PROCEDIMENTOS E CONTROLES INTERNOS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROCEDIMENTOS E CONTROLES INTERNOS"

Transcrição

1 AFI ª 1 / 8 ÍNDICE 1. OBJETIVO ALCANCE ÁREAS ENVOLVIDAS DEFINIÇÃO DE AGENTE AUTÔNOMO DE INVESTIMENTOS AGENTE AUTÔNOMO DE INVESTIMENTOS CÓDIGO DE ÉTICA atuação dos agentes autônomos de investimentos VEDAÇÕES... 5

2 AFI ª 2 / 8 1. OBJETIVO dispõe sobre os procedimentos e regras a serem observados pelos Agentes Autônomos de Investimentos ( AAIs ) vinculados á Walpires S/A Corretora de Câmbio Títulos e Valores Mobiliários ( Walpires Corretora ), na realização de suas atividades operacionais na Instituição. Em atendimento à ICVM nº 497/2011, a Walpires Corretora elaborou está cartilha com o propósito de orientação das atividades de Agente Autônomo de Investimentos, de acordo com as normas internas praticadas e em consonância com a legislação vigente. A Walpires Corretora espera que os Agentes Autônomos de Investimentos, na qualidade de prepostos da mesma, observem elevados padrões éticos de conduta em suas relações com a Corretora, clientes e demais participantes do mercado financeiro. A Corretora tem como compromisso assegurar que as orientações definidas neste documento sejam seguidas. 2. ALCANCE Aplica-se a todos Agentes Autônomos de Investimentos. 3. ÁREAS ENVOLVIDAS Área Comercial, Compliance e Diretoria 4. DEFINIÇÃO DE AGENTE AUTÔNOMO DE INVESTIMENTOS AGENTE AUTÔNOMO DE INVESTIMENTOS Conforme legislação vigente o Agente Autônomo de Investimentos é uma pessoa natural, registrada na forma da Instrução Normativa CVM 497/2011, para realizar, sob a responsabilidade e como preposto da Walpires Corretora, as atividades de:

3 AFI ª 3 / 8 I - prospecção e captação de clientes; II - recepção e registro de ordens e transmissão dessas ordens para os sistemas de negociação ou de registro cabíveis, na forma da regulamentação em vigor; e III - prestação de informações sobre os produtos oferecidos e sobre os serviços prestados pela instituição integrante do sistema de distribuição de valores mobiliário pela qual tenha sido contratado. Os AAIs podem exercer suas atividades por meio de sociedade ou firma individual constituída exclusivamente para esse fim, observando os requisitos da ICVM CÓDIGO DE ÉTICA Postura Requerida pela Walpires Corretora O AAI deve agir com probidade, boa fé e ética profissional, empregando na atividade todo cuidado e diligência esperados de um profissional na sua posição, em relação aos clientes e a Walpires Corretora. Os serviços prestados pelo profissional, na qualidade de agente autônomo de investimento, relacionam-se às atividades de distribuição e mediação de títulos e valores mobiliários, e deverão ser executados de acordo com as normas previstas na regulamentação em vigor e as Políticas Internas da Corretora, respeitando-se as diretrizes relacionadas a seguir: Zelar pela adequada prestação dos serviços à Walpires Corretora, responsabilizando-se pelos atos praticados e as consequências deles advindas, nas atividades exercidas como preposto da Corretora. Gerenciar o seu tempo de modo a permitir o adequado e pronto atendimento ao cliente dentro do horário regular de pregão, de acordo com o mercado de atuação. Conhecer e cumprir as regras constantes nos Manuais Operacionais da BM&FBOVESPA e das Clearing de Ativos (CBLC, Cetip e Selic) relacionadas ao recebimento, execução, registro, distribuição e processamento de ordens emitidas pelos clientes. Conhecer e cumprir as normas do Mercado Financeiro com vistas a garantir a eliminação de conflitos de interesses, a confidencialidade das informações dos clientes e da Corretora, bem como, os princípios de integridade e transparência. Manter as licenças, e competências técnicas (certificações) e o conhecimento necessário ao desenvolvimento das atividades relacionadas à distribuição e mediação de títulos e

4 AFI ª 4 / 8 valores mobiliários considerando-se as peculiaridades dos produtos e mercados de atuação. Conhecer e cumprir as Regras e Parâmetros de Atuação e as Políticas Internas da Corretora, observando todas as regras nelas estabelecidas, incluindo o Código de Ética, à Política Interna de Investimentos e ao Manual de Prevenção e Combate à Lavagem de Dinheiro. Reportar ao Compliance quaisquer negociações que possam representar descumprimento das normas do Mercado Financeiro, da BM&FBOVESPA, das Clearing de Ativos, bem como, das Políticas Internas (a titulo de exemplo, citamos: negociações que possam representar criação, direta ou indiretamente, de condições artificiais de demanda, de oferta ou de preços nos mercados de atuação, bem como atividade irregular e/ou relacionada à lavagem de dinheiro). Assegurar a confidencialidade de seus dados de acesso (login e senha) aos sistemas de informação da Corretora, incluindo sistemas internos e externos, tais como plataformas de negociação, zelando pelo uso próprio e exclusivo dos mesmos. Seguir os procedimentos de KYC (Conheça Seu Cliente) adotados pela Walpires Corretora Observar as regras de Suitability com objetivo de atentar ao perfil de investimento de cada um de seus clientes, de modo a oferecer produtos adequados a cada investidor, esclarecendo sempre os riscos envolvidos CONDIÇÕES A OBSERVAR Ser absolutamente capaz para os atos da vida civil; Estar credenciado e devidamente registrado no site da CVM e Ancord, e certificado pela BM&FBOVESPA na área de conhecimento operacional (Roteiro Básico PQO) e anualmente realizar o treinamento de Prevenção aos Crimes de Lavagem de Dinheiro e Financiamento do Terrorismo. Não possuir títulos protestados em seu nome e não estar incluído como inadimplente no Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundos e em órgãos de proteção ao crédito; Não constar como inadimplente perante os mercados administrados pela Bolsa; Não ter sido condenado ou inabilitado, temporária ou definitivamente, pela BM&FBOVESPA - Supervisão de Mercados (BSM), ou pelo Poder Público Federal,

