Química Geral e Experimental II Gases Resolução comentada de exercícios selecionados versão gases_v2_2005 Prof. Fabricio R.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Química Geral e Experimental II Gases Resolução comentada de exercícios selecionados versão gases_v2_2005 Prof. Fabricio R."

Transcrição

1 Química Geral e Experimental II Gases Resolução comentada de exercícios selecionados Prof. Fabricio R. Sensato 1) Imagine que o pneu de uma bicicleta, contendo 0,406 mol de ar arrebente se a pressão interna atinge 7,25 atm, quando então volume interno é 1,52 L. A que temperatura, em graus Celsius, o ar do pneu deve ser aquecido para provocar o estouro? 2) É possível fazer um vulcão, em miniatura, no laboratório usando o dicromato de amônio. Este composto, ao ser aquecido, se decompõe espetacularmente: (NH 4 ) 2 Cr 2 O 7 (s) N 2 (g) + 4H 2 O(g) + Cr 2 O 3 (s) Se 5,0 g de dicromato de amônio forem usados, e se os gases da reação forem recolhidos num balão de 3,0 L, a 23 o C, qual a pressão total do gás neste balão? Quais as pressões parciais do N 2 e da H 2 O? 3) Uma amostra sólida contém NaNO 2 e NaCl e se quer determinar a quantidade de NaNO 2 presente. Faz-se a reação com o ácido sulfâmico, HSO 3 NH 2, em água, conforme a equação: NaNO 2 (aq) + HSO 3 NH 2 (aq) NaHSO 4 (aq) + H 2 O(l) + N 2 (g) Qual a percentagem ponderal do NaNO 2 na amostra, se, 1,232 g da mistura sólida dá, na reação com o ácido sulfâmico, 295 ml de N 2 gasoso? O gás é recolhido sobre água na temperatura de 21,0 o C e com a pressãp barométrica indicando 736,0 mmhg. 4) A Ni(CO) 4 pode ser obtida pela reação entre o níquel finamente dividido e o CO gasoso. Se o CO estiver em um balão de 1,50 L, na pressão de 418 mmhg, a 25,0 o C, juntamente com 0,450 g de pó de Ni, qual o número máximo de gramas de Ni(CO) 4 que se pode obter? 5) Em que condições de temperatura e pressão a lei dos gases ideais (pv=nrt) descreve satisfatoriamente o comportamento de um gás real? Por quê? Quais as características de um gás ideal? 6) Qual a pressão total, em atmosferas, numa mistura gasosa que contém 1,0 g de H 2 e 8,0 g de Ar, num vaso de 3,0 L, a 27 o C? Quais as pressões parciais dos dois gases? 7) Uma amostra de 1,007 g de um gás desconhecido exerce a pressão de 715 mmhg num vaso de 452 ml, a 23 o C. Qual a massa molar (massa de um mol) do gás? 8) O silano, SiH 4, reage com o O 2 e dá sílica e água. SiH 4 (g) + 2O 2 (g) SiO 2 (s) + 2H 2 O(l) Uma amostra de 5,20 L de SiH 4 gasoso, a 356 mmhg e 25 o C reage com o O 2 gasoso. Qual o volume de O 2 gasoso, em litros, necessário para a reação completa, se o oxigênio tem a pressão de 425 mmhg, a 25 o C?

2 9) As máscaras de oxigênio usam cartuchos de superóxido de potássio. O superóxido de potássio consome o CO 2 expirado e o substitui por oxigênio. 4KO 2 (s) + 2CO 2 (g) 2 K 2 CO 3 (s) + 3O 2 (g) Qual a massa de KO 2, em gramas, necessária para absorver 8,90 L de CO 2 a 22 o C e 767 mmhg? 10) Suponhamos que 0,157 g de um certo gás coletado sobre água ocupa um volume de 135 ml a 25 o C e 745 mmhg. Considerando o comportamento ideal, determine a massa molecular do gás. A pressão do vapor da água a 25 o C é 3, atm.

3 1) Imagine que o pneu de uma bicicleta, contendo 0,406 mol de ar arrebente se a pressão interna atinge 7,25 atm, quando então volume interno é 1,52 L. A que temperatura, em graus Celsius, o ar do pneu deve ser aquecido para provocar o estouro? (Kotz & Treichel, 12.42) Resolução: O pneu estourará quando o estado do gás for aquele como descrito acima. As variáveis que definem o gás ideal estão relacionadas de acordo com a equação de estado do modelo dos gases ideais pv = nrt. Assim, A temperatura em Celsius é, portanto, = 58 o C. 2) É possível fazer um vulcão, em miniatura, no laboratório usando o dicromato de amônio. Este composto, ao ser aquecido, se decompõe espetacularmente: (NH 4 ) 2 Cr 2 O 7 (s) N 2 (g) + 4H 2 O(g) + Cr 2 O 3 (s) Se 5,0 g de dicromato de amônio forem usados, e se os gases da reação forem recolhidos num balão de 3,0 L, a 23 o C, qual a pressão total do gás neste balão? Quais as pressões parciais do N 2 e da H 2 O? (Kotz & Treichel, 12.56) Resolução Para determinar qual é a pressão total no balão, deve-se determinar qual a quantidade (número de mols) de N 2 (g) e H 2 O(g) gerada na decomposição do (NH 4 ) 2 Cr 2 O 7 (s) (a quantidade gerada de Cr 2 O 3 não necessidade ser computada pois, como este é um sólido não contribui de forma significativa para a pressão total da mistura). A massa molar do (NH 4 ) 2 Cr 2 O 7 é 252 g/mol e, assim, a quantidade de (NH 4 ) 2 Cr 2 O 7 contida em 5,0 g do sal é: Segundo a estequiometria da referida reação química (ver equação química acima), uma dada quantidade de (NH 4 ) 2 Cr 2 O 7 gera a mesma quantidade de N 2 e 4 vezes mais H 2 O. Assim, a quantidade de N 2 e H 2 O gerada na decomposição de 5,0 g de (NH 4 ) 2 Cr 2 O é 0,020 mol e 0,080 mol, respectivamente. A pressão total, p T, pode, então, ser calculada pela equação dos gases ideais: p = nrt, em que n é o número de mols das substâncias gasosas geradas, ou seja 0,020 (N 2 ) + 0,080 (H 2 O) = 0,100 mols (V = 3,0 e T = 23 o C = 296 K)

