MANUAL CÁLCULOS RESCISÓRIOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANUAL CÁLCULOS RESCISÓRIOS"

Transcrição

1 MANUAL DE CÁLCULOS RESCISÓRIOS Elaborado por: Josenias Falcão Filho Fortaleza-Ceará

2 APRESENTAÇÃO Este manual é um guia prático de cálculos rescisórios que à luz da legislação vigente, orientará o dirigente sindical e o agente homologador, ampliando os seus conhecimentos e dando-lhes mais segurança nos processos de homologação. A sua estrutura facilita a compreensão dos conceitos e fundamentação legal por ter uma linguagem acessível, uma diversidade de situações práticas com tabelas de direitos trabalhistas, descontos previdenciários e de imposto de renda retido na fonte. Apesar do conteúdo ser específico sobre cálculos rescisórios, o assunto não se esgota neste manual, sendo o mesmo uma oportunidade de fomentar o estudo e a pesquisa sobre a matéria. Em razão da nova legislação em vigor, especialmente a lei do aviso prévio proporcional ao tempo de serviço nº /2011, destaco a relevância deste trabalho para os dirigentes sindicais, agentes homologadores e trabalhadores que terão garantidos os seus direitos trabalhistas. Manifesto a minha satisfação e orgulho com esta capacitação que será realizada pela 1ª Secretaria Regional da CNTI - Região Nordeste Fortaleza, 02 de Julho de Raimundo Lopes Júnior Secretário Regional da CNTI - 1ª Secretaria da Região Nordeste, Ceará, Piauí e Maranhão. 2

3 1. DIREITOS TRABALHISTAS Sumário 1.1 Saldo de Salário º Salário Salário Família Indenização adicional do empregado dispensado sem justa causa no período de 30 dias antes da data base Adicional (triênio, produtividade, prêmio por tempo de serviço e gratificação) por força da Convenção Coletiva ou Acordo Coletivo Adicional de Insalubridade Adicional Noturno 1.8 Salário Variável Repouso Semanal ou Descanso Semanal Aviso Proporcional ao Tempo de Serviço Tabela do Aviso Prévio Modalidade de Aviso Prévio Data da Baixa na CTPS Férias Vencidas 6 2. ESTABILIDADE PROVISÓRIA 2.1 Membro da CIPA Empregada gestante Dirigente Sindical Acidente de Trabalho Comissão de Conciliação Prévia Outras Estabilidades 7 3. RESCISÃO DE CONTRATO DE TRABALHO 3.1 Documentos obrigatórios no ato da homologação Prazo para pagamento das verbas rescisórias Multa por atraso no pagamento das verbas rescisórias Competência para homologar o TRCT Situações impeditivas para homologação Códigos de movimentações Rescisão por Término de Contrato de Experiência Rescisão antecipada do Contrato de Experiência Iniciativa do Empregador Rescisão antecipada do Contrato de Experiência Iniciativa do Empregado Rescisão por pedido de demissão com menos de um ano Rescisão por pedido de demissão com mais de um ano Rescisão sem Justa Causa menos de um ano Rescisão sem Justa Causa com mais de um ano Direito rescisório por Justa Causa com menos de um ano Direto rescisório por Justa Causa com mais de um ano Direito rescisório por aposentadoria Direito rescisório por morte do empregado Direito rescisório por morte do empregado no curso aviso prévio Rescisão indireta do contrato de trabalho Perfil Profissiográfico Previdenciário - PPP TABELAS 4.1 Tabela de contribuição do INSS Tabela do Salário Família Tabela progressiva mensal do Imposto de Renda na Fonte Tabela Seguro-Desemprego Tabela de Incidência para INSS, FGTS e IRRF 27 3

4 1. - DIREITOS TRABALHISTAS Saldo de Salário: corresponde a remuneração relativa ao número de dias em que o empregado efetivamente trabalhou no mês da rescisão. Art. 462 da CLT º Salário: é uma gratificação natalina que corresponde a 1/12 (um doze) avos da remuneração devida em dezembro ou no mês da rescisão, por mês de serviço, nos termos do art. 3º da Lei nº 4.090/62. A fração igual ou superior a 15 (quinze) dias de trabalho será havida como mês integral. As faltas legais e justificadas ao serviço não serão deduzidas para no pagamento do 13º salário Salário Família: constitui um benefício pago pela Previdência Social aos empregados com salário mensal de até R$ 915,05 (valor givente até 31/12/2012), para auxiliar no sustento dos filhos até 14 anos de idade ou inválidos de qualquer idade. Lei nº 8.213/91, arts. 65 a 70. O direito à cota do salário-família é definido em razão da remuneração que seria devida ao empregado no mês, independentemente do número de dias efetivamente trabalhados. Portaria interministerial MPS/MF nº 407 de 14/07/2011, art. 4º 2º Indenização adicional do empregado dispensado sem justa causa no período de 30 dias antes da data base: art. 9º da Lei nº 6.708/79 e 7.238, de 29 de outubro de 1984, garante o empregado dispensado, sem justa causa, no período de 30 (trinta) dias que antecede a data de sua correção salarial, multa equivalente a um salário mensal Adicional (triênio, produtividade, premio por tempo de serviço e Gratificação) por força de Convenção Coletiva ou Acordo Coletivo: o adicional pago mensalmente de modo habitual, possui natureza salarial, com também, integra a remuneração do trabalhador. Art. 457, 1º, da CLT e Súmula 459 do STF Adicional de Insalubridade: o exercício de trabalho em condições insalubres, acima dos limites de tolerância estabelecidos pelo Ministério do Trabalho, assegura a percepção de adicional de 40% (quarenta por cento), 20% (vinte por cento) e 10% (dez por cento), classificando nos graus máximo, médio e mínimo. Art. 192 da CLT. O Tribunal Superior do Trabalho decidiu, em sessão do Pleno, dar nova redação à Súmula nº 228, definindo o salário básico como base de cálculo para o adicional de insalubridade, a partir da publicação, em 9 de maio de 2008, da Súmula Vinculante nº 4, do STF. O adicional de insalubridade, pago em caráter permanente, integra a remuneração para o cálculo de indenização. Súmula nº 139 do TST Adicional Noturno: trabalho noturno é aquele executado no período entre às 22 horas de um dia e às 5 horas do dia seguinte: O adicional noturno é no mínimo de 20%, sobre a hora diurna, salvo o que se encontra convencionado em Convenção ou Acordo Coletivo. O adicional noturno, pago com habitualidade, integra o salário do empregado para todos os efeitos. Súmula nº 60 do TST Salário variável: nenhum empregado poderá receber inferior ao salário mínimo ou piso da categoria, para os que percebem remuneração variável (comissões). Art.7º, inciso III, da CF Repouso semanal ou Descanso semanal: é devida a remuneração do repouso semanal remunerado (RSR) ou descanso semanal remunerado (DSR) e dos dias feriados ao empregado comissionista (Súmula nº 27 TST). Domingo e Feriado no mesmo dia, não serão acumuladas a remuneração do repouso semanal. Decreto nº /49, art. 11, 3º Aviso prévio proporcional ao tempo de serviço: lei nº , de 11 de outubro de Art. 1º - O aviso prévio, de que trata o Capítulo VI do Título IV da Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, aprovada pelo Decreto-Lei no 5.452, de 1º de maio de 1943, será concedido na proporção de 30 (trinta) dias aos empregados que contem até 1 (um) ano de serviço na mesma empresa. Parágrafo único - Ao aviso prévio previsto neste artigo serão acrescidos 3 (três) dias por ano de serviço prestado na mesma empresa, até o máximo de 60 (sessenta) dias, perfazendo um total de até 90 (noventa) dias. Art. 2º - Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação - 13/10/

5 Aviso Prévio Proporcional Tempo de ao Tempo de Serviço Serviço Lei nº Art. 487 da CLT /2011 Dias Até 11 meses ano anos anos anos anos anos anos anos anos anos anos anos anos anos anos anos anos anos anos anos NOTA TÉCNICA Nº 184/2012/CGRT/SRT/MTE Conclusão: 1) a lei não poderá retroagir para alcançar situação de aviso prévio já iniciado; 2) a proporcionalidade de que trata o artigo único da norma sob comento aplicase exclusivamente em beneficio do empregado; 3) o acréscimo de 3 (três) dias por ano de serviço prestado ao mesmo empregador, computar-se-á a partir do momento em que a relação contratual supere um ano na mesma empresa; 4) a jornada reduzida ou a faculdade de ausência no trabalho, durante o aviso prévio, previstas no art.488 da CLT, não foram alterados pela lei /2011; 5) a projeção do aviso prévio integra o tempo de serviço para todos fins legais; 6) recaindo término do aviso prévio proporcional nos trinta dias que antecedem a data base, faz jus o empregado despedido a indenização prevista na lei nº 7.238/84; e 7) as cláusulas pactuadas em acordo ou convenção coletiva que tratam do aviso prévio proporcional deverão ser observadas, desde que respeitada a proporcionalidade mínima prevista na lei nº , de

6 Modalidade de aviso prévio: trabalhado e indenizado Aviso prévio indenizado: I Dispensa sem Justa Causa, quando o desligamento é de imediato por parte do empregador. Art. 487 da CLT. II - Pedido demissão, sem justo motivo, por parte do empregado dá direito ao empregador o desconto do aviso de 30 dias. Art. 487 da CLT Aviso prévio trabalhado iniciativa do Empregado: o mesmo cumprirá a jornada de trabalho integral, somente o período de 30 (trinta) dias Projeção do aviso prévio: o período referente ao aviso prévio, inclusive quando indenizado, integra o tempo de serviço para todos os efeitos legais, como reajustes salariais, férias, 13º salário e indenizações Registro da baixa na CTPS: quando o aviso prévio for indenizado, a data da saída a ser anotada na Carteira de Trabalho a seguinte: I - Na página relativa ao Contrato de Trabalho, a do último dia da data projetada para o aviso prévio indenizado; e II - Na página relativa às Anotações Gerais, a data do último dia efetivamente trabalhado. III - No TRCT, a data de afastamento a ser consignada será a do último dia efetivamente trabalhado. IN nº 15 de 14/07/ Férias: a legislação assegura a todos os trabalhadores um período de descanso, denominado férias. Após cada período de 12 meses de vigência do contrato de trabalho (período aquisitivo), o empregado tem direito ao gozo de um período de férias, sem prejuízo do salário Férias Vencidas: após cada período de 12 meses de vigência do contrato de trabalho, o empregado tem direito à quantidade de dias de férias conforme o número de faltas não justificadas verificadas durante o período aquisitivo correspondente. Art. 146 da CLT. Faltas não Justificadas Até 05 De 06 a 14 De 15 a 23 De 24 a 32 Acima de 32 Férias 30 dias corridos 24 dias corridos 18 dias corridos 12 dias corridos Perda do direito Férias Proporcionais: para cada mês trabalhado ou fração igual ou superior a 15 dias, o empregado tem direito a 2,5 dias, que corresponde a 1/12 (um doze) avos de férias conforme o número de faltas não justificadas durante o período. Férias Proporcionais (até 5 faltas) (6 a 14 faltas) (15 a 23 faltas) (24 a 32 faltas) 1/12 avos 2,5 dias 2 dias 1,5 dias 1 dia 2/12 avos 5 dias 4 dias 3 dias 2 dias 3/12 avos 7,5 dias 6 dias 4,5 dias 3 dias 4/12 avos 10 dias 8 dias 6 dias 4 dias 5/12 avos 12,5 dias 10 dias 7,5 dias 5 dias 6/12 avos 15 dias 12 dias 9 dias 6 dias 7/12 avos 17,5 dias 14 dias 10,5 dias 7 dias 8/12 avos 20 dias 16 dias 12 dias 8 dias 9/12 avos 22,5 dias 18 dias 13,5 dias 9 dias 10/12 avos 25 dias 20 dias 15 dias 10 dias 6

