Redes de Computadores - I

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Redes de Computadores - I"

Transcrição

1 Camada de Enlace de Dados p. 1/4 Redes de Computadores - I A Camada de Enlace de Dados Esbel Tomás Valero Orellana Curso de Ciência da Computação - UESC

2 Camada de Enlace de Dados p. 2/4 Introdução Objetivo: Estudar diferentes algoritmos que permitam uma comunicação eficiente e confiável entre dois computadores adjacentes no nível da camada de enlace de dados Adjacentes fisicamente conectadas por um canal que funciona como um fio os bits são entregues na ordem Analissaremos aqui: 1. questões de projeto da camada 2. natureza dos erros, deteção e correção 3. alguns protocolos 4. exemplos de alguns protocolos desta camada

3 Questões de Projeto Camada de Enlace de Dados p. 3/4

4 Camada de Enlace de Dados p. 4/4 Questões de Projeto funções implementadas nesta camada: 1. interface de serviços à camada de rede 2. lidar com erros de transmissão 3. regular o fluxo de dados Recebe pacotes e encapsula em quadros. Serviços oferecidos à camada de rede 1. Serviço sem conexão e sem confirmação 2. Serviço sem conexão com confirmação 3. Serviço orientado a conexões com confirmação

5 Camada de Enlace de Dados p. 5/4 Questões de Projeto Serviço sem conexão e sem confirmação: envia quadros independentes sem esperar confirmação de recebimento. Apropriado para canais com taxa de erros muito baixa ou para trafego em tempo real (dados atrasados causam mais problemas que dados perdidos). Serviço sem conexão com confirmação: cada quadro é confirmado individualmente. Util em canais não confiáveis. (questão de otimização). Serviço orientado a conexões com confirmação: se estabelece uma conexão entre as partes antes de transferir os dados. Os quadros são enumerados e a camada garante que cada quadro será entregue

6 Questões de Projeto Enquadramento Pacote Pacote Cabeçalho Campo de carga util Final Cabeçalho Campo de carga util Final A camada de enlace de dados é responsável por detetar e corregir erros no fluxo de dados resevidos da camada física A divição do fluxo de bits em quadros é uma tarefa complicada. Camada de Enlace de Dados p. 6/4

7 Camada de Enlace de Dados p. 7/4 Questões de Projeto Inserir intervalos de tempo entre os quadros Dada a difuculdade de utilizar o tempo: 1. Contagem de caracteres 2. Bytes de flags, com isnserção de bytes 3. Flags iniciais e finais, com incerção de bits 4. Violação da codificação da camada física

8 Camada de Enlace de Dados p. 8/4 Questões de Projeto Contagem de caracteres: Qantidade de caracteres Quadro 1 Quadro 2 Quadro 3 Quadro Quadro 1 Quadro 2 Quadro 3 Quadro 4 Contagem errada

9 Camada de Enlace de Dados p. 9/4 Questões de Projeto Bytes de flags, com isnserção de bytes:

10 Camada de Enlace de Dados p. 10/4 Questões de Projeto Este esquema, com algumas modificações, é utilizado no protocolo PPP Este esquema está limitado pelo fato de utilizar caracteres de 8 bits o que deixa de forma sistemas de codificação como o UNICODE Se faz necessário um esquema que permita o uso de caracteres de tamanho arbitrário Flags iniciais e finais, com incerção de bits: Cada quadro começa e termina com um padrão de bits:

11 Camada de Enlace de Dados p. 11/4 Questões de Projeto Exemplo A inserção de bits permite delimitar corretamente os quadros Violação da codificação da camada física: utiliza as particularidades da codificação utilizada no meio físico Muitas vezes utiliza-se uma combinação do método de contagem de caracteres com um dos outros métodos

12 Camada de Enlace de Dados p. 12/4 Questões de Projeto Em serviços orientados a conexão confiável como ter certeza de que todos os quadros serão entregues na camada de rede de destino? feedback do receptor sobre o estado no final da linha: Envio de quadros de controle introdução de timers na camada de enlace de dados numeração seqüencial dos quadros Controle de fluxo de dados controle de fluxo baseado em feedback controle de fluxo baseado na velocidade (não utilizado na camada de enlace de dados)

13 Detecção e Correção de Erros Camada de Enlace de Dados p. 13/4

14 Camada de Enlace de Dados p. 14/4 Detecção e Correção de Erros As principais fontes de erros estão hoje nas comunicações em linhas de par trançado analógicas e na comunicação sem fio Os erros acontecem com mais freqüência em grandes volumes (rajadas) do que isoladamente: eles acontecem mais espaçadamente mas são mais difíceis de corrigir Utiliza-se então: 1. códigos de detecção de erros 2. códigos de correção de erros

15 Camada de Enlace de Dados p. 15/4 Detecção e Correção de Erros palavra de código: m bits de dados, r bits de verificação (ou redundantes), tamanho da palavra n = m + r. distância de Hamming: número de posições de bits em que duas palavras de código diferem entre si. Dada uma palavra de código e um algoritmo de verificação teremos 2 m mensagens diferentes nem todas as 2 n palavras são usadas na lista de palavras de código válida a menor distância de Hamming entre duas palavras caracteriza a distância da Hamming do código

16 Camada de Enlace de Dados p. 16/4 Detecção e Correção de Erros Para detectar d erros precisa-se de um código de distância d + 1 Para corregir d erros precisa-se de um código de distância 2d + 1 Exemplo de correção: código com um único bit de paridade permite detetar apenas erros isolados Um código com m bits de mensagem e r bits de verificação que permita a correção de todos os erros simples deve satisfazer que m + r + 1 < 2 r

17 Camada de Enlace de Dados p. 17/4 Detecção e Correção de Erros Método de correção de erros de Hamming: os bits da palavra de código sõ numerados consecutivamente de esquerda para direita os bits que são potencias de 2 são bits de verificação cada bit de verificação força a paridade de um determinado conjunto de bits Exemplo:

18 Camada de Enlace de Dados p. 18/4 Método de Hamming V 2 V V V

19 Camada de Enlace de Dados p. 19/4 Método de Hamming O erro está no bit = 10

20 Camada de Enlace de Dados p. 20/4 Método de Hamming Para permitir que o método de Hamming permita corregir erros em rajada uma sequência de k palabras é organizada em uma matriz, uma palavra por linha os dados são transmitidos uma coluna de cada vez no receptor a matris é reconstruida uma coluna de cada vez se ocorrer um erro em rajada de extensão menor ou igual a k no máximo um bit de cada palavra é afetado e o método de haming conseguira corregir o erro.

