CasClínico. Sepse. Dr. Sidnei Silva. Acerte na primeira escolha! Acerte na primeira escolha! CRM-DF Responsável técnico Hospital Santa Marta

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CasClínico. Sepse. Dr. Sidnei Silva. Acerte na primeira escolha! Acerte na primeira escolha! CRM-DF 8884. Responsável técnico Hospital Santa Marta"

Transcrição

1 CasClínico 1 Meronem IV. MS Farm. Resp.: Dra. Daniela M. Castanho CRF-SP nº Sepse Produzido em Dezembro / 2011 Dr. Sidnei Silva CRM-DF 8884 Responsável técnico Hospital Santa Marta Gerente médico Hospital Santa Marta Médico intensivista pela AMIB AstraZeneca do Brasil Ltda Rod. Raposo Tavares, km 26, Cotia / SP - Brasil ACCESS net / SAC Material destinado à classe médica A persistirem os sintomas, o medico deverá ser consultado.

2 História ALS, sexo masculino, 78 anos, foi admitido em nossa UTI, transferido de hospital público, onde se encontrava internado há 15 dias, inicialmente com diagnóstico de AVCI. Retido ao leito, com rebaixamento do nível de consciência, em uso de dieta enteral. Evoluiu com pneumonia aspirativa no 5º dia de internação. Deu-se início à terapia antibiótica com Ceftriaxona 2g/dia EV. Já no 7º dia de antibióticoterapia apresentou piora do quadro infeccioso, sendo trocado o esquema de antibiótico para Piperacilina/Tazobactama 4,5g, 6/6h e Vancomicina 1g EV, 12/12h. No º dia com este esquema de antibiótico apresentou piora no seu quadro respiratório. Foi solicitada a transferência para UTI. Examefísico ExamesSubsidiários Havia no relatório médico os seguintes resultados de exames laboratoriais colhidos no dia da transferência: Hemograma: - Leucócitos: células/mm com 6 bastões; - Hematócrito: 0%; - Hemoglobina: 10 g/dl; - Plaquetas: /mm ; - Uréia: 5 mg/dl; - Creatinina: 1,2 mg/dl. Foi realizado aspirado traqueal, hemocultura e urocultura, mas sem resultado até aquele momento. Rx de tórax do dia da transferência evidenciava infiltrado inflamatório em 2/ do pulmão direito e derrame pleural moderado. Entubado, sedado, com ventilação mecânica, acianótico, extremidades aquecidas e com bom enchimento capilar, febril (Temp. Axilar.: 8,5º C), hipocorado 2+/4+, normohidratado. - AR: MV diminuído em base de pulmão direito com creptos em 2/ deste pulmão. - Sat.O : 96% com FiO : 50%, FR: 15 IPM e PEEP: 10 cmh O 2 - ACV: RCR 2T BNF sem sopros. - PA: 10/70 mmhg - FC: 110 bpm. Sem uso de aminas vasoativas. - Abdome: Flácido e sem palpação de visceromegalias ou massas. Ruídos hidroaéreos presentes. - MMII: Sem edema e com panturrilhas livres.

3 Evolução Os dados clínicos e exames laboratoriais indicavam que se tratava de sepse grave. Foi solicitada novas culturas (aspirado traqueal, urocultura e hemocultura), além da rotina laboratorial com gasometria arterial. Realizada punção pleural à direita com retirada de 400ml de líquido amarelo citrino e solicitado bacterioscopia e cultura. Trocado o esquema de Piperacilina-Tazobactama parameropeném 1g EV de 8/8h e mantida Vancomicina 1g EV de 12/12h, após a coleta das devidas culturas. Controle glicêmico intensivo com meta: glicemia < 180mg/dl. Novos resultados: - Bacterioscopia: gram-negativo - Gasometria arterial: ph: 7,5; po 2: 90 mmhg; pco 2: 8 mmhg; BE: Culturas: Hemocultura, Urocultura e Cultura do líquido pleural: sem crescimento bacteriano. - Aspirado traqueal: crescimento de Pseudomonas sp com o seguinte perfil de sensibilidade: Amicacina Ampicilina Aztreonam Cefalotina Cefepima Cefotaxima Ceftriaxona Ceftazidima Ciprofloxacina Cloranfenicol Gentamicina Imipenem Norfloxacino Piperacilina - Tazobactama Sulfametoxazol + Trimetopima Tetraciclina Tobramicina Meropeném Ácido Nalidíxico Ácido Pipemídico No 5º dia de antibiótico o paciente foi desentubado, apre- sentava leucócitos / mm sem desvio e glicemias controladas. No 11º dia foi suspensa a antibióticoterapia, pois o paciente encontrava-se há 48 horas afebril, eupnéico em ar am- biente e leucograma: leucócitos / mm com bastões.

4 Discusão A alta mortalidade em UTI, seja por sepse grave e choque séptico, tem uma relação bem estreita com a demora na estratégia a ser adotada e uma abordagem indevida contra o agente infeccioso, cujo primeiro passo é a escolha do antimicrobiano de amplo espectro, função esta que o meropeném exerce bem, sendo um carbapenêmico. O controle do foco é uma questão imprescindível para que tanto a defesa do organismo agredido assim como a escolha correta da antibióticoterapia tenham êxito na eliminação do agente agressor, para tal deveremos tomar condu- 1 tas adicionais em algumas situações : Quando houver derrame pleural, deve ser seguida a se- 2 guinte abordagem : - Derrame pleural <10mm : considerado pequeno, não esta relacionado com complicações, logo, não está indicada a drenagem; - Derrame pleural >10mm e <1/2 de um hemitorax, com bacterioscopia (Gram) e cultura negativa e ph > ou = 7,2 também não deve drenado. - Drenagem: abscesso intra-abdominal; empiema torácico, artrite séptica. - Limpeza cirúrgica: Necrose pancreática infectada, infarto intestinal e mediastinite. - Retirada do acesso/dispositivo: Cateter vascular infectado, cateter urinário, dispositivo contraceptivo intrauterino infectado. - Controle definitivo: Ressecção de sigmóide para diverticulite, colecistectomia para colecistite gangrenosa, amputação para necrose muscular por clostridium. Não devemos esquecer de avaliar o risco/benefício no momento da escolha do procedimento a ser realizado. A remoção do foco deve ser feita com a máxima brevidade possível, mas sempre decidindo por aquela que trouxer maior segurança e efetividade para o paciente. Referências 1. Dellinger RP, Levy MM, Carlet JM et al. Surviving Sepsis Capaingn: International guidelines for management of severe sepsis and septic shock: 2008, Intensive Care Med. 2008;4(1): Colice GL,Curtis A, Deslauriers J et al. Medical and surgical treatment of parapneumonic effusions: an evidence-based guideline. Chest. 2000; 118(4):

