia mais

Implantação da Governança a de TI na CGU

Implantação da Governança a de TI na CGU Implantação da Governança a de TI na CGU José Geraldo Loureiro Rodrigues Diretor de Sistemas e Informação Controladoria-Geral da União I Workshop de Governança de TI da Embrapa Estratégia utilizada para

Leia mais

Gerenciamento de Serviços de TI e Site Backup

Gerenciamento de Serviços de TI e Site Backup Gerenciamento de Serviços de TI e Site Backup ATIVAS encerra o ano como a empresa que mais cresceu no mercado brasileiro de serviços de TI ATIVAS é formalmente apresentada ao mercado CEMIG Telecom adquire

Leia mais

IT Service Management Foundation Bridge based on ISO/IEC 20000

IT Service Management Foundation Bridge based on ISO/IEC 20000 Exame simulado IT Service Management Foundation Bridge based on ISO/IEC 20000 Edição Novembro, 2013 Copyright 2013 EXIN All rights reserved. No part of this publication may be published, reproduced, copied

Leia mais

BPO para Empresas de Energia e Concessionárias de Serviços Públicos

BPO para Empresas de Energia e Concessionárias de Serviços Públicos BPO para Empresas de Energia e Concessionárias de Serviços Públicos Terceirização de Processos Empresariais da Capgemini Um componente da área de Serviços Públicos da Capgemini As concessionárias de serviços

Leia mais

Desenvolvendo aplicações

Desenvolvendo aplicações Desenvolvendo aplicações Sobre Adriano Bertucci Email: adriano@bertucci.com.br Twitter: @adrianobertucci Técnico: www.bertucci.com.br Consultoria e Serviços: www.fcamara.com.br Agenda Software + Serviços

Leia mais

CLOUD. tendências CLOUD. entendendo e contratando assertivamente. Agosto/2012 INFORMATIVO TECNOLÓGICO DA PRODESP EDIÇÃO 02

CLOUD. tendências CLOUD. entendendo e contratando assertivamente. Agosto/2012 INFORMATIVO TECNOLÓGICO DA PRODESP EDIÇÃO 02 tendências CLOUD EDIÇÃO 02 Agosto/2012 CLOUD O conceito de nuvem é nebuloso Como uma organização pode contratar assertivamente Serviços em Cloud? Quais são os principais riscos de um contrato de Cloud

Leia mais

Perfil de investimentos em TI de 550 empresas e organizações em 2010 (Ferramenta de Geração de Leads)

Perfil de investimentos em TI de 550 empresas e organizações em 2010 (Ferramenta de Geração de Leads) Perfil de investimentos em TI de 550 empresas e organizações em 2010 (Ferramenta de Geração de Leads) O ISF entrevistou 1.140 empresas entre os meses de dezembro de 2009 e fevereiro de 2010, com o objetivo

Leia mais

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning ERP Enterprise Resources Planning A Era da Informação - TI GRI Information Resource Management -Informação Modo organizado do conhecimento para ser usado na gestão das empresas. - Sistemas de informação

Leia mais

PÁGINA 4 ITIL V.2 & ITIL V.3

PÁGINA 4 ITIL V.2 & ITIL V.3 PÁGINA 4 ITIL V.2 & ITIL V.3 Gerência de Níveis de Serviço Manter e aprimorar a qualidade dos serviços de TI Revisar continuamente os custos e os resultados dos serviços para garantir a sua adequação Processo

Leia mais

Transformação dos negócios de distribuição e os desafios do setor

Transformação dos negócios de distribuição e os desafios do setor Transformação dos negócios de distribuição e os desafios do setor Geraldo Guimarães Jr Diretor para Indústria de Utilities SAP para Utilities Liderança Global no Setor Maior Provedor de Soluções e Aplicações

Leia mais

Número do Recibo:83500042

Número do Recibo:83500042 1 de 21 06/06/2012 18:25 Número do Recibo:83500042 Data de Preenchimento do Questionário: 06/06/2012. Comitête Gestor de Informática do Judiciário - Recibo de Preenchimento do Questionário: GOVERNANÇA

Leia mais

Objetivos. PDI - Plano Diretor de Informática. O que é? Como é feito? Quanto dura sua elaboração? Impactos da não execução do PDI

Objetivos. PDI - Plano Diretor de Informática. O que é? Como é feito? Quanto dura sua elaboração? Impactos da não execução do PDI Objetivos Assegurar que os esforços despendidos na área de informática sejam consistentes com as estratégias, políticas e objetivos da organização como um todo; Proporcionar uma estrutura de serviços na

Leia mais

CURSOS GERENCIAIS 20/12/2010 Antonio Roberto Grazzia, MBA, PMP

CURSOS GERENCIAIS 20/12/2010 Antonio Roberto Grazzia, MBA, PMP CURSOS GERENCIAIS 20/12/2010 Antonio Roberto Grazzia, MBA, PMP Em um ambiente de negócios competitivo, a condução de projetos de forma eficiente e sem desperdícios é um grande diferencial para o sucesso.

