DETENÇÃO. - Os actos processuais com detidos são urgentes e os prazos correm em férias (art. 80º CPP).

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DETENÇÃO. - Os actos processuais com detidos são urgentes e os prazos correm em férias (art. 80º CPP)."

Transcrição

1 DETENÇÃO 1- Definição. Medida cautelar de privação da liberdade pessoal, não dependente de mandato judicial, de natureza precária e excepcional, que visa a prossecução de finalidades taxativamente 1 previstas na lei. - Os actos processuais com detidos são urgentes e os prazos correm em férias (art. 80º - O tempo de detenção conta como tempo de prisão preventiva, assim, em caso de condenação em pena de multa ou prisão, descontam-se os dias de detenção (art. 201º e 200º 2- Finalidades da detenção. 72 horas: 48 horas: 12 horas: - Julgamento em processo sumário (art. 217º, nº 1, al. a) e 346º - Primeiro interrogatório judicial pelo Juiz (art. art. 217º, nº 1, al. a) e 63º - Aplicação/execução de medida de coacção (art. art. 217º, nº 1, al. a) e 188º, nº 1 e 2º - Presença perante autoridade judiciária em acto processual (art. 217º, nº 1, al. b) - Estrangeiro que penetre ou permaneça irregularmente em território nacional (art. 72º, nº 1 Lei 9/2003, de 8/10). - Condução a posto policial para identificação (art. 53º, nº 3 3- Proibições/limites à detenção. - Advogados em exercício de funções, magistrados e defensores públicos, não podem ser detidos para assegurar a sua comparência imediata em acto processual (art. 217º, nº 2 1 «Ninguém pode ser detido ou preso senão nos termos expressamente previstos na lei vigente, devendo sempre a detenção ou a prisão ser submetida à apreciação do juiz competente no prazo legal» (art. 30º, nº 2 da Constituição). 1

2 - Os membros do Governo não podem ser detidos sem autorização do Parlamento, excepto se o crime tiver pena de prisão cujo limite máximo seja superior a 2 anos e em flagrante delito (art. 26º, nº 1, Lei 7/2007). - Os magistrados do MP, apenas podem ser detidos em flagrante delito, por crime punivel com pena de prisão superior a 2 anos (art. 41º, nº 1, Lei 14/2005). Em caso de detenção, são imediatamente apresentados ao Juiz competente (art. 41º, nº 2, Lei 14/2005). - Agentes diplomáticos, não podem ser detidos (art. 29º da Convenção de Viena sobre relações diplomáticas, ratificada pela resolução do Parlamento nº 24/2003, de 22/10). - Os funcionários consulares apenas podem ser detidos em caso de crime grave ou em virtude de decisão da autoridade judiciária competente (art. 41º da Convenção de Viena sobre relações consulares, ratificada pela resolução do Parlamento nº 24/2003, de 22/10). Em caso de detenção, tem que ser notificado de imediato o chefe do posto consular (art. 42º da Convenção de Viena sobre relações consulares). - Os deputados apenas podem ser detidos por crime doloso punível com pena de prisão superior a 5 anos (art. 11º, nº 1, lei 5/2004). - Os Juízes, apenas podem ser detidos em flagrante delito, se o crime tiver pena superior a 3 anos (art. 43º, nº 1, Lei 8/2002). Em caso de detenção, são imediatamente apresentados ao Juiz competente (art. 43º, nº 2, Lei 8/2002). 4- Detenção em flagrante delito. A) Definições: - Flagrante delito, verifica-se quando o crime é surpreendido durante a sua execução (art. 219º, nº 1, 1ª parte Exemplo: PNTL vê o arguido a dar uma facada na vítima. - Quase flagrante delito, verifica-se quando o infractor é surpreendido no local da infracção, no momento em que a acabou de cometer, evidenciando a surpresa, a existência e a autoria da infracção (art. 219º, nº 1, 2ª parte Exemplo: PNTL chega ao local e vê o arguido sobre o corpo da vítima com a faca na mão. - Presunção legal de flagrante delito, verifica-se quando o infractor não é detido no local da infracção, nem tão pouco durante a 2

3 execução ou logo que ela findou, mas é perseguido logo após a prática do crime, ou encontrado com objectos ou sinais que mostrem claramente que ele acabou de cometer o crime ou nele participar (art. 219º, nº 2 Exemplo: PNTL chega ao local e vê um homem a fugir com a roupa cheia de sangue. B) Legitimidade para efectuar detenção em flagrante delito. - Qualquer autoridade judiciária (Juiz ou MP art. 1º, al. b) - Qualquer autoridade policial (art. 218º, nº 1 - Qualquer pessoa (se não estiver presente ou puder ser chamada autoridade judiciária ou policial, seguida de entrega imediata e auto de entrega - art. 218º, nº 2 e 3 C) Requisitos para efectuar detenção em flagrante delito. - Existir crime público (definição no art. 106º, nº 2 do C. Penal), punido com pena de prisão (art. 218º, nº 1 - Existir crime semipúblico (definição no art. 106º, nº 3 do C. Penal), punido com pena de prisão (art. 218º, nº 1 A detenção apenas se mantém se o titular do direito de queixa apresentar de imediato queixa (art. 218º, nº 4 5- Detenção fora de flagrante delito. A) Requisitos: Mandado do Juiz (art. 220º, nº 1 Mandado do MP: - Se for admissível a prisão preventiva (art. 220º, nº 2, al. a) - Existirem fortes indícios de que o arguido se prepara para fugir à acção da justiça (art. 220º, nº 2, al. b) - Não for possível, dada a urgência ou perigo na demora, esperar pelo mandado do Juiz (art. 220º, nº 2, al. c) - Nos casos de terrorismo, criminalidade violente ou altamente organizada (DL 4/2006, de 1/3, art. 3º), quando: - Haja fundados indícios da prática iminente de crime que ponha em risco a vida ou a integridade física de qualquer pessoa,e, 3

4 Pela autoridade policial: - Não for possível, dada a situação de urgência e de perigo na demora, esperar pela intervenção do Juíz. - Se for admissível a prisão preventiva (art. 220º, nº 2, al. a) - Existirem fortes indícios de que o arguido se prepara para fugir à acção da justiça (art. 220º, nº 2, al. b) - Não for possível, dada a urgência ou perigo na demora, esperar pelo mandado do Juiz (art. 220º, nº 2, al. c) - Nos casos de terrorismo, criminalidade violente ou altamente organizada (DL 4/2006, de 1/3, art. 3º), quando: - Haja fundados indícios da prática iminente de crime que ponha em risco a vida ou a integridade física de qualquer pessoa,e, - Não for possível, dada a situação de urgência e de perigo na demora, esperar pela intervenção do Juíz. 6- Formalidades dos mandados de detenção. - Em triplicado (uma das cópias entregues ao detido, sob pena de ilegalidade da detenção art. 221º, nº 1, 3 e 4 - Tem que constar a data de emissão (art. 89º, nº 3 e 87º, nº 2, al. a) - Conter a assinatura da autoridade judiciária ou policial (art. 89º, nº 2 e 88º, nº 1 - Conter a identificação da pessoa a deter (art. 221º, nº 2, al. a) - Conter a indicação dos factos que motivam a detenção e circunstâncias que legalmente a fundamentam (art. 221º, nº 2, al. b) - Conter a identificação do número do processo a que se refere a detenção (art. 221º, nº 2, al. c) 7- Comunicação imediata da detenção. - Ao Juiz que a ordenou (se não lhe for presente de imediato art. 222º, al. a) - Ao MP, nos restantes casos (art. 222º, al. b) 4