5 AFI ª 5 / 8 Estadual ou Municipal, em especial o Banco Central do Brasil, a CVM e o Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional, nos últimos 02 (dois) anos; Possuir vínculo de exclusividade com o participante, não podendo prestar serviços a mais de um participante simultaneamente (caso o Profissional seja contratado como agente autônomo sócio de sociedade de agentes autônomos de investimentos, a exclusividade se aplica à Pessoa Jurídica) ATUAÇÃO DOS AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTOS As atividades de prestação de serviços dos Agentes Autônomos de Investimentos estão sujeitas às regras estabelecidas para os demais profissionais que atuam na Walpires; Zelar pelas informações dos clientes e da Walpires Corretora; Assegurar que a pessoa que está emitindo ordens pelo cliente tenha poderes suficientes para tal, devidamente indicados na documentação cadastral e promover a respectiva atualização; Conhecer e assegurar que a forma de emissão de ordem indicada pelo cliente no cadastro está sendo cumprida, quando do recebimento execução de ordens; Reportar ao Departamento de Risco situações que possam representar e/ou configurar inadimplência do cliente junto à Corretora, observada a vedação legal quanto à concessão de qualquer financiamento para operações no mercado de valores mobiliários em condições diversas das previstas na Instrução CVM 51/ VEDAÇÕES É Totalmente VEDADO ao AAI contratado pela Walpires Corretora as seguintes práticas: Manter contrato para a prestação dos serviços com outra instituição integrante do sistema de distribuição de valores mobiliários enquanto contratado pela Walpires Corretora; Receber de clientes ou em nome de clientes, ou a eles entregar, por qualquer razão e inclusive a título de remuneração pela prestação de quaisquer serviços, numerário, títulos ou valores mobiliários ou outros ativos; Ser procurador ou representante de clientes perante qualquer instituição integrante do sistema de distribuição de valores mobiliários, para quaisquer fins; Contratar com clientes ou realizar, ainda que a título gratuito, serviços de administração de carteira de valores mobiliários, consultoria ou análise de valores mobiliários;

6 AFI ª 6 / 8 Atuar como preposto de instituição integrante do sistema de distribuição de valores mobiliários com outra Corretora além da Walpires Corretora; Delegar a terceiros, total ou parcialmente, a execução dos serviços que constituam objeto do contrato celebrado com a Walpires Corretora; Usar senhas ou assinaturas eletrônicas de uso exclusivo do cliente para transmissão de ordens por meio de sistema eletrônico; Confeccionar e enviar para os clientes extratos contendo informações sobre operações realizadas ou posições em aberto. É VEDADO o uso de CELULAR na mesa de Operações. 4.4 PROCEDIMENTOS ESPECIFÍCOS RELACIONADOS Á WALPIRES CORRETORA As relações contratuais com a Walpires Corretora não estabelecem quaisquer vínculos de natureza trabalhista, previdenciária, fiscal ou de acidente de trabalho entre o AAI e a Contratante. Os AAIs vinculados à Walpires Corretora deverão observar os impedimentos previstos pela CVM (Instrução nº 497 art. 13); Os AAIs à Walpires Corretora deverão observar e atender a todos os requisitos previstos no Programa de Qualificação Operacional PQO Roteiro Básico e Específico; Os AAIs vinculados contratualmente à Walpires Corretora deverão atender às Políticas de Controles Internos, amplamente divulgados na Instituição, sendo a Walpires Corretora responsabilizada pelos atos, na condição de preposto; Para os AAIs que tenham solicitado transferência de outra entidade para a Walpires Corretora, e, na ausência de carta de recomendação da Instituição de origem, credenciada/aprovada pela BM&FBOVESPA, deverá ser observado pela Corretora o intervalo de 60 (sessenta) dias para o inicio do exercício das atividades deste profissional. 4.5 MATERIAL PUBLICITÁRIO

7 AFI ª 7 / Quanto à Utilização de Material de Propaganda É NECESSÁRIO ANTES DE MANDAR PARA GRÁFICA E/OU DIVULGAÇÃO, O AAIS DEVERÃO ENCAMINHAR UMA CÓPIA DO MATERIAL PUBLICITÁRIO PARA A APROVAÇÃO DA WALPIRES CORRETORA. Deverão ser prévia e expressamente aprovados pela Walpires Corretora; Deverão fazer referencia expressa à Walpires Corretora como CONTRATANTE, identificando o AAI como CONTRATADO e apresentar os dados de contato da ouvidoria da instituição; No caso de Pessoa Jurídica, deverá ser identificado cada um dos agentes autônomos dela integrantes; Estarão Vedados: A adoção de logotipos ou de sinais distintivos do próprio agente autônomo de investimento ou da PJ de que ele seja sócio, desacompanhados da identificação da Walpires Corretora no sistema de distribuição de valores mobiliários; essa regra se aplica a: Apostilas ou qualquer outro material, ou comunicação ( marketing, folder, publicidade, etc.) Utilizados em cursos e palestras ministrados pelo agente autônomo de investimento ou promovidos pela PJ de que ele seja sócio; Nas páginas na rede mundial de computadores; A adoção de logotipos ou sinais distintivos do próprio Agente Autônomo de Investimentos ou da PJ de que ela seja sócio desacompanhado da identificação da Walpires Corretora, com, no, mínimo, igual destaque; Fazer referência à Walpires Corretora por meio de expressões que dificultem a compreensão da natureza do vínculo existente, como: parceria, ou afiliada ; Comunicação (Voz e Imagem) Execução de Ordens A fim de garantir a integridade do registro de Ordens, a Walpires Corretora utiliza sistema de gravação da totalidade dos diálogos mantidos pelo cliente e sua Mesa de Operações, bem como ordens escritas, ainda que enviadas por sistema de mensagem instantânea, são arquivadas pelo prazo de cinco anos.

8 AFI ª 8 / 8 O sistema de gravação e registro mantido deverá possibilitar a reprodução, como clareza, do diálogo mantido entre o cliente e o Agente Autônomos de Investimentos, contendo ainda todas as informações necessárias para a completa identificação da ordem, do cliente que a tenha emitido, inclusive com data e o horário do início de cada gravação. Considerações Finais A violação a este Manual ou outras Políticas e Procedimentos Internos dará ensejo à ação disciplinar, iniciada e conduzida pelo Compliance. Quanto aos graus de penalidades aplicáveis estes serões estabelecidos pela Diretoria da Walpires Corretora em função da gravidade da ocorrência e em função da reincidência ou não no descumprimento, podendo culminar em rescisão do contrato. A Walpires Disponibiliza este documento na pagina mundial de computadores

Para o exercício de sua atividade o Agente Autônomo de Investimentos deve:

Para o exercício de sua atividade o Agente Autônomo de Investimentos deve: Procedimento Data da última atualização Agente Autônomo de Investimento 02.09.2016 1. Objetivo: Este procedimento visa regular as atividades dos Agentes Autônomos de Investimento no ambiente da Guide Investimentos

Leia mais

Data da última atualização Agente Autônomo de Investimento

Data da última atualização Agente Autônomo de Investimento Procedimento Data da última atualização Agente Autônomo de Investimento 10.05.2017 1. Objetivo: O objetivo deste procedimento é estabelecer as regras e diretrizes das atividades dos Agentes Autônomos de

Leia mais

Data da última atualização Agente Autônomo de Investimento

Data da última atualização Agente Autônomo de Investimento Procedimento Data da última atualização Agente Autônomo de Investimento 10.05.2017 Área Responsável Versão CORRETORA 10 1. Objetivo: O objetivo deste procedimento é estabelecer as regras e diretrizes das

Leia mais

Política de Atuação de Agentes Autônomos de Investimento da Solidus S.A. CCVM

Política de Atuação de Agentes Autônomos de Investimento da Solidus S.A. CCVM Política de Atuação de Agentes Autônomos de Investimento da Solidus S.A. CCVM Revisado e aprovado na Reunião do Comitê de Compliance em 14/03/2017 1. OBJETIVOS O objetivo desta Política é estabelecer os

Leia mais

RELACIONAMENTO COM AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTOS

RELACIONAMENTO COM AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTOS RELACIONAMENTO COM AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTOS Esse documento contém as regras e procedimentos relacionados à atuação da CA Indosuez Wealth (Brazil) S.A Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTO

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTO CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTO Versão 2016. Centro Empresarial Itaú Unibanco Av. Engº Armando Arruda Pereira, 707 Torre Eudoro Villela, 10º andar. 04344-902 - São Paulo SP

Leia mais

Regras de Atuação para Agentes Autônomos. Responsabilidades e Vedações Regulatórias.

