MATÉRIAS-PRIMAS PARA PRODUÇÃO DO BIODIESEL: PRIORIZANDO ALTERNATIVAS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MATÉRIAS-PRIMAS PARA PRODUÇÃO DO BIODIESEL: PRIORIZANDO ALTERNATIVAS"

Transcrição

1 MATÉRIAS-PRIMAS PARA PRODUÇÃO DO BIODIESEL: PRIORIZANDO ALTERNATIVAS SÍLVIO CRESTANA DIRETOR-PRESIDENTE SÃO PAULO AGOSTO, 2005

2 Cenários MATRIZ ENERGÉTICA MUNDIAL (%)

3 Cenários MATRIZ ENERGÉTICA BRASILEIRA

4 % % Biomassa (lenha) Cenários O INÍCIO DE UMA NOVA ERA Estamos aqui Estamos aqui Hidro Petróleo Nuclear Gas Natural Biomassa Moderna Solar Solar 20 0 Carvão FONTE: Nakicenovic, Grübler e MaConald, Outros ANOS

5 POR QUE BIOCOMBUSTÍVEIS? Ganhos ambientais - sequestro de carbono - menor nível de emissões na utilização Renovabilidade - ciclo curto de produção - processo controlado pelo homem Aspectos econômicos - novo componente de demanda - impactos na balança comercial *Norman Borlaug Aspectos sociais Aspectos sociais - geração de postos de trabalho - desconcentração da renda - agricultura familiar

6 BIODIESEL: O NOVO DESAFIO

7 Um Brasil que dá gosto CARACTERIZAÇÃO DO BIODIESEL Biodiesel: São ésteres monoalquílicos de ácidos graxos de cadeia longa derivados de lipídios naturais.

8 Um Brasil que dá gosto CARACTERIZAÇÃO DO BIODIESEL (Cont.) O biodiesel é obtido através de um processo sustentável utilizando matérias-primas vegetais renováveis. Efeito positivo sobre o ciclo do carbono.

9 CARACTERIZAÇÃO DO BIODIESEL (Cont.) É possível quantificar o crédito ambiental de um combustível de base renovável, calculando quanto CO 2 fixa uma plantação de oleaginosa determinada e comparando-a com o CO 2 que gera a combustão do biodiesel que se pode fabricar com essa mesma plantação.

10 CARACTERIZAÇÃO DO BIODIESEL (Cont.) O crédito ambiental será sempre maior que um combustível fóssil que, pela sua própria natureza, só gera gases de combustão sem que no processo de fabricação apareça uma fase agrícola de fixação de carbono.

11 O BIODIESEL NO BRASIL : primeiras experiências (obstáculo: preços dos óleos vegetais); : primeira patente do biodiesel no mundo (Prof. Expedito Parente - Universidade Federal do Ceará); : assunto volta para a agenda do Governo; : criação de Grupo de Trabalho; - Dez/2003: Comissão Executiva Interministerial e Grupo de Gestão, responsáveis pela implementação de um programa; - Dez/2004: lançamento do Programa, envolvendo 14 Ministérios e vários Centros de Pesquisa; : Estados estruturam redes de pesquisa.

12 RECURSOS: OLEAGINOSAS ATRIBUTOS DA MATÉRIA-PRIMA ASPECTOS AGRONÔMICOS Teor de óleo e qualidade do farelo e torta; Produção por unidade de área; Atender a diferentes sistemas produtivos; Ciclo da planta (sazonalidade); Condições edafoclimáticas favoráveis; Conhecimento do sistema de produção; Ocupação do solo - hectares por família; Equilíbrio agronômico.

13 RECURSOS: OLEAGINOSAS ATRIBUTOS DA MATÉRIA-PRIMA ASPECTOS TECNOLÓGICOS Teor de ácidos graxos poliinsaturados; Tipo e teor de ácidos graxos saturados; Complexidade do processo de extração; Presença de outros componentes no óleo; Valor agregado de co-produtos.

14 BIODIESEL: MARCO REGULATÓRIO

15 PRODUÇÃO MUNDIAL DE ÓLEOS VEGETAIS Girassol 8% Outros 13% Amendoim 6% Mamona 0,5% Soja 32% Colza 14% Palma 27% Fonte: Oil World Annual 2003/ABIOVE

16 ALTERNATIVAS POTENCIAIS PARA PRODUÇÃO DE BIODIESEL NO BRASIL SOJA TROPICAL TEOR DE ÓLEO: 20% Área: 23 milhões de hectares Produção: 61 milhões de toneladas RR AP RR AP RR AP AC AM RO MT PA TO MA PI BA CE RN PB PE AL SE AC AM RO MT PA TO MA PI BA CE RN PB PE AL SE AC AM RO MT PA TO MA PI BA CE RN PB PE AL SE GO GO GO MS MG ES MS MG ES MS MG ES SP RJ SP RJ SP RJ PR PR PR SC SC SC RS RS RS Possibilidade de incorporação - 20 milhões de ha (integração lavoura-pecuária) Potencial região norte (RR, RO e AP) - 4 milhões de ha de cerrados Restrição: Baixo teor de óleo (20%)

17 Mton ou Mha CENÁRIO DO COMPLEXO DE SOJA Área Produção Para B 5: + 1,8 bilhões de l de óleo + 3 milhões de ha de soja 9 milhões de t de grãos milhões de t de torta + US$ 1,85 bi no PIB mil empregos Fonte:ABIOVE/Embrapa/BNDES Anos

18 . ALTERNATIVAS POTENCIAIS PARA PRODUÇÃO DE BIODIESEL NO BRASIL GIRASSOL TEOR DE ÓLEO: 44% Potencial: 3 milhões de hectares; 5,4 milhões toneladas FONTE: CONAB Restrição: Desenvolvimento de Sistemas de Produção

19 ALTERNATIVAS POTENCIAIS PARA PRODUÇÃO DE BIODIESEL NO BRASIL BABAÇU Teor de óleo na amêndoa: 66,0% Produção anual de coco: t (anos 80) Floresta nativa: ha (MA, GO, PI, CE, PA, BA, MG) Restrições: Exploração extrativista; Tecnologia agronômica.

20 ALTERNATIVAS POTENCIAIS PARA PRODUÇÃO DE BIODIESEL NO BRASIL DENDÊ Teor de óleo: 22,0% Área Plantada: hectares Produtividade: 2,2 toneladas/hectare Potencial: 7 milhões de hectares

21 ALTERNATIVAS POTENCIAIS PARA PRODUÇÃO DE BIODIESEL NO BRASIL DENDÊ CULTURA DE ALTO IMPACTO SOCIAL hectares; famílias; (20% de uso da mão de obra familiar) Reflorestamento áreas degradadas. Restrições: Logística, crédito, exigência hídrica, alto custo de implantação, sanidade e ajustes nos sistemas de produção.

