CONSELHO FEDERAL DE FONOAUDIOLOGIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONSELHO FEDERAL DE FONOAUDIOLOGIA"

Transcrição

1 RESOLUÇÃO CFFa nº 421 de 25 de outubro de 2012 Dispõe sobre os procedimentos de inscrição em Dívida Ativa e ajuizamento de execução fiscal e dá outras providências. O Conselho Federal de Fonoaudiologia CFFa, no uso das atribuições que lhe conferem a Lei nº 6.965/81 e o Decreto nº /82; Considerando a Lei nº 5.172/1966 Código Tributário Nacional; Considerando o Decreto nº /1972, que dispõe sobre o processo administrativo fiscal, e dá outras providências; Considerando a Lei nº 6.830/1980, que dispõe sobre a cobrança judicial da Dívida Ativa da Fazenda Pública e dá outras providências; Considerando a Lei nº /2011, que dispõe sobre as atividades do médico-residente; e trata das contribuições devidas aos Conselhos Profissionais em geral; Considerando a necessidade de padronizar os procedimentos de inscrição dos débitos em Dívida Ativa e ajuizamento de execução fiscal no Sistema dos Conselhos de Fonoaudiologia; Considerando as sugestões dos Conselhos Regionais de Fonoaudiologia; Considerando o decidido pelo Plenário do CFFa durante a 1ª reunião da 126ª Sessão Plenária Ordinária, realizada no dia 25 de outubro de 2012, R E S O L V E : Art. 1º. As anuidades, taxas, emolumentos e multas previstos e fixados na Lei nº 6.965/81, no Decreto Nº /82 e nas Resoluções do CFFa serão cobrados por meio de processo administrativo fiscal. Art. 2º. O processo administrativo fiscal será organizado sob a forma de autos e terão suas folhas rubricadas e numeradas por agente credenciado do Conselho Regional de Fonoaudiologia, atribuindo-se a cada processo um número de ordem.

2 Parágrafo único Havendo multiplicidade de processos ativos em face do mesmo profissional, os autos deverão ser apensados. Art. 3º. Os termos processuais deverão conter somente o indispensável à realização de sua finalidade, não sendo admissíveis espaços em branco, entrelinhas e rasuras, exceto quando devidamente justificadas. 1º - Os termos processuais serão digitados e impressos e, quando manuscritos, grafados em letra legível. 2º - Os termos de juntada e outros semelhantes serão lançados por despacho ou certidão nos autos, com data, assinatura e identificação do agente credenciado do Conselho Regional de Fonoaudiologia. Art. 4º. Os autos não poderão ser retirados da sede do Conselho Regional de Fonoaudiologia ou do local onde esteja em curso o processo, sendo assegurado à parte e/ou seu representante legal com procuração nos autos a obtenção de certidões e cópias, mediante o ressarcimento do respectivo custo. Art. 5º. O processo administrativo fiscal tem início com a Notificação de Lançamento, que deverá ser encaminhada ao fonoaudiólogo pela via postal, com Aviso de Recebimento. 1º - A Notificação de Lançamento deverá conter: I. o número do processo administrativo; II. III. IV. a qualificação do notificado; o valor do crédito tributário e o prazo para recolhimento ou impugnação; a disposição legal infringida, se for o caso; V. a assinatura do servidor do Conselho Regional de Fonoaudiologia. 2º - A Notificação de Lançamento deverá ser expedida, no mês seguinte ao vencimento das anuidades, taxas, emolumentos e multas do ano em exercício, não implicando tal previsão em renuncia ao prazo decadencial. 3º - Se o Aviso de Recebimento for negativo, será procedida a Notificação de Lançamento por Edital, publicado no Diário Oficial da União e/ou fixado na sede do Conselho credor e nas suas delegacias, quando houver.

3 Art. 6º. Ocorrendo o recolhimento do credito tributário, o Setor Financeiro emitirá Certidão Financeira, declarando a remissão da dívida, e o processo será encaminhado ao Diretor Tesoureiro, que determinará o arquivamento. Art. 7º. Havendo impugnação ao lançamento, o pedido será analisado e julgado pelo Presidente do Conselho Regional de Fonoaudiologia. 1º - No caso de impugnação parcial, a parte incontroversa será processada em autos apartados para imediata cobrança, consignando está circunstância no processo original. Art. 8º. Caso o devedor não se manifeste, o Setor Financeiro certificará o decurso do prazo e encaminhará o processo ao Diretor Tesoureiro. 1º - Recebido os autos o Diretor Tesoureiro declarará a revelia e permanecerá com o processo, pelo prazo de 30 (trinta) dias, para a cobrança amigável. 2º - Transcorrido o prazo de cobrança amigável sem que tenha sido pago o débito, o Diretor Tesoureiro declarará o sujeito passivo devedor remisso e determinará sua inscrição na Dívida Ativa. 3º - O vencimento das multas decorrentes de Processos Administrativos de Fiscalização PAF, e de Processos Éticos se dará após o transito em julgado da decisão. Art. 9º. A Dívida Ativa dos Conselhos Regionais de Fonoaudiologia abrangerá: I O valor originário do débito; II Juros de mora; III Demais encargos legais. Art. 10. A Dívida Ativa será apurada e inscrita pelo Setor de Cobrança, auxiliado pelo Setor de Cadastro, cabendo ao Setor de Contabilidade a conferência e o registro contábil pertinente. Art. 11. A inscrição do débito no Livro de Registro da Dívida Ativa, mediante o preenchimento do Termo de Inscrição da Dívida Ativa, deverá ser procedida sem emendas, rasuras ou entrelinhas e, ainda, poderá ser elaborada por processo manual, mecânico ou eletrônico, numerado e rubricado, folha a folha, pelo Diretor Tesoureiro do Conselho Regional de Fonoaudiologia.

4 Art. 12. O Termo de Inscrição da Dívida Ativa deverá conter: I o nome do devedor e, sendo caso, o dos corresponsáveis, bem como, sempre que possível, o domicílio ou a residência de um e de outros; II a quantia devida e a maneira de calcular os juros de mora acrescidos; III- a origem e a natureza do crédito, mencionada especificamente a disposição da lei em que seja fundamentado; IV a data em que foi inscrita; V o número do processo administrativo de que se originar o crédito; VI a indicação do livro e da folha da inscrição. Art Após a lavratura do Termo de Inscrição da Dívida Ativa, será expedida, no prazo de 15 (quinze) dias, a Certidão de Dívida Ativa, que conterá os mesmos elementos do Termo de Inscrição correspondente e será autenticada pelo Diretor Tesoureiro do Conselho Regional. Parágrafo Único. A Certidão de Dívida Ativa também poderá ser preparada e numerada por processo manual, mecânico ou eletrônico. Art. 14. Após a expedição da Certidão de Dívida Ativa, poderá ser feita nova cobrança administrativa, mediante Notificação ao responsável pelo débito, pela via postal, com Aviso de Recebimento, dando ciência da sua inscrição em Dívida Ativa e concedendo prazo de 30 (trinta) dias para a quitação ou parcelamento do débito, contados da data de recebimento da mesma. Art. 15. Permanecendo a inadimplência, será efetuada a cobrança judicial, por meio de execução fiscal, pelo Conselho Regional de Fonoaudiologia. Parágrafo Único. Para o ajuizamento da execução fiscal serão necessários os seguintes documentos: a) Procuração ao advogado subscritor da petição inicial; b) Lei Nº 6.965/81, Decreto Nº /82, Regimento Interno Único dos Conselhos Regionais de Fonoaudiologia e Ata de Eleição e Termo de Posse da Diretoria; c) Certidão da Dívida Ativa; d) Comprovante de quitação das custas judiciais. Art. 16. O ajuizamento da execução fiscal não impede a celebração de acordo, pela via extrajudicial, para pagamento da dívida objeto da referida ação, devendo o

