Relatório de Estágio ATIVIDADES PARA GEORREFERENCIAMENTO DE IMÓVEIS RURAIS NO MUNICÍPIO DE SÃO GABRIEL RS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Relatório de Estágio ATIVIDADES PARA GEORREFERENCIAMENTO DE IMÓVEIS RURAIS NO MUNICÍPIO DE SÃO GABRIEL RS"

Transcrição

1 Relatório de Estágio ATIVIDADES PARA GEORREFERENCIAMENTO DE IMÓVEIS RURAIS NO MUNICÍPIO DE SÃO GABRIEL RS Autor: Rodrigo Bento Pereira da Fonseca Orientador: Adriano Luís Schünemann São Gabriel Julho 2011

2 2 RODRIGO BENTO PEREIRA FONSECA ATIVIDADES PARA GEORREFERENCIAMENTO DE IMÓVEIS RURAIS NO MUNICÍPIO DE SÃO GABRIEL RS Relatório de estágio apresentado ao Curso de Graduação em Engenharia Florestal, da Universidade Federal do Pampa UNIPAMPA, como requisito parcial para obtenção do grau de Engenheiro Florestal. Orientador: Adriano Luís Schünemann São Gabriel 2011

3 3 RODRIGO BENTO PEREIRA FONSECA ATIVIDADES PARA GEORREFERENCIAMENTO DE IMÓVEIS RURAIS NO MUNICÍPIO DE SÃO GABRIEL RS Relatório de estágio apresentado ao Curso de Graduação em Engenharia Florestal, da Universidade Federal do Pampa UNIPAMPA, como requisito parcial para obtenção do grau de Bacharel em Engenheira Florestal. Relatório defendido e aprovado em: 05 de julho de 2011 Banca examinadora: Prof. Me. Adriano Luís Schünemann Orientador Engenharia Florestal - UNIPAMPA Prof. Me. Bruna Denardin da Silveira Engenharia Florestal - UNIPAMPA Prof. Dr. Leandro Homrich Lorentz Engenharia Florestal - UNIPAMPA

4 4 RESUMO Georreferenciar consiste em determinar o perímetro de uma área, coletando pontos com equipamentos específicos que, posteriormente com o processamento e edição gráfica, ficarão armazenados na forma de plantas e memórias descritivas no órgão responsável, mediante avaliação dos documentos existentes. Após a regulamentação da lei , todos os proprietários de terras devem regularizar as mesmas no cartório de registro de imóveis, para isto, as propriedades devem solicitar os serviços de empresas que possuem profissionais credenciados para realizar o georreferenciamento, como por exemplo, BPS Consultoria Agronômica, na qual se realizou o estágio. O presente trabalho tem por objetivo relatar de forma organizada as atividades ocorridas durante o período de estagio realizado na empresa BPS consultoria agronômica. O mesmo se desenvolveu do dia oito de abril até o dia quatorze de junho do ano de Na empresa foi passado ao estagiário um conhecimento geral de todos os passos para o georreferenciamento de imóveis rurais. O desenvolvimento das atividades iniciou-se com a análise dos documentos e escrituras da propriedade a ser georreferenciada, com a identificação e reconhecimento de seus limites, levantamento dos dados a campo com o equipamento GPS (Global Positioning System) denominado de Hiper de dupla freqüência (L1/L2). Após a coleta de dados e análise documental realizou-se o processamento e tratamento dos dados, elaboração da planta, da documentação e dos relatórios resultantes. A conclusão dos trabalhos realizados pela empresa será apresentada ao INCRA, para sua posterior aprovação e ao final, a entrega do mapa da propriedade rural. Assim o estágio desenvolveu-se de forma extremamente prática, possibilitando identificar todas as etapas para a realização do georreferenciamento de imóveis rurais. Palavras-chave: INCRA, GPS, mapa.

5 5 LISTA DE FIGURAS FIGURA 1: Área com diferentes matriculas, extraída do Auto-CAD FIGURA 2: Plaqueta de metal colocada encima do marco (M) FIGURA3: Marco de concreto e sua colocação FIGURA 4: Base Montada FIGURA 5: Exemplo de triangulação de bases SM, POAL e a da propriedade FIGURA 6: Planta final FIGURA 7: Monografia do marco de apoio FIGURA 8: Foto do inicio da construção da planta da propriedade... 23

6 6 SUMÁRIO 1 ORGANIZAÇÃO INTRODUÇÃO REVISÃO BIBLIOGRÁFICA Lei Georreferenciamento Georreferenciamento de Imóveis Rurais GPS Técnicas de posicionamento GPS Norma Técnica para Georreferenciamento de imóveis rurais Definição e histórico Profissionais habilitados ao georreferenciamento ATIVIDADES DESENVOLVIDAS RESULTADOS CONCLUSÃO RECOMENDAÇÕES AVALIAÇÃO DO ESTAGIÁRIO...25 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS...26

7 7 1 ORGANIZAÇÃO A BPS Consultoria Agronômica Ltda é uma empresa localizada no município de São Gabriel, na rua General Câmara Foi fundada no ano de 2011, sendo ainda considerada como pequena empresa. A empresa é constituída por três membros, o proprietário, formado em Engenharia Agronômica que possui especialização na área através do curso de georreferenciamento de imóveis rurais, possui também uma funcionária especialista nos programas computacionais e no processamento de dados, além de um funcionário, que é relacionado com a parte de campo. A empresa atua em serviços de georreferenciamento de imóveis rurais, além de trabalhos relacionados á medição de campo.

8 8 2 INTRODUÇÃO O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) regulamentou a lei que exige que todas as propriedades rurais devem ser georreferenciadas ao Sistema Geodésico Brasileiro (SGB), além de emitir o Certificado Cadastro do Imóvel Rural (CCIR), sendo o mesmo estipulado a todos o proprietário, arrendatário e parceiro de áreas rurais. CCIR foi estipulado pela lei federal e regulamentado pelo decreto Desta forma os donos ou responsáveis por terras não poderão vender, hipotecar, partilhar ou realizar qualquer movimentação cartorial com terras caso não tenham feito o georreferenciamento e estejam com o seu CCIR irregular. Após essas leis e decretos, foi lançada pelo INCRA, a Norma Técnica de Georreferenciamento de Imóveis Rurais no ano de 2005, que enumera todas as leis e normativas que os profissionais da área devem seguir, para realizar as atividades de georreferenciamento de imóveis rurais. O trabalho de georreferenciamento baseia-se principalmente na descrição do imóvel rural, coletando as coordenadas de todos os vértices da propriedade em seus limites. Os dados são processados e enviados para o INCRA na forma impressa, contendo a planta da área e o seu memorial descritivo. Antes do georreferenciamento as divisas das propriedades rurais eram realizadas utilizando-se trenas e balizas, sendo um método rudimentar e que acarretava grandes erros. Com a evolução das tecnologias e a liberação do uso GPS para a comunidade civil, vislumbrou-se uma série de novas possibilidades, no que diz respeito a levantamentos terrestres. O georreferenciamento utiliza equipamentos de alta tecnologia, como o GPS que apresenta uma precisão elevada no posicionamento terrestre. Também utiliza programas computacionais como os chamados CAD e programas específicos de cada fabricantes de equipamentos, para processamento dos dados coletados, de cada fabricante de equipamentos, como por exemplo o TOPCON TOOLS.

9 9 A equipe de campo é formada, normalmente, por mais de uma pessoa, onde alguns trabalham no escritório, direcionados á atividade de processamento e análise documental, enquanto que outros, atuam, freqüentemente, com atividades de campo, descrevendo a área a ser georreferenciada, lindeiros, quantidade de marcos a serem colocados, e coleta de pontos com equipamentos de precisão. O presente relatório teve como objetivo apresentar as atividades realizadas na empresa de georreferenciamento de imóveis rurais chamada BPS consultoria agronômica, bem como, apresentar um referencial teórico, orientando o leitor iniciante nas ciências aqui desenvolvidas.

10 10 3 REVISÃO BIBLIOGRÁFICA 3.1 Lei Um marco para o georreferenciamento foi a elaboração da Lei Que trata do georreferenciamento de imóveis rurais. Com esta lei o INCRA obtém a possibilidade de acompanhar toda a dinâmica que ocorre no campo, permitindo a visualização, controle e gerenciamento de toda a cadeia dominial dos imóveis rurais, cadastrados em seus registros (BRASIL 2001). Conforme Ishikawa (2007) com intuito de terminar com fraudes, foi aprovada em 28 de agosto de 2001 a Lei , a Lei de Criação do Sistema Público de Registro de Terras. Ela altera dispositivos das Leis 4.947, de 06 de abril de 1966, de 12 de dezembro de 1972, de 31 de dezembro de1973, de 05 de dezembro de 1979 e de 19 de dezembro de 1996 e dá outras providências, com o objetivo de acabar com a grilagem de terras e a formação ilegal de latifúndios no Brasil. A Lei estabelece a criação do Cadastro Nacional de Imóveis Rurais - CNIR, no qual contém os elementos que devem compor a base comum de informações, formada por uma base única de dados cadastrais, a ser compartilhada por órgãos produtores e usuários de informações sobre imóveis rurais, alem de estabelecer a identificação, localização e as confrontações dos imóveis rurais (ISHIKAWA, 2007). A criação da Lei em 28 de agosto de 2001, vem a ser um marco com relação ao cadastro territorial no Brasil. A partir dela, os imóveis rurais incluídos no Cadastro Nacional de Imóveis Rurais (CNIR) passam a ter identificação única tanto cadastral quanto registrais, e ter seus perímetros georreferenciados com precisão posicional definida (REIS, 2010).

