Questões actuais na prática clínica: Qual a importância e risco da terapêutica anti-dislipidémica no doente idoso?

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Questões actuais na prática clínica: Qual a importância e risco da terapêutica anti-dislipidémica no doente idoso?"

Transcrição

1 Questões actuais na prática clínica: Qual a importância e risco da terapêutica anti-dislipidémica no doente idoso? Ana Teresa Timóteo Serviço Cardiologia, Hospital de Santa Marta, CHLC, EPE Tróia, 26 Março 2011

2

3

4 CHD Events (%) R² = p < A década das estatinas Para LDL: Lower is Better 66 LIPID CARE HPS TNT PROVE IT TIMI 22 IMPROVE IT 4S LDL Cholesterol (mg/dl) Adaptado de O Keefe, J. et al., J Am Coll Cardiol 2004;43:

5

6 Modificação Mediana em Percentagem Volume Ateroma (%) 1.8! 1.2! 0.6! 0! Relação entre C-LDL e Progressão (IVUS)! REVERSAL atorvastatina A-Plus placebo CAMELOT placebo ACTIVATE placebo REVERSAL pravastatina -0.6! r 2 = 0.95 ASTEROID p<0.001 rosuvastatina! -1.2! 50! 60! 70! 80! 90! 100! 110! 120! C-LDL Médio (mg/dl) Niessen et al. JAMA. 2006; 295: 1583

7 WOSCOPS longo prazo Ford NEJM 2007; 357: 1477

8 PROVE IT EM ou AI IDEAL EM Eventos cardíacos (%) % RRR P=0.005 Atorvastatina 80 mg Pravastatina 40 mg Simvastatina mg 18% RRR P= meses 5 anos Pederson JAMA 2005: 294: 2437

9 Terapêutica anti-dislipidémica no idoso Alto risco Baixo risco EHJ 2007; 28:

10 Abordagem da dislipidémia EHJ 2007; 28:

11 Balanço do Colesterol Synthesized Cholesterol (900 mg/day) Fecal Sterols (1200 mg/day) Adaptado de Dietschy JM. Am J Clin Nutr. 1997;65(suppl):1582S.

12

13

14 Statins, High-Density Lipoprotein Cholesterol, and Regression of Coronary Atherosclerosis: Study Design Nicholls SJ, et al. JAMA Feb; 297(5):

15 Kaplan-Meier Estimates by TG Quintiles between 30 d and 2 yr follow-up Kaplan-Meier Event Rate (%) P for overall trend < P< ; Quintiles 4-5 versus Triglyceride Quintiles 18.9 N Mean 67.1 (11.6) 96.3 (7.3) (8.6) (15.5) (118.5) Range TG Quintiles Miller M AHA 2006

16 Kaplan-Meier Estimates between 30 d and 2 yr follow-up Event Rate (%) HR 1.34 (1.13, 1.58) P=0.001 TG > 150 TG < Days after Month 1 Visit Cannon NEJM 2004; 350: 1495

17 Concentrações de PCR e risco de eventos cardiovasculares: 2010 Comparação com outros factores risco Risk Ratio (95%IC) hspcr PA sistólica Colesterol total Colesterol não HDL 1.37 ( ) 1.35 ( ) 1.16 ( ) 1.28 ( ) Risk Ratio (95%IC) por 1-SD dos valores normais altos Ajustado para idade, sexo, tabagismo, diabetes, IMC, PA, triglicéridos, etanol, níveis lipidos e hspcr Emerging Risk Factor Collaborators, Lancet Jan 2010

18 Doença Arterial Coronária Risk ratio (95% IC) AVC isquémico Todas as mortes vasculares Concentração de hspcr (mg/l) Ajustado para idade e sexo Ajustado para todos factores Emerging Risk Factor Collaborators, Lancet Jan 2010

19 < 1 mg/l 1 to 3 mg/l > 3 mg/l PHS 1997 WHS 2000 UK 2000 MONICA 2004 ARIC 2004 Iceland NHS 2004 HPFUS 2004 EPIC-N 2005 Strong 2005 Kuopio 2005 FHS CHS 2005 PIMA 2005 Risco Relativo ajustado hspcr fornece informação prognóstica para além dos tradicionais factores de risco em todas as Coortes estudadas Ridker P. JACC 2007; 49: Terapêutica anti-dislipidémica no idoso

20 Porquê considerar Estatinas nos doentes com LDL baixo e hspcr alta? AFCAPS/TexCAPS Subgrupos com LDL baixo LDL baixo, hspcr Baixa LDL baixo, hspcr Alta 0.5 Estatina eficaz RR Estatina Ineficaz While intriguing and of potential public health importance, the observation in AFCAPS/TexCAPS that statin therapy might be effective among those with elevated hscrp but low cholesterol was made on a post hoc basis. Thus, a large-scale randomized trial of statin therapy was needed to directly test this hypotheses. Ridker et al New Engl J Med 2001;344:

21 Endpoint primário: HR 0.56 (95% CI ), p< JUPITER (prevenção primária e LDL baixo): Public Health Implications: Primary Endpoint at Intermediate Risk FRS (%) Rosuvastatina Placebo HR 95% IC 5 10% (N=6091) 10 20% (N=7340) 32 (0.50) 59 (0.92) 0.55 ( ) 74 (0.95) 145 (1.84) 0.51 ( ) None of these patients are currently recommended to receive statin therapy because they have Framingham 10-year risk <20% AND LDL-C levels below the treatment target (ie < 130 mg/dl). All have hscrp > 2 mg/l. Ridker, NEJM 2008; 359: 2195

22 Triple Goal: Hazard of death, MI and recurrent ACS with number of goals achieved based on LDL-C (< 70 mg/dl), CRP (< 2 mg/l) & TG (< 150 mg/dl) Hazard of death, MI or Recurrent ACS after 30 days P=0.008 P< P< Number of Goals Achieved Miller M AHA 2006

23 Terapêutica anti-dislipidémica no idoso Níveis de C-LDL em doentes hospitalizados com DC: Sachdeva et al, Am Heart J 2009;157:111-7.e2.

