ORÇAMENTO DE INVESTIMENTO DAS EMPRESAS ESTATAIS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ORÇAMENTO DE INVESTIMENTO DAS EMPRESAS ESTATAIS"

Transcrição

1 ORÇAMENTO DE INVESTIMENTO DAS EMPRESAS ESTATAIS Agência de Fomento e Desenvolvimento do Estado do Piauí S.A PIAUÍ FOMENTO Águas e Esgotos do Piauí S/A AGESPISA Companhia Administradora da Zona de Processamento de Exportação de Parnaíba ZPE PARNAÍBA Empresa de Gestão de Recursos do Estado do Piauí S/A EMGERPI Companhia Metropolitana de Transportes Públicos CMTP Companhia de Gás do Estado do Piauí GASPISA ANEXO V

2 DEMONSTRATIVO DO INVESTIMENTO DAS EMPRESAS ESTATAIS RECURSOS DE TODAS AS FONTES () CÓDIGO E S P E C I F I C A Ç Ã O TESOURO OUTRAS FONTES TOTAL AGÊNCIA DE FOMENTO E DESENVOLVIMENTO DO ESTADO DO PIAUÍ S.A - PIAUÍ FOMENTO ÁGUAS E ESGOTOS DO PIAUÍ S/A - AGESPISA COMPANHIA ADMINISTRADORA DA ZONA DE PROCESSAMENTO DE EXPORTAÇÃO DE PARNAÍBA - ZPE PARNAÍBA EMPRESA DE GESTÃO DE RECURSOS DO ESTADO DO PIAUÍ S/A - EMGERPI COMPANHIA METROPOLITANA DE TRANSPORTES PÚBLICOS - CMTP COMPANHIA DE GÁS DO ESTADO DO PIAUÍ - GASPISA GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ ORÇAMENTO 2013 SECRETARIA DO PLANEJAMENTO DEMONSTRATIVO DO INVESTIMENTO POR FONTE DE RECURSOS RECURSOS DE TODAS AS FONTES () CÓDIGO E S P E C I F I C A Ç Ã O TESOURO OUTRAS FONTES TOTAL 00 RECURSOS ORDINÁRIOS RECURSOS DE CONVÊNIOS RECURSOS DIRETAMENTE ARRECADADOS OPERAÇÃO DE CRÉDITO INTERNA OPERAÇÃO DE CRÉDITO EXTERNA

3 AGÊNCIA DE FOMENTO E DESENVOLVIMENTO DO ESTADO DO PIAUÍ S.A PIAUÍ FOMENTO

4 SECRETARIA DA FAZENDA AGÊNCIA DE FOMENTO E DESENVOLVIMENTO DO ESTADO DO PIAUÍ S.A - PIAUÍ FOMENTO COMÉRCIO E SERVIÇOS COMERCIALIZAÇÃO PIAUÍ EMPREENDEDOR FOMENTO AO DESENVOLVIMENTO DO ESTADO FOMENTAR OS EMPREENDIMENTOS LOCAIS E REGIONAIS PROPORCIONANDO A GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA FI RECURSOS DE TODAS AS FONTES

5 ÁGUAS E ESGOTOS DO PIAUÍ S/A AGESPISA

6 SECRETARIA DA INFRAESTRUTURA ÁGUAS E ESGOTOS DO PIAUÍ S/A - AGESPISA RECURSOS DE TODAS AS FONTES SANEAMENTO SANEAMENTO BÁSICO RURAL SANEAMENTO, DIREITO DE TODOS CONSTRUÇÃO DE SISTEMA SIMPLIFICADO DE ABASTECIMENTO DAGUA EM CANTO DO BURITI GARANTIR O ABASTECIMENTO DE ÁGUA DA POPULAÇÃO E DO REBANHO ANIMAL NO PERÍODO DE ESTIÁGEM, GARANTINDO A PERMANÊNCIA DO HOMEM NO CAMPO CONSTRUÇÃO DE SISTEMA SIMPLIFICADO DE ABASTECIMENTO DAGUA EM ALAGOINHA-PI GARANTIR O ABASTECIMENTO DE ÁGUA DA POPULAÇÃO E DO REBANHO ANIMAL NO PERÍODO DE ESTIÁGEM, GARANTINDO A PERMANÊNCIA DO HOMEM NO CAMPO CONSTRUÇÃO DE SISTEMA SIMPLIFICADO DE ABASTECIMENTO DAGUA EM FRANCISCO SANTOS GARANTIR O ABASTECIMENTO DE ÁGUA DA POPULAÇÃO E DO REBANHO ANIMAL NO PERÍODO DE ESTIÁGEM, GARANTINDO A PERMANÊNCIA DO HOMEM NO CAMPO AMPLIAÇÃO DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA NO MUNICÍPIO DE JUAZEIRO DO PIAUÍ - PI. GARANTIR O ABASTECIMENTO DE ÁGUA DA POPULAÇÃO E DO REBANHO ANIMAL NO PERÍODO DE ESTIÁGEM, GARANTINDO A PERMANÊNCIA DO HOMEM NO CAMPO FI FI FI FI SANEAMENTO BÁSICO URBANO SANEAMENTO, DIREITO DE TODOS IMPLANTAÇÃO, AMPLIAÇÃO E MELHORIA DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA IMPLANTAR, AMPLIAR E MELHORAR SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA NO ESTADO DO PIAUÍ, PARA AVANÇAR RUMO A UNIVERSALIZAÇÃO DO ACESSO A ÁGUA FI FI GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS ELABORAR E IMPLANTAR MODELO DE GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS, DE FORMA INTEGRADA COM OS MUNICÍPIOS, EM ARTICULAÇÃO COM AS POLÍTICAS DE RECURSOS HÍDRICOS, SANEAMENTO BÁSICO E MEIO AMBIENTE, TENDO COMO UNIDADE DE PLANEJAMENTO A BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PARNA FI FI

7 SECRETARIA DA INFRAESTRUTURA ÁGUAS E ESGOTOS DO PIAUÍ S/A - AGESPISA RECURSOS DE TODAS AS FONTES IMPLANTAÇÃO, AMPLIAÇÃO E MELHORIA DE SISTEMAS DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO IMPLANTAR, AMPLIAR E MELHORAR SISTEMAS DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO NO ESTADO, ASSEGURANDO CONDIÇÕES ADEQUADAS DE SAÚDE PÚBLICA À POPULAÇÃO FI FI

8 COMPANHIA ADMINISTRADORA DA ZONA DE PROCESSAMENTO DE EXPORTAÇÃO DE PARNAÍBA ZPE PARNAÍBA

9 SECRETARIA DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E TECNOLÓGICO COMPANHIA ADMINISTRADORA DA ZONA DE PROCESSAMENTO DE EXPORTAÇÃO DE PARNAÍBA - ZPE PARNAÍBA COMÉRCIO E SERVIÇOS COMÉRCIO EXTERIOR PIAUÍ EMPREENDEDOR IMPLANTAÇÃO DA INFRAESTRUTURA DA ZPE PROVER AS INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS NECESSÁRIOS AO CONTROLE, A VIGILÂNCIA E ADMINISTRAÇÃO ADUANEIRA LOCAL FI FI FI RECURSOS DE TODAS AS FONTES

