SEÇÃO IV PRODUTOS DAS INDÚSTRIAS ALIMENTARES; BEBIDAS, LÍQUIDOS ALCOÓLICOS E VINAGRES; TABACO E SEUS SUCEDÂNEOS MANUFATURADOS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SEÇÃO IV PRODUTOS DAS INDÚSTRIAS ALIMENTARES; BEBIDAS, LÍQUIDOS ALCOÓLICOS E VINAGRES; TABACO E SEUS SUCEDÂNEOS MANUFATURADOS"

Transcrição

1 SEÇÃO IV PRODUTOS DAS INDÚSTRIAS ALIMEARES; BEBIDAS, LÍQUIDOS ALCOÓLICOS E VINAGRES; TABACO E SEUS SUCEDÂNEOS MANUFATURADOS Nota. 1.- Na presente Seção, o termo "pellets" designa os produtos apresentados sob a forma cilíndrica, esférica, etc., aglomerados, quer por simples pressão, quer por adição de um aglutinante em proporção não superior a 3% em peso. Capítulo 16 Preparações de carne, de peixes ou de crustáceos, de moluscos ou de outros invertebrados aquáticos Notas. 1.- O presente Capítulo não compreende as carnes, miudezas, peixes, crustáceos, moluscos e outros invertebrados aquáticos, preparados ou conservados pelos processos enumerados nos Capítulos 2, 3 ou da posição As preparações alimentícias incluem-se no presente Capítulo, desde que contenham mais de 2% em peso, de enchidos, carne, miudezas, sangue, peixe ou crustáceos, moluscos ou de outros invertebrados aquáticos ou de uma combinação destes produtos. Quando essas preparações contiverem dois ou mais dos produtos acima mencionados, incluem-se na posição do Capítulo 16 correspondente ao componente predominante em peso. Estas disposições não se aplicam aos produtos recheados da posição 19.2, nem às preparações das posições 21.3 ou Notas de Subposições. 1.- Para os efeitos da subposição 162.1, consideram-se preparações homogeneizadas as preparações de carne, miudezas ou sangue, finamente homogeneizadas, acondicionadas para venda a retalho como alimentos para crianças ou para usos dietéticos, em recipientes de conteúdo de peso líquido não superior a 25g. Para aplicação desta definição, não se consideram as pequenas quantidades de ingredientes que possam ter sido adicionados à preparação para tempero, conservação ou outros fins. Estas preparações podem conter, em pequenas quantidades, fragmentos visíveis de carne ou de miudezas. A subposição tem prioridade sobre todas as outras subposições da posição Os peixes e crustáceos designados nas subposições das posições 16.4 ou 16.5 unicamente pelo nome vulgar pertencem às mesmas espécies mencionadas no Capítulo 3 sob as mesmas denominações DESCRIÇÃO Enchidos e produtos semelhantes, de carne, miudezas ou sangue; preparações alimentícias à base de tais produtos. ALÍQUOTA (%) 16.2 Outras preparações e conservas de carne, miudezas ou de sangue Preparações homogeneizadas De fígados de quaisquer animais De aves da posição 1.5: De peruas ou de perus

2 De galos ou de galinhas Outras Da espécie suína: Pernas e respectivos pedaços Pás e respectivos pedaços Outras, incluídas as misturas Da espécie bovina Outras, incluídas as preparações de sangue de quaisquer animais Extratos e sucos de carne, peixes ou crustáceos, moluscos ou de outros invertebrados aquáticos Preparações e conservas de peixes; caviar e seus sucedâneos preparados a partir de ovas de peixe Peixes inteiros ou em pedaços, exceto peixes picados: Salmões Arenques Sardinhas, sardinelas e espadilhas Sardinhas Outros Atuns, bonitos-listrados e bonitos-cachorros (Sarda spp.) Atuns Bonitos-listrados Bonitos-cachorros Cavalas e cavalinhas Anchovas Outros Outras preparações e conservas de peixes De atuns De bonitos-listrados De sardinhas, de sardinelas ou de espadilhas Outras Caviar e seus sucedâneos Crustáceos, moluscos e outros invertebrados aquáticos, preparados ou em conservas.

3 Caranguejos -Camarões -Lavagantes ( homards ) -Outros crustáceos -Outros Capítulo 17 Açúcares e produtos de confeitaria Nota. 1.- O presente Capítulo não compreende: a) os produtos de confeitaria contendo cacau (posição 18.6); b) os açúcares quimicamente puros (exceto a sacarose, lactose, maltose, glicose e frutose (levulose)) e os outros produtos da posição 29.4; c) os medicamentos e outros produtos do Capítulo 3. Nota de Subposições. 1.- Na acepção das subposições e , considera-se açúcar em bruto o açúcar contendo, em peso, no estado seco, uma percentagem de sacarose que corresponda a uma leitura no polarímetro inferior a 99,5. Nota Complementar (NC) da TIPI NC (17-1) Nos termos do disposto na alínea "b" do 2º do art. 1º da Lei nº 7.798, de 1 de julho de 1989, com suas posteriores alterações, as saídas dos estabelecimentos industriais ou equiparados a industrial dos produtos classificados no Código , ficam sujeitas ao imposto de nove centavos por quilograma do produto. DESCRIÇÃO ALÍQUOTA (%) 17.1 Açúcares de cana ou de beterraba e sacarose quimicamente pura, no estado sólido Açúcares em bruto, sem adição de aromatizantes ou de corantes: De cana De beterraba Outros: Adicionados de aromatizantes ou de corantes Outros 5 Ex 1 - Sacarose quimicamente pura 17.2 Outros açúcares, incluídas a lactose, maltose, glicose e frutose (levulose), quimicamente puras, no estado sólido; xaropes de açúcares, sem adição de aromatizantes ou de corantes; sucedâneos do mel, mesmo misturados com mel natural; açúcares e melaços caramelizados.

4 Lactose e xarope de lactose: Contendo, em peso, 99% ou mais de lactose, expressos em lactose anidra, calculado sobre a matéria seca Outros Açúcar e xarope, de bordo (ácer) Glicose e xarope de glicose, não contendo frutose (levulose) ou contendo, em peso, no estado seco, menos de 2% de frutose (levulose) Glicose Quimicamente pura Outras Xarope de glicose Glicose e xarope de glicose, contendo, em peso, no estado seco, um teor de frutose (levulose) igual ou superior a 2% e inferior a 5%, com exceção do açúcar invertido Glicose Xarope de glicose Frutose (levulose) quimicamente pura Outra frutose (levulose) e xarope de frutose (levulose), contendo, em peso, no estado seco, um teor de frutose (levulose) superior a 5%, com exceção do açúcar invertido Frutose Xarope de frutose Outros, incluído o açúcar invertido, e os outros açúcares e xaropes de açúcares, contendo, em peso, no estado seco, 5% de frutose (levulose) Melaços resultantes da extração ou refinação do açúcar Melaços de cana Outros Produtos de confeitaria, sem cacau (incluído o chocolate branco) Gomas de mascar, mesmo revestidas de açúcar Outros Chocolate branco Caramelos, confeitos, dropes, pastilhas, e produtos semelhantes Outros 5 Capítulo 18 Cacau e suas preparações Notas.

5 1.- O presente Capítulo não compreende as preparações das posições 4.3, 19.1, 19.4, 19.5, 21.5, 22.2, 22.8, 3.3 ou A posição 18.6 compreende os produtos de confeitaria contendo cacau, bem como, ressalvadas as disposições da Nota 1 do presente Capítulo, as outras preparações alimentícias contendo cacau. Nota Complementar (NC) da TIPI NC (18-1) Nos termos do disposto na alínea "b" do 2º do art. 1º da Lei nº 7.798, de 1 de julho de 1989, com suas posteriores alterações, as saídas dos estabelecimentos industriais ou equiparados a industrial dos produtos classificados nas subposições , e (exceto "Ex - 1"), acondicionados em embalagens para consumo inferior a dois quilogramas, ficam sujeitas ao imposto de nove centavos por quilograma do produto DESCRIÇÃO ALÍQUOTA (%) Cacau inteiro ou partido, em bruto ou torrado. Ex 1 - Torrado Cascas, películas e outros desperdícios de cacau Pasta de cacau, mesmo desengordurada Não desengordurada Total ou parcialmente desengordurada Manteiga, gordura e óleo, de cacau. Cacau em pó, sem adição de açúcar ou de outros edulcorantes Chocolate e outras preparações alimentícias contendo cacau Cacau em pó, com adição de açúcar ou de outros edulcorantes -Outras preparações em blocos ou em barras, com peso superior a 2kg, ou no estado líquido, em pasta, em pó, grânulos ou formas semelhantes, em recipientes ou embalagens imediatas de conteúdo superior a 2kg Outros, em tabletes, barras e paus: Recheados Chocolate Outras preparações Não recheados Chocolate Outras preparações Outros 5 Ex 1 - Achocolatados, assim entendidos os produtos à base de chocolate, em pó ou em grânulos, destinados à mistura com água ou leite

6 Capítulo 19 Preparações à base de cereais, farinhas, amidos, féculas ou leite; produtos de pastelaria Notas. 1.- O presente Capítulo não compreende: a) com exclusão dos produtos recheados da posição 19.2, as preparações alimentícias contendo mais de 2%, em peso, de enchidos, carne, miudezas, sangue, peixe ou crustáceos, moluscos e outros invertebrados aquáticos ou de uma combinação destes produtos (Capítulo 16); b) os produtos à base de farinhas, amidos ou féculas (biscoitos, etc.), especialmente preparados para alimentação de animais (posição 23.9); c) os medicamentos e outros produtos do Capítulo Para os fins da posição 19.1, entendem-se por: a) grumos, os grumos de cereais do Capítulo 11; b) farinhas e sêmolas: 1) as farinhas e sêmolas de cereais do Capítulo 11; 2) as farinhas, sêmolas e pós, de origem vegetal, de qualquer Capítulo, exceto as farinhas, sêmolas e pós, de produtos hortícolas secos (posição 7.12), de batata (posição 11.5) ou de legumes de vagem secos (posição 11.6). 3.- A posição 19.4 não abrange as preparações contendo mais de 6%, em peso, de cacau, calculado sobre uma base totalmente desengordurada, nem as revestidas de chocolate ou de outras preparações alimentícias contendo cacau, da posição 18.6 (posição 18.6). 4.- Na acepção da posição 19.4, a expressão preparados de outro modo significa que os cereais sofreram tratamento ou preparo mais adiantados do que os previstos nas posições ou nas Notas dos Capítulos 1 e 11. DESCRIÇÃO ALÍQUOTA (%) 19.1 Extratos de malte; preparações alimentícias de farinhas, grumos, sêmolas, amidos, féculas ou de extratos de malte, não contendo cacau ou contendo menos de 4%, em peso, de cacau, calculado sobre uma base totalmente desengordurada, não especificadas nem compreendidas em outras posições; preparações alimentícias de produtos das posições 4.1 a 4.4, não contendo cacau ou contendo menos de 5%, em peso, de cacau, calculado sobre uma base totalmente desengordurada, não especificadas nem compreendidas em outras posições Preparações para alimentação de crianças, acondicionadas para a venda a retalho Leite modificado Farinha láctea À base de farinha, grumos, sêmola ou amido Outras Misturas e pastas para a preparação de produtos de padaria, pastelaria e da indústria de bolachas e biscoitos, da posição Outros Extrato de malte