22 ALTERNATIVAS POTENCIAIS PARA PRODUÇÃO DE BIODIESEL NO BRASIL MAMONA TEOR DE ÓLEO: 48% FONTE: CONAB

23 ALTERNATIVAS POTENCIAIS PARA PRODUÇÃO DE BIODIESEL NO BRASIL MAMONA TEOR DE ÓLEO: 48% Produtividade: 1000 kg/ha; Potencial: 4 milhões de hectares; Cultura de alto impacto social; Agricultura Familiar; Região Nordeste. Restrições: Viscosidade e toxidez; Variedades; Desenvolvimento de Sistemas de Produção.

24 Um Brasil que dá gosto ALTERNATIVAS POTENCIAIS PARA PRODUÇÃO DE BIODIESEL NO BRASIL SISTEMA DE PRODUÇÃO DA MAMONA Novas variedades: NORDESTINA BRS kg/ha PARAGUASSU BRS - 50% teor de óleo

25 Um Brasil que dá gosto ÓLEOS VEGETAIS PARA DIESEL NO BRASIL - CENÁRIOS Região Consumo Consumo Cultura B5 B10 B100 (%) (milhões l) (mil ha) (mil ha) (mil ha) Sul Soja Sudeste Soja Nordeste Mamona Norte Dendê C. Oeste Soja Brasil Total

26 Um Brasil que dá gosto ALTERNATIVAS POTENCIAIS PARA PRODUÇÃO DE BIODIESEL NO BRASIL OUTRAS OLEAGINOSAS: Amendoim; Algodão; Canola; Coco; Macaúba; Nabo forrageiro; Pequi; Pinhão manso; Buriti; Jojoba.

27 CULTURAS CONTEMPLADAS NO ZONEAMENTO DE RISCOS CLIMÁTICOS: SOJA Regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Estados do Maranhão, Piauí e Bahia. Limites: regiões delimitadas para máximo de 20% de probabilidade de ocorrência de seca e/ou deficiência hídrica. Corte em 2400 Kg/ha. No Rio Grande do Sul 2000 Kg/ha. Recomendações revisadas todos os anos, desde 1996.

28 CULTURAS CONTEMPLADAS NO ZONEAMENTO DE RISCOS CLIMÁTICOS: MAMONA Estudos concluídos para todo o NE. Atualmente 424 municípios da região estão contemplados. Limites: Temperatura e altitude (mínimo de 300 metros) Forte demanda para revisão dos limites de altitude emfunção da adaptação de novas variedades Produtividade variando entre 1200 a 1500 Kg/ha.

29 Um Brasil que dá gosto CULTURAS CONTEMPLADAS NO ZONEAMENTO DE RISCOS CLIMÁTICOS: DENDÊ Estudo concluído para o Estado do Pará, com ciclo produtivo econômico de 25 anos. Novas ações: Desenvolvimento de métodos para extender o zoneamento para os Cerrados. Limites: Chuva anual maior que 1500 mm; Chuva mensal maior que 120 mm; Temperatura média anual entre 25 e 28 C; Produtividade esperada 15 T cachos/ha.

30 Um Brasil que dá gosto CULTURAS CONTEMPLADAS NO ZONEAMENTO DE RISCOS CLIMÁTICOS: ESTUDOS EM ANDAMENTO Girassol: Regiões Sul, CO e SE Cana-de-açúcar: Regiões NE, CO, SE e parte da Região N Canola - Região Sul

31 BIODIESEL: ZONEAMENTO AGROECOLÓGICO POTENCIAL BABAÇU-MAMONA-PALMA DENDÊ SOJA-MAMONA- ALGODÃO (CAROÇO) SOJA-ALGODÃO-GIRASSOL SOJA-ALGODÃO-GIRASSOL-CANOLA

32 PILARES DO PROJETO BIODIESEL NO BRASIL

33 PERSPECTIVAS - PRODUÇÃO DE BIODIESEL NO BRASIL O Brasil apresenta todas as condições para a criação de um programa nacional de produção de biodiesel sustentável e de grande porte. Diversidade de matérias primas - regionalização. Grande potencial de expansão agrícola Massa Crítica para iniciar um programa de biodiesel de grande porte. Indústria de Óleos Vegetais de grande porte. Grande experiência com biocombustíveis Proálcool.

34 POTENCIAL DE EXPANSÃO AGRÍCOLA NO BRASIL O Brasil é o único país no mundo com grande capacidade de expandir sua produção de oleaginosas para a produção de biodiesel. Área de Expansão do Cerrado Brasileiro (milhões hectares) - Área Total Área Agricultável Pastagem. (35) - Culturas Anuais. (10) - Culturas Perenes e Florestas.. (2) - Área Disponível 90 Fonte: EMBRAPA

35 MUITO OBRIGADO!

A Agricultura do Brasil e do Paraná

A Agricultura do Brasil e do Paraná Governo do Estado do Paraná A Agricultura do Brasil e do Paraná Políticas Públicas para a Produção de Biodiesel Orlando Pessuti Vice-Governador Abril/2007 BRASIL 5º Maior país do mundo PIB de US$ 1,0 trilhão

Leia mais

Petróleo e Biocombustíveis: A eterna busca pela autossuficiência. Suani Teixeira Coelho Sao Paulo, 5 de agosto de 2013

Petróleo e Biocombustíveis: A eterna busca pela autossuficiência. Suani Teixeira Coelho Sao Paulo, 5 de agosto de 2013 Petróleo e Biocombustíveis: A eterna busca pela autossuficiência Suani Teixeira Coelho Sao Paulo, 5 de agosto de 2013 No segmento de refino, a produção de derivados atingiu 2,02 milhões de barris/dia,

Leia mais

Petróleo & Gás no Século XXI: Desafios Tecnológicos 15 a 18 de setembro de RIOCENTRO. e uso do biodiesel - PNPB. Alan Kardec Presidente

Petróleo & Gás no Século XXI: Desafios Tecnológicos 15 a 18 de setembro de RIOCENTRO. e uso do biodiesel - PNPB. Alan Kardec Presidente t1 Petróleo & Gás no Século XXI: Desafios Tecnológicos 15 a 18 de setembro de 2008 - RIOCENTRO PAINEL: Biodiesel Desenvolvimento regional e sustentabilidade econômica PALESTRA: Sustentabilidade econômica