10 EMPRESA DE GESTÃO DE RECURSOS DO ESTADO DO PIAUÍ S/A EMGERPI

11 SECRETARIA DA ADMINISTRAÇÃO EMPRESA DE GESTÃO DE RECURSOS DO ESTADO DO PIAUÍ S/A - EMGERPI RECURSOS DE TODAS AS FONTES ADMINISTRAÇÃO ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO E MANUTENÇÃO DO PODER EXECUTIVO RENOVAÇÃO DE EQUIPAMENTOS ADQUIRIR MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS FI FI FI FI URBANISMO INFRA-ESTRUTURA URBANA INFRAESTRUTURA E QUALIDADE DE VIDA CONSTRUÇÃO, REFORMA E AMPLIAÇÃO DE INFRAESTRUTURAS - UNIDADES DE ENSINO CONSTRUIR, AMPLIAR, REFORMAR A INFRAESTRUTURA DE UNIDADES DE ENSINO FI CONSTRUÇÃO E EXECUÇÃO DE OBRAS MUNICIPAIS CONSTRUIR E EXECUTAR OBRAS MUNICIPAIS FI CONSTRUÇÃO, REFORMA E AMPLIAÇÃO DE INFRAESTRUTURAS CONSTRUIR, REFORMAR E AMPLIAR INFRAESTRUTURAS FI FI FI DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E ENGENHARIA INFRAESTRUTURA E QUALIDADE DE VIDA LEVANTAMENTO TOPOGRÁFICO GEORREFERENCIAL LAVANTAR TOPOGRÁFICAMENTE E GEORREFERENCIAL PARA CONSTRUÇÃO E DEMARCAÇÃO FI TRANSPORTE RODOVIÁRIO DESENVOLVIMENTO E INTEGRAÇÃO DOS TRANSPORTES CONSTRUÇÃO, REFORMA, AMPLIAÇÃO E RECUPERAÇÃO DE VIAS ASFALTICAS CONSTRUIR, REFORMAR, AMPLIAR E RECUPERAR VIAS ASFALTICAS FI FI FI FI

12 SECRETARIA DA ADMINISTRAÇÃO EMPRESA DE GESTÃO DE RECURSOS DO ESTADO DO PIAUÍ S/A - EMGERPI RECURSOS DE TODAS AS FONTES CONSTRUÇÃO, REFORMA, AMPLIAÇÃO E RECUPERAÇÃO DE VIAS VICINAIS CONSTRUIR, REFORMAR, AMPLIAR E RECUPERAR VIAS VICINAIS FI FI FI INFRAESTRUTURA E QUALIDADE DE VIDA CONSTRUÇÃO, REFORMA, AMPLIAÇÃO E RECUPERAÇÃO DE VIAS PARALELEPIPEDAS CONSTRUIR, REFORMAR, AMPLIAR E RECUPERAR VIAS EM PARALELEPIPEDO FI HABITAÇÃO HABITAÇÃO RURAL HABITAR MELHOR CONSTRUÇÃO DE UNIDADES HABITACIONAIS RURAIS PROMOVER A CONSTRUÇÃO, REFORMA E AMPLIAÇÃO DE UNIDADES HABITACIONAIS FI FI FI FI FI HABITAÇÃO URBANA HABITAR MELHOR CONSTRUÇÃO DE UNIDADES HABITACIONAIS URBANAS CONSTRUIR, AMPLIAR E REFORMAR UNIDADES HABITACIONAIS FI FI FI FI FI SANEAMENTO SANEAMENTO BÁSICO RURAL INFRAESTRUTURA E QUALIDADE DE VIDA ESGOTAMENTO SANITÁRIO E TRATAMENTOS DE RESÍDUOS - RURAL CONSTRUIR, AMPLIAR E REFORMAR REDES DE ESGOTAMENTOS SANITÁRIOS E TRATAMENTO DE RESÍDUOS FI FI

13 SECRETARIA DA ADMINISTRAÇÃO EMPRESA DE GESTÃO DE RECURSOS DO ESTADO DO PIAUÍ S/A - EMGERPI RECURSOS DE TODAS AS FONTES FI FI FI SANEAMENTO BÁSICO URBANO INFRAESTRUTURA E QUALIDADE DE VIDA ESGOTAMENTO SANITÁRIO E TRATAMENTOS DE RESÍDUOS CONSTRUIR, AMPLIAR E REFORMAR A REDE DE ESGOTAMENTO SANITÁRIOS E TRATAMENTOS DE RESÍDUOS IMPLANTAÇÃO E AMPLIAÇÃO DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO D ÁGUA PARA TODOS OS TERITÓRIOS CONSTRUIR, AMPLIAR E REFORMAR BARRAGENS, CISTERNAS, POÇOS E DEMAIS RECURSOS HIDRICOS FI FI FI FI FI FI FI FI FI FI GESTÃO AMBIENTAL RECURSOS HÍDRICOS INFRAESTRUTURA E QUALIDADE DE VIDA IMPLANTAÇÃO E AMPLIAÇÃO DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO D ÁGUA PARA TODOS OS TERITÓRIOS - BARRAGENS E AÇUDES IMPLANTAR E AMPLIAR O SISTEMA DE ABASTECIMENTO D ÁGUA PARA TODOS OS TERITÓRIOS - BARRAGENS E AÇUDES FI AGRICULTURA PROMOÇÃO DA PRODUÇÃO VEGETAL DESENVOLVIMENTO DA AGRICULTURA FAMILIAR CINTURÃO VERDE PROGRAMA DE INCENTIVO A ATIVIDADE RURAL PELO AGRICULTOR FAMILIAR FI INDÚSTRIA MINERAÇÃO PIAUÍ SUSTENTÁVEL EXPLORAÇÃO DE JAZIDAS DE CALCÁRIO

14 SECRETARIA DA ADMINISTRAÇÃO EMPRESA DE GESTÃO DE RECURSOS DO ESTADO DO PIAUÍ S/A - EMGERPI RECURSOS DE TODAS AS FONTES EXTRAIR E EXPLORAR JAZIDAS FI ENERGIA ENERGIA ELÉTRICA INFRAESTRUTURA E QUALIDADE DE VIDA MELHORIA DA QUALIDADE E OFERTA DE ENERGIA ELÉTRICA CONSTRUIR, AMPLIAR, MELHORAR E REFORMAR COM QUALIDADE A OFERTA DE ENERGIA ELÉTRICA. FI FI FI TRANSPORTE TRANSPORTE RODOVIÁRIO INFRAESTRUTURA E QUALIDADE DE VIDA CONSTRUÇÃO DE PONTES CONSTRUIR, AMPLIAR E REFORMAR PONTES FI

15 COMPANHIA METROPOLITANA DE TRANSPORTES PÚBLICOS CMTP

16 SECRETARIA DOS TRANSPORTES COMPANHIA METROPOLITANA DE TRANSPORTES PÚBLICOS - CMTP RECURSOS DE TODAS AS FONTES TRANSPORTE TRANSPORTE FERROVIÁRIO DESENVOLVIMENTO E INTEGRAÇÃO DOS TRANSPORTES AMPLIAÇÃO DA LINHA 1 - RAMAL TANCREDO NEVES - RODOVIÁRIA - MORADA NOVA AMPLIAR O FORNECIMENTO DE TRANSPORTE METROVIÁRIO PARA MORADORES DE OUTROS BAIRROS DA CIDADE DE TERESINA FI FI FI FI CONSTRUÇÃO DE LINHA METROVIÁRIA - LINHA ATENDER A POPULAÇÃO DA ZONA SUL DE TERESINA COM O TRANSPORTE FERROVIÁRIO. FI FI DUPLICAÇÃO DE LINHA URBANA DUPLICAR A MALHA EXISTENTE DO METRÔ DE TERESINA PARA OTIMIZAR A OPERAÇÃO DO SISTEMA. FI FI FI FI ELIMINAÇÃO DE PASSAGEM DE NÍVEL ELIMINAR O CONFLITO EXISTENTE DE FERROVIA X RODOVIA, MELHORANDO A SEGURANÇA DO SISTEMA. FI FI FI FI ESTUDO DE VIABILIZAÇÃO PARA EXPANSÃO DO METRÔ REALIZAR ESTUDOS PARA VIABILIZAR FUTURAS EXPANSÕES DO SISTEMA METROVIÁRIO EM OUTROS BAIRROS DA CAPITAL. FI FI RECUPERAÇÃO E MODERNIZAÇÃO DA LINHA 1 EXISTENTE ESTRUTURAR E MODERNIZAR A LINHA 1 DO METRÔ PARA ABSORVER A DEMANDA POTENCIAL DA REGIÃO SUDESTE DA CIDADE DE TERESINA. FI FI FI

