Índice de Preços ao Produtor

Save this PDF as:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Índice de Preços ao Produtor"

Transcrição

1 Diretoria de Pesquisas COIND Índice de Preços ao Produtor Indústrias Extrativas e de Transformação

2 Indústrias Extrativas e de Transformação Resultados Fevereiro de 2017

3 Principais Indicadores Indústria Geral DEZ JAN FEV M/M -1 - Mês contra mês anterior 1,29 0,30-0,43 Acumulado ano 1,71 0,30-0,13 M/M Mês contra mesmo mês do ano anterior 1,71 1,34 1,54

4 Indústria Geral M / M -1 (%) 1,50 1,29 1,00 0,90 0,80 0,50 0,50 0,47 0,30 0,09 0,00-0,50-0,63-0,34-0,57-0,25-0,43-1,00-1,20-1,50 fev/16 mar/16 abr/16 mai/16 jun/16 jul/16 ago/16 set/16 out/16 nov/16 dez/16 jan/17 fev/17

5 Grandes Categorias Econômicas M / M -1 (%) jan/17 fev/17 1,50 1,00 0,95 0,69 0,50 0,30 0,00 0,00-0,50-0,43-0,19-0,30-0,36-0,58-0,58-1,00-0,96-0,76-1,50 IG BK BI BC BCD BCND

6 Grandes Categorias Econômicas Influências M/M -1 e Ponderações (%) Influências (p.p.) Ponderações (%) Grandes Categorias Econômicas JAN FEV JAN FEV Indústria Geral 0,30-0,43 100,00 100,00 Bens de Capital (BK) -0,02-0,03 8,49 8,50 Bens Intermediários (BI) 0,53-0,20 56,06 56,10 Bens de consumo (BC) -0,21-0,21 35,45 35,40 Bens de consumo duráveis (BCD) 0,06 0,00 23,28 23,42 Bens de consumo semiduráveis e não duráveis (BCND) -0,26-0,21 76,72 76,58

7 Grandes Categorias Econômicas M / M -12 (%) 3,000 2,000 1,54 1,73 FEV/17 2,33 2,38 2,31 1,000,000 IG BK BI BC BCD BCND -1,000-2,000-3,000-2,81-4,000

8 Bens de Capital Maiores Influências - Produtos M/M-1 (p.p) Produtos Influência (p.p.) Aviões de peso superior a kg - Motores elétricos + Máquinas e aparelhos para irrigar (uso agrícola) - Medidores de consumo de eletricidade + Tratores agrícolas - Máquinas para colheita - Impressoras, inclusive multifuncionais + Reservatórios de ferro/aço com capacidade entre 50 L e 300 L - Caldeiras, exceto para aquecimento central + Caminhão diesel com capacidade superior a 5t - Demais 32 produtos 0,03-0,33 Variação M/M-1-0,30

9 Bens Intermediários Maiores Influências - Produtos M/M-1 (p.p) Produtos Influência (p.p.) Óleo diesel e outros óleos combustíveis - Óleos brutos de petróleo - Minérios de ferro - Lingotes, blocos, tarugos ou placas de aços ao carbono + Óleo de soja em bruto, mesmo degomado - Açúcar cristal - Açúcar demerara, inclusive açúcar VHP - Bobinas a frio de aços ao carbono, não revestidos + Naftas + Bobinas a quente de aços ao carbono, não revestidos + Demais 159 produtos 0,01-0,37 Variação M/M-1-0,36

10 Bens de Consumo Duráveis Maiores Influências - Produtos M/M-1 (p.p) Produtos Influência (p.p.) Automóveis passageiros, a gasolina, álcool ou bicombustível + Armários modulados de madeira para quartos + Motocicletas com mais de 50cm3 - Ar condicionado exceto veículos - Camas de madeira - Gravador ou reprodutor de sinais de áudio e vídeo - Guarda-roupas de madeira - Máquinas de costura de uso doméstico - Estantes de madeira de uso residencial + Poltronas e sofás de madeira, exceto para escritório + Demais 9 produtos 0,01-0,01 Variação M/M-1 0,00

11 Bens de Consumo Não Duráveis Maiores Influências - Produtos M/M-1 (p.p) Produtos Influência (p.p.) Variação M/M-1 Óleo de soja refinado - Carnes de bovinos frescas ou refrigeradas - Álcool etílico (anidro ou hidratado) - Açúcar refinado de cana + Leite esterilizado / UHT / Longa Vida + Carnes de bovinos congeladas - -0,74 Cervejas e chope - Gasolina automotiva - Carnes e miudezas de aves congeladas + Sabões ou detergentes, exceto líquidos + Demais 84 produtos -0,02-0,76

12 Bens de Capital Maiores Influências - Produtos M/M-12 (p.p) Produtos Influência (p.p.) Aviões de peso superior a kg - Caminhão diesel com capacidade superior a 5t + Tratores agrícolas - Motores elétricos + Medidores de consumo de eletricidade + Compressores p/ aparelhos refriger e de ar rebocáveis + Impressoras, inclusive multifuncionais + Caminhão-trator para reboques e semi-reboques - Veículos p/mercadorias a gasolina/álcool capacidade menor 5t + Silos metálicos para cereais + Demais 32 produtos 0,55-3,36 Variação M/M-12-2,81

13 Bens Intermediários Maiores Influências - Produtos M/M-12 (p.p) Produtos Minérios de ferro + Celulose - Óleos brutos de petróleo + Bobinas a quente de aços ao carbono, não revestidos + Óleo diesel e outros óleos combustíveis + Adubos ou fertilizantes à base de NPK - Açúcar cristal + Naftas + Fumo processado - Cimentos Portland, exceto brancos - Influência (p.p.) 2,18 Demais 159 produtos -0,45 Variação M/M-12 1,73

14 Bens de Consumo Duráveis Maiores Influências - Produtos M/M-12 (p.p) Produtos Influência (p.p.) Automóveis passageiros, a gasolina, álcool ou bicombustível + Poltronas e sofás de madeira, exceto para escritório + Motocicletas com mais de 50cm3 + Camas de madeira - Fogões de cozinha, para uso doméstico + Refrigeradores ou congeladores para uso doméstico - 2,27 Gravador ou reprodutor de sinais de áudio e vídeo + Televisores - Guarda-roupas de madeira + Armários modulados de madeira para quartos + Demais 9 produtos 0,11 Variação M/M-12 2,38

15 Bens de Consumo Não Duráveis Maiores Influências - Produtos M/M-12 (p.p) Produtos Influência (p.p.) Variação M/M-12 Açúcar refinado de cana + Carnes de bovinos frescas ou refrigeradas - Carnes de bovinos congeladas - Telefones celulares - Arroz descascado branqueado, parbolizado ou não + Refrigerantes + 0,60 Medicamentos de uso humano + Álcool etílico (anidro ou hidratado) - Calçados de couro feminino, exceto tênis - Café torrado e moído + Demais 84 produtos 1,71 2,31