24 Cardiovascular Health Study Manolio et al, Ann Epidemiol 2004; 14:

25 Perdigão et al

26 P<0,001 Schatz et al, Lancet 2001; 358:

27 Weverling-Rijnsburger et al, Lancet 1997; 350:

28 Ko et al, JAMA 2004; 291:

29 The 3-city Study Straczek et al, Atherosclerosis 2011; 214:

30 * * * * * * * * * * * * * Clarke et al, Arch Intern Med 2007; 167:

31 Clarke et al, Arch Intern Med 2007; 167:

32 Anum et al, Ann Epidemiol 2004; 14:

33 Anum et al, Ann Epidemiol 2004; 14:

34 Objectivo combinado 15% Enfarte miocárdio 19% AVC Shepard et al, Lancet 2002; 360:

35 p=0,25 p=0,24 Shepard et al, Lancet 2002; 360:

36 p=0,27 p=0,0019 HDL < 45 mg/dl ou LDL/HDL > 3,3 HDL baixo HR 0,67 (IC 95% 0,55 0,81), p<0,001 HDL alto HR 1,06 (IC 95% 0,88 1,27), p=0,53 - placebo - pravastatina Packard et al, Circulation 2005; 112:

37 MRC/BHF Heart Protection Study, Lancet 2002; 360: 7-22

38 Study Assessing Goals in the Elderly (SAGE) Deedwania et al, Circulation 2007; 115: 700-7

39 HR 0,71 HR 0,33 Deedwania et al, Circulation 2007; 115: 700-7

40 CORONA trial, NEJM 2007; 357:

41 CTT. Lancet. 2005; 366: 1267

42 Idade 75 anos: RR 0,82 (IC 95% 0,70 0,96), p=0,002 CTT Lancet 2008; 371:

43 CTT. Lancet 2010; 376:

44 CTT. Lancet 2010; 376:

45 Sattar et al, 2007; Circulation 115:

46

47 Alsheikh-Ali, A. A. et al. J Am Coll Cardiol 2007;50:

48 p<0,001 p=0,001 OR 0,64; IC 95% 0,53 0,76, p<0,001 p<0,001 p=0,018 Jafri et al, JACC 2010; 55:

49 Shepard et al, Lancet 2002; 360:

50

51 MRC/BHF Heart Protection Study, Lancet 2002; 360: 7-22

52 CORONA trial, NEJM 2007; 357:

53 CTT. Lancet 2010; 376:

54 CTT. Lancet 2005; 366:

55 CORONA trial, NEJM 2007; 357:

56 Mialgias 3,1% 2,7% 0,70 Rabdomiólise 0 0 Deedwania et al, Circulation 2007; 115: 700-7

57 NEJM 2008; 359:

58 NEJM 2008; 359:

59 J Neurol 2010; 257: 85-90

60 Conclusões: Evidências fortes na população geral dos benefícios do tratamento anti-dislipidémico (todas as fracções) na prevenção secundária e primária. As recomendações existentes não diferenciam os idosos dos restantes grupos etários. A evidência nos idosos é menos estudada. Por isso é necessário algum senso clínico. Nos idosos existe tendência para redução dos níveis lipídicos. Evidência contraditória relativamente aos efeitos dos níveis lipídicos nos eventos coronários. Verifica-se um paradoxo Tratamento-Risco.

61 Conclusões: Na prevenção secundária, o colesterol-hdl é melhor preditor de eventos cardiovasculares. Na prevenção primária, todas as fracções são úteis. Maiores benefícios no sexo masculino e na prevenção secundária. As estatinas não têm efeito significativo nos eventos cerebro-vasculares. Terapêutica hipolipemiante é segura nos idosos.

62

63 Obrigada pela atenção

Estatinas: uso racional na cardiopatia isquêmica

Estatinas: uso racional na cardiopatia isquêmica 10 ISSN 1810-0791 Vol. 1, Nº10 Brasília, Setembro de 2004 Estatinas: uso racional na cardiopatia isquêmica Lenita Wannmacher* e Andry Fiterman Costa Resumo Dislipidemias (alterações nos lipídeos séricos)

Leia mais

ESTRATIFICAÇÃO DE RISCO

ESTRATIFICAÇÃO DE RISCO ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE REDES DE ATENÇÃO A SAÚDE DIRETORIA DE REDES ASSISTÊNCIAIS COORDENADORIA DA REDE DE HIPERTENSÃO E DIABETES ESTRATIFICAÇÃO DE RISCO

Leia mais

Atualização de Angina Instável e IAM sem supra ST AHA/ACC Guideline - 2014

Atualização de Angina Instável e IAM sem supra ST AHA/ACC Guideline - 2014 Atualização de Angina Instável e IAM sem supra ST AHA/ACC Guideline - 2014 Dr Henrique Lane Staniak Doutor em ciencias médicas FMUSP Cardiologista do HMPB e do HU-USP Epidemiologia SCA 5 a 7 milhões de

Leia mais

DISLIPIDEMIA. E 78.- Distúrbios do metabolismo de lipoproteínas e outras lipidemias

DISLIPIDEMIA. E 78.- Distúrbios do metabolismo de lipoproteínas e outras lipidemias DISLIPIDEMIA INTRODUÇÃO É definida como modificações nos níveis circulantes dos lipídeos em relação a valores referenciais para uma determinada amostra populacional, considerando-se uma elevação do CT,

Leia mais

SEMINÁRIO BRASILEIRO DE PREVENÇÃO QUATERNÁRIA EM APS

SEMINÁRIO BRASILEIRO DE PREVENÇÃO QUATERNÁRIA EM APS SEMINÁRIO BRASILEIRO DE PREVENÇÃO QUATERNÁRIA EM APS DISLIPIDEMIA E PREVENÇÃO QUATERNÁRIA João Carlos Schneider, MFC Unidade de Saúde Estrela SMS Curitiba jschneider@gmail.com V DIRETRIZ DE DISLIPIDEMIA

Leia mais

SABADOR. Apresentadora: Renée Sarmento de Oliveira Membro da equipe de Cardiologia/Coronária HBD. Professora de Clínica Médica da UNIRIO

SABADOR. Apresentadora: Renée Sarmento de Oliveira Membro da equipe de Cardiologia/Coronária HBD. Professora de Clínica Médica da UNIRIO SABADOR Prevenção Primária: em quem devemos usar estatina e aspirina em 2015? Apresentadora: Renée Sarmento de Oliveira Membro da equipe de Cardiologia/Coronária HBD Professora de Clínica Médica da UNIRIO

Leia mais

Doença aterosclerótica

Doença aterosclerótica 2010 Doença aterosclerótica Alvos terapêuticos João Morais Placa de ateroma o centro das atenções na doença aterosclerótica Aterosclerose doença difusa com manifestações focais Coronária direita Carótida

Leia mais

Dislipidemia: Novas Metas Terapêuticas e Tratamento em Grupos Especiais

Dislipidemia: Novas Metas Terapêuticas e Tratamento em Grupos Especiais Dislipidemia: Novas Metas Terapêuticas e Tratamento em Grupos Especiais R4 Endo: Larissa Pakuszevski Savi Orientador: Dr. Vicente F. C. Andrade Convidado Especial: Dr. Miguel Ibraim A. Hanna Sobrinho 25

Leia mais

Sessão Televoter Diabetes

Sessão Televoter Diabetes 2013 Norte 24 de Outubro Quinta-feira Sessão Televoter Diabetes António Pedro Machado Simões Pereira Critérios para o diagnóstico de Diabetes A1C 6.5% Gl jj 126 mg/dl ou ou PTGO - Glicémia à 2ª hora 200

Leia mais

Colesterol 3. Que tipos de colesterol existem? 3. Que factores afectam os níveis de colesterol? 4. Quando está o colesterol demasiado elevado?

Colesterol 3. Que tipos de colesterol existem? 3. Que factores afectam os níveis de colesterol? 4. Quando está o colesterol demasiado elevado? Colesterol Colesterol 3 Que tipos de colesterol existem? 3 Que factores afectam os níveis de colesterol? 4 Quando está o colesterol demasiado elevado? 4 Como reduzir o colesterol e o risco de doença cardiovascular?