5 8- A detenção é ilegal quando: - Violados os requisitos do art. 221º CPP (art. 221º, nº 4 - Violados os requisitos do art. 220º CPP (art. 221º, nº 4 - Falta de auto, relatório ou despacho que a fundamentem (art. 351º, nº 2 - Casos do art. 205º CPP (habeas corpus): - Quando efectuada ou ordenada por entidade incompetente. - Ser motivada por facto pelo qual a lei não a permita. - Estarem ultrapassados os prazos máximos de duração. - Manter-se fora dos locais legalmente permitidos. 9- Consequências da detenção ilegal: - Responsabilidade disciplinar para o magistrado ou polícia. - Indemnização (art. 351º - Habeas corpus (art. 205º - Libertação do detido (art. 223º - Prática de crime: - Denegação de justiça (art. 282º, nº 3 C. Penal). - Prevaricação (art. 287º, nº 2 C. Penal). - Abuso de poder (art. 297º C. Penal). João Alves Procurador-Procurador 5

CNEF FASE DE FORMAÇÃO INICIAL SUMÁRIOS DE PRÁTICA PROCESSUAL PENAL. Proposta de programa a desenvolver em sumários:

CNEF FASE DE FORMAÇÃO INICIAL SUMÁRIOS DE PRÁTICA PROCESSUAL PENAL. Proposta de programa a desenvolver em sumários: CNEF FASE DE FORMAÇÃO INICIAL SUMÁRIOS DE PRÁTICA PROCESSUAL PENAL Proposta de programa a desenvolver em sumários: I Do inicio do processo o crime e sua natureza. - Crimes públicos, semi-públicos e particulares;

Leia mais

PROCESSO PENAL MARATONA OAB XX

PROCESSO PENAL MARATONA OAB XX PROCESSO PENAL MARATONA OAB XX AUDIÊNCIA DE CUSTÓDIA RESOLUÇÃO 213/15 RESOLUÇÃO Nº 213/15 - CNJ Art. 1º Determinar que toda pessoa presa em flagrante delito, independentemente da motivação ou natureza

Leia mais

Reunião DIAP com a PSP Grupo de Missão de articulação com a PSP

Reunião DIAP com a PSP Grupo de Missão de articulação com a PSP Reunião DIAP com a PSP Grupo de Missão de articulação com a PSP Data: 6 de Dezembro de 2007, pelas 14H00 Local: DIAP Edifício da Rua Gomes Freire (8.º Piso) Ordem de trabalhos: Identificação de dificuldades

Leia mais

Exame de Prática Processual Penal 23 de Janeiro de 2009

Exame de Prática Processual Penal 23 de Janeiro de 2009 No dia 6 de Maio de 2008, António, alegando urgente necessidade de auxiliar um seu irmão a fazer face a inesperadas despesas de saúde, convenceu Maria, com quem vivia em situação análoga à dos cônjuges,

Leia mais

ANEXO Propostas de alteração Código do Processo Penal

ANEXO Propostas de alteração Código do Processo Penal CPP EM VIGOR PJL 38/XI e 178/XI (PCP) PJL 181/XI/1 (BE) PPL 12/XI/1 (GOV) Artigo 86º Publicidade do processo e segredo de justiça 1 O processo penal é, sob pena Artigo 86.º 1 O processo penal é, sob pena

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 452/XII/3.ª

PROJECTO DE LEI N.º 452/XII/3.ª PROJECTO DE LEI N.º 452/XII/3.ª Altera o Código de Processo Penal, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 78/87, de 17 de Fevereiro, eliminando a possibilidade de julgamentos em processo sumário para crimes puníveis

Leia mais

O HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO DAS SECRETARIAS JUDiCIAIS E A REALIZAÇÃO DO SERVIÇO URGENTE.

O HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO DAS SECRETARIAS JUDiCIAIS E A REALIZAÇÃO DO SERVIÇO URGENTE. consta da fotocópia de fs. 231, datado de 13/1/98, através do qual O Exmo. Juiz de Instrução Criminal de...deu um provimento, cujo teor determinação do Exmo. Sr. Juiz de Direito não colide - apresentasse

Leia mais

LFG MAPS. INQUÉRITO POLICIAL 08 questões. qualquer diligência, que será realizada, ou não, a juízo da autoridade.

LFG MAPS. INQUÉRITO POLICIAL 08 questões. qualquer diligência, que será realizada, ou não, a juízo da autoridade. NOÇÕES DE DIREITO PENAL Nível de importância Tema QTDE de Questões Porcentagem (%) 1 Inquérito Policial 8 32% 2 Prisões 7 28% 3 Provas 6 24% 4 Ação Penal 2 8% 5 Habeas Corpus 2 8% TOTAL 25 100% INQUÉRITO

Leia mais

Processo Sumário: alteração de paradigma. Adaptação do regime legal à luz do Acórdão do Tribunal Constitucional n.º 174/2014

Processo Sumário: alteração de paradigma. Adaptação do regime legal à luz do Acórdão do Tribunal Constitucional n.º 174/2014 Processo Sumário: alteração de paradigma Adaptação do regime legal à luz do Acórdão do Tribunal Constitucional n.º 174/2014 Lei n.º 20/2013: o ímpeto reformista Artigo 14.º Competência do tribunal colectivo

Leia mais

EXTRADIÇÃO HIPÓTESE CORRIDA.

