Conhecimentos Bancários

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Conhecimentos Bancários"

Transcrição

1 Conhecimentos Bancários AUTORIA: Prof. Edgar Abreu PROFESSOR DA DISCIPLINA: Prof. Edgar Abreu 1

2 CONTEÚDOS DE CONHECIMENTOS BANCÁRIOS EDITAL 2011/03 1. Estrutura do Sistema Financeiro Nacional: Conselho Monetário Nacional; COPOM Comitê de Política Monetária; BNDES Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social; Bancos Múltiplos; Bancos de Câmbio; Companhias Hipotecárias; Agências de Fomento; CCB Cédula de Crédito Bancário; Banco Central do Brasil; Comissão de Valores Mobiliários; Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional; bancos comerciais; caixas econômicas; cooperativas de crédito; bancos comerciais cooperativos; bancos de investimento; bancos de desenvolvimento; sociedades de crédito, financiamento e investimento; sociedades de arrendamento mercantil; sociedades corretoras de títulos e valores mobiliários; sociedades distribuidoras de títulos e valores mobiliários; bolsas de valores; bolsas de mercadorias e de futuros; Sistema Especial de Liquidação e Custódia (SELIC); Central de Liquidação Financeira e de Custódia de Títulos (CETIP); sociedades de crédito imobiliário; associações de poupança e empréstimo. Sistema de Seguros Privados e Previdência Complementar: Conselho Nacional de Seguros Privados; Superintendência de Seguros Privados; Conselho Nacional de Previdência Complementar CNPC; Superintendência Nacional de Previdência Complementar PREVIC; Resseguradores; sociedades seguradoras; sociedades de capitalização; entidades abertas e entidades fechadas de previdência privada; corretoras de seguros; sociedades administradoras de seguro-saúde. Sociedades de fomento mercantil (factoring); sociedades administradoras de cartões de crédito 2. Produtos e serviços financeiros: : depósitos à vista; depósitos a prazo (CDB e RDB); letras de câmbio; cobrança e pagamento de títulos e carnês; transferências automáticas de fundos; commercial papers; arrecadação de tributos e tarifas públicas; home/office banking, remote banking, banco virtual, dinheiro de plástico; conceitos de corporate finance; Fundos de Investimento; hot money; contas garantidas; crédito rotativo; descontos de títulos; financiamento de capital de giro; vendor finance/compror finance; leasing (tipos, funcionamento, bens); financiamento de capital fixo; crédito direto ao consumidor; crédito rural; cadernetas de poupança; financiamento à importação e à exportação repasses de recursos do BNDES; cartões de crédito; títulos de capitalização; planos de aposentadoria e pensão privados; planos de seguros 3. Mercado de capitais: ações características e direitos; debêntures; diferenças entre companhias abertas e companhias fechadas; operações de underwriting; funcionamento do mercado à vista de ações; mercado de balcão; operações com ouro. Mercado de câmbio: instituições autorizadas a operar; operações básicas; contratos de câmbio características; taxas de câmbio; remessas; SISCOMEX. Operações com derivativos: características básicas do funcionamento do mercado a termo, do mercado de opções, do mercado futuro e das operações de swap 4. Garantias do Sistema Financeiro Nacional: aval; fiança; penhor mercantil; alienação fiduciária; hipoteca; fianças bancárias; Fundo Garantidor de Crédito (FGC) 5. Crime de lavagem de dinheiro: conceito e etapas. Prevenção e combate ao crime de lavagem de dinheiro: Lei nº 9.613/98 e suas alterações, Circular Bacen 3.461/2009 e suas alterações e Carta- Circular Bacen 2.826/98. Autorregulação Bancária Edgar Abreu Página 2

3 Sumário CADERNO DE EXERCÍCIOS MÚLTIPLA ESCOLHA COM GABARITO COMENTADO PROVAS DE CONCURSOS CESGRANRIO PROVA BB 2010 FCC COMENTADA PROVA BB 2011/01 FCC COMENTADA PROVA BB 2011/02 FCC COMENTADA PROVA BB 2006 FCC Edgar Abreu Página 3

4 Caderno de Exercícios Edgar Abreu Página 4

5 MÚLTIPLA ESCOLHA COM GABARITO COMENTADO NOTA: Estas questões foram retiradas do livro 400 questões para certificação para a ANBID CPA-20 Autor: Edgar Abreu. Por este motivo a numeração está em ordem conforme o livro. 41. Um fundo referenciado DI aplica, no mínimo, 80% de seus recursos em: a) Títulos públicos federais e títulos privados que fazem referência ao benchmark, podendo assumir posições alavancadas. b) Apenas títulos privados de qualquer análise de risco de crédito. c) Títulos públicos federais e privados com a possibilidade de utilizar derivativos para alavancagem. d) Títulos de renda fixa públicos emitidos pelo Tesouro nacional e títulos privados de baixo risco de crédito. 42. Quando um cliente adquire cotas de um fundo de investimento, ele estará: a) Depositando dinheiro no caixa da instituição administradora. b) Contratando uma prestação de serviço. c) Contando com a garantia do administrador. d) Predeterminando a rentabilidade de sua aplicação. 43. Fundo de investimento cujos fatores predominantes de risco são (a) taxa de juros e (b) índice de preços classifica-se na categoria: a) Referenciado DI. b) Renda Fixa. c) Multimercado. d) Cambial. 44. Fundo de investimento cujo fator predominante de risco é a taxa de câmbio classifica-se na categoria: a) Referenciado DI. b) Renda fixa. c) Multimercado. d) Cambial. 45. A cota de fechamento de um fundo de investimento, calculada em D + 0: a) Reflete as oscilações do dia no valor da cota. b) Reflete as oscilações do dia seguinte no valor da cota. c) Permite conhecer o número de cotas adquiridas. d) Não permite ao cotista solicitar resgate em D Um fundo de investimento poderá cobrar a taxa de performance, prevista em regulamento: a) Desde que o ciclo mínimo de cobrança seja de 12 meses. b) Após a cobrança do IR. c) Após a cobrança da taxa de administração e de outras despesas. d) Desde que o percentual de benchmark seja inferior a 100% de sua variação. 47. São exemplos de taxas que podem ser cobradas pelos fundos de investimento, EXCETO: 5

6 a) Taxa de administração. b) Taxa de ingresso. c) Taxa de custódia. d) Taxa de performance. 48. A aplicação no mercado de derivativos, para os fundos de investimento: a) É livre, todos os fundos podem aplicar. b) Somente os fundos ativos podem aplicar em derivativos. c) Somente os fundos alavancados podem aplicar em derivativos. d) Alguns fundos passivos podem aplicar em derivativos, desde que seja para fazer hedge e esteja informado no prospecto. 49. Pode constituir um fundo exclusivo: a) Somente instituições financeiras. b) Qualquer investidor que tenha, no mínimo, R$ 300 mil. c) Entidades abertas e fechadas de previdência complementar. d) Investidores restritos. 50. Fundo de investimento no qual não existe obrigatoriedade de fazer marcação a mercado diariamente: a) Fundo aberto. b) Fundo restrito. c) Fundo de ações. d) Fundos exclusivos. 51. Responsável por fazer a marcação de mercado nos ativos que compõem a carteira de fundo de investimento: a) Administrador. b) Distribuidor. c) Gestor. d) Custodiante. 52. De acordo com o regulamento da CVM, os fundos de investimento deverão contratar um auditor independente, no mínimo: a) Duas vezes por ano. b) Uma vez por semestre. c) Uma vez por ano. d) Uma vez por mês. 53. Fundo de investimento que tem como objetivo acompanhar o desempenho do seu benchmark: a) Fundo indexado. b) Fundo ativo. c) Fundo alavancado. d) Fundo restrito. 54. O valor da aplicação inicial em um fundo de direitos creditórios deve ser, no mínimo: Edgar Abreu Página 6

7 a) R$ 20 mil. b) R$ 25 mil. c) R$ 50 mil. d) Depende do administrador. 55. Um fundo de investimento possui em sua denominação crédito privado, então deve aplicar: a) Mais que 50% em títulos públicos. b) Menos de 50% em títulos privados. c) Mais que 50% em títulos privados. d) Menos de 50% em títulos públicos. 56. São considerados fundos offshore: a) Aqueles constituídos dentro do território brasileiro, mas que aplicam em ativos fora do país. b) Todo fundo constituído fora do território brasileiro. c) Aqueles constituídos fora do território brasileiro, mas que aplicam em ativos dentro do país. d) Todo fundo constituído dentro do território brasileiro. 57. Em um fundo de ações ativo, para superar o benchmark, o gestor pode-se utilizar de diversas estratégias. Quando optar por escolher algumas ações da carteira do seu benchmark, apostando em ações com maior potencial de retorno, ele estará utilizando-se de: a) Market timing. b) Stock picking. c) Arbitragem. d) Gestão alavancada. 58. Em um fundo de ações ativo, para superar o benchmark, o gestor pode-se utilizar de diversas estratégias. Quando optar por expor mais a carteira ao mercado de ações, por achar que o mercado é favorável, estará utilizando-se de: a) Market timing. b) Stock picking. c) Arbitragem. d) Gestão alavancada. 59. Responsável legal pelo fundo de investimento perante a CVM: a) Gestor. b) Administrador. c) Cotista. d) Assembleia de cotistas. 60. A fração do patrimônio de um fundo de investimento é representada: a) Pelo cotista. b) Pela cota. c) Pelo valor aplicado. d) Pelo patrimônio líquido. Edgar Abreu Página 7

