Avaliação das Principais Descontinuidades Encontradas nas Juntas Soldadas, Causas e Possíveis Soluções.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Avaliação das Principais Descontinuidades Encontradas nas Juntas Soldadas, Causas e Possíveis Soluções."

Transcrição

1 São Paulo Brasil 31 de agosto a 2 de setembro, 2010 Avaliação das Principais Descontinuidades Encontradas nas Juntas Soldadas, Causas e Possíveis Soluções. Paulo Rogerio Santos de Novais * * Tecnólogo Mecânico em Soldagem Atuou como Instrutor do Departamento de Soldagem da FATEC / SP Atualmente trabalha na Belgo Bekaert Arames Ltda. Resumo: Os processos de soldagem utilizados para a fabricação e montagem de estruturas metálicas, podem apresentar diversos tipos de descontinuidades, ou defeitos, que comprometem a integridade, o desempenho, a competitividade e a qualidade das estruturas metálicas. Esse trabalho tem por objetivo, apresentar e detalhar as principais descontinuidades observadas nos processos de soldagem, Eletrodos Revestidos (SMAW), MIG/MAG () e Arco Submerso (SAW). Processos esses que são utilizados freqüentemente na fabricação e montagem de estruturas e conjuntos soldados, suas causas potenciais, a correta forma de minimizar e corrigir essas distorções. Palavras-Chave: processos de soldagem; descontinuidades e soluções. 1. Introdução: Atualmente, as estruturas metálicas no mercado nacional são produzidas e montadas em campo, através dos processos de soldagem, Eletrodos Revestidos (SMAW), MIG/MAG () e Arco Submerso (SAW) utilizados na fabricação de estruturas metálicas. A nomenclatura dos processos de soldagem, utilizadas nesse artigo, será adotada conforme definição da AWS American Welding Society. As descontinuidades geralmente são geradas por desvio do processo de soldagem, falha operacional, falhas dos equipamentos ou acessórios. Esses desvios podem aparecer de forma isolada ou combinada.

2 Os processos de soldagem possuem características diferenciadas, com suas vantagens, aplicabilidade e limitações. A correta escolha do processo, bem como conhecer as possíveis descontinuidades, e a forma de minimizá-las é uma importante ferramenta para as empresas no controle de custos, segurança da estrutura e garantia da Qualidade, sejam fabricantes de estruturas metálicas ou montadoras, tanto em conjuntos de pequeno e grande porte. 2. Definição de Descontinuidade: Descontinuidade é a interrupção física causada em um material pela abertura de uma trinca ou pela presença de um segundo material: gás, inclusão de escória; são comumente chamadas de defeitos em soldagem. As descontinuidades podem ser classificadas quanto à origem e a forma. Com relação à origem, as descontinuidades podem ser: Geométricas Metalúrgicas Com relação à forma, podem ser: Planas Volumétricas 2.1 Descontinuidades Geométricas: São geradas na etapa de montagem e de soldagem. Os exemplos mais comuns são falta de fusão, de penetração e mordedura, desalinhamento, superposição, deposição insuficiente. 2.2 Descontinuidades Metalúrgicas: São originados por fenômenos metalúrgicos presente na poça de fusão como o refino, a desoxidação, a desgaseificação e as transformações de fases no estado sólido, estas tanto na zona fundida (ZF) quanto na zona afetada pelo calor (ZAC). 2

3 2.3 Descontinuidades Planas: Apresentam praticamente duas dimensões: é o caso das trincas de solidificação e das trincas introduzidas por hidrogênio, da falta de fusão e penetração. Essas descontinuidades geram uma concentração de tensão muito elevada nas suas extremidades e geralmente devem ser reparadas. 2.4 Descontinuidades Volumétricas: Apresentam três dimensões: poros, inclusões de escória e inclusões de tungstênio, no caso do processo TIG (GTAW). Apresentam concentração de tensão bem menor que as descontinuidades planas e, por isso, são menos críticas que estas. 3. Principais Descontinuidades em Soldagem: Podemos observar diversos tipos de descontinuidades, sendo as principais: Porosidade; Falta de fusão / Falta de Penetração; Respingos; Mordeduras; Trincas; Inclusões de escória; 4. Definição de Porosidade: Porosidade pode ser definida como um espaço vazio formado pelo aprisionamento de gás durante a solidificação. Pode ser esférico ou cilíndrico (alongado); gerado pela umidade do consumível ou falha na proteção gasosa, ou outro desvio durante o processo. É um defeito volumétrico, geralmente aceito pelas normas de qualificação de procedimentos e soldadores até uma determinada dimensão e distribuição. Deve ser corretamente avaliada, para que seja reparada e adequada ao critério da norma ou especificação do projeto. As figuras 1 e 2 apresentam exemplos de ocorrência de porosidade. 3

4 4.1. Porosidade Causas e Possíveis Soluções: Causas: Possíveis Soluções: Processos de Soldagem: Baixa vazão de gás ou obstrução da saída de gás por respingos. Excesso de vazão de gás (turbulência) Aumentar a vazão de gás e/ou limpar o bocal regularmente Diminuir a vazão de gás para eliminar a turbulência Excessivas correntes de ar Proteger a região de solda do vento / SMAW Arame oxidado ou sujo Utilizar exclusivamente arames limpos e secos / SAW Proteção insuficiente devido a elevada velocidade de soldagem Tocha muito distante da peça Reduzir a velocidade Aproximar a tocha da peça e, ao final da solda, mantê-la sobre a poça de fusão até que se solidifique. Ângulo de deslocamento muito grande. Diminuir o ângulo de deslocamento da tocha. Metal base contaminado (óleo; graxa; tinta; oxidação) Melhorar a limpeza da peça / SAW /SMAW Tensão muito alta / Corrente muito baixa Diminuir a tensão / aumentar corrente / SAW /SMAW Contaminação do gás de proteção Metal Base com S>0,05% e/ou alto nível de inclusões Arames sem desoxidantes (fora da especificação) ou inadequados Utilizar gases de proteção de alta qualidade e verificar vazamentos, inclusive oring da guia espiral, checar pré-vazão. Utilizar metais base com S<0,05% e baixo nível de inclusões Utilizar consumíveis adequados à aplicação / SAW / SMAW / SAW 4

5 Tabela 1: Nomenclatura dos Processos Conforme AWS American Welding Society Figura 1: Micrografia apresentando Porosidade Figura 2: Porosidade Superficial. 5. Definição de Falta de Fusão / Falta de Penetração: Falta de Fusão é uma descontinuidade caracterizada pelo não coalescimento de parte do cordão de solda, na lateral do chanfro ou entre cordões na soldagem de multipasse. Pode ser causada pela insuficiência da energia de soldagem para fundir as laterais do chanfro ou por algum tipo de contaminação superficial que isola termicamente a face do chanfro da fonte de calor. A Falta de Penetração está relacionada ao cordão de solda, que não une completamente as partes a serem soldadas ao longo da espessura. Isto ocorre porque parte da raiz do cordão de solda não foram completamente fundidas. Apresentamos na figura 3, uma junta com defeitos combinados; Mordeduras Falta de Fusão e Respingos Falta de Fusão / Falta de Penetração Causas e Possíveis Soluções: Causas: Possíveis Soluções: Processos de Soldagem: Parâmetros de soldagem inadequados Manipulação inadequada da tocha: Tocha descentralizada no chanfro, no passe de raiz. Inclinação excessiva da tocha Aumentar a voltagem e a velocidade de alimentação do arame. Reduzir a velocidade de soldagem. Diminuir a distância do bico de contato à peça. Reduzir o diâmetro do arame. Reduzir a dimensão de cada cordão de solda. Distribuir o calor do arco em ambas as faces do chanfro. Manter a inclinação correta Alterar o projeto da união ou a seqüência de montagem, / SAW /SMAW 5

