Banco do Brasil S.A. Consulta ao Mercado - RFP - Request for Proposa Aquisição de Ferramenta de Gestão de Limites Dúvida de Fornecedor

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Banco do Brasil S.A. Consulta ao Mercado - RFP - Request for Proposa Aquisição de Ferramenta de Gestão de Limites Dúvida de Fornecedor"

Transcrição

1 1. Em relação ao módulo para Atribuição de Limites, entendemos que Banco do Brasil busca uma solução para o processo de originação/concessão de crédito. Frente a essa necessidade, o Banco do Brasil busca adquirir apenas um motor de decisão, desde o qual usuários de negócio possam construir e manter suas regras e estratégias para a concessão de limites on line e batch; ou o Banco do Brasil busca também um workflow que contemple a captura de dados e integração com os sistemas legados, as telas para input dos dados da proposta na ponta / canais de venda, telas para o processo de revisão manual das propostas não-aprovadas ou recusadas automaticamente? Favor detalhar a necessidade RESPOSTA: A necessidade é adquirir um motor de decisão, que deverá estar integrado aos sistemas legados do BB e utilizar informações capturadas destes sistemas, a partir do qual usuários de negócio possam construir e manter suas regras e estratégias para a concessão de limites on line e batch. 2. Em relação ao processo de gerenciamento estratégico de overlimit, o Banco do Brasil busca ter a capacidade de calcular, em batch, limites adicionais / shadows para toda a sua base de clientes e que possam ser consumidos no caso de uma transação overlimit pelo sistema autorizador, ou busca uma solução que tenha capacidade de calcular on line o limite adicional quando da ocorrência de uma transação overlimit? RESPOSTA: A necessidade é calcular, em batch, overlimit para toda a base de clientes que possa ser consumido nos casos de transação acima do limite estabelecido (item obrigatório). O cálculo online é desejável, porém não obrigatório. Em caso de possuir as duas opções o fornecedor deve informar preços em separado na proposta. 3. É esperado que o módulo de gestão de relatório deverá ser integrado com quais bases e sistemas do Banco do Brasil? RESPOSTA: Sim, é esperado que a ferramenta seja integrada com algumas bases a serem definidas de acordo com o modelo de negocio e as variáveis necessárias (faturamento, encarteiramento, segmentação). Todas as variáveis ou informações repassadas para a ferramenta deverão ser armazenadas na mesma para a geração dos relatórios. Entendemos que é fundamental que a solução possua integração com as ferramentas de modelagem mais comuns de mercado como SAS e outras. 4. O Banco do Brasil busca uma solução com capacidade de realizar cálculos sofisticados. Esses cálculos sofisticados deverão ser realizados por TI ou por negócio? REPOSTA: A possibilidade de execução de cálculos sofisticados (scripting) com a utilização de operadores lógicos, construções condicionais e loop, funções matemáticas básicas e avançadas e manipulação de vetores, textos, datas entre outros. Os cálculos deverão ser parametrizados pela área de negócio. 5. Favor detalhar o que devemos entender por testes interativos e não-interativos? Favor detalhar o processo e o objetivo esperado pelo Banco do Brasil com essa capacidade. 1 / 6

2 RESPOSTAS: Conforme descrito na RFP a necessidade é a realização de testes em que o usuário possa ou não realizar o input de dados. Os testes são descritos como interativos quando o input de dados é feito pelo usuário e não interativos quando o input de dados é feito por arquivos. 6. Qual é o processo previsto em relação a solicitação que um usuário deverá estar apto a realizar para recalcular toda a base de cartões que pertençam a determinado segmento de clientes? Deve-se prever que o usuário de negócio possa previamente parametrizar cenários que automaticamente reprocessariam a base para determinado segmento, ou deve-se prever que o usuário possa solicitar um reprocessamento ad-hoc, com base em uma decisão de negócio? RESPOSTA: A solicitação de reprocessamento deverá ser feita ad-hoc após a parametrização do cenário e decisão de negócio. Caso o desafio seja considerado vitorioso, a estratégia deverá ser adotada para todos os clientes do segmento e o reprocessamento deverá ser automático a partir daí. 7. Qual deve ser o entendimento por Fornecer listas qualificadas para sistemas de contato e gestão de clientes? O que seriam essas listas qualificadas? RESPOSTA: Listas qualificadas seriam públicos identificados através de um conjunto de critérios/variáveis, estabelecidos pelo usuário, de forma a fazer contatos assertivos e gestão de clientes. 8. A RFP prevê que a solução deverá validar dados de entrada (on line e batch) para a aplicação das estratégias de gerenciamento. O que o Banco do Brasil espera por validar os dados? Deverá a solução replicar os dados existentes nos sistemas e bases do banco e utilizar essa base de dados para o processamento das estratégias de gestão da carteira de clientes? Está correto entender que o Banco do Brasil deseja replicar dados e não utilizá-los em modo in-stream? RESPOSTA: A Validação deverá ocorrer de 2 formas, por tipo de dado (variáveis numéricas,variáveis obrigatórias) e por validação de conteúdo (baseada nos domínios informados pelo Banco do Brasil, ex: sexo feminino = fm). A idéia é que o BB gere os insumos e a ferramenta armazene, faça os cálculos e devolva os resultados (podendo ser através de geração de arquivos ou através de informações de dados online, mediante uma interface disponibilizada pela ferramenta.) 9. Quantas estratégias existentes e que devem ser implementadas na solução devem ser consideradas (item B, tópico 4; pg 18)? Favor especificar por módulos Atribuição de Limites e Gerenciamento Estratégico de Limites. RESPOSTA: Quantas estratégias a solução atende? O número de estratégias suportadas pela solução deve ser informado na proposta. 10. A RFP dispõe que a solução deve armazenar as informações históricas em base própria. Essa base histórica requerida visa apoiar o processamento de estratégias em batch, ou visa suportar o processo de geração de relatórios? 2 / 6

