ROTINA GERAL DE USO DO SISTEMA TELEFÔNICO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ROTINA GERAL DE USO DO SISTEMA TELEFÔNICO"

Transcrição

1 ROTINA GERAL DE USO DO SISTEMA TELEFÔNICO 1. INTRODUÇÃO As pequenas, médias ou grandes empresas, dependem substancialmente de um bom sistema de comunicações, adequadamente projetado e operado. Os sistemas privados de telefonia alcançam, no mundo atual, tamanha importância e complexidade que, se houver um desempenho global deficiente, estará comprometida a própria eficiência da empresa. Neste sentido afirma-se que, à medida que tem-se uma melhor qualidade dos serviços telefônicos, em todos os aspectos, tem-se também, atingido o objetivo comum aos usuários e à empresa. 2. OBJETIVO A presente tem como objetivo, estabelecer os critérios para utilização dos telefones do Projeto FERROVIA NORTE SUL, o controle das ligações interurbanas e internacionais e dos telegramas fonados. 3. CONCEITOS E DEFINIÇÕES 3.1. CENTRAL TELEFÔNICA Denomina-se Central Telefônica, o conjunto constituído de local e equipamento telefônico centralizado, existente nas dependências do Projeto FERROVIA NORTE SUL. A Central PABX, instalada em nossos escritórios na Praça Pio X, n. 7, loja, está equipada para operar com 20 (vinte) troncos, com o número chave e capacidade de 130 (cento e trinta) ramais.

2 As categorias de ramais são as seguintes:. Privilegiado (P) - independente de auxilio da telefonista para gerar chamadas locais, no Município, bastando para tanto, discar o dígito 0 para obtenção da linha externa. No caso de ligação interurbana, haverá necessidade de solicitar através da telefonista, Ramal 300. O mesmo procedimento deverá ser adotado para as chamadas localizadas em áreas que o número do telefone seja iniciado pelo dígito 7.. Semi-Restrito (SR) - depende do auxílio da telefonista para gerar chamadas externas locais, bastando para tanto discar o dígito 9. Para o caso de ligações interurbanas deverá ser adotada a mesma rotina da categoria anterior.. Restrito (R) - destinado unicamente a comunicação interna nas dependências do escritório. Será feita e colocada em cada aparelho a categoria a que pertence ao lado do respectivo número, Por exemplo:. Ramal 240-P (significa Privilegiado). Ramal 204-SR (significa Semi-Restrito). Ramal 208-R (significa Restrito)

3 3.2. LIGAÇÃO TELEFÔNICA Ligação Telefônica é qualquer chamada telefônica através do equipamento a serviço ou de caráter particular, local, interurbano ou internacional Ligação Telefônica a Serviço Ligação Telefônica a Serviço é aquela realizada exclusivamente para assuntos de serviços e interesses do Projeto FERROVIA NORTE SUL Ligação Telefônica Particular Ligação Telefônica Particular é aquela realizada para assuntos que não sejam exclusivamente de serviço e interesse do Projeto FERROVIA NORTE SUL LINHA DIRETA Denomina-se Linha Direta, qualquer terminal de telefone instalado e desvinculado da Central Telefônica. 4. UTILIZAÇÃO DE TELEFONES Os telefones deverão ser utilizados, fundamentalmente, para assuntos da empresa, restringindo-se ao uso mínimo e pelo tempo indispensável RELAÇÃO DE DICAS PARA MELHORAR SUA COMUNICAÇÃO. Disque com calma, deixando o disco voltar sozinho. Não utilize para tal, canetas, lápis ou outros objetos que danifiquem ou desregulem seu equipamento.

4 . Não deixe o fone fora do gancho.. Consulte o catálogo telefônico com o fone no gancho.. Utilize o telefone somente para receber ou transmitir informações breves e objetivas.. Só inicie a discagem quando tiver certeza do número digitado; recebendo sinal de ocupado, aguarde pelo menos 3 minutos antes de efetuar nova tentativa.. Não deixe que as pessoas e objetos estranhos no seu trabalho dificultem seu desempenho.. Evite utilizar os ramais de categoria privilegiada para as ligações internas, isto é, se possuir ramal da categoria restrito.. Forneça o número correto do seu telefone: em caso de chamadas externas verifique se o seu ramal é categoria Semi-Restrito.. O pessoal de telecomunicações está à sua disposição para qualquer esclarecimento através do Ramal Procure não se ausentar da sala quando solicitar ligações interurbanas.. Habitue-se a informar à telefonista qualquer alteração na sua seção com relação a funcionários recém admitidos ou transferidos.. Para chamadas externas, aguarde o ruído, disque 0 e espere o novo ruído de discar da central urbana (não peça, portanto, auxílio à telefonista para tais ligações), se o seu ramal for privilegiado. Disque o número do assinante desejado. Se receber ruído de ocupado ao discar 0, isto significa que não há troncos livres. Espere um pouco e tente novamente.. Os aparelhos instalados nas recepções e copa dos andares, não estão autorizados a fazer ligações externas. Nestes ramais, se for discado o 0 será ouvido o ruído de ocupado. NÃO ADIANTA INSISTIR.. Telefones Úteis.

5 LOCAL RAMAL. Telefonista Interurbano 300 R. Telefonista Informações 300 R. Técnica e Manutenção 303 P. Portaria/Noturno 211 P. Recepção Loja 301 R. Recepção 6 andar 306 R. Recepção 7 andar 307 R. Recepção 8 andar 308 R. Recepção 9 andar 309 R. Recepção 10 andar 310 R. Recepção 11 andar 311 R. Recepção 12 andar 312 R. Copa R 4.2. LIGAÇÕES PELA CENTRAL TELEFÔNICA As ligações interurbanas e internacionais e os telefonemas para transmissão de telegramas fonados deverão, obrigatoriamente, ser completadas ou expedidas através da Central Telefônica, pelo ramal 300, com o auxílio da telefonista da empresa As ligações telefônicas interurbanas, internacionais e os telegramas fonados, de caráter particular, serão cobrados dos respectivos usuários, através de débito em folha de pagamento LIGAÇÕES POR LINHA DIRETA

