Tudo começou com a falta de padrão nas ferramentas para Agricultura de Precisão

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Tudo começou com a falta de padrão nas ferramentas para Agricultura de Precisão"

Transcrição

1 ISOBUS ISO Congresso Brasileiro de Agricultura de Precisão ConBAP 2010 Ribeirão Preto, SP 28 de setembro de 2010 Painel 3 - Novas tecnologias a serviço da AP: produtos ISOBUS e telemetria Ricardo Inamasu Embrapa Instrumentação

2 Tudo começou com a falta de padrão nas ferramentas para Agricultura de Precisão Arquivos de mapas (dados) com formatos incompatíveis; Profusão de interfaces e mostradores dedicadas e proprietárias na cabine; Profusão de fios e conectores; Rápida obsolescência de equipamentos eletrônicos; Difícil ou alto custo da manutenção com necessidade de técnicos com domínio da eletrônica e da informática, além da mecânica; Manuais com informações complexas para leigos ; Duplicação de equipamentos como sensor de velocidade e receptores GPS; Alto custo em material em estoque. Apresentado por Hans Jürgen Nissen, em Workshop ISOBUS Brasil em 2007

3 Início do ISOBUS no Brasil

4 Grupo para padronização da eletrônica embarcada em tratores e implementos Componentes da Força Tarefa ISOBUS

5 ISOBUS nova organização Brasil EUA Europa AEM VDMA Administrador de Normatização FTI Brasil NAIITF IGI Pormotor e implementador de norma ABNT Abimaq ANSI ANSI Gerador de Norma (nível nacional) ISO TC23 SC19 WG1 Gerador de Normas

6 ISO e partes Parte 1: Norma geral para comunicação de dados móvel Parte 2: Camada física Parte 3: Camada de enlace de dados Parte 4: Camada de rede Parte 5: Gerenciamento de rede Parte 6: Terminal virtual Parte 7: Camada de aplicação Mensagens do Implemento Parte 8: Definição de mensagens do veículo (Power Train) Parte 9: ECU do trator Parte 10: Controlador de tarefas e intercâmbio de dados do sistema de informações de gerenciamento Parte 11: Dicionário de elementos de dados móveis Parte 12: Serviços de diagnóstico Parte 13: Servidor de arquivos Parte 14: Controle de sequência

7 ISO ISOBUS Parte 1 Parte 2 Parte 3 Parte 4 ECU Motor ECU Freio Terminal Virtual GPS ECU NIU do Trator ECU Transmissão Controlador de Tarefa ECU de Implemento Sensores ECU de Implemento Controlador ECU de Implemento Atuadores Parte 5 Parte 6 Parte 7 Parte 8 Parte 9 Parte 10 Parte 11 Parte 12 Parte 13 Slide adaptada de Rafael V. de Sousa Workshop ISOBUS 2007

8 ISO e partes Parte 1: Norma geral para comunicação de dados móvel Parte 2: Camada física* Parte 3: Camada de enlace de dados** Parte 4: Camada de rede* Parte 5: Gerenciamento de rede Parte 6: Terminal virtual Parte 7: Camada de aplicação Mensagens do Implemento*** Parte 8: Definição de mensagens do veículo (Power Train)** Parte 9: ECU do trator* Parte 10: Controlador de tarefas e intercâmbio de dados do sistema de informações de gerenciamento Parte 11: Dicionário de elementos de dados móveis Parte 12: Serviços de diagnóstico Parte 13: Servidor de arquivos Parte 14: Controle de sequência * NBR ISO; ** formatando para consulta; *** em estudo

9 ISOBUS - Agrishow 2010

10 ISOBUS - Agrishow 2010

11 Produto ISOBUS compatível no Brasil Tratores Massey Ferguson MF84XX & MF64XX Terminal GTA Console 1 MF8690 & Valtra Série S & Challenger MT700/800 Terminal C1000 Colhedoras Axias Massey Ferguson M9690 / MF Valtra BC6500 / BC7500 Terminal C2000

12 Produto ISOBUS compatível no Brasil Monitor GS Monitor GS Plantadeiras DB (SeedStar controller) Tratores 7J e 7X15 Tratores 8R e 8000

13 Medalha de ouro na Agritechnica 2010 CCI-ISOBUS Amazonen-Werke H. Dreyer GmbH & Co. KG Grimme GmbH & Co. KG Maschinenfabrik Bernard Krone GmbH Kuhn AS LEMKEN GmbH & Co. KG Rauch Landmaschinenfabrik GmbH

14 ISOBUS ISO Congresso Brasileiro de Agricultura de Precisão ConBAP 2010 Ribeirão Preto, SP 28 de setembro de 2010 Painel 3 - Novas tecnologias a serviço da AP: produtos ISOBUS e telemetria Ricardo Inamasu Embrapa Instrumentação

15 Sensor de refletância

16 ISO ISOBUS GPS Sensor Sensor Sensor NDVI NDVI NDVI ECU Motor ECU Freio Terminal Virtual ECU NIU do Trator ECU Transmissão Controlador de Tarefa Algoritimo controle de aplicação ECU de Implemento Sensores ECU de Implemento Controlador ECU de Implemento Atuadores Slide adaptada de Rafael V. de Sousa Workshop ISOBUS 2007