4 A pressão parcial de gás é, então, calculada a partir da fração molar do componente desejado. Por exemplo, a pressão parcial de H 2 O no gás é calculado por: p(h 2 O) = χ(h 2 O) p T, em que χ(h 2 O) é a fração molar de H 2 O. Deste modo: p(h 2 O) = 0,80 0,82 atm = 0,66 atm. Como a pressão total do sistema pode ser dada pela soma das pressões parciais de seus constituintes (Lei das pressões parciais de Dalton) a pressão parcial de N 2 pode ser prontamente calculada: p T = p(h 2 O) + p(n 2 ) P(N 2 ) = p T p(h 2 O) p(n 2 ) = 0,16 atm. 3) Uma amostra sólida contém NaNO 2 e NaCl e se quer determinar a quantidade de NaNO 2 presente. Faz-se a reação com o ácido sulfâmico, HSO 3 NH 2, em água, conforme a equação: NaNO 2 (aq) + HSO 3 NH 2 (aq) NaHSO 4 (aq) + H 2 O(l) + N 2 (g) Qual a percentagem ponderal do NaNO 2 na amostra, se, 1,232 g da mistura sólida dá, na reação com o ácido sulfâmico, 295 ml de N 2 gasoso? O gás é recolhido sobre água na temperatura de 21,0 o C e com a pressãp barométrica indicando 736,0 mmhg. Resolução A percentagem ponderal de NaNO 2, é a razão (multiplicada por 100) entre a massa de NaNO 2 e a massa total (NaNO 2 + NaCl) da amostra sólida. A massa de NaNO 2 presente na amostra pode ser conhecida (através de sua massa molar) se a quantidade de N 2 gerada for determinada, já que a equação química supracitada revela que para cada quantidade de N 2 gerada, a mesma quantidade de NaNO 2 é consumida. Conhecendo-se a pressão do N 2 gerado (e as variáveis volume e temperatura) pode-se calcular a correspondente quantidade de N 2 e, portanto, a quantidade de NaNO 2 consumida (aquela originalmente presente na amostra sólida). Usando a massa molar do NaNO2, pode-se, então, determinar a massa do NaNO 2 presente na amostra. Como o gás foi recolhido sobre água, a pressão total resulta da cooperação de ambos os gases: N 2 (g) e H 2 O(g) (Lei das pressões parciais de Dalton). A pressão de vapor da água na temperatura de 21,0 o C é 18,7 mmhg (ver, por exemplo, apêndice G, Kotz & Treichel). Assim, p T = p(h 2 O) + p(n 2 ) p(n 2 ) = p T p(h 2 O) p(n 2 ) = 736,0 mmhg 18,7 mmhg p(n 2 ) = 717,3 mmhg A quantidade de N 2 pode ser obtida pela equação de estado dos gases ideais: n = pv/rt. Entretanto, é conveniente converter a pressão para atm.

5 ( V = 0,295 L e T = 294 K) De acordo com a estequiometria da reação, 0,0115 mols de NaNO 2 estariam presentes na amostra sólida. A massa molar do NaNO 2 é 69,00 g/mol) tal que a massa deste sal contida em 0,0115 mols é prontamente calculada: A porcentagem ponderal de NaNO 2 na amostra é: 4) A Ni(CO) 4 pode ser obtida pela reação entre o níquel finamente dividido e o CO gasoso. Se o CO estiver em um balão de 1,50 L, na pressão de 418 mmhg, a 25,0 o C, juntamente com 0,450 g de pó de Ni, qual o número máximo de gramas de Ni(CO) 4 que se pode obter? (Exercício 12.50, Kotz & Treichel) Resolução: Inicialmente, deve-se conhecer quais as quantidades relativas de CO e Ni que reagem entre si formando Ni(CO) 4. Tal informação é obtida da equação química balanceada correspondente. A reação entre Ni e CO é descrita pela equação: Ni + 4CO Ni(CO) 4 A razão entre a quantidade de CO e Ni é, portanto, 4:1. Deve-se então determinar qual a quantidade de matéria (número de mols) dos reagentes a fim de determinar se há algum reagente em excesso no meio reacional. A quantidade de CO, n CO, é determinada utilizando a equação dos gases ideais: pv = nrt n = pv/rt

6 Desde que: T = 25,0 o C 298,2 K V = 1,50 L A quantidade de Ni é obtida a partir de sua massa molar: 58,6935 g/mol A razão CO/Ni no meio reacional é 0,0337/0,00770 = 4,38 Isto significa que os reagentes não estão presentes em quantidades estequiométricas. De acordo com a equação química balanceada, todo o níquel seria consumido por 0,0308 mols de CO (4 0,00770). Isto significa que uma parte de CO (0,0337-0,0308) não reagirá. Portanto, o níquel é o reagente limitante e é quem controla a quantidade de Ni(CO) 4 que será formada. Verifica-se mediante a equação química balanceada que a quantidade de Ni(CO) 4 produzida é a mesma que a quantidade de Ni consumida (1:1). Para calcular a massa de Ni(CO) 4 formada, emprega-se a massa molar desta substância (170,7347 g/mol) Ou seja, serão formados 1,31 g de Ni(CO) 4. 5) Em que condições de temperatura e pressão a lei dos gases ideais (PV=nRT) descreve satisfatoriamente o comportamento de um gás real? Por quê? Quais as características de um gás ideal? Resolução: O modelo do gás ideal, em seu formalismo, considera que não existe nenhuma interação quer seja atrativa ou repulsiva entre as moléculas do gás. Em sistemas reais, esta situação é atendida em condições de baixa pressão (alto volume molar) e altas temperaturas. Nas condições de baixa pressão, as moléculas constituintes do gás estão relativamente afastadas umas das outras e, portanto, não interagem apreciavelmente entre si. Baixas temperaturas provocam desvios da lei dos gases ideais, pois gases reais se condensam pela interação das moléculas gasosas sob esta condição.

7 6) Qual a pressão total, em atmosferas, numa mistura gasosa que contém 1,0 g de H 2 e 8,0 g de Ar, num vaso de 3,0 L, a 27 o C? Quais as pressões parciais dos dois gases? Resolução: A pressão total depende da quantidade de moléculas do gás, ou seja, de H 2 e Ar (assume-se que nenhuma reação química ocorre entre o H 2 e o Ar). Deve-se, portanto, calcular as quantidades de H 2 e Ar sob consideração. A massa molar do H 2 é 2,0158 g/mol, enquanto a do Ar é 39,948 g/mol. As correspondentes quantidades são calculadas, como segue: A pressão total é, então, calculada: total = 5,7 atm p As pressões parciais podem ser calculadas a partir da fração molar do gás de interesse. Por exemplo, a pressão exercida pelo H 2 é dada por: Como a pressão total é 5,7 atm e a pressão do H 2 é 4,1 atm, a pressão do Ar é 1,6 atm: 5,7 atm - 4,1 atm = 1,6 atm (lei das pressões parciais de Dalton

8 7) Uma amostra de 1,007 g de um gás desconhecido exerce a pressão de 715 mmhg num vaso de 452 ml, a 23 o C. Qual a massa molar (massa de um mol) do gás? Resolução (715 mmhg = 0,941 atm; 452 ml = 0,452 L; 23 o C = 296 K) Se a quantidade de matéria (número de mols) do gás contida em 1,007 g do gás for conhecida, a massa de um mol do gás (sua massa molar) pode ser prontamente calculada. Ou seja, há 1, mols em 1,007 g do gás desconhecido. Assim, para saber a massa de um mol do gás desconhecido (sua massa molar), faz-se: Assim, a massa molar do gás desconhecido é 57,4 g/mol. 8) O silano, SiH 4, reage com o O 2 e dá sílica e água. SiH 4 (g) + 2O 2 (g) SiO 2 (s) + 2H 2 O(l) Uma amostra de 5,20 L de SiH 4 gasoso, a 356 mmhg e 25 o C reage com o O 2 gasoso. Qual o volume de O 2 gasoso, em litros, necessário para a reação completa, se o oxigênio tem a pressão de 425 mmhg, a 25 o C? Resolução: Faz-se necessário calcular a quantidade de SiH 4 (número de mols) que reagirá com o O 2. A quantidade de SiH 4, cujo volume é 5,20 L a uma pressão de 356 mmhg (0,468 atm) e 25 o C (298K) pode ser calculada pela equação de estado dos gases ideais: A correspondente equação química, entretanto, revela que SiH 4 e O 2 reagem na razão 1:2. Assim, 0,0995 mols de SiH 4 reagem estequiometricamente com 0,199 (0,0995 2) mols de O 2. Se esta quantidade de O 2 exercer uma pressão de 425 mmhg (0,559 atm), a 25 o C, ocupará o seguinte volume:

9 9) As máscaras de oxigênio usam cartuchos de superóxido de potássio. O superóxido de potássio consome o CO 2 expirado e o substitui por oxigênio. 4KO 2 (s) + 2CO 2 (g) 2 K 2 CO 3 (s) + 3O 2 (g) Qual a massa de KO 2, em gramas, necessária para absorver 8,90 L de CO 2 a 22 o C e 767 mmhg? Resolução A correspondente equação química revela que KO 2 e CO 2 reagem entre si em uma relação 4:2 (ou 2:1). Se a quantidade de CO 2 que será absorvida for conhecida, descobre-se pela estequiometria da reação a quantidade de KO 2 necessária para a conversão deste gás em O 2. Uma vez determinado a quantidade de KO 2, a correspondente massa é prontamente obtida através de sua massa molar. A quantidade de CO 2 pode ser calculada pela equação de estado dos gases ideais: pv = nrt (V = 8,90 L; T = = 295 K; R = 0, atmlmol -1 K -1 ; p = 767 mmhg = 1,01 atm) Como a reação química entre KO 2 e CO 2 se dá na razão 2:1 (ver equação química), a quantidade de KO 2 necessária para reagir com 0,371 mols de CO 2 será 0,742 mols de KO 2. A massa molar do KO 2 é 71,10 g/mol. Assim, 0,742 mols de KO 2 correspondem a uma massa de 10) Suponhamos que 0,157 g de um certo gás coletado sobre água ocupa um volume de 135 ml a 25 o C e 745 mmhg. Considerando o comportamento ideal, determine a massa molecular do gás. A pressão do vapor da água a 25 o C é 3, atm. Resolução: Com a equação de estado dos gases ideais pode-se calcular a quantidade de matéria (número de mols do gás desconhecido). Sabendo-se que tal quantidade corresponde a 0,125 g do gás é possível, então, determinar a massa de um mol do gás, ou seja, sua massa molecular. Entretanto, é necessário reconhecer que como o gás é coletado sobre água, a pressão total, 745 mmhg (0,980 atm), corresponde à pressão do gás desconhecido somada à pressão do vapor de água (3, atm) (Lei da pressões parciais de Dalton). Assim, a pressão do gás desconhecido é dado por: p(gás desconhecido) = 0,980 atm - 3, atm = 0,949 atm

10 A correspondente quantidade de matéria é, então, calculada ( p = 0,949 atm, V = 135 ml = 0,135 L e T = = 298 K) Assim, se 5, mol corresponde a uma massa de 0,157 g do gás, a massa de um mol (sua massa molecular) é: Assim, a massa molar do gás desconhecido é 30,0 g/mol

QUÍMICA CÁLCULOS ESTEQUIOMÉTRICOS

QUÍMICA CÁLCULOS ESTEQUIOMÉTRICOS QUÍMICA CÁLCULOS ESTEQUIOMÉTRICOS CÁLCULOS ESTEQUIOMÉTRICOS Os cálculos estequiométricos correspondem aos cálculos de massa, de quantidade de matéria e em alguns casos, de volumes das substâncias envolvidas

Leia mais

QUÍMICA. A Ciência Central 9ª Edição. Capítulo 3 Estequiometria: cálculos com fórmulas e equações químicas. Prof. Kleber Bergamaski.

QUÍMICA. A Ciência Central 9ª Edição. Capítulo 3 Estequiometria: cálculos com fórmulas e equações químicas. Prof. Kleber Bergamaski. QUÍMICA A Ciência Central 9ª Edição Capítulo 3 Estequiometria: cálculos com fórmulas e equações químicas Prof. Kleber Bergamaski Equações químicas 1789, lei da conservação da massa A massa total de uma

Leia mais

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 10/09/05

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 10/09/05 P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 10/09/05 Nome: Nº de Matrícula: Gabarito Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão 1 a 2,5 2 a 2,5 3 a 2,5 4 a 2,5 Total 10,0 Dados R 0,0821 atm L mol -1 K -1 K C + 273,15

Leia mais

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 15/09/2012

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 15/09/2012 P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 15/09/01 Nome: Nº de Matrícula: GABARITO Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão 1 a,5 a,5 3 a,5 a,5 Total 10,0 Dados R = 0,081 atm L mol -1 K -1 T (K) = T ( C) + 73,15

Leia mais

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 31/03/07

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 31/03/07 1 - ROVA DE QUÍMICA GERAL 31/03/07 Nome: GABARITO Nº de Matrícula: Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão 1 a,5 a,5 3 a,5 4 a,5 Total 10,0 Dados R 0,081 atm L mol -1 K -1 T (K) T ( C) + 73,15 1

Leia mais

4/6/2010. Lavoisier: a massa é conservada em uma reação química. Equações químicas: descrições de. Equações químicas

4/6/2010. Lavoisier: a massa é conservada em uma reação química. Equações químicas: descrições de. Equações químicas QUÍMICA A Ciência Central 9ª Edição Capítulo 3 Estequiometria: cálculos com fórmulas e equações químicas Lavoisier: a massa é conservada em uma reação química. : descrições de reações químicas. Duas partes

Leia mais

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 31/03/12

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 31/03/12 P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 31/03/1 Nome: Nº de Matrícula: GABARITO Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão 1 a,5 a,5 3 a,5 4 a,5 Total 10,0 Dados R = 0,081 atm L mol -1 K -1 T (K) = T ( C) + 3,15

Leia mais

P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 28/06/08

P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 28/06/08 P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 8/06/08 Nome: Nº de Matrícula: Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão 1 a,5 a,5 3 a,5 4 a,5 Total 10,0 Constantes e equações: R 0,08 atm L mol -1 K -1 8,314 J mol -1

Leia mais

2005 by Pearson Education. Capítulo 03

2005 by Pearson Education. Capítulo 03 QUÍMICA A Ciência Central 9ª Edição Capítulo 3 Estequiometria: cálculos com fórmulas e equações químicas David P. White Equações químicas Lavoisier: a massa é conservada em uma reação química. Equações

Leia mais

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 09/09/11

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 09/09/11 P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 09/09/11 Nome: Nº de Matrícula: GABARITO Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão 1 a,5 a,5 3 a,5 4 a,5 Total 10,0 Dados R = 0,081 atm L -1 K -1 T (K) = T ( C) + 73,15

Leia mais

1ª Parte: Questões resolvidas

1ª Parte: Questões resolvidas ANÁLISE ELEMENTAR QUANTITATIVA DISCIPLINA: QUÍMICA GERAL / TURMA: 1º ano Ensino Médio 1ª Parte: Questões resolvidas Nota: A massa molecular de um composto, pode ser calculada em função da densidade de

Leia mais

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 09/04/11

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 09/04/11 P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 09/04/11 Nome: Nº de Matrícula: GABARITO Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão 1 a 2,5 2 a 2,5 3 a 2,5 4 a 2,5 Total 10,0 Dados R = 0,0821 atm L mol -1 K -1 T (K) =

Leia mais

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 13/04/2013

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 13/04/2013 P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 13/04/2013 Nome: Gabarito Nº de Matrícula: Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão 1 a 2,5 2 a 2,5 3 a 2,5 4 a 2,5 Total 10,0 Dados R = 0,0821 atm L mol -1 K -1 T (K)

Leia mais

Química Geral e Experimental II Equilíbrio químico Resolução comentada de exercícios selecionados versão equilíbrio_v1_2005 Prof. Fabricio R.

