Causalidade e imputação no Direito Penal

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Causalidade e imputação no Direito Penal"

Transcrição

1 FELIPE LIMA DE ALMEIDA Mestre em Direito pela UCAM, Pós Graduado em Direito Público, Professor de Direito Penal e Execução Penal da Fundação Escola Superior da Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro FESUDEPERJ, Professor convidado da FGV Direito-Rio, Defensor Público do Estado do Rio de Janeiro. Causalidade e imputação no Direito Penal Análise crítica da moderna teoria da imputação objetiva no ordenamento jurídico brasileiro Rio de Janeiro 2013

2 1ª Edição 2013 Copyright Felipe Almeida de Almeida CIP Brasil. Catalogação-na-fonte. Sindicato Nacional dos Editores de Livros, RJ. A449c Almeida, Felipe Lima de Causalidade e imputação no Direito Penal: análise crítica da moderna teoria da imputação objetiva no ordenamento jurídico brasileiro / Felipe Lima de Almeida. 1ª ed. Rio de Janeiro: LMJ Mundo Jurídico, p. : il.; 23 cm ISBN Direito Penal. 2. Causalidade (Direito). 3. Danos (Direito). 4. Responsabilidade (Direito). I. Título CDU: 343.2(81) O titular cuja obra seja fraudulentamente reproduzida, divulgada ou de qualquer forma utilizada poderá requerer a apreensão dos exemplares reproduzidos ou a suspensão da divulgação, sem prejuízo da indenização cabível (art. 102 da Lei nº 9.610, de ). Quem vender, expuser à venda, ocultar, adquirir, distribuir, tiver em depósito ou utilizar obra ou fonograma reproduzidos com fraude, com a finalidade de vender, obter ganho, vantagem, proveito, lucro direto ou indireto, para si ou para outrem, será solidariamente responsável com o contrafator, nos termos dos artigos precedentes, respondendo como contrafatores o importador e o distribuidor em caso de reprodução no exterior (art. 104 da Lei nº 9.610/98). As reclamações devem ser feitas até noventa dias a partir da compra e venda com nota fiscal (interpretação do art. 26 da Lei nº 8.078, de ). Reservados os direitos de propriedade desta edição pela GZ EDITORA Travessa do Paço nº 23, sala Centro CEP Rio de Janeiro RJ Tels.: (0XX21) / Fax: (0XX21) Impresso no Brasil Printed in Brazil

3 indice sistemático Agradecimentos... Prefácio... Apresentação... VII XIII XV Introdução... 1 Capítulo I Da Teoria Geral do Delito 1. Considerações Introdutórias Da Infração Penal A Teoria Geral do Delito Do crime Da conceituação do delito Do conceito formal de crime Do Conceito Naturalístico de crime Do Conceito sociológico de crime Do Conceito Material de crime Do Conceito Analítico de crime Da evolução dos Sistemas Conceituais do delito Escola Clássica Feuerbach Hegel Positivismo naturalístico Sistemas Causais Sistema Causal Naturalista Sistema Causal-valorativo A Teoria Fenomenológica do Direito e a Teoria Finalista O Sistema Finalista do Delito Críticas ao Sistema Finalista Teorias Sociais da Ação... 53

4 X FELIPE LIMA DE ALMEIDA 4. A Teoria Finalista no Brasil Capítulo II Do nexo causal 1. Considerações Introdutórias Do Nexo de Causalidade Teoria da Equivalência dos Antecedentes Causais Teorias individualizadoras da causalidade (ou da responsabilidade) Teoria da Causalidade Adequada Teoria da Relevância Jurídica Outras teorias Individualizadoras Menos Representativas Teoria da causa humana exclusiva Teoria da condição perigosa Teoria da eficiência Teoria da qualidade do efeito Teoria da preponderância Teoria da causalidade racional Teoria da causa próxima Teoria da tipicidade condicionada Teoria da causalidade jurídica Teoria da causa típica Teoria da causalidade humana representável Nosso Direito Positivo O nexo de causalidade e a imputação no Direito Penal Brasileiro Causa Independente Causa Absolutamente Independente Causa Relativamente Independente Críticas doutrinárias Regresso ao Infinito x Proibição do Regresso Causalidade Hipotética Causalidade Alternativa Causalidade Cumulativa A problemática das concausas Concausas preexistentes e concomitantes relativamente independentes Causa superveniente e a linha de desdobramento físico

5 CAUSALIDADE E IMPUTAÇÃO NO DIREITO PENAL XI Capítulo III A Teoria da Imputação Objetiva 1. Introdução Antecedentes Históricos Platão Aristóteles Samuel Pufendorf Georg Hegel Karl Larenz Richard Honig Werner Hardwig Karhs Teoria Finalista e Adequação Social Claus Roxin e o princípio do risco Linhas Gerais de um Sistema Funcionalista Teleológico (racional) A Moderna Teoria da Imputação Objetiva de Claus Roxin Capítulo IV Os critérios da moderna teoria da imputação objetiva 1. A criação de um risco não permitido A exclusão da imputação nas hipóteses de diminuição do risco Exclusão da imputação na ausência de criação do perigo Criação de Perigo e Cursos Causais Hipotéticos A exclusão da imputação nos casos de risco permitido A realização do risco não permitido Exclusão da imputação no caso de ausência de realização do perigo Exclusão da imputação no Caso de não Realização do Risco Proibido Exclusão da Imputação no Caso de Resultados não Compreendidos no fim de Proteção da Norma de Cuidado Comportamentos Alternativos Conforme o Direito e a Teoria do Aumento do Risco Alcance do Tipo Contribuição a uma Autocolocação Dolosa em Perigo Heterocolocação em Perigo Consentida A Atribuição ao Âmbito de Responsabilidade Alheio Análise Crítica

6 XII FELIPE LIMA DE ALMEIDA Conclusão Bibliografia Anexos

Curso de DIREITO FINANCEIRO BRASILEIRO

Curso de DIREITO FINANCEIRO BRASILEIRO MARCUS ABRAHAM Curso de DIREITO FINANCEIRO BRASILEIRO 3 a edição I revista, atualizada e ampliada *** ~ FORENSE ~ Rio de Janeiro A EDITORA FORENSE se responsabiliza pelos vícios do produto no que concerne

