CGTI Coordenadoria de Gestão de Tecnologia de Informação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CGTI Coordenadoria de Gestão de Tecnologia de Informação"

Transcrição

1 Título Autor Configurar PfSense para permitir acesso a videoconferência pelo equipamento Polycom HDX 6000 José Eleudson Gurgel Queiroz, Analista de TI Data 3 de maio de 2012 O problema Recebemos um equipamento de videoconferência Polycom HDX Um espetáculo! Entretanto, ao instalarmos o mesmo e fazermos algumas configurações de NAT e firewall no PfSense 2.0, o sistema não conectava via protocolo H.323. Conectava via SIP, mas não ficava transmitindo sinal de áudio e vídeo. Em algumas conversas com colegas da Reitoria, fui informado que já tinham habilitado a comunicação através do IPtables do Linux, mas não com o PfSense. A análise Pelo que pesquisei, a causa do problema é que, por segurança, o processo de NAT do funcionamento padrão do PfSense, reescreve os endereços de origem e destino dos pacotes e atribui novas portas aos pacotes TCP e UDP que não exigem portas padrão, de acordo com a disponibilidade das mesmas, dificultando assim uma série de ataques maliciosos. Normalmente, estes pacotes contêm dados transmitidos por uma conexão pré-estabelecida. No caso da videoconferência, são sons e vídeos transmitidos após a conexão estabelecida pelo protocolo H.323. Todas as soluções sugeridas nos livros, fóruns e páginas pesquisadas incluíam a criação de um IP virtual para a porta WAN, dentro do intervalo de IP's públicos disponíveis; NAT de entrada (Port Forward ou 1:1) entre o endereço público externo e o endereço local atribuído ao equipamento de videoconferência; e NAT do IP interno para o público (Outbound NAT), mantendo as mesmas portas durante a conexão (Static Port). Mas a ideia deste texto não é se aprofundar na parte técnica do problema, e sim, apresentar uma solução. Neste sentido, algumas destas recomendações foram implementadas, com mais algumas que o processo de tentativa e erro me levou a descobrir, resultando nos passos a seguir. Observação: Estou assumindo que o leitor já tem conhecimento sobre a configuração do PfSense 2.0 através da sua interface web. A solução O esquema gráfico da disposição dos equipamentos é mostrado na Ilustração 1. Página 1 de 14

2 Ilustração 1: Esquema gráfico Passo 1 Instale uma nova placa de rede e crie uma interface associada a esta placa física em Interfaces -> (assign), aba Interface assignments (Ilustração 2). Ilustração 2: Criando nova interface de rede Em seguida, acesse a interface criada em Interfaces -> "nome da interface" (OPTx) e edite conforme a Ilustração 3, mudando o IP que irá atribuir para seu equipamento de videoconferência, dentro da sua rede local. Página 2 de 14

3 Ilustração 3: Editando a interface VIDEO Passo 2 Uma boa prática no uso do PfSense é procurar criar Aliases para registrar ou agrupar números IPs ou de portas, URLs, etc. Com isso, as regras de firewall ou NAT ficam mais legíveis e fáceis de alterar. Para criar os aliases, acesse Firewall -> Aliases e edite a tela como a seguir. Foram criados os seguintes aliases: ServidoresVideoConferencia, que inclui números IP dos equipamentos que poderão estabelecer conexão com o nosso (Ilustração 4). Página 3 de 14

4 Ilustração 4: Edição de Alias ServidoresVideoconferencia PortasTCP_VideoConferencia, com as seguintes portas TCP: 1720 (Chamada H.323), 1731 (Controle de chamada de áudio), 5060(SIP), 53 (DNS) e 1024:65535, portas TCP altas utilizadas para envio de dados (Ilustração 5). Ilustração 5: Edição de Alias PortasTCP_VideoConferencia Página 4 de 14

5 Portas UDP_Videoconferencia, com as seguintes portas UDP: 5060(SIP), 53 (DNS), 123 (NTP) e 1024:65535, portas UDP altas utilizadas para envio de dados (Ilustração 6). Ilustração 6: Edição de Alias PortasUDP_VideoConferencia Passo 3 Agora criaremos um IP virtual para a interface WAN, que será o IP público que receberá as chamadas externas, que, por sua vez, serão redirecionadas para o equipamento de videoconferência. Faça isso adicionando em Firewall -> Virtual IPs, editando conforme a Ilustração 7, a seguir. Página 5 de 14 Ilustração 7: Editando um IP Virtual

6 Passo 4 Crie um NAT 1:1, em Firewall -> NAT, aba 1:1, para redirecionar chamadas externas para o equipamento local, conforme a Ilustração 8. Ilustração 8: Editando NAT 1:1 Passo 5 (opcional) O menu Firewall -> NAT, aba Outbound, leva a opção de criar um NAT para o tráfego de saída. Quando a opção Automatic Outbound NAT rule generation está marcada, o PfSense já cria internamente as regras na interface WAN, para as subredes das interfaces locais, mantendo o comportamento de reescrever os endereços e mudar as portas, se necessário. Como nesta solução as portas estáticas serão definidas no Polycom HDX 6000, creio que não tem problema o PfSense criar automaticamente as regras (ainda não testei). Em nossa instalação, mantemos o controle explícito dos Outbound NATs e criamos a nova regra conforme Página 6 de 14

7 mostrado na Ilustração 9. Ilustração 9: Lista de NAT Outbound Crie um Outbound NAT para a faixa de rede do equipamento de videoconferência, sem marcar Static Port. Veja o exemplo na Ilustração 10. Página 7 de 14

8 Ilustração 10: Editando NAT Outbound Passo 6 Agora é hora de definirmos as regras do firewall. Primeiro para interface VIDEO. Acesse Firewall -> Rules, aba VIDEO. Veja Ilustração 11. Página 8 de 14