3 RESPOSTA: Ambos. A base histórica servirá para apoiar o processamento de estratégias em batch e para a geração de relatórios. 11. Quais são os cenários previstos para o processamento eventual descrito na RFP? RESPOSTA: Quando identificadas mudanças significativas nos padrões de consumo, renda, pagamento ou quaisquer outras que indiquem necessidade de ações estratégicas. 12. A integração com os sistemas legados e bases de dados existentes no Banco do Brasil deverá ser um serviço a ser considerado no escopo da proposta ou a área de tecnologia do Banco do Brasil será responsável por essa integração? RESPOSTA: A integração com os sistemas legados e bases de dados existentes deverá ser um serviço a ser considerado no escopo da proposta. 13. Quando se menciona na RFP que os produtos de terceiros devem ser providos e nas mesmas condições de garantia, qual a expectativa do Banco do Brasil? RESPOSTA: A expectativa é que produtos e serviços fornecidos por terceiros, porventura contratados pela fornecedora, como a integração da ferramenta aos sistemas legados e às bases de dados do BB, por exemplo, atendam às mesmas condições de garantia da solução. 14. Favor detalhar o que busca o Banco do Brasil quando descreve que a solução deve permitir que os dados sejam comuns a todas as ferramentas da solução sem replicação. RESPOSTA: Caso a Solução para Gestão Estratégica de Limites para Cartões de Crédito seja composta de mais de uma ferramenta ou módulo, ela deve permitir que os dados sejam armazenados em um único repositório e utilizados por todos sem necessidade de replicação. 15. O Banco do Brasil consideraria uma solução que roda em mainframe / cobol? RESPOSTA: Sim, desde que a Solução seja compatível com o ambiente operacional atualmente instalado no BB. 16. O que espera o Banco do Brasil com relação aos requerimentos relativos a Gerenciamento de Rede e Gerenciamento de Servidore, Aplicações e SGBD, Redes, integração e Escalabilidade? O que seria esperado do provedor nesse sentido? O provedor deve considerar esses pontos em sua proposta de venda de software? RESPOSTA: A Solução para Gestão Estratégica de Limites para Cartões de Crédito deve suportar ser gerenciada pelas ferramentas de monitoração 3 / 6

4 utilizadas pelo BB. Integração e Escalabilidade não fazem parte do item Gerenciamento. 17. Devemos considerar o desenvolvimento de algum modelo analítico de risco como parte do escopo dessa RFP? Ou apenas uma árvore de decisão otimizada? RESPOSTA: A ferramenta deverá permitir a criação de árvores de decisão considerando os modelos analíticos de risco definidos pelo Banco do Brasil. 18. As árvores de decisão a serem entregues são para todas as decisões estratégicas listadas no módulo Gerenciamento Estratégico de Clientes ou são apenas para alguma decisão em específico? e.g. limite de crédito inicial, gestão de limite de crédito (aumento e diminuição), overlimits, pricing, cross & up selling, etc RESPOSTA: As árvores de decisão deverão suportar a implementação de todas as decisões estratégicas listadas na RFP. 19. Em relação a árvore otimizada a ser entregue, o Banco do Brasil tem a intenção de simular e alterar estas árvores testando diferentes cenários de negócio? RESPOSTA: Sim, simultaneamente. 20. Em relação ao serviço de consultoria, o Banco do Brasil busca auto suficiência na construção de árvores otimizadas no futuro para outras decisões? Em outras palavras, busca-se transferência de conhecimento sobre técnicas e metodologias de modelagem de decisão e soluções tecnológicas para otimizar futuras decisões? RESPOSTA: Sim. 21. As soluções de otimização estratégica variam de acordo com o perfil técnico de nossos clientes - desde ferramentas orientadas para equipes altamente técnicas até soluções de otimização a analistas com perfil de negócio. Para entender a melhor solução que se enquadra às suas necessidades, favor, indicar que perfil e nível de experiência técnica e analítica (e.g. pesquisa operacional, modelagem de decisão e modelos preditivos) representa melhor os analistas do Banco do Brasil RESPOSTA: Os analistas do Banco do Brasil possuem conhecimento técnico para a modelagem dos modelos que serão utilizados. A consultoria a ser prestada deverá contemplar o treinamento necessário para a operacionalização da ferramenta. 22. Para as decisões a serem otimizadas (referentes a pergunta 18 acima), o Banco possui dados históricos armazenados e disponíveis para o desenvolvimento das estratégias otimizadas para o portfolio em questão? RESPOSTA: Sim. 4 / 6

5 23. No que concerne à Pág. 5 Módulo para Atribuição de Limites de Cartões de Crédito - Nosso entendimento para este requisito é que todo o processo de originação, análise e aprovação de propostas de cartões (online) continuaria sendo de responsabilidade do sistema atual do Banco do Brasil, portanto, a solução proposta, a partir das propostas aprovadas pelo sistema do Banco, seria responsável somente por atribuir os limites de crédito com base em políticas a serem definidas pelos usuários de negócios. Está correto nosso entendimento a respeito desse item? RESPOSTA: Sim, o entendimento está correto. A solução seria responsável por atribuir limites de crédito a partir do acolhimento e aprovação de propostas pelo Banco. 24. No que se refere a Pág. 7 Gerenciamento estratégico de overlimits de cartões de crédito - O cálculo do overlimit deverá ser realizado somente em modo batch ou também deverá ser realizado no momento da autorização (online)? RESPOSTA: A necessidade é calcular, em batch, overlimit para toda a base de clientes que possa ser consumido nos casos de transação acima do limite estabelecido (item obrigatório). O cálculo online é desejável, porém não obrigatório. Em caso de possuir as duas opções o fornecedor deve informar preços em separado na proposta 25. No tocante ao descrito na Pág. 7 Pricing - Nosso entendimento é que o cálculo das taxas continuará sendo realizado em sistema atual do Banco do Brasil, portanto o mesmo não seria realizado na solução proposta. Está correto nosso entendimento a respeito desse item? RESPOSTA: Sim. O cálculo de taxas ainda será realizado pelo sistema do Banco do Brasil e a ferramenta será auxiliar no processo de definição de público-alvo sensível a determinada taxa entre outros processos. 26. No que se refere à Pág. 11 Consultoria em Negócios e Otimização - O Banco do Brasil espera que seja aplicada consultoria e otimização somente para a gestão estratégica de limites ou também para outras linhas estratégicas (ex.: atribuição de limites, pricing, overlimit)? RESPOSTA: A consultoria deverá ser aplicada para todas as linhas estratégicas. 27. No tocante à Pág. 18 Item 4 A Dar suporte ao banco na integração sistêmica entre a ferramenta e os sistemas legados do banco - A responsabilidade por integrar a solução aos sistemas legados/bases do BB será do próprio Banco do Brasil ou da contratada? No caso da responsabilidade ser da contratada, o Banco do Brasil recomenda ou possui restrição de parceiros para realização deste trabalho? RESPOSTA: A responsabilidade pela integração será da empresa contratada e deverá ser realizada por empresa homologada pelo Banco. O valor da integração deverá estar discriminado na proposta. 28. Em relação ao que consta da Pág. 18 Item 4 B Implementar as estratégias existentes e auxiliar no desenvolvimento de novas estratégias alinhadas às melhores práticas de mercado... - Para este requisito o Banco do Brasil espera que a contratada forneça prestação de serviço de consultoria para recomendação de novas estratégias? Em caso positivo, a expectativa do Banco seria ter um banco de horas mensais disponíveis para avaliação e recomendação das estratégias? Quais as ações estratégicas as quais a contratada deverá contemplar? 5 / 6

