MANUAL CÁLCULOS RESCISÓRIOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANUAL CÁLCULOS RESCISÓRIOS"

Transcrição

1 MANUAL DE CÁLCULOS RESCISÓRIOS Elaborado por: Josenias Falcão Filho Fortaleza-Ceará

2 APRESENTAÇÃO A legislação trabalhista é muito complexa e requer aperfeiçoamento continuado para uma boa prática. Pensando nisso, o vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Águas Minerais, Cervejas e Bebidas em Geral do Estado do Ceará, Josenias Falcão Filho, elaborou o Manual de Cálculos Rescisórios, para orientar os dirigentes sindicais e agentes homologadores, ampliando os seus conhecimentos e dando-lhes mais segurança no ato da homologação. A capacitação utiliza a metodologia de exposição dialogada e os participantes contam com um manual que foi desenvolvido para acompanhamento durante o evento e como fonte de pesquisa por ocasião da aplicação das informações. A sua estrutura facilita a compreensão dos conceitos e fundamentação legal por ter uma linguagem acessível, uma diversidade de situações práticas com tabelas do direito do trabalho, descontos previdenciário e tributário. O manual será sempre um projeto em construção pela complexidade dos assuntos. Assim, após cada capacitação ele é enriquecido com as oportunidades de melhorias sugeridas pelos participantes. Além disso, o direito trabalhista é bastante extensa e é um ramo do direito em evolução, necessitando de acompanhamento constante. Em razão da nova legislação em vigor, especialmente a lei nº /2011, do Aviso Prévio Proporcional ao Tempo de Serviço, destaca-se a relevância deste trabalho para os dirigentes sindicais, agentes homologadores e trabalhadores que terão garantidos os seus direitos. Por fim, manifesto a minha grata satisfação em colaborar com esta capacitação dos dirigentes sindicais e agentes homologadores, oportunidade em que agradeço a rica troca de experiências que tem acontecido em cada encontro. Fortaleza, 16 de Abril de Josenias Falcão Filho Vice Presidente 2

3 Sumário 1. DIREITO DO TRABALHO Saldo de Salário 5 13º Salário 5 Salário Família 5 Carteira de Trabalho e Previdência Social 5 Indenização Adicional do Empregado Dispensado sem Justa Causa No Período de 30 dias Antes da Data Base 5 Adicional de Insalubridade 5 Adicional Noturno 5 Salário Variável 6 Repouso Semanal ou Descanso Semanal 6 Adicional de Periculosidade 6 Férias 6 Férias Proporcional 6 Férias Coletivas 7 Aviso Prévio Proporcional ao Tempo de Serviço Lei / Entendimento do Aviso Prévio Proporcional ao Tempo de Serviço 8 Nota Técnica nº 184/2012/CGRT/SRT/MTE 8 Decisões Judiciais Aviso Prévio Proporcional ao Tempo de Serviço Decisões Judiciais - Aviso Prévio Cumprido em Casa Decisão Judicial - Contribuição Previdenciária Não Incidência sobre Aviso Prévio Indenizado 12 Modalidade de Aviso Prévio 13 Aviso Prévio Indenizado 13 Aviso Prévio Trabalhado Iniciativa do Empregado 13 Aviso Prévio Trabalhado Iniciativa do Empregador 13 Projeção do Aviso Prévio 13 Registro da Baixa na CTPS FGTS Lei nº 8.036/ Resolução nº 48, de 18 de setembro de Resolução nº 321, de 21 de agosto de 1999 Lei nº /2012 Acesso Mensal do Empregado ESTABILIDADE PROVISÓRIA Membro da CIPA 16 Empregada Gestante 16 Dirigente Sindical 16 Acidente de Trabalho 16 Comissão de Conciliação Prévia 16 Outras Estabilidades RESCISÃO DE CONTRATO DE TRABALHO Prazo para Pagamento das Verbas Rescisórias 16 Multa por Atraso no Pagamento das Verbas Rescisórias 17 Competência para Homologar o TRCT 17 Situações Impeditivas para Homologação 17 Categoria do Trabalhador 18 3

4 Códigos de Movimentações e Códigos de Saque do FGTS Códigos de Movimentação dos Segurados GFIP Códigos de Ocorrência Rescisão por Término de Contrato de Experiência 21 Termo de Rescisão do Contrato de Trabalho 22 Termo de Quitação de Rescisão de Contrato de Trabalho 23 Demonstrativo do Trabalhador de Recolhimento FGTS 24 Rescisão Antecipada do Contrato de Experiência Iniciativa do Empregador 25 Termo de Rescisão do Contrato de Trabalho 26 Termo de Quitação de Rescisão de Contrato de Trabalho 27 Demonstrativo do Trabalhador de Recolhimento FGTS 28 Rescisão Antecipação do Contrato de Experiência Iniciativa do Empregado 29 Termo de Rescisão do Contrato de Trabalho 30 Termo de Quitação de Rescisão de Contrato de Trabalho 31 Rescisão por Pedido de Demissão com mais de 1 ano 32 Termo de Rescisão do Contrato de Trabalho 33 Termo de Homologação de Rescisão de Contrato de Trabalho 34 Rescisão Sem Justa Causa por Iniciativa do Empregador Aviso Prévio Trabalhado 35 Termo de Rescisão do Contrato de Trabalho 36 Termo de Homologação de Rescisão de Contrato de Trabalho 37 Demonstrativo do Trabalhador de Recolhimento FGTS 38 Rescisão sem Justa Causa por Inic. Empregador Aviso Indenizado 39 Termo de Rescisão do Contrato de Trabalho 40 Termo de Homologação de Rescisão de Contrato de Trabalho 41 Demonstrativo do Trabalhador de Recolhimento FGTS 42 Direito Rescisório por Justa Causa com Menos de 1 Ano 43 Direto Rescisório por Justa Causa com Mais de 1 Ano 43 Direito Rescisório por Aposentadoria 43 Rescisão por Morte do Empregado 43 Rescisão por Morte do Empregado no Curso Aviso Prévio 44 Rescisão Indireta do Contrato de Trabalho Rescisão por Reclusão do Empregado Modelo do Formulário Perfil Profissiográfico Previdenciário - PPP TABELAS Contribuição do INSS 49 Salário Família 49 Imposto de Renda na Fonte 49 Imposto de Renda na Fonte sobre PLR 49 Seguro-Desemprego 50 Incidência para INSS, FGTS, IRRF e RAIS REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 56 4

5 1 - Direito do Trabalho Saldo de Salário: corresponde a remuneração relativa ao número de dias em que o empregado efetivamente trabalhou no mês da rescisão. Art. 462 da CLT º Salário: é uma gratificação natalina que corresponde a 1/12 (um doze) avos da remuneração devida em dezembro ou no mês da rescisão, por mês de serviço, nos termos do art. 3º da Lei nº 4.090/62. A fração igual ou superior a 15 (quinze) dias de trabalho será havida como mês integral. As faltas legais e justificadas ao serviço não serão deduzidas para no pagamento do 13º salário Salário Família: constitui um benefício pago pela Previdência Social aos empregados com salário mensal de até R$ 915,05 (valor givente até 31/12/2012), para auxiliar no sustento dos filhos até 14 anos de idade ou inválidos de qualquer idade. Lei nº 8.213/91, arts. 65 a 70. O direito à cota do salário-família é definido em razão da remuneração que seria devida ao empregado no mês, independentemente do número de dias efetivamente trabalhados. Portaria interministerial MPS/MF nº 407 de 14/07/2011, art. 4º 2º Indenização adicional do empregado dispensado sem justa causa no período de 30 dias antes da data base: art. 9º da Lei nº 6.708/79 e 7.238, de 29 de outubro de 1984, garanti o empregado dispensado, sem justa causa, no período de 30 (trinta) dias que antecede a data de sua correção salarial, multa equivalente a um salário mensal Adicional (triênio, produtividade, premio por tempo de serviço e Gratificação) por força de Convenção Coletiva ou Acordo Coletivo: o adicional pago mensalmente de modo habitual, possui natureza salarial, com também, integra a remuneração do trabalhador. Art. 457, 1º, da CLT e Súmula 459 do STF Adicional de Insalubridade: o exercício de trabalho em condições insalubres, acima dos limites de tolerância estabelecidos pelo Ministério do Trabalho, assegura a percepção de adicional de 40% (quarenta por cento), 20% (vinte por cento) e 10% (dez por cento), classificando nos graus máximo, médio e mínimo. Art. 192 da CLT. O Tribunal Superior do Trabalho decidiu, em sessão do Pleno, dar nova redação à Súmula nº 228, definindo o salário básico como base de cálculo para o adicional de insalubridade, a partir da publicação, em 9 de maio de 2008, da Súmula Vinculante nº 4, do STF. O adicional de insalubridade, pago em caráter permanente, integra a remuneração para o cálculo de indenização. Súmula nº 139 do TST Adicional Noturno: trabalho noturno é aquele executado no período entre às 22 horas de um dia e às 5 horas do dia seguinte: O adicional noturno é no mínimo de 20%, sobre a hora diurna, salvo o que se encontra convencionado em Convenção ou Acordo Coletivo. O adicional noturno, pago com habitualidade, integra o salário do empregado para todos os efeitos. Súmula nº 60 do TST. 5

6 1.8 - Salário variável: nenhum empregado poderá receber inferior ao salário mínimo ou piso da categoria, para os que percebem remuneração variável (comissões). Art.7º, inciso III, da CF Repouso semanal ou Descanso semanal: é devida a remuneração do repouso semanal remunerado (RSR) ou descanso semanal remunerado (DSR) e dos dias feriados ao empregado comissionista (Súmula nº 27 TST). Domingo e Feriado no mesmo dia, não serão acumuladas a remuneração do repouso semanal. Decreto nº /49, art. 11, 3º Adicional de Periculosidade: Atividades ou operações perigosas são aquelas que, por sua natureza ou métodos de trabalho, impliquem contato permanente com inflamáveis ou explosivos em condições de risco acentuado. O empregado que trabalha em condições de periculosidade tem direito ao adicional de 30% sobre o seu salário. Art. 193 da CLT Constituição da República Federativa do Brasil de 1988 Art. 7º - São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de outros que visem á melhoria de sua condição social: Inciso XVII gozo de férias anuais remuneradas com, pelo menos, um terço a mais do que o salário normal: Férias: A legislação assegura a todos os trabalhadores um período de descanso, denominado férias. Após cada período de 12 meses de vigência do contrato de trabalho (período aquisitivo). Art. 129 da CLT - Todo empregado terá direito anualmente ao gozo de um período de férias, sem prejuízo da remuneração. Art. 130 da CLT - Após cada período de 12 (doze) meses de vigência do contrato de trabalho, o empregado terá direito a férias, na seguinte proporção. Faltas não Justificadas Até 05 De 06 a 14 De 15 a 23 De 24 a 32 Acima de 32 Gozo de Férias 30 dias corridos 24 dias corridos 18 dias corridos 12 dias corridos Perda do direito Férias Proporcionais - para cada mês trabalhado ou fração igual ou superior a 15 dias, o empregado tem direito a 2,5 dias, que corresponde a 1/12 (um doze) avos de férias. Férias Proporcionais Férias Proporcionais 1/12 avos 2,5 dias 7/12 avos 17,5 dias 2/12 avos 5 dias 8/12 avos 20 dias 3/12 avos 7,5 dias 9/12 avos 22,5 dias 4/12 avos 10 dias 10/12 avos 25 dias 5/12 avos 12,5 dias 11/12 avos 27,5 dias 6/12 avos 15 dias 12/12 avos 30 dias 6

7 Art. 134 da CLT - As férias serão concedidas por ato do empregador, em um só período, nos 12 (doze) meses subseqüentes à data em que o empregado tiver adquirido o direito. Parágrafo 2º - Aos menores de 18 (dezoito) anos e aos maiores de 50 (cinqüenta) anos de idade, as férias serão sempre concedidas de uma só vez Férias Coletivas: As férias coletivas passaram a ser um instrumento de gestão para as empresas em geral. São vários os segmentos de mercado empresarial que apresentam sazonalidades específicas no decorrer do ano, seja por conta das festas de final de ano, entre outros períodos que interferem diretamente na produção e comercialização de determinados produtos. Art. 137 da CLT - Sempre que as férias forem concedidas após o prazo de que trata o art. 134, o empregador pagará em dobro a respectiva remuneração. Art. 139 da CLT - Poderão ser concedidas férias coletivas a todos os empregados de uma empresa ou de determinados estabelecimentos ou setores da empresa. Parágrafo 1º - As férias poderão ser gozadas em 2 (dois) períodos anuais desde que nenhum deles seja inferior a 10 (dez) dias corridos. Parágrafo 2º - Para os fins previstos neste artigo, o empregador comunicará ao órgão local do Ministério do Trabalho, com a antecedência mínima de 15 (quinze) dias, as datas de início e fim das férias, precisando quais os estabelecimentos ou setores abrangidos pela medida. Parágrafo 3º - Em igual prazo, o empregador enviará cópia da aludida comunicação aos sindicatos representativos da respectiva categoria profissional, e providenciará a afixação de aviso nos locais de trabalho. Art. 140 da CLT - Os empregados contratados há menos de 12 (doze) meses gozarão, na oportunidade, férias proporcionais, iniciando-se, então, novo período aquisitivo Aviso Prévio Proporcional ao Tempo de Serviço - Lei nº /2011, de 11 de outubro de Art. 1º - O aviso prévio, de que trata o Capítulo VI do Título IV da Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, aprovada pelo Decreto-Lei no 5.452, de 1º de maio de 1943, será concedido na proporção de 30 (trinta) dias aos empregados que contem até 1 (um) ano de serviço na mesma empresa. Parágrafo único - Ao aviso prévio previsto neste artigo serão acrescidos 3 (três) dias por ano de serviço prestado na mesma empresa, até o máximo de 60 (sessenta) dias, perfazendo um total de até 90 (noventa) dias. Art. 2º - Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação - 13/10/ Consolidação das Lei do Trabalho Art. 487 da CLT - Não havendo prazo estipulado, a parte que, sem justo motivo, quiser rescindir o contrato deverá avisar a outra da sua resolução com a antecedência mínima de: (...) II - trinta dias aos que perceberem por quinzena ou mês, ou que tenham mais de 12 (doze) meses de serviço na empresa. 7