5 Meronem IV (meropeném) é um antibiótico carbapenêmico para uso parenteral que é estável à deidropeptidase-i humana (DHP-I) e exerce sua ação bactericida através da interferência com a síntese da parede celular bacteriana. A facilidade com que penetra nas células bacterianas, seu alto nível de estabilidade a todas as serinas betalactamases e sua notável afinidade pelas proteínas ligantes de penicilina (PBPs) explicam a potente atividade bactericida de meropeném contra um amplo espectro de microorganismos grampositivos e gram-negativos e de bactérias aeróbicas e anaeróbicas. Indicações: Meronem IV é indicado para o tratamento das seguintes infecções em adultos e crianças, causadas por uma única ou múltiplas bactérias sensíveis e como tratamento empírico anterior à identificação do microorganismo causador: Infecções do trato respiratório inferior; do trato urinário incluindo infecções complicadas; intra-abdominais; ginecológicas, incluindo infecções puerperais; puerperais; de pele e anexos; meningite; septicemia; tratamento empírico, incluindo monoterapia inicial para infecções presumidamente bacterianas, em pacientes neutropênicos; infecções polimicrobianas; fibrose cística, tem sido utilizado eficazmente em pacientes com fibrose cística e infecções crônicas do trato respiratório inferior, tanto como monoterapia, quanto em associação com outros agentes antibacterianos. O patógeno não tem sido sempre erradicado nestes tratamentos (para maiores informações vide bula completa do produto).contra-indicações: Hipersensibilidade ao meropeném ou ao carbonato de sódio anidro. Pacientes com história de hipersensibilidade a antibióticos carbapenêmicos, penicilinas ou outros antibióticos beta-lactâmicos também podem ser hipersensíveis ao Meronem IV. Cuidados e Advertências: Advertências: Como acontece com outros antibióticos, pode ocorrer supercrescimento de microorganismos nãosensíveis, sendo então necessárias repetidas avaliações de cada paciente. Raramente, foi relatada a ocorrência de colite pseudomembranosa, assim como ocorre com praticamente todos os antibióticos. Desse modo, é importante considerar o diagnóstico de colite pseudomembranosa em pacientes que apresentem diarréia em associação ao uso de Meronem IV. Meronem IV não é recomendado para uso pediátrico abaixo de meses de idade. Pacientes portadores de alterações hepática preexistente, devem ter a função hepática monitorada durante o tratamento com Meronem IV. Uso durante a gravidez e lactação: Meronem IV não deve ser usado na gravidez ou por mulheres que estejam amamentando, a menos que os benefícios potenciais para a mãe justifiquem os riscos potenciais para o feto ou bebê, a critério médico. (para maiores informações vide bula completa do produto). Interações medicamentosas: Não se recomenda a co-administração de Meronem IV e probenecida. Meronem IV pode reduzir os níveis séricos de ácido valpróico (para maiores informações vide bula completa do produto). Reações adversas: Meronem IV é geralmente bem tolerado. Os eventos adversos graves são raros e raramente requerem interrupção da terapia. As reações adversas mais comuns, são: trombocitemia, náusea, vômito, diarréia, aumento das transaminases séricas, da bilirrubina, da fosfatase alcalina e da desidrogenase láctica, inflamação, tromboflebite, dor (para outras reações adversas, vide bula completa do produto). Posologia: Adultos: A faixa de dosagem é de 1,5 g a 6,0 g diários, divididos em três administrações. Dose usual: 500 mg a 1 g, por administração intravenosa a cada 8 horas, dependendo do tipo e da gravidade da infecção, da sensibilidade conhecida ou esperada do(s) patógeno(s) e das condições do paciente. Exceções:1) Episódios de febre em pacientes neutropênicos a dose deve ser de 1 g a cada 8 horas. 2) Meningite/fibrose cística a dose deve ser de 2 g a cada 8 horas. Testes regulares de sensibilidade são recomendados no tratamento de infecções por Pseudomonas aeruginosa. Meronem IV deve ser administrado como injeção intravenosa em bolus por aproximadamente 5 minutos ou por infusão intravenosa de aproximadamente 15 a 0 minutos. A dose deve ser reduzida em pacientes com depuração de creatinina inferior a 51 ml/min (vide bula completa do produto). Posologia para crianças: Para crianças acima de meses de idade e até 12 anos, a dose intravenosa é de 10 a 40 mg/kg a cada 8 horas, dependendo do tipo e da gravidade da infecção, da sensibilidade conhecida ou esperada do(s) patógeno(s) e das condições do paciente. Em crianças com peso superior a 50 kg, deve ser utilizada a posologia para adultos. Exceções:1) Episódios de febre em pacientes neutropênicos a dose deve ser de 20 mg/kg a cada 8 horas. 2) Meningite/fibrose cística a dose deve ser de 40 mg/kg a cada 8 horas. Não há experiência em crianças com função renal alterada. Reconstituição, compatibilidade, estabilidade e outras informações vide bula completa do produto. Superdose: É improvável que ocorra a superdosagem intencional, embora a superdosagem possa ocorrer particularmente em pacientes com disfunção renal. Hemodiálise, se necessário, removerá Meronem IV e seu metabólito. Apresentações: IV- pó para solução injetável em embalagens com 10 frascos-ampolas. Sistema Fechado: pó para solução injetável acompanhado de diluente em embalagens com 10 frascos-ampolas acompanhados de 10 bolsas plásticas flexíveis Baxter, contendo 100 ml de solução injetável de cloreto de sódio a 0,9%, com adaptador sem agulha para o frasco-ampola. USO ADULTO e PEDIÁTRICO. USO INJETÁVEL POR VIA INTRAVENOSA. VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA. USO RESTRITO A HOSPITAIS. Para maiores informações, consulte a bula completa do produto (CDS 09/06 Julho/07). AstraZeneca do Brasil Ltda., Rod. Raposo Tavares, Km 26,9 - Cotia SP - CEP Tel.: Meronem IV. MS Contra-indicação: Hipersensibilidade ao meropeném ou ao carbonato de sódio anidro. Interação medicamentosa: Não se recomenda a co-administração de Meronem IV e probenecida.

meropeném Novafarma Indústria Farmacêutica Ltda. Pó para solução injetável 500mg 1g Página 1 de 8

meropeném Novafarma Indústria Farmacêutica Ltda. Pó para solução injetável 500mg 1g Página 1 de 8 meropeném Novafarma Indústria Farmacêutica Ltda. Pó para solução injetável 500mg 1g Página 1 de 8 meropeném Medicamento Genérico, Lei nº 9.787, de 1999. IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nome genérico: meropeném

Leia mais

CasClínico. InfecçãoAbdominal Complicada. Dr. Marcos Antonio Cyrillo. Acerte na primeira. escolha! Acerte na primeira. escolha!

CasClínico. InfecçãoAbdominal Complicada. Dr. Marcos Antonio Cyrillo. Acerte na primeira. escolha! Acerte na primeira. escolha! Acerte na Meronem IV. MS -.68.0056 Farm. Resp.: Dra. Daniela M. Castanho CRF-SP nº 9.097 CasClínico 4 InfecçãoAbdominal Complicada 622026 - Produzido em Março / 202 Dr. Marcos Antonio Cyrillo CRM 3858/SP

Leia mais

MODELO DE BULA PACIENTE RDC 47/09. APRESENTAÇÕES Pó injetável. Embalagem contendo 100 frascos-ampola de 1000 mg de cefalotina base.

MODELO DE BULA PACIENTE RDC 47/09. APRESENTAÇÕES Pó injetável. Embalagem contendo 100 frascos-ampola de 1000 mg de cefalotina base. MODELO DE BULA PACIENTE RDC 47/09 CEFARISTON cefalotina sódica APRESENTAÇÕES Pó injetável. Embalagem contendo 100 frascos-ampola de 1000 mg de cefalotina base. VIA DE ADMINISTRAÇÃO: INTRAVENOSA E INTRAMUSCULAR

Leia mais

Bactomax. teicoplanina. Pó liófilo injetável 200mg e 400mg. Cristália Prod. Quím. Farm. Ltda. MODELO DE BULA PARA O PACIENTE

Bactomax. teicoplanina. Pó liófilo injetável 200mg e 400mg. Cristália Prod. Quím. Farm. Ltda. MODELO DE BULA PARA O PACIENTE Bactomax teicoplanina Pó liófilo injetável 200mg e 400mg Cristália Prod. Quím. Farm. Ltda. MODELO DE BULA PARA O PACIENTE 1 IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Bactomax 200mg e 400mg teicoplanina APRESENTAÇÃO

Leia mais

MAXCEF 1 g ou 2 g pó para solução injetável é apresentado em embalagens com 1 frasco-ampola.