6 As ligações telefônicas realizadas através das linhas diretas da empresa deverão ser controladas pelos respectivos responsáveis As ligações telefônicas, inclusive telegrama fonado, de caráter particular, realizadas por linha direta serão de responsabilidade do titular do aparelho LIGAÇÕES POR LINHA DIRETA PARTICULAR Quando, nas contas telefônicas de linha direta particular, constarem ligações interurbanas, internacionais ou telegramas fonados, que por indicação do usuário, terem sido realizadas a serviço, as mesmas serão absorvidas pelo Projeto FERROVIA NORTE SUL. 5. CONTROLE E ROTINAS 5.1. CONTROLE Caberá á telefonista da empresa, o controle através do formulário CONTROLE DE LIGAÇÕES TELEFÔNICAS (Modelo Anexo I), das chamadas interurbanas e internacionais, a serviço ou particular, efetuadas pela mesa e dos TELEGRAMAS FONADOS a serviço ou particular, expedidos por seu intermédio que será distribuído e ficará em posse das Secretárias As ligações interurbanas e internacionais e os telegramas fonados expedidos pelos telefones diretos, serão controlados e de responsabilidade dos respectivos usuários O controle, apropriação e cobrança das ligações interurbanas e internacionais e dos telegramas fonados a serviço ou particular, obedecerão a rotina específica ROTINA DE APROPRIAÇÃO DE CUSTOS DE LIGAÇÕES TELEFÔNICAS

7 Será dada a seguinte rotina para apropriação e cobrança de valores correspondentes a ligações telefônicas interurbanas, internacionais e telegramas fonados, a serviço ou particular As ligações telefônicas interurbanas, internacionais e telegramas fonados, a serviço ou particular, efetuados através da mesa telefônica, somente serão efetuadas mediante prévio fornecimento à telefonista do número de ordem constante no formulário CONTROLE DE LIGAÇÕES TELEFÔNICAS, devidamente autorizado pela Chefia imediata. Uma vez informado à telefonista o número de ordem do respectivo formulário, o mesmo deverá ser encaminhado ao Centro de Telecomunicações na Secretaria Geral (Loja), dentro de 24 horas para registro e controle Ao final de cada mês, capeados por relação discriminativa, os formulários de controle serão processados pelo Centro de Telecomunicações, que extrairá dos mesmos os dados necessários à elaboração de estatística e controle próprios Em se tratando de débito de empregados em processo de desligamento do projeto, tal informação deverá ser encaminhada a área administrativa para as devidas providências ROTINA DE CONTROLE DE CHAMADAS TELEFÔNICAS A telefonista será responsável pelo preenchimento do formulário CONTROLE DE CHAMADAS TELEFÔNICAS (Anexo II) a ser utilizado, para controle de ligações e respectivas requisições de:. Ligações ou telegramas a serviço;. Ligações ou telegramas particulares Informações que deverá conter o formulário

8 . Data. Número de Autorização. Nome do Solicitante. Ramal. Local do telefone chamado. Número do telefone chamado precedido do respectivo código DDD ou DDI. Nome da pessoa ou empresa chamada. Se autorização a Serviço (S) ou Particular (P). Telefonista Telegrama Fonado Para expedição de telegrama fonado, o texto deverá ser escrito no verso do respectivo formulário de solicitação e previamente apresentado ao expedidor (telefonista ou responsável por telefone direto). Aplicam-se no caso de telegramas, os mesmos procedimentos estabelecidos para ligações telefônicas, conforme subitem Mensalmente, os formulários preenchidos pela telefonista serão processados pelo Centro de Telecomunicações O Centro de Telecomunicações confrontará, a cada mês, os formulários preenchidos com as contas recebidas e lançará os respectivos valores das ligações e telegramas, adicionais respectivos (ISS Imposto sobre Serviços de Comunicação), no centro de custo Fará a alocação dos valores totais no centro de custo, para as

9 ligações a serviço Os valores das ligações e telegramas fonados particulares serão informados à área administrativa para devida cobrança As cópias dos formulários utilizados durante o mês contendo os valores das chamadas telefônicas a serviço (com indicação do centro de custo), e das chamadas telefônicas particulares (com indicação dos solicitantes), serão encaminhadas ao Centro de Telecomunicações, juntamente com as contas telefônicas para que seja efetuado o respectivo pagamento das contas à concessionária. 6. NÍVEL DA COMPETÊNCIA Serão isentos de autorização prévia para solicitação da ligação telefônica interurbana, internacional e telegrama fonado, particular ou a serviço:. Presidente. Diretores 7. VIGÊNCIA A presente ROTINA vigorará a partir de

10 A N E X O I

11

12

DEZ/87 SISTEMA DE LIGAÇÕES URBANAS

DEZ/87 SISTEMA DE LIGAÇÕES URBANAS DEZ/87 SISTEMA DE LIGAÇÕES URBANAS NORMA SISTEMA DE LIGAÇÕES INTERURBANAS 01. OBJETIVO........................................................... 02 02. CARACTERÍSTICAS..................................................

Leia mais

NORMA DE TELEFONIA FIXA, MÓVEL E RÁDIO COMUNICAÇÃO NOR 203

NORMA DE TELEFONIA FIXA, MÓVEL E RÁDIO COMUNICAÇÃO NOR 203 MANUAL DE ADMINISTRAÇÃO COD. 200 ASSUNTO: UTILIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE TELEFONIA FIXA, MÓVEL E RÁDIO COMUNICAÇÃO COD: NOR 203 APROVAÇÃO: REDIR nº 14/2009, de 16/11/2009 NORMA DE TELEFONIA FIXA, MÓVEL E RÁDIO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 10/2003

RESOLUÇÃO Nº 10/2003 RESOLUÇÃO Nº 10/2003 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal de Viçosa, órgão superior de administração, no uso de suas atribuições legais, considerando a necessidade de otimizar a gestão do sistema

Leia mais

MANUAL DE SERVIÇOS AUXILIARES

MANUAL DE SERVIÇOS AUXILIARES SUMÁRIO 1. Objetivo 2. Campo de Aplicação 3. Referências 4. Definições 5. Siglas 6. Condições Gerais 7. Telefone Fixo 8. Telefone Celular 9. Responsabilidades Anexo A 1. OBJETIVO Esta Norma estabelece

Leia mais

Sugestões para este manual

Sugestões para este manual CENTRAL CONECTA TABELA DE PROGRAMAÇÕES edição 01 para internet intelbras Indústria de Telecomunicação Eletrônica Brasileira BR 101, km 210 Área Industrial São José (SC) Brasil - CEP: 88104-800 Fone: 0

Leia mais

PORTUGUÊS. 1) Qual das seguintes palavras é um substantivo? A-( ) Vender B-( ) Atrasado C-( ) Cenoura D-( ) Correndo

PORTUGUÊS. 1) Qual das seguintes palavras é um substantivo? A-( ) Vender B-( ) Atrasado C-( ) Cenoura D-( ) Correndo PORTUGUÊS 1) Qual das seguintes palavras é um substantivo? A-( ) Vender B-( ) Atrasado C-( ) Cenoura D-( ) Correndo 2) Assinale qual das seguintes palavras não deve ser acentuada: A-( ) Técnico B-( ) Paralélo