11 Georreferenciamento Georreferenciamento de imóveis rurais (GIR) GPS O sistema GPS-NAVSTAR (Navigation Satelite Time and Ranging), foi desenvolvido pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos da América. Trata-se de um sistema militar estratégico com enorme potencial para as aplicações civis. O setor civil passou a ter acesso a essa tecnologia a partir de meados da década de 1970 e tornou-se inteiramente operacional em 1993, quando universidades e instituições de pesquisa puderam, então, investigar e, inclusive, colaborar no aperfeiçoamento do sistema (BLITZKOW 1995). O GPS é na atualidade o instrumento mais eficiente para a coleta de informações especializadas pontuais, lineares e poligonais. O georreferenciamento é uma técnica aprimorada de descrição dos imóveis rurais, que contribui para o controle tanto do cadastro dos imóveis rurais como dos direitos reais a eles relativos. O objetivo do georreferenciamento de registro de imóveis (GIR) é a localização específica de um bem individualizado dentro do globo terrestre (ROQUE, 2006). Para Matsuoka (2008), o GPS coleta dados brutos chamados também de pseudodistâncias, mas agora programas de computador são capazes de extrair as informações necessárias para a geração de um arquivo de dados de receptores de navegação, possibilitando realizar o pós-processamento e, assim, técnicas mais adequadas de posicionamento Técnicas de Posicionamento GPS A Norma Técnica para GIR de agosto de 2010, subdivide os método de posicionamento conforme as classes de precisão.

12 12 TABELA 1 Tipos de posicionamento Posicionamento Relativo estático Relativo estático rápido Relativo semicinemático Relativo cinemático Ponto preciso Arquivo Rinex Virtual Cinemático em tempo real Diferencial em tempo real Diferencial pós-processado Classes e precisão em metros C1( 0,10), C2 ( 0,20), C4 ( 0,40), C5 ( 0,50) e C7 ( 2,00) C2, C4, C5 e C7 C4 C5 C1, C4, C5 e C7 C2, C3, C4, C5 e C7 C4, C5 e C7 C5 e C7 C5 e C7 Fonte: Norma Técnica de Georreferenciamento de Imóveis Rurais. As classes de precisão indicam a dispersão dos valores medidos, em torno de um valor médio, que para georreferenciamento de imóveis, rurais, considera-se a precisão conforme as características de cada vértice, onde serão obtidas suas coordenadas. Os vértices são classificados basicamente como marco (M), vértice (V), ponto (P) e ponto paralelo ao eixo levantado (O). O marco é um vértice que é realizada a sua ocupação através do rastreio de suas coordenadas com o auxílio do equipamento GPS, sendo o mesmo materializado a campo. O ponto é ocupado, porém, não materializado. O vértice tipo V não é ocupado nem materializado, sendo suas coordenadas calculadas por meio analítico. Os pontos paralelos, são pontos identificados de forma analítica, como o vértice, sendo suas coordenadas identificadas a partir da projeção de linhas paralelas ao levantamento efetuado (INCRA 2010).

13 Norma técnica para Georreferenciamento de imóveis rurais Definição e histórico O termo grilagem de terras tem origem em uma prática antiga de falsificação de documentos de posse da terra que consistia no envelhecimento artificial do papel de tal forma que o mesmo pudesse ser considerado autêntico por ser antigo e usado. Os papéis eram colocados em uma caixa com grilos e com o passar do tempo a ação dos insetos dava aos documentos um aspecto envelhecido e de longo uso (PARZZANINI 2007). O mesmo autor também relata que artigo recentemente publicado no portal da organização internacional GREENPEACE denuncia os falsificadores utilizam mecanismos mais significantes do que os grilos para se apoderar de áreas públicas como, por exemplo, a cumplicidade de cartórios de registro de bens. Os grileiros tomam as terras de forma violenta expulsando posseiros, povos indígenas e comunidades tradicionais possuem legítimos direito a terra. Em novembro de 2003, o INCRA elaborou a Norma Técnica para GIR, que teve como propósito estabelecer os preceitos gerais e específicos aplicáveis aos serviços que visam à caracterização e GIR, pelo levantamento e materialização de seus limites legais, feições e atributos associados, bem como, proporcionar aos profissionais que atuam nesta área, padrões claros de precisão e acurácia para a execução de levantamentos topográficos voltados para o GIR (ISHIKAWA, 2001).

14 Profissionais habilitados ao georreferenciamento Os profissionais habilitados a realizar o georreferenciamento, necessitam estar qualificados e regularizados pelo INCRA. O trabalho de GIR, requer que os profissionais especializados estejam sempre atualizados, utilizando tecnologias de ponta, agregando assim, precisão e garantia técnica aos trabalhos desenvolvidos (BEZERRA, 2006). O órgão competente para definir os profissionais habilitados a exercer atividade de georreferenciamento é o Conselho Federal de Engenharia e Arquitetura (CONFEA) (PARZZANINI, 2007).

15 15 4 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS Nas primeiras visitas à empresa, foram feitas as apresentações, das pessoas que trabalham nela e as respectivas atividades que elas exercem. Iniciou-se o estágio com as atividades de escritório, pois no momento não existiam atividades de campo para serem realizadas. No escritório se realizou a leitura da Norma técnica, que é considerado a base para o georreferenciamento. Este material foi desenvolvido pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), cujo nome é Norma técnica para georreferenciamento de imóveis rurais. Com a leitura do material, foi possível obter um conhecimento básico a respeito do tema. Este material detalha todas as normativas para a realização do GIR. O vértice é todo o local onde a linha do contorno da propriedade muda de direção, denomina os tipos de vértices, que são quatro: Tipo M (marco), P (ponto), V (virtual) e O (paralelo). Os mais utilizados nestas atividades são os do tipo M, que é empregado para preservar a identificação e localização do limite fundiário no terreno e os do tipo P, que estão localizados nas divisas do imóvel, normalmente próximo a córregos. O vértice tipo V, é virtual, usado para representar as coordenadas, quando o local do mesmo é totalmente inacessível, sendo que para a obtenção da coordenadas do mesmo, devem ser usados outros vértices, os do tipo M, como referência. Já o, vértice do tipo O, é criado de forma analítica, através da formação de linhas paralelas ás das propriedades, como as estradas, linhas férreas, etc. Passaram-me as atividades que devem ser realizadas no levantamento que se utiliza em todo o processo de georreferenciamento. O sistema de referência utilizado para GIR, sendo o datum padrão brasileiro, é o Sistema de Referência Geocêntrico para as Américas (SIRGAS), com sua realização no ano de 2000 sendo denominado de SIRGAS2000. As estações ativas receptoras de sinais de satélite do Global Navigation Satellite Systems (GNSS), termo mais utilizado atualmente, já que se podem rastrear dados de

16 16 diferentes constelações de satélites, além do sistema GPS, e as redes geodésicas estaduais estabelecidas a partir do rastreamento de sinais de satélites, devem ser homologadas pelo IBGE, para serem usada no GIR. O modo de levantamento pelo GNSS permite a determinação de coordenadas a partir de vértices do Sistema Geodésico Brasileiro, ao vértice de referência, além da determinação de coordenadas dos vértices das poligonais de apoio para a determinação das coordenadas dos vértices que vão definir a propriedade. Após a revisão bibliográfica sobre o tema, iniciaram as atividades práticas do trabalho de georreferenciamento. Para começar qualquer trabalho de georreferenciamento deve-se ir ao Cartório de Registro de Imóveis e analisar a matrícula da propriedade. A matrícula deve estar individualizada, o que é muito difícil de ser encontrado na prática, visto que os proprietários mais antigos não possuem o costume de desagregarem suas áreas, oficializando a desagregação em cartório. Sendo assim deve-se medir todo o perímetro de toda matricula para posteriormente subdividir esta matricula e registrar a subdivisão. Realizou-se o acompanhamento de uma visita ao cartório para a analise da matrícula de duas propriedades rurais. A FIGURA 1, ilustra diferentes áreas e suas respectivas matrículas. Fonte: BPS consultoria agronômica, São Gabriel junho de FIGURA 1- Área rural com diferentes matrículas, extraída do software CAD.