8 2º - A falta de aviso prévio por parte do empregado dá ao empregador o direito de descontar os salários correspondentes ao prazo respectivo. (...) Art. 488 da CLT - O horário normal de trabalho do empregado, durante o prazo do aviso, e se a rescisão tiver sido promovida pelo empregador, será reduzido de 2 (duas) horas diárias, sem prejuízo do salário integral. único - É facultado ao empregado trabalhar sem a redução das 2 (duas) horas diárias previstas neste artigo, caso em que poderá faltar ao serviço, sem prejuízo do salário integral, por 1 (um) dia, na hipótese do inciso l, e por 7 (sete) dias corridos, na hipótese do inciso li do art. 487 desta Consolidação Entendimento do Aviso Prévio Proporcional ao Tempo de Serviço O ministério do Trabalho e Emprego (MTE), por intermédio da Secretaria de Relações do Trabalho, editou a Nota Técnica de nº 184, de 7 de maio de 2012, com finalidade de esclarecer em minúcias os procedimentos a serem adotados pelos empregadores e empregados. NOTA TÉCNICA Nº 184/2012/CGRT/SRT/MTE Conclusão: 1) a lei não poderá retroagir para alcançar situação de aviso prévio já iniciado; 2) a proporcionalidade de que trata o artigo único da norma sob comento aplica-se exclusivamente em beneficio do empregado; 3) o acréscimo de 3 (três) dias por ano de serviço prestado ao mesmo empregador, computar-se-á a partir do momento em que a relação contratual supere um ano na mesma empresa; 4) a jornada reduzida ou a faculdade de ausência no trabalho, durante o aviso prévio, previstas no art.488 da CLT, não foram alterados pela lei /2011; 5) a projeção do aviso prévio integra o tempo de serviço para todos fins legais; 6) recaindo término do aviso prévio proporcional nos trinta dias que antecedem a data base, faz jus o empregado despedido a indenização prevista na lei nº 7.238/84; e 7) as cláusulas pactuadas em acordo ou convenção coletiva que tratam do aviso prévio proporcional deverão ser observadas, desde que respeitada a proporcionalidade mínima prevista na lei nº , de A CNTI orienta todas as FEDERAÇÕES e SINDICATOS, filiados, que o aviso prévio proporcional ao tempo de serviço seja aplicado na seguinte forma: Tempo de Serviço Até 11 meses 14 dias Aviso Prévio Proporcional ao Tempo de Serviço Lei nº Art. 487 da CLT /2011 Dias ano anos anos

9 4 anos anos anos anos anos anos anos anos anos anos anos anos anos anos anos anos anos XVI Congresso Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho - CONAMAT, realizado de 1º a 4 de maio de João Pessoa/PB. Foi lançado a seguinte ementa para tese: Proporcionalidade do Aviso Prévio. Tutela Exclusiva dos Interesses dos Trabalhadores. Não Incidência a Favor da Classe Patronal. Preservação da Cláusula de Não Retrocesso Social (CF, Art. 7º, caput). A Lei nº /2011, que trata da proporcionalidade do aviso prévio, representa importante fator de melhoria da condição social dos trabalhadores brasileiros, à vista de sua umbilical vinculação ao art. 7º da CF/1988, em especial com seu inciso XXI. Desse modo, a ratio da novel legislação, a par mesmo de sua própria literalidade (art. 1º) e à vista da dicção do próprio texto constitucional, conduz à segura conclusão de que se trata de instituto reconhecidamente vocacionado a tutelar exclusivamente os interesses da classe obreira, não se aplicando, pois, a favor da classe patronal. (destaque nosso) Referência site: Tribunal Superior do Trabalho TST Para o ministro Lélio Bentes, a aplicação da proporcionalidade unicamente para o trabalhador cumpre função social, pois é o funcionário quem sofre as consequências mais severas da rescisão contratual, uma vez que se vê privado dos meios necessários a sua sobrevivência e de sua família Associação Nacional dos Magistrados ANAMATRA Para o diretor de assuntos legislativos Germano Siqueira, a regra de proporcionalidade vale apenas como garantia em favor do empregado. É uma regra que visa valorizar o trabalho, em harmonia com os demais princípios constitucionais, e também está em harmonia, nesse tocante, no que se refere a não ampliar a proporcionalidade para o empregador, afirma Tribunal Regional do Trabalho - São Paulo O desembargador do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região Francisco Ferreira Jorge Neto concorda, e explica que, pelo artigo 487 da CLT, o empregador tem direito a retenção máxima de 30 dias, caso o aviso prévio seja devido pelo funcionário. O trabalhador terá de cumprir o aviso prévio de no máximo 30 dias. Se não cumprir este lapso, será obrigado a indenizar o empregador pelo período máximo de 30 dias. Referência site: 9

10 Decisões Judiciais: Tribunal Regional do Trabalho da10ª Região - Distrito Federal e Tocantins Processo Nº RO Acórdão do(a) Exmo(a) Desembargador(a) Federal do Trabalho MÁRIO MACEDO FERNANDES CARON (...). A empresa atesta a licitude do desconto em razão da inovação legislativa, que deferiu ao reclamante 42 dias de aviso prévio. A Lei n.º /2011 reza que a proporcionalidade do aviso prévio é aplicável somente aos empregados, tratandose de direitos dos trabalhadores (...). Não há previsão na Constituição Federal de obrigação de o empregado prestar o aviso prévio de forma proporcional ao seu empregador, ficando mantido nesse caso o prazo fixado na CLT de 30 dias. A intenção do legislador que deu origem à Lei nº /11 fala da prestação de serviço pelo trabalhador e não pela empresa. (...). (destaque nosso) ACORDAM (...), negar-lhe provimento. Conhecer parcialmente do recurso do reclamante e, no mérito, por maioria, dar-lhe provimento para deferir indenização por dano moral no importe de R$ 6.471,70, nos termos do voto do Desembargador Relator. Vencido o Desembargador Alexandre Nery de Oliveira, nos termos do voto que fará juntar. Obs.: O representante do Ministério Público do Trabalho opinou pelo prosseguimento do recurso. Brasília (DF), 01 de agosto de 2012 (data do julgamento). MÁRIO MACEDO FERNANDES CARON Desembargador relator. (destaque nosso) Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região - Minas Gerais Processo: TRT/RO/ AVISO PRÉVIO PROPORCIONAL DIREITO DO TRABALHADOR INAPLICABILIDADE DA REGRA EM FAVOR DO EMPREGADOR A Lei /2011, ao instituir no ordenamento jurídico o regramento do aviso prévio proporcional, o fez apenas em favor do trabalhador, por ser direito deste, a teor do art. 7º, caput e inciso XXI, da Constituição Federal. Correta a sentença que 10

11 condenou a ré a devolver o valor que excede o correspondente a trinta dias de salário da empregada. (...) AVISO PRÉVIO PROPORCIONAL DEVOLUÇÃO DE DESCONTOS (...). Assim sendo, por se tratar de um direito do trabalhador, a regulamentação efetivada por meio da Lei nº /2011 não pode servir para prejudicar o empregado que pede demissão e possui mais de 01 ano de serviços prestados à empresa. Portanto, nesses casos deve ser aplicada a regra prevista no artigo 487, 2º, da CLT, o qual prevê o direito do empregador de descontar do empregado o salário correspondente ao prazo do aviso prévio de 30 dias. (destaque nosso) (...) O Tribunal Regional do Trabalho da Terceira Região, em Sessão da sua Sexta Turma, hoje realizada, à unanimidade, não conheceu do recurso ordinário adesivo interposto pela autora, bem como das contrarrazões obreiras ao recurso da ré; sem divergência, conheceu do recurso da reclamada; no mérito, unanimemente, negou-lhe provimento. Belo Horizonte, 25 de setembro de JORGE BERG DE MENDONÇA DESEMBARGADOR RELATOR Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região - Ceará Processo: 1º Grau Nº AVISO PRÉVIO PROPORCIONAL (...) Nesse sentido, são as elucidativas razões contidas no artigo jurídico da lavra dos eminentes Juízes do Trabalho Cleber Martins Sales e Ney Stany Morais Maranhão, publicado no site: os quais adoto. Somada a essas razões, tem-se a Nota Técnica do Ministério do Trabalho e Emprego nº 184/2012/CGRT/SRT/TEM, a qual dispõe que a proporcionalidade de que trata o único do art. 1º da norma aqui comentada aplica-se, exclusivamente, em benefício do empregado. (...) Ademais, impor a um empregado que permaneça em pré-aviso por até 90 dias poderia acarretar a obtenção, pelo obreiro, de novo emprego, (...). (destaque nosso). (...) Se a adoção do pré-aviso trabalhado em tempo superior a 30 dias afigura-se um transtorno não só para o empregado, como para o empregador (...). (destaque nosso). (...) Fortaleza, 12 de setembro de DAIANA GOMES ALMEIDA Juíza do Trabalho Aviso Prévio Cumprido em Casa Inexiste a figura do aviso prévio cumprido em casa. O aviso prévio é trabalhado ou indenizado. É inválido aviso prévio cumprido em casa apenas para postergar prazo do acerto rescisório. Processo: ED Fonte: Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região MG 11

12 Aviso prévio cumprido em casa equivale a aviso prévio indenizado. Processo: nº Fonte: Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região MG Aviso prévio cumprido em casa é nulo. Processo: AIRR 1.009/ Fonte: Tribunal Regional do Trabalho da 15 Região Campinas/SP Contribuição Previdenciária Não Incide sobre Aviso Prévio Indenizado O aviso prévio indenizado tem natureza indenizatória e, por isso, não incide sobre ele a contribuição previdenciária. Esse é o entendimento da Segunda Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que rejeitou os argumentos apresentados em um recurso especial da Fazenda Nacional. O relator do recurso, ministro Mauro Campbell Marques, ressaltou que, a partir da Emenda Constitucional n. 20/98, a Constituição Federal deixou de restringir a incidência da contribuição à folha de salários. Segundo ele, para definir com exatidão as hipóteses de incidência do tributo, é preciso analisar a regra matriz, contida na Lei n /1991, que institui a contribuição social. Conforme o artigo 23 da referida lei, o campo de incidência da contribuição social alcança o total das remunerações pagas, devidas ou creditadas a qualquer título, destinadas a retribuir o trabalho prestado, qualquer que seja sua forma. Ou seja, o tributo incide sobre verba de caráter salarial. Mauro Campbell analisou a natureza do aviso prévio indenizado segundo a regra do artigo 487 da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho). Ele constatou que o benefício visa reparar o dano causado ao trabalhador que não foi alertado sobre a rescisão contratual com a antecedência mínima estipulada na CLT. Dessa forma, o ministro concluiu que não há como se conferir à referida verba o caráter salarial pretendido pela Fazenda Nacional porque ela não retribui um trabalho, mas sim repara um dano. Uma vez caracterizada a natureza indenizatória do aviso prévio indenizado, aplica-se a jurisprudência consolidada no STJ segundo a qual não incide contribuição previdenciária sobre verbas de caráter indenizatório. O relator destacou que o próprio Tribunal Superior do Trabalho tem diversos julgados afastando a natureza salarial do aviso prévio indenizado. Outra tese apresentada pela Fazenda Nacional, no recurso, defende que a redação original do parágrafo 9º do artigo 28 da Lei n /91 excluía expressamente o aviso prévio indenizado da base de cálculo do salário de contribuição. Argumenta que a redação atual, contida na Lei n /1997, não faz mais essa exclusão, permitindo assim a tributação. Para o ministro Mauro Campbell, a regra de incidência do tributo deve ser interpretada a partir do veículo normativo que o institui e não pela regra que o excepciona. Seguindo as considerações do relator, todos os ministros da Segunda Turma negaram provimento ao recurso da Fazenda Nacional. 12

13 Modalidade de aviso prévio: a) Trabalhado; b) Indenizado Aviso prévio indenizado: I Dispensa sem Justa Causa, quando o desligamento é de imediato por parte do empregador, sendo o aviso prévio no mínimo de 30 até 90 dias. II - Pedido demissão, sem justo motivo, por parte do empregado dá direito ao empregador o desconto do aviso de 30 dias. Art º, da CLT Aviso prévio trabalhado iniciativa do Empregado: O mesmo cumprirá a jornada de trabalho integral, no período máximo de 30 (trinta) dias Aviso prévio trabalhado iniciativa do Empregador: O empregado cumprirá o aviso trabalhado no máximo de 30 (trinta) dias, tendo a opção da jornada reduzida ou ausência no trabalhado de 7 (sete) dias corridos, conforme determina os artigos: 487 inciso II e 488 único da CLT Projeção do aviso prévio: O período referente ao aviso prévio, inclusive quando indenizado, integra o tempo de serviço para todos os efeitos legais, como reajustes salariais, férias, 13º salário e indenizações Registro da baixa na CTPS: Quando o aviso prévio for indenizado, a data da saída a ser anotada na Carteira de Trabalho a seguinte: I - Na página relativa ao Contrato de Trabalho, a do último dia da data projetada para o aviso prévio indenizado; e II - Na página relativa às Anotações Gerais, a data do último dia efetivamente trabalhado. III - No TRCT, a data de afastamento a ser consignada será a do último dia efetivamente trabalhado. IN nº 15 de 14/07/2010. CONTRATO DE TRABALHO ANOTAÇÕES GERAIS EMPREGADOR CGC/CPF/CEI... ENDEREÇO MUNICÍPIO... UF... ESP. DO ESTABELECIMENTO... CARGO CBO Nº DATA DE ADMISSÃO... DE... DE REGISTRO Nº... FLS./FICHA REMUNERAÇÃO ESPECIFICADA ASS. DO EMPREGADOR A ROGO C/ TESTEMUNHA... 1º... 2º DATA DE SAÍDA 16 DE ABRIL DE 2013 (Anotações autorizadas por lei) DATA DO ÚLTIMO DIA EFETIVAMENTE TRABALHADO FOI EM 16/01/ ASS. DO EMPREGADOR A ROGO C/ TESTEMUNHA... 1º... 2º COM. DISPENSA CD Nº... FGTS N º DA CONTA... 13