Regras de Atuação para Agentes Autônomos. Responsabilidades e Vedações Regulatórias. Regras de Atuação para Agentes Autônomos O presente documento visa estabelecer as regras de conduta e controles internos a serem adotados pelos Agentes Autônomos de Investimento contratados pela Votorantim

Leia mais

REGULAMENTO PARA CREDENCIAMENTO DO FORMADOR DE MERCADO NOS MERCADOS ADMINISTRADOS PELA BM&FBOVESPA

REGULAMENTO PARA CREDENCIAMENTO DO FORMADOR DE MERCADO NOS MERCADOS ADMINISTRADOS PELA BM&FBOVESPA REGULAMENTO PARA CREDENCIAMENTO DO FORMADOR DE MERCADO NOS MERCADOS ADMINISTRADOS PELA BM&FBOVESPA CAPÍTULO I DOS REQUISITOS PARA CREDENCIAMENTO DO FORMADOR DE MERCADO 1. A BM&FBOVESPA, observando o disposto

Leia mais

POLÍTICA DE FISCALIZAÇÃO DE PRESTADORES DE SERVIÇOS

POLÍTICA DE FISCALIZAÇÃO DE PRESTADORES DE SERVIÇOS POLÍTICA DE FISCALIZAÇÃO DE PRESTADORES DE SERVIÇOS Versão 2016.1 Editada em abril de 2016 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 2 2. DA POLÍTICA... 2 2.1. Dos prestadores de serviços... 2 2.2. Atribuições e responsabilidades...

Leia mais

REAG GESTORA DE RECURSOS LTDA.

REAG GESTORA DE RECURSOS LTDA. REAG GESTORA DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE SELEÇÃO, CONTRATAÇÃO E SUPERVISÃO DE GESTORES E FUNDOS DE TERCEIROS PARA ALOCAÇÃO MAIO DE 2017 Página 1 de 5 CAPÍTULO I INTRODUÇÃO APRESENTAÇÃO 1.1. A REAG Gestora

Leia mais

NORMA DE PREVENÇÃO À LAVAGEM DE DINHEIRO E COMBATE AO FINANCIAMENTO DO TERRORISMO NA GESTÃO DE RECURSOS DE TERCEIROS

NORMA DE PREVENÇÃO À LAVAGEM DE DINHEIRO E COMBATE AO FINANCIAMENTO DO TERRORISMO NA GESTÃO DE RECURSOS DE TERCEIROS NORMA DE PREVENÇÃO À LAVAGEM DE DINHEIRO E COMBATE AO FINANCIAMENTO DO TERRORISMO NA GESTÃO DE RECURSOS DE TERCEIROS Versão: setembro/2016 1. OBJETIVO Em conformidade com as diretrizes de Prevenção à Lavagem

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA PARA AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTO

CÓDIGO DE CONDUTA PARA AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTO CÓDIGO DE CONDUTA PARA AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTO O presente Código de Conduta para Agentes Autônomos de Investimento ( Código ) estabelece as principais diretrizes e padrões éticos e de qualidade

Leia mais

Política de Rateio e Divisão de Ordens entre Carteiras de Valores Mobiliários

Política de Rateio e Divisão de Ordens entre Carteiras de Valores Mobiliários CAPÍTULO I INTRODUÇÃO Apresentação 1.1. A ABM Gestora de Recursos Ltda. ( ABM Capital ) é uma sociedade limitada dedicada à prestação de serviços de administração de carteiras de valores mobiliários, notadamente

Leia mais

NÚMERO VERSÃO DATA DE PUBLICAÇÃO 15/09/2016. Descrição: 1. Introdução

NÚMERO VERSÃO DATA DE PUBLICAÇÃO 15/09/2016. Descrição: 1. Introdução TÍTULO Código de Conduta Ética Setorial do Profissional de Mercado Financeiro e de Capitais da Organização Bradesco GESTOR Banco Bradesco S.A. ABRANGÊNCIA Agências, Departamentos, Empresas Ligadas DATA

Leia mais

POLÍTICA DE PREVENÇÃO À LAVAGEM DE DINHEIRO E COMBATE À CORRUPÇÃO

POLÍTICA DE PREVENÇÃO À LAVAGEM DE DINHEIRO E COMBATE À CORRUPÇÃO POLÍTICA DE PREVENÇÃO À LAVAGEM DE DINHEIRO E COMBATE À CORRUPÇÃO > VERSÃO 2 / 8 1. INTRODUÇÃO A Política de Prevenção à Lavagem de Dinheiro e Combate à Corrupção ( Política ) visa promover a adequação

Leia mais

MANUAL DE CADASTRO RBR ASSET MANAGEMENT

MANUAL DE CADASTRO RBR ASSET MANAGEMENT MANUAL DE CADASTRO RBR ASSET MANAGEMENT 1. OBJETIVO 1.1. Este Manual de Cadastro visa atender às exigências da Lei 9.613/98 e suas alterações, bem como da Instrução CVM 301/99, conforme alterada. 1.2.

Leia mais

Administração de Carteiras de Valores Mobiliários

Administração de Carteiras de Valores Mobiliários Administração de Carteiras de Valores I. Objetivo 1. Este Código de Ética de Administração de Carteiras de Valores ( Código de Ética ) comunica os valores e concretiza os deveres que orientam a atuação

Leia mais

MANUAL DO ANALISTA DE VALORES MOBILIÁRIOS

MANUAL DO ANALISTA DE VALORES MOBILIÁRIOS MANUAL DO ANALISTA DE VALORES MOBILIÁRIOS Atualizado em: Jan/12 Última atualização em: Out/13 Este documento rege as atividades desemprenhas pelos Analistas de Valores Mobiliários vinculados a Um Investimentos,

Leia mais

MANUAL DO ANALISTA DE VALORES MOBILIÁRIOS

MANUAL DO ANALISTA DE VALORES MOBILIÁRIOS MANUAL DO ANALISTA DE VALORES MOBILIÁRIOS Este documento vem em atendimento a Instrução CVM 483, de 06 de Julho de 2010, que dispõe sobre a atividade do profissional de Análise de Valores Mobiliários.