Química Geral e Experimental II Equilíbrio químico Resolução comentada de exercícios selecionados versão equilíbrio_v1_2005 Prof. Fabricio R. Química Geral e Experimental II Equilíbrio químico comentada de exercícios selecionados versão equilíbrio_v1_2005 Prof. Fabricio R. Sensato 1) A constante de equilíbrio K c da reação: H 2 (g) + Cl 2 (g)

Leia mais

ESTEQUIOMETRIA (Conceitos básicos) QUÍMICA A 1415 ESTEQUIOMETRIA

ESTEQUIOMETRIA (Conceitos básicos) QUÍMICA A 1415 ESTEQUIOMETRIA ESTEQUIOMETRIA Estequiometria é a parte da Química que estuda as proporções dos elementos que se combinam ou que reagem. MASSA ATÓMICA (u) É a massa do átomo medida em unidades de massa atómica (u). A

Leia mais

INSTITUTO GEREMARIO DANTAS COMPONENTE CURRICULAR: QUÍMICA EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO PARCIAL 2016

INSTITUTO GEREMARIO DANTAS COMPONENTE CURRICULAR: QUÍMICA EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO PARCIAL 2016 INSTITUTO GEREMARIO DANTAS Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Fone: (21) 21087900 Rio de Janeiro RJ www.igd.com.br Aluno(a): 1º Ano: C11 Nº Professora: Lúcia Nascimento COMPONENTE CURRICULAR:

Leia mais

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 18/09/04

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 18/09/04 P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 18/09/0 Nome: Nº de Matrícula: GABARITO Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão 1 a,5 a,5 3 a,5 a,5 Total 10,0 Dados R = 0,081 atm L mol -1 K -1 K = C + 73,15 1 atm

Leia mais

A B EQUILÍBRIO QUÍMICO. H 2 + 2ICl I 2 + 2HCl. % Ach

A B EQUILÍBRIO QUÍMICO. H 2 + 2ICl I 2 + 2HCl. % Ach A B EQUILÍBRIO QUÍMICO H 2 + 2ICl I 2 + 2HCl!. % % Ach. Ac 1 Equilíbrio Químico - Reversibilidade de reações químicas A B Exemplo: N 2 (g) + 3H 2 (g) 2NH 3 (g) equilíbrio dinâmico aa + bb yy + zz Constante

Leia mais

Cálculo Estequiométrico Rodrigo Bandeira

Cálculo Estequiométrico Rodrigo Bandeira Rodrigo Bandeira Balanceamento de Reações Quantidade de cada elemento antes de depois da seta devem ser iguais Coeficientes Estequiométricos 1 N 2 (g) + 3 H 2 (g) 2 NH 3 (g) H 2 NH 3 N 2 H 2 NH 3 H 2 Exemplos:

Leia mais

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 04/04/08

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 04/04/08 P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 04/04/08 Nome: GABARITO Nº de Matrícula: Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão 1 a,5 a,5 3 a,5 4 a,5 Total 10,0 Dados R = 0,081 atm L mol -1 K -1 T (K) = T ( C) + 73,15

Leia mais

Professor Marcus Ennes. -Estequiometria

Professor Marcus Ennes. -Estequiometria Professor Marcus Ennes -Estequiometria - RELAÇÕES FUNDAMENTAIS RAZÃO E PROPORÇÃO 1) Um formigueiro é composto por 2.000 formigas. Cada formiga consome por dia, 1.500 moléculas de glicose (C 6 H 12 O 6

Leia mais

ESTEQUIOMETRIA Folha 01 João Roberto Mazzei

ESTEQUIOMETRIA Folha 01 João Roberto Mazzei 01. (UFC 2009) O principal componente da cal, importante produto industrial fabricado no Ceará, é o óxido de cálcio (CaO). A produção de CaO se processa de acordo com a seguinte reação química: CaCO 3(s)

Leia mais

FÍSICO-QUÍMICA GASES IDEAIS E GASES REAIS. Prof. MSc. Danilo Cândido

FÍSICO-QUÍMICA GASES IDEAIS E GASES REAIS. Prof. MSc. Danilo Cândido FÍSICO-QUÍMICA GASES IDEAIS E GASES REAIS Prof. MSc. Danilo Cândido CONCEITOS DE GASES Um gás representa a forma mais simples da matéria, de baixa densidade e que ocupa o volume total de qualquer recipiente

Leia mais

Como fonte, pode ser usado o livro texto, livros didáticos de química e textos de química.

Como fonte, pode ser usado o livro texto, livros didáticos de química e textos de química. Aluno (a): Disciplina QUÍMICA Curso Professor ESINO MÉDIO GUILHERME ROTEIRO DE ESTUDOS DE RECUPERAÇÃO E REVISÃO Série 2ª Série Número: 1 - Conteúdo: Gases Lei do gás ideal Misturas Gasosas Relações estequiométricas

Leia mais

QUÍMICA MÓDULO 20 CÁLCULO ESTEQUIOMÉTRICO. Professor Edson Cruz

QUÍMICA MÓDULO 20 CÁLCULO ESTEQUIOMÉTRICO. Professor Edson Cruz QUÍMICA Professor Edson Cruz MÓDULO 20 CÁLCULO ESTEQUIOMÉTRICO INTRODUÇÃO Agora que já sabemos os pré-requisitos para o entendimento do cálculo estequiométrico, podemos defini-lo como "o método matemático

Leia mais

Conteúdo 28/03/2017. Equações Químicas e Estequiometria, Balanceamento de Equações Químicas, Relação de Massa em Equações Químicas,

Conteúdo 28/03/2017. Equações Químicas e Estequiometria, Balanceamento de Equações Químicas, Relação de Massa em Equações Químicas, Química Geral I Química - Licenciatura Prof. Udo Eckard Sinks Conteúdo 28/03/2017 Equações Químicas e Estequiometria, Balanceamento de Equações Químicas, Relação de Massa em Equações Químicas, Química

Leia mais

símbolos que indicam o estado da matéria de cada componente da reação: s para sólido, l para líquido, g para gasoso e aq para aquoso

símbolos que indicam o estado da matéria de cada componente da reação: s para sólido, l para líquido, g para gasoso e aq para aquoso ESTEQUIOMETRIA Estequiometria é uma palavra de origem grega que significa quantidade. Os cálculos decorrentes da estequiometria são importantes para quantificarmos reações químicas, ou seja, descobrirmos

Leia mais

Estequiometria. Priscila Milani

Estequiometria. Priscila Milani Estequiometria Priscila Milani Cálculo de massa para amostras impuras: Reagentes impuros, principalmente em reações industriais, ou porque eles são mais baratos ou porque eles já são encontrados na Natureza

Leia mais

AULA 10 ESTEQUIOMETRIA

AULA 10 ESTEQUIOMETRIA AULA 10 ESTEQUIOMETRIA Cálculo estequiométrico ou estequiometria é o cálculo de quantidades de substâncias que interagem, pode ser do reagente consumido ou do produto formado. Baseia-se nas proporções

Leia mais

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 14/09/2013

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 14/09/2013 P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 14/09/2013 Nome: Nº de Matrícula: GABARITO Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão 1 a 2,5 2 a 2,5 3 a 2,5 4 a 2,5 Total 10,0 Dados R = 0,0821 atm L mol -1 K -1 T (K)