14 2 - Fundo de Garantia do Tempo de serviço (FGTS) Todos os empregadores são obrigados a depositar, até o dia 7 de cada mês, a importância correspondente a 8% da remuneração paga ou devida no mês anterior. Esse depósito deve ser feito em conta bancária vinculada, aberta em nome de cada trabalhador. O depósito é também obrigatório nos casos de afastamento do empregado para prestação de serviço militar, licença por acidente do trabalho, licença para tratamento de saúde até 15 dias, licença-gestante e licença para tratamento de saúde doença do trabalho Lei Nº de 11 de Maio de 1990 Art. 1º O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), instituído pela Lei nº 5.107, de 13 de setembro de 1966, passa a reger-se por esta lei. (...) Art. 17. Os empregadores se obrigam a comunicar mensalmente aos trabalhadores os valores recolhidos ao FGTS e repassar-lhes todas as informações sobre suas contas vinculadas recebidas da Caixa Econômica Federal ou dos bancos depositários. (...) Art. 32. Esta lei entra em vigor na data de sua publicação, revogada a Lei nº 7.839, de 12 de outubro de 1989, e as demais disposições em contrário. Brasília, 11 de maio de 1990; 169º da Independência e 102º da República Resolução Nº 48, de 18 de Setembro de 1991 Dispõe sobre a participação das entidades sindicais na fiscalização do FGTS. O CURADOR DO FUNDO DE GARANTIA DO TEMPO DE SERVIÇO (CCFGTS), na forma do art. 5º da Lei nº 8.036, de 11 de maio de 1990, considerando as dimensões do País, o reduzido número de agentes fiscalizadores e a grande quantidade de empresas a serem fiscalizadas quanto aos depósitos do FGTS, que são feitos em cerca de 25 milhões de contas vinculadas; considerando os indícios de que vem crescendo o número de empresas inadimplentes para com o FGTS; considerando que, em face dessas circunstâncias, é necessário buscar a parceria e a colaboração das entidades sindicais para que a ação fiscalizadora do Estado seja mais eficaz e fique mais protegido o direito dos trabalhadores ao FGTS, RESOLVE: I Estimular as entidades sindicais de trabalhadores a colaborarem no controle dos depósitos nas contas vinculadas de seus representados, exercitando a faculdade que o art. 72 do Decreto nº /90 lhes assegura de, independentemente de procuração, obter informações relativas ao FGTS junto ao empregador, ao banco depositário ou à Caixa Econômica Federal. II Esclarecer que, não obtidas as informações referidas no item anterior ou, se obtidas, for constatado débito do empregador, a entidade sindical poderá escolher qualquer das seguintes providências, de forma sucessiva ou concomitante: a) formular denúncia à Fiscalização do Trabalho, para os fins do art. 23 da Lei nº 8.036/90; b) ingressar com reclamação trabalhista contra o empregador inadimplente, perante a Justiça do Trabalho, na condição de substituto processual, assegurada no art. 25 da Lei nº 8.036/90. III A faculdade da entidade sindical de obter as informações referidas no item I não 14

15 abrange os atos de gestão ou de aplicação dos recursos do FGTS. IV Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. JOÃO DE LIMA TEIXEIRA FILHO Presidente do Conselho em Exercício Resolução N 321, de 31 de Agosto de Autoriza o acesso às Entidades Sindicais à Guia de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social GFIP O CONSELHO CURADOR DO FUNDO DE GARANTIA DO TEMPO DE SERVIÇO - FGTS, na forma do Art. 5, inciso VI, da Lei n 8.036, de 11 de maio de 1990, e do artigo 64, inciso VI, do Regulamento Consolidado do FGTS, aprovado pelo Decreto n , de 08 de novembro de 1990, CONSIDERANDO que o artigo 72, do Decreto n , de 08 de novembro de 1990, faculta à entidade sindical representar trabalhadores junto ao empregador, ao banco depositário ou à CEF, para obtenção de informações relativas ao FGTS. CONSIDERANDO que, em consonância com a Lei nº 9.528, de 10 de dezembro de 1997,regulamentada pelo Decreto nº 2.803, de 20 de outubro de 1998, foi implantada a Guia de Recolhimento do FGTS e informações à Previdência Social; CONSIDERANDO que as informações prestadas na GFIP são fundamentais para que as Entidades Sindicais promovam a fiscalização dos recolhimentos das contribuições ao FGTS, resolve: Determinar que o Agente Operador forneça às entidades sindicais constituídas na forma do inciso I do art. 8º da Constituição Federal, informações oriundas de GFIP, mediante prévia e expressa solicitação, que indique: a) O período de abrangência de informação, que não poderá retroagir a mais de 24 (vinte e quatro) meses da data da solicitação, salvo expressa justificativa; b) Os empregadores da base de atuação das entidades, das quais se deseja obter as informações. 2 - A informação poderá ser solicitada diretamente ao empregador. 3 - Caberá ao Agente Operador, em conformidade com suas competências, no prazo de 60 (sessenta) dias, estabelecer os procedimentos administrativos e operacionais a serem observados pelas entidades sindicais. 4 - Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. FRANCISCO DORNELLES Ministro de Estado do Trabalho e Emprego Presidente do Conselho Curador do FGTS Lei de Acesso Mensal do Empregado Altera os arts. 32 e 80 da Lei nº 8.212, de 24 de julho de 1991, para dispor sobre o acesso do empregado às informações relativas ao recolhimento de suas contribuições ao INSS. Art. 1º. Os arts. 32 e 80 da Lei nº 8.212, de 24 de julho de 1991, passam a vigorar com a seguinte redação: "Art VI - comunicar, mensalmente, aos empregados, por intermédio de documento a ser definido em regulamento, os valores recolhidos sobre o total de sua remuneração ao INSS. "Art I - enviar às empresas e aos seus segurados, quando solicitado, extrato relativo ao recolhimento das suas contribuições;..."(nr) Art. 2º. Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação. 15

16 3 - Estabilidade Provisória: É o período em que o empregado tem seu emprego garantido, não podendo ser dispensado por iniciativa do empregador sem justa causa, salvo se cometer falta grave nos termos da lei. a) Membro da CIPA: o empregado eleito ainda como suplente, para cargo de direção de comissões internas de prevenção de acidentes, desde o registro de sua candidatura até um ano após o final de seu mandato. b) Empregada Gestante: A legislação garante a estabilidade da empregada gestante a partir da confirmação da gravidez. c) Dirigente Sindical: Fica vedada a dispensa do empregado sindicalizado a partir do registro da candidatura a cargo de direção ou representação sindical e, se eleito, ainda que suplente, até um ano após o final do mandato. Art. 8º, inciso VIII, da CF, e 543, 3º, da CLT. O empregado de categoria diferenciada eleito dirigente sindical só goza de estabilidade se exercer na empresa atividade pertinente à categoria profissional do sindicato para o qual foi eleito dirigente. d) Acidente de Trabalho: É o que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço da empresa, com o segurado empregado, que será caracterizado tecnicamente pela perícia médica do INSS, tendo garantia mínima de 12 meses a manutenção do emprego, após o retorno ao trabalho, independente de percepção de auxílio-acidentário. Lei nº 8.213/91 e) Comissão de Conciliação Prévia: Garantia de emprego dos representantes dos empregados-membros, titulares ou suplentes, de Comissão de Conciliação Prévia CCP, instituída no âmbito da empresa, até 1 (um) ano após o final do mandato. f) Outras estabilidades: Decorrentes de Convenção Coletiva, Acordo Coletivo de Trabalho ou Sentença Normativa. 4 Rescisão de Contrato de Trabalho: É o término do vínculo de emprego, com a extinção das obrigações para os contratantes, pela vontade das partes ou por vontade de apenas uma das partes Prazo para pagamento das verbas rescisórias: fica ressalvada a disposição mais favorável em convenção ou acordo coletivo de trabalho, o pagamento das parcelas devidas a título de rescisão contratual deverá ser efetuado nos seguintes prazos: I Até o primeiro dia útil imediato ao término de contrato; a) rescisão por período de experiência; b) quando o aviso prévio for trabalhado; c) rescisão por prazo determinado (aprendiz). Fundamentação: Art. 477, 6º letra a da CLT. II Até o décimo dia, contado da data da notificação da demissão; a) quando aviso prévio for indenizado pelo empregador ou empregado; b) demissão por justa causa; c) rescisão por morte do empregado. Fundamentação: Art. 477, 6º letra b da CLT Art. 477 da CLT - É assegurado a todo empregado, não existindo prazo estipulado para a terminação do respectivo contrato, e quando não haja êle dado motivo para cessação das relações de trabalho, o direto de haver do empregador uma 16

17 indenização, paga na base da maior remuneração que tenha percebido na mesma empresa. Parágrafo 1º - O pedido de demissão ou recibo de quitação de rescisão, do contrato de trabalho, firmado por empregado com mais de 1 (um) ano de serviço, só será válido quando feito com a assistência do respectivo Sindicato ou perante a autoridade do Ministério do Trabalho e Previdência Social Multa por atraso no pagamento das verbas rescisórias: Ocorrendo atraso no pagamento da rescisão, deverá a empresa pagar multa para o empregado. a) A multa para empregado é de 1 (um) salário base Competência para homologar o TRCT: São competentes para prestar a assistência sem ônus para o trabalhador na rescisão contratual: 1) Sindicato profissional da categoria; 2) Federação da categoria inorganizada; 3) Confederação; 4) Ministério do Trabalho e Emprego; 5) Ministério Público ou Defensor Público, na falta ou impedimento o Juiz de Paz Situações impeditivas para homologação: É dever do Sindicato e Federação, dar assistência ao empregado na rescisão de contrato de trabalho gratuitamente, orientar e esclarecer empregado e empregador sobre o cumprimento da lei, assim como serão verificadas as situações impeditivas da rescisão contratual arbitrária ou sem justa causa: I - gravidez da empregada, desde a sua confirmação até 5 (cinco) meses após o parto; II - candidatura do empregado para o cargo de direção de Comissões Internas de Prevenção de Acidentes CIPA, desde o registro da candidatura e, se eleito, ainda que suplente, até 1 (um) ano após o final do mandato; III - candidatura do empregado sindicalizado a cargo de direção ou representação sindical, desde o registro da candidatura e, se eleito, até 4 (quadro) anos; IV - garantia de emprego dos representantes dos empregados-membros, titulares ou suplentes, de Comissão de Conciliação Prévia CCP, instituída no âmbito da empresa, até 1 (um) ano após o final do mandato; V - atestado de saúde ocupacional (ASO) - concluso sobre a capacidade laborativa INAPTO; VI empregado que no exercício do trabalho a serviço da empresa foi acidentado, tendo garantia mínima de 12 meses a manutenção do emprego, após o retorno ao trabalho; VII - rescisão contratual sem pagamento de verbas rescisórias devidas, que vise, tãosomente, ao saque de FGTS e a habilitação ao Seguro-Desemprego; VIII aposentadoria por invalidez (temporária), o empregado que for aposentado por invalidez ficará suspenso o seu contrato de trabalho; 17

18 IX - rescisão por Justa Causa por ser a maior penalidade imposta a um trabalhador, devendo ser provada em Juízo; X - demais garantias de empregos decorrentes de lei, convenção coletiva do trabalho ou acordo coletivo de trabalho ou sentença normativa Categoria do trabalhador, de acordo com o quadro a seguir: Tabela de Categorias de Trabalhador Cód. Categoria 1 Empregado 3 Trabalhador não vinculado ao RGPS, mas com direito ao FGTS 4 Empregado sob contrato de trab. por prazo determ. (Lei nº 9.601/1998) 6 Empregado Doméstico 7 Menor Aprendiz (Lei nº /2000) Código de movimentação, e código de saque do FGTS: Motivo de Afastamento Rescisão sem Justa Causa pelo Empregador. Rescisão a Pedido do Empregado Término de contrato de Trabalho por Prazo Determinado, Inclusive Contrato de experiência Antecipação término de Contrato por Prazo Determinado, Inclusive Contrato de Experiência iniciativa do Empregador Antecipação término de contrato por Prazo Determinado, Inclusive Contrato de Experiência iniciativa do Empregado Rescisão do Contrato de Trabalho por Falecimento do Empregado Código de Afastamento MTE Códigos CAIXA Código de saque do FGTS Afastamento Seguro Desemprego SJ2 01 l1 ou l4 Sim SJ1 Sem Saque FGTS J Não PD0 04 l3 Não RA1 Sem Saque FGTS J Não RA2 01 l1 Sim FT1 23 L, S2,S3 Não Rescisão por justa causa JC2 Sem Saque FGTS H Não Rescisão Indireta Rl2 01 l1 Sim CÓDIGOS DE MOVIMENTAÇÃO DOS SEGURADOS GFIP Código Situação H I1 I2 I3 Rescisão, com justa causa, por iniciativa do empregador; Rescisão sem justa causa, por iniciativa do empregador, inclusive rescisão antecipada do contrato a termo; Rescisão por culpa recíproca ou força maior; Rescisão por término do contrato a termo; 18

19 I4 J K L M N1 N2 O1 O2 O3 P1 P2 P3 Q1 Q2 Q3 Q4 Q5 Q6 R S2 S3 U1 U2 U3 W X Y Z1 Z2 Z3 Z4 Z5 Z6 Rescisão sem justa causa do contrato de trabalho do empregado doméstico, por iniciativa do empregador; Rescisão do contrato de trabalho por iniciativa do empregado; Rescisão a pedido do empregado ou por iniciativa do empregador, com justa causa, no caso de empregado não optante, com menos de um ano de serviço; Outros motivos de rescisão do contrato de trabalho; Mudança de regime estatutário; Transferência de empregado para outro estabelecimento da mesma empresa; Transferência de empregado para outra empresa que tenha assumido os encargos trabalhistas, sem que tenha havido rescisão de contrato de trabalho; Afastamento temporário por motivo de acidente do trabalho, por período superior a 15 dias; Novo afastamento temporário em decorrência do mesmo acidente do trabalho; Afastamento temporário por motivo de acidente do trabalho, por período igual ou inferior a 15 dias; Afastamento temporário por motivo de doença, por período superior a 15 dias; Novo afastamento temporário em decorrência da mesma doença, dentro de 60 dias contados da cessação do afastamento anterior; Afastamento temporário por motivo de doença, por período igual ou inferior a 15 dias; Afastamento temporário por motivo de licença-maternidade (120 dias); Prorrogação do afastamento temporário por motivo de licença-maternidade; Afastamento temporário por motivo de aborto não criminoso; Afastamento temporário por motivo de licença-maternidade decorrente de adoção ou guarda judicial de criança até 1 (um) ano de idade (120 dias); Afastamento temporário por motivo de licença-maternidade decorrente de adoção ou guarda judicial de criança a partir de 1 (um) ano até 4 (quatro) anos de idade (60 dias); Afastamento temporário por motivo de licença-maternidade decorrente de adoção ou guarda judicial de criança a partir de 4 (quatro) anos até 8 (oito) anos de idade (30 dias); Afastamento temporário para prestar serviço militar; Falecimento; Falecimento motivado por acidente de trabalho; Aposentadoria por tempo de contribuição ou idade sem continuidade de vínculo empregatício; Aposentadoria por tempo de contribuição ou idade com continuidade de vínculo empregatício; Aposentadoria por invalidez; Afastamento temporário para exercício de mandato sindical; Licença sem vencimentos; Outros motivos de afastamento temporário; Retorno de afastamento temporário por motivo de licença-maternidade; Retorno de afastamento temporário por motivo de acidente do trabalho; Retorno de novo afastamento temporário em decorrência do mesmo acidente do trabalho; Retorno de afastamento temporário por motivo de prestação de serviço militar; Outros retornos de afastamento temporário e/ou licença; Retorno de afastamento temporário por motivo de acidente do trabalho, por período igual ou inferior a 15 dias. 19