6 para o lado. Falta de acesso ao chanfro. ou ainda, usar um bocal menor. Desenho de chanfro inadequado: Ângulo de chanfro muito pequeno. Face da raiz (nariz) muito grande. Desalinhamento. Aumentar a abertura da raiz. Aumentar o ângulo do chanfro Reduzir o nariz Reduzir o desalinhamento. / SAW /SMAW A poça de fusão se adianta em relação ao arco e impede a perfeita fusão das bordas: Velocidade de soldagem muito baixa ou taxa de deposição muito alta. Este defeito pode ocorrer mais facilmente na posição vertical descendente Reduzir a dimensão de cada cordão individual. Diminuir a velocidade de alimentação de arame na posição vertical descendente. / SAW /SMAW Tabela 2: Nomenclatura dos Processos Conforme AWS American Welding Society Figura. 3: Junta com Mordedura Falta de Fusão e Respingos. 6. Definição de Respingos: Partículas metálicas expelidas durante a soldagem por fusão e que não fazem parte da solda. Podem ficar aderidas nas adjacências da solda ou não. Normalmente, o respingo, não é considerado um defeito sério, a não ser que sua presença interfira nas operações subseqüentes. Os respingos em excesso, também podem ser um indicativo de que o processo não está estável. A figura 5 ilustra uma junta com respingos. 6

7 6.1. Respingos Causas e Possíveis Soluções: Causas: Possíveis Soluções: Processos de Soldagem: Mau contato nos cabos de solda Limpar pontos de contato e ajustá-los Distância do bico de contato à peça muito elevada Diminuir a distância da tocha à peça Vazão de gás inadequada Ajustar a vazão de gás / SMAW Controle inadequado da Ajustar indutância (se aplicável) indutância, especialmente na transferência por curtocircuito. / SAW Posicionamento da tocha A técnica de soldagem arco quente, diminui respingos Com máquinas de solda convencionais, quanto maior o teor de CO2/Gases oxidantes, maior o nível de respingos. Usar misturas ricas em argônio Tipo de fonte e a tecnologia de construção e controle Metal base contaminado (água; óleo; graxa; tinta; oxidação) Consumível oxidado, sujo ou úmido. Usar fontes que permitam o ajuste fino e preciso dos parâmetros de soldagem Melhorar a limpeza da peça Utilizar exclusivamente arames limpos e secos / SAW /SMAW / SAW /SMAW Contaminação do gás de proteção Tensão / Corrente muito alta tipo de transferência Utilizar gases de proteção de alta qualidade e verificar vazamentos Ajustar Tensão Corrente evitar a transferência Globular / SAW / SMAW Polaridade incorreta (CC-) Corrigir para polaridade correta (CC+) / SAW 7

8 Velocidade de soldagem muito alta Diminuir a velocidade de soldagem / ajustar aporte de calor a velocidade de soldagem / SAW / SMAW Composição química do arame inadequada Utilizar arames com composições químicas adequadas à aplicação - Apesar da baixa influência, se comparada a outros fatores. / SAW Bicos de Contato danificados, de má qualidade ou inadequado à aplicação. Trocar bico de contato; Tabela 3: Nomenclatura dos Processos Conforme AWS American Welding Society Figura 4: Junta com Respingos. 7. Definição de Mordeduras: A mordedura é caracterizada pela fusão da superfície da chapa do metal de base próxima a margem do cordão de solda. Dependendo da norma utilizada na fabricação do conjunto soldado a mordedura é aceitável. Contudo, dependendo do metal base a ser soldado é uma descontinuidade bastante perigosa, visto que em alguns casos, pode criar um entalhe na zona de ligação e concentração de tensões nesses locais. A figura 5 apresenta uma mordedura combinada com desalinhamento do cordão de solda. 8

9 7.1. Mordeduras Causas e Possíveis Soluções: Causas: Possíveis Soluções: Processos de Soldagem: Manipulação inadequada da tocha ou eletrodo: Tocha descentralizada no chanfro, no passe de raiz. Inclinação excessiva da tocha para o lado. Falta de acesso ao chanfro. Tensão / Corrente muito alta tipo de transferência Distribuir o calor do arco em ambas as faces do chanfro. Manter a inclinação correta Alterar o projeto da união ou a seqüência de montagem, ou ainda, usar um bocal menor. Ajustar Tensão Corrente evitar a transferência Globular / SAW/ SMAW / SAW / SMAW Velocidade de soldagem muito alta Diminuir a velocidade de soldagem / ajustar aporte de calor a velocidade de soldagem / SAW / SMAW Tabela 4: Nomenclatura dos Processos Conforme AWS American Welding Society Figura 5: Junta com Cordão desalinhado e Mordedura. 8. Definição de Trincas: São consideradas as descontinuidades mais graves em soldagem. São fortes concentradores de tensão, podendo favorecer o início de fratura frágil na estrutura soldada. De um modo bem simples, uma trinca pode ser considerada como o resultado da incapacidade do material em responder as solicitações impostas localmente pelas tensões decorrentes do processo de soldagem. 9

10 A aplicação localizada de calor deformando localmente o metal base, causa o aparecimento de tensões de tração bi ou mesmo tri axiais na região da solda. Este estado de tensões juntamente com a fragilização associada às mudanças microestruturais durante a soldagem ou a presença de certos elementos (particularmente o hidrogênio ), pode resultar na formação de trincas. As trincas podem ser externas, isto é atingirem a superfície, ou totalmente internas, não sendo, nesse caso detectáveis por inspeção superficial na região da solda. Podem ser localizada na Zona Fundida (ZF), na Zona Termicamente Afetada (ZTA), no metal de solda e no metal base. Vários mecanismos atuam para a formação de trincas nas juntas soldadas. Podendo ocorrer durante a soldagem ( na solidificação ), durante o resfriamento da peça horas e até mesmo dias após a realização da soldagem, e mesmo quando da realização de tratamento térmico para alivio de tensões. A figura 6 apresenta as Zonas e regiões encontradas nas juntas soldadas, e a figura 7 ilustra uma macrografia de uma trinca, observada em uma junta soldada pelo processo arco submerso (SAW). Figura 6: Regiões da Junta soldada. a ) ZTA Zona Termicamente Afetada / ZAC Zona Afetada pelo Calor. b) Zona Fundida (ZF). c) Zona de Ligação (ZL). d) Metal de Base (MB) e) Cobre-Junta. 10

11 8.1. Trincas Causas e Possíveis Soluções: Causas: Possíveis Soluções: Processos de Soldagem: Projeto de junta inadequado. Adotar chanfros e condições gerais da junta com dimensões adequadas. Realizar uma preparação, ponteamento e montagem da junta com alinhamento e espaçamentos adequados. / SAW/ SMAW Elevada restrição dos componentes estruturais (Restrição Geométrica) Calor excessivo na junta, causando deformações; contrações e distorções. Usar pré-aquecimento, observar a montagem, Ajustar todos os parâmetros de soldagem para reduzir as tensões impostas a junta.. Reduzir a corrente ou a tensão Aumentar a velocidade da soldagem. Contrabalancear o aporte térmico. / SAW / SMAW / SAW / SMAW Relações Dimensionais Inadequadas. Alargar o perfil do cordão, diminuir a penetração. / SAW/ SMAW Cordão de solda muito pequeno (passes de raiz ou de filete) Reduzir a velocidade de soldagem ou aumentar a seção transversal do cordão. / SAW / SMAW Fragilização por calor causado pela presença de elementos como o Enxofre (S) Utilizar consumíveis com maior teor de Manganes. Diminuir a altura do arco. Adequar a geometria do chanfro para melhorar a diluição. Alterar a seqüência de passes para reduzir a restrição durante o resfriamento. Alterar o consumível ou metal base para obter uma adequada relação entre % Manganes e % de Enxofre. / SAW / SMAW Tempera da Zona termicamente Afetada (ZTA). Realizar pré-aquecimento para retardar o resfriamento.. / SAW/ SMAW 11