17 17 Após a análise de documentos no cartório, foi necessário a identificação de todos os lindeiros da propriedade. Posteriormente comunicou-se os mesmos sobre a atividade de georreferenciamento e a provável entrada do pessoal de campo nos limites das propriedades. Com todos os lindeiros comunicados iniciou os preparativos para a realização das atividades de campo. A primeira ida a campo foi para a identificação e reconhecimento dos limites do imóvel, pois as divisas poderiam estar dentro de matas fechadas, rios e estradas. Assim ocorreu inicialmente o deslocamento até uma propriedade localizada no distrito municipal chamado Batovi. Chegando a propriedade, foram indicados todos os limites, sendo os mesmos analisados pelo profissional responsável na empresa. Nesta atividade, foi possível obter uma noção de quantos marcos e pontos deverão ser coletados, e, de quantos dias seriam necessário para realizar as respectivas atividades. Posteriormente a essa visita, iniciaram-se os preparativos para a realização de outras visitas a campo. Foram adquiridos os marcos e as plaquetas de identificação com o código do credenciado, como mostra a figura 2. Fonte: Autor, maio de FIGURA 2- Plaqueta de metal assentada sobre o marco (M), com o numero de identificação do mesmo e do credenciado. Chegando à propriedade foram colocados os primeiro marcos em todos os locais necessários, que durou mais de três dias. Os marcos utilizados foram os de concreto

18 18 com forma piramidal com as dimensões de 8 x 12 x 60cm e ficaram enterrados 50cm e 10cm acima do solo. Como os marcos devem ser colocados esta representado na figura 3. Fonte: Autor, maio de FIGURA 3- Marco de concreto e sua colocação. As demais saídas a campo foram para a coleta dos pontos com o equipamento GPS Hiper, que possui sua precisão aceita pelas normas do INCRA. Para coleta de dados com o GPS, primeiro se instalou-se a base, escolhendo um local protegido de forma que nenhum animal ou até mesmo uma pessoa sem conhecimento, danifique o equipamento ou prejudicasse sua perfeita centragem. Depois se montar o tripé que faz parte do conjunto do aparelho, realizou-se o nivelamento através de uma bolha circular, sendo posteriormente acoplado o equipamento GPS, posicionado sobre o tripé, como ilustra a FIGURA 4. Liga-se o GPS e se observa o número de satélites rastreados, sendo acima de oito satélites rastreados, o sinal considerado bom. Fonte: Autor, maio de FIGURA 4- Base montada.

19 19 Com a base funcionando de forma adequada, ocorreu o deslocamento com o outro equipamento GPS para a coleta dos pontos dos vértices da propriedade. Os pontos foram coletados posicionando o equipamento sobre cada marco, onde se deve esperou-se pelo menos oito minutos com o equipamento rastreando, para o ponto ser considerado fixo ou fase, sendo de boa qualidade. Caso o ponto ser classificado como flutuante (floating) no pós-processamento, o ponto deverá ser rastreado novamente. Além dos marcos coletam-se os pontos (P) propriamente ditos, estes pontos são os vértices formados ao decorrer dos limites. Os pontos coletados ficam armazenados no GPS até serem levados para o escritório, onde foram descarregados para o computador. Pontos que ficam dentro de matas, necessitam de abertura de pequenas clareiras para obter boa qualidade de sinal. Retornando ao escritório, os pontos são descarregados do GPS com o software PCCDU, baixando os dados brutos. Este programa é do próprio equipamento GPS e apenas realiza o transporte dos dados GPS para o computador. Para processamento, procurou-se as bases da data da coleta através do site do IBGE, sendo estas estações ativas pertencentes á Rede Brasileira de Monitoramento Continuo (RBMC) servindo de suporte ou de apoio para a triangulação das bases. No caso da região de São Gabriel, foram utilizadas as bases Santa Maria (SMAR) e Porto Alegre (POAL). Estas bases são chamadas tecnicamente de C1. Posteriormente se importaram-se estas bases com o programa TOPCON TOOLS, onde foi realizado o processamento e os relatórios. Após a realização da triangulação a base a campo se torna referenciada, como mostra FIGURA 5.

20 20 rural. Fonte: Bps consultoria agronômica, São Gabriel junho de FIGURA 5- Exemplo de triangulação das bases de Santa Maria Porto Alegre e a da propriedade Após a importação das bases e dos pontos que estavam na pasta para o mesmo programa TOPCON TOOLS. Assim realizou-se o pós-processamento dos dados. Com o pós-processamento os pontos também tornam-se referenciados, e o programa indicou se os pontos foram coletados de forma correta. Também neste processo se emite o relatório de processamento da base e dos pontos. Os pontos, após serem processados e ajustados, são exportados para o software AutoCAD. Dentro do programa foi realizada a montagem da estrutura do arquivo digital, onde em primeira ordem ligaram-se os pontos do perímetro e se realiza o detalhamento da planta, citando suas informações cartográficas, como o meridiano central em graus, minutos segundos, as convenções com a simbologia de marco, ponto e linha divisória, planta de situação (localiza o mesmo perímetro dentro da carta do exército), escala gráfica e dados do proprietário. A partir desta operação, gerou-se um memorial descritivo, que cita as confrontações entre os lindeiros, o calculo analítico e a impressão da planta em três vias. A FIGURA 6 mostra um exemplo de planta de outra propriedade.

21 Fonte: BPS consultoria agronômica, São Gabriel junho de FIGURA 6- Planta final- exemplo.

22 Após estes processos fio preenchido um modelo de quadro chamado de Monografia do Marco de Apoio como mostra a FIGURA 7. Fonte: BPS consultoria agronômica, São Gabriel junho de 2011 FIGURA 7- Monografia do marco de apoio. Por fim elaborou-se o relatório técnico do imóvel. Este apresentou as informações de metodologia, o objetivo do trabalho, finalidade, período de execução, localização do imóvel, os marcos geodésicos de referencia utilizado, descrição do serviço executado, precisões obtidas e equipe técnica. Esses documentos serão enviados ao INCRA, caso contenha algum erro será devolvido para correções e retornará ao INCRA. Caso seja aceito, ficará registrado no INCRA e no Cartório de Registro de Imóveis e é enviada uma cópia da planta para o proprietário.

23 23 5 RESULTADOS A propriedade recebeu no período do estágio seis visitas a campo, sendo colocados 126 marcos de concreto e rastreados 12 pontos em um corredor de passagem livre. A elaboração da planta esta sendo estruturada e não foi finalizada devido á falta de coleta de pontos, que ainda não puderam ser coletados. Porém, com os pontos já coletados, tem-se um protótipo da planta como mostrado á baixo pela figura 8. Fonte: BPS consultoria agronômica, São Gabriel junho de 2011 FIGURA 8- Foto do inicio da construção da planta da propriedade.

24 24 6 CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES As propriedades rurais devem realizar o georreferenciamento para manter-se atualizadas no Cartório Registro de Imóveis, evitando o recebimento de multas e ter problemas com o CCIR. Assim terão seus limites marcados e saberão o tamanho real de sua área. Por fim há varias empresas realizando este tipo de trabalho, além da BPS consultoria agronômica, esta demonstrou a sua objetividade e eficiência dos trabalhos realizados.

25 25 7 AVALIAÇÃO DO ESTÁGIO O estágio proporcionou a vivência em relação às atividades de georreferenciamento, visto que durante o desenvolvimento dos componentes curriculares, visualizaram-se mais as partes teóricas, e com a empresa foram realizadas estas atividades práticas. Como georreferenciamento pode ser realizado também por Engenheiros Florestais, foi observado que este aprendizado pode ser uma porta para o ingresso no mercado de trabalho.

26 26 REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS Brasil. Decreto-Lei nº 243, de 28 de fevereiro de 1967, resolução PR nº 22, de 21 julho de As especificações e Normas Gerais para Levantamento Geodésicos em Território Brasileiro Disponível em: < ftb://geoftp.ibge.gov.br/documentos/geodesia/pdf/ bservico1602.pdf>. Acesso em : 23 jun BRASIL, Lei Federal Nº , de 12 de Dezembro de 1972, Cria o Sistema Nacional de Cadastro Rural e dá outras providências - Publicação Diário Oficial da União. Disponível em: < ftb://geoftp.ibge.gov.br/documentos> Acesso em 24 de jun BRASIL, Lei Federal Nº , de 28 de agosto de 2001, Alteração dos dispositivos das Leis nº /66, 5.868/72, 6.015/73, 6.739/79, 9.393/96 e dá outras providências; Publicação diário Oficial da União. <ftb://geoftp.ibge.gov.br/documentos> Acessado em 24 de jun BEZERRA. R. DETERMINANTDO VÉRTICES PARA GEORREFERENCIAMENTO DE IMÓVEIS RURAIS UTILIZANDO GEOPROCESSAMENTO. Belo Horizonte, MG, Monografia de especialização. Instituto de Geociências. DEPARTAMENTO DE CARTOGRAFIA. INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS. UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. nº 30. BLITZKOW, D. NAVSTAR/GPS: Um desafio tornado realidade. SIMPÓSIO BRASILEIRO DE GEOPROCESSAMENTO, 1995, São Paulo. São Paulo: USP, p CARNEIRO, A. F. T. Cadastro registro de imóveis em áreas rurais e urbanas: a Lei /2001 e experiências nos municípios de São Paulo e Santo André. Revista BrasiLeira de Cartografia, Rio de Janeiro, n.53, p.73-81, dez IBGE. Geociência. Disponível em: < Acesso em: 25/06/ :10. ISHIKAWA, M. I. Georreferenciamento em imóveis rurais: métodos de levantamentos na aplicação da lei /2001. Botucatu SP Brasil Tese de Doutorado. TITULO DE DOUTOR EM AGROMONIA NA PARTE DE ENERGIA NA AGRICULTURA, nº 134.