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 27, DE 20 DE AGOSTO DE 2009.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 27, DE 20 DE AGOSTO DE 2009. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 27, DE 20 DE AGOSTO DE 2009. Estabelece as normas de utilização dos meios de comunicação telefônica fixa e móvel, no âmbito da Agência Nacional de Aviação Civil ANAC. A DIRETORA-PRESIDENTE

Leia mais

Manual de usuário da TDI 3 PANASONIC TDE/NCP e NS1000

Manual de usuário da TDI 3 PANASONIC TDE/NCP e NS1000 Manual de usuário da TDI 3 PANASONIC TDE/NCP e NS1000 2013 Innova Soluções Tecnológicas Este documento contém 17 páginas. Elaborado por: Innova Tecnologia de Soluções. Liberado em Dezembro de 2013. Impresso

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SSG 001/2011. Sistema Serviços Gerais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SSG 001/2011. Sistema Serviços Gerais INSTRUÇÃO NORMATIVA SSG 001/2011 Versão: 01 Aprovação em: 10/10/2011 Unidade Responsável: Coordenadoria de Administração - CAD SSG: Sistema Serviços Gerais I FINALIDADE Dispor sobre as normas e procedimentos

Leia mais

CENTRAL PABX 141 Digital

CENTRAL PABX 141 Digital CENTRAL PABX 141 Digital Guia do Usuário Versão para internet 0.1/04 intelbras Indústria de Telecomunicação Eletrônica Brasileira BR 101, Km 210 - Área Industrial São José - Santa Catarina - Brasil - CEP:

Leia mais

Divisão de Logística e Apoio Administrativo - DLA GESTÃO DA QUALIDADE NORMA DE USO DE RECURSOS DE TELEFONIA MÓVEL Código Revisão Data Página

Divisão de Logística e Apoio Administrativo - DLA GESTÃO DA QUALIDADE NORMA DE USO DE RECURSOS DE TELEFONIA MÓVEL Código Revisão Data Página Divisão de Logística e Apoio Administrativo - DLA GESTÃO DA QUALIDADE NORMA DE USO DE RECURSOS DE TELEFONIA MÓVEL Código Revisão Data Página NAD NO. 001/09 12 08/07/2014 1 de 9 Elaboração: Audrey A. Appendino

Leia mais

Telefonia Celular Coorporativo, fixo e Mini Modem. Sumário. 1. Objetivo 02. 2. A quem se destina 02. 3. Diretrizes 02

Telefonia Celular Coorporativo, fixo e Mini Modem. Sumário. 1. Objetivo 02. 2. A quem se destina 02. 3. Diretrizes 02 Sumário 1. Objetivo 02 2. A quem se destina 02 3. Diretrizes 02 4. Uso do celular corporativo 03 5. Mini Modem 04 6. Ligações Particulares 05 7. Responsabilidades e autoridades 8. Anexos Página 1 de 5

Leia mais

MICRO PABX 4015/6020

MICRO PABX 4015/6020 MICRO PABX 4015/6020 MANUAL DE OPERAÇÃO edição 06 para internet intelbras Indústria de Telecomunicação Eletrônica Brasileira BR 101, km 210 Área Industrial São José (SC) Brasil - CEP: 88104-800 Fone: 0

Leia mais

Manual do Usuário do ClaireExpress

Manual do Usuário do ClaireExpress Manual do Usuário do ClaireExpress Tudo o que você precisa saber para realizar uma teleconferência utilizando o ClaireExpress pode ser encontrado neste manual. Caso necessite de assistência adicional de

Leia mais

10/6/2009. Mister Way Tarifador

10/6/2009. Mister Way Tarifador Mister Way Tarifador 1 Como funciona a tarifação A tarifação telefônica funciona através de bilhetes que são enviados da central telefônica para um computador. 2 Bilhetes As informações envidas no bilhete

Leia mais

Micro PABX Intelbras 2010 4015 6020. Manual de Operação

Micro PABX Intelbras 2010 4015 6020. Manual de Operação Micro PABX Intelbras 2010 4015 6020 Manual de Operação Micro PABX Intelbras 2010 4015 6020 Manual de Operação Versão 1.0 Maio/1998 Linha Direta Com Você 0800482767 Endereço: BR 101 - Km 212 - Área Industrial

Leia mais

MANUAL PABX FLEX 4 BATIK PROGRAMAÇÃO E OPERAÇÃO

MANUAL PABX FLEX 4 BATIK PROGRAMAÇÃO E OPERAÇÃO MANUAL PABX FLEX 4 BATIK PROGRAMAÇÃO E OPERAÇÃO FACILIDADES E SERVIÇOS MODO PROGRAMAÇÃO O Modo Programação é o modo de funcionamento do PABX FLEX 4 Batik que permite a execução de comandos de programação

Leia mais

MICRO PABX 4015/6020

MICRO PABX 4015/6020 MICRO PABX 4015/6020 MANUAL DE PROGRAMAÇÃO edição 06 para internet intelbras Indústria de Telecomunicação Eletrônica Brasileira BR 101, km 210 Área Industrial São José (SC) Brasil - CEP: 88104-800 Fone:

Leia mais

Serviço Corporativo de Telefonia IP

Serviço Corporativo de Telefonia IP Universidade Federal de Santa Catarina Pró-Reitoria de Planejamento Superintendência de Governança Eletrônica e Tecnologia da Informação e Comunicação Departamento de Tecnologia da Informação e Redes Serviço

Leia mais

Guia do Usuário. Embratel IP VPBX

Guia do Usuário. Embratel IP VPBX Índice Guia do Usuário EMBRATEL IP VPBX 3 Tipos de Ramais 4 Analógicos 4 IP 4 FACILIDADES DO SERVIÇO 5 Chamadas 5 Mensagens 5 Bloqueio de chamadas 5 Correio de Voz 5 Transferência 6 Consulta e Pêndulo

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS De acordo com o comando de cada uma das questões de 1 a 20, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; o campo designado com o código E,

Leia mais

3UHFLVDPRVGDVXDRSLQLmRQRQRVVRFRQVWDQWHWUDEDOKRGHDGDSWDomRGHVWHPDQXDO. RPDQXDOGRXVXiULR$ILQDOFRQTXLVWDUDVXDVDWLVIDomRpRQRVVRREMHWLYR

3UHFLVDPRVGDVXDRSLQLmRQRQRVVRFRQVWDQWHWUDEDOKRGHDGDSWDomRGHVWHPDQXDO. RPDQXDOGRXVXiULR$ILQDOFRQTXLVWDUDVXDVDWLVIDomRpRQRVVRREMHWLYR &DUR8VXiULR $&HQWUDO IRL GHVHQYROYLGD SDUD DWHQGHU D VHLV OLQKDV H YLQWH UDPDLV FRQILJXUDQGR DVVLP D VXD FDSDFLGDGH Pi[LPD (VWD FHQWUDO WrP XP JUDQGH Q~PHUR GH IDFLOLGDGHV GHVWLQDGDV D YiULRV DSOLFDWLYRV