12 Tensões Residuais muito elevadas. Efetuar tratamento térmico de Alivio de Tensões. / SAW / SMAW Utilizar consumíveis secos, (arames, eletrodos, gases). Remover contaminantes Fragilização por Hidrogênio. superficiais, (graxas, óleos, tintas de marcação) Manter a temperatura elevada após a conclusão da soldagem para difusão do Hidrogênio (Pós Aquecimento). / SAW / SMAW Tabela 5: Nomenclatura dos Processos Conforme AWS American Welding Society Figura 7: Macrografias de trincas soldas pelo processo arco submerso, 9. Definição de Inclusões de escória: Durante a fusão e subseqüente solidificação da poça de fusão, várias reações se processam. Estas reações podem gerar partículas que, se presos no metal de solidificado, formariam inclusões. Por outro lado, vários processos de soldagem utilizam fluxos que formam uma escória que pode, por diversos motivos, ficar presa no metal solidificado. 12

13 9.1. Inclusão de Escória Causas e Possíveis Soluções: Causas: Possíveis Soluções: Processos de Soldagem: Manipulação inadequada do bocal ou eletrodo, no passe de raiz. Manter a inclinação correta e a manipulação durante a soldagem Alterar o projeto da união ou a seqüência de montagem. SAW / SMAW Falha na limpeza entre passes. Ajustar Tensão Corrente evitar a transferência Globular SAW / SMAW Tabela 6: Nomenclatura dos Processos Conforme AWS American Welding Society Figura 8 Detalhe de uma radiografia apresentando inclusão de escória.. 13

14 10. Descontinuidades Combinadas: Geralmente as descontinuidades em soldagem, não aparecem de forma isolada, na pratica e comumente observada duas ou até mais imperfeições combinadas, pois os desvios podem ser sanados, corrigindo apenas uma variável do processo. Solucionando a causa principal da imperfeição, na maioria dos casos, conseguimos obter juntas isentas de falhas e com Qualidade satisfatória. É essencial que os responsáveis pelas atividades de soldagem, conheçam todos os detalhes dos processos de soldagem, as características metalúrgicas, físicas e químicas envolvidas nas juntas e as exigências das normas e códigos aplicáveis. Além das descontinuidades apresentadas anteriormente, podemos observar ainda perfil de solda irregular; sobreposição, distorções geométricas, cordões desiguais, desalinhamento, concavidade e convexidade excessiva. As figuras 9 e 10 ilustram algumas dessas ocorrências. Figura 9 Juntas com perfil irregular, mordedura, inclusão de Escória e Porosidade. Figura 10 Juntas com Oxidação e inclusão de escória. 14

15 11. Proposta para Melhoria da Qualidade em Juntas Soldadas: Para a melhoria da Qualidade das juntas soldadas são necessárias ações em vários níveis nas empresas, sendo que os principais são: Investimento em treinamento, principalmente nos soldadores e montadores dos conjuntos; Investimento em equipamentos de tecnologia adequados aos processos de soldagem indicados; Utilização de consumíveis com Qualidade e desempenho reconhecido; Padronização e elaboração de roteiros e planos de soldagem; Elaboração de Registros de Qualificação dos Soldadores; Elaboração de Registro de Qualificação do Procedimento de Soldagem; Controlar e exigir Certificado de Qualidade dos consumíveis; e das matérias primas utilizadas (tubos, chapas e perfis); essencial para a montagem de data book completo com todo histórico da obra; Laudos da inspeção visual, de líquidos penetrantes ou qualquer outra inspeção realizada durante a fabricação; Emitir a ART - Anotação de Responsabilidade Técnica da execução da Soldagem; Avaliação por inspeção visual em 100 % das juntas soldadas, e ensaio de líquido penetrante em todas as juntas com penetração total, ou outro critério aceito pelas partes; Orientação dos soldadores, e demais colaboradores envolvidos no processo de soldagem, em relação à regulagem dos equipamentos, técnica de soldagem e melhores praticas a serem empregadas em campo, visando melhor Qualidade e acabamento de todas as juntas soldadas; Emissão dos laudos de acompanhamento de soldagem com o registro dos parâmetros reais de execução de todos os soldadores envolvidos na obra; Emissão dos laudos de aprovação; ou outro ensaio complementar de estanqueidade, visando garantir a Qualidade das juntas mais criticas; Acompanhamento do procedimento de reparo, para os desvios encontrados nos ensaios de inspeção visual ou líquido penetrante; Consumíveis, arames, varetas e eletrodos, utilizados e demais laudos aplicáveis; Controlar a montagem e a preparação das peças para evitar desalinhamento e espaçamentos excessivos, conforme demonstrado nas figuras 11e

16 Figura 11. Detalhe da Estrutura Desalinhada e com espaçamentos. Figuras 12 Espaçamentos Excessivos. 12. Conclusão: As normas ABNT NBR 8800, ISO 9000, AWS - D1. 1, ISO 3834, bem como suas complementares, podem servir como uma poderosa ferramenta para a elaboração das rotinas e validação dos processos e procedimentos de soldagem. Para as empresas do segmento de estruturas metálicas tornarem-se mais competitivas, é fundamental a mudança de atitude, o controle das etapas do processo, investimentos em tecnologia e principalmente em treinamento em todos os níveis das empresas. Espero que esse trabalho agregue novas informações e traga uma nova visão para os aspectos de Qualidade das juntas soldadas em estruturas metálicas e conjuntos soldados. 16

17 13. Bibliografia: 1.SENAI-SP, Soldagem.Org.Selma Ziedas e Ivanisa Tatini.São Paulo, p ( Coleção Tecnologia SENAI) 2. OKUMURA,T.,TANIGUCHI, C Engenharia de Soldagem e Aplicações, Rio de Janeiro: LTC, p 3.BRITO, José de Deus; PARANHOS, Ronaldo Como Determinar os Custos da Soldagem, Campos dos Goytacazes RJ ParkGraf Editora Ltda., 2005, 74p 4.NOVAIS, Paulo Rogerio Santos de Notas de Aula Curso Tecnologia de Soldagem FATEC / SP São Paulo Marques, P.V Tecnologia da Soldagem, Belo Horizonte : Editora O LUTADOR p 17

Curso de Engenharia de Produção. Processos de Fabricação

Curso de Engenharia de Produção. Processos de Fabricação Curso de Engenharia de Produção Processos de Fabricação Soldagem MIG/MAG MIG e MAG indicam processos de soldagem por fusão que utilizam o calor de um arco elétrico formado entre um eletrodo metálico consumível

Leia mais

Trabalho Prático N o :. Técnica Operatória da Soldagem GMAW

Trabalho Prático N o :. Técnica Operatória da Soldagem GMAW Trabalho Prático N o :. Técnica Operatória da Soldagem GMAW 1. Objetivos: Familiarizar-se com o arranjo e a operação do equipamento utilizado na soldagem semi-automática GMAW. Familiarizar-se com os consumíveis

Leia mais

PROCESSOS DE SOLDAGEM

PROCESSOS DE SOLDAGEM PROCESSOS DE SOLDAGEM ARCO ELÉTRICO COM ELETRODO REVESTIDO Prof. Marcio Gomes 1 Soldagem a arco elétrico É um processo de soldagem por fusão em que a fonte de calor é gerada por um arco elétrico formado

Leia mais

Soldabilidade de Metais. Soldagem II

Soldabilidade de Metais. Soldagem II Soldabilidade de Metais Soldagem II Soldagem de Ligas Metálicas A American Welding Society (AWS) define soldabilidade como a capacidade de um material ser soldado nas condições de fabricação impostas por

Leia mais

FÓRUM NOVAS TECNOLOGIAS NA SOLDADURA. 15 de Abril de 2010

FÓRUM NOVAS TECNOLOGIAS NA SOLDADURA. 15 de Abril de 2010 FÓRUM NOVAS TECNOLOGIAS NA SOLDADURA 1 Defeitos de soldaduras em Aços de Construção 1 Fendas José Alexandre 2 Cavidades 3 Inclusões Sólidas 4 Falta de Fusão e Penetração 5 Forma Imperfeita 6 Defeitos Diversos

Leia mais

SOLDAGEM POR ARCO SUBMERSO

SOLDAGEM POR ARCO SUBMERSO SOLDAGEM POR ARCO SUBMERSO Juntas com excelentes propriedades mecânicometalúrgicas Altas taxas de deposição Esquema básico do processo 1 Vantagens do processo Pode-se usar chanfros com menor área de metal

Leia mais

Soldagem de Aço Inox Utilizando Arco Gasoso com Tungstênio (GTAW ou TIG)