17 ISOBUS ISO Congresso Brasileiro de Agricultura de Precisão ConBAP 2010 Ribeirão Preto, SP 28 de setembro de 2010 Painel 3 - Novas tecnologias a serviço da AP: produtos ISOBUS e telemetria Ricardo Inamasu Embrapa Instrumentação

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE TRATORES

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE TRATORES INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE TRATORES LER 332 - Mecânica e Máquinas Motoras Departamento de Engenharia de Biossistemas José P. Molin ESALQ/USP jpmolin@usp.br www.agriculturadeprecisao.org.br Objetivos específicos

Leia mais

TEL +1.414.298.4158 Fax +1.414.272.1170 E-Mail america@aef-online.org

TEL +1.414.298.4158 Fax +1.414.272.1170 E-Mail america@aef-online.org Contato para Europa: Harald Frankda VDMA (Federação Alemã de Engenharia) PO Box 71 08 64 60498 Frankfurt/Main Alemanha TEL +49.(0)69.6603 0 Fax +49.(0)69.6603 1511 E-Mail europe@aef-online.org Web www.aef-online.org

Leia mais

LOOZ ap o.. qw;:nas ap OZ ~sajl~ldwaxa OSE N::>\f - I:!f..,n.>ado..lSv ~:t~i~wjo.luf.e"dejqw3;o~jnpo.. d a O~SI:!',J:>

LOOZ ap o.. qw;:nas ap OZ ~sajl~ldwaxa OSE N::>\f - I:!f..,n.>ado..lSv ~:t~i~wjo.luf.edejqw3;o~jnpo.. d a O~SI:!',J:> LOOZ ap o.. qw;:nas ap OZ ~sajl~ldwaxa OSE N::>\f - I:!f..,n.>ado..lSv ~:t~i~wjo.luf.e"dejqw3;o~jnpo.. d a O~SI:!',J:> i. 'i REVISÃO DO PADRÃo ISOBUS PARA COMUNICAÇÃO DO IMPLEMENTO AGRÍCOLA COM TERMINAL

Leia mais

Congresso Brasileiro de Agricultura de Precisão- ConBAP 2014 São Pedro - SP, 14 a 17 de setembro de 2014

Congresso Brasileiro de Agricultura de Precisão- ConBAP 2014 São Pedro - SP, 14 a 17 de setembro de 2014 Congresso Brasileiro de Agricultura de Precisão- ConBAP 2014 São Pedro - SP, 14 a 17 de setembro de 2014 ANÁLISE DE COMPATIBILIDADE EM APLICAÇÃO À TAXA VARIÁVEL BASEADA NO PADRÃO ISO 11783 RODRIGO M. R.

Leia mais

Atualização do Software GreenStar 2015-1

Atualização do Software GreenStar 2015-1 Observações Importantes: É recomendável fazer o backup dos dados do Monitor GreenStar 2 1800 e do Monitor GreenStar 3 2630 antes de instalar a Atualização de Software 15-1, como precaução para proteger

Leia mais

Automação em tratores

Automação em tratores Automação em tratores José P. Molin ESALQ/USP jpmolin@usp.br www.agriculturadeprecisao.org.br Objetivo Abordar as recentes evoluções que envolvem a automação de controles e de processos na operação de

Leia mais

Atualização do Software GreenStar 2015-1

Atualização do Software GreenStar 2015-1 Observações Importantes: É recomendável fazer o backup dos dados do Monitor GreenStar 2 1800 e do Monitor GreenStar 3 2630 antes de instalar a Atualização de Software 15-1, como precaução para proteger

Leia mais

CommandCenter Geração 4 SO Geração 4 10.0.49-65 Observações Sobre a Versão da Atualização de Software 2015-2

CommandCenter Geração 4 SO Geração 4 10.0.49-65 Observações Sobre a Versão da Atualização de Software 2015-2 Observações Importantes As ativações de software são intransferíveis nos casos de perda, roubo ou destruição do equipamento. Recomenda-se fazer seguro das máquinas com um CommandCenter Geração 4 no valor

Leia mais

Capítulo. Automação de máquinas e implementos agrícolas: eletrônica embarcada, robótica e sistema de gestão de informação.

Capítulo. Automação de máquinas e implementos agrícolas: eletrônica embarcada, robótica e sistema de gestão de informação. Capítulo 215 Automação de máquinas e implementos agrícolas: eletrônica embarcada, robótica e sistema de gestão de informação 11 Rafael Vieira de Sousa Wellington Carlos Lopes Ricardo Yassushi Inamasu 1

Leia mais

Rafael Vieira de Sousa 1

Rafael Vieira de Sousa 1 Automação de Processos Agrícolas Rafael Vieira de Sousa 1 UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE ENGENHARIA DE SÃO CARLOS Departamento de Engenharia Mecânica Núcleo de Ensino e Pesquisa em Automação e Simulação

Leia mais

MANUAL DE TESTES - SDC 701

MANUAL DE TESTES - SDC 701 DG FLEX SENSOR DE TEMPERATURA DA ÁGUA - RESISTÊNCIA Verificar no conector da ECU, desconectado. Ligar a ponta de prova vermelha (+) do multímetro ao terminal 73-B da ECU. Ligar a ponta de prova preta (-)

Leia mais

ISSN 1518-7179 Novembro, 2007. Redes Embarcadas em Máquinas e Implementos Agrícolas: o Protocolo CAN (Controller Area Network) e a ISO11783 (ISOBUS)

