Primavera Árabe. 01. Uma onda de mudanças no Oriente Médio

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Primavera Árabe. 01. Uma onda de mudanças no Oriente Médio"

Transcrição

1 Primavera Árabe 01. Uma onda de mudanças no Oriente Médio O acontecimento de maior impacto em 2011 no cenário político mundial foi a revolta popular contra regimes autoritários no mundo árabe, área formada por países de maioria árabe e muçulmana na África do Norte e no Oriente Médio. Os primeiros momentos da Primavera Árabe, como o movimento foi chamado, causaram grande euforia. Em menos de um mês - de 13 de janeiro a 11 de fevereiro de revoluções populares derrubaram os ditadores da Tunísia e do Egito. A queda de Zine al-abidine Ben Ali, na Tunísia, sinalizou uma virada histórica: pela primeira vez, um governante da região foi deposto pela força do próprio povo. O fim do regime de Hosni Mubarak, no Egito, o país mais influente e populoso do mundo árabe, contagiou de vez a região com a perspectiva de que é possível contestar governos há décadas no poder. A onda de protestos espalhou-se rapidamente, atingindo o Iêmen, o Barein, a Líbia e a Síria. Nesses países, os governantes resistiram - com apoio de militares e forças de segurança - e reprimiram com violência as manifestações. Com isso, a Primavera Árabe entrou numa fase turbulenta e incerta, marcada por graves crises políticas, insurgência armada, intervenção militar externa e lutas sectárias. Após meses de conflitos, dois outros ditadores perderam o poder: Muammar Kadafi, na Líbia, e Ali Abdullah Saleh, no Iêmen. No fim de 2011, a maré de mudanças na região estava em pleno curso. No Marrocos e na Jordânia, houve protestos menores, contidos por meio de reformas políticas e sociais. 02. Velha Ordem Embora cada revolta possua um caráter nacional distinto, a população do mundo árabe partilha frustrações comuns, que estão na raiz dos protestos. A principal delas é a falta de democracia, de direitos e de liberdades. Os países da região são governados por regimes autocratas, nos quais a autoridade se concentra nas mãos de um único partido ou uma pessoa - um rei, um ditador ou um presidente. Nas monarquias constitucionais, comuns no Golfo Pérsico, a população elege um Parlamento frequentemente sem poder, e o rei escolhe o primeiro-ministro e tem a palavra final. Mesmo nos países em que existe alguma aparência democrática, os partidos mais proeminentes da oposição são regularmente banidos do jogo político, e as eleições, fraudadas pelo governo central. Em sua maioria, os dirigentes mantêm-se no poder amparados por forças de segurança implacáveis. Em muitos países, a elite dominante também é corrupta. Enquanto isso, a população sobrevive em condições de pobreza, às voltas com desemprego elevado e alto custo de vida - agravados nos últimos tempos pela crise econômica global. O aumento no preço dos alimentos, por exemplo, é 'apontado como um dos estopins da crise árabe. No começo de 2011, o índice de preços mundiais dos alimentos alcançou o mais alto patamar desde 1990, quando a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO) começou as medições. A insatisfação é maior entre os jovens, que representam cerca de metade da população desses países. Essa nova geração teve acesso à educação com frequência, até a universidade mas não encontra emprego, está desiludida com a falta de perspectivas e não se identifica com os valores antidemocráticos das elites políticas e econômicas de seu país. 03. Líbia e Síria Com o desenvolvimento dos protestos na região, os governos da Líbia e da Síria ficaram sob forte pressão dos países ocidentais, acusados de praticar a violência indiscriminada contra a

2 população civil. Na Líbia, a ditadura de Muammar Kadafi foi derrubada em agosto, após seis meses de revolta armada e cinco meses de bombardeios da Otan (aliança militar ocidental), sobretudo de aviões da Itália, da França, do Reino Unido e dos Estados Unidos. A morte violenta de Kadafi, depois de ser capturado pelas forças rebeldes, é vista como símbolo do conflito que custou a vida de 6 mil pessoas já nas primeiras semanas, segundo a Liga Líbia pelos Direitos Humanos. O novo governo de transição promete eleições livres. O desafio é grande: após ter vivido 42 anos sob a ditadura, o país não possui experiência democrática. A questão mais premente é desmobilizar e unificar sob um comando central as dezenas de milícias locais formadas no combate a Kadafi. Na Síria, os protestos por democracia, reprimidos com brutalidade pelo ditador Bashar al- Assad, evoluem no fim de 2011 para uma luta armada contra o regime. Para além dos confrontos entre o rebelde Exército Livre da Síria e as forças de Al-Assad, o país corre o risco de mergulhar numa espiral de violência sectária envolvendo a maioria sunita e a minoria alauíta, associada ao regime. Como a Síria é uma das protagonistas nos conflitos do Oriente Médio aliada do Irã e adversária de Israel-, a eventual conflagração da nação teria impacto em toda a região. Por isso, os países ocidentais apostaram, num primeiro momento, em pressionar Al-Assad na direção de uma abertura política. Diante da continuidade da violência interna, porém, cresceu a pressão externa por sua saída do poder. As potências ocidentais e a Liga Árabe decretaram sanções ao regime. A Turquia, antiga aliada, dá abrigo à oposição armada e política contra o regime sírio. O regime de Al-Assad chega ao fim de 2011 em grande isolamento interno e externo. 04. Barein e Iêmen No Iêmen, a nação mais pobre do mundo árabe, as manifestações pela saída do presidente Ali Abdullah Saleh, com mais de 30 anos no poder, rompem o equilíbrio político. Uma disputa paralela entre o clã de Saleh e facções rivais põe a nação à beira da guerra civil. Saleh é ferido em um atentado e vai para a Arábia Saudita em junho, mas o impasse prossegue, pois ele resiste a entregar o poder a um-governo de transição, o que ocorre em novembro. Mas a tensão prossegue, pois Saleh obtém imunidade contra processos e mantém a influência no governo - continua com o título de presidente honorário, e sua família domina as forças de segurança. No Barein, as manifestações da comunidade xiita - 70% da população contra a dinastia sunita são a mais grave ameaça uma monarquia do golfo em décadas. Mas, diferentemente da Síria, o governo do Barein é aliado dos Estados Unidos, que abrigam no pequeno pais a sua 5ª Frota Naval. Diante da ameaça crescente ao regime, o movimento por democracia e pelo fim da discriminação contra os xiitas é violentamente reprimido com a participação decisiva de tropas vindas da vizinha Arábia Saudita. Com a revolta sufocada, o rei convoca uma comissão para avaliar os abusos cometidos por suas forças durante os protestos. O relatório afirma que foi usada força excessiva e acusa a polícia e o aparato de segurança de praticar tortura contra os prisioneiros. O rei então forma um comitê para elaborar reformas políticas. A iniciativa é vista com ceticismo pelas lideranças xiitas. 05. Islamismo Uma tendência marcante na Primavera Árabe é a ascensão do islamismo como força política. O fato é inédito: durante décadas, as ditaduras seculares do mundo árabe reprimiram esses movimentos com o suporte das potências ocidentais. Partidos islâmicos foram postos na ilegalidade. Suas lideranças passaram longo tempo na prisão ou se exilaram. Nas revoluções que depõem os ditadores do Egito e da Tunísia, os islamistas ficam em segundo plano - quem comanda os protestos é movimento secular e liberal. Mas os partidos islâmicos ganham influência no processo de transição. Como são a força política mais tradicional e organizada, os partidos islâmicos disputam eleições em 2011 em vantagem e saem vitoriosos.

