MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES"

Transcrição

1 MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES ESCRITÓRIO DE REPRESENTAÇÃO NO RIO DE JANEIRO Para: CISET ÍNDICE: Controle Interno. Brasil. Auditoria. Tomada de Contas Anual. Exercício de Rol de Responsáveis. Relatório de Gestão. Solicitação de Documentos. Em cumprimento ao disposto no Memorando CISET 002 /QITC, de 04 de janeiro de 2010, encaminho em anexo o Relatório de Gestão referente ao exercício de 2009, em três vias, acompanhado da Declaração sobre Fidedignidade das informações constantes do SIAFI sobre o Rol de Responsáveis por esta Unidade Gestora. MARCUS DE VINCENZI Chefe do ERERIO

2 1 - INFORMAÇÕES GERAIS DE IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE GESTORA 1.1. Nome Completo: Escritório de Representação do Ministério das Relações Exteriores no Rio de Janeiro ERERIO 1.2. C.N.P.J: Natureza Jurídica: Poder Executivo Federal 1.4. Poder e órgão de vinculação: Poder Executivo, vinculado ao Ministério das Relações Exteriores (35000) Endereço: Av. Marechal Floriano 196. Centro Rio de Janeiro/RJ 1.6. Telefones de contato: (21) / (21) Endereço de página institucional na internet: não há 1.8. Código SIORG: Código na LOA: Situação Operacional: Ativo Principal atividade econômica: administração pública Código e nome da Unidade Gestora e Gestão utilizados no SIAFI: UG Gestão 00001, Escritório de Representação do Ministério das Relações Exteriores no Rio de Janeiro ERERIO Normas de Criação e Finalidade da Unidade Jurisdicionada: O ERERIO integra o conjunto de unidades do Ministério das Relações Exteriores no Brasil, também conhecido por Secretaria de Estado de Relações Exteriores (SERE). Pelo Decreto nº de 16 de dezembro de 2006, que aprovou a estrutura regimental do Ministério das Relações Exteriores, o ERERIO é uma unidade descentralizada da SERE, com competência genérica para apoiar as unidades administrativas do MRE e da Fundação Alexandre de Gusmão, situadas no Rio de Janeiro, bem como zelar pela manutenção e conservação do conjunto arquitetônico do Palácio Itamaraty e ainda dos acervos do Museu Histórico e Diplomático (MHD), da Biblioteca, da Mapoteca e do Arquivo Histórico do MRE. Dentre as atividades específicas do ERERIO, destacam-se as seguintes, classificadas pelos setores que as executam:

3 I Cerimonial: realização de eventos no Palácio Itamaraty ou em outros locais no Rio de Janeiro, prestação de apoio a delegações estrangeiras em suas atividades oficiais na cidade e recepção de missões oficiais de autoridades estrangeiras em visita ao Brasil. II Consular: expedição de passaportes diplomáticos e de serviço e respectiva prorrogação; concessão de vistos, reconhecimento de firmas e autenticação de documentos. Assistência a familiares de cidadãos brasileiros, residentes no exterior. III Cultural: regularização da situação de estudantes estrangeiros residentes na área de jurisdição do ERERIO, apoio a participantes dos programas anuais de estudanteconvênio, em nível de graduação e pós-graduação, executados no âmbito das atividades governamentais de cooperação dirigidas a países em desenvolvimento. Ao atender solicitações de instituições de ensino, o Chefe do Setor Cultural realiza conferências sobre o funcionamento do MRE, relações internacionais e atividades diplomáticas. IV Centro de Documentação e Museu Histórico e Diplomático (MHD): preservação e divulgação da memória e da história da diplomacia no Brasil, reunida nos acervos do Museu, da Biblioteca, do Arquivo Histórico e ainda da Mapoteca. V Pessoal: apoio a funcionários da Unidade Gestora, pensionistas e aposentados do MRE que residam no Rio de Janeiro. VI Administração: restauração, conservação e manutenção dos prédios do Complexo arquitetônico histórico do Palácio Itamaraty, tombado pela União em 1938 e sede histórica do Ministério das Relações Exteriores, organização de eventos e prestação de serviços administrativos de apoio às atividades dos demais setores integrantes do ERERIO Norma de criação e finalidade da Unidade Gestora O Decreto nº 5.959, de 06/12/2006 representa o principal instrumento de lei que estabelece a estrutura de organização do ERERIO Publicação no DOU do Regimento Interno da Unidade Gestora de que tratam as contas: Esta Unidade não dispõe dessa informação Tipo de atividade: administrativa Manuais e publicações relacionadas às atividades da unidade: Não se aplica.

4 1.18. Informações sobre recursos humanos da unidade: Não se aplica. O Escritório de Representação do Ministério das Relações Exteriores no Rio de Janeiro (ERERIO), nos moldes da Secretaria de Estado, conta apenas com uma Divisão de Pessoal, voltada a atender seus servidores Informações sobre o reconhecimento de passivos por insuficiência de créditos ou recursos: não possui Informações sobre a inscrição de Restos a Pagar no exercício e os saldos de Restos a Pagar de Exercícios Anteriores: Não possui Informações sobre as transferências mediante convênio, acordo, ajuste, termo de parceria ou outros instrumentos congêneres, bem como a título de subvenção, auxílio ou contribuição: O ERERIO não conta com esse tipo de transferência Informações sobre as entidades fechadas de previdência complementar patrocinadas, em especial quanto à correta aplicação dos recursos repassados, de acordo com a legislação pertinente e os objetivos a que se destinarem, conforme disposto abaixo: não se aplica Demonstrativo do fluxo financeiro de projetos ou programas financiados com recursos externos, ocorridos no ano e acumulados até o período em exame: o ERERIO não conta com programas ou projetos financiados com recursos externos Informações sobre Renúncia Tributária, contendo declaração do gestor de que os beneficiários diretos da renúncia, bem como da contrapartida, comprovaram, no exercício, que se encontram em situação regular em relação aos pagamentos dos tributos junto à Secretaria da Receita Federal do Brasil SRFB, ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço FGTS e à Seguridade Social: não se aplica Informações sobre providências adotadas para dar cumprimento às determinações e recomendações do TCU expedidas no exercício ou as justificativas para o caso de não cumprimento: não se aplica Informação quanto ao efetivo encaminhamento ao órgão de controle interno dos dados e informações relativos aos atos de admissão e desligamento, bem como aos atos de concessão de aposentadoria, reforma e pensão, exigíveis no exercício a que se refere o Relatório de Gestão, nos termos do art. 7º da IN/TCU n 55/2007: não se aplica Declaração da área responsável atestando que as informações referentes a contratos, bem como sobre convênios, contratos de repasse e termos de parceria firmados estão disponíveis e atualizadas, respectivamente, no Sistema Integrado de Administração de Serviços Gerais SIASG e no Sistema de Gestão de Convênios,

5 Contratos de Repasse e Termos de Parceria SICONV, conforme estabelece o art. 19 da Lei nº , de 14 de agosto de 2008: Não se aplica Outras informações consideradas, pelos responsáveis, relevantes para demonstrar a conformidade e o desempenho da gestão: não se aplica. 2 - OBJETIVOS E METAS FÍSICAS E FINANCEIRAS 2.1. Responsabilidades institucionais da unidade: O Escritório de Representação do Ministério das Relações Exteriores tem como responsabilidade cumprir as diretrizes impostas pela Secretaria de Estado Estratégias de atuação frente às responsabilidades institucionais: O ERERIO não conta com mapa/plano estratégico ou plano de ação Programa sob responsabilidade da Unidade: No exercício de 2009 o ERERIO coordenou o seguinte programa: Administração da Unidade Descrição do programa, projeto/atividade ou ação administrativa em termos do objetivo geral, dos objetivos específicos e dos beneficiários. Administração da Unidade: esta atividade reúne as despesas com manutenção e uso da frota de veículos oficiais, a conservação de prédios da União tutelados pelo ERERIO, e ainda com tecnologia da informação, inclusive apoio à execução de serviços técnicos e administrativos necessários ao funcionamento de todos setores da Unidade Gestora. Observe-se também que, ao longo de 2009, este Escritório de Representação não firmou convênios, nem contratou serviço de cartão de crédito corporativo, tendo ainda atendido todas recomendações de controle interno e externo que lhe foram dirigidas. O imóvel também conta com isenção de IPTU, por ser considerado patrimônio da União, cabendo-lhe, porém, a Taxa de Coleta de Lixo (TCL), recolhida anualmente à Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, com valores iguais para cada uma das inscrições atribuídas ao Ererio: Museu Histórico e Diplomático (nº ); Biblioteca (nº ) e Administração (nº ).