MAXCEF 1 g ou 2 g pó para solução injetável é apresentado em embalagens com 1 frasco-ampola. USO INTRAMUSCULAR OU INTRAVENOSO APRESENTAÇÃO MAXCEF 1 g ou 2 g pó para solução injetável é apresentado em embalagens com 1 frasco-ampola. USO ADULTO E PEDIÁTRICO COMPOSIÇÃO Cada frasco-ampola contém cloridrato

Leia mais

BULA DO PACIENTE CEFALOTINA SÓDICA HALEX ISTAR

BULA DO PACIENTE CEFALOTINA SÓDICA HALEX ISTAR BULA DO PACIENTE CEFALOTINA SÓDICA HALEX ISTAR PÓ PARA SOLUÇÃO INJETAVEL 1 G cefalotina sódica Medicamento genérico - Lei nº 9.787 de 1.999 IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nome genérico: cefalotina sódica

Leia mais

TOPLANINA teicoplanina 400 mg Liófilo injetável

TOPLANINA teicoplanina 400 mg Liófilo injetável TOPLANINA teicoplanina 400 mg Liófilo injetável FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO Toplanina é um pó liófilo injetável de coloração branca a quase branca, para uso após reconstituição. Apresenta-se em frasco-ampola

Leia mais

ZINFORO ceftarolina fosamila. Pó para solução para infusão de ceftarolina fosamila 600mg em embalagens com 10 frascos.

ZINFORO ceftarolina fosamila. Pó para solução para infusão de ceftarolina fosamila 600mg em embalagens com 10 frascos. ZINFORO ceftarolina fosamila I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO ZINFORO ceftarolina fosamila APRESENTAÇÕES Pó para solução para infusão de ceftarolina fosamila 600mg em embalagens com 10 frascos. VIA DE ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

MODELO DE BULA PACIENTE RDC 47/09

MODELO DE BULA PACIENTE RDC 47/09 MODELO DE BULA PACIENTE RDC 47/09 TEICOSTON teicoplanina APRESENTAÇÕES Pó liófilo injetável. Embalagem contendo 1 frasco-ampola de 200 mg ou 400 mg + 1 ampola de diluente de 3 ml. VIA DE ADMINISTRAÇÃO:

Leia mais

BULA PACIENTE CEFAZOLINA SÓDICA HALEX ISTAR

BULA PACIENTE CEFAZOLINA SÓDICA HALEX ISTAR BULA PACIENTE CEFAZOLINA SÓDICA HALEX ISTAR PÓ PARA SOLUÇÃO INJETAVEL 1 G cefazolina sódica Medicamento genérico - Lei nº 9.787 de 1.999 IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nome genérico: Cefazolina sódica FORMA

Leia mais

teicoplanina Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999

teicoplanina Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999 teicoplanina Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999 IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nome Genérico: teicoplanina APRESENTAÇÕES teicoplanina 200 mg: cada frasco-ampola contém 200 mg de teicoplanina na forma

Leia mais

b) indique os exames necessários para confirmar o diagnóstico e avaliar o grau de comprometimento da doença. (8,0 pontos)

b) indique os exames necessários para confirmar o diagnóstico e avaliar o grau de comprometimento da doença. (8,0 pontos) 01 Um homem de 30 anos de idade, que morou em área rural endêmica de doença de Chagas até os 20 anos de idade, procurou banco de sangue para fazer doação de sangue e foi rejeitado por apresentar sorologia

Leia mais

MERONEM I.V. meropeném. MERONEM I.V.: pó para solução injetável contendo 500 mg ou 1 g de meropeném em embalagens com 10 frascos-ampolas.

MERONEM I.V. meropeném. MERONEM I.V.: pó para solução injetável contendo 500 mg ou 1 g de meropeném em embalagens com 10 frascos-ampolas. MERONEM I.V. meropeném I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO MERONEM I.V. meropeném APRESENTAÇÕES MERONEM I.V.: pó para solução injetável contendo 500 mg ou 1 g de meropeném em embalagens com 10 frascos-ampolas.

Leia mais

Otofoxin cloridrato de ciprofloxacino SOLUÇÃO OTOLÓGICA

Otofoxin cloridrato de ciprofloxacino SOLUÇÃO OTOLÓGICA Otofoxin cloridrato de ciprofloxacino SOLUÇÃO OTOLÓGICA USO ADULTO USO OTOLÓGICO Forma farmacêutica e apresentação Solução otológica: frasco contendo 10 ml com conta-gotas. Composição Cada (1 ml) contém

Leia mais

MODELO DE BULA DO PACIENTE RDC 47/09

MODELO DE BULA DO PACIENTE RDC 47/09 MODELO DE BULA DO PACIENTE RDC 47/09 Oxanon oxacilina sódica APRESENTAÇÕES Pó injetável contendo 500 mg de oxacilina sódica. Embalagens contendo 50 frascos-ampola + 50 ampolas de diluente, 50 frascos-ampola

Leia mais

LEIA ATENTAMENTE ESTA BULA ANTES DE INICIAR O TRATAMENTO. I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Keroxime cefuroxima sódica

LEIA ATENTAMENTE ESTA BULA ANTES DE INICIAR O TRATAMENTO. I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Keroxime cefuroxima sódica 2 LEIA ATENTAMENTE ESTA BULA ANTES DE INICIAR O TRATAMENTO I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Keroxime cefuroxima sódica APRESENTAÇÃO Keroxime (cefuroxima) 750 mg: frasco-ampola contendo 750 mg de cefuroxima

Leia mais

LINCOFLAN. Bunker Indústria Farmacêutica Ltda Solução Injetável 300MG/ML

LINCOFLAN. Bunker Indústria Farmacêutica Ltda Solução Injetável 300MG/ML LINCOFLAN Bunker Indústria Farmacêutica Ltda Solução Injetável 300MG/ML Lincoflan cloridrato de lincomicina APRESENTAÇÕES Solução injetável de 300 mg (300 mg/ml): embalagem contendo uma ampola com 1 ml.