3 Na Tunísia, o partido mais votado é o islâmico Ennahda (Renascença), que deve nomear o novo primeiro-ministro e ter voz ativa na elaboração da Constituição. No Egito, a primeira fase das eleições parlamentares (que inclui Cairo e Alexandria, as principais cidades) dá vitória folgada às agremiações islâmicas. Além do partido da Irmandade Muçulmana, que obtém entre 30% e 40% dos votos, a grande revelação é o desempenho dos salafistas, com 20%. Caso os resultados se repitam nas outras regiões, os islamistas saem do pleito mais poderosos do que previam os analistas. No Marrocos, o novo primeiro-ministro é do islâmico Partido da Justiça e do Desenvolvimento (JD), vencedor das eleições legislativas. O pleito ocorre depois que o rei Muhammad VI realizou reformas, ampliando o poder Parlamento e do chefe de governo. O que não se sabe ainda é que feição tomarão as instituições na Tunísia e no Egito. No caso tunisiano, o Ennahda se define como um partido moderado, defensor da realidade religiosa, da igualdade de direitos para homens e mulheres, do respeito às minorias e do pluralismo político. No Egito, os militares ainda persistem em tentar manter o poder em suas mãos. A praça Tahir continua sendo palco de manifestações por democracia, e a entrega do poder a um governo civil é incerta. A direção da Irmandade Muçulmana anuncia uma posição semelhante à dos tunisianos do Ennahda. Já os salafistas são considerados fundamentalistas islâmicos, ou seja, querem um Estado religioso, regido pela sharia (lei islâmica), no qual o islamismo exerça um papel dominante na vida social e política. Na Líbia, Abdul Jalil- chefe do governo de transição formado após a queda de Kadafi, com o apoio ocidental- afirmou que a sharia será a base da legislação. 06. Mapa Geopolítico A Primavera Árabe começa a redesenhar o mapa geopolítico da região. Um importante desdobramento é a aparente redução da influência dos Estados Unidos. Tradicionalmente, o país mantém alianças com várias ditaduras árabes que reprimem o extremismo islâmico e asseguram a presença militar norte-americana no Oriente Médio. A região é estratégica por abrigar as maiores reservas de petróleo do planeta. Os EUA mantêm bases militares em países aliados para proteger seus interesses e supervisionar a saída do petróleo por mar. Com as revoltas populares que derrubaram ou fragilizaram esses regimes, a política externa dos EUA para a região tornou-se ainda mais complicada. Israel também vê a situação com bastante preocupação. O evento de maior impacto é a queda de Mubarak no Egito, nação árabe que se manteve como o principal pilar da segurança de Israel, desde a assinatura dos Acordos de Camp David, em 1978/1979 (com o reconhecimento do Estado de Israel), e como o maior aliado dos EUA no Oriente Médio. Se o Egito esfriar as relações com o Ocidente e com Israel, como já sinaliza, o pêndulo de poder regional pode oscilar na direção do Irã, rival de Israel e maior contraponto à hegemonia dos EUA no Oriente Médio. O Irã, por sua vez, acompanha com inquietação o caos político na Síria, O regime de Al-Assad o seu grande parceiro, com o qual patrocina grupos armados que combatem Israel o libanês Hezbollah e o palestino Hamas. Alguns países buscam ampliar seu espaço. Um deles é a Arábia Saudita, a guardiã das monarquias sunitas do Golfo Pérsico e principal anteparo à influência dos xiitas liderados pelo Irã. Grande aliada dos'eua e do Egito, a monarquia saudita é abalada pela queda de Mubarak e acusa Washington de ter abandonado um amigo. A ameaça à sua segurança aumenta com a revolta xiita no Barein. Sua prioridade externa é impedir a queda de regimes aliados, sobretudo as monarquias sunitas do Conselho de Cooperação do Golfo (CCG) - Kuweit, Emirados Arabes Unidos, Barein, Catar e Omã (não sunita). Membros do CCG enviam tropas para socorrer o Barein e ampliam benefícios a suas populações. Para ajudar as monarquias sunitas do Marrocos e da Jordânia, fragilizadas por protestos, o CCG inclui os dois países no grupo. Já o minúsculo Catar ganha estatura política no seio da Liga Árabe, posicionando-se do lado dos países ocidentais. Sob a liderança catari, a Liga Árabe expulsou a Líbia de Kadafi da

4 organização e aprovou os bombardeios sobre o país - o Catar enviou aviões de guerra e deu suporte logistico e financeiro a grupos rebeldes. Na crise síria, o Catar comandou a iniciativa de isolar o regime de AI-Assad. Outro país que afirma a sua influência é a Turquia. Ao exibir urna democracia estável, que combina os princípios de um Estado secular com o islamismo político, o país se apresenta corno exemplo a ser seguido. Em setembro, o primeiro-ministro Recep Tayyip Erdogan visitou o Egito, a Tunísia e a Líbia com o objetivo de promover o modelo turco de democracia. 07. Israel e Palestina A questão palestina foi tema de destaque na 66 a Assembleia Geral da ONU, em setembro de Após quase duas décadas de negociações infrutíferas com Israel, os palestinos agora fazem uma ofensiva diplomática pelo reconhecimento internacional de seu Estado, solicitando à ONU que aceite a Palestina como membro pleno. Embora tenha o apoio de 126 dos 193 países da Assembleia Geral, o pedido deve ser negado, pois os Estados Unidos, aliados de Israel, já declararam que, se necessário, vão usar o seu poder de veto no Conselho de Segurança. Com sua pressão diplomática, no entanto, a Palestina obteve, em novembro, uma vitória simbólica na busca de sua soberania ao ser admitida como membro pleno da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) -107 dos 173 países-membros votaram a favor. É a primeira agência da ONU que a Palestina vai integrar. O presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, afirma que não restou alternativa senão recorrer à ONU, tamanha é a descrença na perspectiva de que o diálogo com Israel possa resultar na criação de um Estado palestino na Cisjordânia e na Faixa de Gaza, conforme previa o Acordo de Oslo (1993). As negociações avançaram em 2000 e em 2008, mas o governo do conservador Benyamin Netanyahu, no poder desde 2009, paralisou o processo. 08. Assentamentos Netanyahu tem uma política de expansão dos assentamentos judaicos nos territórios palestinos ocupados. Por causa disso e da negativa de Abbas em dialogar com as obras em andamento, os dois líderes encontraram-se "cara a cara" somente uma vez desde A questão se agrava com o passar do tempo, pois, a cada novo assentamento, Israel amplia seu domínio sobre áreas da Cisjordânia que, em tese, deveriam ser entregues aos palestinos. No conjunto das conversações de paz, no entanto, esse não é considerado um obstáculo intransponível. O princípio da troca de terras para compensar as perdas palestinas com as colônias judaicas que ficariam em Israel já norte ou negociações passadas e foi enfatizado pelo presidente norte-americano Barack Obama em seu discurso sobre o conflito palestino-israelense, em maio de 2011, quando defendeu a ideia de que as negociações tomem por base as fronteiras existentes em Refugiados Um problema profundo, porém sem solução, refere-se aos refugiados palestinos. Até as primeiras décadas do século XX, quando houve uma maciça imigração judaica para a região, ela era habitada por árabes palestinos. Com a proclamação do Estado de Israel, em 1948, e o conflito que se seguiu, um total de 750 mil palestinos foi expulso de sua terra e de sua casa, provocando unia diáspora. Essa população tornou-se refugiada na Cisjordânia, Faixa de Gaza e nas nações árabes vizinhas - Jordânia, Egito, Síria e Líbano - e passou a viver em campos administrados pela ONU. Por causa- das taxas de crescimento demográfico, o contingente de refugiados sextuplicou a partir de então. Em 2009, eram 4,1 milhões de pessoas. O grande nó envolvendo os refugiados palestinos é o seguinte: há 63 anos, eles, seus filhos, netos e bisnetos lutam para voltar para seu local de origem, dentro do território onde fica hoje Israel, amparados na Declaração Universal de

