Exemplo 7.0 Numa linha de produção, os pesos de pacotes de pó de café embalados por uma máquina têm distribuição Normal, com média

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Exemplo 7.0 Numa linha de produção, os pesos de pacotes de pó de café embalados por uma máquina têm distribuição Normal, com média"

Transcrição

1 Exemplo 7.0 Numa linha de produção, os pesos de pacotes de pó de café embalados por uma máquina têm distribuição Normal, com média µ = 505g e desvio padrão σ = 9g. a) Selecionado ao acaso um pacote embalado pela máquina, qual a probabilidade dele pesar menos de 500g? b) Selecionados ao acaso 9 pacotes de pó de café, qual a probabilidade do peso médio desses pacotes ser inferior a 500g? c) Selecionados ao acaso 9 pacotes de pó de café, qual a probabilidade de no máximo dois pacotes pesarem menos de 500g?

2 Parte 7 Estimação 2

3 Um dos pontos principais da inferência estatística é a estimação, que consiste em utilizar dados amostrais para estimar parâmetros populacionais. Como exemplos de parâmetros a serem estimados, podemos mencionar o escore médio de uma população em um específico teste, a variância de repetidas medições de uma mesma grandeza, a proporção de habitantes favoráveis a um projeto de lei, o tempo mediano de vida de portadores de um problema congênito... 3

4 Há duas formas de estimar parâmetros: o Estimação pontual Consiste no uso de um único número (estimativa pontual), produzido por uma amostra, como sendo o valor mais razoável para o parâmetro desconhecido; Exemplo 7.1 Em um levantamento amostral realizado numa região, de pessoas entrevistadas, 750 afirmaram separar o lixo para reciclagem. Assim, uma estimativa pontual da proporção de todos os habitantes daquela região que separam o lixo para reciclagem é igual a 0,75. 4

5 o Estimação intervalar Consiste no uso de um intervalo de valores (estimativa intervalar), obtido com base em uma amostra, que se acredita que contenha o parâmetro desconhecido. Exemplo 7.1 (revisitado) Uma estimativa intervalar para a proporção de todos os habitantes daquela região que separam o lixo tem limites 0,71 e 0,75 (0,71;0,75). De forma alternativa, pode-se dizer que estima-se que a proporção populacional seja 0,73 com uma margem de erro de 0,02 (0,73±0,02). 5

6 Para um único parâmetro pode-se ter diferentes estimadores pontuais disponíveis; A princípio, qualquer estatística calculada numa amostra pode ser usada para estimar um parâmetro. No entanto, alguns estimadores são melhores do que outros, com base em critérios como: o Ausência de viés- Dizemos que um estimador é não viciado se a sua distribuição amostral está centrada no parâmetro que desejamos estimar. 6

7 Nota A média amostral, x, é um estimador não viciado da média populacional. o Eficiência- Dizemos que um estimador é eficiente se ele apresenta menor erro padrão do que os demais estimadores do parâmetro que desejamos estimar. A Figura 7.1 ilustra as distribuições amostrais de quatro estimadores de um parâmetro θ. Cada uma das curvas representa a distribuição amostral de um dos estimadores. 7

8 Estimador 1 Estimador 2 Estimador 3 Estimador 4 θ Figura 7.1 Ilustração das distribuições amostrais de quatro estimadores de θ. 8

9 Os estimadores 1, 2 e 3 são não viciados para θ ; o estimador 4 é viciado. O estimador 1 é mais preciso (tem menor erro padrão) que o estimador 2; o estimador 2 é mais preciso que o estimador 3. Dentre os estimadores não viciados, o estimador 1 é eficiente (tem menor erro padrão). Isso poderia motivar sua escolha, em relação aos demais. 9

10 Um bom estimador conjuga ausência (ou baixo) viés e eficiência, ou seja, produz estimativas centradas e próximas ao parâmetro que desejamos estimar. Os estimadores que usaremos daqui em diante satisfazem a tais propriedades. Em geral, usamos estatísticas amostrais análogas aos parâmetros que desejamos estimar. É usual (mas não obrigatório): o Usar a média amostral para estimar a média populacional; o Usar a variância amostral para estimar a variância populacional; o Usar a proporção amostral para estimar a proporção populacional... 10

11 Notação É comum usar o símbolo ^ sobre o parâmetro para denotar uma estimativa. Como exemplo, se denotarmos por p a proporção populacional, é comum denotar por pˆ uma proporção amostral. 11

12 Intervalos de confiança Um intervalo de confiança é um intervalo de valores que, com certo nível de confiança, contém o valor do parâmetro que estamos estudando. O nível de confiança está associado à probabilidade de selecionarmos uma amostra que produza um intervalo de confiança que de fato contenha o valor do parâmetro. É comum fixar o nível de confiança em valores como 90, 95 ou 99%. 12

13 A base para a construção de intervalos de confiança é a distribuição amostral de algum estimador pontual. Uma forma possível de apresentar intervalos de confiança, em boa parte dos problemas que vamos estudar, é a seguinte: Estimativa pontual ± margem de erro. 13

14 Intervalo de confiança para a média de uma população Caso 1 A Variância da população é conhecida Um intervalo de confiança para a média de uma população, baseado na média de uma amostra, pode ser obtido com base na distribuição das médias amostrais. 14

15 Como estudado anteriormente, se x,..., 1, x2 xn é uma amostra aleatória de uma população com distribuição Normal, de média µ e desvio padrão σ, então a distribuição das médias amostrais fica dada por: x ( µ = µ, σ = σ n) ~ Normal. x x Com base na distribuição amostral de x e usando a tabela da distribuição normal, é possível verificar que há uma probabilidade 0,95 de se ter uma média amostral num intervalo de 1,96σ x a partir de µ. P ( µ 1,96σ < X < µ + 1,96σ ) = 0, 95 x x 15

16 Uma vez selecionada a amostra, se x cair dentro da faixa de partir de µ, então o intervalo com limites conter µ. x σ 1,96σ x a + σ irá 1,96 x e x 1,96 x Em outras palavras, há uma probabilidade 0,95 de se obter uma média amostral tal que o intervalo x ± 1,96σ contenha o valor de µ. x Indo um pouco além: para 95% das amostras de tamanho n que podemos selecionar da população sob estudo, o intervalo calculado da forma x populacional. ± 1,96σ irá conter µ, o valor desconhecido da média x 16

17 Amostra Figura 7.2 Ilustração de 100 intervalos de confiança 95% para a média (em vermelho, os intervalos que não contém a média populacional). µ 17

18 Dizemos que o intervalo x ± 1,96σ estima µ com nível de confiança x de 95%. Usando os quantis apropriados da distribuição normal padrão, temos, de forma semelhante: o O intervalo x ± 1,64σ estima µ com nível de confiança de 90%; x o O intervalo x ± 2,57σ estima µ com nível de confiança de 99%. x De forma geral, para obter um intervalo com confiança 100( 1 α )% ( 0 < α < 1), o intervalo fica da forma x ± z / σ x, sendo z 2 o quantil α / 2 da distribuição Normal padrão. α 2 α / 18

19 Figura 7.3 Distribuição Normal padrão. 19

20 Enfatizando que confiança (95%) fica dado por σ x representa o erro padrão de x, um intervalo de x ± 1,96 σ n. Uma forma convencional de se apresentar um intervalo com 95% de confiança para µ, a média populacional, é: IC ( µ ; 95% ) x ± 1, 96σ n =, ou ainda: IC ( µ ; 95% ) ( x 1,96 σ n; x + 1, 96σ n) =. 20