20 4.6.3 CÓDIGOS DE OCORRÊNCIA - EXPOSIÇÃO A AGENTES NOCIVOS QUANTIDADE DE VÍNCULOS UM VÍNCULO MÚLTIPLOS VÍNCULOS CÓDIGO EXPOSIÇÃO A AGENTES NOCIVOS 01 (OU EM BRANCO ) SEM EXPOSIÇÃO 02 APOSENTADORIA ESPECIAL 15 ANOS 03 APOSENTADORIA ESPECIAL 20 ANOS 04 APOSENTADORIA ESPECIAL 25 ANOS 05 SEM EXPOSIÇÃO 06 APOSENTADORIA ESPECIAL 15 ANOS 07 APOSENTADORIA ESPECIAL 20 ANOS 08 APOSENTADORIA ESPECIAL 25 ANOS Nota: Embora o Manual da GFIP oriente que o código em branco seja utilizado para o segurado sem exposição a agentes nocivos, que nunca esteve exposto, e o código 01 para o segurado que já esteve exposto a agentes nocivos e não está mais, não há diferença para o cálculo do valor devido à Previdência Social, pois em nenhum dos casos há cálculo do adicional do RAT. 20

21 5 - Rescisão por Término do Contrato de Experiência: Informações para Cálculo: Contrato de experiência - 90 dias Término do contrato: Admissão: Afastamento: Salário R$ 90/Mês Dependente - Não tem DIREITOS FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Saldo de Salário Art. 462 da CLT Salário Família Lei nº 8.213/91, Arts. 65 e 70 Férias proporcionais Art. 147 da C:LT Acréscimo sobre férias de 1/3 Art. 7º, inciso XVII, da CF 13º Salário Lei nº 4.090/62, Art. 3º FGTS código 04 Lei 8.036/90, Art. 20, inciso IX Memória de Cálculo: Saldo de salário 01 dia = R$ 90 : 30 = R$ 3 Salário família - não tem Férias proporcionais 3/12avos R$ 90 : 12 = R$ 75,00 x 3 = R$ 225,00 1/3 sobre férias: R$ 225,00 : 3 = R$ 75,00 ou R$ 225,00 x 33,33 /100 = R$ 75,00 13º salário 3/12 avos: R$ 90 : 12 = R$ 75,00 x 3 = R$ 225,00 FGTS - multa rescisória não há. FGTS Rescisão - R$ 3 (saldo de salário) + R$ 225,00 (13º sal.) Guias Seguro Desemprego - não tem Descontos: INSS sobre saldo de salário R$ 3 x 8% = R$ 2,40 INSS sobre 13º salário R$ 225,00 x 8% = R$ 18,00 Prazo para pagamento: 02/04/2013 ou o primeiro dia útil imediato ao término do contrato. 21

22 TERMO DE RESCISÃO DO CONTRATO DE TRABALHO 01 CNPJ/CEI 02 Razão Social/Nome IDENTIFICAÇÃO DO EMPREGADOR 03 Endereço (logradouro, nº, andar, apartamento) 04 Bairro 05 Município 06 UF 07 CEP 08 CNAE 09 CNPJ/CEI Tomador/Obra 10 PIS/PASEP 11 Nome IDENTIFICAÇÃO DO TRABALHADOR 12 Endereço (logradouro, nº, andar, apartamento) 13 Bairro 14 Município 19 Data de Nascimento 15 UF 16 CEP 17 Carteira de Trabalho (nº, série, UF) 18 CPF 20 Nome da Mãe 21 Tipo de Contrato Contrato de Trabalho por Prazo Determinado 22 Causa do Afastamento Término de Contrato por Periodo de Experiência 23 Remuneração Mês Anterior R$ 24 Data de Admissão 25 Data do Aviso Prévio 26 Data de Afastamento 27 Cód. Afastamento 02/01/ /04/2013 PD0 28 Pensão Alimentícia (%) (TRCT) 29 Pensão Alimentícia (%) (FGTS) 30 Categoria do Trabalhador 31 Código Sindical 32 CNPJ e Nome da Entidade Sindical Laboral DADOS DO CONTRATO 1 Empregado VERBAS RESCISÓRIAS Rubrica 50 Saldo de Salário 01/dia(s) (líquido de 00/faltas e DSR) 53 Adic. de Insalubridade % 56.1 H Extras horas a % 59 Reflexo do "DSR" sobre Salário Variável DISCRIMINAÇÃO DAS VERBAS RESCISÓRIAS Valor Rubrica Valor Rubrica Valor 3 51 Comissões 52 Gratificações 54 Adic. de Periculosidade % 57 Gorjetas 55 Adic. Noturno horas a % 58 Descanso Semanal Remunerado (DSR) 60 Multa art. 477, 8º/CLT 62 Salário-Família 63 13º Salário Proporcional 03/12 avos 66.1 Férias Venc. Per. Aquisitivo / / a / / 225, º Salário - Exercício - /12 avos 68 Terço Constitucional de Férias 75,00 65 Férias Proporcionais 03/12 avos 69 Aviso-Prévio Indenizado /dias 225, º Salário (Aviso-Prévio Indenizado) 71 Férias (Aviso-Prévio Indenizado) DEDUÇÕES Desconto 100 Pensão Alimentícia 103 Aviso-Prévio Indenizado /dias IRRF 99 Ajuste do saldo devedor TOTAL BRUTO Valor Desconto Valor Desconto Valor 101 Adiantamento Salarial Previdência Social 2, IRRF sobre 13º Salário 102 Adiantamento 13º Salário Prev Social - 13º Salário 555,00 18,00 TOTAL DEDUÇÕES VALOR LÍQUIDO 20,40 534,60 22

23 TERMO DE QUITAÇÃO DE RESCISÃO DE CONTRATO DE TRABALHO EMPREGADOR 01 CNPJ/CEI 02 Razão Social/Nome TRABALHADOR 10 PIS/PASEP 11 Nome 17 Carteira de Trab. (nº, série, UF) 18 CPF 19 Data de Nascimento 20 Nome da Mãe CONTRATO 22 Causa do Afastamento Término de Contrato por Periodo de Experiência 24 Data de Admissão 25 Data do Aviso Prévio 26 Data de Afastamento 27 Cód. Afast. 29 Pensão Alimentícia (%) (FGTS) 02/01/ /04/2013 PD0 30 Categoria do Trabalhador 1 Empregado Foi realizada a rescisão do contrato de trabalho do trabalhador acima qualificado, nos termos do artigo nº 477 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). A assistência à rescisão prevista no 1º do art. nº 477 da CLT não é devida, tendo em vista a duração do contrato de trabalho não ser superior a um ano de serviço e não existir previsão de assistência à rescisão contratual em Acordo ou Convenção Coletiva de Trabalho da categoria a qual pertence o trabalhador. No dia 02/ 04/2013, foi realizado, nos termos do art. 23 da Instrução Normativa/SRT nº 15/2010, o efetivo pagamento das verbas rescisórias especificadas no corpo do TRCT, no valor de R$ 534,60, o qual, devidamente rubricado pelas partes, é parte integrante do presente Termo de Quitação. /, de de. 150 Assinatura do Empregador ou Preposto 151 Assinatura do Trabalhador 152 Assinatura do Responsável Legal do Trabalhador 156 Informações à CAIXA: A ASSISTÊNCIA NO ATO DE RESCISÃO CONTRATUAL É GRATUITA. Pode o trabalhador iniciar ação judicial quanto aos créditos resultantes das relações de trabalho até o limite de dois anos após a extinção do contrato de trabalho (inciso XXIX, art. 7º da Constituição Federal/1988). 23

24 Dados do Empregador Razão Social: Endereço Logradouro: CNPJ/CEI: Bairro: Cidade: UF: CEP: FPAS: Simples: CNAE: CNPJ/CEI Tomador de Serviço: Dados do Trabalhador Nome: PIS/PASEP: Admissão: Categoria: 01 Data de Nascimento: Data Opção: CTPS: Movimentação: 01/04/2013 I3 Aviso Prévio: 0 Dissídio/Acordo: Informações Financeiras Mês Anterior a Aviso Prévio Multa Mês Rescisão Rescisão Indenizado Rescisória Remuneração/Saldo Depósito JAM Encargos Contrib. Social 90 72,00 255,00 20,40 Valor do Trabalhador: 92,40 Valor Devido pela Empresa: 92,40 Cabe ao trabalhador os valores de Depósitos e JAM 24

25 5.1 - Rescisão Antecipada do Contrato de Experiência por Iniciativa do Empregador: Informações para Cálculo: Contrato de experiência - 90 dias Rescisão antecipada do contrato de experiência nos termos do art. 479 da CLT Admissão: Afastamento: Salário R$ 678,00/Mês Dependente 02 (esposa e filho menor de 14 anos) FGTS - Saldo para fins rescisório R$ 41,60 Cód. Afastamento - 01 DIREITOS FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Indenização Art. 479 da CLT Saldo de Salário Art. 462 da CLT Salário Família Lei nº 8.213/91, Arts. 65 e 70 Férias proporcionais Art. 147 da C:LT Acréscimo sobre férias de 1/3 Art. 7º, inciso XVII, da CF 13º Salário Lei nº 4.090/62, Art. 3º FGTS - código 01 Lei nº 8.036/90, Art. 20, inciso IX Memória de Cálculo: Indenização, nos termos do Art. 479 da CLT, a empresa é obrigada a indenizá-lo por metade até o término do contrato; trabalhou 50 dias, faltando 40 dias para completar o contrato de experiência. 90 (dias contrato) 50(dias trabalhado) = 40 x 50% = 20 dias a indenizar. Salário R$ 678,00 : 30 = R$ 22,60 x 40dd x 50% = R$ 452,00 ( valor da indenização) Salário família 1 cota valor R$ 23,36 (tabela) : 30 = 0,78 x 25(dias) = R$ 1947 (valor a pagar) Férias proporcionais 2/12avos = R$ 678,00 : 12 = R$ 56,50 x 2(meses trabalhado) = R$ 113,00 (valor a pagar) 1/3 sobre férias: R$ 113,00 : 3 = R$ 37,67 ou R$ 113,00 x 33,33 : 100 = R$ 37,67 13 º Salário 2/12avos = R$ 65 : 12 = R$ 54,17 x 2(meses trabalhado) = R$ 108,33 (valor a pagar) Saldo de salário = R$ 678,00 : 30 = R$ 22,60 x 25 dias = R$ 565,00 Descontos: INSS sobre saldo de salário R$ 565,00 x 8% = R$ 45,20 INSS sobre 13º salário R$ 113,00 x 8% = R$ 9,04 Prazo para pagamento: 03/02/2013. Neste caso o prazo é o que acontecer primeiro os 10 dias corridos, ou o 1º dia útil imediato ao término do contrato de experiência. 25

26 TERMO DE RESCISÃO DO CONTRATO DE TRABALHO 01 CNPJ/CEI 02 Razão Social/Nome IDENTIFICAÇÃO DO EMPREGADOR 03 Endereço (logradouro, nº, andar, apartamento) 04 Bairro 05 Município 06 UF 07 CEP 08 CNAE 09 CNPJ/CEI Tomador/Obra 10 PIS/PASEP 11 Nome IDENTIFICAÇÃO DO TRABALHADOR 12 Endereço (logradouro, nº, andar, apartamento) 13 Bairro 14 Município 15 UF 16 CEP 17 Carteira de Trabalho (nº, série, UF) 18 CPF 19 Data de Nascimento 20 Nome da Mãe 21 Tipo de Contrato Contrato de Trabalho por Prazo Determinado 22 Causa do Afastamento Antecipação Término de Contrato por Periodo de Experiência 23 Remuneração Mês Anterior R$ 24 Data de Admissão 25 Data do Aviso Prévio 26 Data de Afastamento 27 Cód. Afastamento 07/12/ /01/2013 SJ2 32 CNPJ e Nome da Entidade Sindical Laboral DADOS DO CONTRATO 28 Pensão Alimentícia (%) (TRCT) 29 Pensão Alimentícia (%) (FGTS) 30 Categoria do Trabalhador 31 Código Sindical 622,00 1 Empregado VERBAS RESCISÓRIAS Rubrica 50 Saldo de Salário 25/dias (líquido de 00/faltas e DSR) 53 Adic. de Insalubridade % 56.1 H Extras horas a % 59 Reflexo do "DSR" sobre Salário Variável DISCRIMINAÇÃO DAS VERBAS RESCISÓRIAS Valor Rubrica Valor Rubrica Valor 565,00 51 Comissões 52 Gratificações 54 Adic. de Periculosidade % 57 Gorjetas 55 Adic. Noturno horas a % 58 Descanso Semanal Remunerado (DSR) 60 Multa art. 477, 8º/CLT 62 Salário-Família 19, º Salário Proporcional 02/12 avos 113, º Salário - Exercício - /12 avos 65 Férias Proporcionais 02/12 avos 113, Férias Venc. Per. Aquisitivo / / a / / 68 Terço Constitucional de Férias 37,67 69 Aviso-Prévio Indenizado /dias 70 13º Salário (Aviso-Prévio Indenizado) 71 Férias (Aviso-Prévio Indenizado) 72 Multa Art. 479 CLT 452,00 DEDUÇÕES Desconto 100 Pensão Alimentícia 103 Aviso-Prévio Indenizado /dias IRRF 99 Ajuste do saldo devedor TOTAL BRUTO Valor Desconto Valor Desconto Valor 101 Adiantamento Salarial Previdência Social 45, IRRF sobre 13º Salário 102 Adiantamento 13º Salário Prev Social - 13º Salário 1.300,14 9,04 TOTAL DEDUÇÕES VALOR LÍQUIDO 54, ,90 26

27 TERMO DE QUITAÇÃO DE RESCISÃO DE CONTRATO DE TRABALHO EMPREGADOR 01 CNPJ/CEI 02 Razão Social/Nome TRABALHADOR 10 PIS/PASEP 11 Nome 17 Carteira de Trab. (nº, série, UF) 18 CPF 19 Data de Nascimento 20 Nome da Mãe CONTRATO 22 Causa do Afastamento Antecipação Término de Contrato por Periodo de Experiência 24 Data de Admissão 25 Data do Aviso Prévio 26 Data de Afastamento 27 Cód. Afast. 29 Pensão Alimentícia (%) (FGTS) 07/12/ /01/2013 SJ2 30 Categoria do Trabalhador 1 Empregado Foi realizada a rescisão do contrato de trabalho do trabalhador acima qualificado, nos termos do artigo nº 477 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). A assistência à rescisão prevista no 1º do art. nº 477 da CLT não é devida, tendo em vista a duração do contrato de trabalho não ser superior a um ano de serviço e não existir previsão de assistência à rescisão contratual em Acordo ou Convenção Coletiva de Trabalho da categoria a qual pertence o trabalhador. No dia 03/02/2013 foi realizado, nos termos do art. 23 da Instrução Normativa/SRT nº 15/2010, o efetivo pagamento das verbas rescisórias especificadas no corpo do TRCT, no valor de R$ 1.245,90, o qual, devidamente rubricado pelas partes, é parte integrante do presente Termo de Quitação. /, de de. 150 Assinatura do Empregador ou Preposto 151 Assinatura do Trabalhador 152 Assinatura do Responsável Legal do Trabalhador 156 Informações à CAIXA: A ASSISTÊNCIA NO ATO DE RESCISÃO CONTRATUAL É GRATUITA. Pode o trabalhador iniciar ação judicial quanto aos créditos resultantes das relações de trabalho até o limite de dois anos após a extinção do contrato de trabalho (inciso XXIX, art. 7º da Constituição Federal/1988). 27