17 SECRETARIA DOS TRANSPORTES COMPANHIA METROPOLITANA DE TRANSPORTES PÚBLICOS - CMTP RECURSOS DE TODAS AS FONTES FI FI FI FI FI RECUPERAÇÃO DA LINHA ALTOS-PARNAÍBA REATIVAR TRECHO FERROVIÁRIO AO LITORAL DO ESTADO, PARA UTILIZAÇÃO EM TRANSPORTE DE PASSAGEIROS INTERMUNICIPAL. FI FI FI FI AQUISIÇÃO DE TRENS - UNIDADE PARA O METRÔ DE TERESINA MODERNIZAR AS COMPOSIÇÕES DO METRÔ E AUMENTAR A DEMANDA DE PASSAGEIROS, ATRAVÉS DA AQUISIÇÃO DE 24 UNIDADES DE VAGÕES, INCLUINDO CARROS DE TRAÇÃO E CARROS DE PASSAGEIROS, TOTALIZANDO 06 COMPOSIÇÕES DE TRENS. FI FI FI FI REUPERAÇÃO DE ESTAÇÕES DE PASSAGEIROS RECUPERAR AS ESTAÇÕES FERROVIÁRIAS EXISTENTES NOS MUNICIPIOS PARA ATENDIMENTO DO TRANSPORTE INTERMUNICIPAL. FI FI RECUPERAÇÃO DE VIA PERMANENTE - TRECHO CODÔ / ALTOS UTILIZAR LINHA FERROVIÁRIA EXISTENTE ENTRE OS MUNICÍPIOS PARA ADEQUÁ-LAS AO TRANSPORTE DE PASSAGEIROS. FI FI GESTÃO E MANUTENÇÃO DO PODER EXECUTIVO REFORMA DA SEDE ADMINISTRAÇÃO DA CMTP MELHORAR AS INSTALAÇÕES FÍSICAS DA SEDE PARA PROPORCIONAR MAIOR CONFORTO E EFICIÊNCIA NA PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS DA COMPANHIA. FI FI

18 COMPANHIA DE GÁS DO ESTADO DO PIAUÍ GASPISA

19 SECRETARIA ESTADUAL DE MINERAÇÃO, PETRÓLEO E ENERGIAS RENOVÁVEIS COMPANHIA DE GÁS DO ESTADO DO PIAUÍ - GASPISA RECURSOS DE TODAS AS FONTES ENERGIA INFRA-ESTRUTURA URBANA INFRAESTRUTURA E QUALIDADE DE VIDA DISTRIBUIÇÃO DO GÁS NATURAL ATRAVÉS DO GASODUTO DISTRIBUIÇÃO DO GÁS NATURAL NO ESTADO DO PIAUÍ, SUBSTITUINDO AS FONTES ENERGÉTICAS EXISTENTES PARA O GÁS NATURAL QUE NÃO É DERIVADO DE PETRÓLEO, APRESENTANDO UMA ALTERNATIVA ENERGÉTICA MAIS BARATA E MENOS POLUENTE. FI

ANEXO V ORÇAMENTO DE INVESTIMENTO DAS EMPRESAS ESTATAIS

ANEXO V ORÇAMENTO DE INVESTIMENTO DAS EMPRESAS ESTATAIS ORÇAMENTO DE INVESTIMENTO DAS EMPRESAS ESTATAIS Águas e Esgotos do Piauí S/A AGESPISA Companhia de Gás do Estado do Piauí GASPISA Empresa de Gestão de Recursos do Estado do Piauí S/A EMGERPI Companhia

Leia mais

Governo do Estado do Rio Grande do Norte Sistema Integrado para Administração Financeira Programa de Trabalho dos Investimentos

Governo do Estado do Rio Grande do Norte Sistema Integrado para Administração Financeira Programa de Trabalho dos Investimentos dos Investimentos 19203 - Agência de Fomento 19203 - Agência de Fomento do RN 04 - Administração 3.000 123 - Administração Financeira 3.000 0088 - Promoção do Desenvolvimento Econômico e Social 3.000 1451

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CRUZEIRO DO SUL PPA 2010/2013 CLASSIFICAÇÃO DOS PROGRAMAS E AÇÕES POR FUNÇÃO E SUBFUNÇÃO SUBFUNÇÃO PROGRAMA AÇÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CRUZEIRO DO SUL PPA 2010/2013 CLASSIFICAÇÃO DOS PROGRAMAS E AÇÕES POR FUNÇÃO E SUBFUNÇÃO SUBFUNÇÃO PROGRAMA AÇÃO FUNÇÃO: 01 - LEGISLATIVA 031 Ação Legislativa 0001 - Execução da Ação Legislativa Manutenção das Atividades Legislativas FUNÇÃO: 02 - JUDICIÁRIA 122 Administração Geral 0006 - Defesa Jurídica do Município

Leia mais

APOIO E INCENTIVO TÉCNICO E FINANCEIRO A ORGANIZAÇÕES NÃO GOVERNAMENTAIS. 45101.04122211.053 FO 3.3.90.35 00 2.000

APOIO E INCENTIVO TÉCNICO E FINANCEIRO A ORGANIZAÇÕES NÃO GOVERNAMENTAIS. 45101.04122211.053 FO 3.3.90.35 00 2.000 45101 - SECRETARIA DAS CIDADES RECURSOS DE TODAS AS FONTES 45101.04122211.053 45101.04122211.054 APOIO E INCENTIVO TÉCNICO E FINANCEIRO A ORGANIZAÇÕES NÃO GOVERNAMENTAIS. ELABORAÇÃO DE PROJETOS E EXECUÇÃO

Leia mais

Orçamento ANEXO III ORÇAMENTO DE INVESTIMENTO DAS EMPRESAS CONTROLADAS PELO ESTADO

Orçamento ANEXO III ORÇAMENTO DE INVESTIMENTO DAS EMPRESAS CONTROLADAS PELO ESTADO Governo do Estado de Minas Gerais Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão Subsecretaria de Planejamento, Orçamento e Qualidade do Gasto Superintendência Central de Planejamento e Programação Orçamentária

Leia mais

COPASA COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS

COPASA COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS COPASA COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS Apresentação A Companhia de Saneamento de Minas Gerais, COPASA, criada em 1963, é uma empresa vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Regional e Política

Leia mais

Easy PDF Creator is professional software to create PDF. If you wish to remove this line, buy it now.

Easy PDF Creator is professional software to create PDF. If you wish to remove this line, buy it now. PROGRAMA : ADMINISTRAÇÃO GERAL OBJETIVO : Manter as atividades administrativas e operacionais dos órgãos para melhoria da prestação de serviços ao público Valores (R$ 1,00) 2006 11.700,000 Manutenção das

Leia mais

ESPELHO DE EMENDA INICIATIVA

ESPELHO DE EMENDA INICIATIVA SISTEMA DE ELABORAÇÃO DE S ÀS LEIS ORÇAMENTÁRIAS ESPELHO DE 001 - Construção do Contorno Ferroviário de Curitiba AUTOR DA Luciano Ducci 37050001 539 0141 - Promover a expansão da malha ferroviária federal

Leia mais

EMENDA AO PLDO/2003 - PL Nº 009/2002-CN ANEXO DE METAS E PRIORIDADES

EMENDA AO PLDO/2003 - PL Nº 009/2002-CN ANEXO DE METAS E PRIORIDADES Emenda Nº: 337 0230 05704 0012 CONSTRUÇÃO DE TRECHOS RODOVIÁRIOS NO CORREDOR LESTE-BR 482/ - CONSTRUÇÃO DO TRECHO PIRANGA- PORTO FIRME- ARAPONGA - FERVEDOURO. TRECHO PAVIMENTADO KM 30 KM A construção desse