27 27 MATSUOKA, M. T. Análise da aplicação de receptor GPS de navegação no posicionamento relativo estático de linha-base curta. Journal of Geocience , jul/dez PARZZANINI, P. D. Georreferenciamento de Imóveis Rurais de Minas Gerais. Belo Horizonte MG Brasil MONOGRAFIA Á OBTENÇÃO DO GRAU DE ESPECIALISTA EM GEOPROCESSAMENTO. nº 29. REIS, E. S. Diagnóstico da problemática da delimitação de áreas de preservação permanente no âmbito do cadastro nacional de imóveis rurais. III Simpósio Brasileiro de Ciências Geodésicas e Tecnologias da Geoinformação. Recife - PE, de Julho de 2010 p ROQUE, C. G. Georreferenciamento. Revista de Ciências Agro-Ambientais, Alta Floresta, v.4, n.1, p , INCRA, 2003 Norma Técnica de Georreferenciamento de Imóveis Rurais, 1ª Edição, Gabinete da Presidência do INCRA, Divisão de Ordenamento Territorial SDTT, Gerência de Cartografia, Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto.

Georreferenciamento de Imóveis Rurais SIGEF

Georreferenciamento de Imóveis Rurais SIGEF Georreferenciamento de Imóveis Rurais SIGEF O Sistema de Gestão Fundiária (SIGEF) é uma ferramenta eletrônica desenvolvida pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) e pelo Ministério

Leia mais

PORTARIA Nº 98 DE 11/06/2010 (Estadual - Minas Gerais) Data D.O.: 12/06/2010

PORTARIA Nº 98 DE 11/06/2010 (Estadual - Minas Gerais) Data D.O.: 12/06/2010 PORTARIA Nº 98 DE 11/06/2010 (Estadual - Minas Gerais) Data D.O.: 12/06/2010 Dispõe sobre a autorização para recebimento e homologação de laudos técnico-ambientais e plantas georreferenciadas, elaborados

Leia mais

Universidade do Vale do Rio dos Sinos Programa de Pós-Graduação em Geologia Laboratório de Sensoriamento Remoto e Cartografia Digital

Universidade do Vale do Rio dos Sinos Programa de Pós-Graduação em Geologia Laboratório de Sensoriamento Remoto e Cartografia Digital Universidade do Vale do Rio dos Sinos Programa de Pós-Graduação em Geologia Laboratório de Sensoriamento Remoto e Cartografia Digital Diagnóstico Ambiental do Município de São Leopoldo (Relatório da Implantação

Leia mais

Módulo de Georreferenciamento. Sistema. Página 1/75

Módulo de Georreferenciamento. Sistema. Página 1/75 Módulo de Georreferenciamento Sistema Página 1/75 Para iniciar o Módulo de Georreferenciamento acesse, no AutoCAD a partir do Menu flutuante >Posição >Georreferenciamento >Módulo de Georreferenciamento.

Leia mais

Panorama do Sistema de Automação Topográfica - POSIÇÃO

Panorama do Sistema de Automação Topográfica - POSIÇÃO Panorama do Sistema de Automação Topográfica - POSIÇÃO MundoGEO#Connect LatinAmerica 2013 18 a 20 de Junho São Paulo Brasil Apresentado por: Danilo Sidnei dos Santos Gerente e Desenvolvedor do Posição

Leia mais

RBMC-IP. Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo dos Sistemas GNSS em Tempo Real. Diretoria de Geociências DGC Coordenação de Geodésia - CGED

RBMC-IP. Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo dos Sistemas GNSS em Tempo Real. Diretoria de Geociências DGC Coordenação de Geodésia - CGED RBMC-IP Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo dos Sistemas GNSS em Tempo Real Diretoria de Geociências DGC Coordenação de Geodésia - CGED 06 de Maio de 2009 Sumário Sistema GPS Técnica de Posicionamento

Leia mais

NOTA TÉCNICAlINCRAlDFG/N 01/2010, DE 22 DE FEVEREIRO DE 2010. CONSIDERANDO, a necessidade de modernização no processo de certificação de

NOTA TÉCNICAlINCRAlDFG/N 01/2010, DE 22 DE FEVEREIRO DE 2010. CONSIDERANDO, a necessidade de modernização no processo de certificação de - PUBLICAÇÃO NOTA TÉCNICAlINCRAlDFG/N 01/2010, DE 22 DE FEVEREIRO DE 2010 l.~~~~~-.-:~~ Estabelece a nova metodologia de análise de processos de Certificação de Imóveis Rurais no INCRA Cuiabá, 22 de Fevereiro

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº 23-CNA Brasília, 23 de junho de 2006.

NOTA TÉCNICA Nº 23-CNA Brasília, 23 de junho de 2006. NOTA TÉCNICA Nº 23-CNA Brasília, 23 de junho de 2006. Autor: Anaximandro Doudement Almeida Assessor Técnico Promotor: Comissão Nacional de Assuntos Fundiários Assunto: Projeto de Lei nº 6623, de 2006.

Leia mais

Altera a caracterização do Sistema Geodésico Brasileiro

Altera a caracterização do Sistema Geodésico Brasileiro Altera a caracterização do Sistema Geodésico Brasileiro R.PR 1/2005 FOLHA 1/1 Competência: Artigo 24 do Estatuto aprovado pelo Decreto nº 4.740, de 13 de junho de 2003. O PRESIDENTE da FUNDAÇÃO INSTITUTO

Leia mais

PROPOSTA PRELIMINAR PARA A ADOÇÃO DE UM REFERÊNCIAL GEOCÊNTRICO NO BRASIL

PROPOSTA PRELIMINAR PARA A ADOÇÃO DE UM REFERÊNCIAL GEOCÊNTRICO NO BRASIL PROPOSTA PRELIMINAR PARA A ADOÇÃO DE UM REFERÊNCIAL GEOCÊNTRICO NO BRASIL 1 Seminário sobre Referencial Geocêntrico no Brasil Rio de Janeiro - IBGE/CDDI 1 O que é um sistema geodésico de referência? É

Leia mais

INOVAÇÕES NO GEORREFERENCIAMENTO E NA CERTIFICAÇÃO DE IMÓVEIS RURAIS

INOVAÇÕES NO GEORREFERENCIAMENTO E NA CERTIFICAÇÃO DE IMÓVEIS RURAIS INOVAÇÕES NO GEORREFERENCIAMENTO E NA CERTIFICAÇÃO DE IMÓVEIS RURAIS Kilder José Barbosa Engenheiro Agrimensor Analista/INCRA Kilder Barbosa - Engenheiro Agrimensor Analista em Reforma e Desenvolvimento

Leia mais

Renan Bezerra Determinando vértices para georreferenciamento de imóveis rurais utilizando geoprocessamento

Renan Bezerra Determinando vértices para georreferenciamento de imóveis rurais utilizando geoprocessamento i Renan Bezerra Determinando vértices para georreferenciamento de imóveis rurais utilizando geoprocessamento IX Curso de Especialização em Geoprocessamento 2006 UFMG Instituto de Geociências Departamento

Leia mais

Programa de Monitoramento do Lençol Freático do AHE Jirau

Programa de Monitoramento do Lençol Freático do AHE Jirau Programa de Monitoramento do Lençol Freático do AHE Jirau Preparado Por Preparado Para ICF Consultoria do Brasil Ltda. Av. das Américas, nº 700, Bloco 6, sala 251 Barra da Tijuca Rio de Janeiro, RJ CEP

Leia mais

LEVANTAMENTOS TOPOGRÁFICOS ESTAÇÃO TOTAL x GPS RTK

LEVANTAMENTOS TOPOGRÁFICOS ESTAÇÃO TOTAL x GPS RTK LEVANTAMENTOS TOPOGRÁFICOS ESTAÇÃO TOTAL x GPS RTK Douglas Luiz Grando 1 ; Valdemir Land 2, Anderson Clayton Rhoden 3 Palavras-chave: Topografia; Geodésia; GPS de Precisão. INTRODUÇÃO Com a evolução das

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA Pró-Reitoria Acadêmica Setor de Pesquisa

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA Pró-Reitoria Acadêmica Setor de Pesquisa FORMULÁRIO PARA INSCRIÇÃO DE PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA. Coordenação/Colegiado ao(s) qual(is) será vinculado: Curso (s) :Engenharia Civil Nome do projeto: Implantação de uma rede planialtimétrica

Leia mais

NORMAS E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA TRABALHOS TOPOGRÁFICOS - CDA I OPERAÇÕES DE CAMPO

NORMAS E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA TRABALHOS TOPOGRÁFICOS - CDA I OPERAÇÕES DE CAMPO NORMAS E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA TRABALHOS TOPOGRÁFICOS - CDA I OPERAÇÕES DE CAMPO 1- As normas técnicas objetivam a caracterização de imóveis rurais pelo levantamento e materialização de seus limites,

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO À DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA INSTRUÇÃO DOS PROCESSOS DE RESERVA LEGAL

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO À DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA INSTRUÇÃO DOS PROCESSOS DE RESERVA LEGAL À DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA INSTRUÇÃO DOS PROCESSOS DE RESERVA LEGAL Documentação prevista na Lei Federal 12.51 de 25 de maio de 2012: 1 - identificação do proprietário ou possuidor rural; 2 - comprovação

Leia mais

CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM GEORREFERENCIAMENTO DE IMÓVEIS RURAIS 360h - FAÇA SUA MATRÍCULA!!!

CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM GEORREFERENCIAMENTO DE IMÓVEIS RURAIS 360h - FAÇA SUA MATRÍCULA!!! CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM GEORREFERENCIAMENTO DE IMÓVEIS RURAIS 360h - FAÇA SUA MATRÍCULA!!! CERTIFICAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA - UFRA TURMA EM MARABÁ COORDENAÇÃO DSC. Luiz Gonzaga da

Leia mais

UNICAP Universidade Católica de Pernambuco Laboratório de Topografia de UNICAP - LABTOP Topografia 1. Sistema de Posicionamento por Satélite

UNICAP Universidade Católica de Pernambuco Laboratório de Topografia de UNICAP - LABTOP Topografia 1. Sistema de Posicionamento por Satélite UNICAP Universidade Católica de Pernambuco Laboratório de Topografia de UNICAP - LABTOP Topografia 1 Sistema de Posicionamento por Satélite Recife, 2014 Sistema de Coordenadas Geográficas O globo é dividido

Leia mais

CURSOS DE EXTENSÃO. Julho 2013

CURSOS DE EXTENSÃO. Julho 2013 CURSOS DE EXTENSÃO Julho 2013 Curso de AutoCAD Objetivo: Proporcionar treinamento técnico especializado sobre o sistema CADD, através do software AutoCAD, capacitando o treinando a elaborar configurações

Leia mais

NOTA TÉCNICA. Sistema Geodésico de Referência: Figura geométrica da superfície terrestre: Época de referência das coordenadas:

NOTA TÉCNICA. Sistema Geodésico de Referência: Figura geométrica da superfície terrestre: Época de referência das coordenadas: NOTA TÉCNICA TÉRMINO DO PERÍODO DE TRANSIÇÃO PARA ADOÇÃO NO BRASIL DO SISTEMA DE REFERÊNCIA GEOCÊNTRICO PARA AS AMÉRICAS (SIRGAS), EM SUA REALIZAÇÃO DE 2,4 (SIRGAS2) A definição, implantação e manutenção

Leia mais

1. Para o levantamento Georrreferenciado, será adotado o padrão INCRA?

1. Para o levantamento Georrreferenciado, será adotado o padrão INCRA? 1. Para o levantamento Georrreferenciado, será adotado o padrão INCRA? Sim 2. Qual precisão poderemos adotar para o levantamento das coordenadas horizontais e das coordenadas verticais? Submétrica para

Leia mais

PRINCIPAIS MUDANÇAS ENTRE A 2ª NTGIR E A 3ª NTGIR

PRINCIPAIS MUDANÇAS ENTRE A 2ª NTGIR E A 3ª NTGIR PRINCIPAIS MUDANÇAS ENTRE A 2ª NTGIR E A 3ª NTGIR Autor: LUIS ANDERSON CERINO PIRES Consultor Técnico AutoTOPO Revisão: Eng Rômulo Corrêa de Magalhães autor AutoTOPO wwwautotoponet Goiânia-GO, 02/outubro/2013

Leia mais

Tutorial para Módulo de Georreferenciamento Posição. 3 Edição da Norma de Georreferenciamento do Incra

Tutorial para Módulo de Georreferenciamento Posição. 3 Edição da Norma de Georreferenciamento do Incra Tutorial para Módulo de Georreferenciamento Posição 3 Edição da Norma de Georreferenciamento do Incra Importante: Buscar sempre as últimas atualizações do sistema posição no site: www.posicao.com.br Em

Leia mais

Cadastro Ambiental Rural

Cadastro Ambiental Rural Cadastro Ambiental Rural E suas possíveis contribuições para a gestão de bacias hidrográficas Botucatu 28/06/2013 Caroline Vigo Cogueto Centro de Monitoramento Coordenadoria de Biodiversidade e Recursos

Leia mais

Dados para mapeamento

Dados para mapeamento Dados para mapeamento Existem dois aspectos com relação aos dados: 1. Aquisição dos dados para gerar os mapas 2. Uso do mapa como fonte de dados Os métodos de aquisição de dados para o mapeamento divergem,

Leia mais

Desafios da regularização Fundiária em Mato Grosso

Desafios da regularização Fundiária em Mato Grosso 1 Desafios da regularização Fundiária em Mato Grosso Afonso Dalberto Presidente do Instituto de Terras de Mato Grosso INTERMAT Cuiabá - MT, 19 de agosto de 2009 2 A atual situação fundiária do Estado de

Leia mais

CARTOGRAFIA TEMÁTICA e GPS

CARTOGRAFIA TEMÁTICA e GPS CARTOGRAFIA TEMÁTICA e GPS Orientação e Forma Diversidade = A visibilidade é variável Ordem = As categorias se ordenam espontaneamente Proporcionalidade = relação de proporção visual Cores convencionais

Leia mais

CNIR Lei 10.267 de 28 de Agosto de 2001 Decreto Regulamentador 4.449/02

CNIR Lei 10.267 de 28 de Agosto de 2001 Decreto Regulamentador 4.449/02 CADASTRO NACIONAL DE IMÓVEIS RURAIS CNIR Lei 10.267 de 28 de Agosto de 2001 Decreto Regulamentador 4.449/02 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO MDA INSTITUTO NACIONAL DE COLONIZAÇÃO E REFORMA AGRÁRIA

Leia mais

A Alezi Teodolini está há quase de 40 no mercado, oferecendo produtos e serviços na coleta de informações de campo com a missão de:

A Alezi Teodolini está há quase de 40 no mercado, oferecendo produtos e serviços na coleta de informações de campo com a missão de: A Empresa A está há quase de 40 no mercado, oferecendo produtos e serviços na coleta de informações de campo com a missão de: EQUIPAR E CAPACITAR O MERCADO BRASILEIRO Sempre pioneira nos seus ramos de

Leia mais

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO / DIURNO PROGRAMA DE DISCIPLINA

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO / DIURNO PROGRAMA DE DISCIPLINA CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO / DIURNO PROGRAMA DE DISCIPLINA DISCIPLINA: CARTOGRAFIA E TOPOGRAFIA CÓDIGO: CRT003 CLASSIFICAÇÃO: Obrigatória PRÉ-REQUISITO: não tem CARGA HORÁRIA: TÉORICA : 30 horas

Leia mais

DELIMITAÇÃO E PLANEJAMENTO DE DEMARCAÇÃO DO PARQUE ESTADUAL DA SERRA DO TABULEIRO

DELIMITAÇÃO E PLANEJAMENTO DE DEMARCAÇÃO DO PARQUE ESTADUAL DA SERRA DO TABULEIRO PROJETO DE PROTEÇÃO DA MATA ATLÂNTICA EM SANTA CATARINA (PPMA/SC) DELIMITAÇÃO E PLANEJAMENTO DE DEMARCAÇÃO DO PARQUE ESTADUAL DA SERRA DO TABULEIRO RELATÓRIO TÉCNICO DE DELIMITAÇÃO 03FAT0206R00 CURITIBA

Leia mais

CURSOS DE EXTENSÃO. Julho 2013

CURSOS DE EXTENSÃO. Julho 2013 CURSOS DE EXTENSÃO Julho 2013 Curso de AutoCAD Objetivo: Proporcionar treinamento técnico especializado sobre o sistema CADD, através do software AutoCAD, capacitando o treinando a elaborar configurações

Leia mais

II Seminário sobre Referencial Geocêntrico no Brasil

II Seminário sobre Referencial Geocêntrico no Brasil II Seminário sobre Referencial Geocêntrico no Brasil PMRG - Projeto Mudança do Referencial Geodésico RESUMO DOS PAINÉIS 4 e 5 PAINEL 4: Perguntas: Que aplicativos e serviços devem ser disponibilizados?

Leia mais

A reformulação do serviço de pós-processamento on-line de dados GNSS IBGE-PPP: estudo de caso no estado de Mato Grosso do Sul

A reformulação do serviço de pós-processamento on-line de dados GNSS IBGE-PPP: estudo de caso no estado de Mato Grosso do Sul Embrapa Informática Agropecuária/INPE, p. 384-388 A reformulação do serviço de pós-processamento on-line de dados GNSS IBGE-PPP: estudo de caso no estado de Mato Grosso do Sul Ronaldo Lisboa Gomes 1 José

Leia mais

O SISTEMA GEODÉSICO BRASILEIRO E A LEI DE GEORREFERENCIAMENTO DE IMÓVEIS RURAIS

O SISTEMA GEODÉSICO BRASILEIRO E A LEI DE GEORREFERENCIAMENTO DE IMÓVEIS RURAIS O SISTEMA GEODÉSICO BRASILEIRO E A LEI DE GEORREFERENCIAMENTO DE IMÓVEIS RURAIS Kátia Duarte Pereira 1 Moema José de Carvalho Augusto 2 1 Instituto Brasileiro de Geografia e Estística/ Diretoria de Geociências

Leia mais

CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE AGRIMENSURA. Julgamento de Processos

CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE AGRIMENSURA. Julgamento de Processos 1 I - PROCESSOS DE VISTAS I. I - PROCESSOS QUE RETORNAM À CÂMARA APÓS "VISTA" CONCEDIDA 2 UGI PRESIDENTE PRUDENTE Nº de Ordem 1 Processo/Interessado PR-661/2012 Relator JOÃO BATISTA PEREIRA ANTONIO MOACIR

Leia mais

CONSIDERANDO a necessidade de uniformizar os critérios para Certificação e Atualização Cadastral de Imóveis Rurais;

CONSIDERANDO a necessidade de uniformizar os critérios para Certificação e Atualização Cadastral de Imóveis Rurais; NORMA DE EXECUÇÃO INCRA/DF/ Nº 92 DE 22 DE FEVEREIROEIRO DE 2010. (Publicada no DOU, nº 42, de 4 de março de 2010, Seção I, página 81 e Boletim de Serviço nº 10, de 8 de março de 2010). Estabelece as diretrizes