21 Método de Hamming Camada de Enlace de Dados p. 21/4

22 Camada de Enlace de Dados p. 22/4 Métodos de Detecção de Erros Nos meios com baixa taxa de erros as técnicas de detecção de erros são mais eficientes. Um bit de paridade pode ser suficiente para detectar erros issolados. No entanto quandoa acontecem erros em rajada este método tem 50% de chances de descubrir o fato Um método alternatiovo pode ser montar ema matriz de n bits de largura e k bits de altura de dados. Um bit de paridade é determinado para cada coluna e fixado à matriz como a última linha Este método permite detectar uma rajada de erros de até n bits.

23 Camada de Enlace de Dados p. 23/4 Métodos de Detecção de Erros Código polinomial ou código de redundância cíclica CRC.

24 Protocolos de Enlace de Dados Camada de Enlace de Dados p. 24/4

25 Camada de Enlace de Dados p. 25/4 Protocolos Elementares Analizaremos inicialmente três protocolos com diferentes graus de complexidade implementados dob as seguintes hipôtesis Os processos da camada física, da camada de enlace e da camada de rede são independentes. A máquina A quer mandar um fluxo grande de dados à máquina B utilizando um serviço confiável, orientado a conexão As máquinas estão livres de panes Cada pacote aceito pela camada de enlace é encapsulado em um quadro O receptor somente se ocupa de esperar quadros

26 Camada de Enlace de Dados p. 26/4 Protocolos Elementares Na máquina A: A camada de enlace pega um pacote da camada de rede void from_network_layer(packet *p); Monta o quadro com o pacote acrescido de informações de controle no cabeçalho. O quadro é entregue à camada física void to_physical_layer(frame *s); O harware de transmissão calcula a acrecenta o total de verificação ao final do quadro

27 Camada de Enlace de Dados p. 27/4 Protocolos Elementares Na máquina B: A camada de enlace de dados aguarda void wait_for_event(event_type *event); O harware calcula o total de verificação do quadro (evento cksum_err) A camada de enlace é informada (evento frame_arrival) e pega o quadro da camada física void from_physical_layer(frame *r); Extrai o pacote do quadro e entrega à camada de rede void to_network_layer(packet *p);

28 Camada de Enlace de Dados p. 28/4 Protocolos Elementares 1 /* determina tamanho máimo de pacotes em bytes */ 2 #define MAX_PKT /* tipo booleano */ 4 typedef enum {false, true} boolean; 5 /* númers de confirmação em sequência */ 6 typedef unsigned int seq_nr; 7 /* definição de pacote */ 8 typedef struct{ 9 unsigned char data[max_pkt]; 10 } packet; 11 /* definição do tipo de quadro */ 12 typedef enum {data, ack, nak} frame_kind; 13 /* quadros da camada */ 14 typedef struct { 15 frame_kind kind; //que tipo de quadro 16 seq_nr seq; //número de sequência 17 seq_nr ack; //número de confirmação 18 packet info; //pacote da camada de rede 19 };

29 Camada de Enlace de Dados p. 29/4 Protocolos Elementares Para ativar e desativar o timer (evento timeout) void start_timer(seq_nr k); void stop_timer(seq_nr k); Para ativar e desativar o time auxiliar void start_ack_timer(void); void stop_ack_timer(void); Para habilitar ou não a camada de rede void enable_network_layer(void); void disable_network_layer(void); Para incrementar o número de sequência #define inc(k) if (k<max_seq) k=k+1; else k=0

30 Camada de Enlace de Dados p. 30/4 Protocolos Elementares Protocolo sem restrições Dados apenas em um sentido As camadas de rede estão sempre prontas Ignoramos o tempo de processamento O espaço no buffer é infinito O canal de de comunicação não perde quadros nem é danificado Maquina A Canal de Comunicaçao Maquina B

31 Camada de Enlace de Dados p. 31/4 Protocolos Elementares 1 typedef enum {frame_arraival} event_type; 2 #include "protocol.h" 3 void sender1(void) 4 { 5 frame s; /*quadro enviado*/ 6 packet buffer; /*pacote enviado*/ 7 while(true){ 8 from_network_layer(&buffer); 9 s.info = buffer; 10 to_physical_layer(s); 11 } 12 } 13 void receiver1(void) 14 { 15 frame r; 16 event_type event; /*nã o usado*/ 17 while(true){ 18 wait_for_event(&event); 19 from_physical_layer(&r); 20 to_network_layer(&r.info); 21 } 22 }

32 Camada de Enlace de Dados p. 32/4 Protocolos Elementares Protocolo stop-and-wait Dados apenas em um sentido As camadas de rede estão sempre prontas Ignoramos o tempo de processamento O canal de de comunicação não perde quadros nem é danificado O buffer no receptor não é infinito e requer um t para receber quadro e transferir o pacote para a camada de rede.

33 Camada de Enlace de Dados p. 33/4 Protocolos Elementares 1 typedef enum {frame_arraival} event_type; 2 #include "protocol.h" 3 void sender2(void) 4 { 5 frame s; /*quadro enviado*/ 6 packet buffer; /*pacote enviado*/ 7 event_type event; 8 while(true){ 9 from_network_layer(&buffer); 10 s.info = buffer; 11 to_physical_layer(s); 12 wait_for_event(&event); 13 } 14 } 15 void receiver2(void) 16 { 17 frame r,s; 18 event_type event; /*nã o usado*/ 19 while(true){ 20 wait_for_event(&event); 21 from_physical_layer(&r); 22 to_network_layer(&r.info); 23 to_physical_layer(&s); 24 } 25 }

34 Camada de Enlace de Dados p. 34/4 Protocolos Elementares Um canal com ruido Dados apenas em um sentido As camadas de rede estão sempre prontas Ignoramos o tempo de processamento O buffer no receptor não é infinito e requer um t para receber quadro e transferir o pacote para a camada de rede. Os quadros podem ser danificados o perdidos no canal de comunicação.