16 Atividades Industriais Ponderações (%) Atividades Ponderações (%) JAN FEV 10 - Alimentos 21,67 21, Veículos 11,22 11, Deriv. Petróleo e Biocombustíveis 10,97 10,86 20C - Outros Químicos 9,70 9, Metalurgia 7,81 8, Máquinas e Equipamentos 4,21 4,19 Demais setores 34,42 34,49

17 Atividades Industriais Variação - M / M -1 (%) 19 - Deriv. Petróleo e Biocombustíveis 24 - Metalurgia 18 - Impressão B - Extrativas 20C - Outros Químicos 25 - Metal 28 - Máquinas e Equipamentos 31 - Móveis 29 - Veículos Indústria Geral C - Indústrias de Transformação 22 - Borracha e Plástico 27 - Máquinas, aparelhos e materiais 20B - Perfumaria, sabões e prod Têxteis 11 - Bebidas 15 - Couro 26 - Informática 14 - Vestuário 17 - Papel e celulose 10 - Alimentos 16 - Madeira 30 - Outros Transportes 21 - Farmacêutica 23 - Não-metálicos 12 - Fumo JAN -0,09-0,36-0,60-1,07-1,13-1,13-1,25-1,32-2,23-2,35-2,42-2,54-2,91-3, ,59 2,50 2,05 1,53 1,23 1,23 1,10 0,74 0,30 0,24 0,04 5, Metalurgia 20B - Perfumaria, sabões e prod Máquinas, aparelhos e materiais 13 - Têxteis 14 - Vestuário 22 - Borracha e Plástico 21 - Farmacêutica 26 - Informática 16 - Madeira 29 - Veículos 25 - Metal 20C - Outros Químicos 31 - Móveis C - Indústrias de Transformação Indústria Geral 15 - Couro 17 - Papel e celulose 11 - Bebidas 28 - Máquinas e Equipamentos 23 - Não-metálicos 19 - Deriv. Petróleo e Biocombustíveis 10 - Alimentos 30 - Outros Transportes 12 - Fumo 18 - Impressão B - Extrativas FEV ,06-0,11-0,14-0,26-0,43-0,48-0,74-0,75-0,83-0,90-1,28-1,31-1,96-2,01-2,29 1,27 1,23 1,16 1,00 0,71 0,42 0,31 0,18 0,04 0,02 2,96

18 Maiores Influências Atividades - M / M-1 (p.p.) Atividades JAN FEV 10 - Alimentos -0,48-0, Deriv. Petróleo e Biocombustíveis 0,56-0,14 20C - Outros Químicos 0, Metalurgia 0,19 0,22 B - Extrativas -0,19 Demais Setores -0,11-0,06 Total 0,30-0,43

19 Maiores Influências - Produtos Alimentos Metalurgia Setor Produtos Influência (p.p.) Demais Produtos (p.p) Óleo de soja refinado - Carnes de bovinos frescas ou refrigeradas - Óleo de soja em bruto, mesmo degomado - Açúcar cristal - -1,30 0,00 Lingotes, blocos, tarugos ou placas de aços ao carbono + M / M-1 (p.p.) Bobinas a frio de aços ao carbono, não revestidos + Bobinas a quente de aços ao carbono, não revestidos + Tubos de aços com costura + Óleos brutos de petróleo - Minérios de ferro - Minérios de cobre em bruto ou beneficiados - 1,98-5,06 0,97 0,00 Deriv. Petróleo e Biocombustíveis Extrativas Gás natural - Óleo diesel e outros óleos combustíveis - Álcool etílico (anidro ou hidratado) - Naftas + -1,24-0,04 Gasolina automotiva -

20 Atividades Industriais Acumulado 2017 (Variação %) FEV 24 - Metalurgia 19 - Deriv. Petróleo e Biocombustíveis 20C - Outros Químicos 25 - Metal 27 - Máquinas, aparelhos e materiais elétricos Móveis 20B - Perfumaria, sabões e prod. limpeza 29 - Veículos 22 - Borracha e Plástico 13 - Têxteis 28 - Máquinas e Equipamentos 18 - Impressão C - Indústrias de Transformação -0,02 Indústria Geral -0, Vestuário -0, Informática -0, Couro -1, Bebidas -1, Papel e celulose -2, Farmacêutica -2, Madeira -2,17 B - Extrativas -3, Alimentos -3, Não-metálicos -3, Outros Transportes -4, Fumo -5, ,42 1,25 1,14 0,96 0,90 0,78 0,75 0,55 0,39 0,16 5,62 4,19

21 Maiores Influências Atividades - Acumulado 2017 (p.p.) Atividades JAN FEV 10 - Alimentos -0,48-0, Deriv. Petróleo e Biocombustíveis 0,56 0,42 20C - Outros Químicos 0,14 0, Metalurgia 0,19 0,41 Demais Setores -0,11-0,34 Total 0,30-0,13

22 Maiores Influências - Produtos Acumulado Ano (p.p) Outros Químicos Deriv. Petróleo e Metalurgia Biocombustíveis Alimentos Setor Produtos Influência (p.p.) Demais Produtos (p.p) Açúcar cristal - Resíduos da extração de soja - Óleo de soja refinado - -2,37-1,14 Carnes de bovinos frescas ou refrigeradas - Óleo diesel e outros óleos combustíveis + Naftas + Álcool etílico (anidro ou hidratado) - 4,10 0,09 Querosenes de aviação + Lingotes, blocos, tarugos ou placas de aços ao carbono + Bobinas a quente de aços ao carbono, não revestidos + Bobinas a frio de aços ao carbono, não revestidos + 4,60 1,03 Bobinas ou chapas de aços inoxidáveis, inclusive tiras + Propeno (propileno) não-saturado + Adubos ou fertilizantes à base de NPK + Borracha de estireno-butadieno + 1,14 0,28 PEBD -

23 Atividades Industriais Variação - M/M -12 (%) B - Extrativas 18 - Impressão 20B - Perfumaria, sabões e prod Metalurgia 21 - Farmacêutica 11 - Bebidas 10 - Alimentos 19 - Deriv. Petróleo e Biocombustíveis 13 - Têxteis 31 - Móveis 29 - Veículos 28 - Máquinas e Equipamentos Indústria Geral C - Indústrias de Transformação 27 - Máquinas, aparelhos e materiais 25 - Metal 14 - Vestuário 22 - Borracha e Plástico 26 - Informática 16 - Madeira 15 - Couro JAN ,08-0,21-1,09-1,60-2,09-3,72-7,55-8,14-9,35-10,22-11,10-13, Papel e celulose 23 - Não-metálicos 20C - Outros Químicos 30 - Outros Transportes 12 - Fumo-14,13 12,88 8,62 6,90 5,45 4,79 4,67 3,58 3,26 2,65 2,47 1,94 1,34 60,32 FEV B - Extrativas 18 - Impressão 24 - Metalurgia 20B - Perfumaria, sabões e prod Bebidas 19 - Deriv. Petróleo e Biocombustíveis 21 - Farmacêutica 13 - Têxteis 10 - Alimentos 29 - Veículos 31 - Móveis 27 - Máquinas, aparelhos e materiais Indústria Geral 28 - Máquinas e Equipamentos C - Indústrias de Transformação 22 - Borracha e Plástico -0, Metal -2, Vestuário -3, Informática -3, Madeira -6,15 20C - Outros Químicos -8, Couro -8, Papel e celulose -9, Não-metálicos -10, Fumo-14, Outros Transportes-15, ,87 10,55 9,42 5,91 5,52 4,73 3,56 2,96 2,56 2,20 2,04 1,54 0,92 0,30 52,92