Leia mais

O Desenvolvimento da Agroenergia no Brasil: Plano Nacional de Agroenergia. Manoel Vicente Bertone Secretário de Produção e Agroenergia

O Desenvolvimento da Agroenergia no Brasil: Plano Nacional de Agroenergia. Manoel Vicente Bertone Secretário de Produção e Agroenergia O Desenvolvimento da Agroenergia no Brasil: Plano Nacional de Agroenergia Manoel Vicente Bertone Secretário de Produção e Agroenergia Tema Estratégico Independência Energética Soberania e Segurança Nacional

Leia mais

1 Lavouras. Cereais, leguminosas e oleaginosas. Área e Produção - Brasil 1980 a 2008

1 Lavouras. Cereais, leguminosas e oleaginosas. Área e Produção - Brasil 1980 a 2008 1 Lavouras 1.1 Produção de cereais, leguminosas e oleaginosas A quinta estimativa da safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas 1, indica uma produção da ordem de 144,3 milhões de toneladas,

Leia mais

Levantamento Sistemático da Produção Agrícola

Levantamento Sistemático da Produção Agrícola Diretoria de Pesquisas COAGRO/GEAGRI LSPA Junho de 217 Levantamento Sistemático da Produção Agrícola Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas no ano civil Diretoria de Pesquisas

Leia mais

SEMINÁRIO REGIONAL SOBRE PRODUÇÃO E USO DE BIODIESEL BACIA DO PARANÁ III. Programa Paranaense de Bioenergia - PR Bioenergia -

SEMINÁRIO REGIONAL SOBRE PRODUÇÃO E USO DE BIODIESEL BACIA DO PARANÁ III. Programa Paranaense de Bioenergia - PR Bioenergia - SEMINÁRIO REGIONAL SOBRE PRODUÇÃO E USO DE BIODIESEL BACIA DO PARANÁ III Programa Paranaense de Bioenergia - PR Bioenergia - Programa PR Bioenergia Criado pelo Decreto nº 2101 10/11/2003 Coordenação: SEAB

Leia mais

Biodiesel no Brasil: conjuntura atual e perspectivas

Biodiesel no Brasil: conjuntura atual e perspectivas - Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais Biodiesel no Brasil: conjuntura atual e perspectivas Daniel Furlan Amaral Economista ESALQ 17 de novembro de 2010 1 Sobre a A, Associação Brasileira

Leia mais

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1)

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) ANEXO I BICICLETA ESCOLAR Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) Assunto: Adesão à ata de registro de preços nº 70/2010 do pregão eletrônico nº 40/2010. 1 2 BICICLETA 20 - AC,

Leia mais

Disponibilidade de Matérias Primas e Oportunidades de Diversificação da Matriz Energética do Biodiesel

Disponibilidade de Matérias Primas e Oportunidades de Diversificação da Matriz Energética do Biodiesel Disponibilidade de Matérias Primas e Oportunidades de Diversificação da Matriz Energética do Biodiesel Bruno Galvêas Laviola Pesquisador, Embrapa Agroenergia bruno.laviola@embrapa.br In: Câmara Setorial

Leia mais

1 - INTRODUÇÃO 2 - METODOLOGIA

1 - INTRODUÇÃO 2 - METODOLOGIA SUMÁRIO 1. Introdução... 2 2. Metodologia... 2 3. Estimativa da Área Plantada... 3 4. Estimativa da Produção... 3 5. Avaliação das Culturas... 4 5.1 Algodão... 4 5.2 Arroz... 4 5.3 Feijão... 5 5.4 Milho...

Leia mais

Plano ABC & Suinocultura de Baixa Emissão de Carbono

Plano ABC & Suinocultura de Baixa Emissão de Carbono SECRETARIA DE MOBILIDADE SOCIAL, DO PRODUTOR RURAL E DO COOPERATIVISMO DEPARTAMENTO DE DESENVOLVIMENTO DE CADEIAS PRODUTIVAS, E DA PRODUÇÃO SUSTENTÁVEL Plano ABC & Suinocultura de Baixa Emissão de Carbono

Leia mais

LSPA. Levantamento Sistemático da Produção Agrícola. Dezembro de Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas no ano civil

LSPA. Levantamento Sistemático da Produção Agrícola. Dezembro de Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas no ano civil Diretoria de Pesquisas Coordenação de Agropecuária Gerência de Agricultura LSPA Dezembro de 2013 Levantamento Sistemático da Produção Agrícola Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas

Leia mais

Metodologia. Modelos de Séries Temporais Específicos para previsão

Metodologia. Modelos de Séries Temporais Específicos para previsão Metodologia CONAB IBGE MAPA EMBRAPA FAPRI (Food and Agricultural Policy Research Institute ) USDA (United States Department of Agriculture) Modelos de Séries Temporais Específicos para previsão Foram usados

Leia mais

As Florestas Plantadas na Sustentabilidade do Agronegócio

As Florestas Plantadas na Sustentabilidade do Agronegócio As Florestas Plantadas na Sustentabilidade do Agronegócio Junho de GILMAN VIANA RODRIGUES SECRETÁRIO DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO MATRIZ ENERGÉTICA MUNDIAL EVOLUÇÃO DO USO DE FONTES

Leia mais

Estado da Arte da Pesquisa de Biodiesel no Brasil

Estado da Arte da Pesquisa de Biodiesel no Brasil Audiência Pública POLÍTICAS DO PROGRAMA DO BIODIESEL Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável Câmara dos Deputados Estado da Arte da Pesquisa de Biodiesel no Brasil José Manuel Cabral de

Leia mais

Alternativa para produção de combustíveis sustentáveis de aviação CTBE - Junho 2017

Alternativa para produção de combustíveis sustentáveis de aviação CTBE - Junho 2017 Alternativa para produção de combustíveis sustentáveis de aviação CTBE - Junho 2017 Lidando com a Mudança Climática Aviação e o Meio Ambiente Representa 2% das emissões totais de GEE A Aviação Internacional

Leia mais

Biodiesel no Brasil. Ricardo Borges Gomide. Departamento de Combustíveis Renováveis

Biodiesel no Brasil. Ricardo Borges Gomide. Departamento de Combustíveis Renováveis Biodiesel no Brasil Ricardo Borges Gomide Departamento de Combustíveis Renováveis São Paulo, 18.11.2011 Papel do Biodiesel 2 Biodiesel como mais um Energético na Matriz 3 Concorre com outros produtos e

