Rendimento das cultivares de cenoura Alvorada e Nantes Forto cultivadas sob diferentes espaçamentos

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Rendimento das cultivares de cenoura Alvorada e Nantes Forto cultivadas sob diferentes espaçamentos"

Transcrição

1 Rendimento das cultivares de cenoura Alvorada e Nantes Forto cultivadas sob diferentes espaçamentos João Bosco C. da Silva; Jairo Vidal Vieira; Cristina Maria M. Machado; Graziella B. de Lima. Embrapa Hortaliças, caixa postal 218, CEP Brasília-DF - RESUMO O número elevado de plantas por área resulta, geralmente, no auto-sombreamento e na formação de unidade produtiva pequena ou mais fina. Para o processamento na forma de minicenouras, utilizam-se as partes mais finas das raízes. Portanto, o ajuste do espaçamento pode resultar em maior produção de raízes apropriadas para o processamento. Foram avaliadas as cultivares Alvorada e Nantes no espaçamento de fileira simples, distanciadas de cm e fileiras triplas, agrupadas com 10 cm entre as fileiras internas e cm entre grupos. Para cada sistema, foram deixadas 14, 16, 18 e plantas por metro linear, por ocasião do desbaste. O plantio em fileiras simples apresentou resultados superiores de produção total, produção de matéria-prima e rendimento industrial, sem variação significativa para o número de plantas na fileira, com maior produção industrial (12,5 t/ha) obtida com a Cultivar Nantes. O adensamento resultou em aumento da produção de raízes mais finas e, consequentemente, maior rendimento industrial. Palavras-chave: Daucus carota; processamento; minicenoura; espaçamento. ABSTRACT Crop production of Alvorada and Nantes carrots at different plant spacing. The high number of plant per area results in auto-shade and low height and sharp roots. For processing baby carrots it is used sharp parts of the roots and therefore the adjustment of plant spacing should result in high yield of appropriated roots for processing. It was evaluated Alvorada and Nantes carrots cv. spacing cm between single row and triple row grouped with 10 cm between internal row and cm between groups. On each scheme 14; 16; 18 and plant were remained on linear meter of row, after trimming. The simple row scheme showed better total yield, row material, and industrial yield, without significant effect of number of plants on row. The best industrial yield (12.5 t/ha) was obtained with Nantes. Low plant spacing led to higher production of thinner roots, consequently more industrial yield. Keywords: Daucus carota; spacing; processing.

2 O arranjo de plantas afeta diretamente o número de unidades comercializáveis, a produtividade e sua qualidade (Lima et al, 1991; Barbedo et al, 00). O número elevado de plantas resulta em menor disponibilidade de radiação fotossintética para as folhas localizadas na parte inferior da planta, acarretando o auto-sombreamento e a redução da taxa fotossintética líquida por planta, resultando na formação de unidades produtivas menores ou seja, raízes mais finas. No entanto, até certo limite, ocorre a compensação da produção total pela elevação do número de raízes. Para o processamento na forma de minicenouras, as raízes grossas, com mais de 3,5 cm de diâmetro são descartadas (Silva et al, 01), pois as raízes mais finas resultam em produtos mais delicados e portanto mais valorizados. Por outro lado, para o sistema de produção destinado ao comércio de produtos in natura, as raízes finas são descartadas, por apresentarem maior desuniformidade das raízes, menor período de conservação e maior taxa de desidratação (Vieira et al, 1997). O ajuste do sistema de produção pode resultar em maior produção de raízes apropriadas para o processamento ou seja, maior aproveitamento da produção e maior rendimento industrial por área. MATERIAL E MÉTODOS Para avaliar o efeito do espaçamento no rendimento industrial para processamento de minicenouras avaliaram-se dois sistemas de distribuição das fileiras, sendo um de fileira única, distanciada cm entre si e outro de fileiras triplas, em que as fileiras internas se distanciavam de 10cm e os grupos de fileiras, cm. Foram avaliadas também quatro densidade de plantas, deixando 14; 16; 18; e plantas por metro de fileira ao realizar o desbaste efetuado aos 25 dias do semeio. Utilizaram-se as Cultivares Alvorada e Nantes forto. A colheita foi realizada aos 110 dias após a semeadura, recolhendo-se produção de toda a parcela que se constituiu de um canteiro com 1,2 m de largura e 8 m de comprimento. As raízes foram classificada segundo o maior diâmetro em: maiores que 3,0 cm; de 2,5 a 3,0 cm; de 2,0 a 2,5 cm e menores que 2,0 cm, sendo então contadas e pesadas. Independentemente da classificação, as raízes foram cortadas de acordo com os critérios de tamanho e espessura, para a produção de minicenouras no formato de cenourete e catetinho estabelecidos por Silva et. al, 02, sendo então pesadas, processadas e novamente pesadas. RESULTADOS E DISCUSSÃO As Cultivares Alvorada e Nantes apresentaram resultados semelhantes de produção, tanto no sistema de distribuição de plantas em fileira simples quanto no de fileiras triplas

3 (Tabela 1). Comparando-se os sistemas e os arranjos das plantas, o sistema de fileiras uniformemente distribuídas (fileira simples) apresentou resultados superiores de produção total, produção de matéria-prima e rendimento industrial, sem variação significativa para o número de plantas deixados na fileira por ocasião do desbaste (Tabela 2). A maior produção industrial (12,5 t/ha) foi obtida com a Cultivar Nantes, utilizando-se o sistema de fileira simples, não ocorrendo variação significativa para o número de plantas nas fileiras. O adensamento de plantas resultou em aumento da produção de raízes mais finas e consequentemente, em maior rendimento industrial (Tabela 3). Utilizando-se a Cultivar Alvorada, observou-se o efeito do número de plantas deixadas por ocasião do desbaste. O peso de raízes com diâmetro maior que 3,0 cm foi inversamente correlacionada com o número de plantas por metro linear, enquanto que, o peso de raízes mais finas (2,5 a 3,0 cm), foi diretamente correlacionada com o número de plantas. LITERATURA CITADA VIEIRA, J.V.; PESSOA, H.B.S.V.; MAKISHIMA, N., ed. Cultivo da cenoura (Daucus carota L.). Brasilia: EMBRAPA-CNPH, p. (EMBRAPA-CNPH. Instruções Técnicas da Embrapa Hortaliças, 13). SILVA, J. B. C. da; VIEIRA, J. V.; LIMA, M. M.; LIMA, D. de B. Produção de cenourete e catetinho. Brasília, DF: Embrapa Hortaliças, p. (Embrapa Hortaliças. Circular Técnica, 28). LIMA, D. de B.; VIEIRA, J. V.; MAKICHIMA, N. Efeitos de espaçamento entre plantas na linha e épocas de desbaste na produtividade de cenoura. Horticultura Brasileira, Brasília, v.9, n.1, p.42, maio BARBEDO, A.S.C.; CAMARA, F.L.A.; NAKAGAWA, J.; BARBEDO, C.J. Populacao de plantas, metodo de colheita e qualiade de sementes de cenoura, cultivar Brasilia. Pesquisa Agropecuaria Brasileira, Brasília, v.35, n.8, p , ago. 00. Tabela 1 Rendimento industrial das cultivares Alvorada e Nantes cultivadas sob diferentes arranjos de distribuição de plantas. (Embrapa Hortaliças, 03). Fatores Cultivar Sistema de plantio* Fileira simples Fileira tripla Média Produção Alvorada 33,5 Aa 29,6 Ba 31,5 a (t/ha) Nantes 35,2 Aa 30,2 Ba 32,7 a Média 34,4 A 29,9 B 32,1 CV (%) 8,3 11,9 10,0 Matéria prima Alvorada 18,8 Aa 13,3 Bb 16,0 b (t/ha) Nantes 21,5 Aa 17,1 Ba 19,3 a Média,1 A 15,2 B 17,7