35 Camada de Enlace de Dados p. 35/4 Protocolos Elementares Se faz necessário: inclusão de um timer que gere um evento timeout inclussão de um número de sequência no cabeçalho de cada quadro enviado. Para protocolos simples um número de sequência de um bit (o ou 1) é suficiente. 1 #define MAX_SEQ 1 2 typedef enum {frame_arraival, cksum_err, timeout} event_type; 3 #include "protocol.h" 4

36 Camada de Enlace de Dados p. 36/4 Protocolos Elementares 1 void sender3(void) 2 { 3 seq_nr next_frame_to_send; 4 frame s; /*quadro enviado*/ 5 packet buffer; /*pacote enviado*/ 6 event_type event; 7 8 next_frame_to_send = 0; 9 10 from_network_layer(&buffer); 11 while(true){ 12 s.info = buffer; 13 s.seq = next_frame_to_send; 14 to_physical_layer(s); 15 start_timer(s.seq); 16 wait_for_event(&event); 17 if(event == frame_arrival){ 18 from_physical_layer(&s); 19 if(s.ack == next_frame_to_send){ 20 stop_timer(s.ack); 21 from_network_layer(&buffer); 22 inc(next_frame_to_send); 23 } 24 } 25 } 26 }

37 Camada de Enlace de Dados p. 37/4 Protocolos Elementares 1 void receiver3(void) 2 { 3 seq_nr frame_expected; 4 frame r,s; 5 event_type event; 6 7 frame_expected = 0; 8 while(true){ 9 wait_for_event(&event); 10 if(event == frame_arrival){ 11 from_physical_layer(&r); 12 if (r.seq == frame_expected){ 13 to_network_layer(&r.info); 14 inc(frame_expected); 15 } 16 s.ack = 1 - frame_expected; 17 to_physical_layer(&s); 18 } 19 } 20 }

38 Camada de Enlace de Dados p. 38/4 Protocolos de Janela Deslizante Protocolos de janela deslizantes: Mantém um conjunto de números de sequência agrupados em: a janela de transmissão e a janela de recepção. Necessidade de transmitir dados em ambos sentidos Optimização dos circuitos utilizando apenas um para dados em ambos sentidos (fullduplex) Técnica de superposição (piggybacking) que retarda o envio da confirmação para anexar a mesma no próximo quadro de dados. O protocolo deve entregar os pacotes à camada de rede na mesma ordem em que foram entregues à camada de enlace.

39 Camada de Enlace de Dados p. 39/4 Protocolos de Janela Deslizante 1 #define MAX_SEQ 1 2 typedef enum {frame_arraival, cksum_err, timeout} event_type; 3 #include "protocol.h" 4 void protocolo4(void){ 5 seq_nr next_frame_to_send, frame_expected; 6 frame r, s; packet buffer; 7 event_type event; 8 next_frame_to_send = frame_expected = 0; 9 from_network_layer(&buffer); 10 s.info = buffer; s.seq = next_frame_to_send; 11 s.ack = 1 - frame_expected; 12 to_physical_layer(s); start_timer(s.seq); 13 while(true){ 14 wait_for_event(&event); 15 if(event == frame_arrival){ 16 from_physical_layer(&r); 17 if(r.ack == frame_expected){ 18 to_network_layer(r.info); 19 inc(frame_expected);} 20 if (r.ack == nest_frame_to_send) { 21 stop_timer(r.ack); 22 from_network_layer(&buffer); 23 inc(next_frame_to_send); } } 24 s.info = buffer; s.seq = next_frame_to_send; 25 s.ack = 1 - frame_expected; 26 to_physical_layer(s); start_timer(s.seq); } }

40 Protocolos de Janela Deslizante Camada de Enlace de Dados p. 40/4

41 Camada de Enlace de Dados p. 41/4 Protocolos de Janela Deslizante Até agora supomos que o tempo para o pacote ir e a confirmação chegar é insignificante Exemplo: Canal de satélite de 50 kbps com retarde de ida e volta de 500 ms enviando bits t=0 t=20ms t=40ms t=240ms t=260ms t=280ms t=500ms t=520ms t=540ms O transmissor esteve bloqueado por mais de 90% do tempo

42 Camada de Enlace de Dados p. 42/4 Protocolos de Janela Deslizante Permitir que o transmissor envie uma determinada quantidade de quadros antes de bloquear (no exemplo anterior o transmissor poderia mandar até 26 quadros). Necessário quando o produto da largura de banda pelo retardo é grande. num canal de bbits/s que transmite quadros de l bits com um retardo de R sgundos: u = l/(l + br) Que acontece se um quadro for danificado ou perdido?

43 Camada de Enlace de Dados p. 43/4 Protocolos de Janela Deslizante Estratégia de go back n Janela de recepção de tamanho 1: o receptor descarta e não envia qualquer confirmação após um quadro danificado:

44 Camada de Enlace de Dados p. 44/4 Protocolos de Janela Deslizante Estratégia retransmissão seletiva Os quadros que chegam após o quadro danificado são armazenados no buffer Geralmente se envia uma confirmação negativa

Comunicação de Dados

Comunicação de Dados UNISUL 2013 / 1 Universidade do Sul de Santa Catarina Engenharia Elétrica - Telemática 1 Comunicação de Dados Aula 6 Agenda Projeto da camada de enlace de dados Detecção e correção de erros Protocolos

Leia mais

Nível de Enlace. Nível de Enlace. Serviços. Serviços. Serviços. Serviços. Serviços oferecidos os nível de rede

Nível de Enlace. Nível de Enlace. Serviços. Serviços. Serviços. Serviços. Serviços oferecidos os nível de rede Nível de Enlace Enlace: caminho lógico entre estações. Permite comunicação eficiente e confiável entre dois computadores. Funções: fornecer uma interface de serviço à camada de rede; determinar como os

Leia mais

1 - Cite o nome dos principais campos de um quadro Ethernet, explicando qual a funcionalidade de cada campo.

1 - Cite o nome dos principais campos de um quadro Ethernet, explicando qual a funcionalidade de cada campo. 1 - Cite o nome dos principais campos de um quadro Ethernet, explicando qual a funcionalidade de cada campo. Endereço de Destino = Endereço MAC de destino Endereço de Origem = Endereço MAC de origem Campo

Leia mais

Introdução. Algumas terminologias. Camada de Enlace de Dados. Prof. Leandro Pykosz Leandro@sulbbs.com.br

Introdução. Algumas terminologias. Camada de Enlace de Dados. Prof. Leandro Pykosz Leandro@sulbbs.com.br Camada de Enlace de Dados Prof. Leandro Pykosz Leandro@sulbbs.com.br Introdução A função desta camada parece trivial, pois a máquina A coloca os bits no meio e a máquina B tem que retirar de lá, porem