Leia mais

STJ00097030. Adeildo Nunes

STJ00097030. Adeildo Nunes STJ00097030 Adeildo Nunes Doutorando e Mestre em Direito pela Universidade Lusíada de Lisboa. Juiz de Direito em Pernambuco (1990/2012). Membro do Conselho Nacional de Política Crimillal e Penitenciária

Leia mais

STJ00098028. Luiz Antonio Scavone Junior I I I I. 5 a edição revista, atualizada e ampliada RIO DE JANEIRO

STJ00098028. Luiz Antonio Scavone Junior I I I I. 5 a edição revista, atualizada e ampliada RIO DE JANEIRO Luiz Antonio Scavone Junior I I I I 5 a edição revista, atualizada e ampliada RIO DE JANEIRO A EDITORA FORENSE se responsabiliza pelos vicios do produto no que concerne à sua edição (impressão e apresentação

Leia mais

Organizador. Silvio Javier Battello Calderón. Fabiano Menke. Laura Machado de Oliveira. Ricardo Alvarez. Alejandra Marinari. Elías Mantero Mauri

Organizador. Silvio Javier Battello Calderón. Fabiano Menke. Laura Machado de Oliveira. Ricardo Alvarez. Alejandra Marinari. Elías Mantero Mauri Silvio Javier Battello Calderón Organizador Os Novos Desafios do Direito Empresarial e Econômico COAUTORES Silvio Javier Battello Calderón Raul Anibal Etcheverry Ricardo Alvarez Alejandra Marinari Fabiano

Leia mais

CONTRATO PRELIMINAR: FUNÇÃO, OBJETO E EXECUÇÃO ESPECÍFICA

CONTRATO PRELIMINAR: FUNÇÃO, OBJETO E EXECUÇÃO ESPECÍFICA CONTRATO PRELIMINAR: FUNÇÃO, OBJETO E EXECUÇÃO ESPECÍFICA ANDRÉ BRANDÃO NERY COSTA Mestrando em Direito Civil da UERJ CONTRATO PRELIMINAR: FUNÇÃO, OBJETO E EXECUÇÃO ESPECÍFICA editora Rio de Janeiro 2011

Leia mais

Autores CURSO TEÓRICO E PRÁTICO DE MEDIAÇÃO, CONCILIAÇÃO E ARBITRAGEM

Autores CURSO TEÓRICO E PRÁTICO DE MEDIAÇÃO, CONCILIAÇÃO E ARBITRAGEM Autores Maria Bernadete Miranda Clóvis Antonio Maluf CURSO TEÓRICO E PRÁTICO DE MEDIAÇÃO, CONCILIAÇÃO E ARBITRAGEM Rio de Janeiro 2013 1ª edição 2013 Copyright Maria Bernadete Miranda Clóvis Antonio Maluf

Leia mais

TERCEIRO SETOR ETRIBUTAÇAO

TERCEIRO SETOR ETRIBUTAÇAO Coordenador José Eduardo Sabo Paes TERCEIRO SETOR,." ETRIBUTAÇAO Coordenadora Adjunta Juliana Aparecida Magalhães Adair Siqueira de Queiroz Filho Celso Antonio Pires Ferreira Claudia Rodrigues Martins

Leia mais

AS LENDAS DA AMAZONIA E O DIREITO

AS LENDAS DA AMAZONIA E O DIREITO GEORGENOR DE SOUSA FRANCO FILHO Coordenação AS LENDAS DA AMAZONIA E O DIREITO COLABORADORES Débora Rocha Pedrini Edisnéia do Socorro Nascimento Melo Flávio Augusto Guimarães Holanda José Lopes Tavares

Leia mais

A LEI DO,INQUILINATO COMENTADA

A LEI DO,INQUILINATO COMENTADA SVLVIO CAPANEMA DE SOUZA A LEI DO,INQUILINATO COMENTADA Artigo por artigo ga edição Revista, atualizada e ampliada *** ~ FORENSE ~ RIO DE JANEIRO A EDITORA FORENSE se responsabiliza pelos vicios do produto

Leia mais

INTRODUÇAO AO ESTUDO DO DIREITO

INTRODUÇAO AO ESTUDO DO DIREITO GUSTAVO FILIPE BARBOSA GARCIA - INTRODUÇAO AO ESTUDO DO DIREITO TEORIA GERAL DO DIREITO DIDÁTICA DIFERENCIADA 3. a edição revista eatualizada *** reitora ~ H TODO SÃO PAULO A EDITORA MÉTODO se responsabiliza

Leia mais

Encontro do Direito com a Poesia

Encontro do Direito com a Poesia João Baptista Herkenhoff Encontro do Direito com a Poesia (Crônicas e escritos leves) G Z EDITORA Rio de Janeiro 2012 1ª edição 2012 Copyright João Baptista Herkenhoff H47e CIP Brasil. Catalogação-na-fonte.

Leia mais

~ ~ McTODO SÃO PAULO

~ ~ McTODO SÃO PAULO Flávio Tartuce :C I.. 'r1'i Direito das Sucessões B. a edição revista, atualizada e ampliada *** ~ ~ McTODO SÃO PAULO ~~::;'S 1: STJ00100365 A EDITORA Mt::TODO se responsabiliza pelos vlcios do produto

Leia mais

PONTO 1: Conduta PONTO 2: Resultado PONTO 3: Nexo Causal PONTO 4: Tipicidade 1. CONDUTA. 1.1.1 CAUSALISMO ou NATURALÍSTICA Franz Von Liszt

PONTO 1: Conduta PONTO 2: Resultado PONTO 3: Nexo Causal PONTO 4: Tipicidade 1. CONDUTA. 1.1.1 CAUSALISMO ou NATURALÍSTICA Franz Von Liszt 1 DIREITO PENAL PONTO 1: Conduta PONTO 2: Resultado PONTO 3: Nexo Causal PONTO 4: Tipicidade 1.1 TEORIAS DA CONDUTA 1. CONDUTA 1.1.1 CAUSALISMO ou NATURALÍSTICA Franz Von Liszt Imperava no Brasil até a

Leia mais

Direito Penal Emerson Castelo Branco

Direito Penal Emerson Castelo Branco Direito Penal Emerson Castelo Branco 2014 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. DIREITO PENAL CONCEITO DE CRIME a) material: Todo fato humano que lesa ou expõe a perigo