4 CV (%) 18,7 15,4 17,3 Cenourete (t/ha) Alvorada 2,5 Ab 1,6 Bb 2,1 b Nantes 4,4 Aa 3,0 Ba 3,7 a Média 3,5 A 2,3 B 2,9 CV (%) 13,1 22,5 16,7 Catetinho Alvorada 7,7 Aa 5,6 Bb 6,7 a (t/ha) Nantes 8,0 Aa 7,2 Aa 7,6 a Média 7,9 A 6,4 B 7,2 CV (%) 31,2 25,5 28,2 Rendimento Alvorada 10,3 Ab 7,3 Bb 8,7 b industrial (t/ha) Nantes 12,5 Aa 10,2 Ba 11,4 a Média CV (%) 11,4 A 21,5 8,7 B 17,8 10,1 19,7 * - Fileira simples fileiras distanciadas de cm entre si; Fileira tripla agrupamento de três em três fileiras, distanciadas de 10 cm entre as fileiras internas e cm entre os agrupamentos. Os valores seguidos pelas mesmas letras, sendo maiúsculas para linhas e minúsculas para coluna, não diferem entre si Teste de Tukey 5% Tabela 2 Produção de matéria prima das cultivares Alvorada e Nantes cultivadas sob oito arranjos de distribuição de plantas (Embrapa Hortaliças, 03). Produção (t/ha) de raízes por categoria de Densidade Maior que 25 a 30 a 25 Menor que Sistemas* diâmetro Total 30 mm mm mm Cultivar Alvorada 14,75 a 8,07 b 3,01 a 0,49 b 32,32 a 16 Fileira 19,84 a 8,81 ab 3,53 a 0,66 ab 32,85 a 18 simples 19,32 a 11,16 a 3,58 a 0,85 a 33,98 a 18,56 a 10,31 ab 4,41 a 0,70 ab 34,92 a Média,48 9,59 3,64 0,68 33,52 CV (%),11 12,61 17,50 14,85 9, ,48 a 4,74 a 1,82 ab 0,35 a 29,40 a 16 Fileira,84 a 6,27 a 1,60 b 0,30 a 29,00 a 18 tripla,04 a 7,18 a 2,73 a 0,43 a 30,38 a 18,56 a 7,74 a 2,76 a 0,45 a 29,53 a Média 19,62 6,48 2,23 0,38 29,58 CV (%) 18,82 22,99 21,26 32,92 10,02 Cultivar Nantes 14 14,96 a 12,96 a 5,04 c 0,43 a 33,39 a 16 Fileira 13,89 a 15,59 a 5,76 bc 0,53 a 35,76 a 18 simples 12,22 a 14,44 a 6,84 ab 0,61 a 34,11 a 13,11 a 16,19 a 7,60 a 0,64 a 37,54 a Média 15,06 14,08 6,30 0,55 35, CV (%) 11,48 13,06 11,86 22,79 6, ,06 a 9,47 b 2,65 a 0,41 a 30,60 a 16 Fileira 16,15 a 9,53 b 3,68 a 0,31 a 29,66 a 18 tripla 14,11 a 10,84 ab 3,66 a 0,48 a 29,09 a 14,08 a 12,71 a 4,17 a 0,46 a 31,44 a Média 13,05 10,06 3,54 0,41 30,

5 CV (%) 39,42 11,79 42,66 66,38 15,10 * - Fileira simples fileiras distanciadas de cm entre si; Fileira tripla agrupamento de três em três fileiras, distanciadas de 10 cm entre as fileiras internas e cm entre os agrupamentos. Os valores seguidos pelas mesmas letras não diferem entre si Teste de Tukey 5% Tabela 3 - Rendimento industrial das cultivares Alvorada e Nantes cultivadas sob oito arranjos de distribuição de plantas (Embrapa Hortaliças, 03). Número de plantas na fileira Sistema de plantio Produção Rendimento industrial (t/ha) de matéria prima (t/ha) Cenourete Catetinho Cultivar Alvorada Produção industrial (t/ha) 14 14,77 a 2,10 b 5,93 a 8,03 a 16 Fileira 17,12 a 1,97 b 7,01 a 8,98 a 18 simples 22,68 a 2,98 a 9,69 a 12,67 a,49 a 3,00 a 8,37 a 11,38 a Média 18,77 2,52 7,75 10,26 CV (%) 25,91 8,10 40,08 30, ,25 a 1,37 a 4,72 a 6,10 a 16 Fileira 13,23 a 1,47 a 5,82 a 7,29 a 18 tripla 14,10 a 1,79 a 6,04 a 7,82 a 14,48 a 1,77 a 6,04 a 7,81 a Média 13,26 1,60 5,65 7,26 CV (%) 18,54,63 24,30,16 Cultivar Nantes 14 19,62 a 4,07 a 7,94 a 12,00 a 16 Fileira 21,08 a 4,44 a 7,74 a 12,18 a 18 simples 21,38 a 4,32 a 7,82 a 12,14 a 23,77 a 4,85 a 8,67 a 13,53 a Média 21,46 4,42 8,04 12,46 CV (%) 13,18 11,04 24,00 15, ,18 a 2,71 a 6,47 a 9,18 a 16 Fileira 16,66 a 3,06 a 6,97 a 10,03 a 18 tripla 16,83 a 2,91 a 7,14 a 10,06 a 19,71 a 3,37 a 8,29 a 11,66 a Média 17,10 3,02 7,22 10,23 CV (%) 14,37 23,14 26,29 16,39 * - Fileira simples fileiras distanciadas de cm entre si; Fileira tripla agrupamento de três em três fileiras, distanciadas de 10 cm entre as fileiras internas e cm entre os agrupamentos. - Os valores seguidos pelas mesmas letras não diferem entre si Teste de Tukey 5%

Corte Fácil: equipamento para medir e cortar raízes para processamento de minicenouras.

Corte Fácil: equipamento para medir e cortar raízes para processamento de minicenouras. Corte Fácil: equipamento para medir e cortar raízes para processamento de minicenouras. João Bosco Carvalho da Silva 1 ; João Mendonça Naime 2 ; Jairo Vidal Vieira 1. 1- Embrapa Hortaliças C. postal 218

Leia mais

Rendimento e qualidade do melão em diferentes espaçamentos de plantio.

Rendimento e qualidade do melão em diferentes espaçamentos de plantio. Rendimento e qualidade do melão em diferentes espaçamentos de plantio. Geraldo M. de Resende; Nivaldo D. Costa Embrapa - Semi-Árido, C. Postal 23, 56302.970 Petrolina - PE. E-mail: gmilanez@ufla.br RESUMO

Leia mais

EFEITO DA ÉPOCA DE SEMEADURA EM CULTIVARES DE CENOURA EFFECTS OF THE SOWING TIME ON CARROT CULTIVARS

EFEITO DA ÉPOCA DE SEMEADURA EM CULTIVARES DE CENOURA EFFECTS OF THE SOWING TIME ON CARROT CULTIVARS 103 CDD: 633.4 EFEITO DA ÉPOCA DE SEMEADURA EM CULTIVARES DE CENOURA EFFECTS OF THE SOWING TIME ON CARROT CULTIVARS MARIE YAMAMOTO REGHIN 1 CRISTINA DUDA 2 1 Professora do Departamento de Fitotecnia e

Leia mais

Revista Ceres ISSN: X Universidade Federal de Viçosa Brasil

Revista Ceres ISSN: X Universidade Federal de Viçosa Brasil Revista Ceres ISSN: 0034-737X ceresonline@ufv.br Universidade Federal de Viçosa Brasil Rangel Lopes, Welder de Araújo; De Negreiros, Maria Zuleide; da Silva Teófilo, Taliane Maria; Vieira Alves, Samara

Leia mais

Avaliação de variedades sintéticas de milho em três ambientes do Rio Grande do Sul. Introdução

Avaliação de variedades sintéticas de milho em três ambientes do Rio Grande do Sul. Introdução Avaliação de variedades sintéticas de milho em três ambientes do Rio Grande do Sul Machado, J.R. de A. 1 ; Guimarães, L.J.M. 2 ; Guimarães, P.E.O. 2 ; Emygdio, B.M. 3 Introdução As variedades sintéticas

Leia mais

AVALIAÇÃO DO ARRANJO DE PLANTAS DE GIRASSOL

AVALIAÇÃO DO ARRANJO DE PLANTAS DE GIRASSOL 241 ( 55 AVALIAÇÃO DO ARRANJO DE PLANTAS DE GIRASSOL EVALUATION OF PLANT DESIGN IN SUNFLOWER César de Castro 1 ; Adilson de Oliveira Júnior 1 ; Fábio Alvares de Oliveira 1 ; Regina M.V.B.C. Leite 1 ; Bruna

Leia mais

USO DE DIFERENTES SUBSTRATOS E FREQUÊNCIA DE IRRIGAÇÃO NO CULTIVO DE TOMATE CEREJA EM SISTEMA HIDROPÔNICO

USO DE DIFERENTES SUBSTRATOS E FREQUÊNCIA DE IRRIGAÇÃO NO CULTIVO DE TOMATE CEREJA EM SISTEMA HIDROPÔNICO USO DE DIFERENTES SUBSTRATOS E FREQUÊNCIA DE IRRIGAÇÃO NO CULTIVO DE TOMATE CEREJA EM SISTEMA HIDROPÔNICO Rodrigo de Rezende Borges Rosa 1 ; Delvio Sandri 2 1 Eng. Agrícola, Discente do Mestrando Engenharia

Leia mais

CRESCIMENTO, FENOLOGIA E PRODUTIVIDADE DE MANDIOCA PARA INDÚSTRIA.