Leia mais

INSTITUTO GEREMARIO DANTAS COMPONENTE CURRICULAR: QUÍMICA EXERCÍCIOS EXTRAS 2º TRIMESTRE 2016

INSTITUTO GEREMARIO DANTAS COMPONENTE CURRICULAR: QUÍMICA EXERCÍCIOS EXTRAS 2º TRIMESTRE 2016 INSTITUTO GEREMARIO DANTAS Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Fone: (21) 21087900 Rio de Janeiro RJ www.igd.com.br Aluno(a): 1º Ano: C11 Nº Professor: Lúcia Nascimento COMPONENTE CURRICULAR:

Leia mais

Equilíbrio Químico. início x 2x 0 0

Equilíbrio Químico. início x 2x 0 0 Capítulo 7 Equilíbrio Químico. (ITA) Uma mistura gasosa é colocada a reagir dentro de um cilindro provido de um pistão móvel, sem atrito e sem massa, o qual é mantido à temperatura constante. As reações

Leia mais

P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 28/11/09

P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 28/11/09 P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 8/11/09 Nome: GABARITO Nº de Matrícula: Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão Dados gerais: 1 a,5 a,5 3 a,5 4 a,5 Total 10,0 G o = H o - T S o G = - n F E o RT E =

Leia mais

P4 PROVA DE QUÍMICA GERAL 02/12/08

P4 PROVA DE QUÍMICA GERAL 02/12/08 P4 PROVA DE QUÍMICA GERAL 0/1/08 Nome: Nº de Matrícula: GABARITO Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão 1 a,5 a,5 3 a,5 4 a,5 Total 10,0 Constantes e equações: R = 0,08 atm L mol -1 K -1 = 8,314

Leia mais

BALANÇOS DE MASSA EM PROCESSOS COM REAÇÃO

BALANÇOS DE MASSA EM PROCESSOS COM REAÇÃO BALANÇOS DE MASSA EM PROCESSOS COM REAÇÃO PROF. MARCELO HENRIQUE 2 BALANÇOS COM REAÇÃO QUÍMICA A diferença agora é que aparecerão na equação do balanço, além dos termos ENTRA e SAÍDA, os termos GERAÇÃO

Leia mais

Fuvest 2009 (Questão 1 a 8)

Fuvest 2009 (Questão 1 a 8) (Questão 1 a 8) 1. Água pode ser eletrolisada com a finalidade de se demonstrar sua composição. A figura representa uma aparelhagem em que foi feita a eletrólise da água, usando eletrodos inertes de platina.

Leia mais

QUÍMICA - 1 o ANO MÓDULO 29 ESTEQUIOMETRIA: EXCESSO E LIMITANTE

QUÍMICA - 1 o ANO MÓDULO 29 ESTEQUIOMETRIA: EXCESSO E LIMITANTE QUÍMICA - 1 o ANO MÓDULO 29 ESTEQUIOMETRIA: EXCESSO E LIMITANTE Como pode cair no enem (UFF) O cloreto de alumínio é um reagente muito utilizado em processos industriais que pode ser obtido por meio da

Leia mais

Aula INTRODUÇÃO À ESTEQUIOMETRIA META OBJETIVOS PRÉ-REQUISITOS

Aula INTRODUÇÃO À ESTEQUIOMETRIA META OBJETIVOS PRÉ-REQUISITOS INTRODUÇÃO À ESTEQUIOMETRIA Aula 9 META Apresentar o estudo das equações usadas para representar as mudanças químicas e utilizar essas equações para definir as quantidades relativas de elementos combinados

Leia mais

P2 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 09/05/08

P2 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 09/05/08 2 - ROVA DE QUÍMICA GERAL - 09/05/08 Nome: GABARITO Nº de Matrícula: Turma: Assinatura: Quão Valor Grau Revisão 1 a 2,5 2 a 2,5 3 a 2,5 4 a 2,5 Total 10,0 Constantes: R 8,314 J mol -1 K -1 0,0821 atm L

Leia mais

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 08/04/03

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 08/04/03 P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 08/04/03 Nome: Nº de Matrícula: Turma: Assinatura: GABARITO Questão Valor Grau Revisão 1 a 2,0 2 a 2,0 3 a 2,0 4 a 2,0 5 a 2,0 Total 10,0 R = 0,0821 atm L mol -1 K -1 K =

Leia mais

Fórmula percentual. Fórmula molecular do metano: CH 4 Massa atômica do carbono: 12g/mol Massa atômica do hidrogênio: 1g/mol

Fórmula percentual. Fórmula molecular do metano: CH 4 Massa atômica do carbono: 12g/mol Massa atômica do hidrogênio: 1g/mol Você sabia que a quantidade de substâncias envolvidas em uma reação química, é encontrada através do cálculo estequiométrico? Bem, mas para realizar esse cálculo, você precisa primeiro conhecer quais as

Leia mais

29/03/ TRANSFORMAÇÕES QUÍMICAS PROVA 1 GABARITO - prova tipo A

29/03/ TRANSFORMAÇÕES QUÍMICAS PROVA 1 GABARITO - prova tipo A 29/03/2016 - TRANSFORMAÇÕES QUÍMICAS PROVA 1 GABARITO - prova tipo A Texto para as questões 1 a 10: O permanganato de potássio (KMnO 4 ) é um forte agente oxidante. Em laboratório, pode ser empregado para

Leia mais

11/08/2014. Lei de Avogadro. Equação de Clayperon. CNTP 1 atm 0 C 273K

11/08/2014. Lei de Avogadro. Equação de Clayperon. CNTP 1 atm 0 C 273K Disciplina de Físico Química I - Equação de Clapeyron Misturas Gases reais. Prof. Vanderlei Inácio de Paula contato: vanderleip@anchieta.br Lei de Avogadro 1 Lei de Avogadro Equação de Clayperon CNTP 1

Leia mais

QUÍMICA - 1 o ANO MÓDULO 22 RELAÇÕES NUMÉRICAS FUNDAMENTAIS - PARTE 2

QUÍMICA - 1 o ANO MÓDULO 22 RELAÇÕES NUMÉRICAS FUNDAMENTAIS - PARTE 2 QUÍMICA - 1 o ANO MÓDULO 22 RELAÇÕES NUMÉRICAS FUNDAMENTAIS - PARTE 2 Fixação 1) (UNESP) O volume de uma massa fixa de gás ideal, a pressão constante, é diretamente proporcional à: a) concentração do gás.