Leia mais

1 Objetivo Esta Regulamentação Especial estabelece normas para acesso de pessoas ao Condomínio Edifício São Luiz.

1 Objetivo Esta Regulamentação Especial estabelece normas para acesso de pessoas ao Condomínio Edifício São Luiz. Revisão: julho/2007 Fl. 01 de 03 1 Objetivo Esta Regulamentação Especial estabelece normas para acesso de pessoas ao Condomínio Edifício São Luiz. 2 Procedimentos 2.1 O acesso de pessoas nas dependências

Leia mais

MANUAL PABX 162 BATIK

MANUAL PABX 162 BATIK 1 O QUE É UM PABX? MANUAL PABX 162 BATIK CONHECENDO O PABX 162 BATIK É um aparelho eletrônico que facilita as comunicações telefônicas. O seu PABX 162 Batik funciona ligado até seis ramais, com um tronco

Leia mais

141 DIGITAL. Versão deste manual: 0.1/05 Compatível com a versão 3.0 da central (e possíveis revisões superiores)

141 DIGITAL. Versão deste manual: 0.1/05 Compatível com a versão 3.0 da central (e possíveis revisões superiores) 141 DIGITAL Versão deste manual: 0.1/05 Compatível com a versão 3.0 da central (e possíveis revisões superiores) Caro Usuário Você acaba de adquirir uma Central Intelbras 141 Digital, este produto foi

Leia mais

MANUAL PABX 272 BATIK

MANUAL PABX 272 BATIK 1 O QUE É UM PABX? MANUAL PABX 272 BATIK CONHECENDO O PABX 272 BATIK É um aparelho eletrônico que facilita as comunicações telefônicas. O seu PABX 272 Batik funciona ligado até sete ramais, com dois tronco

Leia mais

Possui todas as facilidades para as comunicações empresariais internas e externas:

Possui todas as facilidades para as comunicações empresariais internas e externas: Descrição: A Família TC Voice Net está dividida em 4 modalidades: TC Voice, TC Voice Net, Voice Net + e VPN Voice Net. O TC Intervox está dividido em 2 modalidades: TC Intervox Comercial e TC Intervox

Leia mais

Guia de Usuário Telefone Analógico

Guia de Usuário Telefone Analógico Guia de Usuário Telefone Analógico Revisão 1.0 Julho 2010 DECLARAÇÃO DE RESPONSABILIDADE A NEC reserva-se o direito de modificar as especificações, funções ou características a qualquer hora e sem comunicação

Leia mais

Seja bem-vindo. Um abraço, Bruno Raposo Diretor de Relacionamento com Clientes. *Serviços gratuitos até junho de 2009.

Seja bem-vindo. Um abraço, Bruno Raposo Diretor de Relacionamento com Clientes. *Serviços gratuitos até junho de 2009. Seja bem-vindo. AGORA VOCÊ FARÁ SUAS LIGAÇÕES COM MUITO MAIS ECONOMIA. A partir de agora, você tem acesso a todos os benefícios do telefone via cabo, que reuniu as tecnologias da Embratel e da NET o NET

Leia mais

Caro Cliente, IMPORTANTE. - Este PABX não poderá ser instalado como subsistema de outro PABX ou Centrex.

Caro Cliente, IMPORTANTE. - Este PABX não poderá ser instalado como subsistema de outro PABX ou Centrex. Caro Cliente, Algumas facilidades deste PABX não estarão disponíveis para alteração de sua programação, ou seja, devem ser utilizadas da forma que sai de fábrica. São elas: - Tabela de Prefixos - nesta

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 12, DE 24 DE SETEMBRO DE 2008.

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 12, DE 24 DE SETEMBRO DE 2008. AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 12, DE 24 DE SETEMBRO DE 2008. Dispõe sobre normas de utilização dos meios de comunicação telefônica móvel e fixa da Agência Nacional de Aviação

Leia mais

Caro Cliente, IMPORTANTE. - Este PABX não poderá ser instalado como subsistema de outro PABX ou Centrex.

Caro Cliente, IMPORTANTE. - Este PABX não poderá ser instalado como subsistema de outro PABX ou Centrex. Caro Cliente, Algumas facilidades deste PABX não estarão disponíveis para alteração de sua programação, ou seja, devem ser utilizadas da forma que sai de fábrica. São elas: - Tabela de Prefixos - nesta

Leia mais

Serviço de Telefonia IP - VoIP

Serviço de Telefonia IP - VoIP Superintendência de Governança Eletrônica e de Tecnologia da Informação e Comunicação (SeTIC/UFSC) Departamento de Tecnologia da Informação e Redes Serviço de Telefonia IP - VoIP 1 Serviço de Telefonia

Leia mais

Instalação do InnoMedia MTA 3328-2R Esta seção descreve o passo a passo da instalação do MTA e a configuração do endereço IP de seu computador.

Instalação do InnoMedia MTA 3328-2R Esta seção descreve o passo a passo da instalação do MTA e a configuração do endereço IP de seu computador. Informações sobre sua conta: Complete com as informações de sua conta: Linha 1 Information Número Telefônico: Número da Conta: Senha: Número de acesso a caixa postal: Linha 2 Número Telefônico: Número

Leia mais

PROGRAMAÇÃO E INSTALAÇÃO RAMAL CELULAR

PROGRAMAÇÃO E INSTALAÇÃO RAMAL CELULAR MANUAL DE PROGRAMAÇÃO E INSTALAÇÃO RAMAL CELULAR Bem-vindo! Obrigado por adquirir o RAMAL CELULAR GSM. Antes de instalar e acionar o equipamento, leia atentamente as instruções deste manual. Introdução

Leia mais

MANUAL PABX 412 BATIK

MANUAL PABX 412 BATIK MANUAL PABX 412 BATIK OPERAÇÃO E PROGRAMAÇÃO MODO PROGRAMAÇÃO O Modo Programação é o modo de funcionamento do PABX 412 Batik que permite a execução de comandos de programação protegidos. Todos os comandos

Leia mais

Distribuidor Geral de Linhas e ramais telefônicos.