Leia mais

CURSO DE DIREITO INTERNACIONAL PRIVADO

CURSO DE DIREITO INTERNACIONAL PRIVADO STJ00100064 Florisbal de Souza Del'Olmo CURSO DE DIREITO INTERNACIONAL PRIVADO lp edição revista, atualizada e ampliada *** ~ FORENSE ~ RIO DE JANEIRO STJ00100064 A EDITORA FORENSE se responsabiliza pelos

Leia mais

CURSO COMPLETO E ATUALIZADO DE DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO

CURSO COMPLETO E ATUALIZADO DE DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO Patrícia Fontes Marçal Professora de Direito do Trabalho, Processo do Trabalho e Direito Constitucional Graduada em Direito, Universidade de Brasília, UnB Mestre em Direito e Estado, Universidade de Brasília,

Leia mais

TEORIA GERAL do PROCESSO CIVIL

TEORIA GERAL do PROCESSO CIVIL LUIZ FUX TEORIA GERAL do PROCESSO CIVIL 2ª edição revisto e atualizado *** ~ FORENSE ~ A EDITORA FORENSE se responsabiliza pelos vícios do produto no que concerne à sua edição (impressão e apresentação

Leia mais

STJ VALERIO DE OLIVEIRA MAZZUOLI IONAL. Curso Elementar *** FORENSE ~ RIO DE JANEIRO

STJ VALERIO DE OLIVEIRA MAZZUOLI IONAL. Curso Elementar *** FORENSE ~ RIO DE JANEIRO VALERIO DE OLIVEIRA MAZZUOLI IONAL Curso Elementar *** ~ FORENSE ~ RIO DE JANEIRO A EDITORA FORENSE se responsabiliza pelos vícios do produto no que concerne à sua ediç.'lo (impressão e apresentaç.'lo

Leia mais

STJ00097833 ADILSON JOSÉ CAMPOY THOMSON REUTERS REVISTADOS TRIBUNAIS'"

STJ00097833 ADILSON JOSÉ CAMPOY THOMSON REUTERS REVISTADOS TRIBUNAIS' ADILSON JOSÉ CAMPOY N T VI I THOMSON REUTERS REVISTADOS TRIBUNAIS'" Contrato de Seguro de Vida ADILSON JOSÉ CAMPOY Este livro também pode ser adquirido na versão ebook. visite: livrarlart.com.br desta

Leia mais

A LEI DO INQUILINATO COMENTADA

A LEI DO INQUILINATO COMENTADA SYLVIO CAPANEMA DE SOUZA A LEI DO INQUILINATO COMENTADA 7ª edição Atualizada pela Lei nº 12.112, de 09 dezembro de 2009 Rio de Janeiro 2012 7ª edição 2012-2ª tiragem Copyright Sylvio Capanema de Souza

Leia mais

Reprodução assistida homóloga post mortem

Reprodução assistida homóloga post mortem Francieli Pisetta Reprodução assistida homóloga post mortem aspectos jurídicos sobre a filiação e o direito sucessório l «) J'" ~j~lumenjurts Euttora www./umenjurís.com.br... - _... _... - Editores João

Leia mais

NEXO CAUSAL PROFESSOR: LEONARDO DE MORAES

NEXO CAUSAL PROFESSOR: LEONARDO DE MORAES NEXO CAUSAL PROFESSOR: LEONARDO DE MORAES 1 Conceito. Causa. É elemento do fato típico. É o vínculo entre conduta e resultado. O estudo da causalidade busca concluir se o resultado decorreu da conduta

Leia mais

FATO TÍPICO. Conduta (dolosa ou culposa; comissiva ou omissiva) Nexo de causalidade Tipicidade

FATO TÍPICO. Conduta (dolosa ou culposa; comissiva ou omissiva) Nexo de causalidade Tipicidade TEORIA GERAL DO CRIME FATO TÍPICO Conduta (dolosa ou culposa; comissiva ou omissiva) Resultado Nexo de causalidade Tipicidade NEXO DE CAUSALIDADE O nexo causal ou relação de causalidade é o elo que une

Leia mais

Índice. 5. A escola moderna alemã 64 6. Outras escolas penais 65

Índice. 5. A escola moderna alemã 64 6. Outras escolas penais 65 Índice Prefácio à 2ª edição Marco Aurélio Costa de Oliveira 7 Apresentação à 2ª edição Marco Antonio Marques da Silva 9 Prefácio à 1ª edição Nelson Jobim 11 Apresentação à 1ª edição Oswaldo Lia Pires 13

Leia mais

DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE ANTONIO CEZAR LIMA DA FONSECA DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE 3!! Edição Ampliada, revisada e atualizada de acordo com as Leis n~ 12.594/12 (SINASE), 12.696/12 (Conselho Tutelar), 12.852/13 (Estatuto

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO DEPARTAMENTO DE LEGISLAÇÃO E NORMAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO DEPARTAMENTO DE LEGISLAÇÃO E NORMAS PARECER Nº 001/2012 DLN. INTERESSADO: Reitoria da Universidade Federal do Amazonas (UFAM). ASSUNTO: PLÁGIO. Vem a este Departamento Ofício de nº 066/2011 PRODERE/FES, encaminhado pela Reitoria desta UFAM,

Leia mais

Dreaming in Digital, Living in Real Time, Thinking in Binary, Talking in IP? Welcome to your wolrd!

Dreaming in Digital, Living in Real Time, Thinking in Binary, Talking in IP? Welcome to your wolrd! Dreaming in Digital, Living in Real Time, Thinking in Binary, Talking in IP? Welcome to your wolrd! Leis de Software U M A V I S Ã O D O S A S P E C T O S R E G U L A T Ó R I O S D A T E C N O L O G I

Leia mais

DECRETO-LEI Nº 3.689, DE 3 DE OUTUBRO DE 1941

DECRETO-LEI Nº 3.689, DE 3 DE OUTUBRO DE 1941 DECRETO-LEI Nº 3.689, DE 3 DE OUTUBRO DE 1941 Código de Processo Penal. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, usando da atribuição que lhe confere o art. 180 da Constituição, decreta a seguinte Lei: LIVRO II DOS

Leia mais

LEI Nº 9.279, DE 14 DE MAIO DE 1996

LEI Nº 9.279, DE 14 DE MAIO DE 1996 LEI Nº 9.279, DE 14 DE MAIO DE 1996 Regula Direitos e Obrigações Relativos à Propriedade Industrial. TÍTULO V DOS CRIMES CONTRA A PROPRIEDADE INDUSTRIAL CAPÍTULO I DOS CRIMES CONTRA AS PATENTES Art. 183.

