CARTILHA INFORMATIVA DE PRODUTOS E SERVIÇOS BANCÁRIOS PARA MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CARTILHA INFORMATIVA DE PRODUTOS E SERVIÇOS BANCÁRIOS PARA MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE"

Transcrição

1 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DE COMÉRCIO E SERVIÇOS FÓRUM PERMANENTE DAS MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE CARTILHA INFORMATIVA DE PRODUTOS E SERVIÇOS BANCÁRIOS PARA MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE Setembro de 2010

2 Agradecimentos especiais: Miguel Jorge Ministro de Estado do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Abidias José de Sousa Junior Presidente do Banco da Amazônia S.A. Aldemir Bendine Presidente do Banco do Brasil S.A. Roberto Smith Presidente do Banco do Nordeste do Brasil S.A. Luciano Galvão Coutinho Presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social Maria Fernanda Ramos Coelho Presidenta da Caixa Econômica Federal 2

3 Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior MDIC Miguel Jorge Ministro Fórum Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte Edson Lupatini Junior Secretário de Comércio e Serviços Sergio Nunes de Souza Diretor do Departamento de Micro, Pequenas e Médias Empresas Fernanda Maria Gaetano de Alencar Coordenadora-Geral de Articulação Institucional, Crédito e Fomento às Micro, Pequenas e Médias Empresas Comitê Temático Investimento e Financiamento Guilherme Gandra BNDES Coordenador de Governo Antônio Carlos Henriques - CNI Coordenador da Iniciativa Privada 3

4 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO Pág. 05 GLOSSÁRIO Pág. 06 BANCO DA AMAZÔNIA Pág. 09 BANCO DO BRASIL Pág. 25 BANCO DO NORDESTE Pág. 73 CAIXA ECONÔMICA FEDERAL Pág. 90 4

5 Apresentação A Cartilha Informativa de Produtos e Serviços Bancários para MPEs é uma publicação realizada pelo Comitê Temático de Investimento e Financiamento do Fórum Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte, cujo objetivo é reunir em um único documento os principais produtos e serviços financeiros disponibilizados pelas Instituições Bancárias oficiais às MPEs. A distribuição da publicação é voltada para as Micro e Pequenas Empresas e visa auxiliá-las no processo de obtenção de produtos e serviços bancários, contribuindo na direção da expansão gradativa e contínua da participação das MPEs, no total do crédito concedido pelos agentes financeiros, e que possam alavancar os seus negócios, proporcionando maior competitividade no mercado em geral. 5

6 Dicionário de Termos Importantes GLOSSÁRIO ALIENAÇÃO FIDUCIARIA É um tipo de garantia real, em que o devedor deixa o bem financiado como garantia da operação. Se ficar inadimplente, o banco passa a ser dono do bem em questão. AVAL Tipo de garantia pessoal ou fidejussória, que garante o pagamento de um empréstimo, onde um terceiro, pessoa física ou jurídica, torna-se responsável com o devedor pelo pagamento. ARRANJO PRODUTIVO LOCAL Aglomerado de empresas localizadas em um mesmo território, que apresentam especialização produtiva e mantém algum vínculo de articulação, interação, cooperação e aprendizagem entre si e outros atores locais, tais como governo, associações empresariais, instituições de crédito, ensino e pesquisa. BK Bens de Capital - São bens que servem para a produção de outros bens, como máquinas e equipamentos. BNDES AUTOMÁTICO Linha de crédito destinada a financiar projetos de investimentos para relocalização, ampliação, recuperação e modernização de empreendimentos voltados à produção e à infraestrutura, com recursos do BNDES. CAPITAL DE GIRO - São os recursos financeiros necessários para a empresa fazer seus negócios acontecerem (girar), mantendo a atividade operacional no dia-a-dia. Ou seja, são os recursos como caixa, bancos, contas a pagar e a receber, folha de pagamento, estoques e outros compromissos de curto prazo. CAPITAL DE GIRO ASSOCIADO Está associado aos investimentos fixos. Destinado à compra de matérias-primas e/ou mercadorias decorrentes dos investimentos realizados. CARÊNCIA É um prazo concedido ao devedor em que este paga apenas os juros e a correção monetária, se houver. CIELO Empresa responsável por credenciamento de lojas para cartões de crédito e de débito. EMPREENDEDOR INDIVIDUAL Empresário Individual que tenha como faturamento, no ano-calendário anterior, até R$ ,00, optante pelo Simples Nacional, que tenha até um empregado e não possua mais de um estabelecimento nem participe de outra empresa como titular, sócio ou administrador. FAMPE Fundo de Aval das Micro e Pequenas Empresas - As operações do FAMPE têm por finalidade a concessão de garantias complementares necessárias à contratação de crédito às Micro e Pequenas Empresas junto aos agentes financeiros credenciados. FAT - Fundo de Amparo ao Trabalhador - Fundo especial vinculado ao Ministério do Trabalho e Emprego MTE, destinado ao custeio do Seguro-Desemprego, do Abono Salarial e ao financiamento de Programas de Desenvolvimento Econômico. FIANÇA Tipo de garantia em que um terceiro se responsabiliza pelo pagamento da dívida caso o devedor não consiga honrar o compromisso. 6

7 FGI Fundo Garantidor de Investimentos Fundo criado com o intuito de fornecer garantia às Micro, Pequenas e Médias Empresas em empréstimos e financiamentos do BNDES. O fundo proporciona acesso a crédito a empresas que não possuem garantias a oferecer. FGO Fundo de Garantia de Operações Fundo constituído e gerido pelo Banco do Brasil, com o intuito de fornecer garantia complementar às Micro, Pequenas e Médias empresas em empréstimos e financiamentos. O fundo proporciona acesso a crédito a empresas que não possuem garantias a oferecer. FINAME Financiamento de projetos de investimentos, com linhas de crédito instituídas pelo BNDES, para a implantação, ampliação, recuperação e modernização das empresas nos setores de indústria, comércio e prestação de serviços. FRANQUIA - Sistema pelo qual uma empresa cede ao franqueado o direito de uso de sua marca ou patente, associado ao direito de distribuição de produtos ou serviços e, eventualmente, também ao direito de uso de tecnologia de implantação e administração de negócio ou sistema operacional, mediante remuneração. FUNDOS CONSTITUCIONAIS Destinados a programas de financiamento aos setores produtivos das regiões Norte FNO, do Nordeste FNE e do Centro-Oeste FCO. FUNGETUR Fundo Geral do Turismo Programa criado pelo Ministério do Turismo, destinado a financiar projetos de investimento em empreendimentos turísticos, por meio de modernização, reforma e ampliação. GARANTIAS PESSOAIS OU FIDEJUSSÓRIAS Tipo de garantia em que a Pessoa Física ou Jurídica assumem como avalistas ou fiadores da operação a obrigação de honrar o compromisso, caso o tomador do crédito não o faça. HIPOTECA Garantia real em que o próprio bem financiado é a garantia da operação, mas sem a transferência do bem. INVESTIMENTO FIXO São investimentos para implantação, expansão, relocalização, modernização ou reposição de máquinas, equipamentos, móveis, utensílios, veículos, e ainda, obras civis e instalações do empreendimento. Consistem em: a) Obras civis - incluem todos os gastos referentes às obras; b) Gastos com estudos/projetos de engenharia referentes às obras civis; c) Máquinas e equipamentos consiste no valor das máquinas/equipamentos; d) Gastos com instalação/montagem/frete são os gastos realizados para a instalação das máquinas e equipamentos, inclusive treinamento dos operadores das máquinas e o frete de transporte; e) Móveis e utensílios; f) Veículos consiste no valor dos veículos. Os investimentos fixos geralmente são compromissos de longo prazo. IOF Imposto Sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguro ou relativas a Títulos ou Valores Mobiliários. PENHOR - Tipo de garantia real acessória, em que não há a transferência de propriedade sobre os bens dados em garantia ficando com o credor apenas a posse física do bem. 7

8 PLANO DE NEGÓCIOS também denominado de projeto de investimento, é o conjunto de informações e estimativas que indicam ou contra-indicam a realização do investimento. É um instrumento de planejamento. PROEX Programa de financiamento às exportações. O PROEX foi instituído pelo Governo Federal para proporcionar às exportações brasileiras condições de financiamento equivalentes às do mercado internacional. O agente financeiro da União para operacionalização do Programa é o Banco do Brasil S.A. PROGER Programa de Geração de Emprego e Renda - é um programa instituído pelo Ministério do Trabalho (FAT) com a finalidade de financiar projetos de investimentos que proporcionem a geração de emprego e renda. PROGEREN Programa de Apoio ao Fortalecimento da Capacidade de Geração de Emprego e Renda. PSI Programa BNDES de Sustentação do Investimento - Trata-se de programa para estimular a produção, aquisição e exportação de bens de capital e a inovação tecnológica, por meio dos seguintes subprogramas: BNDES PSI Bens de Capital, BNDES PSI Inovação, e BNDES PSI Exportação Pré Embarque. O subprograma BNDES PSI Bens de Capital tem por objetivo financiar a produção e aquisição isolada de máquinas e equipamentos novos, de fabricação nacional, credenciados no BNDES, e o capital de giro a eles associado. RECEBÍVEIS São títulos de crédito originados da venda de bens e serviços (duplicatas, notas promissórias etc.). SPREAD Expressão inglesa utilizada no mercado financeiro para designar a taxa adicional de risco cobrada pela instituição financeira. É a diferença entre o custo de captação do banco e aquele que efetivamente é cobrado do tomador, impactando na taxa de juros final do empréstimo. Varia conforme a liquidez e as garantias do tomador, o volume do empréstimo e o prazo de resgate. TJLP Taxa de Juros de Longo Prazo. 8

