Podem ser: causais, comparativas, concessivas, condicionais, conformativas, consecutivas, finais, proporcionais e temporais.

Save this PDF as:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Podem ser: causais, comparativas, concessivas, condicionais, conformativas, consecutivas, finais, proporcionais e temporais."

Transcrição

1 ORAÇÕES SUBORDINADAS ADVERBIAIS Uma oração é considerada subordinada adverbial quando se encaixa na oração principal, funcionando como adjunto adverbial. São orações introduzidas pelas conjunções subordinativas e classificadas de acordo com as circunstâncias que exprimem. Podem ser: causais, comparativas, concessivas, condicionais, conformativas, consecutivas, finais, proporcionais e temporais. Subordinadas causais: indicam a causa (motivo) da ação expressa na oração principal, ou seja, exprimem um fato que deu origem a outro acontecimento, expresso na oração principal. DICA: APRESENTA UM FATO OCORRIDO PRIMEIRO, ANTES DO FATO OCORRIDO NA ORAÇÃO PRINCIPAL. LEMBRE-SE: É O FATO QUE DÁ ORIGEM A OUTRO FATO, É PRIMITIVO. As conjunções e locuções conjuntivas causais são: porque, visto que, como (quando equivale a porque), uma vez que, posto que, etc. Ex: Na época da seca muitos animais morriam / porque ficavam famintos.

2 QUE ORAÇÃO APRESENTA O FATO OCORRIDO PRIMEIRO; AQUELE QUE INDICA A CAUSA, O MOTIVO QUE PROVOCA, QUE DÁ ORIGEM À CONSEQUÊNCIA NA OUTRA ORAÇÃO? A 2ª ORAÇÃO: OS ANIMAIS FICAVAM FAMINTOS PRIMEIRO E POR CAUSA DISSO,OU SEJA, POR ESSE MOTIVO, POR ESSA CAUSA, MORRIAM; TINHAM COMO CONSEQUÊNCIA A MORTE. A 2ª ORAÇÃO APRESENTA A CAUSA, OU SEJA, O QUE PROVOCOU A CONSEQUÊNCIA EXPRESSA NA 1ª ORAÇÃO. A ORAÇÃO INTRODUZIDA PELA CONJUNÇÃO "PORQUE" É A ORAÇÃO QUE APRESENTA A CAUSA; TEMOS, ENTÃO, UMA ORAÇÃO SUBORDINADA ADVERBIAL CAUSAL. Ex: Como (Porque) a passagem era muito cara,/ desisti da viagem. A 1ª ORAÇÃO É INTRODUZIDA PELA CONJUNÇÃO COMO E INDICA A CAUSA QUE PROVOCA UMA CONSEQUÊNCIA, UM EFEITO, OU SEJA, QUANDO CONSTATEI O VALOR DA PASSAGEM, DESISTI DE VIAJAR. Como (Porque) eu faltei à última reunião,/ não participei das decisões sobre as mudanças do projeto.

3 A 1ª ORAÇÃO INDICA A CAUSA, OU SEJA, O QUE PROVOCOU, O QUE DEU ORIGEM À CONSEQUÊNCIA: A FALTA À REUNIÃO DEU ORIGEM À CONSEQUÊNCIA: NÃO PODER MAIS PARTICIPAR DE DECISÕES... Visto que você está descontente em seu trabalho, / peça demissão. PRIMEIRO FICA-SE DESCONTENTE A CONSEQUÊNCIA DE NÃO ESTAR FELIZ, NO TRABALHO, É A DEMISSÃO. Ele receberá o pagamento, / uma vez que terminou o serviço. PRIMEIRO TERMINA-SE O TRABALHO; DEPOIS TEM-SE A REMUNEÇÃO. ATENÇÃO: AS ORAÇÕES SUBORDINADAS ADVERBIAIS CAUSAIS, NUNCA REPRESENTARÃO A CONSEQUÊNCIA; SOMENTE A CAUSA. SEMPRE SERÃO INICIADAS PELAS CONJUNÇÕES OU LOCUÇÕES CONJUNTIVAS SUBORDINATIVAS CAUSAIS. consecutivas: indicam uma consequência (resultado, efeito) do fato ocorrido na oração principal.

4 Causa e consequência andam juntas. São indissociáveis (inseparáveis) do ponto de vista lógico; isso significa que toda causa provoca uma consequência e, inversamente, toda consequência é gerada por uma causa. Se causa é o que dá origem a um acontecimento (uma consequência); a consequência é o que se origina da causa, ou seja, o que deriva-se desta (da causa). As conjunções e locuções consecutivas principais são: que (precedido por tal, tão, tanto, tamanho: tão...que, tanto...que), de sorte que, de modo que, etc. Ex: A casa custava tão caro / que ela desistiu da compra. A 1ª ORAÇÃO APRESENTA A CAUSA, OU SEJA, O QUE PROVOCOU A CONSEQUÊNCIA EXPRESSA NA 2ª ORAÇÃO. A ORAÇÃO INTRODUZIDA PELA CONJUNÇÃO "QUE" É A ORAÇÃO QUE APRESENTA A CONSEQUÊNCIA; TEMOS, ENTÃO, UMA ORAÇÃO SUBORDINADA ADVERBIAL CONSECUTIVA. Políticos brasileiros em campanha soltam tantas pérolas / que já não abrem a boca. A passagem era tão cara / que desisti da viagem. A chuva foi tão forte que inundou toda a avenida. As pessoas da torcida gritaram tanto / que ficaram roucas.

5 Mariana desistiu de ser perfeita / de modo que acabou sendo feliz. Durante a reunião, a confusão foi tamanha / que pouca coisa importante ficou decidida. NÃO CONFUNDA CAUSAIS COM CONSECUTIVAS OBSERVE: A passagem era tão cara / que desisti da viagem (CAUSA SEM CONJUNÇÃO) (CONSEQUÊNCIA COM CONJUNÇÃO) No período acima, a conjunção - que - aparece na oração que exprime a consequência, por isso, é essa oração que se classifica como subordinada. SUBORDINADA ADVERBIAL CONSECUTIVA. (CAUSA COM CONJUNÇÃO) (CONSEQUÊNCIA SEM CONJUNÇÃO) COMO A PASSAGEM ERA MUITO CARA, / DESISTI DA VIAGEM. Nesse novo período a conjunção - como - aparece na oração que exprime a causa; por isso, é essa oração que se classifica como subordinada. ORAÇÃO SUBORDINADA ADVERBIAL CAUSAL. condicionais: expressam condição em relação ao predicado da oração principal ou uma hipótese. Entende-se por condição aquilo que se impõe (uma imposição, algo que foi estabelecido, determinado; uma

6 obrigação a ser cumprida) para que um determinado fato se realize. As conjunções condicionais são: se, caso, desde que, contanto que, sem que, a menos que, etc. ATENÇÃO: A OCORRÊNCIA DO FATO EXPRESSO NA ORAÇÃO PRINCIPAL DEPENDE DA OCORRÊNCIA DO FATO EXPRESSO NA ORAÇÃO CONDICIONAL, OU SEJA, A PRINCIPAL SÓ SE REALIZARÁ SE A CONDICIONAL SE REALIZAR. SE A CONDICIONAL OCORRE, A PRINCIPAL OCORRE. SE A CONDICIONAL NÃO OCORRE, A PRINCIPAL NÃO OCORRE. Ex: Deixe um recado / se você não me encontrar em casa. ENTENDA! O RECADO SÓ SERÁ DEIXADO SE EU NÃO FOR ENCONTRADO, OU SEJA, A ORAÇÃO PRINCIPAL SÓ OCORRERÁ SE A CONDICIONAL OCORRER. A loja será inaugurada em abril / desde que as obras terminem no prazo. ENTENDA! A ORAÇÃO PRINCIPAL ACONTECERÁ SE A CONDICIONAL ACONTECER, OU SEJA, É PRECISO QUE AS OBRAS TERMINEM PARA QUE A LOJA SEJA INAUGURADA.