Leia mais

Balanço dos 10 anos do Selo Combustível Social

Balanço dos 10 anos do Selo Combustível Social SEMINÁRIO NACIONAL DE AVALIAÇÃO DO SELO COMBUSTÍVEL SOCIAL: A INCLUSÃO SOCIAL E PRODUTIVA DA AGRICULTURA FAMILIAR NOS 10 ANOS DO PNPB Balanço dos 10 anos do Selo Combustível Social Dezembro de 2015 Brasília

Leia mais

Biomassas promissoras, investimento em pesquisa e potencial de produção comercial. Donizete Tokarski Diretor Superintendente

Biomassas promissoras, investimento em pesquisa e potencial de produção comercial. Donizete Tokarski Diretor Superintendente Biomassas promissoras, investimento em pesquisa e potencial de produção comercial Donizete Tokarski Diretor Superintendente Belo Horizonte, Agosto de 2017 Produtoras de Biodiesel Associadas Insumos Tecnologia

Leia mais

de Energia na Aviação

de Energia na Aviação Seminário DCA-BR- Fontes Renováveis de Energia na Aviação 08/Junho/2010 /2010 Ália Rached CENBIO Centro Nacional de Referência em Biomassa Instituto t de Eletrotécnica té e Energia Universidade de São

Leia mais

VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO - junho/2017 CAFÉ TOTAL (valores em Reais*)

VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO - junho/2017 CAFÉ TOTAL (valores em Reais*) CAPA - 13/07/2017 VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO - junho/2017 CAFÉ TOTAL REGIÃO-UF's / ANO 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 REGIÃO NORTE 940.028.686 778.153.936 1.235.490.401 550.568.691 569.079.592

Leia mais

Discente: Marise C. Marques Docente: Mário de Andrade Lira Jr. Recife-PE Setembro/2009

Discente: Marise C. Marques Docente: Mário de Andrade Lira Jr. Recife-PE Setembro/2009 Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE Programa de Pós-Graduação em Ciência do Solo Discente: Marise C. Marques Docente: Mário de Andrade Lira Jr. Recife-PE Setembro/2009 Crescimento econômico

Leia mais

8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014)

8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014) 8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014) Elaboração: Contraf-CUT, CNTV e Federação dos Vigilantes do Paraná Fonte: Notícias da imprensa, SSP e sindicatos Apoio: Sindicato dos Vigilantes de Curitiba

Leia mais

VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO - julho/2017 CAFÉ TOTAL (valores em Reais*)

VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO - julho/2017 CAFÉ TOTAL (valores em Reais*) CAPA - 16/08/2017 VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO - julho/2017 CAFÉ TOTAL (valores em Reais*) REGIÃO-UF's / ANO 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 REGIÃO NORTE 937.253.216 775.856.407 1.231.842.568

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA Nível superior Cargo 1: Contador DF Brasília/Sede da Administração Central 35 1820 52,00 Nível médio Cargo 2: Agente Administrativo AC Rio Branco/Sede da SRTE 2 1496 748,00 Nível médio Cargo 2: Agente

Leia mais

L. A. Horta Nogueira Universidade Federal de Itajubá

L. A. Horta Nogueira Universidade Federal de Itajubá Perspectivas para o biodiesel no Brasil L. A. Horta Nogueira Universidade Federal de Itajubá 1 Perspectivas para o biodiesel no Brasil Roteiro Evolução da produção de biodiesel Sustentabilidade e biodiesel

Leia mais

Energia Limpa: Viabilidade e Desafios A Bioeletricidade

Energia Limpa: Viabilidade e Desafios A Bioeletricidade Energia Limpa: Viabilidade e Desafios A Bioeletricidade Zilmar José de Souza XIV CONGRESSO BRASILEIRO DE ENERGIA Rio de Janeiro 23 de outubro de 2012 A UNICA A União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA)

Leia mais

GIRASSOL Período: Julho de 2012

GIRASSOL Período: Julho de 2012 GIRASSOL Período: Julho de 2012 QUADRO I PREÇOS PAGO AO PRODUTOR (R$ 60/Kg) Centro de Referência Un Período Anteriores Período atual Variação (%) Julho/11 Julho/12 Preços Mínimos (60/Kg) Centro Sul 60

Leia mais

Análise multicriterio da produção de biodiesel

Análise multicriterio da produção de biodiesel Análise multicriterio da produção de biodiesel Feruccio Bilich (Núcleo de Assuntos Estratégicos NAE /PR) fbilich@cgee.org.br Ricardo DaSilva (CNPq) rdasilva@cnpq.br Resumo: Este artigo tem por finalidade

Leia mais

DIRETOR-EXECUTIVOEXECUTIVO

DIRETOR-EXECUTIVOEXECUTIVO MESA REDONDA: CONSOLIDAÇÃO DOS PROGRAMAS DE BIODIESEL: MATÉRIA-PRIMA, TECNOLOGIA E USO MATÉRIA-PRIMA PARA O ESTADO DE PERNAMBUCO JOSÉ GERALDO EUGÊNIO DE FRANÇA DIRETOR-EXECUTIVOEXECUTIVO RECIFE-PE OUTUBRO/2008

Leia mais

O Caminho da Sustentabilidade

O Caminho da Sustentabilidade SEMINÁRIO OPÇÕES ESTRATÉGICAS NA CADEIA DE BIOCOMBUSTÍVEIS Fundação Getúlio Vargas / Instituto Brasileiro de Economia BIOCOMBUSTÍVEIS: O Caminho da Sustentabilidade F U N D A Ç Ã O B R A S I L E I R A

Leia mais

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

4ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos 2012

4ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos 2012 4ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos 2012 Fonte: Notícias da imprensa, SSP e sindicatos Apoio: Sindicato dos Vigilantes de Curitiba e Região Sindicato dos Bancários de Curitiba e Região Fetec-CUT(PR)

Leia mais

O PNPB e a Organização da Produção de Biodiesel

O PNPB e a Organização da Produção de Biodiesel O PNPB e a Organização da Produção de Biodiesel Renata Lèbre La Rovere GEI/IE/UFRJ Selena Herrera LIMA/COPPE/UFRJ 1 O Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel - PNPB BIODIESEL: combustível produzido