21 Exemplo 7.2 Deseja-se estimar o QI (Quociente de Inteligência) médio de uma específica população. Suponha que a distribuição dos QI s na população seja normal, com variância conhecida σ 2 = 36. Dez indivíduos dessa população foram selecionados aleatoriamente, sendo observados os seguintes QI s para essa amostra: Usando os valores da amostra, obtém-se x = 116. Apresente intervalos com 90, 95 e 99% de confiança para µ, o QI médio de toda a população de indivíduos. 21

22 Embora tenhamos assumido, para a construção de intervalos de confiança para a média, que a população sob estudo tem distribuição Normal, o Teorema Central do Limite garante que a distribuição das médias amostrais é (aproximadamente) normal, desde que o tamanho amostral seja grande (regra geral: n>30); Assim, o intervalo de confiança apresentado pode ser aplicado para amostras aleatórias de populações com qualquer distribuição (inclusive discretas), desde que o tamanho da amostra seja grande. 22

23 Exemplo 7.3 Deseja-se estimar o número médio de tentativas mal sucedidas até que uma criança consiga executar certa tarefa. Para isso foram selecionadas 50 crianças. Os números de tentativas mal sucedidas para cada uma delas são apresentados abaixo: Suponha que se conheça o desvio padrão da população ( σ =1, 5). A média, calculada com base na amostra, é x = 2, 05. Apresente um intervalo com 95% de confiança para µ, o número médio necessário de tentativas mal sucedidas. 23

24 Intervalo de confiança para a média de uma população Caso 2 A Variância da população é desconhecida Caso também a variância da população seja desconhecida (situação mais comum), ela precisa ser estimada com base nos dados amostrais. O cálculo da variância amostral é feito como vimos anteriormente: s 2 = 1 n 1 n ( x i x) i=

25 No entanto, ao trocar σ n por s n no cálculo de intervalos de confiança, estamos substituindo um parâmetro por sua estimativa, o que introduz ao intervalo um erro extra. Como resultado, os intervalos obtidos terão menor nível de confiança do que o especificado. Uma forma de contornar isso é substituir o escore z, extraído da distribuição normal padrão, por um escore t, extraído de uma distribuição chamada t Student. 25

26 A distribuição t Student, assim como a distribuição Normal, é simétrica, centrada em zero e sua dispersão dependerá de um único parâmetro, chamado número de graus de liberdade (gl). Para o cálculo de intervalos de confiança para a média, usaremos gl = n 1 (ou seja, o número de graus de liberdade será o tamanho da amostra menos 1). Observe, pela Figura 7.4, que à medida que gl aumenta, a distribuição t Student se aproxima cada vez mais da distribuição normal padrão. 26

27 Normal (0,1) t-student (gl=2) t-student (gl=6) Figura 7.4 Distribuição t-student em relação à distribuição Normal padrão. 27

28 Sejam x e s a média e o desvio padrão de uma amostra aleatória de n indivíduos de uma população com distribuição Normal. Um intervalo de confiança 100( 1 α )% para a média da população fica dado por: s ± t 1; α /, n x n 2 em que t ; / 2 é o quantil α / 2 da distribuição t Student com n 1 n 1 α graus de liberdade (gl, ou df, de degrees of freedom). 28

29 Na sequência é apresentado um extrato de uma tabela da distribuição t Student. Observe que na tabela df está denotado por ν. Assim como alertado para a distribuição Normal, é importante ressaltar que a área sob a curva (probabilidade) fornecida em tabelas encontradas em diferentes fontes pode variar. Fique atento à informação que a tabela que você tem em mãos fornece. 29

30 Figura 7.5 Extrato de uma tabela da distribuição t Student. 30

31 Exemplo 7.4 Deseja-se estimar a frequência cardíaca média de atletas de certa modalidade após os jogos. Para isso, dispõem-se dos valores das frequências cardíacas (em batimentos por minuto bpm) registradas em 16 atletas, depois de encerradas as respectivas partidas: Com base nestes dados, foram calculados a média e o desvio padrão, obtendo-se x =109, 6 e s = 14, aproximadamente. 31

32 a) Apresente um intervalo de 95% de confiança para µ, a frequência cardíaca média pós-jogo para a população de atletas; b) Um pesquisador afirma que a frequência cardíaca média pós-jogo, para a população de atletas, seja de 100bpm. Baseado no intervalo de confiança que você obteve, avalie a afirmação do pesquisador. 32

33 Exemplo 7.5 Está sendo estudado o tempo de reação de um novo medicamento. Por analogia aos resultados de medicamentos similares, assume-se que o tempo de reação tenha distribuição normal, mas a média e a variância são desconhecidos. Nove pacientes foram sorteados e tiveram seus tempos de reação (em minutos) anotados. Com base nos resultados da amostra, obteve-se x = 3min e s =1min. Apresente intervalos de 90 e 99% de confiança para µ, o tempo médio de reação para a população de pacientes. Compare os intervalos obtidos. 33

34 Estimação de uma proporção populacional Suponha agora que a variável de interesse seja do tipo qualitativa, apresentando duas ou mais categorias de resposta, resultando na classificação de cada indivíduo da população em uma dessas categorias; Neste caso, uma forma usual de descrever os resultados de uma amostra é por meio das frequências (proporções) de observações em cada categoria; 34

35 Com base em proporções calculadas em amostras podemos estimar as correspondentes proporções nas populações sob estudo (a proporção amostral é uma estimativa pontual da proporção na população). Alguns exemplos de situações em que a estimação da proporção populacional é pertinente: o Proporção de eleitores de um município que aprovam a administração do prefeito; 35

36 o Proporção de pacientes que apresentam reação alérgica a uma medicação; o Proporção de idosos com depressão que respondem positivamente a uma terapia cognitiva; o Proporção de crianças com uma particular limitação intelectual capazes de assimilar conceitos básicos de Matemática... 36

37 Intervalo de confiança para a proporção populacional Seja p a proporção de indivíduos numa população que apresentam uma característica de interesse; Seja x o número de indivíduos apresentando a característica de interesse em uma amostra aleatória de n indivíduos, selecionada da população sob estudo; 37

38 Definimos a proporção amostral, denotada por pˆ, como sendo a razão do número de indivíduos na amostra que apresentam a característica de x interesse em relação ao número total de indivíduos na amostra: p ˆ =. n Para n suficientemente grande, a distribuição por amostragem de pˆ se aproxima da distribuição normal, centrada em p (é um estimador não viciado) e com erro padrão dado por: ( 1 p) p σ pˆ =. n 38

39 Podemos estimar o erro padrão de pˆ substituindo p por pˆ na expressão de σ pˆ. Usando o mesmo método aplicado a construção de intervalos de confiança para a média, obtemos o seguinte intervalo de 95% de confiança para p: IC ( p;95% ) ( 1 pˆ ) pˆ = pˆ ± 1,96. n 39

40 Para níveis de confiança de 90 e 99%, devemos utilizar os correspondentes escores z, substituindo 1,96 por 1,64 no primeiro caso e por 2,57 no segundo. De forma geral, denotando a confiança de um intervalo por 1 α (e a probabilidade de erro, consequentemente, por α ), o escore z a ser usado é denotado por z α / 2, que delimita, na cauda da direita da distribuição Normal padrão, uma probabilidade α / 2 (ver Figura 7.5). 40