Leia mais

FATO TÍPICO. Conduta (dolosa ou culposa; comissiva ou omissiva) Nexo de causalidade Tipicidade

FATO TÍPICO. Conduta (dolosa ou culposa; comissiva ou omissiva) Nexo de causalidade Tipicidade TEORIA GERAL DO CRIME FATO TÍPICO Conduta (dolosa ou culposa; comissiva ou omissiva) Resultado Nexo de causalidade Tipicidade RESULTADO Não basta existir uma conduta. Para que se configure o crime é necessário

Leia mais

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR. Questões comentadas de Direito Penal da prova objetiva do concurso de 2009 para Defensor do Pará

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR. Questões comentadas de Direito Penal da prova objetiva do concurso de 2009 para Defensor do Pará Cacildo Baptista Palhares Júnior: advogado em Araçatuba (SP) Questões comentadas de Direito Penal da prova objetiva do concurso de 2009 para Defensor do Pará 21. Para formação do nexo de causalidade, no

Leia mais

ACADEMIA BRASILEIRA DE DIREITO CONSTITUCIONAL PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO E PROCESSO PENAL

ACADEMIA BRASILEIRA DE DIREITO CONSTITUCIONAL PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO E PROCESSO PENAL Ementa aula 18 de abril de 2013. ACADEMIA BRASILEIRA DE DIREITO CONSTITUCIONAL PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO E PROCESSO PENAL Professor: Leandro França Advogado criminal; Sócio do Escritório Corsetti & França

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Disciplina Carga Horária Semestre Ano Teoria Geral do Direito Penal I 80 2º 2015. Carga

PLANO DE ENSINO. Disciplina Carga Horária Semestre Ano Teoria Geral do Direito Penal I 80 2º 2015. Carga 1 PLANO DE ENSINO Disciplina Carga Horária Semestre Ano Teoria Geral do Direito Penal I 80 2º 2015 Unidade Carga Horária Sub-unidade Introdução ao estudo do Direito Penal 04 hs/a - Introdução. Conceito

Leia mais

Leonardo de Medeiros Garcia. Coordenador da Coleção

Leonardo de Medeiros Garcia. Coordenador da Coleção Leonardo de Medeiros Garcia Coordenador da Coleção Marcelo André de Azevedo Promotor de Justiça no Estado de Goiás. Assessor Jurídico do Procurador-Geral de Justiça e Coordenador da Procuradoria de Justiça

Leia mais

JHMIZUNO EDITORA DISTRIBUIDORA

JHMIZUNO EDITORA DISTRIBUIDORA Ana Maria Milano Silva É advogada, formada pela USP. Atua em Jundiaí e Campo Limpo Paulista. Sua área preferida é o Direito de Família. Fez mestrado el7! Direito Civil com a dissertação que deu origem

Leia mais

STJ00098732 FERNANDA REGINA VILARES CESSO PEN L ,.; "RESERVA DE JURISDICAO 1 ª EDIÇÃO. SÃo PAULO. ÓNIXjUR. PuBlicações Jurídicas

STJ00098732 FERNANDA REGINA VILARES CESSO PEN L ,.; RESERVA DE JURISDICAO 1 ª EDIÇÃO. SÃo PAULO. ÓNIXjUR. PuBlicações Jurídicas FERNANDA REGINA VILARES PR CESSO PEN L "RESERVA DE JURISDICAO,.;, E CPls" 1 ª EDIÇÃO SÃo PAULO 2012 ÓNIXjUR PuBlicações Jurídicas Copyright 2012 by Ônix Editorial e Comunicações Ltda. Todos os direitos

Leia mais

Humberto Gonçalves de Carvalho. Manual do. Empreendedor. Guia prático. Conceitos, ideias e dicas

Humberto Gonçalves de Carvalho. Manual do. Empreendedor. Guia prático. Conceitos, ideias e dicas Humberto Gonçalves de Carvalho Manual do Empreendedor Guia prático Conceitos, ideias e dicas Rio de Janeiro 2011 Copyright Editora Ferreira Ltda., 2011 1. ed. 2011 Capa Theo Guedes Diagramação Theo Guedes

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL DOS ADMINISTRADORES:

RESPONSABILIDADE CIVIL DOS ADMINISTRADORES: RESPONSABILIDADE CIVIL DOS ADMINISTRADORES: E A CORPORATE GOVERNANCE MARIA DA CONCEIÇÃO CABAÇOS ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL DO MINHO 18 de Novembro de 2015 PRESSUPOSTOS DA RESPONSABILIDADE CIVIL Para que os

Leia mais

LEI Nº 9.279, DE 14 DE MAIO DE 1996. Regula direitos e obrigações relativos à propriedade industrial.

LEI Nº 9.279, DE 14 DE MAIO DE 1996. Regula direitos e obrigações relativos à propriedade industrial. LEI Nº 9.279, DE 14 DE MAIO DE 1996. Regula direitos e obrigações relativos à propriedade industrial. TÍTULO V DOS CRIMES CONTRA A PROPRIEDADE INDUSTRIAL CAPÍTULO I DOS CRIMES CONTRA AS PATENTES- Excludentes

Leia mais

Lojas Virtuais Venda de Produtos Falsificados e Uso de Marcas de Terceiros: Repercussões penais Reflexos Criminais da Pirataria Eletrônica

Lojas Virtuais Venda de Produtos Falsificados e Uso de Marcas de Terceiros: Repercussões penais Reflexos Criminais da Pirataria Eletrônica Lojas Virtuais Venda de Produtos Falsificados e Uso de Marcas de Terceiros: Repercussões penais Reflexos Criminais da Pirataria Eletrônica Eduardo Reale Ferrari eduardo@realeadvogados.com.br Tel : (11)

Leia mais

Responsabilidade Civil dos Administradores das Sociedades. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Responsabilidade Civil dos Administradores das Sociedades. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Responsabilidade Civil dos Administradores das Sociedades Administrador Administrador é a pessoa a quem se comete a direção ou gerência de qualquer negócio ou serviço, seja de caráter público ou privado,

Leia mais

Sumário. Prefácio... 15 Introdução... 19. PRIMEIRA PARTE - aspectos gerais... 23. Capítulo 1 Noções gerais aplicáveis aos crimes tributários...