Leia mais

O PROGRAMA NACIONAL DE PRODUÇÃO E USO DO BIODIESEL - PNPB

O PROGRAMA NACIONAL DE PRODUÇÃO E USO DO BIODIESEL - PNPB O PROGRAMA NACIONAL DE PRODUÇÃO E USO DO BIODIESEL - PNPB Rodrigo Augusto Rodrigues Subchefe Adjunto da SAG/Casa Civil PR Coordenador da Comissão Executiva Interministerial do Biodiesel Niterói - RJ, 17

Leia mais

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso Índice 1 - Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso 1.1 Agronegócio Soja 1.2 Agronegócio Milho 1.3 Agronegócio Algodão 1.4 Agronegócio Boi 2 Competitividade 2.1 Logística

Leia mais

Novas tecnologias para o desenvolvimento produtivo baseado na experiência do desenvolvimento do Cerrado Brasileiro

Novas tecnologias para o desenvolvimento produtivo baseado na experiência do desenvolvimento do Cerrado Brasileiro Novas tecnologias para o desenvolvimento produtivo baseado na experiência do desenvolvimento do Cerrado Brasileiro Cláudio Takao Karia Chefe Adjunto de P&D Embrapa Cerrados VI Foro por el desarrollo de

Leia mais

Mortos e Acidentes por Unidade Federativa

Mortos e Acidentes por Unidade Federativa e Acidentes por Unidade Federativa - 2016 Data: 23/05/2017 FILTROS: Veículos: Todos, Caminhões, Ônibus Valores: Absolutos Estado: Todos BR: Todas Estados com maior número de mortes e acidentes - 2016 Este

Leia mais

Agronegócio em Mato Grosso. Abril 2013

Agronegócio em Mato Grosso. Abril 2013 Agronegócio em Mato Grosso Abril 2013 Brasil Visão Geral Brasil - Visão Geral Area 8,5 milhões km 2 (5º maior) População (2011) 195 milhões (6 º maior) PIB (2011) US$ 2,47 Trilhões (6 ª maior) Produção

Leia mais

R S E E S R E V R A V A DE D E PE P T E R T Ó R L Ó E L O E O MUN MU D N I D AL

R S E E S R E V R A V A DE D E PE P T E R T Ó R L Ó E L O E O MUN MU D N I D AL VISÃO DO PROGRAMA DE BIODIESEL: FOCO PERNAMBUCO 3 Ana Rita Fraga Drummond, Ph.D. Coordenadora Técnica do Probiodiesel-PEPE Instituto de Tecnologia de Pernambuco Seminário Biodiesel Fonte de Energia das

Leia mais

Pendências de Envio do Relatório de Gestão Municipal-2013 aos CMS

Pendências de Envio do Relatório de Gestão Municipal-2013 aos CMS INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

PLATAFORMA MINEIRA DE BIOQUEROSENE & RENOVÁVEIS

PLATAFORMA MINEIRA DE BIOQUEROSENE & RENOVÁVEIS Agosto 2017 PLATAFORMA MINEIRA DE BIOQUEROSENE & RENOVÁVEIS Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Subsecretaria de Desenvolvimento Econômico A Plataforma Mineira

Leia mais

Exploração extrativista da macaúba no Brasil

Exploração extrativista da macaúba no Brasil Exploração extrativista da macaúba no Brasil Extrativismo vegetal Atividades de coleta de produtos naturais. É a mais antiga atividade humana, antecedendo a agricultura. Praticada mundialmente através

Leia mais

Incentivos para a Expansão da Oferta e Desenvolvimento da Demanda por Gás Natural

Incentivos para a Expansão da Oferta e Desenvolvimento da Demanda por Gás Natural Incentivos para a Expansão da Oferta e Desenvolvimento da Demanda por Gás Natural Workshop Perspectivas para o Setor de Gás Natural no Brasil São Paulo, 31 de outubro de 2016 José Mauro Coelho Diretoria

Leia mais

Culturas oleaginosas e a produção de Biodiesel. Fábio Camilotti

Culturas oleaginosas e a produção de Biodiesel. Fábio Camilotti Culturas oleaginosas e a produção de Biodiesel Fábio Camilotti Matérias-Primas Matérias-Primas Óleos vegetais Gorduras animais Óleos e as gorduras residuais Óleos Vegetais: Oriundos de plantas Mamona Dendê

Leia mais

Biodiesel obtenção e aplicação

Biodiesel obtenção e aplicação UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA AGRÍCOLA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENG. AGRÍCOLA Biodiesel obtenção e aplicação João Valdenor Pereira Filho; Orientador:

Leia mais

José Geraldo Eugênio de França Diretor-Executivo Brasília - DF Junho/2008

José Geraldo Eugênio de França Diretor-Executivo Brasília - DF Junho/2008 UMA AGENDA PARA O DESENVOLVIMENTO DA AGRICULTURA José Geraldo Eugênio de França Diretor-Executivo Brasília - DF Junho/2008 ALGUMAS CONSEQÜÊNCIAS DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS GLOBAIS RECURSOS HÍDRICOS: A MODIFICAÇÃO

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF UF Tecnologia Velocidade Quantidade de Acessos AC ATM 12 Mbps a 34Mbps 3 AC ATM 34 Mbps

Leia mais

PARTICIPAÇÃO DOS INSUMOS E INFLUÊNCIA DA VENDA DOS SUB-PRODUTOS NO CUSTO DE PRODUÇÃO DO BIODIESEL. Danielle Magalhães Rochael 1

PARTICIPAÇÃO DOS INSUMOS E INFLUÊNCIA DA VENDA DOS SUB-PRODUTOS NO CUSTO DE PRODUÇÃO DO BIODIESEL. Danielle Magalhães Rochael 1 PARTICIPAÇÃO DOS INSUMOS E INFLUÊNCIA DA VENDA DOS SUB-PRODUTOS NO CUSTO DE PRODUÇÃO DO BIODIESEL Danielle Magalhães Rochael 1 Resumo Através da avaliação de dois processos nacionais de fabricação de biodiesel,

Leia mais

(Do Sr. Rubens Otoni) O Congresso Nacional decreta:

(Do Sr. Rubens Otoni) O Congresso Nacional decreta: PROJETO DE LEI N o 6220, DE 2005 (Do Sr. Rubens Otoni) Insere o parágrafo 4º no art. 2º da Lei nº 11.097, de 13 de janeiro de 2005, que dispõe sobre a introdução do biodiesel na matriz energética brasileira.