Leia mais

Qui. Allan Rodrigues Xandão (Gabriel Pereira)

Qui. Allan Rodrigues Xandão (Gabriel Pereira) Semana 15 Allan Rodrigues Xandão (Gabriel Pereira) Este conteúdo pertence ao Descomplica. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados. 23

Leia mais

Leonnardo Cruvinel Furquim ESTEQUIOMETRIA

Leonnardo Cruvinel Furquim ESTEQUIOMETRIA Leonnardo Cruvinel Furquim ESTEQUIOMETRIA Leonnardo Cruvinel Furquim ESTEQUIOMETRIA O cálculo das quantidades das substâncias envolvidas em uma reação química é chamado estequiometria Leis Ponderais Lei

Leia mais

P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 27/06/09

P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 27/06/09 P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 27/06/09 Nome: Nº de Matrícula: Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão 1 a 2,5 2 a 2,5 3 a 2,5 4 a 2,5 Total 10,0 Constantes e equações: 1 atm = 760 mmhg R = 0,082

Leia mais

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 20/09/03

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 20/09/03 P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 0/09/03 Nome: Nº de Matrícula: Gabarito Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão 1 a,0 a,0 3 a,0 4 a,0 5 a,0 Total 10,0 Dados R = 0,081 atm L mol -1 K -1 K = C + 73,15

Leia mais

Química Fascículo 03 Elisabeth Pontes Araújo Elizabeth Loureiro Zink José Ricardo Lemes de Almeida

Química Fascículo 03 Elisabeth Pontes Araújo Elizabeth Loureiro Zink José Ricardo Lemes de Almeida Química Fascículo 03 Elisabeth Pontes Araújo Elizabeth Loureiro Zink José Ricardo Lemes de Almeida Índice Estequiometria...1 Exercícios...2 Gabarito...4 Estequiometria Balanço de massas e de quantidades

Leia mais

ESTEQUIOMETRIA. Estudo das reações. Descrevendo uma reação química. Indicadores de uma reação química:

ESTEQUIOMETRIA. Estudo das reações. Descrevendo uma reação química. Indicadores de uma reação química: ESTEQUIOMETRIA Estudo das reações Indicadores de uma reação química: Produção de um gás Liberação ou absorção de calor Formação de um precipitado Mudança de cor 3 Descrevendo uma reação química Reagentes

Leia mais

ESTEQUIOMETRIA. Estudo das reações. Indicadores de uma reação química:

ESTEQUIOMETRIA. Estudo das reações. Indicadores de uma reação química: ESTEQUIOMETRIA Estudo das reações Indicadores de uma reação química: Produção de um gás Liberação ou absorção de calor Formação de um precipitado Mudança de cor 3 Descrevendo uma reação química Reagentes

Leia mais

L E I S D A S R E A Ç Õ E S Q U Í M I C A S PROF. AGAMENON ROBERTO < 2011 >

L E I S D A S R E A Ç Õ E S Q U Í M I C A S PROF. AGAMENON ROBERTO < 2011 > L E I S D A S R E A Ç Õ E S Q U Í M I C A S PROF. AGAMENON ROBERTO < 2011 > Prof. Agamenon Roberto LEIS DAS REAÇÕES QUÍMICAS www.agamenonquimica.com 2 LEIS DAS REAÇÕES QUÍMICAS Um trabalho muito complicado

Leia mais

ESTEQUIOMETRIA. Estudo das reações. Descrevendo uma reação química. Indicadores de uma reação química:

ESTEQUIOMETRIA. Estudo das reações. Descrevendo uma reação química. Indicadores de uma reação química: ESTEQUIOMETRIA Estudo das reações Indicadores de uma reação química: Produção de um gás Liberação ou absorção de calor Formação de um precipitado Mudança de cor 3 Descrevendo uma reação química Representação

Leia mais

IME º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

IME º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR IME - 2003 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Química Questão 01 Uma fonte de vanádio é o mineral vanadinita, cuja fórmula é Pb 5 (VO 4 ) 3 Cl. DETERMINE: A) A porcentagem em massa de vanádio

Leia mais

Balanceamento de equações

Balanceamento de equações Balanceamento de equações Química Geral Prof. Edson Nossol Uberlândia, 26/08/2016 Equações químicas Lavoisier: a massa é conservada em uma reação química. Equações químicas: descrições de reações químicas.

Leia mais

3ª Série / Vestibular. As equações (I) e (II), acima, representam reações que podem ocorrer na formação do H 2SO 4. É correto afirmar que, na reação:

3ª Série / Vestibular. As equações (I) e (II), acima, representam reações que podem ocorrer na formação do H 2SO 4. É correto afirmar que, na reação: 3ª Série / Vestibular 01. I _ 2SO 2(g) + O 2(g) 2SO 3(g) II _ SO 3(g) + H 2O(l) H 2SO 4(ag) As equações (I) e (II), acima, representam reações que podem ocorrer na formação do H 2SO 4. É correto afirmar

Leia mais

ESTEQUIOMETRIA DE REAÇÕES QUÍMICAS CÁLCULOS ESTEQUIOMÉTRICOS

ESTEQUIOMETRIA DE REAÇÕES QUÍMICAS CÁLCULOS ESTEQUIOMÉTRICOS ESTEQUIOMETRIA DE REAÇÕES QUÍMICAS CÁLCULOS ESTEQUIOMÉTRICOS Aula 10 META Mostrar como se realizam cálculos estequiométricos de reações em que um dos reagentes encontra-se em excesso, além de calcular

Leia mais

P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 05/12/12

P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 05/12/12 P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 05/12/12 Nome: GABARITO Nº de Matrícula: Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão 1 a 2,5 2 a 2,5 3 a 2,5 4 a 2,5 Total 10,0 Constantes e equações: 273,15 K = 0 C R = 0,0821

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE TOMAR ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA. Departamento de Engenharia Química e do Ambiente. QUÍMICA I (1º Ano/1º Semestre)

INSTITUTO POLITÉCNICO DE TOMAR ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA. Departamento de Engenharia Química e do Ambiente. QUÍMICA I (1º Ano/1º Semestre) INSTITUTO POLITÉCNICO DE TOMAR ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Química e do Ambiente QUÍMICA I (1º Ano/1º Semestre) 4ª Série de Exercícios EQUILÍBRIO QUÍMICO Tomar (2003) 1 Equilíbrio

Leia mais

Atividade complementar. Substâncias e transformações químicas, entendendo os aspectos quantitativos

Atividade complementar. Substâncias e transformações químicas, entendendo os aspectos quantitativos Atividade complementar Substâncias e transformações químicas, entendendo os aspectos quantitativos Esta atividade tem como objetivo complementar e aprofundar os estudos sobre as transformações químicas,

Leia mais

Cálculos envolvendo reações

Cálculos envolvendo reações Cálculos envolvendo reações Cálculo Estequiométrico Estuda as relações que ocorrem entre as quantidades de substâncias que participam de uma transformação química No cálculo estequiométrico são comparados

Leia mais

REVISIONAL DE QUÍMICA 1º ANO PROF. RICARDO

REVISIONAL DE QUÍMICA 1º ANO PROF. RICARDO REVISIONAL DE QUÍMICA 1º ANO PROF. RICARDO 1- Um aluno de química, ao investigar as propriedades de gases, colocou uma garrafa plástica (PET), contendo ar e devidamente fechada, em um freezer e observou

Leia mais

O que você deve saber sobre

O que você deve saber sobre O que você deve saber sobre Podemos conhecer as grandezas que regem a quantificação dos fenômenos químicos identificando o comportamento da massa, do número de partículas e do volume de diferentes substâncias.

