Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download ""

Transcrição

1 Instituto Brasileiro de Engenharia de Custos

2 Engenheiro Civil Paulo Roberto Vilela Dias, MSc Mestre em Engenharia Civil - uff Professor do Mestrado em Engenharia Civil da Universidade Federal Fluminense uff Coordenador dos Cursos de Pós-Graduação em Engenharia de Custos da uff Presidente do IBEC Instituto Brasileiro de Engenharia de Custos 39 anos de experiência profissional Autor de 4 livros sobre Engenharia de Custos 34 anos de docência no 3º grau Vários trabalhos publicados Palestrante em Congressos, Seminários etc

3 Membro desde 1981 MEMBER

4 Engenharia de Custos Fiscalização e Controle de Obras

5

6 E D I F I C A Ç Õ E S

7

8 MERCADO ATUAL Preços de obras Públicas abaixo do Custo - Resulta em: - Elevada sonegação de tributos - - Má qualidade das construções - Fiscalização ineficiente

9 INFORMALIDADE 61% DO EMPREGO NA CONSTRUÇÃO CIVIL é INFORMAL, REVELA IBGE Valor Econômico

10 INFORMALIDADE 36% Trabalhadores Informais 61% Empregados com carteira Proprietários

11 SINDUSCON - SP

12 Engenharia de Custos ESTIMATIVA DE CUSTOS PLANEJAMENTO GERENCIAMENTO (CONTROLE E APROPRIAÇÃO DE CUSTOS E DA PRODUÇÃO)

13 Engenharia de Custos Atribuições do Engenheiro de Custos - Vivência em obras - Conhecimento da boa técnica da Engenharia de Custos

14 PMBOK GUIDE DEFINIÇÃO DE OBRA: É um empreendimento temporário com o objetivo de criar um serviço único.

15 PMBOK GUIDE Obras são: executadas por pessoas; restringidas por recursos limitados: - tempo, - materiais, recursos humanos e equipamentos e - custo e Planejadas, executadas e controladas

16 PMBOK GUIDE DEFINIÇÃO: COMO AS OBRAS TEM UM CARÁTER ÚNICO, A ELAS ESTÁ ASSOCIADA UMA MARGEM DE INCERTEZA.

17 Precisão das Estimativas Projeto Executivo: +- 5% ICEC Projeto Básico: a 15% Viabilidade: a 30% Ordem de Grandeza: +- 35%

18 Lei Nº 8.666/93, artigo 7º As licitações para execução de obras e para prestação de serviços obedecerão à seguinte seqüência executiva: 1º - elaboração do projeto básico; 2º - elaboração do executivo e 3º - execução das obras e serviços.

19 Lei Nº 8.666/93, Artigo 7º - $ 1º A execução de cada etapa será obrigatoriamente precedida da conclusão e aprovação, pela autoridade competente, dos trabalhos relativos à s etapas anteriores, à exceção do projeto executivo, o qual poderá ser desenvolvido concomitantemente com a execução das obras e serviços, desde que também autorizado pela Administração.

20 Lei 8.666/93 - Art. 6 PROJETO BÁSICO PROJETO EXECUTIVO

21 SINAENCO

22 PROJETO BÁSICO conjunto de elementos necessários e suficientes, com nível de precisão adequado para caracterizar a obra ou serviço, ou complexo de obras ou serviços objeto da licitação, elaborado com base nas indicações dos estudos técnicos preliminares, que assegurem a viabilidade técnica e o adequado tratamento do impacto ambiental do empreendimento, e que possibilite a avaliação do custo da obra e a definição dos métodos e do prazo de execução, devendo conter os seguintes elementos:

23 PROJETO BÁSICO a) desenvolvimento da solução escolhida de forma a fornecer visão global da obra e identificar todos os seus elementos constitutivos com clareza; b) soluções técnicas globais e localizadas, suficientemente detalhadas, de forma a minimizar a necessidade de reformulação ou de variantes durante as fases de elaboração do projeto executivo e de realização das obras e montagem;

24 PROJETO BÁSICO c) identificação dos tipos de serviços a executar e de materiais e equipamentos a incorporar à obra, bem como suas especificações que assegurem os melhores resultados para o empreendimento, sem frustrar o caráter competitivo para a sua execução; d) informações que possibilitem o estudo e a dedução de métodos construtivos, instalações provisórias e condições organizacionais para a obra, sem frustrar o caráter competitivo para a sua execução;

25 PROJETO BÁSICO e) subsídios para montagem do plano de licitação e gestão da obra, compreendendo a sua programação, a estratégia de suprimentos, as normas de fiscalização e outros dados necessários em cada caso; f) orçamento detalhado do custo global da obra, fundamentado em quantitativos de serviços e fornecimentos propriamente avaliados.

26 PROJETO BÁSICO Exige: - topografia - sondagem do terreno - ensaios geotécnicos - clima - etc

27 IBRAOP Instituto Brasileiro de Auditores de Obras Públicas Orientação Técnica sobre Projeto Básico

28 PROJETO BÁSICO

29 O orçamento da obra está diretamente ligado a qualidade do projeto que o originou.

30 Gerenciamento de Suprimentos OBRAS PÚBLICAS

31 Gerenciamento de Suprimentos Formas de contratação da construção Empreitada de preço global Empreitada por preços unitários Empreitada Integral - Tarefa

32 Formas de Contratação da Construção EMPREITADA POR PREÇO GLOBAL Quando se contrata a execução da obra ou do serviço por preço certo e total.

33 Formas de Contratação da Construção EMPREITADA POR PREÇO UNITÁRIO Quando se contrata a execução da obra ou do serviço por preço certo de unidades determinadas.

34 Formas de Contratação da Construção EMPREITADA POR PREÇO INTEGRAL Quando se contrata um empreendimento em sua integralidade, compreendendo todas as etapas das obras, serviços e instalações necessárias, sob inteira responsabilidade da contratada até a sua entrega ao contratante em condições de entrada em operação, atendidos os requisitos técnicos e legais para sua utilização em condições de segurança estrutural e operacional e com as características adequadas às finalidades para que foi contratada. Não é permitido realizar aditivo de preço do contrato.

35 CRITÉRIOS DE JULGAMENTO Artigo 44 Tipos de Licitação: Menor Preço Melhor técnica Técnica e Preço

36 MODELO DE APRESENTAÇÃO DAS PROPOSTAS DE PREÇO pesquisa de mercado de mão de obra, materiais e equipamentos custo horário de utilização de equipamentos produção das equipes mecânicas composições de custo unitários dos serviços demonstrativo detalhado do cálculo do BDI demonstrativo do cálculo dos encargos sociais

37 INSUMOS BÁSICOS DA CONSTRUÇÃO

38 SALÁRIOS PESSOAL ENCARGOS SOCIAIS BENEFÍCIOS VALE TRANSPORTE FORNECIMENTO CUSTOS DE CONS TRUÇÃO MATERIAIS EQUIPAMENTOS IMPOSTOS FORNECIMENTO IMPOSTOS IPI ICMS IPI ICMS IMPORTAÇÃO TRANSPORTES TAXAS E SEGUROS CREA, LICENÇAS E SEGURO DE VIDA, PREDIAL, AUTOMOTIVO E GARANTIA DE OBRA

39 ISS TRIBUTOS SOBRE O PREÇO DE VENDA COFINS PIS Tributos sobre o Lucro IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA CONTRIBUIÇÃO SOCIAL LUCRO LÍQUIDO

40 TRIBUTOS NAS CONSTRUÇÕES

41

42 Item % Preço Carga Tributária Incidência Tributos Mão obra 39,0 52,5 20,5 Equipam. 4,0 25,0 1,0 Materiais 40,6 24,0 9,7 Impostos 9,3 100,0 9,3 Lucro 6,0 100,0 40,5

43

44 MÉTODOS DE CÁLCULO DO ORÇAMENTO PREÇO DE REFERÊNCIA CUSTO OU ORÇAMENTO

45 MÉTODO DE CÁLCULO DO ORÇAMENTO.PREÇO DE REFERÊNCIA (Órgão Contratante) Custos unitários diretos genéricos multiplicados por BDI fixado. As variáveis adotadas são médias de mercado, portanto, não são especificadas para o projeto em questão.