6 2.4. Beneficiários do programa Dada a natureza do programa gerido pela Unidade Gestora, os principais beneficiários são o próprio MRE e o público atendido pelo setores de Consular, Cultural e de Pessoal, sem mencionar pesquisadores e entidades que sempre consultam os Arquivo Histórico, Biblioteca e Mapoteca. Também é beneficiado o público que visita o Museu Histórico e Diplomático (MHD), em visitas monitoradas Descrição dos indicadores e outros parâmetros utilizados para gerenciar a conformidade e o desempenho dos programas governamentais e das ações administrativas. Os indicadores utilizados foram: a) proporção de recursos provisionados e de recursos aplicados; b) proporção entre os recursos gastos com a manutenção e conservação e área física do Complexo Palácio Itamaraty no Rio de Janeiro Metas físicas e financeiras em 2010 Em consulta ao Sigplan, observa-se que o programa , utilizado por esta Unidade Gestora, não se encontra inscrito no PPA. 3 - DSEMPENHO OPERACIONAL: INDICADORES OU PARÂMETROS DE GESTÃO a. Taxa de despesas realizadas Índice de despesas realizadas Objetivo: Quantificar o percentual de despesas realizadas em relação ao total de recursos provisionados Método de cálculo Taxa = Total de despesas realizadas x 100 Total de recursos provisionados Cálculo: Taxa = Σ ,08 x 100 = 93% ,39 b. Proporção entre despesas com manutenção e a área física do Palácio Itamaraty Objetivo: quantificar o gasto médio com administração, conservação e manutenção em relação à área total construída (ATC) do Complexo Palácio Itamaraty RJ Método de cálculo:

7 Taxa = Total de despesas com administração Área total construída do Palácio Itamaraty RJ Cálculo: Taxa = Σ ,08 = 169,94/ m ,47 4. ANÁLISE DO DESEMPENHO O principal indicador foi o resultante da proporção de recursos provisionados e recursos aplicados. A fim de cumprir as funções de sua competência, o ERERIO recebeu em 2009 créditos no valor de R$ ,39 (três milhões e oitocentos e vinte e quatro mil e setecentos reais e trinta e nove centavos). Desse total foram aplicados R$ ,08 (três milhões e quinhentos e cinqüenta e seis mil reais e quinhentos e cinqüenta reais e oito centavos). Desse total foram utilizados 93%. Quanto aos recursos utilizados para a manutenção do ERERIO, perfazem o valor de R$ 169,94 (cento e sessenta e nove reais e noventa e quarto centavos) por metro quadrado Avaliação dos resultados da execução dos programas governamentais e/ou das ações administrativas, com esclarecimentos sobre as causas que inviabilizam o pleno cumprimento: Mesmo havendo dificuldades quantitativas e qualitativas em relação aos servidores, principalmente pela falta de pregoeiro habilitado, em 2009 esta Unidade Gestora conseguiu honrar compromissos, garantir serviços prestados junto a outros órgãos de governo, federais, estaduais e municipais, bem como ao público em geral e ainda a funcionários aposentados do Serviço Exterior, por intermédio dos setores Consular, Cultural, de Pessoal, Cerimonial, Centro Regional do Instituto Rio Branco, Serviço de Assistência Médica, Centro de Documentação e Museu Histórico e Diplomático (MHD). Em 2009, o Setor de Administração e suas seções a saber: Financeira; Patrimonial; de Compras; de Licitações e Contratos; de Serviços Gerais e Obras executaram suas funções de praxe: aquisição de bens e materiais de consumo, contratação de serviços com respectivos pagamentos, realização de pregões eletrônicos,

8 formalização de contratos, registros de movimento patrimonial e conformidade diária, acompanhamento das atividades de segurança e limpeza das instalações do Palácio Itamaraty, e também execução e fiscalização de reparos pequenos. Observe-se ainda que o Setor de Administração pôde efetivamente organizar e realizar todos os eventos propostos pelo Setor de Cerimonial, pelo MHD, apesar de se encontrar sobrecarregado, quadro que se agrava a cada ano com a redução de pessoal. Para estes, faltam substitutos e ainda pesa o fato de muitos dos remanescentes lotados no ERERIO não poderem ser treinados por se encontrarem em final de carreira, chegando às vezes do exterior às vésperas de se aposentarem, ainda com férias e licenças-prêmio para gozar. Como conseqüência terminam não integrando a força efetiva de produção desta Unidade Gestora. Seguem anexas observações sobre os setores de: Administração; Instituto Rio Branco; Setor Cultural; Pessoal; Cerimonial; Setor de Documentação; Consular; Serviço Médico e Museu Histórico e Diplomático. 5. ANEXOS 5.1. SETOR DE ADMINISTRAÇÃO O Escritório tem como um de seus principais objetivos trabalhar para manter este imóvel, que é tombado pelo IPHAN, nas melhores condições possíveis. Para isso, temos contrato de Manutenção Preventiva e Corretiva das instalações elétricas, telefônicas, de refrigeração, hidráulicas, esgoto, águas pluviais, bombas de recalque, pintura e alvenaria nas diversas edificações do Escritório, com o fornecimento de pedreiro, eletricista e bombeiro. Além disso, o contrato com a empresa Excellence nos possibilitou o fornecimento de pessoal para limpeza. Contratos com outras empresas nos possibilitaram a concessão de motoristas, recepcionistas e contínuos. Para que o trabalho destas pessoas tenha um desempenho satisfatório, foram adquiridos aparelhos como um triturador de folhas e lava-jato para facilitar a manutenção - bem como uma bomba hidráulica para o lago. Foram feitas pinturas no térreo e andares, setores e corredores da Mapoteca, rede de esgoto no refeitório dos funcionários e rede de drenagem nas garagens cobertas.

9 Outros serviços contratados incluem a poda das palmeiras imperiais, serviços de detetização e renovação de extintores de incêndio e limpeza anual do lago, este último carecendo de pessoal especializado. A reserva técnica do Museu foi também restaurada com instalação de grades de segurança. Por conta de inúmeros eventos que ocorreram no Palácio, o escritório foi agraciado com aparelhos de FAX, cortinas para uso no Palácio e carpete no Setor de Pessoal. No ano de 2009, foi feito um pregão destinado a contratar serviços de impressão para o ERERIO, do qual saiu ganhadora a empresa Investiplan. Grande parte dos contratos tiveram sua data de validade atingida. De tal forma, houve a necessidade de atualização dos mesmos. Para manter a coerência legal, tivemos apoio da Advocacia Geral da União (AGU) para a orientação do Escritório. Durante o ano de 2009 iniciaram-se os preparativos para os pregões para contratação da reforma do telhado do Museu Histórico e da substituição de transformadores elétricos que trabalham com óleo ascarel, elemento extremamente perigoso para a saúde. No final de dezembro, com a colaboração de pregoeiro enviado pela SERE, foram realizados os respectivos pregões. Foi igualmente concluído o processo de treinamento e aperfeiçoamento. Foi também contratado o serviço de rede de Link Dedicado com apenas 1Mpb, insuficiente para atender o Escritório. Novo pregão para a contratação de maior eficiência informática está em processo de elaboração. No setor de garagem, por motivo de pregão realizado no final de dezembro de 2008, chegaram dois novos veículos Fiat, um para servir a Chefia e um de serviço. No setor de passaportes, onde se usam máquinas de escrever eletrônica para preencher os passaportes, conseguiu-se a recuperação de algumas em virtude do trabalho de técnico especializado.

10 Com o término das atividades da União Latina e IBECC no ERERIO, foram recuperadas algumas salas que se mantém fechadas. O andar das Cavalariças está disponível para eventos. O alojamento dos Fuzileiros Navais que complementam a segurança do Palácio está em estado muito precário. Nova área está sendo preparada através de contatos de parceria com o respectivo Comando. A situação das casas pertencentes ao Palácio continua motivo de preocupação em vista do mau estado e da dificuldade de retirar os invasores. São 18 moradias, inicialmente funcionais, que se encontram em mau estado de conservação e devido ao risco iminente de desabamento estão em processo de despejo. Quatro despejos tramitam na Justiça Federal, quatro moradias vazias e os restantes se encontram invadidos. Infelizmente, não houve êxito com a renovação do contrato da INFRAERO, a despeito de gestões da SERE, nem com o pagamento dos DPVAT s dos veículos oficiais, dificultado principalmente por burocracias internas do DETRAN, que não admite o pagamento via depósito pelo Banco do Brasil. A presença de empresa de desinfestação e higienização das obras da Biblioteca e Arquivo Histórico, decorrente de pregão feito em Brasília, exigiu a aquisição de aparelhos como desumidificador, higrômetros e ventiladores. Foi implantada a coleta seletiva de lixo o que permitiu o cancelamento de coleta de lixo por empresa particular. Auditorias da CISET e o TCU estiveram fiscalizando o Escritório nos meses de julho e setembro. Atualmente, o ERERIO dispõe de 27 (vinte e sete) estagiários em vários setores contribuindo socialmente. Foi feito convênio com o CIEE para ministrar cursos educativos mensais. QUADRO I - EXERCÍCIO DE 2009 LICITAÇÕES REALIZADAS 06/04 - Pregão eletrônico, para contratação da empresa Investiplan, responsável por locação e manutenção de seis máquinas de reprografia.