8 61. A escolha dos ativos que devem compor a carteira de um fundo de investimento, de acordo com sua política de investimento, compete ao: a) Administrador. b) Auditor. c) Gestor. d) Distribuidor. 62. Um fundo de investimento está apresentando excelentes resultados em relação a outros fundos de outros administradores do mesmo segmento. Este sucesso obtido pelo fundo deve-se ao bom trabalho realizado pelo: a) Cotista. b) Auditor. c) Gestor. d) Distribuidor. 63. Conhecer e recomendar determinado fundo de investimento, visando a atender aos objetivos pessoais de investimento do cliente, é uma atribuição do: a) Administrador. b) Distribuidor. c) Gestor. d) Custodiante. 64. A cobrança da taxa de administração afeta o: a) Valor da cota do fundo diariamente. b) Valor da cota do fundo no último dia útil de cada mês. c) Número de cotas, quando se trata de fundo de ações. d) Número de cotas, quando se trata de fundo de renda fixa. 65. Um fundo de investimento aberto, sem carência, admite: a) Aplicações e resgates a qualquer momento. b) Aplicações com vencimento. c) Resgates com vencimento. d) Aplicações e resgates a cada 90 dias. 66. É objetivo do fundo de investimento referenciado: a) Superar seu benchmark. b) Oferecer investimento livre de risco. c) Oferecer rendimento acima da inflação. d) Acompanhar seu benchmark. 67. O valor da cota de um fundo de investimento pode ser obtido: a) Dividindo o patrimônio bruto do fundo pela quantidade de cotistas. b) Dividindo o patrimônio líquido do fundo pela quantidade de cotistas. c) Dividindo o patrimônio bruto do fundo pelo número de cotas emitidas pelo fundo. d) Dividindo o patrimônio líquido do fundo pelo número de cotas emitidas pelo fundo. 68. Pode(m) convocar assembleias gerais em um fundo de investimento: Edgar Abreu Página 8

9 a) Somente o administrador. b) Qualquer cotista. c) Administrador ou cotista ou grupo de cotistas que detenham, no mínimo, 5% do total de cotas emitidas. d) Administrador ou cotista ou grupo de cotistas que detenham, no mínimo, 10% do total de cotas emitidas. 69. Fundos de investimento é um instrumento por meio do qual um ou mais indivíduos aderem a um condomínio de investidores cujos recursos são administrados por um gestor profissional. Cabe ao gestor: a) Garantir que os títulos de renda fixa sejam levados até o vencimento. b) Predeterminar a rentabilidade a ser auferida. c) Respeitar as regras contratuais e, quando conveniente, exceder os limites de risco estabelecidos. d) Respeitar as regras estabelecidas em regulamento. 70. A cota de um fundo é calculada a partir do somatório do valor de: a) Aquisição dos ativos do fundo, mais despesas, menos receitas, dividido pelo total de cotas. b) Aquisição dos ativos do fundo, menos despesas, mais receitas, dividido pelo número de cotas. c) Mercado dos ativos do fundo, menos despesas, mais receitas, dividido pelo número de cotas. d) Mercado do ativo do fundo, menos IR provisionado, dividido pelo número de cotistas/investidores. 71. Um fundo indexado ao IBrX tem o objetivo de proporcionar aos seus cotistas uma rentabilidade que acompanhe a evolução: a) Da taxa de juros praticada nos títulos federais. b) Da inflação medida pelo IBGE. c) Das ações mais negociadas na Bovespa. d) Da variação cambial indicada pela cotação PTAX de venda. 72. A política de investimento de um fundo de investimento de gestão passiva, normalmente, contempla estratégias que buscam: a) Ganhos adicionais em operações especulativas no mercado futuro de juros. b) Superar a rentabilidade mínima contratada com o investidor. c) Superar o benchmark estabelecido em regulamento. d) Replicar o benchmark estabelecido no regulamento. 73. Um investidor avesso a risco, ao lhe ser recomendado um fundo referenciado DI, questionou a informação constante no prospecto de que o fundo utiliza instrumentos de derivativos. O gerente argumentou que a frase do prospecto é padrão, exigência do código de autorregulação da Anbid, e o fundo não apresenta risco, pois não utiliza instrumento de derivativos. O esclarecimento do gerente está: a) Correto, pois é vedado o uso de derivativos em fundos referenciados. b) Incorreto, pois fundos referenciados DI podem utilizar derivativos para alavancagem da carteira. Edgar Abreu Página 9

10 c) Incorreta, pois fundos referenciados DI podem utilizar derivativos para proteção da carteira. d) Correto, pois os prospectos são padronizados pela Anbid e podem não refletir a realidade de cada fundo. 74. Um fundo de investimento referenciado CDI tem o objetivo de obter a rentabilidade: a) Igual à do CDI, no mínimo. b) Próximo à do CDI. c) Igual à da renda fixa. d) Superior à do CDI. 75. Ter pelo menos 80% do seu patrimônio líquido representado em títulos públicos federais e/ou títulos de renda fixa, estar o emissor classificado na categoria de baixo risco de crédito e conter em sua denominação o indicador de desempenho. Os fundos que apresentam as características anteriormente descritas são classificados como: a) Exclusivos. b) Referenciados. c) De renda fixa. d) De curto prazo. 76. Um investidor extremamente conservador decidiu aplicar R$ 10 mil em um fundo de renda fixa que está apresentando excelente rendimento este ano. Esse investidor: a) Tomou uma decisão correta, visto que esse tipo de fundo não apresenta risco. b) Decidiu corretamente porque observou a rentabilidade passada do fundo. c) Deverá ser informado que o tipo de fundo não possui fundo garantidor de crédito (FGC) e qualquer fundo possui risco, por mais conservador que seja. d) Não correrá risco, pois esse tipo de fundo tem a garantia do FGC. 77. O administrador de um fundo de investimento exerce as atribuições que a lei e o estatuto lhe conferem para fins e interesses: a) Do gestor. b) Do custodiante. c) Do auditor independente. d) Dos cotistas. 78. Ao ser liquidada uma operação prevista no regulamento de um fundo de investimento alavancado, é apurada uma perda que compromete todo o patrimônio do fundo, ocasionando, ainda, prejuízo adicional. Esse prejuízo deverá ser coberto: a) Pelos cotistas do fundo. b) Pelo gestor da carteira. c) Pelas contrapartes que realizaram a operação com o fundo. d) Pelo administrador do fundo. 79. Um dos direitos do administrador de fundos de investimentos, sem prévia autorização de uma assembleia de cotistas, é: a) Aumentar a taxa de administração. b) Escolher empresas de auditoria e custódia. c) Alterar a política de investimento. Edgar Abreu Página 10

11 d) Apropriar-se de parte do patrimônio do fundo. 80. Segundo a CVM, os fundos: a) Abertos são voltados exclusivamente à venda ao público, não se incluindo os exclusivos. b) Abertos têm número fixo de cotas e resgate de recursos a qualquer tempo. c) Fechados permanecem temporariamente sem aceitar depósitos, sem valorização de suas cotas, podendo retomar a captação a qualquer momento. d) Fechados captam recursos apenas por um período e as cotas só podem ser resgatadas quando de sua liquidação ou ao término do prazo previsto de duração. 81. O percentual máximo da carteira de um fundo de investimento de renda fixa que pode ser direcionado para aplicações em títulos públicos federais é de: a) 67%. b) 80%. c) 95%. d) 100%. 82. O percentual máximo da carteira de um fundo de investimento de ações que pode ser direcionado para aplicações em ações é de: a) 67%. b) 80%. c) 95%. d) 100%. 83. A política de investimento de um fundo de renda fixa de gestão passiva, normalmente, contempla estratégias que buscam ganhos por meio de: a) Operações que visem a proporcionar rentabilidade mais próxima possível do benchmark. b) Estratégias com derivativos para posicionamento da carteira. c) Apostas nas mudanças da volatilidade das taxas de juro. d) Apostas na direção das taxas de juro futuras. 84. Um investidor do banco X ficou indignado com a rentabilidade negativa em seu fundo DI, por tratar-se de um fundo conservador. O gerente explicou-lhe que houve desvalorização da letra financeira do Tesouro (LFT), título público que compõe a carteira desse fundo, refletindo-se no valor da cota. A explicação do gerente está: a) Incorreta. Fundo DI só terá desvalorização em suas cotas no caso de negligência do gestor. b) Correta. A carteira de um fundo DI, por ser obrigatoriamente 100% LFT, reflete essas oscilações na cota do fundo. c) Incorreta. Por se tratar de um título pós-fixado, não poderia ser negociado com ágio ou deságio. d) Correta. A LFT pode variar de preço. 85. Considere as seguintes informações quanto à composição da carteira dos fundos de investimento administrados por determinada instituição financeira: a) Fundo 1: 75% de ações e 25% de títulos públicos federais. b) Fundo 2: 35% de ações e 65% de títulos públicos federais. c) Fundo 3: 55% de ações e 45% de títulos públicos federais. Edgar Abreu Página 11