7 Doce de leite Outros 19.2 Massas alimentícias, mesmo cozidas ou recheadas (de carne ou de outras substâncias) ou preparadas de outro modo, tais como espaguete, macarrão, aletria, lasanha, nhoque, ravioli e canelone; cuscuz, mesmo preparado Massas alimentícias não cozidas, nem recheadas, nem preparadas de outro modo: Contendo ovos Outras Massas alimentícias recheadas (mesmo cozidas ou preparadas de outro modo) Outras massas alimentícias Cuscuz Tapioca e seus sucedâneos preparados a partir de féculas, em flocos, grumos, grãos, pérolas ou formas semelhantes Produtos à base de cereais, obtidos por expansão ou por torrefação (por exemplo, flocos de milho ( corn flakes )); cereais (exceto milho) em grãos ou sob a forma de flocos ou de outros grãos trabalhados (com exceção da farinha, do grumo e da sêmola), pré-cozidos ou preparados de outro modo, não especificados nem compreendidos em outras posições Produtos à base de cereais, obtidos por expansão ou por torrefação Preparações alimentícias obtidas a partir de flocos de cereais não torrados ou de misturas de flocos de cereais não torrados com flocos de cereais torrados ou expandidos -Trigo burgol ( bulgur ) -Outros 19.5 Produtos de padaria, pastelaria ou da indústria de bolachas e biscoitos, mesmo adicionados de cacau; hóstias, cápsulas vazias para medicamentos, obreias, pastas secas de farinha, amido ou fécula, em folhas, e produtos semelhantes Pão denominado "knäckebrot" Pão de especiarias Panetone Outros Bolachas e biscoitos, doces (adicionados de edulcorante); "waffles" e "wafers": Bolachas e biscoitos, doces (adicionados de edulcorante) "Waffles" e "wafers" Torradas, pão torrado e produtos semelhantes torrados

8 Outros Pão de forma Bolachas Outros Capítulo 2 Preparações de produtos hortícolas, de frutas ou de outras partes de plantas Notas. 1.- O presente Capítulo não compreende: a) os produtos hortícolas e frutas preparados ou conservados pelos processos referidos nos Capítulos 7, 8 ou 11; b) as preparações alimentícias contendo mais de 2%, em peso, de enchidos, carnes, miudezas, sangue, peixe ou crustáceos, moluscos e outros invertebrados aquáticos ou de uma combinação destes produtos (Capítulo 16); c) os produtos de padaria, pastelaria ou da indústria de bolachas e biscoitos e outros produtos da posição 19.5; d) as preparações alimentícias compostas homogeneizadas, da posição Não se incluem nas posições 2.7 e 2.8 as geléias e pastas de frutas, as amêndoas confeitadas e produtos semelhantes, apresentados sob a forma de produtos de confeitaria (posição 17.4), nem os produtos de chocolate (posição 18.6). 3.- Incluem-se nas posições 2.1, 2.4 e 2.5, conforme o caso, apenas os produtos do Capítulo 7 ou das posições 11.5 ou 11.6 (exceto as farinhas, sêmolas e pós, dos produtos do Capítulo 8) que tenham sido preparados ou conservados por processos diferentes dos mencionados na Nota 1a). 4.- O suco de tomate cujo teor de extrato seco, em peso, seja igual ou superior a 7% está incluído na posição Para os fins da posição 2.7, a expressão obtidos por cozimento significa obtidos por tratamento térmico à pressão atmosférica ou em vácuo parcial para aumentar a viscosidade do produto por redução do seu teor de água ou por outros meios. 6.- Na acepção da posição 2.9, consideram-se sucos não fermentados, sem adição de álcool, os sucos cujo teor alcoólico, em volume (ver Nota 2 do Capítulo 22), não exceda,5% vol. Notas de Subposições. 1.- Na acepção da subposição 25.1, consideram-se produtos hortícolas homogeneizados, as preparações de produtos hortícolas finamente homogeneizadas, acondicionadas para venda a retalho como alimentos para crianças ou para usos dietéticos, em recipientes de conteúdo de peso líquido não superior a 25g. Para aplicação desta definição, não se consideram as pequenas quantidades de ingredientes que possam ter sido adicionados à preparação para tempero, conservação ou outros fins. Estas preparações podem conter, em pequenas quantidades, fragmentos visíveis de produtos hortícolas. A subposição 25.1 tem prioridade sobre todas as outras subposições da posição Na acepção da subposição 27.1, consideram-se preparações homogeneizadas as preparações de frutas finamente homogeneizadas, acondicionadas para venda a retalho como alimentos para crianças ou para usos dietéticos, em recipientes de conteúdo de peso líquido não superior a 25g. Para aplicação desta definição, não se consideram as pequenas quantidades de ingredientes que possam ter

9 sido adicionados à preparação para tempero, conservação ou outros fins. Estas preparações podem conter, em pequenas quantidades, fragmentos visíveis de frutas. A subposição 27.1 tem prioridade sobre todas as outras subposições da posição Na acepção das subposições 29.12, 29.21, 29.31, 29.41, e 29.71, a expressão valor Brix significa graus Brix lidos diretamente na escala de um hidrômetro Brix ou o índice de refração, expresso em teor percentual de sacarose, medido em um refratômetro, à temperatura de 2 o C ou corrigido para a temperatura de 2 o C, se a medida for efetuada a uma temperatura diferente. DESCRIÇÃO ALÍQUOTA (%) 2.1 Produtos hortícolas, frutas e outras partes comestíveis de plantas, preparados ou conservados em vinagre ou em ácido acético Pepinos e pepininhos ("cornichons") Outros 2.2 Tomates preparados ou conservados, exceto em vinagre ou em ácido acético Tomates inteiros ou em pedaços Ex 1 - Cozidos (exceto em água ou vapor) e congelados Outros Sucos Outros Ex 1 - Cozidos (exceto em água ou vapor) e congelados 2.3 Cogumelos e trufas, preparados ou conservados, exceto em vinagre ou ácido acético Cogumelos do gênero Agaricus Ex 1 - Cozidos (exceto em água ou vapor) e congelados Trufas 5 Ex 1 - Cozidas (exceto em água ou vapor) e congeladas Outros Ex 1 - Cozidos (exceto em água ou vapor) e congelados 2.4 Outros produtos hortícolas preparados ou conservados, exceto em vinagre ou em ácido acético, congelados, com exceção dos produtos da posição Batatas Ex 1 - Cozidas (exceto em água ou vapor) -Outros produtos hortícolas e misturas de produtos hortícolas Ex 1 - Cozidos (exceto em água ou vapor) 2.5 Outros produtos hortícolas preparados ou conservados, exceto em vinagre ou em ácido acético, não congelados, com exceção dos produtos da posição Produtos hortícolas homogeneizados Batatas

10 Ervilhas (Pisum sativum) Feijões (Vigna spp., Phaseolus spp.): Feijões em grão Outros Aspargos Azeitonas Milho doce (Zea mays var. saccharata) Outros produtos hortícolas e misturas de produtos hortícolas: Brotos de bambu Outros 26.. Produtos hortícolas, frutas, cascas de frutas e outras partes de plantas, conservados com açúcar (passados por calda, glaceados ou cristalizados). 2.7 Doces, geléias, marmelades, purês e pastas de frutas, obtidos por cozimento, com ou sem adição de açúcar ou de outros edulcorantes Preparações homogeneizadas Outros: De cítricos Outros Geléias e "marmelades" Outros 2.8 Frutas e outras partes comestíveis de plantas, preparadas ou conservadas de outro modo, com ou sem adição de açúcar ou de outros edulcorantes ou de álcool, não especificadas nem compreendidas em outras posições Frutas de casca rija, amendoins e outras sementes, mesmo misturados entre si: Amendoins Outros, incluídas as misturas Ex 1 - Cozidos (exceto em água e vapor), congelados e sem adição de açúcar ou de outros edulcorantes, excluídas as misturas Abacaxis (ananases) Em água edulcorada, incluídos os xaropes Outros Ex 1 - Cozidos (exceto em água e vapor), congelados e sem adição de açúcar ou de outros edulcorantes -Cítricos

11 Ex 1 - Cozidos (exceto em água e vapor), congelados e sem adição de açúcar ou de outros edulcorantes Pêras Em água edulcorada, incluídos os xaropes Outras Ex 1 - Cozidas (exceto em água e vapor), congeladas e sem adição de açúcar ou de outros edulcorantes Damascos Ex 1 - Cozidos (exceto em água e vapor), congelados e sem adição de açúcar ou de outros edulcorantes Cerejas Em água edulcorada, incluídos os xaropes Outras Ex 1 - Cozidas (exceto em água e vapor), congeladas e sem adição de açúcar ou de outros edulcorantes Pêssegos, incluídos os brugnons e as nectarinas Em água edulcorada, incluídos os xaropes Outros Ex 1 - Cozidos (exceto em água e vapor), congelados e sem adição de açúcar ou de outros edulcorantes Morangos Ex 1 - Cozidos (exceto em água e vapor), congelados e sem adição de açúcar ou de outros edulcorantes Outras, incluídas as misturas, com exclusão das da subposição 28.19: Palmitos Misturas Em água edulcorada, incluídos os xaropes Outras Ex 1 - Cozidas (exceto em água e vapor), congeladas e sem adição de açúcar ou de outros edulcorantes Outras Ex 1 - Cozidas (exceto em água e vapor), congeladas e sem adição de açúcar ou de outros edulcorantes 2.9 Sucos de frutas (incluídos os mostos de uvas) ou de produtos hortícolas, não fermentados, sem adição de álcool, com ou sem adição de açúcar ou de outros edulcorantes Suco de laranja: Congelado Não congelado, com valor Brix não superior a Outros Suco de toranjas e de pomelos: Com valor Brix não superior a Outros

12 29.3 -Suco de qualquer outro cítrico: Com valor Brix não superior a Outros Suco de abacaxi (ananás): Com valor Brix não superior a Outros Suco de tomate Suco de uva (incluídos os mostos de uvas): Com valor Brix não superior a Outros Suco de maçã: Com valor Brix não superior a Outros Suco de qualquer outra fruta ou produto hortícola Misturas de sucos Capítulo 21 Preparações alimentícias diversas Notas. 1.- O presente Capítulo não compreende: a) as misturas de produtos hortícolas da posição 7.12; b) os sucedâneos torrados do café contendo café em qualquer proporção (posição 9.1); c) o chá aromatizado (posição 9.2); d) as especiarias e outros produtos das posições 9.4 a 9.1; e) as preparações alimentícias, exceto os produtos descritos nas posições 21.3 ou 21.4, contendo, em peso, mais de 2% de enchidos, carne, miudezas, sangue, peixe ou crustáceos, moluscos e de outros invertebrados aquáticos ou de uma combinação destes produtos (Capítulo 16); f) as leveduras acondicionadas como medicamentos e os outros produtos das posições 3.3 ou 3.4; g) as enzimas preparadas da posição Os extratos dos sucedâneos mencionados na Nota 1 b) acima, incluem-se na posição Na acepção da posição 21.4, consideram-se preparações alimentícias compostas homogeneizadas as preparações constituídas por uma mistura finamente homogeneizada de diversas substâncias de base, como carne, peixe, produtos hortícolas ou frutas, acondicionadas para venda a retalho como alimentos para crianças ou para usos dietéticos, em recipientes de conteúdo de peso líquido não superior a 25g. Para aplicação desta definição, não se consideram as pequenas quantidades de ingredientes que possam ter sido adicionados à mistura para tempero, conservação ou outros fins. Estas preparações podem conter, em pequenas quantidades, fragmentos visíveis. Notas Complementares (NC) da TIPI