46 MÉTODO DE CÁLCULO DO ORÇAMENTO. CUSTO (Construtora) Custos unitários diretos calculados por projeto e Custo Indireto específico para o projeto. A definição de todas as variáveis é exclusivamente para o projeto em questão ( salários, encargos sociais, materiais, tributos, cálculo do BDI e etc ).

47 O Papel das Tabelas Oficiais Modo correto de utilização por órgãos públicos

48 O Papel das Tabelas Oficiais Necessidade de audiências públicas na implantação de Tabelas de Preços Oficiais Comissão mista prévia e de acompanhamento periódico Recomendações de utilização que devem acompanhar manuais oficiais

49 Modo Correto de Utilização das Tabelas Como todo Manual serve para uso exclusivo pelo órgão público para estimar o preço de referência do empreendimento, servindo de preço base à licitação. Os valores das obras e os preços unitários encontrados nunca podem ser utilizados para contratação de serviços, no caso dos órgãos públicos. O preço dos serviços é de exclusividade das construtoras e prestadoras de serviços, após elaborar o CUSTO.

50 O Papel das Tabelas Oficiais As estimativas elaboradas pelos órgãos públicos não levam em consideração, a produtividade da Mão de Obra local, do clima, do solo, da topografia etc

51 Engenharia de Custos Não existem duas obras com o mesmo preço, por mais que se pareçam. O nível de precisão de um orçamento de obra, por mais informações que se disponha, é pequeno. A incerteza e o risco são muito grandes.

52 Engenharia de Custos P A R A D I G M A

53 Engenharia de Custos Definição Geral Na Engenharia de Custos nenhuma das variáveis utilizadas em um orçamento podem ser previamente fixadas, dependem exclusivamente de informações quanto o projeto, localização do serviço ou das exigências do Edital de Licitações ou do Memorial Descritivo do Empreendimento.

54 Engenharia de Custos Variáveis anteriormente citadas, tais como:. BDI;. Encargos Sociais;. Tributos Sobre o Preço de Venda;. Composições de Custo Unitário;. Demais variáveis. Deverão ser calculadas para cada orçamento.

55 Composições de Custos Unitários dos Serviços

56 APROPRIAÇÃO DE CAMPO

57 Engenharia de Custos Controle de Obras Apropriação de Campo dos Coeficientes Físicos das Composições de Custos Unitários de Serviços (Construtoras e Órgãos Públicos ) Realimentação do Processo de Elaboração de Orçamentos com o resultado da apropriação

58 FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA

59 PREÇO DE VENDA CUSTO + LUCRO PREÇO DE VENDA

60 Gerenciamento de Custos Formação do Preço de Venda Custo Direto + Custo Indireto Custo Total

61 Engenharia de Custos CUSTO DIRETO É obtido através dos consumos dos itens de custo facilmente mensuráveis na unidade de medição e pagamento dos serviços. UNIDADE = a do serviço

62 Engenharia de Custos CUSTO INDIRETO É representado pelos itens de custo que não são facilmente mensuráveis na unidade de medição e pagamento dos serviços.

63 Engenharia de Custos CUSTOS INDIRETOS: Administração Central (%) Tributos sobre a Nota Fiscal (%) Custo Financeiro (%) Seguros (%) Garantias (%) Margem de Erro (%)

64 Gerenciamento de Custos Formação do Preço de Venda Custo Direto + Custo Indireto Custo Total

65 Gerenciamento de Custos Formação do Preço de Venda Custo Direto + Custo Indireto Custo Total + Lucro Preço de Venda

66 Engenharia de Custos Formação do Preço de Venda Custo Direto + Custo Indireto Custo Total Tributos sobre a Nota Fiscal + Lucro Preço de Venda

67 Engenharia de Custos O BDI é utilizado para se obter o Preço Unitário de Venda de cada serviço da Planilha de Quantidades.

68 Composição Unitária de Custo Concreto 15 MPa Unidade: m³ Data : jan/01 Componentes Unidade Coeficientes Preço do Componente Custo Unitário Betoneira 320 L h 3, ,65 16,15 Vibrador Imersão - CP h 0, ,32 0,86 Vibrador Imersão - CI h 0, ,26 1,98 Torre c/ Guincho h 0, ,54 1,34 Encarregado de Concreto h 0, ,56 3,99 Pedreiro h 2, ,37 12,14 Servente h 10, ,11 32,40 Ferramentas Manuais % 5 2,43 Cimento kg 330 0,18 59,40 Areia m³ 0,69 21,00 14,49 Brita m³ 0,827 40,00 33,08 Transporte de Areia 35 km 1,035 11,89 12,31 Transporte de Brita 30 km 1,241 10,24 12,71 Transporte de Cimento 28 km 0,33 11,40 3,76 CUSTO UNITÁRIO DIRETO 207,02 BDI % 46,94 97,18 PREÇO UNITÁRIO DE VENDA 304,20

69 BDI Formação do Preço de Venda Custo Direto + Custo Indireto ( DI ) Custo Total + Lucro ( B ) Preço de Venda

70 CONCEITO DE BDI NO BRASIL É É o rateio do Lucro (L) mais os Custos Indiretos (CI) aplicado aos Custos Unitários Diretos ( CD ). Preço Unitário de Venda do Serviço = Custo Unitário Direto x (1 + BDI/100).

71 Gerenciamento de Custos Construtor (Custo): o BDI só pode ser calculado obra por obra de acordo com o especificado anteriormente. Órgãos Contratantes (Preço de Referência) : é possível adotar custos unitários diretos genéricos de tabelas ou revistas x BDI de Referência.

72 NOVO BDI Orientação Técnica sobre o Novo Conceito de BDI BDI de Serviços BDI sobre Fornecimento de Materiais

73 BDI SEGUNDO O VALOR DO CONTRATO O BDI é principalmente função do valor do contrato, apesar de ser influenciado, ainda, pelo prazo, localização, dificuldades de execução e exigências do Edital de Licitações.

74 BDI SEGUNDO O VALOR DO CONTRATO BDI EM FUNÇÃO DO VALOR DO CONTRATO 50,00% 45,00% 40,00% 35,00% 30,00% 25,00% 20,00% 15,00% 10,00% 5,00% 0,00% 46,10% 40,74% 38,64% 34,76% ,35%

75 METODOLOGIA PROPOSTA O BDI deve ser calculado pelo contratante por faixas de valores de contratação das obras.

76 METODOLOGIA PROPOSTA Faixas propostas para o cálculo do BDI: Até R$ ,00 De R$ ,01 a R$ ,00 Acima de R$ ,01

77 O Globo BDI DOS BANCOS

78 METODOLOGIA PROPOSTA Custos incidentes sobre o Custo Direto: Custo Financeiro (%) Administração Central (%) Seguros (%) Garantias (%) Margem de Incerteza e Riscos (%) Custos incidentes sobre o Preço de Venda: Lucro Bruto (%) Tributos sobre a Receita (%)

79 METODOLOGIA PROPOSTA Aplicação dos custos incidentes sobre o Custo Direto e Sobre o Preço de Venda: NOVO BDI (%) (1 + CF + AC + S + G + MIR ) BDI =(( ) -1) x ( TM + TE + TF + L )

80 NOVO BDI (%) (1 + CF + AC + S + G + MIR ) BDI= ( -1 ) x ( TM + TE + TF + LB ) CF Custo Financeiro AC Administração Central S Seguros G Garantias MIR Margem de Incerteza e Riscos TM Tributos Municipais TE Tributos Estaduais TF Tributos Federais LB Lucro Bruto