Leia mais

Pré diabetes. Diagnóstico e Tratamento

Pré diabetes. Diagnóstico e Tratamento Pré diabetes Diagnóstico e Tratamento Zulmira Jorge Assistente Hospitalar Endocrinologia do Hospital Santa Maria Endocrinologista do NEDO e do Hospital Cuf Infante Santo Diabetes Mellitus Diagnóstico PTGO

Leia mais

Uso Racional de Estatinas na Prevenção de Cardiopatia Isquêmica

Uso Racional de Estatinas na Prevenção de Cardiopatia Isquêmica P á g i n a 1 Uso Racional de Estatinas na Prevenção de Cardiopatia Isquêmica Nº 07 Lenita Wannmacher* e Andry Fiterman Costa** INTRODUÇÃO Cardiopatia isquêmica é doença crônica de origem multifatorial,

Leia mais

Anexo III Resumo das características do medicamento, rotulagem e folheto informativo

Anexo III Resumo das características do medicamento, rotulagem e folheto informativo Anexo III Resumo das características do medicamento, rotulagem e folheto informativo Nota: Estas alterações ao Resumo das Características do Medicamento e ao Folheto Informativo são válidas no momento

Leia mais

Controvérsias nas dislipidemias

Controvérsias nas dislipidemias Controvérsias nas dislipidemias Doses altas de estatinas versus associações de fármacos Marcelo Chiara Bertolami Diretor de Divisão Científica Adriana Bertolami Médica da Seção Médica de Dislipidemias

Leia mais

AGENTE DE FÉ E DO CORAÇÃO PASTORAL NACIONAL DA SAÚDE 04 de outubro de 2013. Dislipidemias

AGENTE DE FÉ E DO CORAÇÃO PASTORAL NACIONAL DA SAÚDE 04 de outubro de 2013. Dislipidemias AGENTE DE FÉ E DO CORAÇÃO PASTORAL NACIONAL DA SAÚDE 04 de outubro de 2013 Dislipidemias Raul D. Santos Unidade Clínica de Lípides InCor-HCFMUSP Faculdade de Medicina da USP Metabolismo do colesterol,

Leia mais

A cidos Graxos Ômegas e Doenc as Cardiovasculares. Prof. Dr. Raul D. Santos Unidade Clínica de Lípides InCor-HCFMUSP Faculdade de Medicina da USP

A cidos Graxos Ômegas e Doenc as Cardiovasculares. Prof. Dr. Raul D. Santos Unidade Clínica de Lípides InCor-HCFMUSP Faculdade de Medicina da USP A cidos Graxos Ômegas e Doenc as Cardiovasculares Prof. Dr. Raul D. Santos Unidade Clínica de Lípides InCor-HCFMUSP Faculdade de Medicina da USP Declaração Ministro palestras mediante pagamentos de honorários

Leia mais

Novas diretrizes para pacientes ambulatoriais HAS e Dislipidemia

Novas diretrizes para pacientes ambulatoriais HAS e Dislipidemia Novas diretrizes para pacientes ambulatoriais HAS e Dislipidemia Dra. Carla Romagnolli JNC 8 Revisão das evidências Ensaios clínicos randomizados controlados; Pacientes hipertensos com > 18 anos de idade;

Leia mais

A importância da qualidade de vida Prevenção da doença cardiovascular em mulheres. Professor Dr. Roberto Kalil Filho

A importância da qualidade de vida Prevenção da doença cardiovascular em mulheres. Professor Dr. Roberto Kalil Filho A importância da qualidade de vida Prevenção da doença cardiovascular em mulheres Professor Dr. Roberto Kalil Filho Professor Titular da Disciplina de Cardiologia FMUSP Diretor do Centro de Cardiologia

Leia mais

Sumário. Data: 19/11/2013 NTRR 224/2013. Medicamento X Material Procedimento Cobertura

Sumário. Data: 19/11/2013 NTRR 224/2013. Medicamento X Material Procedimento Cobertura NTRR 224/2013 Solicitante: Dr. João Batista Simeão da Silva Comarca de Bom Despacho Minas Gerais Data: 19/11/2013 Medicamento X Material Procedimento Cobertura Número do processo: 0035442-11.2013.8.13.0074

Leia mais

Os resultados desanimadores do EUROASPIRE III - o que estamos a fazer mal na prevenção cardiovascular?

Os resultados desanimadores do EUROASPIRE III - o que estamos a fazer mal na prevenção cardiovascular? Os resultados desanimadores do EUROASPIRE III - o que estamos a fazer mal na prevenção cardiovascular? Evangelista Rocha Professor convidado da Faculdade de Medicina de Lisboa. Regente de Epidemiologia/Epidemiologia

Leia mais

VACINAÇÃO DA GRIPE NA PREVENÇÃO CARDIOVASCULAR DO IDOSO. Manuel Teixeira Veríssimo HUC Faculdade de Medicina de Coimbra

VACINAÇÃO DA GRIPE NA PREVENÇÃO CARDIOVASCULAR DO IDOSO. Manuel Teixeira Veríssimo HUC Faculdade de Medicina de Coimbra VACINAÇÃO DA GRIPE NA PREVENÇÃO CARDIOVASCULAR DO IDOSO Manuel Teixeira Veríssimo HUC Faculdade de Medicina de Coimbra Gripe e idade A gripe é mais frequente em crianças e adultos jovens do que em idosos

Leia mais

Abordagem intervencionista na síndrome coronária aguda sem supra do segmento ST. Roberto Botelho M.D. PhD.

Abordagem intervencionista na síndrome coronária aguda sem supra do segmento ST. Roberto Botelho M.D. PhD. Abordagem intervencionista na síndrome coronária aguda sem supra do segmento ST Roberto Botelho M.D. PhD. www.ict.med.br robertobotelho@mac.com 1 Objetivos Relevância do tema Para quem indicar Quando realizar

Leia mais

DIABETES TIPO 2 PREVALÊNCIA DIAGNÓSTICO E ABORDAGEM. Paula Bogalho. S. Endocrinologia Diabetes e Metabolismo

DIABETES TIPO 2 PREVALÊNCIA DIAGNÓSTICO E ABORDAGEM. Paula Bogalho. S. Endocrinologia Diabetes e Metabolismo DIABETES TIPO 2 PREVALÊNCIA DIAGNÓSTICO E ABORDAGEM Paula Bogalho S. Endocrinologia Diabetes e Metabolismo Hosp. Curry Cabral, Lisboa, 20.2.2010 Diabetes Crescimento nos países em desenvolvimento Diabetes

Leia mais

Insuficiência Cardíaca Aguda e Síndrome Coronária Aguda. Dois Espectros da Mesma Doença

Insuficiência Cardíaca Aguda e Síndrome Coronária Aguda. Dois Espectros da Mesma Doença Insuficiência Cardíaca Aguda e Síndrome Coronária Aguda Dois Espectros da Mesma Doença Carlos Aguiar Reunião Conjunta dos Grupos de Estudo de Insuficiência Cardíaca e Cuidados Intensivos Cardíacos Lisboa,

Leia mais

SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE CONSULTA PÚBLICA Nº 42, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2010

SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE CONSULTA PÚBLICA Nº 42, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2010 SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE CONSULTA PÚBLICA Nº 42, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2010 O Secretário de Atenção à Saúde, no uso de suas atribuições, Considerando a importância do papel que desempenham os Protocolos

Leia mais

Na diabetes e dislipidemia

Na diabetes e dislipidemia Cuidados de saúde primários e Cardiologia NOCs e Guidelines: com tanta orientação ficamos mesmo orientados? Na diabetes e dislipidemia Davide Severino 4.º ano IFE de Cardiologia Hospital de Santarém EPE

Leia mais

Acidente vascular cerebral isquémico Prevenção: Aspectos actuais É preciso agir

Acidente vascular cerebral isquémico Prevenção: Aspectos actuais É preciso agir Acidente vascular cerebral isquémico Prevenção: Aspectos actuais É preciso agir Ischaemic Stroke Current aspects concerning prevention: We need to act Francisco Silva* Resumo O Acidente Vascular Cerebral

Leia mais

Serviço de Cardiologia, Hospital de Santa Marta Centro Hospitalar de Lisboa Central, EPE

Serviço de Cardiologia, Hospital de Santa Marta Centro Hospitalar de Lisboa Central, EPE Efeito da injecção intracoronária de células progenitoras autólogas derivadas da medula óssea no strain global longitudinal em doentes com enfarte agudo do miocárdio com supradesnivelamento de ST Serviço

Leia mais

Boletim Brasileiro de Avaliação de Tecnologias em Saúde

Boletim Brasileiro de Avaliação de Tecnologias em Saúde 09BRATS ISSN 1983-7003 Ano IV nº 9 Setembro de 2009 ESTATINAS NA PREVENÇÃO PRIMÁRIA DE EVENTOS CARDIOVASCULARES Resumo As doenças cardiovasculares (DCV) acometem o coração e os vasos sanguíneos e, atualmente,

Leia mais

PITAVASTATINA: ALARGAR HORIZONTES

PITAVASTATINA: ALARGAR HORIZONTES PITAVASTATINA: ALARGAR HORIZONTES CONGRESSO PORTUGUÊS DE CARDIOLOGIA LISBOA, 9 DE ABRIL 2011 132/2011 2 NO ÂMBITO DA MAIS RECENTE EDIÇÃO DO CONGRESSO PORTUGUÊS DE CARDIOLOGIA, QUE DECORREU EM LISBOA, ENTRE

Leia mais

Stents farmacológicos e diabetes

Stents farmacológicos e diabetes Stents farmacológicos e diabetes Constantino González Salgado Hospital Pró Cardíaco Realcath-RealCordis HUPE-UERJ DM analisando o problema O Diabetes Mellitus é doença sistêmica de elevada prevalência

Leia mais

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA Nº 200, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2013

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA Nº 200, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2013 Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA Nº 200, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2013 Aprova o Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas da Dislipidemia para a prevenção de eventos cardiovasculares

Leia mais

Sessão Televoter Diabetes. Jácome de Castro Rosa Gallego Simões-Pereira

Sessão Televoter Diabetes. Jácome de Castro Rosa Gallego Simões-Pereira 2010 Sessão Televoter Diabetes Jácome de Castro Rosa Gallego Simões-Pereira Indivíduos com risco elevado para diabetes (Pré-diabetes) Alteração da glicémia em jejum (AGJ): Glicémia em jejum: entre 110

Leia mais

Prevalência, Conhecimento, Tratamento e Controle da Hipertensão em Adultos dos Estados Unidos, 1999 a 2004.

Prevalência, Conhecimento, Tratamento e Controle da Hipertensão em Adultos dos Estados Unidos, 1999 a 2004. Artigo comentado por: Dr. Carlos Alberto Machado Prevalência, Conhecimento, Tratamento e Controle da Hipertensão em Adultos dos Estados Unidos, 1999 a 2004. Kwok Leung Ong, Bernard M. Y. Cheung, Yu Bun

Leia mais

Ácido nicotínico 250 mg, comprimido de liberação Atorvastatina 20 mg, comprimido; Bezafibrato 400 mg, comprimido; Pravastatina 20 mg, comprimido;

Ácido nicotínico 250 mg, comprimido de liberação Atorvastatina 20 mg, comprimido; Bezafibrato 400 mg, comprimido; Pravastatina 20 mg, comprimido; DISLIPIDEMIA PARA A PREVENÇÃO DE EVENTOS CARDIOVASCULARES E PANCREATITE (CID 10: E78.0; E78.1; E78.2; E78.3; E78.4; E78.5; E78.6; E78.8) 1. Medicamentos Hipolipemiantes 1.1. Estatinas 1.2. Fibratos Atorvastatina

Leia mais

Diabetes e Hipogonadismo: estamos dando a devida importância?

Diabetes e Hipogonadismo: estamos dando a devida importância? Diabetes e Hipogonadismo: estamos dando a devida importância? por Manuel Neves-e-Castro,M.D. Clinica de Feminologia Holistica Website: http://neves-e-castro.pt Lisboa/Portugal Evento Cientifico Internacional

Leia mais

O HDL é conhecido como o bom colesterol porque remove o excesso de colesterol e traz de volta ao fígado onde será eliminado. O LDL-colesterol é o

O HDL é conhecido como o bom colesterol porque remove o excesso de colesterol e traz de volta ao fígado onde será eliminado. O LDL-colesterol é o DISLIPIDEMIA Introdução Dislipidemias, também chamadas de hiperlipidêmicas, referem-se ao aumento dos lipídios no sangue, principalmente do colesterol e dos triglicerídeos. O colesterol é uma substância

Leia mais

EHJ: doi:10.1093/eurheartj/ehq277

EHJ: doi:10.1093/eurheartj/ehq277 EHJ: doi:10.1093/eurheartj/ehq277 FIBRINÓLISE 2010 = PROBLEMAS E REALIDADE Reperfusão em 60% Sangramento AVCH Contraindicações absolutas e relativas Ainda primeira opção em muitos países (5 a 85%) na Europa

Leia mais

Hipertensão Arterial Epidemiologia e Prognóstico

Hipertensão Arterial Epidemiologia e Prognóstico Curso Nacional de Reciclagem em Cardiologia da Região Sul Hipertensão Arterial Epidemiologia e Prognóstico Jamil Cherem Schneider Dados Mundiais: Mortes por grupos de causas - 2000 Total de Mortes: 55.694.000

Leia mais

Colesterol O que é Isso? Trabalhamos pela vida

Colesterol O que é Isso? Trabalhamos pela vida Colesterol O que é Isso? X O que é o Colesterol? Colesterol é uma gordura encontrada apenas nos animais Importante para a vida: Estrutura do corpo humano (células) Crescimento Reprodução Produção de vit

Leia mais

Detecção precoce de cardiotoxicidade em Oncologia

Detecção precoce de cardiotoxicidade em Oncologia Congresso Novas Fronteiras em Cardiologia Detecção precoce de cardiotoxicidade em Oncologia Andreia Magalhães Fevereiro/2013 Cardiotoxicidade Lesão cardíaca induzida por fármacos utilizados no tratamento