7 11/12 avos 27,5 dias 22 dias 16,5 dias 11 dias 12/12 avos 30 dias 24 dias 18 dias 12 dias 2. - ESTABILIDADE PROVISÓRIA: é o período em que o empregado tem seu emprego garantido, não podendo ser dispensado por iniciativa do empregador sem justa causa, salvo se cometer falta grave nos termos da lei Membro da CIPA: o empregado eleito ainda como suplente, para cargo de direção de comissões internas de prevenção de acidentes, desde o registro de sua candidatura até um ano após o final de seu mandato. - Existe a controvérsia estabelecida em função da estabilidade provisória dos membros da CIPA, o Ó r g ã o Especial do T r ib u n a l Su p e r i o r do T r a b a l h o e x p e d i u a Re s o lu ç ã o de nº 39/1994, que reconhece a referida estabilidade aos empregados eleitos como suplentes Empregada Gestante: a legislação garante a estabilidade da empregada gestante a partir da confirmação da gravidez, exceto no caso do contrato de experiência ou determinado. - A licença-maternidade da empregada gestante é de 120 (cento e vinte) dias, sem prejuízo do emprego e do salário. - Fica ressalvada a disposição mais favorável em convenção ou acordo coletivo de trabalho, a empregada gestante a estabilidade provisória, desde a confirmação da gravidez até cinco meses após o parto. Art. 10. Inciso II, ADCT da CF Dirigente Sindical: é o empregado que foi eleito para defender os interesses da classe profissional, que goza da garantia de emprego, a referida estabilidade tem por finalidade proteger o dirigente sindical como empregado contra possíveis atos do seu empregador, que venham a impedir ou dificultar o exercício de suas atribuições como dirigente sindical. Não se trata de uma garantia pessoal do dirigente sindical, mas sim uma prerrogativa da categoria para possibilitar o livre exercício da representação sindical, assegurando a independência do dirigente sindical, representante na defesa dos interesses gerais da categoria ou dos individuais de seus representados. - Fica vedada a dispensa do empregado sindicalizado a partir do registro da candidatura a cargo de direção ou representação sindical e, se eleito, ainda que suplente, até um ano após o final do mandato. Art. 8º, inciso VIII, da CF, e 543, 3º, da CLT. - O empregado de categoria diferenciada eleito dirigente sindical só goza de estabilidade se exercer na empresa atividade pertinente à categoria profissional do sindicato para o qual foi eleito dirigente Acidente de Trabalho: é o que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço da empresa, com o segurado empregado, que será caracterizado tecnicamente pela perícia médica do INSS, tendo garantia mínima de 12 meses a manutenção do emprego, após o retorno ao trabalho, independente de percepção de auxílio-acidentário. Lei nº 8.213/91 (Lei Previdenciária). - O auxílio-acidente, por ter caráter de indenização, pode ser acumulado com outros benefícios pagos pela Previdência Social exceto aposentadoria Comissão de Conciliação Prévia: garantia de emprego dos representantes dos empregados-membros, titulares ou suplentes, de Comissão de Conciliação Prévia CCP, instituída no âmbito da empresa, até 1 (um) ano após o final do mandato Outras estabilidades: decorrentes de Convenção Coletiva, Acordo Coletivo de Trabalho ou Sentença Normativa RESCISÃO DE CONTRATO DE TRABALHO: é o término do vínculo de emprego, com a extinção das obrigações para os contratantes, pela vontade das partes ou por vontade de apenas uma das partes Documentos obrigatórios no ato da homologação: 1) Termo de Rescisão de Contrato de Trabalho no mínimo 4 vias; 2) CTPS devidamente atualizada; 3) Comunicação do Aviso Prévio do empregador para o empregado ou do empregado para o empregador; 7

8 4) Extrato do FGTS para fim rescisório, devidamente atualizado; 5) Guia de recolhimento rescisório do FGTS e demonstrativo de recolhimento da multa do FGTS (quando ocorrer demissão sem justa causa, por iniciativa do empregador); 6) Chave de identificação e liberação do FGTS (demissão sem justa causa, iniciativa do empregador); 7) Guia do seguro desemprego (quando ocorrer demissão sem justa causa, por iniciativa do empregador); 8) Perfil Profissiográfico Previdenciário (PPP), Lei Previdenciária de nº 8.213/91 art. 58 4º; incluído pela lei nº 9.528/97; 9) Atestado de Saúde Ocupacional (ASO) tem validade de: I dias para as empresas de grau de risco do grupo 1 e 2 do quadro I da NR 4; II - 90 dias para as empresas de grau de risco do grupo 3 e 4 do quadro I da NR Prazo para pagamento das verbas rescisórias: fica ressalvada a disposição mais favorável em convenção ou acordo coletivo de trabalho, o pagamento das parcelas devidas a título de rescisão contratual deverá ser efetuado nos seguintes prazos: I Até o primeiro dia útil imediato ao término de contrato; a) rescisão por período de experiência; b) quando o aviso prévio for trabalhado; c) rescisão por prazo determinado (aprendiz) II Até o décimo dia, contado da data da notificação da demissão; a) quando aviso prévio for indenizado pelo empregador ou empregado; b) demissão por justa causa; c) rescisão por morte do empregado Multa por atraso no pagamento das verbas rescisórias: ocorrendo atraso no pagamento da rescisão, deverá a empresa pagar multa para o empregado e para o governo. - A multa para empregado é de 1 (um) salário base. Já a parte do governo equivale, atualmente, a 160 (UFIRs), recolhido na guia DARF. Art. 477, 8º da CLT Competência para homologar o TRCT: são competentes para prestar a assistência sem ônus para o trabalhador na rescisão contratual: 1) Sindicato profissional da categoria, preferência conforme determina NT CGRT/SRT Nº 38/10; 2) Federação da categoria inorganizada; 3) Confederação; 4) Ministério do Trabalho e Emprego; 5) Ministério Público ou Defensor Público, na falta ou impedimento o Juiz de Paz Situações impeditivas para homologação: é dever do Sindicato e Federação, dar assistência ao empregado na rescisão de contrato de trabalho gratuitamente, orientar e esclarecer empregado e empregador sobre o cumprimento da lei, assim como serão verificadas as situações impeditivas da rescisão contratual arbitrária ou sem justa causa: I - gravidez da empregada, desde a sua confirmação até 5 (cinco) meses após o parto; II - candidatura do empregado para o cargo de direção de Comissões Internas de Prevenção de Acidentes CIPA, desde o registro da candidatura e, se eleito, ainda que suplente, até 1 (um) ano após o final do mandato; III - candidatura do empregado sindicalizado a cargo de direção ou representação sindical, desde o registro da candidatura e, se eleito, ainda que suplente, até um ano após o final do mandato; IV - garantia de emprego dos representantes dos empregados-membros, titulares ou suplentes, de Comissão de Conciliação Prévia CCP, instituída no âmbito da empresa, até 1 (um) ano após o final do mandato; V - atestado de saúde ocupacional (ASO) - concluso sobre a capacidade laborativa INAPTO; 8

9 VI empregado que no exercício do trabalho a serviço da empresa foi acidentado, tendo garantia mínima de 12 meses a manutenção do emprego, após o retorno ao trabalho; VII - rescisão contratual sem pagamento de verbas rescisórias devidas, que vise, tão-somente, ao saque de FGTS e a habilitação ao Seguro-Desemprego; VIII Aposentadoria por invalidez (temporária), o empregado que for aposentado por invalidez terá suspenso o seu contrato de trabalho; IX - demais garantias de empregos decorrentes de lei, convenção coletiva do trabalho ou acordo coletivo de trabalho ou sentença normativa Categoria do trabalhador, de acordo com o quadro a seguir: Tabela de Categorias de Trabalhador Cód. Categoria 1 Empregado 3 Trabalhador não vinculado ao RGPS, mas com direito ao FGTS 4 Empregado sob contrato de trab. por prazo determ. (Lei nº 9.601/1998) 6 Empregado Doméstico 7 Menor Aprendiz (Lei nº /2000) Código de movimentação, e código de saque do FGTS: Afastamento Código de movimentação Código de saque do FGTS Seguro Desemprego Término de contrato e período de experiência Antecipação término de contrato e período de experiência iniciativa do empregador Antecipação término de contrato e período de experiência iniciativa do empregado Pedido de demissão menos de ano I3 4 N I1 1 S J N N J N N Pedido de demissão mais de um ano J N N Demissão sem justa causa menos de um ano I1 1 S Demissão sem justa causa mais de um ano I1 1 S Demissão por justa causa menos de um ano H N N 9

10 Demissão por justa causa mais de um ano H N N Aposentadoria sem continuidade de vínculo empregatício U1 5 N Morte do empregado S2 23 N Morte do empregado por Acidente Trabalho S3 23 N CÓDIGOS DE MOVIMENTAÇÃO DOS SEGURADOS - GFIP Código H I1 I2 I3 I4 J K L M N1 N2 O1 O2 O3 P1 P2 P3 Q1 Q2 Q3 Q4 Q5 Q6 R S2 Situação Rescisão, com justa causa, por iniciativa do empregador; Rescisão sem justa causa, por iniciativa do empregador, inclusive rescisão antecipada do contrato a termo; Rescisão por culpa recíproca ou força maior; Rescisão por término do contrato a termo; Rescisão sem justa causa do contrato de trabalho do empregado doméstico, por iniciativa do empregador; Rescisão do contrato de trabalho por iniciativa do empregado; Rescisão a pedido do empregado ou por iniciativa do empregador, com justa causa, no caso de empregado não optante, com menos de um ano de serviço; Outros motivos de rescisão do contrato de trabalho; Mudança de regime estatutário; Transferência de empregado para outro estabelecimento da mesma empresa; Transferência de empregado para outra empresa que tenha assumido os encargos trabalhistas, sem que tenha havido rescisão de contrato de trabalho; Afastamento temporário por motivo de acidente do trabalho, por período superior a 15 dias; Novo afastamento temporário em decorrência do mesmo acidente do trabalho; Afastamento temporário por motivo de acidente do trabalho, por período igual ou inferior a 15 dias; Afastamento temporário por motivo de doença, por período superior a 15 dias; Novo afastamento temporário em decorrência da mesma doença, dentro de 60 dias contados da cessação do afastamento anterior; Afastamento temporário por motivo de doença, por período igual ou inferior a 15 dias; Afastamento temporário por motivo de licença-maternidade (120 dias); Prorrogação do afastamento temporário por motivo de licença-maternidade; Afastamento temporário por motivo de aborto não criminoso; Afastamento temporário por motivo de licença-maternidade decorrente de adoção ou guarda judicial de criança até 1 (um) ano de idade (120 dias); Afastamento temporário por motivo de licença-maternidade decorrente de adoção ou guarda judicial de criança a partir de 1 (um) ano até 4 (quatro) anos de idade (60 dias); Afastamento temporário por motivo de licença-maternidade decorrente de adoção ou guarda judicial de criança a partir de 4 (quatro) anos até 8 (oito) anos de idade (30 dias); Afastamento temporário para prestar serviço militar; Falecimento; 10