CRESCIMENTO, FENOLOGIA E PRODUTIVIDADE DE MANDIOCA PARA INDÚSTRIA. CRESCIMENTO, FENOLOGIA E PRODUTIVIDADE DE MANDIOCA PARA INDÚSTRIA. Amarílis RÓS-GOLLA 1 ; Andréia Cristina Silva HIRATA 1 ; Humberto Sampaio de ARAÚJO 1 ; Nobuyoshi NARITA 1 1 Pólo Alta Sorocabana/APTA,

Leia mais

POPULAÇÃO DE PLANTIO DE ALGODÃO PARA O OESTE BAIANO

POPULAÇÃO DE PLANTIO DE ALGODÃO PARA O OESTE BAIANO POPULAÇÃO DE PLANTIO DE ALGODÃO PARA O OESTE BAIANO Liv Soares Severino 1 ; João Luís da Silva Filho 1 ; João Batista dos Santos 2 ; Arnaldo Rocha de Alencar 1. (1)Embrapa Algodão: e-mail liv@cnpa.embrapa.br

Leia mais

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE E PRODUTIVIDADE DA CENOURA COM DIFERENTES DENSIDADES DE PLANTIO

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE E PRODUTIVIDADE DA CENOURA COM DIFERENTES DENSIDADES DE PLANTIO AVALIAÇÃO DA QUALIDADE E PRODUTIVIDADE DA CENOURA COM DIFERENTES DENSIDADES DE PLANTIO Célio Vinicius Mota Júnior 1 ; Jesse Moreira Oliveira 1 ; Lara Caroline Borges Moreira Mota 2* RESUMO: O desempenho

Leia mais

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 1573

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 1573 Página 1573 AVALIAÇÃO DE LINHAGENS DE MAMONEIRA NO MUNICÍPIO DE NOSSA SENHORA DAS DORES/SE Francisco Elias Ribeiro 1 ; Samuel Silva da Mata 1 ; Milena Mascarenhas de Jesus Ribeiro 2 ; Máira Milani 3 1Pesquisador

Leia mais

Produção de Mudas de Pepino e Tomate Utilizando Diferentes Doses de Adubo Foliar Bioplus.

Produção de Mudas de Pepino e Tomate Utilizando Diferentes Doses de Adubo Foliar Bioplus. Produção de Mudas de Pepino e Tomate Utilizando Diferentes de Adubo Foliar Bioplus. Luiz Antonio Augusto Gomes 1 ; Renata Rodrigues Silva 1 ; João Aguilar Massaroto 1. 1 Universidade Federal de Lavras

Leia mais

Produtividade agronômica de genótipos de amendoim Virginia cultivados com diferentes espaçamentos entre

Produtividade agronômica de genótipos de amendoim Virginia cultivados com diferentes espaçamentos entre Produtividade agronômica de genótipos de amendoim Virginia cultivados com diferentes espaçamentos entre Agronomic productivity from cultivars of peanut crop Virgínia type submitted with different spacing

Leia mais

Características de rendimento em híbridos de milho doce em função do espaçamento e da densidade populacional.

Características de rendimento em híbridos de milho doce em função do espaçamento e da densidade populacional. Características de rendimento em híbridos de milho doce em função do espaçamento e da densidade populacional. Vitor Hugo B. Barbieri 1 ; José Magno Q. Luz 1 ; Cesio H. de Brito 2 ; Monalisa A. D. da Silva

Leia mais

CONTROLE DE TOMBAMENTO DE PLÂNTULAS E MELA DO ALGODOEIRO NO OESTE DA BAHIA

CONTROLE DE TOMBAMENTO DE PLÂNTULAS E MELA DO ALGODOEIRO NO OESTE DA BAHIA Página 354 CONTROLE DE TOMBAMENTO DE PLÂNTULAS E MELA DO ALGODOEIRO NO OESTE DA BAHIA Luiz Gonzaga Chitarra 1 ; Cleiton Antônio da Silva Barbosa 2; Benedito de Oliveira Santana Filho 2 ; Pedro Brugnera

Leia mais

Produtividade e rentabilidade da cebola em função do tipo de muda e de cultivares

Produtividade e rentabilidade da cebola em função do tipo de muda e de cultivares Produtividade e rentabilidade da cebola em função do tipo de muda e de cultivares Jean Ricardo Olinik; Marie Yamamoto Reghin UEPG, Depto de Fitotecnia e Fitossanidade Av. Carlos Cavalcanti 4748 Ponta Grossa

Leia mais

Comportamento de genótipos de cebola no Submédio do vale São Francisco.

Comportamento de genótipos de cebola no Submédio do vale São Francisco. Comportamento de genótipos de cebola no Submédio do vale São Francisco. Jean de Oliveira Souza¹; Leilson Costa Grangeiro¹; Gilmara Mabel Santos 2 ; Nivaldo Duarte Costa 2 ; Carlos Antonio Fernandes Santos

Leia mais

Análise de crescimento em cenoura, cv. Brasília, cultivada na primavera, em Jaboticabal-SP.

Análise de crescimento em cenoura, cv. Brasília, cultivada na primavera, em Jaboticabal-SP. Análise de crescimento em cenoura, cv. Brasília, cultivada na primavera, em Jaboticabal-SP. Talita Fazzari França 1 ; Fabiana Camargo dos Reis 2 ; Arthur Bernardes Cecílio Filho 3 1 Aluna do curso de Agronomia,

Leia mais

AVALIAÇÃO PRODUTIVA DE LINHAGENS DE FEIJÃO-VAGEM EM CULTURA TUTORADA EM IPAMERI. Bolsista PBIC/UEG, graduanda do curso de Agronomia, UnU Ipameri-UEG.

AVALIAÇÃO PRODUTIVA DE LINHAGENS DE FEIJÃO-VAGEM EM CULTURA TUTORADA EM IPAMERI. Bolsista PBIC/UEG, graduanda do curso de Agronomia, UnU Ipameri-UEG. AVALIAÇÃO PRODUTIVA DE LINHAGENS DE FEIJÃO-VAGEM EM CULTURA TUTORADA EM IPAMERI FERNANDA DE CÁSSIA SILVA 1, NEI PEIXOTO 2, MARIA MARTA ANTÔNIA DA SILVA 3, DIANA CRISTINA DA SILVA 3. 1 Bolsista PBIC/UEG,

Leia mais

Desenvolvimento de raízes de rabanete sob diferentes coberturas do solo

Desenvolvimento de raízes de rabanete sob diferentes coberturas do solo 1 Desenvolvimento de raízes de rabanete sob diferentes coberturas do solo ANDREANI JUNIOR,R & BERTI, M. A. UNICASTELO-Fernandópolis-SP-Cx postal 221. kozusny@acif.com.br RESUMO A produção de hortaliças,

Leia mais

ESTUDO MICROMETEOROLÓGICO COM CENOURAS (VAR. NANTES) II _ INFLUÊNCIA DA TEMPERATURA DO SOLO ( 1 )

ESTUDO MICROMETEOROLÓGICO COM CENOURAS (VAR. NANTES) II _ INFLUÊNCIA DA TEMPERATURA DO SOLO ( 1 ) ESTUDO MICROMETEOROLÓGICO COM CENOURAS (VAR. NANTES) II _ INFLUÊNCIA DA TEMPERATURA DO SOLO ( 1 ) O. BRUNINI ( 2 ), Seção de Climatologia Agrícola, Instituto Agronômico, JESUS MARDEN DOS SANTOS, Faculdade

Leia mais

Anais do Congresso de Pesquisa, Ensino e Extensão- CONPEEX (2010)

Anais do Congresso de Pesquisa, Ensino e Extensão- CONPEEX (2010) Anais do Congresso de Pesquisa, Ensino e Extensão- CONPEEX (2010) 5771-5775 AVALIAÇÃO DE GENÓTIPOS DE ARROZ IRRIGADO NO USO DE NITROGÊNIO CARVALHO, Glaucilene Duarte 1 ; DE CAMPOS, Alfredo Borges 2 & FAGERIA,

Leia mais

ATRIBUTOS QUÍMICOS DO SOLO E RENDIMENTO DE GRÃOS DE MILHO SOB DO CULTIVO CONSORCIADO COM ADUBOS VERDES. Reges HEINRICHS. Godofredo César VITTI