9 1)- FINANCIAMENTO PARA CAPITAL DE GIRO AMAZÔNIA GIRO MPE Financia capital de giro com mix de recursos do FNO e AMAZONCHEQUE, para Micro e Pequenas Empresas localizadas na região Norte. FNO: aquisição de matérias-primas, insumos, bens ou produtos para a formação ou manutenção de estoque para desempenho da atividade do empreendimento. AMAZONCHEQUE: limite de cheque especial em conta corrente. PARA QUEM? Pessoas jurídicas do setor industrial, agroindustrial, turismo, infra-estrutura, cultura, comércio e serviços, localizados na região Norte, classificadas pela receita operacional bruta anual prevista na estabilização do empreendimento, conforme descrito abaixo: Porte Micro Pequeno Receita Operacional Bruta Anual Prevista (em R$1,00) Até R$ Acima de R$ e até R$ Prazo de operação: FNO: 24 meses, com 2 meses de Carência. AMAZONCHEQUE: 180 dias, devendo ser renovado por iguais períodos, até a liquidação da operação de FNO. QUAL O PRAZO ATÉ A LIBERAÇÃO DO CRÉDITO? Imediato após análise de crédito. Porte FNO Normais Com bônus de Adimplente (*) Microempresas 6,75% a.a. 5,74% a.a. Pequena 8,25% a.a. 7,01% a.a. Empresa AMAZONCHEQUE Taxa prefixada, de acordo com as condições do mercado. 9

10 AMAZONCHEQUE: avales dos sócios majoritários (de maior participação em ações) e de seus respectivos cônjuges. FNO: o financiamento será lastreado por garantias pessoais (aval ou fiança) isoladas ou cumulativamente, com garantias reais (Penhor ou Hipoteca). Relação garantia/financiamento: o somatório das garantias pessoais (valor do patrimônio informado no cadastro) e reais (valor de avaliação) deverá atender ao seguinte: Valores até R$70.000,00, inclusive: 100% sobre o valor do financiamento. Valores acima de R$70.000,00: 130% sobre o valor do financiamento. QUAL A FORMA DE PAGAMENTO? Débito em conta corrente. QUAIS AS VANTAGENS? Menor taxa do mercado para capital de giro. Não incidência de IOF sobre o recurso do FNO. Agilidade na concessão. As garantias podem ser somente pessoais. Recursos de sustentação disponíveis em conta corrente. FNO AMAZÔNIA SUSTENTÁVEL Capital de Giro Capital de Giro para aquisição de matéria-prima/insumos/bens/produtos necessários à formação ou manutenção de estoque para desempenho da atividade do empreendimento, devendo a liberação dos recursos ser feita diretamente pelo Banco da Amazônia aos fornecedores ou, na impossibilidade, diretamente ao beneficiário do crédito, desde que a comprovação de aquisição seja mediante apresentação de nota fiscal, conforme tabela a seguir: Porte Limite por Cliente (em R$1,00) até Limite por cliente para municípios de Baixa Renda, para todos os municípios do Acre, Amapá Roraima, municípios da Faixa de Fronteira e municípios que integram as mesorregiões da Região Norte. Micro Pequeno

11 PARA QUEM? Pessoas jurídicas do setor industrial, agroindustrial, turismo, infra-estrutura, cultura, comércio e serviços, localizados na Região Norte classificadas pela receita operacional bruta anual prevista na estabilização do empreendimento, conforme o descrito abaixo: Porte Micro Pequeno Receita Operacional Bruta Anual Prevista (em R$1,00) Até R$ Acima de R$ e até R$ Conforme o faturamento anual da empresa. Prazo de operação: até 24 meses, incluída a carência de 6 meses. QUAL O PRAZO ATÉ A LIBERAÇÃO DO CRÉDITO? Imediato após análise de crédito. Microempresas: 6,75% a.a Empresas de Pequeno Porte: 8,25% a.a. Fiança bancária, hipoteca, penhor, alienação fiduciária, fiança, aval, seguro-garantia, isolada ou cumulativamente e outros tipos de garantia, a critério do Banco, sob consulta prévia. QUAL A FORMA DE PAGAMENTO? Débito em conta corrente. DESCONTO DE DUPLICATAS AMAZÔNIA Capital de giro, mediante o desconto de duplicatas. PARA QUEM? Pessoas jurídicas em geral. Mínimo em torno de 30 dias e no máximo de 180 dias. QUAL O PRAZO ATÉ A LIBERAÇÃO DO CRÉDITO? Imediato após análise de crédito. Imposto sobre Operações Financeira (IOF) + Tarifa de Abertura de Crédito (TAC). Garantia Pessoal (aval ou fiança). QUAL A FORMA DE PAGAMENTO? Débito em conta corrente. 11

12 ROTATIVO AMAZÔNIA Capital de giro, na modalidade e crédito parcelado. PARA QUEM? Pessoas jurídicas em geral. Conforme o faturamento anual da empresa. Prazo da operação: até 180 dias. QUAL O PRAZO ATÉ A LIBERAÇÃO DO CRÉDITO? Imediato após análise de crédito. Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) + Tarifa de Abertura de Crédito (TAC) Garantia Pessoal (aval ou fiança) e/ ou real (penhor ou hipoteca). QUAL A FORMA DE PAGAMENTO? Débito em conta corrente. CONTA GARANTIDA AMAZÔNIA Capital de giro, mediante penhor de duplicatas e cheques. PARA QUEM? Pessoas jurídicas em geral. Conforme o faturamento anual da empresa. Prazo da operação: até 360 dias. QUAL O PRAZO ATÉ A LIBERAÇÃO DO CRÉDITO? Imediato após análise de crédito. Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) + Tarifa de Abertura de Crédito (TAC). Garantia Pessoal (aval ou fiança) e/ ou Penhor de recebíveis. QUAL A FORMA DE PAGAMENTO? Débito em conta corrente. AMAZÔNIA DESCONTO EMPRESARIAL Capital de giro, mediante desconto de Notas Promissórias. 12

13 PARA QUEM? Pessoas jurídicas em geral. Conforme o faturamento anual da empresa. PRAZO DE OPERAÇÃO? Mínimo: 8 dias Máximo: 90 dias QUAL O PRAZO ATÉ A LIBERAÇÃO DO CRÉDITO? Imediato após análise de crédito. Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) + Taxa de Abertura de Crédito (TAC). Garantia Pessoal (aval ou fiança). De caixa de curtíssimo prazo. PARA QUEM? Pessoas jurídicas em geral. Conforme o faturamento anual da empresa. Prazo da operação: até 180 dias. QUAL O PRAZO ATÉ A LIBERAÇÃO DO CRÉDITO? Imediato após análise de crédito. Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) + Taxa de Abertura de Crédito (TAC). Garantia Pessoal (aval ou fiança). QUAL A FORMA DE PAGAMENTO? Débito em conta corrente. GIRO AMAZÔNIA Capital de giro mediante abertura de crédito parcelado com taxas prefixadas. PARA QUEM? Empresas comerciais, industriais e prestadoras de serviços. Conforme o faturamento anual da empresa. Prazo da Operação: Mínimo: 04 parcelas Máximo: 60 parcelas, já incluída carência de 60 dias QUAL O PRAZO ATÉ A LIBERAÇÃO DO CRÉDITO? Imediato após análise de crédito. 13

14 Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) + Taxa de Abertura de Crédito (TAC). Garantia Pessoal (aval ou fiança) e/ ou real (penhor ou hipoteca). QUAL A FORMA DE PAGAMENTO? Débito em conta corrente. AMAZÔNIA TURISMO EMPRESARIAL Capital de giro mediante penhor de Notas Promissórias e Cheques. PARA QUEM? Empresas/agências de turismo registradas no Ministério do Turismo. Conforme o faturamento anual da empresa. Prazo de operação: até 360 dias. QUAL O PRAZO ATÉ A LIBERAÇÃO DO CRÉDITO? Imediato após análise de crédito. Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) + Taxa de Abertura de Crédito (TAC). Garantia Pessoal (aval ou fiança) e/ ou Penhor de recebíveis. QUAL A FORMA DE PAGAMENTO? Débito em conta corrente. AMAZÔNIA MICROCRÉDITO Capital de giro para pequenos negócios. PARA QUEM? Microempresas. Conforme o faturamento anual da empresa. Prazo da operação: 04 parcelas e custo de 2% a.m. QUAL O PRAZO ATÉ A LIBERAÇÃO DO CRÉDITO? Imediato após análise de crédito. Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) + Taxa de Abertura de Crédito (TAC). Garantia Pessoal (aval ou fiança). QUAL A FORMA DE PAGAMENTO? Débito em conta corrente. 14

15 PROGEREN Financia capital de giro. PARA QUEM? Microempresas com Receita Operacional Bruta Anual de até R$ ,00 e Empresas de Pequeno Porte com Receita Operacional Bruta Anual de até R$ ,00, localizadas em aglomerações produtivas. Microempresas: até 15% da ROB (receita operacional bruta), limitado a R$ ,00; Pequenas Empresas: até 10% da ROB (receita operacional bruta), limitado a R$ ,00; Prazo da operação: até 24 meses, incluído até 12 meses de carência. QUAL O PRAZO ATÉ A LIBERAÇÃO DO CRÉDITO? Imediato após análise de crédito. No mínimo Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) + 9% a.a. Garantias reais prévias próprias ou de terceiros, obedecendo a margem mínima de 130% sobre o valor do financiamento. QUAL A FORMA DE PAGAMENTO? Débito em conta corrente. 15