Leia mais

ampicilina sódica e sulbactam sódico Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999

ampicilina sódica e sulbactam sódico Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999 ampicilina sódica e sulbactam sódico Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999 Pó para solução injetável 1,5 g e 3 g 1 2 ampicilina sódica e sulbactam sódico Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999

Leia mais

MODELO DE BULA PACIENTE RDC 47/09

MODELO DE BULA PACIENTE RDC 47/09 MODELO DE BULA PACIENTE RDC 47/09 Clafordil cefotaxima sódica APRESENTAÇÕES Pó injetável. Embalagens contendo 20 frascos-ampola de 1.000 mg acompanhados com 20 ampolas de diluente de 5 ml. Embalagens contendo

Leia mais

MODELO DE BULA DO PACIENTE RDC 47/09

MODELO DE BULA DO PACIENTE RDC 47/09 Doclaxin amoxicilina sódica + clavulanato de potássio MODELO DE BULA DO PACIENTE RDC 47/09 APRESENTAÇÕES Pó Injetável. Embalagem contendo 10, 20 ou 50 frascos-ampola de 500 mg + 100 mg ou 1.000 mg + 200

Leia mais

Vancocina CP cloridrato de vancomicina. Pó para solução injetável 500 mg e 1 g

Vancocina CP cloridrato de vancomicina. Pó para solução injetável 500 mg e 1 g Vancocina CP cloridrato de vancomicina Pó para solução injetável 500 mg e 1 g 1 VANCOCINA CP cloridrato de vancomicina 2 I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO VANCOCINA CP Nome genérico: cloridrato de vancomicina

Leia mais

Pneumonia e Derrame Pleural Protocolo Clínico de Pediatria

Pneumonia e Derrame Pleural Protocolo Clínico de Pediatria 2012 Pneumonia e Derrame Pleural Protocolo Clínico de Pediatria UNIPAC-Araguari Santa Casa de Araguari 2012 2 INTRODUÇÃO Pneumonia é uma inflamação ou infecção dos pulmões que afeta as unidades de troca

Leia mais

Amplacilina. Bula para paciente. Cápsula 500 MG

Amplacilina. Bula para paciente. Cápsula 500 MG Amplacilina Bula para paciente Cápsula 500 MG AMPLACILINA ampicilina Cápsula FORMAS FARMACÊUTICAS E APRESENTAÇÕES: Embalagens contendo 12 cápsulas de 500 mg USO ADULTO USO ORAL Composição: Cada cápsula

Leia mais

MERONEM I.V. meropeném. MERONEM I.V.: pó para solução injetável contendo 500 mg ou 1 g de meropeném em embalagens com 10 frascos-ampolas.

MERONEM I.V. meropeném. MERONEM I.V.: pó para solução injetável contendo 500 mg ou 1 g de meropeném em embalagens com 10 frascos-ampolas. MERONEM I.V. meropeném I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO MERONEM I.V. meropeném APRESENTAÇÕES MERONEM I.V.: pó para solução injetável contendo 500 mg ou 1 g de meropeném em embalagens com 10 frascos-ampolas.

Leia mais

PROTOCOLO DE ABORDAGEM E TRATAMENTO DA SEPSE GRAVE E CHOQUE SÉPTICO DAS UNIDADES DE PRONTO ATENDIMENTO (UPA)/ ISGH

PROTOCOLO DE ABORDAGEM E TRATAMENTO DA SEPSE GRAVE E CHOQUE SÉPTICO DAS UNIDADES DE PRONTO ATENDIMENTO (UPA)/ ISGH PROTOCOLO DE ABORDAGEM E TRATAMENTO DA SEPSE GRAVE E CHOQUE SÉPTICO DAS UNIDADES DE PRONTO ATENDIMENTO (UPA)/ ISGH 1. APRESENTAÇÃO A SEPSE TEM ALTA INCIDÊNCIA, ALTA LETALIDADE E CUSTO ELEVADO, SENDO A

Leia mais

meropeném Novafarma Indústria Farmacêutica Ltda. Pó para solução injetável 500mg 1g Página 1 de 9

meropeném Novafarma Indústria Farmacêutica Ltda. Pó para solução injetável 500mg 1g Página 1 de 9 meropeném Novafarma Indústria Farmacêutica Ltda. Pó para solução injetável 500mg 1g Página 1 de 9 meropeném Medicamento Genérico, Lei nº 9.787, de 1999. IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nome genérico: meropeném

Leia mais

Cilinon ampicilina sódica

Cilinon ampicilina sódica Cilinon ampicilina sódica USO ADULTO E PEDIÁTRICO Apresentação Pó injetável Embalagem contendo 1 frasco-ampola + ampola de diluente. Embalagem contendo 100 frascos-ampolas com ou sem ampolas de diluente.

Leia mais

amoxicilina + clavulanato de potássio

amoxicilina + clavulanato de potássio amoxicilina + clavulanato de potássio Bula para paciente Pó para solução injetável 1 g + 200 mg Página 1 Página 1 amoxicilina + clavulanato de potássio Medicamento genérico Lei n 9.787, de 1999 Pó para

Leia mais

EVOLUTIVAS PANCREATITE AGUDA

EVOLUTIVAS PANCREATITE AGUDA Academia Nacional de Medicina PANCREATITE AGUDA TERAPÊUTICA José Galvão-Alves Rio de Janeiro 2009 PANCREATITE AGUDA FORMAS EVOLUTIVAS INÍCIO PANCREATITE AGUDA 1º - 4º Dia Intersticial Necrosante 6º - 21º

Leia mais

sulfato de amicacina Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999.

sulfato de amicacina Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999. MODELO DE BULA COM INFORMAÇÕES AO PACIENTE sulfato de amicacina Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999. APRESENTAÇÕES Solução injetável 50mg/mL Embalagens contendo 1 e 50 ampolas com 2mL. Solução injetável

Leia mais

FRADEMICINA cloridrato de lincomicina

FRADEMICINA cloridrato de lincomicina FRADEMICINA cloridrato de lincomicina I IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nome comercial: Frademicina Nome genérico: cloridrato de lincomicina APRESENTAÇÕES Frademicina solução injetável de 300 mg (300 mg/ml)

Leia mais

TEMAS. Sepse grave e Choque Séptico Microrganismos produtores de KPC A problemática da Resistência Microbiana nas UTIs

TEMAS. Sepse grave e Choque Séptico Microrganismos produtores de KPC A problemática da Resistência Microbiana nas UTIs 5ª OFICINA DE INDICADORES EPIDEMIOLÓGICOS Francisco Kennedy S. F. de Azevedo Médico Infectologista Esta aula foi apresentada na Oficina de Capacitação para a utilização do Sistema Formsus na notificação

Leia mais

Tratamento de infecções causadas por bactérias anaeróbias

Tratamento de infecções causadas por bactérias anaeróbias UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ ÁREA DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE MEDICINA SAI VI Tratamento de infecções causadas por bactérias anaeróbias Bactérias anaeróbias não-esporuladas Participam

Leia mais

tobramicina GERMED FARMACÊUTICA LTDA Solução oftálmica estéril 3 mg/ml

tobramicina GERMED FARMACÊUTICA LTDA Solução oftálmica estéril 3 mg/ml tobramicina GERMED FARMACÊUTICA LTDA Solução oftálmica estéril 3 mg/ml I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO tobramicina 3 mg/ml solução oftálmica estéril Medicamento Genérico, Lei n 9.787, de 1999. APRESENTAÇÃO

Leia mais

HOSPITAL UNIVERSITÁRIO PEDRO ERNESTO COORDENADORIA DE CONTROLE E INFECÇÃO HOSPITALAR Uso de Antimicrobianos Vancomicina

HOSPITAL UNIVERSITÁRIO PEDRO ERNESTO COORDENADORIA DE CONTROLE E INFECÇÃO HOSPITALAR Uso de Antimicrobianos Vancomicina HOSPITAL UNIVERSITÁRIO PEDRO ERNESTO COORDENADORIA DE CONTROLE E INFECÇÃO HOSPITALAR Uso de Antimicrobianos Vancomicina Preâmbulo: Vancomicina é um glicopeptídeo que tem uma ação bactericida por inibir

Leia mais

MAXCEF promove a melhora do paciente com o alívio dos sinais e sintomas da infecção.