Distribuidor Geral de Linhas e ramais telefônicos. Proposto por: Equipe do Departamento de Segurança Eletrônica e de Telecomunicações (DETEL) Analisado por: Diretor do Departamento de Segurança Eletrônica e de Telecomunicações (DETEL) Aprovado por: Diretor

Leia mais

Chapecó FICHA ANÚNCIO INFORMATIVO Data: Setor que solicita o anúncio: Número de anúncios que deseja realizar por período: Período de realização do anúncio: ( )Matutino ( ) Vespertino ( )Noturno (

Leia mais

Instruções de Preenchimento Ficha Cadastral

Instruções de Preenchimento Ficha Cadastral Instruções de Preenchimento Ficha Cadastral Ficha de Cadastro A ficha de cadastro tem a finalidade de obter dados necessários para aberturas de contas individualizadas em nome de novos usuários dos serviços

Leia mais

Corp 16000. Versão deste manual: 0.1/06

Corp 16000. Versão deste manual: 0.1/06 Corp 16000 Versão deste manual: 0.1/06 Caro Usuário A Central Corp 16000 foi desenvolvida, para atender a dezesseis linhas e sessenta e quatro ramais, configurando assim a sua capacidade máxima. Esta central

Leia mais

ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO

ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO ÍNDICE ASSUNTO PÁG. 1. APRESENTAÇÃO 2 2. INSTALAÇÃO DA CENTRAL PABX 2008 2 2.1 - Escolha do lugar ideal para instalação e fixação 2 2.2 Como ligar os fios de cada ramal até a central 2 2.3 - Como ligar

Leia mais

UniFOA - Curso Seqüencial de Redes de Computadores Disciplina: Sistemas de Telecomunicações 4º período Professor: Maurício AULA 02 Telefonia Fixa

UniFOA - Curso Seqüencial de Redes de Computadores Disciplina: Sistemas de Telecomunicações 4º período Professor: Maurício AULA 02 Telefonia Fixa Introdução UniFOA - Curso Seqüencial de Redes de Computadores Com o aparecimento dos sistemas de comunicação móvel como a telefonia celular, o termo telefonia fixa passou a ser utilizado para caracterizar

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 003, DE 16 DE MARÇO 2007.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 003, DE 16 DE MARÇO 2007. AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 003, DE 16 DE MARÇO 2007. Dispõe sobre normas de utilização dos meios de comunicação telefônica móvel e fixa da Agência Nacional de Aviação Civil

Leia mais

Instalação. PONTO PRINCIPAL = Ponto que o bloqueador, quando instalado, atuará em todos os telefones da linha.

Instalação. PONTO PRINCIPAL = Ponto que o bloqueador, quando instalado, atuará em todos os telefones da linha. Instalação Manual do Consumidor A instalação do Blockline é muito simples. Observe a instalação hidráulica de sua residência. Como funciona o registro principal e as torneiras de sua residência? Figura

Leia mais

MANUAL CENTRAL PABX 208

MANUAL CENTRAL PABX 208 MANUAL CENTRAL PABX 208 www.multitoc.com.br ÍNDICE ASSUNTO PÁG. 1. APRESENTAÇÃO 2 2. INSTALAÇÃO DA CENTRAL PABX 208 2 2.1 - Escolha do lugar ideal para instalação e fixação 2 2.2 Como ligar os fios de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 367, DE 13 DE JUNHO DE 2008

RESOLUÇÃO Nº 367, DE 13 DE JUNHO DE 2008 RESOLUÇÃO Nº 367, DE 13 DE JUNHO DE 2008 Dispõe sobre a utilização dos sistemas de telefonia fixa e móvel celular do Supremo Tribunal Federal O PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, no uso das atribuições

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa RESOLUÇÃO DE MESA N.º783/2007. (publicada no DOE nº 194, de 11 de outubro de 2007) Define as políticas para o uso

Leia mais

Manual do Usuário de Telefone Analógico. Revisão 1.0 Julho 2010

Manual do Usuário de Telefone Analógico. Revisão 1.0 Julho 2010 Manual do Usuário de Telefone Analógico Revisão 1.0 Julho 2010 DECLARAÇÃO DE RESPONSABILIDADE A NEC reserva-se o direito de modificar as especificações, funções ou características a qualquer hora e sem

Leia mais

Manual básico de configuração. ATA (Adaptador de Terminal Analógico) Modelo Linksys PAP2T

Manual básico de configuração. ATA (Adaptador de Terminal Analógico) Modelo Linksys PAP2T Manual básico de configuração ATA (Adaptador de Terminal Analógico) Modelo Linksys PAP2T Índice 1 Objetivo deste documento... 3 2 Entendendo o que é um ATA... 3 3 Quando utilizar o ATA... 4 4 Requisitos

Leia mais

A. NOME DA EMPRESA. Transit do Brasil S.A. B. NOME DO PLANO. Plano Básico de Serviço Local. C. IDENTIFICAÇÃO PARA A ANATEL

A. NOME DA EMPRESA. Transit do Brasil S.A. B. NOME DO PLANO. Plano Básico de Serviço Local. C. IDENTIFICAÇÃO PARA A ANATEL A. NOME DA EMPRESA Transit do Brasil S.A. B. NOME DO PLANO Plano Básico de Serviço Local. C. IDENTIFICAÇÃO PARA A ANATEL Plano Básico de Serviço Local. D. MODALIDADE DE STFC COBERTA Plano específico para

Leia mais

YEALINK SIP-T22P. Função de Teclas SÍNTESE DE FUNCIONALIDADES VOIP. Permitir aos usuários o acesso ao Voice Mail;

YEALINK SIP-T22P. Função de Teclas SÍNTESE DE FUNCIONALIDADES VOIP. Permitir aos usuários o acesso ao Voice Mail; YEALINK SIP-T22P SÍNTESE DE FUNCIONALIDADES VOIP Função de Teclas Permitir aos usuários o acesso ao Voice Mail; Redirecionar ligações ao se ausentar; CUIDADO; (ativa o último nº registrado na memória)

Leia mais

ANEXO A - Tabela de Preços dos Hóspedes em Trânsito

ANEXO A - Tabela de Preços dos Hóspedes em Trânsito ANEXO A - Tabela de Preços dos Hóspedes em Trânsito OBSERVAÇÕES: POSTO/CATEGORIA VALOR Suboficial R$ 40,00 Sargento R$ 40,00 Aluno da EEAR R$ 30,00 Servidor Civil com vínculo R$ 40,00 Servidor Civil sem

Leia mais

Muito mais do que um simples PABX. Uma solução de economia para sua empresa.