16 2)- LINHAS DE CRÉDITO PARA INVESTIMENTO FNO - AMAZÔNIA SUSTENTÁVEL Financia projetos de implantação, ampliação, modernização, reforma, relocalização e adequação ambiental de empreendimentos industriais, agroindustriais, turismo, infra-estrutura, cultura, comércio e serviços localizados na região Norte. PARA QUEM? Empresas (pessoas jurídicas) que desenvolvam atividades produtivas nos setores industriais, agroindustriais, turísticos, infra-estrutural, cultural, comércio e serviços na Região Norte, classificadas pela receita operacional bruta anual prevista na estabilização do empreendimento, conforme tabela abaixo: Receita Operacional Bruta Anual Prevista (em R$1,00) Porte Produção de bens manufaturados e Investimento Fixo e Misto semimanufaturados destinados à exportação Micro Até R$ Até R$ Pequeno Acima de R$ e até R$ Acima de R$ e até R$ QUAL O LIMITE MÁXIMO DE FINANCIAMENTO? Conforme o faturamento bruto anual da empresa. Prazo da operação: até 12 anos, incluída a carência de até 4 anos. QUAL O PRAZO ATÉ A LIBERAÇÃO DO CRÉDITO? Imediato após análise de crédito. Microempresas: 6,75% a.a. Empresas de pequeno porte: 8,25% a.a. Fiança bancária, hipoteca, penhor, alienação fiduciária, fiança, aval, outros tipos de garantia, a critério do Banco, sob consulta prévia, conforme abaixo: Porte do Beneficiári o Micro e Pequeno % Mínimo de Garantia Sobre o Valor do Garantia Financiamento Investimento Fixo Capital de Giro Não-associado e Misto (*) Preexistente 50% 130% Final 130% 130% QUAL A FORMA DE PAGAMENTO? Débito em conta corrente. 16

17 PROGER URBANO - MPE INVESTIMENTO Investimento fixo com capital de giro associado (Financia projetos que visem à manutenção dos postos de trabalho e a geração de emprego e renda). PARA QUEM? Micro e Pequenas Empresas com faturamento bruto anual de até R$ ,00. QUAL O LIMITE MÁXIMO DE FINANCIAMENTO? Até R$ ,00. O Capital de giro associado ao investimento é de até 40% do total financiado. O prazo da operação será determinado em função da capacidade de pagamento do empreendimento, não podendo ultrapassar 96 meses, incluídos até 36 meses de carência. QUAL O PRAZO ATÉ A LIBERAÇÃO DO CRÉDITO? Imediato após análise de crédito. Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) + 5,33% a.a Hipoteca, alienação fiduciária, fiança ou Aval; Fundo de aval para Geração de Emprego e Renda- FUNPROGER. QUAL A FORMA DE PAGAMENTO? Débito em conta corrente. PROGER TURISMO Investimento Investimento Fixo com capital de giro associado (Financiamento às empresas da cadeia produtiva do setor de turismo, em projetos que proporcionem a geração de emprego e renda). PARA QUEM? Micro e Pequenas Empresas, com faturamento bruto anual de até R$ ,00. Para empresas com Faturamento Bruto Anual de até R$3 milhões o teto financiável é de R$ ,00 (trezentos mil reais), já incluído o capital de giro associado. Para empresas com Faturamento Bruto Anual superior a R$3 milhões e inferior ou igual a R$5 milhões o teto financiável é de R$ ,00 (quatrocentos mil reais), já incluído o capital de giro associado. Prazo da operação: O prazo máximo para financiamento será determinado em função da capacidade de pagamento do empreendimento, não podendo ultrapassar 120 meses, incluídos até 30 meses de carência. QUAL O PRAZO ATÉ A LIBERAÇÃO DO CRÉDITO? Imediato após análise de crédito. Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) + até 5,33% ao ano. 17

18 Hipoteca, alienação fiduciária, fiança ou Aval; Fundo de aval para Geração de Emprego e Renda- FUNPROGER. QUAL A FORMA DE PAGAMENTO? Débito em conta corrente. BNDES Automático Financia projetos de investimentos, com capital de giro associado para implantação, ampliação, recuperação e modernização de empreendimentos industriais, agroindustriais, turísticos, culturais, comerciais e de prestação de serviços. PARA QUEM? Microempresas com Receita Operacional Bruta Anual de até R$ ,00 e Empresas de Pequeno Porte com Receita Operacional Bruta Anual de até R$ ,00. Até R$10 milhões por beneficiária, a cada período de 12 meses. Prazo de Operação: até 96 meses, incluído até 24 meses de carência. QUAL O PRAZO ATÉ A LIBERAÇÃO DO CRÉDITO? Imediato após análise de crédito. Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) + até 6,9% ao ano. Fiança bancária, hipoteca, penhor, alienação fiduciária, fiança, aval, seguro-garantia, outros tipos de garantias, a critério do banco, sob consulta prévia. QUAL A FORMA DE PAGAMENTO? Débito em conta corrente. BNDES Finame Financia máquinas, equipamentos e capital de giro associado. PARA QUEM? Microempresas com Receita Operacional Bruta Anual de até R$ ,00; e Empresas de Pequeno Porte com receita operacional bruta anual de até R$ ,00. Máquinas e equipamentos: Até 100% do valor do bem. Capital de giro associado: limitado a até 50% do valor do bem financiado. O prazo da operação é até 120 meses. QUAL O PRAZO ATÉ A LIBERAÇÃO DO CRÉDITO? Imediato após análise de crédito. 18

19 Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) + até 6,9% a.a Fiança bancária, hipoteca, penhor, alienação fiduciária, fiança, aval, seguro-garantia, outros tipos de garantias, a critério do banco, sob consulta prévia. QUAL A FORMA DE PAGAMENTO? Débito em conta corrente. FINAME MODERMAQ Máquinas e equipamentos. PARA QUEM? Microempresas com Receita Operacional Bruta Anual de até R$ ,00 e Empresas de Pequeno Porte com Receita Operacional Bruta Anual de até R$ ,00, enquadradas na Classificação Nacional das Atividades Econômicas-CNAE (versão 2.0) divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística- IBGE como indústria extrativa (Seção B), indústria de transformação (Seção C), construção pesada (Seção F) ou atividades de atenção à saúde humana (Seção Q 86), exceto atividades de apoio à gestão de saúde (Seção Q 86.6). Até 90% do valor do bem. O prazo da operação é até 120 meses, incluído o prazo de carência de até 24 meses. QUAL O PRAZO ATÉ A LIBERAÇÃO DO CRÉDITO? Imediato após análise de crédito. Taxa de juros fixa-até 12% a.a.; ou Taxa de juros variável - até Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) + até 4% a.a. Fiança bancária, hipoteca, penhor, alienação fiduciária, fiança, aval, seguro-garantia, outros tipos de garantias, a critério do banco, sob consulta prévia. QUAL A FORMA DE PAGAMENTO? Débito em conta corrente. PROCAMINHONEIRO Caminhões, chassis, caminhões-tratores, carretas, cavalos-mecânicos, reboques, semi-reboques e carrocerias para caminhões, novos ou usados, de fabricação nacional. Sistema de rastreamento seguro do bem e seguro prestamista, quando adquiridos em conjunto com o veículo financiado. PARA QUEM? Microempresa e empresário individual, pertencentes ao segmento de transporte rodoviário de carga. 19

20 Conforme faturamento da empresa. Prazo da operação: até 84 meses. QUAL O PRAZO ATÉ A LIBERAÇÃO DO CRÉDITO? Imediata após análise de crédito. Taxa de juros fixa- 13,5% a.a; ou Taxa de juros variável: Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) + 7% a.a Alienação fiduciária, fiança bancária, hipoteca, penhor, fiança, aval, seguro-garantia; outros tipos de garantias, a critério do banco, sob consulta prévia. QUAL A FORMA DE PAGAMENTO? Débito em conta corrente. 20

21 3)- FINANCIAMENTO PARA EXPORTAÇÃO FNO EXPORTAÇÃO O QUE É? FNO-Amazônia Exportação é uma modalidade de financiamento, destinada às empresas exportadoras nãorurais. Pessoas jurídicas de direito privado, inclusive empresas individuais, associações e cooperativas, organizadas de conformidade com a lei brasileira, que tenham no País a sede de sua administração, e cuja maioria de capital, com direito a voto, pertença a pessoas residentes e domiciliadas no País. Pessoas jurídicas de direito privado, organizadas de conformidade com a lei brasileira, que tenham no País a sede de sua administração, e cuja maioria de capital, com direito a voto, pertença a pessoas não residentes no País. QUAIS AS ATIVIDADES PODEM SER FINANCIADAS? Agroindústrias, indústrias, comércio e prestação de serviços. QUAL A FINALIDADE DO CRÉDITO? Aquisição de matérias-primas, insumos, bens ou produtos, para a formação ou manutenção de estoque do empreendimento do beneficiário, objetivando exclusivamente a exportação. QUANTO PODE SER FINANCIADO? Limites de Financiamento: de acordo com os valores da tabela abaixo, desde que o beneficiário apresente capacidade de pagamento, considerando o comprometimento máximo de 70% de suas disponibilidades: Porte Limite por cliente (em R$ 1,00) até Limite por cliente para municípios de Baixa Renda, para todos os municípios do Acre, Amapá e Roraima, municípios da Faixa de Fronteira e municípios que integram as mesorregiões da Região Norte Micro Pequeno Médio Grande QUAL O PRAZO PARA PAGAMENTO? Até 12 (doze) meses. QUAL A TAXA DE JUROS? Os utilizados para empreendimentos não-rurais, conforme a tabela abaixo, calculados e capitalizados mensalmente e exigíveis juntamente com as amortizações parciais, quando houver, e na liquidação da dívida: Porte Taxa efetiva de juros ao ano Micro 6,75 % Pequeno 8,25 % Médio 9,50 % Grande 10,00 % 21