EXTRADIÇÃO HIPÓTESE CORRIDA. EXTRADIÇÃO Caso prático de aplicação da Convenção de Extradição entre os Estados Membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP); Praia, 23.11.2005. De acordo com o Aviso n.º 183/2011, de

Leia mais

Exame de Prática Processual Penal

Exame de Prática Processual Penal Exame de Prática Processual Penal I No dia 20/02/06 António foi surpreendido na sua caixa do correio com uma notificação do Tribunal ali colocada nesse dia que, recebendo a acusação que contra si era deduzida

Leia mais

ANTEPROJECTO DE LEI DO HABEAS CORPUS

ANTEPROJECTO DE LEI DO HABEAS CORPUS 2013 ANTEPROJECTO DE LEI DO HABEAS CORPUS RELATÓRIO DE FUNDAMENTAÇÃO E PROJECTO DE LEI Comissão de Reforma da Justiça e do Direito Subcomissão de Reforma do Código de Processo Penal 16-09- 2013 ANTEPROJECTO

Leia mais

PROGRAMA PROCESSO PENAL (V Curso formação Juízes, Procuradores e Defensores /2014)

PROGRAMA PROCESSO PENAL (V Curso formação Juízes, Procuradores e Defensores /2014) PROGRAMA PROCESSO PENAL (V Curso formação Juízes, Procuradores e Defensores - 2013/2014) 1. Aulas: I- METODOLOGIA As sessões de trabalho vão decorrer: a) Leitura, seguida de esclarecimentos e discussão

Leia mais

SECÇÃO III - Prestação de trabalho a favor da comunidade e admoestação

SECÇÃO III - Prestação de trabalho a favor da comunidade e admoestação Código Penal Ficha Técnica Código Penal LIVRO I - Parte geral TÍTULO I - Da lei criminal CAPÍTULO ÚNICO - Princípios gerais TÍTULO II - Do facto CAPÍTULO I - Pressupostos da punição CAPÍTULO II - Formas

Leia mais

2 EPISÓDIO DE MAKING A MURDERER. Prática Jurídica Interdisciplinar A Cristina Martins Jorge Morales Nelson Ferreira Rita Sampaio

2 EPISÓDIO DE MAKING A MURDERER. Prática Jurídica Interdisciplinar A Cristina Martins Jorge Morales Nelson Ferreira Rita Sampaio 2 EPISÓDIO DE MAKING A MURDERER Prática Jurídica Interdisciplinar A Cristina Martins Jorge Morales Nelson Ferreira Rita Sampaio Pergunta 1 Requerimento referente às buscas realizadas no domicilio do suspeito

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 685/XII/4.ª

PROJECTO DE LEI N.º 685/XII/4.ª PROJECTO DE LEI N.º 685/XII/4.ª Altera o Código de Processo Penal, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 78/87, de 17 de Fevereiro, eliminando a possibilidade de julgamentos em processo sumário para crimes puníveis

Leia mais

SUMÁRIO PRISÃO PREVENTIVA: PRINCIPAIS PONTOS CONTROVERTIDOS SURGIDOS COM A LEI /

SUMÁRIO PRISÃO PREVENTIVA: PRINCIPAIS PONTOS CONTROVERTIDOS SURGIDOS COM A LEI / SUMÁRIO CAPÍTULO I PRISÃO PREVENTIVA: PRINCIPAIS PONTOS CONTROVERTIDOS SURGIDOS COM A LEI 12.403/2011...29 1. Prisão preventiva antes da edição da Lei 12.403/2011... 29 2. Espírito das alterações e antecedentes

Leia mais

SUPREMO TRIBUNALDE JUSTIÇA LEI N.º 10/91

SUPREMO TRIBUNALDE JUSTIÇA LEI N.º 10/91 LEI N.º 10/91 A Assembleia Nacional no uso das atribuições que lhe são conferidas ao abrigo da alínea d) do artigo 87º. Da Constituição, aprova a seguinte Lei: ESTATUTO DOS MAGISTRADOS CAPÍTULO I ESTATUTO

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL PENAL III. AULA 26 de maio Docente: TIAGO CLEMENTE SOUZA

DIREITO PROCESSUAL PENAL III. AULA 26 de maio Docente: TIAGO CLEMENTE SOUZA DIREITO PROCESSUAL PENAL III AULA 26 de maio Docente: TIAGO CLEMENTE SOUZA E-mail: tiago_csouza@hotmail.com PROCEDIMENTO PROBATÓRIO 2.3. Produção das Provas a) Proposição: momento ou instante em que se

Leia mais

PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) Teórica

PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) Teórica ORDEM DOS ADVOGADOS CNA Comissão Nacional de Avaliação PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) Teórica Prática Processual Penal e Direito Constitucional e Direitos Humanos (8 Valores) 22 de Julho de 2011 Responda a todas

Leia mais

REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU. Lei n.º /2004. (Projecto de lei) Regime Probatório Especial Para a Prevenção e Investigação da.

REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU. Lei n.º /2004. (Projecto de lei) Regime Probatório Especial Para a Prevenção e Investigação da. REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU Lei n.º /2004 (Projecto de lei) Regime Probatório Especial Para a Prevenção e Investigação da Criminalidade A Assembleia Legislativa decreta, nos termos da alínea

Leia mais

PROVA ESCRITA NACIONAL DO EXAME FINAL DE AVALIAÇÃO E AGREGAÇÃO (RNE)

PROVA ESCRITA NACIONAL DO EXAME FINAL DE AVALIAÇÃO E AGREGAÇÃO (RNE) ORDEM DOS ADVOGADOS CNEF / CNA Comissão Nacional de Estágio e Formação / Comissão Nacional de Avaliação PROVA ESCRITA NACIONAL DO EXAME FINAL DE AVALIAÇÃO E AGREGAÇÃO (RNE) GRELHA DE CORREÇÃO Questões

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO N o 2.379, DE 2006 (MENSAGEM N o 20, de 2006) Aprova o texto do Tratado sobre Extradição entre o Governo da República Federativa

Leia mais

PROVISÓRIA É PRECISO QUE O CANDIDATO ANALISE SE A PRISÃO EM FLAGRANTE FOI OU

PROVISÓRIA É PRECISO QUE O CANDIDATO ANALISE SE A PRISÃO EM FLAGRANTE FOI OU 1 RELAXAMENTO DE PRISÃO EM FLAGRANTE E LIBERDADE PROVISÓRIA PARA SABER SE É CASO DE PLEITEAR O RELAXAMENTO DO FLAGRANTE OU LIBERDADE PROVISÓRIA É PRECISO QUE O CANDIDATO ANALISE SE A PRISÃO EM FLAGRANTE

Leia mais

Aprovado por Deliberação n.º /2010 ANTEPROJECTO DE LEI SOBRE OS ACTOS PRÓPRIOS DOS ADVOGADOS E SOLICITADORES ASSEMBLEIA NACIONAL. Lei n.

Aprovado por Deliberação n.º /2010 ANTEPROJECTO DE LEI SOBRE OS ACTOS PRÓPRIOS DOS ADVOGADOS E SOLICITADORES ASSEMBLEIA NACIONAL. Lei n. Aprovado por Deliberação n.º /2010 ANTEPROJECTO DE LEI SOBRE OS ACTOS PRÓPRIOS DOS ADVOGADOS E SOLICITADORES ASSEMBLEIA NACIONAL Lei n.º /2010, de de Na sequência da aprovação e entrada em vigor da Lei

Leia mais

A EQUIPE DO DIREITO CONCENTRADO ESTÁ COM VOCÊ!