Soldagem de Aço Inox Utilizando Arco Gasoso com Tungstênio (GTAW ou TIG) Soldagem de Aço Inox Utilizando Arco Gasoso com Tungstênio (GTAW ou TIG) Este é o processo mais amplamente usado devido a sua versatilidade e alta qualidade bem como a aparência estética do acabamento

Leia mais

1.OBJETIVO. Os principais objetivos da prática de soldagem com eletrodo revestido são:

1.OBJETIVO. Os principais objetivos da prática de soldagem com eletrodo revestido são: 1 Objetivo/Justificativa 2 Introdução 2.1 Soldagem por Arco Submerso 2.1.1 Princípio de Funcionamento 2.2 Soldagem por Arame Tubular 2.2.1 Princípio de Funcionamento 3 Descrição da Prática 3.1 Materiais

Leia mais

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Módulo IV Aula 07 Solda A soldagem é um tema muito extenso. Basicamente a soldagem é a união de materiais, mas existem inúmeros processos totalmente diferentes

Leia mais

- Bibliografia Recomendada

- Bibliografia Recomendada 1 7 a aula - ELETRODOS REVESTIDOS - Bibliografia Recomendada 1) Soldagem Processos e Metalurgia Capítulo 2b 2) Normas da AWS A5.1-81, A5.5-81 e demais normas 3) Catálogo de fabricantes de eletrodos revestidos

Leia mais

Soldagem de manutenção II

Soldagem de manutenção II A UU L AL A Soldagem de manutenção II A recuperação de falhas por soldagem inclui o conhecimento dos materiais a serem recuperados e o conhecimento dos materiais e equipamentos de soldagem, bem como o

Leia mais

1 Qual dos documentos apresentados a seguir não necessita ser mantido sob a responsabilidade do Inspetor de Soldagem?

1 Qual dos documentos apresentados a seguir não necessita ser mantido sob a responsabilidade do Inspetor de Soldagem? 1 Qual dos documentos apresentados a seguir não necessita ser mantido sob a responsabilidade do Inspetor de Soldagem? (a) Controle de Desempenho de Soldadores e Operadores de Soldagem.. (b) Registro da

Leia mais

Trabalho Prático N o :. Técnica Operatória da Soldagem SMAW

Trabalho Prático N o :. Técnica Operatória da Soldagem SMAW Trabalho Prático N o :. Técnica Operatória da Soldagem SMAW 1. Objetivos: Familiarizar-se com o arranjo e a operação do equipamento utilizado na soldagem manual com eletrodos revestidos. Familiarizar-se

Leia mais

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA SOLDAGEM II

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA SOLDAGEM II 1 DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA SOLDAGEM II METALURGIA DA SOLDAGEM 1- Introdução A soldagem é geralmente realizada com a aplicação de calor e/ou deformação plástica. como resultado, alterações das

Leia mais

Avaliação das principais descontinuidades encontradas nas juntas soldadas, causas e possíveis soluções

Avaliação das principais descontinuidades encontradas nas juntas soldadas, causas e possíveis soluções Contribuição técnica nº 9 Avaliação das principais descontinuidades encontradas nas juntas soldadas, causas e possíveis soluções Autor: Paulo Rogerio Santos de Novais novais.welding@gmail.com Resumo: Os

Leia mais

SOLDAGEM DOS METAIS CAPÍTULO 8 SOLDAGEM MIG/MAG

SOLDAGEM DOS METAIS CAPÍTULO 8 SOLDAGEM MIG/MAG 53 CAPÍTULO 8 SOLDAGEM MIG/MAG 54 PROCESSO MIG/MAG (METAL INERT GAS/METAL ACTIVE GAS) MIG é um processo por fusão a arco elétrico que utiliza um arame eletrodo consumível continuamente alimentado à poça

Leia mais

Ensaios não destrutivos Terminologia Parte 1: Descontinuidades em juntas soldadas

Ensaios não destrutivos Terminologia Parte 1: Descontinuidades em juntas soldadas Ensaios não destrutivos Terminologia Parte 1: Descontinuidades em juntas soldadas APRESENTAÇÃO 1) Este 1º Projeto de Norma foi elaborado pela Comissão de Estudo de Terminologia (CE- 58:000.13) do ABNT/ONS-58

Leia mais

COLETÂNEA DE INFORMAÇÕES TÉCNICAS AÇO INOXIDÁVEL SOLDAGEM DE AÇOS INOXIDÁVEIS. Introdução

COLETÂNEA DE INFORMAÇÕES TÉCNICAS AÇO INOXIDÁVEL SOLDAGEM DE AÇOS INOXIDÁVEIS. Introdução COLETÂNEA DE INFORMAÇÕES TÉCNICAS AÇO INOXIDÁVEL SOLDAGEM DE AÇOS INOXIDÁVEIS Introdução Os aços inoxidáveis austeníticos são facilmente soldados com ou sem arame de enchimento. Ë considerável a utilização

Leia mais

Soldagem I. Descontinuidades e Inspeção em Juntas Soldas

Soldagem I. Descontinuidades e Inspeção em Juntas Soldas UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Departamento de Engenharia Metalúrgica e de Materiais Soldagem I Descontinuidades e Inspeção em Juntas Soldas Prof. Paulo J. Modenesi Belo Horizonte, novembro de 2001

Leia mais

Processos de Soldagem Soldagem MIG/MAG

Processos de Soldagem Soldagem MIG/MAG Processos Soldagem MIG/MAG No Processo MIG/MAG (Gas Metal Arc Welding GMAW) é estabelecido um arco elétrico entre um eletrodo consumível nu alimentado continuamente (arame-eletrodo) e o metal de base,

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO PROCESSO MIG BRAZING

BOLETIM TÉCNICO PROCESSO MIG BRAZING O PROCESSO Consiste na união de aços comuns, galvanizados e aluminizados, utilizando um processo de aquecimento à arco elétrico (MIG), adicionando um metal de adição a base de cobre, não ocorrendo a fusão

Leia mais

Apostila de Treinamento MIG/MAG (GMAW)

Apostila de Treinamento MIG/MAG (GMAW) 2015-Jul Apostila de Treinamento MIG/MAG (GMAW) Público alvo: Vendedores e Representantes comerciais 1 Informações iniciais : Ciclo de Trabalho (Fator de trabalho) O Ciclo de Trabalho é a relação entre

Leia mais

ÍNDICE CORROSÃO E MEDIDAS DE PROTEÇÃO... 3. ESPECIFICAÇÃO DE AÇOS, LIGAS ESPECIAIS E FERROS FUNDIDOS (Módulo I)... 4 ACABAMENTO DE SUPERFÍCIE...

ÍNDICE CORROSÃO E MEDIDAS DE PROTEÇÃO... 3. ESPECIFICAÇÃO DE AÇOS, LIGAS ESPECIAIS E FERROS FUNDIDOS (Módulo I)... 4 ACABAMENTO DE SUPERFÍCIE... ÍNDICE CORROSÃO E MEDIDAS DE PROTEÇÃO... 3 ESPECIFICAÇÃO DE AÇOS, LIGAS ESPECIAIS E FERROS FUNDIDOS (Módulo I)... 4 ACABAMENTO DE SUPERFÍCIE... 5 FUNDAMENTOS DOS TRATAMENTOS TÉRMICOS DAS LIGAS FERROSAS

Leia mais

SIMBOLOGIA DA SOLDAGEM

SIMBOLOGIA DA SOLDAGEM SIMBOLOGIA DA SOLDAGEM Ricardo Leli dos Santos (leli@ig.com.br) Aires Gomes Sabino (agsabino@bol.com.br) Cícero Roberto Gonçalves Bezerra (fe3c_w@gmx.net) RESUMO A simbologia de soldagem é a representação

Leia mais

SOLDAGEM DOS METAIS CAPÍTULO 11 TENSÕES E DEFORMAÇÕES EM SOLDAGEM

SOLDAGEM DOS METAIS CAPÍTULO 11 TENSÕES E DEFORMAÇÕES EM SOLDAGEM 82 CAPÍTULO 11 TENSÕES E DEFORMAÇÕES EM SOLDAGEM 83 TENSÕES E DEFORMAÇÕES EM SOLDAGEM Nas operações de soldagem, principalmente as que envolvem a fusão dos materiais, temos uma variação não uniforme e