13 NC (21-1) Ficam reduzidas de cinqüenta por cento as alíquotas do IPI relativas aos extratos concentrados para elaboração de refrigerantes, contendo suco de fruta ou extrato de sementes de guaraná, compreendidos nos ex 1 e 2 do código , que atendam aos padrões de identidade e qualidade exigidos pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e estejam registrados no órgão competente desse Ministério. NC (21-2) Nos termos do disposto na alínea b do 2º do art. 1º da Lei nº 7.798, de 1 de julho de 1989, com suas posteriores alterações, as saídas dos estabelecimentos industriais ou equiparados a industrial dos produtos classificados na subposição 215., conceituados como sorvetes de massa ou cremosos ou como sorvetes especiais, nos termos e condições fixados nos itens e da Portaria nº 379, de 26 de abril de 1999, da extinta Secretaria de Vigilância Sanitária, atual Agência Nacional de Vigilância Sanitária, do Ministério da Saúde, acondicionados em embalagem de capacidade superior a quatrocentos e cinqüenta mililitros, ficam sujeitos ao imposto conforme a tabela a seguir: RECIPIEE IPI - R$ mais de,45 até 1 litro,4 mais de 1 até 2 litros,8 mais de 2 até 3 litros,13 mais de 3 até 5 litros,2 mais de 5 até 1 litros,38 mais de 1 litros,75 NC (21-3) Nos termos do disposto no art. 1º da Lei nº 7.798, de 1 de julho de 1989, com suas posteriores alterações, as saídas dos estabelecimentos industriais ou equiparados a industrial dos produtos classificados no Ex-2 do Código , ficam sujeitos ao imposto de R$,92 por litro, sem prejuízo do disposto na NC (21-1). DESCRIÇÃO ALÍQUOTA (%) 21.1 Extratos, essências e concentrados de café, de chá ou de mate e preparações à base destes produtos ou à base de café, chá ou mate; chicória torrada e outros sucedâneos torrados do café e respectivos extratos, essências e concentrados Extratos, essências e concentrados de café e preparações à base destes extratos, essências ou concentrados ou à base de café: Extratos, essências e concentrados Café solúvel, mesmo descafeinado Outros Preparações à base de extratos, essências ou concentrados ou à base de café Extratos, essências e concentrados de chá ou de mate e preparações à base destes extratos, essências ou concentrados ou à base de chá ou de mate De chá De mate Chicória torrada e outros sucedâneos torrados do café e respectivos extratos, essências e concentrados 21.2 Leveduras (vivas ou mortas); outros microrganismos monocelulares mortos (exceto as vacinas da posição 3.2); pós para levedar, preparados Leveduras vivas

14 Leveduras mortas; outros microrganismos monocelulares mortos Ex 1 - Leveduras mortas -Pós para levedar, preparados 21.3 Preparações para molhos e molhos preparados; condimentos e temperos compostos; farinha de mostarda e mostarda preparada Molho de soja Em embalagens imediatas de conteúdo inferior ou igual a 1kg Outros "Ketchup" e outros molhos de tomate Em embalagens imediatas de conteúdo inferior ou igual a 1kg Outros Farinha de mostarda e mostarda preparada Farinha de mostarda Mostarda preparada Em embalagens imediatas de conteúdo inferior ou igual a 1kg Outras Outros Maionese Em embalagens imediatas de conteúdo inferior ou igual a 1kg Outra Condimentos e temperos, compostos Em embalagens imediatas de conteúdo inferior ou igual a 1kg Outros Outros Em embalagens imediatas de conteúdo inferior ou igual a 1kg Outros 21.4 Preparações para caldos e sopas; caldos e sopas preparados; preparações alimentícias compostas homogeneizadas Preparações para caldos e sopas; caldos e sopas preparados Preparações para caldos e sopas Em embalagens imediatas de conteúdo inferior ou igual a 1kg Outras Caldos e sopas preparados Em embalagens imediatas de conteúdo inferior ou igual a 1kg Outros Preparações alimentícias compostas homogeneizadas

15 215. Sorvetes, mesmo contendo cacau Em embalagens imediatas de conteúdo inferior ou igual a 2kg Outros Preparações alimentícias não especificadas nem compreendidas em outras posições Concentrados de proteínas e substâncias protéicas texturizadas Outras Preparações dos tipos utilizados para elaboração de bebidas Ex 1 - Preparações compostas, não alcoólicas (extratos concentrados ou 27 sabores concentrados), para elaboração de bebida da posição 22.2, com capacidade de diluição superior a 1 partes da bebida para cada parte do concentrado Ex 2 - Preparações compostas, não alcoólicas (extratos concentrados ou 4 sabores concentrados), para elaboração de bebida refrigerante do Capítulo 22, com capacidade de diluição de até 1 partes da bebida para cada parte do concentrado Pós, inclusive com adição de açúcar ou outro edulcorante, para a fabricação de pudins, cremes, sorvetes, flans, gelatinas ou preparações similares Para a fabricação de pudins, em embalagens imediatas de conteúdo inferior 1 ou igual a 1kg Outros Complementos alimentares Misturas à base de ascorbato de sódio e glucose próprias para embutidos Gomas de mascar, sem açúcar Caramelos, confeitos, pastilhas e produtos semelhantes, sem açúcar Outras Capítulo 22 Bebidas, líquidos alcoólicos e vinagres Notas. 1.- O presente Capítulo não compreende: a) os produtos deste Capítulo (exceto os da posição 22.9) preparados para fins culinários, tornados assim impróprios para consumo como bebida (posição 21.3, geralmente); b) a água do mar (posição 25.1); c) as águas destiladas, de condutibilidade ou de igual grau de pureza (posição 28.53); d) as soluções aquosas contendo, em peso, mais de 1% de ácido acético (posição 29.15); e) os medicamentos das posições 3.3 ou 3.4; f) os produtos de perfumaria ou de toucador (Capítulo 33). 2.- Na acepção do presente Capítulo e dos Capítulos 2 e 21, o teor alcoólico em volume determina-se à temperatura de 2 C.

16 3.- Na acepção da posição 22.2, consideram-se bebidas não alcoólicas as bebidas cujo teor alcoólico em volume não exceda,5% vol. As bebidas alcoólicas classificam-se, conforme o caso, nas posições 22.3 a 22.6 ou na posição Nota de Subposição. 1.- Na acepção da subposição 224.1, consideram-se vinhos espumantes e vinhos espumosos os vinhos que apresentem, quando conservados à temperatura de 2 C em recipientes fechados, uma sobrepressão igual ou superior a 3 bares. Notas Complementares (NC) da TIPI NC (22-1) Ficam reduzidas de cinqüenta por cento as alíquotas do IPI relativas aos refrigerantes e refrescos, contendo suco de fruta ou extrato de sementes de guaraná, classificados no código , que aten-dam aos padrões de identidade e qualidade exigidos pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e estejam registrados no órgão competente desse Ministério. NC (22-2) Nos termos do disposto no art. 1º da Lei nº 7.798, de 1 de julho de 1989, com suas posteriores alterações, as saídas dos estabelecimentos industriais ou equiparados a industrial dos produtos classificados nos Códigos , , , ficam sujeitos ao imposto nos seguintes valores por unidade, sem prejuízo do disposto na NC (22-1): Código IPI Descrição do Produto / Recipiente (R$/unidade) Unidade Águas minerais e águas gaseificadas (exceto águas minerais naturais) Garrafa de vidro, retornável 1. Até 26 ml,119 unidade 2. De 261 a 36 ml,138 unidade 3. De 361 a 66 ml,165 unidade 4. De 661 a 11 ml,33 unidade 5. De 111 a 13 ml,356 unidade Garrafa de vidro, não-retornável 6. Até 26 ml,184 unidade 7. De 261 a 36 ml,229 unidade 8. De 361 a 66 ml,459 unidade 9. De 661 a 11 ml,724 unidade 1. De 111 a 13 ml,1145 unidade Garrafa de plástico, não-retornável 11. Até 26 ml,74 unidade 12. De 261 a 36 ml,91 unidade 13. De 361 a 66 ml,119 unidade 14. De 661 a 1.1 ml,156 unidade 15. Acima de 1.1 ml,184 unidade Outra embalagem plástica 16. Até 26 ml,51 unidade 17. De 261 a 36 ml,11 unidade 18. De 361 a 66 ml,24 unidade 19. De 661 a 11 ml,524 unidade 2. De 111 a 13 ml,1143 unidade Lata 21. Até 26 ml,27 unidade 22. De 261 a 36 ml,275 unidade 23. De 361 a 66 ml,498 unidade Águas, incluídas as águas minerais e as águas gaseificadas, adicionadas de açúcar ou de outros edulcorantes ou aromatizadas

17 Código Descrição do Produto / Recipiente IPI (R$/unidade) Unidade Cervejas de malte cujo teor alcoólico em volume não exceda,5 % vol. Garrafa de vidro, retornável 1. Até 26 ml,486 unidade 2. De 261 a 36 ml,55 unidade 3. De 361 a 66 ml,789 unidade Garrafa de vidro, não-retornável 4. Até 26 ml,286 unidade 5. De 261 a 36 ml,349 unidade 6. De 361 a 66 ml,529 unidade Lata 7. Até 26 ml,362 unidade 8. De 261 a 36 ml,482 unidade 9. De 361 a 66 ml,791 unidade Barril 1. Barril,154 litro Refrigerantes e refrescos Garrafa de vidro, retornável 1. Até 26 ml,294 unidade 2. De 261 a 36 ml,385 unidade 3. De 361 a 66 ml,514 unidade 4. De 661 a 1.1 ml,1136 unidade 5. De 111 a 13 ml,1394 unidade Garrafa de vidro, não-retornável 6. Até 26 ml,366 unidade 7. De 261 a 36 ml,421 unidade 8. De 361 a 66 ml,734 unidade 9. De 661 a 11 ml,968 unidade Garrafa de plástico, retornável 1. De 661 a 11 ml,1478 unidade 11. De 111 a 13ml,1631 unidade 12. De 131 a 16 ml,1724 unidade 13. De 161 a 21 ml,1944 unidade Garrafa de plástico, não-retornável 14. Até 26 ml,394 unidade 15. De 261 a 36 ml,459 unidade 16. De 361 a 66 ml,861 unidade 17. De 661 a 1.1 ml,165 unidade 18. De 1.11 a 1.3 ml,1896 unidade 19. De 1.31 a 1.6 ml,2164 unidade 2. De 1.61 a 2.1 ml,242 unidade 21. Acima de 2.1 ml,2786 unidade Outra embalagem plástica 22. Até 26 ml,27 unidade 23. De 261 a 36 ml,385 unidade 24. De 361 a 66 ml,718 unidade Embalagem cartonada 25. Até 26 ml,33 unidade 26. De 261 a 36 ml,421 unidade 27. De 361 a 66 ml,587 unidade 28. De 661 a 11 ml,22 unidade Lata 29. Até 26 ml,33 unidade 3. De 261 a 36 ml,44 unidade

18 Código Descrição do Produto / Recipiente IPI (R$/unidade) Unidade 31. De 361 a 66 ml,798 unidade Cilindro ( pré-mix ) 32. Cilindro,11 litro Alimentos para praticantes de atividade física nos termos da Portaria nº 222, de 24 de março de 1998, da extinta Secretaria de Vigilância Sanitária, atual Agência Nacional de Vigilância Sanitária, do Ministério da Saúde: repositores hidroeletrolíticos e outros Garrafa de vidro, não-retornável 1. Até 26 ml,193 unidade 2. De 261 a 36 ml,24 unidade 3. De 361 a 66 ml,482 unidade 4. De 661 a 11 ml,76 unidade Garrafa de plástico, não-retornável 5. Até 26 ml,84 unidade 6. De 261 a 36 ml,126 unidade 7. De 361 a 66 ml,251 unidade 8. De 661 a 11 ml,52 unidade Outra embalagem plástica 9. Até 26 ml,72 unidade 1.De 261 a 36 ml,134 unidade 11. De 361 a 66 ml,274 unidade Embalagem cartonada 12. Até 26 ml,113 unidade 13. De 261 a 36 ml,157 unidade 14. De 361 a 66 ml,219 unidade 15. De 661 a 11 ml,819 unidade Lata 16. Até 26 ml,236 unidade 17. De 261 a 36 ml,314 unidade 18. De 361 a 66 ml,569 unidade Compostos líquidos pronto para consumo nos termos da Portaria nº 868, de 3 de novembro de 1998, da extinta Secretaria de Vigilância Sanitária, atual Agência Nacional de Vigilância Sanitária, do Ministério da Saúde. 1. Até 26 ml,297 unidade 2. De 261 a 36 ml,3146 unidade Cervejas de malte Garrafa de vidro, retornável 1. Até 26 ml,971 unidade 2. De 261 a 36 ml,11 unidade 3. De 361 a 66 ml,1576 unidade 4. De 661 a 11 ml,389 unidade Garrafa de vidro, não-retornável 5. Até 26 ml,573 unidade 6. De 261 a 36 ml,696 unidade 7. De 361 a 66 ml,159 unidade 8. De 661 a 11 ml,1815 unidade Lata 9. Até 26 ml,724 unidade 1. De 261 a 36 ml,963 unidade 11. De 361 a 66 ml,1582 unidade Barril