Leia mais

MANUAL DO AGENTE AUTÔNOMO DE INVESTIMENTOS

MANUAL DO AGENTE AUTÔNOMO DE INVESTIMENTOS CORRETORA DE VALORES MOBILIÁRIOS E CÂMBIO LTDA MANUAL DO AGENTE AUTÔNOMO DE INVESTIMENTOS Revisado em agosto/2013 Página 1/8 1. CRITÉRIOS BÁSICOS Em atendimento a Instrução CVM 497 de 03 de junho de 2011,

Leia mais

POLÍTICA DE CONSEQUÊNCIA PARA OS PARCEIROS RD 5794/12

POLÍTICA DE CONSEQUÊNCIA PARA OS PARCEIROS RD 5794/12 POLÍTICA DE CONSEQUÊNCIA PARA OS PARCEIROS RD 5794/12 Política de Consequências As reincidências dentro do período estipulado agravarão as penalidades Multa 1 5% sobre remuneração média Mínimo R$ 250,00

Leia mais

Manual de Regras, Procedimentos e Controles Internos Instrução CVM 558

Manual de Regras, Procedimentos e Controles Internos Instrução CVM 558 1. Objetivo A administração de carteiras de valores mobiliários é o exercício profissional de atividades relacionadas, direta ou indiretamente, ao funcionamento, à manutenção e à gestão de uma carteira

Leia mais

Manual de Regras, Procedimentos e Controles Internos

Manual de Regras, Procedimentos e Controles Internos Manual de Regras, Procedimentos e Controles Internos CM CAPITAL MARKETS ASSET MANAGEMENT LTDA. Data de Atualização: 06/2016 Aviso Legal: Este documento pode conter informações confidenciais e/ou privilegiadas.

Leia mais

Controles Internos POLÍTICA DE SIGILO E CONFIDENCIALIDADE

Controles Internos POLÍTICA DE SIGILO E CONFIDENCIALIDADE Controles Internos POLÍTICA DE SIGILO E CONFIDENCIALIDADE 1. O presente Código de Conduta tem também como objetivo estabelecer a política de sigilo e confidencialidade e de proteção propriedade intelectual

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA PARA AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTO INTRODUÇÃO

CÓDIGO DE CONDUTA PARA AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTO INTRODUÇÃO CÓDIGO DE CONDUTA PARA AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTO INTRODUÇÃO Este Código de Conduta para Agentes Autônomos de Investimento ( Código ) estabelece as principais diretrizes e padrões éticos e de qualidade

Leia mais

Administração de Carteiras de Valores Mobiliários ICVM 558 Requisitos para o exercício da atividade Representação Institucional

Administração de Carteiras de Valores Mobiliários ICVM 558 Requisitos para o exercício da atividade Representação Institucional Administração de Carteiras de Valores Mobiliários ICVM 558 Requisitos para o exercício da atividade Representação Institucional Última atualização em 23/03/2016 Sumário/Índice SUMÁRIO/ÍNDICE... 2 ICVM

Leia mais

Norma Permanente Assunto: Política de Proteção da Livre Concorrência Código da Norma: NAD-40 Data da publicação: 01/09/2015

Norma Permanente Assunto: Política de Proteção da Livre Concorrência Código da Norma: NAD-40 Data da publicação: 01/09/2015 Página 1 de 5 Resumo: Estabelece as diretrizes e regras gerais para garantir a proteção da livre concorrência nas atividades da Duratex S.A. e suas subsidiárias (Organização). Índice 1. OBJETIVO 2. ABRANGÊNCIA

Leia mais

Código: MSFC-P-004 Versão: 05 Emissão: 10/2011 Última Atualização em: 02/2016

Código: MSFC-P-004 Versão: 05 Emissão: 10/2011 Última Atualização em: 02/2016 Política de Controles Internos Código: MSFC-P-004 Versão: 05 Emissão: 10/2011 Última Atualização em: 02/2016 OBJETIVO Garantir a aplicação dos princípios e boas práticas da Governança Corporativa, e que

Leia mais

Política de Investimentos Pessoais Pessoas Vinculadas

Política de Investimentos Pessoais Pessoas Vinculadas Política de Investimentos Pessoais Pessoas Vinculadas JURISDIÇÃO GEOGRÁFICA AND BAH BRA ESP ISR LUX MEX MON PAN SUI URU USA X A informação contida neste documento é de uso interno e propriedade do Grupo

Leia mais

POLÍTICA CORPORATIVA DE PREVENÇÃO E COMBATE AO FINANCIAMENTO DO TERRORISMO, À LAVAGEM E À OCULTAÇÃO DE BENS, DIREITOS E VALORES

POLÍTICA CORPORATIVA DE PREVENÇÃO E COMBATE AO FINANCIAMENTO DO TERRORISMO, À LAVAGEM E À OCULTAÇÃO DE BENS, DIREITOS E VALORES POLÍTICA CORPORATIVA DE PREVENÇÃO E COMBATE AO FINANCIAMENTO DO TERRORISMO, À LAVAGEM E À OCULTAÇÃO DE BENS, DIREITOS E VALORES 11/08/2017 INFORMAÇÃO INTERNA SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVO... 3 3

Leia mais

POLÍTICA CORPORATIVA DE PREVENÇÃO E COMBATE AO FINANCIAMENTO DO TERRORISMO, À LAVAGEM E À OCULTAÇÃO DE BENS, DIREITOS E VALORES

POLÍTICA CORPORATIVA DE PREVENÇÃO E COMBATE AO FINANCIAMENTO DO TERRORISMO, À LAVAGEM E À OCULTAÇÃO DE BENS, DIREITOS E VALORES POLÍTICA CORPORATIVA DE PREVENÇÃO E COMBATE AO FINANCIAMENTO DO TERRORISMO, À LAVAGEM E À OCULTAÇÃO DE BENS, DIREITOS E VALORES 13/5/2016 Informação Pública ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 3 2 ESCOPO... 3 3 APLICABILIDADE...

Leia mais

Código de Ética e Padrões de Conduta Profissional

Código de Ética e Padrões de Conduta Profissional Código de Ética e Padrões de Conduta Profissional Samba Investimentos Página1 Este manual de operações estabelece princípios e regras de conduta aplicáveis a todos colaboradores da Samba Investimentos

Leia mais

ALGARVE GESTÃO DE INVESTIMENTOS LTDA.

ALGARVE GESTÃO DE INVESTIMENTOS LTDA. ALGARVE GESTÃO DE INVESTIMENTOS LTDA. POLÍTICA DE CONTRATAÇÃO DE TERCEIROS (SERVIÇOS DE CUSTÓDIA PARA AS CARTEIRAS ADMINISTRADAS SOB GESTÃO E ADMINISTRAÇÃO) JUNHO/2017 1. OBJETO Com relação à administração

Leia mais

MANUAL DE COMPLIANCE

MANUAL DE COMPLIANCE MANUAL DE COMPLIANCE Versão Junho/2016 1. A rigor, o termo compliance, usualmente utilizado para se referir ao conjunto de princípios relacionados aos controles internos, diz respeito muito mais a uma

Leia mais

REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO NOS MERCADOS ORGANIZADOS

REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO NOS MERCADOS ORGANIZADOS REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO NOS Janeiro de 2013 Banco ABC Brasil 1 Página intencionalmente deixada em branco 2 Banco ABC Brasil Sumário 1. Introdução... 4 1.1. REGRAS E PROCEDIMENTOS... 4 1.2. ESCOPO...