ISSN 1518-7179 Novembro, 2007. Redes Embarcadas em Máquinas e Implementos Agrícolas: o Protocolo CAN (Controller Area Network) e a ISO11783 (ISOBUS) ISSN 1518-7179 Novembro, 2007 27 Redes Embarcadas em Máquinas e Implementos Agrícolas: o Protocolo CAN (Controller Area Network) e a ISO11783 (ISOBUS) ISSN 1518-7179 Novembro, 2007 Empresa Brasileira de

Leia mais

Antonio Mauro Saraiva 1 Carlos Eduardo Cugnasca 2

Antonio Mauro Saraiva 1 Carlos Eduardo Cugnasca 2 REDES DE COMUNICAÇÃO SERIAL EM MÁQUINAS AGRÍCOLAS: UMA REVISÃO Antonio Mauro Saraiva 1 Carlos Eduardo Cugnasca 2 RESUMO Nas últimas décadas houve o desenvolvimento de um grande número de equipamentos eletrônicos

Leia mais

A NORMA ISO11783 COMO PADRÃO INTERNACIONAL E A SUA UTILIZAÇÃO NA AGRICULTURA

A NORMA ISO11783 COMO PADRÃO INTERNACIONAL E A SUA UTILIZAÇÃO NA AGRICULTURA A NORMA ISO11783 COMO PADRÃO INTERNACIONAL E A SUA UTILIZAÇÃO NA AGRICULTURA ALEXANDRE DE A. GUIMARÃES 1 ANTÔNIO M. SARAIVA 2 RESUMO Considerando-se os impactos relacionados ao aumento da eletrônica embarcada

Leia mais

Movimentar. Segurar. Comutar. Regular.

Movimentar. Segurar. Comutar. Regular. Como nos alcançar: Magnetbau Schramme GmbH & Co. KG Zur Ziegelhütte 1 D- 88693 Deggenhausertal Tel 49 (0) 7555/9286-0 Fax 49 (0) 7555/9286-30 www.magnetbau-schramme.de info@magnetbau-schramme.de Movimentar.

Leia mais

GESTÃO REMOTA DE VEÍCULOS, ATIVIDADES E OPERAÇÕES AGRÍCOLAS

GESTÃO REMOTA DE VEÍCULOS, ATIVIDADES E OPERAÇÕES AGRÍCOLAS AGRICULTURA GESTÃO REMOTA DE VEÍCULOS, ATIVIDADES E OPERAÇÕES AGRÍCOLAS Eng. Agr. Franz Arthur Pavlu Ribeirão Preto Setembro/2010 Introdução O principal foco de todas as nossas iniciativas é em como tornar

Leia mais

Ferramentas de AP Arvus Tecnologia. Gerente nacional de vendas Luiz Ghilherme Bridi Luiz.bridi@arvus.com.br (48) 8817-4115

Ferramentas de AP Arvus Tecnologia. Gerente nacional de vendas Luiz Ghilherme Bridi Luiz.bridi@arvus.com.br (48) 8817-4115 Ferramentas de AP Arvus Tecnologia Gerente nacional de vendas Luiz Ghilherme Bridi Luiz.bridi@arvus.com.br (48) 8817-4115 Arvus Tecnologia Estrutura e Equipe Unidade Administrativa (SC) Unidade Industrial

Leia mais

TECNOLOGIAS DE RASTREAMENTO DE VEÍCULOS. PTR5923 Prof. Flávio Vaz flaviovaz@usp.br

TECNOLOGIAS DE RASTREAMENTO DE VEÍCULOS. PTR5923 Prof. Flávio Vaz flaviovaz@usp.br TECNOLOGIAS DE RASTREAMENTO DE VEÍCULOS PTR5923 Prof. Flávio Vaz flaviovaz@usp.br 09/11/15 PTR5923 - Tecnologias de Rastreamento de Veículos 2 Componentes do Sistema Sistemas Posicionamento Comunicação

Leia mais

Monitoramento. Intuitivo, Configurável, Robusto. WEB Outros sistemas: GIS, ERPs... PORTAL SWS. Combustível. Apontamentos

Monitoramento. Intuitivo, Configurável, Robusto. WEB Outros sistemas: GIS, ERPs... PORTAL SWS. Combustível. Apontamentos Monitoramento PORTAL SWS Intuitivo, Configurável, Robusto WEB Outros sistemas: GIS, ERPs... RPM Combustível Paradas Transmissão Apontamentos MONITORE TODAS AS OPERAÇÕES Controle do Operador Identificação

Leia mais

SISTEMA DE RASTREIO ÓPTICO

SISTEMA DE RASTREIO ÓPTICO SISTEMA DE RASTREIO ÓPTICO 1 SISTEMA DE RASTREIO ÓPTICO VISÃO GERAL O Sistema de Rastreio Óptico, ou simplesmente SISROT, foi desenvolvido com o objetivo de rastrear foguetes nos primeiros instantes de

Leia mais

Sistemas embarcados. Paulo Urbano paulo.urbano@cesar.org.br

Sistemas embarcados. Paulo Urbano paulo.urbano@cesar.org.br Sistemas embarcados Paulo Urbano paulo.urbano@cesar.org.br Sobre o palestrante... Ciência da Computação, Departamento de Informática, UFPE, 1998 Mestrado em Tecnologia da Informação, Universität Stuttgart,

Leia mais

O que é uma rede industrial? Redes Industriais: Princípios de Funcionamento. Padrões. Padrões. Meios físicos de transmissão