6 RESPOSTA: A consultoria é necessária para todos os módulos da solução, para a implementação estratégia inicial e transferência de conhecimento. Após estas fases não será necessário consultoria mensal. Os treinamentos deverão ser oferecidos para os usuários técnicos e de negócio e visam passar o conhecimento da solução, bem como as experiências em outras organizações e melhores práticas de mercado. 29. Em relação ao que consta da Pág. 11 Módulo para Geração de Relatórios Solicitamos saber qual o entendimento do Banco do Brasil em relação ao requisito emissão de relatórios online? Atualização de informações para geração de relatórios com a visão do dia anterior seria suficiente? RESPOSTA: Sim, o relatório deverá ser gerado on line porém a visão do dia anterior é suficiente. 6 / 6

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI 1. PI06 TI 1.1. Processos a serem Atendidos pelos APLICATIVOS DESENVOLVIDOS Os seguintes processos do MACROPROCESSO

Leia mais

Ricardo Scheurer Sonda Supermercado

Ricardo Scheurer Sonda Supermercado Tema: Apresentador: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Ricardo Scheurer Sonda Supermercado Objetivo desta palestra será resolver as seguintes questões: Porque fazer um PDTI? Quais os benefícios

Leia mais

Descrição do Projeto de Integração Grupo Totvs Microsiga Protheus Versão 11

Descrição do Projeto de Integração Grupo Totvs Microsiga Protheus Versão 11 Template: Lei 12.619 Regulamentação e Disciplina da Jornada de Trabalho e Tempo de Direção dos Motoristas Profissionais Descrição do Projeto de Integração Grupo Totvs Microsiga Protheus Versão 11 Índice

Leia mais

O sistema operacional onde a solução será implementada não foi definido.

O sistema operacional onde a solução será implementada não foi definido. Respostas aos Questionamentos Nº Itens Pergunta Resposta 1 R T-1. 2. 4. 4; R T-1.3.2. 2; R T-1.3.3. 3; RT-2. 2.8; RT-5.7; RT-1.2.4. 3; RT-1. 3.2.1; RT-1. 3. 3. 2; R T- 2. 1. 2; R T-2. 2. 11; O sistema

Leia mais

Esclarecimento: As versões dos navegadores a serem utilizadas pelo PSIM estão descrito no item 2.4.1.12 do projeto básico.

Esclarecimento: As versões dos navegadores a serem utilizadas pelo PSIM estão descrito no item 2.4.1.12 do projeto básico. 1 Dúvida: Por favor, nos explique alguns casos tipicos de uso para o monitoramento central? Esclarecimento: Recepção e tratamento de eventos provenientes da central de alarme, validação de ocorrências

Leia mais

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT MASTER IN PROJECT MANAGEMENT PROJETOS E COMUNICAÇÃO PROF. RICARDO SCHWACH MBA, PMP, COBIT, ITIL Atividade 1 Que modelos em gestão de projetos estão sendo adotados como referência nas organizações? Como

Leia mais

Dataprev Aumenta a Eficiência na Entrega de Projetos em 40% com CA Clarity on Premise

Dataprev Aumenta a Eficiência na Entrega de Projetos em 40% com CA Clarity on Premise CUSTOMER SUCCESS STORY Dezembro 2013 Dataprev Aumenta a Eficiência na Entrega de Projetos em 40% com CA Clarity on Premise PERFIL DO CLIENTE Indústria: Setor público Companhia: Dataprev Empregados: 3.000+

Leia mais

DIFERENCIAIS SERVIÇOS. 1. Desenvolvimento De Sites Personalizados

DIFERENCIAIS SERVIÇOS. 1. Desenvolvimento De Sites Personalizados DIFERENCIAIS Acredito que o desenvolvimento de soluções para Internet não é um trabalho qualquer, deve-se ter certa experiência e conhecimento na área para projetar sistemas que diferenciem você de seu

Leia mais

SIMULADO: Simulado 3 - ITIL Foundation v3-40 Perguntas em Português

SIMULADO: Simulado 3 - ITIL Foundation v3-40 Perguntas em Português 1 de 7 28/10/2012 16:47 SIMULADO: Simulado 3 - ITIL Foundation v3-40 Perguntas em Português RESULTADO DO SIMULADO Total de questões: 40 Pontos: 0 Score: 0 % Tempo restante: 55:07 min Resultado: Você precisa

Leia mais

Esclarecimento: Não, a operação de matching ocorre no lado cliente da solução, de forma distribuída.

Esclarecimento: Não, a operação de matching ocorre no lado cliente da solução, de forma distribuída. 1 Dúvida: - Em relação ao item 1.2 da Seção 2 - Requisitos funcionais, entendemos que a solução proposta poderá funcionar em uma arquitetura Web e que na parte cliente estará apenas o componente de captura

Leia mais

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar.

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar. C O B I T Evolução Estratégica A) Provedor de Tecnologia Gerenciamento de Infra-estrutura de TI (ITIM) B) Provedor de Serviços Gerenciamento de Serviços de TI (ITSM) C) Parceiro Estratégico Governança

Leia mais

Referências internas são os artefatos usados para ajudar na elaboração do PT tais como:

Referências internas são os artefatos usados para ajudar na elaboração do PT tais como: Plano de Teste (resumo do documento) I Introdução Identificador do Plano de Teste Esse campo deve especificar um identificador único para reconhecimento do Plano de Teste. Pode ser inclusive um código

Leia mais

CONSULTA AO MERCADO RFI REQUEST FOR INFORMATION CONSOLIDAÇÃO DE DÚVIDAS APRESENTADAS

CONSULTA AO MERCADO RFI REQUEST FOR INFORMATION CONSOLIDAÇÃO DE DÚVIDAS APRESENTADAS CONSULTA AO MERCADO RFI REQUEST FOR INFORMATION CONSOLIDAÇÃO DE DÚVIDAS APRESENTADAS 1. Dúvidas Gerais Pergunta: Os processos e metodologias de avaliação de riscos do Banco estão definidos e implantados?

Leia mais

Estabelecer os procedimentos para o gerenciamento dos sistemas e demais aplicações informatizadas do TJAC.