Leia mais

Nível de Enlace. Nível de Enlace. Serviços. Serviços oferecidos os nível de rede

Nível de Enlace. Nível de Enlace. Serviços. Serviços oferecidos os nível de rede Nível de Enlace Enlace: caminho lógico entre estações. Permite comunicação eficiente e confiável entre dois computadores. Funções: fornecer uma interface de serviço à camada de rede; determinar como os

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br - Aula 4 - CAMADA DE ENLACE DE DADOS 1. INTRODUÇÃO A Camada de Enlace de dados é a camada que lida com quadros, grupo de bits transmitidos pela rede. Ela depende da camada Física para enviar e receber

Leia mais

Redes de Computadores II. Módulo 1 Introdução e a camada de enlace

Redes de Computadores II. Módulo 1 Introdução e a camada de enlace Redes de Computadores II Módulo 1 Introdução e a camada de enlace 1 A Camada de Enlace Principal objetivo da camada: Comunicar dados entre dois equipamentos de rede conectados ao mesmo meio de transmissão

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Curso de Tecnologia em Redes de Computadores Disciplina: Redes I Fundamentos - 1º Período Professor: José Maurício S. Pinheiro Material de Apoio VI PROTOCOLOS

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES. Detecção e Correção de Erros

REDES DE COMPUTADORES. Detecção e Correção de Erros REDES DE COMPUTADORES Detecção e Correção de Erros A Camada de Enlace Serviços prestados Serviços da camada de Enlace Encapsulamento Endereçamento Controle de erros Controle de fluxo Controle de acesso

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Camada de Enlace Antonio Alfredo Ferreira Loureiro loureiro@dcc.ufmg.br Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal de Minas Gerais 1 Camada de enlace Responsável pela

Leia mais

Camada de Enlace. BCC361 Redes de Computadores Universidade Federal de Ouro Preto Departamento de Ciência da Computação

Camada de Enlace. BCC361 Redes de Computadores Universidade Federal de Ouro Preto Departamento de Ciência da Computação BCC361 Redes de Computadores Universidade Federal de Ouro Preto Departamento de Ciência da Computação Prof. Saul Emanuel Delabrida Silva www.decom.ufop.br/sauldelabrida 2013/01 Camada Nome 5 Aplicação

Leia mais

Controle de Erro em Redes de Computadores

Controle de Erro em Redes de Computadores Controle de Erro em Redes de Computadores Prof. S. Motoyama Aula 24 Motoyama: Controle de Erro 1 Enlace de Dados O controle de erro em redes de computadores é feito na camada enlace de dados (ou na camada

Leia mais

Redes de Computadores I. Gabarito da Lista de Exercícios

Redes de Computadores I. Gabarito da Lista de Exercícios Redes de Computadores I Gabarito da Lista de Exercícios 1) Uma rede comutada por circuitos cobra R$ 0,50 por minuto de utilização, comporta até 1000 circuitos simultâneos com capacidade de 64 kbps (cada)

Leia mais

Camada de Transporte. Protocolos TCP e UDP

Camada de Transporte. Protocolos TCP e UDP Camada de Transporte Protocolos TCP e UDP Protocolo UDP Protocolo de transporte da Internet sem gorduras Serviço best effort, segmentos UDP podem ser: perdidos entregues fora de ordem para a aplicação

Leia mais

Redes de Computadores. Camada de Transporte

Redes de Computadores. Camada de Transporte Redes de Computadores Camada de Transporte Objetivo! Apresentar as características da camada de transporte da arquitetura TCP/IP! Apresentar os serviços fornecidos pela camada de transporte! Estudar os

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br - Aula 1- MODELO DE CAMADAS 1. INTRODUÇÃO A compreensão da arquitetura de redes de computadores envolve a compreensão do modelo de camadas. O desenvolvimento de uma arquitetura de redes é uma tarefa complexa,

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Capítulo 5.6 e 5.7 Interconexões e PPP Prof. Jó Ueyama Maio/2011 SSC0641-2011 1 Elementos de Interconexão SSC0641-2011 2 Interconexão com Hubs Dispositivo de camada física. Backbone:

Leia mais

Camada de Enlace. Agenda. Tópicos. Objetivos. Objetivos INTRODUÇÃO

Camada de Enlace. Agenda. Tópicos. Objetivos. Objetivos INTRODUÇÃO Redes de Computadores Universidade Federal de Ouro Preto Departamento de Ciência da Computação Prof. Reinaldo Silva Fortes www.decom.ufop.br/reinaldo 2011/02 Camada Nome 5 Aplicação 4 Transporte 3 Rede

Leia mais

Prof. Manuel A Rendón M

Prof. Manuel A Rendón M Prof. Manuel A Rendón M Tanenbaum Redes de Computadores Cap. 1 e 2 5ª. Edição Pearson Padronização de sistemas abertos à comunicação Modelo de Referência para Interconexão de Sistemas Abertos RM OSI Uma

Leia mais

Capítulo 7 CAMADA DE TRANSPORTE

Capítulo 7 CAMADA DE TRANSPORTE Capítulo 7 CAMADA DE TRANSPORTE SERVIÇO SEM CONEXÃO E SERVIÇO ORIENTADO À CONEXÃO Serviço sem conexão Os pacotes são enviados de uma parte para outra sem necessidade de estabelecimento de conexão Os pacotes

Leia mais

Márcio Leandro Moraes Rodrigues. Frame Relay

Márcio Leandro Moraes Rodrigues. Frame Relay Márcio Leandro Moraes Rodrigues Frame Relay Introdução O frame relay é uma tecnologia de chaveamento baseada em pacotes que foi desenvolvida visando exclusivamente a velocidade. Embora não confiável, principalmente

Leia mais

6 de Julho de 2015. Exercício 23 Para que servem portas na camada de transporte?