11 03/12 Pregão eletrônico, para contratação da empresa Horm, para serviços de reconstrução do telhado do MHD. 18/12 - Pregão eletrônico, para contratação da empresa Proativa, para serviços de reforma da subestação do ERERIO. 28/12 Pregão eletrônico, para contratação do Fiscal de obras de Engenharia para a reconstrução do telhado do MHD. QUADRO II - EXERCÍCIO DE CONTRATOS FIRMADOS 30/01 Lavanderia 2 de Fevereiro 30/01 Thyssenkrupp 17/02 - Oi 10/03 Bocaina 04/05 Investiplan 01/06 Luiza Aquim 25/07 Correios 22/12 Elevadores Elbo 22/12 Horm 28/12 - Fiscal da Horm / Engenheiro Jorge Gueiros 30/12 - Excellence QUADRO III - DOTAÇÕES AUTORIZADAS PARA O EXERCÍCIO DE 2009 DEMONSTRACAO DA DESPESA AUTORIZADA - PROVISAO / CRED P/CISÃO/FUSÃO NATUREZA PROVISAO RECEBIDA , , , , , , , ,50 TOTAL ,39

12 QUADRO IV - DEMONSTRAÇÃO DO PROGRAMADO PARA O ANO DE 2009 ESF PTRES UO PROG. TRABALHO FONTE ND P.INTERNO , , , , , , , , , , , , , , , , , ,50 TOTAL 0, ,39 QUADRO V - DEMONSTRAÇÃO DA EXECUÇÃO DA DESPESA EM REAL PARA 2009 ESF PTRES UO PROGRAMA FONTE ND P.INT. LIQUIDADO , , , , , , , , , , , , , , , ,00

13 , ,19 TOTAL , , INSTITUTO RIO BRANCO O setor do Instituto Rio Branco, durante o ano de 2009, cumpriu as tarefas de orientação e divulgação do Concurso de Admissão à Carreira de Diplomata, bem como do processo seletivo do Programa de Ação Afirmativa do Instituo Rio Branco nas principais universidades, centros de ensino e organizações não-governamentais dedicadas a temática da igualdade racial da cidade e do Estado do Rio de Janeiro. O setor permanece com uma única funcionária e se encontra com completa falta de material de divulgação, como cartazes. Neste sentido, informa que são inúmeros os candidatos que desconhecem o fato de que há informações na internet SETOR CULTURAL O Setor Cultural prosseguiu, em 2009, suas tarefas de regularização da situação de estudantes estrangeiros residentes na área e jurisdição do ERERIO, além de prestar apoio a participantes dos programas anuais de estudantes-convênio, em nível de graduação e pós-graduação, executados no âmbito das atividades governamentais de cooperação dirigidas a países em desenvolvimento. O setor informa que é grande o número de solicitações para a utilização do espaço do ERERIO para eventos culturais e atende a solicitações de instituições de ensino e outras, a exemplo do IBGE, bem como realiza conferências sobre o funcionamento do MRE, relações internacionais e atividades diplomáticas. Paralelamente às suas funções no ERERIO, o Chefe do Setor, por solicitação da Embaixada do Brasil no Panamá, conduziu oficina com fotógrafos panamenhos, de 29 a 31 de outubro de 2009, na cidade do Panamá, dentro da Programação Cultural do Posto aprovada pela Secretaria de Estado. Estendeu, sem ônus, sua viagem a São José, Costa Rica, onde proferiu palestra sobre fotografia brasileira na Universidade Veritas, organizada pela Embaixada em São José SETOR DE PESSOAL

14 Em 2009, ocorreu o primeiro recadastramento de funcionários inativos e pensionistas, depois de longo período em que o Itamaraty não participava dessa prática comum a todos os demais órgãos públicos federais. A tarefa que coube ao ERERIO foi cumprida com grande eficiência e resultados palpáveis, apesar dos obstáculos compreensíveis decorrentes de uma divulgação que esbarrou no desconhecimento e/ou alheamento desse público-alvo com relação ao serviço público e suas exigências periodicamente atualizadas, além de outras dificuldades advindas de endereços desatualizados, domicílio não informado na jurisdição deste Escritório e outros eventuais problemas. Quanto às demais atividades desta seção, foi dado continuidade à política de atenção personalizada a todos os que a ela recorreram pelos mais diversos motivos ou circunstâncias. Vale ressaltar que no que tange a lotação do setor, como a do Escritório, o quadro de servidores encontra-se defasado. Registra-se com satisfação o sucesso do programa de intercâmbio envolvendo estagiários e o Itamaraty, cujos resultados são concretos e sugerem novos avanços em aberturas desse tipo que conseguem complementar, com vitalidade e vontade de abrir caminho no mercado de trabalho, o natural desgaste do Quadro do Pessoal da Casa CERIMONIAL O Setor do Cerimonial, em 2009, prestou o apoio de praxe, através da INFRAERO, Receita Federal e Polícia Federal, aos dignatários estrangeiros em visita oficial ao Rio de Janeiro, ou em trânsito pela cidade. Igualmente, auxiliou na organização de visitas de delegações comerciais e culturais junto à Federação das indústrias do Rio de Janeiro (FIRJAN) e à Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro. Em junho de 2009, o Cerimonial, em colaboração com o Setor de Administração deste Escritório renovou contrato de prestação de Serviços com a empresa Luiza Aquim Eventos Culinários Ltda, para a realização de coquetéis, almoços e jantares dentro do complexo do Itamaraty. Também tomou providências e participou da organização

15 desses eventos oferecidos pelo Ministro de Estado das Relações Exteriores e Chefias da Casa no Museu Histórico e Diplomático e nas demais dependências do Palácio. O Cerimonial prestou apoio na recepção e despedida de Chefes de Estado e de Governo em visita oficial ao Brasil, além da organização e da coordenação da programação nesta cidade, com a realização de reuniões no Palácio, com o Cerimonial do Governo do Estado do Rio de Janeiro, a Polícia federal, a Base Aérea do Galeão e demais órgãos envolvidos. No ano de 2009, as visitas oficiais ao Rio de Janeiro foram as seguintes: Ministro dos Negócios Estrangeiros de São Tomé e Príncipe Príncipe de Gales e a Duquesa de Cornuália Ministro dos Negócios Estrangeiros do Chipre Ministro das Relações Exteriores da Boznia-Herzegovina Secretário-Geral da União Mano River Presidente da República da Namíbia Presidente da República da Guiné-Equatorial Enviado Especial da República da Macedônia Ministro dos Negócios Estrangeiros do Canadá Princesa Laila Hasnaa Alouia, irmã do Rei do Marrocos Primeiro-Ministro do Reino dos Países Baixos Ministro dos Equipamentos e Transportes do Marrocos Secretário-Geral da Organização dos Estados Americanos Ministro do Desenvolvimento e Reabilitação Rural da República Islâmica do Afeganistão Vice-Ministra dos Negócios Estrangeiros e Comércio Internacional do Canadá Comandante do Exército de Portugal Presidente do Supremo Tribunal da Rússia Primeiro-Ministro de São Tomé e Príncipe

16 Presidente do Conselho Nacional de Fundo de Seguridade Social da China Ministro da Agricultura e Pesca do Reino do Marrocos Diretora-Geral do Instituto Cervantes da Espanha Primeira-Dama da Geórgea Ministro-Chefe da Casa Civil de Angola Princesa Victoria da Suécia Ministro do Planejamento da República do Iraque Encarregado de Direitos Humanos da República Federal da Alemanha Ministro da Defesa do Paquistão Ministra da Cultura e da Comunicação da República Francesa Ministro da Defesa da Suécia Ministro das Relações Exteriores da República da Sérvia Presidente da Colômbia Presidente da República Dominicana Primeira-Dama de Angola Ministro da Defesa e Antigos Combatentes da República Francesa Ministro da Defesa da República Tcheca Chefe do estado Maior das Forças Armadas da República Tcheca Ministro das Relações Exteriores do Peru Vice-Ministro do Ministério Federal do Exterior da Alemanha Ministra da Função Pública de Moçambique Delegação Parlamentar da Comissão de Economia e Finanças do Timor-Leste Prefeito de Londres Secretária de Estado de Comércio Exterior da França Ministro da Cultura do Egito

17 Ministro da Comunicação do Reino do Marrocos Ministra da Cultural da República Argelina Presidenta da República das Filipinas Presidente da República do Uzbequistão Comandante do Exército da Índia Ministro das Relações Exteriores da França Chefe do Estado Maior da Defesa da Tailândia Presidente do Senado da França Secretário-Geral Ibero-Americano Ministro-Chefe do Comitê Central do Partido Comunista da China Presidente de Moçambique Presidente do México Secretário-Geral da Unctad Filha da Princesa Caroline de Hanover Ministro das Relações Exteriores do Egito Ministra da Ciência e Ensino Superior da Polônia Conselheiro de Segurança Nacional dos Estados Unidos da América Presidente da República de Serra Leoa Ministro do Comércio Internacional do Canadá Presidente Nelson Mandela Ministro de Água e Irrigação da Tanzânia Primeiro-Ministro de Cabo Verde Ministro da Saúde do Belize Prefeito de Paris Diretor-Adjunto de Assuntos Legislativos do Conselho do estado da China

18 Ministro das Relações Exteriores do Quebec Presidente da Assembléia Nacional da França Alta Comissária da ONU para Direitos Humanos Presidente da Comissão de negócios Estrangeiros da Grande Assembléia Nacional Turca Ministro da Defesa da França Secretário de Estado de Cooperação e Francofonia da França Ministro de Estado do Desenvolvimento Econômico da República Italiana Presidente de Israel Ministro do Comércio Exterior e Desenvolvimento da Finlândia Ministro da Economia da República Eslovaca Ministro das Relações Exteriores da Argentina Diretora-Geral da Unesco Ministra de Estado da Educação da Índia Vice-Presidente da Assembléia Nacional do Vietnã O Cerimonial, junto com o Setor de Administração, organizou os seguintes almoços: Reunião dos GTs Migratório e Fundiário Brasil-Paraguai Encontro Bilateral Brasil-Peru IV Reunião Brasil-França sobre Energia Nuclear Seminário de Alto Nível sobre o Papel dos Investimentos Públicos no Desenvolvimento Público e Social Reunião Bilateral Brasil-Colômbia Reunião de Vice-Chanceleres Brasil-Argentina Reunião com Diretor-Geral para Desarmamento e Não-Proliferação de Armas do Ministério dos Negócios Estrangeiros da China SETOR DE DOCUMENTAÇÃO