Leia mais

REESTRUTURAÇÃO DO CADASTRO

REESTRUTURAÇÃO DO CADASTRO REESTRUTURAÇÃO DO CADASTRO VISANDO À MULTIFINALIDADE: Aspectos técnicos, legais e administrativos Profª Andrea F. T. Carneiro Programa de Pós-graduação em Ciências Geodésicas e Tecnologias da Geoinformação

Leia mais

ANEXO L RESUMO ESPECIFICAÇÕES INCRA

ANEXO L RESUMO ESPECIFICAÇÕES INCRA ANEXO L RESUMO ESPECIFICAÇÕES INCRA 1 Metodologia A metodologia utilizada para a determinação dos pontos de divisa, seguiu a metodologia para georreferenciamento de imóveis rurais do emitido pelo INCRA

Leia mais

EAD Sistema CR Campeiro 7

EAD Sistema CR Campeiro 7 EAD Sistema CR Campeiro 7 Tópico 1 Interface com Sistema de Posicionamento Global 1.1 Introdução: O Sistema Campeiro, disponibiliza para emprego nas rotinas de topografia, Geoprocessamento e Agricultura

Leia mais

ELABORAÇÃO DE PLANO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DO MEIO RURAL DO MUNICÍPIO DE JAÚ -SP

ELABORAÇÃO DE PLANO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DO MEIO RURAL DO MUNICÍPIO DE JAÚ -SP ELABORAÇÃO DE PLANO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DO MEIO RURAL DO MUNICÍPIO DE JAÚ -SP INTRODUÇÃO A Agenda 21 Local é um instrumento de planejamento de políticas públicas que envolve tanto a sociedade

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA INSTRUÇÃO DOS PROCESSOS DE RESERVA LEGAL

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA INSTRUÇÃO DOS PROCESSOS DE RESERVA LEGAL DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA INSTRUÇÃO DOS PROCESSOS DE RESERVA LEGAL Atenção: Esta lista de documentos tem vigência até que o Cadastro Ambiental Rural (CAR) seja efetivamente implantado por ato da Ministra

Leia mais

Dispõe sobre a Autorização Prévia à Análise Técnica de Plano de Manejo Florestal Sustentável- APAT, e dá outras providências

Dispõe sobre a Autorização Prévia à Análise Técnica de Plano de Manejo Florestal Sustentável- APAT, e dá outras providências INSTRUÇÃO NORMATIVA MMA Nº 4, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2006 Dispõe sobre a Autorização Prévia à Análise Técnica de Plano de Manejo Florestal Sustentável- APAT, e dá outras providências A MINISTRA DE ESTADO

Leia mais

ANEXO 1 Relação e orientação de Demarcação das Unidades de Manejo Florestal UMF

ANEXO 1 Relação e orientação de Demarcação das Unidades de Manejo Florestal UMF ANEXO 1 Relação e orientação de Demarcação das Unidades de Manejo Florestal UMF A 3 licitação para concessão em floresta pública no Estado do Pará será realizada na Floresta Estadual (FLOTA) do Paru, localizada

Leia mais

2010 O ANO DAS MUDANÇAS NO INCRA

2010 O ANO DAS MUDANÇAS NO INCRA 2010 O ANO DAS MUDANÇAS NO INCRA *Murilo Damé Paschoal *Michele Müller O ano de 2010 está chegando ao fim marcado por muitas novidades anunciadas pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA TNC

TERMO DE REFERÊNCIA TNC TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA DE CONSULTORIA (PESSOA JURÍDICA) PARA LEVANTAMENTO GEORREFERENCIADO DE IMÓVEIS RURAIS PARA FINS DE ELABORAÇÃO DE CADASTROS AMBIENTAIS RURAIS CAR NO MUNICÍPIO

Leia mais

Diagnóstico Ambiental do Município de Alta Floresta - MT

Diagnóstico Ambiental do Município de Alta Floresta - MT Diagnóstico Ambiental do Município de Alta Floresta - MT Paula Bernasconi Ricardo Abad Laurent Micol Maio de 2008 Introdução O município de Alta Floresta está localizado na região norte do estado de Mato

Leia mais

CONCEITOS DE IMÓVEL RURAL: aplicações na Certificação e no Registro de Imóveis

CONCEITOS DE IMÓVEL RURAL: aplicações na Certificação e no Registro de Imóveis CONCEITOS DE IMÓVEL RURAL: aplicações na Certificação e no Registro de Imóveis RIDALVO MACHADO DE ARRUDA PROCURADOR FEDERAL (PFE-INCRA/PB) ESPECIALISTA EM DIREITO REGISTRAL IMOBILIÁRIO NO DIREITO AGRÁRIO

Leia mais

Disciplina: Topografia I

Disciplina: Topografia I Curso de Graduação em Engenharia Civil Prof. Guilherme Dantas Fevereiro/2014 Disciplina: Topografia I Indrodução atopografia definição Definição: a palavra "Topografia" deriva das palavras gregas "topos"

Leia mais

Divisão de. Avaliação e Perícia

Divisão de. Avaliação e Perícia Divisão de Avaliação e Perícia índice 3 5 6 a scot consultoria serviços de avaliação e perícia avaliação de imóveis rurais SUgestão de divisão de propriedades rurais Laudo de comprovação de produtividade

Leia mais

Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR Câmara temática de Insumos Agropecuários Brasília, 27 de maio de 2014

Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR Câmara temática de Insumos Agropecuários Brasília, 27 de maio de 2014 Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR Câmara temática de Insumos Agropecuários Brasília, 27 de maio de 2014 O QUE É O CAR O Cadastro Ambiental Rural - CAR, é o registro público eletrônico de âmbito

Leia mais

NORMA TÉCNICA PARA GEORREFERENCIAMENTO EM AÇÕES DE REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA APLICADA À AMAZÔNIA LEGAL. 1 a Edição

NORMA TÉCNICA PARA GEORREFERENCIAMENTO EM AÇÕES DE REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA APLICADA À AMAZÔNIA LEGAL. 1 a Edição NORMA TÉCNICA PARA GEORREFERENCIAMENTO EM AÇÕES DE REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA APLICADA À AMAZÔNIA LEGAL 1 a Edição Aprovada pela Portaria INCRA/SRFA/P/Nº 01 14 de JULHO de 2009 SUMÁRIO LISTA DE ABREVIAÇÕES...

Leia mais

Instruções para homologação de estações estabelecidas por outras instituições

Instruções para homologação de estações estabelecidas por outras instituições Instruções para homologação de estações estabelecidas por outras instituições ESTAÇÃO GPS Para homologação e integração de estações determinadas por outros órgãos e instituições ao Sistema Geodésico Brasileiro

Leia mais

ecoturismo ou turismo. As faixas de APP que o proprietário será obrigado a recompor serão definidas de acordo com o tamanho da propriedade.

ecoturismo ou turismo. As faixas de APP que o proprietário será obrigado a recompor serão definidas de acordo com o tamanho da propriedade. São as áreas protegidas da propriedade. Elas não podem ser desmatadas e por isso são consideradas Áreas de Preservação Permanente (APPs). São as faixas nas margens de rios, lagoas, nascentes, encostas

Leia mais

15 Computador, projeto e manufatura

15 Computador, projeto e manufatura A U A UL LA Computador, projeto e manufatura Um problema Depois de pronto o desenho de uma peça ou objeto, de que maneira ele é utilizado na fabricação? Parte da resposta está na Aula 2, que aborda as

Leia mais

Declaração de Escopo

Declaração de Escopo 1/9 Elaborado por: Adriano Marra, Bruno Mota, Bruno Leite, Janaina Versão: 1.4 Lima, Joao Augusto, Paulo Takagi, Ricardo Reis. Aprovado por: Porfírio Carlos Roberto Junior 24/08/2010 Time da Equipe de

Leia mais

Georreferenciamento de Imóveis Rurais Ltda. www.geotr.com.br

Georreferenciamento de Imóveis Rurais Ltda. www.geotr.com.br APRESENTAÇÃO: A GEOTRACK é uma empresa de Topografia especializada em Georreferenciamento de Imóveis Rurais, Levantamentos Topográficos, Projetos, Locações, Laudos de Verticalidade de Torre/Poste, Licenciamento

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA - TNC

TERMO DE REFERÊNCIA - TNC SERVIÇOS DE COMPILAÇÃO DE DADOS GEORREFERENCIADOS DE PROPRIEDADES RURAIS, IDENTIFICAÇÃO DE INCONSISTÊNCIAS E PROPOSIÇÃO DE AJUSTES BASEADO NA REALIDADE DE IMAGEM DE ALTA RESOLUÇÃO DO MUNICÍPIO DE PALMAS

Leia mais

Documentação Necessária para Certificação e Registro de Imóveis Rurais

Documentação Necessária para Certificação e Registro de Imóveis Rurais Documentação Necessária para Certificação e Registro de Imóveis Rurais Diferença entre Registro, Certidão e Matrícula Diferenças entre Averbar e Registrar Necessidade de Retificar um Registro ( retificação

Leia mais

Da Prancheta ao Computador...