Estabelecer os procedimentos para o gerenciamento dos sistemas e demais aplicações informatizadas do TJAC. Código: MAP-DITEC-001 Versão: 00 Data de Emissão: 01/01/2013 Elaborado por: Gerência de Sistemas Aprovado por: Diretoria de Tecnologia da Informação 1 OBJETIVO Estabelecer os procedimentos para o gerenciamento

Leia mais

Objetivos. PDI - Plano Diretor de Informática. O que é? Como é feito? Quanto dura sua elaboração? Impactos da não execução do PDI

Objetivos. PDI - Plano Diretor de Informática. O que é? Como é feito? Quanto dura sua elaboração? Impactos da não execução do PDI Objetivos Assegurar que os esforços despendidos na área de informática sejam consistentes com as estratégias, políticas e objetivos da organização como um todo; Proporcionar uma estrutura de serviços na

Leia mais

Especificação de Requisitos

Especificação de Requisitos Projeto/Versão: Versão 11.80 Melhoria Requisito/Módulo: 000552 / Conector Sub-Requisito/Função: Multas Tarefa/Chamado: 01.08.01 País: Brasil Data Especificação: 13/05/13 Rotinas Envolvidas Rotina Tipo

Leia mais

A Disciplina Gerência de Projetos

A Disciplina Gerência de Projetos A Disciplina Gerência de Projetos Atividades, Artefatos e Responsabilidades hermano@cin.ufpe.br Objetivos Apresentar atividades da disciplina Gerência de Projetos Discutir os artefatos e responsáveis envolvidos

Leia mais

CONSULTA AO MERCADO RFP REQUEST FOR PROPOSAL ÍNDICE

CONSULTA AO MERCADO RFP REQUEST FOR PROPOSAL ÍNDICE CONSULTA AO MERCADO RFP REQUEST FOR PROPOSAL ÍNDICE 1. Introdução 2. Objetivo 3. Termos e Condições 3.1 Publicidade 3.2 Responsabilidades 4. Cronograma e Contato 4.1 Cronograma 4.2 Contato 5. Entrega da

Leia mais

PROPOSTA COMERCIAL PARA TREINAMENTOS DE TI

PROPOSTA COMERCIAL PARA TREINAMENTOS DE TI PROPOSTA COMERCIAL PARA TREINAMENTOS DE TI Curso: Formação para certificação MCSA em Windows Server 2012 Prepara para as provas: 70-410, 70-411 e 70-412 Em parceria com Pág. 1 Objetivo Adquirindo a formação

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO ANALISTA DE SISTEMA ÊNFASE GOVERNANÇA DE TI ANALISTA DE GESTÃO RESPOSTAS ESPERADAS PRELIMINARES

CONCURSO PÚBLICO ANALISTA DE SISTEMA ÊNFASE GOVERNANÇA DE TI ANALISTA DE GESTÃO RESPOSTAS ESPERADAS PRELIMINARES CELG DISTRIBUIÇÃO S.A EDITAL N. 1/2014 CONCURSO PÚBLICO ANALISTA DE GESTÃO ANALISTA DE SISTEMA ÊNFASE GOVERNANÇA DE TI RESPOSTAS ESPERADAS PRELIMINARES O Centro de Seleção da Universidade Federal de Goiás

Leia mais

FECHAMENTO FISCAL ENTRADAS

FECHAMENTO FISCAL ENTRADAS FECHAMENTO FISCAL ENTRADAS FECHAMENTO FISCAL - ENTRADAS LOGIX 10.02/11 Versão 1.0 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 1.1 Principais Mudanças... 3 1.2 Fluxo dos relacionamentos... 3 1.3 Relação dos programas do

Leia mais

Requisitos de business intelligence para TI: O que todo gerente de TI deve saber sobre as necessidades reais de usuários comerciais para BI

Requisitos de business intelligence para TI: O que todo gerente de TI deve saber sobre as necessidades reais de usuários comerciais para BI Requisitos de business intelligence para TI: O que todo gerente de TI deve saber sobre as necessidades reais de usuários comerciais para BI Janeiro de 2011 p2 Usuários comerciais e organizações precisam

Leia mais

cartilha Cartão de Pagamento de Defesa Civil

cartilha Cartão de Pagamento de Defesa Civil cartilha Cartão de Pagamento de Defesa Civil 1 Índice Introdução...3 Público-alvo...3 Descrição... 3 Adesão... 3 Utilização... 3 Limites de utilização do produto... 4 Serviços e benefícios para a unidade...

Leia mais

CHECKLIST DA RDC 16/2013

CHECKLIST DA RDC 16/2013 CHECKLIST DA RDC 16/2013 Checklist para a RDC 16 de 2013 Página 2 de 10 Checklist 1. 2.1 Disposições gerais Existe um manual da qualidade na empresa? 2. Existe uma política da qualidade na empresa? 3.

Leia mais

Guia para RFP de Outsourcing

Guia para RFP de Outsourcing O processo de condução de uma cotação de serviços de TI, normalmente denominada RFP (do Inglês Request For Proposal), é um processo complexo e que necessita ser feito com critério e cuidados. Muitas vezes

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Modelo de Otimização de SAM Controle, otimize, cresça Em um mercado internacional em constante mudança, as empresas buscam oportunidades de ganhar vantagem competitiva

Leia mais

Perguntas para avaliar a efetividade do processo de segurança

Perguntas para avaliar a efetividade do processo de segurança Perguntas para avaliar a efetividade do processo de segurança Questionário básico de Segurança da Informação com o objetivo de ser um primeiro instrumento para você avaliar, em nível gerencial, a efetividade

Leia mais

Prova de Conhecimento para Consultores de Implementação MPS.BR INSTRUÇÕES

Prova de Conhecimento para Consultores de Implementação MPS.BR INSTRUÇÕES Implementação MPS.BR 26 de maio de 2008 4 horas de duração e-mail: (DEIXAR EM BRANCO) RESULTADO: Q1 Q2 Q3 Q4 Q5 Q6 Q7 Q8 Q9 Q10 Nota INSTRUÇÕES Para a maioria das questões você tem mais de uma opção e

Leia mais

ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação

ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação UNIFEI Universidade Federal de Itajubá Prof. Dr. Alexandre Ferreira de Pinho 1 Sistemas de Apoio à Decisão (SAD) Tipos de SAD Orientados por modelos: Criação de diferentes

Leia mais

Universidade Federal de Itajubá EPR 806 Sistemas de Informação

Universidade Federal de Itajubá EPR 806 Sistemas de Informação Tipos de Sistemas de Informação Sistemas sob a Perspectiva de Grupos Usuários Sistemas de apoio ao executivo (SAE); Universidade Federal de Itajubá EPR 806 Sistemas de Informação Segundo semestre de 2012

Leia mais

Service Level Management SLM. Gerenciamento de Níveis de Serviço

Service Level Management SLM. Gerenciamento de Níveis de Serviço Service Level Management SLM Gerenciamento de Níveis de Serviço 1 É o balanço o entre... Qualidade dos serviços entregues Expectativa do cliente 2 Processo: Definições Service Level Management (SLM) Têm

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação TLCne-051027-P0 Gestão da Tecnologia da Informação Disciplina: Governança de TI São Paulo, Outubro de 2012 0 Sumário TLCne-051027-P1 Conteúdo desta Aula Abordar o domínio Adquirir e Implementar e todos

Leia mais

Request For Proposal (RFP) Desenvolvimento de um Web Site para a Varella Vídeo

Request For Proposal (RFP) Desenvolvimento de um Web Site para a Varella Vídeo Request For Proposal (RFP) Desenvolvimento de um Web Site para a Varella Vídeo OBJETIVO O objetivo deste documento elaborado pela Varella Vídeo é fornecer as informações necessárias para que empresas cuja

Leia mais

Por que utilizar o modelo ITIL

Por que utilizar o modelo ITIL Por que utilizar o modelo ITIL... O que não é definido não pode ser controlado... O que não é controlado não pode ser medido... O que não é medido não pode ser melhorado Empregado para definir, controlar,

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Competências Analista 1. Administração de recursos de infra-estrutura de tecnologia da informação 2.