Leia mais

Prevenção Primária e Secundária da Aterosclerose: perspectivas atuais e futuras

Prevenção Primária e Secundária da Aterosclerose: perspectivas atuais e futuras 112 Vol 17 N o 2 6 Artigo de Revisão Prevenção Primária e Secundária da Aterosclerose: perspectivas atuais e futuras Edson A. Saad Universidade Federal do Rio de Janeiro Palavras-chave: Aterosclerose,

Leia mais

8º SIMPÓSIO DE CARDIOLOGIA INTERVENCIONISTA PARA O CLÍNICO

8º SIMPÓSIO DE CARDIOLOGIA INTERVENCIONISTA PARA O CLÍNICO 8º SIMPÓSIO DE CARDIOLOGIA INTERVENCIONISTA PARA O CLÍNICO ESTADO ATUAL E PERSPECTIVAS DA INTERVENÇÃO CORONÁRIA EM PACIENTES COM LESÃO DE TRONCO NÃO PROTEGIDO JOÃO BATISTA L.LOURES LESÃO DE TCE NÃO PROTEGIDO

Leia mais

FA e DAC: Como abordar esse paciente? Ricardo Gusmão

FA e DAC: Como abordar esse paciente? Ricardo Gusmão FA e DAC: Como abordar esse paciente? Ricardo Gusmão Coordenador do Serviço de Cardiologia do H. Barra D Or Médico da U.C. do I.N.Cardiologia ORBIT-AF: Registro anticoagulação Estimated Change in the Number

Leia mais

Diabetes implica risco 2 4x maior de doença coronária Cardiopatia isquémica é responsável por 75% das mortes relacionadas com a diabetes

Diabetes implica risco 2 4x maior de doença coronária Cardiopatia isquémica é responsável por 75% das mortes relacionadas com a diabetes Diabetes implica risco 2 4x maior de doença coronária Cardiopatia isquémica é responsável por 75% das mortes relacionadas com a diabetes Circulation 2003;108:1655 61 Diabetes predispõe para uma forma difusa

Leia mais

ESTRATÉGIAS DE TRATAMENTO DAS DOENÇAS CORONÁRIA E CAROTÍDEA CONCOMITANTE

ESTRATÉGIAS DE TRATAMENTO DAS DOENÇAS CORONÁRIA E CAROTÍDEA CONCOMITANTE ESTRATÉGIAS DE TRATAMENTO DAS DOENÇAS CORONÁRIA E CAROTÍDEA CONCOMITANTE MARCOS ANTONIO MARINO COORDENADOR DEPARTAMENTO DE HEMODINÂMICA, CARDIOLOGIA E RADIOLOGIA VASCULAR INTERVENCIONISTA CONFLITO DE INTERESSES

Leia mais

Arterial Structure and Function after Recovery from the Metabolic Syndrome The Cardiovascular Risk in Young Finns Study

Arterial Structure and Function after Recovery from the Metabolic Syndrome The Cardiovascular Risk in Young Finns Study Arterial Structure and Function after Recovery from the Metabolic Syndrome The Cardiovascular Risk in Young Finns Study Koskinen J, Magnussen CG, Taittonen L, Räsänen L, Mikkilä V, Laitinen T, Rönnemaa

Leia mais

Cerveja e Risco Cardiovascular

Cerveja e Risco Cardiovascular Cerveja e Risco Cardiovascular Martin Bobak Departmento de Epidemiologia e Saúde Pública University College London Antecedentes Muitos estudos referem o efeito cardio protector do consumo moderado de bebidas

Leia mais

Avaliação do Risco Cardiovascular SCORE (Systematic Coronary Risk Evaluation) Departamento da Qualidade na Saúde (dqs@dgs.pt)

Avaliação do Risco Cardiovascular SCORE (Systematic Coronary Risk Evaluation) Departamento da Qualidade na Saúde (dqs@dgs.pt) Digitally signed by Francisco Henrique Moura George Francisco DN: c=pt, o=ministério da Saúde, ou=direcção-geral da Henrique Saúde, cn=francisco Henrique George Moura George Moura Date: 2015.01.21 12:20:20

Leia mais

Congresso do Desporto Desporto, Saúde e Segurança

Congresso do Desporto Desporto, Saúde e Segurança Congresso do Desporto Desporto, Saúde e Segurança Projecto Mexa-se em Bragança Organização: Pedro Miguel Queirós Pimenta Magalhães E-mail: mexaseembraganca@ipb.pt Web: http://www.mexaseembraganca.ipb.pt

Leia mais

Somatropina no adulto. Fernando Baptista Serviço de Endocrinologia Diabetes e Metabolismo. Hospital de Santa Maria. Lisboa

Somatropina no adulto. Fernando Baptista Serviço de Endocrinologia Diabetes e Metabolismo. Hospital de Santa Maria. Lisboa Somatropina no adulto Fernando Baptista Serviço de Endocrinologia Diabetes e Metabolismo. Hospital de Santa Maria. Lisboa Secreção de GH Concentração integrada de GH nas 24h em 173 indivíduos de ambos

Leia mais

Saúde e Desporto. Manuel Teixeira Veríssimo Hospitais da Universidade de Coimbra. Relação do Desporto com a Saúde

Saúde e Desporto. Manuel Teixeira Veríssimo Hospitais da Universidade de Coimbra. Relação do Desporto com a Saúde Saúde e Desporto Manuel Teixeira Veríssimo Hospitais da Universidade de Coimbra Relação do Desporto com a Saúde Dum modo geral aceita-se que o desporto dá saúde Contudo, o desporto também comporta malefícios

Leia mais

4º Congresso Internacional dos Hospitais. Reposicionamento do Hospital no contexto da saúde

4º Congresso Internacional dos Hospitais. Reposicionamento do Hospital no contexto da saúde 4º Congresso Internacional dos Hospitais Reposicionamento do Hospital no contexto da saúde Impacto dos grupos de doenças por regiões 60% das mortes são relacionadas com as DCN The top-10 leading causes

Leia mais

a) A adoção de uma dieta variada, nutricionalmente equilibrada, rica em legumes,

a) A adoção de uma dieta variada, nutricionalmente equilibrada, rica em legumes, NÚMERO: 019/2011 DATA: 28/09/2011 ATUALIZAÇÃO: 30/07/2015 ASSUNTO: Abordagem Terapêutica das Dislipidemias no Adulto PALAVRAS-CHAVE: Dislipidemias PARA: Médicos do Sistema de Saúde CONTACTOS: Departamento

Leia mais

DIABETES E DISLIPIDÉMIA

DIABETES E DISLIPIDÉMIA DIABETES E DISLIPIDÉMIA Almeida Nunes Maio 2016 Cerca de 70 % dos diabéticos apresenta HTA e 55% Hipercolesterolemia O TEDDI foi um estudo observacional, transversal que analisou 1.395 diabéticos tipo