9 Ilustração 11: Regras de firewall para interface VIDEO As regras significam: 1) Todo pacote pode transitar pela subrede da interface VIDEO; 2) Os equipamentos da subrede de monitoramento podem acessar os equipamentos de videoconferência. 3) Os pacotes das portas TCP de origem, definidas em PortasTCP_Videoconferencia, podem seguir para qualquer destino, quando originados na subrede da interface VIDEO. 4) Os pacotes com portas UDP de origem, definidas em PortasUDP_Videoconferencia, podem seguir para qualquer destino, quando originados na subrede da interface VIDEO. Para a interface WAN, só temos uma regra que define quais os equipamentos externos poderão iniciar uma conexão com o equipamento de videoconferência da rede interna, veja a Ilustração 12. Caso não deseje acesso externo, vá para o Passo 7. Ilustração 12: Regras de firewall para interface WAN Página 9 de 14

10 Passo 7 Com relação ao PfSense, só nos falta configurar o servidor DHCP, através do menu Services -> DHCP Server, aba VIDEO, conforme a Ilustração 13. Ilustração 13: Configurando servidor DHCP da interface VIDEO Observe que a opção Deny unknown clients está marcada, para somente acessar esta rede os equipamentos que estiverem com o IP associado ao MAC. Para que o equipamento sempre receba o mesmo IP, associe um número IP ao MAC da interface de rede do equipamento de videoconferência (Ilustração 14). Esse procedimento evita ter que definir IP estático no mesmo, permite monitoramento remoto e fica bem documentado no PfSense. Página 10 de 14

11 Ilustração 14: IP fixo atribuído ao MAC do equipamento de videoconferência Passo 8 Após configurar o PfSense e fazer a instalação básica do Polycom, se deve configurar o NAT e o firewall do equipamento para poder habilitar a transmissão de áudio e vídeo através do firewall e NAT, do PfSense. Esse é o truque! Vá para opção Sistema -> Configurações do administrador -> Rede -> IP -> Firewall, em seguida: Marque a opção Portas fixas Em Configuração de NAT, selecione a opção Automática. Ao fazer isso, o equipamento já pegou o IP público definido no NAT do PfSense. Se não o fizer, digite-o. A opção A NAT é compatível com H.323 deve ficar desmarcada. O Endereço exibido na agenda global deve ser o IP público acima informado. Veja o resultado na tela do configurador web, na Ilustração 15, que também pode ser utilizado para ajustar as opções acima. Página 11 de 14

12 Ilustração 15: Interface web do Polycom com destaque para configuração de rede Passo 9 Teste a conexão discando para o servidor de teste da Polycom. Ex: Página 12 de 14

13 Conclusão Videoconferência é um serviço cada vez mais acessível e necessário para as empresas que necessitam reduzir custo e dar agilidade para as equipes de trabalho, através da comunicação e treinamento, que podem ser realizados à distância. Entretanto, a estrutura tecnológica, em especial de rede, é exigente quanto a qualidade, disponibilidade e continuidade de serviços, requerendo um adequado planejamento. Não menos exigente são os cuidados em relação à segurança, visto que, muitas vezes, os equipamentos requerem uma conexão direta para a internet, seja ponto-a-ponto ou multiponto. Ex: Reunião entre várias pessoas espalhadas por várias cidades pelo mundo. Neste texto, vimos apenas um pequeno aspecto que se refere a configuração do firewall e NAT de produtos específicos, PfSense 2.0 e Polycom HDX 6000, para disponibilizar o serviço. A solução apresentada tem ainda uma série de melhorias que podem ser feitas, relacionadas: a segurança, a Qualidade de Serviço, monitoramento, etc. Espero que a solução seja útil e que desperte o desejo de se aprofundar no tema. Para isso, veja a lista de fontes que foram pesquisadas. Licença Este trabalho foi licenciado com a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Não Adaptada. Para ver uma cópia desta licença, visite ou envie um pedido por carta para Creative Commons, 444 Castro Street, Suite 900, Mountain View, California, 94041, USA. Página 13 de 14

14 Fontes Deployment Guide for Maximum Security Environments, Polycom HDX Systems Version Polycom, Inc. Delivering on the Promise of Easy to Use, Secure, and Inexpensive Video Conferencing in an environment: Solving the Challenges Created by Firewalls and Network Address Translation in a Videoconferencing Environment. A Frost & Sullivam Whitepaper Sponsered by Polycom Guia do administrador para sistemas Polycom HDX Outubro de /A. Polycom. Deployment Guide for Maximum Security Environments Polycom HDX Systems, Version pfsense: The Definitive Guide. Christopher M. Buechler and Jim Pingle. Based on pfsense Version ISBN: pfsense 2 Cookbook : A practical, example-driven guide to configure even the most advanced features of pfsense 2. Matt Williamson. Packt Publishing Ltd. Março/2011. Página 14 de 14

Entendendo como funciona o NAT

Entendendo como funciona o NAT Entendendo como funciona o NAT Vamos inicialmente entender exatamente qual a função do NAT e em que situações ele é indicado. O NAT surgiu como uma alternativa real para o problema de falta de endereços

Leia mais

III WTR do POP-BA III Workshop de Tecnologias de Redes Ponto de Presença da RNP na Bahia Instrutor: Ibirisol Fontes Monitores: Jundaí Abdon.

III WTR do POP-BA III Workshop de Tecnologias de Redes Ponto de Presença da RNP na Bahia Instrutor: Ibirisol Fontes Monitores: Jundaí Abdon. III WTR do POP-BA III Workshop de Tecnologias de Redes Ponto de Presença da RNP na Bahia Instrutor: Ibirisol Fontes Monitores: Jundaí Abdon Prática 2 Cenário: Como na prática número 1, temos na figura

Leia mais

Abra o software de programação. Clique na opção VOIP, depois opção configuração conforme as imagens:

Abra o software de programação. Clique na opção VOIP, depois opção configuração conforme as imagens: Caro cliente, atendendo a sua solicitação de auxílio no processo de configuração da placa VoIP na central Impacta, segue um passo-a-passo para ajudar a visualização. Abra o software de programação. Clique

Leia mais

Na Figura a seguir apresento um exemplo de uma "mini-tabela" de roteamento:

Na Figura a seguir apresento um exemplo de uma mini-tabela de roteamento: Tutorial de TCP/IP - Parte 6 - Tabelas de Roteamento Por Júlio Cesar Fabris Battisti Introdução Esta é a sexta parte do Tutorial de TCP/IP. Na Parte 1 tratei dos aspectos básicos do protocolo TCP/IP. Na