O que é uma rede industrial? Redes Industriais: Princípios de Funcionamento. Padrões. Padrões. Meios físicos de transmissão O que é uma rede industrial? Redes Industriais: Princípios de Funcionamento Romeu Reginato Julho de 2007 Rede. Estrutura de comunicação digital que permite a troca de informações entre diferentes componentes/equipamentos

Leia mais

Arquiteturas de Redes Prof. Ricardo J. Pinheiro

Arquiteturas de Redes Prof. Ricardo J. Pinheiro Fundamentos de Redes de Computadores Arquiteturas de Redes Prof. Ricardo J. Pinheiro Resumo Arquiteturas de Redes Organizações de padronização Modelos de referência Modelo OSI Arquitetura IEEE 802 Arquitetura

Leia mais

Aplicações e Serviços Baseados em Localização

Aplicações e Serviços Baseados em Localização Aplicações e Serviços Baseados em Localização Introdução à Computação Móvel Adolfo Correia Sumário Introdução Taxonomia de Aplicações Arquitetura Técnicas de Localização Conclusão Introdução Integram a

Leia mais

Automação em tratores

Automação em tratores Automação em tratores José P. Molin ESALQ/USP jpmolin@usp.br www.agriculturadeprecisao.org.br Objetivo Abordar as recentes evoluções que envolvem a automação de controles e de processos na operação de

Leia mais

Monitores CommandCenter Geração 4

Monitores CommandCenter Geração 4 Observações Importantes: Ao instalar essa versão do software SO 8.11.2456-13 Geração 4, a atualização pode levar até 25 minutos para atingir o mesmo nível porcentual (cerca de 82%) na etapa Instalação

Leia mais

Generation 4 CommandCenter Generation 4 OS 10.2.2-56 Notas Versão da Atualização de Software 2016-1

Generation 4 CommandCenter Generation 4 OS 10.2.2-56 Notas Versão da Atualização de Software 2016-1 Observações Importantes 1. As ativações de software são intransferíveis, mesmo nos casos de perda, roubo ou destruição do equipamento. Recomenda-se fazer seguro das máquinas com um Gen 4 CommandCenter

Leia mais

V O C Ê N O C O N T R O L E.

V O C Ê N O C O N T R O L E. VOCÊ NO CONTROLE. VOCÊ NO CONTROLE. O que é o Frota Fácil? A Iveco sempre coloca o desejo de seus clientes à frente quando oferece ao mercado novas soluções em transportes. Pensando nisso, foi desenvolvido

Leia mais

RASTREAMENTO VEICULAR SEGURANÇA & LOGÍSTICA. Funcionalidade Gerenciamento Equipamentos Comunicação Benefícios

RASTREAMENTO VEICULAR SEGURANÇA & LOGÍSTICA. Funcionalidade Gerenciamento Equipamentos Comunicação Benefícios RASTREAMENTO VEICULAR SEGURANÇA & LOGÍSTICA Funcionalidade Gerenciamento Equipamentos Comunicação Benefícios Soluções ICS A ICS desenvolve soluções que utilizam hardware com tecnologia de ponta. Os softwares

Leia mais

Adoção da Agricultura de Precisão no Brasil. Alberto C. de Campos Bernardi e Ricardo Y. Inamasu EMBRAPA 1

Adoção da Agricultura de Precisão no Brasil. Alberto C. de Campos Bernardi e Ricardo Y. Inamasu EMBRAPA 1 Adoção da Agricultura de Precisão no Brasil Alberto C. de Campos Bernardi e Ricardo Y. Inamasu EMBRAPA 1 Agricultura de Precisão A agricultura de precisão se deu inicio na década de 90 com o uso de monitores

Leia mais

MONITORAMENTO WIRELESS EM TEMPERATURA, UMIDADE, PRESSÃO & GPS

MONITORAMENTO WIRELESS EM TEMPERATURA, UMIDADE, PRESSÃO & GPS 1 AR AUTOMAÇÃO EMPRESA & SOLUÇÕES A AR Automação é uma empresa especializada no desenvolvimento de sistemas wireless (sem fios) que atualmente, negocia comercialmente seus produtos e sistemas para diferentes

Leia mais

Visão Geral do Protocolo CANBus

Visão Geral do Protocolo CANBus Visão Geral do Protocolo CANBus História CAN Controller Area Network. Desenvolvido, pela BOSCH, na década de 80 para a interligação dos sistemas de controle eletrônicos nos automóveis. 1. CAN, que foi

Leia mais

O que é ISOBUS? Protocolo internacional de comunicação Permite comunicação entre equipamentos de diferentes marcas

O que é ISOBUS? Protocolo internacional de comunicação Permite comunicação entre equipamentos de diferentes marcas ISOBUS O que é ISOBUS? ISO 11783 Protocolo internacional de comunicação Permite comunicação entre equipamentos de diferentes marcas Similar a rede CANBus ISO (International Standardization Organization)

Leia mais

ENGG55 REDES INDUSTRIAIS Modelo de referência OSI

ENGG55 REDES INDUSTRIAIS Modelo de referência OSI ENGG55 REDES INDUSTRIAIS Modelo de referência OSI Material elaborado pelo Prof. Bernardo Ordoñez Adaptado por: Eduardo Simas (eduardo.simas@uia.br) DEE Departamento de Engenharia Elétrica Escola Politécnica