12 d) Fundo 4: 65% de ações e 35% de títulos públicos federais. De acordo com a legislação do IR, considera-se fundo de investimento em ações o(s) fundo(s): a) 3 e 4. b) 2 e 3. c) 1 e 2. d) 1 exclusivamente. 86. O regulamento de um fundo de investimento estabelece que, no mínimo, 80% da sua carteira seja direcionada para operações vinculadas à variação da taxa de juros doméstica. Segundo a CVM, esse fundo deve ser classificado como: a) Referenciado. b) Multimercado. c) De curto prazo. d) De renda fixa. 87. A linha-d água pode ser entendida como uma: a) Fórmula matemática que aumenta os ganhos do administrador e a rentabilidade dos fundos. b) Metodologia utilizada para o cálculo e limitação da cobrança de taxa de performance de um fundo, considerando-se seu benchmark. c) Metodologia utilizada no cálculo da taxa fixa de um fundo de investimento. d) Fórmula matemática utilizada no cálculo da taxa limite de ganho do administrador de um fundo. 88. Um cliente desistiu de aplicar em um fundo referenciado ao ler em seu prospecto que esse fundo poderia aplicar seus recursos em derivativos. O gerente do banco o convenceu a aplicar no fundo alegando que os fundos passivos não podem investir em derivativos e que essa informação só estava escrita no prospecto por uma exigência da Anbid. A afirmação do gerente do banco está: a) Errada, pois fundos referenciados não podem investir em derivativos. b) Correta, pois fundos referenciados podem investir em derivativos sem restrições. c) Errada, pois somente os fundos alavancados podem investir em ações. d) Errada, pois fundos referenciados podem investir em derivativos, desde que seja para fazer hedge. 89. Qual o mínimo do patrimônio líquido de um fundo de direitos creditórios que deve ser aplicado em direitos creditórios: a) 95%. b) 80%. c) 67%. d) 50%. 90. O prazo de carência que um fundo deve observar para divulgar as suas rentabilidades é de: a) 2 meses. b) 6 meses. c) 12 meses. Edgar Abreu Página 12

13 d) 1 mês. 91. O conceito de linha-d água está relacionado com: a) Metodologia utilizada para cobrança de taxa de performance considerando um benchmark. b) Limite de risco que um fundo pode assumir. c) O IR retido na fonte nos fundos de investimento. d) Metodologia utilizada para cobrança de taxa de administração considerando um benchmark. 92. Para que um cotista possa convocar uma assembleia extraordinária em um fundo de investimento, é necessário que ele detenha, no mínimo: a) 2% das cotas emitidas pelo fundo. b) 5% das cotas emitidas pelo fundo. c) 10% das cotas emitidas pelo fundo. d) 50% das cotas emitidas pelo fundo. 93. Sobre a alteração na taxa de administração de um fundo de investimento é correto afirmar: a) Pode ser alterada a qualquer momento pelo administrador. b) Sempre que for alterada, necessitará de aprovação em assembleia. c) Pode ser reduzida, sem ser necessária a convocação de assembleia. d) Jamais poderá ser alterada. 94. A convocação dos cotistas para assembleia geral de um fundo de investimento deverá ser encaminhada a cada cotista com pelo menos: a) 5 dias de antecedência. b) 10 dias de antecedência. c) 1 mês de antecedência. d) 2 meses de antecedência. 95. Uma das características dos fundos fechados é possibilitar ao cotista: a) Garantia dos recursos aplicados pelo administrador do fundo. b) Menor taxa de administração. c) Negociar suas cotas no mercado secundário. d) Total liquidez. 96. Uma empresa solicitou a um banco a criação de um fundo de investimento onde somente os funcionários dela pudessem fazer aplicações nesse fundo. Assim, esse fundo de investimento obrigatoriamente será um: a) Fundo aberto. b) Fundo referenciado. c) Fundo exclusivo. d) Fundo restrito. 97. É um exemplo de investidor que poderá ser cotista de fundo exclusivo: a) Empresas de grande porte. b) Financeiras. Edgar Abreu Página 13

14 c) Toda pessoa física com aplicação superior a R$ 300 mil. d) Todo investidor que ateste por escrito ter conhecimento de mercado. 98. Uma das vantagens do cotista de um fundo exclusivo é: a) Benefício do Chinese wall. b) Obrigatoriedade de marcação a mercado. c) Possibilidade de ter uma taxa de administração reduzida. d) Benefício fiscal. 99. São exemplos de fundos de investimento que poderão utilizar cota de abertura: a) Fundos de ações. b) Fundos multimercado. c) Fundos cambiais. d) Fundos de curto prazo Prazo máximo de um título que compõe a carteira de um fundo de curto prazo será de: a) 365 dias. b) 375 dias. c) 60 dias. d) 30 dias Sobre a atuação dos fundos classificados como referenciados no mercado de derivativos, podemos afirmar que: a) Jamais poderão atuar no mercado de derivativos. b) Podem atuar no mercado de derivativos de forma livre. c) Podem operar no mercado de derivativos, desde que seja para proteger a carteira (hedge). d) Só poderão atuar no mercado de derivativos se o índice de referência do fundo for o Ibovespa Alterações nas taxas de juros domésticas afetam com mais intensidade o fundo: a) Multimercado. b) Ações. c) Curto prazo. d) Renda fixa Fundo que investe, no mínimo, 80% de seu patrimônio líquido em ativos que busquem acompanhar a variação de preços de moeda estrangeira: a) Multimercado. b) Ações. c) Cambial. d) Renda Fixa Sobre os fundos cambiais, é correto afirmar que: a) São sempre cambiais em dólar. b) Podem cobrar taxa de performance. Edgar Abreu Página 14

15 c) A aplicação deverá ser feita sempre em moeda estrangeira. d) São garantidos pelas reservas internacionais do País É exemplo de estratégia que pode ser utilizada pelo gestor de um fundo de ações ativo ao Ibovespa para superar o benchmark, com EXCEÇÃO de: a) Stok picking. b) Market timing. c) Split. d) Arbitragem Estratégia adotada pelo gestor de um fundo de ações em que ele aposta nas ações nas quais considera ter maior potencial de retorno, aumentando assim a concentração da carteira nesse ativo: a) Stok picking. b) Market timing. c) Split. d) Arbitragem Uma forma fácil de investir em papéis do Brasil negociados no mercado internacional é aplicar em: a) Fundos referenciados. b) Fundos de ações. c) Fundos da dívida externa. d) Fundos multimercado Fundos de investimento que investem, no mínimo, 80% do seu patrimônio líquido em títulos do Brasil negociados no mercado internacional: a) Fundos referenciados. b) Fundos de ações. c) Fundos da dívida externa. d) Fundos multimercado Fundos de investimento em que é permitido o uso de derivativos para estratégia de alavancagem e também a cobrança de taxa de performance: a) Fundos referenciados. b) Fundos de curto prazo. c) Fundos multimercado. d) Fundos de renda fixa Fundos de investimento que podem aplicar mais de 50% do seu patrimônio líquido em cotas de fundos de investimento: a) Fundos referenciados. b) Fundos multimercado. c) Fundos de curto prazo. d) Fundos de renda fixa Deverá constar na denominação de um fundo de investimento em renda fixa que possui em sua carteira mais de 50% de títulos privados a expressão: Edgar Abreu Página 15

16 a) Fundo de alto risco de crédito. b) Fundo de alto risco de mercado. c) Fundo de crédito privado. d) Fundo de crédito público Fundos de investimento que deverão manter, no mínimo, 95% de seu patrimônio investido em cotas de fundos de investimento de uma mesma classe: a) Fundos multimercado. b) Fundos de ações. c) Fundos imobiliários. d) Fundos de investimento em cotas de fundos de investimento Os fundos de investimento classificados como fundos de investimento em índice de mercado caracterizam-se principalmente por: a) Manter 95%, no mínimo, de seu patrimônio aplicado em valores mobiliários ou outros ativos de renda variável autorizados pela CVM, na proporção em que estes integram o índice de referência. b) Manter 50%, no mínimo, de seu patrimônio aplicado em valores mobiliários ou outros ativos de renda variável autorizados pela CVM, na proporção em que estes integram o índice de referência. c) Manter 80%, no mínimo, de seu patrimônio aplicado em valores mobiliários ou outros ativos de renda variável autorizados pela CVM, na proporção em que estes integram o índice de referência. d) Manter 5%, no mínimo, de seu patrimônio aplicado em valores mobiliários ou outros ativos de renda variável autorizados pela CVM, na proporção em que estes integram o índice de referência Os fundos de investimento offshore são fundos que: a) Aplicam em ativos de outros países e são constituídos no Brasil. b) Aplicam em ativos de dentro do Brasil, apesar de não serem constituídos no Brasil. c) Aplicam em ativos de qualquer país e são constituídos fora do Brasil. d) Aplicam em ativos de dentro do Brasil e são constituídos no Brasil Os fundos de investimento imobiliário devem ser constituídos necessariamente como: a) Fundo aberto. b) Fundo exclusivo. c) Fundo fechado. d) Fundo alavancado Percentual mínimo do lucro auferido, que os fundos imobiliários devem distribuir aos seus cotistas: a) 50%. b) 25%. c) 95%. d) 100% Entre os fundos a seguir, aquele que tem por objetivo proporcionar a menor volatilidade possível do valor da cota é o: Edgar Abreu Página 16