Leia mais

Processos Construtivos

Processos Construtivos Patrocínio: Coordenação: Parcerias: Processos Construtivos Soldagem Elaborado por: Bruno Stupello As informações e análises contidas nesse documento são de responsabilidade do Centro de Estudos em Gestão

Leia mais

Fundamentos Equipamentos Consumíveis Técnica operatória Aplicações Industriais. Definição e princípio de operação:

Fundamentos Equipamentos Consumíveis Técnica operatória Aplicações Industriais. Definição e princípio de operação: Fundamentos Equipamentos Consumíveis Técnica operatória Aplicações Industriais Fundamentos Definição e princípio de operação: A soldagem a arco com eletrodo de tungstênio e proteção gasosa (Gas Tungsten

Leia mais

GUIA DE SOLUÇÕES PARA SOLDAGEM COM ELETRODOS REVESTIDOS

GUIA DE SOLUÇÕES PARA SOLDAGEM COM ELETRODOS REVESTIDOS 01/14 VENDAS SUDESTE São Paulo Tel. (11) 3094-6600 Fax (11) 3094-6303 e-mail: atendimentogerdau.sp@gerdau.com.br Rio de Janeiro Tel. (21) 3974-7529 Fax (21) 3974-7592 e-mail: atendimentogerdau.rj@gerdau.com.br

Leia mais

ANÁLISE PRÁTICA DE PENETRAÇÃO DE SOLDA EM AÇO 1045

ANÁLISE PRÁTICA DE PENETRAÇÃO DE SOLDA EM AÇO 1045 ANÁLISE PRÁTICA DE PENETRAÇÃO DE SOLDA EM AÇO 1045 Fabiana Camila Simon (FAHOR) fs000792@fahor.com.br Marcelo Ioris (FAHOR) mi001024@fahor.com.br Tiago Perin (FAHOR) tp000722@fahor.com.br Valtair de Jesus

Leia mais

Qualificação de Procedimentos

Qualificação de Procedimentos Qualificação de Procedimentos Os equipamentos em geral são fabricados por meio de uniões de partes metálicas entre si empregando-se soldas. Há, portanto a necessidade de se garantir, nestas uniões soldadas,

Leia mais

INFORMATIVO TÉCNICO BRASAGEM DOS PASSADORES DE COMPRESSORES 1 - INTRODUÇÃO 2 - BRASAGEM OXIACETILÊNICA

INFORMATIVO TÉCNICO BRASAGEM DOS PASSADORES DE COMPRESSORES 1 - INTRODUÇÃO 2 - BRASAGEM OXIACETILÊNICA 1 - INTRODUÇÃO A brasagem de tubos é uma etapa que faz parte do procedimento de instalação de compressores em novos produtos ou do procedimento de troca de compressores quando da manutenção de um sistema

Leia mais

SOLDAGEM AO ARCO ELÉTRICO SOB PROTEÇÃO GASOSA

SOLDAGEM AO ARCO ELÉTRICO SOB PROTEÇÃO GASOSA SOLDAGEM AO ARCO ELÉTRICO SOB PROTEÇÃO GASOSA PROCESSO MIG - MAG Elaboração : Engenheiro Arnaldo Mello Solci White Martins Gases Industriais S/A - Bauru 1 1 - FUNDAMENTOS DO PROCESSO O processo de soldagem

Leia mais

Comparação entre Tratamentos Térmicos e Método Vibracional em Alívio de Tensões após Soldagem

Comparação entre Tratamentos Térmicos e Método Vibracional em Alívio de Tensões após Soldagem Universidade Presbiteriana Mackenzie Comparação entre Tratamentos Térmicos e Método Vibracional em Alívio de Tensões após Soldagem Danila Pedrogan Mendonça Orientador: Profº Giovanni S. Crisi Objetivo

Leia mais

GRSS. Resistance WELDING SOLDAGEM POR RESISTÊNCIA ELÉTRICA

GRSS. Resistance WELDING SOLDAGEM POR RESISTÊNCIA ELÉTRICA SOLDAGEM POR RESISTÊNCIA ELÉTRICA Princípios A soldagem por resistência elétrica representa mais uma modalidade da soldagem por pressão na qual as peças a serem soldadas são ligadas entre si em estado

Leia mais

INSPECTORES DE SOLDADURA SISTEMA AWS / CWI PROGRAMA DO CURSO AWS / CWI

INSPECTORES DE SOLDADURA SISTEMA AWS / CWI PROGRAMA DO CURSO AWS / CWI INSPECTORES DE SOLDADURA SISTEMA AWS / CWI PROGRAMA DO CURSO AWS / CWI Programa de Formação AWS / CWI, Documentos a distribuir aos Formandos, exames AWS conteúdo e respectiva classificação para aprovação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Departamento de Engenharia Metalúrgica e de Materiais. Terminologia Usual de Soldagem e Símbolos de Soldagem

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Departamento de Engenharia Metalúrgica e de Materiais. Terminologia Usual de Soldagem e Símbolos de Soldagem UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Departamento de Engenharia Metalúrgica e de Materiais Terminologia Usual de Soldagem e Símbolos de Soldagem Prof. Paulo J. Modenesi Belo Horizonte, julho de 2008 Terminologia

Leia mais

GUIA DE SOLUÇÕES PARA SOLDAGEM COM ARAMES MIG-MAG

GUIA DE SOLUÇÕES PARA SOLDAGEM COM ARAMES MIG-MAG 01/14 VENDAS SUDESTE São Paulo Tel. (11) 3094-6600 Fax (11) 3094-6303 e-mail: atendimentogerdau.sp@gerdau.com.br Rio de Janeiro Tel. (21) 3974-7529 Fax (21) 3974-7592 e-mail: atendimentogerdau.rj@gerdau.com.br

Leia mais

CURSO DE. Franco Canan

CURSO DE. Franco Canan CURSO DE SOLDAGEM Curso de Soldagem 1. INTRODUÇÃO 1.1) O que é soldagem 1.2) Visão geral do processo MIG/MAG 1.3) Responsabilidades do soldador 1.4) Compromisso com a Empresa (Cliente) 2. EQUIPAMENTOS

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Departamento de Engenharia Metalúrgica e de Materiais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Departamento de Engenharia Metalúrgica e de Materiais UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Departamento de Engenharia Metalúrgica e de Materiais Terminologia Usual de Soldagem e Símbolos de Soldagem Prof. Paulo J. Modenesi Belo Horizonte, julho de 2001 Terminologia

Leia mais

Soldagem a Plasma - PAW

Soldagem a Plasma - PAW Universidade Federal de Minas Gerais. Escola de Engenharia. Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mecânica. Soldagem a Plasma - PAW Disciplina: Processo de Soldagem. Professor: Alexandre Queiroz Bracarense,

Leia mais

CARTILHA DO SOLDADOR Engenharia, Fabricação e Montagem

CARTILHA DO SOLDADOR Engenharia, Fabricação e Montagem CARTILHA DO SOLDADOR Engenharia, Fabricação e Montagem www.uniaoengenharia.ind.br Servi ao SENHOR com alegria e apresentai-vos a Ele com canto. Salmos 100:2 ÍNDICE Boas Práticas de Segurança... 02 Boas

Leia mais

Richard Thomas Lermen (FAHOR) richard@fahor.com.br

Richard Thomas Lermen (FAHOR) richard@fahor.com.br Influência da Velocidade de Soldagem sobre as Geometrias dos Cordões de Solda Realizados Através dos Processos de Soldagem FACW e Soldagem Híbrida (TIG/FACW) Richard Thomas Lermen (FAHOR) richard@fahor.com.br

Leia mais

PROCESSOS DE SOLDAGEM

PROCESSOS DE SOLDAGEM UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO FACULDADE DE TECNOLOGIA CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO MECÂNICA PROCESSOS DE SOLDAGEM PROF. JAQUES JONAS SANTOS SILVA RESENDE, NOVEMBRO DE 2008. ÍNDICE 1. SOLDAGEM...