ATRIBUTOS QUÍMICOS DO SOLO E RENDIMENTO DE GRÃOS DE MILHO SOB DO CULTIVO CONSORCIADO COM ADUBOS VERDES. Reges HEINRICHS. Godofredo César VITTI REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE AGRONOMIA ISSN 1677-0293 PERIODICIDADE SEMESTRAL ANO III EDIÇÃO NÚMERO 5 JUNHO DE 2004 -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

AVALIAÇÃO DO FEIJOEIRO SOB TRÊS DENSIDADES DE SEMEADURA

AVALIAÇÃO DO FEIJOEIRO SOB TRÊS DENSIDADES DE SEMEADURA AVALIAÇÃO DO FEIJOEIRO SOB TRÊS DENSIDADES DE SEMEADURA Mariéle Carolina EBERTZ 1 ; Gilmar Silvério da ROCHA 2 1 Aluna do Curso Técnico em Agropecuária, Instituto Federal Catarinense, Campus Rio do Sul,

Leia mais

Avaliação de Cultivares de Sorgo Sacarino em Ecossistema de Cerrado no Estado de Roraima

Avaliação de Cultivares de Sorgo Sacarino em Ecossistema de Cerrado no Estado de Roraima XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Avaliação de Cultivares de Sorgo Sacarino em Ecossistema de Cerrado no Estado de Roraima 1 Everton Diel Souza, 2

Leia mais

Efeito do peso do bulbilho-semente no rendimento de bulbos em cultivares de alho

Efeito do peso do bulbilho-semente no rendimento de bulbos em cultivares de alho Efeito do peso do bulbilho-semente no rendimento de bulbos em cultivares de alho Marie Yamamoto Reghin; Rosana Fernandes Otto; Rafael Pagano de Oliveira; Jean Ricardo Olinik; Carlos Felipe Stülp Jacoby.

Leia mais

EFEITO DE ADUBAÇÃO NITROGENADA EM MILHO SAFRINHA CULTIVADO EM ESPAÇAMENTO REDUZIDO, EM DOURADOS, MS

EFEITO DE ADUBAÇÃO NITROGENADA EM MILHO SAFRINHA CULTIVADO EM ESPAÇAMENTO REDUZIDO, EM DOURADOS, MS EFEITO DE ADUBAÇÃO NITROGENADA EM MILHO SAFRINHA CULTIVADO EM ESPAÇAMENTO REDUZIDO, EM DOURADOS, MS Carlos Hissao Kurihara (1), Bruno Patrício Tsujigushi (2) Introdução A adubação da cultura do milho safrinha

Leia mais

Herdabilidade de caracteres de raiz utilizando-se diferentes grupos varietais de cenoura cultivados durante a primavera no Brasil Central

Herdabilidade de caracteres de raiz utilizando-se diferentes grupos varietais de cenoura cultivados durante a primavera no Brasil Central Herdabilidade de caracteres de raiz utilizando-se diferentes grupos varietais de cenoura cultivados durante a primavera no Brasil Central Jairo Vidal Vieira 1 ; Giovani Olegário da Silva 1 ; Leonardo S.

Leia mais

Desempenho agronômico de cultivares comerciais de coentro em cultivo solteiro sob condições de temperatura elevada.

Desempenho agronômico de cultivares comerciais de coentro em cultivo solteiro sob condições de temperatura elevada. Desempenho agronômico de cultivares comerciais de coentro em cultivo solteiro sob condições de temperatura elevada. Francisco Bezerra Neto 1 ; Aurélio Paes Barros Júnior 1 ; Maria Zuleide de Negreiros

Leia mais

Desempenho Operacional de Máquinas Agrícolas na Implantação da Cultura do Sorgo Forrageiro

Desempenho Operacional de Máquinas Agrícolas na Implantação da Cultura do Sorgo Forrageiro Desempenho Operacional de Máquinas Agrícolas na Implantação da Cultura do Sorgo Forrageiro Flávia M. Nascimento 1, José G. L. Rodrigues 2, Carlos A. Gamero 3, Jairo C. Fernandes 4, Sílvio J. Bicudo 5 1,2,4

Leia mais

Determinação de matérias estranhas, impurezas e fragmentos em milho

Determinação de matérias estranhas, impurezas e fragmentos em milho Determinação de matérias estranhas, impurezas e fragmentos em milho Larissa Fatarelli Bento 1, Maria Aparecida Braga Caneppele 2, Dayse Félix do Nascimento 3, Aline Lehmkuhl 1, Carlos Caneppele 2 64 1

Leia mais

16 EFEITO DA APLICAÇÃO DO FERTILIZANTE FARTURE

16 EFEITO DA APLICAÇÃO DO FERTILIZANTE FARTURE 16 EFEITO DA APLICAÇÃO DO FERTILIZANTE FARTURE EM RELAÇÃO AO FORMULADO PADRÃO O objetivo deste trabalho foi avaliar o desempenho do fertilizante Farture (00-12-12) em diferentes dosagens em relação ao

Leia mais

TEMPO DE COZIMENTO DE RAÍZES DE GENÓTIPOS DE MANDIOCA DE MESA (Manihot esculenta Crantz) SOB SISTEMA IRRIGADO E DE SEQUEIRO)

TEMPO DE COZIMENTO DE RAÍZES DE GENÓTIPOS DE MANDIOCA DE MESA (Manihot esculenta Crantz) SOB SISTEMA IRRIGADO E DE SEQUEIRO) TEMPO DE COZIMENTO DE RAÍZES DE GENÓTIPOS DE MANDIOCA DE MESA (Manihot esculenta Crantz) SOB SISTEMA IRRIGADO E DE SEQUEIRO) Rosangela Nascimento da Silva Ribeiro 1 ; Maurício Antônio Coelho Filho 2 ;

Leia mais

Influência do sombreamento sobre o desenvolvimento de três espécies de gramíneas forrageiras tropicais no inverno

Influência do sombreamento sobre o desenvolvimento de três espécies de gramíneas forrageiras tropicais no inverno Influência do sombreamento sobre o desenvolvimento de três espécies de gramíneas forrageiras tropicais no inverno Elaine de L. B. B. de Oliveira a *, Francisco E. Torres b e Michele C Silva c. a CEPA-

Leia mais

QUALIDADE DA FIBRA EM FUNÇÃO DE DIFERENTES FORMAS DE PLANTIO DA SEMENTE DE ALGODÃO LINTADA, DESLINTADA E DESLINTADA E TRATADA *

QUALIDADE DA FIBRA EM FUNÇÃO DE DIFERENTES FORMAS DE PLANTIO DA SEMENTE DE ALGODÃO LINTADA, DESLINTADA E DESLINTADA E TRATADA * QUALIDADE DA FIBRA EM FUNÇÃO DE DIFERENTES FORMAS DE PLANTIO DA SEMENTE DE ALGODÃO LINTADA, DESLINTADA E DESLINTADA E TRATADA * Tarcísio Marcos de Souza Gondim 1, Odilon Reny Ribeiro Ferreira da Silva

Leia mais

Tipos de Bandejas e Número de Sementes por Célula Sobre o Desenvolvimento e Produtividade de Rúcula.

Tipos de Bandejas e Número de Sementes por Célula Sobre o Desenvolvimento e Produtividade de Rúcula. Tipos de Bandejas e Número de Sementes por Célula Sobre o Desenvolvimento e Produtividade de Rúcula. Luis Felipe V. Purquerio 1, Ary Gertes Carneiro Jr. 1, Rumy Goto 1. 1 UNESP-FCA, Depto. Produção Vegetal/Horticultura,

Leia mais

Produtividade de Coentro (Coriandrum sativum L.) em Função de Doses e Parcelamento de Nitrogênio.

Produtividade de Coentro (Coriandrum sativum L.) em Função de Doses e Parcelamento de Nitrogênio. Produtividade de Coentro (Coriandrum sativum L.) em Função de Doses e Parcelamento de Nitrogênio. Francisco Nóbrega dos Santos 1 Adriana Rodrigues de Carvalho 1 ; José Ribamar Gusmão Araújo 1 ; Moisés

Leia mais

INFLUÊNCIA DA COBERTURA MORTA NA PRODUÇÃO DA ALFACE VERÔNICA RESUMO

INFLUÊNCIA DA COBERTURA MORTA NA PRODUÇÃO DA ALFACE VERÔNICA RESUMO INFLUÊNCIA DA COBERTURA MORTA NA PRODUÇÃO DA ALFACE VERÔNICA Cyntia S. dos SANTOS 1 ; Cláudio A. dos PASSOS 2 ; Anivaldo B. M. FREITAS 3 ; Darlan P. de AZEVEDO 4 ; Felipe LONARDONI 5 ; Marcell T. M. da

Leia mais

Respostas produtivas do alho em função da densidade de plantas e do tamanho de bulbilhos-semente.