7 Ele receberá o pagamento / uma vez que termine o serviço. Desde que ele nos pague bem,/ faremos o trabalho. Se ele cumprir sua parte do acordo,/ poderemos seguir em frente com o projeto. Caso você não saia de casa, / passo por lá para te ver. finais: exprimem uma finalidade para o fato expresso na oração principal. Entende-se por finalidade o objetivo, o propósito do fato contido na oração principal. As conjunções finais são: para que, a fim de que, que. Ex: Sentei-me na primeira fila, / a fim de que pudesse ouvir melhor. ENTENDA! O objetivo, a finalidade de se sentar na primeira fila é poder ouvir melhor. A oração subordinada adverbial final apresenta o objetivo, a finalidade do fato da oração principal, ou seja, é para eu ouvir melhor (esse é o objetivo, a finalidade para ) que vou me sentar na primeira fila. Os organizadores tomaram todas as precauções / para que os participantes da festa se divertissem em segurança.

8 A fim de que o menino o compreendesse bem, / o pai falava pausadamente. O jardineiro podou as roseiras / para que os galhos novos brotassem. temporais: indicam o momento, a época, o tempo ou período em que o fato ocorre. Localiza, no tempo, o fato expresso pela oração principal. A oração subordinada adverbial temporal indica o momento, quando ocorreu a oração principal. As conjunções temporais são: quando, enquanto, logo que, assim que, depois que, antes que, desde que, agora que. Ex: Eu me sinto segura / assim que (quando, no momento que) fecho a porta da minha casa. Desde que ele era pequeno, / sempre morou com os avós. As andorinhas, / logo que o tempo começa a esfriar,/ voam para o norte. Quando ouço esta música,/ penso em você. Mal entrei no banho, / o telefone tocou.

9 concessiva: Indicam um fato contrário ao da oração principal, PORÉM insuficiente, incapaz de impedir que o fato da oração principal venha a ocorrer; faz oposição, mas permite que a oração principal ocorra. Exprime concessão. Concessão é o ato de conceder, isto é, de permitir, de admitir uma ideia contrária. É muito fácil reconhecer uma oração concessiva, uma vez que ela sempre traz em si a ideia de *apesar de. As conjunções concessivas são: embora, a menos que, se bem que, ainda que, conquanto, mesmo que, se bem que, etc. Ex: Embora tudo tenha sido cuidadosamente planejado, / ocorreram vários imprevistos. *Apesar de tudo ter sido cuidadosamente planejado, vários imprevistos ocorreram assim mesmo. IDEIA CONTRÁRIA! A ideia contida na oração subordinada concessiva é contrária à ideia expressa na oração principal. A principal afirma que ocorreram vários imprevistos, sendo assim, supõe-se que tudo NÃO tenha sido cuidadosamente planejado, MAS foi; ideia que contraria a principal.

10 IDEIA DE CONCESSÃO, PERMISSÃO! Além de fazer oposição à principal, a subordinada concessiva permite que a principal aconteça. Ser tudo cuidadosamente planejado deveria impedir a ocorrência de vários imprevistos, mas não impede; permite; não anula o fato da oração principal. RETOMANDO! A ideia contrária é sempre representada pela oração subordinada concessiva a qual faz oposição à oração principal. Observe que a oração concessiva poderia impedir a ocorrência do fato expresso na oração principal, mas não impede, pelo contrário; admite, permite que o fato da principal ocorra. Mesmo que estivesse chovendo, / os pescadores iam para o mar. *Apesar de estar chovendo, / os pescadores vão para o mar. IDEIA CONTRÁRIA: se os pescadores vão para o mar, supõe-se que não esteja chovendo, mas está; ideia contida na oração subordinada concessiva e que faz oposição a ideia da oração principal. IDEIA DE CONCESSÃO, PERMISSÃO: o fato de estar chovendo não impede a ida dos pescadores para o mar, pelo contrário; permite, concede

11 Embora estivesse chovendo, / vou para a praia no final de semana. *Apesar de estar chovendo, / vou para a praia no final de semana. IDEIA CONTRÁRIA: se vou para a praia, supõe-se que não esteja chovendo, mas está; ideia contida na oração subordinada adverbial concessiva que faz oposição à ideia da oração principal. IDEIA DE CONCESSÃO, PERMISSÃO: o fato de estar chovendo NÃO IMPEDE que eu vá para a praia no final de semana; ideia contida na oração principal. A concessiva permite que a principal ocorra Vamos ajudar Rafael em seu trabalho / ainda que ele não mereça nosso apoio. *Apesar de Rafael não merecer nosso apoio, / vamos ajudá-lo em seu trabalho. Embora seja de risco, / concordo com a realização do negócio. *Apesar de ser de risco, / concordo com a realização do negócio. Farei o que acho correto, / mesmo que você seja contra. *Apesar de você ser contra, farei o que acho correto. conformativas: indicam conformidade (aceitação, submissão) em relação à ação expressa pelo verbo

12 da oração principal. Há conformidade quando há ideia de acordo, de adequação, de não contradição, ou seja, não há contradição, oposição de ideias entre as orações; há uma concordância entre elas. As orações subordinadas adverbiais conformativas indicam a *forma (modelo, critério) de acordo com a qual se realiza o fato expresso na oração principal. As conjunções conformativas são: conforme, consoante, como, segundo. Ex: Tudo ocorreu como estava previsto. Tudo ocorreu *da forma (do modelo) prevista. As inscrições devem ser feitas como determina o regulamento do concurso. ENTENDA: NÃO HÁ DISCORDÂNCIA DE IDEIAS. Do jeito(da forma, igualzinho) que estava previsto, tudo ocorreu. Do jeito que determina o regulamento do concurso, ou seja, da forma (igualzinho) que foi determinada pelo regulamento, assim as inscrições devem ser feitas. As inscrições serão feitas (da forma, igualzinho) que determinou o regulamento do concurso.

13 Conforme, de acordo com o determinado pelo regulamento, as inscrições deverão ser feitas. Segundo informou a meteorologia, o tempo será de sol no feriado. O tempo, no feriadão, será (da forma, igualzinho) como informou a meteorologia. Faço rabanadas conforme minha avó me ensinou. O campeonato será disputado segundo as regras estabelecidas pelo comitê. O campeonato será disputado, seguindo os critérios estabelecidos pelo comitê, ou seja, em (conformidade, igual) com o que o comitê estabeleceu. comparativas: são aquelas que expressam uma comparação com um dos termos da oração principal. Estabelece uma comparação entre o fato expresso na oração adverbial e o fato da oração principal. As conjunções comparativas são: como, mais... [do] que, menos... [do] que, tão... quanto, tanto... quanto. ATENÇÃO! É comum que o verbo da comparativa seja o mesmo da oração principal, por isso, geralmente, na oração comparativa ocorre a elipse (omissão) do verbo.

14 Ex: Ele tem estudado / como um obstinado (estuda). A ação de estudar entre os seres da oração principal (Ele) e o da subordinada (o obstinado) está sendo comparada e transmite uma ideia de igualdade de ações. Os dois fazem a mesma ação do mesmo jeito, de forma igual. Meu pai age / como já agia meu avô. A criança comia / tanto quanto (comia) um adulto. Letícia já tem 15 anos, mas comporta se / que nem uma garotinha mimada. (comporta-se) Falava mais / que papagaio (fala) Alguém, não identificado no texto, falava mais que o ser (papagaio) presente na oração subordinada comparativa. A ação de falar dos dois seres está sendo comparada e percebe-se que um fala mais que o outro. ENTENDA: os seres presentes na principal e subordinada apresentam ações que são comparadas transmitindo uma ideia de superioridade, inferioridade ou de igualdade.

