Redução de chamadas de clientes MEO ADSL na alteração de pacote

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Redução de chamadas de clientes MEO ADSL na alteração de pacote"

Transcrição

1 PATROCINADORES OURO Lisboa 28 e 29 Junho 2011 Museu do Oriente Redução de chamadas de clientes MEO ADSL na alteração de pacote Edgar Henriques Romeu Coelho Portugal Telecom

2 Índice O Programa Lean Six Sigma na PT O projecto Lessons Learned 2

3 01 Overview do programa Resumo: Certificação de Green Belts na metodologia Lean Six Sigma; 24 participantes; 2 Waves de 12 projectos; Duração de 6 meses. Objectivos: Formação de 24 colaboradores da direcção de melhoria contínua na metodologia Lean Six Sigma; Desenvolvimento de competências e profissionalização na abordagem a projectos de melhoria contínua; Alinhamento e uniformização de técnicas e metodologias de melhoria contínua. Realização de projectos com elevado retorno para a organização;

4 Wave 2 Wave Roadmap do programa Fases do programa IDENTIFICAÇÃO DE PROJECTOS Jun.10 Jul.10 Ago.10 Set.10 Out.10 Legenda: Realizado Planeado Nov.10 Dez.10 Jan.11 Fev/Mar11 EXECUÇÃO E ACOMPANHAMENTO Definir Medir Analisar Melhorar Controlar ENCERRAMENTO Apresentação de Resultados Encerramento do Programa IDENTIFICAÇÃO DE PROJECTOS EXECUÇÃO E ACOMPANHAMENTO Definir Medir Analisar Melhorar Controlar ENCERRAMENTO Apresentação de Resultados Encerramento do Programa

5 Processo Objectivo 02 A metodologia Lean Six Sigma DEFINE MEASURE ANALYSE IMPROVE CONTROL Definir o Problema ou Oportunidade de melhoria Medir o processo existente Analisar o desempenho actual e causas raiz Melhorar o processo Controlar o novo processo Definir projecto, Champion e o dono do processo. Definir problema, objectivos, metas e benefícios. Mapear o processo (macro). Determinar requisitos do cliente e indicadores de desempenho. Desenvolver o plano de projecto. Mapear o processo. Determinar indicadores críticos do processo. Estabelecer relações causa-efeito, com dados e factos. Desenvolver plano de recolha de dados e plano de amostragem. Validar medições. Medir desempenho actual do processo. Comparar o processo / Benchmarking. Analisar os mapas do processo. Determinar causasraiz, com dados e factos. Testar e validar hipóteses. Desenvolver propostas de melhoria (e alternativas). Avaliar riscos e benefícios das soluções. Validar e implementar a solução seleccionada. Qualificar a eficácia da solução, com dados e factos. Definir controlos adequados. Implementar e validar controlos. Desenvolver plano de transferência (para o dono do processo). Medir / validar benefícios das soluções. Comunicar as alterações e resultados. Fecho formal do projecto.

6 03 - Resumo dos projectos Categoria Wave 1 Wave 2 Total Nº de participantes Nº de projectos seleccionados Nº de projectos encerrados (à data de ) Nº de Green Belts (à data de ) Nº de Green Belts (à data de )

7 Índice O Programa Lean Six Sigma na PT O projecto Lessons Learned 7

8 Processo Objectivo Metodologia Lean Six Sigma DEFINE MEASURE ANALYSE IMPROVE CONTROL Definir o Problema ou Oportunidade de melhoria Medir o processo existente Analisar o desempenho actual e causas raiz Melhorar o processo Controlar o novo processo Definir projecto, Champion e o dono do processo. Definir problema, objectivos, metas e benefícios. Mapear o processo (macro). Determinar requisitos do cliente e indicadores de desempenho. Desenvolver o plano de projecto. Mapear o processo. Determinar indicadores críticos do processo. Estabelecer relações causa-efeito, com dados e factos. Desenvolver plano de recolha de dados e plano de amostragem. Validar medições. Medir desempenho actual do processo. Comparar o processo / Benchmarking. Analisar os mapas do processo. Determinar causasraiz, com dados e factos. Testar e validar hipóteses. Desenvolver propostas de melhoria (e alternativas). Avaliar riscos e benefícios das soluções. Validar e implementar a solução seleccionada. Qualificar a eficácia da solução, com dados e factos. Definir controlos adequados. Implementar e validar controlos. Desenvolver plano de transferência (para o dono do processo). Medir / validar benefícios das soluções. Comunicar as alterações e resultados. Fecho formal do projecto.

9 Project Charter Descrição do contexto/problema Para o segmento Residencial, nas alterações de pacotes do serviço meo ADSL, verifica-se um volume considerável de chamadas inbound durante o mês que antecede e no mês posterior a essa alteração. O número de chamadas por pedido tem-se mantido elevado o que é preocupante tendo em conta o crescimento do parque. Este elevado número de chamadas traduz-se em elevados custos FO, também podendo implicar insatisfação do cliente. Objectivos operacionais (métricas) Métrica Baseline Target Deadline Nº Chamadas Inbound por Pedido 2,77 2,22 Fev 2011 Descrição do projecto Será necessário caracterizar as chamadas ocorridas nos meses anterior e imediatamente posterior à data em que se verificou a alteração do pacote, procurando soluções que levem à sua diminuição. Será assim necessário uma amostra representativa das chamadas e a consequente análise das observações. Posteriormente será necessário correlacionar as chamadas com as fases do processo de provisão. Será mapeado todo o workflow de modo a detectar e corrigir as dispersões que possam existir nas diversas fases do processo. Objectivos qualitativos Aumentar a satisfação dos clientes no serviço meo ADSL. Redução no número chamadas Inbound. Redução do tempo de resposta às expectativas do cliente. Retorno anual ( ) : Plano de Projecto Fases/Milestones Início Fim Define Measure Analyse Improve Control Equipa Função Nome Área Sponsor Jason Inácio DOI Project Manager Edgar Henriques DMC/Performance Team Member Arminda Horta DMC/MC Venda e Provisão Team Member Ana Sequeira DMC/MC Segmento Team Member Silvia Brás DMC/MC Customer Care NT Team Member João Pinto DMC/MC Segmento Team Member Nuno Valentim DOI/SPR/GLE Gestão Lista Espera

10 Business Case A Antiguidade da chamada é medida em meses em relação à inscrição do pedido em SIREL Pela análise da antiguidade das chamadas dos clientes em relação à inscrição do pedido em SIREL, constata-se que durante o mês que antecede o pedido (em SIREL) e no mês após, os clientes tendem a fazer mais chamadas. Após um mês do pedido o número de chamadas já é significativamente inferior. Pretende-se, com este Projecto, reduzir em 20% o número de Chamadas por Pedido verificadas nos 30 dias anteriores e posteriores ao respectivo Pedido de Alteração. Esta redução deverá ser viável, tendo em conta a evolução deste indicador nos meses seguintes. Esta redução deverá surtir efeito nos meses designados por -1 e 0. Analisando o período de Janeiro a Setembro de 2010, verifica-se que o número médio de Chamadas por Pedido de Alteração do Pacote meo ADSL assume uma distribuição normal ao longo dos meses. O objectivo deste projecto é a redução do número médio de Chamadas por Pedido, que implicará poupanças significativas em custos de BO. Janeiro a Setembro 2010

11 Business Case Chamada do cliente em relação à criação do pedido em SIREL Apesar do grupo mais representativo, em termos de Volume de Pedidos, ser o que agrega Alterações inerentes ao Pacote 3P, a Alteração que gera mais Chamadas por Pedido é o Upgrade Net, seguido da Alteração na qual os clientes deixam o serviço meo mantendo apenas a Voz.

12 Processo Objectivo Metodologia Lean Six Sigma DEFINE MEASURE ANALYSE IMPROVE CONTROL Definir o Problema ou Oportunidade de melhoria Medir o processo existente Analisar o desempenho actual e causas raiz Melhorar o processo Controlar o novo processo Definir projecto, Champion e o dono do processo. Definir problema, objectivos, metas e benefícios. Mapear o processo (macro). Determinar requisitos do cliente e indicadores de desempenho. Desenvolver o plano de projecto. Mapear o processo. Determinar indicadores críticos do processo. Estabelecer relações causa-efeito, com dados e factos. Desenvolver plano de recolha de dados e plano de amostragem. Validar medições. Medir desempenho actual do processo. Comparar o processo / Benchmarking. Analisar os mapas do processo. Determinar causasraiz, com dados e factos. Testar e validar hipóteses. Desenvolver propostas de melhoria (e alternativas). Avaliar riscos e benefícios das soluções. Validar e implementar a solução seleccionada. Qualificar a eficácia da solução, com dados e factos. Definir controlos adequados. Implementar e validar controlos. Desenvolver plano de transferência (para o dono do processo). Medir / validar benefícios das soluções. Comunicar as alterações e resultados. Fecho formal do projecto.