19 Código Descrição do Produto / Recipiente IPI (R$/unidade) Unidade 12. Barril,38 litro Recipiente especial, não-retornável 13. Até 5,1 litros,341 litro NC (22-3) Nos termos do disposto no art. 1º da Lei nº 7.798, de 1 de julho de 1989, com suas posteriores alterações, as saídas dos estabelecimentos industriais ou equiparados a industrial dos produtos classificados nas posições 22.4, 22.5, 226. e 22.8, ficam sujeitos ao imposto de acordo com a seguinte distribuição por classes: Classes IPI R$ Classes IPI R$ Classes IPI R$ A,11 I,47 Q 2,23 B,12 J,56 R 2,74 C,14 K,68 S 3,34 D,18 L,83 T 4,7 E,23 M 1,1 U 4,97 F,26 N 1,26 V 6,6 G,3 O 1,5 X 7,38 H,38 P 1,84 Y 9, Z 13,38 DESCRIÇÃO ALÍQUOTA (%) 22.1 Águas, incluídas as águas minerais, naturais ou artificiais, e as águas gaseificadas, não adicionadas de açúcar ou de outros edulcorantes nem aromatizadas; gelo e neve Águas minerais e águas gaseificadas Ex 1 - Águas minerais naturais -Outros 22.2 Águas, incluídas as águas minerais e as águas gaseificadas, adicionadas de açúcar ou de outros edulcorantes ou aromatizadas e outras bebidas não alcoólicas, exceto sucos de frutas ou de produtos hortícolas, da posição Águas, incluídas as águas minerais e as águas gaseificadas, adicionadas de açúcar ou de outros edulcorantes ou aromatizadas -Outras 27 Ex 1 - Bebidas alimentares à base de soja ou de leite e cacau Ex 2 Néctares de frutas Cervejas de malte Vinhos de uvas frescas, incluídos os vinhos enriquecidos com álcool; mostos de uvas, excluídos os da posição Vinhos espumantes e vinhos espumosos Tipo champanha ( champagne ) Outros 2

20 Outros vinhos; mostos de uvas cuja fermentação tenha sido impedida ou interrompida por adição de álcool: Em recipientes de capacidade não superior a 2 litros Ex 1 - Vinhos da madeira, do porto e de xerez 4 --Outros 1 Ex 1 - Vinhos da madeira, do porto e de xerez 4 -Outros mostos de uvas Vermutes e outros vinhos de uvas frescas aromatizados por plantas ou substâncias aromáticas Em recipientes de capacidade não superior a 2 litros Outros Outras bebidas fermentadas (sidra, perada, hidromel, por exemplo); misturas de bebidas fermentadas e misturas de bebidas fermentadas com bebidas não alcoólicas, não especificadas nem compreendidas em outras posições Sidra Outras 1 Ex 1 Com teor alcoólico superior a 14% Álcool etílico não desnaturado, com um teor alcoólico em volume igual ou superior a 8% vol.; álcool etílico e aguardentes, desnaturados, com qualquer teor alcoólico Álcool etílico não desnaturado, com um teor alcoólico em volume igual ou superior a 8% vol. Ex 1 - Para fins carburantes, com as especificações determinadas pelo DNC Ex 2 - Retificado (álcool neutro) Álcool etílico e aguardentes, desnaturados, com qualquer teor alcoólico Álcool etílico 8 Ex 1 - Para fins carburantes, com as especificações determinadas pelo DNC Aguardente Álcool etílico não desnaturado, com um teor alcoólico em volume inferior a 8% vol.; aguardentes, licores e outras bebidas espirituosas (alcoólicas) Aguardentes de vinho ou de bagaço de uvas Uísques Com um teor alcoólico, em volume, superior a 5%vol., em recipientes de 6 capacidade superior ou igual a 5 litros Ex 1 - Destilado alcoólico chamado uísque de malte ("malt Whisky") com teor 3 alcoólico em volume de 59,5% ±1,5% (59,5% ±1,5º Gay-Lussac), obtido de cevada maltada Ex 2 - Destilado alcoólico chamado uísque de cereais ("grain Whisky") com teor alcoólico em volume de 59,5% ±1,5% (59,5% ±1,5º Gay-Lussac), obtido de cereal não maltado adicionado ou não de cevada maltada Em embalagens de capacidade inferior ou igual a 2 litros 6

21 Outros Rum e outras aguardentes provenientes da destilação, após fermentação, de 6 4. produtos da cana-de-açúcar Gim e genebra Vodca Licores Outros 6 Ex 1 - Álcool etílico 8 Ex 2 - Bebida refrescante com teor alcoólico inferior a 8% Vinagres e seus sucedâneos obtidos a partir do ácido acético, para usos alimentares. Capítulo 23 Resíduos e desperdícios das indústrias alimentares; alimentos preparados para animais Nota. 1.- Incluem-se na posição 23.9 os produtos dos tipos utilizados para alimentação de animais, não especificados nem compreendidos em outras posições, obtidos pelo tratamento de matérias vegetais ou animais, de tal forma que perderam as características essenciais da matéria de origem, excluídos os desperdícios vegetais, resíduos e subprodutos vegetais resultantes desse tratamento. Nota de Subposição. 1.- Na acepção da subposição , a expressão sementes de nabo silvestre ou de colza com baixo teor de ácido erúcico refere-se às sementes definidas na Nota 1 de subposição do Capítulo 12. DESCRIÇÃO ALÍQUOTA (%) 23.1 Farinhas, pós e pellets, de carnes, miudezas, peixes ou crustáceos, moluscos ou de outros invertebrados aquáticos, impróprios para alimentação humana; torresmos Farinhas, pós e pellets, de carnes ou de miudezas; torresmos De carne Outros Farinhas, pós e pellets, de peixes ou crustáceos, moluscos ou de outros invertebrados aquáticos De peixes Outros 23.2 Sêmeas, farelos e outros resíduos, mesmo em pellets, da peneiração, moagem ou de outros tratamentos de cereais ou de leguminosas De milho De trigo

22 Farelo Outros -De outros cereais -De leguminosas 23.3 Resíduos da fabricação do amido e resíduos semelhantes, polpas de beterraba, bagaços de cana-de-açúcar e outros desperdícios da indústria do açúcar, borras e desperdícios da indústria da cerveja e das destilarias, mesmo em pellets Resíduos da fabricação do amido e resíduos semelhantes Polpas de beterraba, bagaços de cana-de-açúcar e outros desperdícios da indústria do açúcar -Borras e desperdícios da indústria da cerveja e das destilarias 234. Tortas e outros resíduos sólidos, mesmo triturados ou em pellets, da extração do óleo de soja Farinhas e pellets Outros Tortas e outros resíduos sólidos, mesmo triturados ou em pellets, da extração do óleo de amendoim Tortas e outros resíduos sólidos, mesmo triturados ou em pellets, da extração de gorduras ou óleos vegetais, exceto os das posições 23.4 e De sementes de algodão De sementes de linho (linhaça) De sementes de girassol Tortas, farinhas e pellets Outros De sementes de nabo silvestre ou de colza: Com baixo teor de ácido erúcico Outros De coco ou de copra De nozes ou de amêndoa de palma Outros De germe de milho Outros Borras de vinho; tártaro em bruto.

23 238.. Matérias vegetais e desperdícios vegetais, resíduos e subprodutos vegetais, mesmo em pellets, dos tipos utilizados na alimentação de animais, não especificados nem compreendidos em outras posições Preparações dos tipos utilizados na alimentação de animais Alimentos para cães ou gatos, acondicionados para venda a retalho Outras Preparações destinadas a fornecer ao animal a totalidade dos elementos nutritivos necessários para uma alimentação diária racional e equilibrada (alimentos compostos completos) Preparações à base de sal iodado, farinha de ossos, farinha de concha, cobre e cobalto Bolachas e biscoitos Preparações contendo Diclazuril Outras Ex 1 - Preparações alimentícias para cães e gatos, não acondicionadas para a venda a retalho 1 Capítulo 24 Tabaco e seus sucedâneos manufaturados Nota. 1.- O presente Capítulo não compreende os cigarros medicamentosos (Capítulo 3). Notas Complementares (NC) da TIPI NC (24-1) Nos termos do disposto na alínea b do 2º do art. 1º da Lei nº 7.798, de 1 de julho de 1989, com suas posteriores alterações, as saídas dos estabelecimentos industriais ou equiparados a industrial dos produtos classificados no código , ficam sujeitos ao imposto conforme a tabela a seguir: Classes Valor (reais/vintena) I,469 II,552 III M,635 III R,718 IV M,81 IV - R,884 OBS: A PARTIR DE 1/7/27: (Conforme Decreto 6.72 de ) Classes Valor (reais/vintena) I,619 II,729 III-M,813 III-R,919

24 IV-M 1,25 IV-R 1,131 O enquadramento nas referidas classes dar-se-á conforme o disposto no Regulamento do imposto. NC (24-2) Nos termos do disposto na alínea b do 2º do art. 1º da Lei nº 7.798, de 1 de julho de 1989, com suas posteriores alterações, as saídas dos estabelecimentos industriais ou equiparados a industrial de fumo picado, desfiado, migado ou em pó, não destinado a cachimbos, e o fumo em corda ou em rolo, classificados no código , ficam sujeitos ao imposto de cinqüenta centavos por quilograma. O disposto nesta NC não se aplica às operações de venda de fumo em corda ou em rolo destinada a estabelecimento industrial beneficiador do produto. DESCRIÇÃO ALÍQUOTA (%) 24.1 Tabaco não manufaturado; desperdícios de tabaco Tabaco não destalado Em folhas, sem secar nem fermentar Em folhas secas ou fermentadas tipo capeiro Em folhas secas em secador de ar quente ("flue cured"), do tipo Virgínia Em folhas secas, com um conteúdo de óleos voláteis superior a,2%, em 3 peso, do tipo turco Outros Tabaco total ou parcialmente destalado Em folhas, sem secar nem fermentar Em folhas secas ou fermentadas tipo capeiro Em folhas secas em secador de ar quente ("flue cured"), do tipo Virgínia Em folhas secas ("light air cured"), do tipo Burley Outros Desperdícios de tabaco 24.2 Charutos, cigarrilhas e cigarros, de tabaco ou dos seus sucedâneos Charutos e cigarrilhas, contendo tabaco Cigarros contendo tabaco 33 Ex 1 - Feitos à mão Outros 3 Ex 1 - Cigarros não contendo fumo (tabaco), exceto os feitos à mão Outros produtos de tabaco e seus sucedâneos, manufaturados; tabaco homogeneizado ou reconstituído ; extratos e molhos, de tabaco Tabaco para fumar, mesmo contendo sucedâneos de tabaco em qualquer proporção 3

25 Outros: Tabaco "homogeneizado" ou "reconstituído" Outros Extratos e molhos Outros 3

Gomas de mascar com ou sem açúcar. Bebidas prontas à base de mate ou chá. Preparações em pó para a elaboração de bebidas

Gomas de mascar com ou sem açúcar. Bebidas prontas à base de mate ou chá. Preparações em pó para a elaboração de bebidas Abrangência: operações interestaduais entre contribuintes situados em São Paulo e contribuintes situados em Sergipe. Produto: alimentícios. Conteúdo: relação de Margem de Valor Agregado. Base Legal: Protocolo

Leia mais

Capítulo 20. Preparações de produtos hortícolas, de frutas ou de outras partes de plantas

Capítulo 20. Preparações de produtos hortícolas, de frutas ou de outras partes de plantas Capítulo 20 Preparações de produtos hortícolas, de frutas ou de outras partes de plantas Notas. 1. O presente Capítulo não compreende: a) os produtos hortícolas e frutas preparados ou conservados pelos

Leia mais

Objetivo: Produtos que tiveram maior crescimento no mercado francês entre 2013/2014

Objetivo: Produtos que tiveram maior crescimento no mercado francês entre 2013/2014 Objetivo: Produtos que tiveram maior crescimento no mercado francês entre 2013/2014 PRODUTOS Jan-Jun 2013 Jan-Jun 2014 Crescimento 2013/2014 Outras frutas de casca rija e outras sementes, preparadas ou

Leia mais

ANEXO 4.0 SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA ANEXO 4.42.1. * REVOGADO PELO DECRETO Nº 26.695 de 6 de julho de 2010.