19 Em 2009, o atendimento a pesquisadores se processou normalmente na Mapoteca. No Arquivo Histórico, as consultas, suspensas no segundo semestre de 2008 em razão dos trabalhos de desinfestação e higienização, foram retomadas em agosto de Na Biblioteca, o atendimento não foi reiniciado, visto que aos trabalhos de desinsfestação e higienização, se seguiu o projeto de informatização do acervo. No Arquivo Histórico, encerrou-se a revisão do catálogo dos atos internacionais no período de 1808 a 1889, no âmbito de convênio entre o CONARQ e a UERJ, com a participação de dois estagiários da Faculdade de História daquela Academia. O trabalho foi apresentado na reunião da COLUSO (Comissão Luso-Brasileira de Salvaguarda e Divulgação do Patrimônio Documental), realizada em novembro de 2009, em Lisboa. Além disso, teve continuidade o projeto de revisão e ampliação dos instrumentos de pesquisa do acervo. Na Biblioteca, foi feito o levantamento da coleção de periódicos, com vistas à doação daqueles que não se enquadram na temática, nos princípios e finalidades de uma biblioteca histórica SETOR CONSULAR O Setor Consular do ERERIO é constituído por quatro Subsetores: de Passaportes, de Vistos, de Legalização de Documentos e Jurídico e de Assistência a Brasileiros. Tais Subsetores representam no Rio de Janeiro uma verdadeira extensão das Divisões de Documentos de Viagem (DDV), de Imigração (DIM) e de Assistência a Brasileiros (DAC). Durante o ano de 2009, o Setor Consular do ERERIO continuou a operar o Portal Consular do MRE, havendo atendido, através do "Fale Conosco" a 191 consultas. No mesmo ano, o Subsetor de passaportes registrou a expedição de passaportes oficiais e 112 passaportes diplomáticos. Foram prorrogados passaportes oficiais e 44 passaportes diplomáticos. Foram emitidas, também, 1237 notas de solicitação de visto para missões oficiais. Em 2009, a média de passaportes emitidos ou prorrogados mensalmente foi 448. O Subsetor de passaportes atende à demanda das organizações militares sediadas no Rio

20 de Janeiro e no Norte de São Paulo (Marinha, Exército e Aeronáutica) não só relativamente aos militares que viajam a serviço, mas também no tocante aos contingentes, renovados periodicamente, designados para missões de paz da ONU e da OEA. Vale ressaltar que a maior parte dos militares em missão no Haiti é oriunda dos quartéis sediados no Rio de Janeiro. Durante o ano de 2009, o Subsetor de Vistos concedeu 82 vistos diplomáticos, oficiais, temporários e de cortesia e averbações e retificações em formulários e etiquetas de visto. Já o Setor de Legalização autenticou documentos. A parte jurídica do Subsetor tem como principal função responder a consultas de órgãos públicos, tribunais, juizados, empresas e do público em geral sobre assuntos relacionados a temas consulares na órbita do Direito Internacional Público e Internacional Privado. Durante o ano de 2009, o movimento do Subsetor Jurídico e de Assistência a Brasileiros foi de 38 processos relacionados à assistência de brasileiros no exterior solucionados e 11 em andamento, totalizando 49 processos. Quanto às consultas sobre temas consulares, houve uma média de 05 atendimentos diários (um pessoalmente e quarto por telefone). O Setor também contabilizou 42 atendimentos a solicitações da justiça em geral, uma média de 03 atendimentos diários sobre temas jurídicos, 20 para elaboração de editais, contratos, termos aditivos e portarias, 02 para processos de licitação examinados e informados e 03 para informações à Advocacia Geral da União sobre processos judiciais MUSEU HISTÓRICO E DIPLOMÁTICO Em decorrência de problemas de estrutura arquitetônica do Palácio Itamaraty - em especial as infiltrações do telhado, que se agravaram em 2009 em decorrência das fortes chuvas - bem como sua localização, foi mantida a linha de ação adotada pelo Encarregado do MHD, desde maio de 2008, no sentido de priorizar a segurança e preservação do acervo. Conforme orientado pela SERE, foram enviados dados contendo o levantamento informatizado do acervo do MHD, após revisão e inserção de imagens fotográficas refeitas, de dados cronológicos e de informações relativas à proveniência (coleções originárias) das peças. O Trabalho de elaboração de imagens fotográficas com melhor

MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO SUBSECRETARIA DE AUDITORIA

MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO SUBSECRETARIA DE AUDITORIA MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO SUBSECRETARIA DE AUDITORIA PROCESSO : 03b UNIDADE GESTORA : Embaixada em Buenos Aires OBJETIVO DA AUDITORIA : Tomada de Contas Anual EXERCÍCIO

Leia mais

MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES

MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES ESCRITÓRIO DE REPRESENTAÇÃO NO RIO DE JANEIRO Para: CISET ÍNDICE: Controle Interno. Brasil. Auditoria. Tomada de Contas Anual. Exercício de 2008. Rol de Responsáveis.

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 86, DE 21 DE MARÇO DE 2012. (Publicada no DOU, Seção 1, de 07/05/2012, pág. 77)

RESOLUÇÃO Nº 86, DE 21 DE MARÇO DE 2012. (Publicada no DOU, Seção 1, de 07/05/2012, pág. 77) RESOLUÇÃO Nº 86, DE 21 DE MARÇO DE 2012 (Publicada no DOU, Seção 1, de 07/05/2012, pág. 77) Dispõe sobre o Portal da Transparência do Ministério Público. O CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO, no exercício

Leia mais

Ministério das Relações Exteriores Secretaria de Controle Interno Coordenação-Geral de Auditoria RELATÓRIO DE AUDITORIA DE GESTÃO

Ministério das Relações Exteriores Secretaria de Controle Interno Coordenação-Geral de Auditoria RELATÓRIO DE AUDITORIA DE GESTÃO Ministério das Relações Exteriores Secretaria de Controle Interno Coordenação-Geral de Auditoria RELATÓRIO DE AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2013 PROCESSO : 09144.000037/2014-14 RELATÓRIO : 06/2014 UNIDADE

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE GESTÃO PÚBLICA

SECRETARIA MUNICIPAL DE GESTÃO PÚBLICA SECRETARIA MUNICIPAL DE GESTÃO PÚBLICA LEGISLAÇÃO: Lei Municipal nº 8.834 de 01/07/2002 e Decreto 550 de 19/09/2007. ATRIBUIÇÕES: 10 - SECRETARIA MUNICIPAL DE GESTÃO PÚBLICA 10.010 - COORDENAÇÃO GERAL

Leia mais

PORTARIA-SEGEPRES Nº 1, DE 23 DE JANEIRO DE 2009

PORTARIA-SEGEPRES Nº 1, DE 23 DE JANEIRO DE 2009 PORTARIA-SEGEPRES Nº 1, DE 23 DE JANEIRO DE 2009 Dispõe acerca de competências, estrutura, lotação e alocação de funções de confiança da Secretaria- Geral da Presidência (Segepres). A SECRETÁRIA-GERAL

Leia mais

Relatório Controle Interno 1º. Quadrimestre 2015

Relatório Controle Interno 1º. Quadrimestre 2015 Relatório Controle Interno 1º. Quadrimestre 2015 1. APRESENTAÇÃO Nos termos do artigo 74 da Constituição Federal, artigo 59 da Lei Complementar nº. 59, artigos, 63 a 66 da Lei Complementar nº. 33, de 28

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CASA CIVIL SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO COORDENAÇÃO-GERAL DE AUDITORIA RELATÓRIO DE AUDITORIA

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CASA CIVIL SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO COORDENAÇÃO-GERAL DE AUDITORIA RELATÓRIO DE AUDITORIA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CASA CIVIL SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO COORDENAÇÃO-GERAL DE AUDITORIA TIPO DE AUDITORIA : Auditoria de Gestão EXERCÍCIO : 2009 PROCESSO : 00181.000687/2010-82 UNIDADE AUDITADA

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Superior SESu Diretoria de Desenvolvimento da Rede de Instituições Federais de Ensino Superior DIFES

Ministério da Educação Secretaria de Educação Superior SESu Diretoria de Desenvolvimento da Rede de Instituições Federais de Ensino Superior DIFES Ministério da Educação Secretaria de Educação Superior SESu Diretoria de Desenvolvimento da Rede de Instituições Federais de Ensino Superior DIFES EDITAL DE CONVOCAÇÃO Nº 03 DE 05 DE ABRIL DE 2013 PROCESSO

Leia mais

PLANO DE AÇÃO PARA IMPLANTAÇÃO DA UFGD

PLANO DE AÇÃO PARA IMPLANTAÇÃO DA UFGD MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS GRUPO DE TRABALHO DE IMPLANTAÇÃO PLANO DE AÇÃO PARA IMPLANTAÇÃO DA UFGD AÇÕES EXECUTORES PERÍODO ESTRATÉGIA Resultados/Observações 1. Elaboração