Leia mais

Estrutura de Gerenciamento do Risco Operacional - 2010

Estrutura de Gerenciamento do Risco Operacional - 2010 Estrutura de Gerenciamento do Risco Operacional - 2010 Sumário 1. Introdução:...3 2. Abrangência:...3 3. Estrutura do Gerenciamento de Risco Operacional:...3 3.1. Estrutura de Gerenciamento do Risco Operacional:...4

Leia mais

LMA, Solução em Sistemas

LMA, Solução em Sistemas LMA, Solução em Sistemas Ao longo dos anos os sistemas para gestão empresarial se tornaram fundamentais, e por meio dessa ferramenta as empresas aperfeiçoam os processos e os integram para uma gestão mais

Leia mais

04/08/2012 MODELAGEM DE DADOS. PROF. RAFAEL DIAS RIBEIRO, M.Sc. @ribeirord MODELAGEM DE DADOS. Aula 2. Prof. Rafael Dias Ribeiro. M.Sc.

04/08/2012 MODELAGEM DE DADOS. PROF. RAFAEL DIAS RIBEIRO, M.Sc. @ribeirord MODELAGEM DE DADOS. Aula 2. Prof. Rafael Dias Ribeiro. M.Sc. MODELAGEM DE DADOS PROF. RAFAEL DIAS RIBEIRO, M.Sc. @ribeirord MODELAGEM DE DADOS Aula 2 Prof. Rafael Dias Ribeiro. M.Sc. @ribeirord 1 Objetivos: Revisão sobre Banco de Dados e SGBDs Aprender as principais

Leia mais

SGQ 22/10/2010. Sistema de Gestão da Qualidade. Gestão da Qualidade Qualquer atividade coordenada para dirigir e controlar uma organização para:

SGQ 22/10/2010. Sistema de Gestão da Qualidade. Gestão da Qualidade Qualquer atividade coordenada para dirigir e controlar uma organização para: PARTE 2 Sistema de Gestão da Qualidade SGQ Gestão da Qualidade Qualquer atividade coordenada para dirigir e controlar uma organização para: Possibilitar a melhoria de produtos/serviços Garantir a satisfação

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Objeto. 2. Antecedentes. 3. Objeto da Licitação

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Objeto. 2. Antecedentes. 3. Objeto da Licitação TERMO DE REFERÊNCIA 1. Objeto 1.1. Contratação de empresa especializada em auditoria de tecnologia da informação e comunicações, com foco em segurança da informação na análise de quatro domínios: Processos

Leia mais

CATÁLOGO DE SERVIÇOS

CATÁLOGO DE SERVIÇOS Partner MASTER RESELLER CATÁLOGO DE SERVIÇOS SUPORTE TÉCNICO in1.com.br Explore Mundo! seu Conteúdo 1 - Objetivo 2 - Serviços prestados por meio do contrato de manutenção e suporte anual 2.1 - Primeira

Leia mais

Proposta Técnica. Desenvolvimento de software QUICKSITE

Proposta Técnica. Desenvolvimento de software QUICKSITE Proposta Técnica Desenvolvimento de software CONTEÚDO Resumo Executivo...3 1.1 Duração e Datas Especiais... 3 1.2 Fatores Críticos de Sucesso... 3 A Hi Level...3 Solução Proposta...4 1.3 Escopo... 4 1.4

Leia mais

Processo Nº 25545/2014 RESPOSTAS A QUESTIONAMENTOS

Processo Nº 25545/2014 RESPOSTAS A QUESTIONAMENTOS Processo Nº 25545/2014 RESPOSTAS A QUESTIONAMENTOS Brasília/DF, 18 de junho de 2014. Objeto Consultoria para desenvolvimento de metodologias e sistemáticas de inteligência para acompanhamento das famílias

Leia mais

Nome da Empresa Sistema digitalizado no almoxarifado do EMI

Nome da Empresa Sistema digitalizado no almoxarifado do EMI Nome da Empresa Documento Visão Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 23/02/2015 1.0 Início do projeto Anderson, Eduardo, Jessica, Sabrina, Samuel 25/02/2015 1.1 Correções Anderson e Eduardo

Leia mais

Hilti do Brasil Comercial Ltda. Política de Privacidade e Proteção de Informações Pessoais

Hilti do Brasil Comercial Ltda. Política de Privacidade e Proteção de Informações Pessoais Hilti do Brasil Comercial Ltda. Política de Privacidade e Proteção de Informações Pessoais Nós, Hilti (Brasil) Comercial Ltda. (coletivamente, referido como Hilti, "nós", "nosso" ou "a gente") nessa Política

Leia mais

carregado de vantagens

carregado de vantagens Chegou o sistema de pagamento de frete eletrônico carregado de vantagens para a sua empresa. O que é o nddcargo? O nddcargo é uma solução para gestão de pagamento eletrônico de frete, coleta e triagem

Leia mais

Escopo do Copilot Optimize - Elaboração de Relatórios

Escopo do Copilot Optimize - Elaboração de Relatórios Descrição do serviço Copilot Optimize - Elaboração de Relatórios CAA-1013 Visão geral do serviço Esta Descrição do serviço ( Descrição do serviço ) é firmada por você, o cliente, ( você ou Cliente ) e

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) nº 001/2009

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) nº 001/2009 TERMO DE REFERÊNCIA (TR) nº 001/2009 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultor (a) para desenvolver, treinar e implantar o Sistema de Gestão de Projetos do IBAMA. 2 JUSTIFICATIVA 2.1 Contextualização: O

Leia mais

Pontos alterados na Política Comercial

Pontos alterados na Política Comercial POLÍTICA COMERCIAL VIGENTE VERSÃO 1.1 POLÍTICA COMERCIAL REVISADA 2 DISTRIBUIDORES de Market Data BM&FBOVESPA DISTRIBUIDOR de market data é qualquer organização que distribui o Market Data BM&FBOVESPA.