Leia mais

APRESENTAÇÃO 21.07.2011

APRESENTAÇÃO 21.07.2011 APRESENTAÇÃO 21.07.2011 QUEM SOMOS Instituição Financeira do Estado de São Paulo, regulada pelo Banco Central, com inicio de atividades em Março/2009 Instrumento institucional de apoio à execução de políticas

Leia mais

SÍNTESE BARRA DO GARÇAS RP IV

SÍNTESE BARRA DO GARÇAS RP IV SÍNTESE BARRA DO GARÇAS RP IV Realizar projetos para destinação de resíduos sólidos * Meio Ambiente Desenvolver programas de educação ambiental Apresentar pequenos e médios projetos de recuperação (seqüestro

Leia mais

GUIA 2013 PARA PREFEITOS E PREFEITAS MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL

GUIA 2013 PARA PREFEITOS E PREFEITAS MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL GUIA 2013 PARA PREFEITOS E PREFEITAS MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL Principais competências do Ministério da Integração Nacional: Ministro de Estado Formulação e condução da Política Nacional de Desenvolvimento

Leia mais

Desenvolvimento Agrícola e Meio Ambiente

Desenvolvimento Agrícola e Meio Ambiente p Relatório Consulta Pública Região Sudeste Oficinas 274 pessoas se credenciaram para participar das oficinas na cidade de Natividade. Foi solicitado à elas que elencassem as demandas e problemas regionais.

Leia mais

Demonstrativo de Funções, Subfunções e Programas por Projetos e Atividades - Anexo VII

Demonstrativo de Funções, Subfunções e Programas por Projetos e Atividades - Anexo VII 01 Legislativa 3.000.000 52.200.000 55.200.000 01031 Ação Legislativa 7.834.000 7.834.000 010310028 ATUAÇÃO LEGISLATIVA DA CÂMARA MUNICIPAL DE 7.834.000 7.834.000 01122 Administração Geral 3.000.000 38.140.000

Leia mais

Programas e Ações VALOR DO PROGRAMA NO ANO 2016 2017 2018 2019 ORÇAMENTO FISCAL 131.747.455 6.000 6.000 6.000

Programas e Ações VALOR DO PROGRAMA NO ANO 2016 2017 2018 2019 ORÇAMENTO FISCAL 131.747.455 6.000 6.000 6.000 PROGRAMA : 016 - DESENVOLVIMENTO DA INFRAESTRUTURA GOVERNAMENTAL PROGRAMA : UNISSETORIAL EIXO : INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA UNIDADE RESPONSÁVEL : OBJETIVO DO PROGRAMA : 2141 - DEPARTAMENTO DE OBRAS PÚBLICAS

Leia mais

EDUARDO TADEU SAGGIORATO Gerente de Negócios e Operações NADSON XAVIER SOARES Gerente do Setor Público 21.02.2013

EDUARDO TADEU SAGGIORATO Gerente de Negócios e Operações NADSON XAVIER SOARES Gerente do Setor Público 21.02.2013 EDUARDO TADEU SAGGIORATO Gerente de Negócios e Operações NADSON XAVIER SOARES Gerente do Setor Público 21.02.2013 QUEM SOMOS Legal Instituição Financeira do Estado de São Paulo, vinculada a Secretaria

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA

GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SECRETARIA DE INFRA-ESTRUTURA SEINFRA RELATÓRIO DE GESTÃO EXERCÍCIO 2007 FEVEREIRO - 2008 SECRETARIA DE INFRA-ESTRUTURA ANTONIO CARLOS BATISTA NEVES Secretário de Infra-Estrutura

Leia mais

Objetivo 3.2. Melhorar a infra-estrutura de transporte e logística do Estado. As prioridades estaduais, segundo a visão da indústria, estão na

Objetivo 3.2. Melhorar a infra-estrutura de transporte e logística do Estado. As prioridades estaduais, segundo a visão da indústria, estão na Objetivo 3.2. Melhorar a infra-estrutura de transporte e logística do Estado. As prioridades estaduais, segundo a visão da indústria, estão na ampliação do número de terminais portuários, rodovias, ferrovias

Leia mais

PORTARIA N o 121, DE 27 DE SETEMBRO DE 2010 (publicada no DOU de 28/09/2010, seção I. página 65)

PORTARIA N o 121, DE 27 DE SETEMBRO DE 2010 (publicada no DOU de 28/09/2010, seção I. página 65) PORTARIA N o 121, DE 27 DE SETEMBRO DE 2010 (publicada no DOU de 28/09/2010, seção I. página 65) A SECRETÁRIA DE ORÇAMENTO FEDERAL, tendo em vista o disposto no art. 55, inciso III, da Lei n o 12.017,

Leia mais

Governo do Estado do Rio Grande do Norte Sistema Integrado para Administração Financeira Anexo de Metas e Prioridades

Governo do Estado do Rio Grande do Norte Sistema Integrado para Administração Financeira Anexo de Metas e Prioridades Programa 1704 - APOIO À AGRICULTURA FAMILIAR 17000 - Secretaria de Estado da Agricultura, da Pecuária e da Pesca Fortalecer a agricultura familiar, através de um conjunto de ações implementadas em parceria

Leia mais

Oportunidade de Investimento no Pará. Principais linhas de financiamento do Banco da Amazônia

Oportunidade de Investimento no Pará. Principais linhas de financiamento do Banco da Amazônia Seminário: Oportunidade de Investimento no Pará Palestra: Principais linhas de financiamento do Banco da Amazônia Palestrante: Valmir Pedro Rossi - Presidente São Paulo, 02 de dezembro de 2013 Pauta da

Leia mais

Nos trilhos do progresso

Nos trilhos do progresso Nos trilhos do progresso brasil: polo internacional de investimentos e negócios. Um gigante. O quinto maior país do mundo em extensão e população e o maior da América Latina, onde se destaca como a economia

Leia mais

INVESTIMENTOS, ABORDAGENS E ESFORÇOS COMUNS NO SANEAMENTO RURAL

INVESTIMENTOS, ABORDAGENS E ESFORÇOS COMUNS NO SANEAMENTO RURAL VI SEMINÁRIO NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL I ENCONTRO LATINO-AMERICANO DE SANEAMENTO RURAL INVESTIMENTOS, ABORDAGENS E ESFORÇOS COMUNS NO SANEAMENTO RURAL Ernani Ciríaco de Miranda Diretor SNSA/MCIDADES

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PRESIDENTE KUBITSCHEK Estado de Minas Gerais MENSAGEM Nº

PREFEITURA MUNICIPAL DE PRESIDENTE KUBITSCHEK Estado de Minas Gerais MENSAGEM Nº MENSAGEM Nº Senhores membros da Câmara Municipal, Submeto à elevada deliberação de V. Exªs. o texto do projeto de lei que institui o Plano Plurianual para o período de 2002 a 2005. Este projeto foi elaborado

Leia mais

PROJETO DE LEI ORÇAMENTÁRIA PARA 2007

PROJETO DE LEI ORÇAMENTÁRIA PARA 2007 Secretaria de Orçamento Federal - SOF Assessoria de Consolidação - ASCON PROJETO DE LEI ORÇAMENTÁRIA PARA 2007 No Estado do Rio de (RJ) Ministério da Ciência e Tecnologia 0 23.384 23.384 Implantação de

Leia mais

Prefeitura Municipal de AJURICABA LDO - Lei de Diretrizes Orçamentárias - 2016 Anexo V - Meta Fiscal da Despesa - Rol de Programas

Prefeitura Municipal de AJURICABA LDO - Lei de Diretrizes Orçamentárias - 2016 Anexo V - Meta Fiscal da Despesa - Rol de Programas Página: 1 0000 OPERAÇÕES ESPECIAIS 101 Restituição de Recursos 4.000,00 5.000,00 6.000,00 201 Contribuição PASEP 290.000,00 300.000,00 310.000,00 301 Sentenças Judiciais e Precatórios 6.000,00 8.000,00