81

82 BDI não tem média nem máximo. É justificado pela análise das variáveis que o compõem.

83 Atenção ENCARGOS SOCIAIS E COMPLEMENTARES

84 ENCARGOS SOCIAIS - Contratantes Análise de Encargos Sociais 200,00 180,00 160,00 140,00 120,00 Encargos (%) 100,00 80,00 60,00 40,00 20,00 Seqüência1 0, Meses de Perm anência

85 Encargos Sociais - Contratantes Inclui, EPI Vale Transporte Alimentação Consultas e Exames Médicos Seguro de Vida Representa de 35 a 60% no Enc.Social

86 Preço Socialmente Justo

87 O Preço de Referência da Licitação deve incluir todos os itens de custo da obra O que não vem ocorrendo

88 Preço Socialmente Justo O preço de venda de referência das obras públicas está abaixo de 20% do custo.

89 Resumo do Preço de Venda. Encargos Complementares. BDI. Custo Direto. Administração Local

90 Fiscalização e Auditoria Criar metodologia adequada para realizar auditoria de obras públicas Adotar Processo de Correlação: Cp / Ce = [Dp / De]α Cp é o custo de um serviço projetado de dimensão Dp; Ce é o custo de um serviço existente de dimensão De ; α uma variável entre 0,8 e 2.

91 Nova Metodologia de Orçamento de Obras Públicas IBEC apresentará uma Nova Metodologia e Orçamento sem Preconceito

92 Engenharia de Custos Uma Ciência

93 Engº Paulo Dias (21) (21) IBEC

SINAPI Modelo de Apresentação

SINAPI Modelo de Apresentação SINAPI Modelo de Apresentação Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil Administrado pela CAIXA Precisão do Preço de Referência Margem de erro elevada MÉTODO DE CÁLCULO DO

Leia mais

Instituto Brasileiro de Engenharia de Custos

Instituto Brasileiro de Engenharia de Custos Instituto Brasileiro de Engenharia de Custos Engenheiro Civil Paulo Roberto Vilela Dias, MSc Mestre em Engenharia Civil - uff Professor do Mestrado em Engenharia Civil da Universidade Federal Fluminense

Leia mais

Manutenção do Canteiro de Obras

Manutenção do Canteiro de Obras EPI Sinalização de Obra Manutenção do Canteiro de Obras Medicina do Trabalho OBRIGATÓRIO Apresentar o detalhamento de todos os custos unitários constantes da Planilha de Quantidades. Mobilização e

Leia mais

Instituto Brasileiro de Engenharia de Custos

Instituto Brasileiro de Engenharia de Custos Instituto Brasileiro de Engenharia de Custos 1º Fórum Brasileiro de Custos de Obras Públicas Metodologia de Cálculo Orientação Técnica para Cálculo do Preço de Referência em Licitações de Obras Públicas

Leia mais

FORMAÇÃO DE CUSTOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL

FORMAÇÃO DE CUSTOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL IETEC INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PÓS-GRADUAÇÃO APERFEIÇOAMENTO ENGENHARIA DE CUSTOS E ORÇAMENTOS TURMA 01 FORMAÇÃO DE CUSTOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL Ana Milagres do Nascimento Engenheira civil orçamentista

Leia mais

Orientação Técnica Nº IBEC-04/2011

Orientação Técnica Nº IBEC-04/2011 Orientação Técnica Nº IBEC-04/2011 Elaboração de Orçamentos de Referências de Obras Públicas Versão para Órgãos Contratantes (Versão provisória em consulta pública) OT IBEC-04/2011 - Revisão 01-18 Mar

Leia mais

Mestre em Engenharia Civil

Mestre em Engenharia Civil Mestre em Engenharia Civil 3ª Edição Junho 2010 PUBLICAÇÃO Jan/2009 Engenheiro Civil Paulo Roberto Vilela Dias / CREA-RJ 30039/D. Todos os direitos são reservados. Nenhuma parte desta obra poderá ser copiada

Leia mais

GERENCIAMENTO DA CONSTRUÇÃO CIVIL

GERENCIAMENTO DA CONSTRUÇÃO CIVIL GERENCIAMENTO DA CONSTRUÇÃO CIVIL FSP - Faculdade Sudoeste Paulista Departamento Engenharia Civil ENGª. M.Sc. Ana Lúcia de Oliveira Daré Cap. 3: OS CUSTOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL 3.1 Custos na construção civil

Leia mais

Orientação Técnica Nº IBEC-04/2011

Orientação Técnica Nº IBEC-04/2011 Orientação Técnica Nº IBEC-04/2011 Elaboração de Orçamentos de Referências de Obras Públicas Versão para Órgãos Contratantes (Versão provisória em consulta pública) O IBEC é membro do Conselho Internacional

Leia mais

PROC-IBR-EDIF 046/2015 Análise de Projeto de Estrutura Metálica

PROC-IBR-EDIF 046/2015 Análise de Projeto de Estrutura Metálica INSTITUTO BRASILEIRO DE AUDITORIA DE OBRAS PÚBLICAS IBRAOP INSTITUTO RUI BARBOSA IRB / COMITÊ OBRAS PÚBLICAS PROC-IBR-EDIF 046/2015 Análise de Projeto de Estrutura Metálica Primeira edição válida a partir

Leia mais

Gerenciamento da Construção Civil

Gerenciamento da Construção Civil Gerenciamento da Construção Civil FSP - Faculdade Sudoeste Paulista Departamento. Engenharia Civil ENGª. M.Sc. Ana Lúcia de Oliveira Daré Ref.:Orçamento: BDI Benefícios e Despesas Indiretas BDI Benefícios

Leia mais

OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA LICITAÇÕES E CONTRATOS

OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA LICITAÇÕES E CONTRATOS OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA LICITAÇÕES E CONTRATOS Instrutora: Adelaide Bittencourt P. Coelho Participação: Paula Romano TCEMG Novembro/2009 IMPORTÂNCIA DO TEMA As obras são a parte mais aparente das

Leia mais

PLANEJAMENTO DE OBRAS PÚBLICAS ORIENTAÇÕES

PLANEJAMENTO DE OBRAS PÚBLICAS ORIENTAÇÕES PLANEJAMENTO DE OBRAS PÚBLICAS ORIENTAÇÕES Alberto de Barros Moraes Sayão Secretaria de Aviação Civil da Presidência da Republica alberto.sayao@aviacaocivil.gov.br RESUMO O presente trabalho tem como objetivo

Leia mais

Os passos e a importância da elaboração adequada de uma planilha orçamentária para licitações de obras públicas

Os passos e a importância da elaboração adequada de uma planilha orçamentária para licitações de obras públicas Os passos e a importância da elaboração adequada de uma planilha orçamentária para licitações de obras públicas Resumo Marilia Ferreira de Oliveira Corrêa mariliaf_18@hotmail.com Gerenciamento de Obras,

Leia mais

INSTRUÇÃO TÉCNICA 02 PROJETOS DE INFRAESTRUTURA : FUNDAÇÃO

INSTRUÇÃO TÉCNICA 02 PROJETOS DE INFRAESTRUTURA : FUNDAÇÃO INSTRUÇÃO TÉCNICA 02 PROJETOS DE INFRAESTRUTURA : FUNDAÇÃO 1. OBJETIVO 1.1. Estas Instruções Normativas de Projeto apresentam os procedimentos, critérios e padrões a serem adotados para elaboração dos

Leia mais

Análise sobre o atual cenário de contratação de obras públicas Maneiras de cálculo e incidência de BDI

Análise sobre o atual cenário de contratação de obras públicas Maneiras de cálculo e incidência de BDI Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Engenharia de Custos e Orçamentos - Turma nº 07 26/08/2015 Análise sobre o atual cenário de contratação de obras públicas Maneiras de cálculo e incidência