ANEXO 4.0 SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA ANEXO 4.42.1. * REVOGADO PELO DECRETO Nº 26.695 de 6 de julho de 2010. ANEXO 4.0 SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA ANEXO 4.42.1 * REVOGADO PELO DECRETO Nº 26.695 de 6 de julho de 2010. NAS OPERAÇÕES COM PRODUTOS ALIMENTÍCIOS Acrescentado pelo DECRETO nº 26.258 de 30.12.2009 DOE: 30.12.2009

Leia mais

ITEM DESCRIÇÃO NCM/SH 1.1. Chocolate branco, em embalagens de conteúdo inferior ou igual a 1 kg

ITEM DESCRIÇÃO NCM/SH 1.1. Chocolate branco, em embalagens de conteúdo inferior ou igual a 1 kg I - CHOCOLATES 1.1 Chocolate branco, em embalagens de conteúdo inferior ou igual a 1 kg 1704.90.10 1.2 Chocolates contendo cacau, em embalagens de conteúdo inferior 1806.31.10 ou igual a 1kg 1806.31.20

Leia mais

PROTOCOLO ICMS 4, DE 30 DE MARÇO DE 2012

PROTOCOLO ICMS 4, DE 30 DE MARÇO DE 2012 PROTOCOLO ICMS 4, DE 30 DE MARÇO DE 2012 Publicado no DOU de 09.04.12 Altera o Protocolo ICMS 28/09, que dispõe sobre a substituição tributária nas operações com produtos alimentícios. Os Estados de Minas

Leia mais

Protoc. ICMS CONFAZ 110/10 - Protoc. ICMS - Protocolo ICMS CONSELHO NACIONAL DE POLÍTICA FAZENDÁRIA - CONFAZ nº 110 de 09.07.2010

Protoc. ICMS CONFAZ 110/10 - Protoc. ICMS - Protocolo ICMS CONSELHO NACIONAL DE POLÍTICA FAZENDÁRIA - CONFAZ nº 110 de 09.07.2010 Protoc. ICMS CONFAZ 110/10 - Protoc. ICMS - Protocolo ICMS CONSELHO NACIONAL DE POLÍTICA FAZENDÁRIA - CONFAZ nº 110 de 09.07.010 D.O.U.: 10.08.010 Altera o Protocolo ICMS 8/09, que dispõe sobre a substituição

Leia mais

ICMS INCIDENTE SOBRE ALIMENTOS

ICMS INCIDENTE SOBRE ALIMENTOS ICMS INCIDENTE SOBRE ALIMENTOS Cortesia: FARO CONTÁBIL (www.farocontabil.com.br) Autor: Roberto Ferreira de Freitas Data: 21/07/2009 MERCADORIAS SUJEITAS A SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA (Art. 313-W do RICMS)

Leia mais

Setor produtivo G01 - Alimentação/ Bebidas/ Massas. Contém 1120204 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0111-3/99 Cultivo de outros cereais não

Setor produtivo G01 - Alimentação/ Bebidas/ Massas. Contém 1120204 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0111-3/99 Cultivo de outros cereais não Setor produtivo G01 - Alimentação/ Bebidas/ Massas. Contém 1120204 estabelecimentos. CNAE DESCRIÇÃO DO CNAE 0111-3/99 Cultivo de outros cereais não especificados anteriormente 0116-4/99 Cultivo de outras

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos ICMS-ST Redução de Base de Cálculo - RS

Parecer Consultoria Tributária Segmentos ICMS-ST Redução de Base de Cálculo - RS ICMS-ST Redução de Base de Cálculo - RS 04/12/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1. Produtos Alimentícios sujeitos

Leia mais

9.5.2008 PT Jornal Oficial da União Europeia C 115/329 ANEXOS

9.5.2008 PT Jornal Oficial da União Europeia C 115/329 ANEXOS 9.5.2008 PT Jornal Oficial da União Europeia C 115/329 ANEXOS 9.5.2008 PT Jornal Oficial da União Europeia C 115/331 ANEXO I LISTA PREVISTA NO ARTIGO 38. o DO TRATADO SOBRE O FUNCIONAMENTO DA UNIÃO EUROPEIA

Leia mais

LISTA DOS PRODUTOS POR ORDEM DE CLASSES INDICAÇÃO DOS PRODUTOS

LISTA DOS PRODUTOS POR ORDEM DE CLASSES INDICAÇÃO DOS PRODUTOS LISTA DOS PRODUTOS POR ORDEM DE CLASSES Classe 30 Café, chá, cacau, açúcar, arroz, tapioca, sagu, sucedâneos do café; farinhas e preparações feitas de cereais, pão, pastelaria e confeitaria, gelados; mel,

Leia mais

Limite máximo (g/100g ou g/100ml) Legislação. Mistela composta R 04/88

Limite máximo (g/100g ou g/100ml) Legislação. Mistela composta R 04/88 INS 100i CÚRCUMA, CURCUMINA Função: Corante Amargos e aperitivos Cereja em calda (para reconstituição da cor perdida durante processamento) Queijos (exclusivamente na crosta) Iogurtes aromatizados Leites

Leia mais

Principais exportações para São Tomé e Príncipe de produtos agrícolas, florestais e das pescas (média 2004-2008)

Principais exportações para São Tomé e Príncipe de produtos agrícolas, florestais e das pescas (média 2004-2008) Principais exportações para São Tomé e Príncipe de produtos agrícolas, florestais e das pescas (média 2004-2008) 3 500 3 336 3 000 valores em milhares de euros 2 500 2 000 1 500 1 000 1 367 1 279 727 500

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos ICMS-ST Redução de Base de Cálculo - MG

Parecer Consultoria Tributária Segmentos ICMS-ST Redução de Base de Cálculo - MG ICMS-ST Redução de Base de Cálculo - MG 22/08/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 5 3.1. Produtos Alimentícios sujeitos

Leia mais

SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA SÃO PAULO E DISTRITO FEDERAL. Produtos Alimentícios. Vigência a partir de ANEXO ÚNICO

SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA SÃO PAULO E DISTRITO FEDERAL. Produtos Alimentícios. Vigência a partir de ANEXO ÚNICO SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA SÃO PAULO E DISTRITO FEDERAL Produtos Alimentícios Vigência a partir de 01-11-2015 ANEXO ÚNICO I - CHOCOLATES 1 1704.90.10 2 3 1806.31.10 1806.31.20 1806.32.10 1806.32.20 4 1806.90

Leia mais

Principais exportações para o Brasil de produtos agrícolas, florestais e das pescas (média 2004-2008)

Principais exportações para o Brasil de produtos agrícolas, florestais e das pescas (média 2004-2008) Principais exportações para o Brasil de produtos agrícolas, florestais e das pescas (média 2004-2008) 70 000 62 207 60 000 valores em milhares de euros 50 000 40 000 30 000 20 000 21 786 17 825 8 620 10

Leia mais

ANEXO 1 AO COMUNICADO: SÃO PAULO E SANTA CATARINA ALTERAÇÃO DE ACORDO DE ST.

ANEXO 1 AO COMUNICADO: SÃO PAULO E SANTA CATARINA ALTERAÇÃO DE ACORDO DE ST. ANEXO 1 AO COMUNICADO: SÃO PAULO E SANTA CATARINA ALTERAÇÃO DE ACORDO DE ST. Abrangência: operações interestaduais originadas do Estado de São Paulo e destinadas ao Estado de Santa Catarina. Produto: alimentícios.

Leia mais

% MVA - INTERNA ALIQ. INTERNA

% MVA - INTERNA ALIQ. INTERNA ANEXO AO COMUNICADO: ACORDOS DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA SÃO PAULO E AMAPÁ. Abrangência: operações interestaduais originadas do estado de São Paulo e destinadas ao estado do Amapá. Produto: alimentícios.

Leia mais

Capítulo 12. Sementes e frutos oleaginosos; grãos, sementes e frutos diversos; plantas industriais ou medicinais; palhas e forragens

Capítulo 12. Sementes e frutos oleaginosos; grãos, sementes e frutos diversos; plantas industriais ou medicinais; palhas e forragens Capítulo 12 Sementes e frutos oleaginosos; grãos, sementes e frutos diversos; plantas industriais ou medicinais; palhas e forragens Notas. 1. Consideram-se sementes oleaginosas, na acepção da posição 12.07,

Leia mais

N O T A D E E M P E N H O PAGINA: 1

N O T A D E E M P E N H O PAGINA: 1 PAGINA: 1 EMISSAO : 05Ago10 NUMERO: 2010NE901052 ESPECIE: EMPENHO DE DESPESA CNPJ : 09579964/0001-00 FONE: (041) 3281-7500 ENDERECO : PRACA MARECHAL ALBERTO FERREIRA DE ABREU,S/N- BATEL - CTBA - PR MUNICIPIO

Leia mais

10.02 Centeio. 1002.10.00 -Para semeadura NT 1002.90.00 -Outros NT

10.02 Centeio. 1002.10.00 -Para semeadura NT 1002.90.00 -Outros NT CAPÍTULO 10 CEREAIS 1.- A) Os produtos mencionados nos textos das posições do presente Capítulo só se incluem nessas posições quando se apresentem em grãos, mesmo nas espigas ou caules. B) O presente Capítulo

Leia mais

LOTES 01- PERECÍVEIS FRIOS

LOTES 01- PERECÍVEIS FRIOS LOTES 0- PERECÍVEIS FRIOS 3 4 5 Lingüiça, do tipo calabresa, resfriada, industrialmente embalada, com SIF, embalagem plástica transparente atóxica não reciclada, contendo informações sobre o fabricante

Leia mais

Nem tudo que borbulha é ESPUMANTE.