5 Conselho Regional de Fonoaudiologia comunicar o ato ao Juízo, requerendo a suspensão ou a extinção do processo, conforme o caso. Art. 17. À Inscrição do Débito em Dívida Ativa somente será dado baixa após a quitação total da dívida que a originou, sendo que, caso ocorra parcelamento da dívida, a mesma deverá ser averbada à margem do Termo de Inscrição da Dívida Ativa. Parágrafo único. O Conselho Regional de Fonoaudiologia somente expedirá Certidão Negativa de Débito, Certificado de Regularidade e/ou qualquer outro documento após a quitação ou parcelamento da dívida existente. Art. 18. O Conselho Regional de Fonoaudiologia poderá remeter o nome do devedor ao Cadastro de Inadimplentes escolhido e/ou contratado para este fim específico. Art. 19. Os casos omissos serão resolvidos pelo Plenário do CFFa. Art. 20. Revogar as disposições em contrário. Art. 21. Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação no Diário Oficial da União. Bianca Arruda Manchester de Queiroga Presidente Charleston Teixeira Palmeira Diretor Secretário Publicada no Diário Oficial da União, seção 1, dia 14/11/2012, pág. 161/162

DECISÃO do Plenário do CFA na 19ª reunião, realizada em 11/12/2003,

DECISÃO do Plenário do CFA na 19ª reunião, realizada em 11/12/2003, RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA N.º 287, DE 14 DE JANEIRO DE 2004 (Revogada pela Resolução Normativa CFA n.º 339, de 5 de junho de 2007) Dispõe sobre o parcelamento de anuidades e outros débitos de exercícios

Leia mais

DECRETO N , DE 31 DE JULHO DE O Prefeito de Ituiutaba, no uso de suas atribuições, e de conformidade com a legislação em vigor,

DECRETO N , DE 31 DE JULHO DE O Prefeito de Ituiutaba, no uso de suas atribuições, e de conformidade com a legislação em vigor, DECRETO N. 7.672, DE 31 DE JULHO DE 2014 Disciplina o sistema de parcelamento de débito fiscal e dá ouras providências. O Prefeito de Ituiutaba, no uso de suas atribuições, e de conformidade com a legislação

Leia mais

DECRETO Nº. 922 DE 07DE MAIO DE A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE SAQUAREMA, no uso de suas atribuições legais, nos termos da Lei, e

DECRETO Nº. 922 DE 07DE MAIO DE A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE SAQUAREMA, no uso de suas atribuições legais, nos termos da Lei, e DECRETO Nº. 922 DE 07DE MAIO DE 2010. Dispõe sobre os critérios para o parcelamento dos créditos tributários ou não, inscritos ou não em Dívida Ativa, e dá outras providências. A PREFEITA DO MUNICÍPIO

Leia mais

Altera a Lei nº ,de 27 de dezembro de 1999, que dispõe sobre a Agência Goiana de Regulação, Controle e Fiscalização de Serviços Públicos.

Altera a Lei nº ,de 27 de dezembro de 1999, que dispõe sobre a Agência Goiana de Regulação, Controle e Fiscalização de Serviços Públicos. GOVERNO DO ESTADO DE GOIÁS Gabinete Civil da Governadoria Superintendência de Legislação LEI Nº 16.653, DE 23 DE JULHO DE 2009 Altera a Lei nº 13.569,de 27 de dezembro de 1999, que dispõe sobre a Agência

Leia mais

N o 8.949, DE 26 DE AGOSTO DE D E C R E T A: Seção I Das Disposições Gerais

N o 8.949, DE 26 DE AGOSTO DE D E C R E T A: Seção I Das Disposições Gerais D E C R E T O N o 8.949, DE 26 DE AGOSTO DE 2013 DISCIPLINA O PARCELAMENTO DOS CRÉDITOS TRIBUTÁRIOS E NÃO TRIBUTÁRIOS, INSCRITOS OU NÃO EM DÍVIDA ATIVA, DO MUNICÍPIO DE ANGRA DOS REIS, DE SUAS AUTARQUIAS

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA N.º 346, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2007 (Prazo de vigência expirado em 31 de dezembro de 2008)

RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA N.º 346, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2007 (Prazo de vigência expirado em 31 de dezembro de 2008) Publicada no D.O.U. nº 239, de 13/12/2007 Seção 1 Página 154 RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA N.º 346, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2007 (Prazo de vigência expirado em 31 de dezembro de 2008) Dispõe sobre o Programa de

Leia mais

Disciplina os procedimentos referentes à remissão do Imposto sobre a Propriedade

Disciplina os procedimentos referentes à remissão do Imposto sobre a Propriedade RESOLUÇÃO SMF Nº 2677 DE 20 DE JULHO DE 2011 Disciplina os procedimentos referentes à remissão do Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana IPTU instituída pelo art. 5º da Lei nº 5.128,

Leia mais

DECRETO Nº , DE 28 DE DEZEMBRO DE 2015.

DECRETO Nº , DE 28 DE DEZEMBRO DE 2015. DECRETO Nº 19.269, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2015. Estabelece o Calendário Fiscal de Arrecadação dos Tributos Municipais, o valor da Unidade Financeira Municipal (UFM) e os preços do metro quadrado de terrenos

Leia mais

Brasília - DF, quarta-feira, 20 de agosto de 2014 página 26 MINISTÉRIO DA FAZENDA

Brasília - DF, quarta-feira, 20 de agosto de 2014 página 26 MINISTÉRIO DA FAZENDA Brasília - DF, quarta-feira, 20 de agosto de 2014 página 26 MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 1.491, DE 19 DE AGOSTO DE 2014 Dispõe sobre os débitos a

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ALTO PARANÁ

PREFEITURA MUNICIPAL DE ALTO PARANÁ LEI Nº 2.389/2012 EMENTA: Institui o Programa Municipal de Recuperação Fiscal (REFIS) ampliando sua abrangência. A CÂMARA MUNICIPAL DE ALTO PARANÁ, ESTADO DO PARANÁ, APROVOU E EU, PREFEITO MUNICIPAL, SANCIONO

Leia mais

Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo LEI Nº 6.748

Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo LEI Nº 6.748 Estado do Espírito Santo LEI Nº 6.748 Disciplina a dação em pagamento de bens imóveis como forma de extinção da obrigação tributária no Município de Vitória. O Prefeito Municipal de Vitória, Capital do