Leia mais

SECRETARIA DA JUSTIÇA E DA DEFESA DA CIDADANIA FUNDAÇÃO DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR

SECRETARIA DA JUSTIÇA E DA DEFESA DA CIDADANIA FUNDAÇÃO DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR PROGRAMA DE MUNICIPALIZAÇÃO DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR É com satisfação que a Fundação Procon/SP apresenta o novo Programa de Municipalização que tem como objetivo fortalecer o Sistema Estadual

Leia mais

MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES

MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES CERIMONIAL SUBSÍDIOS PARA TOMADA DE CONTAS RELATIVAS AO EXERCÍCIO DE 2008 Fevereiro de 2009 1. DADOS GERAIS SOBRE A UNIDADE JURISDICIONADA 1.1. NOME COMPLETO: Cerimonial

Leia mais

Ministério da Educação - MEC Secretaria de Educação Superior SESu Diretoria de Políticas e Programas de Graduação - Dipes

Ministério da Educação - MEC Secretaria de Educação Superior SESu Diretoria de Políticas e Programas de Graduação - Dipes Ministério da Educação - MEC Secretaria de Educação Superior SESu Diretoria de Políticas e Programas de Graduação - Dipes EDITAL DE CONVOCAÇÃO Nº 13, DE 30 DE ABRIL DE 2015 PROCESSO SELETIVO 2016 PARA

Leia mais

Reinaldo Velloso dos Santos Florianópolis, 10 de outubro de 2007

Reinaldo Velloso dos Santos Florianópolis, 10 de outubro de 2007 Identificação de Estrangeiros no Registro Civil Reinaldo Velloso dos Santos Florianópolis, 10 de outubro de 2007 Identificação das Partes Lei 6.015/1973 Dever de Identificar? Ausência de Regra Clara na

Leia mais

1. Qual o limite de idade para o empréstimo pessoal? 2. Qual é o valor mínimo e máximo do empréstimo? 3. Como funciona o parcelamento?

1. Qual o limite de idade para o empréstimo pessoal? 2. Qual é o valor mínimo e máximo do empréstimo? 3. Como funciona o parcelamento? 1. Qual o limite de idade para o empréstimo pessoal? De 18 anos a 90 anos, 11 meses e 29 dias. 2. Qual é o valor mínimo e máximo do empréstimo? Mínimo: R$ 200,00 Máximo: R$ 10.000,00 3. Como funciona o

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 1.032, DE 30 DE MARÇO DE 2011

RESOLUÇÃO Nº 1.032, DE 30 DE MARÇO DE 2011 RESOLUÇÃO Nº 1.032, DE 30 DE MARÇO DE 2011 Dispõe sobre a celebração de convênios entre os Creas e as entidades de classe e as instituições de ensino e dá outras providências. O CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA,

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria do Patrimônio da União Gerência Regional de Patrimônio da União no Rio Grande do Sul

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria do Patrimônio da União Gerência Regional de Patrimônio da União no Rio Grande do Sul MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria do Patrimônio da União Gerência Regional de Patrimônio da União no Rio Grande do Sul RELATÓRIO DE GESTÃO DA UNIDADE JURISDICIONADA 1. IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

ANEXO XI REGIMENTO INTERNO DA SECRETARIA DE RELAÇÕES DE TRABALHO NO SERVIÇO PÚBLICO CAPÍTULO I CATEGORIA E FINALIDADE

ANEXO XI REGIMENTO INTERNO DA SECRETARIA DE RELAÇÕES DE TRABALHO NO SERVIÇO PÚBLICO CAPÍTULO I CATEGORIA E FINALIDADE (Portaria GM-MP nº 220, de 25 de junho de 2014 ) ANEXO XI REGIMENTO INTERNO DA SECRETARIA DE RELAÇÕES DE TRABALHO NO SERVIÇO PÚBLICO CAPÍTULO I CATEGORIA E FINALIDADE Art. 1º A Secretaria de Relações de

Leia mais

Programa Centros Associados da Pós-Graduação Brasil-Argentina (CAPG-BA)

Programa Centros Associados da Pós-Graduação Brasil-Argentina (CAPG-BA) Programa Centros Associados da Pós-Graduação Brasil-Argentina (CAPG-BA) Processo Seletivo 2009-2010 Edital CGCI nº 3/2010 A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Fundação

Leia mais

Edital de apoio à participação no Seminário Ibero-Americano da Diversidade Linguística.

Edital de apoio à participação no Seminário Ibero-Americano da Diversidade Linguística. Edital de apoio à participação no Seminário Ibero-Americano da Diversidade Linguística. 1. Introdução O Seminário Ibero-americano da Diversidade Linguística pretende ser um marco na discussão de políticas

Leia mais

Subitem CONTEÚDOS DO RELATÓRIO DE GESTÃO Todas as unidades jurisdicionadas, exceto as relacionadas na Parte C.

Subitem CONTEÚDOS DO RELATÓRIO DE GESTÃO Todas as unidades jurisdicionadas, exceto as relacionadas na Parte C. ANEXO II À DECISÃO NORMATIVA-TCU Nº 134, DE 4 DE DEZEMBRO DE 2013 PARTE A CONTEÚDOS GERAIS Os conteúdos desta Parte A são aplicáveis às unidades jurisdicionadas relacionadas no Anexo I e não destacadas

Leia mais

LEI Nº 8478, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2010.

LEI Nº 8478, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2010. LEI Nº 8478, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2010. CRIA O FUNDO MUNICIPAL DE CULTURA DE FLORIANÓPOLIS (FMCF), VINCULADO À FUNDAÇÃO CULTURAL DE FLORIANÓPOLIS FRANKLIN CASCAES E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS Faço saber a

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 700, DE 19 DE SETEMBRO DE 2011

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 700, DE 19 DE SETEMBRO DE 2011 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 700, DE 19 DE SETEMBRO DE 2011 Dispõe sobre a relação entre a UFPA e as Fundações de Apoio ao Ensino, Pesquisa,

Leia mais

EDITAL Nº 06/2012 DISPÕE SOBRE O PROCESSO SELETIVO PARA BOLSAS DE ESTUDO NA ESCOLA SUPERIOR DE GESTÃO COMERCIAL E MARKETING ESIC.

EDITAL Nº 06/2012 DISPÕE SOBRE O PROCESSO SELETIVO PARA BOLSAS DE ESTUDO NA ESCOLA SUPERIOR DE GESTÃO COMERCIAL E MARKETING ESIC. EDITAL Nº 06/2012 DISPÕE SOBRE O PROCESSO SELETIVO PARA BOLSAS DE ESTUDO NA ESCOLA SUPERIOR DE GESTÃO COMERCIAL E MARKETING ESIC. A Escola Superior de Gestão Comercial e Marketing ESIC, mantido pela Associação

Leia mais

Relatório de Auditoria de Gestão. Supremo Tribunal Federal Secretaria de Controle Interno Coordenadoria de Auditoria e Fiscalização

Relatório de Auditoria de Gestão. Supremo Tribunal Federal Secretaria de Controle Interno Coordenadoria de Auditoria e Fiscalização Coordenadoria de Auditoria e Fiscalização PROCESSO DE CONTAS ANUAL 2010 Relatório de Auditoria de Gestão INTRODUÇÃO... 5 1 AVALIAÇÃO DOS RESULTADOS QUANTITATIVOS E QUALITATIVOS DA GESTÃO... 5 1.1 GESTÃO

Leia mais

Ministério de Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2012

Ministério de Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2012 Programa 2107 - Programa de Gestão e Manutenção do Ministério da Cultura 0821 - Contribuição ao Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro Tipo: Operações Especiais Número de Ações 80 Esfera: 10 - Orçamento

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2008 PROCESSO Nº

Leia mais

MÊS DE JANEIRO 2006 N.º DATA SEÇ./PÁG. LEGISLAÇÃO / ASSUNTO 001 02.01.06 Seção 1,2 e LIDO

MÊS DE JANEIRO 2006 N.º DATA SEÇ./PÁG. LEGISLAÇÃO / ASSUNTO 001 02.01.06 Seção 1,2 e LIDO MÊS DE JANEIRO 2006 N.º DATA SEÇ./PÁG. LEGISLAÇÃO / ASSUNTO 001 02.01.06 Seção 1,2 e LIDO 3 11 Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Portaria Nº 228, de 29 de dezembro de 2005 Resolve descentralizar

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 032 CONSUPER/2012

RESOLUÇÃO Nº 032 CONSUPER/2012 RESOLUÇÃO Nº 032 CONSUPER/2012 Dispõe sobre alterações na Regulamentação de apoio à pesquisa do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Catarinense. O Presidente do do Instituto Federal de

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL: Faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu sanciono a seguinte Lei.