Leia mais

Workshop: Monitoração de Práticas Abusivas de Ofertas,

Workshop: Monitoração de Práticas Abusivas de Ofertas, Workshop: Monitoração de Práticas Abusivas de Ofertas, de PLD e de Controles Internos de Suitability 23 de Novembro de 2016 23/11/2016 Confidencial Restrita Confidencial Uso Interno Público Agenda Abertura

Leia mais

POLÍTICA DE CONTRATAÇÃO DE PRESTADORES DE SERVIÇOS

POLÍTICA DE CONTRATAÇÃO DE PRESTADORES DE SERVIÇOS POLÍTICA DE CONTRATAÇÃO DE PRESTADORES DE SERVIÇOS Última atualização: 01/09/2016 EXCLUSIVO PARA USO INTERNO Produzido pelas áreas de Compliance, TI e Administrativo. Aprovado e revisado pelo Comitê de

Leia mais

DIAGNÓSTICOS DA AMÉRICA S.A. NIRE nº CNPJ/MF nº / REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE GENTE

DIAGNÓSTICOS DA AMÉRICA S.A. NIRE nº CNPJ/MF nº / REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE GENTE DIAGNÓSTICOS DA AMÉRICA S.A. NIRE nº 35.300.172.507 CNPJ/MF nº 61.486.650/0001-83 REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE GENTE Este Regimento Interno dispõe sobre os procedimentos necessários ao funcionamento

Leia mais

MANUAL DE COMPLIANCE

MANUAL DE COMPLIANCE MANUAL DE COMPLIANCE Versão: Março/2017 A STS GAEA Capital e Assessoria Ltda. ( GAEA ) elaborou este Manual de Compliance 1 visando definir as rotinas internas que garantam o fiel cumprimento, pelos seus

Leia mais

POLÍTICA DE COMPLIANCE, CONTROLES INTERNOS E CUMPRIMENTO DA INSTRUÇÃO CVM 558/15

POLÍTICA DE COMPLIANCE, CONTROLES INTERNOS E CUMPRIMENTO DA INSTRUÇÃO CVM 558/15 POLÍTICA DE COMPLIANCE, CONTROLES INTERNOS E CUMPRIMENTO DA INSTRUÇÃO CVM 558/15 SOMENTE PARA USO INTERNO Este material foi elaborado pela Atmos Capital Gestão de Recursos Ltda. ( Atmos Capital ou Gestora

Leia mais

BONSUCESSO ASSET ADMINISTRADORA DE RECURSOS LTDA

BONSUCESSO ASSET ADMINISTRADORA DE RECURSOS LTDA ELABORAÇÃO: APROVAÇÃO: COMPLIANCE JULIANA PENTAGNA GUIMARÃES Diretoria da Sociedade LEANDRO SALIBA Diretoria da Sociedade INDICE 1. OBJETIVO... 2 2. APLICAÇÃO... 2 3. POLÍTICAS... 2 4. COMPETÊNCIAS...

Leia mais

Código de Conduta Ética

Código de Conduta Ética Código de Conduta Ética O conjunto de princípios e regras dispostas neste Código de Conduta Ética é imponível a todos os sócios, diretores, empregados, colaboradores e prestadores de serviços que venham,

Leia mais

MANUAL DE COMPLIANCE. OCEANA INVESTIMENTOS ADMINISTRADORA DE CARTEIRA DE VALORES MOBILIÁRIOS LTDA ( Empresa ou Oceana )

MANUAL DE COMPLIANCE. OCEANA INVESTIMENTOS ADMINISTRADORA DE CARTEIRA DE VALORES MOBILIÁRIOS LTDA ( Empresa ou Oceana ) MANUAL DE COMPLIANCE OCEANA INVESTIMENTOS ADMINISTRADORA DE CARTEIRA DE VALORES MOBILIÁRIOS LTDA ( Empresa ou Oceana ) Versão: Junho/2016 I. Introdução: 1. Compliance é uma atividade adotada pelo mercado

Leia mais

POL-006 Política de Investimentos Pessoais

POL-006 Política de Investimentos Pessoais POL-006 Política de Investimentos Pessoais POL-006 Política de Investimentos Pessoais (versão 01/2016) Sumário 1. Objetivo... 1 2. Âmbito de Aplicação... 1 3. Considerações Gerais... 1 4. Vínculos... 1

Leia mais

Manual do Prestador de Serviços

Manual do Prestador de Serviços Manual do Prestador de Serviços Página 1 de 6 Manual do Prestador de Serviços M. Dias Branco S.A. Manual do Prestador de Serviços Página 2 de 6 ÍNDICE Objetivo 3 Abrangência 3 Código de Ética 3 Instruções

Leia mais

Manual de Compliance, Regras, Procedimentos e Controles Internos

Manual de Compliance, Regras, Procedimentos e Controles Internos MANUAL - ECO GESTÃO DE ATIVOS PAG.: 1 de 7 Manual de Compliance, Regras, Procedimentos e MANUAL - ECO GESTÃO DE ATIVOS PAG.: 2 de 7 ÍNDICE 1) Introdução...3 2) Responsabilidade da Área...3 3) Monitoramento

Leia mais

II. Receber dos funcionários os avisos de movimentação nos ativos sujeitos a monitoramento e verificar sua adequação às disposições desta Política;

II. Receber dos funcionários os avisos de movimentação nos ativos sujeitos a monitoramento e verificar sua adequação às disposições desta Política; Sistemas de Controles Internos Categoria: Políticas e Conceitos Gerais Códigos: NCO 01 Título : Política de Investimentos Próprios 1. APRESENTAÇÃO A Icatu Gestão Patrimonial Ltda. ( IGP ), instituição

Leia mais

Portopar DTVM CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA AGENTE AUTÔNOMO DE INVESTIMENTO. Código de Ética e Conduta Agente Autônomo de Investimento 03/02/

Portopar DTVM CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA AGENTE AUTÔNOMO DE INVESTIMENTO. Código de Ética e Conduta Agente Autônomo de Investimento 03/02/ Código de Atuação do Agente Autônomo CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA AGENTE AUTÔNOMO DE INVESTIMENTO 1/10 ÍNDICE 1. OBJETIVO... 3 2. ABRANGÊNCIA... 3 3. DIRETRIZES... 3 4. RESPONSABILIDADES... 3 5. INTRODUÇÃO...

Leia mais

RIV-02 Data da publicação: 02/jun/2017

RIV-02 Data da publicação: 02/jun/2017 Resumo Descreve os componentes do SCI Sistema de Controles Internos da Riviera Investimentos e estabelece as responsabilidades e procedimentos para a sua gestão. Sumário 1. Objetivo...2 2. Público-alvo...2

Leia mais

Elaborado por: Aprovado por: Data de Atualização: Manual de Compliance. Regras, procedimentos e controles internos

Elaborado por: Aprovado por: Data de Atualização: Manual de Compliance. Regras, procedimentos e controles internos Elaborado por: Aprovado por: Data de Atualização: Manual de Compliance Regras, procedimentos e controles internos Versão 02 / Junho de 2016 Índice 1) Introdução... 3 2) Papéis e Responsabilidades... 3

Leia mais

Manual de Normas Cetip I Sistema de Contratos. Cetip I Sistema de Contratos

Manual de Normas Cetip I Sistema de Contratos. Cetip I Sistema de Contratos Cetip I Sistema de Contratos 1 Sumário CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS... 3 Seção I. Objetivo... 3 CAPÍTULO II DAS INFORMAÇÕES... 3 Seção I. Inclusão de Informações pelos Participantes... 3 Seção II.