22 Sobre os encargos financeiros serão concedidos bônus de adimplência de 15%, desde que a parcela da dívida seja paga até a data do respectivo vencimento. QUAIS AS VANTAGENS? Taxas de juros diferenciadas Bônus de 15% sobre os juros para pagamentos tempestivos Não incidência de IOF sobre recursos de fomento. 22

23 4)- OUTROS PRODUTOS E SERVIÇOS INTERNET BANKING AMAZÔNIA ON LINE O Amazônia On-line é a agência do Banco da Amazônia na Internet. A partir de um computador conectado à Internet podem ser realizadas diversas transações bancárias com comodidade, segurança, rapidez e economia. AMAZÔNIA CARD O Amazônia Card é o cartão de crédito do Banco da Amazônia associado à bandeira VISA, aceito em milhares de estabelecimentos no Brasil e no mundo. Ele é o único que reinveste no desenvolvimento sustentável da Amazônia. Possui três modalidades: nacional, internacional e gold. AUTO-ATENDIMENTO Este serviço garante, através dos caixas eletrônicos do Banco da Amazônia, maior acesso aos serviços bancários, proporcionando maior comodidade ao cliente, com as operações de saques, pagamentos, depósitos, transferência de valores, agendamento de pagamentos e consultas de extrato e saldo. DÉBITO AUTOMÁTICO AMAZÔNIA É uma facilidade oferecida para que contas de água, luz, telefone e outras sejam pagas automaticamente no dia do vencimento, pelo lançamento do valor a débito em conta-corrente, com segurança e transparência. AMAZÔNIA COBRANÇA FÁCIL Serviço de arrecadação na modalidade cobrança não registrada. Apresenta como grande vantagem a emissão de bloquetos pelo próprio cliente contratante, além do fácil controle e acompanhamento da carteira de cobrança, através do programa fornecido pelo Banco. TELE AMAZÔNIA É o serviço de auto-atendimento por telefone, com avançado e seguro sistema de reconhecimento de fala, disponível 24 horas por dia. Ligando gratuitamente para o pode ser consultado saldos e movimentações feitas em conta-corrente, poupança e investimentos. 23

24 SERVIÇO DE MENSAGENS VIA CELULAR Tem o objetivo de proporcionar ao cliente maior controle, segurança e comodidade nas movimentações financeiras, com o envio de mensagens informativas do saldo da conta-corrente, além de alertas quando ocorrer movimentação de débito ou de crédito na conta. Cadastros nas agências, auto-atendimento e no Amazônia On-line. REDE COMPARTILHADA O cliente pode realizar saques e consultar saldos e extratos em equipamentos de auto-atendimento de outros bancos, participantes da Rede Banco 24 horas como ABN AMRO REAL, BANPARÁ, BANESPA, BANESTES, BANK BOSTON, BANCO MERCANTIL DO BRASIL, CAIXA, BRB-BANCO DE BRASÍLIA, HSBC, NOSSA CAIXA, SAFRA, SANTANDER e UNIBANCO. Funcionalidade disponível nos terminais de auto-atendimento que contenham o adesivo com a informação: Interligado à Rede Banco24Horas. OUVIDORIA Reclamações, elogios, sugestões ou denúncias ligue para No site é possível acessar as transações bancárias mais utilizadas, tais como: saldo, extrato, transferência e pagamentos. OBSERVAÇÕES: as condições presentes na Cartilha estão sujeitas à alteração sem prévio aviso. Operações sujeitas à aprovação de crédito. 24

25 1)- FINANCIAMENTO PARA CAPITAL DE GIRO E RECEBÍVEIS BB GIRO EMPRESA FLEX Capital de Giro para financiar compra de estoques, matérias-primas e serviços em uma mesma operação. Empresas com faturamento anual igual ou superior a R$ mil. Mínimo de R$5 mil, com liberações mínimas de R$ 1 mil, conforme o limite de crédito do cliente. Até 24 meses, renovável automaticamente, com carência de até 6 meses para pagamento da 1ª parcela de capital. De 1,66% a 4,08% ao mês, variando conforme a parceria negocial. QUAL A FORMA DE PAGAMENTO? Flexível, de acordo com o fluxo de caixa da empresa. A amortização do capital pode ser mensal, bimestral, trimestral, quadrimestral, semestral ou livre. As parcelas podem ser iguais ou variáveis. Os valores podem ser reutilizados e os encargos financeiros são exigíveis mensalmente. Garantias pessoais ou reais, podendo ser vinculada a garantia do FGO. CARACTERÍSTICAS ESPECIAIS: Reutilização dos valores pagos. Liberação pelo telefone, pelo Gerenciador Financeiro ou na agência. Pode ser liberado para pagamento diretamente ao fornecedor. BB GIRO EMPRESA FLEX LIBERAÇÕES ESTRUTURADAS ANTECIPAÇÃO DE CONTRATOS DE FORNECIMENTO Capital de giro relacionado à antecipação de créditos oriundos de contratos de fornecimento de bens e/ou serviços, performados ou a performar Empresas fornecedoras do Governo do Estado de São Paulo e da Prefeitura Municipal de São Paulo. Mínimo de R$ 10 mil, com liberações mínimas de R$ 1 mil, conforme o limite de crédito do cliente. 25

Recebíveis. Antecipação de Crédito Lojista ACL. BB Giro Cartões. BB Giro Recebíveis. Desconto de Cheques. Desconto de Títulos

Recebíveis. Antecipação de Crédito Lojista ACL. BB Giro Cartões. BB Giro Recebíveis. Desconto de Cheques. Desconto de Títulos Atualizada em 29/04/2015 Capital de Giro BB Capital de Giro Mix Pasep Recebíveis Antecipação de Crédito Lojista ACL Financiamento de Investimentos BB Crédito Empresa BB Giro Empresa Flex BB Giro Cartões

Leia mais

PROGRAMA DE FINANCIAMENTO PARA O TURISMO

PROGRAMA DE FINANCIAMENTO PARA O TURISMO PROGRAMA DE FINANCIAMENTO PARA O TURISMO LINHAS DE CRÉDITO PARA MICRO, PEQUENA E MÉDIA EMPRESAS Novembro 2008 FUNGETUR Fundo Geral de Turismo Fomentar e prover recursos para o financiamento de atividades

Leia mais

XIII Seminário Internacional de Países Latinos Europa-América. Políticas de Facilitação de Créditos para o Desenvolvimento das PME

XIII Seminário Internacional de Países Latinos Europa-América. Políticas de Facilitação de Créditos para o Desenvolvimento das PME XIII Seminário Internacional de Países Latinos Europa-América Políticas de Facilitação de Créditos para o Desenvolvimento das PME Fortaleza, 30 de outubro de 2006 1 Sumário 1 - Mercado MPE 2 - Acesso ao

Leia mais

O Apoio do BB à Copa do Mundo de 2014. Diretoria de Micro e Pequenas Empresas

O Apoio do BB à Copa do Mundo de 2014. Diretoria de Micro e Pequenas Empresas O Apoio do BB à Copa do Mundo de 2014 Diretoria de Micro e Pequenas Empresas Novembro de 2011 O Apoio do BB à Copa do Mundo de 2014 Posicionamento junto ao Mercado MPE MPE O Apoio do BB à Copa do Mundo

Leia mais

Soluçõ. ções BB. para a Economia dos Municípios

Soluçõ. ções BB. para a Economia dos Municípios Soluçõ ções BB para a Economia dos Municípios Presença Nacional Presença Nacional Presença Exclusiva 4.388 Municípios * 874 Municípios * *Municípios com agências BB - dados de janeiro/2009 - Fonte: Bacen

Leia mais

Produtos e Serviços. Convênio. Banco do Brasil e AmBev

Produtos e Serviços. Convênio. Banco do Brasil e AmBev Produtos e Serviços Convênio Banco do Brasil e AmBev Setembro/20 Senhores Franqueados, O convênio firmado com o Banco do Brasil visa propiciar às Franquias Brahma AmBev, acesso à linhas de crédito (capital

Leia mais

Produtos e Serviços Revendedores e Transportadores LIQUIGÁS. Convênio. Banco do Brasil e Liquigás

Produtos e Serviços Revendedores e Transportadores LIQUIGÁS. Convênio. Banco do Brasil e Liquigás Produtos e Serviços Revendedores e Transportadores LIQUIGÁS Convênio Banco do Brasil e Liquigás 2 Senhores Revendedores e Transportadores, O convênio firmado com o Banco do Brasil propiciar aos Revendedores

Leia mais

NASCER BEM 2/59. Foto: Stock.Schng

NASCER BEM 2/59. Foto: Stock.Schng 2/59 Foto: Stock.Schng NASCER BEM OBJETIVOS: Fase 1: Fornecer informações e orientações para empreendedores que pretendem iniciar um negócio, sobretudo na elaboração do Plano de Negócio. 3/59 Foto: Stock.Schng

Leia mais

Teotonio Vilela Filho Governador. José Thomaz Nonô Vice-Governador

Teotonio Vilela Filho Governador. José Thomaz Nonô Vice-Governador 11111 Teotonio Vilela Filho Governador José Thomaz Nonô Vice-Governador Luiz Otavio Gomes Secretário de Estado do Planejamento e do Desenvolvimento Econômico Keylle André Lima Secretário Adjunto do Desenvolvimento

Leia mais

Índice 1. Linhas de crédito existentes... 3 1.1Empréstimos para capital de Giro... 3

Índice 1. Linhas de crédito existentes... 3 1.1Empréstimos para capital de Giro... 3 Índice 1. Linhas de crédito existentes... 3 1.1Empréstimos para capital de Giro... 3 Capital de Giro 1.1.1 BB Giro Rápido... 3 1.1.2 BB Giro Automático... 3 1.1.3 Recebíveis Cartão a Realizar (ACL Fumaça)...