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA DECRETA:

PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA DECRETA: 1 DECRETO Nº 11.333, DE 30 DE JUNHO DE 2011. Dispõe sobre a regulamentação da emissão de certidões e declarações no âmbito da Fazenda Pública Municipal. O PREFEITO MUNICIPAL DE TERESINA, Estado do Piauí,

Leia mais

PORTARIA Nº 44-N DE 14 DE MAIO DE 1997

PORTARIA Nº 44-N DE 14 DE MAIO DE 1997 PORTARIA Nº 44-N DE 14 DE MAIO DE 1997 O PRESIDENTE DO INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS E RENOVÁVEIS IBAMA, no uso das atribuições que lhe conferem o Art. 24, do anexo I, da

Leia mais

Conselho Regional de Educação Física 11ª Região Mato Grosso do Sul e Mato Grosso

Conselho Regional de Educação Física 11ª Região Mato Grosso do Sul e Mato Grosso Resolução CREF11/MS-MT nº 124/2013. Campo Grande /MS, 02 de dezembro de 2013. VERSÃO ALTERADA PELA RESOLUÇÃO Nº 132/2014 Dispõe sobre a atuação da fiscalização, tabela de infrações, penalidades, aplicação

Leia mais

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO... 13

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO... 13 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO... 13 CAPÍTULO I A PROCURADORIA-GERAL DA FAZENDA NACIONAL... 15 1. Breve reconstrução histórica... 15 1.1. Do Procurador dos Feitos da Coroa, da Fazenda e do Fisco ao Procurador

Leia mais

O QUE PODE SER PARCELADO? (art. 1º, 1º e 2º)

O QUE PODE SER PARCELADO? (art. 1º, 1º e 2º) O QUE PODE SER PARCELADO? (art. 1º, 1º e 2º) Débitos na Fazenda Estadual e suas autarquias, tributários ou não, vencidos até 31/12/2008, constituídos ou não; inscritos ou não em dívida ativa; ajuizados

Leia mais

DECRETO N.º DE 07 DE MAIO DE 2014

DECRETO N.º DE 07 DE MAIO DE 2014 Decreto Publicado no D.O.E. de 08.05.2014, pág. 02 Este texto não substitui o publicado no D.O.E Índice Remissivo: Letra I - ICMS. DECRETO N.º 44.780 DE 07 DE MAIO DE 2014 Dispõe sobre o parcelamento e

Leia mais

Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu, Paulo César Silva, Prefeito Municipal, sanciono e promulgo a seguinte lei:

Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu, Paulo César Silva, Prefeito Municipal, sanciono e promulgo a seguinte lei: Institui o Programa Temporário de Pagamento Incentivado de Débitos para com a Fazenda Pública do Município de Poços de Caldas- POÇOS EM DIA II e dá outras providências. Faço saber que a Câmara Municipal

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA GOVERNADORIA DECRETO Nº 16406, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2011 PUBLICADO NO DOE Nº 1876, DE 15 DE DEZEMBRO 2011

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA GOVERNADORIA DECRETO Nº 16406, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2011 PUBLICADO NO DOE Nº 1876, DE 15 DE DEZEMBRO 2011 DECRETO Nº 16406, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2011 PUBLICADO NO DOE Nº 1876, DE 15 DE DEZEMBRO 2011 CONSOLIDADO ALTERADO PELO DECRETO: 16753 DOE Nº 1977, de 17.05.12 Dispõe sobre a exclusão do Simples Nacional.

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N o 7 DE 22 DE NOVEMBRO DE 2007 Dispõe sobre o registro de empresas de trabalho temporário. O Secretário de Relações do Trabalho

INSTRUÇÃO NORMATIVA N o 7 DE 22 DE NOVEMBRO DE 2007 Dispõe sobre o registro de empresas de trabalho temporário. O Secretário de Relações do Trabalho INSTRUÇÃO NORMATIVA N o 7 DE 22 DE NOVEMBRO DE 2007 Dispõe sobre o registro de empresas de trabalho temporário. O Secretário de Relações do Trabalho do Ministério do Trabalho e Emprego, no uso da atribuição

Leia mais

O NOVO MODELO DE EXECUÇÃO FISCAL

O NOVO MODELO DE EXECUÇÃO FISCAL O NOVO MODELO DE EXECUÇÃO FISCAL EXECUÇÃO FISCAL Legislação aplicável: Lei 6.830/80 e aplicação subsidiária do CPC. OBJETIVOS DA LEI 6.830/80: Regular a execução judicial para a cobrança da dívida ativa

Leia mais

DECRETO RIO Nº DE 09 DE JULHO DE O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais,

DECRETO RIO Nº DE 09 DE JULHO DE O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais, DECRETO RIO Nº 40354 DE 09 DE JULHO DE 2015 Regulamenta a Lei nº 5.854, de 27 de abril de 2015, que institui o Programa Concilia Rio. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições

Leia mais

E S T A D O D O M A T O G R O S S O Prefeitura Municipal de Jaciara

E S T A D O D O M A T O G R O S S O Prefeitura Municipal de Jaciara INSTRUÇÃO NORMATIVA STB SISTEMA DE TRIBUTOS / DIVIDA ATIVA Nº. 002/2010 Versão: 01 Aprovação em: 23/12/2010 Ato de aprovação: Decreto n.º 2895/2010 Unidade Responsável: Secretaria Municipal de Finanças/

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº03/2014. I para a anuidade do ano de inscrição, 50% (cinquenta por cento) = R$ 300,00(Trezentos Reais) ;

RESOLUÇÃO Nº03/2014. I para a anuidade do ano de inscrição, 50% (cinquenta por cento) = R$ 300,00(Trezentos Reais) ; RESOLUÇÃO Nº03/2014 Fixa o valor das contribuições obrigatórias para o ano de 2015 e dá outras providências. O CONSELHO SECCIONAL DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL EM ALAGOAS, no uso das atribuições legais,

Leia mais

EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 001/ SELEÇÃO DE PROPOSTA PARA ACORDO DE COOPERAÇÃO PARA DESENVOLVIMENTO DE ESTUDOS

EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 001/ SELEÇÃO DE PROPOSTA PARA ACORDO DE COOPERAÇÃO PARA DESENVOLVIMENTO DE ESTUDOS EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 001/2016 - SELEÇÃO DE PROPOSTA PARA ACORDO DE COOPERAÇÃO PARA DESENVOLVIMENTO DE ESTUDOS E RECOMENDAÇÕES PARA A CONSTRUÇÃO DE UM PORTFÓLIO DE SERVIÇOS ( SMART CAMPUS ) PARA

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 004/2015-DIR

RESOLUÇÃO Nº 004/2015-DIR RESOLUÇÃO Nº 004/2015-DIR Dispõe sobre a realização da eleição para escolha do substituto do cargo de VICE- PRESIDENTE da Ordem dos Advogados do Brasil Seção de Goiás, em virtude da renúncia do Vice-Presidente