Sumário. Prefácio... 15 Introdução... 19. PRIMEIRA PARTE - aspectos gerais... 23. Capítulo 1 Noções gerais aplicáveis aos crimes tributários... Sumário Prefácio... 15 Introdução... 19 PRIMEIRA PARTE - aspectos gerais... 23 Capítulo 1 Noções gerais aplicáveis aos crimes tributários... 25 1. Infração tributária e crime contra a ordem tributária...

Leia mais

TRIBUTAÇÃO E JUSTIÇA FISCAL

TRIBUTAÇÃO E JUSTIÇA FISCAL Organizadores LUIZ FUX Luís Cesar Souza de QueirOz MARCUS ABRAHAM TRIBUTAÇÃO E JUSTIÇA FISCAL Autores Marcus Abraham José Marcos Domingues João Ricardo Catarino José Sérgio da Silva Cristóvam Luís Cesar

Leia mais

STJ Janssen Murayama. o conceito de insumo. no PIS/COFINS. Editora Lumen Juris Rio de Janeiro

STJ Janssen Murayama. o conceito de insumo. no PIS/COFINS. Editora Lumen Juris Rio de Janeiro Janssen Murayama o conceito de insumo no PIS/COFINS Editora Lumen Juris Rio de Janeiro 2015 Copyright 2015 by Janssen Murayama Categoria: Direito Financeiro e Tributário PRODUÇÃO EDITORIAL Livraria e Editora

Leia mais

Resumo de Contabilidade Geral

Resumo de Contabilidade Geral Ricardo J. Ferreira Resumo de Contabilidade Geral 4ª edição Conforme a Lei das S/A, normas internacionais e CPC Rio de Janeiro 2010 Copyright Editora Ferreira Ltda., 2008-2009 1. ed. 2008; 2. ed. 2008;

Leia mais

FATO TÍPICO CONDUTA. A conduta é o primeiro elemento integrante do fato típico.

FATO TÍPICO CONDUTA. A conduta é o primeiro elemento integrante do fato típico. TEORIA GERAL DO CRIME FATO TÍPICO CONDUTA A conduta é o primeiro elemento integrante do fato típico. Na Teoria Causal Clássica conduta é o movimento humano voluntário produtor de uma modificação no mundo

Leia mais

L G E ISL S A L ÇÃO O ES E P S EC E IAL 8ª ª-

L G E ISL S A L ÇÃO O ES E P S EC E IAL 8ª ª- DIREITO PENAL IV LEGISLAÇÃO ESPECIAL 8ª - Parte Professor: Rubens Correia Junior 1 Direito penal Iv 2 ROUBO 3 - Roubo Qualificado/Latrocínio 3º Se da violência resulta lesão corporal grave, a pena é de

Leia mais

RELAÇÃO DE CAUSALIDADE

RELAÇÃO DE CAUSALIDADE RELAÇÃO DE CAUSALIDADE DIREITO PENAL Cléber Masson + Rogério Sanches + Rogério Greco INTRODUÇÃO - Nexo causal é o elo que une a conduta praticada pelo agente ao resultado. Sem esse vínculo, o resultado

Leia mais

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR É possível um finalismo corrigido? Saymon Mamede Várias teorias sobre o fato típico e a conduta surgiram no Direito Penal, desde o final do século XIX até hodiernamente. A pretensão deste artigo é expor

Leia mais

Direito Penal Tributário

Direito Penal Tributário Direito Penal Tributário Marcelo Magalhães Peixoto André Elali Carlos Soares Sant Anna Coordenadores Ives Gandra da Silva Martins Eliana Calmon Edmar Oliveira Andrade Filho Kiyoshi Harada Célio Armando

Leia mais

LEI DE PROGRAMA DE COMPUTADOR

LEI DE PROGRAMA DE COMPUTADOR LEI DE PROGRAMA DE COMPUTADOR LEI Nº 9.609, de 19 de fevereiro de 1998 Dispõe sobre a proteção de propriedade intelectual de programa de computador, sua comercialização no País, e dá outras providências.

Leia mais

CARGA HORÁRIA SEMANAL: 03 CRÉDITO: 03

CARGA HORÁRIA SEMANAL: 03 CRÉDITO: 03 1. IDENTIFICAÇÃO PERÍODO: 3 CARGA HORÁRIA SEMANAL: 03 CRÉDITO: 03 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 45 NOME DA DISCIPLINA: DIREITO PENAL I (1ª PARTE- TEORIA DO CRIME) NOME DO CURSO: DIREITO 2. EMENTA Ciências Penais,

Leia mais

PONTO 1: Teoria Geral do Crime - continuação. 1. TEORIA GERAL DO CRIME:

PONTO 1: Teoria Geral do Crime - continuação. 1. TEORIA GERAL DO CRIME: 1 PONTO 1: Teoria Geral do Crime - continuação. 1. TEORIA GERAL DO CRIME: No Brasil, adotamos a teoria finalista desde 1984. Devido uma interpretação em face do erro do tipo (Art. 20, CP), se o erro incide

Leia mais

O PAPEL DO CONSELHEIRO DE ADMINISTRAÇÃO DEVERES E RESPONSABILIDADES. APIMEC SUL Valéria Kasabkojian Schramm POA, junho de 2009

O PAPEL DO CONSELHEIRO DE ADMINISTRAÇÃO DEVERES E RESPONSABILIDADES. APIMEC SUL Valéria Kasabkojian Schramm POA, junho de 2009 O PAPEL DO CONSELHEIRO DE ADMINISTRAÇÃO DEVERES E RESPONSABILIDADES APIMEC SUL Valéria Kasabkojian Schramm POA, junho de 2009 2 Conselho de Administração Órgão de deliberação colegiada. Tem como objetivo

Leia mais

Manual de IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA

Manual de IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA Daniel Amorim Assurnpção Neves Rafael Carvalho Rezende Oliveira Manual de IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA Direito Material e Processual 3. a edição Revista eatualizada *** I~ E D) TO RA METODO (ijn SÃO PAULO

Leia mais

Sumário. Agradecimentos... 11 Coleção sinopses para concursos... 13 Guia de leitura da Coleção... 15 Nota dos autores à 3ª edição...