Leia mais

POLÍTICA DE COMPLIANCE, GESTÃO DE RISCOS E CUMPRIMENTO DA INSTRUÇÃO CVM n 558/15

POLÍTICA DE COMPLIANCE, GESTÃO DE RISCOS E CUMPRIMENTO DA INSTRUÇÃO CVM n 558/15 POLÍTICA DE COMPLIANCE, GESTÃO DE RISCOS E CUMPRIMENTO DA INSTRUÇÃO CVM n 558/15 MOSAICO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. CNPJ 16.954.358/0001-93 SOMENTE PARA USO INTERNO Controle de Versões Versão 1.0

Leia mais

EXPLORITAS ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA LTDA MANUAL DE PREVENÇÃO À LAVAGEM DE DINHEIRO

EXPLORITAS ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA LTDA MANUAL DE PREVENÇÃO À LAVAGEM DE DINHEIRO EXPLORITAS ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA LTDA MANUAL DE PREVENÇÃO À LAVAGEM DE DINHEIRO Janeiro 2016 O NÃO CUMPRIMENTO DESTE MANUAL PODERÁ RESULTAR EM AÇÕES DISCIPLINARES APROPRIADAS, INCLUINDO ADVERTÊNCIAS,

Leia mais

POLÍTICA DE CONFLITO DE INTERESSES. Jul.15

POLÍTICA DE CONFLITO DE INTERESSES. Jul.15 POLÍTICA DE CONFLITO DE INTERESSES Jul.15 1. OBJETIVO 3 2. RESPONSABILIDADES DAS ÁREAS DE RELACIONAMENTO 3 3. IDENTIFICAÇÃO DE CONFLITOS DE INTERESSES 4 4. GESTÃO DE CONFLITOS DE INTERESSES (POTENCIAIS

Leia mais

Cadastro Novo Alteração Cadastral Renovação Cadastral

Cadastro Novo Alteração Cadastral Renovação Cadastral Cadastro Novo Alteração Cadastral Renovação Cadastral DADOS CADASTRAIS DO FUNDO DE INVESTIMENTO (COTISTA) Razão Social do COTISTA (sem abreviações) : Atividade Principal (Código CNAE) País de Constituição

Leia mais

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS 1. CONTEÚDO DESTE DOCUMENTO Este manual contém as diretrizes básicas que devem ser adotadas, seguidas e respeitadas pelos Agentes Autônomos de Investimento (AAI) vinculados a Uniletra Corretora, dispondo

Leia mais

NORMAS DE CONDUTA PARA OS ANALISTAS DE INVESTIMENTOS DA SOLIDUS S.A. CCVM

NORMAS DE CONDUTA PARA OS ANALISTAS DE INVESTIMENTOS DA SOLIDUS S.A. CCVM NORMAS DE CONDUTA PARA OS ANALISTAS DE INVESTIMENTOS DA SOLIDUS S.A. CCVM 1. OBJETIVOS O objetivo das Normas de Conduta é estabelecer os procedimentos necessários para o exercício das atividades dos Analistas

Leia mais

MANUAL DE NORMAS CADASTRAMENTO SIMPLIFICADO DE INVESTIDOR NÃO RESIDENTE

MANUAL DE NORMAS CADASTRAMENTO SIMPLIFICADO DE INVESTIDOR NÃO RESIDENTE MANUAL DE NORMAS CADASTRAMENTO SIMPLIFICADO DE INVESTIDOR NÃO RESIDENTE VERSÃO: 01/7/2008 2/10 MANUAL DE NORMAS CADASTRAMENTO SIMPLIFICADO DE INVESTIDOR NÃO RESIDENTE ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO

Leia mais

POLÍTICA DE RISCO DE LIQUIDEZ

POLÍTICA DE RISCO DE LIQUIDEZ POLÍTICA DE RISCO DE LIQUIDEZ Gerência de Riscos e Compliance Página 1 Sumário 1. Objetivo... 3 2. Organograma... 3 3. Vigência... 4 4. Abrangência... 4 5. Conceito... 5 5.1 Risco de liquidez do fluxo

Leia mais

ÂMBITO E FINALIDADE. Art. 1º A atividade de agente autônomo de investimento é regida pelas normas constantes da presente Instrução.

ÂMBITO E FINALIDADE. Art. 1º A atividade de agente autônomo de investimento é regida pelas normas constantes da presente Instrução. Dispõe sobre a atividade de agente autônomo de investimento e revoga as Instruções CVM nºs 355, de 1º de agosto de 2001, e 366, de 29 de maio de 2002. O PRESIDENTE DA COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS -

Leia mais

Manual de Regras, Procedimentos e Controles Internos

Manual de Regras, Procedimentos e Controles Internos Manual de Regras, Procedimentos e Controles Internos CM CAPITAL MARKETS DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. Data de Atualização: 06/2016 Aviso Legal: Este documento pode conter informações

Leia mais

POLÍTICA DE CADASTRO. Set.16

POLÍTICA DE CADASTRO. Set.16 POLÍTICA DE CADASTRO Set.16 1. INTRODUÇÃO 3 2. ABRANGÊNCIA 3 3. INCLUSÃO CADASTRAL 4 4. ATUALIZAÇÃO CADASTRAL / RENOVAÇÃO CADASTRAL 6 5. TIPOS DE COTISTAS 8 6. PERFIL DE RISCO SUITABILITY 8 7. ENVIO DE

Leia mais

ROTEIRO QUERO SER UMA PLATAFORMA DE CROWDFUNDING

ROTEIRO QUERO SER UMA PLATAFORMA DE CROWDFUNDING BAPTISTA LUZ ADVOGADOS R. Ramos Batista. 444. Vila Olímpia 04552-020. São Paulo SP baptistaluz.com.br ROTEIRO QUERO SER UMA PLATAFORMA DE CROWDFUNDING Para se tornar uma plataforma de crowdfunding de investimento,

Leia mais

REGRAS APLICÁVEIS AOS AGENTES AUTONOMOS DE INVESTIMENTOS NA LEROSA

REGRAS APLICÁVEIS AOS AGENTES AUTONOMOS DE INVESTIMENTOS NA LEROSA Este documento vem em atendimento a Instrução CVM 497, de 03 de junho de 2011 e tem a finalidade de regular as atividades entre os agentes autônomos de investimentos e a LEROSA (ESCRITÓRIO LEROSA S/A CORRETORES

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº º As instituições a que se refere o caput devem:

RESOLUÇÃO Nº º As instituições a que se refere o caput devem: RESOLUÇÃO Nº 3.849 Dispõe sobre a instituição de componente organizacional de ouvidoria pelas instituições financeiras e demais instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil. O Banco