24 Maiores Influências M / M -12 (p.p.) Atividades JAN FEV 10 - Alimentos 0,94 0,60 20C - Outros Químicos -1,18-0, Metalurgia 0,49 0,75 B - Extrativas 1,42 1,24 Demais Setores -0,33-0,13 Total 1,34 1,54

25 Maiores Influências - Produtos M / M -12 (p.p.) Outros Metalurgia Extrativas Químicos Alimentos Setor Produtos Influência (p.p.) Demais Produtos (p.p) Minérios de ferro + Óleos brutos de petróleo + Gás natural - Minérios de cobre em bruto ou beneficiados + Adubos ou fertilizantes à base de NPK - Etileno (eteno) não-saturado - Herbicidas para uso na agricultura - Polipropileno (PP) - Bobinas a quente de aços ao carbono, não revestidos + Bobinas a frio de aços ao carbono, não revestidos + Alumínio não ligado em formas brutas - Lingotes, blocos, tarugos ou placas de aços ao carbono + 52,92-6,27 6,20 0,00-2,63 4,35 Açúcar refinado de cana + Açúcar cristal + Carnes de bovinos frescas ou refrigeradas - Carnes de bovinos congeladas - 1,34 1,62

26 FIM

Índice de Preços ao Produtor

Índice de Preços ao Produtor Diretoria de Pesquisas COIND Índice de Preços ao Produtor Indústrias Extrativas e de Transformação Indústrias Extrativas e de Transformação Resultados Novembro de 2016 Principais Indicadores Indústria

Leia mais

Índice de Preços ao Produtor varia 0,31% em agosto 27/09/2017

Índice de Preços ao Produtor varia 0,31% em agosto 27/09/2017 Índice de Preços ao Produtor varia 0,31% em agosto 27/09/2017 Editoria: Estatísticas Econômicas Produto: Índice de Preços ao Produtor - Indústrias Extrativas e de Transformação Em agosto de 2017, o Índice

Leia mais

Produção Industrial Fevereiro de 2014

Produção Industrial Fevereiro de 2014 Produção Industrial Fevereiro de 2014 Produção Industrial mantém ritmo moderado de crescimento A produção industrial de Santa Catarina cresceu 1,8% em fevereiro, em relação ao mesmo mês do ano anterior.

Leia mais

IGP-M. Janeiro/ de janeiro de Secretaria de Política Econômica

IGP-M. Janeiro/ de janeiro de Secretaria de Política Econômica IGP-M Janeiro/2016 28 de janeiro de 2016 jan 99 jul 99 jan 00 jul 00 jan 01 jul 01 jan 02 jul 02 jan 03 jul 03 jan 04 jul 04 jan 05 jul 05 jan 06 jul 06 jan 07 jul 07 jan 08 jul 08 jan 09 jul 09 jan 10

Leia mais

Produção Industrial Maio de 2014

Produção Industrial Maio de 2014 Produção Industrial Maio de 214 PRODUÇÃO INDU S TRI AL DE SANTA C AT AR INA EM M AIO/14 A produção industrial de Santa Catarina ficou estável em maio (,%), em relação ao mesmo mês do ano anterior. Resultado

Leia mais

Diretoria de Pesquisas COIND. Índice de Preços ao Produtor

Diretoria de Pesquisas COIND. Índice de Preços ao Produtor Diretoria de Pesquisas COIND Índice de Preços ao Produtor Índice de Preços ao Produtor Indústrias de Transformação Resultados Outubro 2012 Principais Indicadores Indústrias de Transformação AGO SET OUT

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Outubro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Outubro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Outubro 2012 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM OUTUBRO Exportações A exportação de produtos básicos registrou queda de 87,3% ante outubro

Leia mais

Outubro de 2013 IGP-M registra variação de 0,86% em outubro Índice Geral de Preços Mercado (IGP-M) IGP-M IGP-M

Outubro de 2013 IGP-M registra variação de 0,86% em outubro Índice Geral de Preços Mercado (IGP-M) IGP-M IGP-M IGP-M registra variação de 0,86% em outubro O Índice Geral de Preços Mercado (IGP-M) variou 0,86%, em outubro. Em setembro, o índice variou 1,50%. Em outubro de 2012, a variação foi de 0,02%. A variação

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Fevereiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Fevereiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Fevereiro 2013 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM FEVEREIRO Exportações Apesar da queda nos embarques para a Argentina (6%), trata-se do melhor

Leia mais

Diretoria de Pesquisas COIND. Índice de Preços ao Produtor

Diretoria de Pesquisas COIND. Índice de Preços ao Produtor Diretoria de Pesquisas COIND Índice de Preços ao Produtor Índice de Preços ao Produtor Indústrias de Transformação Resultados Agosto 2012 Principais Indicadores Indústrias de Transformação JUN JUL AGO

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2012 Unidade de Estudos Econômicos PRINCIPAIS ESTADOS EXPORTADORES NO MÊS jan/11 Part(%) jan/12 Part(%) Var (%) SAO PAULO 3.328 21,9% 3.672 22,7% 10,3% 344

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2015 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM JANEIRO Exportações Além da forte queda da indústria (-18,5%), ressalta-se o fato de que somente

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Setembro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Setembro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Setembro 2012 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM SETEMBRO Exportações A queda de 28% na comparação mensal pode ser explicada por: 1) Dois

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Junho Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Junho Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Junho 2014 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM JUNHO Exportações A forte redução no mês foi causada pela contabilização como exportação da

Leia mais

IGP-M registra variação de 0,33% em abril

IGP-M registra variação de 0,33% em abril Segundo Decêndio Março de 2014 IGP-M registra variação de 0,33% em abril O Índice Geral de Preços Mercado (IGP-M) variou 0,33%, em abril. Em março, o índice variou 0,51%. Em abril de 2015, a variação foi

Leia mais

IGP-M registra variação de 0,51% em março

IGP-M registra variação de 0,51% em março Segundo Decêndio Março de 2014 IGP-M registra variação de 0,51% em março O Índice Geral de Preços Mercado (IGP-M) variou 0,51%, em março. Em fevereiro, o índice variou 1,29%. Em março de 2015, a variação