Leia mais

Linhas de financiamento BB para o Turismo. Superintendência Estadual do Banco do Brasil MT Agosto/2009

Linhas de financiamento BB para o Turismo. Superintendência Estadual do Banco do Brasil MT Agosto/2009 Linhas de financiamento BB para o Turismo Superintendência Estadual do Banco do Brasil MT Agosto/2009 Atualizada em 03/08/2009 Crédito / Financiamentos de Investimentos / Proger Turismo Investimento Características

Leia mais

Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Transportadoras de Carga. São Paulo - SP 16.abr.2015

Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Transportadoras de Carga. São Paulo - SP 16.abr.2015 Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Transportadoras de Carga São Paulo - SP 16.abr.2015 Quem somos Fundado em 20 de Junho de 1952 Empresa pública de propriedade integral da União Principal fonte

Leia mais

Linhas de Financiamento para a Construção Civil

Linhas de Financiamento para a Construção Civil Linhas de Financiamento para a Construção Civil Câmara Brasileira da Indústria de Construção 16 de dezembro de 2009 Quem somos Fundado em 20 de junho de 1952; Empresa pública de propriedade integral da

Leia mais

Financiamento externo. As opções de financiamento são variáveis.

Financiamento externo. As opções de financiamento são variáveis. Financiamento externo As opções de financiamento são variáveis. O suporte que a administração do MAXIPAS pode vir a fornecer aos franqueados consiste na elaboração do projeto de financiamento para aquisição

Leia mais

Secretário de Estado de Turismo e Esportes Tiago Lacerda. Secretário Adjunto Rogério Aoki Romero. Chefe de Gabinete Mario Queiroz Guimarães Neto

Secretário de Estado de Turismo e Esportes Tiago Lacerda. Secretário Adjunto Rogério Aoki Romero. Chefe de Gabinete Mario Queiroz Guimarães Neto Secretário de Estado de Turismo e Esportes Tiago Lacerda Secretário Adjunto Rogério Aoki Romero Chefe de Gabinete Mario Queiroz Guimarães Neto Subsecretária de Turismo Silvana Nascimento Superintendente

Leia mais

FGO e FGI. Fundos garantidores de risco de crédito Como as micro, pequenas e médias empresas podem se beneficiar. 2ª Edição

FGO e FGI. Fundos garantidores de risco de crédito Como as micro, pequenas e médias empresas podem se beneficiar. 2ª Edição FGO e FGI Fundos garantidores de risco de crédito Como as micro, pequenas e médias empresas podem se beneficiar 2ª Edição Brasília 2010 Sumário Apresentação 5 5 1 O que é o fundo garantidor de risco de

Leia mais

Performance institucional

Performance institucional Performance institucional 212 Pontos de Atendimentos 3.005 empregados Pontos de Vendas Pioneiros: 10 Participação na Rede de Agências na Região Norte: 14,23%. Municípios Atendidos na Região Norte: 95%

Leia mais

Produtos e Serviços. Convênio. Banco do Brasil S.A. e FENACAT

Produtos e Serviços. Convênio. Banco do Brasil S.A. e FENACAT Produtos e Serviços Convênio Banco do Brasil S.A. e FENACAT 2 Prezadas Associadas, As informações aqui tratadas orientam sobre como obter os benefícios e utilizar os produtos e serviços descritos nesta

Leia mais

Agradecimentos especiais: Abidias José de Sousa Junior Presidente do Banco da Amazônia S.A.

Agradecimentos especiais: Abidias José de Sousa Junior Presidente do Banco da Amazônia S.A. Agradecimentos especiais: Miguel Jorge Ministro de Estado do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Abidias José de Sousa Junior Presidente do Banco da Amazônia S.A. Antônio Francisco de Lima Neto

Leia mais

Paulo Sérgio Sodré. Departamento de Credenciamento e Financiamento

Paulo Sérgio Sodré. Departamento de Credenciamento e Financiamento 1 Paulo Sérgio Sodré Departamento de Credenciamento e Financiamento Máquinas áqu as e equipamentos equ pa e tos 2 BNDES Missão Promover o desenvolvimento sustentável e competitivo da economia brasileira,

Leia mais

FORUM DO IMPACTO DA CRISE NA MICRO, PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA

FORUM DO IMPACTO DA CRISE NA MICRO, PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA FORUM DO IMPACTO DA CRISE NA MICRO, PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA LINHAS DE FINANCIAMENTO E ACESSO AO CRÉDITO PARA MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SÃO PAULO 13 / 4 / 09 ACESSO AO CRÉDITO PARA AS MICROS E

Leia mais

Apoio do BNDES a Provedores Regionais de Internet. Curitiba / PR 17 de março de 2014

Apoio do BNDES a Provedores Regionais de Internet. Curitiba / PR 17 de março de 2014 Apoio do BNDES a Provedores Regionais de Internet Curitiba / PR 17 de março de 2014 Agenda Informações Institucionais Apoio às Micro, Pequenas e Médias Empresas Projetos de Investimento Aquisição de Máquinas

Leia mais

ASSESSORIA AO CRÉDITO E INOVAÇÃO Incentivando o Desenvolvimento Mineiro. Departamento de Economia Posto de Informações do BNDES Posto Avançado do BDMG

ASSESSORIA AO CRÉDITO E INOVAÇÃO Incentivando o Desenvolvimento Mineiro. Departamento de Economia Posto de Informações do BNDES Posto Avançado do BDMG ASSESSORIA AO CRÉDITO E INOVAÇÃO Incentivando o Desenvolvimento Mineiro Departamento de Economia Posto de Informações do BNDES Posto Avançado do BDMG www.bndes.gov.br LINHAS DE CRÉDITO BNDES Automático

Leia mais

Linhas de Crédito. Capital de Giro

Linhas de Crédito. Capital de Giro Linhas de Crédito Capital de Giro Apresentação FIESP Jul/2015 Operações mais utilizadas NOME CONTA GARANTIDA CAIXA CH.EMPRESA CAIXA CREDITO ESPECIAL EMPRESA - PRE/PRICE - GARANTIA FGO GIROCAIXA RECURSOS

Leia mais

BRASÍLIA, 2013 CAPITAL DE GIRO COMO AS MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS PODEM SE BENEFICIAR

BRASÍLIA, 2013 CAPITAL DE GIRO COMO AS MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS PODEM SE BENEFICIAR BRASÍLIA, 2013 CAPITAL DE GIRO COMO AS MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS PODEM SE BENEFICIAR CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA CNI Robson Braga de Andrade Presidente Diretoria de Comunicação Carlos Alberto

Leia mais

FCO, FNE e FNO Fundos Constitucionais de Financiamento

FCO, FNE e FNO Fundos Constitucionais de Financiamento FCO, FNE e FNO Fundos Constitucionais de Financiamento Como as micro, pequenas e médias empresas podem se beneficiar Brasília 2011 2011. CNI Confederação Nacional da Indústria. Qualquer parte desta obra

Leia mais

PALESTRA: LINHAS DE CRÉDITOS.

PALESTRA: LINHAS DE CRÉDITOS. PALESTRA: LINHAS DE CRÉDITOS. Facilitador: Wolney Luis do Nascimento Sousa. Responsável pelo Evento: 1 LINHAS DE CRÉDITO Motivos Vantagens Desvantagens Aplicação 2 LINHAS DE CRÉDITO Função dos Bancos Para

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROJETO A VEZ DO MESTRE

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROJETO A VEZ DO MESTRE UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROJETO A VEZ DO MESTRE Empréstimos disponíveis para Pessoa Jurídica no Banco do Brasil Por: Carmen Lucia Martinez Ferreira Orientador Profª Ana Claudia

Leia mais

Apoio do BNDES à Provedores Regionais de Internet. Marabá / PA 15 de abril de 2014

Apoio do BNDES à Provedores Regionais de Internet. Marabá / PA 15 de abril de 2014 Apoio do BNDES à Provedores Regionais de Internet Marabá / PA 15 de abril de 2014 Como apoiamos? Operações Diretas Contratadas diretamente com o BNDES Empresário Como apoiamos? Operações Indiretas Instituições

Leia mais

O BNDES Mais Perto de Você. julho de 2009

O BNDES Mais Perto de Você. julho de 2009 O BNDES Mais Perto de Você julho de 2009 Quem somos Fundado em 20 de junho de 1952; Empresa pública de propriedade integral da União Federal; Principal fonte de crédito de longo prazo; Subsidiárias BNDESPar

Leia mais

Apoio do BNDES às Empresas de Comércio e Serviços. São Paulo - SP 24.jun.2015

Apoio do BNDES às Empresas de Comércio e Serviços. São Paulo - SP 24.jun.2015 Apoio do BNDES às Empresas de Comércio e Serviços São Paulo - SP 24.jun.2015 Quem somos Fundado em 20 de Junho de 1952 Empresa pública de propriedade integral da União Principal fonte de crédito de longo

Leia mais

Apoio às MPMEs. Sorocaba/SP. 30 de novembro de 2011

Apoio às MPMEs. Sorocaba/SP. 30 de novembro de 2011 Apoio às MPMEs Sorocaba/SP 30 de novembro de 2011 Missão Banco do DESENVOLVIMENTO Competitividade e sustentabilidade Redução das desigualdades sociais e regionais Áreas de atuação Inovação Infra-estrutura