11 S3 U1 U2 U3 W X Y Z1 Z2 Z3 Z4 Z5 Z6 Falecimento motivado por acidente de trabalho; Aposentadoria por tempo de contribuição ou idade sem continuidade de vínculo empregatício; Aposentadoria por tempo de contribuição ou idade com continuidade de vínculo empregatício; Aposentadoria por invalidez; Afastamento temporário para exercício de mandato sindical; Licença sem vencimentos; Outros motivos de afastamento temporário; Retorno de afastamento temporário por motivo de licença-maternidade; Retorno de afastamento temporário por motivo de acidente do trabalho; Retorno de novo afastamento temporário em decorrência do mesmo acidente do trabalho; Retorno de afastamento temporário por motivo de prestação de serviço militar; Outros retornos de afastamento temporário e/ou licença; Retorno de afastamento temporário por motivo de acidente do trabalho, por período igual ou inferior a 15 dias CÓDIGOS DE OCORRÊNCIA QUANTIDADE DE VÍNCULOS UM VÍNCULO MÚLTIPLOS VÍNCULOS Nota: Embora o Manual da GFIP oriente que o código em branco seja utilizado para o segurado sem exposição a agentes nocivos, que nunca esteve exposto, e o código 01 para o segurado que já esteve exposto a agentes nocivos e não está mais, não há diferença para o cálculo do valor devido à Previdência Social, pois em nenhum dos casos há cálculo do adicional do RAT. Lei Previdenciária: LEI DE ACESSO MENSAL DO EMPREGADO - D.O.U: Altera os arts. 32 e 80 da Lei nº 8.212, de 24 de julho de 1991, para dispor sobre o acesso do empregado às informações relativas ao recolhimento de suas contribuições ao INSS. Art. 1º. Os arts. 32 e 80 da Lei nº 8.212, de 24 de julho de 1991, passam a vigorar com a seguinte redação: "Art VI - comunicar, mensalmente, aos empregados, por intermédio de documento a ser definido em regulamento, os valores recolhidos sobre o total de sua remuneração ao INSS. "Art I - enviar às empresas e aos seus segurados, quando solicitado, extrato relativo ao recolhimento das suas contribuições;..." (NR) CÓDIGO Art. 2º. Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação. EXPOSIÇÃO A AGENTES NOCIVOS 01 (OU EM BRANCO ) SEM EXPOSIÇÃO 02 APOSENTADORIA ESPECIAL 15 ANOS 03 APOSENTADORIA ESPECIAL 20 ANOS 04 APOSENTADORIA ESPECIAL 25 ANOS 05 SEM EXPOSIÇÃO 06 APOSENTADORIA ESPECIAL 15 ANOS 07 APOSENTADORIA ESPECIAL 20 ANOS 08 APOSENTADORIA ESPECIAL 25 ANOS 11

12 RESCISÃO POR TÉRMÍNO DO CONTRATO DE EXPERIÊNCIA: Informações para Cálculo: Contrato de experiência - 90 dias Término do contrato: Admissão: Afastamento: Salário R$ 900,00/Mês Dependente - Não tem Teve total de 8 faltas não abonadas, nos seguintes meses: 04 em Junho e 04 em Julho. DIREITOS FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Saldo de Salário Art. 462 da CLT Salário Família Lei nº 8.213/91, Arts. 65 e 70 Férias proporcionais Art. 147 da C:LT Acréscimo sobre férias de 1/3 Art. 7º, inciso XVII, da CF 13º Salário Lei nº 4.090/62, Art. 3º FGTS código 04 Lei 8.036/90, Art. 20, inciso IX Memória de Cálculo: Saldo de salário 30 dias = R$ 900,00 Salário família - não tem Férias proporcionais 3/12avos de 24 dias = 24 : 12 = 2 x 3 = 6 dias R$ 900,00 : 30 = R$ 30,00 x 6 dias = R$ 180,00 R$ 900,00 : 12 = R$ 75,00 x 3 = R$ 225,00 : 30 = R$ 7,50 x 24dias = R$ 180,00 1/3 sobre férias: R$ 180,00 : 3 = R$ 60,00 13º salário 3/12 avos: R$ 900,00 : 12 = R$ 75,00 x 3 = R$ 225,00 FGTS multa rescisória não há. FGTS Rescisão - R$ 900,00 (saldo de salário) + R$ 225,00 (13º sal.) Guias Seguro Desemprego - não tem Descontos: INSS sobre saldo de salário R$ 900,00 x 8% = R$ 72,00 INSS sobre 13º salário R$ 225,00 x 8% = R$ 18,00 Prazo para pagamento: 01/09/2011 ou até o primeiro dia útil imediato ao término do contrato. 12

13 3.8 - RESCISÃO ANTECIPADA DO CONTRATO DE EXPERIÊNCIA POR INICIATIVA DO EMPREGADOR: Informações para Cálculo: Contrato de experiência - 90 dias Rescisão antecipada do contrato de experiência nos termos do art. 479 da CLT Admissão: Afastamento: Salário R$ 650,00/Mês Dependente 02 (esposa e filho menor de 14 anos) FGTS - Saldo para fins rescisório R$ 41,60 Cód. Afastamento 01 DIREITOS FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Indenização Art. 479 da CLT Saldo de Salário Art. 462 da CLT Salário Família Lei nº 8.213/91, Arts. 65 e 70 Férias proporcionais Art. 147 da C:LT Acréscimo sobre férias de 1/3 Art. 7º, inciso XVII, da CF 13º Salário Lei nº 4.090/62, Art. 3º FGTS - código 01 Lei nº 8.036/90, Art. 20, inciso IX Memória de Cálculo: Indenização, nos termos do Art. 479 da CLT, a empresa é obrigada a indenizá-lo por metade até o término do contrato; trabalhou 50 dias, faltando 40 dias para completar o contrato de experiência. 90 (dias contrato) 50(dias trabalhado) = 40 x 50% = 20 dias a indenizar. Salário R$ 650,00 : 30 = R$ 21,67 x 40dd x 50% = R$ 433,33 ( valor da indenização) Salário família 1 cota valor R$ 22,00 (tabela) : 30 = 0,73 x 25(dias) = R$ 18,33 (valor a pagar) Férias proporcionais 2/12avos = R$ 650,00 : 12 = R$ 54,17 x 2(meses trabalhado) = R$ 108,33 (valor a pagar) 1/3 sobre férias: R$ 108,33 : 3 = R$ 36,11 13 º Salário 2/12avos = R$ 650,00 : 12 = R$ 54,17 x 2(meses trabalhado) = R$ 108,33 (valor a pagar) Saldo de salário = R$ 650,00 : 30 = R$ 21,67 x 25 dias = R$ 541,67 Descontos: INSS sobre saldo de salário R$ 541,67 x 8% = R$ 43,33 INSS sobre 13º salário R$ 108,33 x 8% = R$ 8,67 Prazo para pagamento: 03/08/2011. Término do contrato de experiência séria: 04/08/2011 e pagamento em 05/08/2011 Neste caso o prazo é o que acontecer primeiro os 10 dias corridos, ou o 1º dia útil imediato ao término do contrato de experiência. 13

14 RESCISÃO ANTECIPADA DO CONTRATO DE EXPERIÊNCIA POR INICIATIVA DO EMPREGADO: Informações para Cálculo: Contrato de experiência de 60 dias Rescisão antecipada do contrato de experiência nos termos 480 da CLT Admissão: Afastamento: Salário R$ 650,00/Mês Dependente 02 (esposa e filho menor de 14 anos) Solicitou demissão no dia Cód. Afastamento - Não DIREITOS FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Saldo de Salário Art. 462 da CLT Salário Família Lei nº 8.213/91, Arts. 65 e 70 Férias proporcionais Art. 147 da CLT Acréscimo sobre férias de 1/3 Art. 7º, inciso XVII, da CF 13º Salário Lei nº 4.090/62, Art. 3º Memória de Cálculo: Salário família 1 cota valor R$ 22,00 (tabela) : 30 = 0,73 x 25(dias) = R$ 18,33 (valor a pagar) Férias proporcionais 2/12avos = R$ 650,00 : 12 = R$ 54,17 x 2 (meses trabalhado) = R$ 108,33 (valor a pagar) 1/3 sobre férias: R$ 108,33 : 3 = R$ 36,11 13 º Salário 2/12avos = R$ 650,00 : 12 = R$ 54,17 x 2(meses trabalhado) = R$ 108,33 (valor a pagar) Saldo de salário = R$ 650,00 : 30 = 21,67 x 25 dias = R$541,67 Descontos: INSS sobre saldo de salário R$ 541,67 x 8% = R$ 43,33 INSS sobre 13º salário R$108,33 x 8% = R$ 8,67 Indenização, nos termos do Art. 480 da CLT, o empregado é obrigado a indenizá-lo por metade até o término do contrato; trabalhou 50 dias, faltando 10 dias para completar o contrato de experiência de 60(contrato) 50(dias trabalhado) = 10 : 2 = 5 dias a indenizar. Salário R$ 650,00 : 30 = 21,67 x 5 dias = R$ 108,35 ( valor a indenizar) Prazo para pagamento: 04/09//2011. Término do contrato de experiência séria: 04/09/2011 e pagamento em 05/09/2011 Neste caso o prazo é o que acontecer primeiro os 10 dias corridos, ou o 1º dia útil imediato ao término do contrato de experiência. 14