O GOVERNADOR DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL: Faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu sanciono a seguinte Lei. (*) Os textos contidos nesta base de dados têm caráter meramente informativo. Somente os publicados no Diário Oficial estão aptos à produção de efeitos legais. LEI Nº 3.545, DE 17 DE JULHO DE 2008. Publicada

Leia mais

Bolsa de Estudo para

Bolsa de Estudo para Bolsa de Estudo para Formação de Líderes da Comunidade Nikkei (Ano Fiscal de 2016) Agência de Cooperação Internacional do Japão (JICA) Escritório Regional da JICA em São Paulo Av.Brigadeiro Luis Antonio,

Leia mais

15 Impostos ぜ い き ん 1 Impostos Nacionais Residentes e Não residentes

15 Impostos ぜ い き ん 1 Impostos Nacionais Residentes e Não residentes 15.Impostos ぜい きん 税 金 Os residentes no Japão por período superior a 1 ano, mesmo os de nacionalidade estrangeira, são obrigados a recolher impostos da mesma forma que os cidadãos japoneses caso recebam

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 122, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2015

RESOLUÇÃO Nº 122, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2015 RESOLUÇÃO Nº 122, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2015 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal do Pampa, em sua 69ª Reunião Ordinária, realizada no dia 26 de novembro de 2015, no uso das atribuições que

Leia mais

Programa Consórcios em Educação Superior Brasil e Estados Unidos

Programa Consórcios em Educação Superior Brasil e Estados Unidos Programa Consórcios em Educação Superior Brasil e Estados Unidos CAPES/FIPSE Edital Nº 8/2010 CAPES A Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), por meio de sua Diretoria

Leia mais

Lei Estadual nº. 12.216/98

Lei Estadual nº. 12.216/98 Lei Estadual nº. 12.216/98 Texto atualizado pelas Leis Estaduais n. os 12.604 de 02/07/99; 12.821 de 27/12/99; 12.827 de 06/01/00; 13.611 de 04/06/02; 14.595 de 28/12/04; 14.596 de 27/12/04 e 15.338 de

Leia mais

MOORE STEPHENS AUDITORES E CONSULTORES

MOORE STEPHENS AUDITORES E CONSULTORES DURATEX COMERCIAL EXPORTADORA S.A. AVALIAÇÃO DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO CONTÁBIL APURADO POR MEIO DOS LIVROS CONTÁBEIS EM 31 DE AGOSTO DE 2015 Escritório Central: Rua Laplace, 96-10 andar - Brooklin - CEP 04622-000

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 3.736, DE 15 DE SETEMBRO DE 2011

RESOLUÇÃO Nº 3.736, DE 15 DE SETEMBRO DE 2011 UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO RESOLUÇÃO Nº 3.736, DE 15 DE SETEMBRO DE 2011 Dispõe sobre o afastamento do país e concessão de passagens para servidores da UNIRIO. O Conselho de

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES SEMAP

RELATÓRIO DE ATIVIDADES SEMAP RELATÓRIO DE ATIVIDADES SEMAP 2010 Paulo Cesar Roza da Luz Porto Alegre, dezembro de 2010 ÍNDICE - Introdução... 03 - Atividades realizadas... 04 1) Manutenção... 04 2) Almoxarifado... 06 3) Patrimônio...

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE COLEGIADO PLENO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE COLEGIADO PLENO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE COLEGIADO PLENO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 01/2012 Regulamenta a relação entre a UFCG e sua fundação de apoio e define critérios

Leia mais

RESULTADOS DE LICITAÇÕES 2013

RESULTADOS DE LICITAÇÕES 2013 Modalidade: PREGÃO PRESENCIAL Última atualização: Março de 2014 RESULTADOS DE LICITAÇÕES 2013 PREGÃO PRESENCIAL Nº 028/2013 AVISO DE LICITAÇÃO FRACASSADA PREGÃO PRESENCIAL Nº 028/2013 PROTOCOLO Nº 2013/16/01744

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Página 1 de 7 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 5.978 DE 4 DE DEZEMBRO DE 2006. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84,

Leia mais

MANUAL PROGRAMA DE ESTÁGIO IAESTE 2009/2010

MANUAL PROGRAMA DE ESTÁGIO IAESTE 2009/2010 MANUAL PROGRAMA DE ESTÁGIO IAESTE 2009/2010 Caro Participante, Seja bem-vindo ao Programa de intercâmbio de estágio oferecido mundialmente pela IAESTE! Leia atentamente este manual. Ele contém todas as

Leia mais

SUMÁRIO. Anexo C - Despesas com cartão de crédito corporativo (conforme item I-1.8 do Anexo X da DN- TCU-85/2007... 9

SUMÁRIO. Anexo C - Despesas com cartão de crédito corporativo (conforme item I-1.8 do Anexo X da DN- TCU-85/2007... 9 SUMÁRIO 1. Identificação... 1 2. Responsabilidades institucionais... 2 2.1 PAPEL DA UNIDADE NA EXECUÇÃO DAS POLÍTICAS PÚBLICAS... 2 3. Estratégia de atuação... 2 4. Gestão de programas e ações... 2 4.1

Leia mais

PDDE - ÁGUA NA ESCOLA GUIA DE ORIENTAÇÕES OPERACIONAIS

PDDE - ÁGUA NA ESCOLA GUIA DE ORIENTAÇÕES OPERACIONAIS PDDE - ÁGUA NA ESCOLA RESOLUÇÃO nº. 30, DE 10 DE NOVEMBRO DE 2010 CD/FNDE GUIA DE ORIENTAÇÕES OPERACIONAIS GARANTIR O ABASTECIMENTO DE ÁGUA EM CONDIÇÕES APROPRIADAS PARA CONSUMO EM ESCOLAS PÚBLICAS. Qual

Leia mais

CONSIDERANDO que deve haver compatibilidade entre o motivo do deslocamento e o interesse público;

CONSIDERANDO que deve haver compatibilidade entre o motivo do deslocamento e o interesse público; ATO DA MESA Nº 500, de 15 de julho de 2015 Dispõe sobre a concessão de diárias e passagens e a respectiva prestação de contas no âmbito da Assembleia Legislativa, e adota outras providências. A MESA DA

Leia mais

PORTARIA CGU Nº 328, DE 29 DE FEVEREIRO DE 2008

PORTARIA CGU Nº 328, DE 29 DE FEVEREIRO DE 2008 PORTARIA CGU Nº 328, DE 29 DE FEVEREIRO DE 2008 O SECRETÁRIO-EXECUTIVO DA CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO, no uso da competência que lhe foi atribuída pelo art. 24 do Anexo ao Decreto nº 5.683, de 24 de janeiro

Leia mais

Dispõe sobre a concessão ou renovação do registro e certificado de entidades de fins filantrópicos.

Dispõe sobre a concessão ou renovação do registro e certificado de entidades de fins filantrópicos. Resolução CNAS n.º 32, de 24 de fevereiro de 1999 Dispõe sobre a concessão ou renovação do registro e certificado de entidades de fins filantrópicos. O Plenário do Conselho Nacional de Assistência Social

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa RESOLUÇÃO DE MESA Nº 847/2008 (atualizada até a Resolução de Mesa nº 951, de 3 de novembro de 2009) Regulamenta a

Leia mais

Es t i m a t i v a s

Es t i m a t i v a s Brasileiros no Mundo Es t i m a t i v a s Ministério das Relações Exteriores - MRE Subsecretaria Geral das Comunidades Brasileiras no Exterior - SGEB Departamento Consular e de Brasileiros no Exterior

Leia mais

DECRETO Nº 277 DE 23 DE MARÇO DE 2015

DECRETO Nº 277 DE 23 DE MARÇO DE 2015 DECRETO Nº 277 DE 23 DE MARÇO DE 2015 Estabelece medidas administrativas temporárias para contenção e otimização de despesas, no âmbito do Poder Executivo, cria o Conselho Gestor para Eficiência Administrativa

Leia mais

INFORMAÇÕES para Candidatos Estrangeiros

INFORMAÇÕES para Candidatos Estrangeiros PEC-PG PG PROGRAMA DE ESTUDANTES-CONVÊNIO DE PÓS-GRADUAÇÃO INFORMAÇÕES para Candidatos Estrangeiros Este material visa auxiliar o Candidato Estrangeiro a se informar sobre o Programa de Bolsas de Estudos

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2007 PROCESSO Nº

Leia mais

Desenvolvimento e Implantação do Criptossistema da Autoridade Certificadora Raiz da ICP-Brasil

Desenvolvimento e Implantação do Criptossistema da Autoridade Certificadora Raiz da ICP-Brasil Programa 1109 Massificação da Certificação Digital ICP-Brasil Ações Orçamentárias Número de Ações 18 72640000 Produto: Sistema implantado Desenvolvimento e Implantação do Criptossistema da Autoridade Certificadora

Leia mais

MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO SUBSECRETARIA DE AUDITORIA. : Escritório de Representação no Rio de Janeiro

MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO SUBSECRETARIA DE AUDITORIA. : Escritório de Representação no Rio de Janeiro MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO SUBSECRETARIA DE AUDITORIA PROCESSO : 08 UNIDADE GESTORA : Escritório de Representação no Rio de Janeiro OBJETIVO DA AUDITORIA : Tomada

Leia mais

DECRETO Nº 14.407 DE 09 DE ABRIL DE 2013. Aprova o Regulamento do Sistema Financeiro e de Contabilidade do Estado, e dá outras providências.