41 Densidade 1 α 2 α 2 α 2 z α 2 0 z α 2 z Figura 7.5 Ilustração da distribuição normal padrão. 41

42 Nota Falamos na validade dos intervalos de confiança para a proporção caso a amostra seja suficientemente grande. Uma regra frequentemente usada para verificar se a amostra é suficientemente grande para a construção de um intervalo de confiança é aplicá-la quando tanto o número de indivíduos com a característica de interesse na amostra, quanto o número de indivíduos da amostra que não apresentam a característica, forem maiores (ou iguais) a 5. 42

43 Exemplo 7.6 Deseja-se estimar a proporção de indivíduos de uma população que crêem em vida após a morte. Para isso, foi selecionada aleatoriamente uma amostra de 900 indivíduos dessa população, sendo que 600 deles afirmaram acreditar em vida após a morte. Com base nos resultados da amostra: 43

44 a) Apresente uma estimativa pontual para a proporção de indivíduos que crêem em vida após a morte nessa população; b) Calcule uma estimativa do erro padrão da proporção calculada no item anterior; c) Apresente um intervalo de 95% de confiança para a proporção de indivíduos que crêem em vida após a morte nessa população. d) Como ficaria o intervalo de confiança (95%) para a proporção de indivíduos que não crêem em vida após a morte? 44

45 Exemplo 7.7 Deseja-se estimar a proporção de alunos em uma grande universidade que apresentam sintomas de ansiedade e/ou depressão. Suponha que numa amostra aleatória de 400 alunos, 15% tenham apresentado sintomas de ansiedade e/ou depressão. a) Apresente um intervalo de 95% de confiança para a proporção de alunos da universidade com sintomas de ansiedade e/ou depressão; b) Repita o item a considerando níveis de 90 e 99% de confiança. O que acontece com a precisão do intervalo? 45

46 c) Suponha que a estimativa de 15% tenha sido produzida por uma amostra de 100 alunos. Recalcule o intervalo de 95% de confiança. O que acontece com sua precisão? d) Repita o item c considerando que o resultado tenha sido gerado por uma amostra de 1600 alunos. Recalcule o intervalo de 95% de confiança. Compare a precisão do intervalo obtido às dos intervalos apresentados nos itens a e c. 46

47 Determinação do tamanho da amostra Antes de coletar os dados, é necessário estabelecer qual o tamanho da amostra (número de indivíduos) que será coletada. A determinação do tamanho da amostra é fundamentada em questões financeiras, de acesso, éticas e estatísticas, dentre outras. Vamos nos ater, neste momento, à determinação de tamanhos amostrais suficientes para se estimar a média e a proporção populacional com precisão e confiança desejadas. 47

48 Determinação do tamanho da amostra estimação da proporção Para determinar o tamanho de amostra necessário para a estimação da proporção populacional, vamos partir da expressão da margem de erro: me ( 1 p) p = 1,96. n Nota Observe que o valor 1,96 está associado a um nível de confiança de 95%. Para outros níveis de confiança, substituir pelos escores z apropriados. 48

49 Com algumas manipulações, podemos isolar n na expressão da margem de erro, obtendo: 2 ( 1 p) 1,96 p n =. 2 me Assim, fixado o nível de confiança, a margem de erro desejada e o valor de p, podemos calcular o tamanho amostral (n) correspondente. Problema Embora o nível de confiança e a margem de erro possam ser fixados pelo pesquisador, o valor de p é desconhecido. 49

50 Solução Como soluções possíveis para este problema, podemos citar: Substituir p pela proporção amostral verificada em um estudo piloto; Substituir p pela proporção amostral verificada em algum estudo que tenha características semelhantes ao estudo que está sendo planejado; Na ausência de uma estimativa pertinente para p, devemos empregar p = 0,5, uma vez que este é o valor que irá requerer maior tamanho de amostra (cenário conservador). 50

51 Exemplo 7.8 Deseja-se estimar a proporção de indivíduos adultos de uma população que apresentam sobrepeso (prevalência de sobrepeso). Qual o tamanho de amostra necessário caso seja desejado estimar tal prevalência com uma margem de erro de 0,05 e nível de confiança de 95%: a) Dispondo de resultados de uma população similar em que a prevalência de sobrepeso é de 30%? b) Caso não se disponha de qualquer estimativa para a prevalência, optando-se por usar o cenário conservador? c) Como ficaria o tamanho de amostra calculado no item a caso fosse especificada uma margem de erro de 0,03, ao invés de 0,05? 51

52 Nota Para populações pequenas (com dezenas ou centenas de indivíduos), o cálculo do tamanho de amostra deverá ser ajustado pelo tamanho da população. Maiores detalhes podem ser obtidos em livros específicos sobre amostragem. Exemplo 7.9 Qual o tamanho de amostra necessário para estimar a proporção de vegetarianos numa região com nível de confiança de 95%, margem de erro de 0,04, dispondo-se de uma estimativa para esta prevalência, fornecida por uma amostra piloto, de 10%? 52

53 Determinação do tamanho da amostra estimação da média Para determinar o tamanho de amostra necessário para a estimação da média populacional, também partimos da expressão da margem de erro: me σ = 1,96. n Com algumas manipulações, podemos isolar n na expressão da margem de erro, obtendo: ,96 σ n =. 2 me

54 Assim, fixado o nível de confiança, a margem de erro desejada e o 2 valor de σ, podemos calcular o tamanho amostral (n) correspondente. Problema Embora o nível de confiança e a margem de erro possam ser fixados pelo pesquisador, o valor de σ é desconhecido. Solução Como soluções possíveis para este problema, podemos citar: Substituir σ pelo desvio padrão amostral verificado em um estudo piloto; 54

55 Substituir σ pelo desvio padrão amostral verificado em algum estudo anterior com características semelhantes ao que está sendo planejado; Usar estratégias baseadas em postulação de valores baseados na regra empírica (veremos um exemplo adiante). Nota Ao substituir σ por alguma estimativa, é prudente ser conservador, tomando, dentre os valores razoáveis para σ, o maior possível (que vai demandar maior tamanho de amostra). 55

56 Exemplo 7.10 Deseja-se estimar o QI (Quociente de Inteligência) médio de uma população, com margem de erro de 3 pontos e nível de confiança de 99%. Não se dispõe de um valor razoável para σ, o desvio padrão dos QIs dos indivíduos dessa população. No entanto, um grupo de pesquisadores, em consenso, disseram acreditar que 95% dos indivíduos dessa população têm QI entre 70 e 110. Com base nessas informações, apresente o tamanho de amostra apropriado. 56

57 Exemplo Deseja-se estimar a dosagem média de certa substância no sangue de uma específica população. Em estudos em populações com algum grau de semelhança em relação à população de interesse, foram verificados valores para o desvio padrão entre 10 e 15mg/l. Qual deve ser o tamanho de amostra para a estimação da dosagem média, caso seja desejada uma margem de erro de 2mg/l e 98% de confiança? 57

Estimativas e Tamanhos de Amostras

Estimativas e Tamanhos de Amostras Estimativas e Tamanhos de Amostras 1 Aspectos Gerais 2 Estimativa de uma Média Populacional: Grandes Amostras 3 Estimativa de uma Média Populacional: Pequenas Amostras 4 Tamanho Amostral Necessário para