15 proporcionais: exprimem um fato que faz aumentar ou diminuir o fato da oração principal. Expressam uma ideia de proporcionalidade em relação ao fato referido na oração principal o qual pode aumentar ou diminuir. Entenda-se por proporção a relação existente entre duas coisas, de modo que qualquer alteração em uma delas implique alteração na outra. As conjunções proporcionais são: à medida que, à proporção que, quanto mais... mais, quanto menos... menos, ao passo que. Ex: Quanto mais ele se explicava,/ menos acreditávamos nele. À medida que se aproximava a hora do jogo,/ a expectativa aumentava. Quanto mais subíamos a serra,/ mais cheia de curva ficava a estradinha. A VÍRGULA NAS ORAÇÕES SUBORDINADAS ADVERBIAIS *USO OBRIGATÓRIO: SE A ORAÇÃO ADVERBIAL APARECE ANTES DA PRINCIPAL OU INTERCALADA NELA. EMBORA AINDA FOSSE ADOLESCENTE, / LUCIANA ASSUMIA RESPONSABILIDADE DE ADULTO.

16 LUCIANA, EMBORA AINDA FOSSE ADOLESCENTE, ASSUMIA RESPONSABILIDADES DE ADULTO. * USO OPCIONAL: SE A ORAÇÃO ADVERBIAL APARECE DEPOIS DA PRINCIPAL. LUCIANA ASSUMIA RESPONSABILIDADE DE ADULTO, EMBORA AINDA FOSSE ADOLESCENTE LUCIANA ASSUMIA RESPONSABILIDADE DE ADULTO EMBORA AINDA FOSSE ADOLESCENTE DIFERENÇAS ENTRE CAUSAIS E EXPLICATIVAS Em meio a dois porquês, estando você na incumbência de classificá-los, o que faria? Pois bem, tal questionamento, a princípio, pode ter parecido para você um tanto quanto vago, mas se torna recorrente, ainda que você não tenha percebido. Dessa forma, vamos aos enunciados, para que a nossa discussão ganhe um pouco mais de vivacidade e, sobretudo, clareza:

17 Não fomos ao cinema hoje, porque choveu durante a tarde inteira. TEM-SE UM FATO QUE EXPLICA OUTRO FATO. Têm ocorrido vários acidentes porque no local não há sinalização. NA SUBORDINADA TEM-SE UM FATO QUE GERA UM EFEITO (RESULTADO) Infere-se, acerca do enunciado primeiro, que se trata de um fato (ter chovido durante a tarde inteira). Indo um pouco mais adiante com nosso raciocínio, constatamos que esse mesmo fato explica o outro, expresso na oração anterior (o fato de não termos ido ao cinema). Assim, cabe ressaltar que se trata de uma oração coordenada sindética explicativa, haja vista que sempre se encontra demarcada por um sinal de pontuação, no caso, a vírgula. Referindo-nos ao segundo dos enunciados, o que se constata é que expressa um fato (o fato de no local não haver sinalização) que causa um efeito, sem dúvida (a ocorrência de vários acidentes). Nesse sentido, como se trata de um ato que, consequentemente, provoca outros, afirmamos se tratar de uma oração subordinada adverbial causal.

18 O fato de eu estar todo molhado não provocou a chuva, portanto não é causa de choveu, mas tão somente confirmação de que choveu. Observe que o fato de estar todo molhado não é anterior a choveu, mas posterior a ele. Nesse caso, temos uma explicação e não uma causa. Algumas orações subordinadas adverbiais podem apresentar-se na forma reduzida, com o verbo no infinitivo, no gerúndio ou no particípio. São: - causais: Impedido de entrar, ficou irado. - concessivas: Ministrou duas aulas, mesmo estando doente. - condicionais: Não faça o exercício sem reler a proposta. - consecutivas: Não podia olhar a foto sem chorar. - finais: Vestiu-se de preto para chamar a minha atenção. - temporais: Terminando a leitura, passe-me o texto.

ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS. Exerce a função de sujeito do verbo da oração principal.

ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS. Exerce a função de sujeito do verbo da oração principal. ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS ORAÇÃO SUBORDINADA SUBSTANTIVA SUBJETIVA Exerce a função de sujeito do verbo da oração principal. É necessário que você se apresente ao serviço amanhã. Foi anunciado que

Leia mais

ORAÇÕES SUBORDINADAS. Professor: Aramis de Cássio

ORAÇÕES SUBORDINADAS. Professor: Aramis de Cássio ORAÇÕES SUBORDINADAS Professor: Aramis de Cássio ORAÇÕES SUBORDINADAS ORAÇÕES SUBORDINADAS As ORAÇÕES SUBORDINADAS funcionam sempre como um termo essencial, integrante e acessório da oração principal.

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DAS CONJUNÇÕES SUBORDINATIVAS

CLASSIFICAÇÃO DAS CONJUNÇÕES SUBORDINATIVAS CLASSIFICAÇÃO DAS CONJUNÇÕES SUBORDINATIVAS CAUSAIS Principais conjunções causais: porque, visto que, já que, uma vez que, como (= porque). Exemplos: - Não pude comprar o CD porque estava em falta. - Ele

Leia mais

PERÍODO COMPOSTO POR SUBORDINAÇÃO ORAÇÕES ADVERBIAIS

PERÍODO COMPOSTO POR SUBORDINAÇÃO ORAÇÕES ADVERBIAIS PORTUGUÊS SÉRIE: Pré-Vestibular PERÍODO COMPOSTO POR SUBORDINAÇÃO ORAÇÕES ADVERBIAIS Profª Raquel Sampaio LÍNGUA PORTUGUESA GRAMÁTICA PERÍODO COMPOSTO POR SUBORDINAÇÃO ORAÇÕES ADVERBIAIS Profª. Raquel

Leia mais

PERÍODO COMPOSTO POR SUBORDINAÇÃO ORAÇÕES ADVERBIAIS

PERÍODO COMPOSTO POR SUBORDINAÇÃO ORAÇÕES ADVERBIAIS LINGUAGENS GRAMÁTTICA: PERÍODO COMPOSTO POR SUBORDINAÇÃO ORAÇÕES ADVERBIAIS PROF.º PAULO SCARDUA APOSTILA 3: CAPÍTULO 11 DEFINIÇÃO Uma oração subordinada adverbial é aquela que exerce a função de adjunto

Leia mais

Orações Subordinadas Adverbiais

Orações Subordinadas Adverbiais Orações Subordinadas Adverbiais A oração subordinada adverbial desempenha a função de adjunto adverbial: indica uma circunstância em que ocorre a ação do verbo da oração à qual se liga. Observe: Normalmente

Leia mais

Prof. Valber Freitas. Língua Portuguesa. Sintaxe Período Composto

Prof. Valber Freitas. Língua Portuguesa. Sintaxe Período Composto Prof. Valber Freitas Língua Portuguesa Sintaxe Período Composto Período Composto Coordenação Subordinação Orações subordinadas São orações sintaticamente dependentes uma das outras. As orações subordinadas

Leia mais

Adjetivo (Adjunto Adnominal)

Adjetivo (Adjunto Adnominal) PROFESSOR(A): DISCIPLINA: ALUNO(A): Nº SÉRIE: TURMA: TURNO: DATA: / /2017. ORAÇÕES SUBORDINADAS ADJETIVAS Uma oração subordinada adjetiva é aquela que possui valor e função de adjetivo, ou seja, que a

Leia mais

Conjunções Subordinativas

Conjunções Subordinativas Conjunções Subordinativas Conjunções Subordinativas São aquelas que ligam duas orações, sendo uma delas dependente da outra. A oração dependente, introduzida pelas conjunções subordinativas, recebe o nome

Leia mais

CONJUNÇÃO. É a palavra invariável que liga duas orações ou dois termos semelhantes de uma mesma oração.