Leia mais

REVISÃO DA BALANÇA COMERCIAL PARA 2012

REVISÃO DA BALANÇA COMERCIAL PARA 2012 REVISÃO DA BALANÇA COMERCIAL PARA 2012 EXPORTAÇÃO BÁSICOS 108,050 122,457-11,8 INDUSTRIALIZADOS 123,620 128,317-3,7 - Semimanufaturados 32,800 36,026-8,9 - Manufaturados 90,820 92,291-1,6 OPERAÇÕES ESPECIAIS

Leia mais

IGP-M. Outubro/ de outubro de Secretaria de Política Econômica

IGP-M. Outubro/ de outubro de Secretaria de Política Econômica IGP-M Outubro/2015 29 de outubro de 2015 out 98 abr 99 out 99 abr 00 out 00 abr 01 out 01 abr 02 out 02 abr 03 out 03 abr 04 out 04 abr 05 out 05 abr 06 out 06 abr 07 out 07 abr 08 out 08 abr 09 out 09

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA SETEMBRO 2012

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA SETEMBRO 2012 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA SETEMBRO 2012 Período Dias Úteis US$ milhões FOB EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO CORR. COMÉRCIO SALDO Média Média Média Média Valor Valor Valor Valor p/dia útil p/dia útil p/dia útil

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2016 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM JANEIRO Exportações O principal destaque negativo ficou por conta do impacto contracionista

Leia mais

Coeficientes de Exportação e Importação

Coeficientes de Exportação e Importação Coeficientes de Exportação e Importação Divulgação dos Resultados da Indústria Geral e Setorial 1º Trimestre de 2011 Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior Maio de 2011 Objetivos Calcular

Leia mais

IGP-M. Fevereiro/ de fevereiro de Secretaria de Política Econômica

IGP-M. Fevereiro/ de fevereiro de Secretaria de Política Econômica IGP-M Fevereiro/2016 26 de fevereiro de 2016 fev 99 ago 99 fev 00 ago 00 fev 01 ago 01 fev 02 ago 02 fev 03 ago 03 fev 04 ago 04 fev 05 ago 05 fev 06 ago 06 fev 07 ago 07 fev 08 ago 08 fev 09 ago 09 fev

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA ABRIL 2012

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA ABRIL 2012 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA ABRIL 2012 US$ milhões FOB Período Dias Úteis EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO CORR. COMÉRCIO SALDO Média Média Média Média Valor Valor Valor Valor p/dia útil p/dia útil p/dia útil p/dia

Leia mais

PRODUÇÃO INDUSTRIAL EM NOVEMBRO DE 2003:

PRODUÇÃO INDUSTRIAL EM NOVEMBRO DE 2003: PRODUÇÃO INDUSTRIAL EM NOVEMBRO DE 2003: CONDIÇÕES ADVERSAS DO MERCADO INTERNO LIMITAM A RECUPERAÇÃO INDUSTRIAL Segundo o IBGE, em novembro, a produção industrial cresceu 0,8% na comparação com o mês outubro,

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Dezembro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Dezembro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Dezembro 2013 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM 2013 Exportações A contabilização como exportação de três plataformas de petróleo e gás somou

Leia mais

IGP-M. Abril/ de abril de Secretaria de Política Econômica

IGP-M. Abril/ de abril de Secretaria de Política Econômica IGP-M Abril/2016 28 de abril de 2016 abr 99 out 99 abr 00 out 00 abr 01 out 01 abr 02 out 02 abr 03 out 03 abr 04 out 04 abr 05 out 05 abr 06 out 06 abr 07 out 07 abr 08 out 08 abr 09 out 09 abr 10 out

Leia mais

Agosto , , , ,9

Agosto , , , ,9 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA AGOSTO 2010 US$ milhões FOB EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO CORR. COMÉRCIO SALDO Período Dias Valor Média Valor Média Valor Média Valor Média Úteis p/dia útil p/dia útil p/dia útil p/dia

Leia mais

IGP-M. Junho/ de junho de Secretaria de Política Econômica

IGP-M. Junho/ de junho de Secretaria de Política Econômica IGP-M Junho/2016 29 de junho de 2016 jun 99 dez 99 jun 00 dez 00 jun 01 dez 01 jun 02 dez 02 jun 03 dez 03 jun 04 dez 04 jun 05 dez 05 jun 06 dez 06 jun 07 dez 07 jun 08 dez 08 jun 09 dez 09 jun 10 dez

Leia mais

INFORME ESTATÍSTICO DA ECONOMIA BRASILEIRA

INFORME ESTATÍSTICO DA ECONOMIA BRASILEIRA Documento Interno para discussão Nº LC/BRS/R.289/Add.8-9 Agosto-Setembro 2014 Original: Espanhol CEPAL COMISSÃO ECONÔMICA PARA A AMÉRICA LATINA E O CARIBE Escritório em Brasília INFORME ESTATÍSTICO DA

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Julho Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Julho Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Julho 2015 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM JULHO Exportações As exportações da indústria atingiram o nível mais baixo desde 2006 para o

Leia mais

Abril , , , ,2

Abril , , , ,2 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA ABRIL 2010 US$ milhões FOB EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO CORR. COMÉRCIO SALDO Período Dias Valor Média Valor Média Valor Média Valor Média Úteis p/dia útil p/dia útil p/dia útil p/dia

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Agosto Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Agosto Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Agosto 2015 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM AGOSTO Exportações As exportações da indústria registraram o nível mais baixo para o mês desde

Leia mais

Comentários. Em abril/2016, os preços da Indústria Geral (IG) variaram, em. média, - 0,35% quando comparados a março/2016, número superior ao

Comentários. Em abril/2016, os preços da Indústria Geral (IG) variaram, em. média, - 0,35% quando comparados a março/2016, número superior ao Comentários Em abril/2016, os preços da Indústria Geral (IG) variaram, em média, 0,35% quando comparados a março/2016, número superior ao observado na comparação entre março/2016 e fevereiro/16( 1,20%)

Leia mais

Nos últimos 12 meses, a retração da indústria de SC foi de 7,9% e a brasileira de 9%.