Respostas produtivas do alho em função da densidade de plantas e do tamanho de bulbilhos-semente. Respostas produtivas do alho em função da densidade de plantas e do tamanho de bulbilhos-semente. Marie Yamamoto Reghin; Maristella Dalla Pria; Rosana Fernandes Otto; Jhony van der Vinne; Fernando uss

Leia mais

Efeito da Densidade de Plantas nas Características Biométricas e na Produtividade de Grãos de Milho no Sul de Minas Gerais

Efeito da Densidade de Plantas nas Características Biométricas e na Produtividade de Grãos de Milho no Sul de Minas Gerais XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Efeito da Densidade de Plantas nas Características Biométricas e na Produtividade de Grãos de Milho no Sul de Minas

Leia mais

Avaliação de Diferentes Espaçamentos na Produtividade de Três Cultivares de Cebola.

Avaliação de Diferentes Espaçamentos na Produtividade de Três Cultivares de Cebola. Avaliação de Diferentes Espaçamentos na Produtividade de Três Cultivares de Cebola. Mário C. Lopes 1 ; Marcio P. Czepak; Luchele F. Sirtoli 1. 1 UNIOESTE- Campus de Marechal Cândido Rondon - Centro de

Leia mais

Avaliação Preliminar de Híbridos Triplos de Milho Visando Consumo Verde.

Avaliação Preliminar de Híbridos Triplos de Milho Visando Consumo Verde. Avaliação Preliminar de Híbridos Triplos de Milho Visando Consumo Verde. XXIV Congresso Nacional de Milho e Sorgo - 01 a 05 de setembro de 2002 - Florianópolis - SC Monteiro, M. A. R1., Pereira Filho,

Leia mais

PRODUÇÃO DE MASSA SECA DA PARTE AÉREA E DE RAÍZES DA SOJA ADUBADA COM DEJETOS LÍQUIDOS DE SUÍNOS

PRODUÇÃO DE MASSA SECA DA PARTE AÉREA E DE RAÍZES DA SOJA ADUBADA COM DEJETOS LÍQUIDOS DE SUÍNOS PRODUÇÃO DE MASSA SECA DA PARTE AÉREA E DE RAÍZES DA SOJA ADUBADA COM DEJETOS LÍQUIDOS DE SUÍNOS Santos, C.J.L. 1 ; Menezes, J.F.S. 2* ; Gonçalves Júnior. D. 3 ; Gonçalves, M.E.M.P. 3 ; Silva, T.R. 3 1

Leia mais

Densidade de brotos e de cachos em cultivares de uvas sem sementes no Submédio do Vale do São Francisco

Densidade de brotos e de cachos em cultivares de uvas sem sementes no Submédio do Vale do São Francisco 171 Densidade de brotos e de cachos em cultivares de uvas sem sementes... Densidade de brotos e de cachos em cultivares de uvas sem sementes no Submédio do Vale do São Francisco Density of shoots and bunches

Leia mais

Hortic. bras., v. 30, n. 2, (Suplemento - CD Rom), julho 2012 S 4136

Hortic. bras., v. 30, n. 2, (Suplemento - CD Rom), julho 2012 S 4136 Avaliação de características produtivas de variedades crioulas de abóbora em diferentes espaçamentos Semíramis R. R. Ramos 1 ; Neusa Rosani S. Lima 1 ; Ana Beatriz C. Czermainski 2 ; Aline C. dos Santos

Leia mais

PP = 788,5 mm. Aplicação em R3 Aplicação em R5.1. Aplicação em Vn

PP = 788,5 mm. Aplicação em R3 Aplicação em R5.1. Aplicação em Vn Fabiano Andrei Bender da Cruz. Pesquisador/Consultor Fundação Bahia, Eng o. Agr o. Dr. CREA 40620232/MG. Aline Fabris. Estagiária, Acadêmica do Curso de Agronomia, convênio FAAHF/Fundação Bahia. Edimilson

Leia mais

Avaliação de Plantas de Cobertura na Formação de Palhada no Plantio Direto de Cebola.

Avaliação de Plantas de Cobertura na Formação de Palhada no Plantio Direto de Cebola. Avaliação de Plantas de Cobertura na Formação de Palhada no Plantio Direto de Cebola. Nuno R. Madeira 1 ; Valter R.Oliveira 1 1 Embrapa Hortaliças, C.P. 218, 70359-970, Brasília, DF. Tel: (61) 385-9000

Leia mais

Características Produtivas e Conservação Pós-Colheita da Cebola ( Allium cepa

Características Produtivas e Conservação Pós-Colheita da Cebola ( Allium cepa Características Produtivas e Conservação Pós-Colheita da Cebola (Allium cepa L.) cv. Texas Grano PRR em Diferentes Espaçamentos de Plantio em Cultivo de Inverno. Geraldo M. de Resende 1 ; Nivaldo D. Costa

Leia mais

FINEZA E COMPRIMENTO DE FIBRA DE DEZ VARIEDADES DE RAMI ( 1 )

FINEZA E COMPRIMENTO DE FIBRA DE DEZ VARIEDADES DE RAMI ( 1 ) FINEZA E COMPRIMENTO DE FIBRA DE DEZ VARIEDADES DE RAMI ( 1 ) GUILHERME AUGUSTO DE PAIVA CASTRO ( 2 ), Seção de Plantas Fibrosas, Agronômico Instituto SINOPSE Estudaram-se a fineza e o comprimento de fibra

Leia mais

RENDIMENTO DE SUCO E TEOR DE SÓLIDOS SOLÚVEIS TOTAIS EM GENÓTIPOS DE MARACUJAZEIRO AMARELO

RENDIMENTO DE SUCO E TEOR DE SÓLIDOS SOLÚVEIS TOTAIS EM GENÓTIPOS DE MARACUJAZEIRO AMARELO RENDIMENTO DE SUCO E TEOR DE SÓLIDOS SOLÚVEIS TOTAIS EM GENÓTIPOS DE MARACUJAZEIRO AMARELO Orlando Maciel Rodrigues Junior 1 ; Walnice Maria Oliveira do Nascimento 2, Olivia Domingues Ribeiro 1, Juliana

Leia mais

VIABILIDADE DO TRIGO CULTIVADO NO VERÃO DO BRASIL CENTRAL

VIABILIDADE DO TRIGO CULTIVADO NO VERÃO DO BRASIL CENTRAL VIABILIDADE DO TRIGO CULTIVADO NO VERÃO DO BRASIL CENTRAL Auri Fernando de Moraes 1, Alexandre Pereira Bonfá 1, Walter Quadros Ribeiro Júnior 2, Maria Lucrécia Gerosa Ramos 3, Júlio César Albrecht 2, Renato

Leia mais

431 - AVALIAÇÃO DE VARIEDADES DE MILHO EM DIFERENTES DENSIDADES DE PLANTIO EM SISTEMA ORGÂNICO DE PRODUÇÃO

431 - AVALIAÇÃO DE VARIEDADES DE MILHO EM DIFERENTES DENSIDADES DE PLANTIO EM SISTEMA ORGÂNICO DE PRODUÇÃO Manejo de Agroecosistemas Sustentaveis Monferrer 431 - AVALIAÇÃO DE VARIEDADES DE MILHO EM DIFERENTES DENSIDADES DE PLANTIO EM SISTEMA ORGÂNICO DE PRODUÇÃO José C. Cruz 1 ; Israel A. Pereira Filho 1 ;

Leia mais

ÉPOCAS DE SEMEADURA DE MILHO SAFRINHA SOLTEIRO E CONSORCIADO COM Brachiaria ruziziensis

ÉPOCAS DE SEMEADURA DE MILHO SAFRINHA SOLTEIRO E CONSORCIADO COM Brachiaria ruziziensis ÉPOCAS DE SEMEADURA DE MILHO SAFRINHA SOLTEIRO E CONSORCIADO COM Brachiaria ruziziensis Gessí Ceccon (1), Adriano dos Santos (2), Priscila Akemi Makino (2), Neriane de Souza Padilha (2), Leonardo Fernandes