A EQUIPE DO DIREITO CONCENTRADO ESTÁ COM VOCÊ! Olá CONCENTRADOS! Como está a sua preparação para a 2ª fase da OAB? Muito estudo e dedicação? Sabemos como é difícil conseguir conciliar tudo nesta fase, o período é curto, a matéria longa e você precisa

Leia mais

ECLI:PT:STJ:2014: TASTB.A.S1

ECLI:PT:STJ:2014: TASTB.A.S1 ECLI:PT:STJ:2014:2210.12.9TASTB.A.S1 http://jurisprudencia.csm.org.pt/ecli/ecli:pt:stj:2014:2210.12.9tastb.a.s1 Relator Nº do Documento Manuel Braz Apenso Data do Acordão 16/10/2014 Data de decisão sumária

Leia mais

Professor Wisley Aula 16

Professor Wisley Aula 16 - Professor Wisley www.aprovaconcursos.com.br Página 1 de 7 PRISÕES 1. PRISÃO TEMPORÁRIA: Lei 7.960/89 A prisão temporária caracteriza-se por

Leia mais

Lei Orgânica n.º 2/2004, de 12 de Maio

Lei Orgânica n.º 2/2004, de 12 de Maio Lei Orgânica n.º 2/2004, de 12 de Maio Estabelece o regime temporário da organização da ordem pública e da justiça no contexto extraordinário da fase final do Campeonato Europeu de Futebol - Euro 2004.

Leia mais

Altera o Código de Processo Penal visando a defesa da investigação e a. eficácia do combate ao crime

Altera o Código de Processo Penal visando a defesa da investigação e a. eficácia do combate ao crime Projecto de Lei n.º 38/XI-1ª Altera o Código de Processo Penal visando a defesa da investigação e a eficácia do combate ao crime Preâmbulo As alterações introduzidas no Código de Processo Penal na X Legislatura,

Leia mais

Lei nº 5/2002, de 11 de Janeiro

Lei nº 5/2002, de 11 de Janeiro Lei nº 5/2002, de 11 de Janeiro Estabelece medidas de combate à criminalidade organizada e económicofinanceira e procede à segunda alteração à Lei nº 36/94, de 29 de Setembro, alterada pela Lei nº 90/99,

Leia mais

REINALDO ROSSANO LÉO MATOS INFORMÁTICA EXERCÍCIOS QUADRIX LINUX DIREITO PROCESSUAL PENAL

REINALDO ROSSANO LÉO MATOS INFORMÁTICA EXERCÍCIOS QUADRIX LINUX DIREITO PROCESSUAL PENAL REINALDO ROSSANO LÉO MATOS INFORMÁTICA EXERCÍCIOS QUADRIX LINUX DIREITO PROCESSUAL PENAL CARGOS: OFICIAL DE JUSTIÇA E ANALISTA JUDICIÁRIO FUNÇÃO JUDICIÁRIA PROVA OBJETIVA: 9.1.3. A Prova Objetiva será

Leia mais

ÍNDICE. c. Perigo potencial para a sociedade 48 (b) Quando a prisâo é obrigatória 50

ÍNDICE. c. Perigo potencial para a sociedade 48 (b) Quando a prisâo é obrigatória 50 ÍNDICE INTRODUÇÂO 1 Termos de referencia 1 Composiçâo do Comité 2 Reunióes e relatórios do Comité 2 Cooperaçâo de órgâos especializados 4 Consulta a organizaçôes náo-governamentais 5 Fontes do material

Leia mais

CENTRO DE ESTUDOS JUDICIÁRIOS PROVA ESCRITA DE DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL

CENTRO DE ESTUDOS JUDICIÁRIOS PROVA ESCRITA DE DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL CENTRO DE ESTUDOS JUDICIÁRIOS PROVA ESCRITA DE DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL PROVA VIA ACADÉMICA 1ª CHAMADA CRITÉRIOS DE CORRECÇÃO Nota- A cotação máxima exige um tratamento completo das várias

Leia mais

Estudo da Legislação sobre a caução em Malawi, Moçambique e Burundi

Estudo da Legislação sobre a caução em Malawi, Moçambique e Burundi Estudo da Legislação sobre a caução em Malawi, Moçambique e Burundi Ms. Kristen Petersen @ACJReform Introdução SOBRE O ESTUDO Estudo foi conduzido em três países - Burundi, Malawi e Moçambique - representando

Leia mais

Vistos e examinados os autos.

Vistos e examinados os autos. CONCLUSÃO Em 08 de fevereiro de 2013, faço estes autos conclusos à MMª. Juíza Federal Titular da 3ª Vara Federal de Sorocaba, Drª SYLVIA MARLENE DE CASTRO FIGUEIREDO. Técnico Judiciário RF 5448 PROCESSO

Leia mais

Direito Processual Penal

Direito Processual Penal Direito Processual Penal Prisão Preventiva Professor Joerberth Nunes www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Processual Penal PRISÃO PREVENTIVA CÓDIGO DE PROCESSO PENAL TÍTULO IX CAPÍTULO III Da Prisão

Leia mais

Direito Processual Penal

Direito Processual Penal Direito Processual Penal Citação e Intimação Professor Joerberth Nunes www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Processual Penal CITAÇÃO E INTIMAÇÃO TÍTULO X Das Citações e Intimações CAPÍTULO I DAS CITAÇÕES

Leia mais

Coordenação e Regência: Professor Doutor Augusto Silva Dias

Coordenação e Regência: Professor Doutor Augusto Silva Dias DIREITO PROCESSUAL PENAL 4.º ANO NOITE Coordenação e Regência: Professor Doutor Augusto Silva Dias Colaboração: Professor Doutor Rui Soares Pereira e Mestres João Gouveia de Caires e António Brito Neves

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO. 1. Introdução histórica 2. Natureza jurídica 3. Referências normativas 4. Legitimidade 5. Finalidade 6. Hipóteses de cabimento

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO. 1. Introdução histórica 2. Natureza jurídica 3. Referências normativas 4. Legitimidade 5. Finalidade 6. Hipóteses de cabimento CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1. Introdução histórica 2. Natureza jurídica 3. Referências normativas 4. Legitimidade 5. Finalidade 6. Hipóteses de cabimento Habeas corpus - Tenhas corpo (...) a faculdade concedida

Leia mais

ORIENTAÇÃO NORMATIVA nº 02/2004 de 20/02/2004

ORIENTAÇÃO NORMATIVA nº 02/2004 de 20/02/2004 ORIENTAÇÃO NORMATIVA nº 02/2004 de 20/02/2004 Nº PAUTA: 210.1 ASSUNTO: PROCEDIMENTO DISCIPLINAR ENQUADRAMENTO CONVENCIONAL E LEGAL: Código do Trabalho REVOGAÇÕES: Orientação Normativa nº.21/2000, de 20/11/2000

Leia mais

COMENTÁRIOS A LEI /2011 MEDIDAS CAUTELARES E-LEARNING

COMENTÁRIOS A LEI /2011 MEDIDAS CAUTELARES E-LEARNING O presente trabalho tem por objetivo fazer uma análise sucinta da nova lei de Prisão Preventiva aplicáveis como novas regras da prisão processual, fiança, liberdade provisória e medidas cautelares alternativas