15 RESCISÃO POR PEDIDO DE DEMISSÃO COM MENOS DE 1 ANO: Informações para Cálculo: Admissão: Afastamento: Salário R$ 950,00/Mês Dependente - 02 (esposa e filho menor de 14 anos) Solicitou demissão e cumpriu o aviso prévio no período de a Data base - 1º de Janeiro Cód. Afastamento - Não DIREITOS FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Saldo de Salário Art. 462 da CLT Salário Família Lei nº 8.213/91, arts. 65 e 70 Férias proporcionais Art. 147 da CLT Acréscimo sobre férias de 1/3 Art. 7º, inciso XVII, da CF 13º Salário Lei nº 4.090/62, art. 3º Memória de Cálculo: Salário família não tem direito (salário contratual maior do que o salário de contribuição). Férias proporcionais 10/12avos = R$ 950,00 : 12 = 79,17 x 10(meses trabalhado) = R$ 791,67 (valor a pagar) 1/3 sobre férias = R$ 791,67 : 3 = R$ 263,89 13 º Salário 10/12avos = R$ 950,00 : 12 = R$ 79,17 x 10(meses trabalhado) = R$ 791,67 (valor a pagar) Saldo de salário = R$ 950,00 : 30 = R$ 31,67 x 16 dias = R$ 506,67 Descontos: INSS sobre saldo de salário R$ 506,67 x 8% = R$ 40,53 INSS sobre 13º salário R$ 791,67 x 8% = 63,33 Prazo para pagamento: até o décimo dia contado da data da notificação da demissão. Caso a data ocorra em dia não útil (sábado, domingo ou feriado) o pagamento deverá ser antecipado para o dia útil imediatamente anterior. 15

16 RESCISÃO POR PEDIDO DE DEMISSÃO COM MAIS DE 1 ANO: Informações para Cálculo: Admissão: Afastamento: Salário R$ 1.950,00/Mês Total de 40 Horas Extras a 50% No mês de Nov/11, recebeu R$ 975,00 de adiantamento de 13º salário. Férias vencidas - não gozadas Total de 13 faltas não abonadas da seguinte forma: Fev/11 teve 4 faltas; Jul/11 teve 2 faltas; Out/11 teve 4 faltas; Nov/11 teve 3 faltas.. Aviso prévio - indenizado Dependente - 02 (esposa e filho menor de 14 anos) Data base - 1º de Janeiro DIREITOS FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Saldo de Salário Art. 462 da CLT Salário Família Lei nº 8.213/91, arts. 65 e 70 Férias Vencidas Art. 146 da CLT Férias proporcionais Art. 147 da CLT Acréscimo sobre férias de 1/3 Art. 7º, inciso XVII, da CF 13º Salário Lei nº 4.090/62, art. 3º Horas Extras Art. 59 da CLT Memória de Cálculo: Salário família não tem direito (salário contratual maior do que o salário de contribuição). Férias vencidas 30 dias teve 06 faltas não abonadas Sal. R$ 1.950,00 : 30 = R$ 65,00 x 24 = R$ 1.560,00 Férias proporcionais 04/12avos 04/12avos de 24 dias = 24 : 12 = 2 x 4 = 8 dias R$ 1.950,00 : 30 = R$ 65,00 x 8 dias = R$ 520,00 R$ 1.950,00 : 12 = R$ 162,50 x 4 = R$ 650,00 : 30 = R$ 21,67 x 24dias = R$ 520,00 1/3 sobre férias: R$ 2.080,00 : 3 = R$ 693,33 13 º Salário 12/12avos = 1.950,00 (valor a pagar) Saldo de salário = R$ 1.950,00 : 30 = R$ 65,00 x 16 dias = R$1.040,00 Horas extras a 50% = R$ 1.950,00 (Salário) : 220 (jornada mensal) = R$ 8,86 (valor da hora normal) x 1.50 (HE 50%) = R$ 13,30 x 40 (total de horas) = R$ 531,82 (valor a pagar). DSR = (salário/220 x total de HEx1.50) número de dias úteis DSR = (1.950,00/220=8,86 x 1.50 x 40 ) = 531,82/14= R$ 37,99 14 Descontos: INSS sobre saldo de salário R$ 1.609,81 x 9% = R$ 144,88 INSS sobre 13º salário R$ 1.950,00 x 9% = R$ 175,50 Aviso Prévio 30 dias = R$ 1.950,00 Adiantamento 13º Salário = R$ 975,00 Prazo para pagamento: até o décimo dia contado da data da notificação da demissão. Caso a data ocorra em dia não útil (sábado, domingo ou feriado) o pagamento deverá ser antecipado para o dia útil imediatamente anterior. 16

17 RESCISÃO SEM JUSTA CAUSA COM MENOS DE 1 ANO: Informações para Cálculo: Admissão: Afastamento: Salário R$ 1.550,00/Mês Função eletricista industrial com direito a adicional de periculosidade Total de 05 faltas não abonadas. Aviso prévio - indenizado Dependente - 03 (esposa e filho menor de 14 anos) Rescisão paga e homologada no dia Data base - 1º de Janeiro FGTS para fins rescisório atualizado até out/2011 R$ 1.612,00 Empréstimo consignado - saldo devedor de R$ 2.888,80. DIREITOS FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Saldo de Salário Art. 462 da CLT Aviso Prévio Art. 487 da CLT Periculosidade Art. 193 da CLT Indenização antes da data base Lei 7.238/84, art. 9º Multa por atraso de pagamento Art. 477, 8º da CLT Férias Vencidas Art. 146 da CLT Férias proporcionais Art. 147 da CLT Acréscimo sobre férias de 1/3 Art. 7º, inciso XVII, da CF 13º Salário Lei nº 4.090/62, art. 3º Memória de Cálculo: Salário família não tem direito Maior remuneração: R$ 1.550,00(salário) + R$ 465,00 (ad. de periculosidade 30%) = R$ 2.015,00 Férias proporcionais: 10 meses + 1 mês sobre aviso prévio projetado R$ 2.015,00 : 12 avos = R$ 167,92 x 10 (meses trabalhado) = R$ 1.679,17 (valor a pagar) R$ 2.015,00 : 12 avos = R$ 167,92 (1 avo sobre aviso prévio projetado) valor a pagar 1/3 sobre férias: R$ 1.847,09 : 3 = R$ 615,70 13 º Salário 10/12avos + 1 mês sobre aviso prévio projetado Remuneração R$ 2.015,00 : 12 = R$ 167,92 x 10 (meses trabalhado) = R$ 1.679,17 (valor a pagar) R$ 2.015,00 : 12 avos = R$ 167,92 (1 avo sobre aviso prévio projetado) valor a pagar Saldo de salário = R$ 1.550,00 : 30 = R$ 51,67 x 10 dias = R$ 516,67 Adicional de Periculosidade 30% do Sal. Contratual = 1.550,00 x 30% = 465,00 : 30 = x 10(dias trabalhado) = R$ 155,00 (valor a pagar) Indenização antes da data base R$ 2.015,00 Valor liquido da rescisão menos os descontos aplica-se 30% Descontos: INSS sobre saldo de salário R$ 671,67 x 8% = R$ 53,73 INSS sobre 13º salário R$ 1.679,17 x 9% = R$ 151,13 Valor liquido da rescisão R$ ,07 53,73 151,13 = R$ ,21 x 30% = R$ 3.184,56 Prazo para pagamento: até o décimo dia contado da data da notificação da demissão. Caso a data ocorra em dia não útil (sábado, domingo ou feriado) o pagamento deverá ser antecipado para o dia útil imediatamente anterior. 17

18 RESCISÃO SEM JUSTA CAUSA COM MAIS DE 1 ANO: Informações para Cálculo: Admissão: Afastamento: Salário R$ 4.180,00/Mês Férias vencidas - todas gozadas Aviso prévio - indenizado Dependente - 03 (esposa e filho menor de 14 anos) Recebeu auxilio doença no período de a Convenção Coletiva assegura: O empregado que tiver mais de 3 anos de serviço na mesma empresa, terá direito o percentual de 3% sobre o salário base do empregado, que será pago a título de triênio mensalmente. Aviso prévio de 90 dias para o empregado com mais de 15 anos de serviço na mesma empresa. Data base - 1º de Maio FGTS saldo para fins rescisório atualizado até nov/2011 R$ ,98 DIREITOS FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Saldo de Salário Art. 462 da CLT Aviso Prévio Art. 487 da CLT Triênio Convenção Coletiva Férias Vencidas Art. 146 da CLT Férias proporcionais Art. 147 da CLT Acréscimo sobre férias de 1/3 Art. 7º, inciso XVII, da CF 13º Salário Lei nº 4.090/62, art. 3º Memória de Cálculo: Salário família não tem direito Maior remuneração: R$ 4.180,00(salário) + R$ 125,40 (triênio 3% ) = R$ 4.305,40 Férias proporcionais: 11 meses + 3 meses sobre aviso prévio projetado R$ 4.305,40 : 12 avos = R$ 358,78 x 11 (meses trabalhado) = R$ 3.946,62 (valor a pagar) R$ 4.305,40 : 12 avos = R$ 358,78 x (3 avos sobre aviso prévio projetado) = R$ 1.076,34 valor a pagar 1/3 sobre férias: R$ 5.022,96 : 3 = R$ 1.674,32 Aviso prévio Proporcional 75 dias = Remuneração R$ 4.305,40/30x75 = R$ ,50 90 dias = Remuneração R$ 4.305,40/30x90 = R$ ,20 (mais vantajoso) 13 º Salário 3 meses sobre aviso prévio projetado Remuneração R$ 4.305,40 : 12 = 358,78 x (3 avos sobre aviso prévio projetado) = R$ 1.076,34 Saldo de salário = 4.180,00 : 30 = 139,33 x 28 dias = R$ 3.901,33 Triênio 3% sobre o saldo de salário =R$ 3.901,33 x 3% = R$ 117,04 Descontos: INSS sobre saldo de salário R$ 4.018,37 x 11% = R$ 430,78 INSS sobre 13º salário = 0,00 IRRF sobre Saldo salário e triênio R$ 157,40 IRRF sobre 13º Salário Isento Demonstrativo de cálculo: Imposto de Renda na Fonte Verbas Rendimentos (R$ ) 13º Salário (R$) Saldo de salário 3.901,33 Triênio 117,78. INSS - 430,78 3 Dependentes - 493,68 Valor Liquido para tabela 2.976,87 Isento Alíquota da tabela 15% Resultado 446,53 Parcela a deduzir da tabela - 306,80 Imposto de renda na fonte 157,40 18