5 Direitos Humanos, que assegura aos refugiados o direito incondicional de retomar à sua terra natal ou de receber compensações por suas perdas. Mas os sucessivos governos israelenses não aceitam discutir o tema, que, para eles, põe em questão a existência de Israel. Se o conjunto dos refugiados fosse autorizado a voltar, os árabes-palestinos se tornariam a maioria da população de Israel - em 2009, os árabes com cidadania israelense já representavam 20% da população do país. Para Israel, os refugiados devem ser direcionados à Faixa de Gaza e à Cisjordânia. 10. Estado Judeu A demografia - ou seja, a necessidade de assegurar uma maioria de judeus para sustentar um Estado judeu - tem sido uma preocupação central desde a fundação de Israel. Uma das principais exigências do atual governo de Netanyahu é que os palestinos reconheçam Israel como um Estado judeu. Segundo ele, o coração do conflito palestino-israelense não são as colônias, mas "a rejeição persistente da direção palestina em aceitar que Israel é a pátria dos judeus". Essa é uma das condições impostas por Netanyahu para a eventual assinatura de um acordo de paz. Para os palestinos, isso significa abrir mão do direito de retomo dos refugiados, algo inaceitável. Até hoje, nenhum líder palestino levou adiante tal proposta, para não ser visto como um traidor por seu povo. Os palestinos chamam o dia seguinte à fundação de Israel, quando estourou a guerra -15 de maio de de "Nakba" (Catástrofe). Todos os anos, nessa data, os refugiados palestinos realizam atos para exigir o direito ao retorno, nos quais acenam com as antigas chaves de sua residência. Em 2011, sob a influência das revoltas populares no mundo árabe, dezenas de milhares de refugiados no Líbano, na Síria, na Jordânia e na Faixa de Gaza coordenaram uma marcha de protesto em direção a Israel. Mas as forças israelenses atiraram nos manifestantes para impedi-los de entrar no país. Os conflitos na fronteira da Síria e do Líbano mataram pelo menos 15 pessoas. Um projeto de lei,. apresentado por Netanyahu, determina a não judeus em busca de cidadania israelense que jurem lealdade ao país como "Estado judeu e democrático". Caso passe no Parlamento, a lei vai aprofundar o preconceito contra a minoria árabe-israelense e dificultar ainda mais o retorno de refugiados. * Compilação feita a partir de: - Almanaque Abril 2012, 38ª ed. São Paulo: Ed. Abril,

Primavera Árabe. 01. Uma onda de mudanças no Oriente Médio

Primavera Árabe. 01. Uma onda de mudanças no Oriente Médio Primavera Árabe 01. Uma onda de mudanças no Oriente Médio O acontecimento de maior impacto em 2011 no cenário político mundial foi a revolta popular contra regimes autoritários no mundo árabe, área formada

Leia mais

O mundo árabe-muçulmano após a Primavera. Prof. Alan Carlos Ghedini

O mundo árabe-muçulmano após a Primavera. Prof. Alan Carlos Ghedini O mundo árabe-muçulmano após a Primavera Prof. Alan Carlos Ghedini Entre as causas da Primavera Árabe podemos citar: Altos índices de desemprego na região Crise econômica Pouca ou nenhuma representação

Leia mais

ATUDALIDADES - Conflitos na Atualidade

ATUDALIDADES - Conflitos na Atualidade ATUDALIDADES - Conflitos na Atualidade Origem dos povos ORIENTE MÉDIO: Conflitos árabes-israelenses: 1948 Independência de Israel 1949 Guerras da Independência 1956 Crise de Suez 1964 Criação da OLP` 1967

Leia mais

A PAZ ENTRE PALESTINOS E ISRAELENSES CONTINUA DISTANTE

A PAZ ENTRE PALESTINOS E ISRAELENSES CONTINUA DISTANTE Aumentar a fonte Diminuir a fonte MUNDO ÁRABE A PAZ ENTRE PALESTINOS E ISRAELENSES CONTINUA DISTANTE Apesar da vitória diplomática palestina na ONU, a existência de um Estado fica difícil com os novos

Leia mais

Oriente Médio. Geografia Monitor: Renata Carvalho e Eduardo Nogueira 21, 24 e 25/10/2014. Material de Apoio para Monitoria

Oriente Médio. Geografia Monitor: Renata Carvalho e Eduardo Nogueira 21, 24 e 25/10/2014. Material de Apoio para Monitoria Oriente Médio 1.(VEST - RIO) A Guerra do Líbano, o conflito Irã/ Iraque, a questão Palestina, a Guerra do Golfo, são alguns dos conflitos que marcam ou marcaram o Oriente Médio. Das alternativas abaixo,

Leia mais

Conflitos no Oriente Médio. Prof a Maria Fernanda Scelza

Conflitos no Oriente Médio. Prof a Maria Fernanda Scelza Conflitos no Oriente Médio Prof a Maria Fernanda Scelza Revolução Iraniana 1953: o Xá (rei) Mohamed Reza Pahlevi passou a governar autoritariamente o Irã; Seu objetivo era ocidentalizar o país, tornando-o

Leia mais

ATIVIDADES ONLINE 9º ANO

ATIVIDADES ONLINE 9º ANO ATIVIDADES ONLINE 9º ANO 1) (UFV) Das alternativas, aquela que corresponde à causa do acordo entre Israel e a Organização para Libertação da Palestina (OLP) é: a) o fortalecimento do grupo liderado por

Leia mais

ISRAEL E A QUESTÃO PALESTINA

ISRAEL E A QUESTÃO PALESTINA ISRAEL E A QUESTÃO PALESTINA Origem do Judaísmo Os relatos bíblicos são a principal fonte de informações para entender as origens dos judeus. Segundo a Bíblia, Abraão recebeu de Deus a missão de levar

Leia mais

Ficha Limpa Lei já vale para eleições de 2012 José Renato Salatiel* Especial para a Página 3 Pedagogia & Comunicação

Ficha Limpa Lei já vale para eleições de 2012 José Renato Salatiel* Especial para a Página 3 Pedagogia & Comunicação MATERIAL COMPLEMENTAR - ATUALIDADES NOS VESTIBULARES COLÉGIO IMPULSO SIMPLESMENTE O MELHOR. 3 o ANO INTEGRADO / EM 1 o BIMESTRE DATA: 04/04/2012 ALUNO: TURMA: N o : EIXO TEMÁTICO 01 Ficha Limpa Lei já

Leia mais

Os vetos de China e Rússia no caso da Síria: Interesses humanitários ou políticos?