Nos últimos 12 meses, a retração da indústria de SC foi de 7,9% e a brasileira de 9%. ABRIL/2016 Sumário Executivo Produção Industrial - Fevereiro 2016 Variação percentual mensal (Base: mês anterior): A indústria catarinense diminuiu a produção em 3,3%, ante uma contração da indústria nacional

Leia mais

Raio-X do Comércio Exterior Brasileiro

Raio-X do Comércio Exterior Brasileiro Raio-X do Comércio Exterior Brasileiro DESTAQUES Déficit recorde do setor de manufaturados: O Brasil fechou o ano de 2010 com o maior déficit comercial de sua história do setor manufatureiro, de US$ 70,9

Leia mais

Produção Industrial Novembro de 2014

Produção Industrial Novembro de 2014 Produção Industrial Novembro de 2014 PRODUÇÃO INDUSTRIAL DE SANTA CATARINA - NOVEMBRO/14 A produção industrial do Estado recuou 3,4% em novembro na comparação com o mesmo mês do ano anterior. Maior queda

Leia mais

Produção Industrial Fevereiro de 2015

Produção Industrial Fevereiro de 2015 Produção Industrial Fevereiro de 201 PRODUÇÃO INDUSTRIAL DE SANTA CATARINA - FEVEREIRO/1 Em fevereiro, a indústria de Santa Catarina produziu 9,% menos na comparação com o mesmo mês do ano anterior. Das

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Brasileiro Tatiana Lacerda Prazeres Secretária de Comércio Exterior

Desempenho do Comércio Exterior Brasileiro Tatiana Lacerda Prazeres Secretária de Comércio Exterior Desempenho do Comércio Exterior Brasileiro -2013 Tatiana Lacerda Prazeres Secretária de Comércio Exterior Resultados de 2013 - MAIO/2013 - Exportação:média diária (US$ 1,04 bi) acima de US$ 1 bilhão; 3ªmaior

Leia mais

ano XVI, n 6, junho de 2012

ano XVI, n 6, junho de 2012 ,, junho de 2012 EM FOCO O índice de preços das exportações apresentou alta de 0,3% em maio na comparação com abril, causada pela evolução positiva em produtos básicos e manufaturados (0,4%). Contudo,

Leia mais

Geografia. O Comércio Exterior do Brasil. Professor Luciano Teixeira.

Geografia. O Comércio Exterior do Brasil. Professor Luciano Teixeira. Geografia O Comércio Exterior do Brasil Professor Luciano Teixeira www.acasadoconcurseiro.com.br Geografia O BRASIL NO COMÉRCIO EXTERIOR O comércio exterior é a troca de bens e serviços realizada entre

Leia mais

Boletim da Balança Comercial do RS Abril de 2016

Boletim da Balança Comercial do RS Abril de 2016 Boletim da Balança Comercial do RS Abril de 2016 Tópicos 1. Exportações do Rio Grande do Sul Abril Setores de atividade CNAE 2.0 Principais destinos 2. Importações do Rio Grande do Sul Abril Setores de

Leia mais

ano IV, n 46 Fevereiro de 2015

ano IV, n 46 Fevereiro de 2015 ano IV, n 46 Fevereiro de 2015 SÍNTESE JANEIRO DE 2015 Em US$ milhões Período Exportações Importações Saldo Janeiro 13.704 16.878-3.174 Variação em relação a Janeiro de 2014-14,5 % -16,0 % 894 Acumulado

Leia mais

Novembro de Nota sobre os resultados da PIM-PF Regional SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL

Novembro de Nota sobre os resultados da PIM-PF Regional SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL Nota sobre os resultados da PIM-PF Regional Novembro de 2013 Em novembro de 2013 a taxa anualizada da produção física da indústria de transformação da Bahia alcançou 6,0%, abaixo da taxa registrada no

Leia mais

Destaques. Julho: Janeiro-Julho: 12 meses (Agosto-Julho):

Destaques. Julho: Janeiro-Julho: 12 meses (Agosto-Julho): Julho / 2012 Destaques Julho: - Exportação: 2º maior valor para julho (exp: US$ 21,0 bi); anterior jul-11 (US$ 22,3 bi); - Importação: 2º maior valor para julho (US$ 18,1 bi); anterior jul-11: US$ 19,1

Leia mais

INFORME ESTATÍSTICO DA ECONOMIA BRASILEIRA

INFORME ESTATÍSTICO DA ECONOMIA BRASILEIRA Documento Interno para discussão Nº LC/BRS/R.289/Add.10-12 Outubro-Dezembro 2014 Original: Espanhol CEPAL COMISSÃO ECONÔMICA PARA A AMÉRICA LATINA E O CARIBE Escritório em Brasília INFORME ESTATÍSTICO

Leia mais

Janeiro 2015 São Paulo, 23 de Fevereiro de 2015 BALANÇA COMERCIAL TEM DÉFICIT DE US$ 3,2 BILHÕES NO PRIMEIRO MÊS DO ANO

Janeiro 2015 São Paulo, 23 de Fevereiro de 2015 BALANÇA COMERCIAL TEM DÉFICIT DE US$ 3,2 BILHÕES NO PRIMEIRO MÊS DO ANO Janeiro 2015 São Paulo, 23 de Fevereiro de 2015 BALANÇA COMERCIAL TEM DÉFICIT DE US$ 3,2 BILHÕES NO PRIMEIRO MÊS DO ANO A balança comercial brasileira iniciou 2015 com um déficit de US$ 3,2 bilhões em

Leia mais

Fevereiro 2012 Déficit dobrou no primeiro bimestre do ano: Desempenho das exportações aprofunda déficit no acumulado de janeiro a fevereiro de 2012:

Fevereiro 2012 Déficit dobrou no primeiro bimestre do ano: Desempenho das exportações aprofunda déficit no acumulado de janeiro a fevereiro de 2012: Fevereiro 2012 Déficit dobrou no primeiro bimestre do ano: na comparação com os dois primeiros meses de 2011, o déficit comercial com a China cresceu 113%, saindo de US$ 700 milhões para US$ 1,6 bilhão.

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL ACUMULA SUPERÁVIT DE US$ 13,4 BILHÕES EM 2015

BALANÇA COMERCIAL ACUMULA SUPERÁVIT DE US$ 13,4 BILHÕES EM 2015 São Paulo, 18 de dezembro de 2015 Novembro 2015 BALANÇA COMERCIAL ACUMULA SUPERÁVIT DE US$ 13,4 BILHÕES EM 2015 Em novembro, a corrente de comércio brasileira totalizou US$ 335,3 bilhões, o que significou

Leia mais

A INDÚSTRIA EM NÚMEROS

A INDÚSTRIA EM NÚMEROS A INDÚSTRIA EM NÚMEROS Fevereiro/2017 1. Desempenho conjuntural da indústria Principais indicadores da indústria Variável Dez16/Nov16 (%) dessaz. Dez16/Dez15 (%) Taxa acumulada nos últimos 12 meses; até

Leia mais

Comentários. Em fevereiro/2016, os preços da Indústria Geral (IG) variaram, em média, - 0,58% quando comparados a janeiro/2016, número inferior ao

Comentários. Em fevereiro/2016, os preços da Indústria Geral (IG) variaram, em média, - 0,58% quando comparados a janeiro/2016, número inferior ao Comentários Em fevereiro/2016, os preços da Indústria Geral (IG) variaram, em média, - 0,58% quando comparados a janeiro/2016, número inferior ao observado na comparação entre janeiro/2016 e dezembro/15(0,68%)

Leia mais

Coeficientes de Exportação e Importação

Coeficientes de Exportação e Importação Coeficientes de Exportação e Importação Resultados de 2011 Roberto Giannetti da Fonseca Diretor Titular São Paulo, 07 de fevereiro de 2012 Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior -

Leia mais

de Setembro de n 483

de Setembro de n 483 483 http://www.iedi.org.br/ instituto@iedi.org.br 2 de Setembro de 2011 - n 483 Veja também Produção Industrial em Julho de 2011: Perda de Ritmo2 de Setembro no site de 2011 do IEDI - nº Em julho, a produção

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL ACUMULA SUPERÁVIT DE US$ 4,0 BILHÕES NO PRIMEIRO BIMESTRE DO ANO

BALANÇA COMERCIAL ACUMULA SUPERÁVIT DE US$ 4,0 BILHÕES NO PRIMEIRO BIMESTRE DO ANO São Paulo, 20 de março de 2016 Fevereiro 2016 BALANÇA COMERCIAL ACUMULA SUPERÁVIT DE US$ 4,0 BILHÕES NO PRIMEIRO BIMESTRE DO ANO Em fevereiro, a corrente de comércio brasileira totalizou US$ 23,7 bilhões,

Leia mais

Produção Industrial Julho de 2014

Produção Industrial Julho de 2014 Produção Industrial Julho de 2014 PRODUÇÃO INDUSTRIAL DE SANTA CATARINA EM JULHO/14 A produção da indústria catarinense recuou 2,7% em julho, enquanto a produção brasileira teve queda de 3,6%, ambos sobre

Leia mais

Números de Empresas e Emprego Industrial

Números de Empresas e Emprego Industrial 1 1 Números de Empresas e Emprego Industrial DEPECON/FIESP 08/08/2005 2 2 A FIESP consultou o Cadastro de Estabelecimentos e Empresas referente à sua parte industrial (Min. do Trabalho e Emprego) resultando

Leia mais

São Paulo, 19 de março de 2013.

São Paulo, 19 de março de 2013. São Paulo, 19 de março de 2013. Fevereiro 2013 Déficit com a China cresce cerca de 60% em fevereiro: a balança comercial brasileira com o país asiático registrou saldo negativo de US$ 0,8 bilhões um aumento

Leia mais

Boletim da Balança Comercial do RS Maio de 2016

Boletim da Balança Comercial do RS Maio de 2016 Boletim da Balança Comercial do RS Maio de 2016 Tópicos 1. Exportações do Rio Grande do Sul Maio Setores de atividade CNAE 2.0 Principais destinos 2. Importações do Rio Grande do Sul Maio Setores de destaque

Leia mais

Abril 2015 São Paulo, 19 de maio de 2015 BALANÇA COMERCIAL REGISTRA NOVO SUPERÁVIT EM ABRIL

Abril 2015 São Paulo, 19 de maio de 2015 BALANÇA COMERCIAL REGISTRA NOVO SUPERÁVIT EM ABRIL Abril 2015 São Paulo, 19 de maio de 2015 BALANÇA COMERCIAL REGISTRA NOVO SUPERÁVIT EM ABRIL A balança comercial brasileira registou superávit de pouco mais de US$ 500 milhões em abril, próximo ao resultado

Leia mais

A INDÚSTRIA EM NÚMEROS

A INDÚSTRIA EM NÚMEROS A INDÚSTRIA EM NÚMEROS Dezembro/2017 1. Desempenho conjuntural da indústria Principais indicadores da indústria Variável Out17/Set17 (%) dessaz. Out17/Out16 (%) Taxa acumulada nos últimos 12 meses; até

Leia mais

Março de Nota sobre os resultados da PIM-PF Regional SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL

Março de Nota sobre os resultados da PIM-PF Regional SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL Nota sobre os resultados da PIM-PF Regional Março de 2013 Em março de 2013 a taxa anualizada da produção física da indústria de transformação da Bahia alcançou 2,9%, pouco acima da taxa registrada no mês

Leia mais

AUMENTO NAS IMPORTAÇÕES INFLUENCIAM SALDO NEGATIVO DA BALANÇA COMERCIAL

AUMENTO NAS IMPORTAÇÕES INFLUENCIAM SALDO NEGATIVO DA BALANÇA COMERCIAL Fevereiro 2014 São Paulo, 31 de março de 2014 AUMENTO NAS IMPORTAÇÕES INFLUENCIAM SALDO NEGATIVO DA BALANÇA COMERCIAL A balança comercial brasileira registrou um déficit de US$ 2,1 bilhões em fevereiro,

Leia mais

A INDÚSTRIA EM NÚMEROS

A INDÚSTRIA EM NÚMEROS A INDÚSTRIA EM NÚMEROS Dezembro/2016 1. Desempenho conjuntural da indústria Principais indicadores da indústria Variável Out16/Set16 (%) dessaz. Out16/Out15 (%) Taxa acumulada nos últimos 12 meses; até

Leia mais

Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016

Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016 Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016 Diretoria Adjunta de Análise e Disseminação de Informações Gerência de Indicadores Econômicos Em fevereiro de 2016, no acumulado de 12 meses,

Leia mais

Divisão de Estudos Econômicos

Divisão de Estudos Econômicos nº 13 Índice FIRJAN de Produção Exportada 2010.1 O Índice FIRJAN de Produção Exportada (IFPE) mede a parcela exportada da produção brasileira da indústria de transformação no acumulado em 12 meses. É calculado

Leia mais

CRESCEM AS EXPORTAÇÕES DE MANUFATURADOS PARA OS ESTADOS UNIDOS EM 2015

CRESCEM AS EXPORTAÇÕES DE MANUFATURADOS PARA OS ESTADOS UNIDOS EM 2015 São Paulo, 30 de novembro de 2015 Outubro 2015 CRESCEM AS EXPORTAÇÕES DE MANUFATURADOS PARA OS ESTADOS UNIDOS EM 2015 Em outubro, a corrente de comércio alcançou valor de US$ 30,1 bilhões, o que significou

Leia mais

Números de Empresas e Emprego Industrial

Números de Empresas e Emprego Industrial 1 1 Números de Empresas e Emprego Industrial DEPECON/FIESP 24/03/2006 2 2 A FIESP consultou o Relatório Anual de Informações Sociais referente à sua parte industrial (Rais - Min. do Trabalho e Emprego)

Leia mais

Boletim da Balança Comercial do RS Dezembro de 2016

Boletim da Balança Comercial do RS Dezembro de 2016 Boletim da Balança Comercial do RS Dezembro de 2016 Tópicos 1. Exportações do Rio Grande do Sul Dezembro Setores de atividade CNAE 2.0 Principais destinos 2. Importações do Rio Grande do Sul Dezembro Setores

Leia mais

A INDÚSTRIA EM NÚMEROS

A INDÚSTRIA EM NÚMEROS A INDÚSTRIA EM NÚMEROS Junho/2017 1. Desempenho conjuntural da indústria Principais indicadores da indústria Variável Abr17/Mar17 (%) dessaz. Abr17/Abr16 (%) Taxa acumulada nos últimos 12 meses; até abril