Leia mais

GEOGRAFIA - 1 o ANO MÓDULO 64 AS ALTERNATIVAS DO PLANETA TERRA E DA CIVILIZAÇÃO

GEOGRAFIA - 1 o ANO MÓDULO 64 AS ALTERNATIVAS DO PLANETA TERRA E DA CIVILIZAÇÃO GEOGRAFIA - 1 o ANO MÓDULO 64 AS ALTERNATIVAS DO PLANETA TERRA E DA CIVILIZAÇÃO Fixação 1) (ENEM) Suponha que você seja um consultor e foi contratado para assessorar a implantação de uma matriz energética

Leia mais

WORKSHOP MODELAGEM CLIMÁTICA E A TERCEIRA COMUNICAÇÃO NACIONAL. Experiências de Estudos de Impactos das Mudanças de Clima nas Energias Renováveis

WORKSHOP MODELAGEM CLIMÁTICA E A TERCEIRA COMUNICAÇÃO NACIONAL. Experiências de Estudos de Impactos das Mudanças de Clima nas Energias Renováveis WORKSHOP MODELAGEM CLIMÁTICA E A TERCEIRA COMUNICAÇÃO NACIONAL Experiências de Estudos de Impactos das Mudanças de Clima nas Energias Renováveis Energia Dimensões da Energia Tecnológica Física Energia

Leia mais

Biocombustíveis em um Contexto Global. José Sérgio Gabrielli de Azevedo Presidente São Paulo 02 de junho de 2009

Biocombustíveis em um Contexto Global. José Sérgio Gabrielli de Azevedo Presidente São Paulo 02 de junho de 2009 Biocombustíveis em um Contexto Global José Sérgio Gabrielli de Azevedo Presidente São Paulo 02 de junho de 2009 MERCADO PARA BIOCOMBUSTÍVEIS A manutenção das metas dos governos para biocombustíveis, nos

Leia mais

REUNIÃO DE TRABALHO DOS GTE S

REUNIÃO DE TRABALHO DOS GTE S IIRSA REUNIÃO DE TRABALHO DOS GTE S PLANO NACIONAL DE LOGÍSTICA E TRANSPORTES PNLT Santa Cruz de la Sierra Bolívia/2009 Engº Luiz Carlos R. Ribeiro Coordenador Geral de Planejamento Resgate do processo

Leia mais

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso ÍNDICE 1 Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso 1.1 Agronegócio Soja 1.2 Agronegócio Milho 1.3 Agronegócio Algodão 1.4 Agronegócio Boi 2 Competitividade 2.1 Logística

Leia mais

Movimentação das Empresas do Segmento Junho 2010

Movimentação das Empresas do Segmento Junho 2010 Movimentação das Empresas do Segmento Junho 2010 Índice 1. Consolidado Brasil... 03 2. Acumulado Brasil... 05 3. Consolidado por Região... 06 4. Consolidado por Estado... 09 5. Consolidado Brasil Comparativo

Leia mais

Movimentação das Empresas do Segmento Julho 2011

Movimentação das Empresas do Segmento Julho 2011 Movimentação das Empresas do Segmento Julho 2011 Índice 1. Consolidado Brasil... 03 2. Acumulado Brasil... 06 3. Consolidado por Região... 08 4. Consolidado por Estado... 14 5. Consolidado Brasil Comparativo

Leia mais

Biodiesel: Panorama e perspectivas. 23 de Abril 2014 Cuiabá - MT

Biodiesel: Panorama e perspectivas. 23 de Abril 2014 Cuiabá - MT Biodiesel: Panorama e perspectivas 23 de Abril 2014 Cuiabá - MT 1 Sumário Tecnologias de produção; A biomassa na matriz energética; Capacidade agrícola brasileira; Histórico do PNPB; Mercado; Novo marco

Leia mais

Movimentação das Empresas do Segmento Abril 2011

Movimentação das Empresas do Segmento Abril 2011 Movimentação das Empresas do Segmento Abril 2011 Índice 1. Consolidado Brasil... 03 2. Acumulado Brasil... 06 3. Consolidado por Região... 08 4. Consolidado por Estado... 14 5. Consolidado Brasil Comparativo

Leia mais

Audiência Pública. Ocupação do Cerrado Brasileiro

Audiência Pública. Ocupação do Cerrado Brasileiro Audiência Pública Ocupação do Cerrado Brasileiro Senado Federal 10/04/2012 José Roberto Rodrigues Peres Embrapa Cerrados jrperes@cpac.embrapa.br RR AP Região do Cerrado AM PA MA CE RN PI PE PB AC RO MT

Leia mais

UMA AGENDA PARA O DESENVOLVIMENTO DA AGRICULTURA

UMA AGENDA PARA O DESENVOLVIMENTO DA AGRICULTURA UMA AGENDA PARA O DESENVOLVIMENTO DA AGRICULTURA José Geraldo Eugênio de França Diretor-Executivo Brasília - DF Junho/2008 ALGUMAS CONSEQÜÊNCIAS DAS MUDANÇAS AS CLIMÁTICAS GLOBAIS RECURSOS HÍDRICOS: H

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

Panorama sobre o Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel

Panorama sobre o Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel FEDERAÇÃO DA AGRICULTURA DO ESTADO DE SÃO PAULO Panorama sobre o Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel Cláudio Silveira Brisolara Departamento Econômico O que é agricultura energética? É a produção

Leia mais

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso ÍNDICE 1 Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso 1.1 Agronegócio Soja 1.2 Agronegócio Milho 1.3 Agronegócio Algodão 1.4 Agronegócio Boi 2 Competitividade 2.1 Logística

Leia mais

CIB Conselho de Informações sobre Biotecnologia BIODIESEL PARA TODOS. Prof. Gil Miguel de Sousa Câmara USP/ESALQ Piracicaba SP

CIB Conselho de Informações sobre Biotecnologia BIODIESEL PARA TODOS. Prof. Gil Miguel de Sousa Câmara USP/ESALQ Piracicaba SP CIB Conselho de Informações sobre Biotecnologia BIODIESEL PARA TODOS Prof. Gil Miguel de Sousa Câmara USP/ESALQ Piracicaba SP O motor diesel pode ser alimentado com óleos vegetais e poderá ajudar consideravelmente

Leia mais

14ª Avaliação de Perdas no Varejo Brasileiro

14ª Avaliação de Perdas no Varejo Brasileiro 14ª Avaliação de Perdas no Varejo Brasileiro Caracterização da Amostra DADOS FISICOS Amostra TOTAL Número de respondentes 293 Crescimento de 37% em relação a 2012 Número de Lojas 2.854 Número de Centro