Leia mais

Lei n /2011 e prisão provisória: questões polêmicas

Lei n /2011 e prisão provisória: questões polêmicas Fernando Capez é Procurador de Justiça licenciado e Deputado Estadual. Presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (2007-2010). Mestre em Direito pela

Leia mais

PRISÕES PRISÃO PREVENTIVA. Vídeo: Prisão Parte 2 do início até 17:28

PRISÕES PRISÃO PREVENTIVA. Vídeo: Prisão Parte 2 do início até 17:28 AULA AO VIVO PRISÕES PRISÃO PREVENTIVA Vídeo: Prisão Parte 2 do início até 17:28 Vimos o esquema da prisão em flagrante: - lavratura do flagrante; - em 24 horas, audiência de custódia: I - relaxar a prisão

Leia mais

MANDADO DE SEGURANÇA. UMA NOVA LEI PARA UM VELHO REMÉDIO

MANDADO DE SEGURANÇA. UMA NOVA LEI PARA UM VELHO REMÉDIO MANDADO DE SEGURANÇA. UMA NOVA LEI PARA UM VELHO REMÉDIO Fabiano Samartin Fernandes * Em 07 de agosto de 2009 foi sancionada, pelo Presidente da República, a Lei n. 12.016, já em vigor, que passou a disciplinar

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL PENAL

DIREITO PROCESSUAL PENAL ANO LETIVO 2015/2016 4.º ANO 1.º Semestre / Turma de Noite DIREITO PROCESSUAL PENAL Regente: Prof. Doutor Paulo de Sousa Mendes Colaboradores: Professor Doutor Rui Soares Pereira e Mestra Catarina Abegão

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO. MÓDULO II 1. Regras de competência 2. Procedimento 3. Pedidos 4. Recurso Ordinário Constitucional

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO. MÓDULO II 1. Regras de competência 2. Procedimento 3. Pedidos 4. Recurso Ordinário Constitucional CONTEÚDO PROGRAMÁTICO MÓDULO II 1. Regras de competência 2. Procedimento 3. Pedidos 4. Recurso Ordinário Constitucional 1. REGRAS DE COMPETÊNCIA O habeas corpus deve ser interposto à autoridade judicial

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 554, DE

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 554, DE SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 554, DE 2011 Altera o 1 o do art. 306 do Decreto-Lei n o 3.689, de 3 de outubro de 1941 (Código de Processo Penal), para determinar o prazo de vinte e quatro

Leia mais

O pedido que fazem directamente à Ordem dos Médicos prende-se, fundamentalmente, com a vertente ético-deontológica e técnico profissional.

O pedido que fazem directamente à Ordem dos Médicos prende-se, fundamentalmente, com a vertente ético-deontológica e técnico profissional. ASSUNTO: Revistas e perícias médico-legais - O problema do Consentimento do examinando nas intervenções determinadas por decisão judicial no decurso dos poderes de investigação - Crimes de tráfico de Estupefacientes

Leia mais

PROCESSO PENAL MARATONA OAB XXI PROF. FLÁVIO MILHOMEM

PROCESSO PENAL MARATONA OAB XXI PROF. FLÁVIO MILHOMEM PROCESSO PENAL MARATONA OAB XXI PROF. FLÁVIO MILHOMEM 1ª QUESTÃO José Augusto foi preso em flagrante delito pela suposta prática do crime de receptação (Art. 180 do Código Penal pena: 01 a 04 anos de reclusão

Leia mais

APOIO JUDICIÁRIO. N.º de Processos que foram objecto de Análise/Despacho e, subsequente, entrega no Serviço do Apoio Judiciário

APOIO JUDICIÁRIO. N.º de Processos que foram objecto de Análise/Despacho e, subsequente, entrega no Serviço do Apoio Judiciário Gabinete de Assessoria Jurídica Movimento Processual N.º de Processos que foram objecto de Análise/Despacho e, subsequente, entrega no Serviço do Apoio Judiciário Classificação N.º de Processos Escusas/Dispensas/Substituições

Leia mais

CENTRO DE ESTUDOS JUDICIÁRIOS PROVA ESCRITA DE DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL

CENTRO DE ESTUDOS JUDICIÁRIOS PROVA ESCRITA DE DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL CENTRO DE ESTUDOS JUDICIÁRIOS PROVA ESCRITA DE DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL GRUPO I (9 valores) PROVA VIA ACADÉMICA 2ª CHAMADA CRITÉRIOS DE CORRECÇÃO ANTÓNIA : Comete em autoria e concurso

Leia mais

REGULAMENTO DE ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO SERVIÇO DE POLÍCIA MUNICIPAL 1. Artigo 1º Objecto

REGULAMENTO DE ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO SERVIÇO DE POLÍCIA MUNICIPAL 1. Artigo 1º Objecto REGULAMENTO DE ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO SERVIÇO DE POLÍCIA MUNICIPAL 1 Artigo 1º Objecto O presente regulamento visa estabelecer a organização e funcionamento do serviço de Polícia Municipal. Artigo

Leia mais

Nº COMARCA DE PORTO ALEGRE MARINA DA SILVA LAMEIRA DIONATAN DA SILVA RIBEIRO A C Ó R D Ã O

Nº COMARCA DE PORTO ALEGRE MARINA DA SILVA LAMEIRA DIONATAN DA SILVA RIBEIRO A C Ó R D Ã O HABEAS CORPUS. AUTO DE PRISÃO EM FLAGRANTE. AUSÊNCIA DE ADVOGADO. ILEGALIDADE. RELAXAMENTO DA PRISÃO. O magistrado ao receber o auto de prisão em flagrante deverá relaxar a prisão quando constatar a inobservância

Leia mais

Medidas de Protecção de Menores no Caso de Recrutamento para Profissões ou Exercício de Funções que Envolvam Contacto com Crianças

Medidas de Protecção de Menores no Caso de Recrutamento para Profissões ou Exercício de Funções que Envolvam Contacto com Crianças CÓDIGOS ELECTRÓNICOS DATAJURIS DATAJURIS é uma marca registada no INPI sob o nº 350529 Medidas de Protecção de Menores no Caso de Recrutamento para Profissões ou Exercício de Funções que Envolvam Contacto

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO PROCESSUAL PENAL Ano Lectivo 2011/2012

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO PROCESSUAL PENAL Ano Lectivo 2011/2012 Programa da Unidade Curricular DIREITO PROCESSUAL PENAL Ano Lectivo 2011/2012 1. Unidade Orgânica Direito (1º Ciclo) 2. Curso Direito 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular DIREITO PROCESSUAL PENAL

Leia mais

Rede Judiciária Europeia em matéria civil e comercial (RJE)