Leia mais

INTERNET = ARQUITETURA TCP/IP

INTERNET = ARQUITETURA TCP/IP Arquitetura TCP/IP Arquitetura TCP/IP INTERNET = ARQUITETURA TCP/IP gatewa y internet internet REDE REDE REDE REDE Arquitetura TCP/IP (Resumo) É útil conhecer os dois modelos de rede TCP/IP e OSI. Cada

Leia mais

SISTEMAS DISTRIBUÍDOS

SISTEMAS DISTRIBUÍDOS SISTEMAS DISTRIBUÍDOS Cluster, Grid e computação em nuvem Slide 8 Nielsen C. Damasceno Introdução Inicialmente, os ambientes distribuídos eram formados através de um cluster. Com o avanço das tecnologias

Leia mais

S 293 - S 353. Série - S. VALTRA série - s S 293 - S 353. Tecnologia, robustez e economia formam A Série S

S 293 - S 353. Série - S. VALTRA série - s S 293 - S 353. Tecnologia, robustez e economia formam A Série S SéRIE S S 293 S 353 2 Série - S S 293 - S 353 Tecnologia, robustez e economia formam A Série S Conhecida pela tecnologia e força de suas máquinas, a Valtra foi buscar na Finlândia um novo conceito para

Leia mais

Apresentação...3. Vantagens...3. Instalação...4. Informações Técnicas...5. Especificações Técnicas...8

Apresentação...3. Vantagens...3. Instalação...4. Informações Técnicas...5. Especificações Técnicas...8 1 ÍNDICE Apresentação...3 Vantagens...3 Instalação...4 Informações Técnicas...5 Especificações Técnicas......8 2 APRESENTAÇÃO: O SS100 é um rastreador desenvolvido com os mais rígidos padrões de qualidade

Leia mais

1- Informações importantes. 2- Funcionamento básico. 3- Suporte

1- Informações importantes. 2- Funcionamento básico. 3- Suporte TeleCarWay Sumário 1- Informações importantes 2 2- Funcionamento básico 2 3- Suporte 2 4- Utilização do veículo 3 5- Garantia 3 6- Características Técnicas 4 7- Desenho do esquema elétrico 4 8- Check-List

Leia mais

Arquitetura das Unidades de Controle Eletrônico

Arquitetura das Unidades de Controle Eletrônico Arquitetura das Unidades de Controle Eletrônico Antes que a unidade eletrônica de controle (Electronic Control Unit ECU) atue de forma precisa no motor, a ECU deve estimar com a maior de precisão possível

Leia mais

Graduação Tecnológica em Redes de Computadores. Infraestrutura de Redes de Computadores

Graduação Tecnológica em Redes de Computadores. Infraestrutura de Redes de Computadores Graduação Tecnológica em Redes de Computadores Infraestrutura de Redes de Computadores Euber Chaia Cotta e Silva euberchaia@yahoo.com.br Graduação Tecnológica em Redes de Computadores Introdução ao cabeamento

Leia mais

O barco movido a eletricidade mais potente do mundo - inspirado pela Mercedes-AMG

O barco movido a eletricidade mais potente do mundo - inspirado pela Mercedes-AMG Transferência de tecnologia da Mercedes-AMG para a Cigarette Racing Informação à Imprensa O barco movido a eletricidade mais potente do mundo - inspirado pela Mercedes-AMG Data: 19 de fevereiro de 2013

Leia mais

Agentes - Definição. Inteligência Artificial. Agentes Inteligentes

Agentes - Definição. Inteligência Artificial. Agentes Inteligentes Inteligência Artificial s Inteligentes s - Definição : entidade capaz de perceber e agir em um ambiente, comunicar-se com outros agentes, motivada por um conjunto de inclinações, que pode dispor de representação

Leia mais

Arquiteturas de Rede. Prof. Leonardo Barreto Campos

Arquiteturas de Rede. Prof. Leonardo Barreto Campos Arquiteturas de Rede 1 Sumário Introdução; Modelo de Referência OSI; Modelo de Referência TCP/IP; Bibliografia. 2/30 Introdução Já percebemos que as Redes de Computadores são bastante complexas. Elas possuem

Leia mais

AULA 01 INTRODUÇÃO. Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação

AULA 01 INTRODUÇÃO. Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação AULA 01 INTRODUÇÃO Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação CONCEITO Dois ou mais computadores conectados entre si permitindo troca de informações, compartilhamento de

Leia mais

COMITÊ DE MANUTENÇÃO Renovação e expansão da frota de trens da CPTM Tecnologia embarcada e conforto aos usuários em mais 65 Trens (520 carros)

COMITÊ DE MANUTENÇÃO Renovação e expansão da frota de trens da CPTM Tecnologia embarcada e conforto aos usuários em mais 65 Trens (520 carros) COMITÊ DE MANUTENÇÃO Renovação e expansão da frota de trens da CPTM Tecnologia embarcada e conforto aos usuários em mais 65 Trens (520 carros) HENRY MUNHOZ Gerente de Engenharia de Manutenção da CPTM DADOS

Leia mais

Localização e Inteligência Móvel. Com a iguard todos os caminhos levam sua empresa onde ela precisa chegar.