Leia mais

Biodiesel: Matérias Primas

Biodiesel: Matérias Primas SECRETARIA DE ESTADO DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO SECRETARIA DO ESTADO DA C&T E ENSINO SUPERIOR CURSO DE MESTRADO EM BIOENERGIA Biodiesel: Matérias Primas Londrina 22/04/14 RUY SEIJI YAMAOKA A CAFEIA

Leia mais

Expansão do girassol no Brasil

Expansão do girassol no Brasil XVII Reunião Nacional de Pesquisa de Girassol Uberaba - 03/10/2007 Expansão do girassol no Brasil César de Castro Embrapa Soja Coordenador da Equipe de Fertilidade e Microbiologia do Solo Membro do Núcleo

Leia mais

O Agronegócio e o Programa de biocombustíveis

O Agronegócio e o Programa de biocombustíveis O Agronegócio e o Programa de biocombustíveis Regina Lago 3. BIOCOM ABQ - 09/04/2010 JOURNÉES CHEVREUL AFECG PARIS, 7-8 APRIL 2009 Agronegócio O Agronegócio - rede que envolve desde a produção e comercialização

Leia mais

Pará Programa de Gestão e Desenvolvimento Sustentável do Estado do Pará. Painel 4 Territórios Minerais: Gestão Territorial

Pará Programa de Gestão e Desenvolvimento Sustentável do Estado do Pará. Painel 4 Territórios Minerais: Gestão Territorial Pará 2030 Programa de Gestão e Desenvolvimento Sustentável do Estado do Pará Painel 4 Territórios Minerais: Gestão Territorial Set/2017 1 O ESTADO DO PARÁ Brasil Região Amazônica Estado do Pará Regiões

Leia mais

Ano 2003: 6,3 bilhões de pessoas Ano 2050: 10 bilhões de pessoas

Ano 2003: 6,3 bilhões de pessoas Ano 2050: 10 bilhões de pessoas O PAPEL DA EMBRAPA NO DESENVOLVIMENTO DO PROGRAMA NACIONAL DE BIODIESEL José Geraldo Eugênio de França Diretor--Executivo Diretor Recife- PE RecifeMaio/2010 OS DEZ MAIORES PROBLEMAS DA HUMANIDADE NOS PRÓXIMOS

Leia mais

2005 CDMA Latin America Regional Conference

2005 CDMA Latin America Regional Conference Agencia Nacional de Telecomunicações 2005 CDMA Latin America Regional Conference JARBAS JOSÉ VALENTE Superintendente de Serviços Privados Conteúdo Situação Atual do SMP Previsão da Evolução do SMP Espectro

Leia mais

Ferrovia é infra-estrutura que precisa existir e crescer para que outras atividades prosperem.

Ferrovia é infra-estrutura que precisa existir e crescer para que outras atividades prosperem. Ferrovia é infra-estrutura que precisa existir e crescer para que outras atividades prosperem. A EMPRESA Empresa privada de logística, antiga Companhia Ferroviária do Nordeste Opera com 95 locomotivas,

Leia mais

Biocombustíveis e Instrumentos Econômicos para a Gestão Ambiental no Brasil

Biocombustíveis e Instrumentos Econômicos para a Gestão Ambiental no Brasil Biocombustíveis e Instrumentos Econômicos para a Gestão Ambiental no Brasil Gerson Teixeira Diretor de Economia e Meio Ambiente Secretaria de Políticas para o Desenvolvimento Sustentável Ministério do

Leia mais

Produção Agrícola Municipal 2015. Assunto: Lavouras Temporárias

Produção Agrícola Municipal 2015. Assunto: Lavouras Temporárias Produção Agrícola Municipal 2015 Assunto: Lavouras Temporárias Tabela 1 - Áreas plantada e colhida, quantidade produzida, rendimento médio e valor da produção, segundo os principais produtos das lavouras

Leia mais

Combustível Renovável de Aviação

Combustível Renovável de Aviação Combustível Renovável de Aviação Descarbonização das Operações Campinas Outubro, 2016 Paulo Kakinoff 07 de Julho, 2015 Programa Estratégico GOL CNG das operações como objetivo estratégico em 2022-2025

Leia mais

mostra a Tabela 1. O estado do Rio Grande do Sul não acompanhou o cenário de queda

mostra a Tabela 1. O estado do Rio Grande do Sul não acompanhou o cenário de queda Soja Os preços médios da soja apresentaram pequena queda em fevereiro, como mostra a Tabela 1. O estado do Rio Grande do Sul não acompanhou o cenário de queda e apresentou variação positiva para fevereiro,

Leia mais

No mês de janeiro houve queda no preço médio em quase todos os estados, com exceção de Goiás.

No mês de janeiro houve queda no preço médio em quase todos os estados, com exceção de Goiás. BOLETIM DO COMPLEXO SOJA 1. Grão: No mês de janeiro houve queda no preço médio em quase todos os estados, com exceção de Goiás. Mesmo com a queda no preço Santa Catarina obteve a maior média de preços

Leia mais

Biodiesel no Vale do Paraíba: a Jatrophacomo agente do desenvolvimento sustentável

Biodiesel no Vale do Paraíba: a Jatrophacomo agente do desenvolvimento sustentável Biodiesel no Vale do Paraíba: a Jatrophacomo agente do desenvolvimento sustentável Willian J. Ferreira Getulio T. Batista will.ferreira@hotmail.com getulio@agro.unitau.br Apresentar um panorama geral do

Leia mais

FONTES DE ENERGIA PROFESSOR : DANIEL DE PAULA

FONTES DE ENERGIA PROFESSOR : DANIEL DE PAULA FONTES DE ENERGIA PROFESSOR : DANIEL DE PAULA MATRIZ ENERGÉTICA : É O BALANÇO DOS RECURSOS ENERGÉTICOS QUE UM PAÍS TEM OU COMPRA PARA UTILIZAR NO PROCESSO PRODUTIVO. FONTES DE ENERGIA RENOVÁVEIS NÃO-RENOVÁVEIS

Leia mais

DPE / COAGRO Levantamento Sistemático da Produção Agrícola - LSPA Diretoria de Pesquisas Coordenação de Agropecuária Gerência de Agricultura LSPA

DPE / COAGRO Levantamento Sistemático da Produção Agrícola - LSPA Diretoria de Pesquisas Coordenação de Agropecuária Gerência de Agricultura LSPA Diretoria de Pesquisas Coordenação de Agropecuária Gerência de Agricultura LSPA janeiro de 215 Levantamento Sistemático da Agrícola Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas no