Os vetos de China e Rússia no caso da Síria: Interesses humanitários ou políticos? Os vetos de China e Rússia no caso da Síria: Interesses humanitários ou políticos? Análise Ásia Luciana Leal Resende Paiva Márcia de Paiva Fernandes 31 de Março de 2012 Os vetos de China e Rússia no caso

Leia mais

A resolução 1559 e o assassinato do ex- Primeiro Ministro Rafic Al Hariri e seus impactos para o equilíbrio regional de poder no Oriente Médio

A resolução 1559 e o assassinato do ex- Primeiro Ministro Rafic Al Hariri e seus impactos para o equilíbrio regional de poder no Oriente Médio A resolução 1559 e o assassinato do ex- Primeiro Ministro Rafic Al Hariri e seus impactos para o equilíbrio regional de poder no Oriente Médio Análise Segurança Prof. Danny Zahreddine 25 de fevereiro de

Leia mais

PRIMAVERA QUE VIROU OUTONO

PRIMAVERA QUE VIROU OUTONO PRIMAVERA QUE VIROU OUTONO Os movimentos populares derrubaram governos, mas construir Estados democráticos exige um caminho longo e cheio de conflitos No início de 2011, revoluções jovens, modernas e seculares

Leia mais

Geografia. Questão 1. Questão 2. Avaliação: Aluno: Data: Ano: Turma: Professor:

Geografia. Questão 1. Questão 2. Avaliação: Aluno: Data: Ano: Turma: Professor: Avaliação: Aluno: Data: Ano: Turma: Professor: Geografia Questão 1 Em 1967, por ocasião da Guerra dos Seis Dias, Israel ocupou de seus vizinhos árabes uma série de territórios, entre eles a Península do

Leia mais

A formação do Estado de Israel

A formação do Estado de Israel A formação do Estado de Israel 1946: 500 mil judeus na Palestina querem a independência de Israel do domínio britânico Aumento da tensão entre israelenses e ingleses: centenas de ataques de judeus a britânicos

Leia mais

Exercícios sobre Israel e Palestina

Exercícios sobre Israel e Palestina Exercícios sobre Israel e Palestina Material de apoio do Extensivo 1. Observe o mapa a seguir, que representa uma área do Oriente Médio, onde ocorrem grandes tensões geopolíticas. MAGNOLI, Demétrio; ARAÚJO,

Leia mais

Descolonização e Lutas de Independência no Século XX

Descolonização e Lutas de Independência no Século XX Descolonização e Lutas de Independência no Século XX A Independência da Índia (1947) - Antecedentes: Partido do Congresso (hindu) Liga Muçulmana Longa luta contra a Metrópole inglesa - Desobediência pacífica

Leia mais

Resolução de Questões- Tropa de Elite ATUALIDADES Questões- AULA 1-4 NILTON MATOS

Resolução de Questões- Tropa de Elite ATUALIDADES Questões- AULA 1-4 NILTON MATOS Resolução de Questões- Tropa de Elite ATUALIDADES Questões- AULA 1-4 NILTON MATOS 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. OBS: EM NEGRITO OS ENUNCIADOS, EM AZUL AS

Leia mais

O risco de mudança de estação na África e Oriente Médio

O risco de mudança de estação na África e Oriente Médio O risco de mudança de estação na África e Oriente Médio Roberto Carvalho de Medeiros (*) O mundo inteiro tem assistido um conjunto de fatos no antigo Magreb 1 e no Oriente Médio que, a meu ver, por si

Leia mais

Unidade III. Aula 16.1 Conteúdo Aspectos políticos. A criação dos Estados nas regiões; os conflitos árabe-israelenses. Cidadania e Movimento

Unidade III. Aula 16.1 Conteúdo Aspectos políticos. A criação dos Estados nas regiões; os conflitos árabe-israelenses. Cidadania e Movimento CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Unidade III Cidadania e Movimento Aula 16.1 Conteúdo Aspectos políticos. A criação dos Estados nas regiões; os conflitos árabe-israelenses. 2

Leia mais

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org Este documento faz parte do Repositório Institucional do Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org O Movimento Social Palestino rumo ao FME O Fórum Mundial da Educação na Palestina será realizado

Leia mais

RESOLUÇÕES E COMENTÁRIOS DAS

RESOLUÇÕES E COMENTÁRIOS DAS 1 RESOLUÇÕES E COMENTÁRIOS DAS QUESTÕES ( ) I Unidade ( ) II Unidade ( x ) III Unidade FÍSICA E GEOGRAFIA Curso: Ensino Fundamental Ano: 9.º Turma: ABCDEF Data: / / 1 11 009 Física Prof. s Fernandes e

Leia mais

ISRAEL X ÁRABES / GUERRA DOS 6 DIAS ISRAEL X ÁRABES / GUERRA DO YOM KIPPUR

ISRAEL X ÁRABES / GUERRA DOS 6 DIAS ISRAEL X ÁRABES / GUERRA DO YOM KIPPUR PROPOSTA ORIGINAL DA ONU JERUSALÉM 57 58 ISRAEL X ÁRABES / GUERRA DOS 6 DIAS ISRAEL X ÁRABES / GUERRA DO YOM KIPPUR Golda Meir, foi uma fundadora do Estado de Israel. Emigrou para a Palestina no ano de

Leia mais

Uma Primavera dos Povos Árabes?

Uma Primavera dos Povos Árabes? Uma Primavera dos Povos Árabes? Documento de Trabalho Oriente Médio e Magreb Danny Zahreddine 18 de Junho de 2011 Uma Primavera dos Povos Árabes? Documento de Trabalho Oriente Médio e Magreb Danny Zahreddine

Leia mais

2º ano Alessandro Gorgulho GEOGRAFIA

2º ano Alessandro Gorgulho GEOGRAFIA 2º ano Alessandro Gorgulho GEOGRAFIA 1) (FEEVALE) Na Ásia, ocorre um conflito histórico, resultante da independência da Índia (antiga colônia britânica) em 1947, entre muçulmanos e hindus. A região pertence

Leia mais

Capítulo 12 Oriente Médio: zona de tensões

Capítulo 12 Oriente Médio: zona de tensões Capítulo 12 Oriente Médio: zona de tensões Aspectos Físicos Área: 6,8 milhões de km² porção continental e peninsular. Relevo: - Domínio de terras altas: planaltos. - Planície da Mesopotâmia Predomínio

Leia mais

1º - Foi um movimento liderado pela BURGUESIA contra o regime absolutista. 2º - Abriu espaço para o avanço do CAPITALISMO.

1º - Foi um movimento liderado pela BURGUESIA contra o regime absolutista. 2º - Abriu espaço para o avanço do CAPITALISMO. APRESENTAÇÃO Aula 08 3B REVOLUÇÃO FRANCESA Prof. Alexandre Cardoso REVOLUÇÃO FRANCESA Marco inicial da Idade Contemporânea ( de 1789 até os dias atuais) 1º - Foi um movimento liderado pela BURGUESIA contra

Leia mais

ESTADO ISLÂMICO: ORIGENS, SITUAÇÃO ATUAL E DESDOBRAMENTOS NO SI. Alexandre Fuccille (UNESP)

ESTADO ISLÂMICO: ORIGENS, SITUAÇÃO ATUAL E DESDOBRAMENTOS NO SI. Alexandre Fuccille (UNESP) ORIGENS, SITUAÇÃO ATUAL E DESDOBRAMENTOS NO SI Alexandre Fuccille (UNESP) O OVO DA SERPENTE O OVO DA SERPENTE O OVO DA SERPENTE Fim da 1º Guerra Mundial (1918): desagregação do Império Otomano e partilha

Leia mais

Unidade III. Aula 17.1 Conteúdo Países árabes; Turquia. Cidadania e Movimento FORTALECENDO SABERES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES

Unidade III. Aula 17.1 Conteúdo Países árabes; Turquia. Cidadania e Movimento FORTALECENDO SABERES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Unidade III Cidadania e Movimento Aula 17.1 Conteúdo Países árabes; Turquia. 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Habilidade:

Leia mais

Israel e o mundo Árabe

Israel e o mundo Árabe Israel e o mundo Árabe Leonardo Herms Maia¹ Regina Cohen Barros² Para uma compreensão espacial e econômica deste assunto, irei abordar temas principais que nos mostram como Israel se tornou uma grande

Leia mais

CONFLITO ENTRE ISRAEL E PALESTINA CLAUDIO F GALDINO GEOGRAFIA

CONFLITO ENTRE ISRAEL E PALESTINA CLAUDIO F GALDINO GEOGRAFIA CONFLITO ENTRE ISRAEL E PALESTINA CLAUDIO F GALDINO GEOGRAFIA Oferecimento Fábrica de Camisas Grande Negão AQUELA QUE TRAZ EMOÇÃO. PARA VOCÊ E SEU IRMÃO!!! Canaã Terra Prometida Abraão recebeu de Deus

Leia mais

A visita de Shimon Peres ao Brasil e a relação brasileira com o Oriente Médio

A visita de Shimon Peres ao Brasil e a relação brasileira com o Oriente Médio A visita de Shimon Peres ao Brasil e a relação brasileira com o Oriente Médio Análise Desenvolvimento Jéssica Silva Fernandes 15 de dezembro de 2009 A visita de Shimon Peres ao Brasil e a relação brasileira

Leia mais

Associação Catarinense das Fundações Educacionais ACAFE PARECER DOS RECURSOS

Associação Catarinense das Fundações Educacionais ACAFE PARECER DOS RECURSOS 11) China, Japão e Índia são três dos principais países asiáticos. Sobre sua História, cultura e relações com o Ocidente, analise as afirmações a seguir. l A China passou por um forte processo de modernização

Leia mais

Conflito entre Israel e Palestina CONFLITO ATUAL

Conflito entre Israel e Palestina CONFLITO ATUAL Conflito entre Israel e Palestina CONFLITO ATUAL Os conflitos entre Israel e a Faixa de Gaza se intensificaram em junho e julho de 2014. Os dois territórios apresentam instabilidade política há anos, ou

Leia mais

Palestina - em defesa da nação oprimida

Palestina - em defesa da nação oprimida Palestina - em defesa da nação oprimida Que o Hamas entregue armas à população! Derrotar a ofensiva sionista com o levante das massas palestinas! Unidade dos explorados do Oriente Médio para enfrentar

Leia mais

TEMA 3 UMA EXPERIÊNCIA

TEMA 3 UMA EXPERIÊNCIA TEMA 3 UMA EXPERIÊNCIA DOLOROSA: O NAZISMO ALEMÃO A ascensão dos nazistas ao poder na Alemanha colocou em ação a política de expansão territorial do país e o preparou para a Segunda Guerra Mundial. O saldo

Leia mais

Século XXI. Sobre a cultura islâmica após os atentados de 11 de setembro. Palavras amáveis não custam nada e conseguem muito.

Século XXI. Sobre a cultura islâmica após os atentados de 11 de setembro. Palavras amáveis não custam nada e conseguem muito. Século XXI Oficialmente, o século XXI, inicia-se cronologicamente no final do ano 2000. Historicamente podemos destacar que os eventos que aconteceram um ano após a entrada do novo milênio marcam a chegada

Leia mais

CONFLITO EM GAZA: ENTENDA A GUERRA ENTRE ISRAEL E OS PALESTINOS

CONFLITO EM GAZA: ENTENDA A GUERRA ENTRE ISRAEL E OS PALESTINOS CONFLITO EM GAZA: ENTENDA A GUERRA ENTRE ISRAEL E OS PALESTINOS Um assunto que volta e meia ocupa as manchetes de jornais do mundo inteiro há décadas é a questão sobre o conflito entre israelenses e palestinos

Leia mais

A atual situação do Egito e as perspectivas para a reconstrução do país

A atual situação do Egito e as perspectivas para a reconstrução do país A atual situação do Egito e as perspectivas para a reconstrução do país Análise Oriente Médio e Magreb Pedro Casas 14 de Março de 2011 A atual situação do Egito e as perspectivas para a reconstrução do

Leia mais

Exercícios de Oriente Médio

Exercícios de Oriente Médio Exercícios de Oriente Médio 1. (Cesgranrio) Quanto aos conflitos entre árabes e israelenses, podemos dizer que: I - se aceleram com a partilha da Palestina realizada pela ONU em 1947, que deu origem ao

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 4.385, DE 2008

PROJETO DE LEI Nº 4.385, DE 2008 COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DE DEFESA NACIONAL PROJETO DE LEI Nº 4.385, DE 2008 ( Do Poder Executivo) Autoriza o Poder Executivo a doar área para a instalação da Embaixada da Delegação Especial Palestina

Leia mais

Prof. Alan Carlos Ghedini TERRORISMO. A ameaça sem bandeira...

Prof. Alan Carlos Ghedini TERRORISMO. A ameaça sem bandeira... Prof. Alan Carlos Ghedini TERRORISMO A ameaça sem bandeira... TERRORISMO NO ORIENTE MÉDIO De modo geral, a desagregação do Império Turco- Otomano entre fins do séc XIX e início do XX, criou um vácuo de

Leia mais

GEOGRAFIA O mapa a seguir deverá ser usado como base para responder as questões 01 e 02.

GEOGRAFIA O mapa a seguir deverá ser usado como base para responder as questões 01 e 02. GEOGRAFIA O mapa a seguir deverá ser usado como base para responder as questões 01 e 02. (MORAES, P. R. Geografia geral e do Brasil.. ed. São Paulo: HARBRA, 2005. p. 11.) 01 Ao se cruzarem, os paralelos

Leia mais

TRÁFICO HUMANO E AS MIGRAÇÕES INTERNACIONAIS

TRÁFICO HUMANO E AS MIGRAÇÕES INTERNACIONAIS TRÁFICO HUMANO E AS MIGRAÇÕES INTERNACIONAIS MOVIMENTOS MIGRATÓRIOS INTERNACIONAIS 1. RAZÕES DAS MIGRAÇÕES FATORES ATRATIVOS X FATORES REPULSIVOS - CONDIÇÕES DE VIDA - OFERTAS DE EMPREGO - SEGURANÇA -

Leia mais

ATUALIDADES. Top Atualidades Semanal DESTAQUE PROFESSOR MARCOS JOSÉ SEMANA 4 A 10 DE AGOSTO SEMANA 4 A 10 DE AGOSTO. Material: Raquel Basilone

ATUALIDADES. Top Atualidades Semanal DESTAQUE PROFESSOR MARCOS JOSÉ SEMANA 4 A 10 DE AGOSTO SEMANA 4 A 10 DE AGOSTO. Material: Raquel Basilone Obama lança plano contra efeito estufa Israel aumenta repressão aos extremistas judeus após críticas ATUALIDADES PROFESSOR MARCOS JOSÉ Material: Raquel Basilone Donald Trump ameaça ser candidato independente

Leia mais

GEOGRAFIA - 2 o ANO MÓDULO 52 A EXPANSÃO DO BLOCO EUROPEU

GEOGRAFIA - 2 o ANO MÓDULO 52 A EXPANSÃO DO BLOCO EUROPEU GEOGRAFIA - 2 o ANO MÓDULO 52 A EXPANSÃO DO BLOCO EUROPEU Como pode cair no enem Sarkozy e Berlusconi encaminharam pedido à UE, solicitando a revisão do: a) Tratado de Maastricht, o qual concede anistia

Leia mais

PROF PIMENTEL PRÉ-PROVA CENTRAL DE CURSOS. www.profpimentel.com.br PREFEITURA MUNICIPAL DE RIBEIRÃO PRETO