Leia mais

D.O.U. de 05/10/1992. INSTRUÇÃO NORMATIVA DpRF Nº 109, DE 2 DE OUTUBRO DE 1992

D.O.U. de 05/10/1992. INSTRUÇÃO NORMATIVA DpRF Nº 109, DE 2 DE OUTUBRO DE 1992 D.O.U. de 05/10/1992 INSTRUÇÃO NORMATIVA DpRF Nº 109, DE 2 DE OUTUBRO DE 1992 O Diretor do Departamento da Receita Federal, no uso de suas atribuições, e tendo em vista a necessidade de uniformizar os

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE TÉCNICOS EM RADIOLOGIA Serviço Público Federal

CONSELHO NACIONAL DE TÉCNICOS EM RADIOLOGIA Serviço Público Federal RESOLUÇÃO CONTER Nº 10, DE 16 DE OUTUBRO DE 2009. Estabelece o valor das anuidades, serviços e multas para o ano de 2010, para as pessoas físicas e jurídicas vinculadas ou não ao sistema CONTER/CRTRs e

Leia mais

MARTA SUPLICY, Prefeita do Município de São Paulo, no uso das atribuições que lhe são conferidas por lei,

MARTA SUPLICY, Prefeita do Município de São Paulo, no uso das atribuições que lhe são conferidas por lei, DECRETO No. 41.724, 26 DE FEVEREIRO DE 2002 Ano 47 - Número 37 - São Paulo, quarta-feira, 27 de fevereiro de 2002 Diário Oficial do Município de São Paulo Regulamenta a Lei no. 13.283, de 9 de janeiro

Leia mais

Referência: Decreto Estadual-RJ nº /14 - ICM e ICMS - Parcelamento - Redução de multas e acréscimos legais Disposições.

Referência: Decreto Estadual-RJ nº /14 - ICM e ICMS - Parcelamento - Redução de multas e acréscimos legais Disposições. Rio de Janeiro, 08 de maio de 2014 Of. Circ. Nº 134/14 Referência: Decreto Estadual-RJ nº 44.780/14 - ICM e ICMS - Parcelamento - Redução de multas e acréscimos legais Disposições. Senhor Presidente, Fazendo

Leia mais

TABELA DE ANUIDADES PARA O EXERCÍCIO DE 2013

TABELA DE ANUIDADES PARA O EXERCÍCIO DE 2013 RESOLUÇÃO Nº 001, DE 24 DE JANEIRO DE 2013. Dispõe sobre a TABELA DE ANUIDADE, TAXAS E EMOLUMENTOS para o EXERCÍCIO FINANCEIRO DE 2013. O CONSELHO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL, SECÇÃO DO CEARÁ, em

Leia mais

RESOLUÇÃO CONFE nº 250 DE 26 DE NOVEMBRO DE 2001

RESOLUÇÃO CONFE nº 250 DE 26 DE NOVEMBRO DE 2001 RESOLUÇÃO CONFE nº 250 DE 26 DE NOVEMBRO DE 2001 DISPÕE SOBRE O VALOR DE ANUIDADE, TAXAS E MULTAS DEVIDAS AOS CONSELHOS REGIONAIS DE ESTATÍSTICA PARA O EXERCÍCIO DE 2002. O CONSELHO FEDERAL DE ESTATÍSTICA,

Leia mais

CARTA CONVITE Nº 068 / 2011 PROCESSO Nº 846 / 2011 CONDIÇÕES GERAIS

CARTA CONVITE Nº 068 / 2011 PROCESSO Nº 846 / 2011 CONDIÇÕES GERAIS CARTA CONVITE Nº 068 / 2011 PROCESSO Nº 846 / 2011 CONDIÇÕES GERAIS O CONSELHO REGIONAL DOS REPRESENTANTES COMERCIAIS DO ESTADO DE MINAS GERAIS - COREMINAS, criado pela Lei Nº 4886 de 09 de dezembro de

Leia mais

PORTARIA CONJUNTA PGFN/RFB Nº 3, DE 02 DE MAIO DE DOU DE 02/05/2007- EDIÇÃO EXTRA

PORTARIA CONJUNTA PGFN/RFB Nº 3, DE 02 DE MAIO DE DOU DE 02/05/2007- EDIÇÃO EXTRA PORTARIA CONJUNTA PGFN/RFB Nº 3, DE 02 DE MAIO DE 2007 - DOU DE 02/05/2007- EDIÇÃO EXTRA Alterado pela PORTARIA CONJUNTA PGFN/RFB Nº 1, DE 20 DE JANEIRO DE 2010 - DOU DE 22/01/2010 Dispõe sobre a prova

Leia mais

Procuradoria da Dívida Ativa - PG-05

Procuradoria da Dívida Ativa - PG-05 Procuradoria da Dívida Ativa - PG-05 Ano UFIR-RJ* 2006 67.495.595,72 2007 50.486.636,57 2008 65.476.580,85 2009 231.174.347,46 2010 421.467.819,04 2011 144.707.862,62 2012 357.340.649,83 2013 367.528.368,78

Leia mais

INSTRUÇÃO CONFE Nº 5, de 30 de dezembro de 1969

INSTRUÇÃO CONFE Nº 5, de 30 de dezembro de 1969 INSTRUÇÃO CONFE Nº 5, de 30 de dezembro de 1969 ALTERA E COMPLEMENTA ORIENTAÇÕES EXPEDIDAS AOS CONRE SOBRE PROCESSAMENTO DE REGISTROS, PREENCHIMENTO DE CARTEIRAS, PRESTAÇÃO DE CONTAS E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

Rio de Janeiro, 09 de setembro de Of. Circ. Nº 289/14

Rio de Janeiro, 09 de setembro de Of. Circ. Nº 289/14 Rio de Janeiro, 09 de setembro de 2014. Of. Circ. Nº 289/14 Referência: Resolução SEFAZ-RJ nº 786/14 - ICMS - Diferimento - Importação - Operação interestadual com alíquota de 4% - Percentual pretendido

Leia mais

Lauro de Freitas DECRETO Nº DE 20 DE JANEIRO DE 2015.

Lauro de Freitas DECRETO Nº DE 20 DE JANEIRO DE 2015. 2 - Ano III - Nº 291 Decretos DECRETO Nº 3.824 DE 20 DE JANEIRO DE 2015. Institui a Certidão de Regularidade Fiscal da Construção Civil CRFCC. O PREFEITO MUNICIPAL DE LAURO DE FREITAS, Estado da Bahia,

Leia mais

ALVARÁ DE LICENÇA E FUNCIONAMENTO FINALIDADE: FUNCIONAMENTO DE ESTABELECIMENTO

ALVARÁ DE LICENÇA E FUNCIONAMENTO FINALIDADE: FUNCIONAMENTO DE ESTABELECIMENTO PREFEITURA DE SÃO LUÍS SECRETARIA MUNICIPAL DE FAZENDA 2016 ALVARÁ DE LICENÇA E FUNCIONAMENTO FINALIDADE: FUNCIONAMENTO DE ESTABELECIMENTO INSCRIÇÃO MUNICIPAL CPF/CNPJ 54125003 06.042.030/0001-47 RAZÃO

Leia mais

PORTARIA CONJUNTA PGFN E SE/MTE Nº 02, DE MARÇO DE 2012.