Localização e Inteligência Móvel. Com a iguard todos os caminhos levam sua empresa onde ela precisa chegar. Localização e Inteligência Móvel Com a iguard todos os caminhos levam sua empresa onde ela precisa chegar. 1 2 Localização e Inteligência Móvel Todos os dias sua empresa enfrenta grandes desafios para

Leia mais

Sistemas Eletrônicos

Sistemas Eletrônicos Sistemas Eletrônicos Sistemas eletrônicos Fabricantes têm usado a eletrônica para aumentar a funcionalidade, produtividade e desempenho dos veículos. Enquanto especialistas são empregados para projetar

Leia mais

Part Number Auteq Descrição NCM

Part Number Auteq Descrição NCM Catálogo Componentes para Gestão de Frota Item Part Number Auteq Descrição NCM Kit Computador de Bordo CBA3200 Wi Fi CBA3200W Monitoramento de veículos/máquinas através da interface de software que interpetra

Leia mais

GERENCIAMENTO DE IRRIGAÇÃO VIA WEB

GERENCIAMENTO DE IRRIGAÇÃO VIA WEB FIELDNET GERENCIAMENTO DE IRRIGAÇÃO VIA WEB NOV O! BASEADO NA WEB APLICATIVOS DE CELULAR COMANDO DE BOMBA FIELDNET PRO LND_0019_14_catalogo_fieldnet_215,9x279,4mm.indd 1 Se for remotamente possível, o

Leia mais

NEW HOLLAND IDEA 2014

NEW HOLLAND IDEA 2014 NEW HOLLAND IDEA 2014 Samir de Azevedo Fagundes Marketing PLM Agricultura de Precisão Felipe Sousa Marketing Especialista Agricultura de Precisão IDEA Edições anteriores... 2009 Influência da lastragem

Leia mais

Atualização do Software GreenStar 2015-2 Observações Sobre a Versão

Atualização do Software GreenStar 2015-2 Observações Sobre a Versão Observações Importantes: É recomendável fazer o backup dos dados do Monitor GreenStar 2 1800 e do Monitor GreenStar 3 2630 antes de instalar a Atualização de Software 15-2, como precaução para proteger

Leia mais

Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas

Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas Conhecer os modelo OSI, e TCP/IP de cinco camadas. É importante ter um padrão para a interoperabilidade entre os sistemas para não ficarmos

Leia mais

Unidade 2.1 Modelos de Referência

Unidade 2.1 Modelos de Referência Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Redes de Computadores Disciplina: Redes de Computadores Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 2.1 Modelos de Referência 2 Bibliografia da disciplina

Leia mais

Protocolo. O que é um protocolo? Humano: que horas são? eu tenho uma pergunta

Protocolo. O que é um protocolo? Humano: que horas são? eu tenho uma pergunta Protocolo O que é um protocolo? Humano: que horas são? eu tenho uma pergunta Máquina: Definem os formatos, a ordem das mensagens enviadas e recebidas pelas entidades de rede e as ações a serem tomadas

Leia mais

PARCERIAS: MOTOROLA MICROSOFT EXPERTISE EM MOBILIDADE 20 ANOS DE EXPERIÊNCIA LOGÍSTICA

PARCERIAS: MOTOROLA MICROSOFT EXPERTISE EM MOBILIDADE 20 ANOS DE EXPERIÊNCIA LOGÍSTICA 20 ANOS DE EXPERIÊNCIA EXPERTISE EM MOBILIDADE PARCERIAS: MOTOROLA MICROSOFT EXPERTISE EM LOGÍSTICA AGIL. Um caminho a ser seguido Um produto que o

Leia mais

Unidade 2.1 Modelos de Referência. Bibliografia da disciplina. Modelo OSI. Modelo OSI. Padrões 18/10/2009

Unidade 2.1 Modelos de Referência. Bibliografia da disciplina. Modelo OSI. Modelo OSI. Padrões 18/10/2009 Faculdade INED Unidade 2.1 Modelos de Referência Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores Disciplina: Fundamentos de Redes Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 2 Bibliografia da disciplina Bibliografia

Leia mais

TMS e Roteirizadores. Breno Amorim brenoamorim@hotmail.com

TMS e Roteirizadores. Breno Amorim brenoamorim@hotmail.com TMS e Roteirizadores Breno Amorim brenoamorim@hotmail.com Definição TMS (Transportation Management System) é um produto para melhoria da qualidade e produtividade de todo o processo de distribuição. Este

Leia mais

X 145880_40 2015-06-29

X 145880_40 2015-06-29 Índice Dynafleet... 1 Introdução... 1 Design e função... 1 Gerenciamento do sistema... 3 Conformidade ANATEL... 4 Dynafleet 1 Introdução Dynafleet, generalidades Dynafleet é a solução da Volvo para o gerenciamento

Leia mais

COMPONENTES DE REDES. Fernando Albuquerque (061) 273-3589 fernando@cic.unb.br

COMPONENTES DE REDES. Fernando Albuquerque (061) 273-3589 fernando@cic.unb.br COMPONENTES DE REDES Fernando Albuquerque (061) 273-3589 fernando@cic.unb.br Tópicos Componentes de rede Placas de interface Transceptores Repetidores HUBs Pontes Switches Roteadores Gateways Servidores

Leia mais

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning ERP Enterprise Resources Planning A Era da Informação - TI GRI Information Resource Management -Informação Modo organizado do conhecimento para ser usado na gestão das empresas. - Sistemas de informação

Leia mais

O que são sistemas supervisórios?