Leia mais

CAPITULO 4 A ARQUITETURA LÓGICA PARA O AMBIENTE

CAPITULO 4 A ARQUITETURA LÓGICA PARA O AMBIENTE CAPITULO 4 A ARQUITETURA LÓGICA PARA O AMBIENTE A proposta para o ambiente apresentada neste trabalho é baseada no conjunto de requisitos levantados no capítulo anterior. Este levantamento, sugere uma

Leia mais

Pontos alterados na Política Comercial

Pontos alterados na Política Comercial POLÍTICA COMERCIAL VIGENTE VERSÃO 1.1 POLÍTICA COMERCIAL REVISADA 2 DISTRIBUIDORES de Market Data BM&FBOVESPA DISTRIBUIDOR de market data é qualquer organização que distribui o Market Data BM&FBOVESPA.

Leia mais

Nome da Empresa. Plano de Desenvolvimento de Software. Versão <1.0>

Nome da Empresa. <Nome do Projeto> Plano de Desenvolvimento de Software. Versão <1.0> Nome da Empresa Plano de Desenvolvimento de Software Versão Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 2/7 Índice Analítico 1. Objetivo

Leia mais

A IFOUR ÁREAS DE ATUAÇÃO

A IFOUR ÁREAS DE ATUAÇÃO A IFOUR Fundada em 2000, a ifour Sistemas conta com sedes em Viçosa e Muriaé. Atua no desenvolvimento de soluções completas para gestão empresarial (automação), envolvendo software e equipamentos para

Leia mais

Estabelecer a sistemática para controle de acesso e proteção de dados do sistema SMART e INTRANET através de usuário e senha.

Estabelecer a sistemática para controle de acesso e proteção de dados do sistema SMART e INTRANET através de usuário e senha. 1/5 1. OBJETIVO Estabelecer a sistemática para controle de acesso e proteção de dados do sistema SMART e INTRANET através de usuário e senha. 2. DEFINIÇÃO E CONCEITO Service Desk é um sistema desenvolvido

Leia mais

TRABALHO DE DIPLOMAÇÃO Regime Modular ORIENTAÇÕES SOBRE O ROTEIRO DO PROJETO FINAL DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES

TRABALHO DE DIPLOMAÇÃO Regime Modular ORIENTAÇÕES SOBRE O ROTEIRO DO PROJETO FINAL DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES TRABALHO DE DIPLOMAÇÃO Regime Modular ORIENTAÇÕES SOBRE O ROTEIRO DO PROJETO FINAL DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES [Observação: O template a seguir é utilizado como roteiro para projeto de sistemas orientado

Leia mais

Análise documental do desempenho social no MIX

Análise documental do desempenho social no MIX Análise documental do desempenho social no MIX 2013 Âmbito do processo de análise documental O MIX procura continuamente oferecer ao setor de microfinanças os dados mais confiáveis possíveis. Para esse

Leia mais

CAMPO DE APLICAÇÃO Esta Norma Complementar se aplica no âmbito da Administração Pública Federal, direta e indireta. APROVAÇÃO

CAMPO DE APLICAÇÃO Esta Norma Complementar se aplica no âmbito da Administração Pública Federal, direta e indireta. APROVAÇÃO 05/IN01/DSIC/GSIPR 00 14/AGO/09 1/7 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Gabinete de Segurança Institucional Departamento de Segurança da Informação e Comunicações CRIAÇÃO DE EQUIPES DE TRATAMENTO E RESPOSTA A INCIDENTES

Leia mais

PMBOK e Cobit - Uma Experiência na Reformulação de Sistemas em Angola Marcelo Etcheverry Torres,PMP,Cobit)

PMBOK e Cobit - Uma Experiência na Reformulação de Sistemas em Angola Marcelo Etcheverry Torres,PMP,Cobit) PMBOK e Cobit - Uma Experiência na Reformulação de Sistemas em Angola Marcelo Etcheverry Torres,PMP,Cobit) Agenda A palestra Angola Cliente O projeto Usando o PMBOK Usando o Cobit Lições Aprendidas Conclusão

Leia mais

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Outubro 2009 Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Sustentabilidade Articulação Ampliação dos limites Sistematização Elementos do Novo Modelo Incubação

Leia mais

ENGENHARIA DE SOFTWARE

ENGENHARIA DE SOFTWARE Pág. 1 0. ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...2 2. OBJETIVOS....2 3. ESTIMATIVAS DO PROJETO....4 4. RISCOS DO PROJETO....5 4.1. Identificação e Análise dos Riscos....5 4.1.1. Riscos de Projeto...6 4.1.2. Riscos Técnicos....6

Leia mais

15/09/2015. Gestão e Governança de TI. Modelo de Governança em TI. A entrega de valor. A entrega de valor. A entrega de valor. A entrega de valor

15/09/2015. Gestão e Governança de TI. Modelo de Governança em TI. A entrega de valor. A entrega de valor. A entrega de valor. A entrega de valor Gestão e Governança de TI Modelo de Governança em TI Prof. Marcel Santos Silva PMI (2013), a gestão de portfólio é: uma coleção de projetos e/ou programas e outros trabalhos que são agrupados para facilitar

Leia mais

Gerenciamento de Projeto: Monitorando e Controlando o Projeto II. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br

Gerenciamento de Projeto: Monitorando e Controlando o Projeto II. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Gerenciamento de Projeto: Monitorando e Controlando o Projeto II Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Sumário Reportar o Desempenho Realizar o Controle Integrado de Mudanças Reportar o

Leia mais

VANT-EC-SAME. Software de Suporte do VANT V-SUP Caso de Desenvolvimento Versão 1.0

VANT-EC-SAME. Software de Suporte do VANT V-SUP Caso de Desenvolvimento Versão 1.0 VANT-EC-SAME Software de Suporte do VANT V-SUP Caso de Desenvolvimento Versão 1.0 Histórico da Revisão Data Versão Descrição Autor 17/0/07 1.0 Versão Inicial Douglas Moura Confidencial VANT-EC-SAME, 2007

Leia mais

Módulo 4: Gerenciamento de Dados

Módulo 4: Gerenciamento de Dados Módulo 4: Gerenciamento de Dados 1 1. CONCEITOS Os dados são um recurso organizacional decisivo que precisa ser administrado como outros importantes ativos das empresas. A maioria das organizações não

Leia mais

Plano de Gerência de Configuração

Plano de Gerência de Configuração Plano de Gerência de Configuração Objetivo do Documento Introdução A aplicação deste plano garante a integridade de códigos-fonte e demais produtos dos sistemas do, permitindo o acompanhamento destes itens

Leia mais

F.1 Gerenciamento da integração do projeto

F.1 Gerenciamento da integração do projeto Transcrição do Anexo F do PMBOK 4ª Edição Resumo das Áreas de Conhecimento em Gerenciamento de Projetos F.1 Gerenciamento da integração do projeto O gerenciamento da integração do projeto inclui os processos

Leia mais

CIGAM SOFTWARE CORPORATIVA LTDA.