CONJUNÇÃO. É a palavra invariável que liga duas orações ou dois termos semelhantes de uma mesma oração. CONJUNÇÃO É a palavra invariável que liga duas orações ou dois termos semelhantes de uma mesma oração. De acordo com o tipo de relação que estabelecem, as conjunções podem ser classificadas em coordenativas

Leia mais

Professora Lucimar CONJUNÇÕES E PERÍODOS

Professora Lucimar CONJUNÇÕES E PERÍODOS Professora Lucimar CONJUNÇÕES E PERÍODOS Conjunção é a palavra invariável que liga duas orações ou dois termos semelhantes de uma mesma oração. Locução Conjuntiva - Duas ou mais palavras empregadas com

Leia mais

ORAÇÕES COORDENADAS E SUBORDINADAS

ORAÇÕES COORDENADAS E SUBORDINADAS ORAÇÕES COORDENADAS E SUBORDINADAS FRASE SIMPLES E FRASE COMPLEXA A frase pode ser constituída por uma ou mais orações. Uma oração é a unidade gramatical organizada à volta de um verbo. FRASE SIMPLES E

Leia mais

Língua. Portuguesa. Sintaxe do Período

Língua. Portuguesa. Sintaxe do Período Língua Portuguesa Sintaxe do Período Orações Subordinadas Substantivas É necessário o seu auxílio. 1) Subjetivas: É necessário que me auxilie. Convém que me auxilie. Observou-se que foi um golpe de mestre.

Leia mais

Frase simples e frase complexa

Frase simples e frase complexa Frase simples e frase complexa Orações coordenadas e subordinadas 1 I. Frase simples O O José telefonou à Joana. A A senhora traz umas flores. Eu saio. O O meu vizinho foi ao médico. Cada uma destas frases

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA. Professora Rosane Reis. MÓDULO 10 Sintaxe III

LÍNGUA PORTUGUESA. Professora Rosane Reis. MÓDULO 10 Sintaxe III LÍNGUA PORTUGUESA Professora Rosane Reis MÓDULO 10 Sintaxe III A SUBORDINAÇÃO No período composto por subordinação, há uma que traz presa a si, como dependente, outra ou outras. Dependentes porque cada

Leia mais

Preparatório - Concurso Bombeiro Militar do Pará Língua Portuguesa

Preparatório - Concurso Bombeiro Militar do Pará Língua Portuguesa Preparatório - Concurso Bombeiro Militar do Pará Língua Portuguesa Aula IV Conhecimentos Linguísticos: Período Composto por Coordenação Período Composto por Subordinação PERÍODO COMPOSTO O período composto

Leia mais

Alternativas Introduzem uma ideia de opção, alternância. As conjunções mais comuns são OU...OU, ORA...ORA, QUER...QUER, SEJA...SEJA. Ex.

Alternativas Introduzem uma ideia de opção, alternância. As conjunções mais comuns são OU...OU, ORA...ORA, QUER...QUER, SEJA...SEJA. Ex. Alternativas Introduzem uma ideia de opção, alternância. As conjunções mais comuns são OU...OU, ORA...ORA, QUER...QUER, SEJA...SEJA. Ex.: "Ou paga ou eu mando sangrá-lo devagarinho" (Graciliano Ramos).

Leia mais

Período composto por coordenação

Período composto por coordenação Período composto por coordenação É o período composto por duas ou mais orações independentes. Estas orações podem ser assindéticas ou sindéticas. Orações coordenadas assindéticas Não apresentam conectivos

Leia mais

COERÊNCIA. Harmonia entre situações, acontecimentos ou ideias dentro de um texto. É fator determinante para seu total entendimento.

COERÊNCIA. Harmonia entre situações, acontecimentos ou ideias dentro de um texto. É fator determinante para seu total entendimento. COERÊNCIA Harmonia entre situações, acontecimentos ou ideias dentro de um texto. É fator determinante para seu total entendimento. Subi a porta e fechei a escada. Tirei minhas orações e recitei meus sapatos.

Leia mais

Ex. A garota com quem simpatizei está à sua procura. Os alunos cujas redações foram escolhidas receberão um prêmio.

Ex. A garota com quem simpatizei está à sua procura. Os alunos cujas redações foram escolhidas receberão um prêmio. A) Restritiva: é aquela que limita, restringe o sentido do substantivo ou pronome a que se refere. A restritiva funciona como adjunto adnominal de um termo da oração principal e não pode ser isolada por

Leia mais

ATENÇÃO! Material retirado da Internet, que eu considero de fonte segura e confiável. Os endereços estão no fim de cada assunto.

ATENÇÃO! Material retirado da Internet, que eu considero de fonte segura e confiável. Os endereços estão no fim de cada assunto. ATENÇÃO! Material retirado da Internet, que eu considero de fonte segura e confiável. Os endereços estão no fim de cada assunto. Conjunção As conjunções são vocábulos de função estritamente gramatical

Leia mais

ORAÇÕES COORDENADAS E SUBORDINADAS

ORAÇÕES COORDENADAS E SUBORDINADAS ORAÇÕES COORDENADAS E SUBORDINADAS Prof. Marcos Lima Língua portuguesa, 9ºano FRASE COMPLEXA Numa frase complexa há duas (ou mais) orações ligadas por uma conjunção (ou locução conjuncional). Ex: Fui à

Leia mais

Sintaxe do Período Composto

Sintaxe do Período Composto Sintaxe do Período Composto Gramática Material Complementar Saudações, guerreiro (a) do concurso, tudo bem? Aqui é o professor Pablo Jamilk. Nós teremos alguns momentos juntos doravante. Por isso, segure

Leia mais

Sumário. Apresentação. Parte 1 Período simples 1 Quadro geral dos termos da oração 3 Frase, oração e período 3

Sumário. Apresentação. Parte 1 Período simples 1 Quadro geral dos termos da oração 3 Frase, oração e período 3 Sumário Prefácio Apresentação XIII XV Parte 1 Período simples 1 Quadro geral dos termos da oração 3 Frase, oração e período 3 1. Tipologia do sujeito 6 Método para identificar o sujeito 6 Sujeito simples

Leia mais

Lista 6 - Língua Portuguesa 1

Lista 6 - Língua Portuguesa 1 Lista 6 - Língua Portuguesa 1 Períodos compostos LISTA 6 - LP 1 - PERÍODOS COMPOSTOS Períodos compostos Em listas anteriores, vimos alguns conceitos sintáticos importantes para o domínio da norma culta

Leia mais

Orações subordinadas adverbiais: principais casos. Gramática - Semi

Orações subordinadas adverbiais: principais casos. Gramática - Semi Orações subordinadas adverbiais: principais casos Gramática - Semi Orações subordinadas adverbiais I - Como identificá-las? São introduzidas por conjunções subordinativas que expressam circunstâncias (causa,

Leia mais

Coordenação e subordinação

Coordenação e subordinação Coordenação e subordinação As frases complexas podem relacionar-se por coordenação ou por subordinação. A coordenação consiste numa relação entre duas orações da mesma categoria por meio de conjunções

Leia mais

Bárbara da Silva. Português. Aula 13 Período composto por subordinação

Bárbara da Silva. Português. Aula 13 Período composto por subordinação Bárbara da Silva Português Aula 13 Período composto por subordinação No período composto por subordinação existe pelo menos uma oração principal e uma subordinada. A oração principal é sempre incompleta,

Leia mais

A oração subordinada é aquela que equivale a um advérbio.