Sumário. Agradecimentos... 11 Coleção sinopses para concursos... 13 Guia de leitura da Coleção... 15 Nota dos autores à 3ª edição... Sumário Agradecimentos... 11 Coleção sinopses para concursos... 13 Guia de leitura da Coleção... 15 Nota dos autores à 3ª edição... 17 Capítulo I OPÇÃO METODOLÓGICA... 19 Parte I DIREITO DAS OBRIGAÇÕES

Leia mais

2. OBJETIVO GERAL Possibilitar ao aluno contato com toda a teoria do delito, com todos os elementos que integram o crime.

2. OBJETIVO GERAL Possibilitar ao aluno contato com toda a teoria do delito, com todos os elementos que integram o crime. DISCIPLINA: Direito Penal II SEMESTRE DE ESTUDO: 3º Semestre TURNO: Matutino / Noturno CH total: 72h CÓDIGO: DIR118 1. EMENTA: Teoria Geral do Crime. Sujeitos da ação típica. Da Tipicidade. Elementos.

Leia mais

Lei nº 9.609, de 19 de fevereiro de 1998.

Lei nº 9.609, de 19 de fevereiro de 1998. Lei de Software Lei nº 9.609, de 19 de fevereiro de 1998. Dispõe sobre a proteção da propriedade intelectual de programa de computador, sua comercialização no País, e dá outras providências. O PRESIDENTE

Leia mais

A Compreensão dos Elementos da Petição Inicial no Curso de Direito

A Compreensão dos Elementos da Petição Inicial no Curso de Direito A Compreensão dos Elementos da Petição Inicial no Curso de Direito A Compreensão dos Elementos da Petição Inicial para a Produção de Textos no Curso de Direito Fernanda de Favre Merbach Conselho Editorial

Leia mais

A TEORIA DO DOMÍNIO FINAL DO FATO COMO CRITÉRIO DE IMPUTAÇÃO OBJETIVA

A TEORIA DO DOMÍNIO FINAL DO FATO COMO CRITÉRIO DE IMPUTAÇÃO OBJETIVA A TEORIA DO DOMÍNIO FINAL DO FATO COMO CRITÉRIO DE IMPUTAÇÃO OBJETIVA Autor: Luciano Filizola da Silva Mestre em Criminologia e Direito Penal pela Universidade Cândido Mendes. Advogado atuante no Estado

Leia mais

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR COMENTÁRIOS SOBRE A TEORIA DO FUNCIONALISMO PENAL

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR COMENTÁRIOS SOBRE A TEORIA DO FUNCIONALISMO PENAL COMENTÁRIOS SOBRE A TEORIA DO FUNCIONALISMO PENAL Mary Mansoldo 1 Junho/2011 RESUMO: Trata-se de síntese introdutória sobre a Teoria do Funcionalismo Penal. Sem o propósito de aprofundamento, alguns conceitos

Leia mais

SPED no Cenário Jurídico e Corporativo. De quem é a Responsabilidade?

SPED no Cenário Jurídico e Corporativo. De quem é a Responsabilidade? SPED no Cenário Jurídico e Corporativo. De quem é a Responsabilidade? I. MULTAS (Legislação do SPED) - I por apresentação extemporânea: a) R$ 500,00 (quinhentos reais) por mês-calendário ou fração, relativamente

Leia mais

AULA 08. CONTEÚDO DA AULA: Teorias da Conduta (cont). Teoria social da ação (cont.). Teoria pessoal da ação. Resultado. Relação de Causalidade Início.

AULA 08. CONTEÚDO DA AULA: Teorias da Conduta (cont). Teoria social da ação (cont.). Teoria pessoal da ação. Resultado. Relação de Causalidade Início. Turma e Ano: Flex A (2014) Matéria / Aula: Direito Penal / Aula 08 Professora: Ana Paula Vieira de Carvalho Monitora: Mariana Simas de Oliveira AULA 08 CONTEÚDO DA AULA: Teorias da (cont). Teoria social

Leia mais

DCCP - DELEGACIA DE DEFESA DO CONSUMIDOR OBJETIVO

DCCP - DELEGACIA DE DEFESA DO CONSUMIDOR OBJETIVO OBJETIVO A delegacia de defesa do consumidor é especializada e fica sob a coordenação no Departamento de crimes contra o patrimônio. Tem atribuição para os crimes cujo motriz seja a relação de consumo,

Leia mais

Sumário NOTA À TERCEIRA EDIÇÃO... 15 NOTA PRÉVIA... 19 PREFÁCIO... 21 APRESENTAÇÃO... 23

Sumário NOTA À TERCEIRA EDIÇÃO... 15 NOTA PRÉVIA... 19 PREFÁCIO... 21 APRESENTAÇÃO... 23 Sumário NOTA À TERCEIRA EDIÇÃO... 15 NOTA PRÉVIA... 19 PREFÁCIO... 21 APRESENTAÇÃO... 23 CAPÍTULO I... 25 1. Novos riscos, novos danos... 25 2. O Estado como responsável por danos indenizáveis... 26 3.

Leia mais

DIREITOS AUTORAIS, SOFTWARE, SOFTWARE LIVRE, Augusto Tavares Rosa Marcacini

DIREITOS AUTORAIS, SOFTWARE, SOFTWARE LIVRE, Augusto Tavares Rosa Marcacini DIREITOS AUTORAIS, SOFTWARE, SOFTWARE LIVRE, Augusto Tavares Rosa Marcacini IME USP Outubro/2007 Direitos Autorais Lei nº 9.610/98 Propriedade imaterial Direitos autorais Propriedade industrial Direitos

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO Página: 1/5 Tipo: PROCEDIMENTO Data: 29/08/2015 Título: CLÁUSULA ANTICORRUPÇÃO

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO Página: 1/5 Tipo: PROCEDIMENTO Data: 29/08/2015 Título: CLÁUSULA ANTICORRUPÇÃO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO Página: 1/5 1 OBJETIVO Em observância à Política Anticorrupção adotada pela NM ENGENHARIA E CONSTRUÇÕES LTDA. (a Política Anticorrupção ), o modelo de cláusula a seguir deve

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2011

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2011 Minuta PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2011 Altera a Lei nº 8.078, de 11 de setembro de 1990 (Código de Defesa do Consumidor), para dispor sobre o comércio eletrônico. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art.