Leia mais

Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil

Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Programa ABC Plano Setorial de Mitigação e de Adaptação às Mudanças Climáticas visando à Consolidação de uma Economia de Baixa Emissão de Carbono na Agricultura

Leia mais

TÊNIS DE MESA Nº 03 04/09/2015

TÊNIS DE MESA Nº 03 04/09/2015 ! TÊNIS DE MESA Nº 03 04/09/2015! Jogos Escolares da Juventude 2015 12 a 14 anos Boletim Oficial de Resultados 04/09/2015 CENTRO DE FORMAÇÃO OLÍMPICA - QUADRA 1 TÊNIS DE MESA - EQUIPE - Feminino 1 09:00

Leia mais

Associação Brasileira dos Produtores de Soja

Associação Brasileira dos Produtores de Soja Associação Brasileira dos Produtores de Soja 1. PREVISÃO DE SAFRA E DESTINAÇÃO De acordo com o 7 Levantamento de safra 2015/16, publicado em abril pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), a área

Leia mais

Centro de Artes e Esportes Unificados, Sertãozinho SP. UBS Elpidio Moreira Souza AC. UPA município de Ribeirão Pires SP

Centro de Artes e Esportes Unificados, Sertãozinho SP. UBS Elpidio Moreira Souza AC. UPA município de Ribeirão Pires SP Centro de Artes e Esportes Unificados, Sertãozinho SP UBS Elpidio Moreira Souza AC Quadra da Escola Municipal Érico de Souza, Águas Lindas GO UPA município de Ribeirão Pires SP UBS Clínica da Família,

Leia mais

ADM. Archer Daniels Midland. Valmor Schaffer. 03 de Agosto de 2015

ADM. Archer Daniels Midland. Valmor Schaffer. 03 de Agosto de 2015 ADM Archer Daniels Midland Valmor Schaffer 03 de Agosto de 2015 EUA Brasil Argentina China India Outros EUA China Brasil UE Ucrânia Outros Brasil se destaca entre os maiores produtores mundiais de grãos

Leia mais

W O R K S H O P. Centro de Treinamento da Fazenda Normal Quixeramobim - CE

W O R K S H O P. Centro de Treinamento da Fazenda Normal Quixeramobim - CE W O R K S H O P Centro de Treinamento da Fazenda Normal Quixeramobim - CE 27 de outubro de 2005 A Era do Combustível Verde O Consórcio CENP Energia, em parceria com o Governo do Estado do Ceará, através

Leia mais

Agricultura Familiar AVANÇOS E DESAFIOS

Agricultura Familiar AVANÇOS E DESAFIOS Agricultura Familiar AVANÇOS E DESAFIOS Tema Centrais As mudanças nas regras do Selo O Selo existiria em um cenário sem leilões? A importância do Selo Social para o novo Governo. A Função da Secretaria

Leia mais

Fórum sobre Sustentabilidade ABINEE

Fórum sobre Sustentabilidade ABINEE Fórum sobre Sustentabilidade ABINEE Ana Lucia Dolabella Ministério do Meio Ambiente Secretaria de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental São Paulo, 03/09/2012 Sustentabilidade Ambiental Econômica Social

Leia mais

Conjuntura e perspectivas

Conjuntura e perspectivas Conjuntura e perspectivas Panorama do mercado de oleaginosas Aproveitamento para produção de óleo e derivados IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas Daniel

Leia mais

Cadeia Produtiva da Silvicultura

Cadeia Produtiva da Silvicultura Cadeia Produtiva da Silvicultura Silvicultura É a atividade que se ocupa do estabelecimento, do desenvolvimento e da reprodução de florestas, visando a múltiplas aplicações, tais como: a produção de madeira,

Leia mais

Relatório de Dados do Programa de Microcrédito 2º. Trimestre de 2012

Relatório de Dados do Programa de Microcrédito 2º. Trimestre de 2012 Ministério do Trabalho e Emprego Programa Nacional de Microcrédito Produtivo Orientado Relatório de Dados do Programa de Microcrédito 2º. de 2012 1. Resultados do Programa de Microcrédito no 2 de 2012.

Leia mais

LSPA. Levantamento Sistemático da Produção Agrícola. Setembro de 2013. Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas no ano civil

LSPA. Levantamento Sistemático da Produção Agrícola. Setembro de 2013. Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas no ano civil Diretoria de Pesquisas Coordenação de Agropecuária Gerência de Agricultura LSPA Setembro de 213 Levantamento Sistemático da Agrícola Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas no

Leia mais

Perspectivas para o biodiesel no Brasil

Perspectivas para o biodiesel no Brasil Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Palma de Óleo Perspectivas para o biodiesel no Brasil Fábio Guerra Assessor Econômico Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Brasília DF 17 de março

Leia mais

A LÓGICA E AS MISSÕES DO BIODIESEL: Robertta Mota

A LÓGICA E AS MISSÕES DO BIODIESEL: Robertta Mota A LÓGICA E AS MISSÕES DO BIODIESEL: Reflexões e Recomendações para PNPB Robertta Mota ERAS ENERGÉTICAS Atualmente, tem sido um consenso entre os especialistas que os assuntos energéticos não podem ser

Leia mais

Boletim do Complexo soja

Boletim do Complexo soja Boletim do Complexo soja 1. Grão: No mês de fevereiro houve um aumento no preço médio em quase todos os estados, com exceção de Santa Catarina. O estado que obteve a maior média foi o do Paraná R$ 57,31/sc,

Leia mais

DEMANDA DE CANDIDATOS POR CARGO / UF NÍVEL SUPERIOR

DEMANDA DE CANDIDATOS POR CARGO / UF NÍVEL SUPERIOR EM CARGOS DE E DE NÍVEL INTERMEDIÁRIO Administrador AC 1 14 14.00 Administrador AL 1 53 53.00 Administrador AP 1 18 18.00 Administrador BA 1 75 75.00 Administrador DF 17 990 58.24 Administrador MT 1 55

Leia mais

Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil

Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil O DESAFIO DO PAÍS NA ABORDAGEM DO BINÔMIO ÁGUA E ALIMENTO João Martins da Silva Junior Presidente da CNA Fatores que influenciam na produção de alimentos

Leia mais

Programa SENAI de Apoio à Competitividade da Indústria Brasileira

Programa SENAI de Apoio à Competitividade da Indústria Brasileira Programa SENAI de Apoio à Competitividade da Indústria Brasileira SENAI Departamento Nacional Brasília, de Novembro de 204 Bilhões US$ FOB Desenvolvimento da Balança Comercial Brasileira Déficit recorde

Leia mais