Leia mais

Hipertensão e Risco de I C. Tratamento da Hipertensão: Dados Observacionais

Hipertensão e Risco de I C. Tratamento da Hipertensão: Dados Observacionais Hipertensão e Risco de I C Tratamento da Hipertensão: Dados Observacionais Hipertensão e Risco de I C Insuficiência Cardíaca N=392 (100%) Hipertensão N= 357 (91%) H. Arterial definida Como PA > 140/90

Leia mais

Café Doença Cardiovascular

Café Doença Cardiovascular Café e Doença Cardiovascular Dr. Miguel A. Moretti Coordenador de Pesquisa Médica da Unidade de Café e Coração miguel.moretti@incor.usp.br Café e Doenças Cardiovasculares Consumo per capita anual EUA 3,8

Leia mais

Coração saudável. Dr. Carlos Manoel de Castro Monteiro MD,PhD

Coração saudável. Dr. Carlos Manoel de Castro Monteiro MD,PhD Coração saudável Dr. Carlos Manoel de Castro Monteiro MD,PhD Qual a importância da doença cardiovascular? Milhões de Mortes* Mortalidade por doenças cardiovasculares em 1990 e 2020 Países desenvolvidos

Leia mais

6º FÓRUM FEBRABAN DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO SUSTENTABILIDADE NA GESTÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL DUPONT DO BRASIL

6º FÓRUM FEBRABAN DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO SUSTENTABILIDADE NA GESTÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL DUPONT DO BRASIL 6º FÓRUM FEBRABAN DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO SUSTENTABILIDADE NA GESTÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL DUPONT DO BRASIL 21 DE OUTUBRO DE 2009 Drª Lorene Marciano - IHS 2 DUPONT NO BRASIL Presença

Leia mais

João Morais Cardiologista, Director do Serviço de Cardiologia do Hospital de Santo André, EPE, Leiria.

João Morais Cardiologista, Director do Serviço de Cardiologia do Hospital de Santo André, EPE, Leiria. O ácido acetilsalicilico em prevenção primária. Um desafio para os clínicos. Aspirin in the primary and secondary prevention of vascular disease: collaborative meta-analysis of individual participant data

Leia mais

Aumento dos custos no sistema de saúde. Saúde Suplementar - Lei nº 9.656/98

Aumento dos custos no sistema de saúde. Saúde Suplementar - Lei nº 9.656/98 IX ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA DA SAÚDE DA ABRES Utilização de Serviços em uma Operadora de Plano de Saúde que Desenvolve Programas de Promoção da Saúde e Prevenção de Doenças Cardiovasculares Danielle

Leia mais

Coordenador de Normatizações e Diretrizes da SBC. Coordenação geral. Referência. Editor. Membros do Comitê

Coordenador de Normatizações e Diretrizes da SBC. Coordenação geral. Referência. Editor. Membros do Comitê V DIRETRIZ BRSILEIR DE DISLIPIDEMIS E PREVENÇÃO D TEROSCLEROSE 62 Coordenador de Normatizações e Diretrizes da SBC Harry Correa Filho Coordenação geral Hermes Toros Xavier, Maria Cristina de Oliveira Izar,

Leia mais

POLICOSANOL 40% Auxilia na diminuição do colesterol. Informações Técnicas. INCI Name: 1-OCTACOSANOL CAS number: 557-61-9

POLICOSANOL 40% Auxilia na diminuição do colesterol. Informações Técnicas. INCI Name: 1-OCTACOSANOL CAS number: 557-61-9 Informações Técnicas POLICOSANOL 40% Auxilia na diminuição do colesterol INCI Name: 1-OCTACOSANOL CAS number: 557-61-9 DESCRIÇÃO Policosanol é uma mistura de álcoois alifáticos primários superiores (álcoois

Leia mais

Vastatinas na Prevenção da Doença Aterosclerótica. Dados Atuais

Vastatinas na Prevenção da Doença Aterosclerótica. Dados Atuais Atualização Vastatinas na Prevenção da Doença Aterosclerótica. Dados Atuais Neusa Forti, Jayme Diament São Paulo, SP 264 As vastatinas inibem a síntese intracelular do colesterol, estimulam a formação

Leia mais

Os Trabalhos/Abstracts mais Relevantes em Câncer de mama Tratamento Adjuvante: Hormonioterapia. José Bines Instituto Nacional de Câncer

Os Trabalhos/Abstracts mais Relevantes em Câncer de mama Tratamento Adjuvante: Hormonioterapia. José Bines Instituto Nacional de Câncer Os Trabalhos/Abstracts mais Relevantes em Câncer de mama Tratamento Adjuvante: Hormonioterapia José Bines Instituto Nacional de Câncer Índice Podemos selecionar pacientes para não receber tratamento adjuvante?

Leia mais

Tratamento quimioterápico de primeira-linha na doença resistente à castração Fábio A. B. Schütz

Tratamento quimioterápico de primeira-linha na doença resistente à castração Fábio A. B. Schütz Tratamento quimioterápico de primeira-linha na doença resistente à castração Fábio A. B. Schütz Hospital São José; São Paulo, SP Introdução Câncer de próstata castração-resistente (CRPC) A maioria dos

Leia mais

MANUAL DE BOAS PRÁTICAS - 2006

MANUAL DE BOAS PRÁTICAS - 2006 MANUAL DE BOAS PRÁTICAS - 2006 Administração Regional de Saúde do Norte Comissão de Farmácia e Terapêutica da Região Norte Introdução As doenças cardiovasculares são a principal causa de mortalidade em

Leia mais

Diretrizes Controle Glicêmico Intensivo e Prevenção de Eventos Cardiovasculares: Implicações do ACCORD, ADVANCE e VADT

Diretrizes Controle Glicêmico Intensivo e Prevenção de Eventos Cardiovasculares: Implicações do ACCORD, ADVANCE e VADT Controle Glicêmico Intensivo e Prevenção de Eventos Cardiovasculares: Implicações do ACCORD, ADVANCE e VADT Posicionamento da American Diabetes Association e declaração científica da American College of

Leia mais

EFEITO DA PRÁTICA DA ATIVIDADE FÍSICA REGULAR NO RISCO CARDIOVASCULAR EM IDOSOS HIPERTENSOS E/OU DIABÉTICOS: UMA ANÁLISE A PARTIR DO PERFIL LIPÍDICO.

EFEITO DA PRÁTICA DA ATIVIDADE FÍSICA REGULAR NO RISCO CARDIOVASCULAR EM IDOSOS HIPERTENSOS E/OU DIABÉTICOS: UMA ANÁLISE A PARTIR DO PERFIL LIPÍDICO. EFEITO DA PRÁTICA DA ATIVIDADE FÍSICA REGULAR NO RISCO CARDIOVASCULAR EM IDOSOS HIPERTENSOS E/OU DIABÉTICOS: UMA ANÁLISE A PARTIR DO PERFIL LIPÍDICO. Bruna Pereira da Silva¹ bruna.silva00@hotmail.com Layla

Leia mais

ESPECTRO. ALTERAÇÕES METABÓLICAS DA OBESIDADE e DMT2 EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES Diabetes Tipo 2 em Crianças. Classificação de Diabetes em Jovens

ESPECTRO. ALTERAÇÕES METABÓLICAS DA OBESIDADE e DMT2 EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES Diabetes Tipo 2 em Crianças. Classificação de Diabetes em Jovens ALTERAÇÕES METABÓLICAS DA OBESIDADE e DMT2 EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES Diabetes Tipo 2 em Crianças Paulo César Alves da Silva Hospital Infantil Joana de Gusmão Florianópolis-SC Florianópolis-SC Módulo de

Leia mais

Treinamento de Força e Diabetes. Ms. Sandro de Souza

Treinamento de Força e Diabetes. Ms. Sandro de Souza Treinamento de Força e Diabetes Ms. Sandro de Souza Taxa de prevalência de Diabetes Mellitus Período: 2009 Relevância Diagnóstico de DIABETES MELLITUS Diabetes Care. 2007;30:S4 41. Resistência a Insulina

Leia mais

Abordagem intervencionista na síndrome coronária aguda sem supra do segmento ST. Roberto Botelho M.D. PhD. www.ict.med.br robertobotelho@mac.