Leia mais

Inferência Estatística: DEEST/UFOP Prof.: Spencer Barbosa da Silva

Inferência Estatística: DEEST/UFOP Prof.: Spencer Barbosa da Silva Inferência Estatística: Prof.: Spencer Barbosa da Silva Amostragem Estatística Descritiva Cálculo de Probabilidade Inferência Estatística Estimação Teste de Hipótese Pontual Por Intervalo Conceitos básicos

Leia mais

INFERÊNCIA ESTATÍSTICA. ESTIMAÇÃO PARA A PROPORÇÃO POPULACIONAL p

INFERÊNCIA ESTATÍSTICA. ESTIMAÇÃO PARA A PROPORÇÃO POPULACIONAL p INFERÊNCIA ESTATÍSTICA ESTIMAÇÃO PARA A PROPORÇÃO POPULACIONAL p Objetivo Estimar uma proporção p (desconhecida) de elementos em uma população, apresentando certa característica de interesse, a partir

Leia mais

Introdução ao Planejamento e Análise Estatística de Experimentos 1º Semestre de 2013 Capítulo 3 Introdução à Probabilidade e à Inferência Estatística

Introdução ao Planejamento e Análise Estatística de Experimentos 1º Semestre de 2013 Capítulo 3 Introdução à Probabilidade e à Inferência Estatística Introdução ao Planejamento e Análise Estatística de Capítulo 3 Introdução à Probabilidade e à Inferência Estatística INTERVALOS DE CONFIANÇA: Diferentes pesquisadores, selecionando amostras de uma mesma

Leia mais

Introdução ao Planejamento e Análise Estatística de Experimentos 1º Semestre de 2013 Capítulo 3 Introdução à Probabilidade e à Inferência Estatística

Introdução ao Planejamento e Análise Estatística de Experimentos 1º Semestre de 2013 Capítulo 3 Introdução à Probabilidade e à Inferência Estatística Introdução ao Planejamento e Análise Estatística de Experimentos Capítulo 3 Introdução à Probabilidade e à Inferência Estatística Introdução ao Planejamento e Análise Estatística de Experimentos Agora,

Leia mais

Inferência Estatística:

Inferência Estatística: Inferência Estatística: Amostragem Estatística Descritiva Cálculo de Probabilidade Inferência Estatística Estimação Teste de Hipótese Pontual Por Intervalo Conceitos básicos Estimação É um processo que

Leia mais

Definição. Os valores assumidos pelos estimadores denomina-se estimativas pontuais ou simplesmente estimativas.

Definição. Os valores assumidos pelos estimadores denomina-se estimativas pontuais ou simplesmente estimativas. 1. Inferência Estatística Inferência Estatística é o uso da informção (ou experiência ou história) para a redução da incerteza sobre o objeto em estudo. A informação pode ou não ser proveniente de um experimento

Leia mais

Inferência Estatística:

Inferência Estatística: Universidade Federal de Minas Gerais Instituto de Ciências Exatas Departamento de Estatística Inferência Estatística: Princípios de Bioestatística decidindo na presença de incerteza Aula 8: Intervalos

Leia mais

Teorema central do limite e es/mação da proporção populacional p

Teorema central do limite e es/mação da proporção populacional p Teorema central do limite e es/mação da proporção populacional p 1 RESULTADO 1: Relembrando resultados importantes Seja uma amostra aleatória de tamanho n de uma variável aleatória X, com média µ e variância

Leia mais

Probabilidade e Estatística. Estimação de Parâmetros Intervalo de Confiança

Probabilidade e Estatística. Estimação de Parâmetros Intervalo de Confiança Probabilidade e Estatística Prof. Dr. Narciso Gonçalves da Silva http://páginapessoal.utfpr.edu.br/ngsilva Estimação de Parâmetros Intervalo de Confiança Introdução A inferência estatística é o processo

Leia mais

Inferência Estatística - Teoria da Estimação

Inferência Estatística - Teoria da Estimação Inferência Estatística - Teoria da Estimação Introdução Neste capítulo abordaremos situações em que o interesse está em obter informações da população a partir dos resultados de uma amostra. Como exemplo,

Leia mais

Intervalos de Confiança

Intervalos de Confiança Intervalos de Confiança Carla Henriques e Nuno Bastos Departamento de Matemática Escola Superior de Tecnologia de Viseu Carla Henriques e Nuno Bastos (DepMAT) Intervalos de Confiança 2010/2011 1 / 33 Introdução

Leia mais

Distribuições Amostrais

Distribuições Amostrais Distribuições Amostrais 1 Da população, com parâmetro, retira-se k amostras de tamanho n e calcula-se a estatística. Estas estatísticas são as estimativas de. As estatísticas, sendo variáveis aleatórias,

Leia mais

Estatística Indutiva

Estatística Indutiva Estatística Indutiva MÓDULO 7: INTERVALOS DE CONFIANÇA 7.1 Conceitos básicos 7.1.1 Parâmetro e estatística Parâmetro é a descrição numérica de uma característica da população. Estatística é a descrição

Leia mais

AULA 07 Inferência a Partir de Duas Amostras

AULA 07 Inferência a Partir de Duas Amostras 1 AULA 07 Inferência a Partir de Duas Amostras Ernesto F. L. Amaral 10 de setembro de 2012 Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (FAFICH) Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Fonte: Triola,

Leia mais

Fernando de Pol Mayer

Fernando de Pol Mayer Fernando de Pol Mayer Laboratório de Estatística e Geoinformação (LEG) Departamento de Estatística (DEST) Universidade Federal do Paraná (UFPR) Este conteúdo está disponível por meio da Licença Creative

Leia mais

Intervalos de Confiança - Amostras Pequenas

Intervalos de Confiança - Amostras Pequenas Intervalos de Confiança - Amostras Pequenas Teste de Hipóteses para uma Média Jorge M. V. Capela, Marisa V. Capela, Instituto de Química - UNESP Araraquara, SP capela@iq.unesp.br Araraquara, SP - 2016

Leia mais

TÉCNICAS DE AMOSTRAGEM

TÉCNICAS DE AMOSTRAGEM TÉCNICAS DE AMOSTRAGEM Ralph dos Santos Silva Departamento de Métodos Estatísticos Instituto de Matemática Universidade Federal do Rio de Janeiro Sumário Teorema Central do Limite (TCL) Se y 1, y 2,...,

Leia mais

Métodos Quantitativos para Ciência da Computação Experimental

Métodos Quantitativos para Ciência da Computação Experimental Métodos Quantitativos para Ciência da Computação Experimental Revisão Virgílio A. F. Almeida Maio de 2008 Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal de Minas Gerais FOCO do curso Revisão

Leia mais

Introdução à Inferência Estatística

Introdução à Inferência Estatística Introdução à Inferência Estatística Capítulo 10, Estatística Básica (Bussab&Morettin, 7a Edição) 2a AULA 02/03/2015 MAE229 - Ano letivo 2015 Lígia Henriques-Rodrigues 2a aula (02/03/2015) MAE229 1 / 16

Leia mais

Aula 9 Intervalo de confiança para a média da N(μ; σ 2 ), σ 2 desconhecida

Aula 9 Intervalo de confiança para a média da N(μ; σ 2 ), σ 2 desconhecida Aula 9 Intervalo de confiança para a média da N(μ; σ 2 ), σ 2 desconhecida Nesta aula você completará seu estudo básico sobre intervalos de confiança, analisando o problema de estimação da média de uma