19 RESCISÃO POR JUSTA CAUSA COM MENOS DE 1 ANO: DIREITOS FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Saldo de Salário Art. 462 da CLT Horas Extras Art. 59 da CLT Salário Família Lei nº 8.213/91, arts. 65 a RESCISÃO POR JUSTA CAUSA COM MAIS DE 1 ANO: DIREITOS FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Saldo de Salário Art. 462 da CLT Férias Vencidas Art. 146 da CLT Acréscimo sobre férias de 1/3 Art. 7º, inciso XVII, da CF Horas Extras Art. 59 da CLT Salário Família Lei nº 8.213/91, arts. 65 a RESCISÃO POR APOSENTADORIA: DIREITOS FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Saldo de Salário Art. 462 da CLT 13º Salário Lei nº 4.090/62, art. 3º Férias Vencidas Art. 146 da CLT Férias proporcionais Art. 147 da CLT Acréscimo sobre férias de 1/3 Art. 7º, inciso XVII, da CF Horas Extras Art. 59 da CLT Salário Família Lei nº 8.213/91, arts. 65 a 70 Não dá o direito o empregador a rescindir o contrato de trabalho por motivo da aposentadoria, seja ela por idade, integral ou proporcional, caso ocorra o desligamento as verbas rescisórias será quitada semelhante a dispensa sem justa causa, inclusive o código de saque para o FGTS será RESCISÃO POR MORTE DO EMPREGADO: A morte do empregado extingue, automaticamente, a relação de emprego. O cálculo das verbas rescisórias por morte do empregado que será pago aos dependentes que é semelhante ao pedido de demissão, código de saque para o FGTS será 23. DIREITOS FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Saldo de Salário Art. 462 da CLT Férias Vencidas Art. 146 da CLT Férias proporcionais Art. 147 da CLT Acréscimo sobre férias de 1/3 Art. 7º, inciso XVII, da CF 13º Salário Lei nº 4.090/62, art. 3º Horas Extras Art. 59 da CLT Salário Família Lei nº 8.213/91, arts. 65 a 70 19

20 RESCISÃO POR MORTE DO EMPREGADO NO CURSO DO AVISO PREVIO: A rescisão do contrato de trabalho do empregado dispensado sem justa causa, que falece durante o aviso prévio trabalhado ou indenizado, não sofrerá qualquer alteração, permanecendo como dispensa sem justa causa, inclusive o código de saque para o FGTS será 01. DIREITOS FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Saldo de Salário Art. 462 da CLT Aviso Prévio caso for indenizado Art. 487 da CLT 13º Salário Lei nº 4.090/62, art. 3º Férias Vencidas Art. 146 da CLT Férias proporcionais Art. 147 da CLT Acréscimo sobre férias de 1/3 Art. 7º, inciso XVII, da CF Horas Extras Art. 59 da CLT Salário Família Lei nº 8.213/91, arts. 65 a 70 Direitos a serem pagos: o cônjuge; o companheiro (a); os pais RESCISÃO POR RECLUSÃO DO EMPREGADO: Durante o período em que se encontra preso o empregado, o contrato de trabalho permanecerá suspenso, devendo a empresa requerer à autoridade competente certidão do seu recolhimento à prisão. Cabe a empresa suspender o contrato de trabalho até a sua liberdade; A empresa poderá adotar a dispensa sem justa causa, neste caso é necessário que o notifique de sua rescisão contratual na prisão; A empresa optando pela demissão por justa causa, conforme determina o art. 482, letra d, da CLT, deverá observar dois requisitos: a) sentença condenatória transitada em julgado; e b) inexistência de suspensão de execução da pena. Trata-se da suspensão condicional da pena sursis RESCISÃO INDIRETA DO CONTRATO DE TRABALHO: Se origina da falta grave praticada pelo empregador na relação de trabalho, prevista na legislação como justo motivo para rompimento do vínculo empregatício por parte do empregado. Art O empregado poderá considerar rescindido o contrato e pleitear a devida indenização quando: a) forem exigidos serviços superiores às suas forças, defesos por lei, contrários aos bons costumes, ou alheios ao contrato; b) for tratado pelo empregador ou por seus superiores hierárquicos com rigor excessivo; c) correr perigo manifesto de mal considerável; d) não cumprir o empregador as obrigações do contrato; e) praticar o empregador ou seus prepostos, contra ele ou pessoas de sua família, ato lesivo da honra e boa fama; f) o empregador ou seus prepostos ofenderem-no fisicamente, salvo em caso de legítima defesa, própria ou de outrem; g) o empregador reduzir o seu trabalho, sendo este por peça ou tarefa, de forma a afetar sensivelmente a importância dos salários. 20

RESCISÃO DO CONTRATO DE TRABALHO E SUA ALTERAÇÃO

RESCISÃO DO CONTRATO DE TRABALHO E SUA ALTERAÇÃO 1 RESCISÃO DO CONTRATO DE TRABALHO E SUA ALTERAÇÃO Camila Cristina Verly Vieira 1 Márcia Serafim Alves 2 Resumo: Como base sobre o termo rescisório o objetivo é demonstrar as diversas formas de se rescindir

Leia mais

A A CIRCULAÇÃO D O CD OU E-MAIL. receber por e-mail. UTORAIS

A A CIRCULAÇÃO D O CD OU E-MAIL. receber por e-mail. UTORAIS ROTEIRO DO CURSO ROTINAS TRABALHISTAS A A CIRCULAÇÃO O Curso de Rotinas Trabalhistas é composto de 7 módulos que serão remetidos aos cursandos de 15 em 15 dias. AUTORA VERA HELENA PALMA Advogada trabalhista,

Leia mais

ÍNDICE CURSO DE DEPARTAMENTO PESSOAL. DEPARTAMENTO PESSOAL ONLINE www.departamentopessoalonline.com - 3 -

ÍNDICE CURSO DE DEPARTAMENTO PESSOAL. DEPARTAMENTO PESSOAL ONLINE www.departamentopessoalonline.com - 3 - ÍNDICE CURSO DE DEPARTAMENTO PESSOAL INTRODUÇÃO... 008 DISPOSIÇÕES GERAIS... 009 Conceito de empregador... 009 Conceito de empregado... 009 Direitos do empregado... 010 ASSÉDIO MORAL E SEXUAL NO TRABALHO...

Leia mais

Desconto Valor Desconto Valor Desconto Valor 100 Pensão Alimentícia 101 Adiantamento Salarial

Desconto Valor Desconto Valor Desconto Valor 100 Pensão Alimentícia 101 Adiantamento Salarial ANEXO I TERMO DE RESCISÃO DO CONTRATO DE TRABALHO IDENTIFICAÇÃO DO EMPREGADOR 01 CNPJ/CEI 02 Razão Social/Nome 03 Endereço (logradouro, nº, andar, apartamento) 04 Bairro 05 Município 06 UF 07 CEP 08 CNAE

Leia mais

Dispensa Sem Justa Causa. Dispensa com Justa Causa. (**) Culpa Recíproca ou Força Maior. Rescisão Indireta. Pedido de Demissão

Dispensa Sem Justa Causa. Dispensa com Justa Causa. (**) Culpa Recíproca ou Força Maior. Rescisão Indireta. Pedido de Demissão RESCISÃO DE CONTRATO DE TRABALHO VERBAS RESCISÓRIAS (Antes de qualquer procedimento rescisório, importante ler os cuidados especiais ao final Verbas adicionais) Dispensa Sem Justa Causa AvisoPrévio Dispensa

Leia mais

PORTARIA MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO Nº 1.057 DE 06.07.2012 D.O.U.: 09.07.2012

PORTARIA MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO Nº 1.057 DE 06.07.2012 D.O.U.: 09.07.2012 PORTARIA MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO Nº 1.057 DE 06.07.2012 D.O.U.: 09.07.2012 Altera a Portaria nº 1.621 de 14/07/2010, que aprovou os modelos de Termos de Rescisão do Contrato de Trabalho

Leia mais

GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 1.057, DE 6 DE JULHO DE 2011

GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 1.057, DE 6 DE JULHO DE 2011 DOU Nº 131, segunda-feira, 9 de julho de 2012 Seção 1 Página 108 GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 1.057, DE 6 DE JULHO DE 2011 Altera a Portaria nº 1.621, de 14 de julho de 2010, que aprovou os modelos

Leia mais

DIREITOS E DEVERES:TRABALHADOR E EMPREGADOR

DIREITOS E DEVERES:TRABALHADOR E EMPREGADOR DIREITOS E DEVERES:TRABALHADOR E EMPREGADOR Por intermédio destas informações, o SITRIVESCH tem por finalidade informar o trabalhador de seus direitos/deveres. Importante destacar que o não cumprimento

Leia mais

INFORMATIVO 14/2015 LEI COMPLEMENTAR REGULAMENTA DIREITO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS

INFORMATIVO 14/2015 LEI COMPLEMENTAR REGULAMENTA DIREITO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS Data do boletim informativo Volume 1, Edição 1 Digite o título aqui INFORMATIVO 14/2015 LEI COMPLEMENTAR REGULAMENTA DIREITO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS Lei Complementar nº 150, de 1º de junho de 2015 -

Leia mais

TERMO DE HOMOLOGAÇÃO DE RESCISÃO DE CONTRATO DE TRABALHO

TERMO DE HOMOLOGAÇÃO DE RESCISÃO DE CONTRATO DE TRABALHO TERMO DE RESCISÃO DO CONTRATO DE TRABALHO 01 CNPJ/CEI 02 Razão Social/Nome IDENTIFICAÇÃO DO EMPREGADOR 03 Endereço (logradouro, nº, andar, apartamento) 04 Bairro 05 Município 06 UF 07 CEP 08 CNAE 09 CNPJ/CEI

Leia mais

Auxiliar Jurídico. Módulo IV. Aula 01

Auxiliar Jurídico. Módulo IV. Aula 01 Auxiliar Jurídico Módulo IV Aula 01 1 CÁLCULOS TRABALHISTAS Neste módulo você irá aprender a realizar os cálculos de verbas rescisórias e Liquidação de Sentença. I. VERBAS RESCISÓRIAS Podemos entender

Leia mais

Instruções de Impressão

Instruções de Impressão Instruções de Impressão 1. O modelo deverá ser plano e impresso em papel A4, na cor branca, com 297 milímetros de altura e 210 milímetros de largura em papel com, ao menos, 75 gramas por metro quadrado.

Leia mais

II - Termo de Homologação sem ressalvas - Anexo III; e. III - Termo de Homologação com ressalvas - Anexo IV.