Muito mais do que um simples PABX. Uma solução de economia para sua empresa. PABX Digital PABX Muito mais do que um simples PABX. Uma solução de economia para sua empresa. O ACTIVE IP é PABX inovador que possibilita a utilização da telefonia IP e convencional garantindo eficiência

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça Vide Instrução Normativa STJ/GDG n. 26 de 18 de dezembro de 2015 (Alteração = art. 12) RESOLUÇÃO STJ N. 2 DE 4 DE FEVEREIRO DE 2015. Dispõe sobre os serviços de telecomunicações do Superior Tribunal de

Leia mais

NORMA SOBRE REGISTRO DE INTENÇÃO DE DOAÇÃO A INSTITUIÇÃO DE UTILIDADE PÚBLICA, UTILIZANDO SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES

NORMA SOBRE REGISTRO DE INTENÇÃO DE DOAÇÃO A INSTITUIÇÃO DE UTILIDADE PÚBLICA, UTILIZANDO SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES NORMA SOBRE REGISTRO DE INTENÇÃO DE DOAÇÃO A INSTITUIÇÃO DE UTILIDADE PÚBLICA, UTILIZANDO SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES 1 - DO OBJETIVO 1.1. Esta Norma tem por objetivo estabelecer condições para prestação

Leia mais

Guia do paciente. Leia com atenção e tenha uma estadia mais agradável. Mais recursos para seu médico, mais segurança e conforto para você.

Guia do paciente. Leia com atenção e tenha uma estadia mais agradável. Mais recursos para seu médico, mais segurança e conforto para você. Guia do paciente Leia com atenção e tenha uma estadia mais agradável. Mais recursos para seu médico, mais segurança e conforto para você. Apresentação O Hospital São Francisco se tornou referência em

Leia mais

Norma para pagamento de diária a serviço e solicitação de passagem aérea

Norma para pagamento de diária a serviço e solicitação de passagem aérea Norma para pagamento de diária a serviço e solicitação de passagem aérea Objetivo: A presente norma tem por objetivo formalizar e agilizar os pedidos de diária e passagem a serviço da entidade bem como

Leia mais

TARIFAÇÃO DE CHAMADAS DE LONGA DISTÂNCIA NACIONAL E INTERNACIONAL - A INFORMAÇÃO DA TARIFA NO INÍCIO DA LIGAÇÃO. Claudio Nazareno Consultor Legislativo da Área XIV Comunicação Social, Informática, Telecomunicações,

Leia mais

------------------------------------------------------------------------- *** Recuperação de senha através do link:

------------------------------------------------------------------------- *** Recuperação de senha através do link: YEALINK SIP-T22P SÍNTESE DE FUNCIONALIDADES VOIP Função de Teclas Permitir aos usuários o acesso ao Voice Mail; Redirecionar ligações ao se ausentar; CUIDADO; (ativa o último nº registrado na memória)

Leia mais

PORTARIA RIOPREVIDÊNCIA Nº. 148 DE 09 DE FEVEREIRO DE 2009.

PORTARIA RIOPREVIDÊNCIA Nº. 148 DE 09 DE FEVEREIRO DE 2009. PORTARIA RIOPREVIDÊNCIA Nº. 148 DE 09 DE FEVEREIRO DE 2009. ALTERA O MODELO DE CERTIDÃO DE TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO - CTC, DISCIPLINA PROCEDIMENTOS QUANTO À SUA EXPEDIÇÃO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PRESIDENTE

Leia mais

MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES INSTRUÇÃO DE SERVIÇO/DG N 08, DE 15 DE JUNHO DE 2009

MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES INSTRUÇÃO DE SERVIÇO/DG N 08, DE 15 DE JUNHO DE 2009 MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES INSTRUÇÃO DE SERVIÇO/DG N 08, DE 15 DE JUNHO DE 2009 O DIRETOR GERAL do Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes

Leia mais

CONTRATO DE ADESÃO AO PLANO ALTERNATIVO PLANO SUPER LIGAÇÃO 15 TARIFA ÚNICA TODO DIA TODA HORA

CONTRATO DE ADESÃO AO PLANO ALTERNATIVO PLANO SUPER LIGAÇÃO 15 TARIFA ÚNICA TODO DIA TODA HORA CONTRATO DE ADESÃO AO PLANO ALTERNATIVO PLANO SUPER LIGAÇÃO 15 TARIFA ÚNICA TODO DIA TODA HORA Por este instrumento, em que são partes: de um lado a TELEFÔNICA BRASIL S.A., concessionária do Serviço Telefônico

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 419, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2009

RESOLUÇÃO Nº 419, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2009 Publicada no Diário da Justiça Eletrônico, em 1º/12/2009. RESOLUÇÃO Nº 419, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre a utilização dos sistemas de telefonia fixa e de comunicação móvel do Supremo Tribunal

Leia mais

Este documento consiste em 25 páginas. Elaborado por: Innova Tecnologia de Soluções. Liberado em Março de 2010.

Este documento consiste em 25 páginas. Elaborado por: Innova Tecnologia de Soluções. Liberado em Março de 2010. Manual do Usuário Este documento consiste em 25 páginas. Elaborado por: Innova Tecnologia de Soluções. Liberado em Março de 2010. Impresso no Brasil. Sujeito a alterações técnicas. A reprodução deste documento,

Leia mais

Manual de Procedimentos de Segurança e Medicina do Trabalho para Empresas Contratadas

Manual de Procedimentos de Segurança e Medicina do Trabalho para Empresas Contratadas Manual de Procedimentos de Segurança e Medicina do Trabalho para Empresas Contratadas Responsável: Diretoria de Administração (DA) Superintendência de Recursos Humanos (DARH) Gerência de Dinâmica Laboral

Leia mais

MANUAL DE APOIO PARA UTILIZAÇÃO DO TERMINAL DE CARTÃO MAGNÉTICO POS -Terminais Hypercom modelo T7 Plus (para Cooperado) ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO...

MANUAL DE APOIO PARA UTILIZAÇÃO DO TERMINAL DE CARTÃO MAGNÉTICO POS -Terminais Hypercom modelo T7 Plus (para Cooperado) ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... MANUAL DE APOIO PARA UTILIZAÇÃO DO TERMINAL DE CARTÃO MAGNÉTICO POS -Terminais Hypercom modelo T7 Plus (para Cooperado) ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO...01 2 TRANSAÇÕES DISPONÍVEIS...02 2.1 SOLICITAÇÃO CONSULTAS

Leia mais

Guia do Participante - Desligamento Como proceder no desligamento da Rhodia O plano não termina aqui: confira as opções

Guia do Participante - Desligamento Como proceder no desligamento da Rhodia O plano não termina aqui: confira as opções Planos de Aposentadoria Básico e Suplementar Contribuição Definida Guia do Participante - Desligamento Como proceder no desligamento da Rhodia O plano não termina aqui: confira as opções (documento completo

Leia mais

REGULAMENTO DO SERVIÇO DE MENSAGEM INFOCELULAR BRADESCO CARTÕES

REGULAMENTO DO SERVIÇO DE MENSAGEM INFOCELULAR BRADESCO CARTÕES REGULAMENTO DO SERVIÇO DE MENSAGEM INFOCELULAR BRADESCO CARTÕES O BANCO BRADESCO CARTÕES S.A., com sede na Cidade de Osasco, Estado de São Paulo, no núcleo administrativo denominado Cidade de Deus, Prédio

Leia mais

Capítulo 1 - Apresentação 1

Capítulo 1 - Apresentação 1 Índice Capítulo 1 - Apresentação 1 Capítulo 2 - Instalação 2.1 Cuidados na instalação 1 2.2 Procedimentos de segurança 1 2.3 Identificador de chamadas 1 2.4 Estrutura das conexões 1 2.5 Procedimentos de

Leia mais

NORMA PROCEDIMENTAL UTILIZAÇÃO DOS TELEFONES CELULARES. Estabelecer critérios e disciplinar a utilização dos telefones celulares.