Leia mais

Trabalhando com NAT no PFSense

Trabalhando com NAT no PFSense Trabalhando com NAT no PFSense Este artigo está sendo feito para Divulgar o Curso PFSense presencial, que irá ocorrer em fevereiro 23, com duração de 10 dias, indo até dia 6 de Março, com horário entre

Leia mais

Nexcode Systems, todos os direitos reservados. Documento versão 15.1.1 1

Nexcode Systems, todos os direitos reservados. Documento versão 15.1.1 1 . Nexcode Systems, todos os direitos reservados. Documento versão 15.1.1 1 1 - INTRODUÇÃO O NEXCODE VIEW, também conhecido como NEXVIEW, é um sistema que foi desenvolvido pela Nexcode Systems e tem por

Leia mais

IP significa Internet Protocol. A Internet é uma rede, e assim como ocorre em qualquer tipo de rede, os seus nós (computadores, impressoras, etc.

IP significa Internet Protocol. A Internet é uma rede, e assim como ocorre em qualquer tipo de rede, os seus nós (computadores, impressoras, etc. Endereços IP Endereços IP IP significa Internet Protocol. A Internet é uma rede, e assim como ocorre em qualquer tipo de rede, os seus nós (computadores, impressoras, etc.) precisam ter endereços. Graças

Leia mais

ALTERNATIVA PARA CONEXÃO VIA INTERNET DE IP MASCARADO A IP REAL

ALTERNATIVA PARA CONEXÃO VIA INTERNET DE IP MASCARADO A IP REAL Documento: Tutorial Autor: Iuri Sonego Cardoso Data: 27/05/2005 E-mail: iuri@scripthome.cjb.net Home Page: http://www.scripthome.cjb.net ALTERNATIVA PARA CONEXÃO VIA INTERNET DE IP MASCARADO A IP REAL

Leia mais

Passo a Passo da instalação da VPN

Passo a Passo da instalação da VPN Passo a Passo da instalação da VPN Dividiremos este passo a passo em 4 partes: Requisitos básicos e Instalação Configuração do Servidor e obtendo Certificados Configuração do cliente Testes para saber

Leia mais

Controlando o tráfego de saída no firewall Netdeep

Controlando o tráfego de saída no firewall Netdeep Controlando o tráfego de saída no firewall Netdeep 1. Introdução Firewall é um quesito de segurança com cada vez mais importância no mundo da computação. À medida que o uso de informações e sistemas é

Leia mais

SUMÁRIO 1. AULA 6 ENDEREÇAMENTO IP:... 2

SUMÁRIO 1. AULA 6 ENDEREÇAMENTO IP:... 2 SUMÁRIO 1. AULA 6 ENDEREÇAMENTO IP:... 2 1.1 Introdução... 2 1.2 Estrutura do IP... 3 1.3 Tipos de IP... 3 1.4 Classes de IP... 4 1.5 Máscara de Sub-Rede... 6 1.6 Atribuindo um IP ao computador... 7 2

Leia mais

Procedimentos para Configuração de Redirecionamento de Portas

Procedimentos para Configuração de Redirecionamento de Portas 1 Procedimentos para Configuração de Redirecionamento de Portas O DIR 635 tem duas opções para liberação de portas: Virtual server: A opção Virtual Server permite que você defina uma única porta pública

Leia mais

Load Balance / Route Policy (para series Vigor 2860 / Vigor 2925)

Load Balance / Route Policy (para series Vigor 2860 / Vigor 2925) Load Balance / Route Policy (para series Vigor 2860 / Vigor 2925) Route Policy (também conhecido como PBR, policy-based routing) é um recurso que permite configurar estratégias de roteamento. Os pacotes

Leia mais

PASSO A PASSO PARA VISUALIZAR NA INTERNET O DVR STAND ALONE ECOTRONIC

PASSO A PASSO PARA VISUALIZAR NA INTERNET O DVR STAND ALONE ECOTRONIC PASSO A PASSO PARA VISUALIZAR NA INTERNET O DVR STAND ALONE ECOTRONIC Nesse passo a passo, vamos dar uma orientação básica de como colocar nosso stand alone em rede para ter acesso remotamente pela rede

Leia mais

Guia de configuração para liberar Portas no DSLink 485 (GVT) Rev. 1.0gvt

Guia de configuração para liberar Portas no DSLink 485 (GVT) Rev. 1.0gvt Guia de configuração para liberar Portas no DSLink 485 (GVT) Rev. 1.0gvt http://www.dslink.com.br/ Observação: As instruções contidas nesse documento, destinam-se a liberar portas de acesso a computadores

Leia mais

TeamViewer 9 Manual Wake-on-LAN

TeamViewer 9 Manual Wake-on-LAN TeamViewer 9 Manual Wake-on-LAN Rev 9.2-12/2013 TeamViewer GmbH Jahnstraße 30 D-73037 Göppingen www.teamviewer.com Sumário 1 Sobre Wake-on-LAN... 3 2 Requisitos... 4 3 Configuração do Windows... 5 3.1

Leia mais

Curso de extensão em Administração de sistemas GNU/Linux: redes e serviços

Curso de extensão em Administração de sistemas GNU/Linux: redes e serviços Curso de extensão em Administração de sistemas GNU/Linux: redes e serviços - italo@dcc.ufba.br Gestores da Rede Acadêmica de Computação Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal da Bahia,

Leia mais

Configurando o DDNS Management System

Configurando o DDNS Management System Configurando o DDNS Management System Solução 1: Com o desenvolvimento de sistemas de vigilância, cada vez mais usuários querem usar a conexão ADSL para realizar vigilância de vídeo através da rede. Porém

Leia mais

COMPARTILHAMENTO DO DISCO E PERMISSÕES DE REDE PÚBLICAS E DE GRUPOS DE TRABALHO.

COMPARTILHAMENTO DO DISCO E PERMISSÕES DE REDE PÚBLICAS E DE GRUPOS DE TRABALHO. COMPARTILHAMENTO DO DISCO E PERMISSÕES DE REDE PÚBLICAS E DE GRUPOS DE TRABALHO. 1. Compartilhar a máquina servidor clicando com o botão direito do mouse em disco local e no menu de contexto não pção Propriedades.