Leia mais

Fundação de Apoio e Pesquisa e Desenvolvimento Integrado Rio Verde

Fundação de Apoio e Pesquisa e Desenvolvimento Integrado Rio Verde PARCERIIA FUNDAÇÃO RIIO VERDE - SN CENTRO Lucas do Rio, Outubro de 2007 PLANO DE PARCERIA FUNDAÇÃO RIIO VERDE - SN CENTRO TECNOLOGIAS DE NUTRIÇÃO DE SISTEMAS PRODUTIVOS LINHA DE PESQUISA: Avaliação de

Leia mais

COMPETIÇÃO DE GENÓTIPOS DE MAMONEIRA NO PERÍODO OUTONO-INVERNO EM ITAOCARA, RJ*

COMPETIÇÃO DE GENÓTIPOS DE MAMONEIRA NO PERÍODO OUTONO-INVERNO EM ITAOCARA, RJ* COMPETIÇÃO DE GENÓTIPOS DE MAMONEIRA NO PERÍODO OUTONO-INVERNO EM ITAOCARA, RJ* Guilherme Eugênio Machado Lopes 1 ; Luiz Antônio Antunes de Oliveira 1 ; Aldo Shimoya 2 ; Wander Eustáquio de Bastos Andrade

Leia mais

DESEMPENHO DE HÍBRIDOS DE BRÓCOLIS DE CABEÇA ÚNICA EM FUNÇÃO DE DENSIDADE E ARRANJO ESPACIAL

DESEMPENHO DE HÍBRIDOS DE BRÓCOLIS DE CABEÇA ÚNICA EM FUNÇÃO DE DENSIDADE E ARRANJO ESPACIAL 199 DESEMPENHO DE HÍBRIDOS DE BRÓCOLIS DE CABEÇA ÚNICA EM FUNÇÃO DE DENSIDADE E ARRANJO ESPACIAL ARRUDA JUNIOR, Gilson 1 VARGAS, Pablo Forlan 2 FERRARI, Samuel 2 PAVARINI, Ronaldo 2 Recebido em: 2014.10.17

Leia mais

Avaliação de Híbridos de Milho do Programa de Melhoramento Genético do DBI/UFLA

Avaliação de Híbridos de Milho do Programa de Melhoramento Genético do DBI/UFLA XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Avaliação de Híbridos de Milho do Programa de Melhoramento Genético do DBI/UFLA Renato Barbosa Camargos 1, Amanda

Leia mais

PRODUTIVIDADE DE MILHO SAFRINHA, SOLTEIRO E CONSORCIADO COM Brachiaria ruziziensis em DOURADOS, MS 1.INTRODUÇÃO

PRODUTIVIDADE DE MILHO SAFRINHA, SOLTEIRO E CONSORCIADO COM Brachiaria ruziziensis em DOURADOS, MS 1.INTRODUÇÃO PRODUTIVIDADE DE MILHO SAFRINHA, SOLTEIRO E CONSORCIADO COM Brachiaria ruziziensis em DOURADOS, MS Islaine Caren Fonseca (1), Gessí Ceccon (2), Valdecir Batista Alves (3), Neriane de Souza Padilha (4)

Leia mais

EFICIÊNCIA DE INSETICIDAS, EM TRATAMENTO DE SEMENTES, NO CONTROLE DO PULGÃO Aphis gossypii (HOMOPTERA: APHIDIDAE) NA CULTURA DO ALGODOEIRO

EFICIÊNCIA DE INSETICIDAS, EM TRATAMENTO DE SEMENTES, NO CONTROLE DO PULGÃO Aphis gossypii (HOMOPTERA: APHIDIDAE) NA CULTURA DO ALGODOEIRO EFICIÊNCIA DE INSETICIDAS, EM TRATAMENTO DE SEMENTES, NO CONTROLE DO PULGÃO Aphis gossypii (HOMOPTERA: APHIDIDAE) NA CULTURA DO ALGODOEIRO Crébio José Ávila (Embrapa Agropecuária Oeste / crebio@cpao.embrapa.br),

Leia mais

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLOGICA DAS SEMENTES NA PRODUTIVIDADE DA CULTURA DA SOJA. Material e Métodos. Sementes (Brasil, 2009.

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLOGICA DAS SEMENTES NA PRODUTIVIDADE DA CULTURA DA SOJA. Material e Métodos. Sementes (Brasil, 2009. 1 02 AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLOGICA DAS SEMENTES NA PRODUTIVIDADE DA CULTURA Objetivo Este trabalho teve como objetivo avaliar o efeito do vigor de sementes de soja na produtividade BOLETIM Material

Leia mais

Avaliaç ão de espaç amentos de cenoura para os híbridos AF845 e AF750

Avaliaç ão de espaç amentos de cenoura para os híbridos AF845 e AF750 Avaliaç ão de espaç amentos de cenoura para os híbridos AF845 e AF750 Walter Fernando Bernardi 1*, Joelson André de Freitas 2, Vagner Aparecido Ramos da Silva 2 e Augusto Tulmann Neto 3 1 Escola Superior

Leia mais

Desempenho de cultivares e populações de cenoura em cultivo orgânico no Distrito Federal.

Desempenho de cultivares e populações de cenoura em cultivo orgânico no Distrito Federal. Desempenho de cultivares e populações de cenoura em cultivo orgânico no Distrito Federal. Flávia M. V. Teixeira Clemente, Francisco V. Resende, Jairo V. Vieira Embrapa Hortaliças, C. Postal 218, 70.359-970,

Leia mais

Produção de híbridos comerciais de tomateiro do grupo cereja cultivados no sistema hidropônico e conduzidos com diferentes números de hastes

Produção de híbridos comerciais de tomateiro do grupo cereja cultivados no sistema hidropônico e conduzidos com diferentes números de hastes Produção de híbridos comerciais de tomateiro do grupo cereja cultivados no sistema hidropônico e conduzidos com diferentes números de hastes Guilherme Brunhara Postali 1 ; Ernani Clarete da Silva 1 ; Gabriel

Leia mais

INFLUÊNCIA DE BORDADURA NAS LATERAIS E NAS EXTREMIDADES DE FILEIRAS DE MILHO NA PRECISÃO EXPERIMENTAL 1

INFLUÊNCIA DE BORDADURA NAS LATERAIS E NAS EXTREMIDADES DE FILEIRAS DE MILHO NA PRECISÃO EXPERIMENTAL 1 INFLUÊNCIA DE BORDADURA NAS LATERAIS E NAS EXTREMIDADES DE FILEIRAS DE MILHO NA PRECISÃO EXPERIMENTAL 1 CASAROTTO, Gabriele 2 ; CARGNELUTTI FILHO, Alberto 3 ; BURIN, Cláudia 4 ; TOEBE, Marcos 5 ; SILVEIRA,

Leia mais

Produção de Batata-Semente em Sistema de Canteiros.

Produção de Batata-Semente em Sistema de Canteiros. Produção de Batata-Semente em Sistema de Canteiros. Ricardo Monteiro Corrêa 1 ; José Eduardo Brasil Pereira Pinto 1 ; Érika Soares Reis 1, Aline Beraldo Monteiro 1 ; Jorge Henrique Chagas 1 ; Hellen Cristina

Leia mais

TEOR DE ÓLEO E RENDIMENTO DE MAMONA BRS NORDESTINA EM SISTEMA DE OTIMIZAÇÃO DA PRODUÇÃO

TEOR DE ÓLEO E RENDIMENTO DE MAMONA BRS NORDESTINA EM SISTEMA DE OTIMIZAÇÃO DA PRODUÇÃO TEOR DE ÓLEO E RENDIMENTO DE MAMONA BRS NORDESTINA EM SISTEMA DE OTIMIZAÇÃO DA PRODUÇÃO Tarcísio Marcos de Souza Gondim 1, Rosa Maria Mendes Freire 1, Catarina Chagas de Andrade 2, Liv Soares Serveino

Leia mais

Gessi Ceccon, Giovani Rossi, Marianne Sales Abrão, (3) (4) Rodrigo Neuhaus e Oscar Pereira Colman

Gessi Ceccon, Giovani Rossi, Marianne Sales Abrão, (3) (4) Rodrigo Neuhaus e Oscar Pereira Colman 9º Seminário Nacional de Milho Safrinha. Rumo à estabilidade: anais. 311 COMPORTAMENTO DE GENÓTIPOS DE MILHO SAFRINHA EM DUAS ÉPOCAS DE SEMEADURA, EM DOURADOS, MS (1) (2) (3) Gessi Ceccon, Giovani Rossi,

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO 2015/16

BOLETIM TÉCNICO 2015/16 1 04 EFEITO DE DIFERENTES POPULAÇÕES DE PLANTA SOJA Objetivo Avaliar a produtividade e atributos agronômicos de três cultivares de soja com hábitos de crescimento distintos em dois espaçamentos entre linhas