Leia mais

Dezembro 2014 São Paulo, 19 de Janeiro de 2015 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA TEM PRIMEIRO DÉFICIT ANUAL EM 14 ANOS

Dezembro 2014 São Paulo, 19 de Janeiro de 2015 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA TEM PRIMEIRO DÉFICIT ANUAL EM 14 ANOS Dezembro 2014 São Paulo, 19 de Janeiro de 2015 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA TEM PRIMEIRO DÉFICIT ANUAL EM 14 ANOS Apesar do superávit de US$ 293 milhões no último mês do ano, a balança comercial brasileira

Leia mais

ano XVIII, n 1, Janeiro de 2014

ano XVIII, n 1, Janeiro de 2014 ano XVIII, n 1, Janeiro de 2014 EM FOCO O índice de preços das exportações encerrou o ano de 2013 com queda de 3,2% em relação ao ano anterior. A redução dos preços de exportação foi generalizada, afetando

Leia mais

Maio 2012 Superávit comercial crescente: Déficit na balança de manufaturas: Exportações brasileiras de manufaturados ganham espaço na pauta

Maio 2012 Superávit comercial crescente: Déficit na balança de manufaturas: Exportações brasileiras de manufaturados ganham espaço na pauta Maio 2012 Superávit comercial crescente: o saldo positivo da balança comercial brasileira com a China manteve trajetória de expansão, passando de US$ 1,6 bilhão em abril para US$ 2,4 bilhões em maio (alta

Leia mais

PREVISÃO DA BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA DE 2012

PREVISÃO DA BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA DE 2012 PREVISÃO DA BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA DE 2012 A previsão da AEB para a Balança Comercial Brasileira de 2012 indica os seguintes valores: exportações de US$236,580 bilhões projetando redução de 7,2%;

Leia mais

São Paulo, 18 de março de 2013.

São Paulo, 18 de março de 2013. São Paulo, 18 de março de 2013. Fevereiro 2013 Balança comercial registra novo déficit: em fevereiro, o saldo negativo totalizou US$ 1,3 bilhão contra um superávit de US$ 1,7 bilhão no mesmo mês do ano

Leia mais

São Paulo, 23 de maio de 2013.

São Paulo, 23 de maio de 2013. São Paulo, 23 de maio de 2013. Abril 2013 Saldo brasileiro é o mais alto dos últimos 12 meses: o Brasil registrou superávit de US$ 1,9 bilhão em abril, o valor mais elevado desde maio de 2012. No acumulado

Leia mais

Economia brasileira: situação atual e desafios ao crescimento da indústria

Economia brasileira: situação atual e desafios ao crescimento da indústria Rede Setorial da Indústria Os desafios setoriais à competitividade da indústria brasileira Economia brasileira: situação atual e desafios ao crescimento da indústria São Paulo, 10 de setembro de 2013 ROTEIRO

Leia mais

PRIMEIRO MÊS DE 2014 MARCA DÉFICIT COMERCIAL DE US$ 4,1 BILHÕES

PRIMEIRO MÊS DE 2014 MARCA DÉFICIT COMERCIAL DE US$ 4,1 BILHÕES Janeiro 2014 São Paulo, 28 de fevereiro de 2014 PRIMEIRO MÊS DE 2014 MARCA DÉFICIT COMERCIAL DE US$ 4,1 BILHÕES O saldo da balança comercial brasileira ficou negativo em US$ 4,06 bilhões, o que significou

Leia mais

Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor SNIPC IPCA e INPC Outubro de 2017

Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor SNIPC IPCA e INPC Outubro de 2017 Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor SNIPC IPCA e INPC Outubro de 2017 Data 10/11/2017 IPCA Mês e 12 meses 10,00 8,00 6,00 4,00 2,00 7,87 6,99 6,29 5,35 4,76 4,57 4,08 3,60 3,00 0,00 2,71

Leia mais

Índice de Preços ao Produtor (IPP) de setembro fica em 1,23%

Índice de Preços ao Produtor (IPP) de setembro fica em 1,23% Índice de Preços ao Produtor Fonte IBGE Base: Setembro de 2011 Por Ricardo Bergamini Índice de Preços ao Produtor (IPP) de setembro fica em 1,23% Em setembro de 2011, o Índice de Preços ao Produtor (IPP)

Leia mais

PRODUÇÃO INDUSTRIAL EM JANEIRO DE 2004: AVANÇOS E RECUOS

PRODUÇÃO INDUSTRIAL EM JANEIRO DE 2004: AVANÇOS E RECUOS PRODUÇÃO INDUSTRIAL EM JANEIRO DE 2004: AVANÇOS E RECUOS Segundo o IBGE, a produção física industrial brasileira cresceu 0,8% em comparação com o mês de dezembro, descontadas as influências sazonais. Em

Leia mais

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM O BRASIL

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM O BRASIL Exportações 254.642 258.186 319.807 294.500 440.817 16,8 49,7 Importações 1.232.969 1.381.192 1.363.316 887.528 1.046.727-1,6 17,9 Saldo -978.327-1.123.006-1.043.509-593.028-605.910 -- -- Coeficiente de

Leia mais

Nota sobre os resultados da PIM-PF Regional 1. Julho de 2017 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL

Nota sobre os resultados da PIM-PF Regional 1. Julho de 2017 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL Nota sobre os resultados da PIM-PF Regional 1 Julho de 2017 A produção física da Indústria de Transformação da Bahia apresentou queda de 7,5% no acumulado de 12 meses até maio de 2017, permanecendo na

Leia mais

Março 2014 São Paulo, 30 de abril de 2014

Março 2014 São Paulo, 30 de abril de 2014 Março 2014 São Paulo, 30 de abril de 2014 BALANÇA COMERCIAL REGISTRA O PRIMEIRO SALDO POSITIVO DO ANO,, MAS RESULTADO SEGUE MODESTO A balança comercial brasileira registrou um superávit de US$ 112 milhões

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA OUTUBRO 2017

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA OUTUBRO 2017 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA OUTUBRO 2017 Período Dias Úteis US$ milhões FOB EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO CORR. COMÉRCIO SALDO Média Média Média Média Valor Valor Valor Valor p/dia útil p/dia útil p/dia útil

Leia mais

Julho Principais produtos exportados

Julho Principais produtos exportados São Paulo, 06 de setembro de 2013. Julho 2013 Balança comercial mensal: em julho, o saldo comercial brasileiro com a China ficou positivo em aproximadamente US$ 700 milhões. O resultado representou uma

Leia mais

Agosto de Nota sobre os resultados da PIM-PF Regional 1 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL

Agosto de Nota sobre os resultados da PIM-PF Regional 1 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL Nota sobre os resultados da PIM-PF Regional 1 Agosto de 2014 Em agosto de 2014, a taxa anualizada da produção física da indústria de transformação da Bahia foi de -3,5%, abaixo da registrada em julho de