Nem tudo que borbulha é ESPUMANTE. Nem tudo que borbulha é ESPUMANTE. Saiba qual a diferença entre o espumante e produtos substitutos. O que é um vinho espumante? O vinho espumante é resultante da fermentação da uva sã, fresca e madura,

Leia mais

ITEM DESCRIÇÃO NCM IVA-ST SP PRESENTE NOS ACORDOS

ITEM DESCRIÇÃO NCM IVA-ST SP PRESENTE NOS ACORDOS ITEM DESCRIÇÃO NCM IVA-ST SP PRESENTE NOS ACORDOS 1.1 Chocolate branco, em embalagens de conteúdo inferior ou igual a 1kg 1704.90.10 40,88% NÃO 1.2 Chocolates contendo cacau, em embalagens de conteúdo

Leia mais

CURSO DE GASTRONOMIA Disciplina : matérias primas Conceito e Tipo de Matéria Prima

CURSO DE GASTRONOMIA Disciplina : matérias primas Conceito e Tipo de Matéria Prima CURSO DE GASTRONOMIA Disciplina : matérias primas Conceito e Tipo de Matéria Prima Profª. Nensmorena Preza ALIMENTO Toda substância ou mistura de substâncias, no estado sólido, líquido, pastoso ou qualquer

Leia mais

Publicado no D.O.C de 14/09/10 P. 93-94

Publicado no D.O.C de 14/09/10 P. 93-94 Publicado no D.O.C de 14/09/10 P. 93-94 SUBGERÊNCIA DE ALIMENTOS Processos Administrativos COMUNICAÇÃO DE INÍCIO DE FABRICAÇÃO DE PRODUTOS DISPENSADOS DE REGISTRO Proc.: 2009-0.192.797-6 1. Mistura em

Leia mais

Vida saudável com muito mais sabor

Vida saudável com muito mais sabor 1 Vida saudável com muito mais sabor APAE DE SÃO PAULO, com o objetivo de atender um grande público formado por pessoas que A precisam seguir dietas restritivas, em decorrência de doenças metabólicas,

Leia mais

I - CHOCOLATES MVA AJUSTADO % - 12% MVA Original % ITEM DESCRIÇÃO ,29 50,56 52,41 64,24 66,27 1.2

I - CHOCOLATES MVA AJUSTADO % - 12% MVA Original % ITEM DESCRIÇÃO ,29 50,56 52,41 64,24 66,27 1.2 ANEXO AO COMUNICADO: ACORDOS DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA SÃO PAULO E RIO DE JANEIRO - ALTERAÇÃO Abrangência: operações interestaduais realizadas entre os estados de São Paulo e Rio de Janeiro. Produto:

Leia mais

ITENS DA MERENDA ESCOLAR 2015

ITENS DA MERENDA ESCOLAR 2015 ITENS DA MERENDA ESCOLAR 2015 Nº ITEM UNIDADE DE MEDIDA 1 ABACATE 2 ABACAXI 3 ABÓBORA 4 ACHOCOLATADO EM PÓ EMBALAGEM DE 800G FARDO COM 24 PCT DE 400G 5 ACHOCOLATADO EM PÓ DIET EMBALAGEM DE 210G 6 ACHOCOLATADO

Leia mais

% MVA - ALIQ. INTERNA INTERNA 40 17% 37 17% 39 17% 44 17% 25 17% 24 17% 54 17% 63 17% 47 17% 60 17%

% MVA - ALIQ. INTERNA INTERNA 40 17% 37 17% 39 17% 44 17% 25 17% 24 17% 54 17% 63 17% 47 17% 60 17% Abrangência: operações interestaduais entre contribuintes situados em São Paulo e contribuintes situados no Amapá. Produto: alimentícios. Conteúdo: relação de Margem de Valor Agregado. Base Legal: Protocolo

Leia mais

LICITAÇÃO CARTA CONVITE DE Nº 2015/0001 OBJETO DA LICITAÇÃO: AQUISIÇÃO MERENDA ESCOLAR DATA DA LICITAÇÃO: 02/03/2015 HORÁRIO DA LICITAÇÃO: 10:00hs

LICITAÇÃO CARTA CONVITE DE Nº 2015/0001 OBJETO DA LICITAÇÃO: AQUISIÇÃO MERENDA ESCOLAR DATA DA LICITAÇÃO: 02/03/2015 HORÁRIO DA LICITAÇÃO: 10:00hs GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ Secretaria da Educação EEM Jáder de Figueiredo Correia Rua Livino Teixeira, 112 Bairro Centro Telefone: (88) 3617 4051 E-mail: jaderfigueiredo@escola.ce.gov.br LICITAÇÃO CARTA

Leia mais

CATÁLOGO DE NATAL SELEÇÃO

CATÁLOGO DE NATAL SELEÇÃO CATÁLOGO DE NATAL SELEÇÃO 2 0 1 3 Fotos meramente ilustrativas. Beba com moderação. Caixa Cristal II 02 itens R$ 42,90 Caixa Cristal I 02 itens R$ 56,90 Caixa Cristal III 02 itens R$ 24,90 Fotos meramente

Leia mais

PROTOCOLO ICMS 216, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2009

PROTOCOLO ICMS 216, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2009 PROTOCOLO ICMS 216, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2009 Altera o Protocolo ICMS 28/09, que dispõe sobre a substituição tributária nas operações com produtos alimentícios Os Estados de Minas Gerais e de São Paulo,

Leia mais

b) preparado contendo laranja (fruta) e banana (fruta) corresponde a um ingrediente característico;

b) preparado contendo laranja (fruta) e banana (fruta) corresponde a um ingrediente característico; MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 17, DE 19 DE JUNHO DE 2013 O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso da atribuição

Leia mais

CRONOGRAMA DE ENTREGA AABB

CRONOGRAMA DE ENTREGA AABB CRONOGRAMA DE ENTREGA AABB NÃO PERECIVEIS DATA DE ASSINATURA DO FORNECEDOR ASSINATURA DO RESPONSÁVEL ENTREGA ----------------------------------------------- ------------------------------------------------

Leia mais

PROTOCOLO ICMS 02, DE 20 DE JANEIRO DE 2010

PROTOCOLO ICMS 02, DE 20 DE JANEIRO DE 2010 PROTOCOLO ICMS 02, DE 20 DE JANEIRO DE 2010 Altera o Protocolo ICMS 188/09, que dispõe sobre a substituição tributária nas operações com produtos alimentícios. Os Estados de Minas Gerais e de Santa Catarina,

Leia mais

DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO

DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO Plano Brasil Maior No que consiste? O Plano Brasil Maior é a política industrial, tecnológica e de comércio exterior do atual Governo federal. Quais são seus objetivos?

Leia mais

GPEARI Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. Nº 12 Dezembro 2008

GPEARI Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. Nº 12 Dezembro 2008 Boletim Mensal de Economia Portuguesa Nº 12 Dezembro 2008 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia e da Inovação GPEARI Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais

Leia mais

RESOLUÇÃO SMAC nº 577 de 02 de dezembro de 2014*

RESOLUÇÃO SMAC nº 577 de 02 de dezembro de 2014* RESOLUÇÃO SMAC nº 577 de 02 de dezembro de 2014* Estabelece parâmetros para o Licenciamento Ambiental das atividades de comércio atacadista e de confecção e fabricação de produtos têxteis. O SECRETÁRIO

Leia mais

PROJETO DE INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº, DE DE DE 2009

PROJETO DE INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº, DE DE DE 2009 PROJETO DE INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº, DE DE DE 2009 O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso da atribuição que lhe confere o art. 87, parágrafo único, inciso II, da Constituição,

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DO DESENVOLVIMENTO DA PRODUÇÃO CONSULTA PÚBLICA Nº 06, DE 28 DE MARÇO DE 2014.

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DO DESENVOLVIMENTO DA PRODUÇÃO CONSULTA PÚBLICA Nº 06, DE 28 DE MARÇO DE 2014. MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DO DESENVOLVIMENTO DA PRODUÇÃO CONSULTA PÚBLICA Nº 06, DE 28 DE MARÇO DE 2014. A Secretária do Desenvolvimento da Produção do Ministério

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO PARA FIXAÇÃO DOS PADRÕES DE IDENTIDADE E QUALIDADE PARA REFRESCO

REGULAMENTO TÉCNICO PARA FIXAÇÃO DOS PADRÕES DE IDENTIDADE E QUALIDADE PARA REFRESCO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº. 544, DE 16 DE NOVEMBRO DE 1998. O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO, no uso da atribuição que lhe

Leia mais

Jornal Oficial da União Europeia. REGULAMENTO (CE) N. o 1784/2003 DO CONSELHO. de 29 de Setembro de 2003

Jornal Oficial da União Europeia. REGULAMENTO (CE) N. o 1784/2003 DO CONSELHO. de 29 de Setembro de 2003 L 270/78 21.10.2003 REGULAMENTO (CE) N. o 1784/2003 DO CONSELHO de 29 de Setembro de 2003 que estabelece a organização comum de mercado no sector dos cereais O CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA, Tendo em conta

Leia mais

MVA-ST COM DESTINO A SP E RJ (%)

MVA-ST COM DESTINO A SP E RJ (%) Abrangência: operações interestaduais, entre contribuintes dos estados de S.Paulo e Rio de Janeiro. Produto: alimentícios. Conteúdo: exclusão de itens do campo de incidência de ST. Vigência: 30-07-2013.

Leia mais

Tabela de calorias dos alimentos. Descricão Média g/ml calorias

Tabela de calorias dos alimentos. Descricão Média g/ml calorias achocolatado c/ leite integral achocolatado c/ chantilly 1 xic. (grande) 2 água água de coco café s/ açúcar 1 xic. (café) caipirinha de vodka cerveja chá (s/ açúcar) 1 xic. (chá) chá-mate (s/ açúcar) 1

Leia mais

MODELO DE CARTA PROPOSTA

MODELO DE CARTA PROPOSTA 1 ACHOCOLATADO EM PÓ INST. POTE 400G UND 36 2 ÁGUA MINERAL 20 LITROS RECARGA 40 3 AÇUCAR PCT DE 2KG CADA C/ 15UND FARDO 35 4 ALHO BOA QUALIDADE KG 20 5 AMENDOIN IN NATURA, SEM CASCA, MEDIO 1 KG KG 4 6

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE FREQÜÊNCIA ALIMENTAR ADULTO

QUESTIONÁRIO DE FREQÜÊNCIA ALIMENTAR ADULTO Setor: N o. do quest QUESTIONÁRIO DE FREQÜÊNCIA ALIMENTAR ADULTO PARA TODAS AS PESSOAS COM 20 ANOS OU MAIS Data da entrevista / / Hora de início: Nome do entrevistador: Nº de identificação: Nome: Sexo

Leia mais

ANEXO A.1 Formulário Dietético

ANEXO A.1 Formulário Dietético ANEXO A.1 Formulário Dietético I) As dietas abaixo referidas deverão cumprir com as especificações do anexo A.2 (Capitações dos alimentos de refeições confecionadas e preparações culinárias) e do anexo

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 2.786, DE 2015 (Do Sr. Rogério Peninha Mendonça)

PROJETO DE LEI N.º 2.786, DE 2015 (Do Sr. Rogério Peninha Mendonça) *C0055655A* C0055655A CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 2.786, DE 2015 (Do Sr. Rogério Peninha Mendonça) Institui benefícios fiscais para operações de importação e de venda no mercado interno de

Leia mais

INFORMAÇÕES PARA REGISTRO DE ESTABELECIMENTO

INFORMAÇÕES PARA REGISTRO DE ESTABELECIMENTO DTB MIAMI CORP. INFORMAÇÕES PARA REGISTRO DE ESTABELECIMENTO Data: (mês/dia/ano) SECTION 1 TIPO DE REGISTO 1a REGISTRO DOMESTICO REGISTRO ESTRANGEIRO 1b REGISTRO INICIAL ATUALIZAÇÃO DE INFORMAÇÕES DE REGISTRO

Leia mais

SEÇÃO III GORDURAS E ÓLEOS ANIMAIS OU VEGETAIS; PRODUTOS DA SUA DISSOCIAÇÃO; GORDURAS ALIMENTARES ELABORADAS; CERAS DE ORIGEM ANIMAL OU VEGETAL

SEÇÃO III GORDURAS E ÓLEOS ANIMAIS OU VEGETAIS; PRODUTOS DA SUA DISSOCIAÇÃO; GORDURAS ALIMENTARES ELABORADAS; CERAS DE ORIGEM ANIMAL OU VEGETAL SEÇÃO III GORDURAS E ÓLEOS ANIMAIS OU VEGETAIS; PRODUTOS DA SUA DISSOCIAÇÃO; GORDURAS ALIMEARES ELABORADAS; CERAS DE ORIGEM ANIMAL OU VEGETAL Capítulo 5 Gorduras e óleos animais ou vegetais; produtos da

Leia mais

CATÁLOGO DE CARNES, CONS. ORIGEM ANIMAL, CEREAIS, FARINÁCEOS, CONDIMENTOS, PEIXES

CATÁLOGO DE CARNES, CONS. ORIGEM ANIMAL, CEREAIS, FARINÁCEOS, CONDIMENTOS, PEIXES CATÁLOGO DE CARNES, CONS. ORIGEM ANIMAL, CEREAIS, FARINÁCEOS, CONDIMENTOS, PEIXES Descrição Bisteca suína Bisteca suína, congelada, com aproximadamente 250 gramas cada, embalada em camadas separadas por

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos. Calculo de IPI por Pauta para Sorvetes acondicionados em potes de 1 a 2 litros - Federal

Parecer Consultoria Tributária Segmentos. Calculo de IPI por Pauta para Sorvetes acondicionados em potes de 1 a 2 litros - Federal potes de 1 a 2 litros - Federal 18/12/2013 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 5 3.1 Instrução Normativa nº 32 de 2012 do Estado

Leia mais

Brasil: Balança Comercial Total e Agrícola. Chile 2005 2009 Var. Média Anual (%) Total 32.735.072 42.427.400 6,7% Agrícola* 1.995.743 3.246.