6 de Julho de 2015. Exercício 23 Para que servem portas na camada de transporte? Lista de Exercícios Camada de Transporte GBC-056 Arquitetura de Redes de Computadores Bacharelado em Ciência da Computação Universidade Federal de Uberlândia 6 de Julho de 2015 Exercício 1 Para que serve

Leia mais

Camada Transporte Parte 2. Prof. Dr. S. Motoyama

Camada Transporte Parte 2. Prof. Dr. S. Motoyama Camada Transporte Parte 2 Prof. Dr. S. Motoyama 1 Algoritmo de Janela Deslizante em TCP O TCP clássico emprega um protocolo de janela deslizante com confirmação positiva e sem repetição seletiva. O TCP

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores s de Computadores Prof. Macêdo Firmino Revisão do Modelo de Camadas da Internet (TCP/IP) Macêdo Firmino (IFRN) s de Computadores Novembro de 2012 1 / 13 Modelo de Camadas Revisão de de Computadores Os

Leia mais

16.36: Engenharia de Sistemas de Comunicação Aula 14: Códigos cíclicos e detecção de erros

16.36: Engenharia de Sistemas de Comunicação Aula 14: Códigos cíclicos e detecção de erros 16.36: Engenharia de Sistemas de Comunicação Aula 14: Códigos cíclicos e detecção de erros Eytan Modiano Códigos Cíclicos Um código cíclico é um código de bloco linear onde c é uma palavra-chave, e também

Leia mais

Prof. Marcelo Machado Cunha Parte 3 www.marcelomachado.com

Prof. Marcelo Machado Cunha Parte 3 www.marcelomachado.com Prof. Marcelo Machado Cunha Parte 3 www.marcelomachado.com Protocolo é a linguagem usada pelos dispositivos de uma rede de modo que eles consigam se comunicar Objetivo Transmitir dados em uma rede A transmissão

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com - Aula Complementar - MODELO DE REFERÊNCIA OSI Este modelo se baseia em uma proposta desenvolvida pela ISO (International Standards Organization) como um primeiro passo em direção a padronização dos protocolos

Leia mais

Fundamentos de Redes de Computadores. Camadas física e de enlace do modelo OSI Prof. Ricardo J. Pinheiro

Fundamentos de Redes de Computadores. Camadas física e de enlace do modelo OSI Prof. Ricardo J. Pinheiro Fundamentos de Redes de Computadores Camadas física e de enlace do modelo OSI Prof. Ricardo J. Pinheiro Resumo Camada física. Padrões. Equipamentos de rede. Camada de enlace. Serviços. Equipamentos de

Leia mais

Controle de Congestionamento em TCP Parte 2. Prof. Dr. S. Motoyama

Controle de Congestionamento em TCP Parte 2. Prof. Dr. S. Motoyama Controle de Congestionamento em TCP Parte 2 Prof. Dr. S. Motoyama 1 Controle de Congestionamento em TCP Princípios de controle de congestionamento Saber que congestionamento está ocorrendo Adaptar para

Leia mais

MÓDULO 7 Modelo OSI. 7.1 Serviços Versus Protocolos

MÓDULO 7 Modelo OSI. 7.1 Serviços Versus Protocolos MÓDULO 7 Modelo OSI A maioria das redes são organizadas como pilhas ou níveis de camadas, umas sobre as outras, sendo feito com o intuito de reduzir a complexidade do projeto da rede. O objetivo de cada

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Camada de Transporte Implementação de um Transporte Confiável Slide 1 Transferência Confiável de Dados sobre um Canal Confiável rdt1.0 Uma vez que o canal é confiável, não existe

Leia mais

TRANSMISSÃO DE DADOS Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com

TRANSMISSÃO DE DADOS Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com - Aula 5-1. A CAMADA DE TRANSPORTE Parte 1 Responsável pela movimentação de dados, de forma eficiente e confiável, entre processos em execução nos equipamentos conectados a uma rede de computadores, independentemente

Leia mais

2 Controle de Congestionamento do TCP

2 Controle de Congestionamento do TCP 2 Controle de Congestionamento do TCP 17 2 Controle de Congestionamento do TCP A principal causa de descarte de pacotes na rede é o congestionamento. Um estudo detalhado dos mecanismos de controle de congestionamento

Leia mais

Redes de Computadores II Prova 3 13/07/2012. Nome:

Redes de Computadores II Prova 3 13/07/2012. Nome: Redes de Computadores II Prova 3 13/07/2012 Nome: 1. Com base na rede mostrada abaixo: i. Assumindo que essa rede use IP, circule as subredes IP que nela devem ser criadas. ii. Identifique um protocolo

Leia mais

Camada de Ligação de Dados

Camada de Ligação de Dados Camada de Ligação de Dados Serviços Detecção e correcção de erros Protocolos de Acesso Múltiplo Endereçamento em LANs Hubs e Pontes de interligação Tecnologias da camada de ligação de dados Ethernet Anel

Leia mais

Estrutura de um Rede de Comunicações. Redes e Sistemas Distribuídos. Tarefas realizadas pelo sistema de comunicação. Redes de comunicação de dados

Estrutura de um Rede de Comunicações. Redes e Sistemas Distribuídos. Tarefas realizadas pelo sistema de comunicação. Redes de comunicação de dados Estrutura de um Rede de Comunicações Profa.. Cristina Moreira Nunes Tarefas realizadas pelo sistema de comunicação Utilização do sistema de transmissão Geração de sinal Sincronização Formatação das mensagens

Leia mais

TCP - multiplexação/demultiplexação

TCP - multiplexação/demultiplexação TCP Protocolo de controle de transmissão (Transmission Control Protocol) Definido em diversas RFCs (793, 1122, 1323, 2018 e 2581) Diversos flavors (tipos) Serviços Multiplexação/demultiplexação Detecção

Leia mais

Há dois tipos de configurações bidirecionais usados na comunicação em uma rede Ethernet:

Há dois tipos de configurações bidirecionais usados na comunicação em uma rede Ethernet: Comunicação em uma rede Ethernet A comunicação em uma rede local comutada ocorre de três formas: unicast, broadcast e multicast: -Unicast: Comunicação na qual um quadro é enviado de um host e endereçado

Leia mais

Tratamento de erros. Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Bragança Abril de 2006

Tratamento de erros. Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Bragança Abril de 2006 Redes de Computadores Tratamento de erros Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Bragança Abril de 2006 Ligação de dados Conceitos e objectivos Uma ligação física caracteriza-se

Leia mais

1 Redes de comunicação de dados

1 Redes de comunicação de dados 1 Redes de comunicação de dados Nos anos 70 e 80 ocorreu uma fusão dos campos de ciência da computação e comunicação de dados. Isto produziu vários fatos relevantes: Não há diferenças fundamentais entre

Leia mais

Figura 1 - Operação do "cabo" virtual entre emissor e receptor

Figura 1 - Operação do cabo virtual entre emissor e receptor Redes de Computadores Professor Marco Antônio Chaves Câmara Capítulo 12 - Serviços da Camada de Enlace Apresentação Até agora, estudamos características de equipamentos e materiais utilizados pela camada

Leia mais

Sistemas Distribuídos Comunicação entre Processos em Sistemas Distribuídos: Middleware de comunicação Aula II Prof. Rosemary Silveira F. Melo Comunicação em sistemas distribuídos é um ponto fundamental