PROF PIMENTEL PRÉ-PROVA CENTRAL DE CURSOS. www.profpimentel.com.br PREFEITURA MUNICIPAL DE RIBEIRÃO PRETO PREFEITURA MUNICIPAL DE RIBEIRÃO PRETO PRÉ-PROVA SUMÁRIO 8h30 - Português - Heliane Miscali...Pág. 03 8h50 - Matemática - Rogério Pizza...Pág. 09 9h10 - Informática - Francis David...Pág. 19 9h30 - Atualidades

Leia mais

DATA: VALOR: 20 PONTOS NOME COMPLETO:

DATA: VALOR: 20 PONTOS NOME COMPLETO: DISCIPLINA: Geografia PROFESSOR(A): Rodrigo/Saulo DATA: VALOR: 20 PONTOS NOTA: NOME COMPLETO: ASSUNTO: TRABALHO DE RECUPERAÇÃO FINAL SÉRIE: 2ªEM TURMA: Nº: 01. RELAÇÃO DO CONTEÚDO Demografia (Transição

Leia mais

O cenário das revoltas no Norte da África e no Oriente Médio

O cenário das revoltas no Norte da África e no Oriente Médio O cenário das revoltas no Norte da África e no Oriente Médio O mundo árabe é formado por um conjunto de países localizados no norte da África e no Oriente Médio. A maneira mais usual de identificar as

Leia mais

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org Este documento faz parte do Repositório Institucional do Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org Michael Haradom - www.shalomsalampaz.org - ssp@shalomsalampaz.org tel (11) 3031.0944 - fax (11)

Leia mais

O conflito interno entre palestinos: Hamas e Fatah. Resenha Segurança

O conflito interno entre palestinos: Hamas e Fatah. Resenha Segurança O conflito interno entre palestinos: Hamas e Fatah Resenha Segurança Lígia Franco Prados Mello 09 de julho de 2007 1 O conflito interno entre palestinos: Hamas e Fatah Resenha Segurança Lígia Franco Prados

Leia mais

Para saber mais! Nações sem Território IDH. 8ºANO Expedição 1 Professora Bruna Andrade

Para saber mais! Nações sem Território IDH. 8ºANO Expedição 1 Professora Bruna Andrade Para saber mais! Nações sem Território IDH 8ºANO Expedição 1 Professora Bruna Andrade 1. Nações sem Território ma NAÇÃO é formada por um grupo de indivíduos que apresenta características históricas, culturais,

Leia mais

A Irlanda do Norte, ou Ulster, e a República da Irlanda, ou Eire, situam-se na Ilha da Irlanda. Na Irlanda do Norte, que integra o Reino Unido, vivem

A Irlanda do Norte, ou Ulster, e a República da Irlanda, ou Eire, situam-se na Ilha da Irlanda. Na Irlanda do Norte, que integra o Reino Unido, vivem QUESTÃO IRLANDESA A Irlanda do Norte, ou Ulster, e a República da Irlanda, ou Eire, situam-se na Ilha da Irlanda. Na Irlanda do Norte, que integra o Reino Unido, vivem cerca de 1,8 milhão de habitantes,

Leia mais

Kosovo declara independência da Sérvia

Kosovo declara independência da Sérvia Kosovo declara independência da Sérvia Resenha Segurança Ana Caroline Medeiros Maia 24 de fevereiro de 2008 Kosovo declara independência da Sérvia Resenha Segurança Ana Caroline Medeiros Maia 24 de fevereiro

Leia mais

VESTIBULAR 2011 1ª Fase HISTÓRIA GRADE DE CORREÇÃO

VESTIBULAR 2011 1ª Fase HISTÓRIA GRADE DE CORREÇÃO VESTIBULAR 2011 1ª Fase HISTÓRIA GRADE DE CORREÇÃO A prova de História é composta por três questões e vale 10 pontos no total, assim distribuídos: Questão 1 3 pontos (sendo 1 ponto para o subitem A, 1,5

Leia mais

Recursos para Estudo / Atividades

Recursos para Estudo / Atividades COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Final 3ª Etapa 2014 Disciplina: Geografia Série: 1ª Professor : Carlos Alexandre Turma: FG Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de recuperação.

Leia mais

Prof ª Viviane Jordão

Prof ª Viviane Jordão Prof ª Viviane Jordão LOCALIZAÇÃO Localização geográfica estratégica, na Ásia Ocidental (ponto de encontro entre a Ásia, Europa e África). ORIENTE MÉDIO 1. Turquia 2. Síria 3. Chipre 4. Líbano 5. Israel

Leia mais

Mundo árabe: países localizados no norte da África e no Oriente Médio Liga árabe: 22 países membros, formada em 1945 Fatores que ajudam a determinar

Mundo árabe: países localizados no norte da África e no Oriente Médio Liga árabe: 22 países membros, formada em 1945 Fatores que ajudam a determinar A primavera árabe Mundo árabe: países localizados no norte da África e no Oriente Médio Liga árabe: 22 países membros, formada em 1945 Fatores que ajudam a determinar se um indivíduos é árabe ou não Político:

Leia mais

Região de conflitos 1) Irã x Iraque: 2) Guerra do Golfo ou Iraque x Kuwait 3) Guerra no Afeganistão: 4) Guerra no Iraque ou Iraque x EUA:

Região de conflitos 1) Irã x Iraque: 2) Guerra do Golfo ou Iraque x Kuwait 3) Guerra no Afeganistão: 4) Guerra no Iraque ou Iraque x EUA: AVALIAÇÃO MENSAL DE GEOGRAFIA 1º Bim./2012 GABARITO Professor(a): Marcelo Duílio / Mônica Moraes Curso: Fund. II 9º ano Data: 08 / 03 / 2012 Tarde versão 2 Nome: BOA PROVA!!! Nº.: Instruções gerais Para

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA MCC

REVOLUÇÃO FRANCESA MCC REVOLUÇÃO FRANCESA MCC REVOLUÇÃO FRANCESA. MOVIMENTO BURGUÊS França antes da revolução TEVE APOIO DO POVO Monarquia absolutista Economia capitalista.(costumes feudais) sociedade estamental. 1º Estado-

Leia mais

Unidade III Cidadania e Movimento Aula 16.2 Conteúdo: Israel: uma política desenvolvida na região. A difícil criação de um Estado Palestino.

Unidade III Cidadania e Movimento Aula 16.2 Conteúdo: Israel: uma política desenvolvida na região. A difícil criação de um Estado Palestino. Unidade III Cidadania e Movimento Aula 16.2 Conteúdo: Israel: uma política desenvolvida na região. A difícil criação de um Estado Palestino. 2 Habilidades: Analisar os motivos que levaram ao conflito entre

Leia mais

Oriente Médio Oceania

Oriente Médio Oceania 1 Fonte: Para viver juntos: Geografia, 9º ano: ensino fundamental. São Paulo: Edições SM, 2008, p. 206. O mapa acima nos mostra uma região que tem sido motivo de disputas e conflitos entre os europeus

Leia mais

ISRAEL E PALESTINA COMO COMEÇOU O CONFLITO?