13 Mapa do Processo - SIPOC Suppliers Fornecedores Inputs Entradas Process Processo Outputs Saídas Customers Clientes * Cliente * Pedido de alteração do pacote no serviço meo ADSL * Backoffice * Pedido de alteração de pacote do cliente O1.2.0_Res_PO * Informar cliente condições subscrição O1.2.0_Res_PO Pedido alteração pacote Registo pedido em SIREL * Registo em Portal SFA ou CRM * Requisição em SIREL * Requisição em SIREL O1.2.0_R es_po O1.2.0_R es_po *Backoffice (PT Contact ou PT Sales) PT SIREL (OM) * PT SIREL (OM) * PT SIREL (OM) * Requisição em SIREL O2.4.0_PO.0032 Configuração serviços em OM (SIREL) * Serviços configurados (Comutador; SAPA; Plataforma) O2.4.0_P O.0032 * PT -- SINTRA * PT -- SINTRA * Serviços configurados (Comutador; SAPA; Plataforma) O2.4.0_PO.0032 Actividade no terreno * Exec act I2 p/ ret fiador (cli migram SFT) * Exec act I8 p/ entrega TLF (cli ganham Voz) O2.4.0_P O.0032 * PT SIREL (OM) * Cliente final * PT SIREL (OM * PT SIREL (OM) * Requisição satisfeita O2.4.0_PO.0032 Pacote activado * Envio SMS O2.4.0_P O.0032 * Cliente

14 Mapa do Processo - VSM C91 meo SURF 20 meo TOTAL 10 Outubro 2010 Cliente Pedido ADAB Pedidos: 37 /dia Takt = 1 dia / 37 pedidos Objectivo Lead Time : 5 dias úteis Envio SMS Pedido de alteração de pacote Manual Registo pedido em SIREL Manual Configuração Serviços em OM (SIREL) WF Actividade no terreno SINTRA Fecho Requisição (pacote activado) WF Rácio VA / VNA = 2,2 / 24,5 * 100 = 8,98% Lead time = 24,5 vs. 5 dias T/C = 15 min T/C = 5 min T/C = 2 dias T/C = 2h45 T/C = 60 min LT = 0 dias LT = 0 dias LT = 4 dias 84% Sucesso entrega LT = 0 dias 5,5 dias 0 dias 4 dias 15 dias 0 min 0 dias 24,5 dias 15 min 5 min 2 dias 2h45 min 60 min 2,2 dias Summary for T_FASE CENARIO = C91; T_SUBSER = L; STATUS = 3101 Summary for T_FASE CENARIO = C91; T_SUBSER = L; STATUS = 4101 Para além do atraso no carregamento dos pedidos em SIREL foram identificados em SIREL existem 2 pontos responsáveis pelo atraso: a DIP no ATENDE e a actividade I8 em SINTRA com o respectivo agendamento a realizar com o cliente. Mean % Confidence Intervals A nderson-darling Normality Test A -Squared 32,26 P-Value < 0,005 Mean 3,6156 StDev 2,9584 V ariance 8,7524 Skew ness 0, Kurtosis 0, N 811 Minimum 0,0436 1st Q uartile 0,8915 Median 2,7056 3rd Q uartile 5,9886 Maximum 16, % C onfidence Interv al for Mean 3,4117 3, % C onfidence Interv al for Median 2,6072 2, % C onfidence Interv al for StDev 2,8211 3,1099 Mean % Confidence Intervals A nderson-darling Normality Test A -Squared 52,97 P-Value < 0,005 Mean 15,162 StDev 14,479 V ariance 209,640 Skew ness 1,76725 Kurtosis 2,93599 N 856 Minimum 0,599 1st Q uartile 5,142 Median 10,173 3rd Q uartile 19,426 Maximum 75,198 95% C onfidence Interv al for Mean 14,191 16,134 95% C onfidence Interv al for Median 9,208 11,174 95% C onfidence Interv al for StDev 13,824 15,199 Median Median 2,50 2,75 3,00 3,25 3,50 3,

15 Variáveis output (Ys) Rapidez OE-> OM Rapidez WF sem disponibilização de telefone Rapidez WF com disponibilização de telefone Disponibilizar o pacote pedido pelo cliente Serviços configurados correctamente Total Redução Chamadas Clientes meo ADSL- Processo de alteração do pacote Matriz Causa-Efeito Importância para o cliente: Passo Processo Entradas (X's) 1 Canal Atendimento Carregamento em Portal SFA Canal Atendimento Carregamento em CRM Canal Atendimento Carregamento em SIREL Canal Atendimento Solicitação do contacto do cliente Canal Atendimento Agendamento com o cliente em caso de acréscimo de Voz Canal Atendimento Carregamento correcto da DIP Canal Atendimento Aplicação SIREL indisponível BO Rapidez carregamento actividade em OM BO Preenchimento dos contactos do cliente Configuração dos serviços Actividade no terreno Actividade no terreno Gestão da lista de espera - erros de sistema Actividades I2 - Gestão lista espera Actividades I8 - Gestão lista espera

16 Plano recolha de dados MÉTRICA FACTOR DE ESTRATIFICAÇÃO DEFINIÇÃO OPERACIONAL TAMANHO DA AMOSTRA FONTE METODO DE RECOLHA RESPONSÁVEL RECOLHA Número pedidos ADAB por tipo Pacote (*) Número pedidos ADAB por tipo Pacote (*) Número pedidos ADAB por tipo Pacote (*) Lead Time pedidos ADAB por tipo Pacote (*) Canal Dia da semana do pedido Área geográfica Tempo entre pedido do cliente no canal e a criação do registo em SIREL Canal de entrada do pedido (Loja; 16200; Retenção; Canal Escrito) - Campo "FRM_PEDI". 2ª- Feira a Domingo. Caso exista algum feriado nacional considerar como Domingo. - Campo "DT_PEDI" CCO referente á area central do cliente. Campos: "GRP_REDE" & "REDE" & "ESTACAO". Será necessário a análise do padrão dos dados para ver se é possível o cruzamento, caso contrário será por amostragem. Contacto válido fornecido pelo cliente. - Campo "TELEM"; Considera-se contacto válido todos os nºs com 9 algarismos, que não contenham caracteres, e que não tenham 7 algarismos seguidos iguais a começar no terceiro algarismo. Número pedidos ADAB por tipo Pacote (*) % de contactos válidos Número pedidos ADAB por % Cumprimento da data de tipo Pacote (*) instalação acordada Data objectivo em SIREL. Número pedidos ADAB por tipo Pacote (*) Desvio da data acordada Data objectivo em SIREL. Número pedidos ADAB por tipo Pacote (*) Número pedidos ADAB por tipo Pacote (*) Número pedidos ADAB por tipo Pacote (*) Número pedidos ADAB por tipo Pacote (*) Número pedidos ADAB por tipo Pacote (*) Antiguidade do cliente Existência de outras alterações de pacote (anteriores e posteriores) Quantidade pedidos com SMS enviado Quantidade pedidos sem SMS enviado Desvio entre envio SMS e data instalação por tipo de pacote Nº dias lineares entre a data de instalação do serviço e a data do pedido de alteração do pacote. Para o pedido em questão contabilizo o nº pedidos ADAB nos 3 meses anteriores e nos 3 meses posteriores. - As dadas utilizadas são a DT_SIT do pedido. Para uma amostra (2 semanas) validar se todos os pacotes tiveram SMS enviados. Para uma amostra (2 semanas) validar se todos os pacotes tiveram SMS enviados. Diferença em dias entre o envio do SMS e a instalação do pacote. Total ocorrências de Janeiro a Maio 2010 SIREL Total ocorrências de Janeiro a Maio 2010; Se campo "DT_PEDI" incorrectamente utilizado analisar uma amostra de 30 pedidos por canal. SIREL Total ocorrências de Janeiro a Maio 2010 SIREL Se for possível cruzamento entre Portal e Sirel será o total ocorrências de Janeiro a Maio 2010, caso contrário será a amostragem (2 SIREL semanas á escolha). PORTAL Total ocorrências de Janeiro a Maio 2010 SIREL Total ocorrências de Janeiro a Maio 2010 SIREL Total ocorrências de Janeiro a Maio 2010 SIREL Total ocorrências de Janeiro a Maio 2010 SIREL Total ocorrências de Janeiro a Maio 2010 SIREL SIREL vs Todas as ocorrências em 2 semanas LOG a definir SMS Todas as ocorrências em 2 semanas a definir Todas as ocorrências em 2 semanas a definir SIREL vs LOG SMS SIREL vs LOG SMS Link ODBC tabelas SIREL para recolha das requisições. Carlos Silva Link ODBC tabelas SIREL para recolha das requisições. Caso de detecte que o campo "DT_PEDI" não está a ser correctamente preenchido analisar uma amostra de 30 pedidos por canal. Carlos Silva Link ODBC tabelas SIREL para recolha das requisições. Link ODBC tabelas SIREL para recolha das requisições. Listagem pedidos em PORTAL. Link ODBC tabelas SIREL para recolha das requisições. Link ODBC tabelas SIREL para recolha das requisições. Link ODBC tabelas SIREL para recolha das requisições. Link ODBC tabelas SIREL para recolha das requisições. Link ODBC tabelas SIREL para recolha das requisições. Link ODBC tabelas SIREL para recolha das requisições. LOG SMS Link ODBC tabelas SIREL para recolha das requisições. LOG SMS Link ODBC tabelas SIREL para recolha das requisições. LOG SMS Carlos Silva Edgar Henriques Carlos Silva Carlos Silva Carlos Silva Carlos Silva Carlos Silva Edgar Henriques Edgar Henriques Edgar Henriques

17 Capacidade do Processo Analisando as chamadas por pedido de alteração de pacote do meo ADSL (chamadas efectuadas nos 30 dias anteriores e posteriores à referida alteração), constatou-se que o processo assume uma distribuição normal e está controlado mas está fora dos limites de especificação.