A oração subordinada é aquela que equivale a um advérbio. A oração subordinada é aquela que equivale a um advérbio. 1) TEMPORAL 2) CONDICIONAL 3) COMPARATIVA 4) FINAL 5) CAUSAL 6) CONSECUTIVA 7) CONCESSIVA 8) CONFORMATIVA 9) PROPORCIONAL Orações Adverbiais TEMPORAIS

Leia mais

CONJUNÇÕES SUBORDINATIVAS ADVERBIAIS

CONJUNÇÕES SUBORDINATIVAS ADVERBIAIS CONJUNÇÕES SUBORDINATIVAS ADVERBIAIS Causais Introduzem uma ideia de CAUSA. É fundamental relatar que aqui se inicia a relação causa-efeito. Toda causa representa o fato anterior. Já o efeito, o fato posterior.

Leia mais

Bárbara da Silva. Português. Aula 39 Conjunções I

Bárbara da Silva. Português. Aula 39 Conjunções I Bárbara da Silva Português Aula 39 Conjunções I Conjunção Além da preposição, há outra palavra que, na frase, é usada como elemento de ligação: a conjunção. Por exemplo: A menina segurou a bola e mostrou

Leia mais

Pra começo de conversa... ORAÇÃO PERÍODO

Pra começo de conversa... ORAÇÃO PERÍODO Orações Coordenadas Pra começo de conversa... FRASE ORAÇÃO PERÍODO FRASE Enunciado com sentido completo... Socorro! Socorro! Silêncio! A aula da professora Marisa é maravilhosa. Nós adoramos Gramática.

Leia mais

Artigo, Preposição, Conjunção

Artigo, Preposição, Conjunção Língua Portuguesa Artigo, Preposição, Conjunção Artigo Certa vez, ao passar por uma rua, encontrei uma menina chorando. A rua estava muito movimentada e a menina, sozinha, pediu-me auxílio. Definidos:

Leia mais

As orações subordinadas adverbiais funcionam como adjuntos adverbiais da oração principal, são introduzidas por conjunções ou locuções conjuntivas

As orações subordinadas adverbiais funcionam como adjuntos adverbiais da oração principal, são introduzidas por conjunções ou locuções conjuntivas As orações subordinadas adverbiais funcionam como adjuntos adverbiais da oração principal, são introduzidas por conjunções ou locuções conjuntivas que indicam circunstâncias de : causa, consequência, condição,

Leia mais

Drummond escreveu poemas e entrou para a história.

Drummond escreveu poemas e entrou para a história. Conjunção Pode-se definir a conjunção como um termo invariável, de natureza conectiva que pode criar relações de sentido (nexos) entre palavras ou orações. Usualmente, as provas costumam cobrar as relações

Leia mais

ORAÇÕES COORDENADAS & SUBORDINADAS

ORAÇÕES COORDENADAS & SUBORDINADAS ORAÇÕES COORDENADAS & SUBORDINADAS GRAMÁTICA ORAÇÕES COORDENADAS & SUBORDINADAS As orações coordenadas e subordinadas fazem parte do período composto, ou seja, o período em que temos duas ou mais orações.

Leia mais

Concurseiro. Espaço do. Português Prof. Joaquim Bispo. Sinta-se a vontade para estudar conosco. O seu espaço de preparação para concursos públicos

Concurseiro. Espaço do. Português Prof. Joaquim Bispo. Sinta-se a vontade para estudar conosco. O seu espaço de preparação para concursos públicos Espaço do Concurseiro Sinta-se a vontade para estudar conosco Português Prof. Joaquim Bispo O seu espaço de preparação para concursos públicos 1 Aulas Aula Conteúdo Página 1 Emprego das classes e palavras

Leia mais

Coordenação e subordinação. Porto Editora

Coordenação e subordinação. Porto Editora Coordenação e subordinação Frase simples complexa Frase simples Constituída apenas por um verbo ou por um complexo verbal. Ex.: A Maria brinca muito com o irmão. frase simples (constituída por um verbo)

Leia mais

AULA 11. Sintaxe da oração e do período MINISTÉRIO DA FAZENDA

AULA 11. Sintaxe da oração e do período MINISTÉRIO DA FAZENDA AULA 11 Sintaxe da oração e do período MINISTÉRIO DA FAZENDA Professor Marlus Geronasso Frase, período e oração Frase é todo enunciado suficiente por si mesmo para estabelecer comunicação. Expressa juízo,

Leia mais

Preparação para a. Prova de Aferição. Português. 8.º ano

Preparação para a. Prova de Aferição. Português. 8.º ano Preparação para a Prova de Aferição Português Oo 8.º ano 72 II. Leitura Entrevista A entrevista é um texto conversacional, em que o jornalista, através de perguntas previamente elaboradas (em guião), procura

Leia mais

Português. Sintaxe do Período. Professor Carlos Zambeli.

Português. Sintaxe do Período. Professor Carlos Zambeli. Português Sintaxe do Período Professor Carlos Zambeli www.acasadoconcurseiro.com.br Português SINTAXE DO PERÍODO Coordenativas: Ligam orações independentes, ou seja, que possuem sentido completo. 1. Aditivas:

Leia mais

9 - (CESGRANRIO) Complete CORRETAMENTE as lacunas da seguinte frase: A obra de Huxley, se faz alusão no texto, descreve uma sociedade os atos dos

9 - (CESGRANRIO) Complete CORRETAMENTE as lacunas da seguinte frase: A obra de Huxley, se faz alusão no texto, descreve uma sociedade os atos dos 9 - (CESGRANRIO) Complete CORRETAMENTE as lacunas da seguinte frase: A obra de Huxley, se faz alusão no texto, descreve uma sociedade os atos dos indivíduos são controlados por um sistema de televisão.

Leia mais

PERÍODO COMPOSTO POR SUBORDINAÇÃO Profª Giovana Uggioni Silveira

PERÍODO COMPOSTO POR SUBORDINAÇÃO Profª Giovana Uggioni Silveira PERÍODO COMPOSTO POR SUBORDINAÇÃO Profª Giovana Uggioni Silveira ORAÇÕES SUBORDINADAS Exercem função sintática sobre as outras. Oração principal, orações desenvolvidas ou reduzidas. ORAÇÕES SUBORDINADAS

Leia mais

Polícia Civil - MG Língua Portuguesa Estrutura das Palavras Macedo Martins

Polícia Civil - MG Língua Portuguesa Estrutura das Palavras Macedo Martins Polícia Civil - MG Língua Portuguesa Estrutura das Palavras Macedo Martins 2014 2014 Copyright. Curso Agora Eu Eu Passo - - Todos os direitos reservados ao ao autor. Estudo das Orações Só pode haver oração

Leia mais

Período composto. Orações subordinadas adverbiais. Prof.ª: Elizabete Oliveira Biedacha

Período composto. Orações subordinadas adverbiais. Prof.ª: Elizabete Oliveira Biedacha Período composto Orações subordinadas adverbiais Prof.ª: Elizabete Oliveira Biedacha Oração subordinada adverbial É aquela que se encaixa na oração principal, funcionando como adjunto adverbial. Observe:

Leia mais

NÃO SEPARAMOS POR VÍRGULA: SEPARAMOS OU MARCAMOS POR VÍRGULA: SUJEITO DO VERBO; VERBO DE SEUS COMPLEMENTOS; VOCATIVO; NOME DE SEUS COMPLEMENTOS