Leia mais

Governança de TIC. CobiT 4.1

Governança de TIC. CobiT 4.1 Governança de TIC CobiT 4.1 Conceitos Governança: A expressão governar tem origem na expressão navegar... E o que quem navega faz? Ele faz um mapa, dá a direção, faz as regras de convivência. Tomáz de

Leia mais

GESTÃO DO CONHECIMENTO. Prof. Martius Vicente R. y Rodriguez, DSc.

GESTÃO DO CONHECIMENTO. Prof. Martius Vicente R. y Rodriguez, DSc. GESTÃO DO CONHECIMENTO Prof. Martius Vicente R. y Rodriguez, DSc. I - SOCIEDADE DO CONHECIMENTO II - MOTIVAÇÃO III - DIAGNÓSTICO EM GC IV - VALORAÇÃO DE INTANGÍVEIS V - IDENTIFICAÇÃO DE CONHECIMENTO CRÍTICO

Leia mais

ITIL V3 (aula 5) AGENDA: GERENCIAMENTO DE CAPACIDADE GERENCIAMENTO DE CONTINUIDADE GERENCIAMENTO FINANCEIRO

ITIL V3 (aula 5) AGENDA: GERENCIAMENTO DE CAPACIDADE GERENCIAMENTO DE CONTINUIDADE GERENCIAMENTO FINANCEIRO ITIL V3 (aula 5) AGENDA: GERENCIAMENTO DE CAPACIDADE GERENCIAMENTO DE CONTINUIDADE GERENCIAMENTO FINANCEIRO Gerenciamento de Capacidade Escopo Hardware Elementos de rede Periféricos Softwares Pessoas Quando

Leia mais

Eficiência operacional no setor público. Dez recomendações para cortar custos

Eficiência operacional no setor público. Dez recomendações para cortar custos Eficiência operacional no setor público Dez recomendações para cortar custos 2 de 8 Introdução Com grandes cortes no orçamento e uma pressão reguladora cada vez maior, o setor público agora precisa aumentar

Leia mais

Grupo de Estudos ITIL. Gerenciamento de Serviços de TI - ITSM Rodrigo Pementa, ITIL Certified Daniel Andrade, ITIL Certified

Grupo de Estudos ITIL. Gerenciamento de Serviços de TI - ITSM Rodrigo Pementa, ITIL Certified Daniel Andrade, ITIL Certified Grupo de Estudos ITIL Gerenciamento de Serviços de TI - ITSM Rodrigo Pementa, ITIL Certified Daniel Andrade, ITIL Certified Desafios das Organizações de TI Participar na solução dos problemas de negócio;

Leia mais

Transformação da Indústria

Transformação da Indústria Conceitos Transformação da Indústria Hoje Cloud Anos 2000 Web Anos 1990 Cliente / Servidor Anos 1970 e 80 Mainframe Novas possibilidades O momento atual do país é favorável para que as empresas passem

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS HUMANOS DA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DE CANOAS CANOASTEC

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS HUMANOS DA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DE CANOAS CANOASTEC PLANO DE DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS HUMANOS DA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DE CANOAS CANOASTEC Institui o Plano de Desenvolvimento de Recursos Humanos criando o Quadro

Leia mais

EXIN Cloud Computing Fundamentos

EXIN Cloud Computing Fundamentos Exame Simulado EXIN Cloud Computing Fundamentos Edição Maio 2013 Copyright 2013 EXIN Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser publicado, reproduzido, copiado ou armazenada

Leia mais

Service Level Management

Service Level Management Service Level Management Ricardo Mansur Mestrado Administração (concentração Controladoria) e Finanças. MBA em TI e Telecomunicações. Especializações em Negócios, Governança e Certificado Itil, Vasco,

Leia mais

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani Planejamento Estratégico de TI Prof.: Fernando Ascani Data Warehouse - Conceitos Hoje em dia uma organização precisa utilizar toda informação disponível para criar e manter vantagem competitiva. Sai na

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI 1. PI06 TI 1.1. Processos a serem Atendidos pelos APLICATIVOS DESENVOLVIDOS Os seguintes processos do MACROPROCESSO

Leia mais