Leia mais

Resolução UNIFESP 2015

Resolução UNIFESP 2015 Resolução UNIFESP 2015 1-Utilizando o aparato indicado na figura, certo volume de solução aquosa de sulfato de cobre(ii) hidratado foi colocado dentro do béquer. Quando o plugue foi conectado à tomada

Leia mais

(g) (92 g/mol). O sistema é aquecido até 27 C, ocorrendo a reação a seguir: 1 N 2. (g) F 2 NO 2. (g) é igual a 20%, calcule a pressão parcial de N 2

(g) (92 g/mol). O sistema é aquecido até 27 C, ocorrendo a reação a seguir: 1 N 2. (g) F 2 NO 2. (g) é igual a 20%, calcule a pressão parcial de N 2 Resolução das atividades complementares 3 Química Q34 Grau de equilíbrio a p. 10 1 (Faap-SP) Em um recipiente indeformável de 10 L são colocados 46 g de N (9 g/mol). O sistema é aquecido até 7, ocorrendo

Leia mais

Características dos gases

Características dos gases Gases Características dos gases Os gases são altamente compressíveis e ocupam o volume total de seus recipientes. Quando um gás é submetido à pressão, seu volume diminui. Os gases sempre formam misturas

Leia mais

Termodinâmica Química Prova P1, Eng. Materiais, Noturno, 2º Sem/2005 Resolução comentada Prof. Fabrício R. Sensato

Termodinâmica Química Prova P1, Eng. Materiais, Noturno, 2º Sem/2005 Resolução comentada Prof. Fabrício R. Sensato Termodinâmica Química Prova P1, Eng. Materiais, Noturno, 2º Sem/2005 Resolução comentada Prof. Fabrício R. Sensato 1) (1,0 ponto) a) Como é definido o fator de compressibilidade, Z, de um gás? b) Qual

Leia mais

LEI DA CONSERVAÇÃO DAS MASSAS

LEI DA CONSERVAÇÃO DAS MASSAS LEIS QUÍMICAS LEI DA CONSERVAÇÃO DAS MASSAS Antoine Lavoisier (1743-1794) demonstrou, através de cuidadosas medidas, que, se uma reação é conduzida em um recipiente fechado, de tal modo que nenhum produto

Leia mais

III.1 Classificação das Misturas: Soluções e Dispersões.

III.1 Classificação das Misturas: Soluções e Dispersões. III SOLUÇÕES III.1 Classificação das Misturas: Soluções e Dispersões. Frequentemente as substâncias químicas (elementos e compostos) encontram-se misturadas umas às outras. O sangue, a água do mar, o solo

Leia mais

QUÍMICA - 3 o ANO MÓDULO 18 ESTUDO DOS GASES

QUÍMICA - 3 o ANO MÓDULO 18 ESTUDO DOS GASES QUÍMICA - 3 o ANO MÓDULO 18 ESTUDO DOS GASES m m 1 = 2 mol mol 1 2 No que se refere à composição em volume da atmosfera terrestre há 2,5 bilhões de anos, Como pode cair no enem (ENEM) As áreas numeradas

Leia mais

BALANÇOS DE MASSA NA PRESENÇA DE REAÇÕES QUÍMICAS

BALANÇOS DE MASSA NA PRESENÇA DE REAÇÕES QUÍMICAS BALANÇS DE MASSA NA PRESENÇA DE REAÇÕES QUÍMICAS 1. Balanços de Massa e de Energia na Presença de Reações Químicas 1.1 Revisão 1.2 Alguns Conceitos Utilizados em Cinética Química 1.3 Balanços de Massa

Leia mais

Recursos para Estudo / Atividades

Recursos para Estudo / Atividades COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Paralela 3ª Etapa 2014 Disciplina: QUÍMICA Série: 1ª Professora: Maria Luiza Turma: FG Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de recuperação.

Leia mais

P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 03/12/05

P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 03/12/05 P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 03//05 Nome: GABARITO Nº de Matrícula: Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão a,5 a,5 3 a,5 4 a,5 Total 0,0 Constantes e equações: R = 0,08 atm L mol - K - = 8,34 J

Leia mais

O aluno deverá elaborar resumos teóricos dos textos do livro e de outras fontes sobre os tópicos do conteúdo.

O aluno deverá elaborar resumos teóricos dos textos do livro e de outras fontes sobre os tópicos do conteúdo. Disciplina QUÍMICA Curso ENSINO MÉDIO Professor GUILHERME Série 1ª SÉRIE ROTEIRO DE ESTUDOS DE RECUPERAÇÃO E REVISÃO 1º SEMESTRE / 2012 Aluno (a): Número: 1 - Conteúdo: Ácidos e bases propriedades, conceito

Leia mais

CÁLCULO ESTEQUIOMÉTRICO. Prof.: Andrey kleber Migliorini

CÁLCULO ESTEQUIOMÉTRICO. Prof.: Andrey kleber Migliorini CÁLCULO ESTEQUIOMÉTRICO Prof.: Andrey kleber Migliorini Introdução Estequiometria: Stoikheîon = elemento metron = medida É o estudo das relações quantitativas (átomos, moléculas, massa, volume) entre as

Leia mais

P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 03/07/10

P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 03/07/10 P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 0/07/10 Nome: Nº de Matrícula: GABARITO Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão 1 a,5 a,5 a,5 4 a,5 Total 10,0 Constantes e equações: R = 0,08 atm L mol -1 K -1 = 8,14

Leia mais

P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 30/11/13

P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 30/11/13 P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 30//3 Nome: Nº de Matrícula: GABARITO Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão a 2,5 2 a 2,5 3 a 2,5 4 a 2,5 Total 0,0 Constantes e equações: F = 96500 C mol - 273,5 K

Leia mais

PRÁTICA: DETERMINAÇÃO DA CONSTANTE R DOS GASES. pv= nrt (01) Gás Ideal : obedece pv=n RT em qualquer condição de T e p.

PRÁTICA: DETERMINAÇÃO DA CONSTANTE R DOS GASES. pv= nrt (01) Gás Ideal : obedece pv=n RT em qualquer condição de T e p. PRÁTICA: DETERMINAÇÃO DA CONSTANTE R DOS GASES 1. Introdução A matéria pode se apresentar nos estados sólido, líquido e gasoso. A temperatura e a pressão são as variáveis responsáveis pelo seu estado físico.

Leia mais

P3 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 18/06/07

P3 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 18/06/07 P3 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 8/06/07 Nome: Nº de Matrícula: GABARITO Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão Dados gerais: G = - n F E o a,5 a,5 3 a,5 4 a,5 Total 0,0 RT ΔE = ΔE lnq nf G = G o +

Leia mais

Luis Eduardo C. Aleotti. Química. Aula 38 - Transformações Gasosas

Luis Eduardo C. Aleotti. Química. Aula 38 - Transformações Gasosas Luis Eduardo C. Aleotti Química Aula 38 - Transformações Gasosas TRANSFORMAÇÕES GASOSAS Gás e Vapor - Gás: Substância gasosa em temperatura ambiente. - Vapor: Estado gasoso de uma substância líquida ou

Leia mais

Prof. Vanderlei I Paula -

Prof. Vanderlei I Paula - Centro Universitário Anchieta Engenharia Química Físico Química I Prof. Vanderlei I Paula Gabarito 3 a lista de exercícios 01 Alimentos desidratados apresentam maior durabilidade e mantêm a maioria das

Leia mais

Estequiometria. Índice. Por Victor Costa

Estequiometria. Índice. Por Victor Costa Estequiometria Por Victor Costa Índice 1. Massa atômica 2. Mol 3. Massa molar 4. Massa molecular 5. Composição percentual 6. Reação química 7. Balanceamento 8. Reagente limitante 9. Rendimento Essa aula

Leia mais

Cinética e Eq. Químico Folha 09 João Roberto Fortes Mazzei

Cinética e Eq. Químico Folha 09 João Roberto Fortes Mazzei 01. (IME) Um mol de ácido acético é adicionado a um mol de álcool etílico. Estabelecido o equilíbrio, 50 % do ácido é esterificado. Calcule o número de mols de éster quando um novo equilíbrio for alcançado,