Brasil: Balança Comercial Total e Agrícola. Chile 2005 2009 Var. Média Anual (%) Total 32.735.072 42.427.400 6,7% Agrícola* 1.995.743 3.246. Chile Chile: Brasil: Importação Capital: Santiago População: 16,9 milhões de habitantes PIB (2010): US$ 199,2 bilhões PIB per capita (2010): US$ 11.795 PIB por setor: --Agricultura: 5,6% --Indústria: 40,5%

Leia mais

Esclarecimento 8/2014

Esclarecimento 8/2014 Segurança Alimentar Aprovação de estabelecimentos industriais em casas particulares Esclarecimento 8/2014 Resumo: O presente esclarecimento pretende clarificar o enquadramento legal da aprovação e atribuição

Leia mais

Plano de alimentação para perder 3 KG por mês mas para alcançar esse objetivo tem que ser feito arrisca.

Plano de alimentação para perder 3 KG por mês mas para alcançar esse objetivo tem que ser feito arrisca. Plano de alimentação para perder 3 KG por mês mas para alcançar esse objetivo tem que ser feito arrisca. Exemplo: A hora é você que decide somente estou dando um exemplo de horário; Café da Manha 7h Antes

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL P. M. DE SAO JOSE DO HORTENCIO

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL P. M. DE SAO JOSE DO HORTENCIO Licitação:PREGÃO PRESENCIAL Nro:6/2015 01a Via Pagina:1 Fornecedor: Data:07/07/2015 Endereço: Bairro: CNPJ: IE: Municipio: CEP: Telefone: Fax: 1 1,00 UN LOTE 01 - PÃES E PERECÍVEIS 2 1050,00 UN PÃO FRANCÊS

Leia mais

Observação: crianças, adolescentes, gestantes e praticantes de atividades físicas intensas têm recomendações diferenciadas.

Observação: crianças, adolescentes, gestantes e praticantes de atividades físicas intensas têm recomendações diferenciadas. Atualizado em 15.01.2014 O Lanche Certo tem como objetivo orientar sobre escolhas alimentares adequadas de lanches no trabalho, o que possibilita a melhora de hábitos alimentares, além da promoção da saúde

Leia mais

ITALAC UNID 3,49 SERTANEJO UNID 1,89 ASSUGRIN UNID 2,79 DURYEA UNID 4,99 FALMOLI KG CAÇAROLA UNID 2,59 SERIDÓ UNID 2,49 CAICÓ UNID 4,49

ITALAC UNID 3,49 SERTANEJO UNID 1,89 ASSUGRIN UNID 2,79 DURYEA UNID 4,99 FALMOLI KG CAÇAROLA UNID 2,59 SERIDÓ UNID 2,49 CAICÓ UNID 4,49 Item Especificação Marca Unid Preço Unit Registrado 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 ACHOCOLATADO PO, 400G AÇUCAR CRISTAL, PACOTE 1 ADOÇANTE ARTIFICIAL LIQUIDO 200ML AMIDO MILHO 500G APRESUNTADO

Leia mais

IRMANDADE DA SANTA CASA DE LOUVEIRA

IRMANDADE DA SANTA CASA DE LOUVEIRA RETIFICAÇÃO DO EDITAL PROCESSO LICITATÓRIO Nº 67/2014 PREGÃO Nº 02/2014 OBJETIVO: Aquisição de Cestas Básicas. Onde se lia: ANEXO I - ESPECIFICAÇÃO DO OBJETO E QUANTITATIVOS ITEM QTD UNID. DESCRIÇÃO DO

Leia mais

Brasil: Balança Comercial Total e Agrícola. Argentina 2005 2009 Var. Média Anual (%) Total 28.688.638 40.293.388 8,9%

Brasil: Balança Comercial Total e Agrícola. Argentina 2005 2009 Var. Média Anual (%) Total 28.688.638 40.293.388 8,9% ARGENTINA Argentina Argentina: Brasil: Importação Capital: Buenos Aires População: 41,3 milhões de habitantes PIB (2010): US$ 351 bilhões PIB per capita (2010): US$ 8.490 PIB por setor: --Agricultura:

Leia mais

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM RURAL ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DE RONDÔNIA SENAR-AR/RO CNPJ Nº. 04.293.236/0001-14

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM RURAL ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DE RONDÔNIA SENAR-AR/RO CNPJ Nº. 04.293.236/0001-14 ANEXO II ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº001 VINCULADA A LICITAÇÃO NA MODALIDADE CONCORRÊCIA Nº 001/2010 ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº. 001/2010 PROCESSO Nº 006/2010 CONCORRÊNCIA Nº 001/2010 CONTRATANTE: SENAR/RO

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N o, DE DE DE 2008.

INSTRUÇÃO NORMATIVA N o, DE DE DE 2008. Portaria Nº 64, DE 23 DE ABRIL DE 2008 Situação: Vigente Publicado no Diário Oficial da União de 24/04/2008, Seção 1, Página 9 Ementa: Submete à Consulta Pública, pelo prazo de 60 (sessenta) dias a contar

Leia mais

Legislação de bebidas não alcoólicas a base de uva

Legislação de bebidas não alcoólicas a base de uva Legislação de bebidas não alcoólicas a base de uva Kelly Lissandra Bruch Assessora Jurídica Instituto Brasileiro do Vinho IBRAVIN Professora da Universidade Luterana do Brasil Assessora Técnica do IRGA

Leia mais

NOTA TÉCNICA: REGIME DE ESTIMATIVA TRIBUTÁRIO DE FORNECIMENTO DE ALIMENTAÇÃO

NOTA TÉCNICA: REGIME DE ESTIMATIVA TRIBUTÁRIO DE FORNECIMENTO DE ALIMENTAÇÃO CHOCOLATES, BALAS E GULOSEIMAS SEMELHANTES 1704.90.10 Chocolate branco, em embalagens de conteúdo inferior ou igual a 1 kg 1806.31.10 1806.31.20 Chocolates contendo cacau, em embalagens de conteúdo inferior

Leia mais

Estabelecimentos e Equipamentos de Assistência e de Interesse à Saúde Tabela CNAE - Fiscal IBGE adaptada para a Vigilância Sanitária

Estabelecimentos e Equipamentos de Assistência e de Interesse à Saúde Tabela CNAE - Fiscal IBGE adaptada para a Vigilância Sanitária ANEXO I Estabelecimentos e Equipamentos de Assistência e de Interesse à Saúde Tabela CNAE - Fiscal IBGE adaptada para a Vigilância Sanitária As tabelas a seguir apresentam os estabelecimentos e equipamentos

Leia mais

COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL?

COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL? COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL? O Ministério da Saúde está lançando a versão de bolso do Guia Alimentar para a População Brasileira, em formato de Dez Passos para uma Alimentação Saudável, com o objetivo

Leia mais

Este documento constitui um instrumento de documentação e não vincula as instituições

Este documento constitui um instrumento de documentação e não vincula as instituições - I Este documento constitui um instrumento de documentação e não vincula as instituições DIRECTIVA DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 30 de Junho de 1994 relativa aos edulcorantes para utilização

Leia mais

ANEXO. Regulamento Delegado da Comissão

ANEXO. Regulamento Delegado da Comissão COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 28.7.2015 C(2015) 5195 final ANNEX 1 PART 2/3 ANEXO do Regulamento Delegado da Comissão que complementa o Regulamento (UE) n.º 952/2013 do Parlamento Europeu e do Conselho com

Leia mais

RESOLUÇÃO RDC N 7, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2011

RESOLUÇÃO RDC N 7, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2011 RESOLUÇÃO RDC N 7, DE 18 DE FEVEREIRO DE 11 Legislações ANVISA Ter, 22 de Fevereiro de 11 RESOLUÇÃO RDC N 7, DE 18 DE FEVEREIRO DE 11 Dispõe sobre limites máximos tolerados (LMT) para micotoxinas em alimentos.

Leia mais

LISTA DE SUBSTITUIÇÃO DOS ALIMENTOS

LISTA DE SUBSTITUIÇÃO DOS ALIMENTOS LISTA DE SUBSTITUIÇÃO DOS ALIMENTOS VEGETAIS FOLHOSOS CONSUMO À VONTADE Acelga, agrião, aipo, alface, alcachofra, almeirão, broto de bambu, cogumelo, couve, couve-de-bruxelas, escarola, mostarda, palmito,

Leia mais

Chile. Balança Comercial Total e Agrícola. Chile 2007 2011 Var. Média Anual (%) Agrícola* 3.294.601 5.767.861 15,0% Part.

Chile. Balança Comercial Total e Agrícola. Chile 2007 2011 Var. Média Anual (%) Agrícola* 3.294.601 5.767.861 15,0% Part. Chile Capital: Santiago População 1 : 17,2 milhões de habitantes PIB (2011) 2 : US$ 248,4 bilhões PIB per capita (2011) 2 : US$ 14.277 PIB por setor 3 : Agricultura: 13,2% Indústria: 23,0% Serviços: 63,9%

Leia mais

INFORMAÇÃO AO CONSUMIDOR. Tabela Nutricional e Alergênicos

INFORMAÇÃO AO CONSUMIDOR. Tabela Nutricional e Alergênicos INFORMAÇÃO AO CONSUMIDOR Tabela Nutricional e Alergênicos INFORMAÇÃO AO CONSUMIDOR CASA DO PÃO DE QUEIJO PÃO DE QUEIJO TRADICIONAL Ingredientes: Amido de mandioca, queijo, água, ovo, margarina vegetal,

Leia mais

PORTUGAL GREECE Trade Balance

PORTUGAL GREECE Trade Balance PORTUGAL GREECE Trade Balance March 2013 TRADE BALANCE PORTUGAL GREECE IMPORTS (CIF) Annual Variation % EXPORTS (FOB) Annual Variation % 10³ Euros BALANCE 2003 81.998 121.881 39.883 2004 76.487-6,72 126.685

Leia mais

Gênero do NCM. 03 - Peixes, Crustaceos, Moluscos e outros invertebrados Aquaticos

Gênero do NCM. 03 - Peixes, Crustaceos, Moluscos e outros invertebrados Aquaticos 01 - Animais Vivos Gênero do NCM 02 - Carnes e miudezas 03 - Peixes, Crustaceos, Moluscos e outros invertebrados Aquaticos 04 - Produtos Comestiveis de origem animal 05 - Outros Produtos de Origem Animal

Leia mais

O que são e para que servem os produtos Diet, Light, Zero e Cia? Tipos de açúcares e adoçantes!