PORTARIA CONJUNTA PGFN E SE/MTE Nº 02, DE MARÇO DE 2012. PORTARIA CONJUNTA PGFN E SE/MTE Nº 02, DE MARÇO DE 2012. Estabelece normas para a remessa de débitos originários de autos de infração lavrados por agentes do Ministério do Trabalho e Emprego às unidades

Leia mais

DECRETO Nº , DE 10 DE MARÇO DE 2016.

DECRETO Nº , DE 10 DE MARÇO DE 2016. DECRETO Nº 19.332, DE 10 DE MARÇO DE 2016. Regulamenta a Lei nº 12.005, de 11 de fevereiro de 2016, que permite às instituições conveniadas com o Município ou mantidas pelo Estado e cadastradas como beneficiárias

Leia mais

RESOLUÇÃO CRESS Nº 91, de 29 de novembro de 2016.

RESOLUÇÃO CRESS Nº 91, de 29 de novembro de 2016. RESOLUÇÃO CRESS Nº 91, de 29 de novembro de 2016. EMENTA: Estabelece a fixação da anuidade para o exercício de 2017 de pessoa física e de pessoa jurídica e determina outras providências. A Presidente em

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE FAZENDA Subsecretaria da Receita Estadual PROGRAMA DE PARCELAMENTO ESPECIAL II

SECRETARIA DE ESTADO DE FAZENDA Subsecretaria da Receita Estadual PROGRAMA DE PARCELAMENTO ESPECIAL II SECRETARIA DE ESTADO DE FAZENDA Subsecretaria da Receita Estadual PROGRAMA DE PARCELAMENTO ESPECIAL II PPE II CONDIÇÕES DO DÉBITOD O débito pode estar: Formalizado ou não; Inscrito ou não em dívida ativa;

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ TRADIÇÃO, EXPERIÊNCIA E OUSADIA DE QUEM É PIONEIRO Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO FINANCEIRO E TRIBUTÁRIO II Professora: ILZA MARIA DA SILVA FACUNDES Turma: 8ºDIV

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 490, DE 01 DE NOVEMBRO DE 2016

CONSELHO FEDERAL DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 490, DE 01 DE NOVEMBRO DE 2016 Publicado no DOU nº 218, 14/11/2016, Seção 1 pag. 269 Publicado no DOU nº 222, 21/11/2016, Seção 1 pág. 127 Publicada no DOU nº 91, 15/05/2017, Seção 1 pág. 225 RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 490, DE 01 DE

Leia mais

PESQUISA FUNDEPES CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 003/2015

PESQUISA FUNDEPES CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 003/2015 FUNDAÇÃO UNIVERSITÁRIA DE DESENVOLVIMENTO DE EXTENSÃO E PESQUISA FUNDEPES CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 003/2015 DISPÕE SOBRE A CONCESSÃO DE SUPRIMENTO DE FUNDOS PELA FUNDAÇÃO UNIVERSITÁRIA DE DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Portaria CAT - 94, de

Portaria CAT - 94, de Portaria CAT - 94, de 20-05-2009 (DOE 21-05-2009) Disciplina os procedimentos para o cancelamento dos débitos fiscais do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores - IPVA previsto no artigo 52

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 773, DE 8 DE OUTUBRO DE 2015.

LEI COMPLEMENTAR Nº 773, DE 8 DE OUTUBRO DE 2015. LEI COMPLEMENTAR Nº 773, DE 8 DE OUTUBRO DE 2015. Institui o Programa de Recuperação Fiscal Refispoa 2015 e revoga a Lei nº 11.428, de 30 de abril de 2013. O PREFEITO MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE Faço saber

Leia mais

Art. 2º - Os débitos de que trata o artigo anterior, existente para com a Fazenda Municipal, poderão ser pagos de acordo com os seguintes critérios:

Art. 2º - Os débitos de que trata o artigo anterior, existente para com a Fazenda Municipal, poderão ser pagos de acordo com os seguintes critérios: LEI MUNICIPAL N.º 3.993/2015 INSTITUI PROGRAMA DE RECUPERAÇÃO FISCAL (REFIS) E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. RENATO GEMELLI BONADIMAN, Prefeito Municipal, Seberi, Estado do Rio Grande do sul, no uso de suas

Leia mais

CIRCULAR N 14/2005 CÓDIGO TRIBUTÁRIO NACIONAL ALTERÇÃO AJUSTE À LEI DE FALÊNCIA PENHORA ON-LINE

CIRCULAR N 14/2005 CÓDIGO TRIBUTÁRIO NACIONAL ALTERÇÃO AJUSTE À LEI DE FALÊNCIA PENHORA ON-LINE São Paulo, 16 de Fevereiro de 2.005 DE: PARA: ASSESSORIA JURÍDICA ASSOCIADOS CIRCULAR N 14/2005 CÓDIGO TRIBUTÁRIO NACIONAL ALTERÇÃO AJUSTE À LEI DE FALÊNCIA PENHORA ON-LINE Anexamos, para conhecimento,

Leia mais

1) do termo final do período de apuração;

1) do termo final do período de apuração; RESOLUÇÃO NO 2.554, DE 17 DE AGOSTO DE 1994 (MG de 18 e ret. em 25) REVOGADA PELA RESOLUÇÃO Nº 2.880/97 Trata da atualização monetária dos créditos tributários do Estado, da cobrança de juros de mora,

Leia mais

Ordem dos Advogados do Brasil Seção de Mato Grosso do Sul

Ordem dos Advogados do Brasil Seção de Mato Grosso do Sul RESOLUÇÃO OAB/MS n. 14/2016 Ordem dos Advogados do Brasil Fixa a anuidade de 2017, disciplina sua cobrança e dá outras providências. Considerando Ofício Circular nº 026/2016 do Conselho Federal da Ordem

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE NEPOMUCENO

PREFEITURA MUNICIPAL DE NEPOMUCENO LEI Nº 478, 13 DE JUNHO DE 2014. Autoriza o pagamento de dívida ativa municipal através da dação em pagamento de bens imóveis e dá outras providências. A Câmara Municipal de Nepomuceno, por seus representantes

Leia mais

MEDIDA PROVISÓRIA nº 783, de 31/05/2017. Instrução Normativa RFB nº 1711, de 16/06/2017.