Leia mais

OBRAS PÚBLICAS: QUESTÕES PRÁTICAS DA LICITAÇÃO AO RECEBIMENTO

OBRAS PÚBLICAS: QUESTÕES PRÁTICAS DA LICITAÇÃO AO RECEBIMENTO FECAM Escola de Gestão Pública Municipal OBRAS PÚBLICAS: QUESTÕES PRÁTICAS DA LICITAÇÃO AO RECEBIMENTO Módulo III Chapecó, março/2012 1 3 Projeto e Orçamento 4 Fiscalização Pedro Jorge Rocha de Oliveira

Leia mais

PROC IBR EDIF 01.02.004/2014

PROC IBR EDIF 01.02.004/2014 INSTITUTO BRASILEIRO DE AUDITORIA DE OBRAS PÚBLICAS IBRAOP INSTITUTO RUI BARBOSA IRB / COMITÊ OBRAS PÚBLICAS PROC IBR EDIF 01.02.004/2014 01 - Fase Licitatória 01.02 - Análise das especificações, quantidades

Leia mais

ELABORAÇÃO DE PLANILHAS DE ORÇAMENTO DE OBRAS

ELABORAÇÃO DE PLANILHAS DE ORÇAMENTO DE OBRAS OBJETIVO ELABORAÇÃO DE PLANILHAS DE ORÇAMENTO DE OBRAS 04 E 05 DE SETEMBRO DE 2013 Curitiba/PR Proporcionar o aprimoramento dos servidores envolvidos diretamente na elaboração de orçamentos de obras e

Leia mais

Tributos em orçamentos

Tributos em orçamentos Tributos em orçamentos Autores: Camila de Carvalho Roldão Natália Garcia Figueiredo Resumo O orçamento é um dos serviços mais importantes a serem realizados antes de se iniciar um projeto. É através dele

Leia mais

Click to edit Master text styles

Click to edit Master text styles Click to edit Master text styles PROJETO BÁSICO: DELIMITAÇÃO, CONTROLE E EFETIVIDADE. Sydnei Menezes Arquiteto e Urbanista Presidente do CAU/RJ presidente@caurj.org.br Identificação do problema: Click

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO NÍVEL MESTRADO

UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO NÍVEL MESTRADO UNIVERSIDADE PAULISTA - UNIP PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO NÍVEL MESTRADO Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção da Universidade Paulista -

Leia mais

Supremo Tribunal Federal Secretaria de Controle Interno Coordenadoria de Auditoria e Fiscalização

Supremo Tribunal Federal Secretaria de Controle Interno Coordenadoria de Auditoria e Fiscalização NOTA TÉCNICA Nº 1/2007 SCI Brasília, 13 de dezembro de 2007. Assunto: Definição de limites para BDI nas contratações de serviço com locação de mão-de-obra: 26,44% para o regime de incidência cumulativa

Leia mais

INSTRUÇÃO TÉCNICA 06 PROJETOS DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS, COMUNICAÇÃO E SISTEMAS DE PREVENÇÃO DE DESCARGAS ATMOSFÉRICAS

INSTRUÇÃO TÉCNICA 06 PROJETOS DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS, COMUNICAÇÃO E SISTEMAS DE PREVENÇÃO DE DESCARGAS ATMOSFÉRICAS INSTRUÇÃO TÉCNICA 06 PROJETOS DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS, COMUNICAÇÃO E SISTEMAS DE PREVENÇÃO DE DESCARGAS ATMOSFÉRICAS 1 OBJETIVO Revisão 00 fev/2014 1.1 Estas Instruções Normativas de Projeto apresentam

Leia mais

40 p., il., 21cm. I. Título : BDI

40 p., il., 21cm. I. Título : BDI BDI - Bonifi cação ou Benefício e Despesas Indiretas / Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Minas Gerais. - Belo Horizonte : Crea-MG, 2007. 40 p., il., 21cm. I. Título : BDI 04 APRESENTAÇÃO

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Diogo Campos Borges de Medeiros MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES

TERMO DE REFERÊNCIA. Diogo Campos Borges de Medeiros MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES DIRETORIA EXECUTIVA COORDENAÇÃO GERAL DE CDASTRO E LICITAÇÕES TERMO DE REFERÊNCIA Diogo Campos Borges de Medeiros I SEMINÁRIO DE LICITAÇÕES E CONTRATOS DO DNIT OBJETIVOS Verificar o conceito, as aplicações

Leia mais

FECAM Escola de Gestão Pública Municipal OBRAS PÚBLICAS: QUESTÕES PRÁTICAS DA LICITAÇÃO AO RECEBIMENTO. Florianópolis, março/2012. Objetivo do curso:

FECAM Escola de Gestão Pública Municipal OBRAS PÚBLICAS: QUESTÕES PRÁTICAS DA LICITAÇÃO AO RECEBIMENTO. Florianópolis, março/2012. Objetivo do curso: FECAM Escola de Gestão Pública Municipal OBRAS PÚBLICAS: QUESTÕES PRÁTICAS DA LICITAÇÃO AO RECEBIMENTO Módulo I Florianópolis, março/2012 1 Objetivo do curso: Desenvolver competências (conhecimentos, habilidades

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE METODOLOGIA DE CALCULO DO BDI PARA ORÇAMENTOS DE OBRAS CIVIS NA DIRETORIA DE OBRAS CIVIS DA MARINHA Por: Valéria Teixeira

Leia mais

1- METODOLOGIA DE ORÇAMENTO DE OBRAS. NOVO CONCEITO PARA O BDI

1- METODOLOGIA DE ORÇAMENTO DE OBRAS. NOVO CONCEITO PARA O BDI 1- METODOLOGIA DE ORÇAMENTO DE OBRAS. NOVO CONCEITO PARA O BDI 1.1- INTRODUÇÃO Para a elaboração de orçamentos consistentes de serviços de engenharia, entende-se que algumas premissas devam prevalecer.

Leia mais

17 de agosto de 2010 Engenheiro Civil Paulo Roberto Vilela Dias / CREA-RJ 30039/D. Todos os direitos são reservados.

17 de agosto de 2010 Engenheiro Civil Paulo Roberto Vilela Dias / CREA-RJ 30039/D. Todos os direitos são reservados. 17 de agosto de 2010 Engenheiro Civil Paulo Roberto Vilela Dias / CREA-RJ 30039/D. Todos os direitos são reservados. Nenhuma parte desta obra poderá ser copiada ou reproduzida de qualquer forma ou para

Leia mais

Orientações para Elaboração de Planilhas Orçamentárias de Obras Públicas. 22 e 23 de outubro de 2015 Florianópolis/SC

Orientações para Elaboração de Planilhas Orçamentárias de Obras Públicas. 22 e 23 de outubro de 2015 Florianópolis/SC Orientações para Elaboração de Planilhas Orçamentárias de Obras Públicas 22 e 23 de outubro de 2015 Florianópolis/SC APRESENTAÇÃO O Tribunal de Contas da União lançou, recentemente, um guia denominado

Leia mais

O Método de Custeio por Absorção e o Método de Custeio Variável

O Método de Custeio por Absorção e o Método de Custeio Variável O Método de Custeio por Absorção e o Método de Custeio Variável por Carlos Alexandre Sá Existem três métodos de apuração dos Custos das Vendas 1 : o método de custeio por absorção, o método de custeio

Leia mais

2.3 Os projetos somente serão liberados pelos técnicos se estiverem assinados e acompanhados das respectivas ARTs ou RRTs.