O que são sistemas supervisórios? O que são sistemas supervisórios? Ana Paula Gonçalves da Silva, Marcelo Salvador ana-paula@elipse.com.br, marcelo@elipse.com.br RT 025.04 Criado: 10/09/2004 Atualizado: 20/12/2005 Palavras-chave: sistemas

Leia mais

CAPACITAÇÃO EM NOVAS TECNOLOGIAS: Um desafio constante. (A Mecatrônica como exemplo do estado da arte)

CAPACITAÇÃO EM NOVAS TECNOLOGIAS: Um desafio constante. (A Mecatrônica como exemplo do estado da arte) CAPACITAÇÃO EM NOVAS TECNOLOGIAS: Um desafio constante. (A Mecatrônica como exemplo do estado da arte) SESTINFO-2008 São Bernardo do Campo/março/2008 Áreas da Tecnologia que estão definindo nosso Futuro

Leia mais

Prof. Manuel A Rendón M

Prof. Manuel A Rendón M Prof. Manuel A Rendón M Tanenbaum Redes de Computadores Cap. 1 e 2 5ª. Edição Pearson Padronização de sistemas abertos à comunicação Modelo de Referência para Interconexão de Sistemas Abertos RM OSI Uma

Leia mais

Atualização do Software 2014-2

Atualização do Software 2014-2 Observações Importantes: Atualização do Software 2014-2 É recomendável fazer o backup dos dados do Monitor GreenStar 2 1800 e do Monitor GreenStar 3 2630 antes de instalar a Atualização de Software 14-1,

Leia mais

3 Hamanor St. Holon 58861 Israel, P.O.Box 5 AZOR 58008 Tel: +972-3-5599661 Fax: +972-3-5599677 mars@marsant.co.il www.mars-antennas.

3 Hamanor St. Holon 58861 Israel, P.O.Box 5 AZOR 58008 Tel: +972-3-5599661 Fax: +972-3-5599677 mars@marsant.co.il www.mars-antennas. MARS Antennas & RF Systems, é um líder mundial na fabricação e projeto de soluções de antenas de RF e uma Companhia de R&D, com uma capacidade comprovada para projetar e fornecer produtos de custo efetivo

Leia mais

Atualização do Software 2014-1

Atualização do Software 2014-1 Observações Importantes: Atualização do Software 2014-1 É recomendável fazer o backup dos dados do Monitor GreenStar 2 1800 e do Monitor GreenStar 3 2630 antes de instalar a Atualização de Software 14-1,

Leia mais

NEW HOLLAND BRAUD LINHA DE COLHEDORAS POLIVALENTES E DE ALTO DESEMPENHO PARA UVA, AZEITONA E CAFÉ

NEW HOLLAND BRAUD LINHA DE COLHEDORAS POLIVALENTES E DE ALTO DESEMPENHO PARA UVA, AZEITONA E CAFÉ NEW HOLLAND BRAUD LINHA DE COLHEDORAS POLIVALENTES E DE ALTO DESEMPENHO PARA UVA, AZEITONA E CAFÉ BRAUD NEW HOLLAND A PERFEIÇÃO NA COLHEITA. EM TODO O MUNDO, HÁ 37 ANOS, COM MAIS DE 13.000 MÁQUINAS PRODUZIDAS.

Leia mais

SyncEasy Aplicativo para sincronização de arquivos entre dispositivos móveis e computadores utilizando metadados

SyncEasy Aplicativo para sincronização de arquivos entre dispositivos móveis e computadores utilizando metadados SyncEasy Aplicativo para sincronização de arquivos entre dispositivos móveis e computadores utilizando metadados Acadêmico: Bernardo Marquardt Müller Orientador: Prof. Dr. Mauro Marcelo Mattos Roteiro

Leia mais

Arquitetura CAN. José Sérgio da Rocha Neto

Arquitetura CAN. José Sérgio da Rocha Neto Arquitetura CAN 1 Sumário Rede CAN. Arquitetura do Sistema Implementado. Interface SPI. Controlador CAN MCP2510. Transceiver MCP2551. ADuC812. Resultados Obtidos. Conclusões. 2 REDE CAN CAN Controller

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA Anexo II.9 Especificações do Sistema de Monitoramento da Frota PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA ÍNDICE 1 OBJETIVOS... 2 2 ESPECIFICAÇÃO BÁSICA... 2 2.1 Aquisição de Dados Monitorados do Veículo...

Leia mais

GT GPRS RASTREADOR VIA GPS COM BLOQUEADOR

GT GPRS RASTREADOR VIA GPS COM BLOQUEADOR GT GPRS RASTREADOR VIA GPS COM BLOQUEADOR O GT GPRS é um equipamento wireless que executa a função de recepção e transmissão de dados e voz. Está conectado à rede de telefonia celular GSM/GPRS, para bloqueio

Leia mais

Actros 2646 6x4. Actros 2546 6x2. Equipamentos de série. Aplicações. Aplicações

Actros 2646 6x4. Actros 2546 6x2. Equipamentos de série. Aplicações. Aplicações Equipamentos de série (mais os itens da cabina ) Segurança (mais os itens das cabinas e ) Ar-condicionado Suspensão traseira pneumática Freios a Disco Eletrônico; ABS (Antibloqueio das Rodas); ASR (Controle

Leia mais

Plano Rastreador GALAXY GLOBAL GALAXY CAMERA. Deluxe R$9800,00 + R$900,00 Anual + Cartão 3g Banda Larga MENSALIDADE 3G: R$260,00