28 Dados do Empregador Razão Social: Endereço Logradouro: CNPJ/CEI: Bairro: Cidade: UF: CEP: FPAS: Simples: CNAE: CNPJ/CEI Tomador de Serviço: Dados do Trabalhador Nome: PIS/PASEP: Admissão: Categoria: 01 Data de Nascimento: Data Opção: CTPS: Movimentação: 25/01/2013 I1 Aviso Prévio: 0 Dissídio/Acordo: Informações Financeiras Mês Anterior a Aviso Prévio Multa Mês Rescisão Rescisão Indenizado Rescisória Remuneração/Saldo Depósito JAM Encargos Contrib. Social 678,00 54,24 95,84 38,34 9,58 Valor do Trabalhador: 92,58 Valor Devido pela Empresa: 102,16 Cabe ao trabalhador os valores de Depósitos e JAM 28

29 5.2 - Rescisão Antecipada do Contrato de Experiência por Iniciativa do Empregado: Informações para Cálculo: Contrato de experiência de 60 dias Rescisão antecipada do contrato de experiência nos termos 480 da CLT Admissão: Afastamento: Salário R$ 75/Mês Dependente 02 (esposa e filho menor de 14 anos) Solicitou demissão no dia Cód. Afastamento - Não DIREITOS FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Saldo de Salário Art. 462 da CLT Salário Família Lei nº 8.213/91, Arts. 65 e 70 Férias proporcionais Art. 147 da CLT Acréscimo sobre férias de 1/3 Art. 7º, inciso XVII, da CF 13º Salário Lei nº 4.090/62, Art. 3º Memória de Cálculo: Salário família 1 cota valor R$ 23,36 (tabela) : 30 = 0,78 x 25(dias) = R$ 19,47 (valor a pagar) Férias proporcionais 2/12avos = R$ 75 : 12 = R$ 62,50 x 2 (meses trabalhado) = R$ 125,00 (valor a pagar) 1/3 sobre férias: R$ 125,00 : 3 = R$ 41,67 13 º Salário 2/12avos = R$ 75 : 12 = R$ 62,50 x 2(meses trabalhado) = R$ 125,00 (valor a pagar) Saldo de salário = R$ 75 : 30 = 25,00 x 25 dias = R$ 625,00 Descontos: INSS sobre saldo de salário R$ 625,00 x 8% = R$ 5 INSS sobre 13º salário R$125,00 x 8% = R$ 1 Indenização, nos termos do Art. 480 da CLT, o empregado é obrigado a indenizá-lo por metade até o término do contrato; trabalhou 50 dias, faltando 10 dias para completar o contrato de experiência de 60(contrato) 50 (dias trabalhado) = 10 x 50% = 5 dias a indenizar. Salário R$ 75 : 30 = 25,00 x 5 dias = R$ 125,00 ( valor a indenizar) Prazo para pagamento: 05/03//2013. Término do contrato de experiência séria: 07/03/2013. Neste caso o prazo é o que ocorrer primeiro os 10 dias corridos, ou o 1º dia útil imediato ao término do contrato de experiência. 29

30 TERMO DE RESCISÃO DO CONTRATO DE TRABALHO 01 CNPJ/CEI 02 Razão Social/Nome IDENTIFICAÇÃO DO EMPREGADOR 03 Endereço (logradouro, nº, andar, apartamento) 04 Bairro 05 Município 06 UF 07 CEP 08 CNAE 09 CNPJ/CEI Tomador/Obra 10 PIS/PASEP 11 Nome IDENTIFICAÇÃO DO TRABALHADOR 12 Endereço (logradouro, nº, andar, apartamento) 13 Bairro 14 Município 15 UF 16 CEP 17 Carteira de Trabalho (nº, série, UF) 18 CPF 19 Data de Nascimento 20 Nome da Mãe 21 Tipo de Contrato Contrato de Trabalho por Prazo Indeterminado 22 Causa do Afastamento Antecipação Término de Contrato de Experiência Iniciativa do Empregado 23 Remuneração Mês Anterior R$ 31 Código Sindical Data de Admissão 25 Data do Aviso Prévio 26 Data de Afastamento 27 Cód. Afastamento 07/01/ /02/2013 RA2 28 Pensão Alimentícia (%) (TRCT) 29 Pensão Alimentícia (%) (FGTS) 30 Categoria do Trabalhador 32 CNPJ e Nome da Entidade Sindical Laboral DADOS DO CONTRATO 1 Empregado VERBAS RESCISÓRIAS Rubrica 50 Saldo de Salário 25/dias (líquido de 00/faltas e DSR) 53 Adic. de Insalubridade % 56.1 H Extras horas a % 59 Reflexo do "DSR" sobre Salário Variável DISCRIMINAÇÃO DAS VERBAS RESCISÓRIAS Valor Rubrica Valor Rubrica Valor 625,00 51 Comissões 52 Gratificações 54 Adic. de Periculosidade % 57 Gorjetas 55 Adic. Noturno horas a % 58 Descanso Semanal Remunerado (DSR) 60 Multa art. 477, 8º/CLT 62 Salário-Família 19, º Salário Proporcional 02/12 avos 66.1 Férias Venc. Per. Aquisitivo / / a / / 125, º Salário - Exercício - /12 avos 68 Terço Constitucional de Férias 41,67 65 Férias Proporcionais 02/12 avos 69 Aviso-Prévio Indenizado /dias 125, º Salário (Aviso-Prévio Indenizado) 71 Férias (Aviso-Prévio Indenizado) DEDUÇÕES Desconto 100 Pensão Alimentícia 103 Aviso-Prévio Indenizado /dias IRRF 99 Ajuste do saldo devedor TOTAL BRUTO Valor Desconto Valor Desconto Valor 101 Adiantamento Salarial Previdência Social IRRF sobre 13º Salário 102 Adiantamento 13º Salário Prev Social - 13º Salário 936,14 1 Multa Art. 480 CL:T 125,00 TOTAL DEDUÇÕES VALOR LÍQUIDO 185,00 751,14 30

31 TERMO DE QUITAÇÃO DE RESCISÃO DE CONTRATO DE TRABALHO EMPREGADOR 01 CNPJ/CEI 02 Razão Social/Nome TRABALHADOR 10 PIS/PASEP 11 Nome 17 Carteira de Trab. (nº, série, UF) 18 CPF 19 Data de Nascimento 20 Nome da Mãe CONTRATO 22 Causa do Afastamento Antecipação Término de Contrato de Experiência Iniciativa do Empregado 24 Data de Admissão 25 Data do Aviso Prévio 26 Data de Afastamento 27 Cód. Afast. 29 Pensão Alimentícia (%) (FGTS) 07/01/ /02/2013 RA2 30 Categoria do Trabalhador 1 Empregado Foi realizada a rescisão do contrato de trabalho do trabalhador acima qualificado, nos termos do artigo nº 477 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). A assistência à rescisão prevista no 1º do art. nº 477 da CLT não é devida, tendo em vista a duração do contrato de trabalho não ser superior a um ano de serviço e não existir previsão de assistência à rescisão contratual em Acordo ou Convenção Coletiva de Trabalho da categoria a qual pertence o trabalhador. No dia 05/03/2013, foi realizado, nos termos do art. 23 da Instrução Normativa/SRT nº 15/2010, o efetivo pagamento das verbas rescisórias especificadas no corpo do TRCT, no valor de R$ 751,14, o qual, devidamente rubricado pelas partes, é parte integrante do presente Termo de Quitação. /, de de. 150 Assinatura do Empregador ou Preposto 151 Assinatura do Trabalhador 152 Assinatura do Responsável Legal do Trabalhador 156 Informações à CAIXA: A ASSISTÊNCIA NO ATO DE RESCISÃO CONTRATUAL É GRATUITA. Pode o trabalhador iniciar ação judicial quanto aos créditos resultantes das relações de trabalho até o limite de dois anos após a extinção do contrato de trabalho (inciso XXIX, art. 7º da Constituição Federal/1988). 31

32 5.3 - Rescisão por Pedido de Demissão com Mais de 1 Ano: Informações para Cálculo: Admissão: Afastamento: Baixa na CTPS Salário R$ 98/Mês Dependente - 02 (esposa e filho menor de 14 anos) Aviso Prévio Trabalhado: 01/04/2013 a 30/04/ dias Férias Vencidas não gozadas Data base - 1º de Maio Pagamento de Salário 5º dia útil do mês subsequente Cód. Afastamento - SJ1 DIREITOS FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Saldo de Salário Art. 462 da CLT Salário Família Lei nº 8.213/91, arts. 65 e 70 Férias Vencidas Art. 146 da CLT Férias proporcionais Art. 147 da CLT Acréscimo sobre férias de 1/3 Art. 7º, inciso XVII, da CF 13º Salário Lei nº 4.090/62, art. 3º Memória de Cálculo: Salário família não tem direito (salário contratual maior do que o salário de contribuição). Férias Vencidas: 30 dias, teve 10 dias de férias coletivas e teve 05 faltas não justificadas no período aquisitivo Salário: R$ 98 : 30 = 32,67 x 20 = 653,33 (irá receber 20 dias de férias vencidas ) Férias proporcionais 04/12avos = R$ 98 : 12 = 81,67 x 04 (meses trabalhado) = R$ 326,67 (valor a pagar) 1/3 sobre férias ( 653,33+326,67) = R$ 98 : 3 = R$ 326,67 13 º Salário 04/12avos = R$ 98 : 12 = R$ 81,67 x 04 (meses trabalhado) = R$ 326,67 (valor a pagar) Saldo de salário: 30 dias = R$ 98 Descontos: INSS sobre saldo de salário R$ 98 x 8% = R$ 78,40 INSS sobre 13º salário R$ 326,67 x 8% = R$ 26,13 Prazo para pagamento: 01/05/2013 ou o primeiro dia útil imediato ao término do contrato Neste caso o prazo para pagamento do Aviso trabalhado será junto com as verbas rescisórias. 32

33 TERMO DE RESCISÃO DO CONTRATO DE TRABALHO 01 CNPJ/CEI 02 Razão Social/Nome IDENTIFICAÇÃO DO EMPREGADOR 03 Endereço (logradouro, nº, andar, apartamento) 04 Bairro 05 Município 06 UF 07 CEP 08 CNAE 09 CNPJ/CEI Tomador/Obra 10 PIS/PASEP 11 Nome IDENTIFICAÇÃO DO TRABALHADOR 12 Endereço (logradouro, nº, andar, apartamento) 13 Bairro 14 Município 15 UF 16 CEP 17 Carteira de Trabalho (nº, série, UF) 18 CPF 19 Data de Nascimento 20 Nome da Mãe 21 Tipo de Contrato Contrato de Trabalho por Prazo Indeterminado 22 Causa do Afastamento Rescisão por iniciativa do Empregado 23 Remuneração Mês Anterior R$ 24 Data de Admissão 25 Data do Aviso Prévio 26 Data de Afastamento 27 Cód. Afastamento 02/01/ /04/ /04/2013 SJ1 32 CNPJ e Nome da Entidade Sindical Laboral DADOS DO CONTRATO 28 Pensão Alimentícia (%) (TRCT) 29 Pensão Alimentícia (%) (FGTS) 30 Categoria do Trabalhador 31 Código Sindical 98 1 Empregado VERBAS RESCISÓRIAS Rubrica 50 Saldo de Salário 30/dias (líquido de 00/faltas e DSR) 53 Adic. de Insalubridade % 56.1 H Extras horas a % 59 Reflexo do "DSR" sobre Salário Variável DISCRIMINAÇÃO DAS VERBAS RESCISÓRIAS Valor Rubrica Valor Rubrica Valor Comissões 52 Gratificações 54 Adic. de Periculosidade % 57 Gorjetas 55 Adic. Noturno horas a % 58 Descanso Semanal Remunerado (DSR) 60 Multa art. 477, 8º/CLT 62 Salário-Família 63 13º Salário Proporcional 04/12 avos 326, º Salário - Exercício - /12 avos 65 Férias Proporcionais 04/12 avos 326, Férias Venc. Per. Aquisitivo 02/01/2012 a 30/04/ ,33 68 Terço Constitucional de Férias 326,67 69 Aviso-Prévio Indenizado /dias 70 13º Salário (Aviso-Prévio Indenizado) 71 Férias (Aviso-Prévio Indenizado) DEDUÇÕES Desconto 100 Pensão Alimentícia 103 Aviso-Prévio Indenizado /dias IRRF 99 Ajuste do saldo devedor TOTAL BRUTO Valor Desconto Valor Desconto Valor 101 Adiantamento Salarial Previdência Social 78, IRRF sobre 13º Salário 102 Adiantamento 13º Salário Prev Social - 13º Salário 2.613,34 26,13 Multa Art. 480 CL:T TOTAL DEDUÇÕES VALOR LÍQUIDO 104, ,81 33

34 TERMO DE HOMOLOGAÇÃO DE RESCISÃO DE CONTRATO DE TRABALHO EMPREGADOR 01 CNPJ/CEI 02 Razão Social/Nome TRABALHADOR 10 PIS/PASEP 11 Nome 17 Carteira de Trab. 18 CPF 19 Data de Nascimento 20 Nome da Mãe CONTRATO 22 Causa do Afastamento Rescisão por Iniciativa do Empregado 24 Data de Admissão 25 Data do Aviso 26 Data de Afastamento 27 Cód. 29 Pensão Alimentícia (%) 02/01/ /04/ /04/2013 SJ1 30 Categoria do Trabalhador 1 Empregado 31 Código Sindical 32 CNPJ e Nome da Entidade Sindical Laboral Foi prestada, gratuitamente, assistência na rescisão do contrato de trabalho, nos termos do artigo nº 477, 1º, da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), sendo comprovado neste ato o efetivo pagamento das verbas rescisórias especificadas no corpo do TRCT, o valor líquido de R$ 2.508,81, o qual, devidamente rubricado pelas partes, é parte integrante do presente Termo de Homologação. As partes assistidas no presente ato de rescisão contratual foram identificadas como legítimas conforme previsto na Instrução Normativa/SRT nº 15/2010. Fica ressalvado o direito de o trabalhador pleitear judicialmente os direitos informados no campo /, de de. 150 Assinatura do Empregador ou 153 Carimbo e Assinatura do Assistente 151 Assinatura do Trabalhador 152 Assinatura do Reponsável Legal do Trabalhador 153 Carimbo e Assinatura do Assistente 154 Nome do Órgão Homologador 155 Ressalvas 156 Informações à CAIXA: A ASSISTÊNCIA NO ATO DE RESCISÃO CONTRATUAL É GRATUITA. Pode o trabalhador iniciar ação judicial quanto aos créditos resultantes das relações de trabalho até o limite de dois anos após a extinção do contrato de trabalho (inciso XXIX, art. 7º da Constituição Federal/1988). 34