Leia mais

Inferência Estatística. Teoria da Estimação

Inferência Estatística. Teoria da Estimação Inferência Estatística Teoria da Estimação Os procedimentos básicos de inferência Estimação: usamos o resultado amostral para estimar o valor desconhecido do parâmetro Teste de hipótese: usamos o resultado

Leia mais

Intervalos Estatísticos para uma única Amostra - parte I

Intervalos Estatísticos para uma única Amostra - parte I Intervalos Estatísticos para uma única Amostra - parte I Intervalo de confiança para média 14 de Janeiro Objetivos Ao final deste capítulo você deve ser capaz de: Construir intervalos de confiança para

Leia mais

Inferência Estatística: Conceitos Básicos II

Inferência Estatística: Conceitos Básicos II Inferência Estatística: Conceitos Básicos II Distribuição Amostral e Teorema do Limite Central Análise Exploratória de dados no SPSS Flávia F. Feitosa BH1350 Métodos e Técnicas de Análise da Informação

Leia mais

Intervalos de Confiança

Intervalos de Confiança Intervalos de Confiança INTERVALOS DE CONFIANÇA.1 Conceitos básicos.1.1 Parâmetro e estatística Parâmetro é a descrição numérica de uma característica da população. Estatística é a descrição numérica de

Leia mais

14. Distribuição de Probabilidade para Variáveis Aleatórias Contínuas

14. Distribuição de Probabilidade para Variáveis Aleatórias Contínuas 4. Distribuição de Probabilidade para Variáveis Aleatórias Contínuas Os valores assumidos por uma variável aleatória contínua podem ser associados com medidas em uma escala contínua como, por exemplo,

Leia mais

Parte 8 Testes de hipóteses Comparação de dois grupos

Parte 8 Testes de hipóteses Comparação de dois grupos Parte 8 Testes de hipóteses Comparação de dois grupos Um objetivo frequente em estudos de diferentes áreas é a comparação de dois ou mais grupos (ou populações). Alguns exemplos: o Comparação dos salários

Leia mais

Inventário Florestal. Amostragem

Inventário Florestal. Amostragem Inventário Florestal Amostragem 1 Definição: Seleção de uma parte (amostra) de um todo (população), coletando na parte selecionada, algumas informações de interesse, com o objetivo de tirar conclusão (inferência)

Leia mais

Teste de hipóteses para uma média populacional com variância conhecida e desconhecida

Teste de hipóteses para uma média populacional com variância conhecida e desconhecida Teste de hipóteses para uma média populacional com variância conhecida e desconhecida Teste de hipóteses para uma média populacional com variância conhecida Tomando-se como exemplo os dados de recém-nascidos

Leia mais

Nessa situação, a média dessa distribuição Normal (X ) é igual à média populacional, ou seja:

Nessa situação, a média dessa distribuição Normal (X ) é igual à média populacional, ou seja: Pessoal, trago a vocês a resolução da prova de Estatística do concurso para Auditor Fiscal aplicada pela FCC. Foram 10 questões de estatística! Não identifiquei possibilidade para recursos. Considero a

Leia mais

TÉCNICAS DE AMOSTRAGEM

TÉCNICAS DE AMOSTRAGEM TÉCNICAS DE AMOSTRAGEM Ralph dos Santos Silva Departamento de Métodos Estatísticos Instituto de Matemática Universidade Federal do Rio de Janeiro Sumário Amostragem estratificada Divisão da população em

Leia mais

Distribuição T - Student. Prof. Herondino S. F.

Distribuição T - Student. Prof. Herondino S. F. Distribuição T - Student Prof. Herondino S. F. Distribuição T-Student A distribuição T de Student é uma distribuição de probabilidade estatística, publicada por um autor que se chamou de Student, pseudônimo

Leia mais

Aula 7 Intervalos de confiança

Aula 7 Intervalos de confiança Aula 7 Intervalos de confiança Nesta aula você aprenderá um método muito importante de estimação de parâmetros. Na aula anterior, você viu que a média amostral X é um bom estimador da média populacional

Leia mais

Teste de hipóteses para proporção populacional p

Teste de hipóteses para proporção populacional p Teste de hipóteses para proporção populacional p 1 Métodos Estatísticos Métodos Estatísticos Estatística Descritiva Inferência Estatística Estimação Teste de Hipóteses 2 TESTE DE HIPÓTESES Eu acredito

Leia mais

P. P. G. em Agricultura de Precisão DPADP0803: Geoestatística (Prof. Dr. Elódio Sebem)

P. P. G. em Agricultura de Precisão DPADP0803: Geoestatística (Prof. Dr. Elódio Sebem) Amostragem: Em pesquisas científicas, quando se deseja conhecer características de uma população, é comum se observar apenas uma amostra de seus elementos e, a partir dos resultados dessa amostra, obter

Leia mais

de estimativa. Essa estimativa, chamada de confiança ou estimativa intervalar, consiste em uma faixa, ou intervalo, de valores em vez de apenas um úni

de estimativa. Essa estimativa, chamada de confiança ou estimativa intervalar, consiste em uma faixa, ou intervalo, de valores em vez de apenas um úni ESTATÍSTICA APLICADA À ADMINISTRAÇÃO AULA 04: AMOSTRAGEM E ESTIMAÇÃO TÓPICO 04: INTERVALOS DE CONFIANÇA VERSÃO TEXTUAL Um dos principais objetivos da estatística inferencial consiste em estimar os valores

Leia mais

Estatística II. Intervalo de Confiança Lista de Exercícios

Estatística II. Intervalo de Confiança Lista de Exercícios Estatística II Intervalo de Confiança Lista de Exercícios 1. IC da Média com a Variância Populacional Desconhecida De 50.000 válvulas fabricadas por uma companhia, retira-se uma amostra de 400 válvulas,

Leia mais

Estatística (MAD231) Turma: IGA. Período: 2016/2

Estatística (MAD231) Turma: IGA. Período: 2016/2 Estatística (MAD231) Turma: IGA Período: 2016/2 Aula #02 de Inferência Estatística: 28/11/2016 1 Intervalos de Confiança Vamos começar com um exemplo. Suponha que se deseja estimar a média µ de uma população

Leia mais

AULA 10 Estimativas e Tamanhos Amostrais

AULA 10 Estimativas e Tamanhos Amostrais 1 AULA 10 Estimativas e Tamanhos Amostrais Ernesto F. L. Amaral 18 de setembro de 2012 Metodologia de Pesquisa (DCP 854B) Fonte: Triola, Mario F. 2008. Introdução à estatística. 10 ª ed. Rio de Janeiro:

Leia mais

Distribuições derivadas da distribuição Normal. Distribuição Normal., x real.