18 Capacidade do Processo Para o universo de pedidos de alteração meo ADSL satisfeitos em Outubro 2010, foi assumido que para os cenários em que não existe upgrade de voz os sucessos são todos os pedidos satisfeitos até 2 dias úteis. Para os pedidos em que existe upgrade de voz assumimos para a medição dos sucessos o valor até 5 dias úteis. Esta análise permitiu levantar suspeitas de que existiriam eventos especiais que se repetiam com uma regularidade constante. Estas suspeitas levaram a equipa de projeto a investigar as respectivas causas. (ver slides seguintes)

19 Processo Objectivo Metodologia Lean Six Sigma DEFINE MEASURE ANALYSE IMPROVE CONTROL Definir o Problema ou Oportunidade de melhoria Medir o processo existente Analisar o desempenho actual e causas raiz Melhorar o processo Controlar o novo processo Definir projecto, Champion e o dono do processo. Definir problema, objectivos, metas e benefícios. Mapear o processo (macro). Determinar requisitos do cliente e indicadores de desempenho. Desenvolver o plano de projecto. Mapear o processo. Determinar indicadores críticos do processo. Estabelecer relações causa-efeito, com dados e factos. Desenvolver plano de recolha de dados e plano de amostragem. Validar medições. Medir desempenho actual do processo. Comparar o processo / Benchmarking. Analisar os mapas do processo. Determinar causasraiz, com dados e factos. Testar e validar hipóteses. Desenvolver propostas de melhoria (e alternativas). Avaliar riscos e benefícios das soluções. Validar e implementar a solução seleccionada. Qualificar a eficácia da solução, com dados e factos. Definir controlos adequados. Implementar e validar controlos. Desenvolver plano de transferência (para o dono do processo). Medir / validar benefícios das soluções. Comunicar as alterações e resultados. Fecho formal do projecto.

20 Análise do Mapa do Processo C91 meo SURF 20 meo TOTAL 10 Dezembro 2010 Pedido ADAB Cliente Pedidos: 44/dia Takt = 1 dia / 44 pedidos Objectivo Lead Time : 5 dias úteis Envio SMS Registo pedido OE Manual T/C = 15 min LT = 0 dias Registo pedido OM Manual T/C = 5 min LT = 0 dias Atraso carregamento Configuração pelo BO dos pedidos em SIREL Serviços Algumas medidas implementadas (QWs): - Alertados canais WF - Alteração de BO e definição de SLAs Outubro = 5,5dias => Dezembro = 3,2 dias T/C = 2 dias LT = 3 dias Entrega Telefone SINTRA T/C = 3h40 89% Sucesso entrega Actividade Fecho em SINTRA com necessidade de agendamento Requisição com o cliente Algumas medidas implementadas: - Garantir preenchimento contacto móvel na WF requisição - Listagem diária para gestão da lista de espera T/C = 60 min Outubro = 15 dias => Dezembro = 9 dias LT = 0 dias Rácio VA / VNA = 2,2 / 15,2 * 100 = 14,47% Lead time = 15,2 vs. 5 dias 3,2 dias 0 dias 3 dias 9 dias 0 min 0 dias 15,2 dias 15 min 5 min 2 dias 3h40 min 60 min 2,2 dias Detectada incorrecta utilização do campo DIP na requisição. Medida implementada: - Alertado canais para o significado do campo. Outubro = 87% reqs passaram pelo estado Dezembro = apenas 44% reqs passaram pelo estado 3101 (- 43%) Direcção de Melhoria Contínua e Transformação

21 Testes de hipóteses (#2) Tipo de teste: Hipótese nula (H0): Hipótese alternativa (Ha): Mood s Median Test A duração da alteração do pacote em SIREL não é afectada pelo dia da semana da entrada do pedido alterações dentro de cenários 3P, eliminando outro tipo de variáveis (agendamentos, deslocações técnicos, etc) A duração da alteração do pacote em SIREL depende do dia da semana de entrada do pedido Análise: P-Value 0,000 ; Como o p-value é <0,05, rejeita-se a Ho. Logo há efeito do dia da semana na duração da alteração do pacote. Pela análise dos intervalos de confiança conclui-se que é o Sábado. 3P 3P em Out 2010 representou 53% dos pedidos de alteração

22 Análise de dados 2ª feira 3ª feira 4ª feira 5ª feira 6ª feira Sábado Domingo Pela análise gráfica das diversas fases do SIREL versus os dias da semana de entrada do pedido em SIREL, verificou-se que o atraso se deve ao SAPA (Estado 4005). Para as restantes fases não foram verificadas diferenças entre os diversos dias da semana. Para o estado (Estado 4005), o Sábado foi o único dia a ter uma distribuição significativamente diferente dos restantes dias. Entre 2ª feira e 6ª feira a mediana foi sempre inferior a 0,03 dias, sendo no Domingo de 0,03 dias e no Sábado de 0,77 dias. Esta análise foi efectuada para o cenário C94 (3P 3P) no mês de Outubro 2010.

23 Testes de hipóteses (#4) Tipo de teste: Hipótese nula (H0): Hipótese alternativa (Ha): Chi-Square As chamadas tipificadas com Avaria de Internet não são afectadas pelo dia do mês em que o pedido é inserido em SIREL. A chamadas de cliente tipificadas como Avaria de Internet dependem de se o pedido é inserido em SIREL no início do mês. Análise: P-Value 0,003 ; Como o p-value é <0,05, rejeita-se a Ho. Pedidos inseridos no início do mês em SIREL (até ao dia 05 de cada mês) provocam mais chamadas tipificadas com Avaria de Internet. 1 Reqs inseridas em SIREL até ao dia 5 do mês 2 Reqs inseridas em SIREL nos restantes dias Nota: Análise efectuada apenas para os cenários em que se introduz NET.

24 Testes de hipóteses (#5) Tipo de teste: Hipótese nula (H0): Hipótese alternativa (Ha): Mann-Whitney As requisições com contacto de telemóvel válido não influenciam o tempo de disponibilização do pacote ao cliente (em SIREL) As requisições com contacto de telemóvel válido influenciam o tempo de disponibilização do pacote ao cliente (em SIREL) Análise: P-Value 0,0000 ; Como o p-value é <0,05, rejeita-se a Ho. Para pedidos em que é necessário a disponibilização de telefone ao cliente a não existência de telemóvel de contacto provoca maiores tempos na disponibilização do pacote. Nota: Análise efectuada para cenários em que se introduz VOZ

25 Testes de hipóteses (#6) Tipo de teste: Hipótese nula (H0): Hipótese alternativa (Ha): Mann-Whitney O nº dias necessários para colocar um pedido em SIREL não afecta a quantidade de chamadas, para os clientes que ficam só com SFT. O nº dias necessários para colocar um pedido em SIREL afecta a quantidade de chamadas, para os clientes que ficam só com SFT. Análise: P-Value 0,0274 ; Como o p-value é <0,05, rejeita-se a Ho. Nota: Análise para todos os canais de entrada Para pedidos em que o cliente pede um pacote para migrar do meo ADSL para o SFT a quantidade de chamadas efectuadas depende do nº dias que o pedido demora a ser colocado do CRM em SIREL. Foi efectuada uma análise especifica para o canal de retenção para eliminar a variável de perfil do cliente, uma vez que estes clientes tenderam a fazer mais chamadas em relação ao restantes. Nota: Análise efectuada para o canal de Retenção. Nota: A análise foi efectuada para o limiar de 8 dias, uma vez que para limiares inferiores a quantidade de cenários resolvidos no período a analisar é diminuta.

26 Testes de hipóteses Da análise dos testes de hipóteses efectuados, podemos retirar as seguintes conclusões: Variável Dia semana da entrada pedido em SIREL Momento do mês do pedido Contacto telemóvel válido Atraso carregamento do pedido em SIREL D/C Discreta Discreta Discreta Contínua Duração execução pedido SIREL Contínu a #1; #2 P-value: 0,000 Conclusão: Os pedidos entrados ao Sábado demoram mais tempo a serem satisfeitos em SIREL. n.a. #5 P-value: 0,00 Conclusão: O contacto de telemóvel afecta a disponibilização do pedido para os casos em que existe entrega de telefone ao cliente. n.d. Avarias Internet Discreta n.a. #3; #4 P-value: 0,021 Conclusão: Os pedidos entrados até ao dia 5 de cada mês geram mais avarias de internet n.a. n.d. Chamada s de cliente Discreta n.a. n.a. n.a. #6; #7 P-value: 0,0274 Conclusão: O atraso da colocação do pedido em SIREL provoca um aumento das chamadas de cliente

27 Processo Objectivo Metodologia Lean Six Sigma DEFINE MEASURE ANALYSE IMPROVE CONTROL Definir o Problema ou Oportunidade de melhoria Medir o processo existente Analisar o desempenho actual e causas raiz Melhorar o processo Controlar o novo processo Definir projecto, Champion e o dono do processo. Definir problema, objectivos, metas e benefícios. Mapear o processo (macro). Determinar requisitos do cliente e indicadores de desempenho. Desenvolver o plano de projecto. Mapear o processo. Determinar indicadores críticos do processo. Estabelecer relações causa-efeito, com dados e factos. Desenvolver plano de recolha de dados e plano de amostragem. Validar medições. Medir desempenho actual do processo. Comparar o processo / Benchmarking. Analisar os mapas do processo. Determinar causasraiz, com dados e factos. Testar e validar hipóteses. Desenvolver propostas de melhoria (e alternativas). Avaliar riscos e benefícios das soluções. Validar e implementar a solução seleccionada. Qualificar a eficácia da solução, com dados e factos. Definir controlos adequados. Implementar e validar controlos. Desenvolver plano de transferência (para o dono do processo). Medir / validar benefícios das soluções. Comunicar as alterações e resultados. Fecho formal do projecto.