2.3 Os projetos somente serão liberados pelos técnicos se estiverem assinados e acompanhados das respectivas ARTs ou RRTs. INSTRUÇÃO TÉCNICA 11 COMUNICAÇÃO VISUAL E SINALIZAÇÃO Revisão 00 jan/2014 1 OBJETIVO 1.1 Estas Instruções Normativas de Projeto apresentam os procedimentos, critérios e padrões a serem adotados para elaboração

Leia mais

E EXECUÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO NO CAMPUS JOÃO PESSOA

E EXECUÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO NO CAMPUS JOÃO PESSOA ANEXO I PROJETO BÁSICO AMBIENTAÇÃO DAS SALAS DE AULA DO BLOCO PRINCIPAL e SECUNDÁRIO E EXECUÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO NO 1 1. INTRODUÇÃO A elaboração do presente Projeto Básico atende determinação

Leia mais

ESTUDO IBPT Frete marítimo e seu impacto na arrecadação tributária e na inflação

ESTUDO IBPT Frete marítimo e seu impacto na arrecadação tributária e na inflação Junho 2013 ESTUDO IBPT AUMENTO DO FRETE MARÍTIMO NA IMPORTAÇÃO TEM REFLEXOS NA ARRECADAÇÃO TRIBUTÁRIA E NA INFLAÇÃO Frete marítimo na importação teve aumento de 82,11% em Dólar no período de janeiro de

Leia mais

CURSO DE ORÇAMENTAÇÃO DE OBRAS DE ENGENHARIA

CURSO DE ORÇAMENTAÇÃO DE OBRAS DE ENGENHARIA GERANDO COMPETITIVIDADE ATRAVÉS DO CONHECIMENTO E DA INOVAÇÃO CURSO DE ORÇAMENTAÇÃO DE OBRAS DE ENGENHARIA LOCAL: CREA-PB. DIAS: 10, 11 e 12 de Junho de 2015. Quarta das 19h às 22h; Quinta das 08h às 12h

Leia mais

Quant. Vr. Unitário Vr.Total. Percentual. Quant. Vr. Unitário Vr. Total

Quant. Vr. Unitário Vr.Total. Percentual. Quant. Vr. Unitário Vr. Total ANEXO... PLANILHA DE CUSTOS 2º TURNO Quantidades (veículos/diárias): Tipo da contratação: ( ) Terceirizada ( ) Regime da CLT ( ) Cooperativa (Lei nº 5.764/71) ( ) Regime Tributário: ( ) Lucro Real ( )

Leia mais

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO OBJETIVO DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO Fornecer diretrizes para a elaboração e apresentação de orçamentos que compõem o Projeto Executivo. FINIÇÕES O orçamento executivo abrange a elaboração dos elementos

Leia mais

Disciplina: Gerenciamento de Obras Informática aplicada ao Gerenciamento de Obras

Disciplina: Gerenciamento de Obras Informática aplicada ao Gerenciamento de Obras Disciplina: Gerenciamento de Obras Informática aplicada ao Gerenciamento de Obras Prof. Ms. Daniele Ornaghi Sant Anna Informática aplicada ao Gerenciamento de Obras Programas computacionais gráficos podem

Leia mais

PROC IBR EDIF 01.02.003/2014

PROC IBR EDIF 01.02.003/2014 INSTITUTO BRASILEIRO DE AUDITORIA DE OBRAS PÚBLICAS IBRAOP INSTITUTO RUI BARBOSA IRB / COMITÊ OBRAS PÚBLICAS PROC IBR EDIF 01.02.003/2014 01 - Fase Licitatória 01.02 - Análise das especificações, quantidades

Leia mais

EDITAL CONCORRÊNCIA 02/2015 ANEXO IX - ANÁLISE ECONÔMICO-FINANCEIRA DA CONCESSÃO.

EDITAL CONCORRÊNCIA 02/2015 ANEXO IX - ANÁLISE ECONÔMICO-FINANCEIRA DA CONCESSÃO. EDITAL CONCORRÊNCIA 02/2015 ANEXO IX - ANÁLISE ECONÔMICO-FINANCEIRA DA CONCESSÃO. Análise Econômico-financeira da Concessão A licitante deverá apresentar uma análise econômico-financeira da concessão,

Leia mais

ANEXO V DO EDITAL TERMO DE REFERÊNCIA DOS DEMONSTRATIVOS DE VIABILIDADE ECONÔMICO-FINANCEIRA

ANEXO V DO EDITAL TERMO DE REFERÊNCIA DOS DEMONSTRATIVOS DE VIABILIDADE ECONÔMICO-FINANCEIRA ANEXO V DO EDITAL TERMO DE REFERÊNCIA DOS DEMONSTRATIVOS DE VIABILIDADE ECONÔMICO-FINANCEIRA Este ANEXO define a forma como devem ser apresentados os demonstrativos de viabilidade econômico-financeira

Leia mais

PROC-IBR-EDIF 010/2014 Análise das especificações, quantidades e preços das Fundações, Cortinas e Muros de Arrimo

PROC-IBR-EDIF 010/2014 Análise das especificações, quantidades e preços das Fundações, Cortinas e Muros de Arrimo INSTITUTO BRASILEIRO DE AUDITORIA DE OBRAS PÚBLICAS IBRAOP INSTITUTO RUI BARBOSA IRB / COMITÊ OBRAS PÚBLICAS PROC-IBR-EDIF 010/2014 Análise das especificações, quantidades e preços das Fundações, Cortinas

Leia mais

ANEXO VIII MODELO PARA APRESENTAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS

ANEXO VIII MODELO PARA APRESENTAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS ANEXO VIII MODELO PARA APRESENTAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS Este Anexo tem por objetivo orientar a elaboração do Plano de Negócios, que compõe a proposta comercial da proponente. O documento deve corresponder

Leia mais

Contabilidade Financeira e Gerencial. Conceitos Básicos: bens, direitos e balanço patrimonial

Contabilidade Financeira e Gerencial. Conceitos Básicos: bens, direitos e balanço patrimonial Contabilidade Financeira e Gerencial Conceitos Básicos: bens, direitos e balanço patrimonial Demonstração de Resultados A DRE é a apresentação, em forma resumida, das operações realizadas pela empresa,

Leia mais

RESENHA TRIBUTÁRIA ATUALIZADA

RESENHA TRIBUTÁRIA ATUALIZADA RESENHA TRIBUTÁRIA ATUALIZADA! As mudanças no PIS e no Cofins! Lucro real e presumido! IR e CSLL! Simples Francisco Cavalcante (francisco@fcavalcante.com.br) Sócio-Diretor da Cavalcante & Associados, empresa

Leia mais

Roteiro de Operacionalização Obras Públicas

Roteiro de Operacionalização Obras Públicas Roteiro de Operacionalização Obras Públicas Jeferson Alves dos Santos # O que analisar? - Superfaturamento sobrepreço, super quantidade e subqualidade. - O que contratar? = características da obra - Com

Leia mais

REGULAMENTO DO BDI METODOLOGIA DE CÁLCULO DO ORÇAMENTO DE EDIFICAÇÕES T COMPOSIÇÃO DO CUSTO DIRETO E DO BDI

REGULAMENTO DO BDI METODOLOGIA DE CÁLCULO DO ORÇAMENTO DE EDIFICAÇÕES T COMPOSIÇÃO DO CUSTO DIRETO E DO BDI REGULAMENTO DO BDI METODOLOGIA DE CÁLCULO DO ORÇAMENTO DE EDIFICAÇÕES T REGULAMENTO COMPOSIÇÃO DO CUSTO DIRETO E DO BDI O presente Regulamento aprovado pelo Conselho Deliberativo do INSTITUTO DE ENGENHARIA

Leia mais

PROC-IBR-EDIF 018/2014 Análise das especificações, quantidades e preços dos Vidros

PROC-IBR-EDIF 018/2014 Análise das especificações, quantidades e preços dos Vidros INSTITUTO BRASILEIRO DE AUDITORIA DE OBRAS PÚBLICAS IBRAOP INSTITUTO RUI BARBOSA IRB / COMITÊ OBRAS PÚBLICAS PROC-IBR-EDIF 018/2014 Análise das especificações, quantidades e preços dos Vidros Primeira