O que são e para que servem os produtos Diet, Light, Zero e Cia? Tipos de açúcares e adoçantes! O que são e para que servem os produtos Diet, Light, Zero e Cia? Tipos de açúcares e adoçantes! Coordenadora e Nutricionista Felícia Bighetti Sarrassini - CRN 10664 * Alimentos Diet: Alimento dietético

Leia mais

ANEXO REGULAMENTO TÉCNICO MERCOSUL SOBRE MIGRAÇÃO EM MATERIAIS, EMBALAGENS E EQUIPAMENTOS PLÁSTICOS DESTINADOS A ENTRAR

ANEXO REGULAMENTO TÉCNICO MERCOSUL SOBRE MIGRAÇÃO EM MATERIAIS, EMBALAGENS E EQUIPAMENTOS PLÁSTICOS DESTINADOS A ENTRAR ANEO REGULAMENTO TÉCNICO MERCOSUL SOBRE MIGRAÇÃO EM MATERIAIS, EMBALAGENS E EQUIPAMENTOS PLÁSTICOS DESTINADOS A ENTRAR 1 EM CONTATO COM ALIMENTOS 1. Alcance. O presente Regulamento Técnico estabelece os

Leia mais

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 07, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2011

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 07, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2011 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 07, DE 18 DE FEVEREIRO

Leia mais

Tabela de tributação do ICMS na entrada Nacional no Amazonas MVA

Tabela de tributação do ICMS na entrada Nacional no Amazonas MVA Tabela de tributação do ICMS na entrada Nacional no Amazonas Código Código GDD Tipo SG Tipo Forma Descrição Resumida 12% 7% 4% 12% 7% 4% A001 01 1316 00 1305 Antecipado comércio/serviço Declarado Comercialização

Leia mais

Arrufada (Pão de Deus)

Arrufada (Pão de Deus) Catálogo Pastelaria Pastelaria Fina Arrufada (Pão de Deus) Arrufada de 90g (produto fresco) Produto completo para massas levedas com açúcar [Farinha (trigo, glúten e soja), gordura vegetal em pó (óleo

Leia mais

Brasil: Balança Comercial Total e Agrícola. África do Sul 2005 2009 Var. Média Anual (%) Total 55.032.640 63.766.056 3,8%

Brasil: Balança Comercial Total e Agrícola. África do Sul 2005 2009 Var. Média Anual (%) Total 55.032.640 63.766.056 3,8% África do Sul África do Sul: Brasil: Capital: Pretória População: 49 milhões de habitantes PIB (2010): US$ 354,4 bilhões PIB per capita (2010): US$ 7.232 PIB por setor: --Agricultura: 3% --Indústria: 31,2%

Leia mais

Proposta de DECISÃO DO CONSELHO

Proposta de DECISÃO DO CONSELHO COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 21.12.2011 COM(2011) 924 final 2011/0456 (NLE) Proposta de DECISÃO DO CONSELHO relativa à assinatura, em nome da União Europeia, do Acordo sob forma de troca de cartas entre

Leia mais

SUGESTÃO FILANTRÓPICA NOVEMBRO/ 2011 Dias Desjejum Almoço Lanche Jantar Mamão e banana com Sopa de macarrão, carne e Pão de forma com Omelete

SUGESTÃO FILANTRÓPICA NOVEMBRO/ 2011 Dias Desjejum Almoço Lanche Jantar Mamão e banana com Sopa de macarrão, carne e Pão de forma com Omelete SUGESTÃO FILANTRÓPICA NOVEMBRO/ 2011 31/10 Leite com achocolatado Mamão e banana com Sopa de macarrão, carne e Pão de forma com Omelete farinha láctea legumes Batatas ao molho Salada de cenoura e beterraba

Leia mais

Câmaras e Equipamentos Frigoríficos Refrigeração Aquecimento Umidade Relativa São Paulo/SP (11) 6636-5851

Câmaras e Equipamentos Frigoríficos Refrigeração Aquecimento Umidade Relativa São Paulo/SP (11) 6636-5851 www.tectermica.com.br Câmaras e Equipamentos Frigoríficos Refrigeração Aquecimento Relativa São Paulo/SP (11) 6636-5851 FRUTAS Produto Propriedades dos Alimentos Perecíveis Abacate 7,2 a 12,8 85 a 90 65,4-1

Leia mais

Queijo cremoso e maionese Adicione a sanduíches, bagels, biscoitos e fruta

Queijo cremoso e maionese Adicione a sanduíches, bagels, biscoitos e fruta Adição de calorias e de proteínas à sua dieta Princess Margaret Increasing Calories and Protein in Your Diet - Portuguese Para pacientes com dificuldades em comer durante os tratamentos oncológicos Este

Leia mais

ANEXO I - Termo de Referencia - Especificação Detalhada do Objeto.

ANEXO I - Termo de Referencia - Especificação Detalhada do Objeto. ANEXO I - Termo de Referencia - Especificação Detalhada do Objeto. ITEM PRODUTO UNID. QTDE ANUAL VALOR MÉDIO VALOR TOTAL Abacaxi em Calda ( peso drenado 400g) 1 lt 100 R$ 6,90 R$ 690,13 Açafrão pct com

Leia mais

PRODUTOS CNAE- INDUSTRIA

PRODUTOS CNAE- INDUSTRIA PRODUTOS CNAE- INDUSTRIA 10 - FABRICAÇÃO DE PRODUTOS ALIMENTÍCIOS CNAE 10.11-2: Abate de reses, exceto suínos 1011.2010 - Carnes de animais das espécies cavalar, asinina e muar, frescas, refrigeradas ou

Leia mais

Brasil: Israel 2003 2007 Var.Média Anual (%) Total 34.210.939 56.619.379 13,4% Agrícola* 2.177.944 3.452.842 12,2% Part.

Brasil: Israel 2003 2007 Var.Média Anual (%) Total 34.210.939 56.619.379 13,4% Agrícola* 2.177.944 3.452.842 12,2% Part. 284 Intercâmbio Comercial do Agronegócio 2009 ISRAEL ISRAEL Israel: Capital: Tel-Aviv População: 7,2 milhões de habitantes PIB (2008): US$ 188,7 bilhões PIB per capita (2008): US$ 26.208 PIB por setor:

Leia mais

Métodos de aplicação. Moisture Analyzer HB43-S

Métodos de aplicação. Moisture Analyzer HB43-S Métodos de aplicação Moisture Analyzer HB43-S Conteúdo 1 Métodos de aplicação para o HB43-S... 4 1.1 Conteúdo destas instruções... 4 1.1.1 Complemento ao manual de instruções HB43-S... 4 1.1.2 Introdução...

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2013. Componente Curricular: Processamento de alimentos de origem vegetal

Plano de Trabalho Docente 2013. Componente Curricular: Processamento de alimentos de origem vegetal Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC Dr Francisco Nogueira de Lima Código: 059 Município: Casa Branca Eixo Tecnológico: Produção Alimentícia Habilitação Profissional: Técnico em Alimentos

Leia mais

COMISSÃO DIRETORA PARECER Nº 1.404, DE 2004

COMISSÃO DIRETORA PARECER Nº 1.404, DE 2004 COMISSÃO DIRETORA PARECER Nº 1.404, DE 2004 Redação final do Projeto de Lei da Câmara nº 89, de 2000 (nº 3.512, de 1997, na Casa de origem). A Comissão Diretora apresenta a redação final do Projeto de

Leia mais

BARRA DE CEREAIS ENERGY MIX CASTANHA COM CHOCOLATE

BARRA DE CEREAIS ENERGY MIX CASTANHA COM CHOCOLATE BARRA DE CEREAIS ENERGY MIX CASTANHA COM CHOCOLATE FLOCOS DE AVEIA, COBERTURA SABOR CHOCOLATE, AÇÚCAR, XAROPE E GLICOSE, FLOCOS DE CEREAIS (TRIGO, ARROZ, MILHO E AVEIA), FLOCOS DE ARROZ, MALTODEXTRINA,

Leia mais

DO MUNICÍPIO DE TIBAGI ESTADO DO PARANÁ. Pç. Edmundo Mercer, 34 Fone: (42) 3916-2200 84300-000 - Tibagi PR - www.tibagi.pr.gov.br AVISO DE LICITAÇÃO

DO MUNICÍPIO DE TIBAGI ESTADO DO PARANÁ. Pç. Edmundo Mercer, 34 Fone: (42) 3916-2200 84300-000 - Tibagi PR - www.tibagi.pr.gov.br AVISO DE LICITAÇÃO AVISO DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº 008/2010 O MUNICÍPIO, Estado do Paraná, torna público que realizará licitação, na modalidade de Pregão Presencial, para Registro de Preços para aquisição futura

Leia mais

PRODUTOS - 2003. 1000.0030 Hulhas aglomeradas (bolotas, briquetes, etc) kg 2701.2 11020

PRODUTOS - 2003. 1000.0030 Hulhas aglomeradas (bolotas, briquetes, etc) kg 2701.2 11020 PRODUTOS - 2003 IBAMA HISTÓRICO PRODLIST A DESCRIÇÃO PIM Unidade de Medida NCM 2003 CPC 10.00-6 Extração de carvão mineral 1000.0010 AD Carvão mineral e outros combustíveis sólidos obtidos a partir da

Leia mais

RECEITAS SEM GLÚTEN ALERGIAS ALIMENTARES RECEITAS

RECEITAS SEM GLÚTEN ALERGIAS ALIMENTARES RECEITAS RECEITAS Souflê de brócolis (4 - Porção(ões) - 120 - Caloria(s)) Ingredientes: 100 g de queijo minas ou tofu 1 xícara de leite ou extrato de soja 2 ovos 1 colher de sopa de amido de milho (maisena) 1 pitada

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE GÊNEROS ITENS DISCRIMINAÇÃO EMBALAGEM UND. 1 AÇUCAR - tipo cristal, granulado, cor clara, e sem umidade e sujidade.

ESPECIFICAÇÃO DE GÊNEROS ITENS DISCRIMINAÇÃO EMBALAGEM UND. 1 AÇUCAR - tipo cristal, granulado, cor clara, e sem umidade e sujidade. ESPECIFICAÇÃO DE GÊNEROS ITENS DISCRIMINAÇÃO EMBAAGEM UND. 1 AÇUCAR - tipo cristal, granulado, cor clara, e sem umidade e sujidade. Pacote 2 ou 5. 2 AIMENTO ACHOCOATADO, em pó, a base de: açúcar / cacau

Leia mais

Treinamento: Aproveitamento Integral de Alimentos Cód. 821

Treinamento: Aproveitamento Integral de Alimentos Cód. 821 APROVEITAMENTO INTEGRAL DE ALIMENTOS Para higienização de hortifrutis: - 1 litro de água potável - 1 colher de sopa (10 ml) de água sanitária, sem perfume - Deixar de molho por 15 minutos CALDO NUTRITIVO

Leia mais

Art. 2º Este Regulamento incorpora ao ordenamento jurídico nacional a Resolução GMC MERCOSUL n. 32/10.

Art. 2º Este Regulamento incorpora ao ordenamento jurídico nacional a Resolução GMC MERCOSUL n. 32/10. DOU Nº 228, terça-feira, 30 de novembro de 2010 (pg 105) Republicada DOU Nº 244, quarta-feira, 22 de dezembro de 2010 (pg 75) AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA RESOLUÇÃO-RDC N o - 51, DE 26 DE NOVEMBRO

Leia mais