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS Março 2017 Esta política é propriedade da V.S. Serviços Financeiros Ltda. É proibida a cópia, distribuição ou uso indevido deste documento sem expressa autorização da

Leia mais

Sistema de Registro de Garantias sobre Veículos Automotores

Sistema de Registro de Garantias sobre Veículos Automotores Sistema de Registro de Garantias sobre Veículos Automotores Sumário CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS... 3 Seção I - Objetivos... 3 CAPÍTULO II DA INCLUSÃO DE INFORMAÇÕES... 4 Seção I - Informações Objeto

Leia mais

VI - Política de Conflitos de Interesses

VI - Política de Conflitos de Interesses VI - Política de Conflitos de Interesses Nos termos e para os efeitos do disposto no Artigo 309.º-A e seguintes do Código dos Valores Mobiliários, descreve-se, em seguida, a politica de conflitos de interesses

Leia mais

POLÍTICAS QUANTO À COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS POR PARTE DE FUNCIONÁRIOS, DIRETORES E ADMINISTRADORES

POLÍTICAS QUANTO À COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS POR PARTE DE FUNCIONÁRIOS, DIRETORES E ADMINISTRADORES POLÍTICAS QUANTO À COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS POR PARTE DE FUNCIONÁRIOS, DIRETORES E ADMINISTRADORES ÍNDICE I - POLÍTICAS QUANTO À COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS POR PARTE DE FUNCIONÁRIOS,

Leia mais

POLÍTICA DE COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS. Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários

POLÍTICA DE COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS. Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários Versão 2016.1 Editada em Junho de 2016 1. OBJETIVO Esta Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários define os padrões de condutas internas exigidas

Leia mais

O F Í C I O C I R C U L A R. Participantes dos Mercados da BM&FBOVESPA Segmentos BOVESPA e BM&F

O F Í C I O C I R C U L A R. Participantes dos Mercados da BM&FBOVESPA Segmentos BOVESPA e BM&F 11 de abril de 2016 030/2016-DP O F Í C I O C I R C U L A R Participantes dos Mercados da BM&FBOVESPA Segmentos BOVESPA e BM&F Ref.: Credenciamento de Profissionais da Área de Operações Criação das Categorias

Leia mais

MASCARENHAS BARBOSA ROSCOE S/A CONSTRUÇÕES POLÍTICA DE CONTRATAÇÃO DE TERCEIROS

MASCARENHAS BARBOSA ROSCOE S/A CONSTRUÇÕES POLÍTICA DE CONTRATAÇÃO DE TERCEIROS MASCARENHAS BARBOSA ROSCOE S/A CONSTRUÇÕES POLÍTICA DE CONTRATAÇÃO DE TERCEIROS Objetivo Estabelecer regras gerais para os processos de contratação de terceiros e obrigações básicas que devem ser adotadas

Leia mais

P3 Código MANUAL DE CONTROLES INTERNOS FATOR CORRETORA COR-MOC.013. Atividade de Analista de Valores Mobiliários - Inst.

P3 Código MANUAL DE CONTROLES INTERNOS FATOR CORRETORA COR-MOC.013. Atividade de Analista de Valores Mobiliários - Inst. de Analista de Valores Mobiliários - Inst. CVM nº 483 1. CONTEÚDO DESTE DOCUMENTO MANUAL DE CONTROLES INTERNOS Contêm os requisitos e diretrizes básicas para o credenciamento e as responsabilidades de

Leia mais

Sistema de Registro de Garantias sobre Veículos Automotores

Sistema de Registro de Garantias sobre Veículos Automotores Sistema de Registro de Garantias sobre Veículos Automotores Sumário CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS... 3 Seção I - Objetivos... 3 CAPÍTULO II DA INCLUSÃO DE INFORMAÇÕES... 4 Seção I - Informações Objeto

Leia mais

Política de Rateio de Ordem

Política de Rateio de Ordem Política de Rateio de Ordem Área de Gestão de Risco e Compliance 1 I Introdução... 3 II Objetivos... 4 III Princípios... 4 IV Procedimentos... 4 V Responsabilidades... 5 VI Penalidades... 5 2 I Introdução

Leia mais

REGRAS, PROCEDIMENTOS E DESCRIÇÃO DOS CONTROLES INTERNOS. Tutors Multi Family Office Gestão de Patrimônio EIRELI - ME

REGRAS, PROCEDIMENTOS E DESCRIÇÃO DOS CONTROLES INTERNOS. Tutors Multi Family Office Gestão de Patrimônio EIRELI - ME REGRAS, PROCEDIMENTOS E DESCRIÇÃO DOS CONTROLES INTERNOS Tutors Multi Family Office Gestão de Patrimônio EIRELI - ME Sumário I. Introdução... 3 II. Política de Confidencialidade... 4 III. Políticas de

Leia mais

POLÍTICA DE AQUISIÇÃO DE BENS E SERVIÇOS

POLÍTICA DE AQUISIÇÃO DE BENS E SERVIÇOS 13/5/2016 Informação Pública ÍNDICE 1 OBJETIVO... 3 2 ABRANGÊNCIA... 3 3 REFERÊNCIA... 3 4 PRINCÍPIOS... 4 5 DIRETRIZES... 5 6 RESPONSABILIDADES... 6 7 INFORMAÇÕES DE CONTROLE... 8 13/5/2016 Informação

Leia mais

Código de Conduta Ética

Código de Conduta Ética Código de Conduta Ética TERCON INVESTIMENTOS LTDA. Rua Américo Brasiliense, 1765 cj. 32 Chácara Santo Antonio - São Paulo - SP CEP 04715-005 Fone (11) 5181 5841 Código de Conduta Ética O conjunto de princípios

Leia mais

DICAS PARA PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO DE RECLAMAÇÃO AO MRP

DICAS PARA PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO DE RECLAMAÇÃO AO MRP CABEÇALHO: Indicar a cidade e a data de assinatura do formulário. RECLAMANTE: Nome ou Razão Social do investidor RECLAMADA: Razão Social do Participante da BM&FBOVESPA que deu origem ao suposto prejuízo

Leia mais

REGRAS, PROCEDIMENTOS E CONTROLES INTERNOS

REGRAS, PROCEDIMENTOS E CONTROLES INTERNOS REGRAS, PROCEDIMENTOS E CONTROLES INTERNOS Banco Sumitomo Mitsui Brasileiro S.A 1 1. SUMÁRIO Em atendimento a Instrução CVM nº 558, o Banco Sumitomo Mitsui Brasileiro S.A. (doravante denominado simplesmente

Leia mais

GUIA DE PROCEDIMENTOS PARA O CREDENCIAMENTO DE FORMADORES DE MERCADO PARA CONTRATOS DERIVATIVOS

GUIA DE PROCEDIMENTOS PARA O CREDENCIAMENTO DE FORMADORES DE MERCADO PARA CONTRATOS DERIVATIVOS GUIA DE PROCEDIMENTOS PARA O CREDENCIAMENTO DE FORMADORES DE MERCADO PARA CONTRATOS DERIVATIVOS 11/09/2017 INFORMAÇÃO PÚBLICA SUMÁRIO 1 OBJETIVO... 3 2 ATIVIDADE DO FORMADOR DE MERCADO... 3 3 INSTITUIÇÕES