Leia mais

MEMORIAIS, ESPECIFICAÇÕES E PLANILHA ORÇAMENTÁRIA PARA O PREÇO TOTAL DE ELABORAÇÃO DE PROJETO EXECUTIVO

MEMORIAIS, ESPECIFICAÇÕES E PLANILHA ORÇAMENTÁRIA PARA O PREÇO TOTAL DE ELABORAÇÃO DE PROJETO EXECUTIVO MEMORIAIS, ESPECIFICAÇÕES E PLANILHA ORÇAMENTÁRIA PARA O PREÇO TOTAL DE ELABORAÇÃO DE PROJETO EXECUTIVO Í N D I C E APRESENTAÇÃO JUSTIFICATIVA OBJETIVOS METAS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PLANILHA ORÇAMENTÁRIA

Leia mais

A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO E A

A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO E A 30 e 31 Março LOCAL: Brasília, DF A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO E A REPERCUSSÃO NA PLANILHA DE CUSTOS E PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS: Repactuações, Reajustes e Revisões De acordo com as recentes alterações

Leia mais

METODOLOGIA DE CÁLCULO DO ORÇAMENTO DE EDIFICAÇÕES

METODOLOGIA DE CÁLCULO DO ORÇAMENTO DE EDIFICAÇÕES METODOLOGIA DE CÁLCULO DO ORÇAMENTO DE EDIFICAÇÕES COMPOSIÇÃO DO CUSTO DIRETO E DO BDI / LDI REGULAMENTO O presente Regulamento aprovado pelo Conselho Deliberativo do INSTITUTO DE ENGENHARIA em sua sessão

Leia mais

DIREITO TRIBUTÁRIO Parte II. Manaus, abril de 2013 Jorge de Souza Bispo, Dr. 1

DIREITO TRIBUTÁRIO Parte II. Manaus, abril de 2013 Jorge de Souza Bispo, Dr. 1 DIREITO TRIBUTÁRIO Parte II Manaus, abril de 2013 Jorge de Souza Bispo, Dr. 1 TRIBUTO Definido no artigo 3º do CTN como sendo toda prestação pecuniária compulsória (obrigatória), em moeda ou cujo valor

Leia mais

7 SPDM ASSOCIAÇÃO PAULISTA PARA O DESENVOLVIMENTO DA MEDICINA Programa de Atenção Integral à Saúde

7 SPDM ASSOCIAÇÃO PAULISTA PARA O DESENVOLVIMENTO DA MEDICINA Programa de Atenção Integral à Saúde REGULAMENTO DE COMPRAS e CONTRATAÇÃO DE OBRAS E SERVIÇOS DAS UNIDADES SOB GERENCIAMENTO DA O.S.S. SPDM ASSOCIAÇÃO PAULISTA PARA O DESENVOLVIMENTO DA MEDICINA PROGRAMA DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE A SPDM

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL REI PREFEITURA DE CAMPUS - SETOR DE OBRAS COMPOSIÇÃO DO BDI PARA OBRA DE CONSTRUÇÃO DO PRÉDIO DO CAMAT - 1ª etapa

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL REI PREFEITURA DE CAMPUS - SETOR DE OBRAS COMPOSIÇÃO DO BDI PARA OBRA DE CONSTRUÇÃO DO PRÉDIO DO CAMAT - 1ª etapa UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL REI PREFEITURA DE CAMPUS - SETOR DE OBRAS COMPOSIÇÃO DO BDI PARA OBRA DE CONSTRUÇÃO DO PRÉDIO DO CAMAT - 1ª etapa (BÔNUS E DESPESAS INDIRETAS) Itens de valor percentual

Leia mais

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S.A.- CERON PROGRAMA LUZ PARA TODOS. Anexo I - Planilha Orçamentária - Composição de Custos -DOC/DOCA

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S.A.- CERON PROGRAMA LUZ PARA TODOS. Anexo I - Planilha Orçamentária - Composição de Custos -DOC/DOCA CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S.A.- CERON PROGRAMA LUZ PARA TODOS Anexo I - Planilha Orçamentária - Composição de Custos -DOC/DOCA Objeto: Referência: PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS TÉCNICOS E ADMINISTRATIVOS

Leia mais

GESTÃO E FISCALIZAÇÃO DE CONTRATOS DE OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA

GESTÃO E FISCALIZAÇÃO DE CONTRATOS DE OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA Tribunal de Contas do Estado do Piauí Inspetoria de Obras e Serviços Públicos Divisão de Engenharia Palestrante: Bruno C. de Holanda Cavalcanti Auditor Fiscal de Controle Externo GESTÃO E FISCALIZAÇÃO

Leia mais

Erros nas contratações geram tributos excessivos

Erros nas contratações geram tributos excessivos A parte de imagem com identificação de relação rid38 não foi encontrada no arquivo. Login: Senha: Esqueci minha senha. O Portal da Arquitetura, Engenharia e Construção Quem somos Contato Anuncie Login

Leia mais

EMPREITADA GLOBAL OU UNITÁRIA?

EMPREITADA GLOBAL OU UNITÁRIA? X SINAOP SIMPÓSIO NACIONAL DE AUDITORIA DE OBRAS PUBLICAS PERNAMBUCO EMPREITADA GLOBAL OU UNITÁRIA? LICITAÇÕES E CONTRATOS - ASPECTOS POLÊMICOS Walter Augusto de Azevedo Assistente da Subsecretaria de

Leia mais

CURSO OBRAS RODOVIÁRIAS : ORÇAMENTO, PLANEJAMENTO E GERENCIAMENTO

CURSO OBRAS RODOVIÁRIAS : ORÇAMENTO, PLANEJAMENTO E GERENCIAMENTO CURSO OBRAS RODOVIÁRIAS : ORÇAMENTO, PLANEJAMENTO E GERENCIAMENTO O setor de transportes rodoviários tem destacada importância no desenvolvimento econômico nacional. Anualmente são disponibilizados recursos

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Sem. CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS I II III IV V VI VI I Matriz Curricular válida para os acadêmicos ingressantes

Leia mais

B D I. Bonificação ou benefício e despesas indiretas

B D I. Bonificação ou benefício e despesas indiretas 2 a capa B D I Bonificação ou benefício e despesas indiretas Apresentação O s profissionais que atuam nas áreas da engenharia, arquitetura e agronomia, se deparam com dificuldades quando chega o momento

Leia mais

ANEXOS DO EDITAL - TIPO: GENÉRICO ANEXO 02 MODELO PROPOSTA DA LICITANTE

ANEXOS DO EDITAL - TIPO: GENÉRICO ANEXO 02 MODELO PROPOSTA DA LICITANTE ANEXOS DO EDITAL - TIPO: GENÉRICO ANEXO 02 MODELO PROPOSTA DA LICITANTE _ (nome da empresa), CNPJ-MF n.º, sediada (endereço completo), telefone (xx) xxxx-xxxx, email: xxxxxxx@xxxxx.com.br, tendo examinado

Leia mais

BDI CRÍTICO: CRITÉRIO PARA INEXEQUIBILIDADE DE OBRAS PÚBLICAS

BDI CRÍTICO: CRITÉRIO PARA INEXEQUIBILIDADE DE OBRAS PÚBLICAS Encontro Técnico Nacional de Auditoria de Obras Públicas ENAOP - Palmas/TO, 202 BDI CRÍTICO: CRITÉRIO PARA INEXEQUIBILIDADE DE OBRAS PÚBLICAS Erieldon Bezerra Leão / Caixa Econômica Federal /erieldon@bol.com.br

Leia mais

Jurisprudência. SOLUÇÃO DE CONSULTA Nº 47 de 12 de Novembro de 2012

Jurisprudência. SOLUÇÃO DE CONSULTA Nº 47 de 12 de Novembro de 2012 SOLUÇÃO DE CONSULTA Nº 143 de 20 de Novembro de 2012 ASSUNTO: Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social Cofins/ Contribuição para o PIS/Pasep EMENTA: CRÉDITOS VINCULADOS A RECEITA NÃO TRIBUTADA.