NÃO SEPARAMOS POR VÍRGULA: SEPARAMOS OU MARCAMOS POR VÍRGULA: SUJEITO DO VERBO; VERBO DE SEUS COMPLEMENTOS; VOCATIVO; NOME DE SEUS COMPLEMENTOS NÃO SEPARAMOS POR VÍRGULA: SEPARAMOS OU MARCAMOS POR VÍRGULA: SUJEITO DO VERBO; APOSTO; VERBO DE SEUS COMPLEMENTOS; VOCATIVO; NOME DE SEUS COMPLEMENTOS ORAÇÕES DESLOCADAS OU OU ADJUNTOS. INTERCALADAS;

Leia mais

Orações Subordinadas Adverbiais

Orações Subordinadas Adverbiais Orações Subordinadas Adverbiais Finitas Consoante a natureza da relação existente entre a oração subordinada e a subordinante, aquela pode ser: 1. Temporal situa um acontecimento anterior ou posterior

Leia mais

CURSO INTENSIVO MÓDULO 11 NEXOS

CURSO INTENSIVO MÓDULO 11 NEXOS 1) (I) Certo: o pronome relativo refere-se ao substantivo anterior. (II) Errado: nesse caso, LOGO é adjunto adverbial de tempo, e PORTANTO, conjunção conclusiva. (III) Certo: o sentido permaneceria igual,

Leia mais

USo da VírGULA. Se o homem soubesse o valor que tem a mulher, andaria de quatro a sua procura.

USo da VírGULA. Se o homem soubesse o valor que tem a mulher, andaria de quatro a sua procura. O USo da VírGULA USo da VírGULA Observe o sentido destas duas frases: Se o homem soubesse o valor que tem a mulher, andaria de quatro a sua procura. Se o homem soubesse o valor que tem, a mulher andaria

Leia mais

ÁTILA ABIORANA LÍNGUA PORTUGUESA

ÁTILA ABIORANA LÍNGUA PORTUGUESA ÁTILA ABIORANA LÍNGUA PORTUGUESA No que se refere às ideias e aos aspectos linguísticos do texto acima, julgue os itens subsequentes. 1) Não haveria prejuízo à correção gramatical ou alteração o sentido

Leia mais

26. Lista das conjunções (Aulas 2 e 3: conjunções) Pelo seu significado e pelo nome da conjunção Conjunções são palavras usadas para ligar duas orações na mesma frase. Coordenativas As conjunções coordenativas

Leia mais

Português. Conjunções. Professor Arthur Scandelari.

Português. Conjunções. Professor Arthur Scandelari. Português Conjunções Professor Arthur Scandelari www.acasadoconcurseiro.com.br Português CONJUNÇÕES PARTE 1 1. (CESPE SDS-PE 2016) É importante, pois, que o médico estabeleça o momento de ocorrência do

Leia mais

Professor Marlos Pires Gonçalves

Professor Marlos Pires Gonçalves PERÍODO COMPOSTO POR SUBORDINAÇÃO ORAÇÕES SUBORDINADAS ADVERBIAIS As orações subordinadas adverbiais exercem a função sintática de adjunto adverbial da oração principal. Exemplo: Eles chegaram quando amanhecia.

Leia mais

FACULDADE GUANAMBI - FG EDITAL Nº. 09, DE 17 DE SETEMBRO DE 2014 OFICINAS DE APERFEIÇOAMENTO FG

FACULDADE GUANAMBI - FG EDITAL Nº. 09, DE 17 DE SETEMBRO DE 2014 OFICINAS DE APERFEIÇOAMENTO FG FACULDADE GUANAMBI - FG EDITAL Nº. 09, DE 17 DE SETEMBRO DE 2014 OFICINAS DE APERFEIÇOAMENTO FG O DIRETOR ACADÊMICO ADMINISTRATIVO DA FACULDADE GUANAMBI, no uso de suas atribuições legais, e entendendo

Leia mais

SINTAXE. Período Composto. Conjunto de orações constituído por mais de uma oração.

SINTAXE. Período Composto. Conjunto de orações constituído por mais de uma oração. SINTAXE Período Composto Conjunto de orações constituído por mais de uma oração. O período composto pode ser período composto por coordenação ou subordinação. Período composto por subordinação No período

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CEB DE LOUSADA

ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CEB DE LOUSADA ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CEB DE LOUSADA FICHA INFORMATIVA FRASE SIMPLES/FRASE COMPLEXA COORDENAÇÃO/SUBORDINAÇÃO A frase pode conter uma ou mais orações. A cada oração corresponde uma forma verbal expressa

Leia mais

Prof. José Antônio Sansevero Martins (Zé Laranja)

Prof. José Antônio Sansevero Martins (Zé Laranja) Prof. José Antônio Sansevero Martins (Zé Laranja) PERÍODO COMPOSTO 1. ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS Oração principal (incompleta) Oração subordinada substantiva (aquilo que falta na or. Principal)

Leia mais

Orações coordenadas. As luzes apagam-se, abrem-se as cortinas e começa o espetáculo. As luzes apagam-se; abrem-se as cortinas; e começa o espetáculo.

Orações coordenadas. As luzes apagam-se, abrem-se as cortinas e começa o espetáculo. As luzes apagam-se; abrem-se as cortinas; e começa o espetáculo. Orações coordenadas Observe: As luzes apagam-se, abrem-se as cortinas e começa o espetáculo. O período é composto de três orações: As luzes apagam-se; abrem-se as cortinas; e começa o espetáculo. As orações,

Leia mais

PROF. RENATO PORPINO VALORES SEMÂNTICOS SUBORDINATIVOS

PROF. RENATO PORPINO VALORES SEMÂNTICOS SUBORDINATIVOS PROF. RENATO PORPINO VALORES SEMÂNTICOS SUBORDINATIVOS As orações subordinadas adverbiais desempenham a função sintática de adjunto adverbial e são introduzidas por conjunções subordinativas adverbiais.

Leia mais

FORMAS NOMINAIS. GERÚNDIO - indica uma ação verbal incompleta ou prolongada e possui a terminação -NDO.

FORMAS NOMINAIS. GERÚNDIO - indica uma ação verbal incompleta ou prolongada e possui a terminação -NDO. 3º ANO FORMAS NOMINAIS Para falarmos sobre as formas nominais do verbo, é importante sabermos o porquê desta denominação, ou seja, em certas circunstâncias, este verbo pode assumir o papel de um nome :

Leia mais

Complexo de Ensino Renato Saraiva (081) Profª Junia Andrade MPU 2010 Isolada Português PORTUGUÊS

Complexo de Ensino Renato Saraiva  (081) Profª Junia Andrade MPU 2010 Isolada Português PORTUGUÊS MPU técnicos e analistas JÚNIA ANDRADE Exemplos Cespe - Abin Mudado seu modo de pensar, o pesquisador já não concebe aquele tema da mesma forma e, assim, já não é capaz de estabelecer um relação exatamente

Leia mais

Análise sintática do período composto por subordinação: uma viagem pelas relações sintático-semânticas.

Análise sintática do período composto por subordinação: uma viagem pelas relações sintático-semânticas. Análise sintática do período composto por subordinação: uma viagem pelas relações sintático-semânticas. As orações subordinadas podem ser: 1. Substantivas exercem na principal uma função própria do substantivo.