Leia mais

MANUAL DE CONFIGURAÇÃO

MANUAL DE CONFIGURAÇÃO MANUAL DE CONFIGURAÇÃO Índice Conteúdo Página Legendas 3 1.0 Primeiro acesso 5 2.0 Cadastro de login e senha 6 3.0 Configuração do Blocker 7 3.1 Senha de acesso 8 3.2 Grade de Horário 9 3.2.1 Configurando

Leia mais

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 04. Prof. André Lucio

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 04. Prof. André Lucio FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 04 Prof. André Lucio Competências da aula 3 Servidor de DHCP. Servidor de Arquivos. Servidor de Impressão. Aula 04 CONCEITOS

Leia mais

Iniciando a configuração do BOT

Iniciando a configuração do BOT Iniciando a configuração do BOT Traduzido por: Antonio Edivaldo de O. Gaspar, edivaldo.gaspar(at)gmail(dot)com Texto original: http://www.blockouttraffic.de/gettingstarted.php Revisado em: 25/07/06 09:00

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO CONVERSOR - IP / USB / SERIAL - 317 RV1

MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO CONVERSOR - IP / USB / SERIAL - 317 RV1 MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO CONVERSOR - IP / USB / SERIAL - 317 RV1 SÃO CAETANO DO SUL 06/06/2014 SUMÁRIO Descrição do Produto... 3 Características... 3 Configuração USB... 4 Configuração... 5 Página

Leia mais

Procedimento para configuração de Redirecionamento de Portas

Procedimento para configuração de Redirecionamento de Portas 1 Procedimento para configuração de Redirecionamento de Portas 1- Para realizar a configuração de redirecionamento de portas o computador deve estar conectado via cabo Ethernet em uma das portas LAN do

Leia mais

Administração do Windows Server 2003

Administração do Windows Server 2003 Administração do Windows Server 2003 Visão geral O Centro de Ajuda e Suporte do Windows 2003 Tarefas do administrador Ferramentas administrativas Centro de Ajuda e Suporte do 2003 Usando o recurso de pesquisa

Leia mais

Guia de instalação Command WorkStation 5.5 com o Fiery Extended Applications 4.1

Guia de instalação Command WorkStation 5.5 com o Fiery Extended Applications 4.1 Guia de instalação Command WorkStation 5.5 com o Fiery Extended Applications 4.1 Sobre o Fiery Extended Applications O Fiery Extended Applications (FEA) 4.1 é um pacote dos seguintes aplicativos para uso

Leia mais

Manual do usuário sobre o WebEx Meeting Center com as Salas de Reuniões de Colaboração (Nuvem CMR)

Manual do usuário sobre o WebEx Meeting Center com as Salas de Reuniões de Colaboração (Nuvem CMR) Manual do usuário sobre o WebEx Meeting Center com as Salas de Reuniões de Colaboração (Nuvem CMR) Primeira publicação: 2014 Última modificação: Americas Headquarters Cisco Systems, Inc. 170 West Tasman

Leia mais

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo de Administração de Servidores de Rede AULA 02. Prof. Gabriel Silva

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo de Administração de Servidores de Rede AULA 02. Prof. Gabriel Silva FTIN Formação Técnica em Informática Módulo de Administração de Servidores de Rede AULA 02 Prof. Gabriel Silva Temas da Aula de Hoje: Revisão da Aula 1. Redes LAN e WAN. Aprofundamento nos Serviços de

Leia mais

CPE Soft Manual. 125/400mW 2.4GHz. CPE Soft

CPE Soft Manual. 125/400mW 2.4GHz. CPE Soft CPE Soft Manual 125/400mW 2.4GHz CPE Soft Campinas - SP 2010 Indice 1.1 Acessando as configurações. 2 1.2 Opções de configuração... 3 1.3 Wireless... 4 1.4 TCP/IP 5 1.5 Firewall 6 7 1.6 Sistema 8 1.7 Assistente...

Leia mais

Tutorial de TCP/IP Parte 26 Criando Registros

Tutorial de TCP/IP Parte 26 Criando Registros Introdução Tutorial de TCP/IP Parte 26 Criando Registros Prezados leitores, esta é a sexta parte, desta segunda etapa dos tutoriais de TCP/IP. As partes de 01 a 20, constituem o módulo que eu classifiquei

Leia mais

Guia de instalação Command WorkStation 5.6 com o Fiery Extended Applications 4.2

Guia de instalação Command WorkStation 5.6 com o Fiery Extended Applications 4.2 Guia de instalação Command WorkStation 5.6 com o Fiery Extended Applications 4.2 O Fiery Extended Applications Package (FEA) v4.2 contém aplicativos do Fiery para realizar tarefas associadas a um Fiery

Leia mais

GUIA DE CONFIGURAÇÃO SERVIDOR DHCP

GUIA DE CONFIGURAÇÃO SERVIDOR DHCP GUIA DE CONFIGURAÇÃO SERVIDOR DHCP GUIA DE CONFIGURAÇÃO SERVIDOR DHCP Servidor DHCP O Serviço de DHCP (Dynamic Host Configuration Protocol) permite que você controle a configuração e distribuição de endereços

Leia mais

Sistema de Instalação e Criação da Estrutura do Banco de Dados MANUAL DO INSTALADOR. Julho/2007. Ministério da saúde

Sistema de Instalação e Criação da Estrutura do Banco de Dados MANUAL DO INSTALADOR. Julho/2007. Ministério da saúde Sistema de Instalação e Criação da Estrutura do Banco de Dados MANUAL DO INSTALADOR Julho/2007 Ministério da saúde SUMÁRIO Módulo 1. Instalação... 4 Introdução... 4 Configurações de equipamentos para instalação

Leia mais

Guia para o Google Cloud Print

Guia para o Google Cloud Print Guia para o Google Cloud Print Versão 0 BRA-POR Definições das observações Utilizamos o ícone a seguir ao longo deste manual do usuário: Os ícones de ensinam como agir em determinada situação ou fornecem