MAXCEF promove a melhora do paciente com o alívio dos sinais e sintomas da infecção. APRESENTAÇÕES MAXCEF (cloridrato de cefepima) é apresentado na forma farmacêutica de pó para solução injetável nas concentrações de 1 g ou 2 g em embalagens com 1 frasco-ampola. USO INTRAMUSCULAR OU INTRAVENOSO

Leia mais

Parâmetros para profilaxia cirúrgica

Parâmetros para profilaxia cirúrgica Parâmetros para profilaxia cirúrgica O objetivo da profilaxia antimicrobiana em cirurgia é prevenir a infecção de sítio cirúrgico, atingindo níveis do antibiótico no sangue e nos tecidos que exceda, em

Leia mais

Triaxon ceftriaxona dissódica

Triaxon ceftriaxona dissódica MODELO DE BULA COM INFORMAÇÕES AO PACIENTE Triaxon ceftriaxona dissódica CEFALOSPORINA PARENTERAL DE AMPLO ESPECTRO E AÇÃO PROLONGADA APRESENTAÇÕES Pó para solução injetável IV 500mg: Embalagens contendo

Leia mais

COMPOSIÇÃO Cada frasco ampola contém 100 mg de azacitidina e 100 mg de manitol como excipiente.

COMPOSIÇÃO Cada frasco ampola contém 100 mg de azacitidina e 100 mg de manitol como excipiente. Vidaza azacitidina FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO Vidaza pó liofilizado para injeção, está disponível em frasco ampola com 100 mg de azacitidina. USO SUBCUTÂNEO USO ADULTO COMPOSIÇÃO Cada frasco ampola

Leia mais

Dra. Thaís Guimarães

Dra. Thaís Guimarães Dra. Thaís Guimarães ANTIMICROBIANOS Produtos capazes de destruir microorganismos ou de suprimir sua multiplicação ou crescimento. Antibióticos = produzidos por microorganismos Quimioterápicos = sintetizados

Leia mais

PROTOCOLO GERENCIADO DE SEPSE PACIENTE COM CONDUTA PARA SEPSE (OPÇÃO 2 E 3 - COLETA DE EXAMES/ANTIBIÓTICO)

PROTOCOLO GERENCIADO DE SEPSE PACIENTE COM CONDUTA PARA SEPSE (OPÇÃO 2 E 3 - COLETA DE EXAMES/ANTIBIÓTICO) DADOS DO PACIENTE PROTOCOLO GERENCIADO DE SEPSE PACIENTE COM CONDUTA PARA SEPSE (OPÇÃO 2 E 3 - COLETA DE EXAMES/ANTIBIÓTICO) Iniciais: Registro: Sexo: ( ) Feminino ( ) Masculino Data de nascimento: / /

Leia mais

Monuríl fosfomicina trometamol. Granulado

Monuríl fosfomicina trometamol. Granulado Monuríl fosfomicina trometamol Granulado Forma farmacêutica e apresentação: Caixa com 1 envelope de granulado com 8g. USO ADULTO - USO ORAL Composição: Granulado Cada envelope contém: 5,631 g de fosfomicina

Leia mais

MODELO DE BULA PACIENTE RDC 47/09

MODELO DE BULA PACIENTE RDC 47/09 MODELO DE BULA PACIENTE RDC 47/09 Ceftazidon ceftazidima pentaidratada APRESENTAÇÕES Pó injetável. Embalagens contendo 20 frascos-ampola + 20 ampolas de diluente ou 20 ou 100 frascos-ampola sem diluente.

Leia mais

TOBREX. Solução Oftálmica Estéril e Pomada Oftálmica Estéril

TOBREX. Solução Oftálmica Estéril e Pomada Oftálmica Estéril TOBREX TOBRAMICINA 0,3% Solução Oftálmica Estéril e Pomada Oftálmica Estéril FORMA FARMACÊUTICA, VIA DE ADMINISTRAÇÃO E APRESENTAÇÃO: Frasco plástico conta-gotas contendo 5 ml de Solução Oftálmica Estéril

Leia mais

CASO CLÍNICO. Felipe Santos Passos 2012

CASO CLÍNICO. Felipe Santos Passos 2012 CASO CLÍNICO Felipe Santos Passos 2012 ANAMNESE ESP, feminino, 5 anos, natural e procedente de Salvador. QP - Febre há 12 horas 2 ANAMNESE HMA - Mãe relata que a criança apresentou quadro de febre (39

Leia mais

Transamin Ácido Tranexâmico

Transamin Ácido Tranexâmico Transamin Ácido Tranexâmico 250 mg Zydus Nikkho Farmacêutica Ltda Comprimidos Bula do Paciente I- IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO TRANSAMIN ácido tranexâmico APRESENTAÇÕES Comprimidos de 250 mg. Embalagem

Leia mais

BULA PARA PACIENTE PARAPLATIN (carboplatina) 50 mg ou 150 mg ou 450 mg solução injetável

BULA PARA PACIENTE PARAPLATIN (carboplatina) 50 mg ou 150 mg ou 450 mg solução injetável BULA PARA PACIENTE PARAPLATIN (carboplatina) 50 mg ou 150 mg ou 450 mg solução injetável BRISTOL-MYERS SQUIBB PARAPLATIN carboplatina Uso intravenoso somente APRESENTAÇÃO PARAPLATIN 50 mg, 150 mg e 450

Leia mais

GUIA DE ANTIBIOTICOTERAPIA EMPÍRICA PARA O ANO DE 2011

GUIA DE ANTIBIOTICOTERAPIA EMPÍRICA PARA O ANO DE 2011 UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO PEDRO ERNESTO COMISSÃO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR GUIA DE ANTIBIOTICOTERAPIA EMPÍRICA PARA O ANO DE 2011 INFECÇÕES S SITUAÇÃO CLÍNICA

Leia mais

Kefadim (ceftazidima pentaidratada)

Kefadim (ceftazidima pentaidratada) Kefadim (ceftazidima pentaidratada) 2 LEIA ATENTAMENTE ESTA BULA ANTES DE INICIAR O TRATAMENTO I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Kefadim Nome genérico: ceftazidima pentaidratada APRESENTAÇÕES Kefadim 1

Leia mais

INSTITUTO DE PERINATOLOGIA DA BAHIA - IPERBA

INSTITUTO DE PERINATOLOGIA DA BAHIA - IPERBA PROTOCOLO - OBS 032 DATA: 24/09/2005 PÁG: 1 / 5 1. CONCEITOS - Infecção do trato urinário inferior: colonização bacteriana na bexiga e/ou uretra acompanhada de resposta inflamatória CISTITES, URETRITES.

Leia mais

Tazocin Wyeth Indústria Farmacêutica Ltda. Pó Liófilo Injetável 2.25 g 4,5 g

Tazocin Wyeth Indústria Farmacêutica Ltda. Pó Liófilo Injetável 2.25 g 4,5 g Tazocin Wyeth Indústria Farmacêutica Ltda. Pó Liófilo Injetável 2.25 g 4,5 g I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO APRESENTAÇÕES Cartucho com 1 frasco-ampola contendo 2,25 g de pó liófilo injetável. Peso líquido:

Leia mais

Antimicrobianos: onde estamos e para onde vamos?