Leia mais

DICAS PARA EXAME DE SUFICIÊNCIA CUSTOS

DICAS PARA EXAME DE SUFICIÊNCIA CUSTOS 1 DICAS PARA EXAME DE SUFICIÊNCIA CUSTOS CUSTODIO ROCHA Você bem preparado para o futuro da 2profissão. 1 OBJETIVOS Identificação do Conteúdo de Custos Aplicado nas Provas de Suficiência Breve Revisão

Leia mais

LICITAÇÕES DE OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA

LICITAÇÕES DE OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA LICITAÇÕES DE OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA A NECESSÁRIA VISÃO PANORÂMICA SOB OS OLHARES DO PÚBLICO E DO PRIVADO Carga horária: 16 horas A - A PREVISÃO CONSTITUCIONAL E A LICITAÇÃO 1. Da supremacia das

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC Professor Massuyuki Kawano Código: 136 Município: Tupã Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnico em Administração Qualificação:

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MJ - DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL NO ESTADO DO ACRE GTED GRUPO TÉCNICO DE EDIFICAÇÕES

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MJ - DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL NO ESTADO DO ACRE GTED GRUPO TÉCNICO DE EDIFICAÇÕES PROJETO BÁSICO DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL CONSTRUÇÃO DE UMA OFICINA DE VIATURAS NA EPA/DPF/AC DESENVOLVIMENTO / COORDENAÇÃO: GTED/SR/DPF/AC Atualização out/2012 Objeto Construção de uma oficina para

Leia mais

Relatório de Atividades da Oficina de Trabalho

Relatório de Atividades da Oficina de Trabalho DADOS GERAIS TÍTULO DA OFICINA: Seminário Formação de Preços em Obras Públicas - Preço Justo, Obra Concluída, Sociedade Atendida LOCAL: Sala Criatividade do Quality Hotel Aracaju DATAS: 26/08/2009 HORÁRIO:

Leia mais

1. ANEXO 5-A 2. MODELO DE PLANILHA DE SUPORTE DA PROPOSTA FINANCEIRA

1. ANEXO 5-A 2. MODELO DE PLANILHA DE SUPORTE DA PROPOSTA FINANCEIRA 1. ANEXO 5-A 2. MODELO DE PLANILHA DE SUPORTE DA PROPOSTA FINANCEIRA 1. 2. 1. INTRODUÇÃO 1.1 A PROPOSTA FINANCEIRA deverá conter o valor mensal da CONTRAPRESTAÇÃO pecuniária, a ser paga pelo PODER CONCEDENTE,

Leia mais

PROJETO BÁSICO OBRA DE REFORMA E AMPLIAÇÃO DA AC CERES - DR/GO ENDEREÇO: AVENIDA PRESIDENTE VARGAS, LOTE 34, QUADRA Q, SETOR CENTRAL, CERES - GOIÁS

PROJETO BÁSICO OBRA DE REFORMA E AMPLIAÇÃO DA AC CERES - DR/GO ENDEREÇO: AVENIDA PRESIDENTE VARGAS, LOTE 34, QUADRA Q, SETOR CENTRAL, CERES - GOIÁS PROJETO BÁSICO PROJETO BÁSICO PARA: OBRA DE REFORMA E AMPLIAÇÃO DA AC CERES - DR/GO OBJETO DA LICITAÇÃO: O objeto da presente licitação é a OBRA DE REFORMA E AMPLIAÇÃO DA AC CERES - DR/GO, na forma de

Leia mais

PROC IBR EDIF 048/2015 Análise de projeto de Instalações Prediais de Água Quente

PROC IBR EDIF 048/2015 Análise de projeto de Instalações Prediais de Água Quente INSTITUTO BRASILEIRO DE AUDITORIA DE OBRAS PÚBLICAS IBRAOP INSTITUTO RUI BARBOSA IRB / COMITÊ OBRAS PÚBLICAS PROC IBR EDIF 048/2015 Análise de projeto de Instalações Prediais de Água Quente Primeira edição

Leia mais

Ana Carolina Ferreira Gonzaga OBJETIVOS PROFISSIONAIS FORMAÇÃO ACADÊMICA

Ana Carolina Ferreira Gonzaga OBJETIVOS PROFISSIONAIS FORMAÇÃO ACADÊMICA Estado Civil Casada Telefone (62)9959-1977 / (62) 3932-0985 Natural Goiânia - GO E-mail ana_cfgonzaga@yahoo.com.br Redes Sociais Facebook: LinkedIn: OBJETIVOS PROFISSIONAIS Área: Gestão/Controle em Engenharia

Leia mais

Anexo IV.2 Instruções para Elaboração do Estudo de Viabilidade Econômico-financeira

Anexo IV.2 Instruções para Elaboração do Estudo de Viabilidade Econômico-financeira Anexo IV.2 Instruções para Elaboração do Estudo de Viabilidade Econômico-financeira PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA ÍNDICE 1 ANÁLISE ECONÔMICO-FINANCEIRA DA CONCESSÃO... 2 1.1Planilha 1 Demonstração

Leia mais

ESTADO DO MARANHÃO GOVERNADORIA COMISSÃO CENTRAL PERMANENTE DE LICITAÇÃO CCL

ESTADO DO MARANHÃO GOVERNADORIA COMISSÃO CENTRAL PERMANENTE DE LICITAÇÃO CCL REF.: CONCORRÊNCIA Nº 006 / 2014 CCL ANEXO ERRATA Nº 002/2014 - CCL RESUMO Mês base: Agosto/2013 DISCRIMINAÇÃO VALOR PARCIAL TOTAL A - EQUIPE TÉCNICA 2.025.871,44 A.1 - Pessoal de Nível Superior* 1.891.997,04

Leia mais

ASPECTOS IMPORTANTES SOBRE OS IMPOSTOS NA ELABORAÇÃO DE UM PROJETO

ASPECTOS IMPORTANTES SOBRE OS IMPOSTOS NA ELABORAÇÃO DE UM PROJETO ASPECTOS IMPORTANTES SOBRE OS IMPOSTOS NA! O que é Lucro Real?! O que é Lucro Presumido?! Como é calculada a tributação pelo SIMPLES?! Qual o regime tributável mais vantajoso para a elaboração de um projeto?!

Leia mais

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS 1. Sumário Executivo Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso 2. Sumário da Empresa 2.1 Composição da Sociedade Perfil Individual dos sócios, experiência, formação, responsabilidades

Leia mais

Engenheiro Civil UFBA Administrador de Empresas UCSAL MBA Gestão de Negócios UNIFACS

Engenheiro Civil UFBA Administrador de Empresas UCSAL MBA Gestão de Negócios UNIFACS Engenheiro Civil UFBA Administrador de Empresas UCSAL MBA Gestão de Negócios UNIFACS 1. indicações precisas da localização da obra; 2. resistência característica do concreto (fck) definida em projeto;

Leia mais

Planilhas orçamentárias: visão prática

Planilhas orçamentárias: visão prática Capítulo 13 Planilhas orçamentárias: visão prática Sumário: 13.1 Considerações iniciais 13.2 Elaboração da planilha base do orçamento 13.3 Relação dos insumos que serão utilizados e a pesquisa de preços

Leia mais

GESTÃO DE OBRAS PÚBLICAS

GESTÃO DE OBRAS PÚBLICAS SEMINÁRIO PREPARATÓRIO PARA A NOVA GESTÃO MUNICIPAL GESTÃO DE OBRAS PÚBLICAS CONTROLADORIA-GERAL DO ESTADO Auditores Governamentais: Gilberto Gomes da Silva Jonathan Madeira de Barros Nunes Manual de Orientações