Distribuições derivadas da distribuição Normal. Distribuição Normal., x real. Distribuições derivadas da distribuição Normal Distribuição Normal Uma variável aleatória X tem distribuição normal com parâmetros µ e σ, quando sua densidade de probabilidade é f ( x) π σ e ( x µ ) σ,

Leia mais

Métodos Quantitativos

Métodos Quantitativos Métodos Quantitativos Unidade 3 Estatística inferencial parte I Prof. Me. Diego Fernandes 1 Sumário Seção Slides 3.1 Noções de probabilidade 03 21 3.2 Distribuição dos estimadores 22 41 3.3 e 3.4 - Testes

Leia mais

Prof. Adriano Mendonça Souza, Dr. Departamento de Estatística PPGEMQ / PPGEP - UFSM

Prof. Adriano Mendonça Souza, Dr. Departamento de Estatística PPGEMQ / PPGEP - UFSM Prof. Adriano Mendonça Souza, Dr. Departamento de Estatística PPGEMQ / PPGEP - UFSM Estimação de Parâmetros O objetivo da Estatística Indutiva é tirar conclusões probabilísticas sobre aspectos da população,

Leia mais

Aula 10 Estimação e Intervalo de Confiança

Aula 10 Estimação e Intervalo de Confiança Aula 10 Estimação e Intervalo de Confiança Objetivos da Aula Fixação dos conceitos de Estimação; Utilização das tabelas de Distribuição Normal e t de Student Introdução Freqüentemente necessitamos, por

Leia mais

TAMANHO AMOSTRAL. Lucas Santana da Cunha 31 de julho de Universidade Estadual de Londrina. Tamanho da Amostra

TAMANHO AMOSTRAL. Lucas Santana da Cunha  31 de julho de Universidade Estadual de Londrina. Tamanho da Amostra TAMANHO AMOSTRAL Lucas Santana da Cunha http://www.uel.br/pessoal/lscunha/ Universidade Estadual de Londrina 31 de julho de 2017 Tamanho da Amostra É muito comum ao pesquisador indagar sobre o número de

Leia mais

4.1 Conceitos Básicos em Reamostragem

4.1 Conceitos Básicos em Reamostragem 4 Reamostragem O tipo de estatística não-paramétrica que foi ensinado no passado desempenhou um importante papel na análise de dados que não são contínuos e, portanto, não podem empregar a distribuição

Leia mais

Fernando de Pol Mayer

Fernando de Pol Mayer Fernando de Pol Mayer Laboratório de Estatística e Geoinformação (LEG) Departamento de Estatística (DEST) Universidade Federal do Paraná (UFPR) Este conteúdo está disponível por meio da Licença Creative

Leia mais

Aula 2. ESTATÍSTICA E TEORIA DAS PROBABILIDADES Conceitos Básicos

Aula 2. ESTATÍSTICA E TEORIA DAS PROBABILIDADES Conceitos Básicos Aula 2 ESTATÍSTICA E TEORIA DAS PROBABILIDADES Conceitos Básicos 1. DEFINIÇÕES FENÔMENO Toda modificação que se processa nos corpos pela ação de agentes físicos ou químicos. 2. Tudo o que pode ser percebido

Leia mais

Inferência Estatística

Inferência Estatística Metodologia de Diagnóstico e Elaboração de Relatório FASHT Inferência Estatística Profa. Cesaltina Pires cpires@uevora.pt Plano da Apresentação Duas distribuições importantes Normal T- Student Estimação

Leia mais

Princípios de Bioestatística

Princípios de Bioestatística Princípios de Bioestatística Cálculo do Tamanho de Amostra Enrico A. Colosimo/UFMG http://www.est.ufmg.br/ enricoc/ Depto. Estatística - ICEx - UFMG 1 / 32 2 / 32 Cálculo do Tamanho de Amostra Parte fundamental

Leia mais

Bioestatística CE001 Prof. Fernando de Pol Mayer Departamento de Estatística DEST Exercícios: inferência Nome: GABARITO

Bioestatística CE001 Prof. Fernando de Pol Mayer Departamento de Estatística DEST Exercícios: inferência Nome: GABARITO Bioestatística CE001 Prof. Fernando de Pol Mayer Departamento de Estatística DEST Exercícios: inferência Nome: GABARITO GRR: Observação: em todos os problemas que envolvem teste de hipótese, é necessário

Leia mais

Cálculo das Probabilidades e Estatística I

Cálculo das Probabilidades e Estatística I Cálculo das Probabilidades e Estatística I Prof a. Juliana Freitas Pires Departamento de Estatística Universidade Federal da Paraíba - UFPB juliana@de.ufpb.br Introdução O curso foi dividido em três etapas:

Leia mais

Distribuição Amostral e Estimação Pontual de Parâmetros

Distribuição Amostral e Estimação Pontual de Parâmetros Roteiro Distribuição Amostral e Estimação Pontual de Parâmetros 1. Introdução 2. Teorema Central do Limite 3. Conceitos de Estimação Pontual 4. Métodos de Estimação Pontual 5. Referências População e Amostra

Leia mais

Estimação parâmetros e teste de hipóteses. Prof. Dr. Alberto Franke (48)

Estimação parâmetros e teste de hipóteses. Prof. Dr. Alberto Franke (48) Estimação parâmetros e teste de hipóteses Prof. Dr. Alberto Franke (48) 91471041 Intervalo de confiança para média É um intervalo em que haja probabilidade do verdadeiro valor desconhecido do parâmetro

Leia mais

Distribuição t de Student

Distribuição t de Student Distribuição t de Student Introdução Quando o desvio padrão da população não é conhecido (o que é o caso, geralmente), usase o desvio padrão da amostra como estimativa, substituindo-se σ x por S x nas

Leia mais

Métodos Quantitativos em Medicina

Métodos Quantitativos em Medicina Métodos Quantitativos em Medicina Comparação de Duas Médias Terceira Aula 009 Teste de Hipóteses - Estatística do teste A estatística do teste de hipótese depende da distribuição da variável na população

Leia mais

Distribuições Amostrais e Estimação Pontual de Parâmetros

Distribuições Amostrais e Estimação Pontual de Parâmetros Distribuições Amostrais e Estimação Pontual de Parâmetros ESQUEMA DO CAPÍTULO 7.1 INTRODUÇÃO 7.2 DISTRIBUIÇÕES AMOSTRAIS E TEOREMA DO LIMITE CENTRAL 7.3 CONCEITOS GERAIS DE ESTIMAÇÃO PONTUAL 7.3.1 Estimadores

Leia mais

HEP Bioestatística

HEP Bioestatística HEP 57800 Bioestatística DATA Aula CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 05/03 Terça 1 Níveis de mensuração, variáveis, organização de dados, apresentação tabular 07/03 Quinta 2 Apresentação tabular e gráfica 12/03 Terça

Leia mais

Intervalos de conança

Intervalos de conança Intervalos de conança Prof. Hemílio Fernandes Campos Coêlho Departamento de Estatística - Universidade Federal da Paraíba - UFPB Exemplo Suponha que se deseja estimar o diâmetro da pupila de coelhos adultos.