Leia mais

Direito do Consumidor: Responsabilidade Civil e o Dever de Indenizar

Direito do Consumidor: Responsabilidade Civil e o Dever de Indenizar Direito do Consumidor: Responsabilidade Civil e o Dever de Indenizar Formação de Servidores do PROCON RJ - 2012 RESUMO Finalidade da Responsabilidade Civil Segurança Jurídica Sistema de Garantias Tutela

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

RESPONSABILIDADE CIVIL DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA RESPONSABILIDADE CIVIL DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 1 Suponha se que Maria estivesse conduzindo o seu veículo quando sofreu um acidente de trânsito causado por um ônibus da concessionária do serviço público

Leia mais

PARCERIAS NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

PARCERIAS NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Maria Sylvia Zanella Di Pietro PARCERIAS NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Concessão, Permissão, Franquia, Terceirização, Parceria Público-Privada e outras Formas loª Edição SÃO PAULO EDITORA ATLAS S.A. - 2015

Leia mais

OJ!P9W. Ol!aJ!O STJ00099505

OJ!P9W. Ol!aJ!O STJ00099505 OJ!P9W Ol!aJ!O STJ00099505 STJ00099505 S 20'0 Marccllo Erich Reicher Todos os direitos reservados à Universidade Prt'shiteriana Mackenzie. Nenhuma pane desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer

Leia mais

CRIMES CONTRA O SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL - ATUALIZAÇÕES

CRIMES CONTRA O SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL - ATUALIZAÇÕES CRIMES CONTRA O SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL - ATUALIZAÇÕES - Evasão de divisas e lavagem de capitais as alterações da Lei 12.683/12 - Investigação de crimes financeiros - Cooperação jurídica internacional

Leia mais

LEI Nº 9.847, DE 26.10.1999 - DOU 27.10.1999

LEI Nº 9.847, DE 26.10.1999 - DOU 27.10.1999 LEI Nº 9.847, DE 26.10.1999 - DOU 27.10.1999 Dispõe sobre a fiscalização das atividades relativas ao abastecimento nacional de combustíveis, de que trata a Lei nº 9.478, de 6 de agosto de 1997, estabelece

Leia mais

A Sociologia Compreensiva de Max Weber (1864-1920)

A Sociologia Compreensiva de Max Weber (1864-1920) A Sociologia Compreensiva de Max Weber (1864-1920) Curso de Ciências Sociais IFISP/UFPel Disciplina: Fundamentos de Sociologia Professor: Francisco E. B. Vargas Pelotas, abril de 2015. I. Contexto histórico

Leia mais

www.apostilaeletronica.com.br

www.apostilaeletronica.com.br DIREITO PENAL PARTE GERAL I. Princípios Penais Constitucionais... 003 II. Aplicação da Lei Penal... 005 III. Teoria Geral do Crime... 020 IV. Concurso de Crime... 027 V. Teoria do Tipo... 034 VI. Ilicitude...

Leia mais

STJ00097419 GEDIEL CLAUDINO DE ARAUJO JUNIOR. Lei do Inquilinato Anotada Questões Práticas Modelos. 4ª Edição. Revista e Atualizada

STJ00097419 GEDIEL CLAUDINO DE ARAUJO JUNIOR. Lei do Inquilinato Anotada Questões Práticas Modelos. 4ª Edição. Revista e Atualizada , GEDIEL CLAUDINO DE ARAUJO JUNIOR P L, ICA N C ÇA Lei do Inquilinato Anotada Questões Práticas Modelos 4ª Edição Revista e Atualizada são PAULO EDITORA ATLAS S.A. - 2014 2008 by Editora Atlas S.A. As

Leia mais

1 Conflito de leis penais no tempo.

1 Conflito de leis penais no tempo. 1 Conflito de leis penais no tempo. Sempre que entra em vigor uma lei penal, temos que verificar se ela é benéfica ( Lex mitior ) ou gravosa ( Lex gravior ). Lei benéfica retroage alcança a coisa julgada

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI N o 9.847, DE 26 DE OUTUBRO DE 1999. Conversão da MPv nº 1.883-17, de 1999 Dispõe sobre a fiscalização das atividades relativas

Leia mais

REGULAMENTO E PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO NA PÓS-GRADUAÇÃO Para turmas iniciadas em 2013.

REGULAMENTO E PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO NA PÓS-GRADUAÇÃO Para turmas iniciadas em 2013. REGULAMENTO E PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO NA PÓS-GRADUAÇÃO Para turmas iniciadas em 2013 Capítulo I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento disciplina

Leia mais

STJ Humberto Theodoro Júnior Fernanda Alvim Ribeiro de Oliveira Ester Camila Gomes Norato Rezende. PRIMEIRAS LiÇÕES

STJ Humberto Theodoro Júnior Fernanda Alvim Ribeiro de Oliveira Ester Camila Gomes Norato Rezende. PRIMEIRAS LiÇÕES Humberto Theodoro Júnior Fernanda Alvim Ribeiro de Oliveira Ester Camila Gomes Norato Rezende PRIMEIRAS LiÇÕES SOBRE O NOVO DIREITO PROCESSUAL CIVIL BRASILEIRO (De acordo com o Novo Código de Processo

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL NO PERIGO AVIÁRIO

RESPONSABILIDADE CIVIL NO PERIGO AVIÁRIO RESPONSABILIDADE CIVIL NO PERIGO AVIÁRIO OBJETIVO Conhecer a Responsabilidade Civil do Operador e do Estado em eventos decorrentes do Perigo Aviário. ROTEIRO RESPONSABILIDADE CIVIL NO PERIGO AVIÁRIO 1.