Leia mais

Comm5 Tecnologia Manual de utilização da família MI. Manual de Utilização. Família MI

Comm5 Tecnologia Manual de utilização da família MI. Manual de Utilização. Família MI Manual de Utilização Família MI ÍNDICE 1.0 COMO LIGAR O MÓDULO... pág 03 e 04 2.0 OBJETIVO... pág 05 3.0 COMO CONFIGURAR O MÓDULO MI... pág 06, 07, 08 e 09 4.0 COMO TESTAR A REDE... pág 10 5.0 COMO CONFIGURAR

Leia mais

ETI/Domo. Português. www.bpt.it. ETI-Domo Config 24810180 PT 29-07-14

ETI/Domo. Português. www.bpt.it. ETI-Domo Config 24810180 PT 29-07-14 ETI/Domo 24810180 www.bpt.it PT Português ETI-Domo Config 24810180 PT 29-07-14 Configuração do PC Antes de realizar a configuração de todo o sistema, é necessário configurar o PC para que esteja pronto

Leia mais

Curso Firewall. Sobre o Curso de Firewall. Conteúdo do Curso

Curso Firewall. Sobre o Curso de Firewall. Conteúdo do Curso Curso Firewall Sobre o Curso de Firewall Este treinamento visa prover conhecimento sobre a ferramenta de Firewall nativa em qualquer distribuição Linux, o "iptables", através de filtros de pacotes. Este

Leia mais

QUAL O PROCEDIMENTO PARA CONFIGURAR AS IMPRESSORAS DE REDE BROTHER EM UM SISTEMA DEC TCP / IP para VMS (UCX) Procedimento

QUAL O PROCEDIMENTO PARA CONFIGURAR AS IMPRESSORAS DE REDE BROTHER EM UM SISTEMA DEC TCP / IP para VMS (UCX) Procedimento Procedimento Visão geral Antes de usar a máquina Brother em um ambiente de rede, você precisa instalar o software da Brother e também fazer as configurações de rede TCP/IP apropriadas na própria máquina.

Leia mais

Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede

Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede O sistema de nome de domínio (DNS) é um sistema que nomeia computadores e serviços de rede e é organizado em uma hierarquia de domínios.

Leia mais

Acesso Remoto Placas de captura

Acesso Remoto Placas de captura Acesso Remoto Placas de captura 1 instalar o DVR Siga os passos de instalação informados na caixa do produto, após seu perfeito funcionamento vá para próximo passo. 2 Configurá-lo na rede Local O computador

Leia mais

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1 Segurança na Web Cap. 5: VPN Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW Page 1 Introdução VPN (Virtual Private Network, ou rede virtual privada) criada para interligar duas redes distantes, através

Leia mais

3) Na configuração de rede, além do endereço IP, é necessário fornecer também uma máscara de subrede válida, conforme o exemplo:

3) Na configuração de rede, além do endereço IP, é necessário fornecer também uma máscara de subrede válida, conforme o exemplo: DIRETORIA ACADÊMICA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA COORDENAÇÃO DOS CURSOS DA ÁREA DE INFORMÁTICA! Atividade em sala de aula. 1) A respeito de redes de computadores, protocolos TCP/IP e considerando uma rede

Leia mais

Online Help StruxureWare Data Center Expert

Online Help StruxureWare Data Center Expert Online Help StruxureWare Data Center Expert Version 7.2.7 Appliance virtual do StruxureWare Data Center Expert O servidor do StruxureWare Data Center Expert 7.2 está agora disponível como um appliance

Leia mais

Manual de Instalação e Operação CONFIP

Manual de Instalação e Operação CONFIP Manual de Instalação e Operação CONFIP AMNNIPC012.00 05/09 Índice 1. RECOMENDAÇÕES IMPORTANTES...1 2. DESCRIÇÃO DO PRODUTO...1 3. INSTALAÇÃO...1 4. CONHECENDO OS CAMPOS DO CONFIP...2 1. Recomendações Importantes

Leia mais

Aula Prática Roteador

Aula Prática Roteador Aula Prática Roteador INTRODUÇÃO Os roteadores são os equipamentos empregados na função de interconexão das redes como, por exemplo, redes IP. Diferentes redes IPs enviam suas informações/tráfego por meio

Leia mais

6.8.3.10 Lab - Configurar o Roteador Sem Fio no Windows XP

6.8.3.10 Lab - Configurar o Roteador Sem Fio no Windows XP IT Essentials 5.0 6.8.3.10 Lab - Configurar o Roteador Sem Fio no Windows XP Introdução Imprima e preencha este laboratório. Neste laboratório, você vai configurar e testar as configurações sem fio no

Leia mais

1. DHCP a. Reserva de IP

1. DHCP a. Reserva de IP Configuração de recursos do roteador wireless Tenda 1. DHCP a. Reserva de IP Ao se conectar uma rede que possua servidor DHCP, o host recebe um IP dentro da faixa de distribuição. A cada conexão, o host

Leia mais

Escrito por Daniel Donda Ter, 17 de Fevereiro de 2009 18:32 - Última atualização Sáb, 03 de Julho de 2010 23:34

Escrito por Daniel Donda Ter, 17 de Fevereiro de 2009 18:32 - Última atualização Sáb, 03 de Julho de 2010 23:34 Conteúdo Introdução Configurando o Windows Server 2008 Server Core Instalando o Remote Server Administration Tools (RSAT) Configurando o Network Load Balancing (NLB) Adicionando Servidores ao Cluster Gerenciando

Leia mais

Processo de Envio de email

Processo de Envio de email Processo de Envio de email Introdução O envio de documentos de forma eletrônica vem sendo muito utilizado, assim o envio de arquivos, relatórios, avisos, informações é realizado via e-mail. O sistema disponibiliza

Leia mais

Configurando um Grupo Doméstico e Compartilhando arquivos no Windows 7

Configurando um Grupo Doméstico e Compartilhando arquivos no Windows 7 Configurando um Grupo Doméstico e Compartilhando arquivos no Windows 7 Para criar um grupo doméstico e compartilhar arquivos é necessário que tenhamos pelo menos dois computadores ligados entre si (em