Leia mais

1.1. Definições importantes

1.1. Definições importantes Parte I. Inferência Estatística Trata-se do processo de se obter informações sobre uma população a partir dos resultados observados numa amostra. De um modo geral, tem-se uma população com um grande número

Leia mais

AULA 02 Distribuição de Probabilidade Normal

AULA 02 Distribuição de Probabilidade Normal 1 AULA 02 Distribuição de Probabilidade Normal Ernesto F. L. Amaral 20 de agosto de 2012 Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (FAFICH) Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Fonte: Triola, Mario

Leia mais

ESTIMAÇÃO POR INTERVALO DE CONFIANÇA. Profª Sheila Oro 1

ESTIMAÇÃO POR INTERVALO DE CONFIANÇA. Profª Sheila Oro 1 ESTIMAÇÃO POR INTERVALO DE CONFIANÇA Profª Sheila Oro 1 DEFINIÇÃO Um itervalo de confiança (ou estimativa intervalar) é uma faixa (ou um intervalo) de valores usada para se estimar o verdadeiro valor de

Leia mais

MAE Introdução à Probabilidade e Estatística II Resolução Lista 5

MAE Introdução à Probabilidade e Estatística II Resolução Lista 5 MAE 229 - Introdução à Probabilidade e Estatística II Resolução Lista 5 Professor: Pedro Morettin e Profa. Chang Chian Exercício 1 (a) De uma forma geral, o desvio padrão é usado para medir a dispersão

Leia mais

Estatística Inferencial

Estatística Inferencial statística Inferencial A ou inferencial compreende a stimação e o Teste de hipótese. Na verdade, a estatística inferencial forma a base das atividades de controle da qualidade e também pode auxiliar na

Leia mais

ESTATÍSTICA APLICADA À ADMINISTRAÇÃO

ESTATÍSTICA APLICADA À ADMINISTRAÇÃO ESTATÍSTICA APLICADA À ADMINISTRAÇÃO Thiago Marzagão INTERVALOS DE CONFIANÇA Thiago Marzagão (IDP) ESTATÍSTICA APLICADA À ADMINISTRAÇÃO 1/2016 1 / 53 média amostral ( x) Queremos saber o salário médio

Leia mais

TESTES NÃO PARAMÉTRICOS (para mediana/média)

TESTES NÃO PARAMÉTRICOS (para mediana/média) MAE212: Introdução à Probabilidade e à Estatística II - Profas. Beti e Chang (2012) 1 TESTES NÃO PARAMÉTRICOS (para mediana/média) Os métodos de estimação e testes de hipóteses estudados até agora nessa

Leia mais

Teorema do Limite Central, distribuição amostral, estimação por ponto e intervalo de confiança

Teorema do Limite Central, distribuição amostral, estimação por ponto e intervalo de confiança Teorema do Limite Central, distribuição amostral, estimação por ponto e intervalo de confiança Prof. Marcos Pó Métodos Quantitativos para Ciências Sociais Distribuição amostral Duas amostragens oriundas

Leia mais

Estimação e Testes de Hipóteses

Estimação e Testes de Hipóteses Estimação e Testes de Hipóteses 1 Estatísticas sticas e parâmetros Valores calculados por expressões matemáticas que resumem dados relativos a uma característica mensurável: Parâmetros: medidas numéricas

Leia mais

DE ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA APLICADA)

DE ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA APLICADA) 1. Sabe-se que o nível de significância é a probabilidade de cometermos um determinado tipo de erro quando da realização de um teste de hipóteses. Então: a) A escolha ideal seria um nível de significância

Leia mais

NOÇÕES DE TESTE DE HIPÓTESES (I) Teste de hipóteses para a proporção populacional

NOÇÕES DE TESTE DE HIPÓTESES (I) Teste de hipóteses para a proporção populacional NOÇÕES DE TESTE DE HIPÓTESES (I) Teste de hipóteses para a proporção populacional Estimação Teste de Hipóteses Qual é a probabilidade de "cara no lançamento de uma moeda? A moeda é honesta ou desequilibrada?

Leia mais

Testes de Hipótese para uma única Amostra - parte II

Testes de Hipótese para uma única Amostra - parte II Testes de Hipótese para uma única Amostra - parte II 2012/02 1 Teste para média com variância conhecida 2 3 Objetivos Ao final deste capítulo você deve ser capaz de: Testar hipóteses para média de uma

Leia mais

7 Teste de Hipóteses

7 Teste de Hipóteses 7 Teste de Hipóteses 7-1 Aspectos Gerais 7-2 Fundamentos do Teste de Hipóteses 7-3 Teste de uma Afirmação sobre a Média: Grandes Amostras 7-4 Teste de uma Afirmação sobre a Média : Pequenas Amostras 7-5

Leia mais

i. f Y (y, θ) = 1/θ... 0 y θ 0... y < 0 ou y > θ Se a amostra selecionada foi ( ), qual será a estimativa para θ?

i. f Y (y, θ) = 1/θ... 0 y θ 0... y < 0 ou y > θ Se a amostra selecionada foi ( ), qual será a estimativa para θ? Fundação Getulio Vargas Curso: Graduação Disciplina: Estatística Professor: Moisés Balassiano Lista de Exercícios Inferência. Seja (Y, Y 2,..., Y n ) uma amostra aleatória iid, de tamanho n, extraída de

Leia mais

Unidade I ESTATÍSTICA APLICADA. Prof. Mauricio Fanno

Unidade I ESTATÍSTICA APLICADA. Prof. Mauricio Fanno Unidade I ESTATÍSTICA APLICADA Prof. Mauricio Fanno Estatística indutiva Estatística descritiva Dados no passado ou no presente e em pequena quantidade, portanto, reais e coletáveis. Campo de trabalho:

Leia mais

Carlos Antonio Filho

Carlos Antonio Filho Estatística II - Seção 04 Carlos Antonio Filho ESAGS 2 o semestre de 2017 Carlos Antonio Filho (ESAGS) Estatística II - Seção 04 2 o semestre de 2017 1 / 137 Comparação de médias de duas populações Vamos

Leia mais

População e Amostra. População: O conjunto de todas as coisas que se pretende estudar. Representada por tudo o que está no interior do desenho.

População e Amostra. População: O conjunto de todas as coisas que se pretende estudar. Representada por tudo o que está no interior do desenho. População e Amostra De importância fundamental para toda a análise estatística é a relação entre amostra e população. Praticamente todas as técnicas a serem discutidas neste curso consistem de métodos

Leia mais

( x) = a. f X. = para x I. Algumas Distribuições de Probabilidade Contínuas

( x) = a. f X. = para x I. Algumas Distribuições de Probabilidade Contínuas Probabilidade e Estatística I Antonio Roque Aula Algumas Distribuições de Probabilidade Contínuas Vamos agora estudar algumas importantes distribuições de probabilidades para variáveis contínuas. Distribuição

Leia mais

(a) 0,90 (b) 0,67 (c) 1,0 (d) 0,005

(a) 0,90 (b) 0,67 (c) 1,0 (d) 0,005 359$'((67$7Ë67,&$6(/(d 0(675$'80*,QVWUXo}HVSDUDDSURYD D&DGDTXHVWmRUHVSRQGLGDFRUUHWDPHQWHYDOHSRQWR E4XHVW}HV GHL[DGDV HP EUDQFR YDOHP ]HUR SRQWRV QHVVH FDVR PDUTXH WRGDV DV DOWHUQDWLYDV F &DGDTXHVWmRUHVSRQGLGDLQFRUUHWDPHQWHYDOHSRQWR

Leia mais

Unidade III ESTATÍSTICA. Prof. Fernando Rodrigues

Unidade III ESTATÍSTICA. Prof. Fernando Rodrigues Unidade III ESTATÍSTICA Prof. Fernando Rodrigues Medidas de dispersão Estudamos na unidade anterior as medidas de tendência central, que fornecem importantes informações sobre uma sequência numérica. Entretanto,

Leia mais

INTRODUÇÃO À INFERÊNCIA ESTATÍSTICA

INTRODUÇÃO À INFERÊNCIA ESTATÍSTICA UFPE - Universidade Federal de Pernambuco Departamento de Estatística Disciplina: ET-406 Estatística Econômica Professor: Waldemar A. de Santa Cruz Oliveira Júnior INTRODUÇÃO À INFERÊNCIA ESTATÍSTICA Podemos