Abordagem intervencionista na síndrome coronária aguda sem supra do segmento ST. Roberto Botelho M.D. PhD. www.ict.med.br robertobotelho@mac. Abordagem intervencionista na síndrome coronária aguda sem supra do segmento ST Roberto Botelho M.D. PhD. www.ict.med.br robertobotelho@mac.com 1 POTENCIAIS CONFLITOS DE INTERESSE De acordo com a RDC nº

Leia mais

Terapia Nutricional nas Dislipidemias

Terapia Nutricional nas Dislipidemias Terapia Nutricional nas Dislipidemias Autoria: Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral Sociedade Brasileira de Cardiologia Colégio Brasileiro de Cirurgiões Sociedade Brasileira de Clínica

Leia mais

Reoperações em Cirurgia Cardíaca: a experiência de 5 anos de um Centro

Reoperações em Cirurgia Cardíaca: a experiência de 5 anos de um Centro Reoperações em Cirurgia Cardíaca: a experiência de 5 anos de um Centro Rui Cerejo, Luís Baquero, Andreia Gordo, Hagen Kahlbau, Nuno Banazol, José Fragata Hospital de Santa Marta Centro Hospitalar Lisboa

Leia mais

Doença Cardiovascular e Inflamação em Pessoas Vivendo com HIV

Doença Cardiovascular e Inflamação em Pessoas Vivendo com HIV Doença Cardiovascular e Inflamação em Pessoas Vivendo com HIV Heloisa Ramos Lacerda Livre Docente em Infectologia Professora da UFPE e UPE Coodenadora Científica SBI 2014-2015 Heloisa Ramos Lacerda Conflito

Leia mais

o desafio em criar coorte de adultos brasileiros para estudar doenças cardiovasculares e diabetes

o desafio em criar coorte de adultos brasileiros para estudar doenças cardiovasculares e diabetes o desafio em criar coorte de adultos brasileiros para estudar doenças cardiovasculares e diabetes Paulo A. Lotufo Professor Titular de Clínica Médica Faculdade de Medicina da USP palotufo@usp.br doenças

Leia mais

A PROVA DE ESFORÇO É INDISPENSÁVEL NO ALGORITMO DIAGNÓSTICO DE ISQUEMIA Luís Martins Brízida Assistente Hospitalar Graduado de Cardiologia Serviço de

A PROVA DE ESFORÇO É INDISPENSÁVEL NO ALGORITMO DIAGNÓSTICO DE ISQUEMIA Luís Martins Brízida Assistente Hospitalar Graduado de Cardiologia Serviço de A PROVA DE ESFORÇO É INDISPENSÁVEL NO ALGORITMO DIAGNÓSTICO DE ISQUEMIA Luís Martins Brízida Assistente Hospitalar Graduado de Cardiologia Serviço de Cardiologia Hospital Fernando da Fonseca Amadora/Sintra

Leia mais

A Proteína C-Reativa na Atualidade

A Proteína C-Reativa na Atualidade Denardi et al. 329 A Proteína C-Reativa na Atualidade C-Reactive Protein: an update Artigo de Atualização 2 Celise Alessandra Sobral Denardi 1,2, Antonio Casella Filho 1, Antonio Carlos Palandri Chagas

Leia mais

Boletim Científico SBCCV 12-2012

Boletim Científico SBCCV 12-2012 1 2 Boletim Científico SBCCV 12-2012 Análise de desfechos após 5 anos do implante transcateter de válvula aórtica balãoexpansível, no Canadá. 5-Year Outcome After Transcatheter Aortic Valve Implantation.

Leia mais

Hipertensão Arterial Pulmonar Protocolos Por que e para que? Ricardo Fonseca Martins

Hipertensão Arterial Pulmonar Protocolos Por que e para que? Ricardo Fonseca Martins Hipertensão Arterial Pulmonar Protocolos Por que e para que? Ricardo Fonseca Martins HAP Definição Condição patológica caracterizada pela elevação da pressão arterial pulmonar média acima de 25mmHg com

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CENTRO DE CIÊNCIAS MÉDICAS FACULDADE DE MEDICINA MESTRADO EM CARDIOLOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CENTRO DE CIÊNCIAS MÉDICAS FACULDADE DE MEDICINA MESTRADO EM CARDIOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CENTRO DE CIÊNCIAS MÉDICAS FACULDADE DE MEDICINA MESTRADO EM CARDIOLOGIA EFETIVIDADE DAS ATUAIS ESTATINAS EM ATINGIR AS NOVAS METAS PROPOSTAS PELO NCEP-ATP III NELSON ABRAMOWICZ

Leia mais

13. Doenças Isquêmicas do Coração a

13. Doenças Isquêmicas do Coração a Introdução 13. Doenças Isquêmicas do Coração a As doenças cardiovasculares são responsáveis por 18 milhões de mortes ao ano no mundo, sendo as doenças isquêmicas do coração e as doenças cerebrovasculares

Leia mais

RESPOSTARÁPIDA 36/2014 GALVUS MET, PIOTAZ, CANDESARTAN, LEVOID, ROSTATIN

RESPOSTARÁPIDA 36/2014 GALVUS MET, PIOTAZ, CANDESARTAN, LEVOID, ROSTATIN RESPOSTARÁPIDA 36/2014 GALVUS MET, PIOTAZ, CANDESARTAN, LEVOID, ROSTATIN SOLICITANTE Dra MARCILENE DA CONCEIÇÃO MIRANDA NÚMERODOPROCESSO 0166.14.000132-1 (0001321-35.2014.8.13.0166) DATA 31/01/2014 SOLICITAÇÃO

Leia mais

AVALIAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO ENTRE A AR E A DM TIPO II. Agenda: 1. INTRODUÇÃO 2. OBJECTIVOS 3. METODOLOGIA 4. PLANIFICAÇÃO DO PROJECTO

AVALIAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO ENTRE A AR E A DM TIPO II. Agenda: 1. INTRODUÇÃO 2. OBJECTIVOS 3. METODOLOGIA 4. PLANIFICAÇÃO DO PROJECTO AVALIAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO ENTRE A ARTRITE REUMATÓIDE E A DIABETES MELLITUS TIPO 2 Análise da Base de Dados de Doenças Reumáticas Norte-Americana National Data Bank for Rheumatic Diseases PROJECTO DE TESE