35 5.4 - Rescisão sem Justa Causa por Iniciativa do Empregador Com Aviso Prévio Trabalhado: Informações para Cálculo: Admissão: Afastamento: Baixa na CTPS - 18/06/2013 Salário R$ 1.95/Mês Total de 40 Horas Extras a 50% No mês de Fev/13, recebeu R$ 975,00 de adiantamento de 13º salário. Férias vencidas - 1 não gozadas Aviso prévio - trabalhado 30 dias Dependente - 02 (esposa e filho menor de 14 anos) Saldo do FGTS R$ 5.049,78 para fins rescisório Data base - 1º de Janeiro DIREITOS FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Saldo de Salário Art. 462 da CLT Salário Família Lei nº 8.213/91, arts. 65 e 70 Aviso Prévio por Tempo de Serviço Lei /2011 Férias Vencidas Art. 146 da CLT Férias proporcionais Art. 147 da CLT Acréscimo sobre férias de 1/3 Art. 7º, inciso XVII, da CF 13º Salário Lei nº 4.090/62, art. 3º Horas Extras Art. 59 da CLT Memória de Cálculo: Salário família não tem direito (salário contratual maior do que o salário de contribuição). Aviso Prévio Proporcional ao Tempo de Serviço Lei / dias (indenizar) Projeção: soma-se os dias do saldo de salário + os dias do aviso prévio proporcional ao tempo de serviço 12+6=18 dias, fração igual ou superior a 15 dias, considera mês integral. 13º Salário projetado 01/12 avos: R$ 1.95 : 12 = R$ 162,50 Férias projetado 01/12 avos: R$ 1.95 : 12 = R$ 162,50 Férias vencidas 30 dias = R$ 1.95 Férias proporcionais 09/12avos : R$ 1.95 : 12 = R$ 162,50 x 9 = R$ 1.462,50 (valor a pagar) 1/3 sobre férias: R$ 3.575,00 : 3 = R$ 1.191,67 (valor a pagar) 13 º Salário 05/12avos = R$ 1.95 : 12 = R$ 162,50 x 05 = R$ 812,50 (valor a pagar) Saldo de salário = R$ 1.95 : 30 = R$ 65,00 x 12 dias = R$ 78 Horas extras a 50% = R$ 1.95 (Salário) : 220 (jornada mensal) = R$ 8,86 (valor da hora normal) x 1.50 (HE 5 0%) = R$ 13,30 x 40 (total de horas) = R$ 531,82 (valor a pagar). DSR = (salário/220 x total de HEx1.50) número de dias úteis DSR = (1.95/220=8,86 x 1.50 x 40 ) = 531,82/10= R$ 53,18 x 2 = 106,36 10 Descontos: INSS sobre saldo de salário + HE+ DSR R$ 78+R$ 531,82+R$ 106,36 =R$ 1.418,14 x 9% = R$ 127,63 INSS sobre 13º salário R$ 65 x 8% = R$ 52,00 Adiantamento 13º Salário = R$ 975,00 Prazo para pagamento: 13/06/2013 ou o primeiro dia útil imediato ao término do contrato. 35

36 TERMO DE RESCISÃO DO CONTRATO DE TRABALHO 01 CNPJ/CEI 02 Razão Social/Nome IDENTIFICAÇÃO DO EMPREGADOR 03 Endereço (logradouro, nº, andar, apartamento) 04 Bairro 05 Município 06 UF 07 CEP 08 CNAE 09 CNPJ/CEI Tomador/Obra 10 PIS/PASEP 11 Nome IDENTIFICAÇÃO DO TRABALHADOR 12 Endereço (logradouro, nº, andar, apartamento) 13 Bairro 14 Município 15 UF 16 CEP 17 Carteira de Trabalho (nº, série, UF) 18 CPF 19 Data de Nascimento 20 Nome da Mãe 21 Tipo de Contrato Contrato de Trabalho por Prazo Indeterminado 22 Causa do Afastamento Rescisão Sem Justa por iniciativa do Empregador 23 Remuneração Mês Anterior R$ 1.95 DADOS DO CONTRATO 24 Data de Admissão 25 Data do Aviso Prévio 26 Data de Afastamento 27 Cód. Afastamento 01/09/ /05/ /06/2013 SJ2 28 Pensão Alimentícia (%) (TRCT) 29 Pensão Alimentícia (%) (FGTS) 30 Categoria do Trabalhador 31 Código Sindical 32 CNPJ e Nome da Entidade Sindical Laboral VERBAS RESCISÓRIAS Rubrica 50 Saldo de Salário 12/dias (líquido de 00/faltas e DSR) 53 Adic. de Insalubridade % 56.1 H Extras 40 horas a 50% 59 Reflexo do "DSR" sobre Salário Variável DISCRIMINAÇÃO DAS VERBAS RESCISÓRIAS Valor Rubrica Valor Rubrica Valor Comissões 52 Gratificações 531,82 57 Gorjetas 54 Adic. de Periculosidade % 55 Adic. Noturno horas a % 58 Descanso Semanal Remunerado (DSR) 106,36 60 Multa art. 477, 8º/CLT 62 Salário-Família 63 13º Salário Proporcional 05/12 avos 812, º Salário - Exercício - /12 avos 65 Férias Proporcionais 09/12 avos 1.412, Férias Venc. Per. Aquisitivo 01/09/2011 a 31/08/ Terço Constitucional de Férias 1.191,67 69 Aviso-Prévio Indenizado 06/dias º Salário (Aviso-Prévio Indenizado) 162,50 71 Férias (Aviso-Prévio Indenizado) 162,50 DEDUÇÕES Desconto 100 Pensão Alimentícia 103 Aviso-Prévio Indenizado /dias IRRF 99 Ajuste do saldo devedor TOTAL BRUTO Valor Desconto Valor Desconto Valor 101 Adiantamento Salarial Previdência Social 127, IRRF sobre 13º Salário 102 Adiantamento 13º Salário Prev Social - 13º Salário 7.499,85 975,00 52,00 Multa Art. 480 CL:T TOTAL DEDUÇÕES VALOR LÍQUIDO 1.154, ,21 36

37 TERMO DE HOMOLOGAÇÃO DE RESCISÃO DE CONTRATO DE TRABALHO EMPREGADOR 01 CNPJ/CEI 02 Razão Social/Nome TRABALHADOR 10 PIS/PASEP 11 Nome 17 Carteira de Trab. (nº, série, UF) 18 CPF 19 Data de Nascimento 20 Nome da Mãe CONTRATO 22 Causa do Afastamento Rescisão Sem Justa por iniciativa do Empregador 24 Data de Admissão 25 Data do Aviso Prévio 26 Data de Afastamento 27 Cód. Afast. 29 Pensão Alimentícia (%) (FGTS) 01/09/ /05/ /06/2013 SJ2 30 Categoria do Trabalhador 1 Empregado 31 Código Sindical 32 CNPJ e Nome da Entidade Sindical Laboral Foi prestada, gratuitamente, assistência na rescisão do contrato de trabalho, nos termos do artigo nº 477, 1º, da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), sendo comprovado neste ato o efetivo pagamento das verbas rescisórias especificadas no corpo do TRCT, o valor líquido de R$ 6.345,21, o qual, devidamente rubricado pelas partes, é parte integrante do presente Termo de Homologação. As partes assistidas no presente ato de rescisão contratual foram identificadas como legítimas conforme previsto na Instrução Normativa/SRT nº 15/2010. Fica ressalvado o direito de o trabalhador pleitear judicialmente os direitos informados no campo 155, abaixo. /, de de. 150 Assinatura do Empregador ou Preposto 153 Carimbo e Assinatura do Assistente 151 Assinatura do Trabalhador 152 Assinatura do Reponsável Legal do Trabalhador 153 Carimbo e Assinatura do Assistente 154 Nome do Órgão Homologador 155 Ressalvas 156 Informações à CAIXA: A ASSISTÊNCIA NO ATO DE RESCISÃO CONTRATUAL É GRATUITA. Pode o trabalhador iniciar ação judicial quanto aos créditos resultantes das relações de trabalho até o limite de dois anos após a extinção do contrato de trabalho (inciso XXIX, art. 7º da Constituição Federal/1988). 37

38 Dados do Empregador Razão Social: Endereço Logradouro: CNPJ/CEI: Bairro: Cidade: UF: CEP: FPAS: Simples: CNAE: CNPJ/CEI Tomador de Serviço: Dados do Trabalhador Nome: PIS/PASEP: Admissão: Categoria: 01 Data de Nascimento: Data Opção: CTPS: Movimentação: 12/06/2013 I1 Aviso Prévio: 1 Dissídio/Acordo: Informações Financeiras Mês Anterior a Rescisão Mês Rescisão Aviso Prévio Indenizado Multa Rescisória Remuneração/Saldo 2.230,68 552, ,43 Depósito 178,45 44, ,97 JAM Encargos Contrib. Social 527,24 Valor do Trabalhador: 2.331,62 Valor Devido pela Empresa: 2.858,86 Cabe ao trabalhador os valores de Depósitos e JAM 38

Desconto Valor Desconto Valor Desconto Valor 100 Pensão Alimentícia 101 Adiantamento Salarial

Desconto Valor Desconto Valor Desconto Valor 100 Pensão Alimentícia 101 Adiantamento Salarial ANEXO I TERMO DE RESCISÃO DO CONTRATO DE TRABALHO IDENTIFICAÇÃO DO EMPREGADOR 01 CNPJ/CEI 02 Razão Social/Nome 03 Endereço (logradouro, nº, andar, apartamento) 04 Bairro 05 Município 06 UF 07 CEP 08 CNAE

Leia mais

Encontros Regionais de Homologadores do Plano da CNTI

Encontros Regionais de Homologadores do Plano da CNTI Encontros Regionais de Homologadores do Plano da CNTI Secretarias 3ªSec.R Sul 1ºEncontro 3ªSec.R Sudeste 2º Encontro 2ªSec.R Sudeste 3º Encontro 3ªSec.R Nordeste 6º Encontro Sec.Centro-Oeste 4º Encontro

Leia mais

II - Termo de Homologação sem ressalvas - Anexo III; e. III - Termo de Homologação com ressalvas - Anexo IV.

II - Termo de Homologação sem ressalvas - Anexo III; e. III - Termo de Homologação com ressalvas - Anexo IV. PORTARIA N o 1621 DE 14 DE JULHO DE 2010 Aprova modelos de Termos de Rescisão de Contrato de Trabalho e Termos de Homologação. O MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO, no uso das atribuições que lhe

Leia mais

TERMO DE HOMOLOGAÇÃO DE RESCISÃO DE CONTRATO DE TRABALHO

TERMO DE HOMOLOGAÇÃO DE RESCISÃO DE CONTRATO DE TRABALHO TERMO DE RESCISÃO DO CONTRATO DE TRABALHO 01 CNPJ/CEI 02 Razão Social/Nome IDENTIFICAÇÃO DO EMPREGADOR 03 Endereço (logradouro, nº, andar, apartamento) 04 Bairro 05 Município 06 UF 07 CEP 08 CNAE 09 CNPJ/CEI

Leia mais

RESCISÃO DO CONTRATO DE TRABALHO E SUA ALTERAÇÃO

RESCISÃO DO CONTRATO DE TRABALHO E SUA ALTERAÇÃO 1 RESCISÃO DO CONTRATO DE TRABALHO E SUA ALTERAÇÃO Camila Cristina Verly Vieira 1 Márcia Serafim Alves 2 Resumo: Como base sobre o termo rescisório o objetivo é demonstrar as diversas formas de se rescindir

Leia mais

Ministério do Trabalho e Emprego

Ministério do Trabalho e Emprego . ANEXO I TERMO DE RESCISÃO DO CONTRATO DE TRABALHO IDENTIFICAÇÃO DO EMPREGADOR 01 CNPJ/CEI 02 Razão Social/Nome 03 Endereço (logradouro, nº, andar, apartamento) 04 Bairro 05 Município 06 UF 07 CEP 08

Leia mais

RESCISÃO DE CONTRATO

RESCISÃO DE CONTRATO RESCISÃO DE CONTRATO MTE altera novamente Portaria 1.621 que aprovou novos Termos de Rescisão O Ministério do Trabalho e Emprego, através da Portaria 1.057, de 6-7-2012, publicada no Diário Oficial de

Leia mais

Base Legal (Perguntas e Respostas 02.01)

Base Legal (Perguntas e Respostas 02.01) HOMOLOGNET Base Legal (Perguntas e Respostas 02.01) Portaria Nº 1.620, de 14/07/2010: Institui o sistema Homolognet; Portaria Nº 1.621, de 14/07/2010: Aprova modelos de TRCT e Termos de Homologação; Instrução

Leia mais

FUNDAMENTAÇÃO LEGAL APLICÁVEL NAS RESCISÕES DOS CONTRATOS DE TRABALHO

FUNDAMENTAÇÃO LEGAL APLICÁVEL NAS RESCISÕES DOS CONTRATOS DE TRABALHO FUNDAMENTAÇÃO LEGAL APLICÁVEL NAS RESCISÕES DOS CONTRATOS DE TRABALHO ANOTAÇÃO CTPS NA EMPREGADO DISPENSADO, SEM JUSTA CAUSA, NO PERÍODO DE 30 DIAS QUE ANTECEDE A DATA DE SUA CORREÇÃO SALARIAL MULTA DO

Leia mais

MANUAL CÁLCULOS RESCISÓRIOS

MANUAL CÁLCULOS RESCISÓRIOS MANUAL DE CÁLCULOS RESCISÓRIOS Elaborado por: Josenias Falcão Filho Fortaleza-Ceará APRESENTAÇÃO Este manual é um guia prático de cálculos rescisórios que à luz da legislação vigente, orientará o dirigente

Leia mais

Portaria MTE Nº 2685 DE 26/12/2011

Portaria MTE Nº 2685 DE 26/12/2011 Pag. 70 ISSN 1677-7042 Nº 248, terça-feira, 27 de dezembro de 2011 Portaria MTE Nº 2685 DE 26/12/2011 Altera a Portaria nº 1.621, de 14 de julho de 2010, que aprovou os modelos de Termos de Rescisão de

Leia mais

DIREITOS E DEVERES:TRABALHADOR E EMPREGADOR

DIREITOS E DEVERES:TRABALHADOR E EMPREGADOR DIREITOS E DEVERES:TRABALHADOR E EMPREGADOR Por intermédio destas informações, o SITRIVESCH tem por finalidade informar o trabalhador de seus direitos/deveres. Importante destacar que o não cumprimento

Leia mais

PORTARIA MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO Nº 1.057 DE 06.07.2012 D.O.U.: 09.07.2012

PORTARIA MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO Nº 1.057 DE 06.07.2012 D.O.U.: 09.07.2012 PORTARIA MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO Nº 1.057 DE 06.07.2012 D.O.U.: 09.07.2012 Altera a Portaria nº 1.621 de 14/07/2010, que aprovou os modelos de Termos de Rescisão do Contrato de Trabalho

Leia mais

Instruções de Impressão

Instruções de Impressão Instruções de Impressão 1. O modelo deverá ser plano e impresso em papel A4, na cor branca, com 297 milímetros de altura e 210 milímetros de largura em papel com, ao menos, 75 gramas por metro quadrado.