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Curso de Eng. Informática Curso de Eng. de Electrónica e Computadores Aula Prática Bit stuffing, CRC e IP 1 Introdução 1.1 Framing O nível de ligação de dados utiliza o serviço fornecido

Leia mais

Teleprocessamento e Redes

Teleprocessamento e Redes Teleprocessamento e Redes Aula 19: 29 de junho de 2010 1 camada de transporte camada de rede 2 Questão 1 (Kurose/Ross) camada de transporte camada de rede Um processo em um host C tem um socket UDP com

Leia mais

Prof. Marcelo de Sá Barbosa REDE DE COMPUTADORES

Prof. Marcelo de Sá Barbosa REDE DE COMPUTADORES Prof. Marcelo de Sá Barbosa REDE DE COMPUTADORES MODELO TCP/IP DE 5 CAMADAS MODELO OSI MODELO TCP IP NUMERO DA CAMADA CAMADA NUMERO DA CAMADA CAMADA 7 APLICAÇÃO 6 APRESENTAÇÃO 5 APLICAÇÃO 5 SESSÃO 4 TRANSPORTE

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Camada de Transporte UDP Slide 1 Camada de Transporte Fornece uma comunicação lógica entre processos de aplicações em diferentes hosts através da camada de rede; São implementados

Leia mais

Aula 04. Código BCD, Códigos Alfa-numéricos e Sistemas de Detecção de Erros

Aula 04. Código BCD, Códigos Alfa-numéricos e Sistemas de Detecção de Erros Aula 04 Código BCD, Códigos Alfa-numéricos e Sistemas de Detecção de Erros Prof. Otávio Gomes otavio.gomes@ifmg.edu.br sites.google.com/a/ifmg.edu.br/otavio-gomes/ 1 Bytes A maioria dos microcomputadores

Leia mais

Redes de Computadores I Licenciatura em Eng. Informática e de Computadores 1 o Semestre, 26 de Outubro de 2005 1 o Teste A

Redes de Computadores I Licenciatura em Eng. Informática e de Computadores 1 o Semestre, 26 de Outubro de 2005 1 o Teste A Redes de Computadores I Licenciatura em Eng. Informática e de Computadores 1 o Semestre, 26 de Outubro de 2005 1 o Teste A Número: Nome: Duração: 1 hora O teste é sem consulta O teste deve ser resolvido

Leia mais

Funções específicas de cada camada do modelo OSI da ISO.

Funções específicas de cada camada do modelo OSI da ISO. Funções específicas de cada camada do modelo OSI da ISO. 1ª Camada - Física - Grupo Rede Física Esta camada traduz os bits a enviar em sinais elétricos, de tensão ou corrente. Ela fornece os meios de hardware

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Redes de Computadores Redes de Computadores 2 1 Responsável pela movimentação dos dados, de maneira eficiente e confiável, entre processos (usuários) em execução nos equipamentos

Leia mais

CAMADA DE REDES. Fabrício de Sousa Pinto

CAMADA DE REDES. Fabrício de Sousa Pinto CAMADA DE REDES Fabrício de Sousa Pinto Introdução 2 Está relacionada a transferência de pacotes da origem para o destino. Pode passar por vários roteadores ao longo do percurso Transmissão fim a fim Para

Leia mais

3 Qualidade de serviço na Internet

3 Qualidade de serviço na Internet 3 Qualidade de serviço na Internet 25 3 Qualidade de serviço na Internet Além do aumento do tráfego gerado nos ambientes corporativos e na Internet, está havendo uma mudança nas características das aplicações

Leia mais

Quadro de consulta (solicitação do mestre)

Quadro de consulta (solicitação do mestre) Introdução ao protocolo MODBUS padrão RTU O Protocolo MODBUS foi criado no final dos anos 70 para comunicação entre controladores da MODICON. Por ser um dos primeiros protocolos com especificação aberta

Leia mais

Camada de transporte. Camada de transporte

Camada de transporte. Camada de transporte Camada de transporte Camada de transporte Objetivos do capítulo: Entender os princípios dos serviços da camada de transporte: Multiplexação/demultiplexação Transferência de dados confiável Controle de

Leia mais

Redes de Computadores. Camada de Transporte de Dados: protocolos TCP e UDP Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza

Redes de Computadores. Camada de Transporte de Dados: protocolos TCP e UDP Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Redes de Computadores Camada de Transporte de Dados: protocolos TCP e UDP Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Este documento está sujeito a copyright. Todos os direitos estão reservados para o todo ou quaisquer

Leia mais

Redes de Computadores. Módulo III Camada de Enlace de Dados

Redes de Computadores. Módulo III Camada de Enlace de Dados Redes de Computadores Módulo III Camada de Enlace de Dados 1 Funções da camada de enlace de dados Introdução Fornecer uma interface de serviço bem definida à camada de rede Lidar com erros de transmissão

Leia mais

Redes de Dados. Aula 1. Introdução. Eytan Mediano

Redes de Dados. Aula 1. Introdução. Eytan Mediano Redes de Dados Aula 1 Introdução Eytan Mediano 1 6.263: Redes de Dados Aspectos fundamentais do projeto de redes e análise: Arquitetura Camadas Projeto da Topologia Protocolos Pt - a Pt (Pt= Ponto) Acesso

Leia mais

Software de rede e Modelo OSI André Proto UNESP - São José do Rio Preto andre.proto@sjrp.unesp.br O que será abordado Hierarquias de protocolos (camadas) Questões de projeto relacionadas às camadas Serviços

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Capítulo 1 Gustavo Reis gustavo.reis@ifsudestemg.edu.br - O que é a Internet? - Milhões de elementos de computação interligados: hospedeiros = sistemas finais - Executando aplicações

Leia mais

Rede de Computadores II

Rede de Computadores II Rede de Computadores II Slide 1 Roteamento Determinar o melhor caminho a ser tomado da origem até o destino. Se utiliza do endereço de destino para determinar a melhor rota. Roteador default, é o roteador

Leia mais

Redes WAN. Redes de Longa Distância Prof. Walter Cunha

Redes WAN. Redes de Longa Distância Prof. Walter Cunha Redes WAN Frame-Relay Redes de Longa Distância Prof. Walter Cunha Desdobramento da ISDN Alta Velocidade Taxas entre 64 Kbps e 2 Mbps Roteamento na Camada de Enlace Usada p/ interligar: WAN, SNA, Internet