Leia mais

FUNDAÇÃO BRASILEIRA DE TECNOLOGIA DA SOLDAGEM

FUNDAÇÃO BRASILEIRA DE TECNOLOGIA DA SOLDAGEM FUNDAÇÃO BRASILEIRA DE TECNOLOGIA DA SOLDAGEM NORMA FBTS N-008 Novembro/15 Revisão 0 CRITÉRIOS PARA A QUALIFICAÇÃO E A CERTIFICAÇÃO DE SUPERVISORES E ENCARREGADOS DE SOLDAGEM FUNDAÇÃO BRASILEIRA DE TECNOLOGIA

Leia mais

Terminologia das imperfeições da soldagem

Terminologia das imperfeições da soldagem Terminologia da soldagem: imperfeições dimensionais, de propriedades e descontinuidades www.soldasoft.com.br Terminologia das imperfeições da soldagem Prof. Dr. Almir Quites 12/01/2011 1. Introdução Sorria,

Leia mais

SOLDAGEM DOS METAIS CAPÍTULO 5 TERMINOLOGIA E SIMBOLOGIA DE SOLDAGEM

SOLDAGEM DOS METAIS CAPÍTULO 5 TERMINOLOGIA E SIMBOLOGIA DE SOLDAGEM 28 CAPÍTULO 5 TERMINOLOGIA E SIMBOLOGIA DE SOLDAGEM 29 TERMINOLOGIA DE SOLDAGEM A terminologia de soldagem é bastante extensa e muitas vezes os termos técnicos que utilizamos em uma região geográfica não

Leia mais

Lista de cargos e funções disponíveis no Consórcio Ipojuca

Lista de cargos e funções disponíveis no Consórcio Ipojuca Lista de cargos e funções disponíveis no Consórcio Ipojuca 1. INSPETOR CONTROLE DE QUALIDADE- Atuar com inspeção de processos / final, ensaios de rotina, controle de qualidade e verificação de falhas na

Leia mais

Processo de Soldagem por Arame Tubular

Processo de Soldagem por Arame Tubular Processo de Soldagem por Arame Tubular Engº Roberto Joaquim INTRODUÇÃO Data da década de 30 o início da utilização de proteção gasosa nas operações de soldagem, para resolver problemas da contaminação

Leia mais

MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE IV SOLDAGEM

MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE IV SOLDAGEM MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE IV SOLDAGEM Soldagem A soldagem é o mais importante processo de união de metais utilizado na indústria. Aplicações da soldagem: Estruturas simples Grades Portões Estruturas

Leia mais

Introdução Vantagens e Desvantagens A Quente A Frio Carga Mecânica Matriz Aberta Matriz Fechada Defeitos de Forjamento

Introdução Vantagens e Desvantagens A Quente A Frio Carga Mecânica Matriz Aberta Matriz Fechada Defeitos de Forjamento Prof. Msc. Marcos Dorigão Manfrinato prof.dorigao@gmail.com Introdução Vantagens e Desvantagens A Quente A Frio Carga Mecânica Matriz Aberta Matriz Fechada Defeitos de Forjamento 1 Introdução: O forjamento

Leia mais

MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE VII MONTAGEM ESTRUTURA METÁLICA

MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE VII MONTAGEM ESTRUTURA METÁLICA MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE VII MONTAGEM ESTRUTURA METÁLICA Montagem Estrutura Metálica Em uma obra de estruturas metálicas, a montagem é considerada uma das fases mais importantes por representar uma

Leia mais

CIE - CENTRO DE INICIAÇÃO AO ESPORTE (QUADRAS REVERSÍVEIS) MINISTÉRIO DO ESPORTE

CIE - CENTRO DE INICIAÇÃO AO ESPORTE (QUADRAS REVERSÍVEIS) MINISTÉRIO DO ESPORTE PROJETO EXECUTIVO DE ESTRUTURAS METÁLICAS CIE - CENTRO DE INICIAÇÃO AO ESPORTE (QUADRAS REVERSÍVEIS) MINISTÉRIO DO ESPORTE MEMORIAL DESCRITIVO DE ESTRUTURAS METÁLICAS - CIE - R40-45 - R01 ESTRUTURA METÁLICA

Leia mais

Ensaio de Emissão Acústica Aplicado em Cilindros sem Costura para Armazenamento de Gases

Ensaio de Emissão Acústica Aplicado em Cilindros sem Costura para Armazenamento de Gases Ensaio de Emissão Acústica Aplicado em Cilindros sem Costura para Armazenamento de Gases Pedro Feres Filho São Paulo, Brasil e-mail: pedro@pasa.com.br 1- Resumo Este trabalho teve como objetivo apresentar

Leia mais

Centro de Formação Profissional Aloysio Ribeiro de Almeida SOLDAGEM TIG

Centro de Formação Profissional Aloysio Ribeiro de Almeida SOLDAGEM TIG Centro de Formação Profissional Aloysio Ribeiro de Almeida SOLDAGEM TIG Presidente da FIEMG Robson Braga de Andrade Gestor do SENAI Petrônio Machado Zica Diretor Regional do SENAI e Superintendente de

Leia mais

INTRODUÇÃO. A soldagem a arco com eletrodos fusíveis sobre proteção gasosa, é conhecida pelas denominações de:

INTRODUÇÃO. A soldagem a arco com eletrodos fusíveis sobre proteção gasosa, é conhecida pelas denominações de: MIG-MAG Prof. Luiz Gimenes Jr. Engº José Pinto Ramalho INTRODUÇÃO A soldagem a arco com eletrodos fusíveis sobre proteção gasosa, é conhecida pelas denominações de: MIG, quando a proteção gasosa utilizada

Leia mais

APOSTILA L&A SOLDAGEM

APOSTILA L&A SOLDAGEM APOSTILA L&A SOLDAGEM PROCESSO DE SOLDAGEM TIG APOSTILA L&A SOLDAGEM PROCESSO DE SOLDAGEM TIG SALVADOR 2012 Copyright 2012 por L&A SOLDAGEM. Todos os direitos reservados Área Tecnológica L&A Soldagem Elaboração:

Leia mais

FINALIDADE DESTA ESPECIFICAÇÃO

FINALIDADE DESTA ESPECIFICAÇÃO SESC PANTANAL HOTEL SESC PORTO CERCADO POSTO DE PROTEÇÃO AMBIENTAL SÃO LUIZ BARÃO DE MELGAÇO/MT ESTRUTURAS METÁLICAS PARA COBERTURA DE BARRACÃO DEPÓSITO MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO VI 1. FINALIDADE DESTA

Leia mais

As melhores soluções em corte e solda.

As melhores soluções em corte e solda. As melhores soluções em corte e solda. Desde 1987 no ramo de solda e corte. Certificação ISO 9001/2008 Soluções completas em solda e corte. VENDAS DE EQUIPAMENTOS E CONSUMÍVEIS. MANUTENÇÃO E SERVIÇOS.

Leia mais

UNIVERSIDADE SANTA. Objetivo Metodologia Introdução. Método Experimental Resultados Experimentais Conclusão Grupo de Trabalho

UNIVERSIDADE SANTA. Objetivo Metodologia Introdução. Método Experimental Resultados Experimentais Conclusão Grupo de Trabalho UNIVERSIDADE SANTA CECÍLIA ENGENHARIA MECÂNICA INDUSTRIAL Análise dos Parâmetros que Influenciaram a Falha dos Parafusos Calibrados Aço1045 A do Acoplamento de Engrenagem da Mesa Giratória ria do Laminador

Leia mais

PROGRAMA DE MANUTENÇÃO INDUSTRIAL POR SOLDAGEM

PROGRAMA DE MANUTENÇÃO INDUSTRIAL POR SOLDAGEM PROGRAMA DE MANUTENÇÃO INDUSTRIAL POR SOLDAGEM Know-How no Segmento Industrial de Fundição A Eutectic Castolin acumulou vasto conhecimento nos principais setores industriais do Brasil e possui um programa

Leia mais

SOLDAGEM. Figura 1 Lado da solda de uma PCI.