ISRAEL E PALESTINA COMO COMEÇOU O CONFLITO? ISRAEL E PALESTINA COMO COMEÇOU O CONFLITO? O movimento sionista, que procurava criar um Estado para os judeus, ganhou força no início do século 20, incentivado pelo antissemitismo sofrido por judeus na

Leia mais

7. TURQUIA OTOMANOS ISLAMISMO 8. IRÃ PERSAS e AZERIS ISLAMISMO (MAIORIA XIITA) 9. ISRAEL JUDEUS JUDAÍSMO

7. TURQUIA OTOMANOS ISLAMISMO 8. IRÃ PERSAS e AZERIS ISLAMISMO (MAIORIA XIITA) 9. ISRAEL JUDEUS JUDAÍSMO CONFLITO PALESTINO-ISRAELENSE O r i e n t e M é d i o 7 mi Km 2 Elo: 03 Continentes - Mar - Oceano. EGITO 25.000 Km 2 20 Mi Hab. Jordânia + sul do Líbano + Israel + Gaza e Cisjordânia ( Estado Palestino

Leia mais

ATUALIDADES. Top Atualidades Semanal DESTAQUE PROFESSOR MARCOS JOSÉ SEMANA 25 A 31 DE AGOSTO SEMANA 25 A 31 DE AGOSTO

ATUALIDADES. Top Atualidades Semanal DESTAQUE PROFESSOR MARCOS JOSÉ SEMANA 25 A 31 DE AGOSTO SEMANA 25 A 31 DE AGOSTO ONG registra aumento no desmatamento Guatemala pede saída de presidente às vésperas de pleito ATUALIDADES PROFESSOR MARCOS JOSÉ Tropeço da China eleva apostas de que EUA adiarão aumento nos juros ONG registra

Leia mais

Colégio Jardim São Paulo 2012 9 os Anos. ORIENTE MÉDIO 2. prof. Marcelo Duílio profa. Mônica Moraes

Colégio Jardim São Paulo 2012 9 os Anos. ORIENTE MÉDIO 2. prof. Marcelo Duílio profa. Mônica Moraes Colégio Jardim São Paulo 2012 9 os Anos. ORIENTE MÉDIO 2 prof. Marcelo Duílio profa. Mônica Moraes 1 ORIENTE MÉDIO Quadro político e socioeconômico Essa região divide se politicamente em uma porção continental:

Leia mais

Reunião de Seção CONFERÊNCIA RELIGIOSA MUNDIAL

Reunião de Seção CONFERÊNCIA RELIGIOSA MUNDIAL Reunião 08 Reunião de Seção CONFERÊNCIA RELIGIOSA MUNDIAL Área de Desenvolvimento enfatizada: ESPIRITUAL Ramo: Sênior Mês recomendado para desenvolver esta reunião: Indiferente. Recomendada para abertura

Leia mais

HISTÓRIA - 2 o ANO MÓDULO 59 OS CONFLITOS NO ORIENTE MÉDIO (1973 A 1991)

HISTÓRIA - 2 o ANO MÓDULO 59 OS CONFLITOS NO ORIENTE MÉDIO (1973 A 1991) HISTÓRIA - 2 o ANO MÓDULO 59 OS CONFLITOS NO ORIENTE MÉDIO (1973 A 1991) Como pode cair no enem (ENEM) Em 1947, a Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou um plano de partilha da Palestina

Leia mais

Guerra por domínio territorial e econômico.

Guerra por domínio territorial e econômico. Guerra da Crimeia Quando: De 1853 até 1856 Guerra por domínio territorial e econômico. Cerca de 595 mil mortos Por que começou: A Rússia invocou o direito de proteger os lugares santos dos cristãos em

Leia mais

DECLARAÇÃO FINAL Quebec, 21 de setembro de 1997

DECLARAÇÃO FINAL Quebec, 21 de setembro de 1997 DECLARAÇÃO FINAL Quebec, 21 de setembro de 1997 Reunidos na cidade de Quebec de 18 a 22 de setembro de 1997, na Conferência Parlamentar das Américas, nós, parlamentares das Américas, Considerando que o

Leia mais

CRISE E RUPTURA NA REPÚBLICA VELHA. Os últimos anos da República Velha

CRISE E RUPTURA NA REPÚBLICA VELHA. Os últimos anos da República Velha CRISE E RUPTURA NA REPÚBLICA VELHA Os últimos anos da República Velha Década de 1920 Brasil - as cidades cresciam e desenvolviam * Nos grandes centros urbanos, as ruas eram bem movimentadas, as pessoas

Leia mais

total pelo ofensiva controlo de Alepo guerra A batalha de Alepo atingiu o

total pelo ofensiva controlo de Alepo guerra A batalha de Alepo atingiu o Exército ofensiva controlo sírio lança total pelo de Alepo guerra A batalha de Alepo atingiu o seu ponto crucial. Com 20 mil homens, tanques e blindados, o regime de Assad quer reconquistar bairro de Salaheddine

Leia mais

Oriente Médio (Parte 1) Professor Luiz Fernando

Oriente Médio (Parte 1) Professor Luiz Fernando Oriente Médio (Parte 1) Professor Luiz Fernando Aspectos Físicos É uma região da Ásia Climas Secos (área de alta pressão atmosférica) Reflete na agropecuária Predominância de planaltos Principal região

Leia mais

A Guerra dos Seis Dias

A Guerra dos Seis Dias A Guerra dos Seis Dias Desde o fim da Segunda Guerra Mundial e da criação do Estado de Israel em 1948 que o Oriente Médio vive em uma constante tensão bélica por conta das inúmeras discordâncias entre

Leia mais

A nova lei anti-secessão e as relações entre a China e Taiwan. Análise Segurança

A nova lei anti-secessão e as relações entre a China e Taiwan. Análise Segurança A nova lei anti-secessão e as relações entre a China e Taiwan Análise Segurança Bernardo Hoffman Versieux 15 de abril de 2005 A nova lei anti-secessão e as relações entre a China e Taiwan Análise Segurança

Leia mais

Informativo mensal nº19. Maio/2015

Informativo mensal nº19. Maio/2015 Informativo mensal nº19 Maio/2015 AMÉRICA/EUROPA OCIDENTAL NOVOS CONFLITOS ENTRE FARC E GOVERNO COLOMBIANO O cessar-fogo unilateral das Forças Armadas Revolucionárias Colombianas (FARC) anunciado em março

Leia mais

ATIVIDADES EXTRAS. Data: Entrega:

ATIVIDADES EXTRAS. Data: Entrega: Geografia ATIVIDADES EXTRAS Tema: Data: Entrega: Valor: Nota: AVALIAÇÕES Conteúdo: Data: Valor: Nota: A Geopolítica no Oriente Médio Atlas National Geographic Visitante contempla a vista de um restaurante

Leia mais

ATUALIDADES. Top Atualidades Semanal DESTAQUE PROFESSOR MARCOS JOSÉ. EUA acusam Rússia de escalar crise na Síria SEMANA 29 SETEMBRO A 05 DE OUTUBRO

ATUALIDADES. Top Atualidades Semanal DESTAQUE PROFESSOR MARCOS JOSÉ. EUA acusam Rússia de escalar crise na Síria SEMANA 29 SETEMBRO A 05 DE OUTUBRO EUA acusam Rússia de escalar crise na Síria Raúl Castro pede que Obama contorne Congresso Guerra síria abre crise entre EUA e Rússia ATUALIDADES PROFESSOR MARCOS JOSÉ Dilma anuncia meta cômoda para clima

Leia mais

Barak Articula Articulação com o estopim Sharon

Barak Articula Articulação com o estopim Sharon Barak Articula Articulação com o estopim Sharon JERUSALÉM- Ehud Barak está prestes a fazer um acordo para formar um governo de unidade nacional com o líder do direitista palestino Likud, Ariel Sharon,

Leia mais

1896 Surgimento do movimento sionista Em 1896, o jornalista judeu Theodor Herzl, autor do livro "O Estado Judeu", criou o movimento sionista.