Da Prancheta ao Computador... Da Prancheta ao Computador... Introdução Como necessidade básica de se localizar ou mesmo para detalhar projetos de quaisquer obras, ao longo do tempo inúmeras formas de representar paisagens e idéias

Leia mais

MEMOCAD GEORREFERENCIAMENTO DE IMÓVEIS RURAIS

MEMOCAD GEORREFERENCIAMENTO DE IMÓVEIS RURAIS MEMOCAD GEORREFERENCIAMENTO DE IMÓVEIS RURAIS Desenvolvimento: MARIA NELY ALVARENGA LIMA http://www.memocad.com.br www.nelyalv@memocad.com.br www.nelyalv@gmail.com ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 3 2. MONTAGEM SIGEF

Leia mais

Universidade Tecnológica Federal do Paraná Gerencia de Ensino e Pesquisa Coordenação de Informática Estágio supervisionado curricular.

Universidade Tecnológica Federal do Paraná Gerencia de Ensino e Pesquisa Coordenação de Informática Estágio supervisionado curricular. Universidade Tecnológica Federal do Paraná Gerencia de Ensino e Pesquisa Coordenação de Informática Estágio supervisionado curricular Relatório Final João Pedro Cavasin Estagiário André Luis Schwerz Orientador

Leia mais

Introdução à Geodésia

Introdução à Geodésia UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS Disciplina: Leitura e Interpretação de Cartas Introdução à Geodésia Prof. Dr. Richarde Marques richarde@geociencias.ufpb.br

Leia mais

GEORREFERENCIAMENTO E CERTIFICAÇÃO

GEORREFERENCIAMENTO E CERTIFICAÇÃO GEORREFERENCIAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE IMÓVEIS RURAIS Curitiba Dezembro/2013 Fábio Pagliosa Ulkowski - Engenheiro Cartógrafo Analista em Reforma e Desenvolvimento Agrário INCRA-PR SUMÁRIO 1. O Georreferenciamento

Leia mais

Cadastro Técnico Tecnologia em Geoprocessamento IFG/Goiânia CADASTRO TÉCNICO. Curso de Tecnologia em Geoprocessamento Prof. João Paulo Magna Júnior

Cadastro Técnico Tecnologia em Geoprocessamento IFG/Goiânia CADASTRO TÉCNICO. Curso de Tecnologia em Geoprocessamento Prof. João Paulo Magna Júnior CADASTRO TÉCNICO Curso de Tecnologia em Geoprocessamento Prof. João Paulo Magna Júnior Conceitos e Objetivos Origem: Catastrum ou Capitatio (latim): registro das unidades de taxação territorial (divisão

Leia mais

Sistema de Posicionamento por Satélite

Sistema de Posicionamento por Satélite Implantação de Faixa de Dutos Sistema de Posicionamento por Satélite Resumo dos conhecimentos necessários para o entendimento e uso dos Sistemas de s e seus equipamentos. 1 Introdução Os sistemas de posicionamento

Leia mais

Gerente Técnico Eng. Marciano Carneiro CREA /RS 132837 - INCRA D5Q Departamento de Geotecnologia Setor Suporte Técnico

Gerente Técnico Eng. Marciano Carneiro CREA /RS 132837 - INCRA D5Q Departamento de Geotecnologia Setor Suporte Técnico Gerente Técnico Eng. Marciano Carneiro CREA /RS 132837 - INCRA D5Q Departamento de Geotecnologia Setor Suporte Técnico Quem somos Há mais de 15 anos no mercado, a Allcomp Geotecnologia e Agricultura atua

Leia mais

Cadastro adastro de Imóveis Rurais

Cadastro adastro de Imóveis Rurais MINISTÉRIO DE DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO RIO MDA INSTITUTO NACIONAL DE COLONICAÇÃO E REFORMA AGRÁRIA RIA INCRA DIRETORIA DE ORDENAMENTO DA ESTRUTURA FUNDIÁRIA Coordenação de Cadastro Rural Cadastro adastro

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NO V SEREX

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NO V SEREX NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NO V SEREX A Universidade Federal de Goiás (UFG) e a Universidade Estadual de Goiás (UEG) realizam de 4 a 6 de junho de 2012 o V Seminário de Extensão Universitária

Leia mais

TERMO DE REFERENCIA PARA COMPILAÇÃO E MAPEAMENTO DE IMOVEIS RURAIS

TERMO DE REFERENCIA PARA COMPILAÇÃO E MAPEAMENTO DE IMOVEIS RURAIS SERVIÇOS DE GEORREFERENCIAMENTO DE IMÓVEIS RURAIS PARA FINS DE ELABORAÇÃO DE CADASTRO AMBIENTAL RURAL CAR NO MUNICÍPIO DE RIO CLARO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 1. Contextualização A The Nature Conservancy

Leia mais

NORMA DE EXECUÇÃO Nº 47, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2005. Publicada no Boletim de Serviços nº 52, DE 26/12/05.

NORMA DE EXECUÇÃO Nº 47, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2005. Publicada no Boletim de Serviços nº 52, DE 26/12/05. NORMA DE EXECUÇÃO Nº 47, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2005. Publicada no Boletim de Serviços nº 52, DE 26/12/05. Aprova a Tabela de Preços Referenciais para Serviços de Agrimensura. O SUPERINTENDENTE NACIONAL

Leia mais

GNSS: CONCEITOS, MODELAGEM E PERSPECTIVAS FUTURAS DO POSICIONAMENTO POR SATÉLITE

GNSS: CONCEITOS, MODELAGEM E PERSPECTIVAS FUTURAS DO POSICIONAMENTO POR SATÉLITE GNSS: CONCEITOS, MODELAGEM E PERSPECTIVAS FUTURAS DO POSICIONAMENTO POR SATÉLITE Prof. Dra. Daniele Barroca Marra Alves Departamento de Cartografia SUMÁRIO Posicionamento Sistemas de Posicionamento GPS,

Leia mais

Componente curricular: Topografia e Cartografia. Curso: Técnico em Agroecologia Professor: Janice Regina Gmach Bortoli

Componente curricular: Topografia e Cartografia. Curso: Técnico em Agroecologia Professor: Janice Regina Gmach Bortoli Componente curricular: Topografia e Cartografia Curso: Técnico em Agroecologia Professor: Janice Regina Gmach Bortoli 1. Introdução a Topografia. 1.1. Definição. Como seria uma cidade se os donos de propriedades

Leia mais

Relação de Documentos OBRIGATÓRIOS a ser encaminhada pela UTE para o Agente Financeiro UTE CÓDIGO DA PROPOSTA - -

Relação de Documentos OBRIGATÓRIOS a ser encaminhada pela UTE para o Agente Financeiro UTE CÓDIGO DA PROPOSTA - - UTE INFORMAÇÕES PARA CONTATO: NOME: TELEFONES: ( ) EMAIL: AGENTE FINANCEIRO DE ENCAMINHAMENTO DA PROPOSTA: ( ) BANCO DO BRASIL ( ) BANCO DO NORDESTE ( ) CAIXA ECONÔMICA FEDERAL LINHA DE FINANCIAMENTO:

Leia mais

Programa Cadastro de Terras e Regularização Fundiária - Objetivo

Programa Cadastro de Terras e Regularização Fundiária - Objetivo Programa Cadastro de Terras e Regularização Fundiária - Objetivo Integrar ações dos Governos Federal, Estaduais e Municipais para: Constituição de um Cadastro Nacional de Imóveis Rurais, permitindo a gestão

Leia mais

(in: SENE, Eustáquio. Geografia Geral e do Brasil. São Paulo, SP: Scipione, 2010.)

(in: SENE, Eustáquio. Geografia Geral e do Brasil. São Paulo, SP: Scipione, 2010.) CARTOGRAFIA Sensoriamento Remoto (in: SENE, Eustáquio. Geografia Geral e do Brasil. São Paulo, SP: Scipione, 2010.) Sensoriamento remoto é o conjunto de técnicas de captação e registro de imagens a distância

Leia mais

CONCEITO DE GEODÉSIA A FORMA DA TERRA SUPERFÍCIES DE REFERÊNCIA MARCOS GEODÉSICOS REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS SISTEMA GEODÉSICO DE REFERÊNCIA

CONCEITO DE GEODÉSIA A FORMA DA TERRA SUPERFÍCIES DE REFERÊNCIA MARCOS GEODÉSICOS REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS SISTEMA GEODÉSICO DE REFERÊNCIA Sumário P r o f. Ti a g o B a d r e M a r i n o G e o p r o c e s s a m e n t o D e p a r t a m e n t o d e G e o c i ê n c i a s I n s t i t u t o d e A g r o n o m i a U F R R J 2 Conceito de Geodésia

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA - TNC FERRAMENTA PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE REGULARIZAÇÃO DE RESERVAS LEGAIS E APPS EM PROPRIEDADES RURAIS

TERMO DE REFERÊNCIA - TNC FERRAMENTA PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE REGULARIZAÇÃO DE RESERVAS LEGAIS E APPS EM PROPRIEDADES RURAIS ATUALIZAÇÃO E ADEQUAÇÃO DA FERRAMENTA CARGEO PARA CONTEMPLAR AS EXIGÊNCIAS E RELACIONAMENTOS PRESENTES NO NOVO CÓDIGO FLORESTAL APROVADO NO CONGRESSO NACIONAL EM 25/04/2012 O Instituto de Conservação Ambiental

Leia mais

A Preservação do Patrimônio Cultural na Esfera Municipal

A Preservação do Patrimônio Cultural na Esfera Municipal A Preservação do Patrimônio Cultural na Esfera Municipal 1. Introdução O patrimônio cultural de cada comunidade pode ser considerado a sua cédula de identidade. Por isso, cada vez mais os municípios necessitam

Leia mais

A BÚSSOLA COMO INSTRUMENTO DE ORIENTAÇÃO NO ESPAÇO GEOGRÁFICO

A BÚSSOLA COMO INSTRUMENTO DE ORIENTAÇÃO NO ESPAÇO GEOGRÁFICO 183 A BÚSSOLA COMO INSTRUMENTO DE ORIENTAÇÃO NO ESPAÇO GEOGRÁFICO 1 INTRODUÇÃO Willian Samuel Santana da Roza 1 Selma Regina Aranha Ribeiro 2 Mario Cezar Lopes 3 A Ciência Geográfica apresenta uma diversidade

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 007

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 007 INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA 1. IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 007 Consultoria especializada (pessoa física) para elaborar e implantar novas metodologias

Leia mais

Portal Contador Parceiro

Portal Contador Parceiro Portal Contador Parceiro Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa 1. Portal Contador Parceiro... 03 2. Acesso ao Portal... 04 3. Profissionais...11 4. Restrito...16 4.1 Perfil... 18 4.2 Artigos...