Rede Judiciária Europeia em matéria civil e comercial (RJE) na Europa Rede Judiciária Europeia em matéria civil e comercial (RJE) http://ec.europa.eu/civiljustice Missões e actividades da rede: A rede será responsável por: Facilitar a cooperação judiciária entre

Leia mais

ASSEMBLEIA NACIONAL. De 26 de Dezembro

ASSEMBLEIA NACIONAL. De 26 de Dezembro ASSEMBLEIA NACIONAL LEI nº 85 /VI/2005 De 26 de Dezembro Por mandato do Povo, a Assembleia Nacional decreta, nos termos da alínea b) do art. 174 da Constituição, o seguinte: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

Leia mais

FAQ s de Contra-ordenações

FAQ s de Contra-ordenações FAQ s de Contra-ordenações O que é uma contra-ordenação? Constitui contra-ordenação todo o facto ilícito, típico, culposo, punível com coima. Para se estar perante uma contra-ordenação é necessário que

Leia mais

ÍNDICE. prefácio da 10ª edição 7 prefácio da 1ª edição 9 abreviaturas 11

ÍNDICE. prefácio da 10ª edição 7 prefácio da 1ª edição 9 abreviaturas 11 ÍNDICE prefácio da 10ª edição 7 prefácio da 1ª edição 9 abreviaturas 11 PRINCÍPIOS 1. Princípio da oficialidade 13 2. Princípio da legalidade 14 3. Princípio da acusação 16 4. Princípio do inquisitório

Leia mais

Autoritarismo do Código de Processo Penal de 1941 vs. Constituição Federal de Processo Penal...8. Sistema Acusatório...

Autoritarismo do Código de Processo Penal de 1941 vs. Constituição Federal de Processo Penal...8. Sistema Acusatório... Sumário Autoritarismo do Código de Processo Penal de 1941 vs. Constituição Federal de 1988...2 Contexto Político e Histórico... 2 Características da Constituição de 1937... 4 Código de Processo Penal de

Leia mais

Aula 14. EMBARGOS INFRINGENTES E DE NULIDADE (art. 609, parágrafo único, CPP)

Aula 14. EMBARGOS INFRINGENTES E DE NULIDADE (art. 609, parágrafo único, CPP) Turma e Ano: Regular 2015 / Master B Matéria / Aula: Direito Processual Penal / Aula 14 Professor: Elisa Pittaro Monitora: Kelly Soraia Aula 14 EMBARGOS INFRINGENTES E DE NULIDADE (art. 609, parágrafo

Leia mais

ORLANDO JÚNIOR DIREITO CONSTITUCIONAL

ORLANDO JÚNIOR DIREITO CONSTITUCIONAL ORLANDO JÚNIOR DIREITO CONSTITUCIONAL Ano: 2017 Banca: VUNESP Órgão: UNESP Prova: Assistente Administrativo Considerando o que dispõe a Constituição Federal sobre os direitos e garantias fundamentais,

Leia mais

A questão baseia-se na literalidade do art. 283, 284 e 285 do CPP:

A questão baseia-se na literalidade do art. 283, 284 e 285 do CPP: Cargo: S01 - AGENTE DE POLÍCIA CIVIL Disciplina: Noções de Direito Processual Penal Questão Gabarito por extenso Justificativa A questão baseia-se na literalidade do art. 283, 284 e 285 do CPP: Conclusão

Leia mais

Convenção sobre Prevenção e Repressão de Infracções contra Pessoas Gozando de Protecção Internacional, Incluindo os Agentes Diplomáticos.

Convenção sobre Prevenção e Repressão de Infracções contra Pessoas Gozando de Protecção Internacional, Incluindo os Agentes Diplomáticos. Resolução da Assembleia da República n.º 20/94 Convenção sobre Prevenção e Repressão de Crimes contra Pessoas Gozando de Protecção Internacional, Incluindo os Agentes Diplomáticos Aprova, para ratificação,

Leia mais

DISCIPLINA: Processo Penal Curso Escrevente do TJ 2017 PROFESSORA: Joana D Arc Alves Trindade Testes de Fixação - Aulas 17 e

DISCIPLINA: Processo Penal Curso Escrevente do TJ 2017 PROFESSORA: Joana D Arc Alves Trindade Testes de Fixação - Aulas 17 e Questões de fixação 01. Nos termos do art. 257 do CPP cabe, ao Ministério Público, I. promover, privativamente, a ação penal pública, na forma estabelecida no CPP; II. buscar a condenação dos indiciados

Leia mais

ATIVIDADES DE FIXAÇÃO DA PRISÃO EM FLAGRANTE

ATIVIDADES DE FIXAÇÃO DA PRISÃO EM FLAGRANTE CURSO DIREITO DISCIPLINA PROCESSO PENAL II SEMESTRE 7º Turma 2015.1 ATIVIDADES DE FIXAÇÃO DA PRISÃO EM FLAGRANTE Questão 01. (Prova: CESPE - 2012 - PC-CE - Inspetor de Polícia - Civil). Acerca de prisões

Leia mais

Contraordenações Rodoviárias Advogados

Contraordenações Rodoviárias Advogados Francisco Marques Vieira Santa Maria da Feira 18 de setembro de 2015 Contraordenações Rodoviárias Advogados Defesa do Arguido Impugnação Judicial Recurso 2 Dinâmica do Processo Fiscalização Auto de notícia

Leia mais

Laís Maria Costa Silveira Promotora de Justiça de Belo Horizonte Titular da 22ª Promotoria de Justiça de Defesa da Pessoa com Deficiência e Idosos.

Laís Maria Costa Silveira Promotora de Justiça de Belo Horizonte Titular da 22ª Promotoria de Justiça de Defesa da Pessoa com Deficiência e Idosos. As medidas protetivas de urgência previstas pela Lei Maria da Penha e sua aplicação a outros segmentos de pessoas: idosos, crianças, enfermos e pessoas com deficiência Laís Maria Costa Silveira Promotora

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº INSTRUÇÃO Nº CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL

RESOLUÇÃO Nº INSTRUÇÃO Nº CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL RESOLUÇÃO Nº 23.396 INSTRUÇÃO Nº 958-26.2013.6.00.0000 CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL Relator: Ministro Dias Toffoli Interessado: Tribunal Superior Eleitoral Dispõe sobre a apuração de crimes eleitorais.