Leia mais

Usina Hidrelétrica de Belo Monte

Usina Hidrelétrica de Belo Monte Usina Hidrelétrica de Belo Monte PA Ao dar continuidade ao maior programa de infraestrutura do Brasil desde a redemocratização, o Governo Federal assumiu o compromisso de implantar um novo modelo de desenvolvimento

Leia mais

JULIO THEMES NETO Diretor de Fomento e Crédito 01.06.2015

JULIO THEMES NETO Diretor de Fomento e Crédito 01.06.2015 JULIO THEMES NETO Diretor de Fomento e Crédito 01.06.2015 Instituição financeira do Governo do Estado de São Paulo, que promove o desenvolvimento sustentável por meio de operações de crédito consciente

Leia mais

COPA DO MUNDO FIFA 2014 BRASIL. Oportunidades e Desafios

COPA DO MUNDO FIFA 2014 BRASIL. Oportunidades e Desafios COPA DO MUNDO FIFA 2014 BRASIL Oportunidades e Desafios COPA DO MUNDO - OPORTUNIDADES Um evento esportivo do porte de uma Copa do Mundo é como uma grande vitrine do país no exterior e corresponde a um

Leia mais

Comitê Gestor do PAC

Comitê Gestor do PAC RORAIMA Apresentação Esta publicação apresenta informações regionalizadas do 4º balanço do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), referente a abril de 2008. Traz, também, dados sobre outros importantes

Leia mais

OBRAS DE INFRAESTRUTURA NO BRASIL

OBRAS DE INFRAESTRUTURA NO BRASIL OBRAS DE INFRAESTRUTURA NO BRASIL Estudo realizado com 259 empresas; Faturamento das empresas pesquisadas representando mais de 30% do PIB brasileiro; O objetivo principal é mapear e avaliar a importância

Leia mais

AS/DEURB. 2 Seminário de Trólebus. Instituto de Engenharia SP. 14 de maio de 2013

AS/DEURB. 2 Seminário de Trólebus. Instituto de Engenharia SP. 14 de maio de 2013 AS/DEURB 2 Seminário de Trólebus Instituto de Engenharia SP 14 de maio de 2013 Carlos Malburg Gerente Setorial de Mobilidade Urbana cmalburg@bndes.gov.br Transporte (recentes) Principais Contratações Metro

Leia mais

Odebrecht TransPort traça novas rotas brasileiras

Odebrecht TransPort traça novas rotas brasileiras nº 342 outubro 2014 Odebrecht TransPort traça novas rotas brasileiras Odebrecht 70 anos: projetos que contribuem para melhorar as opções de mobilidade urbana das comunidades Odebrecht Infraestrutura Brasil

Leia mais

CONSERVADOR DAS ÁGUAS LEI MUNICIPAL 2.100/2005

CONSERVADOR DAS ÁGUAS LEI MUNICIPAL 2.100/2005 CONSERVADOR DAS ÁGUAS LEI MUNICIPAL 2.100/2005 EXTREMA EXTREMO SUL DE MINAS. SERRA DA MANTIQUEIRA. 480 KM BH E 100 KM DA CIDADE DE SP. POPULAÇÃO 24.800 HABITANTES. CONTINUIDADE ADMINISTRATIVA DE 20 ANOS

Leia mais

Linha Economia Verde

Linha Economia Verde Linha Economia Verde QUEM SOMOS Instituição Financeira do Estado de São Paulo, regulada pelo Banco Central, com inicio de atividades em Março/2009 Instrumento institucional de apoio àexecução de políticas

Leia mais

Fontes de Financiamento para o segmento de Saneamento junto à Caixa Econômica Federal

Fontes de Financiamento para o segmento de Saneamento junto à Caixa Econômica Federal Fontes de Financiamento para o segmento de Saneamento junto à Caixa Econômica Federal Piracicaba, 07 de Agosto de 2013 Atuação da CAIXA Missão: Atuar na promoção da cidadania e do desenvolvimento sustentável

Leia mais

1.2 - Implantação do programa de habitação rural (construção de casas de qualidade nas propriedades rurais).

1.2 - Implantação do programa de habitação rural (construção de casas de qualidade nas propriedades rurais). PLANO DE GOVERNO - ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARTICIPATIVA PARA 2013/2016 COLIGAÇÃO O PRESENTE NOS PERMITE SEGUIR EM FRENTE - CANDIDATO A PREFEITO PEDRINHO DA MATA 11 Ações a serem realizadas por Secretarias:

Leia mais

Presidência da República

Presidência da República Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 12.729 DE 18 DE OUTUBRO DE 2012 (publicada no DOU de 19/10/2012, Seção 1, página 01) Abre crédito extraordinário, em favor dos

Leia mais

Aimplementação da estratégia Caminhos da Bahia fundamenta-se no aporte de infraestrutura

Aimplementação da estratégia Caminhos da Bahia fundamenta-se no aporte de infraestrutura PPA 2004-2007 Caminhos da Bahia: Infra-estrutura e Logística Aimplementação da estratégia Caminhos da Bahia fundamenta-se no aporte de infraestrutura nas áreas de transportes e energia, com o objetivo

Leia mais

Compromissos com o Meio Ambiente e a Qualidade de Vida Agenda Socioambiental para o Desenvolvimento Sustentável do Amapá

Compromissos com o Meio Ambiente e a Qualidade de Vida Agenda Socioambiental para o Desenvolvimento Sustentável do Amapá Compromissos com o Meio Ambiente e a Qualidade de Vida Agenda Socioambiental para o Desenvolvimento Sustentável do Amapá Eu, ( ) (sigla do partido) me comprometo a promover os itens selecionados abaixo

Leia mais

S O C I O A M B I E N TA L

S O C I O A M B I E N TA L Apresentação Todas as ações desenvolvidas pelo Banrisul estão comprometidas em preservar o meio ambiente, seja no momento de realizar um contrato de financiamento agrícola, investimento em projeto, seja

Leia mais

5.7) Programas, Planos e Projetos Colocalizados

5.7) Programas, Planos e Projetos Colocalizados 5.7) Programas, Planos e Projetos Colocalizados 5.7.1) Metodologia No presente item, objetiva-se identificar os programas e projetos que poderão provocar algum tipo de sinergia e/ou interferência com a

Leia mais

OBJETIVO prioridade da agenda política.

OBJETIVO prioridade da agenda política. SANEAR É VIVER OBJETIVO Propor ao governo e à sociedade ações que melhorem o desempenho do saneamento do país e elevem o tema ao status de prioridade da agenda política. A exemplo da ação que resultou

Leia mais

P.P.P. PARCERIAS PÚBLICO PRIVADAS O porque das Parcerias Público Privadas Impossibilidade de obtenção de recursos públicos A crise da economia

P.P.P. PARCERIAS PÚBLICO PRIVADAS O porque das Parcerias Público Privadas Impossibilidade de obtenção de recursos públicos A crise da economia P.P.P. PARCERIAS PÚBLICO PRIVADAS O porque das Parcerias Público Privadas Impossibilidade de obtenção de recursos públicos A crise da economia causada pelo endividamento público Limitação provocada pela

Leia mais

SÍNTESE JUINA. Meio Ambiente

SÍNTESE JUINA. Meio Ambiente SÍNTESE JUINA Aperfeiçoar mecanismos controle ambiental Meio Ambiente Instalação de viveiros de distribuição de mudas para o reflorestamento e matas ciliares Ampliar aceso aos programas de crédito de Capacitar

Leia mais

PROPOSTAS PARA DESENVOLVIMENTO NAS ÁREAS

PROPOSTAS PARA DESENVOLVIMENTO NAS ÁREAS POLÍTICAS PÚBLICAS: SANEAMENTO OBRAS PARTICIPAÇÃO POPULAR EDUCAÇÃO SAÚDE O que são políticas públicas? Políticas públicas podem ser entendidas como ações desenvolvidas pelo Estado, tendo em vista atender