Leia mais

Especificações da oferta Gerenciamento de dispositivos distribuídos: Gerenciamento de ativos

Especificações da oferta Gerenciamento de dispositivos distribuídos: Gerenciamento de ativos Visão geral do Serviço Especificações da oferta Gerenciamento de dispositivos distribuídos: Gerenciamento de ativos Os Serviços de gerenciamento de dispositivos distribuídos ajudam você a controlar ativos

Leia mais

FIREWALL. Prof. Fabio de Jesus Souza. fabiojsouza@gmail.com. Professor Fabio Souza

FIREWALL. Prof. Fabio de Jesus Souza. fabiojsouza@gmail.com. Professor Fabio Souza FIREWALL Prof. Fabio de Jesus Souza fabiojsouza@gmail.com Professor Fabio Souza O que são Firewalls? Os firewalls são sistemas de segurança que podem ser baseados em: um único elemento de hardware; um

Leia mais

Objetivos: i) Verificar o impacto de loops em redes locais ii) Configurar o protocolo STP para remover loops da rede

Objetivos: i) Verificar o impacto de loops em redes locais ii) Configurar o protocolo STP para remover loops da rede Laboratório de Redes de Computadores 2 8 o experimento Objetivos: i) Verificar o impacto de loops em redes locais ii) Configurar o protocolo STP para remover loops da rede Introdução A interligação de

Leia mais

Tutorial TCP/IP DHCP Configurando e Administrando Escopos

Tutorial TCP/IP DHCP Configurando e Administrando Escopos Prezados leitores, esta é a décima oitava parte, desta segunda etapa dos tutoriais de TCP/IP. As partes de 01 a 20, constituem o módulo que eu classifiquei como Introdução ao TCP/IP. O objetivo do primeiro

Leia mais

Instruções de operação

Instruções de operação Antes de usar o serviço, leia atentamente este manual e mantenha-o à mão para consultas futuras. Instruções de operação ATÉ A EXTENSÃO MÁXIMA PERMITIDA PELA LEI APLICÁVEL: O FORNECEDOR NÃO SERÁ RESPONSÁVEL

Leia mais

FileMaker Pro 14. Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 14

FileMaker Pro 14. Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 14 FileMaker Pro 14 Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 14 2007-2015 FileMaker, Inc. Todos os direitos reservados. FileMaker Inc. 5201 Patrick Henry Drive Santa Clara,

Leia mais

Procedimento para instalação do OMNE-Smartweb em Raio-X

Procedimento para instalação do OMNE-Smartweb em Raio-X Procedimento para instalação do OMNE-Smartweb em Raio-X A primeira coisa a analisarmos é onde ficará posicionado o servidor de Raio-x na rede do cliente, abaixo será colocado três situações básicas e comuns

Leia mais

GUIA DE CONFIGURAÇÃO CONEXÕES VPN SSL (CLIENT TO SERVER)

GUIA DE CONFIGURAÇÃO CONEXÕES VPN SSL (CLIENT TO SERVER) GUIA DE CONFIGURAÇÃO CONEXÕES VPN SSL (CLIENT TO SERVER) Conexões VPN SSL (Client to Server) 1- Introdução Uma VPN (Virtual Private Network, ou rede virtual privada) é, como o nome sugere, uma rede virtual,

Leia mais

AULA 7: Remote Desktop

AULA 7: Remote Desktop AULA 7: Remote Desktop Objetivo: Praticar a aplicação de acesso remoto via protocolo RDP (Remote Desktop) em ambientes Microsoft Windows. Ferramentas: Máquina Virtual Windows 2003 Server; Máquina Virtual

Leia mais

Tutorial de Instalação do CentOS Versão 3.3

Tutorial de Instalação do CentOS Versão 3.3 Tutorial de Instalação do CentOS Versão 3.3 Jamilson Dantas (jrd@cin.ufpe.br) Maria Clara Bezerra (mcsb@cin.ufpe.br) Rosângela Melo (rmm3@cin.ufpe.br) Recife, outubro de 2013. Finalidade do Tutorial O

Leia mais

Conceitos de relação de confiança www.jpinheiro.net jeferson@jpinheiro.net

Conceitos de relação de confiança www.jpinheiro.net jeferson@jpinheiro.net Conceitos de relação de confiança www.jpinheiro.net jeferson@jpinheiro.net Procedimento para criar uma árvore O procedimento usado para criar uma árvore com o Assistente para instalação do Active Directory

Leia mais

3 SERVIÇOS IP. 3.1 Serviços IP e alguns aspectos de segurança

3 SERVIÇOS IP. 3.1 Serviços IP e alguns aspectos de segurança 3 SERVIÇOS IP 3.1 Serviços IP e alguns aspectos de segurança Os serviços IP's são suscetíveis a uma variedade de possíveis ataques, desde ataques passivos (como espionagem) até ataques ativos (como a impossibilidade

Leia mais

AULA 7: SERVIDOR DHCP EM WINDOWS SERVER

AULA 7: SERVIDOR DHCP EM WINDOWS SERVER AULA 7: SERVIDOR DHCP EM WINDOWS SERVER Objetivo: Instalar e detalhar o funcionamento de um Servidor de DHCP (Dynamic Host Configuration Protocol) no sistema operacional Microsoft Windows 2003 Server.

Leia mais

GUIA DE CONFIGURAÇÃO FILTRO DE URL

GUIA DE CONFIGURAÇÃO FILTRO DE URL GUIA DE CONFIGURAÇÃO FILTRO DE URL GUIA DE CONFIGURAÇÃO FILTRO DE URL O módulo Filtro URL estende a funcionalidade do Netdeep Secure com a capacidade de bloquear o acesso a conteúdo web indesejado, filtrando

Leia mais

Configurações de Firewall e DCOM no Windows 7 para aplicações Elipse.

Configurações de Firewall e DCOM no Windows 7 para aplicações Elipse. Configurações de Firewall e DCOM no Windows 7 para aplicações Elipse. 1) Introdução Firewalls são barreiras interpostas entre a rede privada e a rede externa com a finalidade de evitar ataques ou invasões;

Leia mais

Configurações de Firewall e DCOM no Windows 7 para aplicações Elipse.