Antimicrobianos: onde estamos e para onde vamos? Antimicrobianos: onde estamos e para onde vamos? Dra. Vanessa Schultz Médica Infectologista Especialização em Gestão de Risco Hospitalar Coordenadora do SCIH do Hospital Mãe de Deus Canoas Não possuo;

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Alburex 20 albumina humana

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Alburex 20 albumina humana IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Alburex 20 albumina humana APRESENTAÇÃO Alburex 20: embalagem contendo 1 frasco-ampola com 50 ml de solução hiperoncótica de albumina humana para infusão (20%). VIA INTRAVENOSA

Leia mais

BULA DE ORENCIA PÓ LIOFILIZADO PARA INFUSÃO IV

BULA DE ORENCIA PÓ LIOFILIZADO PARA INFUSÃO IV BRISTOL-MYERS SQUIBB ORENCIA abatacepte USO INTRAVENOSO APRESENTAÇÃO BULA DE ORENCIA PÓ LIOFILIZADO PARA INFUSÃO IV Bristol-Myers Squibb ORENCIA pó liofilizado para infusão IV é apresentado em frasco-ampola

Leia mais

Legifol CS folinato de cálcio. APRESENTAÇÕES Legifol CS solução injetável de 10 mg/ml em embalagens contendo 10 ampolas de 5 ml (50 mg).

Legifol CS folinato de cálcio. APRESENTAÇÕES Legifol CS solução injetável de 10 mg/ml em embalagens contendo 10 ampolas de 5 ml (50 mg). Legifol CS folinato de cálcio I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nome comercial: Legifol CS Nome genérico: folinato de cálcio APRESENTAÇÕES Legifol CS solução injetável de 10 mg/ml em embalagens contendo

Leia mais

Trinizol -M Tinidazol Nitrato de miconazol

Trinizol -M Tinidazol Nitrato de miconazol Trinizol -M Tinidazol Nitrato de miconazol Creme vaginal Uso intravaginal APRESENTAÇÃO TRINIZOL -M CREME VAGINAL: caixa contendo bisnaga com 80 g de creme e 1 aplicador. TRINIZOL -M CREME VAGINAL: caixa

Leia mais

CAPÍTULO 7 : CUIDADOS COM O RECÉM-NASCIDO COM INFECÇÃO

CAPÍTULO 7 : CUIDADOS COM O RECÉM-NASCIDO COM INFECÇÃO CAPÍTULO 7 : CUIDADOS COM O RECÉM-NASCIDO COM INFECÇÃO As infecções bacterianas nos RN podem agravar-se muito rápido. Os profissionais que prestam cuidados aos RN com risco de infecção neonatal têm por

Leia mais

FANCLOMAX FANCICLOVIR

FANCLOMAX FANCICLOVIR MODELO DE BULA FANCLOMAX FANCICLOVIR Apresentações: Cartucho contendo 1 blister com 10 comprimidos de 125 mg cada Cartucho contendo 1 blister com 7 comprimidos de 250 mg cada Cartucho contendo 3 blísteres

Leia mais

PROTOCOLO MÉDICO. Assunto: Infecção do Trato Urinário. Especialidade: Infectologia. Autor: Cláudio C Cotrim Neto-Médico Residente e Equipe Gipea

PROTOCOLO MÉDICO. Assunto: Infecção do Trato Urinário. Especialidade: Infectologia. Autor: Cláudio C Cotrim Neto-Médico Residente e Equipe Gipea PROTOCOLO MÉDICO Assunto: Infecção do Trato Urinário Especialidade: Infectologia Autor: Cláudio C Cotrim Neto-Médico Residente e Equipe Gipea Data de Realização: 23/03/2009 Data de Revisão: Data da Última

Leia mais

Composição Cada grama de Ilosone Gel Tópico contém: eritromicina base... 20 mg excipiente q.s.p... 1 g

Composição Cada grama de Ilosone Gel Tópico contém: eritromicina base... 20 mg excipiente q.s.p... 1 g Ilosone Gel Tópico eritromicina Forma farmacêutica e apresentação Gel Tópico: Cartucho com 1 bisnaga contendo 60 g. USO ADULTO E PEDIÁTRICO USO EXTERNO Composição Cada grama de Ilosone Gel Tópico contém:

Leia mais

MODELO DE BULA PARA O PACIENTE. Cada ml contém: levosimendana... 2,5 mg Excipientes: polividona, ácido cítrico e etanol.

MODELO DE BULA PARA O PACIENTE. Cada ml contém: levosimendana... 2,5 mg Excipientes: polividona, ácido cítrico e etanol. MODELO DE BULA PARA O PACIENTE IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO: SIMDAX levosimendana Formas Farmacêuticas, vias de administração e apresentações: SIMDAX (levosimendana) 2,5 mg/ml: embalagens com 1 frasco-ampola

Leia mais

BULA PACIENTE HICOVAN HALEX ISTAR

BULA PACIENTE HICOVAN HALEX ISTAR BULA PACIENTE HICOVAN HALEX ISTAR PÓ PARA SOLUÇÃO INJETAVEL 500 MG HICOVAN cloridrato de vancomicina 500 mg IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO: Nome comercial: Hicovan Nome genérico: cloridrato de vancomicina

Leia mais

Kavit fitomenadiona. Solução Injetável 10 mg/ml. Cristália Produtos Químicos Farmacêuticos Ltda. MODELO DE BULA PARA O PACIENTE

Kavit fitomenadiona. Solução Injetável 10 mg/ml. Cristália Produtos Químicos Farmacêuticos Ltda. MODELO DE BULA PARA O PACIENTE Kavit fitomenadiona Solução Injetável 10 mg/ml Cristália Produtos Químicos Farmacêuticos Ltda. MODELO DE BULA PARA O PACIENTE IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO KAVIT fitomenadiona APRESENTAÇÃO Caixa contendo

Leia mais

Tracur besilato de atracúrio. Cristália Prod. Quím. Farm. Ltda. Solução Injetável 10 mg/ml MODELO DE BULA PARA O PACIENTE

Tracur besilato de atracúrio. Cristália Prod. Quím. Farm. Ltda. Solução Injetável 10 mg/ml MODELO DE BULA PARA O PACIENTE Tracur besilato de atracúrio Cristália Prod. Quím. Farm. Ltda. Solução Injetável 10 mg/ml MODELO DE BULA PARA O PACIENTE IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Tracur besilato de atracúrio APRESENTAÇÃO Solução Injetável

Leia mais

CLORETO DE SÓDIO 0,9%

CLORETO DE SÓDIO 0,9% FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÕES: Solução injetável. SISTEMA FECHADO Solução de cloreto de sódio 0,9% (cloreto de sódio 9 mg/ml): Frascos de plástico transparente com 50 ml, 100 ml, 250 ml, 500 ml e

Leia mais

Diretrizes Assistenciais

Diretrizes Assistenciais Diretrizes Assistenciais Manuseio da Meningite Bacteriana Aguda Versão eletrônica atualizada em Novembro 2008 Manuseio da Meningite Bacteriana Aguda Introdução A meningite bacteriana aguda é um processo

Leia mais

Benzetacil. Bula para paciente. Suspensão injetável. 1.200.000 U (300.000 U/mL)

Benzetacil. Bula para paciente. Suspensão injetável. 1.200.000 U (300.000 U/mL) Benzetacil Bula para paciente Suspensão injetável 1.200.000 U (300.000 U/mL) Benzetacil benzilpenicilina benzatina Suspensão injetável FORMAS FARMACÊUTICAS E APRESENTAÇÕES: 1.200.000 U (300.000 U/mL):

Leia mais

Prostigmine metilsulfato de neostigmina

Prostigmine metilsulfato de neostigmina Prostigmine metilsulfato de neostigmina APRESENTAÇÕES Solução Injetável 0,5 mg/ml - Embalagem com 50 ampolas de 1 ml. USO INJETÁVEL USO ADULTO E PEDIÁTRICO COMPOSIÇÃO Cada ml contém 0,5 mg de metilsulfato