II - Termo de Homologação sem ressalvas - Anexo III; e. III - Termo de Homologação com ressalvas - Anexo IV. PORTARIA N o 1621 DE 14 DE JULHO DE 2010 Aprova modelos de Termos de Rescisão de Contrato de Trabalho e Termos de Homologação. O MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO, no uso das atribuições que lhe

Leia mais

Registro. Pessoal. Fernando Silva da Paixão

Registro. Pessoal. Fernando Silva da Paixão Registro de Pessoal Fernando Silva da Paixão Rescisão por Término do Contrato Determinado O empregado terá direito a: 1. Saldo de salário (art. 462 da CLT art.. 7º, inciso X da CF) 2. Férias vencidas e

Leia mais

Tabela de Incidência INSS/FGTS/IRRF INSS FGTS IR

Tabela de Incidência INSS/FGTS/IRRF INSS FGTS IR Tabela de Incidência INSS/FGTS/IRRF INCIDÊNCIAS RUBRICAS INSS FGTS IR de qualquer natureza, salvo o de férias Sim. Art. 28, I, Lei nº e 1º, art. 457 da CLT Abono pecuniário de férias Arts. 28, 9º, e, 6

Leia mais

Manual Prático Trabalhista e Previdenciário

Manual Prático Trabalhista e Previdenciário Manual Prático Trabalhista e Previdenciário Qual é o prazo para pagamento dos salários dos empregados? R: O pagamento deve ser realizado até o 5º dia útil do mês seguinte. Esta deve ser a data em que deve

Leia mais

Homologação - Contrato de Trabalho SECRETARIA DE RELAÇÕES DO TRABALHO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 3, DE 21 DE JUNHO DE 2002

Homologação - Contrato de Trabalho SECRETARIA DE RELAÇÕES DO TRABALHO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 3, DE 21 DE JUNHO DE 2002 Homologação - Contrato de Trabalho SECRETARIA DE RELAÇÕES DO TRABALHO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 3, DE 21 DE JUNHO DE 2002 Estabelece procedimentos para assistência ao empregado na rescisão de contrato de

Leia mais

Férias Proporcionais Até 5 faltas 6 a 14 faltas 15 a 23 faltas 24 a 32 faltas

Férias Proporcionais Até 5 faltas 6 a 14 faltas 15 a 23 faltas 24 a 32 faltas FÉRIAS ASPECTOS GERAIS Férias é o período de descanso anual, que deve ser concedido ao empregado após o exercício de atividades por um ano, ou seja, por um período de 12 meses, período este denominado

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 3, DE 21 DE JUNHO DE 2002

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 3, DE 21 DE JUNHO DE 2002 SECRETARIA DE RELAÇÕES DO TRABALHO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 3, DE 21 DE JUNHO DE 2002 Estabelece procedimentos para assistência ao empregado na rescisão de contrato de trabalho, no âmbito do Ministério do

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SRT Nº 3, DE 21 DE JUNHO DE 2002.

INSTRUÇÃO NORMATIVA SRT Nº 3, DE 21 DE JUNHO DE 2002. INSTRUÇÃO NORMATIVA SRT Nº 3, DE 21 DE JUNHO DE 2002. Estabelece procedimentos para assistência ao empregado na rescisão de contrato de trabalho, no âmbito do Ministério do Trabalho e Emprego. A SECRETÁRIA

Leia mais

O trabalhador pode começar a trabalhar sem dispor de CTPS? Não. O empregado não poderá ser admitido se não dispuser de CTPS.

O trabalhador pode começar a trabalhar sem dispor de CTPS? Não. O empregado não poderá ser admitido se não dispuser de CTPS. Direitos básicos dos Profissionais de Educação Física PERGUNTAS E RESPOSTAS CTPS Para que serve a Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS)? A CTPS serve como meio de prova: a ) da relação de emprego;

Leia mais

Parte I - Direito do trabalho - parte geral, 1. 1 Evolução histórica, 3 1 Evolução mundial, 3 2 Evolução no Brasil, 4.

Parte I - Direito do trabalho - parte geral, 1. 1 Evolução histórica, 3 1 Evolução mundial, 3 2 Evolução no Brasil, 4. Parte I - Direito do trabalho - parte geral, 1 1 Evolução histórica, 3 1 Evolução mundial, 3 2 Evolução no Brasil, 4 2 Denominação, 6 3 Conceito e divisão da matéria, 8 4 Posição enciclopédica, 9 5 Fontes,

Leia mais

Apostila de 13 Salário. Capacitação e Treinamento 1

Apostila de 13 Salário. Capacitação e Treinamento 1 Apostila de 13 Salário Capacitação e Treinamento 1 Conteúdo 1. DÉCIMO TERCEIRO SALÁRIO... 3 1.1. Contagem de Avos... 3 1.2. Primeira Parcela Pagamento até 30/11... 3 1.3. Empregados não disponíveis durantes

Leia mais

SEMINÁRIO: Homolognet na prática e regras para o aviso prévio

SEMINÁRIO: Homolognet na prática e regras para o aviso prévio SEMINÁRIO: Homolognet na prática e regras para o aviso prévio CHRISTINA PILA Tópicos Propostos Rescisão Contratual: o Novo Aviso Prévio, os Novos Termos de Rescisão e o Homolognet Modalidades de Rescisão

Leia mais

Tabela de incidência Tributária

Tabela de incidência Tributária Tabela de incidência Tributária INCIDÊNCIAS RUBRICAS INSS FGTS IR de qualquer natureza, salvo o de férias Sim. Art. 28, I, Lei nº e 1º, art. 457 da CLT Abono pecuniário de férias Não. Arts. 28, 9º, e,

Leia mais

Tabela de Incidência INSS/FGTS/IRRF INSS FGTS IR

Tabela de Incidência INSS/FGTS/IRRF INSS FGTS IR Tabela de Incidência INSS/FGTS/IRRF INCIDÊNCIAS RUBRICAS INSS FGTS IR de qualquer natureza, salvo o de férias Sim. Art. 28, I, Lei nº e 1º, art. 457 da CLT Abono pecuniário de férias Arts. 28, 9º, e, 6

Leia mais

ATUALIZAÇÃ ÇÃO TRABALHISTA. Alexandre Corrêa

ATUALIZAÇÃ ÇÃO TRABALHISTA. Alexandre Corrêa ATUALIZAÇÃ ÇÃO TRABALHISTA Alexandre Corrêa ATUALIZAÇÃ ÇÃO O TRABALHISTA PROGRAMA EMPREGADO DOMÉSTICO (Aspectos Legais) EMPREGADO DOMÉSTICO A Lei 5859/72 regulamentada pelo Decreto 71885/73 tornou reconhecida

Leia mais

CLÁUSULA TERCEIRA VALE TRANSPORTE

CLÁUSULA TERCEIRA VALE TRANSPORTE CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2005/2006 PELO PRESENTE INSTRUMENTO DE CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO DE UM LADO O SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EMPRESAS DE RÁDIODIFUSÃO DO ESTADO DO PARANÁ, A SEGUIR DENOMINADO

Leia mais

Recursos Humanos. Cálculos de Folha de Pagamento - Férias e Décimo-Terceiro. Férias - Finalidade. Férias - Direito. Patrícia Ramos Palmieri

Recursos Humanos. Cálculos de Folha de Pagamento - Férias e Décimo-Terceiro. Férias - Finalidade. Férias - Direito. Patrícia Ramos Palmieri Recursos Humanos Patrícia Ramos Palmieri Cálculos de Folha de Pagamento - Férias e Décimo-Terceiro 1 Férias - Finalidade A finalidade básica da concessão das férias é o restabelecimento das forças físicas

Leia mais

13º SALARIO Posteriormente, a Constituição Federal de 1988, em seu art. 7º,

13º SALARIO Posteriormente, a Constituição Federal de 1988, em seu art. 7º, 13º SALARIO Trabalhadores beneficiados Farão jus ao recebimento do 13º salário os seguintes trabalhadores: a) empregado - a pessoa física que presta serviços de natureza urbana ou rural à empresa, em caráter

Leia mais

ANEXO XV INSTRUÇÃO NORMATIVA INSS/PRES Nº 27, DE 30 DE ABRIL DE 2008 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 20/INSSPRES, DE 10 DE OUTUBRO DE 2007

ANEXO XV INSTRUÇÃO NORMATIVA INSS/PRES Nº 27, DE 30 DE ABRIL DE 2008 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 20/INSSPRES, DE 10 DE OUTUBRO DE 2007 ANEXO XV INSTRUÇÃO NORMATIVA INSS/PRES Nº 27, DE 30 DE ABRIL DE 2008 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 20/INSSPRES, DE 10 DE OUTUBRO DE 2007 PERFIL PROFISSIOGRÁFICO PREVIDENCIÁRIO PPP I-SEÇÃO DE DADOS ADMINISTRATIVOS

Leia mais

Tabela de Incidência INSS/FGTS/IRRF

Tabela de Incidência INSS/FGTS/IRRF Tabela de Incidência INSS/FGTS/IRRF INCIDÊNCIAS RUBRICAS INSS FGTS IR de qualquer natureza, salvo o de férias Sim. Art. 28, I, Lei nº e 1º, art. 457 da Abono pecuniário de férias Não. Arts. 28, 9º, e,

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2006 SESCOOP SINDAF/DF

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2006 SESCOOP SINDAF/DF ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2006 SESCOOP SINDAF/DF ACORDO COLETIVO DE TRABALHO, que celebram de um lado, o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo SESCOOP NACIONAL - CNPJ N.º 03.087.543/0001-86,

Leia mais

Módulo de Rescisão. Passaremos a explicar abaixo os campos da tela do cálculo da rescisão:

Módulo de Rescisão. Passaremos a explicar abaixo os campos da tela do cálculo da rescisão: Módulo de Rescisão Para calcular a rescisão, é necessário informar para quem se deseja calcular (Código, Divisão, Tomador), depois informar tipo de dispensa, data de aviso prévio, data de pagamento, dias

Leia mais

FUNDAMENTAÇÃO LEGAL APLICÁVEL NAS RESCISÕES DOS CONTRATOS DE TRABALHO

FUNDAMENTAÇÃO LEGAL APLICÁVEL NAS RESCISÕES DOS CONTRATOS DE TRABALHO FUNDAMENTAÇÃO LEGAL APLICÁVEL NAS RESCISÕES DOS CONTRATOS DE TRABALHO ANOTAÇÃO CTPS NA EMPREGADO DISPENSADO, SEM JUSTA CAUSA, NO PERÍODO DE 30 DIAS QUE ANTECEDE A DATA DE SUA CORREÇÃO SALARIAL MULTA DO

Leia mais

Capítulo I Seção I Disposições preliminares

Capítulo I Seção I Disposições preliminares INSTRUÇÃO NORMATIVA SRT N o 15, DE 14 DE JULHO DE 2010. Estabelece procedimentos para assistência e homologação na rescisão de contrato de trabalho. A SECRETÁRIA DE RELAÇÕES DO TRABALHO DO MINISTÉRIO DO

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Página 1 de 7 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC002511/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR053502/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.005004/2012-32 DATA

Leia mais

Capítulo III Informações Financeiras 93

Capítulo III Informações Financeiras 93 4.9 - MOVIMENTAÇÃO Informar a movimentação, com as datas de afastamento e retorno, no formato DD/MM/AAAA, bem como o código, conforme as situações discriminadas no quadro a seguir: Cód H I1 I2 I3 I4 J

Leia mais

INSS/FGTS/IRRF - TABELA DE INCIDÊNCIAS Tabela de incidências

INSS/FGTS/IRRF - TABELA DE INCIDÊNCIAS Tabela de incidências INSS/FGTS/IRRF - TABELA DE INCIDÊNCIAS Tabela de incidências Evento Descrição INSS FGTS IRRF Abonos de qualquer natureza Acidente de Trabalho - Típico - Trajeto - Doença Laboral Acidente de Trabalho -

Leia mais

MANUAL DOS DIREITOS DOS COMERCIÁRIOS

MANUAL DOS DIREITOS DOS COMERCIÁRIOS 11. DIREITOS NA HORA DA DEMISSÃO É de fundamental importância saber quais os direitos dos trabalhadores na hora da rescisão do contrato de trabalho. Devese ter especial atenção no caso de demissões sem