17 a) Fundo de curto prazo. b) Fundo de ações. c) Fundo referenciado. d) Fundo multimercado Os fundos de investimento classificados como multimercado podem aplicar parte do seu patrimônio líquido em ativos no exterior, desde que obedeçam ao limite máximo de: a) 10%. b) 20%. c) 50%. d) 80% Sobre a taxa de administração cobrada em um fundo de investimento, é correto afirmar que: a) É cobrada antes de descontar as despesas do fundo. b) A cobrança é anual. c) Pode ser cobrada mesmo se o fundo apresentar rentabilidade negativa. d) Uma vez definida, jamais poderá ser alterada A cobrança de taxa de administração de um fundo de investimento afeta diretamente: a) A quantidade de cotas. b) A alíquota de IR pago pelo cotista. c) O valor da cota. d) O risco do fundo Podem ser classificadas como despesas de um fundo de investimento, com EXCEÇÃO de: a) Despesas com impressão de relatórios. b) Despesas com auditoria. c) Emolumentos e custódia. d) Despesas com IR O custodiante de um fundo de investimento é o responsável: a) Pela compra e venda dos ativos da carteira. b) Pela distribuição das cotas do fundo. c) Por fazer a marcação a mercado dos ativos presentes no fundo. d) Por auditar o fundo Fator em um fundo de investimento que obriga o gestor do fundo a vender ativos da carteira: a) Resgates de cotas. b) Novas aplicações. c) Cobrança de IR. d) Alteração na taxa de juros O cotista de um fundo de investimento deverá receber obrigatoriamente, todos os anos, os documentos a seguir, com EXCEÇÃO de: a) Demonstrativo para pagamento de IR. b) Rendimentos obtidos no ano. Edgar Abreu Página 17

18 c) Número de cotas que possuía. d) Balanço anual do administrador do fundo São exemplos de benefícios que podem ser observados pelos cotistas de fundos de investimento, devido à sua constituição em forma de condomínio, com EXCEÇÃO de: a) Ganhos de escala. b) Diversificação. c) Maior liquidez. d) Garantia do fundo garantidor de crédito O objetivo do conceito de Chinese wall em fundos de investimento é: a) Prevenir potenciais conflitos de interesses entre a administração de recursos próprios com a administração de recursos de terceiros. b) Separar a taxa de administração do fundo com o IR. c) Prevenir potenciais conflitos de interesses entre o cotista e o administrador. d) Prevenir potenciais conflitos de interesses entre o gestor e o administrador do fundo O objetivo da marcação a mercado em fundos de investimento é: a) Evitar transferência de riquezas entre cotistas. b) Evitar ganhos exagerados do administrador. c) Evitar perdas nos fundos de investimento. d) Classificar os fundos de investimento quanto ao seu risco Segundo a classificação de fundos da Anbid, um fundo é considerado alavancado quando: a) A carteira do fundo é formada por títulos com elevado risco de crédito. b) O fundo opera no mercado de derivativos. c) Existe a chance de se perder mais que o patrimônio líquido do fundo. d) Quando o fundo comprar ativos da instituição financeira administradora do fundo Os fundos referenciados têm como principal estratégia de gestão buscar: a) Alta rentabilidade. b) Baixo risco. c) Alta aderência ao seu benchmark. d) Baixa aderência ao seu benchmark A taxa de administração cobrada de um fundo de investimento tem por objetivo: a) Pagar custos de auditoria externa. b) Pagamento de tributos. c) Cobrir eventuais perdas do fundo. d) Remunerar o administrador pelos serviços prestados Buscam replicar com a maior aderência possível um determinado índice de mercado: a) Fundos de ações. b) Fundos ativos. c) Fundos referenciados. d) Fundos alavancados. Edgar Abreu Página 18

19 132. É um exemplo de um possível benchmark de um fundo cambial: a) IPCA. b) CDI. c) PTAX. d) Ibovespa A utilização de um benchmark pelos fundos de investimento tem como objetivo: a) Mostrar a superioridade do fundo em relação ao mercado. b) Comparar as rentabilidades. c) Mostrar ao cotista o regime tributário do fundo. d) Proporcionar maior rentabilidade ao cotista A política de investimento de um fundo somente pode ser alterada por: a) Deliberação dos cotistas em assembleia. b) Flutuação de preço dos ativos. c) Determinação do gestor em benefício do fundo. d) Normas da auditoria interna da instituição financeira Dois fundos referenciados ao CDI, de mesma taxa de administração, obtiveram retornos conforme quadro a seguir: Retorno do CDI (%) Mês 1 Mês 2 Mês 3 Mês 4 Fundo A 98% 97% 99% 98% Fundo B 105% 95% 103% 97% Comparando-se os fundos A e B, é correto afirmar que o fundo: a) A está mais aderente ao objetivo do fundo. b) B está mais aderente ao objetivo do fundo. c) B é um fundo alavancado. d) A é um fundo que não marca seus títulos a mercado Em um fundo de investimento, a marcação pela curva do papel provoca: a) Diferença contábil que seria ajustada no balanço social do fundo. b) Equidade entre os cotistas, não importando em que momento cada cotista aplicou ou resgatou no fundo. c) Distorção na rentabilidade apurada, podendo ocorrer distribuição de renda entre os cotistas. d) Aumento de rendimentos, pois os títulos e valores mobiliários seriam contabilizados pelos respectivos valores de mercado Se um fundo de investimento é alavancado, então: a) Sua carteira é constituída preponderantemente por títulos públicos federais. b) Seu gestor se propõe a superar pelo menos 20% o desempenho de parâmetro de referência (benchmark). Edgar Abreu Página 19

20 c) Busca neutralizar o risco diferente do parâmetro de referência. d) Existe a possibilidade de perda superior ao patrimônio líquido Os mercados primários e secundários estão corretamente relacionados em: Mercado em que ocorre a transferência de títulos e valores mobiliários entre investidores Mercado em que ocorre o lançamento de novos títulos e valores mobiliários a) Informal; primário. b) Primário; secundário. c) Secundário; primário. d) Futuro; informal Um investidor de um fundo cambial reclama que não obteve a totalidade da expressiva desvalorização ocorrida. Ele deve ser informado de que, além da taxa de administração: a) O spread existente entre as cotações de compra e venda de moeda estrangeira impacta positivamente a rentabilidade do fundo. b) As restrições impostas pela CVM, na composição das carteiras dos fundos cambiais, impedem maior aderência à desvalorização cambial. c) A existência de fusos horários nos principais mercados financeiros inibe a correta precificação de ativos denominados em moedas estrangeiras. d) A elevação do cupom cambial impacta negativamente a rentabilidade do fundo A marcação a mercado é facultativa para os fundos de investimento: a) Que possuem inúmeros cotistas, por decisão e responsabilidade do gestor. b) Exclusivos, por solicitação do cotista. c) Que possuem inúmeros cotistas, por decisão de assembleia de cotistas. d) Exclusivos, por decisão e responsabilidade do gestor Na letra hipotecária, o prazo máximo não pode exceder: a) 180 dias, a contar da data do investimento. b) 721 dias, a contar da data do investimento. c) 360 dias, a contar da data do investimento. d) O prazo total dos empréstimos da carteira hipotecária da instituição financeira Uma debênture é conversível em ações quando pode: a) Ser convertida em dinheiro a qualquer momento. b) Ter taxa de remuneração alterada nas assembléias com os debenturistas. c) Ser recomprada pelo emissor quando for de sua conveniência. d) Ser trocada por ações da companhia emissora em datas determinadas Home broker permite: a) a compra e venda de ações sem o intermédio da corretora. b) a compra e venda de ações pela internet. c) a compra e venda de ações por telefone. d) a compra e venda de fundos de investimento feitas pelo banco Para utilizar os serviços oferecidos pelo home broker, o investidor deverá cadastrar-se em: Edgar Abreu Página 20

Simulado CPA 10 Completo

Simulado CPA 10 Completo Simulado CPA 10 Completo Question 1. O SELIC é um sistema informatizado que cuida da liquidação e custódia de: ( ) Certificado de Depósito Bancário ( ) Contratos de derivativos ( ) Ações negociadas em

Leia mais

1 - Estrutura do Sistema Financeiro Nacional: 2 - Sistema de Seguros Privados e Previdência Complementar:

1 - Estrutura do Sistema Financeiro Nacional: 2 - Sistema de Seguros Privados e Previdência Complementar: EDITAL 2012 1 - Estrutura do Sistema Financeiro Nacional: Conselho Monetário Nacional; Banco Central do Brasil; Comissão de Valores Mobiliários; Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional; bancos

Leia mais

Programa de Atualização Certificação Profissional ANBIMA Série 10 (CPA-10) Versão 2.2

Programa de Atualização Certificação Profissional ANBIMA Série 10 (CPA-10) Versão 2.2 Programa de Atualização Certificação Profissional ANBIMA Série 10 (CPA-10) Versão 2.2 OBJETIVOS DA ATUALIZAÇÃO DA CPA-10 A Atualização dos profissionais certificados CPA-10 é parte do Código de Regulação

Leia mais

1. PRINCÍPIOS BÁSICOS DE ECONOMIA, FINANÇAS E ESTATÍSTICA

1. PRINCÍPIOS BÁSICOS DE ECONOMIA, FINANÇAS E ESTATÍSTICA CONTEÚDO CURSO PREPARATÓRIO PARA A REALIZAÇÃO DE PROVA DE CERTIFICAÇÃO PARA RESPONSÁVEIS PELA GESTÃO DOS RECURSOS DOS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RPPS (CPA-20, CPA-10 e ANCOR) 1. PRINCÍPIOS