Leia mais

9ª LISTA - EXERCÍCIOS DE PROVAS 1 a. Lei da Termodinâmica

9ª LISTA - EXERCÍCIOS DE PROVAS 1 a. Lei da Termodinâmica Pg. 1/5 1 a Questão Na combustão completa de 1,00 L de gás natural, a 25,0 C e pressão constante de 1,00 atm, houve liberação de 43,6 kj de calor. Sabendo que este gás é uma mistura contendo metano, CH

Leia mais

Relações Mássicas em Reacções Químicas

Relações Mássicas em Reacções Químicas Capítulo 3 Relações Mássicas em Reacções Químicas Massa Atómica N.º de Avogadro e Massa Molar Massa Molecular Espectrómetro de Massa Composição Percentual dos Compostos Determinação Experimental de Fórmulas

Leia mais

Exercícios: Cálculo estequiométrico

Exercícios: Cálculo estequiométrico Química Ficha 4 2 os anos Rodrigo fev/12 Nome: Nº: Turma: Exercícios: Cálculo estequiométrico 1. O carbeto de silício, SiC, é conhecido como carborundo. É uma substância muito dura, usada como abrasivo,

Leia mais

AULA 03 GASES Cap. 4 Russel PROF. MARCELL MARIANO CORRÊA MACENO

AULA 03 GASES Cap. 4 Russel PROF. MARCELL MARIANO CORRÊA MACENO AULA 03 GASES Cap. 4 Russel PROF. MARCELL MARIANO CORRÊA MACENO Características dos gases Os gases são altamente compressíveis e ocupam o volume total de seus recipientes. Quando um gás é submetido à pressão,

Leia mais

Massa molar (g.mol -1 )

Massa molar (g.mol -1 ) 01.DETERMINAÇÃO DE FÓRMULAS MOLECULARES 01. A clorofila a, que é o pigmento responsável pela cor verde da maioria das plantas, tem fórmula molecular C 55 H 72 MgN 4 O 5. Calcule a composição percentual

Leia mais

Gases. 1. Qual a equação de Van der Waals para o gás real e qual o significado de cada termo dessa equação?

Gases. 1. Qual a equação de Van der Waals para o gás real e qual o significado de cada termo dessa equação? Capítulo 2 Gases 1. Qual a equação de Van der Waals para o gás real e qual o significado de cada termo dessa equação? Van der Waals verificou que o fato do gás real não se comportar como o gás ideal é

Leia mais

1.1. A partir de 10 mol de ácido nítrico qual é a massa de nitrato de amónio que se obtém?

1.1. A partir de 10 mol de ácido nítrico qual é a massa de nitrato de amónio que se obtém? Escola Secundária de Lagoa Física e Química A 11º Ano Turma A Paula Melo Silva Ficha de Trabalho 5 Cálculos estequiométricos 1. O ácido nítrico é uma das mais importantes substâncias inorgânicas industriais.

Leia mais

NOX EXERCÍCIOS QUÍMICA PROF- LEONARDO. 01)Quais são os números de oxidação do iodo nas substâncias l 2, Nal, NalO 4 e Al I 3?

NOX EXERCÍCIOS QUÍMICA PROF- LEONARDO. 01)Quais são os números de oxidação do iodo nas substâncias l 2, Nal, NalO 4 e Al I 3? NOX EXERCÍCIOS QUÍMICA PROF- LEONARDO 01)Quais são os números de oxidação do iodo nas substâncias l 2, Nal, NalO 4 e Al I 3? 02. O número de oxidação do manganês no permanganato de potássio (KMnO4) é:

Leia mais

E-books PCNA. Vol. 1 QUÍMICA ELEMENTAR CAPÍTULO 4 ESTEQUIOMETRIA

E-books PCNA. Vol. 1 QUÍMICA ELEMENTAR CAPÍTULO 4 ESTEQUIOMETRIA E-books PCNA Vol. 1 QUÍMICA ELEMENTAR CAPÍTULO 4 ESTEQUIOMETRIA 1 QUÍMICA ELEMENTAR CAPÍTULO 4 SUMÁRIO Apresentação -------------------------------------------- 2 Capítulo 4 ------------------------------------------------

Leia mais

QUÍMICA MÓDULO 18 RELAÇÕES NUMÉRICAS. Professor Edson Cruz

QUÍMICA MÓDULO 18 RELAÇÕES NUMÉRICAS. Professor Edson Cruz QUÍMICA Professor Edson Cruz MÓDULO 18 RELAÇÕES NUMÉRICAS INTRODUÇÃO Precisamos compreender que houve uma necessidade de se definir uma nova unidade de massa para átomos e moléculas. É importante que você

Leia mais

Química Orgânica Experimental

Química Orgânica Experimental Química Orgânica Experimental Destilação Simples para Purificação do Cloreto de Terc-butila e do Acetato de Isopentila Discentes: Ana Carolina Boni Eliana Alves Arxer Fernanda Maciel Barbosa Gubbiotti

Leia mais

P2 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 27/10/12

P2 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 27/10/12 P2 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 27/10/12 Nome: Nº de Matrícula: GABARITO Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão 1 a 2,5 2 a 2,5 3 a 2,5 4 a 2,5 Total 10,0 Dados: T (K) = T ( C) + 273,15 R = 8,314

Leia mais

Lista de exercícios extras: Casos Especiais de Cálculo Estequiométrico.

Lista de exercícios extras: Casos Especiais de Cálculo Estequiométrico. DISCIPLINA PROFESSOR QUÍMICA REVISADA DATA (rubrica) ROSEMARIE 03 2017 NOME Nº ANO TURMA ENSINO 2º MÉDIO Lista de exercícios extras: Casos Especiais de Cálculo Estequiométrico. 01. (Ufrj) A diferença de

Leia mais

M = (1,429g/L (0,082 atml/kmol) (273,15 K))/1,000 atm

M = (1,429g/L (0,082 atml/kmol) (273,15 K))/1,000 atm GQ1 Utilizando a teoria dos orbitais moleculares explique porque a ligação na molécula de N2 possui uma energia média de ligação de 941 kj/mol enquanto que na molécula de F2 a energia média de ligação

Leia mais

O processo B é químico. Ocorre uma recombinação entre os átomos, formando novas substâncias químicas. Há ocorrência de reação química.

O processo B é químico. Ocorre uma recombinação entre os átomos, formando novas substâncias químicas. Há ocorrência de reação química. 01 O processo A é físico. Não há transformação das espécies químicas apresentadas, ou seja, é um processo de mistura sem que haja a ocorrência de reação química. O processo B é químico. Ocorre uma recombinação

Leia mais

QUÍMICA MÓDULO 19 LEIS DA QUÍMICA. Professor Edson Cruz

QUÍMICA MÓDULO 19 LEIS DA QUÍMICA. Professor Edson Cruz QUÍMICA Professor Edson Cruz MÓDULO 19 LEIS DA QUÍMICA INTRODUÇÃO Um exame apurado das propriedades físicas de um material (como densidade, ponto de fusão e ebulição) permite dizer se o material é uma

Leia mais

Projeto de Recuperação Final - 1ª Série (EM)

Projeto de Recuperação Final - 1ª Série (EM) Projeto de Recuperação Final - 1ª Série (EM) QUÍMICA MATÉRIA A SER ESTUDADA VOLUME CAPÍTULO ASSUNTO 5 15 Funções inorgânicas: identificação e nomenclatura de ácidos e bases 5 16 Funções inorgânicas- sais:

Leia mais