28 Impact o Redução Chamadas Clientes meo ADSL- Processo de alteração do pacote Acções de melhoria Causa-raíz # Acções Propostas Demora carregamento dos pedidos de Portal SFA em SIREL (1) e (2) 1 Alteração de BO Definição de SLAs (48h média; 96h máximo) 2 Centralização de BOs Estado da Acção (QW) BO Demora no carregamento dos pedidos de CRM em SIREL Retenção (1) e (2) 3 Lançado o Alerta com melhorias imediatas nos tempos de carregamento (QW) 4 Alteração de sistema OE de CRM para Portal SFA (Centralização sistemas OE) Falta do contacto móvel na requisição (1) e (2) 5 Alerta para correcto preenchimento contacto móvel (redução imediata para 17 dias média/ 15 dias mediana para pacotes com introdução SFT) (QW) Campo incorrectamente preenchido com impacto no WF (1) 6 Alertado canais e BOs para significado do impacto da utilização do campo DIP (QW) Performance GSU no aprovisionamento de pacotes internet (2) 7 Alteração no WF entre SIREL, GSU e RADIUS. Atraso na disponibilização de pacotes para pedidos entrados ao Sábado (2) 8 Corrigido problema de sistemas Sistemas Pacotes 3P -> 2P (TV+NET) indevidamente encaminhados para SINTRA (3) Objectivos Envio operacionais de SMS para (métricas) contacto desactualizado (1) 10 9 Corrigido bug nas situações em que o pacote 3P perdia a VOZ e que era indevidamente encaminhado para SINTRA Ficha de cliente não estava a ser actualizada com a requisição, implicando que por vezes o SMS não era enviado para o contacto correcto; também se perdia informação de cliente para CRM. Corrigido bug Gestão Lista Espera Idade média da lista de espera elevada (1) e (3) 11 Melhorada listagem diária com novos campos para a gestão da lista de espera (QW) 12 Criação de tableau semanal para análise de evolução do negócio Pedidos entrados; Pedidos satisfeitos; Lista Espera e chamadas de cliente (1) Causa identificada na análise do processo (VSM) (2) Causa confirmada por testes de hipóteses (3) Causa identificada em Matriz Causa-Efeito

29 Impact o Redução Chamadas Clientes meo ADSL- Processo de alteração do pacote Acções de melhoria Causa-raíz # Acções Propostas Estado da Acção BO Demora no carregamento dos pedidos de Portal SFA em SIREL (1) e (2) Automatização order entry SFA em SIREL (PD8824) Em implementação Incapacidade de anular requisições de alteração de pacote em SINTRA (3) Alterar sistemas de modo a permitir a anulação da requisição Em análise Sistemas Cenários migração meo ADSL para SFT - Atraso no fecho da actividade dependente de actividade de limpeza de fiadores sem valor acrescentado no serviço prestado. (1) Alterado WF SIREL-SINTRA nas Migrações meo ADSL para SFT Em implementação Objectivos operacionais (métricas) (1) Causa identificada na análise do processo (VSM) (2) Causa confirmada por testes de hipóteses (3) Causa identificada em Matriz Causa-Efeito

30 Mapa do Processo VSM (TO BE) C91 meo SURF 20 meo TOTAL 10 To Be Pedido ADAB Cliente Pedidos: 44 /dia Takt = 1 dia / 44 pedidos Objectivo Lead Time : 5 dias úteis Envio SMS Registo pedido OE Registo pedido OM Configuração Serviços Entrega Telefone Fecho Requisição Manual Manual WF SINTRA WF Rácio VA / VNA = 2,2 / 5 * 100 = 44% Lead time = 5 vs. 5 dias T/C = 15 min T/C = 5 min T/C = 2 dias T/C = 2h45 T/C = 60 min LT = 0 dias LT = 0 dias LT = 3 dias 89% Sucesso entrega LT = 0 dias 0 dias 0 dias 2,5 dias 2,5 dias 0 min 0 dias 5 dias 15 min 5 min 2 dias 3h00 min 60 min 2,2 dias Com a automatização order entry SFS em SIREL (PD8824), pretendese eliminar esta etapa de BO. Com a automatização order entry SFS em SIREL (PD8824), poder-se-á retirar da DOI o agendamento com o cliente passando este a ser feito à cabeça Direcção de Melhoria Contínua e Transformação

31 Processo Objectivo Metodologia Lean Six Sigma DEFINE MEASURE ANALYSE IMPROVE CONTROL Definir o Problema ou Oportunidade de melhoria Medir o processo existente Analisar o desempenho actual e causas raiz Melhorar o processo Controlar o novo processo Definir projecto, Champion e o dono do processo. Definir problema, objectivos, metas e benefícios. Mapear o processo (macro). Determinar requisitos do cliente e indicadores de desempenho. Desenvolver o plano de projecto. Mapear o processo. Determinar indicadores críticos do processo. Estabelecer relações causa-efeito, com dados e factos. Desenvolver plano de recolha de dados e plano de amostragem. Validar medições. Medir desempenho actual do processo. Comparar o processo / Benchmarking. Analisar os mapas do processo. Determinar causasraiz, com dados e factos. Testar e validar hipóteses. Desenvolver propostas de melhoria (e alternativas). Avaliar riscos e benefícios das soluções. Validar e implementar a solução seleccionada. Qualificar a eficácia da solução, com dados e factos. Definir controlos adequados. Implementar e validar controlos. Desenvolver plano de transferência (para o dono do processo). Medir / validar benefícios das soluções. Comunicar as alterações e resultados. Fecho formal do projecto.

Six Sigma: Uma ferramenta de gestão

Six Sigma: Uma ferramenta de gestão Six Sigma: Uma ferramenta de gestão de 1.) Introdução Estratégia de gestão que procura melhorar a qualidade dos outputs de um processo, através da identificação e eliminação das causas dos defeitos e variação,

Leia mais

Reengenharia de Processos

Reengenharia de Processos Reengenharia de Processos 1 Enquadramento 2 Metodologia 3 Templates 1 Enquadramento 2 Metodologia 3 Templates Transformação da Administração Pública É necessário transformar a Administração Pública de

Leia mais

O GRUPO AITEC. Breve Apresentação

O GRUPO AITEC. Breve Apresentação O GRUPO AITEC Breve Apresentação Missão Antecipar tendências, identificando, criando e desenvolvendo empresas e ofertas criadoras de valor no mercado mundial das Tecnologias de Informação e Comunicação

Leia mais

Uma plataforma estratégica

Uma plataforma estratégica Publicado: Fevereiro 2007 Autor: Rui Loureiro Sénior Partner Implementar o Help Desk Quando simplesmente pensamos em implementar um Help Desk, isso pode significar uma solução fácil de realizar ou algo

Leia mais

Sistema Nacional de Certificação Energética de Edifícios (SCE) Paulo Santos / ADENE PORTUGAL

Sistema Nacional de Certificação Energética de Edifícios (SCE) Paulo Santos / ADENE PORTUGAL Sistema Nacional de Certificação Energética de Edifícios (SCE) Paulo Santos / ADENE PORTUGAL Inmetro, Brasil, 14 e 15 de Maio 2012 ÍNDICE ADENE - Apresentação Enquadramento e introdução ao SCE Formação

Leia mais

Certificação do software de facturação passa a ser obrigatória a partir de 1 de Janeiro de 2011.

Certificação do software de facturação passa a ser obrigatória a partir de 1 de Janeiro de 2011. NOTÍCIAS Certificação do software de facturação passa a ser obrigatória a partir de 1 de Janeiro de 2011. De acordo com a Portaria n.º 363/2010, de 23 de Junho, todas as empresas com um volume de negócios

Leia mais

BENCHMARKING 2014. Estudo dos niveis de serviço

BENCHMARKING 2014. Estudo dos niveis de serviço BENCHMARKING 2014 Estudo dos niveis de serviço Objetivo do estudo BENCHMARKING 2014 O objectivo deste estudo é conhecer o nível de serviço oferecido pelos fabricantes do grande consumo aos distribuidores,

Leia mais

Projecto Kaizen - DAFCG LIPOR

Projecto Kaizen - DAFCG LIPOR PATROCINADORES OURO Lisboa 28 e 29 Junho 2011 Museu do Oriente Projecto Kaizen - DAFCG LIPOR Apresentação 8 Municípios Área 648 km 2 População 1 milhão habitantes Produção RU (2010) 509.527 ton Capitação

Leia mais

Grupo Pestana. suporta crescimento da área de venda directa no CRM. O Cliente

Grupo Pestana. suporta crescimento da área de venda directa no CRM. O Cliente Grupo Pestana suporta crescimento da área de venda directa no CRM. O trabalho de consolidação de informação permitiu desde logo abrir novas possibilidades de segmentação, com base num melhor conhecimento

Leia mais

Alinhamento de dados com Sync PT Data Pool. Lisboa 2014-03-06

Alinhamento de dados com Sync PT Data Pool. Lisboa 2014-03-06 Alinhamento de dados com Sync PT Data Pool Lisboa 2014-03-06 3 O Alinhamento de dados com a plataforma SYNC PT Data Pool O PROJETO IMPLEMENTAÇÃO O PROCESSO 4 O Alinhamento de dados com a plataforma SYNC