DECRETO Nº 14.407 DE 09 DE ABRIL DE 2013. Aprova o Regulamento do Sistema Financeiro e de Contabilidade do Estado, e dá outras providências. DECRETO Nº 14.407 DE 09 DE ABRIL DE 2013 Aprova o Regulamento do Sistema Financeiro e de Contabilidade do Estado, e dá outras providências. (Publicado no DOE de 10 de abril de 2013) O GOVERNADOR DO ESTADO

Leia mais

ROTEIRO DE AUDITORIA DE BENS PATRIMONIAIS

ROTEIRO DE AUDITORIA DE BENS PATRIMONIAIS ROTEIRO DE AUDITORIA DE BENS PATRIMONIAIS 1 - OBJETIVO A Auditoria de Bens Patrimoniais tem por objetivo examinar os controles administrativos e contábeis, a situação e condições, bem como a verificação

Leia mais

CURSO: SICONV 1) NOÇÕES GERAIS, CREDENCIAMENTO, CADASTRAMENTO E PROGRAMAS DE CONVÊNIO

CURSO: SICONV 1) NOÇÕES GERAIS, CREDENCIAMENTO, CADASTRAMENTO E PROGRAMAS DE CONVÊNIO CURSO: SICONV TEMAS CENTRAIS 1) NOÇÕES GERAIS, CREDENCIAMENTO, CADASTRAMENTO E PROGRAMAS DE CONVÊNIO 2) PROPOSIÇÃO, AVALIAÇÃO DE PROPOSTAS - CEDENTE, CELEBRAÇÃO DE UM CONVÊNIO E ALTERAÇÕES 3) EXECUÇÃO,

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO PADRE ANCHIETA - UNIANCHIETA PROGRAMA BOLSAS IBERO-AMERICANAS SANTANDER UNIVERSIDADES DIR_GRAD 004/2015

CENTRO UNIVERSITÁRIO PADRE ANCHIETA - UNIANCHIETA PROGRAMA BOLSAS IBERO-AMERICANAS SANTANDER UNIVERSIDADES DIR_GRAD 004/2015 CENTRO UNIVERSITÁRIO PADRE ANCHIETA - UNIANCHIETA PROGRAMA BOLSAS IBERO-AMERICANAS SANTANDER UNIVERSIDADES DIR_GRAD 004/2015 O CENTRO UNIVERSITÁRIO PADRE ANCHIETA, por intermédio da Diretoria Acadêmica

Leia mais

ÍNDICE GENERALIDADES 01 01/02 NORMAS GERAIS 02 01/02 PROCESSO ADMINISTRATIVO PARA ALIENAÇÃO DE BENS

ÍNDICE GENERALIDADES 01 01/02 NORMAS GERAIS 02 01/02 PROCESSO ADMINISTRATIVO PARA ALIENAÇÃO DE BENS ÍNDICE 00 FOLHA 01 ASSUNTO FOLHA GENERALIDADES 01 01/02 NORMAS GERAIS 02 01/02 PROCESSO ADMINISTRATIVO PARA ALIENAÇÃO DE BENS 03 01/03 ALIENAÇÃO POR VENDA 04 01/04 ALIENAÇÃO POR PERMUTA 05 01/01 ALIENAÇÃO

Leia mais

NORMA DE EXECUÇÃO/SA/INCRA/Nº 42, DE 25 DE JANEIRO DE 2005

NORMA DE EXECUÇÃO/SA/INCRA/Nº 42, DE 25 DE JANEIRO DE 2005 NORMA DE EXECUÇÃO/SA/INCRA/Nº 42, DE 25 DE JANEIRO DE 2005 Dispõe sobre os prazos e procedimentos para apresentação do processo de Contas Anual das Superintendências Regionais e suas unidades jurisdicionadas.

Leia mais

Ministério de Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2012

Ministério de Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2012 Programa 2115 - Programa de Gestão e Manutenção do Ministério da Saúde 0110 - Contribuição à Previdência Privada Tipo: Operações Especiais Número de Ações 78 Assegurar às autarquias, fundações, empresas

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA. Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional PORTARIA PGFN Nº 79, DE 03 FEVEREIRO DE 2014

MINISTÉRIO DA FAZENDA. Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional PORTARIA PGFN Nº 79, DE 03 FEVEREIRO DE 2014 MINISTÉRIO DA FAZENDA PUBLICADO NO DOU DE 06/02 SEÇÃO 1, PÁG. 53 Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional PORTARIA PGFN Nº 79, DE 03 FEVEREIRO DE 2014 Disciplina o parcelamento do valor correspondente à

Leia mais

Art. 1º Aprovar Norma de Execução, na forma do Anexo a esta Portaria. ANEXO UNIDADE RESPONSÁVEL 31/12/2013 PROCESSO

Art. 1º Aprovar Norma de Execução, na forma do Anexo a esta Portaria. ANEXO UNIDADE RESPONSÁVEL 31/12/2013 PROCESSO PORTARIA Nº 2, DE 22 DE NOVEMBRO DE 2013 O AUDITOR-CHEFE DA AUDITORIA INTERNA DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO, no uso de suas atribuições, e tendo em vista a competência que lhe foi atribuída pelo inciso

Leia mais

Programa de Estudantes-Convênio de Pós-Graduação (PEC-PG)

Programa de Estudantes-Convênio de Pós-Graduação (PEC-PG) Programa de Estudantes-Convênio de Pós-Graduação (PEC-PG) O Ministério das Relações Exteriores, neste ato representado pelo Departamento Cultural, doravante denominado DC, a Coordenação de Aperfeiçoamento

Leia mais

A MODERNIZAÇÃO DO DEPARTAMENTO DE ESTRANGEIROS DO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA

A MODERNIZAÇÃO DO DEPARTAMENTO DE ESTRANGEIROS DO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Seminário: Mão de Obra Estrangeira no Brasil e Brasileira no Exterior A MODERNIZAÇÃO DO DEPARTAMENTO DE ESTRANGEIROS DO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA 12 de maio de 2011 - Rio de Janeiro/RJ EMIGRAÇÃO Atualmente

Leia mais

MANUAL DO ALUNO 2014

MANUAL DO ALUNO 2014 MANUAL DO ALUNO 2014 APRESENTAÇÃO Caro Acadêmico, Agradecemos por você ter escolhido o IESG para sua formação profissional. No Manual do Aluno você encontrará informações importantes e necessárias para

Leia mais

CURSO EXTENSIVO 2014**

CURSO EXTENSIVO 2014** Temos unidade em São Paulo e Campinas e nossas aulas são presenciais. *Lançamento de nosso curso on-line de exercícios com material exclusivo - última semana do mês de FEV/13. Índice de aprovação de 15

Leia mais

Legalização de Documentos

Legalização de Documentos Legalização de Documentos L A E R T E J. S I L V A LEGALIZAÇÃO DE DOCUMENTOS As informações a seguir apresentam conceitos e orientações básicas quanto às formalidades necessárias para habilitar um documento

Leia mais

RELAÇÕES ENTRE O IFRS E AS FUNDAÇÕES DE APOIO AUTORIZADAS PELO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO (MEC) E PELO MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO (MCTI)

RELAÇÕES ENTRE O IFRS E AS FUNDAÇÕES DE APOIO AUTORIZADAS PELO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO (MEC) E PELO MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO (MCTI) RELAÇÕES ENTRE O IFRS E AS FUNDAÇÕES DE APOIO AUTORIZADAS PELO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO (MEC) E PELO MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO (MCTI) Dispõe sobre as normas que regulamentam as relações

Leia mais

Programa de Estudantes - Convênio de Pós-graduação - PEC-PG - 2006

Programa de Estudantes - Convênio de Pós-graduação - PEC-PG - 2006 Programa de Estudantes - Convênio de Pós-graduação - PEC-PG - 2006 1. Do objeto: O Ministério das Relações Exteriores (MRE), por intermédio do Departamento Cultural (DC), a Coordenação de Aperfeiçoamento

Leia mais

Órgão: COLÉGIO MILITAR DE PORTO ALEGRE. Dados Cadastrais

Órgão: COLÉGIO MILITAR DE PORTO ALEGRE. Dados Cadastrais Órgão: COLÉGIO MILITAR DE PORTO ALEGRE Dados Cadastrais Órgão/Entidade Natureza Jurídica: Administração Direta Endereço: AV. JOSE BONIFACIO 363, BAIRRO BOM FIM Nome: COLÉGIO MILITAR DE PORTO ALEGRE Cidade:

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL GOIANO ASSESSORIA INTERNACIONAL

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL GOIANO ASSESSORIA INTERNACIONAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL GOIANO ASSESSORIA INTERNACIONAL REGULAMENTO GERAL PARA AFASTAMENTO DE SERVIDOR DO INSTITUTO FEDERAL GOIANO PARA

Leia mais

CARTA-CIRCULAR N 2.070. Aos Bancos Múltiplos com Carteira Comercial, Bancos Comerciais e Caixas Econômicas.