Leia mais

BAN CO DO BRASIL. Atualizada 19/01/2011 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores 1

BAN CO DO BRASIL. Atualizada 19/01/2011 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores 1 41. (CAIXA/2010) Compete à Comissão de Valores Mobiliários CVM disciplinar as seguintes matérias: I. registro de companhias abertas. II. execução da política monetária. III. registro e fiscalização de

Leia mais

Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10. Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10 3º versão

Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10. Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10 3º versão Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10 Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10 3º versão 0 Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID SÉRIE 10-3º

Leia mais

PROGRAMA DE ATUALIZAÇÃO dos Profissionais Certificados pela ANBIMA CPA-10

PROGRAMA DE ATUALIZAÇÃO dos Profissionais Certificados pela ANBIMA CPA-10 PROGRAMA DE ATUALIZAÇÃO dos Profissionais Certificados pela ANBIMA CPA-10 Controle: D.04.10.04 Data da Elaboração: 10/11/2009 Data da Revisão: 30/09/2013 Elaborado por: Certificação ANBIMA Aprovado por:

Leia mais

PROGRAMA DE ATUALIZAÇÃO dos Profissionais Certificados pela ANBIMA CPA-10

PROGRAMA DE ATUALIZAÇÃO dos Profissionais Certificados pela ANBIMA CPA-10 PROGRAMA DE ATUALIZAÇÃO dos Profissionais Certificados pela ANBIMA CPA-10 Controle: D.04.10.05 Data da Elaboração: 10/11/2009 Data da Revisão: 14/05/2015 Elaborado por: Certificação ANBIMA Aprovado por:

Leia mais

Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10

Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10 Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10 Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID SÉRIE 10 - Versão 5.4 OBJETIVOS DA CPA-10 A CPA 10 é uma importante parte do Programa

Leia mais

Curso CPA-10 Certificação ANBID Módulo 6 Demais Produtos de Investimento

Curso CPA-10 Certificação ANBID Módulo 6 Demais Produtos de Investimento Pág: 1/45 Curso CPA-10 Certificação ANBID Módulo 6 Demais Produtos de Investimento Pág: 2/45 Módulo 6 - Demais Produtos de Investimento Este módulo apresenta as principais características de algumas das

Leia mais

Caderno de Exercícios

Caderno de Exercícios www.equipe exclusiva.com.br Equipe Exclusiva www.edgarabreu.com.br Caderno de Exercícios www.equipe exclusiva.com.br www.edgarabreu.com.br Sumário CERTO OU ERRADO COM GABARITO COMENTADO... 02 MÚLTIPLA

Leia mais

Preparatório para Certificação da ANBIMA CPA 10

Preparatório para Certificação da ANBIMA CPA 10 Preparatório para Certificação da ANBIMA CPA 10 Programa 2012 OBJETIVO: Habilitar os candidatos à Certificação Profissional ANBIMA CPA-10 a participarem do exame reunindo os conhecimentos necessários.

Leia mais

Conteúdo Programático. Agente Autônomo de Investimentos (ANCORD)

Conteúdo Programático. Agente Autônomo de Investimentos (ANCORD) Conteúdo Programático Agente Autônomo de Investimentos (ANCORD) 1. A atividade do agente autônomo de investimento Instrução CVM 497 Diferenciação das atividades do agente autônomo, administração de carteiras,

Leia mais

Curso Preparatório ANBIMA - CPA-10 Curso Preparatório ANBIMA - CPA-20

Curso Preparatório ANBIMA - CPA-10 Curso Preparatório ANBIMA - CPA-20 Solange Honorato Curso Preparatório ANBIMA - CPA-10 Curso Preparatório ANBIMA - CPA-20 Módulo VI CPA10 Demais produtos de Investimentos Pg 70 De 8 a 13 Questões na prova (15% a 25%) Demais produtos de

Leia mais

PROGRAMA DETALHADO Certificação ANBIMA Profissional Série 10 (CPA-10)

PROGRAMA DETALHADO Certificação ANBIMA Profissional Série 10 (CPA-10) PROGRAMA DETALHADO Programa da Certificação Detalhado Profissional da Certificação ANBIMA Profissional Série 10 (CPA-10) ANBID Série 10 Controle: D.04.08.06 Data da Elaboração: 10/11/2009 Data da Revisão:

Leia mais

Preparatório para Certificação da ANBID CPA 10

Preparatório para Certificação da ANBID CPA 10 Preparatório para Certificação da ANBID CPA 10 Programa 2011 PROGRAMA: 1) Sistema Financeiro Nacional Funções Básicas: Função dos intermediários financeiros e definição de intermediação financeira. Estrutura

Leia mais

Sumário. Unidade I. cad_00.indd 15 08/12/2011 10:53:48

Sumário. Unidade I. cad_00.indd 15 08/12/2011 10:53:48 Sumário Unidade I O Sistema Financeiro Nacional: Composição, Funcionamento e Regulação Capítulo 1 Sistema Financeiro Nacional...3 1.1. Introdução...3 1.2. A Intermediação Financeira...4 1.3. Estrutura

Leia mais

Alterações na Poupança

Alterações na Poupança PRODUTOS E SERVIÇOS FINANCEIROS INVESTIMENTOS POUPANÇA A conta de poupança foi criada para estimular a economia popular e permite a aplicação de pequenos valores que passam a gerar rendimentos mensalmente.

Leia mais

Fundos de Investimento

Fundos de Investimento Gestão Financeira Prof. Marcelo Cruz Fundos de Investimento 3 Uma modalide de aplicação financeira Decisão de Investimento 1 Vídeo: CVM Um fundo de investimento é um condomínio que reúne recursos de um

Leia mais

Os fundos referenciados identificam em seu nome o indicador de desempenho que sua carteira tem por objetivo acompanhar.

Os fundos referenciados identificam em seu nome o indicador de desempenho que sua carteira tem por objetivo acompanhar. FUNDO REFERENCIADO DI Os fundos referenciados identificam em seu nome o indicador de desempenho que sua carteira tem por objetivo acompanhar. Para tal, investem no mínimo 80% em títulos públicos federais

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Item 2.1.4- Fundos de Investimentos 2ª parte:

Conhecimentos Bancários. Item 2.1.4- Fundos de Investimentos 2ª parte: Conhecimentos Bancários Item 2.1.4- Fundos de Investimentos 2ª parte: Conhecimentos Bancários Item 2.1.4- Fundos de Investimentos: São condomínios, que reúnem aplicações de vários indivíduos para investimento

Leia mais

2) No Brasil, o índice de preço cuja taxa de variação é adotada como meta de Inflação é o: a) IPA b) IPCA c) INCC d) IGP M

2) No Brasil, o índice de preço cuja taxa de variação é adotada como meta de Inflação é o: a) IPA b) IPCA c) INCC d) IGP M MÓDULO I 1) O Comitê de Política Monetária COPOM reúne se com o objetivo de fixar e divulgar a taxa básica de juros. Uma vez definido o viés, este poderá ser exercido: a) Pelo Comitê de Política Monetária

Leia mais

Factoring. Leasing. Capítulo 7

Factoring. Leasing. Capítulo 7 Sumário Capítulo 1 Fundamentos: Sistema Financeiro Nacional, Conselho Monetário Nacional, Banco Central e Moeda 1.1. Sistema Financeiro Nacional (SFN) 1.1.1. Legislação Básica 1.1.2. Subdivisões do SFN

Leia mais

Os títulos de renda fixa são caracterizados pó terem previamente definida a forma de remuneração. Esses títulos podem ser prefixados ou pós-fixados.

Os títulos de renda fixa são caracterizados pó terem previamente definida a forma de remuneração. Esses títulos podem ser prefixados ou pós-fixados. Faculdades Integradas Campos Salles Curso: Ciências Contábeis Disciplina: Contabilidade Aplicada às Instituições Financeiras Professor: Adeildo Paulino Aula: 12/05/2012 Matéria: Títulos e Valores Mobiliários

Leia mais

Como investir em 2012 Entenda como funciona cada produto financeiro : O Globo 2/fev/2012

Como investir em 2012 Entenda como funciona cada produto financeiro : O Globo 2/fev/2012 Como investir em 2012 Entenda como funciona cada produto financeiro : O Globo 2/fev/2012 Analistas indicam quais cuidados tomar no mercado financeiro em 2012 e quais investimentos oferecem menor probabilidade

Leia mais

BANCO DO BRASIL ESCRITURÁRIO

BANCO DO BRASIL ESCRITURÁRIO BANCO DO BRASIL ESCRITURÁRIO CONHECIMENTOS BANCÁRIOS 1. O Sistema Financeiro Nacional (SFN) é constituído por todas as instituições financeiras públicas ou privadas existentes no país e seu órgão normativo

Leia mais

Transferência da administração de recursos e alocação de ativos para profissionais especializados;

Transferência da administração de recursos e alocação de ativos para profissionais especializados; Guia de Fundos de Investimento A CMA desenvolveu o Guia de Fundos de Investimento para você que quer se familiarizar com os princípios básicos do mercado financeiro, ou que tem interesse em aprofundar

Leia mais

Holding (empresa) - aquela que possui, como atividade principal, participação acionária em uma ou mais empresas.