Leia mais

Seção fechada com dados disponíveis até o dia 30/11/2014. Dezembro 2014 Conjuntura Econômica I

Seção fechada com dados disponíveis até o dia 30/11/2014. Dezembro 2014 Conjuntura Econômica I Índices Econômicos II Índices gerais II Índice de preços ao produtor amplo origem Brasil III Preços ao consumidor Brasil V Preços ao consumidor Rio de Janeiro V Preços ao consumidor São Paulo V Preços

Leia mais

Seção fechada com dados disponíveis até o dia 30/11/2015. Dezembro 2015 Conjuntura Econômica I

Seção fechada com dados disponíveis até o dia 30/11/2015. Dezembro 2015 Conjuntura Econômica I Índices Econômicos II Índices gerais II Índice de preços ao produtor amplo origem Brasil III Preços ao consumidor Brasil V Preços ao consumidor Rio de Janeiro V Preços ao consumidor São Paulo V Preços

Leia mais

INDICADORES INDUSTRIAIS DE MINAS GERAIS. Ago.2016 REGIÃO CENTRO-OESTE. Regional Centro-Oeste Divinópolis ANÁLISE SETORIAL

INDICADORES INDUSTRIAIS DE MINAS GERAIS. Ago.2016 REGIÃO CENTRO-OESTE. Regional Centro-Oeste Divinópolis ANÁLISE SETORIAL #8 INDICADORES INDUSTRIAIS DE MINAS GERAIS Ago.2016 REGIÃO CENTRO-OESTE Regional Centro-Oeste Divinópolis INDICADORES ANÁLISE SETORIAL TABELAS I N D I CADORES IN DUST RIAIS D A RE GIÃO LESTE FIEMG INDEX.

Leia mais

Comentários. Em abril de 2016, a produção industrial nacional mostrou ligeira

Comentários. Em abril de 2016, a produção industrial nacional mostrou ligeira Comentários Em abril de 2016, a produção industrial nacional mostrou ligeira variação positiva de 0,1% frente ao mês imediatamente anterior, na série livre de influências sazonais, após recuar 2,9% em

Leia mais

REGIÃO LESTE. Fev.2016 INDICADORES INDUSTRIAIS DE MINAS GERAIS. Regional Vale do Aço - Ipatinga Regional Rio Doce Governador Valadares

REGIÃO LESTE. Fev.2016 INDICADORES INDUSTRIAIS DE MINAS GERAIS. Regional Vale do Aço - Ipatinga Regional Rio Doce Governador Valadares #2 INDICADORES INDUSTRIAIS DE MINAS GERAIS Fev.2016 REGIÃO LESTE Regional Vale do Aço - Ipatinga Regional Rio Doce Governador Valadares INDICADORES ANÁLISE SETORIAL TABELAS I N D I CADORES IN DUST RIAIS

Leia mais

Seção fechada com dados disponíveis até o dia 31/1/2015. Fevereiro 2015 Conjuntura Econômica I

Seção fechada com dados disponíveis até o dia 31/1/2015. Fevereiro 2015 Conjuntura Econômica I Índices Econômicos II Índices gerais II Índice de preços ao produtor amplo origem Brasil III Preços ao consumidor Brasil V Preços ao consumidor Rio de Janeiro V Preços ao consumidor São Paulo V Preços

Leia mais

Seção fechada com dados disponíveis até o dia 29/2/2016. Março 2016 Conjuntura Econômica I

Seção fechada com dados disponíveis até o dia 29/2/2016. Março 2016 Conjuntura Econômica I Índices Econômicos II Índices gerais II Índice de preços ao produtor amplo origem Brasil III Preços ao consumidor Brasil V Preços ao consumidor Rio de Janeiro V Preços ao consumidor São Paulo V Preços

Leia mais

Seção fechada com dados disponíveis até o dia 30/4/2015. Maio 2015 Conjuntura Econômica I

Seção fechada com dados disponíveis até o dia 30/4/2015. Maio 2015 Conjuntura Econômica I Índices Econômicos II Índices gerais II Índice de preços ao produtor amplo origem Brasil III Preços ao consumidor Brasil V Preços ao consumidor Rio de Janeiro V Preços ao consumidor São Paulo V Preços

Leia mais

ano IV, n 40 agosto de 2014

ano IV, n 40 agosto de 2014 ano IV, n 40 agosto de 2014 SÍNTESE JULHO DE 2014 Em US$ milhões Período Exportações Importações Saldo Julho 23.024 21.450 1.574 Variação em relação a julho de 2013 10,7% - 5,5 % 3.473 Acumulado no ano

Leia mais

Janeiro São Paulo, 28 de fevereiro de 2013.

Janeiro São Paulo, 28 de fevereiro de 2013. São Paulo, 28 de fevereiro de 2013. Janeiro 2012 Déficit de janeiro é o maior dos últimos dois anos: o saldo da balança comercial brasileira com a China abriu 2013 registrando seu valor mais baixo desde

Leia mais

São Paulo, 10 de janeiro de 2012.

São Paulo, 10 de janeiro de 2012. São Paulo, 10 de janeiro de 2012. Dezembro 2012 Dezembro registrou superávit comercial de US$ 2,2 bilhões: o resultado é 41% menor do que o saldo do mesmo mês de 2011. No acumulado do ano, as exportações

Leia mais

Seção fechada com dados disponíveis até o dia 31/12/2014. Janeiro 2015 Conjuntura Econômica I

Seção fechada com dados disponíveis até o dia 31/12/2014. Janeiro 2015 Conjuntura Econômica I Índices Econômicos II Índices gerais II Índice de preços ao produtor amplo origem Brasil III Preços ao consumidor Brasil V Preços ao consumidor Rio de Janeiro V Preços ao consumidor São Paulo V Preços

Leia mais

Nota sobre os resultados da PIM-PF Regional 1. Agosto de 2016 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL

Nota sobre os resultados da PIM-PF Regional 1. Agosto de 2016 SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL Nota sobre os resultados da PIM-PF Regional 1 Agosto de 2016 A produção física da Indústria de Transformação da Bahia apresentou queda de 5,3%, na comparação dos últimos 12 meses, terminados em agosto,

Leia mais

Acumulado até novembro registra IED de US$ 52,7 bilhões

Acumulado até novembro registra IED de US$ 52,7 bilhões São Paulo, 18 de janeiro de 2016 NOVEMBRO DE 2015 Acumulado até novembro registra IED de US$ 52,7 bilhões No acumulado até novembro, os fluxos de investimento estrangeiro direto (IED) no Brasil totalizaram

Leia mais

COEFICIENTES DE ABERTURA COMERCIAL

COEFICIENTES DE ABERTURA COMERCIAL COEFICIENTES DE ABERTURA COMERCIAL Informativo da Confederação Nacional da Indústria Ano 1 Número 2 outubro/dezembro de 2011 www.cni.org.br Indústria brasileira continua perdendo com a valorização cambial

Leia mais