Leia mais

Manual de Normas Internas Páginas:

Manual de Normas Internas Páginas: 1 de 7 Visando manter a SLW Corretora de Valores e Câmbio Ltda., em conformidade com os princípios de Controles Internos de acordo com a Resolução 2554/98 e Circular 3467/09 do Banco Central do Brasil,

Leia mais

SP VENTURES MANUAL DE COMPLIANCE

SP VENTURES MANUAL DE COMPLIANCE SP VENTURES MANUAL DE COMPLIANCE Junho/2016 SP VENTURES GESTORA DE RECURSOS S.A. ( Sociedade ) CNPJ: 09.594.756/0001-80 Av. Brigadeiro Faria Lima, 1.485, 19ª andar, conj. 181 ala oeste Jardim Paulistano,

Leia mais

Banco Safra S.A. Política da Ouvidoria

Banco Safra S.A. Política da Ouvidoria Banco Safra S.A. Política da Ouvidoria 1/5 1. OBJETIVO A Ouvidoria tem a missão de ser um canal eficiente de comunicação entre o cliente e as sociedades componentes do Grupo Safra, buscando a mediação

Leia mais

CETIP S.A. MERCADOS ORGANIZADOS CÓDIGO DE CONDUTA

CETIP S.A. MERCADOS ORGANIZADOS CÓDIGO DE CONDUTA CETIP S.A. MERCADOS ORGANIZADOS CÓDIGO DE CONDUTA. Vigente a partir de 29 de janeiro de 2014. 2 / 11 PRINCÍPIOS GERAIS O Conselho de Administração da Cetip S.A. Mercados Organizados ( Cetip ) tem a convicção

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS. Março 2017

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS. Março 2017 POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS Março 2017 Esta política é propriedade da V.S. Serviços Financeiros Ltda. É proibida a cópia, distribuição ou uso indevido deste documento sem expressa

Leia mais

MANUAL DE NORMAS LCA, CDCA E CRA

MANUAL DE NORMAS LCA, CDCA E CRA MANUAL DE NORMAS LCA, CDCA E CRA VERSÃO: 01/7/2008 2 / 10 MANUAL DE NORMAS LCA - LETRA DE CRÉDITO DO AGRONEGÓCIO, CDCA CERTIFICADO DE DIREITOS CREDITÓRIOS DO AGRONEGÓCIO E CRA - CERTIFICADO DE RECEBÍVEIS

Leia mais

REAG GESTORA DE RECURSOS LTDA. JULHO DE 2016

REAG GESTORA DE RECURSOS LTDA. JULHO DE 2016 REAG GESTORA DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE DISTRIBUIÇÃO DE COTAS E SUITABILITY JULHO DE 2016 1 1. OBJETIVO 1.1. A REAG Gestora de Recursos Ltda. ( REAG Gestora ) não exercerá outras atividades no mercado

Leia mais

MANUAL DE NORMAS SWAP

MANUAL DE NORMAS SWAP MANUAL DE NORMAS SWAP VERSÃO: 01/7/2008 2/8 MANUAL DE NORMAS SWAP ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO SEGUNDO DAS DEFINIÇÕES 3 CAPÍTULO TERCEIRO DOS PARTICIPANTES 5 CAPÍTULO QUARTO DO SWAP

Leia mais

Código de Ética Elaborado em Janeiro de 2016 Atualizado em Junho de 2016 1. INTRODUÇÃO Este Código de Ética estabelece as regras e princípios que nortearão os padrões éticos e de conduta profissional,

Leia mais

Política de. Compliance, Controles Internos e. Prevenção à Lavagem de Dinheiro

Política de. Compliance, Controles Internos e. Prevenção à Lavagem de Dinheiro Política de Compliance, Controles Internos e Prevenção à Lavagem de Dinheiro Documento confidencial - Circulação restrita Compliance e Controles Internos Outubro / 2012 31/12/2015 02 2 ÍNDICE ASSUNTO PAG

Leia mais

Manual de Normas de CIA de Distribuição Pública

Manual de Normas de CIA de Distribuição Pública de Versão: 05/05/2016 Documento Público 2 / 7 MANUAL DE NORMAS CERTIFICADO DE INVESTIMENTO AUDIOVISUAL DE DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA CAPÍTULO I DO OBJETIVO Artigo 1 O presente é instituído pela Cetip S.A. Mercados

Leia mais

POLÍTICA DE RATEIO E DIVISÃO DE ORDENS

POLÍTICA DE RATEIO E DIVISÃO DE ORDENS POLÍTICA DE RATEIO E DIVISÃO DE ORDENS Banco Sumitomo Mitsui Brasileiro S.A Política de Rateio e Divisão de Ordens A política de Rateio e Divisão de Ordens do Banco Sumitomo Mitsui Brasileiro SMBCB estabelece

Leia mais

ANEXO II. Política de Divulgação de Negociação com Valores Mobiliários da Investimentos e Participações em Infra-Estrutura S.A.

ANEXO II. Política de Divulgação de Negociação com Valores Mobiliários da Investimentos e Participações em Infra-Estrutura S.A. ANEXO II Política de Divulgação de Negociação com Valores Mobiliários da Investimentos e Participações em Infra-Estrutura S.A. INVEPAR I. DO OBJETO 1.1. Em atendimento à Instrução da Comissão de Valores

Leia mais

MANUAL DE NORMAS LF LETRA FINANCEIRA OBJETO DE NEGOCIAÇÃO PRIVADA

MANUAL DE NORMAS LF LETRA FINANCEIRA OBJETO DE NEGOCIAÇÃO PRIVADA MANUAL DE NORMAS LF LETRA FINANCEIRA OBJETO DE NEGOCIAÇÃO PRIVADA VERSÃO: 16/03/2012 2/10 MANUAL DE NORMAS LF LETRA FINANCEIRA OBJETO DE NEGOCIAÇÃO PRIVADA ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO

Leia mais

2.1. Esta Política aplica-se a todas as entidades do grupo SOMOS Educação.

2.1. Esta Política aplica-se a todas as entidades do grupo SOMOS Educação. POLÍTICA DE TRANSAÇÕES COM PARTES RELACIONADAS 1. Objetivo 1.1. A presente Política de Transações com Partes Relacionadas ("Política") tem por objetivo estabelecer as regras e os procedimentos a serem

Leia mais

POLÍTICA DE PREVENÇÃO À LAVAGEM DE DINHEIRO

POLÍTICA DE PREVENÇÃO À LAVAGEM DE DINHEIRO POLÍTICA DE PREVENÇÃO À LAVAGEM DE DINHEIRO Sumário INTRODUÇÃO... 3 LAVAGEM DE DINHEIRO... 3 FERRAMENTAS DE COMBATE E PREVENÇÃO AOS CRIMES DE LAVAGEM DE DINHEIRO... 4 KNOW YOUR CLIENT KYC... 5 MONITORAMENTO...

Leia mais