Leia mais

CONCEITO DE AUTORIDADE

CONCEITO DE AUTORIDADE - LEGISLAÇÃO PENAL ESPECIAL - - Lei nº 4.898/65 - Abuso de Autoridade - Professor: Marcos Girão - CONCEITO DE AUTORIDADE 1 CONCEITO DE AUTORIDADE LEI Nº 4.898/65 Pode ser considerado autoridade o servidor

Leia mais

ANDRE MENDONCA MACIEL A C Ó R D Ã O

ANDRE MENDONCA MACIEL A C Ó R D Ã O HABEAS CORPUS. PORTE ILEGAL DE ARMA DE FOGO. CONCESSÃO DE FIANÇA PELA AUTORIDADE POLICIAL. LIBERAÇÃO DO FLAGRADO. PRISÃO EM FLAGRANTE CONVERTIDA EM PRISÃO PREVENTIVA, SEM ANÁLISE PELO MAGISTRADO DA LIBERAÇÃO

Leia mais

Projecto de Lei. Sobre as Medidas Cautelares no Processo Penal REPÚBLICA DE ANGOLA COMISSÃO DA REFORMA DA JUSTIÇA E DO DIREITO

Projecto de Lei. Sobre as Medidas Cautelares no Processo Penal REPÚBLICA DE ANGOLA COMISSÃO DA REFORMA DA JUSTIÇA E DO DIREITO Projecto de Lei Sobre as Medidas Cautelares no Processo Penal Relatório de Fundamentação e Proposta de Lei Reguladora da Aplicação de Medidas Cautelares no Processo Penal. Comissão da Reforma da Justiça

Leia mais

RESOLUÇÃO N XXXXXXX INSTRUÇÃO N xxx-xx.20xx CLASSE 19 - BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL.

RESOLUÇÃO N XXXXXXX INSTRUÇÃO N xxx-xx.20xx CLASSE 19 - BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL. RESOLUÇÃO N XXXXXXX INSTRUÇÃO N xxx-xx.20xx6.00.0000 - CLASSE 19 - BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL. Relator: Ministro Dias Toffoli. Interessado: Tribunal Superior Eleitoral. Dispõe sobre a apuração de crimes

Leia mais

Breves noções dos instrumentos de Cooperação judiciária Internacional

Breves noções dos instrumentos de Cooperação judiciária Internacional Breves noções dos instrumentos de Cooperação judiciária Internacional O crescente fenómeno de globalização acentuou a necessidade de uma cooperação judiciária que proporciona uma assistência mútua entre

Leia mais

LEGALIDADE EM MATÉRIA PENAL TRIBUNAL DO JÚRI PUNIÇÃO DAS DISCRIMINAÇÕES RETROATIVIDADE DA LEI PENAL BENIGNA RESPONSABILIDADE PESSOAL

LEGALIDADE EM MATÉRIA PENAL TRIBUNAL DO JÚRI PUNIÇÃO DAS DISCRIMINAÇÕES RETROATIVIDADE DA LEI PENAL BENIGNA RESPONSABILIDADE PESSOAL TRIBUNAL DO JÚRI É reconhecida a instituição do júri, com a organização que lhe der a lei, assegurados (VIII): a) a plenitude de defesa; b) o sigilo das votações; c) a soberania dos veredictos; d) a competência

Leia mais

SUMÁRIO. Parte I Código de PROCESSO PENAL Comentado DECRETO-LEI Nº 3.689, DE 3 DE OUTUBRO DE 1941 LIVRO I DO PROCESSO EM GERAL

SUMÁRIO. Parte I Código de PROCESSO PENAL Comentado DECRETO-LEI Nº 3.689, DE 3 DE OUTUBRO DE 1941 LIVRO I DO PROCESSO EM GERAL Parte I Código de PROCESSO PENAL Comentado DECRETO-LEI Nº 3.689, DE 3 DE OUTUBRO DE 1941 LIVRO I DO PROCESSO EM GERAL Título I Disposições preliminares (Arts. 1º a 3º)... 3 Título II Do inquérito policial

Leia mais

DIREITO CONSTITUCIONAL

DIREITO CONSTITUCIONAL DIREITO CONSTITUCIONAL 46. Considere as seguintes assertivas a respeito dos direitos e garantias fundamentais: I. Ninguém será preso senão em flagrante delito ou por ordem escrita e fundamentada de autoridade

Leia mais

PROCESSOS DISCIPLINARES DOS AGENTES DE EXECUÇÃO

PROCESSOS DISCIPLINARES DOS AGENTES DE EXECUÇÃO ANEXO XII DADOS ESTATÍSTICOS DO GRUPO DE GESTÃO DA COMISSÃO PARA A EFICÁCIA DAS EXECUÇÕES: PROCESSOS DISCIPLINARES DOS AGENTES DE EXECUÇÃO PROCESSOS DISCIPLINARES 40 0 04 00 0 0 40 0 0 009 00 0 0 FIG.

Leia mais

Professor Wisley Aula 09

Professor Wisley Aula 09 - Professor Wisley www.aprovaconcursos.com.br Página 1 de 5 FORRO POR PRERROGATIVA DE FUNÇÃO 1. OBSERVAÇÕES I Não se fala mais em manutenção

Leia mais

1. A Empresa tem poder disciplinar sobre os trabalhadores que se encontrem ao seu serviço, enquanto vigorarem os contratos de trabalho.

1. A Empresa tem poder disciplinar sobre os trabalhadores que se encontrem ao seu serviço, enquanto vigorarem os contratos de trabalho. ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 4/2009 12 de Outubro de 2009 ASSUNTO: PROCEDIMENTO DISCIPLINAR. ENQUADRAMENTO CONVENCIONAL E LEGAL: Código do Trabalho REVOGAÇÕES: Orientação Normativa nº.2/2004, de 20/02/2004

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 362/X. Altera legislação no sentido do reforço dos instrumentos de combate à corrupção. Exposição de Motivos

PROJECTO DE LEI N.º 362/X. Altera legislação no sentido do reforço dos instrumentos de combate à corrupção. Exposição de Motivos PROJECTO DE LEI N.º 362/X Altera legislação no sentido do reforço dos instrumentos de combate à corrupção Exposição de Motivos A constatação de que a corrupção mina os próprios fundamentos da democracia

Leia mais

REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU. Lei n.º 6/2004

REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU. Lei n.º 6/2004 REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU Lei n.º 6/2004 Lei da Imigração Ilegal e da Expulsão A Assembleia Legislativa decreta, nos termos da alínea 1) do artigo 71.º da Lei Básica da Região Administrativa

Leia mais

CONTROLE DE CONTEÚDO TRF 1ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO ÁREA: JUDICIÁRIA

CONTROLE DE CONTEÚDO TRF 1ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO ÁREA: JUDICIÁRIA CONTROLE DE CONTEÚDO TRF 1ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO ÁREA: JUDICIÁRIA 1 Ortografia oficial. LÍNGUA PORTUGUESA CONTEÚDO PROGRAMÁTICO AULA LEITURA LEITURA QUESTÕES REVISÃO 2 Acentuação gráfica. 3 Grafia

Leia mais

AUTOS Nº PEDIDO DE PRISÃO PREVENTIVA REQUERENTE: MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL REQUERIDO: MAURÍCIO MACHADO

AUTOS Nº PEDIDO DE PRISÃO PREVENTIVA REQUERENTE: MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL REQUERIDO: MAURÍCIO MACHADO AUTOS Nº 0003405-73.2010.403.6111 PEDIDO DE PRISÃO PREVENTIVA REQUERENTE: MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL REQUERIDO: MAURÍCIO MACHADO Trata-se de pedido de prisão preventiva dinamizado pelo Ministério Público