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2011

PROJETO DE LEI Nº, DE 2011 PROJETO DE LEI Nº, DE 2011 (Do Sr. Penna) Dispõe sobre a criação do Plano de Desenvolvimento Energético Integrado e do Fundo de Energia Alternativa. O Congresso Nacional decreta: Art. 1º Ficam instituídos

Leia mais

ANEXOS DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA - OI

ANEXOS DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA - OI ANEXOS DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA - OI Demonstrativo Consolidado por Função Demonstrativo Consolidado por Subfunção Demonstrativo Consolidado por Função/Subfunção Demonstrativo Consolidado por Programa Demonstrativo

Leia mais

Código Especificação Fiscal Seg.Social Investimentos Total

Código Especificação Fiscal Seg.Social Investimentos Total 100 Fortalecimento da Atuação Legislativa 8.475.000 8.475.000 101 Fortalecimento do Controle Externo Estadual 80.649.880 80.649.880 102 Fortalecimento do Controle Externo Municipal 3.245.000 3.245.000

Leia mais

TRANSPORTE FERROVIÁRIO

TRANSPORTE FERROVIÁRIO TRANSPORTE FERROVIÁRIO O transporte ferroviário no Brasil sofreu, durante um grande período, talvez devido à grande concorrência do transporte rodoviário, a falta de incentivo com relação à ampliação do

Leia mais

Mesa Redonda Universalização do saneamento e mobilização social em comunidades de baixa renda

Mesa Redonda Universalização do saneamento e mobilização social em comunidades de baixa renda Secretaria Nacional de Mesa Redonda Universalização do saneamento e mobilização social em comunidades de baixa renda PLANEJAMENTO E CONTROLE SOCIAL COMO ESTRATÉGIAS PARA UNIVERSALIZAR O SANEAMENTO Marcelo

Leia mais

PROGRAMA PRIORITÁRIO DE INVESTIMENTOS EM INFRA-ESTRUTURA 2007-2010. Saneamento

PROGRAMA PRIORITÁRIO DE INVESTIMENTOS EM INFRA-ESTRUTURA 2007-2010. Saneamento PROGRAMA PRIORITÁRIO DE INVESTIMENTOS EM INFRA-ESTRUTURA 2007-2010 Saneamento PREMISSAS BÁSICAS Buscar a universalização do atendimento Implementar a Lei de Saneamento Básico Garantir política estável

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CRUZEIRO DO SUL PPA 2010/2013 CLASSIFICAÇÃO DOS PROGRAMAS E AÇÕES POR FUNÇÃO E SUBFUNÇÃO SUBFUNÇÃO PROGRAMA AÇÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CRUZEIRO DO SUL PPA 2010/2013 CLASSIFICAÇÃO DOS PROGRAMAS E AÇÕES POR FUNÇÃO E SUBFUNÇÃO SUBFUNÇÃO PROGRAMA AÇÃO FUNÇÃO: 01 - LEGISLATIVA 31 Ação Legislativa 0001- Execução da Ação Legislativa 2001 - Manutenção das Atividades Legislativas da Câmara Municipal FUNÇÃO: 02 - JUDICIÁRIA 122 Administração Geral 0006- Defesa

Leia mais

O que é saneamento básico?

O que é saneamento básico? O que é saneamento básico? Primeiramente, começaremos entendendo o real significado de saneamento. A palavra saneamento deriva do verbo sanear, que significa higienizar, limpar e tornar habitável. Portanto,

Leia mais

Propostas da LDO 2013

Propostas da LDO 2013 Propostas da LDO 2013 Secretaria Municipal de Educação Complementação da Merenda Escolar; Reforma de Escolas; Construção de Escolas; Reparos em Escolas; Construção de Espaços para prática de Educação Física;

Leia mais

Compromisso com a Engenharia e o Brasil

Compromisso com a Engenharia e o Brasil Compromisso com a Engenharia e o Brasil Quem Somos SENGE - BA é uma entidade autônoma, sem fins lucrativos, constituída para a coordenação, defesa e representação dos engenheiros e engenheiras da Bahia

Leia mais

ASSEMBLÉIA GERAL DA RELOB AS ESTRUTURAS DE GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS NAS BACIAS PCJ

ASSEMBLÉIA GERAL DA RELOB AS ESTRUTURAS DE GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS NAS BACIAS PCJ ASSEMBLÉIA GERAL DA RELOB AS ESTRUTURAS DE GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS NAS BACIAS PCJ Dalto Favero Brochi Consórcio PCJ Rio de Janeiro Novembro / 2008 LOCALIZAÇÃO DAS BACIAS PCJ CARACTERIZAÇÃO DAS BACIAS

Leia mais

O Papel do Governo no Transporte Ferroviário. Atuação do Ministério dos Transportes

O Papel do Governo no Transporte Ferroviário. Atuação do Ministério dos Transportes O Papel do Governo no Transporte Ferroviário Atuação do Ministério dos Transportes Brasília, 11 de agosto de 2010 Paulo Sérgio Passos Ministro dos Transportes Um momento especial 2010 tem sido um ano de

Leia mais

Investimento Privado em Angola

Investimento Privado em Angola Abril 2013 Investimento Privado em Angola Sectores Económicos Prioritários Investimento Privado em Angola Sectores Económicos Prioritários Sectores económicos prioritários Agricultura e Pecuária Indústria

Leia mais

BANCO DE PROJETOS. A infra-estrutura dos Estados e Municípios necessita ser planejada;

BANCO DE PROJETOS. A infra-estrutura dos Estados e Municípios necessita ser planejada; BANCO DE PROJETOS É O ACERVO DE PROJETOS EXECUTADOS COM ANTERIORIDADE PARA DAR SUPORTE A UM PROGRAMA DE OBRAS, ESPECIALMENTE DE MÉDIO E LONGO PRAZO, COM VISTAS A UM EFICIENTE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE

Leia mais

É HORA DE INCLUIR O DESENVOLVIMENTO LOCAL NAS PRIORIDADES DO SEU MUNICÍPIO! Especialistas em pequenos negócios

É HORA DE INCLUIR O DESENVOLVIMENTO LOCAL NAS PRIORIDADES DO SEU MUNICÍPIO! Especialistas em pequenos negócios É HORA DE INCLUIR O DESENVOLVIMENTO LOCAL NAS PRIORIDADES DO SEU MUNICÍPIO! Especialistas em pequenos negócios MÃOS À OBRA!!! Prefeito e Prefeita, seguem sugestões de Programas e Ações a serem inseridos

Leia mais

PROPOSTAS DO III SEMINARIO SUL BRASILEIRO DE AGRICULTURA SUSTENTÁVEL GRUPO DE TRABALHO PRODUÇÃO DE ALIMENTOS PARA O TURISMO RURAL

PROPOSTAS DO III SEMINARIO SUL BRASILEIRO DE AGRICULTURA SUSTENTÁVEL GRUPO DE TRABALHO PRODUÇÃO DE ALIMENTOS PARA O TURISMO RURAL O Seminário Sul Brasileiro vem sendo organizado desde 2005, como um evento paralelo a Suinofest, festa gastronômica de derivados da carne suína, por um grupo formado pela UERGS, ACI-E, EMATER e Secretaria

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CASTELO CONSOLIDADO ESPÍRITO SANTO 27.165

PREFEITURA MUNICIPAL DE CASTELO CONSOLIDADO ESPÍRITO SANTO 27.165 001 - CÂMARA MUNICIPAL DE CASTELO 001 - CÂMARA MUNICIPAL DE CASTELO 01 Legislativa 1.405.502,77 1.405.502,77 01031 Ação Legislativa 1.405.502,77 1.405.502,77 010310001 APOIO ADMINISTRATIVO DA CÂMARA MUNICIPAL