Leia mais

O aumento da força de vendas da empresa

O aumento da força de vendas da empresa PHC dcrm O aumento da força de vendas da empresa O enfoque total na actividade do cliente, através do acesso remoto à informação comercial, aumentando assim a capacidade de resposta aos potenciais negócios

Leia mais

sage Infologia50 Contabilidade

sage Infologia50 Contabilidade Contabilidade Nova Versão SAFT-PT Sage 2008 e Analisador SAFT: Validação, consulta e exploração de dados do ficheiro SAFT. Automatização do CMVMC: Automatização do CMVMC, permitindo a introdução da existência

Leia mais

SGI. Serviço de Gestão de Impressão BOA GESTÃO PARA MELHOR IMPRESSÃO

SGI. Serviço de Gestão de Impressão BOA GESTÃO PARA MELHOR IMPRESSÃO SGI Serviço de Gestão de Impressão BOA GESTÃO PARA MELHOR IMPRESSÃO CONHECE OS CUSTOS DE IMPRESSÃO DA SUA ORGANIZAÇÃO? O actual contexto mundial torna central a necessidade de reequacionar gastos a todos

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE

SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE Objectivos do Curso. No final deste os alunos deverão: Identificar os principais objectivos associados à implementação de Sistemas de Gestão da Qualidade (SGQ) Compreender

Leia mais

Internet vs Agências Tradicionais Vantagens e Desvantagens

Internet vs Agências Tradicionais Vantagens e Desvantagens IV Encontro BCD Travel / Diário Económico Internet vs Agências Tradicionais Vantagens e Desvantagens PERSPECTIVA DE UM CLIENTE Direcção de Serviços de Recursos Humanos 27.05.2009 Este documento é propriedade

Leia mais

Entrega de Folhas de Férias

Entrega de Folhas de Férias Entrega de Folhas de Férias Guia do Utilizador Versão 4.0 Agosto/ 2014 Índice 1. Introdução 2. Criar/ Validar Folhas de Férias 3. Acesso à funcionalidade 4. Inserir/ Consultar Folhas de Férias 5. Comprovativo

Leia mais

ORIENTAÇÃO SOBRE PRINCÍPIOS DE AUDITORIA NP EN ISO 19011:2003. Celeste Bento João Carlos Dória Novembro de 2008

ORIENTAÇÃO SOBRE PRINCÍPIOS DE AUDITORIA NP EN ISO 19011:2003. Celeste Bento João Carlos Dória Novembro de 2008 ORIENTAÇÃO SOBRE PRINCÍPIOS DE AUDITORIA NP EN ISO 19011:2003 Celeste Bento João Carlos Dória Novembro de 2008 1 SISTEMÁTICA DE AUDITORIA - 1 1 - Início da 4 - Execução da 2 - Condução da revisão dos documentos

Leia mais

Gestão por Processos ISO 9001: 2000

Gestão por Processos ISO 9001: 2000 Gestão por Processos 1 2 Existem três tipos de empresas: - as que fazem as coisas acontecer; - as que vêem as coisas acontecer; - as que não fazem ideia do que está a acontecer (Kotler) 3 Para o Sucesso

Leia mais

Qpoint Rumo à Excelência Empresarial

Qpoint Rumo à Excelência Empresarial 2 PRIMAVERA BSS Qpoint Rumo à Excelência Empresarial Numa era em que a competitividade entre as organizações é decisiva para o sucesso empresarial, a aposta na qualidade e na melhoria contínua da performance

Leia mais

O SECTOR A SOLUÇÃO Y.make Num mundo cada vez mais exigente, cada vez mais rápido e cada vez mais competitivo, o papel dos sistemas de informação deixa de ser de obrigação para passar a ser de prioridade.

Leia mais

Secretaria-Geral do MAOT

Secretaria-Geral do MAOT Secretaria-Geral do MAOT Paula Vieira 8 Outubro 2010 SIAP 2010 1 IMPLEMENTAÇÃO DE UMA INTRANET SIAP 2010 2 AGENDA Objectivos do projecto Arranque do projecto Implementação do projecto Resultados: - Conteúdos

Leia mais

Apresentação de Solução

Apresentação de Solução Apresentação de Solução Solução: Gestão de Altas Hospitalares Unidade de negócio da C3im: a) Consultoria e desenvolvimento de de Projectos b) Unidade de Desenvolvimento Área da Saúde Rua dos Arneiros,

Leia mais

Soluções de análise preditiva para optimizar os processos de negócio. João Pequito. Director Geral da PSE

Soluções de análise preditiva para optimizar os processos de negócio. João Pequito. Director Geral da PSE Soluções de análise preditiva para optimizar os processos de negócio João Pequito Director Geral da PSE Soluções de análise preditiva para optimizar os processos de negócio Qualquer instituição tem hoje

Leia mais

NP EN ISO 9001:2000 LISTA DE COMPROVAÇÃO

NP EN ISO 9001:2000 LISTA DE COMPROVAÇÃO NP EN ISO 9001:2000 LISTA DE COMPROVAÇÃO NIP: Nº DO RELATÓRIO: DENOMINAÇÃO DA EMPRESA: EQUIPA AUDITORA (EA): DATA DA VISITA PRÉVIA: DATA DA AUDITORIA: AUDITORIA DE: CONCESSÃO SEGUIMENTO ACOMPANHAMENTO

Leia mais

Estudo de Remuneração 2015

Estudo de Remuneração 2015 2015 SECRETARIAL & MANAGEMENT SUPPORT Temporary & permanent recruitment www.pagepersonnel.pt Editorial Page Personnel ir ao encontro do talento A Page Personnel recruta para os seus clientes os melhores

Leia mais

Plataforma de Compras Electrónicas. Sessão de Apresentação do Projecto

Plataforma de Compras Electrónicas. Sessão de Apresentação do Projecto Plataforma de Compras Electrónicas Sessão de Apresentação do Projecto 16 de Abril de 2007 Dr.ª Rosário Fernandes Estatísticas do Projecto (Fevereiro e Março de 2007) Utilizadores Orgânicas Fornecedores

Leia mais

PHC Workflow CS. O controlo e a automatização de processos internos

PHC Workflow CS. O controlo e a automatização de processos internos PHC Workflow CS O controlo e a automatização de processos internos A solução que permite que um conjunto de acções a executar siga uma ordem pré-definida, de acordo com as normas da empresa, aumentando

Leia mais

Sílvia Pereira Marketing e Comunicação Joana Santos SI de Gestão Estratégica

Sílvia Pereira Marketing e Comunicação Joana Santos SI de Gestão Estratégica Sílvia Pereira Marketing e Comunicação Joana Santos SI de Gestão Estratégica www.quidgest.com quidgest@quidgest.com Quem somos Desenvolvemos SI desde 1988 Trabalhamos com Grandes Empresas e Organismos

Leia mais

Implemente a sua solução de Gestão de Marketing, Vendas e Serviço de Clientes, em menos de 7 dias.

Implemente a sua solução de Gestão de Marketing, Vendas e Serviço de Clientes, em menos de 7 dias. GoldMine QuickStart Implemente a sua solução de Gestão de Marketing, Vendas e Serviço de Clientes, em menos de 7 dias. O GoldMine é uma ferramenta de gestão da relação com os clientes (CRM-Costumer Relationship

Leia mais

O QUE É A CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE?

O QUE É A CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE? 1 O QUE É A CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE? A globalização dos mercados torna cada vez mais evidente as questões da qualidade. De facto a maioria dos nossos parceiros económicos não admite a não qualidade.

Leia mais

PHC dcrm. Aumente o potencial da força de vendas da sua empresa, ao aceder remotamente à informação comercial necessária à sua actividade

PHC dcrm. Aumente o potencial da força de vendas da sua empresa, ao aceder remotamente à informação comercial necessária à sua actividade O módulo PHC dcrm permite aos comerciais da sua empresa focalizar toda a actividade no cliente, aumentando a capacidade de resposta aos potenciais negócios da empresa. PHC dcrm Aumente o potencial da força

Leia mais

Workshop. Maturidade da Governação e Gestão de TI em Portugal. Inquérito Nacional 2011. Mário Lavado itsmf Portugal 11-10-2011

Workshop. Maturidade da Governação e Gestão de TI em Portugal. Inquérito Nacional 2011. Mário Lavado itsmf Portugal 11-10-2011 Workshop Maturidade da Governação e Gestão de TI em Portugal Inquérito Nacional 2011 Mário Lavado itsmf Portugal 11-10-2011 Agenda Apresentação dos resultados do estudo de maturidade do ITSM & ITGovervance

Leia mais

SI Sistema de Informação Anexo 4

SI Sistema de Informação Anexo 4 onselho oordenador omo implementar? No actual quadro da dministração Pública torna-se necessário avaliar o desempenho dos serviços, o que implica, para os gestores públicos, desenvolver (os seus) sistemas

Leia mais

PHC Workflow. Informatize de forma eficaz todos os circuitos e processos de trabalho usados na sua empresa

PHC Workflow. Informatize de forma eficaz todos os circuitos e processos de trabalho usados na sua empresa PHCWorkflow DESCRITIVO O PHC Workflow permite que o conjunto de acções a executar, sigam uma ordem pré- -definida de acordo com as normas da empresa, aumentando a agilidade e produtividade dos colaboradores.