MEDIDA PROVISÓRIA nº 783, de 31/05/2017. Instrução Normativa RFB nº 1711, de 16/06/2017. MEDIDA PROVISÓRIA nº 783, de 31/05/2017. Instrução Normativa RFB nº 1711, de 16/06/2017. MAPA ETÉCNICO FISCAL - www.etecnico.com.br - facebook/mapaetecnicofiscal 1 INTRODUÇÃO A MP 783/2017, institui o

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO RESOLUÇÃO CEE N.º 02, DE 13 DE JUNHO DE 2016.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO RESOLUÇÃO CEE N.º 02, DE 13 DE JUNHO DE 2016. RESOLUÇÃO CEE N.º 02, DE 13 DE JUNHO DE 2016. O COLÉGIO ELEITORAL ESPECIAL DA FUNDAÇÃO, CONSTITUÍDO DA REUNIÃO DO CONSELHO DIRETOR, DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO E DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO,

Leia mais

ALVARÁ DE LICENÇA E FUNCIONAMENTO FINALIDADE: FUNCIONAMENTO DE ESTABELECIMENTO

ALVARÁ DE LICENÇA E FUNCIONAMENTO FINALIDADE: FUNCIONAMENTO DE ESTABELECIMENTO PREFEITURA DE SÃO LUÍS SECRETARIA MUNICIPAL DE FAZENDA 2015 ALVARÁ DE LICENÇA E FUNCIONAMENTO FINALIDADE: FUNCIONAMENTO DE ESTABELECIMENTO ATIVIDADE: 020128 - Taxa TLVLF Outras Atividades - Pequeno Porte

Leia mais

ENTIDADES DE FISCALIZAÇÃO DO EXERCÍCIO DAS PROFISSÕES LIBERAIS CONSELHO FEDERAL DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 464, DE 22 DE ABRIL DE 2015

ENTIDADES DE FISCALIZAÇÃO DO EXERCÍCIO DAS PROFISSÕES LIBERAIS CONSELHO FEDERAL DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 464, DE 22 DE ABRIL DE 2015 ENTIDADES DE FISCALIZAÇÃO DO EXERCÍCIO DAS PROFISSÕES LIBERAIS CONSELHO FEDERAL DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 464, DE 22 DE ABRIL DE 2015 Dispõe sobre a criação de Acervos Técnicos de Pessoas

Leia mais

PROVIMENTO Nº. 30/2013-CGJ

PROVIMENTO Nº. 30/2013-CGJ PROVIMENTO Nº. 30/2013-CGJ Disciplina a manutenção e escrituração de Livro Diário Auxiliar pelos titulares de delegações e pelos responsáveis interinamente por delegações vagas do serviço extrajudicial

Leia mais

Rio de Janeiro, 18 de julho de Of. Circ. Nº 235/14

Rio de Janeiro, 18 de julho de Of. Circ. Nº 235/14 Rio de Janeiro, 18 de julho de 2014. Of. Circ. Nº 235/14 Referência: Instrução Normativa Receita Federal do Brasil/Procuradoria Geral da Fazenda Nacional - PGFN nº 1.482/14 - Parcelamento de débitos ou

Leia mais

CONVITE Nº 007/ Os serviços serão prestados no prazo de 11 (onze) meses. 2 DA FORMA DE APRESENTAÇÃO DA DOCUMENTAÇÃO E DA PROPOSTA DE PREÇOS

CONVITE Nº 007/ Os serviços serão prestados no prazo de 11 (onze) meses. 2 DA FORMA DE APRESENTAÇÃO DA DOCUMENTAÇÃO E DA PROPOSTA DE PREÇOS CONVITE Nº 007/2016 ASSUNTO: MANUTENÇÃO DE COMPUTADORES; MANUTENÇÃO DA REDE INTERNA E MANUTENÇÃO DO SITE DA CÂMARA MUNICIPAL, NA FORMA A SEGUIR. A CÂMARA MUNICIPAL DE PRESIDENTE FIGUEIREDO, através da

Leia mais

Direito Processual Penal

Direito Processual Penal Direito Processual Penal Citação e Intimação Professor Joerberth Nunes www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Processual Penal CITAÇÃO E INTIMAÇÃO TÍTULO X Das Citações e Intimações CAPÍTULO I DAS CITAÇÕES

Leia mais

Regularização de IVA de créditos de cobrança duvidosa e créditos incobráveis

Regularização de IVA de créditos de cobrança duvidosa e créditos incobráveis Regularização de IVA de créditos de cobrança duvidosa e créditos incobráveis Com a aprovação da lei do Orçamento do Estado para 2013 foram introduzidos no Código do IVA quatro novos artigos (78.º-A a 78.º-D)

Leia mais

RESOLUÇÃO CFESS Nº 548, de 23 de março de 2009

RESOLUÇÃO CFESS Nº 548, de 23 de março de 2009 RESOLUÇÃO CFESS Nº 548, de 23 de março de 2009 EMENTA: Institui procedimentos que deverão ser adotados no processamento das denúncias éticas que forem objeto de DESAFORAMENTO, conforme previsão do artigo

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RESOLUÇÃO N. 1 DE 10 DE FEVEREIRO DE 2010. Regulamenta o processo judicial eletrônico no âmbito do Superior Tribunal de Justiça. O PRESIDENTE DO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA, no uso das atribuições que

Leia mais

DECRETO Nº 9.893, DE 17 DE DEZEMBRO DE (Processo administrativo nº /2012)

DECRETO Nº 9.893, DE 17 DE DEZEMBRO DE (Processo administrativo nº /2012) DECRETO Nº 9.893, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2012. (Processo administrativo nº 49.754/2012) Regulamenta no âmbito do Município de Franca o Programa de Parcelamento de ISS e multas fiscais devidos pelas microempresas,

Leia mais

Disciplina o pagamento de tributos e contribuições federais nas condições estabelecidas nos arts. 13 e 14 da Lei nº , de 2002.

Disciplina o pagamento de tributos e contribuições federais nas condições estabelecidas nos arts. 13 e 14 da Lei nº , de 2002. Portaria Conjunta SRF/PGFN nº 07, de 8 de janeiro de 2003 DOU de 10.1.2003 Disciplina o pagamento de tributos e contribuições federais nas condições estabelecidas nos arts. 13 e 14 da Lei nº 10.637, de

Leia mais

REGIMENTO INTERNO NORMA Nº 02/ DO REGULAMENTO ELEIÇÕES DA DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELH0 FISCAL

REGIMENTO INTERNO NORMA Nº 02/ DO REGULAMENTO ELEIÇÕES DA DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELH0 FISCAL REGIMENTO INTERNO NORMA Nº 02/2010 - DO REGULAMENTO ELEIÇÕES DA DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELH0 FISCAL Art. 1º - Este Regulamento fixa normas para eleição da Diretoria Executiva e Conselho Fiscal da, de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 06/2016. Art. 1º Fica aprovada a seguinte TABELA DE ANUIDADES, TAXAS e EMOLUMENTOS a vigorar durante o exercício financeiro do ano 2017.