Holding (empresa) - aquela que possui, como atividade principal, participação acionária em uma ou mais empresas. Glossário de A a Z A Ação - título negociável, que representa a menor parcela em que se divide o capital de uma sociedade anônima. Ação listada em Bolsa - ação negociada no pregão de uma Bolsa de Valores.

Leia mais

Como funcionam os fundos de investimentos

Como funcionam os fundos de investimentos Como funcionam os fundos de investimentos Fundos de Investimentos: são como condomínios, que reúnem recursos financeiros de um grupo de investidores, chamados de cotistas, e realizam operações no mercado

Leia mais

Unidade 1 O Sistema Financeiro Nacional: Composição, Funcionamento e Regulação

Unidade 1 O Sistema Financeiro Nacional: Composição, Funcionamento e Regulação Sumário Unidade 1 O Sistema Financeiro Nacional: Composição, Funcionamento e Regulação Capítulo 1 Sistema Financeiro Nacional 1.2. A Intermediação Financeira 1.3. Estrutura Atual do Sistema Financeiro

Leia mais

RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução.

RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução. Proibida a reprodução. A Planner oferece uma linha completa de produtos financeiros e nossa equipe de profissionais está preparada para explicar tudo o que você precisa saber para tomar suas decisões com

Leia mais

Aplicação de recursos

Aplicação de recursos Aplicação de recursos São 3 os pilares de qualquer investimento Segurança Liquidez Rentabilidade Volatilidade - mede o risco que um fundo ou um título apresenta - maior a volatilidade, maior o risco; Aplicação

Leia mais

Conhecimentos Bancários Professor Carlos Arthur

Conhecimentos Bancários Professor Carlos Arthur Conhecimentos Bancários Professor Carlos Arthur 1 - Sobre as atribuições do Banco Central do Brasil, é incorreto afirmar: a) Exerce o controle de crédito b) Estimula a formação de poupança e a sua aplicação

Leia mais

Material Explicativo sobre Debêntures

Material Explicativo sobre Debêntures Material Explicativo sobre 1. Definições Gerais As debêntures são valores mobiliários que representam dívidas de médio e longo prazos de Sociedades Anônimas ou por ações (emissoras), de capital aberto

Leia mais

Curso Preparatório CPA20

Curso Preparatório CPA20 Página 1 de 9 Você acessou como Flávio Pereira Lemos - (Sair) Curso Preparatório CPA20 Início Ambiente ) CPA20_130111_1_1 ) Questionários ) Passo 2: Simulado Módulo II ) Revisão da tentativa 1 Iniciado

Leia mais

Concurso 2011. Prof. Cid Roberto. As bolsas de valores são instituições administradoras de mercados. prof.bancario@gmail.com

Concurso 2011. Prof. Cid Roberto. As bolsas de valores são instituições administradoras de mercados. prof.bancario@gmail.com Concurso 2011 Prof. Cid Roberto prof.bancario@gmail.com Bolsa de Valores As bolsas de valores são instituições administradoras de mercados. Comunidade Conhecimentos Bancários (orkut) 8ª aula Início da

Leia mais

A Indústria de Fundos de Investimento no Brasil. Luiz Calado Gerente de Certificação da ANBID

A Indústria de Fundos de Investimento no Brasil. Luiz Calado Gerente de Certificação da ANBID A Indústria de Fundos de Investimento no Brasil Luiz Calado Gerente de Certificação da ANBID A ANBID A ANBID Associação Nacional dos Bancos de Investimentos Criada em 1967, é a maior representante das

Leia mais

Curso de CPA 10 CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANBIMA SÉRIE 10. www.eadempresarial.net.br. www.eadempresarial.net.br - 18 3303-0383

Curso de CPA 10 CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANBIMA SÉRIE 10. www.eadempresarial.net.br. www.eadempresarial.net.br - 18 3303-0383 Curso de CPA 10 CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANBIMA SÉRIE 10 www.eadempresarial.net.br SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL Uma conceituação bastante abrangente de sistema financeiro poderia ser a de um conjunto de

Leia mais

HSBC Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo Tripla Vantagem CNPJ nº 09.522.596/0001-64

HSBC Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo Tripla Vantagem CNPJ nº 09.522.596/0001-64 HSBC Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo Tripla Vantagem CNPJ nº 09.522.596/0001-64 (Administrado pelo HSBC Bank Brasil S.A. - Banco Múltiplo CNPJ nº 01.701.201/0001-89) Demonstrações financeiras

Leia mais

Capítulo 7 Fundos de Investimentos

Capítulo 7 Fundos de Investimentos Capítulo 7 Fundos de Investimentos 7.1 Apresentação do capítulo O objetivo deste capítulo é apresentar as principais características e classificações de um fundo de investimento. Ao final, você terá visto:

Leia mais

2) Responsável por estabelecer medidas de prevenção ou correção de desequilíbrios econômicos: a) CMN b) Bacen c) CVM d) Anbima

2) Responsável por estabelecer medidas de prevenção ou correção de desequilíbrios econômicos: a) CMN b) Bacen c) CVM d) Anbima Caderno de Exercícios CPA-10 Módulo I 1) Responsável pela fiscalização dos Fundos de Investimento: a) Anbima b) CVM c) CMN d) Bacen 2) Responsável por estabelecer medidas de prevenção ou correção de desequilíbrios

Leia mais

Mercado primário e mercado secundário

Mercado primário e mercado secundário Mercado primário e mercado secundário O mercado primário compreende o lançamento de novas ações/debêntures no mercado, com aporte de recursos para a companhia. Ou seja, quando um título é lançado no mercado

Leia mais

Sou a instituição financeira auxiliar que opera no recinto da Bolsa. Posso organizar, administrar e vender Fundos de Investimento.

Sou a instituição financeira auxiliar que opera no recinto da Bolsa. Posso organizar, administrar e vender Fundos de Investimento. Exercícios SFN: 1 Com base nas características indicadas descubra quem é o personagem oculto: Banco de palavras: Conselho Monetário Nacional, Banco Central, Comissão de Valores Mobiliários, Banco Múltiplo,

Leia mais

GESTOR DA CARTEIRA DE INVESTIMENTO

GESTOR DA CARTEIRA DE INVESTIMENTO O QUE É? No Brasil um fundo de investimento possui a sua organização jurídica na forma de um condomínio de investidores, portanto o fundo de investimento possui um registro na Receita Federal (CNPJ) pois

Leia mais

PROGRAMA DETALHADO Certificação ANBIMA Profissional Série 10 (CPA-10)

PROGRAMA DETALHADO Certificação ANBIMA Profissional Série 10 (CPA-10) PROGRAMA DETALHADO Programa da Certificação Detalhado Profissional da Certificação ANBIMA Profissional Série 10 (CPA-10) ANBID Série 10 Controle: D.04.08.07 Data da Elaboração: 10/11/2009 Data da Revisão:

Leia mais

Sicredi - Fundo de Investimento em Ações Petrobras (CNPJ n 08.336.054/0001-34) (Administrado pelo Banco Cooperativo Sicredi S.A.

Sicredi - Fundo de Investimento em Ações Petrobras (CNPJ n 08.336.054/0001-34) (Administrado pelo Banco Cooperativo Sicredi S.A. Sicredi - Fundo de Investimento em Ações Petrobras (CNPJ n 08.336.054/0001-34) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 e relatório dos auditores independentes Relatório dos auditores independentes

Leia mais

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução.

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução. Proibida a reprodução. A Planner oferece uma linha completa de produtos financeiros e nossa equipe de profissionais está preparada para explicar tudo o que você precisa saber para tomar suas decisões com

Leia mais

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução.

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução. Proibida a reprodução. A Planner oferece uma linha completa de produtos financeiros e nossa equipe de profissionais está preparada para explicar tudo o que você precisa saber para tomar suas decisões com

Leia mais

Mercado de Ações O que são ações? Ação é um pedacinho de uma empresa Com um ou mais pedacinhos da empresa, você se torna sócio dela Sendo mais formal, podemos definir ações como títulos nominativos negociáveis

Leia mais

INVESTIMENTOS 1ª aula

INVESTIMENTOS 1ª aula INVESTIMENTOS 1ª aula Regis Klock - Graduação em Ciências Econômicas Pontifícia Universidade Católica - Pós-Graduação em Didática e Metodologia do Ensino Superior UMC - Universidade Mogi das Cruzes Experiência

Leia mais

Simulado CPA 20 Gratis

Simulado CPA 20 Gratis 1 Simulado CPA 20 Gratis Question 1. O risco de crédito está associado a capacidade do emissor de um título em não honrar os pagamentos: ( ) Somente dos Juros ( ) Dos juros e do principal da dívida ( )

Leia mais

Módulo 11 Corretora de Seguros

Módulo 11 Corretora de Seguros Módulo 11 Corretora de Seguros São pessoas físicas ou jurídicas, que se dedicam a angariar e promover contratos entre as Sociedades Seguradoras e seus clientes. A habilitação e o registro do corretor se

Leia mais

7. Mercado Financeiro

7. Mercado Financeiro 7. Mercado Financeiro 7. Mercado Financeiro Mercado Financeiro O processo onde os recursos excedentes da economia (poupança) são direcionados para o financiamento de empresas (tomadores de crédito). Investidor

Leia mais

Perfis de Investimento. GEBSA Prev

Perfis de Investimento. GEBSA Prev Perfis de Investimento GEBSA Prev 2 GEBSA-PREV INTRODUÇÃO Esta cartilha reúne as principais informações relacionadas aos Perfis de Investimento da GEBSA PREV e vai lhe ajudar a identificar alguns aspectos

Leia mais

Introdução: Mercado Financeiro

Introdução: Mercado Financeiro Introdução: Mercado Financeiro Prof. Nilton TÓPICOS Sistema Financeiro Nacional Ativos Financeiros Mercado de Ações 1 Sistema Financeiro Brasileiro Intervém e distribui recursos no mercado Advindos de

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Item 3.5.4 - Mercado de Capitais

Conhecimentos Bancários. Item 3.5.4 - Mercado de Capitais Conhecimentos Bancários Item 3.5.4 - Mercado de Capitais Conhecimentos Bancários Item 3.5.4 - Mercado de Capitais Sistema de distribuição de valores mobiliários, que tem o objetivo de proporcionar liquidez

Leia mais

Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Vale do Rio Doce (C.N.P.J. nº 04.890.401/0001-15) (Administrado pelo Banco J. Safra S.A.

Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Vale do Rio Doce (C.N.P.J. nº 04.890.401/0001-15) (Administrado pelo Banco J. Safra S.A. Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Vale do Rio Doce (Administrado pelo Banco J. Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 30 de setembro de 2015 e relatório dos auditores independentes Relatório dos

Leia mais

Apostila Mercado de Capitais Uninove. Parte VIII Os Títulos do Mercado de Capitais Os Títulos de Divida

Apostila Mercado de Capitais Uninove. Parte VIII Os Títulos do Mercado de Capitais Os Títulos de Divida Apostila Mercado de Capitais Uninove Parte VIII Os Títulos do Mercado de Capitais Os Títulos de Divida Titulos de Divida Debentures 2 O que são Debêntures? Debêntures são títulos emitidos por sociedades

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O PERFIL DE INVESTIMENTOS CONSERVADOR INDEXADO A INFLAÇÃO DA VISÃO PREV SOCIEDADE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O PERFIL DE INVESTIMENTOS CONSERVADOR INDEXADO A INFLAÇÃO DA VISÃO PREV SOCIEDADE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O PERFIL DE INVESTIMENTOS CONSERVADOR INDEXADO A INFLAÇÃO DA VISÃO PREV SOCIEDADE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais

Leia mais

MANUAL DE MARCAÇÃO A MERCADO

MANUAL DE MARCAÇÃO A MERCADO MANUAL DE MARCAÇÃO A MERCADO Gerência Nacional de Controladoria de Ativos Passivos e Custódia Data de Vigência: 30/09/2015 SUMÁRIO 1 PRINCÍPIOS GERAIS E O PROCESSO DE MARCAÇÃO A MERCADO... 3 1.1 LEGISLAÇÃO

Leia mais

Princípios de Investimento

Princípios de Investimento Princípios de Investimento Rentabilidade Rentabilidade é o grau de rendimento proporcionado por um investimento pela valorização do capital ao longo do tempo. Liquidez Liquidez é a rapidez com que se consegue

Leia mais

PROSPECTO SAFRA INDICIAL Fundo de Investimento em Ações CNPJ: 01.718.950/0001-19

PROSPECTO SAFRA INDICIAL Fundo de Investimento em Ações CNPJ: 01.718.950/0001-19 PROSPECTO SAFRA INDICIAL Fundo de Investimento em Ações CNPJ: 01.718.950/0001-19 Este Prospecto foi preparado com as informações necessárias ao atendimento das disposições do código de auto-regulação da

Leia mais

a) mercados de derivativos, tais como, exemplificativamente, índices de ações, índices de preços, câmbio (moedas), juros;

a) mercados de derivativos, tais como, exemplificativamente, índices de ações, índices de preços, câmbio (moedas), juros; CREDIT SUISSE HEDGINGGRIFFO 1. Públicoalvo LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS dezembro/2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o CSHG EQUITY HEDGE LEVANTE FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais

Material Explicativo sobre Títulos Públicos

Material Explicativo sobre Títulos Públicos Material Explicativo sobre 1. Definições Gerais Os são emitidos pelo Tesouro Nacional, servindo como um instrumento de captação do Governo Federal para execução e financiamento de suas dívidas internas,

Leia mais

Curso Preparatório CPA20

Curso Preparatório CPA20 Página 1 de 8 Você acessou como Flávio Pereira Lemos - (Sair) Curso Preparatório CPA20 Início Ambiente ) CPA20_130111_1_1 ) Questionários ) Passo 2: Simulado Módulo IV ) Revisão da tentativa 3 Iniciado

Leia mais

4/2/2011 DIRETRIZES DA POLÍTICA MONETÁRIA TAXA BÁSICA DE JUROS 08 MEMBROS 08 REUNIÕES RELATÓRIO DA INFLAÇÃO ATAS DO COPOM TAXA SELIC

4/2/2011 DIRETRIZES DA POLÍTICA MONETÁRIA TAXA BÁSICA DE JUROS 08 MEMBROS 08 REUNIÕES RELATÓRIO DA INFLAÇÃO ATAS DO COPOM TAXA SELIC CMN ORGAO MAXIMO DELIBERATIVO MINISTÉRIO DA FAZENDA, MINISTERIO DO PLANEJAMENTO, BACEN COMOC RESOLUÇÕES COPOM DIRETRIZES DA POLÍTICA MONETÁRIA TAXA BÁSICA DE JUROS 08 MEMBROS 08 REUNIÕES RELATÓRIO DA INFLAÇÃO

Leia mais

1º Pré-Teste Gabarito comentado (quando necessário)

1º Pré-Teste Gabarito comentado (quando necessário) 1º Pré-Teste Gabarito comentado (quando necessário) 1) As Entidades Abertas de Previdência Privada são reguladas e fiscalizadas: a) Pelo Banco Central do Brasil, Superintendência de Seguros Privados SUSEP

Leia mais

Renda Fixa Privada Cotas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios FIDC. Cotas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios FIDC

Renda Fixa Privada Cotas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios FIDC. Cotas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios FIDC Renda Fixa Privada Cotas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios - FIDC Uma alternativa de investimento atrelada aos créditos das empresas O produto O Fundo de Investimento em Direitos Creditórios

Leia mais

INVESTIMENTOS EM AÇÕES, TÍTULOS PRIVADOS e TÍTULOS PÚBLICOS

INVESTIMENTOS EM AÇÕES, TÍTULOS PRIVADOS e TÍTULOS PÚBLICOS INVESTIMENTOS EM AÇÕES, TÍTULOS PRIVADOS e TÍTULOS PÚBLICOS Formas de investir em ações. Individualmente Coletivamente Clubes de Investimentos Fundos de Investimentos Ações Ação é a menor fração do capital

Leia mais

Empresas de Capital Fechado, ou companhias fechadas, são aquelas que não podem negociar valores mobiliários no mercado.

Empresas de Capital Fechado, ou companhias fechadas, são aquelas que não podem negociar valores mobiliários no mercado. A Ação Os títulos negociáveis em Bolsa (ou no Mercado de Balcão, que é aquele em que as operações de compra e venda são fechadas via telefone ou por meio de um sistema eletrônico de negociação, e onde

Leia mais

Art. 2º Fica alterado o art. 1º da Resolução 3.042, de 28 de novembro de 2002, que passa a vigorar com a seguinte redação:

Art. 2º Fica alterado o art. 1º da Resolução 3.042, de 28 de novembro de 2002, que passa a vigorar com a seguinte redação: RESOLUCAO 3.308 --------------- Altera as normas que disciplinam a aplicação dos recursos das reservas, das provisões e dos fundos das sociedades seguradoras, das sociedades de capitalização e das entidades

Leia mais

Curso CPA-10 Certificação ANBID Módulo 5 - Fundos de Investimento

Curso CPA-10 Certificação ANBID Módulo 5 - Fundos de Investimento Pág: 1/54 Curso CPA-10 Certificação ANBID Módulo 5 - Fundos de Investimento Pág: 2/54 Módulo 5 - Fundos de Investimento Este módulo apresenta as características dos fundos de investimento, como as definições

Leia mais

Sistema Financeiro Nacional 3. Sistema Financeiro Nacional 3.1 Conceito 3.2 Subsistema de Supervisão 3.3 Subsistema Operativo 6/7/2006 2 3.1 - Conceito de Sistema Financeiro Conjunto de instituições financeiras

Leia mais

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS PROF RODRIGO O. BARBATI. Garantias do Sistema Financeiro Nacional

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS PROF RODRIGO O. BARBATI. Garantias do Sistema Financeiro Nacional Reta Final Escriturário Banco do Brasil Disciplina: Conhecimentos Bancários Prof.: Rodrigo Barbati Data: 09/09/2007 CONHECIMENTOS BANCÁRIOS PROF RODRIGO O. BARBATI Garantias do Sistema Financeiro Nacional

Leia mais

MANUAL DE AVALIAÇÃO DE ATIVOS E DERIVATIVOS - SINTÉTICO

MANUAL DE AVALIAÇÃO DE ATIVOS E DERIVATIVOS - SINTÉTICO MANUAL DE AVALIAÇÃO DE ATIVOS E DERIVATIVOS - SINTÉTICO Maio de 2008 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...3 2. PRINCÍPIOS GERAIS...5 2.1. MELHORES PRÁTICAS...5 2.2. ABRANGÊNCIA...5 2.3. COMPROMETIMENTO...5 2.4. EQÜIDADE...5