Leia mais

DENGUE. Médico. Treinamento Rápido em Serviços de Saúde. Centro de Vigilância Epidemiológica Prof. Alexandre Vranjac

DENGUE. Médico. Treinamento Rápido em Serviços de Saúde. Centro de Vigilância Epidemiológica Prof. Alexandre Vranjac DENGUE Treinamento Rápido em Serviços de Saúde Médico 2015 Centro de Vigilância Epidemiológica Prof. Alexandre Vranjac O Brasil e o estado de São Paulo têm registrado grandes epidemias de dengue nos últimos

Leia mais

fosfato de clindamicina

fosfato de clindamicina fosfato de clindamicina Novafarma Indústria Farmacêutica Ltda. Solução injetável 300mg/2mL 600mg/4mL Página 1 de 7 fosfato de clindamicina Medicamento Genérico, Lei nº 9.787, de 1999. IDENTIFICAÇÃO DO

Leia mais

MODELO DE BULA. cefoxitina sódica Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999

MODELO DE BULA. cefoxitina sódica Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999 MODELO DE BULA cefoxitina sódica Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999 USO ADULTO E PEDIÁTRICO FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÕES: Pó Injetável Embalagens contendo 1, 20, 50 ou 100 frascos-ampola.

Leia mais

TIENAM (imipeném/cilastatina sódica), MSD Merck Sharp & Dohme Farmacêutica Ltda. Pó para solução injetável 500 mg/500 mg

TIENAM (imipeném/cilastatina sódica), MSD Merck Sharp & Dohme Farmacêutica Ltda. Pó para solução injetável 500 mg/500 mg TIENAM (imipeném/cilastatina sódica), MSD Merck Sharp & Dohme Farmacêutica Ltda. Pó para solução injetável 500 mg/500 mg IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO: TIENAM (imipeném/cilastatina sódica), MSD APRESENTAÇÕES

Leia mais

Abcessos Hepáticos. Hospital de Braga. Cirurgia Geral. Director: Dr. Mesquita Rodrigues. Pedro Leão Interno de Formação Específica em.

Abcessos Hepáticos. Hospital de Braga. Cirurgia Geral. Director: Dr. Mesquita Rodrigues. Pedro Leão Interno de Formação Específica em. Hospital de Braga Cirurgia Geral Director: Dr. Mesquita Rodrigues Pedro Leão Interno de Formação Específica em Cirurgia Geral 18-05-2010 Lesões Hepáticas Focais Benignas Abcessos Hepáticos Piogénico Amebiano

Leia mais

ANÁLISE MICROBIOLÓGICA: SUA IMPORTÂNCIA PARA O CONTROLE DE INFECÇÃO

ANÁLISE MICROBIOLÓGICA: SUA IMPORTÂNCIA PARA O CONTROLE DE INFECÇÃO ANÁLISE MICROBIOLÓGICA: SUA IMPORTÂNCIA PARA O CONTROLE DE INFECÇÃO MSC INES STRANIERI LABORATÓRIO DE MICROBIOLOGIA HOSPITAL UNIVERSITÁRIO JULIO MULLER - HUJM UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO - UFMT

Leia mais

MODELO DE BULA PARA O PACIENTE Myograf filgrastim

MODELO DE BULA PARA O PACIENTE Myograf filgrastim MODELO DE BULA PARA O PACIENTE Myograf filgrastim IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO APRESENTAÇÕES Solução injetável Myograf 300 mcg/ml: Embalagens contendo 5 frascos-ampola com 1 ml USO SUBCUTÂNEO / INFUSÃO

Leia mais

TERAPÊUTICA ANTIBIÓTICA EMPÍRICA DA FEBRE NEUTROPÉNICA

TERAPÊUTICA ANTIBIÓTICA EMPÍRICA DA FEBRE NEUTROPÉNICA TERAPÊUTICA ANTIBIÓTICA EMPÍRICA DA FEBRE NEUTROPÉNICA DEFINIÇÕES Febre neutropénica: T. auricular > 38ºC mantida durante 1 h, em doente com contagem absoluta de neutrófilos (CAN) < 500/mm 3, ou < 1000/mm

Leia mais

EXAME NACIONAL DE REVALIDAÇÃO D E D I P L O M A S M É D I C O S EXPEDIDOS POR INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR ESTRANGEIRAS.

EXAME NACIONAL DE REVALIDAÇÃO D E D I P L O M A S M É D I C O S EXPEDIDOS POR INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR ESTRANGEIRAS. D E D I P L O M A S M É D I C O S EXPEDIDOS POR INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR ESTRANGEIRAS Prova Discursiva LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 1. Verifique se, além deste caderno, você recebeu

Leia mais

MODELO DE BULA. ONTRAX cloridrato de ondansetrona

MODELO DE BULA. ONTRAX cloridrato de ondansetrona MODELO DE BULA ONTRAX cloridrato de ondansetrona Forma farmacêutica e apresentações: Caixas com 1 ampola de 2 ml de solução injetável com 4 mg/ 2mL Caixas com 20 ampolas de 2 ml de solução injetável com

Leia mais

CEFTAZIDIMA PENTAIDRATADA

CEFTAZIDIMA PENTAIDRATADA BULA PACIENTE CEFTAZIDIMA PENTAIDRATADA HALEX ISTAR PÓ PARA SOLUÇÃO INJETAVEL 1 G ceftazidima pentaidratada Medicamento genérico - Lei nº 9.787 de 1.999 IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nome genérico: ceftazidima

Leia mais

ABSCESSO SUBFRÊNICO E INFECÇÃO NOSOCOMIAL POR GERME MULTI-DROGA RESISTENTE

ABSCESSO SUBFRÊNICO E INFECÇÃO NOSOCOMIAL POR GERME MULTI-DROGA RESISTENTE ABSCESSO SUBFRÊNICO E INFECÇÃO NOSOCOMIAL POR GERME MULTI-DROGA RESISTENTE Fabíola Schorr Residente de Pneumologia da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre/RS Paulo José Zimermann Teixeira

Leia mais

Doença falciforme: Infecções

Doença falciforme: Infecções Doença falciforme: Infecções Célia Maria Silva Médica Hematologista da Fundação Hemominas celia.cmaria@gmail.com Eventos infecciosos Importância Incidência Faixa etária mais acometida (6m - 5a) Internações

Leia mais

COMPOSIÇÃO Cada 1 g de pó contém: benzocaína... 0,006 g bicarbonato de sódio... 0,884 g clorato de potássio... 0,11g

COMPOSIÇÃO Cada 1 g de pó contém: benzocaína... 0,006 g bicarbonato de sódio... 0,884 g clorato de potássio... 0,11g IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO: Albicon benzocaína, bicarbonato de sódio, clorato de potássio APRESENTAÇÕES Pó para uso tópico. Cada grama contém 0,006 g de benzocaína, 0,884 g de bicarbonato de sódio e

Leia mais

PARA EVITAR USO IMPRÓPRIO DO MEDICAMENTO, LEIA ESTA BULA COM ATENÇÃO. Penvir. fanciclovir

PARA EVITAR USO IMPRÓPRIO DO MEDICAMENTO, LEIA ESTA BULA COM ATENÇÃO. Penvir. fanciclovir PARA EVITAR USO IMPRÓPRIO DO MEDICAMENTO, LEIA ESTA BULA COM ATENÇÃO. Penvir fanciclovir Forma farmacêutica e apresentações: Penvir comprimidos revestidos 125 mg: caixa contendo 10 comprimidos. Penvir