RESOLUÇÃO Nº 06/2016. Art. 1º Fica aprovada a seguinte TABELA DE ANUIDADES, TAXAS e EMOLUMENTOS a vigorar durante o exercício financeiro do ano 2017. RESOLUÇÃO Nº 06/2016 Dispõe sobre a TABELA DE ANUIDADE, TAXAS E EMOLUMENTOS para o EXERCÍCIO FINANCEIRO DE 2017. O CONSELHO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL, SECÇÃO DO CEARÁ, em sua 6ª Sessão Ordinária,

Leia mais

Refis da Copa Eliminação dos honorários sobre os débitos previdenciários

Refis da Copa Eliminação dos honorários sobre os débitos previdenciários Refis da Copa Eliminação dos honorários sobre os débitos previdenciários Marcelo Alvares Vicente Mestre em Direito Tributário pela PUC/SP, advogado especialista em administração do passivo fiscal, professor

Leia mais

Comissão de Licitação. Local: Sede da Fundação ASTEF Campus Universitário do Pici, S/Nº, Sala B - Bloco Bairro Amadeu Furtado

Comissão de Licitação. Local: Sede da Fundação ASTEF Campus Universitário do Pici, S/Nº, Sala B - Bloco Bairro Amadeu Furtado Convite Nº 017/2011 Recebimento das Propostas Até Dia: 24/05/2011 Abertura dos Envelopes Dia: 24/05/2011 Hora: 10:00 horas. Hora: 10:00 horas. Local: Sede da Fundação ASTEF Campus Universitário do Pici,

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE FONOAUDIOLOGIA

CONSELHO FEDERAL DE FONOAUDIOLOGIA Resolução CFFa Nº 494, de 8 de abril de 2016. Dispõe sobre registro profissional, principal e secundário, transferência por alteração de endereço profissional, baixa, reintegração e revalidação da Cédula

Leia mais

Entidades de Fiscalização do Exercício das Profissões Liberais Conselho Federal de Fonoaudiologia RESOLUÇÃO Nº 330, DE 13 DE MAIO DE 2006

Entidades de Fiscalização do Exercício das Profissões Liberais Conselho Federal de Fonoaudiologia RESOLUÇÃO Nº 330, DE 13 DE MAIO DE 2006 Entidades de Fiscalização do Exercício das Profissões Liberais Conselho Federal de Fonoaudiologia RESOLUÇÃO Nº 330, DE 13 DE MAIO DE 2006 Dispõe sobre o registro profissional provisório e definitivo, principal

Leia mais

Expediente nº /17/SUP/2013

Expediente nº /17/SUP/2013 Expediente nº 008945/17/SUP/2013 DTM-SUP/DER-012-13/09/2016 Estabelece procedimentos para instrução de processos referentes a danos ao patrimônio público. (1.3) (1.4) SENHORES, CHEFE DE GABINETE, DIRETORES

Leia mais

Regimento Interno da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica

Regimento Interno da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica Regimento Interno da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica Conselho Fiscal e a Comissão de Ética. Artigo 4º. As normas de elegibilidade e votação acham-se dispostas no estatuto da SBOC Nacional, devendo

Leia mais

DECISÃO da Diretoria Executiva em sua 8ª reunião realizada no dia 11 de novembro de 2015, ad-referendum do Plenário,

DECISÃO da Diretoria Executiva em sua 8ª reunião realizada no dia 11 de novembro de 2015, ad-referendum do Plenário, Publicado no D.O.U. nº 223 de 23/11/2015, Seção 1 pag. 138 e 139 RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 472, DE 20 DE NOVEMBRO DE 2015, (Alterada pela RN 482,09/06/2016) Dispõe sobre os valores das anuidades, taxas

Leia mais

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 732, DE 2011

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 732, DE 2011 SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 732, DE 2011 Altera o 2º do art. 4º da Lei nº 10.522, de 19 de julho de 2002, que dispõe sobre o cadastro informativo dos créditos não quitados de órgãos e entidades

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CENTRO ACADÊMICO DE JORNALISMO COMISSÃO ELEITORAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CENTRO ACADÊMICO DE JORNALISMO COMISSÃO ELEITORAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CENTRO ACADÊMICO DE JORNALISMO COMISSÃO ELEITORAL EDITAL N 001, 05 DE FEVEREIRO DE 2014. A comissão eleitoral, no uso de suas atribuições e cumprindo disposições formuladas

Leia mais

PORTARIA Nº. 20, DE 15 DE ABRIL DE 2016 (DOU DE )

PORTARIA Nº. 20, DE 15 DE ABRIL DE 2016 (DOU DE ) PORTARIA Nº. 20, DE 15 DE ABRIL DE 2016 (DOU DE 18.04.2016) Altera a Portaria nº 02, de 22 de fevereiro de 2013 e dá outras providências. O SECRETÁRIO DE RELAÇÕES DO TRABALHO, no uso das atribuições que

Leia mais

Provimento Nº 172/2016

Provimento Nº 172/2016 Provimento Nº 172/2016 Altera o art. 5º do Provimento n. 91/2000, o inciso "g" do art. 2º e o 3º do art. 3º do Provimento n. 94/2000, o parágrafo único do art. 2º, o caput do art. 3º e o 5º do art. 4º

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE ESTATÍSTICA

CONSELHO FEDERAL DE ESTATÍSTICA RESOLUÇÃO CONFE N.º 311 de 14 de OUTUBRO de 2015. DISPÕE SOBRE O VALOR DA ANUIDADE, TAXAS E MULTAS DEVIDAS AOS CONSELHOS REGIONAIS DE ESTATÍSTICA PARA O EXERCÍCIO DE 2016. O CONSELHO FEDERAL DE ESTATÍSTICA,

Leia mais

PROVIMENTO Nº 12/2015

PROVIMENTO Nº 12/2015 PROVIMENTO Nº 12/2015 Dispõe sobre o protesto de Certidões de Dívidas Judiciais e dá outras providências. A Corregedora-Geral da Justiça, Desembargadora Regina Ferrari, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BARRACÃO - RS TOMADA DE PREÇOS Nº 009/2012

PREFEITURA MUNICIPAL DE BARRACÃO - RS TOMADA DE PREÇOS Nº 009/2012 PREFEITURA MUNICIPAL DE BARRACÃO - RS TOMADA DE PREÇOS Nº 009/2012 TOMADA DE PREÇOS PARA AQUISIÇÃO DE VEÍCULOS TIPO PASSEIO, ZERO QUILOMETRO PARA A SECRETARIA MUNICIPAL DE AGRICULTURA RS. O PREFEITO MUNICIPAL

Leia mais

Art. 2º Podem requerer a certidão a que se refere o artigo anterior:

Art. 2º Podem requerer a certidão a que se refere o artigo anterior: Instrução Normativa SRF nº 096, de 23 de outubro de 2000. Disciplina o requerimento e a emissão de certidões acerca da situação do sujeito passivo, quanto aos tributos e contribuições federais administrados

Leia mais

Ministério da Fazenda

Ministério da Fazenda N.º 191 - Seção 1, sexta-feira, 3 de outubro de 2014 Ministério da Fazenda SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL PORTARIA Nº 1751, DE 2 DE OUTUBRO DE 2014. Dispõe sobre a prova de regularidade fiscal

Leia mais

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PARTICIPANTES DO PB1 DA PREVI - ANAPLAB

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PARTICIPANTES DO PB1 DA PREVI - ANAPLAB ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PARTICIPANTES DO PB1 DA PREVI - ANAPLAB REGULAMENTO ELEITORAL CAPÍTULO I DO REGULAMENTO E SUAS FINALIDADES Art. 1º - O presente Regulamento tem por objetivo definir as normas que

Leia mais

Lei Complementar nº 4.284, de 22 de setembro de 2015.