Leia mais

Santos, 30 de setembro de 2009

Santos, 30 de setembro de 2009 Santos, 30 de setembro de 2009 Estas são nossas primeiras impressões, comentário e observações quanto a Resolução 3790/09 que regula as aplicações financeiras dos RPPS: Valorização da elaboração da política

Leia mais

Material Explicativo sobre Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI)

Material Explicativo sobre Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI) Material Explicativo sobre (CRI) 1. Definições Gerais Os Certificados de Recebíveis são títulos lastreados em créditos imobiliários, representativos de parcelas de um direito creditório. O ativo permite

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Item 3.7 Captação de Recursos diretamente pelas empresas

Conhecimentos Bancários. Item 3.7 Captação de Recursos diretamente pelas empresas Conhecimentos Bancários Item 3.7 Captação de Recursos diretamente pelas empresas Conhecimentos Bancários Item 3.7 Captação de Recursos diretamente pelas empresas GOVERNO Instituições Financeiras EMPRESAS

Leia mais

Módulo III Noções de Economia e Finanças

Módulo III Noções de Economia e Finanças Certificação Profissional ANBIMA CPA-10 Módulo III Copyright 2011-2012 BMI Brazilian Management Institute 1 Índice 10% a 15% da prova 1. 4 1.1 Indicadores econômicos 4 1.1.1 PIB 4 1.1.2 Índices de Inflação:

Leia mais

Cadastro de clientes Conjunto de dados e informações gerais sobre a qualificação dos clientes e das sociedades corretoras.

Cadastro de clientes Conjunto de dados e informações gerais sobre a qualificação dos clientes e das sociedades corretoras. Câmbio Uma operação de câmbio envolve a negociação de moeda estrangeira através da troca da moeda de um país pela de outro. Uma pessoa que pretende viajar para o exterior precisa fazer uma operação de

Leia mais

Mercado Financeiro e de Capitais Prof. Cleber Rentroia MBA em Finanças e Banking

Mercado Financeiro e de Capitais Prof. Cleber Rentroia MBA em Finanças e Banking 1. Quando o IPCA tende a subir além das metas de inflação, qual medida deve ser tomada pelo COPOM: a) Abaixar o compulsório b) Reduzir taxa do redesconto c) Aumentar o crédito d) Elevar a taxa de juros

Leia mais

Deloitte Touche Tohmatsu Auditores Independentes

Deloitte Touche Tohmatsu Auditores Independentes Ishares S&P 500 Fundo de Investimento em Cotas de Fundo de Índice - Investimento no Exterior CNPJ nº 19.909.560/0001-91 (Administrado pela Citibank Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A.)

Leia mais

Caixa Econômica Federal

Caixa Econômica Federal Turma Exercícios 01) Em relação ao Sistema Financeiro Nacional, analise as afirmativas a seguir: I - Compete ao Conselho Monetário Nacional Regular o valor externo da moeda e o equilíbrio do balanço de

Leia mais

BB- 2011. (E) controlar e liquidar financeiramente as operações de compra e venda de títulos públicos e manter sua custódia física e escritural.

BB- 2011. (E) controlar e liquidar financeiramente as operações de compra e venda de títulos públicos e manter sua custódia física e escritural. controlar e liquidar financeiramente as operações de compra e venda de títulos públicos e manter sua custódia física e escritural. 4. (FCC/BB/10) A operação de antecipação de um recebimento, ou seja,venda

Leia mais

Índice. 1. Ações. 2. Termo. 3. Aluguel de Ações. 4. Opções. Quantidade de Ações. Subscrição de Direito de Subscrição. Custos.

Índice. 1. Ações. 2. Termo. 3. Aluguel de Ações. 4. Opções. Quantidade de Ações. Subscrição de Direito de Subscrição. Custos. Índice 1. Ações Quantidade de Ações Subscrição de Direito de Subscrição Custos Tributação Fatores de Risco Liquidação Leilão 2. Termo Mais sobre Termo Ordens Margens e Garantias Liquidação Fatores de Risco

Leia mais

Módulo V Produtos de Investimento

Módulo V Produtos de Investimento Certificação Profissional ANBIMA CPA-10 Módulo V Copyright 2011 2012 BMI Brazilian Management Institute 1 Índice 15% a 25% da prova 1. Títulos Públicos 6 1.1. Conceito e Finalidade 6 1.2. Características

Leia mais

INFORMAÇÕES REFERENTES À VENDA DOS PRODUTOS OFERECIDOS PELA ALFA CORRETORA DE CÂMBIO E VALORES MOBILIÁRIOS S.A. (CNPJ/MF N 62.178.

INFORMAÇÕES REFERENTES À VENDA DOS PRODUTOS OFERECIDOS PELA ALFA CORRETORA DE CÂMBIO E VALORES MOBILIÁRIOS S.A. (CNPJ/MF N 62.178. INFORMAÇÕES REFERENTES À VENDA DOS PRODUTOS OFERECIDOS PELA ALFA CORRETORA DE CÂMBIO E VALORES MOBILIÁRIOS S.A. (CNPJ/MF N 62.178.421/0001-64) O cliente, devidamente qualificado em sua ficha cadastral,

Leia mais

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS: - - - - - - MERCADO DE CAPITAIS

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS: - - - - - - MERCADO DE CAPITAIS CONHECIMENTOS BANCÁRIOS: - - - - - - MERCADO DE CAPITAIS Prof.Nelson Guerra Ano 2012 www.concursocec.com.br MERCADO DE CAPITAIS É um sistema de distribuição de valores mobiliários, que tem o propósito

Leia mais

R e s o l u ç ã o. B a n c o C e n t r a l d o B r a s i l

R e s o l u ç ã o. B a n c o C e n t r a l d o B r a s i l R e s o l u ç ã o 3 7 9 0 B a n c o C e n t r a l d o B r a s i l S u m á r i o SEÇÃO I: DA ALOCAÇÃO DOS RECURSOS E DA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS... 1 Subseção I: Da Alocação dos Recursos... 1 Subseção

Leia mais

O Sistema Financeiro Nacional

O Sistema Financeiro Nacional O Sistema Financeiro Nacional 1 O Sistema Financeiro Nacional Foi constituído com base nas leis: 4595 de 31-12-64 Estrutura o Sistema Financeiro Nacional 4728 de 14-7- 65 Lei do Mercado de Capitais O Sistema

Leia mais

Cotas de Fundos de Investimento em Ações FIA

Cotas de Fundos de Investimento em Ações FIA Renda Variável Cotas de Fundos de Investimento em Ações FIA Cotas de Fundos de Investimento em Ações - FIA Mais uma alternativa na diversificação da carteira de investimento em ações O produto O Fundo

Leia mais

Julho/2008. O Que São Debêntures

Julho/2008. O Que São Debêntures Julho/2008 O Que São Debêntures As debêntures são títulos que se ajustam perfeitamente às necessidades de captação das empresas. Graças a sua flexibilidade, transformaram-se no mais importante instrumento

Leia mais

MERCADO À VISTA. As ações, ordinárias ou preferenciais, são sempre nominativas, originando-se do fato a notação ON ou PN depois do nome da empresa.

MERCADO À VISTA. As ações, ordinárias ou preferenciais, são sempre nominativas, originando-se do fato a notação ON ou PN depois do nome da empresa. MERCADO À VISTA OPERAÇÃO À VISTA É a compra ou venda de uma determinada quantidade de ações. Quando há a realização do negócio, o comprador realiza o pagamento e o vendedor entrega as ações objeto da transação,

Leia mais

atividade a prática de operações de arrendamento As sociedades de arrendamento mercantil são

atividade a prática de operações de arrendamento As sociedades de arrendamento mercantil são Arrendamento mercantil ou leasing é uma operação em que o proprietário de um bem cede a terceiro o uso desse bem por prazo determinado, recebendo em troca uma contraprestação. No que concerne ao leasing,

Leia mais

MERCADO DE RENDA VARIÁVEL PRODUTOS E CARACTERÍSTICA

MERCADO DE RENDA VARIÁVEL PRODUTOS E CARACTERÍSTICA MERCADO DE RENDA VARIÁVEL PRODUTOS E CARACTERÍSTICA AÇÕES Ações são instrumentos utilizados pelas empresas para captar recursos no mercado financeiro para os mais diversos projetos (investimentos, redução

Leia mais

Curso Preparatório ANBIMA - CPA-10 Curso Preparatório ANBIMA - CPA-20

Curso Preparatório ANBIMA - CPA-10 Curso Preparatório ANBIMA - CPA-20 Solange Honorato Curso Preparatório ANBIMA - CPA-10 Curso Preparatório ANBIMA - CPA-20 E Solange Honorato Facilitadora Certificação Profissional ANBIMA - CPA-10 Destina-se aos profissionais que desempenham

Leia mais

BANCO DO BRASIL. Profº Agenor paulino Trindade

BANCO DO BRASIL. Profº Agenor paulino Trindade BANCO DO BRASIL Profº Agenor paulino Trindade PREPARATÓRIO PARA O BANCO DO BRASIL Prof. AGENOR PAULINO TRINDADE MERCADO DE CAPITAIS DIRETITOS E PROVENTOS DAS AÇÕES: - Direito de Retirada Reembolso de Capital;

Leia mais