CARTA-CIRCULAR N 2.070. Aos Bancos Múltiplos com Carteira Comercial, Bancos Comerciais e Caixas Econômicas. CARTA-CIRCULAR N 2.070 Aos Bancos Múltiplos com Carteira Comercial, Bancos Comerciais e Caixas Econômicas. Divulga relação das missões diplomáticas, repartições consulares de carreira e representações

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos 1 de 9 17/10/2013 13:46 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 7.165, DE 29 DE ABRIL DE 2010. Regulamenta o inciso I do art. 48 da Lei n o 6.450, de 14 de outubro

Leia mais

RESOLUÇÃO CONJUNTA CGM/SMAS/SMA Nº 019 DE 29 ABRIL DE 2005

RESOLUÇÃO CONJUNTA CGM/SMAS/SMA Nº 019 DE 29 ABRIL DE 2005 RESOLUÇÃO CONJUNTA CGM/SMAS/SMA Nº 019 DE 29 ABRIL DE 2005 Dispõe sobre os procedimentos para cadastramento de Fundações Privadas ou Associações pela Comissão de Cadastramento de ONGs e Associações, de

Leia mais

SEMINÁRIO NACIONAL SICONV: DA CAPTAÇÃO DE RECURSOS DA UNIÃO À PRESTAÇÃO DE CONTAS

SEMINÁRIO NACIONAL SICONV: DA CAPTAÇÃO DE RECURSOS DA UNIÃO À PRESTAÇÃO DE CONTAS SEMINÁRIO NACIONAL SICONV: DA CAPTAÇÃO DE RECURSOS DA UNIÃO À PRESTAÇÃO DE CONTAS TERESINA - PI, 7 E 8 DE OUTUBRO DE 2013 APRESENTAÇÃO Os Estados, Municípios e as Organizações não governamentais ao encaminharem

Leia mais

Detalhamento da Implementação Concessão de Empréstimos, ressarcimento dos valores com juros e correção monetária. Localizador (es) 0001 - Nacional

Detalhamento da Implementação Concessão de Empréstimos, ressarcimento dos valores com juros e correção monetária. Localizador (es) 0001 - Nacional Programa 2115 - Programa de Gestão e Manutenção do Ministério da Saúde 0110 - Contribuição à Previdência Privada Tipo: Operações Especiais Número de Ações 51 Pagamento da participação da patrocinadora

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA N.º 13/CUn, de 27 setembro de 2011.

RESOLUÇÃO NORMATIVA N.º 13/CUn, de 27 setembro de 2011. RESOLUÇÃO NORMATIVA N.º 13/CUn, de 27 setembro de 2011. Dispõe sobre as normas que regulamentam as relações entre a Universidade Federal de Santa Catarina e as suas fundações de apoio. O PRESIDENTE DO

Leia mais

PROGRAMA PARA CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO GRADUAÇÃO - FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE VARGINHA REGULAMENTO

PROGRAMA PARA CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO GRADUAÇÃO - FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE VARGINHA REGULAMENTO PROGRAMA PARA CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO GRADUAÇÃO - FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE VARGINHA REGULAMENTO 1. DAS INFORMAÇÕES GERAIS: 1.1 O presente regulamento, baseado na Resolução nº 1/2006, disciplina o

Leia mais

PLANO DE TRABALHO (Art. 2º, Decreto nº 2.271/97)

PLANO DE TRABALHO (Art. 2º, Decreto nº 2.271/97) MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE ICMBio UNIDADE AVANÇADA DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS PLANO DE TRABALHO (Art. 2º, Decreto nº 2.271/97) LICITAÇÃO/MODALIDADE

Leia mais

RESOLUÇÃO N 177, DE 10 DE AGOSTO DE 2000 DOU 24/08/2000 SEÇÃO I

RESOLUÇÃO N 177, DE 10 DE AGOSTO DE 2000 DOU 24/08/2000 SEÇÃO I RESOLUÇÃO N 177, DE 10 DE AGOSTO DE 2000 DOU 24/08/2000 SEÇÃO I Alterada pela Resolução CNAS nº 3, de 13 de fevereiro de 2001 Regras e critérios para a concessão ou renovação do Certificado de Entidade

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 5.979 DE 6 DE DEZEMBRO DE 2006. Aprova a Estrutura Regimental e o Quadro Demonstrativo dos Cargos em Comissão e das Funções

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2006 PROCESSO Nº : 04972.000579/2007-59 UNIDADE AUDITADA

Leia mais

LEI Nº 2.278/07, DE 24 DE AGOSTO DE 2007.

LEI Nº 2.278/07, DE 24 DE AGOSTO DE 2007. LEI Nº 2.278/07, DE 24 DE AGOSTO DE 2007. Dispõe sobre a criação do Instituto Escola de Governo e Gestão Pública de Ananindeua, e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE ANANINDEUA estatui, e eu

Leia mais

DECRETO LEI 509 DECRETO-LEI Nº 509, DE 20 DE MARÇO DE 1969.

DECRETO LEI 509 DECRETO-LEI Nº 509, DE 20 DE MARÇO DE 1969. DECRETO LEI 509 DECRETO-LEI Nº 509, DE 20 DE MARÇO DE 1969. Dispõe sobre a transformação do Departamento dos Correios e Telégrafos em empresa pública, e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA,

Leia mais

INSS Diretoria de Benefícios

INSS Diretoria de Benefícios IV CONFERÊNCIA BRASILEIROS NO MUNDO INSS Diretoria de Benefícios Praia do Forte, 20 de novembro de 2013 ACORDOS INTERNACIONAIS Globalização Principais objetivos ou finalidades dos Acordos Internacionais

Leia mais

Assessoria de Comunicação Social

Assessoria de Comunicação Social Salvador, Bahia Terça-feira 4 de Fevereiro de 2014 Ano XCVIII N o 21.349 Departamento Estadual de Trânsito DETRAN Extrato de Portarias de 03 de fevereiro de 2014 Diretoria-Geral Licença Prêmio Deferida

Leia mais

DEFESA E SEGURANÇA EM TODAS AS FRENTES: Marinha, Exército, Aeronáutica, Segurança Pública e Segurança Corporativa

DEFESA E SEGURANÇA EM TODAS AS FRENTES: Marinha, Exército, Aeronáutica, Segurança Pública e Segurança Corporativa DEFESA E SEGURANÇA EM TODAS AS FRENTES: Marinha, Exército, Aeronáutica, Segurança Pública e Segurança Corporativa RECONHECIMENTO GLOBAL: Mais de 42 países expositores em 2013 AUDIÊNCIA QUALIFICADA: 34.600

Leia mais

MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO SUBSECRETARIA DE AUDITORIA

MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO SUBSECRETARIA DE AUDITORIA MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO SUBSECRETARIA DE AUDITORIA PROCESSO :05.g UNIDADE GESTORA : Consulado-Geral do Brasil em Buenos Aires OBJETIVO DA AUDITORIA : Tomada de

Leia mais

MINUTA DE MACROPROCESSOS FINALÍSTICOS

MINUTA DE MACROPROCESSOS FINALÍSTICOS FL. 114 166 MINUTA DE MACROPROCESSOS FINALÍSTICOS MACROPROCESSO PROCESSO SUBPROCESSO Atermação- 1º grau Distribuição 1º e 2º graus Triagem Inicial 1º e 2º graus Providências Preliminares Redistribuição

Leia mais

Autor : Chefe do Executivo.

Autor : Chefe do Executivo. 1 LEI COMPLEMENTAR Nº 1551/2002 + Lei Complementar nº 1.602/2002 + Lei Complementar N 1.797/2006. Dispõe sobre incentivos para o desenvolvimento das atividades econômicas no Município de Louveira e dá

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO SECRETARIA DO DESENVOLVIMENTO, TRABALHO E SOLIDARIEDADE

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO SECRETARIA DO DESENVOLVIMENTO, TRABALHO E SOLIDARIEDADE LEI nº, de de (Projeto de Lei nº 00/04, do Executivo) Institui o Programa Oportunidade Solidária, estabelece princípios fundamentais e objetivos da Política de Fomento à Economia Popular Solidária do Município

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2008 PROCESSO Nº

Leia mais

Controle Interno do Tribunal de Contas da União

Controle Interno do Tribunal de Contas da União Controle Interno do Tribunal de Contas da União Resumo: o presente artigo trata de estudo do controle interno no Tribunal de Contas da União, de maneira expositiva. Tem por objetivo contribuir para o Seminário

Leia mais

Relatório Controle Interno 2º. Quadrimestre 2015

Relatório Controle Interno 2º. Quadrimestre 2015 Relatório Controle Interno 2º. Quadrimestre 2015 1. APRESENTAÇÃO Nos termos do artigo 74 da Constituição Federal, artigo 59 da Lei Complementar nº. 59, artigos 63 a 66 da Lei Complementar nº. 33, de 28

Leia mais

Associação Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada IMPA-OS

Associação Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada IMPA-OS Associação Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada IMPA-OS Demonstrações Financeiras em 31 de dezembro de 2003 e Parecer dos Auditores Independentes Parecer dos Auditores Independentes 29 de janeiro

Leia mais

ACORDO ENTRE O INSTITUTO INTERAMERICANO PARA PESQUISA EM MUDANÇAS GLOBAIS E O GOVERNO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL ACERCA DA SEDE DO IAI

ACORDO ENTRE O INSTITUTO INTERAMERICANO PARA PESQUISA EM MUDANÇAS GLOBAIS E O GOVERNO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL ACERCA DA SEDE DO IAI IAI/LD.2/1995 INSTITUTO INTERAMERICANO PARA PESQUISA EM MUDANÇAS GLOBAIS ACORDO ENTRE O INSTITUTO INTERAMERICANO PARA PESQUISA EM MUDANÇAS GLOBAIS E O GOVERNO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL ACERCA DA

Leia mais

CAPÍTULO I DA CARREIRA Seção I Disposições iniciais. Seção II Do quadro

CAPÍTULO I DA CARREIRA Seção I Disposições iniciais. Seção II Do quadro LEI COMPLEMENTAR Nº 442, de 13 de maio de 2009 Procedência Governamental Natureza PLC/0006.2/2009 DO. 18.604 de 14/05/2009 *Alterada pela LC 534/11 *Ver Lei LC 534/11 (art. 72) *Regulamentada pelo Dec.

Leia mais