Leia mais

FACULDADE SUDOESTE PAULISTA CURSO - ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA- TOPOGRAFIA

FACULDADE SUDOESTE PAULISTA CURSO - ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA- TOPOGRAFIA FACULDADE SUDOESTE PAULISTA CURSO - ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA- TOPOGRAFIA EXERCÍCIO DE REVISÃO 1. Com base nos seus conhecimentos, complete a lacuna com a alternativa abaixo que preencha corretamente

Leia mais

Orientações para o Apoio do Fundo Amazônia ao Cadastramento Ambiental Rural

Orientações para o Apoio do Fundo Amazônia ao Cadastramento Ambiental Rural Orientações para o Apoio do Fundo Amazônia ao Cadastramento Ambiental Rural 1. Apoio do Fundo Amazônia ao Cadastramento Ambiental Rural no bioma Amazônia... 2 2. Apoio do Fundo Amazônia ao Cadastramento

Leia mais

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE. Correção geométrica de imagens

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE. Correção geométrica de imagens Correção geométrica de imagens O georreferenciamento descreve a relação entre os parâmetros de localização dos objetos no espaço da imagem e no sistema de referência, transformando as coordenadas de cada

Leia mais

Manual do Sistema de Cadastro de Cultivares Locais, Tradicionais e Crioulas

Manual do Sistema de Cadastro de Cultivares Locais, Tradicionais e Crioulas Ministério do Desenvolvimento Agrário Secretaria da Agricultura Familiar Departamento de Financiamento e Proteção da Produção Seguro da Agricultura Familiar Manual do Sistema de Cadastro de Cultivares

Leia mais

XV COBREAP - CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA DE AVALIAÇÕES E PERÍCIAS - IBAPE/SP 2009

XV COBREAP - CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA DE AVALIAÇÕES E PERÍCIAS - IBAPE/SP 2009 XV COBREAP - CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA DE AVALIAÇÕES E PERÍCIAS - IBAPE/SP 2009 ANÁLISE COMPARATIVA NA AVALIAÇÃO DE FLORESTA PLANTADA DE PINUS PELO MÉTODO DO VALOR ECONÔMICO, UTILIZANDO COMO PARÂMETROS

Leia mais

RELATÓRIO DAS OFICINAS SOBRE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DOS PROJETOS DE ASSENTAMENTO DO PROGRAMA NACIONAL DE REFORMA AGRÁRIA

RELATÓRIO DAS OFICINAS SOBRE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DOS PROJETOS DE ASSENTAMENTO DO PROGRAMA NACIONAL DE REFORMA AGRÁRIA MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO MDA INSTITUTO NACIONAL DE COLONIZAÇÃO E REFORMA AGRÁRIA INCRA RELATÓRIO DAS OFICINAS SOBRE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DOS PROJETOS DE

Leia mais

CONSULTORIA E SERVIÇOS DE INFORMÁTICA

CONSULTORIA E SERVIÇOS DE INFORMÁTICA CONSULTORIA E SERVIÇOS DE INFORMÁTICA Quem Somos A Vital T.I surgiu com apenas um propósito: atender com dedicação nossos clientes. Para nós, cada cliente é especial e procuramos entender toda a dinâmica

Leia mais

Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web

Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web Resumo. Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web Autor: Danilo Humberto Dias Santos Orientador: Walteno Martins Parreira Júnior Bacharelado em Engenharia da Computação

Leia mais

GUIA DE CAMPO Software. Trimble Digital Fieldbook TM

GUIA DE CAMPO Software. Trimble Digital Fieldbook TM GUIA DE CAMPO Software Trimble Digital Fieldbook TM Versão 2.00 Revisão A Abril de 2006 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 4 APLICAÇÕES DE LEVANTAMENTO... 4 Dois Tipos de Levantamento de Campo... 4 Levantamento Estático-Rápido...

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento Agrário Secretaria de Desenvolvimento Territorial. Sistema de Gestão Estratégica. Documento de Referência

Ministério do Desenvolvimento Agrário Secretaria de Desenvolvimento Territorial. Sistema de Gestão Estratégica. Documento de Referência Ministério do Desenvolvimento Agrário Secretaria de Desenvolvimento Territorial Sistema de Gestão Estratégica Brasília - 2010 SUMÁRIO I. APRESENTAÇÃO 3 II. OBJETIVOS DO SGE 4 III. MARCO DO SGE 4 IV. ATORES

Leia mais

DIRETRIZES PARA REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA LEGISLAÇÃO, DOCUMENTOS, PROJETOS E DIRETRIZES ESPECÍFICAS

DIRETRIZES PARA REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA LEGISLAÇÃO, DOCUMENTOS, PROJETOS E DIRETRIZES ESPECÍFICAS DIRETRIZES PARA REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA LEGISLAÇÃO, DOCUMENTOS, PROJETOS E DIRETRIZES ESPECÍFICAS Visando subsidiar tecnicamente o processo com fins de regularização fundiária em áreas de AEIS-II, deverão

Leia mais

GEONFORMAÇÃO PARA NÃO ESPECIALISTAS

GEONFORMAÇÃO PARA NÃO ESPECIALISTAS GEONFORMAÇÃO PARA NÃO ESPECIALISTAS - Produtos Cartográficos - Geoprocessamento - Sistemas de Informações Geográficas (GIS) - Serviços de Mapas - Demo de um GIS aplicado na PMSP CARTOGRAFIA (conceitos)

Leia mais

Validação dos Serviços de Georreferenciamento

Validação dos Serviços de Georreferenciamento Validação dos Serviços de Georreferenciamento De onde viemos, onde estamos, e para onde vamos. INCRA / SRFAC Processo Convencional Recepção de peças técnicas (planta e memorial descritivo) em papel Processo

Leia mais

PARTICIPAÇÃO NA INPLEMENTAÇÃO DO PROJETO DESENVOLVIMENTO E APLICAÇÃO PILOTO DE UM CADASTRO TERRITORIAL MULTIFINALITÁRIO RURAL GEORREFERENCIADO

PARTICIPAÇÃO NA INPLEMENTAÇÃO DO PROJETO DESENVOLVIMENTO E APLICAÇÃO PILOTO DE UM CADASTRO TERRITORIAL MULTIFINALITÁRIO RURAL GEORREFERENCIADO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA COLÉGIO POLITÉCNICO DA UFSM CURSO TÉCNICO EM GEOPROCESSAMENTO PARTICIPAÇÃO NA INPLEMENTAÇÃO DO PROJETO DESENVOLVIMENTO E APLICAÇÃO PILOTO DE UM CADASTRO TERRITORIAL

Leia mais

PROJETO: CONSOLIDAÇÃO DA MODELAGEM PREVISÃO NUMÉRICA DO TEMPO NO INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA (INMET) BRA/OMM/011/001 TERMO DE REFERÊNCIA

PROJETO: CONSOLIDAÇÃO DA MODELAGEM PREVISÃO NUMÉRICA DO TEMPO NO INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA (INMET) BRA/OMM/011/001 TERMO DE REFERÊNCIA PROJETO: CONSOLIDAÇÃO DA MODELAGEM PREVISÃO NUMÉRICA DO TEMPO NO INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA (INMET) BRA/OMM/011/001 TERMO DE REFERÊNCIA Perfil: Especialista em TI para atuar no aprimoramento do

Leia mais

Por dentro do Manual para Certificação de Imóveis Rurais

Por dentro do Manual para Certificação de Imóveis Rurais Por dentro do Manual para Certificação de Imóveis Rurais Sistema de Gestão Fundiária (SIGEF) Desmembramento e Remembramento Cancelamentos - A pedido de outro profissional, por sobreposição - A pedido do

Leia mais

Software. Bem vindo ao mundo do GED e Tecnologias Digitais. Gerenciamento Eletrônico de Documentos, Softwares, e muito mais...

Software. Bem vindo ao mundo do GED e Tecnologias Digitais. Gerenciamento Eletrônico de Documentos, Softwares, e muito mais... Software www.imagecomnet.com.br Bem vindo ao mundo do GED e Tecnologias Digitais Gerenciamento Eletrônico de Documentos, Softwares, e muito mais... A Empresa A Imagecom, uma empresa conceituada no ramo

Leia mais