NORMA PROCEDIMENTAL UTILIZAÇÃO DOS TELEFONES CELULARES. Estabelecer critérios e disciplinar a utilização dos telefones celulares. 50.03.010 1/6 1. FINALIDADE Estabelecer critérios e disciplinar a utilização dos telefones celulares. 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO Diretoria, Vice-Diretoria, Chefia de Gabinete, Serviço de Telefonia, Serviço

Leia mais

Ao terminar o preenchimento clique no botão Avançar.

Ao terminar o preenchimento clique no botão Avançar. guiaskype O Skype é o melhor programa para conversas de voz e vídeo da atualidade. Com ele você realiza conversas de voz em tempo real com uma ou mais pessoas ao mesmo tempo. Além disso o Skype não é um

Leia mais

MESA OP 1610 i MANUAL DO USUÁRIO. Versão deste manual: 01/12 Compatível com a versão 8.1 da Mesa Operadora (e/ou revisões superiores)

MESA OP 1610 i MANUAL DO USUÁRIO. Versão deste manual: 01/12 Compatível com a versão 8.1 da Mesa Operadora (e/ou revisões superiores) MESA OP 1610 i MANUAL DO USUÁRIO Versão deste manual: 01/12 Compatível com a versão 8.1 da Mesa Operadora (e/ou revisões superiores) Caro Usuário A Mesa OP 1610i é um acessório desenvolvido especificamente

Leia mais

Versão deste manual: 0.2/04 Compatível com a versão 8.1 da Mesa Operadora (e/ou revisões superiores)

Versão deste manual: 0.2/04 Compatível com a versão 8.1 da Mesa Operadora (e/ou revisões superiores) Caro Usuário A Mesa OP 1610i é um acessório desenvolvido especificamente para os serviços da telefonista, podendo ser utilizado junto às Centrais 10040 e 16064. Estas Centrais possuem características diferenciadas,

Leia mais

Contrato de Adesão CONTRATO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO (STFC)

Contrato de Adesão CONTRATO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO (STFC) Contrato de Adesão CONTRATO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO (STFC) O texto deste Contrato foi submetido à aprovação da Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL, estando sujeito a

Leia mais

PROGRAMAÇÃO E INSTALAÇÃO RAMAL CELULAR

PROGRAMAÇÃO E INSTALAÇÃO RAMAL CELULAR MANUAL DE PROGRAMAÇÃO E INSTALAÇÃO RAMAL CELULAR Bem-vindo! Obrigado por adquirir o RAMAL CELULAR GSM. Antes de instalar e acionar o equipamento, leia atentamente as instruções deste manual. Introdução

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES. Central PABX 208. www.multitoc.com.br. Obs.: Este equipamento não é compatível com linhas digitais.

MANUAL DE INSTRUÇÕES. Central PABX 208. www.multitoc.com.br. Obs.: Este equipamento não é compatível com linhas digitais. MANUAL DE INSTRUÇÕES Central PABX 208 Obs.: Este equipamento não é compatível com linhas digitais. www.multitoc.com.br ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO...4 2. INSTALAÇÃO DA CENTRAL PABX 208...4 2.1 - Escolha do

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA

CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA Resolução nº 1.839, de 26 de novembro de 2010. Disciplina o uso e responsabilidade dos equipamentos de telefonia móvel no âmbito do Conselho Federal de Economia. O CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA, no uso

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS UFG Pró-Reitoria de Administração e Finanças PROAD GESTÃO DE TELEFONIA NA UFG. Eng. Leonardo E.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS UFG Pró-Reitoria de Administração e Finanças PROAD GESTÃO DE TELEFONIA NA UFG. Eng. Leonardo E. UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS UFG Pró-Reitoria de Administração e Finanças PROAD GESTÃO DE TELEFONIA NA UFG Eng. Leonardo E. Guimarães Telecomunicações/telefonia no Brasil CONCESSÕES (MEADOS DO SÉCULO

Leia mais

Manual da CENTRAL PABX OFFICE

Manual da CENTRAL PABX OFFICE Manual da CENTRAL PABX OFFICE Manual da CENTRAL PABX OFFICE Capítulo 1 - Apresentação... 4 Capítulo 2 - Instalação 2.1 Cuidados na instalação... 4 2.2 Procedimentos de segurança... 4 2.3 Identificador

Leia mais

TELEFONE FIXO E TELEFONE CELULAR... PLANOS ALTERNATIVOS...

TELEFONE FIXO E TELEFONE CELULAR... PLANOS ALTERNATIVOS... Apresentação 03 Interurbano 04 Planos alternativos 06 Telefone fixo e telefone celular 07 O peso das distâncias 08 Horário comercial x Horário reduzido 09 Consumo automático 10 Promoções 11 Escolha consciente

Leia mais

Solução para Central ACTIVE Leucotron. Opere seu ramal usando seu próprio computador!

Solução para Central ACTIVE Leucotron. Opere seu ramal usando seu próprio computador! Solução para Central ACTIVE Leucotron Opere seu ramal usando seu próprio computador! O software Contact Phone é rápido e fácil de usar, reúne todas as facilidades de um terminal KS físico mais os recursos

Leia mais

entre um ponto fixo situado no território nacional e outro ponto no exterior. CHAMADA LONGA DISTÂNCIA NACIONAL (LDN) OU DDD - chamada originada por

entre um ponto fixo situado no território nacional e outro ponto no exterior. CHAMADA LONGA DISTÂNCIA NACIONAL (LDN) OU DDD - chamada originada por TERMO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS AMERICA NET LTDA., autorizada do Serviço Telefônico Fixo Comutado - STFC, nas modalidades Local, Longa Distância Nacional e Internacional através do Código de Seleção de

Leia mais

MICRO PABX 10040/16064

MICRO PABX 10040/16064 MICRO PABX 10040/16064 MANUAL DE PROGRAMAÇÃO edição 04 para internet intelbras Indústria de Telecomunicação Eletrônica Brasileira BR 101, km 210 Área Industrial São José (SC) Brasil - CEP: 88104-800 Fone:

Leia mais

VOCÊ É A IMAGEM DE SUA EMPRESA

VOCÊ É A IMAGEM DE SUA EMPRESA Manual de Telefonia VOCÊ É A IMAGEM DE SUA EMPRESA Atualmente, a busca pela QUALIDADE é um objetivo a ser atingido por todas as áreas de uma empresa. No processo da QUALIDADE, um dos pontos principais

Leia mais

SIEMENS. euroset line 16. Manual de Instruções

SIEMENS. euroset line 16. Manual de Instruções SIEMENS euroset line 16 Manual de Instruções Apresentação: A partir de agora você tem a seu serviço o sistema "euroset line 16", que permitirá tornar ainda mais eficiente a sua comunicação telefônica.