Leia mais

ROTINAS TRABALHISTAS. MÓDULO 2 f Preencher ficha de salário-família Valor da Cota Início do Pagamento

ROTINAS TRABALHISTAS. MÓDULO 2 f Preencher ficha de salário-família Valor da Cota Início do Pagamento ROTINAS TRABALHISTAS MÓDULO 1 Conceitos Introdutórios Empregador Grupo de Empresas Empresas Terceirizadas Franquia Cooperativa de Trabalho Empregador Rural Documentação do Empregador Empregado Demais Trabalhadores

Leia mais

DÉCIMO TERCEIRO SALÁRIO 1ª Parcela

DÉCIMO TERCEIRO SALÁRIO 1ª Parcela DÉCIMO TERCEIRO SALÁRIO 1ª Parcela Sumário 1. Introdução 2. Quem Tem Direito 3. Valor a Ser Pago 3.1 - Empregados Admitidos Até 17 de Janeiro 3.2 - Empregados Admitidos Após 17 de Janeiro 3.3 - Empregados

Leia mais

DEPARTAMENTO PESSOAL

DEPARTAMENTO PESSOAL DEPARTAMENTO PESSOAL DÚVIDAS MAIS FREQUENTES 1 1. Documentos necessários para admissão Para o processo de admissão, o novo funcionário deverá apresentar a relação de documentos abaixo: *Carteira de Trabalho

Leia mais

INSS/FGTS/IRRF TABELA DE INCIDÊNCIAS

INSS/FGTS/IRRF TABELA DE INCIDÊNCIAS INSS/FGTS/IRRF TABELA DE INCIDÊNCIAS Abonos de qualquer natureza Evento Descrição INSS FGTS IRRF Acidente de Trabalho - Típico - Trajeto - Doença Laboral Acidente de Trabalho - Típico - Trajeto - Doença

Leia mais

MANUAL CÁLCULOS RESCISÓRIOS

MANUAL CÁLCULOS RESCISÓRIOS MANUAL DE CÁLCULOS RESCISÓRIOS Elaborado por: Josenias Falcão Filho Fortaleza-Ceará APRESENTAÇÃO A legislação trabalhista é muito complexa e requer aperfeiçoamento continuado para uma boa prática. Pensando

Leia mais

CAPÍTULO 2 CONTRATO DE TRABALHO 23 I. Noções """"'''' 23 2. Classificaçãodos contratos de trabalho """""""""""""""'''''' 24

CAPÍTULO 2 CONTRATO DE TRABALHO 23 I. Noções '''' 23 2. Classificaçãodos contratos de trabalho '''''' 24 CAPÍTULO 1 NOÇÕES DE DIREITO DO TRABALHO 1 I. Conceito................. I 2. Natureza e autonomia I Competência para legislar sobre Direito do Trabalho 2 Normas de Direito do Trabalho 3 1. Normas Trabalhistas

Leia mais

Encontros Regionais de Homologadores do Plano da CNTI

Encontros Regionais de Homologadores do Plano da CNTI Encontros Regionais de Homologadores do Plano da CNTI Secretarias 3ªSec.R Sul 1ºEncontro 3ªSec.R Sudeste 2º Encontro 2ªSec.R Sudeste 3º Encontro 3ªSec.R Nordeste 6º Encontro Sec.Centro-Oeste 4º Encontro

Leia mais

Base Legal (Perguntas e Respostas 02.01)

Base Legal (Perguntas e Respostas 02.01) HOMOLOGNET Base Legal (Perguntas e Respostas 02.01) Portaria Nº 1.620, de 14/07/2010: Institui o sistema Homolognet; Portaria Nº 1.621, de 14/07/2010: Aprova modelos de TRCT e Termos de Homologação; Instrução

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL RIO ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO DE ASSUNTOÁBEIS DE PORTO ALEGRESEMINÁRIO

CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL RIO ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO DE ASSUNTOÁBEIS DE PORTO ALEGRESEMINÁRIO Le f is c L e g i s l a c a o F i s c a l CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL MINÁRIO DE ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁ RIO ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO DE

Leia mais

PARTE I ROTINAS TRABALHISTAS

PARTE I ROTINAS TRABALHISTAS PARTE I ROTINAS TRABALHISTAS Capítulo 1 Recrutamento... 3 1.1 Possíveis ocorrências de recrutamento... 4 1.1.1 Ampliação do quadro de pessoal... 4 1.1.2 Desligamento de empregado... 5 1.1.3 Promoção...

Leia mais

Cálculos Protheus SIGAGPE - Brasil

Cálculos Protheus SIGAGPE - Brasil Rotina de Férias Sumário Calculo de Férias Abono Pecuniário Períodos consecutivos Licença Remunerada Parâmetros da rotina Id_calculo utilizado Férias em Dobro Férias Empregado com menos de 12 Meses Férias

Leia mais

TIRE SUAS DÚVIDAS SOBRE A SEGUNDA PARCELA DO 13º. 13º Salário - Gratificação Natalina. Adiantamento do 13º Salário nas férias

TIRE SUAS DÚVIDAS SOBRE A SEGUNDA PARCELA DO 13º. 13º Salário - Gratificação Natalina. Adiantamento do 13º Salário nas férias 1 TIRE SUAS DÚVIDAS SOBRE A SEGUNDA PARCELA DO 13º - Gratificação Natalina A Gratificação de Natal, popularmente conhecida como, foi instituída pela Lei 4.090, de 13/07/1962, regulamentada pelo Decreto

Leia mais

15 - BASES DE INCIDÊNCIA E NÃO INCIDÊNCIA

15 - BASES DE INCIDÊNCIA E NÃO INCIDÊNCIA 15 - BASES DE INCIDÊNCIA E NÃO INCIDÊNCIA 15.1 - Integram a remuneração para fins de cálculos dos valores devidos à Previdência Social e a serem recolhidos para o FGTS, dentre outras, as seguintes parcelas:

Leia mais

PAUTA DE REVINDICAÇÃO - 2015/2016 ELENCO DE REIVINDICAÇÃO DOS TRABALHADORES DO SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM RURAL AR/DF

PAUTA DE REVINDICAÇÃO - 2015/2016 ELENCO DE REIVINDICAÇÃO DOS TRABALHADORES DO SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM RURAL AR/DF PAUTA DE REVINDICAÇÃO - 2015/2016 ELENCO DE REIVINDICAÇÃO DOS TRABALHADORES DO SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM RURAL AR/DF CLÁUSULA PRIMEIRA VIGÊNCIA E DATA-BASE As partes fixam a vigência do presente

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2004/2005

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2004/2005 GOVERNO DO ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA AGRICULTURA E POLIÍTICA RURAL - DAR CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DO ESTADO DE SANTA CATARINA S.A - CEASA/SC ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2004/2005

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC002716/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 16/11/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR064091/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.006426/2015-78 DATA DO

Leia mais

EMPREGADO DOMÉSTICO INOVAÇÕES LEGISLATIVAS DA LEI COMPLEMENTAR 150 CAPÍTULO I PRINCIPAIS EVOLUÇÕES LEGISLATIVAS A categoria dos empregados domésticos tem como principais regulamentações legislativas, por

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR001621/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 17/05/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR020706/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.008089/2011-29 DATA DO

Leia mais

Direitos do(a) Empregado(a) Doméstico(a)

Direitos do(a) Empregado(a) Doméstico(a) Direitos do(a) Empregado(a) Doméstico(a) Carteira de Trabalho e Previdência Social, devidamente anotada Devidamente anotada, especificando- se as condições do contrato de trabalho (data de admissão, salário

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2008/2009

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2008/2009 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2008/2009 Data-base - Maio/2008 BR 101 Km 205 Barreiros São José SC 1 Pelo presente instrumento, de um lado a Centrais de Abastecimento do Estado de Santa Catarina S.A - CEASA/SC,

Leia mais

Dúvidas frequentes Direitos e deveres do trabalhador

Dúvidas frequentes Direitos e deveres do trabalhador Dúvidas frequentes Direitos e deveres do trabalhador A Personale Consultoria em Recursos Humanos compilou as principais dúvidas referentes aos direitos e deveres dos trabalhadores no Brasil, baseado no

Leia mais

Ministério do Trabalho e Emprego

Ministério do Trabalho e Emprego . ANEXO I TERMO DE RESCISÃO DO CONTRATO DE TRABALHO IDENTIFICAÇÃO DO EMPREGADOR 01 CNPJ/CEI 02 Razão Social/Nome 03 Endereço (logradouro, nº, andar, apartamento) 04 Bairro 05 Município 06 UF 07 CEP 08

Leia mais

DIREITOS DO TRABALHADOR NA RESCISÃO DO CONTRATO

DIREITOS DO TRABALHADOR NA RESCISÃO DO CONTRATO Autora: Idinéia Perez Bonafina Escrito em julho/2015 DIREITOS DO TRABALHADOR NA RESCISÃO DO CONTRATO 1. DIREITOS DO TRABALHADOR NA RESCISÃO DO CONTRATO O presente artigo abordará os direitos do trabalhador

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000787/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 18/05/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR024630/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.008066/2015-98 DATA

Leia mais

Lição 11. Fundo de Garantia do Tempo de Serviço - FGTS

Lição 11. Fundo de Garantia do Tempo de Serviço - FGTS Lição 11. Fundo de Garantia do Tempo de Serviço - FGTS (Lei nº 8.036, de 11/5/90, e Decreto nº 99.684, de 8/11/90). 11.1. CONSIDERAÇÕES GERAIS O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) é uma conta

Leia mais

ANEXO XV INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 45 INSS/PRES, DE 6 DE AGOSTO DE 2010 PERFIL PROFISSIOGRÁFICO PREVIDENCIÁRIO PPP

ANEXO XV INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 45 INSS/PRES, DE 6 DE AGOSTO DE 2010 PERFIL PROFISSIOGRÁFICO PREVIDENCIÁRIO PPP ANEXO XV INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 45 INSS/PRES, DE 6 DE AGOSTO DE 2010 PERFIL PROFISSIOGRÁFICO PREVIDENCIÁRIO PPP DADOS ADMINISTRATIVOS 1-CNPJ do Domicílio 2-Nome Empresarial: Tributário/CEI: 3- CNAE: 4-Nome

Leia mais

PORTARIA MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO Nº 1.057 DE 06.07.2012 D.O.U.: 09.07.2012

PORTARIA MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO Nº 1.057 DE 06.07.2012 D.O.U.: 09.07.2012 PORTARIA MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO Nº 1.057 DE 06.07.2012 D.O.U.: 09.07.2012 Altera a Portaria nº 1.621, de 14 de julho de 2010, que aprovou os modelos de Termos de Rescisão do Contrato

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000953/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 10/06/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR029282/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.009097/2013-02 DATA DO

Leia mais

RESCISÃO DE CONTRATO

RESCISÃO DE CONTRATO RESCISÃO DE CONTRATO MTE altera novamente Portaria 1.621 que aprovou novos Termos de Rescisão O Ministério do Trabalho e Emprego, através da Portaria 1.057, de 6-7-2012, publicada no Diário Oficial de