Leia mais

GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 1.057, DE 6 DE JULHO DE 2011

GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 1.057, DE 6 DE JULHO DE 2011 DOU Nº 131, segunda-feira, 9 de julho de 2012 Seção 1 Página 108 GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 1.057, DE 6 DE JULHO DE 2011 Altera a Portaria nº 1.621, de 14 de julho de 2010, que aprovou os modelos

Leia mais

Dispensa Sem Justa Causa. Dispensa com Justa Causa. (**) Culpa Recíproca ou Força Maior. Rescisão Indireta. Pedido de Demissão

Dispensa Sem Justa Causa. Dispensa com Justa Causa. (**) Culpa Recíproca ou Força Maior. Rescisão Indireta. Pedido de Demissão RESCISÃO DE CONTRATO DE TRABALHO VERBAS RESCISÓRIAS (Antes de qualquer procedimento rescisório, importante ler os cuidados especiais ao final Verbas adicionais) Dispensa Sem Justa Causa AvisoPrévio Dispensa

Leia mais

Recursos Humanos. Cálculos de Folha de Pagamento - Férias e Décimo-Terceiro. Férias - Finalidade. Férias - Direito. Patrícia Ramos Palmieri

Recursos Humanos. Cálculos de Folha de Pagamento - Férias e Décimo-Terceiro. Férias - Finalidade. Férias - Direito. Patrícia Ramos Palmieri Recursos Humanos Patrícia Ramos Palmieri Cálculos de Folha de Pagamento - Férias e Décimo-Terceiro 1 Férias - Finalidade A finalidade básica da concessão das férias é o restabelecimento das forças físicas

Leia mais

DEPARTAMENTO PESSOAL

DEPARTAMENTO PESSOAL DEPARTAMENTO PESSOAL DÚVIDAS MAIS FREQUENTES 1 1. Documentos necessários para admissão Para o processo de admissão, o novo funcionário deverá apresentar a relação de documentos abaixo: *Carteira de Trabalho

Leia mais

Módulo de Rescisão. Passaremos a explicar abaixo os campos da tela do cálculo da rescisão:

Módulo de Rescisão. Passaremos a explicar abaixo os campos da tela do cálculo da rescisão: Módulo de Rescisão Para calcular a rescisão, é necessário informar para quem se deseja calcular (Código, Divisão, Tomador), depois informar tipo de dispensa, data de aviso prévio, data de pagamento, dias

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SRT Nº 3, DE 21 DE JUNHO DE 2002.

INSTRUÇÃO NORMATIVA SRT Nº 3, DE 21 DE JUNHO DE 2002. INSTRUÇÃO NORMATIVA SRT Nº 3, DE 21 DE JUNHO DE 2002. Estabelece procedimentos para assistência ao empregado na rescisão de contrato de trabalho, no âmbito do Ministério do Trabalho e Emprego. A SECRETÁRIA

Leia mais

13º SALARIO Posteriormente, a Constituição Federal de 1988, em seu art. 7º,

13º SALARIO Posteriormente, a Constituição Federal de 1988, em seu art. 7º, 13º SALARIO Trabalhadores beneficiados Farão jus ao recebimento do 13º salário os seguintes trabalhadores: a) empregado - a pessoa física que presta serviços de natureza urbana ou rural à empresa, em caráter

Leia mais

O trabalhador pode começar a trabalhar sem dispor de CTPS? Não. O empregado não poderá ser admitido se não dispuser de CTPS.

O trabalhador pode começar a trabalhar sem dispor de CTPS? Não. O empregado não poderá ser admitido se não dispuser de CTPS. Direitos básicos dos Profissionais de Educação Física PERGUNTAS E RESPOSTAS CTPS Para que serve a Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS)? A CTPS serve como meio de prova: a ) da relação de emprego;

Leia mais

Capítulo I Seção I Disposições preliminares

Capítulo I Seção I Disposições preliminares INSTRUÇÃO NORMATIVA SRT N o 15, DE 14 DE JULHO DE 2010. Estabelece procedimentos para assistência e homologação na rescisão de contrato de trabalho. A SECRETÁRIA DE RELAÇÕES DO TRABALHO DO MINISTÉRIO DO

Leia mais

CLÁUSULA TERCEIRA VALE TRANSPORTE

CLÁUSULA TERCEIRA VALE TRANSPORTE CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2005/2006 PELO PRESENTE INSTRUMENTO DE CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO DE UM LADO O SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EMPRESAS DE RÁDIODIFUSÃO DO ESTADO DO PARANÁ, A SEGUIR DENOMINADO

Leia mais

FUNDAMENTAÇÃO LEGAL APLICÁVEL NAS RESCISÕES DOS CONTRATOS DE TRABALHO

FUNDAMENTAÇÃO LEGAL APLICÁVEL NAS RESCISÕES DOS CONTRATOS DE TRABALHO FUNDAMENTAÇÃO LEGAL APLICÁVEL NAS RESCISÕES DOS CONTRATOS DE TRABALHO ANOTAÇÃO CTPS NA EMPREGADO DISPENSADO, SEM JUSTA CAUSA, NO PERÍODO DE 30 DIAS QUE ANTECEDE A DATA DE SUA CORREÇÃO SALARIAL MULTA DO

Leia mais

A A CIRCULAÇÃO D O CD OU E-MAIL. receber por e-mail. UTORAIS

A A CIRCULAÇÃO D O CD OU E-MAIL. receber por e-mail. UTORAIS ROTEIRO DO CURSO ROTINAS TRABALHISTAS A A CIRCULAÇÃO O Curso de Rotinas Trabalhistas é composto de 7 módulos que serão remetidos aos cursandos de 15 em 15 dias. AUTORA VERA HELENA PALMA Advogada trabalhista,

Leia mais

Férias Proporcionais Até 5 faltas 6 a 14 faltas 15 a 23 faltas 24 a 32 faltas

Férias Proporcionais Até 5 faltas 6 a 14 faltas 15 a 23 faltas 24 a 32 faltas FÉRIAS ASPECTOS GERAIS Férias é o período de descanso anual, que deve ser concedido ao empregado após o exercício de atividades por um ano, ou seja, por um período de 12 meses, período este denominado

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 3, DE 21 DE JUNHO DE 2002

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 3, DE 21 DE JUNHO DE 2002 SECRETARIA DE RELAÇÕES DO TRABALHO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 3, DE 21 DE JUNHO DE 2002 Estabelece procedimentos para assistência ao empregado na rescisão de contrato de trabalho, no âmbito do Ministério do

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR001621/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 17/05/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR020706/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.008089/2011-29 DATA DO

Leia mais

MÉTODOS DE PREVENÇÃO CONTRA AÇÕES TRABALHISTAS PREVENÇÃO CONTRA AUTUAÇÕES FISCAIS TRABALHISTAS AUDITORIA INTERNA TRABALHISTA

MÉTODOS DE PREVENÇÃO CONTRA AÇÕES TRABALHISTAS PREVENÇÃO CONTRA AUTUAÇÕES FISCAIS TRABALHISTAS AUDITORIA INTERNA TRABALHISTA MÉTODOS DE PREVENÇÃO CONTRA AÇÕES TRABALHISTAS PREVENÇÃO CONTRA AUTUAÇÕES FISCAIS TRABALHISTAS AUDITORIA INTERNA TRABALHISTA Fiscalização do Trabalho Finalidade: tem por finalidade assegurar, em todo o

Leia mais

Homologação - Contrato de Trabalho SECRETARIA DE RELAÇÕES DO TRABALHO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 3, DE 21 DE JUNHO DE 2002

Homologação - Contrato de Trabalho SECRETARIA DE RELAÇÕES DO TRABALHO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 3, DE 21 DE JUNHO DE 2002 Homologação - Contrato de Trabalho SECRETARIA DE RELAÇÕES DO TRABALHO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 3, DE 21 DE JUNHO DE 2002 Estabelece procedimentos para assistência ao empregado na rescisão de contrato de

Leia mais

Apostila de 13 Salário. Capacitação e Treinamento 1

Apostila de 13 Salário. Capacitação e Treinamento 1 Apostila de 13 Salário Capacitação e Treinamento 1 Conteúdo 1. DÉCIMO TERCEIRO SALÁRIO... 3 1.1. Contagem de Avos... 3 1.2. Primeira Parcela Pagamento até 30/11... 3 1.3. Empregados não disponíveis durantes

Leia mais

MANUAL DOS DIREITOS DOS COMERCIÁRIOS

MANUAL DOS DIREITOS DOS COMERCIÁRIOS 11. DIREITOS NA HORA DA DEMISSÃO É de fundamental importância saber quais os direitos dos trabalhadores na hora da rescisão do contrato de trabalho. Devese ter especial atenção no caso de demissões sem

Leia mais

Direitos do(a) Empregado(a) Doméstico(a)

Direitos do(a) Empregado(a) Doméstico(a) Direitos do(a) Empregado(a) Doméstico(a) Carteira de Trabalho e Previdência Social, devidamente anotada Devidamente anotada, especificando- se as condições do contrato de trabalho (data de admissão, salário

Leia mais

ÍNDICE CURSO DE DEPARTAMENTO PESSOAL. DEPARTAMENTO PESSOAL ONLINE www.departamentopessoalonline.com - 3 -

ÍNDICE CURSO DE DEPARTAMENTO PESSOAL. DEPARTAMENTO PESSOAL ONLINE www.departamentopessoalonline.com - 3 - ÍNDICE CURSO DE DEPARTAMENTO PESSOAL INTRODUÇÃO... 008 DISPOSIÇÕES GERAIS... 009 Conceito de empregador... 009 Conceito de empregado... 009 Direitos do empregado... 010 ASSÉDIO MORAL E SEXUAL NO TRABALHO...

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2000/2001

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2000/2001 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2000/2001 Acordo Coletivo de Trabalho que entre si fazem, de um lado, a Federação Única dos Petroleiros e os seguintes sindicatos: Sindicato do Ramo Químico/Petroleiro do Estado

Leia mais

Auxiliar Jurídico. Módulo IV. Aula 01

Auxiliar Jurídico. Módulo IV. Aula 01 Auxiliar Jurídico Módulo IV Aula 01 1 CÁLCULOS TRABALHISTAS Neste módulo você irá aprender a realizar os cálculos de verbas rescisórias e Liquidação de Sentença. I. VERBAS RESCISÓRIAS Podemos entender

Leia mais

INFORMATIVO 14/2015 LEI COMPLEMENTAR REGULAMENTA DIREITO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS

INFORMATIVO 14/2015 LEI COMPLEMENTAR REGULAMENTA DIREITO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS Data do boletim informativo Volume 1, Edição 1 Digite o título aqui INFORMATIVO 14/2015 LEI COMPLEMENTAR REGULAMENTA DIREITO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS Lei Complementar nº 150, de 1º de junho de 2015 -

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: DF000433/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 30/09/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR054260/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46206.010934/2010-24 DATA DO

Leia mais

Registro. Pessoal. Fernando Silva da Paixão

Registro. Pessoal. Fernando Silva da Paixão Registro de Pessoal Fernando Silva da Paixão Rescisão por Término do Contrato Determinado O empregado terá direito a: 1. Saldo de salário (art. 462 da CLT art.. 7º, inciso X da CF) 2. Férias vencidas e

Leia mais

INSS/FGTS/IRRF TABELA DE INCIDÊNCIAS

INSS/FGTS/IRRF TABELA DE INCIDÊNCIAS INSS/FGTS/IRRF TABELA DE INCIDÊNCIAS Abonos de qualquer natureza Evento Descrição INSS FGTS IRRF Acidente de Trabalho - Típico - Trajeto - Doença Laboral Acidente de Trabalho - Típico - Trajeto - Doença

Leia mais

SEMINÁRIO: Homolognet na prática e regras para o aviso prévio

SEMINÁRIO: Homolognet na prática e regras para o aviso prévio SEMINÁRIO: Homolognet na prática e regras para o aviso prévio CHRISTINA PILA Tópicos Propostos Rescisão Contratual: o Novo Aviso Prévio, os Novos Termos de Rescisão e o Homolognet Modalidades de Rescisão

Leia mais

ASSISTÊNCIA E HOMOLOGAÇÃO DA RESCISÃO DE CONTRATO DE TRABALHO

ASSISTÊNCIA E HOMOLOGAÇÃO DA RESCISÃO DE CONTRATO DE TRABALHO Matéria - Trabalhista ASSISTÊNCIA E HOMOLOGAÇÃO DA RESCISÃO DE CONTRATO DE TRABALHO SUMÁRIO 1. Introdução 2. Disposições Preliminares 3. Sistema Homolognet Utilização 3.1. Termo de Rescisão de Contrato

Leia mais

LEI Nº 9.601, DE 21 DE JANEIRO DE 1998. Dispõe sobre o contrato de trabalho por prazo determinado e dá outras providências

LEI Nº 9.601, DE 21 DE JANEIRO DE 1998. Dispõe sobre o contrato de trabalho por prazo determinado e dá outras providências LEI Nº 9.601, DE 21 DE JANEIRO DE 1998 Dispõe sobre o contrato de trabalho por prazo determinado e dá outras providências (Alterada pela MP Nº 2.076-35/27.03.2001, MP Nº 2.164-41/24.08.2001 já inserida

Leia mais

INSS/FGTS/IRRF - TABELA DE INCIDÊNCIAS Tabela de incidências

INSS/FGTS/IRRF - TABELA DE INCIDÊNCIAS Tabela de incidências INSS/FGTS/IRRF - TABELA DE INCIDÊNCIAS Tabela de incidências Evento Descrição INSS FGTS IRRF Abonos de qualquer natureza Acidente de Trabalho - Típico - Trajeto - Doença Laboral Acidente de Trabalho -