SOLDAGEM. Figura 1 Lado da solda de uma PCI. INSTITUTO FEDERAL SANTA CATARINA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA CURSO DE ENGENHARIA DE TELECOMUNICAÇÕES

Leia mais

1) OS AÇOS INOXIDÁVEIS.

1) OS AÇOS INOXIDÁVEIS. 1) OS AÇOS INOXIDÁVEIS. Os aços inoxidáveis são aços de alta liga, geralmente contendo cromo, níquel, molibdênio em sua composição química. Estes elementos de liga, em particular o cromo, conferem uma

Leia mais

COMPANHIA DE ENGENHARIA DE TRÁFEGO Certificação de Competências

COMPANHIA DE ENGENHARIA DE TRÁFEGO Certificação de Competências COMPANHIA DE ENGENHARIA DE TRÁFEGO Certificação de Competências CARGO AGENTE DE MANUTENÇÃO DE VEÍCULOS Área de Concentração: Funilaria de Autos 1. Os processos de soldagem podem ser classificados em três

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO SOLDAGEM DE COBRE E SUAS LIGAS

BOLETIM TÉCNICO SOLDAGEM DE COBRE E SUAS LIGAS INTRODUÇÃO A união de cobre e suas ligas podem ser efetuadas por processos de soldagem e brasagem O processo de brasagem é adequado para componentes de dimensões relativamente pequenas, devido a grande

Leia mais

Curso de Engenharia de Produção. Processos de Fabricação

Curso de Engenharia de Produção. Processos de Fabricação Curso de Engenharia de Produção Processos de Fabricação Forjamento: O forjamento, um processo de conformação mecânica em que o material é deformado por martelamentoou prensagem, é empregado para a fabricação

Leia mais

SOLDAGEM DOS METAIS CAPÍTULO 9 SOLDAGEM COM ELETRODO REVESTIDO

SOLDAGEM DOS METAIS CAPÍTULO 9 SOLDAGEM COM ELETRODO REVESTIDO 62 CAPÍTULO 9 SOLDAGEM COM ELETRODO REVESTIDO 63 SOLDAGEM A ARCO ELÉTRICO COM ELETRODO REVESTIDO É um processo de soldagem por fusão a arco elétrico que utiliza um eletrodo consumível, no qual o calor

Leia mais

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Departamento Regional de São Paulo

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Departamento Regional de São Paulo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Departamento Regional de São Paulo Formação Inicial e Continuada (Decreto Federal nº 5154/04 e Lei Federal nº 11741/08) PLANO DE CURSO Área Tecnológica: Metalurgia

Leia mais

Ensaio de fadiga. Em condições normais de uso, os produtos. Nossa aula. Quando começa a fadiga

Ensaio de fadiga. Em condições normais de uso, os produtos. Nossa aula. Quando começa a fadiga A U A UL LA Ensaio de fadiga Introdução Nossa aula Em condições normais de uso, os produtos devem sofrer esforços abaixo do limite de proporcionalidade, ou limite elástico, que corresponde à tensão máxima

Leia mais

MÁSCARA DE SOLDA CR-02

MÁSCARA DE SOLDA CR-02 *Imagens meramente ilustrativas MÁSCARA DE SOLDA CR-02 Manual de Instruções www.v8brasil.com.br 1. DADOS TÉCNICOS MÁSCARA DE SOLDA SR-02 Modelo: Área de visão: Dimensões do filtro: V8-MS-CR2 92 x 42 mm

Leia mais

APOSTILA L&A SOLDAGEM

APOSTILA L&A SOLDAGEM APOSTILA L&A SOLDAGEM PROCESSO DE SOLDAGEM MIG/MAG E ARAME TUBULAR APOSTILA L&A SOLDAGEM PROCESSO DE SOLDAGEM MIG/MAG E ARAME TUBULAR SALVADOR 2012 Copyright 2012 por L&A SOLDAGEM. Todos os direitos reservados

Leia mais

Fundição em Moldes Metálicos Permanentes por Gravidade.

Fundição em Moldes Metálicos Permanentes por Gravidade. Aula 10: Processos de Fundição em Moldes Metálicos por Gravidade (Coquilhas) 01: Introdução - Características do processo - Etapas envolvidas. - Fatores econômicos e tecnológicos - Ligas emprwegadas 02:

Leia mais

Suportes de Tubulações

Suportes de Tubulações Suportes de Tubulações Classificação dos Suportes Destinados a sustentar os pesos Fixos Semimóveis Móveis (Suportes de mola e suportes de contrapeso) Destinados a limitar os movimentos dos tubos Dispositivo

Leia mais

Processo de fabricação de cabos de alumínio com ênfase em trefilação

Processo de fabricação de cabos de alumínio com ênfase em trefilação Processo de fabricação de cabos de alumínio com ênfase em trefilação É fazendo que se aprende a fazer aquilo que se deve aprender a fazer. Aristóteles 24/Novembro/2014 1 Produtos e Aplicações Cabos de

Leia mais

Olhal soldável VLBS Elevação e amarração de cargas Cumpre as diretrizes de maquinaria 2006/42/EG C F T D E T I Articulação 180 G B A H Descrição Carga de trab. (t) Dimensões (mm) Solda Peso O VLBS forjado

Leia mais

OTIMIZAÇÃO DE PARÂMETROS DE SOLDA POR DEPOSIÇÃO SUPERFICIALPOR FRICÇÃO EM LIGA DE ALUMÍNIO AL 7075

OTIMIZAÇÃO DE PARÂMETROS DE SOLDA POR DEPOSIÇÃO SUPERFICIALPOR FRICÇÃO EM LIGA DE ALUMÍNIO AL 7075 OTIMIZAÇÃO DE PARÂMETROS DE SOLDA POR DEPOSIÇÃO SUPERFICIALPOR FRICÇÃO EM LIGA DE ALUMÍNIO AL 7075 Autores: Gabriel Alvisio Wolfart; Ghisana Fedrigo;.Mario Wolfart Junior Apresentador por trabalho: Gabriel

Leia mais

27 Sistemas de vedação II

27 Sistemas de vedação II A U A UL LA Sistemas de vedação II Ao examinar uma válvula de retenção, um mecânico de manutenção percebeu que ela apresentava vazamento. Qual a causa desse vazamento? Ao verificar um selo mecânico de

Leia mais

Figura n-º 1: arco elétrico utilizando o argônio como gás de ionização.

Figura n-º 1: arco elétrico utilizando o argônio como gás de ionização. 1 1 - FUNDAMENTOS DO PROCESSO O processo de soldagem a arco sob proteção gasosa consiste em um aquecimento localizado da região a se unir, até que esta atinja o ponto de fusão, formando - se então a poça

Leia mais

ANCORAS METALICAS. Projetos / Aplicações / Importância / Análise de danos

ANCORAS METALICAS. Projetos / Aplicações / Importância / Análise de danos ANCORAS METALICAS Projetos / Aplicações / Importância / Análise de danos Conceito Âncoras / Clipes / Chumbadores Grapas Rabo de andorinha / Grampo Conceito Âncoras / Clipes / Chumbadores Grapas Rabo de

Leia mais

SOLDAGEM DOS METAIS CAPÍTULO 10 DEFEITOS EM OPERAÇÕES DE SOLDAGEM

SOLDAGEM DOS METAIS CAPÍTULO 10 DEFEITOS EM OPERAÇÕES DE SOLDAGEM 70 CAPÍTULO 10 DEFEITOS EM OPERAÇÕES DE SOLDAGEM 71 DESCONTINUIDADES MAIS FREQÜENTES NAS OPERAÇÕES DE SOLDAGEM Podemos definir descontinuidade como sendo uma interrupção das estruturas típicas de uma junta

Leia mais

PROGRAMA DE MANUTENÇÃO INDUSTRIAL POR SOLDAGEM

PROGRAMA DE MANUTENÇÃO INDUSTRIAL POR SOLDAGEM PROGRAMA DE MANUTENÇÃO INDUSTRIAL POR SOLDAGEM Know-How no Segmento Industrial de Forjaria A Eutectic Castolin acumulou vasto conhecimento nos principais setores industriais do Brasil e possui um programa

Leia mais

Trefilação O processo de trefilação é a deformação mecânica de um metal através da passagem do material por uma matriz de formato cônico, diminuindo

Trefilação O processo de trefilação é a deformação mecânica de um metal através da passagem do material por uma matriz de formato cônico, diminuindo Trefilação O processo de trefilação é a deformação mecânica de um metal através da passagem do material por uma matriz de formato cônico, diminuindo a seção do material, sem perda nem adição do metal.