CIGAM SOFTWARE CORPORATIVA LTDA. CIGAM SOFTWARE CORPORATIVA LTDA. Raquel Engeroff Neusa Cristina Schnorenberger Novo Hamburgo RS Vídeo Institucional Estratégia Visão Missão Ser uma das 5 maiores empresas de software de gestão empresarial

Leia mais

Gerenciamento de Projeto: Planejando os Recursos. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br

Gerenciamento de Projeto: Planejando os Recursos. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Gerenciamento de Projeto: Planejando os Recursos Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Sumário Planejar as Aquisições Desenvolver o Plano de Recursos Humanos Planejar as Aquisições É o

Leia mais

Escolhendo a melhor opção para sua empresa

Escolhendo a melhor opção para sua empresa www.pwc.com.br Escolhendo a melhor opção para sua empresa Auditoria Interna Auditoria Interna - Co-sourcing atende/supera as expectativas da alta administração? A função de Auditoria Interna compreende

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE INFORMÁTICA

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE INFORMÁTICA Parecer.DIN 67/07 TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA PROCESSO: ECO 07/00374850 UNIDADE GESTORA: RESPONSÁVEL: ASSUNTO: CENTRO DE INFORMÁTICA E AUTOMAÇÃO DO ESTADO DE SANTA CATARINA - CIASC HUGO

Leia mais

Como implementar os processos de Gerenciamento de Demanda e Capacidade de serviços de TI. www.path.com.br

Como implementar os processos de Gerenciamento de Demanda e Capacidade de serviços de TI. www.path.com.br Como implementar os processos de Gerenciamento de Demanda e Capacidade de serviços de TI AGENDA Gerenciamento da Demanda Processos de Negócio Desafios e KPIs Papel do Gerenciamento da Demanda Gerenciamento

Leia mais

Glossário Apresenta a definição dos termos, siglas e abreviações utilizadas no contexto do projeto Citsmart.

Glossário Apresenta a definição dos termos, siglas e abreviações utilizadas no contexto do projeto Citsmart. Apresenta a definição dos termos, siglas e abreviações utilizadas no contexto do projeto Citsmart. Versão 1.6 15/08/2013 Visão Resumida Data Criação 15/08/2013 Versão Documento 1.6 Projeto Responsáveis

Leia mais

DESCRITIVO TÉCNICO - VERSÃO DESKTOP

DESCRITIVO TÉCNICO - VERSÃO DESKTOP sistema para gerenciamento de instituições de ensino DESCRITIVO TÉCNICO - VERSÃO DESKTOP Nossa Empresa A Sponte Informática é uma empresa brasileira, localizada em Pato Branco, cidade considerada pólo

Leia mais

PÚBLICA, PRIVADA OU HÍBRIDA: QUAL É A MELHOR NUVEM PARA SEUS APLICATIVOS?

PÚBLICA, PRIVADA OU HÍBRIDA: QUAL É A MELHOR NUVEM PARA SEUS APLICATIVOS? PÚBLICA, PRIVADA OU HÍBRIDA: QUAL É A MELHOR NUVEM PARA SEUS APLICATIVOS? As ofertas de nuvem pública proliferaram, e a nuvem privada se popularizou. Agora, é uma questão de como aproveitar o potencial

Leia mais

Gestor Empresarial - Financeiro. Release Versão 1.076

Gestor Empresarial - Financeiro. Release Versão 1.076 Gestor Empresarial - Financeiro Release Versão 1.076 Maio/2013 Produto : AeroSoft Gestor Empresarial - Financeiro Versão : v1.076 Data Liberação : 21/04/2013 A seguir são apresentadas as novas funções

Leia mais

FLEXPAG - Política de Privacidade

FLEXPAG - Política de Privacidade FLEXPAG - Política de Privacidade A infocusweb/flexpag tem um compromisso com o respeito à sua privacidade. Política de Privacidade Nós reconhecemos que ao optar por nos informar alguns de seus dados pessoais,

Leia mais

Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento PNUD TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Título do Projeto Fortalecimento do Controle de Precursores Químicos

Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento PNUD TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Título do Projeto Fortalecimento do Controle de Precursores Químicos Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento PNUD TERMO DE REFERÊNCIA 1. Título do Projeto Fortalecimento do Controle de Precursores Químicos 2. Número do Projeto UNODC/AD/BRA/98/D33 3. Objetivo Contratação

Leia mais

Access Professional Edition O sistema de controle de acesso flexível que cresce com o seu negócio

Access Professional Edition O sistema de controle de acesso flexível que cresce com o seu negócio Access Professional Edition O sistema de controle de acesso flexível que cresce com o seu negócio 2 Access Professional Edition: a solução de controle de acesso ideal para empresas de pequeno e médio porte

Leia mais

Sistema de Declaração Pessoal de Saúde Descritivo

Sistema de Declaração Pessoal de Saúde Descritivo Sistema de Declaração Pessoal de Saúde Descritivo Comp Line A empresa Criada em 1996, tem por filosofia associar tecnologia, parceria e transparência, através da disponibilização de painéis de controle,

Leia mais

Regime de IVA de Caixa

Regime de IVA de Caixa Regime de IVA de Caixa Versão 1.4 maio de 2014 (Última atualização a 05.05.2014) Índice Índice... 2 Introdução... 3 Notas prévias... 4 Configurações Gerais... 4 Administrador...4 ERP PRIMAVERA...8 Perfis

Leia mais

MBA em Gestão de Tecnologia da Informação. Governança de TI - Aula 2. Lincoln Herbert Teixeira lincolnherbert@gmail.com

MBA em Gestão de Tecnologia da Informação. Governança de TI - Aula 2. Lincoln Herbert Teixeira lincolnherbert@gmail.com MBA em Gestão de Tecnologia da Informação Governança de TI - Aula 2 Lincoln Herbert Teixeira lincolnherbert@gmail.com Projetos Altos investimentos em TI - importante que tenhamos processos eficazes para

Leia mais

Faculdade de Farmácia VALIDAÇÃO DE SISTEMAS COMPUTADORIZADOS

Faculdade de Farmácia VALIDAÇÃO DE SISTEMAS COMPUTADORIZADOS Faculdade de Farmácia VALIDAÇÃO DE SISTEMAS COMPUTADORIZADOS 2012 Relevância: Impacta diretamente na saúde do paciente, na qualidade do produto e na integridade dos dados que devem provar que o sistema

Leia mais

Planejar Soluções em TI e Serviços para Agronegócio. Software de Gestão Rural ADM Rural 4G

Planejar Soluções em TI e Serviços para Agronegócio. Software de Gestão Rural ADM Rural 4G Planejar Soluções em TI e Serviços para Agronegócio Software de Gestão Rural ADM Rural 4G 2011 ADM Rural 4G Agenda de Apresentação E Empresa Planejar O Software ADM Rural 4G Diferenciais Benefícios em