Leia mais

Partido Popular CDS-PP Grupo Parlamentar

Partido Popular CDS-PP Grupo Parlamentar Partido Popular CDS-PP Grupo Parlamentar PROJECTO DE LEI Nº 593/X Alteração ao Código Penal Exposição de motivos 1- Através do presente projecto de lei, o CDS/PP pretende alterar alguns aspectos respeitantes

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO ACÓRDÃO Registro: 2016.0000703013 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Habeas Corpus nº 2091327-36.2016.8.26.0000, da Comarca de Mairiporã, em que é impetrante JOAO DIONISIO DA SILVA GAULES e

Leia mais

PONTOS INICIAS: -Privação da liberdade / tolhimento do direito de ir e vir. Marco de divisão das prisões: Sentença condenatória transitada em julgado

PONTOS INICIAS: -Privação da liberdade / tolhimento do direito de ir e vir. Marco de divisão das prisões: Sentença condenatória transitada em julgado Prof. Vinícius Abdala Me. em Ciências Criminais pela Universidade de Lisboa Juiz da Inter-American Human Rigthts Moot Court Competition, Washington, DC. Advogado Criminalista. PRISÕES PONTOS INICIAS: -Privação

Leia mais

Exame de Prática Processual Penal 1º Curso Estágio 2006

Exame de Prática Processual Penal 1º Curso Estágio 2006 Exame de Prática Processual Penal 1º Curso Estágio 2006 Na sequência de participação criminal validamente apresentada o M.P. instaurou inquérito e, a final, tendo encerrado o inquérito, deduziu acusação

Leia mais

Lei n.º 113/2009, de 17/9 1

Lei n.º 113/2009, de 17/9 1 (Não dispensa a consulta do Diário da República) Lei n.º 113/2009, de 17/9 1 Estabelece medidas de proteção de menores, em cumprimento do artigo 5.º da Convenção do Conselho da Europa contra a Exploração

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 68/XIII/1.ª

PROJETO DE LEI N.º 68/XIII/1.ª Grupo Parlamentar PROJETO DE LEI N.º 68/XIII/1.ª ALTERA O CÓDIGO DE PROCESSO PENAL, REVOGANDO A POSSIBILIDADE DE JULGAR EM PROCESSO SUMÁRIO CRIMES COM MOLDURA PENAL SUPERIOR A 5 ANOS DE PRISÃO Exposição

Leia mais

Aula 2: Inquérito Policial. Prof. Ma. Luane Lemos. São Luis,

Aula 2: Inquérito Policial. Prof. Ma. Luane Lemos. São Luis, Aula 2: Inquérito Policial 1. Conceito É o procedimento investigatório instaurado em razão da prática de uma infração penal, composto de uma série de diligências, e que tem como objetivo obter elementos

Leia mais

03/05/2017 DEUSDEDY SOLANO DIREITO PROCESSUAL PENAL CÓDIGO DE PROCESSO PENAL

03/05/2017 DEUSDEDY SOLANO DIREITO PROCESSUAL PENAL CÓDIGO DE PROCESSO PENAL DEUSDEDY SOLANO DIREITO PROCESSUAL PENAL CÓDIGO DE PROCESSO PENAL 1 LIVRO I TÍTULO VII CAPÍTULO I e II DO JUIZ, DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ACUSADO E DEFENSOR, DOS ASSISTENTES E AUXILIARES DA JUSTIÇA Arts.

Leia mais

DIREITO CONSTITUCIONAL Aula 06. Instituto de Gestão, Economia e Políticas Públicas - IGEPP Prof. Leo van Holthe

DIREITO CONSTITUCIONAL Aula 06. Instituto de Gestão, Economia e Políticas Públicas - IGEPP Prof. Leo van Holthe DIREITO CONSTITUCIONAL Aula 06 Instituto de Gestão, Economia e Políticas Públicas - IGEPP Prof. Leo van Holthe 1 Ampla defesa Súmula Vinculante 3 do STF: Nos processos perante o Tribunal de Contas da União

Leia mais

PONTO 1: Prisão em Flagrante PONTO 2: Prisão Preventiva

PONTO 1: Prisão em Flagrante PONTO 2: Prisão Preventiva 1 PROCESSO PENAL PONTO 1: Prisão em Flagrante PONTO 2: Prisão Preventiva 1. PRISÃO EM FLAGRANTE Art. 301 310 do CPP. 1.1 SUJEITOS DO FLAGRANTE: a) Presidente do Auto de Prisão em Flagrante; a.1) Autoridade

Leia mais

RECOMENDAÇÃO N 001/2016-CGMP

RECOMENDAÇÃO N 001/2016-CGMP RECOMENDAÇÃO N 001/2016-CGMP O CORREGEDOR-GERAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARANÁ, com fundamento nos artigo 17, inciso IV, da Lei Federal n 8.625/93 e no artigo 36, inciso IV, da Lei Complementar

Leia mais

TESTES PROCESSO PENAL. Aula 3 Prof. Rodrigo Capobianco

TESTES PROCESSO PENAL. Aula 3 Prof. Rodrigo Capobianco TESTES PROCESSO PENAL Aula 3 Prof. Rodrigo Capobianco (Exame XVIII) O Ministério Público ofereceu denúncia em face de Cristiano, Luiz e Leonel pela prática do crime de associação para o tráfico. Na audiência

Leia mais

SUMÁRIO. Limites à persuasão racional do juiz e seu caráter relativo (inquérito policial)

SUMÁRIO. Limites à persuasão racional do juiz e seu caráter relativo (inquérito policial) SUMÁRIO 1. TEORIA GERAL DA PROVA 1.1 Conceito 1.2 Sentidos da prova e suas espécies 1.3 Finalidade e objeto da prova Finalidade da prova e verdade processual 1.4 Sistemas de avaliação da prova 1.4.1 Disciplina

Leia mais

PROGRAMA. 4. O conceito de crime e o processo penal: pressupostos materiais e processuais da responsabilidade penal.

PROGRAMA. 4. O conceito de crime e o processo penal: pressupostos materiais e processuais da responsabilidade penal. DIREITO PROCESSUAL PENAL PROGRAMA I INTRODUÇÃO AO DIREITO PROCESSUAL PENAL 1. O funcionamento real do sistema penal: os dados da PGR (2010), do Relatório Anual de Segurança Interna (2011) e o tratamento

Leia mais

LIBERDADE PROVISÓRIA SEM A NECESSIDADE DE RECOLHIMENTO DE FIANÇA

LIBERDADE PROVISÓRIA SEM A NECESSIDADE DE RECOLHIMENTO DE FIANÇA LIBERDADE PROVISÓRIA Instituto processual que garante ao acusado o direito de aguardar em liberdade o transcorrer do processo até o trânsito em julgado, vinculado ou não a certas obrigações, podendo ser

Leia mais