Leia mais

Manual Técnico. Transformadores de potência. Revisão 5 ÍNDICE

Manual Técnico. Transformadores de potência. Revisão 5 ÍNDICE Página 1 de 10 Manual Técnico Transformadores de potência Revisão 5 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO...2 2 RECEBIMENTO...2 3 INSTALAÇÃO...3 3.1 Local de instalação...3 3.2 Ligações...3 3.3 Proteções...7 4 MANUTENÇÃO...9

Leia mais

Acompanhamento de Soldagem. 1ª Etapa - Inspeção Prévia (Duração: 60 minutos)

Acompanhamento de Soldagem. 1ª Etapa - Inspeção Prévia (Duração: 60 minutos) Preparação para as Aulas Práticas A6 Acompanhamento Acompanhamento Introdução Na prova prática de acompanhamento de soldagem, o aluno deve executar a inspeção antes, durante e após a execução da soldagem

Leia mais

MANUAL PASSO A PASSO DE APLICAÇÃO: GS-SUPER

MANUAL PASSO A PASSO DE APLICAÇÃO: GS-SUPER MANUAL PASSO A PASSO DE APLICAÇÃO: GS-SUPER 1. INTRODUÇÃO Este Manual de Aplicação do GS-Super demonstra passo a passo o procedimento correto para aplicação do material bem como os cuidados necessários

Leia mais

Apostila de Soldagem MIG/MAG

Apostila de Soldagem MIG/MAG Apostila de Soldagem MIG/MAG MODOS DE TRANSFERÊNCIA DE METAL... 4 EQUIPAMENTOS Soldagem manual... 7 SUPRIMENTO DE ENERGIA... 10 GASES DE PROTEÇÃO... 14 ARAMES... 23 SEGURANÇA... 29 TÉCNICAS E PARÂMETROS

Leia mais

PMR-2202 Introdução a Manufatura Mecânica

PMR-2202 Introdução a Manufatura Mecânica PMR-2202 Introdução a Manufatura Mecânica Processos de Junção e Corte Prof. Dr. Gilberto F. M. de Souza Agosto de 2004 1. Introdução Processos de junção são empregados para unir dois ou mais componentes,

Leia mais

A SOLDAGEM GMAW (OU MIG-MAG)

A SOLDAGEM GMAW (OU MIG-MAG) A SOLDAGEM GMAW (OU MIG-MAG) A suposta facilidade operacional da soldagem pelo processo GMAW (MIG-MAG) pode sugerir que este seja um processo que requeira poucos cuidados, mas quando se começa a entender

Leia mais

Processos de fabricação

Processos de fabricação Processos de fabricação SOLDAGEM 1 Soldagem: introdução A soldagem está intimamente ligada às mais importantes atividades industriais que existem no mundo moderno: construção naval, ferroviária, aeronáutica

Leia mais

PROCESSOS DE SOLDAGEM

PROCESSOS DE SOLDAGEM PROCESSOS DE SOLDAGEM PROCESSOS DE SOLDAGEM SOLDA POR FUSÃO Combinação Gás/Metal Oxi-acetilenico Oxi-hidrogenio Oxigênio com gás metano, propano, natural Ar-acetileno PROCESSOS DE SOLDAGEM SOLDA POR FUSÃO

Leia mais

REVESTIMENTOS AUTOMATIZADOS EM CAMISAS DE MOENDA

REVESTIMENTOS AUTOMATIZADOS EM CAMISAS DE MOENDA REVESTIMENTOS AUTOMATIZADOS EM CAMISAS DE MOENDA Tcg Alexandre Serra dos Santos Para se fazer o trabalho de revestimento protetor das camisas de moenda através de um sistema automatizado é necessário uma

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DOS MATERIAIS SETOR DE MATERIAIS

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DOS MATERIAIS SETOR DE MATERIAIS UFBA-ESCOLA POLITÉCNICA-DCTM DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DOS MATERIAIS SETOR DE MATERIAIS ROTEIRO DE AULAS CONCRETO FRESCO Unidade III Prof. Adailton de O. Gomes CONCRETO FRESCO Conhecer o comportamento

Leia mais

GTAW Soldagem TIG 17/04/2013 2

GTAW Soldagem TIG 17/04/2013 2 2012 17/04/2013 1 GTAW Soldagem TIG 17/04/2013 2 17/04/2013 3 A Soldagem TIG (GTAW) O processo de soldagem Gas Tungsten Arc Welding - GTAW, ou soldagem TIG - Tungsten Inert Gas, como é mais conhecido atualmente,

Leia mais

REVESTIMENTOS DUROS RESISTENTES AO DESGASTES DEPOSITADOS POR SOLDAGEM

REVESTIMENTOS DUROS RESISTENTES AO DESGASTES DEPOSITADOS POR SOLDAGEM REVESTIMENTOS DUROS RESISTENTES AO DESGASTES DEPOSITADOS POR SOLDAGEM Para maior facilidade de análise e prevenção, procura-se geralmente identificar o(s) mecanismo(s) predominante(s) de remoção de material.

Leia mais

CURSO DE MESTRADO EM Construções Metálicas

CURSO DE MESTRADO EM Construções Metálicas CURSO DE MESTRADO EM Construções Metálicas DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL - ESCOLA DE MINAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Disciplina: Tecnologia e Metalurgia de Soldagem Carga Horária: 0 Código:

Leia mais

PROCESSOS DE FABRICAÇÃO PROCESSOS DE CONFORMAÇÃO MECÂNICA

PROCESSOS DE FABRICAÇÃO PROCESSOS DE CONFORMAÇÃO MECÂNICA PROCESSOS DE FABRICAÇÃO PROCESSOS DE CONFORMAÇÃO MECÂNICA 1 Forjamento Ferreiro - Uma das profissões mais antigas do mundo. Hoje em dia, o martelo e a bigorna foram substituídos por máquinas e matrizes

Leia mais

Conceitos Iniciais. Forjamento a quente Forjamento a frio

Conceitos Iniciais. Forjamento a quente Forjamento a frio Forjamento Conceitos Iniciais Forjamento é o processo de conformação através do qual se obtém a forma desejada da peça por martelamento ou aplicação gradativa de uma pressão. Forjamento a quente Forjamento

Leia mais

MANUAL ESPECIAL 1. FINALIDADE

MANUAL ESPECIAL 1. FINALIDADE MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-313.0041 CRUZETAS DE AÇO TUBULAR 1/14

Leia mais

Luciano Lima Gerente de Equipamentos

Luciano Lima Gerente de Equipamentos Luciano Lima Gerente de Equipamentos Redução de custo Produtividade Fácil operação Tecnologia ONDE ESTÃO OS CUSTOS E DEFICIÊNCIAS DE PRODUTIVIDADE? Tempo de preparação da junta Tempo para preparação do

Leia mais

Processo de Soldadura MIG/MAG 131/135 GMAW

Processo de Soldadura MIG/MAG 131/135 GMAW Direcção de Formação Processos de Soldadura Processo de Soldadura MIG/MAG 131/135 GMAW Italo Fernandes EWE / IWE Módulo 1.8 Temas a Tratar - Processos de Soldadura Fio Sólido com Protecção Gasosa Inerte

Leia mais

PROGRAMA DE MANUTENÇÃO INDUSTRIAL POR SOLDAGEM

PROGRAMA DE MANUTENÇÃO INDUSTRIAL POR SOLDAGEM PROGRAMA DE MANUTENÇÃO INDUSTRIAL POR SOLDAGEM Know-How no Segmento Industrial de Cimento A Eutectic Castolin acumulou vasto conhecimento dos principais setores industrias do Brasil e possui um programa

Leia mais