Leia mais

Aula 6 Modelo de Divisão em Camadas TCP/IP

Aula 6 Modelo de Divisão em Camadas TCP/IP Aula 6 Modelo de Divisão em Camadas TCP/IP Camada Conceitual APLICATIVO TRANSPORTE INTER-REDE INTERFACE DE REDE FÍSICA Unidade de Dados do Protocolo - PDU Mensagem Segmento Datagrama /Pacote Quadro 01010101010100000011110

Leia mais

Centro Tecnológico de Eletroeletrônica César Rodrigues. Atividade Avaliativa

Centro Tecnológico de Eletroeletrônica César Rodrigues. Atividade Avaliativa 1ª Exercícios - REDES LAN/WAN INSTRUTOR: MODALIDADE: TÉCNICO APRENDIZAGEM DATA: Turma: VALOR (em pontos): NOTA: ALUNO (A): 1. Utilize 1 para assinalar os protocolos que são da CAMADA DE REDE e 2 para os

Leia mais

Redes Locais. Prof. Luiz Carlos B. Caixeta Ferreira

Redes Locais. Prof. Luiz Carlos B. Caixeta Ferreira Redes Locais. Prof. Luiz Carlos B. Caixeta Ferreira 5. Ethernet 5.1 Introdução 5.2 LLC (Logical Link Control) 5.3 MAC (Media Access Control) 5.4 Sistemas de Endereçamento 5.5 Quadros Ethernet 5.6 Codificação

Leia mais

Curso: Redes II (Heterogênea e Convergente) Tema da Aula: Controle de Congestionamento

Curso: Redes II (Heterogênea e Convergente) Tema da Aula: Controle de Congestionamento Curso: Redes II (Heterogênea e Convergente) Tema da Aula: Controle de Congestionamento Professor Rene - UNIP 1 Revisão... Segmento A unidade de dados trocada entre as entidades de transporte é denominada

Leia mais

Modelo OSI. Prof. Alexandre Beletti Ferreira. Introdução

Modelo OSI. Prof. Alexandre Beletti Ferreira. Introdução Modelo OSI Prof. Alexandre Beletti Ferreira Introdução Crescimento das redes de computadores Muitas redes distintas International Organization for Standardization (ISO) Em 1984 surge o modelo OSI Padrões

Leia mais

Camada de Redes Parte II. Fabrício

Camada de Redes Parte II. Fabrício Camada de Redes Parte II Fabrício Algoritmos de controle de congestionamento Quando há pacotes demais presente (em parte) de uma sub-rede, o desempenho diminui. Dentro da capacidade de tranporte Eles serão

Leia mais

Protocolo Ethernet e Dispositivos de Interconexão de LANs

Protocolo Ethernet e Dispositivos de Interconexão de LANs Protocolo Ethernet e Dispositivos de Interconexão de LANs Prof. Rafael Guimarães Redes de Alta Velocidade Tópico 4 - Aula 1 Tópico 4 - Aula 1 Rafael Guimarães 1 / 31 Sumário Sumário 1 Motivação 2 Objetivos

Leia mais

Qualidade em Servicos de Rede Prof. Eduardo Maronas Monks Roteiro de Laboratorio Camada de Transporte Parte II

Qualidade em Servicos de Rede Prof. Eduardo Maronas Monks Roteiro de Laboratorio Camada de Transporte Parte II Qualidade em Servicos de Rede Prof. Eduardo Maronas Monks Roteiro de Laboratorio Camada de Transporte Parte II 1) Explicar os seguintes mecanismos e conceitos do protocolo TCP: 1. Slow Start O algoritmo

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Prof. Marcelo Gonçalves Rubinstein Programa de Pós-Graduação em Engenharia Eletrônica Faculdade de Engenharia Universidade do Estado do Rio de Janeiro Ementa Introdução a Redes de

Leia mais

Técnicas de Múltiplo Acesso em Redes sem Fio, LANs, MANs

Técnicas de Múltiplo Acesso em Redes sem Fio, LANs, MANs Técnicas de Múltiplo Acesso em Redes sem Fio, LANs, MANs UERJ-FEN-DETEL Técnicas de Acesso Múltiplo na Comunicação sem Fio Vários esquemas de acesso múltiplo tem sido utilizados para permitir que vários

Leia mais

Redes TCP/IP. Prof. M.Sc. Alexandre Fraga de Araújo. alexandref@ifes.edu.br. INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Campus Cachoeiro de Itapemirim

Redes TCP/IP. Prof. M.Sc. Alexandre Fraga de Araújo. alexandref@ifes.edu.br. INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Campus Cachoeiro de Itapemirim Redes TCP/IP alexandref@ifes.edu.br O que é a Internet? Milhões de elementos de computação interligados: hospedeiros = sistemas finais Executando aplicações Enlaces de comunicação: fibra, cobre, rádio,

Leia mais

COMUNICAÇÃO SERIAL ENTRE EQUIPAMENTOS

COMUNICAÇÃO SERIAL ENTRE EQUIPAMENTOS COMUNICAÇÃO SERIAL ENTRE EQUIPAMENTOS 1 Introdução Para transmitir ou receber informações de outros dispositivos é necessário que os sistemas automáticos sejam capazes de comunicarem-se com estes dispositivos.

Leia mais

Jones Bunilha Radtke. Tarefas:

Jones Bunilha Radtke. Tarefas: Faculdade de Tecnologia SENAC Pelotas Tecnólogo em Redes de Computadores Qualidade de Serviços de Rede Prof. Eduardo Monks Camada de Transporte Parte 2 Jones Bunilha Radtke Tarefas: 1.1) O algoritmo Slow

Leia mais

Prefixo a ser comparado Interface 1 0 10 1 111 2 Senão 3

Prefixo a ser comparado Interface 1 0 10 1 111 2 Senão 3 PEL/FEN Redes de Computadores 015/1 Segunda Lista de Exercícios Prof. Marcelo Gonçalves Rubinstein 1) Descreva os principais serviços providos pela camada rede. ) Cite as diferenças entre datagrama e circuito

Leia mais

4. Protocolos Teóricos e Protocolos de Controlo de Ligação Protocolos ARQ; Especificação de Protocolos; Eficiência ARQ.

4. Protocolos Teóricos e Protocolos de Controlo de Ligação Protocolos ARQ; Especificação de Protocolos; Eficiência ARQ. 4. Protocolos Teóricos e Protocolos de Controlo de Ligação Protocolos ARQ; Especificação de Protocolos; Eficiência ARQ. Redes de Comunicações/Computadores I Secção de Redes de Comunicação de Dados Protocolos

Leia mais

ELEMENTOS DE PROTOCOLOS DE TRANSPORTE. Fabricio Sousa

ELEMENTOS DE PROTOCOLOS DE TRANSPORTE. Fabricio Sousa ELEMENTOS DE PROTOCOLOS DE TRANSPORTE Fabricio Sousa Elementos de protocolos de transporte 2 Serviço de transporte implementado por um protocolo de transporte usado entre duas entidades de transporte Em

Leia mais

Introdução as Redes de Computadores Transparências baseadas no livro Computer Networking: A Top-Down Approach Featuring the Internet James Kurose e Keith Ross Redes de Computadores A. Tanenbaum e Prof.