Leia mais

HORAS EXTRAS E SEUS REFLEXOS TRABALHISTAS

HORAS EXTRAS E SEUS REFLEXOS TRABALHISTAS CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL MINÁRIO DE ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO DE ASSUNTOÁBEIS DE PORTO ALEERIO PALESTRA HORAS

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010 Termo de CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO que entre si fazem, o Sindicato dos Empregados em Edifícios e em Empresas de Compra, Venda Locação e Administração de Imóveis

Leia mais

FUNDAMENTAÇÃO LEGAL APLICÁVEL NAS RESCISÕES DOS CONTRATOS DE TRABALHO

FUNDAMENTAÇÃO LEGAL APLICÁVEL NAS RESCISÕES DOS CONTRATOS DE TRABALHO FUNDAMENTAÇÃO LEGAL APLICÁVEL NAS RESCISÕES DOS CONTRATOS DE TRABALHO ANOTAÇÃO CTPS NA EMPREGADO DISPENSADO, SEM JUSTA CAUSA, NO PERÍODO DE 30 DIAS QUE ANTECEDE A DATA DE SUA CORREÇÃO SALARIAL MULTA DO

Leia mais

Recursos Humanos Patrícia Ramos Palmieri. A elaboração da folha de pagamento. Folha de Pagamento. Folha de Pagamento

Recursos Humanos Patrícia Ramos Palmieri. A elaboração da folha de pagamento. Folha de Pagamento. Folha de Pagamento Recursos Humanos Patrícia Ramos Palmieri A elaboração da folha de pagamento A é o documento que contabiliza os valores que o empregado tem direito de receber e os descontos que ele pode sofrer. Obs. Sua

Leia mais

Pessoa ou família que admite a seu serviço empregado doméstico (Decreto nº 71.885/1973, art. 3º, II).

Pessoa ou família que admite a seu serviço empregado doméstico (Decreto nº 71.885/1973, art. 3º, II). FONTE: www.iobonlineregulatorio.com.br EMPREGADO DOMÉSTICO: Considera-se doméstico o empregado que presta serviços de natureza contínua e de finalidade não lucrativa a pessoa ou família, no âmbito residencial

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2009/2010

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2009/2010 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2009/2010 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR002151/2009 DATA DE REGISTRO NO MTE: 26/08/2009 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR026676/2009 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.010071/2009-72 DATA DO

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL Página 1 de 7 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR003924/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR053747/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.011188/2014-31 DATA

Leia mais

As férias serão concedidas em um só período. Somente em casos excepcionais (a lei

As férias serão concedidas em um só período. Somente em casos excepcionais (a lei 12. FÉRIAS 12.1 AQUISIÇÃO DE FÉRIAS O empregado adquire o direito de férias após 12 meses de vigência do contrato de prestação de trabalho. Não é possível conceder férias individuais a empregados com período

Leia mais

Férias Coletivas: AULA 7: terço constitucional

Férias Coletivas: AULA 7: terço constitucional AULA 7: Férias Coletivas: ART. 7º, XVII, CRFB gozo de férias anuais remuneradas com, pelo menos, ⅓ a + do que o salário normal. FÉRIAS = SALÁRIO + ⅓ terço constitucional férias coletivas art. 139 a 141

Leia mais

Parágrafo Único -- Não serão compensados os aumentos decorrentes de promoção, transferência, equiparação salarial e término de aprendizagem.

Parágrafo Único -- Não serão compensados os aumentos decorrentes de promoção, transferência, equiparação salarial e término de aprendizagem. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO CELEBRADA ENTRE O SINDIMVET SINDICATO DOS MÉDICOS VETERINÁRIOS DO ESTADO DE SÃO PAULO e SINPAVET SINDICATO PATRONAL DOS MÉDICOS VETERINÁRIOS DO ESTADO DE SÀO PAULO PERÍODO

Leia mais

- CURSO DE DEPARTAMENTO PESSOAL -

- CURSO DE DEPARTAMENTO PESSOAL - - CURSO DE DEPARTAMENTO PESSOAL - Copyright -Todos os direitos reservados. A reprodução não autorizada destes materiais, no todo ou em parte, constitui violação do direitos autorais. (Lei nº 9.610). 4.

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS Disciplina: Direito do Trabalho II Professora: Cláudia Glênia JUR: MATERIAL APENAS PARA ROTEIRO DISCIPLINAR, NÃO DEVE SER USADO

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR034439/2012 SINDICATO DOS FARMACEUTICOS DO ESTADO DE M GROSSO DO SU, CNPJ n. 15.939.572/0001-08, neste ato representado(a) por seu Presidente,

Leia mais

INQUÉRITO PARA APURAÇÃO DE FALTA GRAVE

INQUÉRITO PARA APURAÇÃO DE FALTA GRAVE ESTABILIDADE ESTABILIDADE DEFINITIVA X ESTABILIDADE PROVISÓRIA (GARANTIA DE EMPREGO) DIRIGENTE SINDICAL Art. 8, VIII CF + Art. 543, 3º CLT + Súmula 369 TST Tanto titulares como SUPLENTES (dirigentes sindicais)

Leia mais

Súmario. Súmario 5 APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO REVISAÇO... 11 CAPÍTULO II SUJEITOS DA RELAÇÃO DE TRABALHO... 77 QUESTÕES... 77

Súmario. Súmario 5 APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO REVISAÇO... 11 CAPÍTULO II SUJEITOS DA RELAÇÃO DE TRABALHO... 77 QUESTÕES... 77 Súmario 5 Súmario APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO REVISAÇO... 11 APRESENTAÇÃO À 2ª EDIÇÃO... 13 CAPÍTULO I INTRODUÇÃO AO DIREITO DO TRABALHO... 15 QUESTÕES... 15 1. Parte histórica... 15 2. Interpretação e integração...

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Page 1 of 10 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS001127/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 01/07/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR029189/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.009709/2013-59

Leia mais

PROPOSTA DE CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 / 2016. São fixados os seguintes salários para admissão a partir de 1º de maio de 2014:

PROPOSTA DE CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 / 2016. São fixados os seguintes salários para admissão a partir de 1º de maio de 2014: PROPOSTA DE CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 / 2016 CLÁUSULA 1ª - DO PISO SALARIAL São fixados os seguintes salários para admissão a partir de 1º de maio de 2014: a) Fica afixado o piso salarial da

Leia mais

MÉTODOS DE PREVENÇÃO CONTRA AÇÕES TRABALHISTAS PREVENÇÃO CONTRA AUTUAÇÕES FISCAIS TRABALHISTAS AUDITORIA INTERNA TRABALHISTA

MÉTODOS DE PREVENÇÃO CONTRA AÇÕES TRABALHISTAS PREVENÇÃO CONTRA AUTUAÇÕES FISCAIS TRABALHISTAS AUDITORIA INTERNA TRABALHISTA MÉTODOS DE PREVENÇÃO CONTRA AÇÕES TRABALHISTAS PREVENÇÃO CONTRA AUTUAÇÕES FISCAIS TRABALHISTAS AUDITORIA INTERNA TRABALHISTA Fiscalização do Trabalho Finalidade: tem por finalidade assegurar, em todo o

Leia mais

Portaria MTE Nº 2685 DE 26/12/2011

Portaria MTE Nº 2685 DE 26/12/2011 Pag. 70 ISSN 1677-7042 Nº 248, terça-feira, 27 de dezembro de 2011 Portaria MTE Nº 2685 DE 26/12/2011 Altera a Portaria nº 1.621, de 14 de julho de 2010, que aprovou os modelos de Termos de Rescisão de

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Page 1 of 10 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC001530/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR022315/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46301.004377/2013-77 DATA

Leia mais

PAUTA DE REVINDICAÇÃO - 2015/2016 ELENCO DE REIVINDICAÇÃO DOS TRABALHADORES DO SESC-AR/DF

PAUTA DE REVINDICAÇÃO - 2015/2016 ELENCO DE REIVINDICAÇÃO DOS TRABALHADORES DO SESC-AR/DF PAUTA DE REVINDICAÇÃO - 2015/2016 ELENCO DE REIVINDICAÇÃO DOS TRABALHADORES DO SESC-AR/DF CLÁUSULA PRIMEIRA VIGÊNCIA E DATA-BASE As partes fixam a vigência do presente Acordo Coletivo de Trabalho no período

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Page 1 of 12 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC001220/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR026338/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46301.004014/2013-31 DATA

Leia mais

(Concessionários e Distribuidores de Veículos de São José, Biguaçú, Palhoça e Santo Amaro da Imperatriz)

(Concessionários e Distribuidores de Veículos de São José, Biguaçú, Palhoça e Santo Amaro da Imperatriz) CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO - 2008/2009 (Concessionários e Distribuidores de Veículos de São José, Biguaçú, Palhoça e Santo Amaro da Imperatriz) Termo de Convenção Coletiva de Trabalho que entre si

Leia mais

PONTO 1: Suspensão do Contrato de Trabalho PONTO 2: Interrupção do Contrato de Trabalho SUSPENSÃO E INTERRUPÇÃO DO CONTRATO DE TRABALHO

PONTO 1: Suspensão do Contrato de Trabalho PONTO 2: Interrupção do Contrato de Trabalho SUSPENSÃO E INTERRUPÇÃO DO CONTRATO DE TRABALHO 1 DIREITO DO TRABALHO PONTO 1: Suspensão do Contrato de Trabalho PONTO 2: Interrupção do Contrato de Trabalho SUSPENSÃO E INTERRUPÇÃO DO CONTRATO DE TRABALHO Exceção ao princípio da continuidade, ao trato

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG000363/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 03/02/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR002753/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.000337/2015-27 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2004/2005 S A N T U R

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2004/2005 S A N T U R ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2004/2005 S A N T U R Termo de Acordo Coletivo de Trabalho, que entre si celebram o SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EMPRESAS DE ASSESSORAMENTO, PERÍCIA, PESQUISA E INFORMAÇÕES

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL 1 de 5 05/11/2014 10:02 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC002761/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 04/11/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR066410/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.007110/2014-12

Leia mais

Direitos do Empregado Doméstico

Direitos do Empregado Doméstico Direitos do Empregado Doméstico Com a aprovação da Emenda Constitucional n 72, que ocorreu em 02/04/2013, o empregado doméstico passou a ter novos direitos. Alguns deles independem de regulamentação e,

Leia mais

01. CTPS - CARTEIRA DE TRABALHO E PREVIDÊNCIA SOCIAL

01. CTPS - CARTEIRA DE TRABALHO E PREVIDÊNCIA SOCIAL 01. CTPS - CARTEIRA DE TRABALHO E PREVIDÊNCIA SOCIAL Trata-se de um documento básico e indispensável do trabalhador, que todo empregador deve exigir no ato da admissão, para proceder às anotações referentes

Leia mais