Leia mais

Promover o desenvolvimento rural sustentável no Estado de São Paulo, ampliando as oportunidades de emprego e renda, a inclusão social, a preservação

Promover o desenvolvimento rural sustentável no Estado de São Paulo, ampliando as oportunidades de emprego e renda, a inclusão social, a preservação GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE AGRICULTURA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável MicrobaciasII OBJETIVO GERAL Promover o desenvolvimento

Leia mais

www.supervia.com.br 1

www.supervia.com.br 1 www.supervia.com.br 1 Trens Urbanos no Rio de Janeiro Histórico Antes da privatização, sob condições de transporte inadequadas, o número de passageiros caiu consistentemente Média de passageiros dias úteis

Leia mais

10122 ADMINISTRAÇÃO GERAL 252.311,25 101220001 SUSTENTAÇÃO ADMINISTRATIVA 252.311,25 Total Unidade: 252.311,25

10122 ADMINISTRAÇÃO GERAL 252.311,25 101220001 SUSTENTAÇÃO ADMINISTRATIVA 252.311,25 Total Unidade: 252.311,25 2-0216 - SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE 10 SAÚDE 10122 ADMINISTRAÇÃO GERAL 101220001 SUSTENTAÇÃO ADMINISTRATIVA Total : 04 ADMINISTRAÇÃO 0217 - SECRETARIA MUNICIPAL DE COMUNICAÇÃO SOCIAL 04122 ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Novas Políticas Operacionais BNDES. Rio de Janeiro, 14 de fevereiro de 2006

Novas Políticas Operacionais BNDES. Rio de Janeiro, 14 de fevereiro de 2006 Novas Políticas Operacionais BNDES Rio de Janeiro, 14 de fevereiro de 2006 Preparação do Banco para as novas Políticas Operacionais Aumento da eficiência e agilização dos procedimentos do banco, através

Leia mais

1 Qualificar os serviços de Abastecimento de água potável

1 Qualificar os serviços de Abastecimento de água potável nos núcleos rurais com mais de 10 economias nas áreas quilombolas nas áreas indígenas Planilha de Objetivos, Indicadores e Ações Viabilizadoras GT Saneamento A Santa Maria que queremos Visão: "Que até

Leia mais

Curso Agenda 21. Resumo da Agenda 21. Seção I - DIMENSÕES SOCIAIS E ECONÔMICAS

Curso Agenda 21. Resumo da Agenda 21. Seção I - DIMENSÕES SOCIAIS E ECONÔMICAS Resumo da Agenda 21 CAPÍTULO 1 - Preâmbulo Seção I - DIMENSÕES SOCIAIS E ECONÔMICAS CAPÍTULO 2 - Cooperação internacional para acelerar o desenvolvimento sustentável dos países em desenvolvimento e políticas

Leia mais

ÓRGÃO: 14000 - SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO-AMBIENTE PROGRAMA DE TRABALHO

ÓRGÃO: 14000 - SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO-AMBIENTE PROGRAMA DE TRABALHO PLANO PLURIANUAL 2010-2013 CÓDIGO ESPECIFICAÇÃO - FUNCIONAL PROGRAMÁTICA 18000000 GESTÃO AMBIENTAL 18542000 CONTROLE AMBIENTAL 18542010 PROGRAMA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE 185420102.074 COORDENAÇÃO DOS

Leia mais

DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL

DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL SE É DESENVOLVIMENTO É PRIORIDADE DO SEBRAE LEI GERAL DA MICRO E PEQUENA EMPRESA REGULAMENTAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO LEI GERAL DA MICRO E PEQUENA EMPRESA LG REGULAMENTADA LG REGULAMENTADA

Leia mais

PORTARIA N o 35 DE 20 DE OUTUBRO DE 2006 (publicada no DOU de 25/10/2006, seção I, página 75)

PORTARIA N o 35 DE 20 DE OUTUBRO DE 2006 (publicada no DOU de 25/10/2006, seção I, página 75) PORTARIA N o 35 DE 20 DE OUTUBRO DE 2006 (publicada no DOU de 25/10/2006, seção I, página 75) O SECRETÁRIO DE ORÇAMENTO FEDERAL, tendo em vista a autorização constante do art. 62, inciso III, da Lei n

Leia mais

Ação do BNB no Crédito para Energias Renováveis. Fortaleza(CE), 10 a 12/06/2015

Ação do BNB no Crédito para Energias Renováveis. Fortaleza(CE), 10 a 12/06/2015 Ação do BNB no Crédito para Energias Renováveis Fortaleza(CE), 10 a 12/06/2015 Tópicos 1. Sobre o Banco do Nordeste 2. Histórico do crédito para energias renováveis 3. Financiamento para a mini e microgeração

Leia mais

As Lições da Crise Hídrica na Região Metropolitana de São Paulo João Alberto Viol

As Lições da Crise Hídrica na Região Metropolitana de São Paulo João Alberto Viol As Lições da Crise Hídrica na Região Metropolitana de São Paulo João Alberto Viol Vice Presidente de Gestão e Assuntos Institucionais Resumo Planejamento das atividades de Infraestrutura de Saneamento

Leia mais

Curso de Gestão de Águas Pluviais

Curso de Gestão de Águas Pluviais Curso de Gestão de Águas Pluviais Capítulo 4 Prof. Carlos E. M. Tucci Prof. Dr. Carlos E. M. Tucci Ministério das Cidades 1 Capítulo 4 Gestão Integrada Conceito Marcos Mundiais, Tendência e Estágio Institucional

Leia mais

Não fique para trás! Submeta seu projeto. Fonte de recursos para projetos julho 2012

Não fique para trás! Submeta seu projeto. Fonte de recursos para projetos julho 2012 Não fique para trás! Submeta seu projeto. Fonte de recursos para projetos julho 2012 1. Patrocínios 1.1 Patrocínio a Eventos e Publicações Data limite: 60 dias de antecedência da data de início do evento

Leia mais

PREFEITURA DE XINGUARA

PREFEITURA DE XINGUARA 50/000-20 Anexo IV - Programas, Metas e Ações - (PPA Inicial) Página de 5 Programa: 000 AÇÃO LEGISLATIVA Manutenção da CMX através do apoio financeiro às atividades legislativas, custeio de despesas administrativas,

Leia mais

Esta apresentação foi realizada no âmbito do projeto Moradia é Central durante o seminário do projeto em Recife.

Esta apresentação foi realizada no âmbito do projeto Moradia é Central durante o seminário do projeto em Recife. Esta apresentação foi realizada no âmbito do projeto Moradia é Central durante o seminário do projeto em Recife. Data: dia 29 de abril de 2009 Local: sede da ONG Etapas no Recife PROGRAMA REABILITAÇÃO

Leia mais

Em busca da sustentabilidade na gestão do saneamento: instrumentos de planejamento

Em busca da sustentabilidade na gestão do saneamento: instrumentos de planejamento Em busca da sustentabilidade na gestão do saneamento: instrumentos de planejamento Marcelo de Paula Neves Lelis Gerente de Projetos Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental Ministério das Cidades Planejamento

Leia mais

Saneamento Cachoeira Alta - GO

Saneamento Cachoeira Alta - GO ANEXO III INFORMAÇÕES PRELIMINARES DO MUNICÍPIO E DO PLANO DE MOBILIZAÇÃO SOCIAL Nome do Município/UF Cachoeira Alta- GO População 10.553habitantes Caracterização do sistema de saneamento Breve descrição

Leia mais

Modelo de gestão SISAR. Novo Hamburgo, 03 de Dezembro de 2013

Modelo de gestão SISAR. Novo Hamburgo, 03 de Dezembro de 2013 Modelo de gestão SISAR Novo Hamburgo, 03 de Dezembro de 2013 DADOS POPULACIONAIS Brasil População Total 190.755.799 hab. Ceará População Total 8.452.381 hab. População Urbana 84,35% 160.914.804 hab. População

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CASTELO - ES CONSOLIDADO ESPÍRITO SANTO 27.165