Leia mais

EFEITO DE SEVERIDADE E DANO CAUSADO PELO MÍLDIO DA CEBOLA

EFEITO DE SEVERIDADE E DANO CAUSADO PELO MÍLDIO DA CEBOLA EFEITO DE SEVERIDADE E DANO CAUSADO PELO MÍLDIO DA CEBOLA Jaqueline CARVALHO 1, Leandro L. MARCUZZO 2 1 Bolsista PIBITI/CNPq; 2 Orientador IFC-Campus Rio do Sul). Introdução A cebola (Allium cepa L.) é

Leia mais

AVALIAÇÃO DE GENÓTIPOS PARA PRODUÇÃO DE SOJA VERDE OU TIPO HORTALIÇA

AVALIAÇÃO DE GENÓTIPOS PARA PRODUÇÃO DE SOJA VERDE OU TIPO HORTALIÇA AVALIAÇÃO DE GENÓTIPOS PARA PRODUÇÃO DE SOJA VERDE OU TIPO HORTALIÇA Rafael Santos Finholdt (1), Roberto Kazuhiko Zito (2), Maria Eugenia Lisei de Sá (3) (1) Bolsista PIBIC FAPEMIG/EPAMIG, rafaelfinholdt@yahoo.com.br;

Leia mais

Rendimento econômico do consórcio de repolho com cebolinha em sistema orgânico

Rendimento econômico do consórcio de repolho com cebolinha em sistema orgânico Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, 9., 2012, Belo Horizonte Rendimento econômico do consórcio de repolho com cebolinha em sistema orgânico Otieres Cirino de Carvalho (1), Izabel Cristina

Leia mais

Resposta das bananeiras BRS Platina e PA 9401 à irrigação no segundo ciclo nas condições do Norte de Minas

Resposta das bananeiras BRS Platina e PA 9401 à irrigação no segundo ciclo nas condições do Norte de Minas Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, 10., 2013. Belo Horizonte Resposta das bananeiras BRS Platina e PA 9401 à irrigação no segundo ciclo nas condições do Norte de Minas Miquéias Gomes dos

Leia mais

Termos para indexação: Chenopodium quinoa, quinoa Introdução

Termos para indexação: Chenopodium quinoa, quinoa Introdução EFEITO DA VARIAÇÃO POPULACIONAL NOS COMPONENTES DE RENDIMENTO DE QUINOA Juliana Evangelista da Silva Rocha 1, Carlos Roberto Spehar 1 ( 1 Universidade de Brasília, Campus Universitário Darcy Ribeiro, 70910-900

Leia mais

Crescimento e produtividade de cenoura em função de doses de nitrogênio e épocas de plantio.

Crescimento e produtividade de cenoura em função de doses de nitrogênio e épocas de plantio. 1 Crescimento e produtividade de cenoura em função de doses de nitrogênio e épocas de plantio. Leilson Costa Grangeiro (1) ; Daniela Marques de Oliveira (2) ; Valdivia de Fátima Lima de Sousa (3) ; Antônia

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE MUDAS DE TOMATE EM SUBSTRATO CONTENDO TORTA DE MAMONA

DESENVOLVIMENTO DE MUDAS DE TOMATE EM SUBSTRATO CONTENDO TORTA DE MAMONA DESENVOLVIMENTO DE MUDAS DE TOMATE EM SUBSTRATO CONTENDO TORTA DE MAMONA Rafael Garcia Gouzalez 1 Luiz Antônio Augusto Gomes 2 Antônio Carlos Fraga 3 Pedro Castro Neto 4 RESUMO Com o objetivo de avaliar

Leia mais

ESPAÇAMENTO ENTRE LINHAS E DENSIDADES DE SEMEADURA DE MILHO EM CONDIÇÕES DE SAFRINHA

ESPAÇAMENTO ENTRE LINHAS E DENSIDADES DE SEMEADURA DE MILHO EM CONDIÇÕES DE SAFRINHA ESPAÇAMENTO ENTRE LINHAS E DENSIDADES DE SEMEADURA DE MILHO EM CONDIÇÕES DE SAFRINHA Miguel Marques Gontijo Neto¹, Álisson Vanin², Alexandre Ferreira da Silva¹, Eduardo de Paula Simão³ Emerson Borghi¹,

Leia mais

Avaliação da densidade de plantio sobre a produção e diâmetro de rabanete

Avaliação da densidade de plantio sobre a produção e diâmetro de rabanete Avaliação da densidade de plantio sobre a produção e diâmetro de rabanete Carlos Alberto Souza Torres 1 ; Tiyoko Nair Hojo Rebouças 2 ; Lázaro Gonçalves Siqueira 1 ; José Carlson Gusmão da Silva 1 ; Carlos

Leia mais

11 EFEITO DA APLICAÇÃO DE FONTES DE POTÁSSIO NO

11 EFEITO DA APLICAÇÃO DE FONTES DE POTÁSSIO NO 11 EFEITO DA APLICAÇÃO DE FONTES DE POTÁSSIO NO ESTÁDIO R3 DA SOJA EM LUCAS DO RIO VERDE, MT O objetivo neste trabalho foi avaliar o efeito da aplicação de diferentes fontes de potássio aplicados no estádio

Leia mais

GIRASSOL EM SAFRINHA NO CERRADO DO DISTRITO FEDERAL: DESEMPENHO DE GENÓTIPOS EM

GIRASSOL EM SAFRINHA NO CERRADO DO DISTRITO FEDERAL: DESEMPENHO DE GENÓTIPOS EM GIRASSOL EM SAFRINHA NO CERRADO DO DISTRITO FEDERAL: DESEMPENHO DE GENÓTIPOS EM 2006 Vitor Carlos Pereira 1, Renato Fernando Amabile 2, Cláudio Guilherme Portela de Carvalho 3, Fernanda de Sousa Barbosa

Leia mais

05 AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DOS PRINCIPAIS

05 AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DOS PRINCIPAIS 05 AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DOS PRINCIPAIS FUNGICIDAS PARA O CONTROLE DE DOENÇAS NA CULTURA DA SOJA EM DUAS EPOCAS DE SEMEADURA OBJETIVO Este trabalho tem como objetivo avaliar a eficiência dos principais

Leia mais

EFICIÊNCIA AGRONÔMICA E VIABILIDADE TÉCNICA DO PROGRAMA FOLIAR KIMBERLIT EM SOJA

EFICIÊNCIA AGRONÔMICA E VIABILIDADE TÉCNICA DO PROGRAMA FOLIAR KIMBERLIT EM SOJA EFICIÊNCIA AGRONÔMICA E VIABILIDADE TÉCNICA DO PROGRAMA FOLIAR KIMBERLIT EM SOJA BONFADA, Élcio B. 1 ; FIORIN, Jackson E. 2 ; SILVA, Alieze N. da 3 ; WYZYKOWSKI, Tiago 4 Palavras-chave: Nutrição de Plantas.

Leia mais

AGRONOMIC TRAITS OF BRS 201 HERBACEOUS COTTON IN DIFFERENT PLANT ARRANGEMENTS, WITH AND WITHOUT PLANT GROWTH REGULATOR

AGRONOMIC TRAITS OF BRS 201 HERBACEOUS COTTON IN DIFFERENT PLANT ARRANGEMENTS, WITH AND WITHOUT PLANT GROWTH REGULATOR CARACTERÍSTICAS AGRONÔMICAS DA CULTIVAR DE ALGODÃO HERBÁCEO BRS 201 EM DIFERENTES ARRANJOS DE PLANTAS, COM E SEM REGULADOR DE CRESCIMENTO, NO AGRESTE DE ALAGOAS (*) Dacio Rocha Brito (Funesa / daciobrito@hotmail.com),

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Componentes de Produção de Seis Cultivares de Milho na Região de Pompéia - SP. Elvio Brasil Pinotti 1, Silvio José

Leia mais

Produção do tomateiro em função dos métodos de condução e de tutoramento de plantas.

Produção do tomateiro em função dos métodos de condução e de tutoramento de plantas. Produção do tomateiro em função dos métodos de condução e de tutoramento de plantas. Anderson Fernando Wamser 1 ; Siegfried Mueller 1 ; Walter Ferreira Becker 1 ; Janaína Pereira dos Santos 1. 1 EPAGRI,

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO 2015/16

BOLETIM TÉCNICO 2015/16 1 02 AVALIAÇÃO DE CULTIVAR TECNOLOGIA RR2 (Intacta Objetivo Avaliar diferentes cultivares de soja com tecnologia RR2 (Intacta RR2 PRO) em duas épocas de semeadura em Lucas do Rio Verde MT. BOLETIM TÉCNICO

Leia mais

Comprimento, Diâmetro, Formato e Textura de Raiz de Cenoura Preferido Pelo Consumidor do Município de Jaboticabal (SP).