Leia mais

actualização gratuita *para clientes Gnotarium com contrato de manutenção activo.

actualização gratuita *para clientes Gnotarium com contrato de manutenção activo. novidades da versão 4.0 Registo automóvel o Pedido de certidão automóvel o Pedidos de registo automóvel o Estado dos pedidos Registo predial o Pedido de certidão predial o Pedido de depósito o Pedido de

Leia mais

Norma ISO 9000. Norma ISO 9001. Norma ISO 9004 SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE REQUISITOS FUNDAMENTOS E VOCABULÁRIO

Norma ISO 9000. Norma ISO 9001. Norma ISO 9004 SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE REQUISITOS FUNDAMENTOS E VOCABULÁRIO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALDADE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE Norma ISO 9000 Norma ISO 9001 Norma ISO 9004 FUNDAMENTOS E VOCABULÁRIO REQUISITOS LINHAS DE ORIENTAÇÃO PARA MELHORIA DE DESEMPENHO 1. CAMPO

Leia mais

UM ESTUDO DA EVOLUÇÃO HISTÓRICA DOS INDICADORES DAS 500 EMPRESAS MAIS VALIOSAS DO MUNDO E DA POSIÇÃO DOS PAÍSES DO BRICS NO RANKING

UM ESTUDO DA EVOLUÇÃO HISTÓRICA DOS INDICADORES DAS 500 EMPRESAS MAIS VALIOSAS DO MUNDO E DA POSIÇÃO DOS PAÍSES DO BRICS NO RANKING PUC - SP UM ESTUDO DA EVOLUÇÃO HISTÓRICA DOS INDICADORES DAS 5 EMPRESAS MAIS VALIOSAS DO MUNDO E DA POSIÇÃO DOS PAÍSES DO BRICS NO RANKING EDUARDO NOBORU KAWABUCHI MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS

Leia mais

CGA Directa. Manual do Utilizador. Acesso, Adesão e Lista de Subscritores

CGA Directa. Manual do Utilizador. Acesso, Adesão e Lista de Subscritores CGA Directa Manual do Utilizador Acesso, Adesão e Lista de Subscritores Versão 1.00 de 10 de Março de 2008 Índice Pág. Introdução 3 Capítulo 1 Capítulo 2 Capítulo 3 Acesso Acesso 4 Adesão Adesão 5 2.1

Leia mais

CATÁLOGO DE FORMAÇÃO

CATÁLOGO DE FORMAÇÃO CATÁLOGO DE FORMAÇÃO 2009 CATÁLOGO DE FORMAÇÃO INDICE INDICE...2 ÂMBITO...4 1. GESVEN - GESTÃO DE PESSOAL E VENCIMENTOS CGV02 Gestão Base de Cadastro...5 CGV03 Report Writer (Base)...5 CGV04 Processamento

Leia mais

Casos de Estudo nacionais Traduzir a estratégia em ação com o BSC. Joana Miguel Santos

Casos de Estudo nacionais Traduzir a estratégia em ação com o BSC. Joana Miguel Santos Casos de Estudo nacionais Traduzir a estratégia em ação com o BSC Joana Miguel Santos Caso de Sucesso: Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social

Leia mais

PHC Serviços CS. A gestão de processos de prestação de serviços

PHC Serviços CS. A gestão de processos de prestação de serviços PHC Serviços CS A gestão de processos de prestação de serviços A solução que permite controlar diferentes áreas de uma empresa: reclamações e respectivo tratamento; controlo de processos e respectivos

Leia mais

Assunto: DescubraPortugal / Canal de promoções comerciais

Assunto: DescubraPortugal / Canal de promoções comerciais CIRCULAR Nº 021/2009 (G) CP/MS Lisboa, 04 de Março de 2009 Assunto: DescubraPortugal / Canal de promoções comerciais Caro Associado, A campanha Descubra um Portugal Maior, lançada pelo Turismo de Portugal

Leia mais

Soluções de Gestão Integradas SENDYS ERP. Otimize a Gestão do Seu Negócio!

Soluções de Gestão Integradas SENDYS ERP. Otimize a Gestão do Seu Negócio! Soluções de Gestão Integradas SENDYS ERP Otimize a Gestão do Seu Negócio! Universo da Solução de Gestão SENDYS ERP Financeira Recursos Humanos Operações & Logística Comercial & CRM Analytics & Reporting

Leia mais

PHC dcrm. Aumente o potencial da força de vendas da sua empresa ao aceder remotamente à informação comercial necessária à sua actividade

PHC dcrm. Aumente o potencial da força de vendas da sua empresa ao aceder remotamente à informação comercial necessária à sua actividade PHC dcrm DESCRITIVO O módulo PHC dcrm permite aos comerciais da sua empresa focalizar toda a actividade no cliente, aumentando a capacidade de resposta aos potenciais negócios da empresa. PHC dcrm Aumente

Leia mais

RELATÓRIO DE AUDITORIA

RELATÓRIO DE AUDITORIA Entidade Auditada: BIBLIOTECA MUNICIPAL SANTA MARIA DA FEIRA Tipo de Auditoria: Auditoria Interna Data da Auditoria: 09.12.2014 Duração: 1 dia Locais Auditados: Av. Dr. Belchior Cardoso da Costa / 4520-606

Leia mais

Ministério das Finanças Instituto de Informática. Departamento de Sistemas de Informação

Ministério das Finanças Instituto de Informática. Departamento de Sistemas de Informação Ministério das Finanças Instituto de Informática Departamento de Sistemas de Informação Assiduidade para Calendários Específicos Junho 2010 Versão 6.0-2010 SUMÁRIO 1 OBJECTIVO 4 2 ECRÃ ELIMINADO 4 3 NOVOS

Leia mais

OFICIAL DA ORDEM MILITAR DE CRISTO MEDALHA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E BONS SERVIÇOS. Circular n.º 029/2014 PORTAL FPT Abertura aos atletas

OFICIAL DA ORDEM MILITAR DE CRISTO MEDALHA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E BONS SERVIÇOS. Circular n.º 029/2014 PORTAL FPT Abertura aos atletas Circular n.º 029/2014 PORTAL FPT Abertura aos atletas Exmo. Sr. Presidente, Após muitos meses de desenvolvimento e melhorias contínuas na nova plataforma informática onde se inclui o amplamente divulgado

Leia mais

Soluções de Gestão Integradas SENDYS ERP. Otimize a Gestão do Seu Negócio!

Soluções de Gestão Integradas SENDYS ERP. Otimize a Gestão do Seu Negócio! Soluções de Gestão Integradas SENDYS ERP Otimize a Gestão do Seu Negócio! Universo da Solução de Gestão SENDYS ERP Financeira Recursos Humanos Operações & Logística Comercial & CRM Analytics & Reporting

Leia mais

GoWorkFlow Gestão de Processos

GoWorkFlow Gestão de Processos GoWorkFlow Gestão de Processos Desde criar processos a seguir o seu trajeto, esta plataforma permite uma completa gestão do fluxo de informação entre várias entidades A Dimep Europa S.A. é uma empresa

Leia mais

PHC dintranet. A gestão eficiente dos colaboradores da empresa

PHC dintranet. A gestão eficiente dos colaboradores da empresa PHC dintranet A gestão eficiente dos colaboradores da empresa A solução ideal para a empresa do futuro, que necessita de comunicar de modo eficaz com os seus colaboradores, por forma a aumentar a sua produtividade.

Leia mais

MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE

MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE Objectivos gerais do módulo No final do módulo, deverá estar apto a: Definir o conceito de Help Desk; Identificar os diferentes tipos de Help Desk; Diagnosticar

Leia mais

Aplicação da Qualidade. Manual do Utilizador. Versão 1 2006-05-30

Aplicação da Qualidade. Manual do Utilizador. Versão 1 2006-05-30 Aplicação da Qualidade Versão 1 2006-05-30 Índice 1. Introdução 2. Acesso à Aplicação 3. Menu principal 3.1. Processo 3.1.1. Registo da Ocorrência - Fase 1 3.1.2. Análise das Causas - Fase 2 3.1.3. Acção

Leia mais

Auditorias da Qualidade

Auditorias da Qualidade 10 páginas sobre s da Qualidade "Não olhes para longe, despreocupando-se do que tens perto." [ Eurípedes ] VERSÃO: DATA de EMISSÃO: 9-10-2009 AUTOR: José Costa APROVAÇÃO: Maria Merino DESCRIÇÃO: Constitui

Leia mais

Introdução. Confiabilidade. Conformidade. Segurança. Optimização e Disponibilidade

Introdução. Confiabilidade. Conformidade. Segurança. Optimização e Disponibilidade Introdução Desenvolvido segundo um modelo de bases de dados relacionais, podem ser realizadas personalizações à medida de cada empresa, em conformidade com o Sistema de Informação existente e diversas

Leia mais

O ITIL e o Plano de Contingência. Lúcia Cerqueira & António Correia informatica@chts.min-saude.pt

O ITIL e o Plano de Contingência. Lúcia Cerqueira & António Correia informatica@chts.min-saude.pt Lúcia Cerqueira & António Correia informatica@chts.min-saude.pt A Equipa de IT do CHTS,E.P.E. Equipa composta por 12 Elementos Framework ITIL using RT ( linha Servicedesk (1ª e 2ª Reorganização da Equipa

Leia mais

PONTDOC. Sistema de Gestão Documental. Dossier de Produto 02.01.2009 DP10.02. www.pontual.pt UGD 1 de 13

PONTDOC. Sistema de Gestão Documental. Dossier de Produto 02.01.2009 DP10.02. www.pontual.pt UGD 1 de 13 PONTDOC Sistema de Gestão Documental Dossier de Produto DP10.02 02.01.2009 www.pontual.pt UGD 1 de 13 PONTDoc Sistema de Gestão Documental A Pontual A Pontual é uma empresa de capitais 100% nacionais,