Leia mais

Versão Liberada. www.gerpos.com.br. Gerpos Sistemas Ltda. info@gerpos.com.br. Av. Jones dos Santos Neves, nº 160/174

Versão Liberada. www.gerpos.com.br. Gerpos Sistemas Ltda. info@gerpos.com.br. Av. Jones dos Santos Neves, nº 160/174 Versão Liberada A Gerpos comunica a seus clientes que nova versão do aplicativo Gerpos Retaguarda, contendo as rotinas para emissão da Nota Fiscal Eletrônica, já está disponível. A atualização da versão

Leia mais

Metodologia de Gerenciamento de Projetos da Justiça Federal

Metodologia de Gerenciamento de Projetos da Justiça Federal Metodologia de Gerenciamento de Projetos da Justiça Federal Histórico de Revisões Data Versão Descrição 30/04/2010 1.0 Versão Inicial 2 Sumário 1. Introdução... 5 2. Público-alvo... 5 3. Conceitos básicos...

Leia mais

1. DESCRIÇÃO DO SIE Sistema de Informações para o Ensino

1. DESCRIÇÃO DO SIE Sistema de Informações para o Ensino 1. DESCRIÇÃO DO SIE Sistema de Informações para o Ensino O SIE é um sistema aplicativo integrado, projetado segundo uma arquitetura multicamadas, cuja concepção funcional privilegiou as exigências da Legislação

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO São Paulo, Janeiro de 2005

SISTEMAS DE GESTÃO São Paulo, Janeiro de 2005 SISTEMAS DE GESTÃO São Paulo, Janeiro de 2005 ÍNDICE Introdução...3 A Necessidade do Gerenciamento e Controle das Informações...3 Benefícios de um Sistema de Gestão da Albi Informática...4 A Ferramenta...5

Leia mais

Introdução Ciclo de vida tradicional de desenvolvimento Prototipagem Pacotes de software Desenvolvimento de 4ª geração Terceirização

Introdução Ciclo de vida tradicional de desenvolvimento Prototipagem Pacotes de software Desenvolvimento de 4ª geração Terceirização Prof. Ricardo José Pfitscher Material elaborado com base em: José Luiz Mendes Gerson Volney Lagemann Introdução Ciclo de vida tradicional de desenvolvimento Prototipagem Pacotes de software Desenvolvimento

Leia mais

PMONow! Serviço de Implantação de um Escritório de Projetos

PMONow! Serviço de Implantação de um Escritório de Projetos PMONow! Serviço de Implantação de um Escritório de Projetos PMONow! Serviço de Implantação de um Escritório de Projetos As organizações em torno do mundo estão implantando processos e disciplinas formais

Leia mais

INSTRUÇÃO DE TRABALHO PARA INFORMAÇÕES GERENCIAIS

INSTRUÇÃO DE TRABALHO PARA INFORMAÇÕES GERENCIAIS INSTRUÇÃO DE TRABALHO PARA INFORMAÇÕES GERENCIAIS Asia Shipping Transportes Internacionais Ltda. como cópia não controlada P á g i n a 1 7 ÍNDICE NR TÓPICO PÁG. 1 Introdução & Política 2 Objetivo 3 Responsabilidade

Leia mais

APOO Análise e Projeto Orientado a Objetos. Requisitos

APOO Análise e Projeto Orientado a Objetos. Requisitos + APOO Análise e Projeto Orientado a Objetos Requisitos Requisitos 2 n Segundo Larman: n São capacidades e condições às quais o sistema e em termos mais amplos, o projeto deve atender n Não são apenas

Leia mais

MANUAL CONSIGFÁCIL Acesso: Servidor

MANUAL CONSIGFÁCIL Acesso: Servidor Sistema de Gestão e Controle de Consignações On-Line - CONSIGFÁCIL MANUAL CONSIGFÁCIL Acesso: Servidor V.4.2 (Agosto/2014) 1 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 1. ACESSANDO O CONSIGFÁCIL... 4 1.1. NAVEGADOR... 4

Leia mais

CompuStream Representação

CompuStream Representação Por Maximilian Immo Orm Gorissen Gerenciamento dos técnicos de campo Uma visão estratégica do business intelligence associado às operações de serviço a produtos. Nos últimos anos, o conceito de atendimento

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA TÍTULO: Termo de Referência para contratação de ferramenta case de AD. GECOQ Gerência de Controle e Qualidade 1/9

TERMO DE REFERÊNCIA TÍTULO: Termo de Referência para contratação de ferramenta case de AD. GECOQ Gerência de Controle e Qualidade 1/9 TÍTULO: ASSUNTO: GESTOR: TERMO DE REFERÊNCIA Termo de Referência para contratação de ferramenta case de AD DITEC/GECOQ Gerência de Controle e Qualidade ELABORAÇÃO: PERÍODO: GECOQ Gerência de Controle e

Leia mais

GUIA DE CURSO. Tecnologia em Sistemas de Informação. Tecnologia em Desenvolvimento Web. Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

GUIA DE CURSO. Tecnologia em Sistemas de Informação. Tecnologia em Desenvolvimento Web. Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas PIM PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO COM O MERCADO GUIA DE CURSO Tecnologia em Sistemas de Informação Tecnologia em Desenvolvimento Web Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Tecnologia em Sistemas

Leia mais

Detecção e investigação de ameaças avançadas. INFRAESTRUTURA

Detecção e investigação de ameaças avançadas. INFRAESTRUTURA Detecção e investigação de ameaças avançadas. INFRAESTRUTURA DESTAQUES A infraestrutura do RSA Security Analytics Arquitetura modular para coleta distribuída Baseada em metadados para indexação, armazenamento

Leia mais

RESPOSTA AO QUESTIONAMENTO FORMULADO POR EMPRESA INTERESSADA NO CERTAME.

RESPOSTA AO QUESTIONAMENTO FORMULADO POR EMPRESA INTERESSADA NO CERTAME. RESPOSTA AO QUESTIONAMENTO FORMULADO POR EMPRESA INTERESSADA NO CERTAME. Brasília, 10 de fevereiro de 2010. Pregão n 062/2009 Lote 1: Lote 2: Operação, Gerenciamento de Redes, Servidores, Storage & Archive,

Leia mais

A CMNet disponibilizou no dia 24 de junho para download no Mensageiro a nova versão do Padrão dos Sistemas CMNet.

A CMNet disponibilizou no dia 24 de junho para download no Mensageiro a nova versão do Padrão dos Sistemas CMNet. Prezado Cliente, A CMNet disponibilizou no dia 24 de junho para download no Mensageiro a nova versão do Padrão dos Sistemas CMNet. No Padrão 9 você encontrará novas funcionalidades, além de alterações

Leia mais