1896 Surgimento do movimento sionista Em 1896, o jornalista judeu Theodor Herzl, autor do livro O Estado Judeu, criou o movimento sionista. 1896 Surgimento do movimento sionista Em 1896, o jornalista judeu Theodor Herzl, autor do livro "O Estado Judeu", criou o movimento sionista. O objetivo era estabelecer um lar nacional para os judeus na

Leia mais

Texto 2 Refugiados, aceitá-los ou não? Pequeno contributo para uma discussão viável

Texto 2 Refugiados, aceitá-los ou não? Pequeno contributo para uma discussão viável COMISSÃO DE CONCURSO E SELEÇÃO PRIMEIRO SEMESTRE DO ANO LETIVO DE 2016 REDAÇÃO 29/11/2015 - das 15h às 18h Nº da identidade Órgão expedidor Nº da inscrição Leia com atenção as instruções abaixo. NÃO SE

Leia mais

FALANDO ABERTAMENTE SOBRE SUICÍDIO

FALANDO ABERTAMENTE SOBRE SUICÍDIO FALANDO ABERTAMENTE SOBRE SUICÍDIO MOMENTO DE DERRUBAR TABUS As razões podem ser bem diferentes, porém muito mais gente do que se imagina já teve uma intenção em comum. Segundo estudo realizado pela Unicamp,

Leia mais

Professor Thiago Espindula - Geografia. África

Professor Thiago Espindula - Geografia. África África A seguir, representação cartográfica que demonstra a localização da África, em relação ao mundo. (Fonte: www.altona.com.br) Europeus partilham a África A Conferência de Berlim, entre 1884 e 1885,

Leia mais

a) Que território está sendo utilizado atualmente como sede provisória da Autoridade Palestina?

a) Que território está sendo utilizado atualmente como sede provisória da Autoridade Palestina? GOIÂNIA, / / 2015 No Anhanguera você é Prof.: Anderson José Soares DISCIPLINA: Geografia SÉRIE:3º ALUNO (a): + Enem Lista de atividades P1 Bimestre 3 Questão 01) (IFBA) Os Estados Árabes se consideram

Leia mais

Formação do Estado de Israel

Formação do Estado de Israel Arão e Sara recebem de Deus Canaã para viverem e a promessa que sua família se transformaria em uma nação numerosa. Livro do Bereshit (Gênesis) - Torá1 17/04/2013 1 BANDEIRA DE ISRAEL 17/04/2013 2 Primeira

Leia mais

Israel usa prisões políticas para reprimir palestinos

Israel usa prisões políticas para reprimir palestinos Em março de 2002, a situação na Cisjordânia havia se complicado. Em resposta a Segunda Intifada, as forças armadas israelenses aumentaram ainda mais a repressão dentro dos territórios palestinos, colocando

Leia mais

Violência aumenta no Afeganistão. Resenha Segurança / Desenvolvimento

Violência aumenta no Afeganistão. Resenha Segurança / Desenvolvimento Violência aumenta no Afeganistão Resenha Segurança / Desenvolvimento Tiago Cerqueira Lazier 26 de maio de 2006 Violência aumenta no Afeganistão Resenha Segurança / Desenvolvimento Tiago Cerqueira Lazier

Leia mais

Informativo Mensal nº 10. Agosto/ 2014

Informativo Mensal nº 10. Agosto/ 2014 Informativo Mensal nº 10 Agosto/ 2014 ÁSIA/ LESTE EUROPEU MAIS SANÇÕES E AJUDA HUMANITÁRIA DEIXAM RÚSSIA EM DESTAQUE NO MÊS No mês de agosto mais sanções continuaram sendo aplicadas na Rússia pelos EUA

Leia mais

Repressão e violência na Síria

Repressão e violência na Síria Repressão e violência na Síria As revoltas populares na Síria tiveram início em 15/03/11, em eco às manifestações contra ditadores em outros países da região. O governo respondeu com dureza aos protestos

Leia mais

Simulado de Geografia Professor: Jair

Simulado de Geografia Professor: Jair Simulado de Geografia Professor: Jair Questão 01) Em um mapa com escala de 1: 70.000.000, foi traçada uma rota de navegação aérea entre dois pontos, A e B. O ponto A, está a 45 oeste de Greenwich, enquanto

Leia mais

SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO

SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO 1 - INTRODUÇÃO Séc. XIX consolidação da burguesia: ascensão do proletariado urbano (classe operária) avanço do liberalismo.

Leia mais

Quase 10% dos brasileiros têm mais de 70 anos. Segundo o IBGE, em 40 anos o número de idosos deverá superar o de jovens

Quase 10% dos brasileiros têm mais de 70 anos. Segundo o IBGE, em 40 anos o número de idosos deverá superar o de jovens Um país de idosos Quase 10% dos brasileiros têm mais de 70 anos. Segundo o IBGE, em 40 anos o número de idosos deverá superar o de jovens A expectativa de vida do brasileiro aumentou mais de 20 anos em

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA. Por: Rodrigo A. Gaspar

REVOLUÇÃO FRANCESA. Por: Rodrigo A. Gaspar REVOLUÇÃO FRANCESA Por: Rodrigo A. Gaspar REVOLUÇÃO FRANCESA Influência dos valores iluministas Superação do Absolutismo monárquico e da sociedade estratificada Serviu de inspiração para outras revoluções,

Leia mais

Juristas Leigos - Direito Humanos Fundamentais. Direitos Humanos Fundamentais

Juristas Leigos - Direito Humanos Fundamentais. Direitos Humanos Fundamentais Direitos Humanos Fundamentais 1 PRIMEIRAS NOÇÕES SOBRE OS DIREITOS HUMANOS FUNDAMENTAIS 1. Introdução Para uma introdução ao estudo do Direito ou mesmo às primeiras noções de uma Teoria Geral do Estado

Leia mais

História B Aula 21. Os Agitados Anos da

História B Aula 21. Os Agitados Anos da História B Aula 21 Os Agitados Anos da Década de 1930 Salazarismo Português Monarquia portuguesa foi derrubada em 1910 por grupos liberais e republicanos. 1ª Guerra - participação modesta ao lado da ING

Leia mais

HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 55 O CONGRESSO DE VIENA E A SANTA ALIANÇA

HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 55 O CONGRESSO DE VIENA E A SANTA ALIANÇA HISTÓRIA - 1 o ANO MÓDULO 55 O CONGRESSO DE VIENA E A SANTA ALIANÇA Fixação 1) Em perfeita sintonia com o espírito restaurador do Congresso de Viena, a criação da Santa Aliança tinha por objetivo: a)

Leia mais

CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA

CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA Clodoaldo Meneguello Cardoso Nesta "I Conferência dos lideres de Grêmio das Escolas Públicas Estaduais da Região Bauru" vamos conversar muito sobre política.

Leia mais

Os 10 Princípios Universais do Pacto Global

Os 10 Princípios Universais do Pacto Global Os 10 Princípios Universais do Pacto Global O Pacto Global advoga dez Princípios universais, derivados da Declaração Universal de Direitos Humanos, da Declaração da Organização Internacional do Trabalho

Leia mais

Caderno de Redação. 3º ano Ensino Médio. Aluno(a):... 28/09/2011

Caderno de Redação. 3º ano Ensino Médio. Aluno(a):... 28/09/2011 Caderno de Redação 3º ano Ensino Médio Aluno(a):... 28/09/2011 Este Caderno de Redação segue as novas diretrizes estabelecidas pela portaria nº 109, emitida em 27/05/2009, no Diário Oficial da União, para

Leia mais