Leia mais

Prof. Adriano Mendonça Souza, Dr. Departamento de Estatística PPGEMQ / PPGEP - UFSM

Prof. Adriano Mendonça Souza, Dr. Departamento de Estatística PPGEMQ / PPGEP - UFSM Prof. Adriano Mendonça Souza, Dr. Departamento de Estatística PPGEMQ / PPGEP - UFSM 1 Na prática da pesquisa em geral, o tamanho da amostra parece sintetizar todas as questões relacionadas ao processo

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 X 39,0 39,5 39,5 39,0 39,5 41,5 42,0 42,0 Y 46,5 65,5 86,0 100,0 121,0 150,5 174,0 203,0 A tabela acima mostra as quantidades, em milhões

Leia mais

Inferência Estatística. Estimação

Inferência Estatística. Estimação Inferência Estatística Estimação Inferência Estatística fazer inferências tirar conclusões fazer inferência estatística tirar conclusões sobre uma população com base em somente uma parte dela, a amostra,

Leia mais

VERSÃO RESPOSTAS PROVA DE MÉTODOS QUANTITATIVOS

VERSÃO RESPOSTAS PROVA DE MÉTODOS QUANTITATIVOS UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DE RIBEIRÃO PRETO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO DE ORGANIZAÇÕES PROCESSO SELETIVO MESTRADO - TURMA 2012 PROVA

Leia mais

AULA 09 Regressão. Ernesto F. L. Amaral. 17 de setembro de 2012

AULA 09 Regressão. Ernesto F. L. Amaral. 17 de setembro de 2012 1 AULA 09 Regressão Ernesto F. L. Amaral 17 de setembro de 2012 Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (FAFICH) Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Fonte: Triola, Mario F. 2008. Introdução à

Leia mais

Probabilidade, distribuição normal e uso de tabelas padronizadas

Probabilidade, distribuição normal e uso de tabelas padronizadas Probabilidade, distribuição normal e uso de tabelas padronizadas Prof. Marcos Vinicius Pó Métodos Quantitativos para Ciências Sociais O que é probabilidade? Número de 0 até 1 que expressa a tendência de

Leia mais

Conceito de Estatística

Conceito de Estatística Conceito de Estatística Estatística Técnicas destinadas ao estudo quantitativo de fenômenos coletivos, observáveis. Unidade Estatística um fenômeno individual é uma unidade no conjunto que irá constituir

Leia mais

Estatística 1. Resumo Teórico

Estatística 1. Resumo Teórico Estatística 1 Resumo Teórico Conceitos do Curso 1. Tipos de Variáveis e Representações Gráficas a. Tipos de Variáveis b. Distribuição de Frequências c. Histograma 2. Estatística Descritiva Medidas Estatísticas

Leia mais

Inferência Estatística Estimação de Parâmetros

Inferência Estatística Estimação de Parâmetros Inferência Estatística Estimação de Parâmetros Pedro Paulo Balestrassi www.pedro.unifei.edu.br ppbalestrassi@gmail.com 35-36291161 / 88776958 (cel) 1 Inferência Estatística: uma amostra ajudando a entender

Leia mais

Probabilidade, distribuição normal e uso de tabelas padronizadas

Probabilidade, distribuição normal e uso de tabelas padronizadas Probabilidade, distribuição normal e uso de tabelas padronizadas Prof. Marcos Vinicius Pó Métodos Quantitativos para Ciências Sociais O que é probabilidade? Número de 0 até 1 que expressa a tendência de

Leia mais

CAPÍTULO 3 POPULAÇÃO E AMOSTRA

CAPÍTULO 3 POPULAÇÃO E AMOSTRA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS GCN 7901 ANÁLISE ESTATÍSTICA EM GEOCIÊNCIAS PROFESSOR: Dr. ALBERTO FRANKE CONTATO: alberto.franke@ufsc.br F: 3721 8595 CAPÍTULO 3 POPULAÇÃO E AMOSTRA As pesquisas de opinião

Leia mais

Amostragem e distribuições por amostragem

Amostragem e distribuições por amostragem Amostragem e distribuições por amostragem Carla Henriques e Nuno Bastos Departamento de Matemática Escola Superior de Tecnologia de Viseu Contabilidade e Administração População, amostra e inferência estatística

Leia mais

Capítulo 3. Introdução à Probabilidade E à Inferência Estatística

Capítulo 3. Introdução à Probabilidade E à Inferência Estatística Capítulo 3 Introdução à Probabilidade E à Inferência Estatística definições e propriedades: Propriedade 5: A probabilidade condicional reflete como a probabilidade de um evento pode mudar se soubermos

Leia mais

Les Estatística Aplicada II AMOSTRA E POPULAÇÃO

Les Estatística Aplicada II AMOSTRA E POPULAÇÃO Les 0407 - Estatística Aplicada II AMOSTRA E POPULAÇÃO AULA 1 04/08/16 Prof a Lilian M. Lima Cunha Agosto de 2016 Estatística 3 blocos de conhecimento Estatística Descritiva Levantamento e resumo de dados

Leia mais

6. Amostragem e estimação pontual

6. Amostragem e estimação pontual 6. Amostragem e estimação pontual Definição 6.1: População é um conjunto cujos elementos possuem qualquer característica em comum. Definição 6.2: Amostra é um subconjunto da população. Exemplo 6.1: Um

Leia mais

BIOESTATISTICA. Unidade IV - Probabilidades

BIOESTATISTICA. Unidade IV - Probabilidades BIOESTATISTICA Unidade IV - Probabilidades 0 PROBABILIDADE E DISTRIBUIÇÃO DE FREQUÊNCIAS COMO ESTIMATIVA DA PROBABILIDADE Noções de Probabilidade Após realizar a descrição dos eventos utilizando gráficos,

Leia mais

Bioestatística e Computação I

Bioestatística e Computação I Bioestatística e Computação I Distribuição Amostral da Média Maria Virginia P Dutra Eloane G Ramos Vania Matos Fonseca Variável aleatória numérica parâmetros desconhecidos média desvio padrão estimativa

Leia mais

Conceitos básicos, probabilidade, distribuição normal e uso de tabelas padronizadas

Conceitos básicos, probabilidade, distribuição normal e uso de tabelas padronizadas Conceitos básicos, probabilidade, distribuição normal e uso de tabelas padronizadas Prof. Marcos Vinicius Pó Métodos Quantitativos para Ciências Sociais Alguns conceitos População: é o conjunto de todos

Leia mais

Inferência Estatística Básica. Teste de Hipóteses para uma média populacional Cálculo do Valor p

Inferência Estatística Básica. Teste de Hipóteses para uma média populacional Cálculo do Valor p Inferência Estatística Básica Teste de Hipóteses para uma média populacional Cálculo do Valor p Exemplo 1 Um restaurante compra frangos abatidos inteiros com peso médio de 3 Kg há vários anos de um mesmo

Leia mais

Fernando de Pol Mayer

Fernando de Pol Mayer Fernando de Pol Mayer Laboratório de Estatística e Geoinformação (LEG) Departamento de Estatística (DEST) Universidade Federal do Paraná (UFPR) Este conteúdo está disponível por meio da Licença Creative

Leia mais

Estatística Descritiva (I)

Estatística Descritiva (I) Estatística Descritiva (I) 1 O que é Estatística Origem relacionada com a coleta e construção de tabelas de dados para o governo. A situação evoluiu: a coleta de dados representa somente um dos aspectos

Leia mais