Leia mais

11º Encontro Técnico de Alto Nível: Compostagem

11º Encontro Técnico de Alto Nível: Compostagem 11º Encontro Técnico de Alto Nível: Compostagem São Paulo / SP 02 de outubro de 2015 Mercado Brasileiro de Fertilizantes Situação atual do mercado nacional de fertilizantes minerais: altamente dependente

Leia mais

O BNDES mais perto de você. abril de 2009

O BNDES mais perto de você. abril de 2009 O BNDES mais perto de você abril de 2009 Quem somos Fundado em 20 de junho de 1952; Empresa pública de propriedade integral da União Federal; Principal fonte de crédito de longo prazo; Apoio ao mercado

Leia mais

GUIA PRÁTICO PARA A MICROEMPRESA E EMPRESA DE PEQUENO PORTE ACESSAR CRÉDITO BANCÁRIO

GUIA PRÁTICO PARA A MICROEMPRESA E EMPRESA DE PEQUENO PORTE ACESSAR CRÉDITO BANCÁRIO GUIA PRÁTICO PARA A MICROEMPRESA E EMPRESA DE PEQUENO PORTE ACESSAR CRÉDITO BANCÁRIO Governador do Estado da Bahia Jaques Wagner Secretário da Indústria, Comércio e Mineração James Correia Superintendente

Leia mais

Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Empresas

Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Empresas Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Empresas Campinas - SP 17.mar.2015 Como apoiamos? Operações Diretas Contratadas diretamente com o BNDES Como apoiamos? Operações Indiretas N o de operações 2014*

Leia mais

CAFÉ COM CRÉDITO. Santo André - SP. 06 de outubro de 2009

CAFÉ COM CRÉDITO. Santo André - SP. 06 de outubro de 2009 CAFÉ COM CRÉDITO Santo André - SP 06 de outubro de 2009 Missão Banco do DESENVOLVIMENTO Competitividade e sustentabilidade Redução das desigualdades sociais e regionais Áreas de atuação Inovação Bens de

Leia mais

O BNDES Mais Perto de Você

O BNDES Mais Perto de Você O BNDES Mais Perto de Você Rio de Janeiro - RJ 11 de março de 2010 Quem somos Fundado em 20 de junho de 1952 Empresa pública de propriedade integral da União Federal Principal fonte de crédito de longo

Leia mais

CIRCULAR SUP/AOI Nº 26/2015-BNDES. Rio de Janeiro, 03 de julho de 2015. Produtos BNDES Finame e BNDES Finame Leasing

CIRCULAR SUP/AOI Nº 26/2015-BNDES. Rio de Janeiro, 03 de julho de 2015. Produtos BNDES Finame e BNDES Finame Leasing Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI CIRCULAR SUP/AOI Nº 26/2015-BNDES Rio de Janeiro, 03 de julho de 2015 Ref.: Ass.: Produtos BNDES Finame e BNDES Finame Leasing Refinanciamento de

Leia mais

Instituição Financeira do Governo do Estado de São Paulo, regulada pelo Banco Central, com inicio de atividades em Março/2009.

Instituição Financeira do Governo do Estado de São Paulo, regulada pelo Banco Central, com inicio de atividades em Março/2009. Presidência 1 Instituição Financeira do Governo do Estado de São Paulo, regulada pelo Banco Central, com inicio de atividades em Março/2009. Instrumento institucional de apoio à execução de políticas de

Leia mais

LINHAS ATIVAS FINAME BK FINAME ÔNIBUS E CAMINHÕES FINAME EVENTOS FINAME AGRÍCOLA BNDES INOVAGRO

LINHAS ATIVAS FINAME BK FINAME ÔNIBUS E CAMINHÕES FINAME EVENTOS FINAME AGRÍCOLA BNDES INOVAGRO FINANCIAMENTOS 2014 LINHAS ATIVAS FINAME BK PSI (taxa fixa) FINAME ÔNIBUS E CAMINHÕES FINAME EVENTOS FINAME AGRÍCOLA BNDES INOVAGRO PADRÃO (taxa pós fixada-tjlp) FINAME BK FINAME ÔNIBUS E CAMINHÕES FINAME

Leia mais

PROGRAMA DE FINANCIAMENTO ÀS EXPORTAÇÕES: PROEX

PROGRAMA DE FINANCIAMENTO ÀS EXPORTAÇÕES: PROEX PROGRAMA DE FINANCIAMENTO ÀS EXPORTAÇÕES: PROEX PROEX FINANCIAMENTO FINALIDADE: Proporcionar e apoiar o exportador brasileiro na comercialização com o exterior de bens e serviços em condições de financiamento

Leia mais

Ass.: Programa BNDES de Financiamento a Caminhoneiros - BNDES PROCAMINHONEIRO

Ass.: Programa BNDES de Financiamento a Caminhoneiros - BNDES PROCAMINHONEIRO CIRCULAR Nº 80/2009 Rio de Janeiro, 24 de julho de 2009 Ref.: FINAME e FINAME LEASING Ass.: Programa BNDES de Financiamento a Caminhoneiros - BNDES PROCAMINHONEIRO O Superintendente da Área de Operações

Leia mais

EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS

EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS Um EMPRÉSTIMO é um contrato entre o cliente e a instituição financeira pelo qual ele recebe uma quantia que deverá ser devolvida ao banco em prazo determinado, acrescida dos

Leia mais

Comitê Temático Racionalização Legal e Burocrática Coordenador da Iniciativa Privada: Moacir Vidal

Comitê Temático Racionalização Legal e Burocrática Coordenador da Iniciativa Privada: Moacir Vidal Agradecimentos especiais: Luiz Fernando Furlan Ministro de Estado do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Mâncio Lima Cordeiro Presidente do Banco da Amazônia S.A. Rossano Maranhão Pinto Presidente

Leia mais

Produtos e Serviços. Convênio. Banco do Brasil S.A. e ABIMAQ

Produtos e Serviços. Convênio. Banco do Brasil S.A. e ABIMAQ Produtos e Serviços Convênio Banco do Brasil S.A. e ABIMAQ 2 Prezadas Associadas, As informações aqui tratadas foram disponibilizadas pelo Banco do Brasil e orientam sua empresa como obter os benefícios

Leia mais

AULA 08. Produtos e Serviços Financeiros II

AULA 08. Produtos e Serviços Financeiros II AULA 08 Produtos e Serviços Financeiros II Operações Ativas As operações ativas são aquelas em que o banco, além dos investimentos destinados à formação do seu ativo permanente e disponibilidades, atua

Leia mais

Soluções de Crédito. Cadeia Produtiva do Café CADA VEZ BOMPRATODOS

Soluções de Crédito. Cadeia Produtiva do Café CADA VEZ BOMPRATODOS Cadeia Produtiva do Café CADA + VEZ BOMPRATODOS Capital de Giro Recebíveis BB Giro Empresa Flex Agro Crédito Agroindustrial Desconto de Cheques/Títulos BB Giro Recebíveis Duplicatas/Cheques/Cartões BB

Leia mais

BNDES Prosoft. Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação

BNDES Prosoft. Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação BNDES Prosoft Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação Objetivo - Contribuir para o desenvolvimento da indústria nacional de software

Leia mais

Reunião de Trabalho da cadeia produtiva de Defesa e Segurança do Grande ABC. São Bernardo do Campo - SP 18 de abril de 2013

Reunião de Trabalho da cadeia produtiva de Defesa e Segurança do Grande ABC. São Bernardo do Campo - SP 18 de abril de 2013 Reunião de Trabalho da cadeia produtiva de Defesa e Segurança do Grande ABC São Bernardo do Campo - SP 18 de abril de 2013 Agenda 1. Informações Institucionais 2. Apoio às Micro, Pequenas e Médias Empresas

Leia mais

BNDES - AUTOMÁTICO. Vitória - 22 de abril de 2010

BNDES - AUTOMÁTICO. Vitória - 22 de abril de 2010 BNDES - AUTOMÁTICO n Grupo: Aline Pereira Fracalossi Andrea Abreu Carlos Adriano Elika Capucho Janete Pontes Victor Henrique Vitória - 22 de abril de 2010 BNDES Automático n Finalidade Financiar projetos

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE GARANTIA DE CRÉDITO DA SERRA GAÚCHA. GarantiSerra - Novembro de 2010 Oficina Superando Dificuldades no Acesso ao Crédito

ASSOCIAÇÃO DE GARANTIA DE CRÉDITO DA SERRA GAÚCHA. GarantiSerra - Novembro de 2010 Oficina Superando Dificuldades no Acesso ao Crédito ASSOCIAÇÃO DE GARANTIA DE CRÉDITO DA SERRA GAÚCHA GarantiSerra - Novembro de 2010 Oficina Superando Dificuldades no Acesso ao Crédito INSTITUCIONAL HISTÓRICO - Idéia junho/2001; - Estudos Jurídicos novembro/2002;

Leia mais

MICROCREDITO. 1.2.1 Beneficiários:

MICROCREDITO. 1.2.1 Beneficiários: MICROCREDITO 1 OBJETIVO Conceder crédito ágil, desburocratizado, acessível e adequado aos empreendedores dos setores formal e informal, excluídos da política do sistema financeiro tradicional, auxiliando-os

Leia mais

Empréstimo. Pagamento em até 30 meses; Sem taxa de abertura de crédito; Parcelas debitadas em conta; Limites analisados pela renda.