Configurações de Firewall e DCOM no Windows 7 para aplicações Elipse. Configurações de Firewall e DCOM no Windows 7 para aplicações Elipse. 1) Introdução Firewalls são barreiras interpostas entre a rede privada e a rede externa com a finalidade de evitar ataques ou invasões;

Leia mais

Objetivo: Criar redes locais virtuais (VLANs) usando switches e computadores

Objetivo: Criar redes locais virtuais (VLANs) usando switches e computadores Laboratório de IER 7 o experimento Objetivo: Criar redes locais virtuais (VLANs) usando switches e computadores Introdução LANs Ethernet (padrão IEEE 802.3 e extensões) atualmente são construídas com switches

Leia mais

WinGate - Passo a passo

WinGate - Passo a passo WinGate - Passo a passo Configurando os Computadores de sua rede Nesta etapa, mostraremos como preparar os computadores de sua rede para a instalação do WinGate. 1ª Parte É necessário que os computadores

Leia mais

Atualizado em 9 de outubro de 2007

Atualizado em 9 de outubro de 2007 2 Nettion R Copyright 2007 by Nettion Information Security. Este material pode ser livremente reproduzido, desde que mantidas as notas de copyright e o seu conteúdo original. Envie críticas e sugestões

Leia mais

PÉGASUS (ETHERNET POCKET) STUDIO V1.00 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO

PÉGASUS (ETHERNET POCKET) STUDIO V1.00 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO PÉGASUS (ETHERNET POCKET) STUDIO V1.00 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO Rua Coronel Botelho, 64 - Alto da Lapa - CEP: 05088-020 São Paulo - SP - Brasil +55 (11) 3832-6102 PÉGASUS (ETHERNET POCKET) STUDIO

Leia mais

Guia de Instalação SIAM. Internet Information Services - IIS 5.1 no Windows XP Pro

Guia de Instalação SIAM. Internet Information Services - IIS 5.1 no Windows XP Pro Guia de Instalação SIAM Internet Information Services - IIS 5.1 no Windows XP Pro Documento Gerado por: Amir Bavar Criado em: 06/04/2007 Última modificação: 26/09/2008 Índice: 1. Introdução 2. Lista de

Leia mais

INSTALANDO UM SERVIDOR WINDOWS SERVER 2012 R2 SERVER CORE

INSTALANDO UM SERVIDOR WINDOWS SERVER 2012 R2 SERVER CORE INSTALANDO UM SERVIDOR WINDOWS SERVER 2012 R2 SERVER CORE A Microsoft disponibilizou em seu site, o link para download da versão Preview do Windows Server 2012 R2. A licença do produto irá expirar somente

Leia mais

Guia de atualização. Guia de atualização do SonicOS 6.2

Guia de atualização. Guia de atualização do SonicOS 6.2 SonicOS SonicOS Conteúdos SonicOS As seções seguintes explicam como atualizar uma imagem de firmware SonicOS existente para uma versão mais recente: Obter a versão mais recente de firmware do SonicOS...

Leia mais

Segurança de redes com Linux. Everson Scherrer Borges Willen Borges de Deus

Segurança de redes com Linux. Everson Scherrer Borges Willen Borges de Deus Segurança de redes com Linux Everson Scherrer Borges Willen Borges de Deus Segurança de Redes com Linux Protocolo TCP/UDP Portas Endereçamento IP Firewall Objetivos Firewall Tipos de Firewall Iptables

Leia mais

Polycom RealPresence Content Sharing Suite Guia rápido do usuário

Polycom RealPresence Content Sharing Suite Guia rápido do usuário Polycom RealPresence Content Sharing Suite Guia rápido do usuário Versão 1.4 3725-03261-003 Rev.A Dezembro de 2014 Neste guia, você aprenderá a compartilhar e visualizar conteúdo durante uma conferência

Leia mais

Intelbras GKM 2210T. 1. Instalação

Intelbras GKM 2210T. 1. Instalação 1 Intelbras GKM 2210T 1. Instalação 1º Conecte a fonte de alimentação na entrada PWR, o LED Power acenderá; 2º Conecte a porta WAN do GKM 2210 T ao seu acesso à internet (porta ethernet do modem). O LED

Leia mais

INSTALANDO SISTEMA PFSENSE COMO FIREWALL/PROXY

INSTALANDO SISTEMA PFSENSE COMO FIREWALL/PROXY INSTALANDO SISTEMA PFSENSE COMO FIREWALL/PROXY Gerson R. G. www.websolutti.com.br PASSO A PASSO PARA INSTALAÇÃO DO PFSENSE 1. BAIXANDO O PFSENSE 2. INICIANDO A INSTALAÇÃO 3. CONFIGURAÇÃO BÁSICA INICIAL

Leia mais

Windows 98 e Windows Me

Windows 98 e Windows Me Windows 98 e Windows Me "Etapas preliminares" na página 3-27 "Etapas de instalação rápida em CD-ROM" na página 3-28 "Outros métodos de instalação" na página 3-28 "Solução de problemas do Windows 98 e Windows

Leia mais

FileMaker Pro 13. Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 13

FileMaker Pro 13. Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 13 FileMaker Pro 13 Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 13 2007-2013 FileMaker Inc. Todos os direitos reservados. FileMaker Inc. 5201 Patrick Henry Drive Santa Clara,

Leia mais

Compartilhamento de internet usando recursos do Windows XP

Compartilhamento de internet usando recursos do Windows XP Compartilhamento de internet usando recursos do Windows XP Valença-Ba, 17 de outubro de 2010. Identificação IFBA- Campus Valença Curso: Informática subseqüente Disciplina: Redes de Computadores Turma:

Leia mais

Redes de Computadores II. Professor Airton Ribeiro de Sousa

Redes de Computadores II. Professor Airton Ribeiro de Sousa Redes de Computadores II Professor Airton Ribeiro de Sousa 1 PROTOCOLO IP IPv4 - Endereçamento 2 PROTOCOLO IP IPv4 - Endereçamento A quantidade de endereços possíveis pode ser calculada de forma simples.