Leia mais

Trabalho DESAFIO (OPCIONAL) - ENTREGA 06/05/2015 - IMPRETERIVELMENTE

Trabalho DESAFIO (OPCIONAL) - ENTREGA 06/05/2015 - IMPRETERIVELMENTE UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA APLICADA Trabalho DESAFIO (OPCIONAL) - ENTREGA 06/05/2015 - IMPRETERIVELMENTE 1. Objetivo Implementar um aplicativo

Leia mais

Aula 03 Regras de Segmentação e Switches

Aula 03 Regras de Segmentação e Switches Disciplina: Dispositivos de Rede II Professor: Jéferson Mendonça de Limas 4º Semestre Aula 03 Regras de Segmentação e Switches 2014/1 19/08/14 1 2de 38 Domínio de Colisão Os domínios de colisão são os

Leia mais

Capítulo 11 - Camada de Transporte TCP/IP e de Aplicação. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página

Capítulo 11 - Camada de Transporte TCP/IP e de Aplicação. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página Capítulo 11 - Camada de Transporte TCP/IP e de Aplicação 1 Introdução à Camada de Transporte Camada de Transporte: transporta e regula o fluxo de informações da origem até o destino, de forma confiável.

Leia mais

Capítulo 3: Camada de Transporte. Multiplexação/desmultiplexação. Serviços e protocolos de transporte. Antônio Abelém abelem@ufpa.

Capítulo 3: Camada de Transporte. Multiplexação/desmultiplexação. Serviços e protocolos de transporte. Antônio Abelém abelem@ufpa. Serviços e protocolos de Capítulo 3: Camada de Transporte Antônio Abelém abelem@ufpa.br provê comunicação lógica entre processos de executando em hospedeiros diferentes protocolos de executam em sistemas

Leia mais

Fornecer serviços independentes da tecnologia da subrede; Esconder do nível de transporte o número, tipo e a topologia das subredes existentes;

Fornecer serviços independentes da tecnologia da subrede; Esconder do nível de transporte o número, tipo e a topologia das subredes existentes; 2.3 A CAMADA DE REDE! Fornece serviços para o nível de transporte, sendo, freqüentemente, a interface entre a rede do cliente e a empresa de transporte de dados (p.ex. Embratel).! Sua principal função

Leia mais

Arquiteturas de Rede. Prof. Leonardo Barreto Campos

Arquiteturas de Rede. Prof. Leonardo Barreto Campos Arquiteturas de Rede 1 Sumário Introdução; Modelo de Referência OSI; Modelo de Referência TCP/IP; Bibliografia. 2/30 Introdução Já percebemos que as Redes de Computadores são bastante complexas. Elas possuem

Leia mais

... Máquina 1 Máquina 2

... Máquina 1 Máquina 2 Exercícios Apostila Parte 1 Lista de Exercícios 1 1) Descreva sucintamente a função de (ou o que é realizado em) cada uma das sete camadas (Física, Enlace, Redes, Transporte, Sessão, Apresentação e Aplicação)

Leia mais

Roteamento e Comutação

Roteamento e Comutação Roteamento e Comutação A camada de enlace, cujo protocolo é utilizado para transportar um datagrama por um enlace individual, define o formato dos pacotes trocados entre os nós nas extremidades, bem como

Leia mais

Redes de Computadores. Protocolos ARQ Continuação Profa. Priscila Solís Barreto

Redes de Computadores. Protocolos ARQ Continuação Profa. Priscila Solís Barreto Redes de omputadores Protocolos RQ ontinuação Profa. Priscila Solís Barreto nálise do STOP and Wait nf=5 bytes = bits, na=no=5 bytes = bits O STOP and WIT não funciona bem para altas velocidades ou tempos

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PRJET DE REDES www.projetoderedes.com.br urso de Tecnologia em Redes de omputadores Disciplina: Redes I Fundamentos - 1º Período Professor: José Maurício S. Pinheiro AULA 1: onceitos de Redes de Dados

Leia mais

1 Lista de exercícios 01

1 Lista de exercícios 01 FRANCISCO TESIFOM MUNHOZ 2007 1 Lista de exercícios 01 1) No desenvolvimento e aperfeiçoamento realizado em redes de computadores, quais foram os fatores que conduziram a interconexão de sistemas abertos

Leia mais

Parte IV. Camada de Enlace. Rede X Enlace. Rede X Enlace. Rede X Enlace. Redes de Computadores 1. Prof. Miguel Elias Mitre Campista

Parte IV. Camada de Enlace. Rede X Enlace. Rede X Enlace. Rede X Enlace. Redes de Computadores 1. Prof. Miguel Elias Mitre Campista Redes de Computadores 1 Parte IV Prof. Miguel Elias Mitre Campista Camada de Enlace: Introdução http://www.gta.ufrj.br/~miguel Camada de Enlace Rede X Enlace Protocolos da camada de rede Executados nos

Leia mais

4 Arquitetura básica de um analisador de elementos de redes

4 Arquitetura básica de um analisador de elementos de redes 4 Arquitetura básica de um analisador de elementos de redes Neste capítulo é apresentado o desenvolvimento de um dispositivo analisador de redes e de elementos de redes, utilizando tecnologia FPGA. Conforme

Leia mais

CAMADA DE REDE. UD 2 Aula 3 Professor João Carneiro Arquitetura de Redes 1º e 2º Semestres UNIPLAN

CAMADA DE REDE. UD 2 Aula 3 Professor João Carneiro Arquitetura de Redes 1º e 2º Semestres UNIPLAN CAMADA DE REDE UD 2 Aula 3 Professor João Carneiro Arquitetura de Redes 1º e 2º Semestres UNIPLAN Modelo de Referência Híbrido Adoção didática de um modelo de referência híbrido Modelo OSI modificado Protocolos

Leia mais