Empréstimo. Pagamento em até 30 meses; Sem taxa de abertura de crédito; Parcelas debitadas em conta; Limites analisados pela renda. Produtos Conta Corrente Com isenção de tarifas de manutenção, dez folhas cheques, quatro extratos mensais, emissão de extratos on-line, tarifas reduzidas, só na Credlíder. Conta Poupança A Poupança Credlider

Leia mais

Financiamento ao Desenvolviment o Valmir Martins Sobrinho Banco do Brasil

Financiamento ao Desenvolviment o Valmir Martins Sobrinho Banco do Brasil Financiamento ao Desenvolviment o Valmir Martins Sobrinho Banco do Brasil Brasília, DF/2011 O acesso ao Crédito Qual o papel do crédito? O Crédito Sustentável O crédito, visto como remédio na realização

Leia mais

Financiamento e Garantia às Exportações Um guia rápido aos exportadores brasileiros

Financiamento e Garantia às Exportações Um guia rápido aos exportadores brasileiros 2015 Financiamento e Garantia às Exportações Um guia rápido aos exportadores brasileiros Sumário Introdução... 2 O Programa PROEX... 2 PROEX Financiamento... 3 Mais Alimentos Internacional... 4 PROEX Equalização...

Leia mais

Viabilizando o Crédito

Viabilizando o Crédito Palestra: Viabilizando o Crédito Educação Empreendedora Consultoria Gestão Inovação Resultados 0800 570 0800 / www.sebrae-rs.com.br O que é CRÉDITO? Credare: Confiar, acreditar. Percepção externa baseada

Leia mais

O BNDES Mais Perto de Você. Santos - SP 22 de maio de 2014

O BNDES Mais Perto de Você. Santos - SP 22 de maio de 2014 O BNDES Mais Perto de Você Santos - SP 22 de maio de 2014 Agenda Informações Institucionais Apoio às Micro, Pequenas e Médias Empresas Projetos de Investimento Aquisição de Máquinas e Equipamentos Capital

Leia mais

BNDES FGI Fundo Garantidor para Investimentos. Dezembro de 2011

BNDES FGI Fundo Garantidor para Investimentos. Dezembro de 2011 BNDES FGI Fundo Garantidor para Investimentos Dezembro de 2011 Contexto Solicitação de financiamento MPME Exigência de garantias Agente Financeiro BNDES FGI Atua como complementador de garantias para o

Leia mais

Prazo: 6 meses (a partir publicação da medida provisória em

Prazo: 6 meses (a partir publicação da medida provisória em LINHAS DE CAPITAL INFORME DE GIRO DEMPI e SIMPLES 1/2009 NACIONAL São Paulo, 04 de fevereiro de 2009. Prezado O Departamento Presidente encontro ampliar com as suas da Micro, propostas Pequena e objetivos,

Leia mais

BNDES FGI Fundo Garantidor para Investimentos. Agosto de 2011

BNDES FGI Fundo Garantidor para Investimentos. Agosto de 2011 BNDES FGI BNDES FGI Fundo Garantidor para Investimentos Agosto de 2011 Por que solicitar a garantia do BNDES FGI? Em que ela é útil? A garantia do BNDES FGI pode aumentar as chances de uma empresa conseguir

Leia mais

Palestra MPME. 30 de junho de 2011

Palestra MPME. 30 de junho de 2011 Palestra MPME 30 de junho de 2011 Como apoiamos? Operações Diretas Contratadas diretamente com o BNDES Operações Indiretas Instituições financeiras credenciadas pelo BNDES Empresário Informação e Relacionamento

Leia mais

CAPTAÇÃO DE RECURSOS PARA. Márlon Alberto Bentlin Santa Cruz do Sul RS 04 de agosto de 2014

CAPTAÇÃO DE RECURSOS PARA. Márlon Alberto Bentlin Santa Cruz do Sul RS 04 de agosto de 2014 CAPTAÇÃO DE RECURSOS PARA INVESTIMENTOS EMPRESARIAIS Márlon Alberto Bentlin Santa Cruz do Sul RS 04 de agosto de 2014 Márlon Alberto Be INVESTIMENTO NA ATIVIDADE EMPRESARIAL? Márlon Alberto Be INVESTIMENTO

Leia mais

Feira Internacional da Amazônia Manaus - AM

Feira Internacional da Amazônia Manaus - AM O BNDES Mais Perto de Você Feira Internacional da Amazônia Manaus - AM 25 de novembro de 2009 Como apoiamos Operações Diretas Contratadas t diretamente t com o BNDES Operações Indiretas Instituições i

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Conhecimentos Bancários. Mercado Financeiro. Mercado Financeiro

Conhecimentos Bancários. Conhecimentos Bancários. Mercado Financeiro. Mercado Financeiro Conhecimentos Bancários Mercado Financeiro Órgãos normativo/fiscalizador Conselho Monetário Nacional Banco Central do Brasil Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional Conhecimentos Bancários

Leia mais

A DESENVOLVE SP é a instituição financeira do Governo do Estado

A DESENVOLVE SP é a instituição financeira do Governo do Estado QUEM SOMOS A DESENVOLVE SP é a instituição financeira do Governo do Estado de São Paulo. Atua como banco de desenvolvimento apoiando financeiramente às iniciativas que estimulam o crescimento da economia

Leia mais

Arranjo Produtivo Local

Arranjo Produtivo Local Arranjo Produtivo Local GN CAPTAÇÃO MICRO E PEQUENA EMPRESA SN Micro e Pequena Empresa Atuação em APL da CAIXA tem o objetivo de promover: Principais setores apoiados Aeroespacial Biotecnologia Couro e

Leia mais

A DESENVOLVE SP é a instituição financeira do Governo do Estado

A DESENVOLVE SP é a instituição financeira do Governo do Estado QUEM SOMOS A DESENVOLVE SP é a instituição financeira do Governo do Estado de São Paulo. Atua como banco de desenvolvimento apoiando financeiramente às iniciativas que estimulam o crescimento da economia

Leia mais

ORIENTAÇÕES LINHAS DE CRÉDITO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS E O MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL

ORIENTAÇÕES LINHAS DE CRÉDITO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS E O MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL 1 Compilações das Informações Maria da Conceição Mira dos Santos - Outubro/2014 APRESENTAÇÃO O crédito, que estimula o nascimento de novos negócios, a implementação de inovação e tecnologia dentro da empresa

Leia mais

ARRANJOS PRODUTIVOS. w w w. b r d e. c o m. b r. Fonte: Site SEBRAE

ARRANJOS PRODUTIVOS. w w w. b r d e. c o m. b r. Fonte: Site SEBRAE ARRANJOS PRODUTIVOS Arranjos produtivos são aglomerações de empresas localizadas em um mesmo território, que apresentam especialização produtiva e mantém algum vinculo de articulação, interação, cooperação

Leia mais

Ass.: Programa de Apoio à Aquisição de Bens de Capital Usados BK USADOS

Ass.: Programa de Apoio à Aquisição de Bens de Capital Usados BK USADOS CIRCULAR N 21/2009 Rio de Janeiro, 12 de março de 2009. Ref.: FINAME e FINAME LEASING Ass.: Programa de Apoio à Aquisição de Bens de Capital Usados BK USADOS O Superintendente da Área de Operações Indiretas,

Leia mais

Banco do Brasil. Encontro da ABRASP Associação Brasileira de Produtores de Soluções Parenterais. Salvador (BA) Novembro/2009

Banco do Brasil. Encontro da ABRASP Associação Brasileira de Produtores de Soluções Parenterais. Salvador (BA) Novembro/2009 Banco do Brasil Encontro da ABRASP Associação Brasileira de Produtores de Soluções Parenterais 1 Salvador (BA) Novembro/2009 1 Índice Contextualização 3 Fundo de Garantia de Operações - FGO 7 Fundo de

Leia mais

Formas de apoio do BNDES

Formas de apoio do BNDES Formas de apoio do BNDES ABIMAQ São Paulo/SP 16 de junho de 2011 BNDES FGI Fundo Garantidor para Investimentos Contexto BNDES FGI - Fundo Garantidor para Investimentos Micro, Pequena e Média Empresa Solicitação

Leia mais

Painel IV: Panorama do Crédito no Banco do Brasil. Ary Joel de Abreu Lanzarin Diretor de Micro e Pequenas Empresas

Painel IV: Panorama do Crédito no Banco do Brasil. Ary Joel de Abreu Lanzarin Diretor de Micro e Pequenas Empresas Painel IV: Panorama do Crédito no Banco do Brasil Ary Joel de Abreu Lanzarin Diretor de Micro e Pequenas Empresas As diretrizes estratégicas dão foco ao negócio Perspectivas Simplificar e agilizar a utilização

Leia mais

Cliente Nossa Caixa, o Banco do Brasil tem orgulho de receber você e sua empresa.

Cliente Nossa Caixa, o Banco do Brasil tem orgulho de receber você e sua empresa. Cliente Nossa Caixa, o Banco do Brasil tem orgulho de receber você e sua empresa. Conheça os benefícios do novo banco da sua empresa. Banco do Brasil. É de São Paulo. É do Brasil. É Todo Seu. Índice 2

Leia mais

Linhas de Financiamento do BNDES voltadas à inovação São Paulo Cidade da Inovação FIESP SP 21 de outubro de 2013

Linhas de Financiamento do BNDES voltadas à inovação São Paulo Cidade da Inovação FIESP SP 21 de outubro de 2013 Linhas de Financiamento do BNDES voltadas à inovação São Paulo Cidade da Inovação FIESP SP 21 de outubro de 2013 Classificação de Porte utilizada Porte da Empresa Receita Operacional Bruta Anual M P M

Leia mais

Desejamos uma boa leitura!