Comprimento, Diâmetro, Formato e Textura de Raiz de Cenoura Preferido Pelo Consumidor do Município de Jaboticabal (SP). Comprimento, Diâmetro, Formato e Textura de Raiz de Cenoura Preferido Pelo Consumidor do Município de Jaboticabal (SP). Cristina Duda de Oliveira 1 ; Caciana Cavalcanti Costa 1 ; Leila Trevizan Braz 2

Leia mais

8º Congresso Brasileiro de Algodão & I Cotton Expo 2011, São Paulo, SP 2011 Página 1326

8º Congresso Brasileiro de Algodão & I Cotton Expo 2011, São Paulo, SP 2011 Página 1326 Página 1326 CARACTERIZACAO DA ARQUITETURA DE PLANTA EM GENOTIPOS DE ALGODOEIROS PORTADORES DO CARÁTER CLUSTER E NORMAL EM DIFERENTES ESPAÇAMENTOS Joyce Dorneles Moura 1 ; Julio Cesar Viglioni Penna 2 ;

Leia mais

Avaliação de cultivares de alface em túnel baixo de cultivo forçado, na região de Jaboticabal-SP.

Avaliação de cultivares de alface em túnel baixo de cultivo forçado, na região de Jaboticabal-SP. FIGUEIREDO, E.B.de.; MALHEIROS, E.B.; BRAZ, L.T. Avaliação de cultivares de alface em túnel baixo de cultivo forçado, na região de Jaboticabal-SP. Horticultura Brasileira, v. 20, n. 2, julho, 2002. Suplemento

Leia mais

PRODUÇÃO DE RÚCULA NAS ESTAÇÕES DE OUTONO E INVERNO

PRODUÇÃO DE RÚCULA NAS ESTAÇÕES DE OUTONO E INVERNO EFEITO DO ESPAÇAMENTO Efeito do espaçamento E DO NÚMERO e do número de DE mudas... MUDAS POR COVA NA PRODUÇÃO DE RÚCULA NAS ESTAÇÕES DE OUTONO E INVERNO Effect of within row spacing and number of seedlings

Leia mais

Desenvolvimento e Produção de Sementes de Feijão Adzuki em Função da Adubação Química

Desenvolvimento e Produção de Sementes de Feijão Adzuki em Função da Adubação Química Desenvolvimento e Produção de Sementes de Feijão Adzuki em Função da Adubação Química Flívia Fernandes de Jesus 1, Fabrícia C. Adriano 2, Fabrício de C. Peixoto 3, Adilson Pelá 4, Nei Peixoto 5 1. Bolsista

Leia mais

Efeito residual de espécies espontâneas da caatinga no desempenho agronômico do coentro

Efeito residual de espécies espontâneas da caatinga no desempenho agronômico do coentro 10468 - Efeito residual de espécies espontâneas da caatinga no desempenho agronômico do coentro Residual effect of spontaneous species of the savana in agronomic performance of the coriander LINHARES,

Leia mais

EFEITO DE ÉPOCAS DE SEMEADURA SOBRE O DESEMPENHO DE GENÓTIPOS DE CANOLA EM DOURADOS, MS

EFEITO DE ÉPOCAS DE SEMEADURA SOBRE O DESEMPENHO DE GENÓTIPOS DE CANOLA EM DOURADOS, MS EFEITO DE ÉPOCAS DE SEMEADURA SOBRE O DESEMPENHO DE GENÓTIPOS DE CANOLA EM DOURADOS, MS Marcio Akira Ito 1, Cesar José da Silva 1, Denise Nascimento Fabris 2 Gilberto Omar Tomm 3 1 Engenheiro Agrônomo,

Leia mais

Produção de alface americana em função de tipos de bandeja.

Produção de alface americana em função de tipos de bandeja. Produção de alface americana em função de tipos de bandeja. Santino Seabra Jr 1 ; Juliana Gadum; Luis Felipe Villani Purquerio; Luciana Mara GonçalvesTelles ; Norberto da Silva; Rumy Goto 1 UNESP-FCA,

Leia mais

EFEITO DA TEMPERATURA NA DENSIDADE E NO RENDIMENTO GRAVIMÉTRICO DE CARVÃO DE CLONES DE EUCALIPTO

EFEITO DA TEMPERATURA NA DENSIDADE E NO RENDIMENTO GRAVIMÉTRICO DE CARVÃO DE CLONES DE EUCALIPTO 144 EFEITO DA TEMPERATURA NA DENSIDADE E NO RENDIMENTO GRAVIMÉTRICO DE CARVÃO DE CLONES DE EUCALIPTO EFFECTS OF TEMPERATURE ON DENSITY AND GRAVIMETRIC YIELD OF CHARCOAL FROM EUCALIPTS CLONES Resumo Leonardo

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO. Adriano Perin 2 Everaldo Zonta 3 Marcelo Grandi Teixeira 4 José Guilherme Marinho Guerra 4

COMUNICADO TÉCNICO. Adriano Perin 2 Everaldo Zonta 3 Marcelo Grandi Teixeira 4 José Guilherme Marinho Guerra 4 ISSN Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Agrobiologia Ministério da Agricultura e do Abastecimento Caixa Postal 74505 - CEP 23851-970 - Seropédica, RJ Fone (021) 682-1500 Fax (021) 682-1230

Leia mais

Adubação com composto de farelos anaeróbico na produção de tomate orgânico cultivado sobre coberturas vivas de amendoim forrageiro e grama batatais.

Adubação com composto de farelos anaeróbico na produção de tomate orgânico cultivado sobre coberturas vivas de amendoim forrageiro e grama batatais. Adubação com composto de farelos anaeróbico na produção de tomate orgânico cultivado sobre coberturas vivas de amendoim forrageiro e grama batatais. RESUMO O trabalho foi conduzido na Área de Pesquisa

Leia mais

SISTEMAS DE CONSÓRCIO MILHO FEIJÃO PARA A REGIÃO DO VALE DO RIO DOCE, MINAS GERAIS

SISTEMAS DE CONSÓRCIO MILHO FEIJÃO PARA A REGIÃO DO VALE DO RIO DOCE, MINAS GERAIS Sistemas de consórcio COMUNICAÇÃO milho feijão para a região... 663 SISTEMAS DE CONSÓRCIO MILHO FEIJÃO PARA A REGIÃO DO VALE DO RIO DOCE, MINAS GERAIS Intercrop with mayze and bean at Vale do Rio Doce,

Leia mais

Produção e Renda Bruta de Cebolinha e de Almeirão, em Cultivo Solteiro e Consorciado 1.

Produção e Renda Bruta de Cebolinha e de Almeirão, em Cultivo Solteiro e Consorciado 1. Produção e Renda Bruta de Cebolinha e de Almeirão, em Cultivo Solteiro e Consorciado 1. 1 Danielli Josefina Salvador; Néstor A. Heredia Z. 2 ;Maria do Carmo Vieira 2 UFMS-DCA, Caixa Postal 533, 79804-970

Leia mais

Enriquecimento com calcário e tempo de compostagem da fibra de coco verde sobre a produção de mudas de tomateiro.

Enriquecimento com calcário e tempo de compostagem da fibra de coco verde sobre a produção de mudas de tomateiro. Enriquecimento com calcário e tempo de compostagem da fibra de coco verde sobre a produção de mudas de tomateiro. Ronaldo Setti de Liz 1 ; Mariane Carvalho Vidal 2 ; Osmar Alves Carrijo 2 1 Aluno de agronomia,

Leia mais

TEOR E EXTRAÇÃO DE NPK EM DOIS GENÓTIPOS DE MILHO SAFRINHA SOLTEIRO E CONSORCIADO COM BRAQUIÁRIA

TEOR E EXTRAÇÃO DE NPK EM DOIS GENÓTIPOS DE MILHO SAFRINHA SOLTEIRO E CONSORCIADO COM BRAQUIÁRIA TEOR E EXTRAÇÃO DE NPK EM DOIS GENÓTIPOS DE MILHO SAFRINHA SOLTEIRO E CONSORCIADO COM BRAQUIÁRIA Adriano dos Santos (1), Neriane de Souza Padilha (2), Valdecir Batista Alves (3), Gessí Ceccon (4) Introdução

Leia mais