PREFEITURA MUNICIPAL DE CASTELO - ES CONSOLIDADO ESPÍRITO SANTO 27.165 001 - CÂMARA MUNICIPAL DE CASTELO 001 - CÂMARA MUNICIPAL DE CASTELO 01 Legislativa 2.410.000,00 450.000,00 2.860.000,00 01031 Ação Legislativa 2.410.000,00 450.000,00 2.860.000,00 010310001 APOIO ADMINISTRATIVO

Leia mais

ESPELHO DE EMENDAS DE INCLUSÃO DE META

ESPELHO DE EMENDAS DE INCLUSÃO DE META COMISSÃO MISTA DE PLANOS, ORÇAMENTOS E FISCALIZ S AO PLN 0002 / 2007 - LDO Página: 24 de 2393 ESPELHO DE S DE INCLUSÃO DE META AUTOR DA 36800001 0471 Ciência, Tecnologia e Inovação para a Inclusão e Desenvolvimento

Leia mais

O espaço rural brasileiro 7ºano PROF. FRANCO AUGUSTO

O espaço rural brasileiro 7ºano PROF. FRANCO AUGUSTO O espaço rural brasileiro 7ºano PROF. FRANCO AUGUSTO Agropecuária É o termo utilizado para designar as atividades da agricultura e da pecuária A agropecuária é uma das atividades mais antigas econômicas

Leia mais

Plataforma Ambiental para o Brasil

Plataforma Ambiental para o Brasil Plataforma Ambiental para o Brasil A Plataforma Ambiental para o Brasil é uma iniciativa da Fundação SOS Mata Atlântica e traz os princípios básicos e alguns dos temas que deverão ser enfrentados na próxima

Leia mais

A importância das Agencias Governamentais na Localização dos Data Center"

A importância das Agencias Governamentais na Localização dos Data Center "A importância dos agentes governamentais na definição do Local dos Data Centers" Painel A importância das Agencias Governamentais na Localização dos Data Center" Tópicos: A DCT Realty gostaria de promover

Leia mais

MOBILIDADE E LOGÍSTICA NO RJ SECRETARIA DE ESTADO DE TRANSPORTES 2015-2018

MOBILIDADE E LOGÍSTICA NO RJ SECRETARIA DE ESTADO DE TRANSPORTES 2015-2018 MOBILIDADE E LOGÍSTICA NO RJ SECRETARIA DE ESTADO DE TRANSPORTES 2015-2018 Plano Diretor de Mobilidade para Região Metropolitana do Rio de Janeiro Plano Estratégico de Logística e Cargas do Estado do Rio

Leia mais

FGTS 45 ANOS DE DESENVOLVIMENTO O BRASIL E PROMOVENDO A CIDADANIA

FGTS 45 ANOS DE DESENVOLVIMENTO O BRASIL E PROMOVENDO A CIDADANIA FGTS 45 ANOS DE DESENVOLVIMENTO O BRASIL E PROMOVENDO A CIDADANIA Inês Magalhães Secretária Nacional de Habitação Ministério das Cidades Brasília, 24 de novembro de 2011 Política Nacional de Habitação

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE Coordenação Regional de santa Catarina ATENÇÃO

MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE Coordenação Regional de santa Catarina ATENÇÃO ATENÇÃO Apresentação do Seminário A Lei da Política Nacional do Saneamento Básico (lei 11.445/07) e o Inquérito Civil Público Estadual 04/04/PGJ/MPSC, realizado nos dias 30 e 31 de outubro de 2008. Arquivos

Leia mais

PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR....o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff

PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR....o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR...o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff Julho/2014 0 APRESENTAÇÃO Se fôssemos traduzir o Plano de Governo 2015-2018

Leia mais

NADSON XAVIER SOARES Gerente do Setor Público

NADSON XAVIER SOARES Gerente do Setor Público NADSON XAVIER SOARES Gerente do Setor Público Instituição financeira do Governo do Estado de São Paulo, que promove o desenvolvimento sustentável por meio de operações de crédito consciente e de longo

Leia mais

ANEXO DAS PRIORIDADES E METAS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

ANEXO DAS PRIORIDADES E METAS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PREFEITURA MUNICIPAL DE JOAO PESSOA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO EXERCÍCIO: 200 ANEXO DAS PRIORIDADES E METAS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA ÓRGÃO: AQUISIÇÃO DE MÁQUINAS EADQUIRIR VEICULOS, MÁQUINAS

Leia mais

LEI Nº 2.669, DE 30 DE ABRIL DE 2014.

LEI Nº 2.669, DE 30 DE ABRIL DE 2014. LEI Nº 2.669, DE 30 DE ABRIL DE 2014. Abre Crédito Adicional Especial, autoriza a alteração do Plano Plurianual e da Lei Orçamentária Anual para inclusão da programação decorrente da criação da Secretaria

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA LOGÍSTICA PARA O DESENVOLVIMENTO REGIONAL

A IMPORTÂNCIA DA LOGÍSTICA PARA O DESENVOLVIMENTO REGIONAL A IMPORTÂNCIA DA LOGÍSTICA PARA O DESENVOLVIMENTO REGIONAL 04/05/2011 Senado Federal - Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo O BRASIL EM NÚMEROS BASE PARA O CRESCIMENTO Os investimentos nas áreas

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ Secretaria de Estado de Meio Ambiente

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ Secretaria de Estado de Meio Ambiente GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ Secretaria de Estado de Meio Ambiente Anexo I a que se refere o Art. 2º, da Resolução do COEMA nº 107, de 08 de março de 2013. TIPOLOGIA SUB-TIPOLOGIA CONDIÇÃO ENERGIA ELÉTRICA

Leia mais

PARTICIPAÇÃO POPULAR E CIDADÃ ORÇAMENTO ESTADUAL 2012

PARTICIPAÇÃO POPULAR E CIDADÃ ORÇAMENTO ESTADUAL 2012 PARTICIPAÇÃO POPULAR E CIDADÃ ORÇAMENTO ESTADUAL 2012 Apoio Gabinete do Vice-Governador Secretaria-Executiva do Conselho Estadual de Desenvolvimento Econômico e Social Gabinete dos Prefeitos e Relações

Leia mais

O Setor Elétrico Brasileiro e a Sustentabilidade no Século 21 Oportunidades e Desafios

O Setor Elétrico Brasileiro e a Sustentabilidade no Século 21 Oportunidades e Desafios O Setor Elétrico Brasileiro e a Sustentabilidade no Século 21 Oportunidades e Desafios Português Resumo Executivo Esta é a segunda edição revista e ampliada da publicação: O Setor Elétrico Brasileiro e

Leia mais

INTEGRAÇÃO DOS INSTRUMENTOS DE GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS COM O PLANO DE BACIA

INTEGRAÇÃO DOS INSTRUMENTOS DE GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS COM O PLANO DE BACIA INTEGRAÇÃO DOS INSTRUMENTOS DE GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS COM O PLANO DE BACIA COBRANÇA PELO USO DA ÁGUA Reconhecer a água como bem econômico e dar ao usuário uma indicação de seu real valor Incentivar

Leia mais

A experiência de Belo Horizonte:

A experiência de Belo Horizonte: A experiência de Belo Horizonte: a construção de uma capital sustentável Vasco de Oliveira Araujo Secretário Municipal de Meio Ambiente Prefeitura de Belo Horizonte Junho 2012 Belo Horizonte e RMBH (34

Leia mais

AS REDES DE TRANSPORTE NO TERRITÓRIO PORTUGUÊS

AS REDES DE TRANSPORTE NO TERRITÓRIO PORTUGUÊS AS REDES DE TRANSPORTE NO TERRITÓRIO PORTUGUÊS A DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DAS REDES DE TRANSPORTE Rodoviária Ferroviária De Aeroportos De Portos De Energia Uma distribuição desigual Uma rede melhorada Segura

Leia mais