Desejamos uma boa leitura! A Cartilha do Programa CAIXA APL tem como objetivo principal dar informações básicas sobre Educação Financeira para que você, empresário, possa compreender melhor alguns conceitos que facilitam o seu dia

Leia mais

Sebastião Macedo Pereira

Sebastião Macedo Pereira BNDES e o Segmento Editorial e Livrarias Sebastião Macedo Pereira Procult - Objetivos Objetivos específicos Promover o fortalecimento e a consolidação da cadeia produtiva editorial no País, o desenvolvimento

Leia mais

CONDIÇÕES BÁSICAS DE FINANCIAMENTO DE LONGO PRAZO

CONDIÇÕES BÁSICAS DE FINANCIAMENTO DE LONGO PRAZO CONDIÇÕES BÁSICAS DE FINANCIAMENTO DE LONGO PRAZO 1. ORIGEM DOS RECURSOS: BANCO FINANCIADOR: Banco do Nordeste do Brasil S/A LINHA DE CRÉDITO: Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste FNE PROGRAMA:

Leia mais

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social Outubro 2009

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social Outubro 2009 Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social Outubro 2009 BH COPA 2014 Agenda Resumo Institucional Os Projetos que Apoiamos Formas de Atuação Condições de Financiamento Fechamento Agenda Resumo

Leia mais

Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Empresas. Sorocaba, 05 de novembro de 2014

Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Empresas. Sorocaba, 05 de novembro de 2014 Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Empresas Sorocaba, 05 de novembro de 2014 Como apoiamos? Operações Diretas Contratadas diretamente com o BNDES Empresário Como apoiamos? Operações Indiretas Instituições

Leia mais

Produtos e Serviços para Associados. Pessoas Jurídicas

Produtos e Serviços para Associados. Pessoas Jurídicas Produtos e Serviços para Associados Pessoas Jurídicas O Sicoob Divicred entende o que seu associado precisa. Por isso, oferece soluções ágeis e modernas para otimizar suas operações bancárias e proteger

Leia mais

Aryelle de Brito Sousa Diana Romanha Roberto César Nascimento Avelino Pereira Victor Bragatto Luchi Waleska Fromholz Madi

Aryelle de Brito Sousa Diana Romanha Roberto César Nascimento Avelino Pereira Victor Bragatto Luchi Waleska Fromholz Madi Aryelle de Brito Sousa Diana Romanha Roberto César Nascimento Avelino Pereira Victor Bragatto Luchi Waleska Fromholz Madi Prof. :Dalton Dutra Objetivo Estimular a participação de graduados em cursos de

Leia mais

Ass.: Programa de Apoio à Aquisição de Bens de Capital Usados BK USADOS

Ass.: Programa de Apoio à Aquisição de Bens de Capital Usados BK USADOS CIRCULAR Nº 58/2009 Rio de Janeiro, 04 de junho de 2009. Ref.: FINAME e FINAME LEASING Ass.: Programa de Apoio à Aquisição de Bens de Capital Usados BK USADOS O Superintendente da Área de Operações Indiretas,

Leia mais

BNDES Turismo. BNDES Turismo. Foz do Iguaçu 18 de Junho 2011

BNDES Turismo. BNDES Turismo. Foz do Iguaçu 18 de Junho 2011 BNDES Turismo BNDES Turismo Foz do Iguaçu 18 de Junho 2011 Agenda Informações Institucionais Apoio ao Turismo Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Empresas - Projetos de Investimento; - Aquisição

Leia mais

Financiamentos ao Comércio Exterior e Apoio aos Negócios Internacionais

Financiamentos ao Comércio Exterior e Apoio aos Negócios Internacionais Financiamentos ao Comércio Exterior e Apoio aos Negócios Internacionais Diretoria de Negócios Internacionais Setembro/2013 Banco do Brasil. Do Brasil para o mundo. Do mundo para o Brasil O Banco do Comércio

Leia mais

BRDE INOVA. Joaçaba, 12 de maio de 2014. Apresentador: Paulo César Antoniollo

BRDE INOVA. Joaçaba, 12 de maio de 2014. Apresentador: Paulo César Antoniollo BRDE INOVA Joaçaba, 12 de maio de 2014 Apresentador: Paulo César Antoniollo Contextualização Primeiro Agente Financeiro do País credenciado junto ao BNDES Primeiro Agente Financeiro do País credenciado

Leia mais

Crédito para o Desenvolvimento

Crédito para o Desenvolvimento Crédito para o Desenvolvimento O BADESUL Agência de Fomento, controlada pelo Governo Estadual, integra o Sistema de Desenvolvimento do Estado coordenado pela Secretaria de Desenvolvimento e Promoção do

Leia mais

FINANÇAS A B C D A R$ 24.000,00. B R$ 12.000,00. C R$ 2.000,00. D R$ 0,00.

FINANÇAS A B C D A R$ 24.000,00. B R$ 12.000,00. C R$ 2.000,00. D R$ 0,00. ESPE/Un SERE 2013 Nas questões a seguir, marque, para cada uma, a única opção correta, de acordo com o respectivo comando. Para as devidas marcações, use a Folha de Respostas, único documento válido para

Leia mais

I SEMINÁRIO ESTADUAL DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS - AM

I SEMINÁRIO ESTADUAL DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS - AM I SEMINÁRIO ESTADUAL DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS - AM Grupo de Trabalho Permanente / GTP-APL Rede de Distribuição 3.407 Agências 6.015 Agências 36 Milhões de Clientes Agências Bradesco Expresso Banco

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, ATUÁRIA E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, ATUÁRIA E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, ATUÁRIA E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO Administração e Análise Financeira e Orçamentária 2 Copyright Pereira, F. I. Prof.

Leia mais

QUEM SOMOS. Fundada em março de 2009 com capital integralizado de R$ 1 bilhão

QUEM SOMOS. Fundada em março de 2009 com capital integralizado de R$ 1 bilhão QUEM SOMOS A DESENVOLVE SP é a instituição financeira do Governo do Estado de São Paulo que promove o crescimento sustentável das pequenas e médias empresas e municípios paulistas. Nosso objetivo é colaborar

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTO AMARO MERCADO DE CAPITAIS PRINCIPAIS PRODUTOS BANCARIOS Prof. Esp. Tomás de Aquino Salomão e-mail tomassalomao@gmail.

UNIVERSIDADE DE SANTO AMARO MERCADO DE CAPITAIS PRINCIPAIS PRODUTOS BANCARIOS Prof. Esp. Tomás de Aquino Salomão e-mail tomassalomao@gmail. UNIVERSIDADE DE SANTO AMARO MERCADO DE CAPITAIS PRINCIPAIS PRODUTOS BANCARIOS Prof. Esp. Tomás de Aquino Salomão e-mail tomassalomao@gmail.com Caderneta de Poupança A caderneta de poupança foi criada em

Leia mais

APRESENTAÇÃO ABRIL 2011

APRESENTAÇÃO ABRIL 2011 APRESENTAÇÃO ABRIL 2011 QUEM SOMOS NOSSA CAIXA DESENVOLVIMENTO AGÊNCIA DE FOMENTO DO ESTADO DE SÃO PAULO ÉUMA INSTITUIÇÃO FINANCEIRA CONTROLADA PELO ESTADO DE SÃO PAULO E ATUA COMO BANCO DE DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Produtos Bancários. Prof. Luiz Antonio de Carvalho

Produtos Bancários. Prof. Luiz Antonio de Carvalho Professor Luiz Antonio de Carvalho Produtos Bancários PRODUTOS E SERVIÇOS BANCÁRIOS A intermediação financeira é o principal produto de um banco, pois capta o dinheiro excedente e empresta a quem precisa.

Leia mais

projetos com alto grau de geração de emprego e renda projetos voltados para a preservação e a recuperação do meio ambiente

projetos com alto grau de geração de emprego e renda projetos voltados para a preservação e a recuperação do meio ambiente O QUE É O FCO? O Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) foi criado pela Lei n.º 7.827, de 27.09.1989, que regulamentou o art. 159, inciso I, alínea c, da Constituição Federal, com

Leia mais

Ref.: FINAME, FINAME LEASING, FINAME AGRÍCOLA e BNDES AUTOMÁTICO. Ass.: Programa BNDES de Sustentação do Investimento BNDES PSI

Ref.: FINAME, FINAME LEASING, FINAME AGRÍCOLA e BNDES AUTOMÁTICO. Ass.: Programa BNDES de Sustentação do Investimento BNDES PSI CIRCULAR Nº 71/2009 Rio de Janeiro, 10 de julho de 2009. Ref.: FINAME, FINAME LEASING, FINAME AGRÍCOLA e BNDES AUTOMÁTICO Ass.: Programa BNDES de Sustentação do Investimento BNDES PSI O Superintendente

Leia mais

CIRCULAR Nº 033/2003. Programa "Crédito Empresarial Nossa Caixa"

CIRCULAR Nº 033/2003. Programa Crédito Empresarial Nossa Caixa São Paulo, 06 de Outubro de 2003. DE: ASSESSORIA JURÍDICA PARA: ASSOCIADOS CIRCULAR Nº 033/2003 Programa "Crédito Empresarial Nossa Caixa" Encaminhamos à V.Sa., novo Anexo I do Protocolo de Intenções,

Leia mais

APRESENTAÇÃO BDMG. I Encontro COMTUR. Sete Lagoas - 25/02/2010

APRESENTAÇÃO BDMG. I Encontro COMTUR. Sete Lagoas - 25/02/2010 APRESENTAÇÃO BDMG I Encontro COMTUR Sete Lagoas - 25/02/2010 SOLUÇÕES DE FINANCIAMENTO PARA EMPREENDIMENTOS QUE INTEGRAM O SETOR DE TURISMO: GERAMINAS OBJETIVO Conceder financiamentos a microempresas e

Leia mais