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul NÚMERO DA VAGA: 46 Anulação da questão 4 da prova de língua

Leia mais

Português. Orações Subordinadas Adverbiais: Causal, Comparativa, Consecutiva, Concessiva e Condicional. Professor Arthur Scandelari

Português. Orações Subordinadas Adverbiais: Causal, Comparativa, Consecutiva, Concessiva e Condicional. Professor Arthur Scandelari Português Orações Subordinadas Adverbiais: Causal, Comparativa, Consecutiva, Concessiva e Condicional Professor Arthur Scandelari www.acasadoconcurseiro.com.br Português ORAÇÕES SUBORDINADAS ADVERBIAIS:

Leia mais

Concurseiro. Espaço do. Português Prof. Joaquim Bispo. Sinta-se a vontade para estudar conosco. O seu espaço de preparação para concursos públicos

Concurseiro. Espaço do. Português Prof. Joaquim Bispo. Sinta-se a vontade para estudar conosco. O seu espaço de preparação para concursos públicos Espaço do Concurseiro Sinta-se a vontade para estudar conosco Português Prof. Joaquim Bispo O seu espaço de preparação para concursos públicos 1 SINTAXE DO PERÍDO Aula 6 As conjunções podem ser classificadas

Leia mais

PARTÍCULA EXPLETIVA OU DE REALCE

PARTÍCULA EXPLETIVA OU DE REALCE FUNÇÕES DO QUE? Aqui estudaremos todas as classes gramaticais a que a palavra que pertence. SUBSTANTIVO A palavra que será substantivo, quando tiver o sentido de qualquer coisa ou alguma coisa, é sempre

Leia mais

CONJUNÇÕES E AS RELAÇÕES NO TEXTO

CONJUNÇÕES E AS RELAÇÕES NO TEXTO CONJUNÇÕES E AS RELAÇÕES NO TEXTO Classificação Aditivas (adição, soma): e, nem, mas, também. Adversativas ( oposição, contraste): mas, porém, contudo, todavia, entretanto. Classificação Alternativas (

Leia mais

Unidade III. Trabalho - A trajetória humana, suas produções e manifestações. LÍNGUA PORTUGUESA FORTALECENDO SABERES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA

Unidade III. Trabalho - A trajetória humana, suas produções e manifestações. LÍNGUA PORTUGUESA FORTALECENDO SABERES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Unidade III Trabalho - A trajetória humana, suas produções e manifestações. 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Aula

Leia mais

Preposição e Conjunção. Língua Portuguesa 2ª Série Profª Marianna Aguiar

Preposição e Conjunção. Língua Portuguesa 2ª Série Profª Marianna Aguiar Preposição e Conjunção Língua Portuguesa 2ª Série Profª Marianna Aguiar Preposição Conectam os termos dos sintagmas Locuções prepositivas são duas ou mais palavras que funcionam como preposição. Em uma

Leia mais

São orações subordinadas substantivas que funcionam como se fossem sujeitos da oração principal. Vejamos:

São orações subordinadas substantivas que funcionam como se fossem sujeitos da oração principal. Vejamos: Orações Subordinadas Substantivas Quando o modo como as orações se relacionam cria uma idéia de subordinação, em que uma das orações claramente depende estruturalmente da outra, temos os períodos compostos

Leia mais

Aula 7: Período composto por coordenação e período composto por subordinação

Aula 7: Período composto por coordenação e período composto por subordinação APOIO PEDAGÓGICO AO NÚCLEO COMUM Aula 7: Período composto por coordenação e período composto por subordinação Tutora: Ariana de Carvalho Orações coordenadas As luzes apagam-se, abrem-se as cortinas e começa

Leia mais

CONCURSO IGP INSTITUTO GERAL DE PERÍCIAS 20 DICAS DE PORTUGUÊS

CONCURSO IGP INSTITUTO GERAL DE PERÍCIAS 20 DICAS DE PORTUGUÊS CONCURSO IGP INSTITUTO GERAL DE PERÍCIAS 20 DICAS DE PORTUGUÊS #1 20 DICAS DE PORTUGUÊS USO DOS PORQUÊS GRAFIA POR QUE PORQUE POR QUÊ PORQUÊ USO Substituível pelas expressões pelo(s) qual(s), pela(s) qual(s);

Leia mais

Grupo Relacional Preposição e Conjunção e a Interjeição

Grupo Relacional Preposição e Conjunção e a Interjeição Grupo Relacional Preposição e Conjunção e a Interjeição 1. Grupo relacional: preposição e conjunção PREPOSIÇÃ O CONJUNÇÃO Características comuns: Ligam palavras ou orações, por isso, são elementos coesivos,

Leia mais

Gramática Eletrônica. Vamos iniciar o nosso estudo, examinando as dúvidas mais freqüentes. indica tempo que já passou

Gramática Eletrônica. Vamos iniciar o nosso estudo, examinando as dúvidas mais freqüentes. indica tempo que já passou Lição 2 Dúvidas mais comuns Vamos iniciar o nosso estudo, examinando as dúvidas mais freqüentes. QUANDO USAR 1. A ou HÁ? 1. A Ela ou parou HÁ? de estudar há algum tempo. indica tempo que já passou Daqui

Leia mais

Noções de Morfossintaxe

Noções de Morfossintaxe Noções de Morfossintaxe Orações Substantivas É introduzida pelas conjunções QUE ou SE Aprenda a analisar a oração principal Oração Completiva Nominal Há a orientação de que Há a esperança de que Há o estudo

Leia mais

Colégio Diocesano Seridoense- CDS 6º Ano- Língua Portuguesa Ensino Fundamental II. Modo Verbal. Prof: Caliana Medeiros

Colégio Diocesano Seridoense- CDS 6º Ano- Língua Portuguesa Ensino Fundamental II. Modo Verbal. Prof: Caliana Medeiros Colégio Diocesano Seridoense- CDS 6º Ano- Língua Portuguesa Ensino Fundamental II Modo Verbal Prof: Caliana Medeiros O que é o VERBO? São palavras que exprimem ação física ou mental, estado, fenômenos

Leia mais

H) Final: funciona como adjunto adverbial de finalidade. Conjunções: a fim de que, para que, porque.

H) Final: funciona como adjunto adverbial de finalidade. Conjunções: a fim de que, para que, porque. H) Final: funciona como adjunto adverbial de finalidade. Conjunções: a fim de que, para que, porque. Ex. Ele não precisa do microfone, para que todos o ouçam. I) Proporcional: funciona como adjunto adverbial

Leia mais

Estudo das classes de palavras Conjunções. A relação de sentido entre orações presentes em um mesmo período e o papel das

Estudo das classes de palavras Conjunções. A relação de sentido entre orações presentes em um mesmo período e o papel das Um pouco de teoria... Observe: Estudo das classes de palavras Conjunções A relação de sentido entre orações presentes em um mesmo período e o papel das I- João saiu, Maria chegou. II- João saiu, quando

Leia mais

Odilei França. Este material é parte integrante do acervo do IESDE BRASIL S.A., mais informações www.iesde.com.br

Odilei França. Este material é parte integrante do acervo do IESDE BRASIL S.A., mais informações www.iesde.com.br Odilei França Graduado em Letras pela Fafipar. Graduado em Teologia pela Faculdade Batista. Professor de Língua Portuguesa para concursos públicos há 22 anos. Sintaxe do período composto: parte II Período

Leia mais

Leia o poema a seguir, de Carlos Drummond de Andrade, e responda às questões 1 e 2.

Leia o poema a seguir, de Carlos Drummond de Andrade, e responda às questões 1 e 2. PROFESSOR(A): DISCIPLINA: ALUNO(A): Nº SÉRIE: TURMA: TURNO: DATA: / /2017. Leia o poema a seguir, de Carlos Drummond de Andrade, e responda às questões 1 e 2. Ainda que mal Ainda que mal pergunte, ainda

Leia mais

Conjunções e Período Composto

Conjunções e Período Composto Instituto Galeno Eliz Junqueira Conjunções e Período Composto CONJUNÇÕES COORDENATIVAS 1)Aditivas: O agricultor colheu o trigo e o vendeu. e,nem, não só, mas também... 2)Adversativas: Querem ter dinheiro,

Leia mais

PROFESSOR: ÁTILA ABIORANA MATÉRIA: COLOCAÇÃO PRONOMINAL

PROFESSOR: ÁTILA ABIORANA MATÉRIA: COLOCAÇÃO PRONOMINAL PROFESSOR: ÁTILA ABIORANA MATÉRIA: COLOCAÇÃO PRONOMINAL Os pronomes oblíquos átonos são: me, te, se, nos, vos, lhe, lhes, o, a, os, as. 1- PRÓCLISE - quando o pronome está antes do verbo Usa-se a próclise

Leia mais

Os alunos fizeram uma visita ao zoológico, onde puderam observar várias espécies de animais.