Leia mais

ELABORAÇÃO DE PLANILHAS DE ORÇAMENTO DE OBRAS

ELABORAÇÃO DE PLANILHAS DE ORÇAMENTO DE OBRAS [ ELABORAÇÃO DE PLANILHAS DE ORÇAMENTO DE OBRAS "O impacto da desoneração da folha de pagamento na construção civil nos orçamentos" "O uso do Sinapi e de outros sistemas referenciais de custos" "O novo

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Secretaria de Portos Secretaria de Infraestrutura Portuária. PARECER Nº 003/2014 - GAB-SIP/INPH/SEP/PR Em 21 de maio de 2014

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Secretaria de Portos Secretaria de Infraestrutura Portuária. PARECER Nº 003/2014 - GAB-SIP/INPH/SEP/PR Em 21 de maio de 2014 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Secretaria de Portos Secretaria de Infraestrutura Portuária PARECER Nº 003/2014 - GAB-SIP/INPH/SEP/PR Em 21 de maio de 2014 Ementa: Aprova a metodologia de cálculo do Benefício

Leia mais

ANEXO VII MODELO DE PROPOSTA COMERCIAL

ANEXO VII MODELO DE PROPOSTA COMERCIAL ANEXO VII MODELO DE PROPOSTA COMERCIAL EXPLORAÇÃO, MEDIANTE CONCESSÃO ADMINISTRATIVA, DA GESTÃO DE ÁREAS DAS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO PARQUE ESTADUAL DO SUMIDOURO, MONUMENTO NATURAL ESTADUAL GRUTA REI DO

Leia mais

O CÁLCULO CUSTOMIZADO DA TAXA DE ENCARGOS SOCIAIS PARA OBRAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL EM ORÇAMENTOS E EM AUDITORIAS DE ENGENHARIA.

O CÁLCULO CUSTOMIZADO DA TAXA DE ENCARGOS SOCIAIS PARA OBRAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL EM ORÇAMENTOS E EM AUDITORIAS DE ENGENHARIA. O CÁLCULO CUSTOMIZADO DA TAXA DE ENCARGOS SOCIAIS PARA OBRAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL EM ORÇAMENTOS E EM AUDITORIAS DE ENGENHARIA. Artigo Técnico (Publicado em www.ibraeng.org) Fortaleza, CE Janeiro, 2013 2

Leia mais

Investimento Direto Estrangeiro e Tributação de Bens e Serviços no Brasil. Setembro 2015

Investimento Direto Estrangeiro e Tributação de Bens e Serviços no Brasil. Setembro 2015 Investimento Direto Estrangeiro e Tributação de Bens e Serviços no Brasil Setembro 2015 Investimento Direto Estrangeiro e Tributação de bens e serviços 1. Investimento Direto Estrangeiro Constituição de

Leia mais

REVISÃO PSQ GERENCIAMENTO

REVISÃO PSQ GERENCIAMENTO 1 REVISÃO PSQ GERENCIAMENTO 2 1. CARACTERIZAÇÃO DO SETOR 1.1. Definição do Gerenciamento A definição do gerenciamento pode ser dada sob diversos enfoques, dentre os quais destacamos o texto escrito por

Leia mais

CURSO 100% ATUALIZADO CONFORME AS RECENTES LEGISLAÇÕES

CURSO 100% ATUALIZADO CONFORME AS RECENTES LEGISLAÇÕES OUTUBRO DE 2015 Curso Completo de Licitações e Contratos para Obras e Serviços de Engenharia Dias 19, 20, 21 e 22 de OUTUBRO de 2015 Carga Horária: 24 horas/aula a maior carga horária do mercado! CURSO

Leia mais

Tributação na Corretagem de Seguros e a Responsabilidade Tributária.

Tributação na Corretagem de Seguros e a Responsabilidade Tributária. Tributação na Corretagem de Seguros e a Responsabilidade Tributária. Prof. Dr. Affonso d Anzicourt e Silva Professor e Palestrante da Escola Nacional de Seguros, Contador, Perito Judicial Federal por Nomeação,

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA Nº 01/2009/IBEC CONCEITO DE BDI

ORIENTAÇÃO TÉCNICA Nº 01/2009/IBEC CONCEITO DE BDI ORIENTAÇÃO TÉCNICA Nº 01/2009/IBEC CONCEITO DE BDI Coordenação: Engº Civil Paulo Roberto Vilela Dias, MSc ORIENTAÇÃO TÉCNICA Nº 01/2009/IBEC (Revisão) CONCEITO DE BDI DATA: 12/01/2009 PALAVRAS CHAVE: Orçamento

Leia mais

Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Disciplina: Projeto de Implementação de Sistemas Arquivísticos Profa.

Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Disciplina: Projeto de Implementação de Sistemas Arquivísticos Profa. Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Disciplina: Projeto de Implementação de Sistemas Arquivísticos Profa. Lillian Alvares Etimologia Vem do latim projectus que significa ação de

Leia mais

À Comissão elaboradora do Concurso Público para Cargos Técnico-Administrativos em Educação.

À Comissão elaboradora do Concurso Público para Cargos Técnico-Administrativos em Educação. Questão Resposta Argumentação Por se tratar de uma mapa extenso a redução da imagem, a resolução inadequada e a má qualidade da impressão tornou a análise do mapa do 22 B Cadastro de Lotes do Cadastro

Leia mais

INSTRUÇÃO TÉCNICA 04 PROJETOS DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCENDIOS (PCI)

INSTRUÇÃO TÉCNICA 04 PROJETOS DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCENDIOS (PCI) INSTRUÇÃO TÉCNICA 04 PROJETOS DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCENDIOS (PCI) 1 OBJETIVO 1.1 Estas Instruções Normativas de Projeto apresentam os procedimentos, critérios e padrões a serem adotados para elaboração

Leia mais

Avaliação do Plano MAIO de DE2011 Desenvolvimento Produtivo Departamento de Competitividade e Tecnologia DECOMTEC / FIESP

Avaliação do Plano MAIO de DE2011 Desenvolvimento Produtivo Departamento de Competitividade e Tecnologia DECOMTEC / FIESP DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTOS NA INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE COMPETITIVIDADE E TECNOLOGIA DECOMTEC Avaliação do Plano MAIO de DE2011 Desenvolvimento Produtivo Departamento de Competitividade

Leia mais

expert PDF Trial Estoques (Métodos de Avaliação do Estoque pelas Normas Contábeis e Fiscais)

expert PDF Trial Estoques (Métodos de Avaliação do Estoque pelas Normas Contábeis e Fiscais) Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400 - ramal 1529 (núcleo de relacionamento) Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva, 60 Higienópolis

Leia mais

ANEXO I EDITAL DE TOMADA DE PREÇOS Nº. 011/2010 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ANEXO I EDITAL DE TOMADA DE PREÇOS Nº. 011/2010 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS EDITAL DE TOMADA DE PREÇOS Nº. 011/2010 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Página 1 de 5 1 - DO OBJETO 1.1. Contratação de empresa de consultoria tributária para rotinas de apuração de IRPJ/CSLL, PIS/COFINS, bem

Leia mais

EDITAL DE CONCORRÊNCIA PÚBLICA Nº 004/2013 PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 001.027595.13.7 ESCLARECIMENTOS

EDITAL DE CONCORRÊNCIA PÚBLICA Nº 004/2013 PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 001.027595.13.7 ESCLARECIMENTOS EDITAL DE CONCORRÊNCIA PÚBLICA Nº 004/2013 PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 001.027595.13.7 ESCLARECIMENTOS OBJETO Constitui objeto da presente licitação a contratação de empresa ou consórcio de empresas para

Leia mais

CURRÍCULO PROFISSIONAL

CURRÍCULO PROFISSIONAL CURRÍCULO PROFISSIONAL ANDRÉ KUHN - MSc CURRÍCULO 1 - DADOS PESSOAIS: NOME: André Kuhn TÍTULOS: Bacharel em Ciências Militares - AMAN, Engenheiro de Fortificação e Construção - IME; Mestre em Engenharia

Leia mais