Leia mais

Placa Acessório Modem Impacta

Placa Acessório Modem Impacta manual do usuário Placa Acessório Modem Impacta Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. A Placa Modem é um acessório que poderá ser utilizado em todas as centrais

Leia mais

Procedimentos para Reinstalação do Sisloc

Procedimentos para Reinstalação do Sisloc Procedimentos para Reinstalação do Sisloc Sumário: 1. Informações Gerais... 3 2. Criação de backups importantes... 3 3. Reinstalação do Sisloc... 4 Passo a passo... 4 4. Instalação da base de dados Sisloc...

Leia mais

BlackBerry Mobile Voice System

BlackBerry Mobile Voice System BlackBerry Mobile Voice System Comunicações móveis unificadas O BlackBerry Mobile Voice System (BlackBerry MVS) leva os recursos do telefone do escritório aos smartphones BlackBerry. Você pode trabalhar

Leia mais

Apple ipad ( ipad Primeira Geração, ipad 2, ou ipad terceira geração)

Apple ipad ( ipad Primeira Geração, ipad 2, ou ipad terceira geração) 1.0 Exigências de Sistema Apple ipad ( ipad Primeira Geração, ipad 2, ou ipad terceira geração) Yamaha M7CL ou LS9 ou CL series Ponto de acesso Wi-Fi ( preferencialmente com 802.11n, 5GHz, embora 2.4GHz

Leia mais

DarkStat para BrazilFW

DarkStat para BrazilFW DarkStat para BrazilFW ÍNDICE Índice Página 1 O que é o DarkStat Página 2 DarkStat e a inicialização do sistema Página 2 DarkStat e a finalização do sistema Página 2 Tela Principal do DarkStat Página 3

Leia mais

Gateway TT211S/S+/O/O+/SO/SO+

Gateway TT211S/S+/O/O+/SO/SO+ Guia Rápido de Instalação TT211S/S+/O/O+/SO/SO+ v120511 Índice Introdução 2 Procedimentos para Instalação 2 Conectando o Hardware 2 Configuração Inicial 3 Configuração Network 3 Configuração do DNS (Domain

Leia mais

GUIA MUDANÇA E FORMATAÇÃO DE SERVIDOR - MILLENNIUM

GUIA MUDANÇA E FORMATAÇÃO DE SERVIDOR - MILLENNIUM GUIA MUDANÇA E FORMATAÇÃO DE SERVIDOR - MILLENNIUM ÍNDICE ITEM Página 1. Objetivo... 3 2. Requisitos... 3 3. Diretório do Millennium... 3 4. Procedimento para Transferência de Servidor... 3 4.1 Compartilhamento

Leia mais

Objetivo. Este documento tem como objetivo demonstrar o conceito, o processo de instalação e o funcionamento do SITEF (Tef dedicado).

Objetivo. Este documento tem como objetivo demonstrar o conceito, o processo de instalação e o funcionamento do SITEF (Tef dedicado). Sitef - Instalação Objetivo Este documento tem como objetivo demonstrar o conceito, o processo de instalação e o funcionamento do SITEF (Tef dedicado). O que é Sitef? O SiTef (ou tef dedicado) é um conjunto

Leia mais

DHCP. Administração de Redes de Computadores Prof.ª Juliana Camilo 6080822 Ângelo, Bryan, Carlos, Vinícius

DHCP. Administração de Redes de Computadores Prof.ª Juliana Camilo 6080822 Ângelo, Bryan, Carlos, Vinícius DHCP Administração de Redes de Computadores Prof.ª Juliana Camilo 6080822 Ângelo, Bryan, Carlos, Vinícius Histórico O termo DHCP significa Dynamic Host Configuration Protocol Começou a se tornar popular

Leia mais

É o UniNorte facilitando a vida de nossos docentes e discentes.

É o UniNorte facilitando a vida de nossos docentes e discentes. ACESSO REMOTO Através do Acesso Remoto o aluno ou professor poderá utilizar em qualquer computador que tenha acesso a internet todos os programas, recursos de rede e arquivos acadêmicos utilizados nos

Leia mais

Firewall. Tutorial Firewall em Linux Acadêmicos: Felipe Zottis e Cleber Pivetta

Firewall. Tutorial Firewall em Linux Acadêmicos: Felipe Zottis e Cleber Pivetta Tutorial Firewall em Linux Acadêmicos: Felipe Zottis e Cleber Pivetta Firewall Firewall é um quesito de segurança com cada vez mais importância no mundo da computação. À medida que o uso de informações

Leia mais

Segurança em Sistemas de Informação. Agenda. Conceitos Iniciais

Segurança em Sistemas de Informação. Agenda. Conceitos Iniciais Segurança em Sistemas de Informação Agenda 1. Conceitos Iniciais; 2. Terminologia; 3. Como funcionam; 4. : 1. Cache; 2. Proxy reverso; 5. Exemplos de Ferramentas; 6. Hands on; 7. Referências; 2 Conceitos

Leia mais

PowerSeries. Neo Go GUIA DE INSTALAÇÃO. Coonfidencial Empresa

PowerSeries. Neo Go GUIA DE INSTALAÇÃO. Coonfidencial Empresa PowerSeries Neo Go GUIA DE INSTALAÇÃO Coonfidencial Empresa Aplicativo PowerSeries Neo Go Configuração do Painel para Aplicativo Neo Go O sistema de alarme (painel e comunicador) necessita ser configurado

Leia mais

Manual do usuário. Viewer

Manual do usuário. Viewer Manual do usuário Viewer Outubro / 2010 Manual do Heron Viewer Índice Heron Viewer... 2 Instalação... 2 Configuração... 5 Configurando o servidor (Computador que acompanha o aparelho Heron)... 5 Configurando

Leia mais

GUIA MUDANÇA E FORMATAÇÃO DE SERVIDOR - SLIM

GUIA MUDANÇA E FORMATAÇÃO DE SERVIDOR - SLIM GUIA MUDANÇA E FORMATAÇÃO DE SERVIDOR - SLIM ÍNDICE ITEM Página 1. Objetivo... 3 2. Requisitos... 3 3. Diretório do Slim... 3 4. Procedimento para Transferência de Servidor... 3 4.1 Compartilhamento da

Leia mais