Leia mais

Entrega de Folhas de Férias

Entrega de Folhas de Férias Entrega de Folhas de Férias Questões mais frequentes FAQs Maio/2012 Versão 2.0 DDO É obrigatório adoptar o novo formato para envio da informação de Folhas de Férias estabelecido na legislação em vigor

Leia mais

NO ÂMBITO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

NO ÂMBITO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE INTRODUÇÃO Página: / Revisão:0 MANUAL DE FUNÇÕES NO ÂMBITO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE XZ Consultores Direção INTRODUÇÃO Página: / Revisão:0 ÍNDICE CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO 1 Mapa de Controlo das Alterações

Leia mais

Gestão Integrada de Projectos em Carteira. Enquadramento Processo de Gestão de Portfolio Ferramenta de Suporte Cultura Q1

Gestão Integrada de Projectos em Carteira. Enquadramento Processo de Gestão de Portfolio Ferramenta de Suporte Cultura Q1 Gestão Integrada de Projectos em Carteira Enquadramento Processo de Gestão de Portfolio Ferramenta de Suporte Cultura Q1 Enquadramento A Gestão de Projectos tem sido uma aposta forte na PTSI Decorrem em

Leia mais

Manual de utilizador CRM

Manual de utilizador CRM Manual de utilizador CRM Formulário de Login Personalizado de acordo com a sua empresa mantendo a sua imagem corporativa. Utilizador: Admin Password: 123 1 Formulário Principal Este formulário está dividido

Leia mais

Geomarketing Expansão e Desenvolvimento de Negócio. Luis Pera Tiago Paulino Marco Viana

Geomarketing Expansão e Desenvolvimento de Negócio. Luis Pera Tiago Paulino Marco Viana Geomarketing Expansão e Desenvolvimento de Negócio Luis Pera Tiago Paulino Marco Viana Agenda Introdução Conceitos Gerais Orientação ao Negócio Valor Acrescentado do Geomarketing Gerir Forças de Vendas

Leia mais

AVALIAÇÃO DA COBERTURA TDT EM ARRUDA DOS VINHOS. Centro de Monitorização e Controlo do Espectro

AVALIAÇÃO DA COBERTURA TDT EM ARRUDA DOS VINHOS. Centro de Monitorização e Controlo do Espectro AVALIAÇÃO DA COBERTURA TDT EM ARRUDA DOS VINHOS Centro de Monitorização e Controlo do Espectro 12 de Julho de 2011 Em 2011-07-12, e em complemento à análise de cobertura TDT solicitada para efeitos de

Leia mais

GESTÃO DOCUMENTAL. Mapeamento de processos P05 - Gestão Estratégica. Sub-processo Procedimento Gestão Instruções de Trabalho Impressos

GESTÃO DOCUMENTAL. Mapeamento de processos P05 - Gestão Estratégica. Sub-processo Procedimento Gestão Instruções de Trabalho Impressos Actualizado em: 81121 P5 - Gestão Estratégica Sub-processo Procedimento Gestão Instruções de Trabalho Impressos SP3 Planeamento e Revisão do Sistema IT 9 Planeamento e Análise 4 Programa de Objectivos

Leia mais

Optimização do Custo de Sinistros Automóvel através da gestão de prestadores. Lisboa, 07 de Maio de 2008 2008 Accenture. All rights reserved.

Optimização do Custo de Sinistros Automóvel através da gestão de prestadores. Lisboa, 07 de Maio de 2008 2008 Accenture. All rights reserved. Optimização do Custo de Sinistros Automóvel através da gestão de prestadores Lisboa, 07 de Maio de 2008 2008 Accenture. All rights reserved. AGENDA Enquadramento e Oportunidade Caso Prático 2008 Accenture.

Leia mais

Formação Interempresas 2014

Formação Interempresas 2014 Formação Interempresas 2014 Curso Métodos e Tempos Cronograma 2014 Formação Duração 1 Dia Preço/Participant e Contactar a APMI Data 19 de Setembro 2014 Six Sigma - ISO 31000:2009 - Gestão de Risco 1 Dia

Leia mais

WorkinProject 8 Manual de Referência Rápida

WorkinProject 8 Manual de Referência Rápida WorkinProject 8 Manual de Referência Rápida Flagsoft, Lda 2015 Índice 1. Introdução...3 2. Integrador - Interface com o utilizador...4 3. Registo de actividade - Folha de horas...5 4. Agenda e colaboração...7

Leia mais

ARTIGO: SOLUÇÕES PARA O SECTOR AUTARQUIAS in IGOV Maio 2010

ARTIGO: SOLUÇÕES PARA O SECTOR AUTARQUIAS in IGOV Maio 2010 CÂMARA MUNICIPAL DE SANTARÉM - R EVOLUÇÃO ADMINISTRATIVA A Autarquia de Santarém, em parceria com a PT Prime, desenvolveu um sistema de soluções integradas e inter-operantes que lhe possibilitaram operacionalizar

Leia mais

Solução para emissores e receptores de facturas. Carlos César 24 de Junho de 2008

Solução para emissores e receptores de facturas. Carlos César 24 de Junho de 2008 Solução para emissores e receptores de facturas Carlos César 24 de Junho de 2008 1 Agenda 36:,/7,20394/,,.9:7, 0.97 3., 507 3.,!%3,02 88 4/0 3, 02 88 4 $4 : 4!%5,7,02 884708070.0594708 $ 2 Agenda 36:,/7,20394/,,.9:7,

Leia mais

Como Vender em Alemanha Uma acção à medida dos seus interesses

Como Vender em Alemanha Uma acção à medida dos seus interesses Como Vender em Alemanha Uma acção à medida dos seus interesses Ficha de Inscrição Encontre a resposta às suas dúvidas! Identifique a sessão pretendida: Porto AICEP (Rua António Bessa Leite, 1430-2.º andar)

Leia mais

Disciplina: GESTÃO DE PROCESSOS E QUALIDADE Prof. Afonso Celso M. Madeira

Disciplina: GESTÃO DE PROCESSOS E QUALIDADE Prof. Afonso Celso M. Madeira Disciplina: GESTÃO DE PROCESSOS E QUALIDADE Prof. Afonso Celso M. Madeira 3º semestre DEFINIÇÃO Metodologia para a melhoria de processos por toda empresa. Visa obter aprimoramento da qualidade e ganhos

Leia mais

Gestão da Qualidade. Gestão de auditorias internas. 09-12-2009 11:13 Natacha Pereira & Sibila Costa 1 NP EN ISO 19011:2003

Gestão da Qualidade. Gestão de auditorias internas. 09-12-2009 11:13 Natacha Pereira & Sibila Costa 1 NP EN ISO 19011:2003 Gestão da Qualidade Gestão de auditorias internas 09-12-2009 11:13 Natacha Pereira & Sibila Costa 1 NP EN ISO 19011:2003 Linhas de orientação para auditorias a sistema de gestão da qualidade e/ou gestão

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO REMOTA DE EQUIPAMENTOS

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO REMOTA DE EQUIPAMENTOS SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO REMOTA DE EQUIPAMENTOS Sobre a SOL-S e SOLSUNI Fundada em 1992; Integrador de Soluções, com vasta experiência de Tecnologias de Informação, disponibiliza um completo portfolio

Leia mais

SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS

SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS SISTEMA DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA - SIADAP - ANO DE 2015 MISSÃO E OBJECTIVOS DAS UNIDADES ORGÃNICAS DOS SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS DA MAIA, PARA O ANO DE 2015 DIVISÃO ECONÓMICA

Leia mais

MANUAL RÁPIDO DE UTILIZAÇÃO

MANUAL RÁPIDO DE UTILIZAÇÃO Agrupamento de Escolas n.º 2 de Beja Mário Beirão PLATAFORMA GATO:\> GESTÃO DE EQUIPAMENTOS E EQUIPAMENTOS ON LINE MANUAL RÁPIDO DE UTILIZAÇÃO Novembro de 2009 1 O QUE É O GATO:\>? A aplicação das Tecnologias

Leia mais

Rentabilize a sua assistência pós-venda e, em simultâneo, surpreenda os seus clientes com o seu profissionalismo

Rentabilize a sua assistência pós-venda e, em simultâneo, surpreenda os seus clientes com o seu profissionalismo PHC Suporte CS DESCRITIVO O PHC Suporte CS permite a qualquer empresa com assistência a clientes pós-venda, gerir todo o seu parque instalado, a actividade de suporte ao público e a performance e produtividade

Leia mais

Certificação de Sistema de Gestão Relatório de Auditoria

Certificação de Sistema de Gestão Relatório de Auditoria Organização: Morada: Locais Auditados: Certificação de Sistema de Gestão Relatório de Auditoria MUNICÍPIO DE MIRANDELA Sede : Praça do Municipio 5370-288 MIRANDELA Sr. Presidente da Câmara: Eng.º António

Leia mais

PROJECTO DE NORMA REGULAMENTAR

PROJECTO DE NORMA REGULAMENTAR PROJECTO DE NORMA REGULAMENTAR Princípios aplicáveis ao desenvolvimento dos Sistemas de Gestão de Riscos e de Controlo Interno das Empresas de Seguros As melhores práticas internacionais na regulamentação

Leia mais

CURRICULUM VITAE. Desde Janeiro 2006 Responsável pela Unidade de Negócios da Lisboagás para Lisboa e Amadora.