Leia mais

Software de atendimento telefônico que demonstra os dados de todas as unidades do PJERJ e órgãos jurisdicionais do Estado.

Software de atendimento telefônico que demonstra os dados de todas as unidades do PJERJ e órgãos jurisdicionais do Estado. Proposto por: Equipe do Departamento de Segurança Eletrônica e de Telecomunicações (DETEL) Analisado por: Departamento de Segurança Eletrônica e de Telecomunicações (DETEL) Aprovado por: Diretor da Diretoria

Leia mais

José Luiz Silveira Miranda Diretor Este texto não substitui o publicado no DOU e no Sisbacen.

José Luiz Silveira Miranda Diretor Este texto não substitui o publicado no DOU e no Sisbacen. 1 CIRCULAR Nº 868 Aos Estabelecimentos Bancários, Caixas Econômicas e Cooperativas de Crédito participantes do Serviço de Compensação de Cheques e Outros Papéis. Comunicamos que a Diretoria do Banco Central

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Leucotron Telecom 060M01R2 09/01/2008

APRESENTAÇÃO. Leucotron Telecom 060M01R2 09/01/2008 2000 APRESENTAÇÃO Parabéns! Você acaba de adquirir um produto Leucotron, construído sob as normas ISO 9001 com tecnologia de ponta, aprovado segundo as normas de telecomunicações vigentes, que oferece

Leia mais

www.leucotron.com.br Assistência Técnica em todo o Brasil.

www.leucotron.com.br Assistência Técnica em todo o Brasil. Assistência Técnica em todo o Brasil. Rua Jorge Dionísio Barbosa, 312 - CEP 37540.000 Santa Rita do Sapucaí-MG FONE: (35) 3471.9500 - FAX: (35) 3471.9550 08000 35 8000 sac@leucotron.com.br www.leucotron.com.br

Leia mais

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço 1 - Aplicação Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço Plano Nº 009 - Plano Conta Light Requerimento de Homologação Nº 3556 Este Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço é aplicável pela autorizatária 14 BRASIL

Leia mais

Seu manual do usuário MULTITOC PABX OFFICE 308 http://pt.yourpdfguides.com/dref/568699

Seu manual do usuário MULTITOC PABX OFFICE 308 http://pt.yourpdfguides.com/dref/568699 Você pode ler as recomendações contidas no guia do usuário, no guia de técnico ou no guia de instalação para MULTITOC PABX OFFICE 308. Você vai encontrar as respostas a todas suas perguntas sobre a no

Leia mais

Relatório Mensal Junho 2007

Relatório Mensal Junho 2007 Relatório Mensal Junho 2007 Rio de Janeiro, 10 de julho de 2007. AO BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL BNDES Rio de Janeiro RJ A/C: GESTOR DO CONTRATO Ref.: Manutenção e operação da rede

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 139, DE 29 DE JUNHO DE 2012

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 139, DE 29 DE JUNHO DE 2012 Publicada no Boletim de Serviço, n. 7, p. 13-18 em 6/7/2012 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 139, DE 29 DE JUNHO DE 2012 Dispõe sobre o fornecimento e a autenticação de cópias e impressões e dá outras providências.

Leia mais

A. NOME DA EMPRESA. Transit do Brasil S.A. B. NOME DO PLANO. Plano Alternativo Transitel. C. IDENTIFICAÇÃO PARA A ANATEL D. MODALIDADE DE STFC COBERTA

A. NOME DA EMPRESA. Transit do Brasil S.A. B. NOME DO PLANO. Plano Alternativo Transitel. C. IDENTIFICAÇÃO PARA A ANATEL D. MODALIDADE DE STFC COBERTA A. NOME DA EMPRESA Transit do Brasil S.A. B. NOME DO PLANO Plano Alternativo Transitel. C. IDENTIFICAÇÃO PARA A ANATEL PA-27 local. D. MODALIDADE DE STFC COBERTA Plano específico para a modalidade LOCAL.

Leia mais

CIRCULAR Nº 3.605, DE 29 DE JUNHO DE 2012

CIRCULAR Nº 3.605, DE 29 DE JUNHO DE 2012 CIRCULAR Nº 3.605, DE 29 DE JUNHO DE 2012 Documento normativo revogado, a partir de 3/2/2014, pela Circular nº 3.691, de 16/12/2013. Altera o Regulamento do Mercado de Câmbio e Capitais Internacionais

Leia mais

Todos os Registros no site referem-se aos momentos em que o equipamento estava conectado (decorrente dos dois eventos acima descritos).

Todos os Registros no site referem-se aos momentos em que o equipamento estava conectado (decorrente dos dois eventos acima descritos). 1. Como funcionado Equipamento? O Rastreador instalado é um equipamento Hibrido que utiliza tecnologia de transmissão de dados por Satélite e via Operadora de Telefone. O Satélite informa ao equipamento

Leia mais

Guia Rápido para uso de Placas USB para Discagem automatizada.

Guia Rápido para uso de Placas USB para Discagem automatizada. Guia Rápido para uso de Placas USB para Discagem automatizada. Principais fundamentos para utilizar placas discadoras: 1. Eliminar o teclado de discagem, com isso evitar o uso particular do telefone 2.

Leia mais

MANUAL DE USO DO PLANO DE TELEFONIA MÓVEL CORPORATIVO EMPRESARIAL OPERADORA: VIVO. Outubro/2013 DILS

MANUAL DE USO DO PLANO DE TELEFONIA MÓVEL CORPORATIVO EMPRESARIAL OPERADORA: VIVO. Outubro/2013 DILS MANUAL DE USO DO PLANO DE TELEFONIA MÓVEL CORPORATIVO EMPRESARIAL OPERADORA: VIVO Outubro/2013 DILS Parabéns! Você acaba de tornar-se um participante do grupo corporativo de telefonia móvel (Ope. Vivo)

Leia mais