Os alunos fizeram uma visita ao zoológico, onde puderam observar várias espécies de animais. Uso do onde e aonde O advérbio é uma classe de palavras cuja função gramatical é acompanhar e modificar um verbo, exprimindo a circunstância da ação verbal, por isso o nome ad-vérbio, ou seja, a palavra

Leia mais

PONTUAÇÃO. PONTUAÇÃO DO PERÍODO SIMPLES

PONTUAÇÃO.  PONTUAÇÃO DO PERÍODO SIMPLES PONTUAÇÃO GRAMÁTICA PONTUAÇÃO As regras de pontuação se baseiam, em sua maioria, nas regras de análise sintática, portanto saber pontuação requer conheciento prévio da sintaxe. PONTUAÇÃO DO PERÍODO SIMPLES

Leia mais

Prof.ª Cristiana Ferreira Nunes

Prof.ª Cristiana Ferreira Nunes Prof.ª Cristiana Ferreira Nunes 2012 São Subordinadas Substantivas as orações equivalentes a substantivos dos períodos simples. Exemplos: Período simples: Substantivo (núcleo do OD) Quero a sua presença

Leia mais

Odilei França. Este material é parte integrante do acervo do IESDE BRASIL S.A., mais informações

Odilei França. Este material é parte integrante do acervo do IESDE BRASIL S.A., mais informações Odilei França Graduado em Letras pela Fafipar. Graduado em Teologia pela Faculdade Batista. Professor de Língua Portuguesa para concursos públicos há 22 anos. Sintaxe do período composto: parte I Conceitos

Leia mais

REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE II

REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE II AULA 16.1 REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE II Segunda Geração: os ultrarromânticos O sentimentalismo, a imaginação e o egocentrismo atingiram seu ponto culminante nesta geração, que experimentou as formas

Leia mais

Capítulo 2 - Acentuação gráfica Regras gerais...10 Casos especiais...10 Prosódia...12 Exercícios...14

Capítulo 2 - Acentuação gráfica Regras gerais...10 Casos especiais...10 Prosódia...12 Exercícios...14 Sumário Capítulo 1 - Noções de fonética... 2 Fonemas...2 Letra...2 Sílaba...2 Número de sílabas...3 Tonicidade...3 Posição da sílaba tônica...3 Dígrafos...3 Encontros consonantais...3 Encontros vocálicos...4

Leia mais

VERBO. Flávia Andrade

VERBO. Flávia Andrade VERBO Flávia Andrade DEFINIÇÃO Verbo é a palavra que exprime ação, estado, mudança de estado, fenômeno natural e outros processos, flexionando-se em pessoa, número, modo, tempo e voz. a. Ação: andar, causou,

Leia mais

Emprego de palavras e expressões

Emprego de palavras e expressões Emprego de palavras e expressões Livro 01 Prof. Eugênio Torres Módulo 02 POR QUE POR QUÊ PORQUE PORQUÊ o Por que- Emprega-se quando equivale a por qual motivo ou a pelo qual. Usado também no início ou

Leia mais

CAPÍTULO 1 O ESTUDO DAS PALAVRAS

CAPÍTULO 1 O ESTUDO DAS PALAVRAS Índice CAPÍTULO 1 O ESTUDO DAS PALAVRAS LIÇÃO 1 FONÉTICA...3 1.1. Fonema e letra... 3 1.2. Divisão dos fonemas... 3 1.3. Classificação dos fonemas... 4 1.4. Encontro vocálico... 5 1.5. Encontro consonantal...

Leia mais

PERÍODO COMPOSTO ORAÇÕES COORDENADAS

PERÍODO COMPOSTO ORAÇÕES COORDENADAS PERÍODO COMPOSTO ORAÇÕES COORDENADAS Conjunções Subordinativas Observe as principais conjunções e locuções. 1) Causais (orações subordinadas adverbiais): porque, como (porque), pois, pois que, por isso

Leia mais

Funções do que e do se

Funções do que e do se Funções do que e do se Há muitas dúvidas quanto ao emprego do que e do se, pois podem ser empregados em várias funções morfossintáticas. Portanto, iremos analisar cada termo individualmente, a fim de que

Leia mais

PORTUGUÊS CIDA UNIDADE I I. PARTE. Pontuação Atividades: Micro: Prova: Total:

PORTUGUÊS CIDA UNIDADE I I. PARTE. Pontuação Atividades: Micro: Prova: Total: TIPO 2 PORTUGUÊS CIDA 7º UNIDADE I Orientações: Não será aceita a utilização de corretivo; não será permitido o empréstimo de material durante a avaliação; use somente caneta esferográfica azul ou preta;

Leia mais

NÚCLEO DE PESQUISA E EXTENSÃO (NUPEX) EDITAL 04/2015 OFICINAS DE APERFEIÇOAMENTO FG

NÚCLEO DE PESQUISA E EXTENSÃO (NUPEX) EDITAL 04/2015 OFICINAS DE APERFEIÇOAMENTO FG OFICINAS DE APERFEIÇOAMENTO FG O DIRETOR ACADÊMICO ADMINISTRATIVO DA FACULDADE GUANAMBI, no uso de suas atribuições legais, e entendendo a função da OFINICA DE APERFEIÇOAMENTO como atividade que visa suprir

Leia mais

Programação Anual. 7 ọ ano (Regime 9 anos) 6 ạ série (Regime 8 anos) VOLUME VOLUME

Programação Anual. 7 ọ ano (Regime 9 anos) 6 ạ série (Regime 8 anos) VOLUME VOLUME Programação Anual 7 ọ ano (Regime 9 anos) 6 ạ série (Regime 8 anos) 1 ọ 2 ọ 1. Amarrando as idéias COESÃO Introdução ao conceito de coesão Introdução aos mecanismos básicos de coesão Ordem das palavras

Leia mais

Programa de Educação Continuada (PEC)

Programa de Educação Continuada (PEC) Programa de Educação Continuada (PEC) Curso de Morfossintaxe Odette G.L.Altmann de Souza Campos* Construções que se alternam Ontem vimos Você sair Que você saiu Sua saída Você saindo É preciso Que você

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA. Professora Rosane Reis. MÓDULO 15 Palavras QUE e SE

LÍNGUA PORTUGUESA. Professora Rosane Reis. MÓDULO 15 Palavras QUE e SE LÍNGUA PORTUGUESA Professora Rosane Reis MÓDULO 15 Palavras QUE e SE AS PALAVRAS QUE E SE É acentuado e substituível por alguma coisa, qualquer coisa etc.; vem precedido de artigo ou numeral. Este professor

Leia mais

Ex: João bebe menos do que Maria. -> A conjunção DO QUE indica que João bebe uma quantidade inferior à Maria.

Ex: João bebe menos do que Maria. -> A conjunção DO QUE indica que João bebe uma quantidade inferior à Maria. Comparativas Introduzem uma ideia de comparação. Esta comparação pode ser de superioridade, igualdade ou inferioridade. As conjunções mais comuns são (DO) QUE, COMO, CONFORME. Ex.: Agi conforme você agiu.

Leia mais