Leia mais

http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/resumo/resumovisualizar?nrsolicitacao...

http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/resumo/resumovisualizar?nrsolicitacao... Página 1 de 5 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: GO000542/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 13/06/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR024046/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46290.001101/2013-11 DATA DO PROTOCOLO: 23/05/2013 CONVENÇÃO

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Página 1 de 7 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC002511/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR053502/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.005004/2012-32 DATA

Leia mais

Manual Prático Trabalhista e Previdenciário

Manual Prático Trabalhista e Previdenciário Manual Prático Trabalhista e Previdenciário Qual é o prazo para pagamento dos salários dos empregados? R: O pagamento deve ser realizado até o 5º dia útil do mês seguinte. Esta deve ser a data em que deve

Leia mais

DÉCIMO TERCEIRO SALÁRIO 1ª Parcela

DÉCIMO TERCEIRO SALÁRIO 1ª Parcela DÉCIMO TERCEIRO SALÁRIO 1ª Parcela Sumário 1. Introdução 2. Quem Tem Direito 3. Valor a Ser Pago 3.1 - Empregados Admitidos Até 17 de Janeiro 3.2 - Empregados Admitidos Após 17 de Janeiro 3.3 - Empregados

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Página 1 de 6 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG004008/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR057851/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.008943/2011-67 DATA

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2009/2010

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2009/2010 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2009/2010 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR002151/2009 DATA DE REGISTRO NO MTE: 26/08/2009 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR026676/2009 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.010071/2009-72 DATA DO

Leia mais

Lição 11. Fundo de Garantia do Tempo de Serviço - FGTS

Lição 11. Fundo de Garantia do Tempo de Serviço - FGTS Lição 11. Fundo de Garantia do Tempo de Serviço - FGTS (Lei nº 8.036, de 11/5/90, e Decreto nº 99.684, de 8/11/90). 11.1. CONSIDERAÇÕES GERAIS O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) é uma conta

Leia mais

TERMO DE RESCISÃO DE CONTRATO DE TRABALHO IDENTIFICAÇÃO DO EMPREGADOR DISCRIMINAÇÃO DAS VERBAS RESCISÓRIAS [C]

TERMO DE RESCISÃO DE CONTRATO DE TRABALHO IDENTIFICAÇÃO DO EMPREGADOR DISCRIMINAÇÃO DAS VERBAS RESCISÓRIAS [C] TERMO DE RESCISÃO DE CONTRATO DE TRABALHO IDENTIFICAÇÃO DO EMPREGADOR 01 CNPJ/CEI 03.965.584/0015.23 03 Endereço (logradouro, nº, andar, apartamento) Avenida Presidente Kennedy, 4400 05 Município Olinda

Leia mais

Atuação do Gestor. no Departamento de Pessoal. Gestão de Pessoas. Fernando Silva da Paixão

Atuação do Gestor. no Departamento de Pessoal. Gestão de Pessoas. Fernando Silva da Paixão Atuação do Gestor no Departamento de Pessoal Atuação do Gestor Férias E 13º Salário Sistema Integrado de Gestão de Pessoas no Dep. Pessoal PLR Férias Todo empregado adquire o direito às férias após 12

Leia mais

Disciplina: Direito e Processo do Trabalho 4º Semestre - 2011 Professor Donizete Aparecido Gaeta Resumo de Aula. 15º Ponto Aviso Prévio.

Disciplina: Direito e Processo do Trabalho 4º Semestre - 2011 Professor Donizete Aparecido Gaeta Resumo de Aula. 15º Ponto Aviso Prévio. Aviso Prévio 1. Conceito 2. Cabimento 3. Prazo 4. Início da contagem do prazo 5. Ausência do aviso prévio 6. Anotação na CTPS da data do encerramento do contrato de trabalho 7. Renúncia do período de aviso

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL 1 de 5 05/11/2014 10:02 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC002761/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 04/11/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR066410/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.007110/2014-12

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Página 1 de 7 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG000637/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR004928/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.001229/2011-48 DATA

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR003439/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 26/08/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR046249/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.012779/2015 14 DATA DO

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2014

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2014 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2014 SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE AUTOMÓVEIS E ACESSÓRIOS DE BELO HORIZONTE, CNPJ n. 17.265.893/0001-08, neste ato representado por seu Presidente, Sr. HELTON

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC002716/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 16/11/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR064091/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.006426/2015-78 DATA DO

Leia mais

Módulo Recursos Humanos

Módulo Recursos Humanos Módulo Recursos Humanos Folha de Pagamento Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo Recursos Humanos Folha de Pagamento. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas

Leia mais

HORAS EXTRAS E SEUS REFLEXOS TRABALHISTAS

HORAS EXTRAS E SEUS REFLEXOS TRABALHISTAS CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL MINÁRIO DE ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO DE ASSUNTOÁBEIS DE PORTO ALEERIO PALESTRA HORAS

Leia mais

O IMPACTO NA CONTABILIZAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS COM A ALTERAÇÃO DOS SEUS DIREITOS PELA PEC DAS DOMÉSTICAS

O IMPACTO NA CONTABILIZAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS COM A ALTERAÇÃO DOS SEUS DIREITOS PELA PEC DAS DOMÉSTICAS O IMPACTO NA CONTABILIZAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS COM A ALTERAÇÃO DOS SEUS DIREITOS PELA PEC DAS DOMÉSTICAS Linha de pesquisa: Gestão Empresarial João Paulo dos Santos Ribeiro

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL Página 1 de 6 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RN000390/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 25/10/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR060523/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46217.008181/2013-19

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO Secretaria de Relações do Trabalho Coordenação-Geral de Informática

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO Secretaria de Relações do Trabalho Coordenação-Geral de Informática INTRODUÇÃO O Sistema Homolognet tem por escopo a realização do cálculo da rescisão de contrato de trabalho e a elaboração do TRCT (Termo de Rescisão do Contrato de Trabalho) do empregado que, de acordo

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 SINDICATO DOS TECNICOS EM SEGURANCA TRABALHO DO ESTADO DE MINAS GERAIS, CNPJ n. 25.578.642/0001-01, neste ato representado por seu Presidente, Sr. CLÁUDIO FERREIRA SANTOS;

Leia mais

15 - BASES DE INCIDÊNCIA E NÃO INCIDÊNCIA

15 - BASES DE INCIDÊNCIA E NÃO INCIDÊNCIA 15 - BASES DE INCIDÊNCIA E NÃO INCIDÊNCIA 15.1 - Integram a remuneração para fins de cálculos dos valores devidos à Previdência Social e a serem recolhidos para o FGTS, dentre outras, as seguintes parcelas:

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2006 SESCOOP SINDAF/DF

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2006 SESCOOP SINDAF/DF ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2006 SESCOOP SINDAF/DF ACORDO COLETIVO DE TRABALHO, que celebram de um lado, o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo SESCOOP NACIONAL - CNPJ N.º 03.087.543/0001-86,

Leia mais

Direitos do Empregado Doméstico

Direitos do Empregado Doméstico Direitos do Empregado Doméstico Com a aprovação da Emenda Constitucional n 72, que ocorreu em 02/04/2013, o empregado doméstico passou a ter novos direitos. Alguns deles independem de regulamentação e,

Leia mais

Pessoa ou família que admite a seu serviço empregado doméstico (Decreto nº 71.885/1973, art. 3º, II).

Pessoa ou família que admite a seu serviço empregado doméstico (Decreto nº 71.885/1973, art. 3º, II). FONTE: www.iobonlineregulatorio.com.br EMPREGADO DOMÉSTICO: Considera-se doméstico o empregado que presta serviços de natureza contínua e de finalidade não lucrativa a pessoa ou família, no âmbito residencial

Leia mais

Tabela de Incidência INSS/FGTS/IRRF INSS FGTS IR

Tabela de Incidência INSS/FGTS/IRRF INSS FGTS IR Tabela de Incidência INSS/FGTS/IRRF INCIDÊNCIAS RUBRICAS INSS FGTS IR de qualquer natureza, salvo o de férias Sim. Art. 28, I, Lei nº e 1º, art. 457 da CLT Abono pecuniário de férias Arts. 28, 9º, e, 6

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Página 1 de 7 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR001746/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 21/05/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR020832/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.005849/2012-27

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR001711/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 06/05/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR016575/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.005146/2014-61 DATA DO

Leia mais

Parágrafo Único -- Não serão compensados os aumentos decorrentes de promoção, transferência, equiparação salarial e término de aprendizagem.

Parágrafo Único -- Não serão compensados os aumentos decorrentes de promoção, transferência, equiparação salarial e término de aprendizagem. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO CELEBRADA ENTRE O SINDIMVET SINDICATO DOS MÉDICOS VETERINÁRIOS DO ESTADO DE SÃO PAULO e SINPAVET SINDICATO PATRONAL DOS MÉDICOS VETERINÁRIOS DO ESTADO DE SÀO PAULO PERÍODO

Leia mais

http://www.lgncontabil.com.br/ Empregado aposentado - Rescisão do contrato de trabalho - Multa do FGTS

http://www.lgncontabil.com.br/ Empregado aposentado - Rescisão do contrato de trabalho - Multa do FGTS Empregado aposentado - Rescisão do contrato de trabalho - Multa do FGTS Sumário Introdução I - Contribuição previdenciária II - FGTS e demais verbas trabalhistas III - Rescisão contratual IV - Entendimentos

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2013

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2013 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG001633/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 30/04/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR017942/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.001682/2013-16 DATA DO

Leia mais

AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS OBRIGAÇÕES MENSAIS SALÁRIOS CAGED INSS

AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS OBRIGAÇÕES MENSAIS SALÁRIOS CAGED INSS AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS OBRIGAÇÕES MENSAIS SALÁRIOS O empregador deve efetuar o pagamento de salários aos empregados até o 5º (quinto) dia útil do mês subsequente ao vencido.

Leia mais

1 - Qual o prazo que o empregador tem para efetuar o pagamento de salário ao empregado?

1 - Qual o prazo que o empregador tem para efetuar o pagamento de salário ao empregado? 1 - Qual o prazo que o empregador tem para efetuar o pagamento de salário ao empregado? O pagamento em moeda corrente, mediante recibo, deverá ser feito até o 5º dia útil do período (mês, quinzena, semana)

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR001599/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 10/05/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR017802/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.004343/2013-81 DATA DO

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Page 1 of 6 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG001428/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR021439/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.003413/2010-41 DATA

Leia mais

As férias serão concedidas em um só período. Somente em casos excepcionais (a lei

As férias serão concedidas em um só período. Somente em casos excepcionais (a lei 12. FÉRIAS 12.1 AQUISIÇÃO DE FÉRIAS O empregado adquire o direito de férias após 12 meses de vigência do contrato de prestação de trabalho. Não é possível conceder férias individuais a empregados com período

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS Disciplina: Direito do Trabalho II Professora: Cláudia Glênia JUR: MATERIAL APENAS PARA ROTEIRO DISCIPLINAR, NÃO DEVE SER USADO

Leia mais

Boletim Técnico. Manual HomologNet

Boletim Técnico. Manual HomologNet Boletim Técnico Manual HomologNet O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), através da Portaria 1620 de 14 de Julho de 2010 estabelece a utilização do sistema Homolognet para assistência ao trabalhador

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG005003/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 05/12/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR079528/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.007490/2014-02 DATA

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC000812/2009 DATA DE REGISTRO NO MTE: 19/06/2009 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR017988/2009 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.002440/2009-54 DATA

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO REAJUSTES/CORREÇÕES SALARIAIS

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO REAJUSTES/CORREÇÕES SALARIAIS 1 de 7 25/07/2014 09:03 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ001369/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 24/07/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR038747/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.014791/2014-44

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ002217/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 20/10/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR053080/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.035134/2010-15 DATA DO

Leia mais

Tabela de incidência Tributária

Tabela de incidência Tributária Tabela de incidência Tributária INCIDÊNCIAS RUBRICAS INSS FGTS IR de qualquer natureza, salvo o de férias Sim. Art. 28, I, Lei nº e 1º, art. 457 da CLT Abono pecuniário de férias Não. Arts. 28, 9º, e,

Leia mais

Tabela de Incidência INSS/FGTS/IRRF INSS FGTS IR

Tabela de Incidência INSS/FGTS/IRRF INSS FGTS IR Tabela de Incidência INSS/FGTS/IRRF INCIDÊNCIAS RUBRICAS INSS FGTS IR de qualquer natureza, salvo o de férias Sim. Art. 28, I, Lei nº e 1º, art. 457 da CLT Abono pecuniário de férias Arts. 28, 9º, e, 6

Leia mais

T E R M O A D I T I V O VIGÊNCIA: 1º/02/2012 A 31/01/2013

T E R M O A D I T I V O VIGÊNCIA: 1º/02/2012 A 31/01/2013 TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO que entre si celebram, de um lado, representando a categoria profissional, o SINDICATO DOS AUXILIARES DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR DO ESTADO DE MINAS GERAIS SAAE/MG,

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: CE000799/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 28/05/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR024376/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46205.008192/2014-19 DATA

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL Página 1 de 5 Imprimir Salvar TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG001556/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 20/04/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR076938/2014

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ001554/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 12/08/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR032670/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.023032/2010-49 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000953/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 10/06/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR029282/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.009097/2013-02 DATA DO

Leia mais

ATUALIZAÇÃ ÇÃO TRABALHISTA. Alexandre Corrêa

ATUALIZAÇÃ ÇÃO TRABALHISTA. Alexandre Corrêa ATUALIZAÇÃ ÇÃO TRABALHISTA Alexandre Corrêa ATUALIZAÇÃ ÇÃO O TRABALHISTA PROGRAMA EMPREGADO DOMÉSTICO (Aspectos Legais) EMPREGADO DOMÉSTICO A Lei 5859/72 regulamentada pelo Decreto 71885/73 tornou reconhecida

Leia mais

Férias Coletivas: AULA 7: terço constitucional

Férias Coletivas: AULA 7: terço constitucional AULA 7: Férias Coletivas: ART. 7º, XVII, CRFB gozo de férias anuais remuneradas com, pelo menos, ⅓ a + do que o salário normal. FÉRIAS = SALÁRIO + ⅓ terço constitucional férias coletivas art. 139 a 141

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000787/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 18/05/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR024630/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.008066/2015-98 DATA

Leia mais

CÁLCULOS TRABALHISTAS

CÁLCULOS TRABALHISTAS CÁLCULOS TRABALHISTAS Remuneração - Salário acrescido da média das variáveis (exemplo: comissões) dos últimos 12 meses. - Média: soma das 6 maiores parcelas variáveis mês a mês, divididas por 6, dentro

Leia mais