Leia mais

O tratamento das doenças do coração e suas implicações no cenário nacional

O tratamento das doenças do coração e suas implicações no cenário nacional O tratamento das doenças do coração e suas implicações no cenário nacional Andrei C Sposito Professor da Disciplina de Cardiologia, FCM-UNICAMP Coordenador do Centro de Pesquisa Clínica e do laboratório

Leia mais

Thiers R Chagas SOCEBA/2017

Thiers R Chagas SOCEBA/2017 TRIGLICERIDES Thiers R Chagas SOCEBA/2017 Conflito de Interesse De acordo com a Norma 1595/2000 do Conselho Federal de Medicina e a Resolução RDC 102/2000 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária declaro:

Leia mais

Sessão Televoter Diabetes

Sessão Televoter Diabetes 2013 26 de Abril Sexta-feira Sessão Televoter Diabetes António Pedro Machado Francisco Azevedo Simões Pereira Critérios para o diagnóstico de Diabetes A1C 6.5% Gl jj 126 mg/dl ou ou PTGO - Glicémia à 2ª

Leia mais

doenças coronárias Factores de Risco

doenças coronárias Factores de Risco doenças coronárias Factores de Risco Com vista a maximizar o diagnóstico clínico-laboratorial, o Centro de Medicina Laboratorial Dr. Germano de Sousa, coloca à disposição um painel de parâmetros bioquímicos

Leia mais

Prevenção da Angina e do Infarto do Miocárdio

Prevenção da Angina e do Infarto do Miocárdio Prevenção da Angina e do Infarto do Miocárdio A doença arterial coronária (DAC) é a causa mais freqüentes de mortalidade na América do Norte, Europa, Austrália e Nova Zelândia. Desde 1980, no entanto,

Leia mais

Desdobrável de informação ao paciente

Desdobrável de informação ao paciente Desdobrável de informação ao paciente Doença cardíaca coronária Secções para este tópico: Introdução Sintomas Causas Diagnóstico Tratamento Prevenção Hiperligações seleccionadas Introdução Para que funcione,

Leia mais

TRATAMENTO FARMACOLÓGICO COM ESTATINAS: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA 1 PHARMACOLOGICAL TREATMENT WITH STATINS: A SYSTEMATIC REVIEW

TRATAMENTO FARMACOLÓGICO COM ESTATINAS: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA 1 PHARMACOLOGICAL TREATMENT WITH STATINS: A SYSTEMATIC REVIEW Disciplinarum Scientia. Série: Ciências da Saúde, Santa Maria, v. 14, n. 2, p. 175-187, 2013. Recebido em: 04.01.2013. Aprovado em: 18.03.2013. ISSN 2177-3335 TRATAMENTO FARMACOLÓGICO COM ESTATINAS: UMA

Leia mais

DCI Nome de fantasia Dosagem Forma farmacêutica. Kemény kapszula. Capsules

DCI Nome de fantasia Dosagem Forma farmacêutica. Kemény kapszula. Capsules Anexo I Lista dos nomes, formas farmacêuticas, dosagens dos medicamentos, vias de administração, titulares das autorizações de introdução no mercado nos estados-membros 1 Estado- Membro UE/EEE Áustria

Leia mais

Lesão coronária tardia após cirurgia de switch arterial na transposição de grandes artérias

Lesão coronária tardia após cirurgia de switch arterial na transposição de grandes artérias Lesão coronária tardia após cirurgia de switch arterial na transposição de grandes artérias F.X.Valente 1, C. Trigo 2, J.D.F. Martins 2, I. Freitas 2, F. Paramés 2, M. António 2, L. Bakero 3, J. Fragata

Leia mais

ZARATOR atorvastatina cálcica. Zarator 10 mg e 20 mg em embalagens contendo 10 ou 30 comprimidos revestidos.

ZARATOR atorvastatina cálcica. Zarator 10 mg e 20 mg em embalagens contendo 10 ou 30 comprimidos revestidos. ZARATOR atorvastatina cálcica I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nome comercial: Zarator Nome genérico: atorvastatina cálcica APRESENTAÇÕES Zarator 10 mg e 20 mg em embalagens contendo 10 ou 30 comprimidos

Leia mais

An aspirin a day keeps the doctor away. As Novas Evidências dos Efeitos da. Mudar as Recomendações dos Guidelines?

An aspirin a day keeps the doctor away. As Novas Evidências dos Efeitos da. Mudar as Recomendações dos Guidelines? An aspirin a day keeps the doctor away Anis Rassi Junior, MD, PhD, FACP, FACC, FAHA Diretor Científico, Anis Rassi Hospital Goiânia (GO) - BRASIL e-mail: arassijr@terra.com.br As Novas Evidências dos Efeitos

Leia mais

RISCO CORONARIANO E FATORES ASSOCIADOS EM

RISCO CORONARIANO E FATORES ASSOCIADOS EM Artigo de Pesquisa SIlva VR, Cade NV, Molina MCB RISCO CORONARIANO E FATORES ASSOCIADOS EM HIPERTENSOS DE UMA UNIDADE DE SAÚDE DA FAMÍLIA CORONARY RISK AND ASSOCIATED FACTORS IN HYPERTENSIVE PATIENTS AT

Leia mais

Aterosclerose e Dislipidemia: Visão Geral 1

Aterosclerose e Dislipidemia: Visão Geral 1 Aterosclerose e Dislipidemia: Visão Geral 1 A doença vascular aterosclerótica é a principal causa de morbidade e de mortalidade nos Estados Unidos, sendo responsável por mais de um terço de todos os óbitos

Leia mais

Determinação do Risco Cardiovascular em População de Check-up Espontâneo através do Escore de Framingham

Determinação do Risco Cardiovascular em População de Check-up Espontâneo através do Escore de Framingham Rev Bras Cardiol. 2013;26(5):356-63 Artigo Original 4 Galvão et al. Determinação do Risco Cardiovascular em População de Check-up Espontâneo através do Escore de Framingham Determination of Cardiovascular

Leia mais

para homens asiáticos EM AUDIÇÃO E TESTE DE APLICABILIDADE ATÉ 31 DE MAIO DE 2012

para homens asiáticos EM AUDIÇÃO E TESTE DE APLICABILIDADE ATÉ 31 DE MAIO DE 2012 EM AUDIÇÃO E TESTE DE APLICABILIDADE ATÉ 31 DE MAIO DE 2012 NÚMERO: 066/2011 DATA: 30/12/2011 ASSUNTO: PALAVRAS-CHAVE: PARA: CONTACTOS: Prescrição de Exames Laboratoriais para Avaliação de Dislipidemias

Leia mais

A utilização e interpretação inapropriada dos exames imagiológicos: impacto clínico!

A utilização e interpretação inapropriada dos exames imagiológicos: impacto clínico! Iatrogenia em Medicina Cardiovascular Setembro 2011 A utilização e interpretação inapropriada dos exames imagiológicos: impacto clínico! Ana G. Almeida Faculdade de Medicina de Lisboa - Hospital de Santa

Leia mais