CURRICULUM VITAE. Desde Janeiro 2006 Responsável pela Unidade de Negócios da Lisboagás para Lisboa e Amadora. CURRICULUM VITAE Nome: Nuno Miguel de Campos Matos Vaz Neto Morada: Rua João de Oliveira Miguens, 5-5º C Código Postal e Localidade: 1350-187 Lisboa Nacionalidade: Portuguesa Telefone: +351917765911 E-mail:

Leia mais

COMO LIGAR E CONFIGURAR

COMO LIGAR E CONFIGURAR 1 2 GUIA DE INSTALAÇÃO RÁPIDA COMO LIGAR E CONFIGURAR carregar a bateria O utilizador deverá, em primeiro lugar, carregar a bateria do sistema. A primeira carga deverá ter um tempo ininterrupto de 6 horas.

Leia mais

Manual de Utilizador Aplicação Cliente Web Versão 1.0.00

Manual de Utilizador Aplicação Cliente Web Versão 1.0.00 Manual de Utilizador Aplicação Cliente Web Versão 1.0.00 Edição 1 Agosto 2011 Elaborado por: GSI Revisto e Aprovado por: COM/ MKT Este manual é propriedade exclusiva da empresa pelo que é proibida a sua

Leia mais

COMUNICAÇÃO DE A RTIGOS. Testes de Aceitação

COMUNICAÇÃO DE A RTIGOS. Testes de Aceitação COMUNICAÇÃO DE A RTIGOS Testes de Aceitação 07 de Maio de 2002 Testes de Aceitação Estes testes que são especificados neste documento, servem para verificar a conformidade da aplicação produzida com o

Leia mais

CATÁLOGO DE FORMAÇÃO ACTIO 2015

CATÁLOGO DE FORMAÇÃO ACTIO 2015 Catálogo de Formação ACTIO 2015 Lean - Nível Executivo Lean Production Executivo Manutenção Lean Executivo Six Sigma - Champion Lean - Nível Master Lean Production Master Manutenção Lean Master Lean nos

Leia mais

Por que Lean & Six Sigma?

Por que Lean & Six Sigma? CONTEÚDO DA PALESTRA O O que é LEAN? O O que é Six Sigma? Por que? LEAN LEAN ORIGEM DO LEAN A metodologia Lean já existe há algum tempo: A Ford foi pioneira no início do século XX 33 horas para concluir

Leia mais

Data de adopção. Referência Título / Campo de Aplicação Emissor. Observações

Data de adopção. Referência Título / Campo de Aplicação Emissor. Observações NP ISO 10001:2008 Gestão da qualidade. Satisfação do cliente. Linhas de orientação relativas aos códigos de conduta das organizações CT 80 2008 NP ISO 10002:2007 Gestão da qualidade. Satisfação dos clientes.

Leia mais

Livraria dos Mestres

Livraria dos Mestres Gestão de Projectos Informáticos Livraria dos Mestres 3ª Entrega Empresa B Grupo nº 11 João Maurício nº 53919 Ricardo Carapeto nº 53942 Nuno Almeida nº 53946 Page 1 of 28 Índice 1. Sumário para a Gestão

Leia mais

GESTÃO MUSEOLÓGICA E SISTEMAS DE QUALIDADE Ana Mercedes Stoffel Fernandes Outubro 2007 QUALIDADE E MUSEUS UMA PARCERIA ESSENCIAL

GESTÃO MUSEOLÓGICA E SISTEMAS DE QUALIDADE Ana Mercedes Stoffel Fernandes Outubro 2007 QUALIDADE E MUSEUS UMA PARCERIA ESSENCIAL CADERNOS DE MUSEOLOGIA Nº 28 2007 135 GESTÃO MUSEOLÓGICA E SISTEMAS DE QUALIDADE Ana Mercedes Stoffel Fernandes Outubro 2007 QUALIDADE E MUSEUS UMA PARCERIA ESSENCIAL INTRODUÇÃO Os Sistemas da Qualidade

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FEA - Faculdade de Economia e Administração Programa de Estudos Pós-Graduados em Administração

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FEA - Faculdade de Economia e Administração Programa de Estudos Pós-Graduados em Administração PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FEA - Faculdade de Economia e Administração Programa de Estudos Pós-Graduados em Administração PESQUISA SOCIO-ECONOMICA AO NIVEL MUNICIPAL NO BRASIL focando

Leia mais

INQUÉRITO AOS PARQUES DE CAMPISMO

INQUÉRITO AOS PARQUES DE CAMPISMO INQUÉRITO AOS PARQUES DE CAMPISMO Código: 426 Versão: 1.1 Agosto 2009 INTRODUÇÃO O Inquérito aos Parques de Campismo existe desde 1983 e tem como objectivo caracterizar os parques de campismo no que diz

Leia mais

Empenhamo-nos no que fazemos e fazemos bem

Empenhamo-nos no que fazemos e fazemos bem Empenhamo-nos no que fazemos e fazemos bem Localização: Amadora, Venda Nova, Rua Henrique de Paiva Couceiro (Sede), (onde se encontra o CNO) Colaboradores : Total: Funcionários: 84 Formadores: 58 CNO:

Leia mais

Índice. Como aceder ao serviço de Certificação PME? Como efectuar uma operação de renovação da certificação?

Índice. Como aceder ao serviço de Certificação PME? Como efectuar uma operação de renovação da certificação? Índice Como aceder ao serviço de Certificação PME? Como efectuar uma operação de renovação da certificação? Como efectuar uma operação de confirmação de estimativas? Como aceder ao Serviço de Certificação

Leia mais

Relatório de alterações efectuadas no sistema NetBusiness 2.0

Relatório de alterações efectuadas no sistema NetBusiness 2.0 Net Business Soluções de Software Standard * Contabilidade Geral, Analítica e Orçamental * Salários e Gestão de Recursos Humanos * Gestão de Imobilizado * Gestão de Contas Correntes * Gestão de Stocks

Leia mais

WePeopleValueYourPeople

WePeopleValueYourPeople WePeopleValueYourPeople e info@peoplevalue.com.pt w www.peoplevalue.com.pt Actualizado em 2010Jan14 quem somos? Somos a consultora sua parceira focada nas Pessoas e na sua valorização. Através da especialização

Leia mais

Segurança e Higiene no Trabalho

Segurança e Higiene no Trabalho Guia Técnico Segurança e Higiene no Trabalho Volume III Análise de Riscos um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído sem a expressa

Leia mais

PRIMAVERA BUSINESS SOFTWARE SOLUTIONS, SA

PRIMAVERA BUSINESS SOFTWARE SOLUTIONS, SA PRIMAVERA BUSINESS SOFTWARE SOLUTIONS, SA Introdução Nesta edição do Catálogo de Serviços apresentamos os vários tipos de serviços que compõe a actual oferta da Primavera na área dos serviços de consultoria.

Leia mais

Câmara Municipal de Cascais é uma boa prática no relacionamento com os cidadãos

Câmara Municipal de Cascais é uma boa prática no relacionamento com os cidadãos 27 LEADERSHIP AGENDA a inovação na gestão do relacionamento compensa Câmara Municipal de Cascais é uma boa prática no relacionamento com os cidadãos A participação activa dos cidadãos é vital para a promoção

Leia mais

2) Em Configurações Designação dos Documentos poderá visualizar os tipos de documentos, antes e após a aplicação do Decreto-lei n.

2) Em Configurações Designação dos Documentos poderá visualizar os tipos de documentos, antes e após a aplicação do Decreto-lei n. GESTWARE Vendas \ Pontos de Venda 1) Devem ser criados novos Locais de Venda (tantos quantos os necessários para substituírem os actuais) tendo o cuidado de assinalar a opção [x] Documentos de acordo com

Leia mais

A Profitability Engineers organiza com a Heliflex, nas suas instalações em Aveiro, um conjunto de acções de formação com especial enfoque nas

A Profitability Engineers organiza com a Heliflex, nas suas instalações em Aveiro, um conjunto de acções de formação com especial enfoque nas Formação Interempresas Aveiro 2.º Semestre 2015 1 1 Formação Interempresas 2015 - Aveiro A Profitability Engineers organiza com a Heliflex, nas suas instalações em Aveiro, um conjunto de acções de formação

Leia mais

Procedimento de Gestão PG 01 Gestão do SGQ

Procedimento de Gestão PG 01 Gestão do SGQ Índice 1.0. Objectivo. 2 2.0. Campo de aplicação... 2 3.0. Referências e definições....... 2 4.0. Responsabilidades... 3 5.0. Procedimento... 4 5.1. Política da Qualidade 4 5.2. Processos de gestão do

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE SEGUNDO OS REQUISITOS DA NORMA ISO 9001:2008

SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE SEGUNDO OS REQUISITOS DA NORMA ISO 9001:2008 SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE SEGUNDO OS REQUISITOS DA NORMA ISO 9001:2008 Fernando Teixeira de Abreu, engº Consultor Sénior Iberogestão Jornada da Qualidade para a Administração Pública - UCRE Cabo

Leia mais

As experiências de pagamento são um dos mais fiáveis indicadores sobre o risco de incumprimento de uma empresa.

As experiências de pagamento são um dos mais fiáveis indicadores sobre o risco de incumprimento de uma empresa. Dun-Trade As experiências de pagamento são um dos mais fiáveis indicadores sobre o risco de incumprimento de uma empresa. O que é o DUN-Trade? é um programa de partilha de informação, totalmente gratuito,

Leia mais