Leia mais

MAXIFLOX LATINOFARMA INDÚSTRIAS FARMACÊUTICAS LTDA. Solução Oftálmica Estéril. cloridrato de ciprofloxacino 3,5 mg/ml

MAXIFLOX LATINOFARMA INDÚSTRIAS FARMACÊUTICAS LTDA. Solução Oftálmica Estéril. cloridrato de ciprofloxacino 3,5 mg/ml MAXIFLOX LATINOFARMA INDÚSTRIAS FARMACÊUTICAS LTDA Solução Oftálmica Estéril cloridrato de ciprofloxacino 3,5 mg/ml BULA PARA O PROFISSIONAL DE SAÚDE COLÍRIO MAXIFLOX cloridrato de ciprofloxacino 0,35%

Leia mais

I CURSO DE CONDUTAS MÉDICAS NAS INTERCORRÊNCIAS EM PACIENTES INTERNADOS

I CURSO DE CONDUTAS MÉDICAS NAS INTERCORRÊNCIAS EM PACIENTES INTERNADOS Emergência CT de Medicina I CURSO DE CONDUTAS MÉDICAS NAS INTERCORRÊNCIAS EM PACIENTES INTERNADOS CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA CREMEC/Conselho Regional de Medicina do Ceará Câmara Técnica de Medicina Intensiva

Leia mais

Actilyse alteplase. APRESENTAÇÕES Pó liofilizado injetável frasco-ampola com 10 mg + diluente, ou 20 mg + diluente, ou 50 mg + diluente

Actilyse alteplase. APRESENTAÇÕES Pó liofilizado injetável frasco-ampola com 10 mg + diluente, ou 20 mg + diluente, ou 50 mg + diluente Actilyse alteplase APRESENTAÇÕES Pó liofilizado injetável frasco-ampola com 10 mg + diluente, ou 20 mg + diluente, ou 50 mg + diluente USO INTRAVENOSO USO ADULTO COMPOSIÇÃO ACTILYSE 10 mg/10 ml: cada frasco-ampola

Leia mais

MORBIDADE FEBRIL PUERPERAL. Professora Marília da Glória Martins

MORBIDADE FEBRIL PUERPERAL. Professora Marília da Glória Martins MORBIDADE FEBRIL PUERPERAL Professora Marília da Glória Martins Definição Denomina-se infecção puerperal qualquer processo infecioso bacteriano do trato genital, que ocorra nos primeiros dez dias de puerpério,

Leia mais

ENOXALOW enoxaparina sódica. Forma farmacêutica e apresentações Solução injetável. Via de administração: IV/SC

ENOXALOW enoxaparina sódica. Forma farmacêutica e apresentações Solução injetável. Via de administração: IV/SC ENOXALOW enoxaparina sódica Forma farmacêutica e apresentações Solução injetável. Via de administração: IV/SC 20 mg/0,2 ml cartucho com 1 ou 10 seringas. 40 mg/0,4 ml cartucho com 1 ou 10 seringas. 60

Leia mais

UNASYN Injetável sulbactam sódica/ampicilina sódica Intramuscular/intravenoso

UNASYN Injetável sulbactam sódica/ampicilina sódica Intramuscular/intravenoso UNASYN Injetável sulbactam sódica/ampicilina sódica Intramuscular/intravenoso PARTE I IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nome comercial: Unasyn injetável Nome genérico: sulbactam sódica/ampicilina sódica Forma

Leia mais

TYGACIL (tigeciclina)

TYGACIL (tigeciclina) TYGACIL (tigeciclina) I- IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nome comercial: Tygacil Nome genérico: tigeciclina APRESENTAÇÃO Tygacil 50 mg pó liofilizado estéril para infusão em embalagem contendo 10 frascos-ampolas.

Leia mais

SUPRAHYAL hialuronato de sódio

SUPRAHYAL hialuronato de sódio SUPRAHYAL hialuronato de sódio APRESENTAÇÃO Solução injetável 10 mg/ml: 1 seringa preenchida com 2,5 ml. USO INTRA-ARTICULAR. USO ADULTO. COMPOSIÇÃO SUPRAHYAL 25 mg (10mg/ml): Cada ml contém 10 mg de hialuronato

Leia mais

ATACAND candesartana cilexetila

ATACAND candesartana cilexetila ATACAND candesartana cilexetila I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO ATACAND candesartana cilexetila APRESENTAÇÕES Comprimidos de 8 mg em embalagem com 30 comprimidos. Comprimidos de 16 mg em embalagens com

Leia mais

CUBICIN daptomicina. APRESENTAÇÕES Cubicin 500 mg embalagem contendo 1 ou 5 frascos-ampola com pó para solução para injeção ou infusão.

CUBICIN daptomicina. APRESENTAÇÕES Cubicin 500 mg embalagem contendo 1 ou 5 frascos-ampola com pó para solução para injeção ou infusão. CUBICIN daptomicina APRESENTAÇÕES Cubicin 500 mg embalagem contendo 1 ou 5 frascos-ampola com pó para solução para injeção ou infusão. VIA INTRAVENOSA USO ADULTO COMPOSIÇÃO Cada frasco-ampola de Cubicin

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOCIÊNCIAS APLICADAS À FARMÁCIA Perfil de Sensibilidade de Staphylococcus aureus e conduta terapêutica em UTI adulto de Hospital Universitário

Leia mais

Prof. Dr. Jorge Luiz Nobre Rodrigues Dpto de Saúde Comunitária da UFC Faculdade de Medicina

Prof. Dr. Jorge Luiz Nobre Rodrigues Dpto de Saúde Comunitária da UFC Faculdade de Medicina Prof. Dr. Jorge Luiz Nobre Rodrigues Dpto de Saúde Comunitária da UFC Faculdade de Medicina Caso Clínico Masc, 30 anos, apresentando febre após QT para LMA (3 o ciclo). Nos 2 ciclos anteriores apresentou

Leia mais

vacina hepatite B (recombinante)

vacina hepatite B (recombinante) vacina hepatite B (recombinante) FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÕES Suspensão injetável - Cartucho contendo 1 frasco-ampola com 1 dose de 0,5mL; - Cartucho contendo 20 frascos-ampola com 1 dose de 0,5mL;

Leia mais

NEXIUM iv esomeprazol sódico. APRESENTAÇÕES Pó liofilizado para solução injetável de 40 mg em embalagem com 10 frascos-ampola.

NEXIUM iv esomeprazol sódico. APRESENTAÇÕES Pó liofilizado para solução injetável de 40 mg em embalagem com 10 frascos-ampola. NEXIUM iv esomeprazol sódico I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO NEXIUM iv esomeprazol sódico APRESENTAÇÕES Pó liofilizado para solução injetável de 40 mg em embalagem com 10 frascos-ampola. VIA INTRAVENOSA

Leia mais

Tylex 7,5 mg / 30 mg comprimidos paracetamol, fosfato de codeína

Tylex 7,5 mg / 30 mg comprimidos paracetamol, fosfato de codeína 1 IDENTIFICAÇÃO MEDICAMENTO DO Tylex 7,5 mg / 30 mg comprimidos paracetamol, fosfato de codeína APRESENTAÇÕES Comprimidos de 7,5 mg de fosfato de codeína e 500 mg de paracetamol em embalagens com 12 comprimidos

Leia mais