Lei Complementar nº 4.284, de 22 de setembro de 2015. Lei Complementar nº 4.284, de 22 de setembro de 2015. Institui o Programa de Recuperação Fiscal REFIS do Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Taquaritinga SAAET, e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL

Leia mais

Parcelamento Especial do Simples Nacional. Ministério da Fazenda

Parcelamento Especial do Simples Nacional. Ministério da Fazenda Parcelamento Especial do Simples Nacional LEGISLAÇÃO Lei Complementar nº 55/206 Resolução CGSN nº 32/206 Instrução Normativa RFB nº.677/206 Portaria PGFN nº.0/206 2 ADESÃO Prazo de adesão: de 2/2/206 até

Leia mais

GABINETE DO PREFEITO CONTROLADORIA GERAL MUNICIPAL ATO DE APROVAÇÃO

GABINETE DO PREFEITO CONTROLADORIA GERAL MUNICIPAL ATO DE APROVAÇÃO GABINETE DO PREFEITO CONTROLADORIA GERAL MUNICIPAL ATO DE APROVAÇÃO INSTRUÇÃO NORMATIVA CGM Nº 003/2011 VERSÃO 02 UNIDADE RESPONSÁVEL Controladoria Municipal de Guamaré I FINALIDADE Dispor acerca do requerimento

Leia mais

RESOLUÇÃO CONFE N.º 317. de 19 de OUTUBRO de DISPÕE SOBRE O VALOR DA ANUIDADE, PARA O EXERCÍCIO DE 2017.

RESOLUÇÃO CONFE N.º 317. de 19 de OUTUBRO de DISPÕE SOBRE O VALOR DA ANUIDADE, PARA O EXERCÍCIO DE 2017. FERAL RESOLUÇÃO CONFE N.º 317 de 19 de OUTUBRO de 2016. DISPÕE SOBRE O VALOR DA ANUIDA, TAXAS E MULTAS VIDAS AOS S REGIONAIS PARA O EXERCÍCIO 2017. O exercício de FERAL, no suas atribuições legais e regimentais,

Leia mais

Diário Oficial da União Seção 1-Nº 116, segunda-feira, 18 de junho de 2012

Diário Oficial da União Seção 1-Nº 116, segunda-feira, 18 de junho de 2012 Secretaria da Receita Federal do Brasil revoga instrução normativa que tratava a respeito dos procedimentos para ratificação de erros no preenchimento de Guia da Previdência Social (GPS) Para conhecimento,

Leia mais

REFAZ 2015 POSSIBILITA PARCELAMENTO DE DÍVIDAS DE ICMS COM REDUÇÕES DE JUROS E MULTA E PAGAMENTO EM ATÉ 120 PARCELAS

REFAZ 2015 POSSIBILITA PARCELAMENTO DE DÍVIDAS DE ICMS COM REDUÇÕES DE JUROS E MULTA E PAGAMENTO EM ATÉ 120 PARCELAS REFAZ 2015 POSSIBILITA PARCELAMENTO DE DÍVIDAS DE ICMS COM REDUÇÕES DE JUROS E MULTA E PAGAMENTO EM ATÉ 120 PARCELAS O PROGRAMA DE PARCELAMENTO No dia 1º de setembro último, o Estado do Rio Grande do Sul

Leia mais

FUNDAÇÃO INTEGRADA MUNICIPAL DE ENSINO SUPERIOR FIMES CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MINEIROS. EDITAL DE MATRÍCULA n 002/DEN/PROEP/UNIFIMES/2016.

FUNDAÇÃO INTEGRADA MUNICIPAL DE ENSINO SUPERIOR FIMES CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MINEIROS. EDITAL DE MATRÍCULA n 002/DEN/PROEP/UNIFIMES/2016. FUNDAÇÃO INTEGRADA MUNICIPAL DE ENSINO SUPERIOR FIMES CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MINEIROS EDITAL DE MATRÍCULA n 002/DEN/PROEP/UNIFIMES/2016.2 A Fundação Integrada Municipal de Ensino Superior FIMES, através

Leia mais

Portaria Conjunta RFB/PGFN Nº 1751 DE 02/10/2014

Portaria Conjunta RFB/PGFN Nº 1751 DE 02/10/2014 Portaria Conjunta RFB/PGFN Nº 1751 DE 02/10/2014 Dispõe sobre a prova de regularidade fiscal perante a Fazenda Nacional. O Secretário da Receita Federal do Brasil e a Procuradora-Geral da Fazenda Nacional,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 475, DE 14 DE ABRIL DE 2008 O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO E O MINISTRO DE

Leia mais

b. Comprovante de regularidade de matrícula em nível superior na instituição de origem (original); c. Histórico Escolar do curso de origem contendo ca

b. Comprovante de regularidade de matrícula em nível superior na instituição de origem (original); c. Histórico Escolar do curso de origem contendo ca EDITAL FATEC MAUÁ Nº. 01/2017 de 25 de novembro de 2016. O Diretor da Fatec-Mauá - Faculdade de Tecnologia de Mauá, no uso de suas atribuições legais, faz saber que estão abertas inscrições para participação

Leia mais

ANEXO I TABELA DE CUSTAS E HONORÁRIOS DOS ÁRBITROS

ANEXO I TABELA DE CUSTAS E HONORÁRIOS DOS ÁRBITROS ANEXO I TABELA DE CUSTAS E HONORÁRIOS DOS ÁRBITROS Consoante dispõe o Regulamento de Arbitragem, doravante denominado simplesmente Regulamento, os custos dos procedimentos arbitrais comportam 1 : 1. TAXA

Leia mais

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e RESOLUÇÃO CFC N.º 1.167/09 Dispõe sobre o Registro Profissional dos Contabilistas. regimentais, O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e RESOLVE: CAPÍTULO I DO EXERCÍCIO

Leia mais

ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA

ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA EDITAL DE CONVOCAÇÃO Nº 004 DE 11, DE SETEMBRO DE 2015. ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA Dispõe sobre as eleições da OAB/MT no ano de 2015 e dá outras providências. O Conselho Seccional da OAB/MT, no uso de

Leia mais

DISPENSA DE LICITAÇÃO

DISPENSA DE LICITAÇÃO DISPENSA DE LICITAÇÃO Processo: Secretaria: Empresa: CNPJ: Objeto: LISTA DE VERIFICAÇÕES Justificativa - deverá ser elaborada pela Secretaria Requisitante, a qual identificará a necessidade administrativa

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Execução I. Prof. Luiz Dellore

DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Execução I. Prof. Luiz Dellore DIREITO PROCESSUAL CIVIL Execução I Prof. Luiz Dellore Inadimplemento + título executivo extrajudicial: Processo de execução. PARTE ESPECIAL LIVRO II DO PROCESSO DE EXECUÇÃO Sempre? Art. 785. A existência

Leia mais