Leia mais

ESPECÍFICOS * Estudar a teoria geral da responsabilidade civil e das relações de consumo perante o ordenamento jurídico brasileiro;

ESPECÍFICOS * Estudar a teoria geral da responsabilidade civil e das relações de consumo perante o ordenamento jurídico brasileiro; 1. IDENTIFICAÇÃO PERÍODO: 9 CRÉDITO: 04 NOME DA DISCIPLINA: DIREITO CIVIL VII NOME DO CURSO: DIREITO 2. EMENTA CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 Responsabilidade Civil. Introdução.

Leia mais

Este estudo foi elaborado pelo DEJUR - Departamento Jurídico do CREA-PR

Este estudo foi elaborado pelo DEJUR - Departamento Jurídico do CREA-PR MÓDULO 01 AULA 03 RESPONSABILIDADE PROFISSIONAL Temos a satisfação de apresentar o módulo de RESPONSABILIDADE PROFISSIONAL em nosso Programa de Excelência em Projetos. Nele será possível entender as obrigações

Leia mais

RODRIGO MARTINS MARQUES CONSENTIMENTO DA VÍTIMA E SUAS CONSEQÜÊNCIAS PARA O DIREITO PENAL

RODRIGO MARTINS MARQUES CONSENTIMENTO DA VÍTIMA E SUAS CONSEQÜÊNCIAS PARA O DIREITO PENAL FUNDAÇÃO DE ENSINO EURÍPEDES SOARES DA ROCHA CENTRO UNIVERSITÁRIO EURÍPEDES DE MARÍLIA UNIVEM GRADUAÇÃO EM DIREITO RODRIGO MARTINS MARQUES CONSENTIMENTO DA VÍTIMA E SUAS CONSEQÜÊNCIAS PARA O DIREITO PENAL

Leia mais

CURSO TEÓRICO E PRÁTICO DE DIREITO SOCIETÁRIO

CURSO TEÓRICO E PRÁTICO DE DIREITO SOCIETÁRIO MARIA BERNADETE MIRANDA Mestre em Direito das Relações Sociais, subárea Direito Comercial, pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Professora de Direito Empresarial, Direito Civil, Direito

Leia mais

TEORIA DA IMPUTAÇÃO OBJETIVA DO RESULTADO

TEORIA DA IMPUTAÇÃO OBJETIVA DO RESULTADO TEORIA DA IMPUTAÇÃO OBJETIVA DO RESULTADO Samanta Félix RECHE 1 RESUMO: O presente artigo ira tratar sobre alguns aspectos relevantes na teoria da imputação objetiva do resultado com uma breve retrospectiva

Leia mais

HENRIQUE VIANA PEREIRA

HENRIQUE VIANA PEREIRA A Responsabilidade Penal e Civil dos Empresários no Estado Democrático de Direito HENRIQUE VIANA PEREIRA Mestre e doutor em Direito pela PUC Minas Professor da PUC Minas e da Faculdade Novos Horizontes

Leia mais

Arnaldo Chagas. PRODUÇÃO DE TEXTOS ACADÊMICOS Dos bastidores à elaboração do texto. 1ª Edição

Arnaldo Chagas. PRODUÇÃO DE TEXTOS ACADÊMICOS Dos bastidores à elaboração do texto. 1ª Edição Arnaldo Chagas PRODUÇÃO DE TEXTOS ACADÊMICOS Dos bastidores à elaboração do texto 1ª Edição Rio de Janeiro Barra Livros 2014 Copyright 2013 by Arnaldo Chagas Todos os direitos reservados à Barra Livros

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular TEORIA DA INFRACÇÃO PENAL Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular TEORIA DA INFRACÇÃO PENAL Ano Lectivo 2014/2015 UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA Programa da Unidade Curricular TEORIA DA INFRACÇÃO PENAL Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Direito (1º Ciclo) 2. Curso Direito 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO CÓDIGO DA DISCIPLINA: D-52 PERÍODO: 9 CRÉDITO: 04 NOME DA DISCIPLINA: DIREITO CIVIL VII NOME DO CURSO: DIREITO 2.

1. IDENTIFICAÇÃO CÓDIGO DA DISCIPLINA: D-52 PERÍODO: 9 CRÉDITO: 04 NOME DA DISCIPLINA: DIREITO CIVIL VII NOME DO CURSO: DIREITO 2. 1. IDENTIFICAÇÃO CÓDIGO DA DISCIPLINA: D-52 PERÍODO: 9 CRÉDITO: 04 NOME DA DISCIPLINA: DIREITO CIVIL VII NOME DO CURSO: DIREITO 2. EMENTA CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 Responsabilidade

Leia mais

STJ ALEXANDRE FREITAS CÂMARA. o Novo PROCESSO CIVIL BRASILEIRO. 3. a Edição. Revista, atualizada e ampliada *** ~ "1-1,,,.. \",1 '" I \",1.

STJ ALEXANDRE FREITAS CÂMARA. o Novo PROCESSO CIVIL BRASILEIRO. 3. a Edição. Revista, atualizada e ampliada *** ~ 1-1,,,.. \,1 ' I \,1. ALEXANDRE FREITAS CÂMARA o Novo PROCESSO CIVIL BRASILEIRO 3. a Edição Revista, atualizada e ampliada *** ~ "1-1,,,.. \",1 '" I \",1.;:) A EDITORA ATLAS se responsabiliza pelos vícios do produto no que

Leia mais

RESPONSABILIDADE DO EMPREENDEDOR E DA EQUIPE

RESPONSABILIDADE DO EMPREENDEDOR E DA EQUIPE RESPONSABILIDADE DO EMPREENDEDOR E DA EQUIPE Diz a Resolução 237/97 do Conama que o empreendedor e os profissionais que subscreverem os estudos necessários ao processo de licenciamento serão responsáveis

Leia mais

Crime de Lavagem de Dinheiro

Crime de Lavagem de Dinheiro Marcelo Batlouni Mendroni Crime de Lavagem de Dinheiro 3ª Edição SÃO PAULO EDITORA ATLAS S.A. - 2015 2006 by Editora Atlas S.A. 1. ed. 2006; 2. ed. 2013; 3. ed. 2015 Composição: CriFer Capa: Zenário A.

Leia mais

Controle Social e Controle do Estado

Controle Social e Controle do Estado Controle Social e Controle do Estado A regulação do Estado surge quando se torna insuficiente a regulação social Regulação do Estado: - Normas Administrativas - Normas Legais Normas Administrativas Normas

Leia mais