Plano Rastreador GALAXY GLOBAL GALAXY CAMERA. Deluxe R$9800,00 + R$900,00 Anual + Cartão 3g Banda Larga MENSALIDADE 3G: R$260,00 Plano Rastreador GALAXY GLOBAL GALAXY CAMERA Deluxe R$9800,00 + R$900,00 Anual + Cartão 3g Banda Larga MENSALIDADE 3G: R$260,00 Versão Publicada por Eng. Julio Duamel Omar Fuertes Somos a única empresa

Leia mais

TCC04040 Inteligência Artificial. Inteligência Artificial

TCC04040 Inteligência Artificial. Inteligência Artificial Inteligência Artificial Aula 2 Profª Bianca Zadrozny TCC04040 Inteligência Artificial Página web: http://www.ic.uff.br/~bianca/ia Material: Livro texto: Inteligência Artificial, Russell & Norvig, Editora

Leia mais

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server Noções de 1 Considerações Iniciais Basicamente existem dois tipos de usuários do SQL Server: Implementadores Administradores 2 1 Implementadores Utilizam o SQL Server para criar e alterar base de dados

Leia mais

Gestão de Processos da Qualidade

Gestão de Processos da Qualidade Gestão de Processos da Qualidade WebQuest para a disciplina de Gestão de Processos e Qualidade. Curso de Pós-Graduação MBA em Gestão Estratégica de Negócios Unidade de São José dos Campos Elaborado por:

Leia mais

Roberto Biasotto Especialista de Marketing de Produto Case IH América Latina

Roberto Biasotto Especialista de Marketing de Produto Case IH América Latina Roberto Biasotto Especialista de Marketing de Produto Case IH América Latina Ribeirão Preto 24 de Março de 2010 Case IH Evoluindo com o Setor Sucroenergético 2010 Colhedora de Cana A8000 Case IH Brasil

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE ENGENHARIA DE SÃO CARLOS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA ROBSON ROGÉRIO DUTRA PEREIRA

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE ENGENHARIA DE SÃO CARLOS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA ROBSON ROGÉRIO DUTRA PEREIRA 1 UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE ENGENHARIA DE SÃO CARLOS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA ROBSON ROGÉRIO DUTRA PEREIRA Protocolo ISO 11783: Procedimentos para comunicação serial de dados com o

Leia mais

MÓDULO 7 Modelo OSI. 7.1 Serviços Versus Protocolos

MÓDULO 7 Modelo OSI. 7.1 Serviços Versus Protocolos MÓDULO 7 Modelo OSI A maioria das redes são organizadas como pilhas ou níveis de camadas, umas sobre as outras, sendo feito com o intuito de reduzir a complexidade do projeto da rede. O objetivo de cada

Leia mais

Green Fleet Sistema de Gestão de Frota Auteq

Green Fleet Sistema de Gestão de Frota Auteq Unpublished work (2014) Deere & Company. All rights reserved worldwide. THIS MATERIAL IS THE PROPERTY OF DEERE & COMPANY. NO PORTION MAY BE USED, ALTERED, DISCLOSED AND/OR REPRODUCED WITHOUT EXPRESS WRITTEN

Leia mais

Objetivo. 0 Conceitos. 0 Funcionalidades. 0 Desafios. 0 Experiências de Implantação

Objetivo. 0 Conceitos. 0 Funcionalidades. 0 Desafios. 0 Experiências de Implantação Objetivo 0 Conceitos 0 Funcionalidades 0 Desafios 0 Experiências de Implantação Smart Grid Conceitos 0 NÃO é só Medição Eletrônica e Telecom!! 0 Envolve conhecimentos sobre: 0 Tecnologia, Padrões, Normas

Leia mais

Rede de Computadores. Carlos Eduardo Pereira GCAR GCAR. IMP= Interface Message Processor. hosts. IMPs. Referência: Tanenbaum - Redes de Computadores

Rede de Computadores. Carlos Eduardo Pereira GCAR GCAR. IMP= Interface Message Processor. hosts. IMPs. Referência: Tanenbaum - Redes de Computadores Redes de Computadores Carlos Eduardo Pereira Referência: Tanenbaum - Redes de Computadores Rede de Computadores hosts IMPs IMP= Interface Message Processor 1 DTE/DCE/DSE Tarefas a serem realizadas pelas

Leia mais

Arquitetura de Redes: Camadas de Protocolos (Parte I) Prof. Eduardo

Arquitetura de Redes: Camadas de Protocolos (Parte I) Prof. Eduardo Arquitetura de Redes: Camadas de Protocolos (Parte I) Prof. Eduardo Introdução O que é Protocolo? - Para que os pacotes de dados trafeguem de uma origem até um destino, através de uma rede, é importante

Leia mais

Centro de Monitoramento de Perdas

Centro de Monitoramento de Perdas Apresentação Metering JUL/04 Centro de Monitoramento de Perdas Gerência de Medição e Perdas Grandes Clientes Apresentador: Fabio Toledo Gerente do Departamento Epower Análise Conceitual Remota de Telemetria

Leia mais

SISTEMA I MOTION. FOX - I Motion

SISTEMA I MOTION. FOX - I Motion SISTEMA I MOTION FOX - I Motion Professor SCOPINO Técnico e Administrador da Auto Mecânica Scopino Professor do Umec Universo do Mecânico Ex-Professor do Senai Diretor do Sindirepa-SP Consultor do Jornal

Leia mais

Catálogo de Produtos 2014

Catálogo de Produtos 2014 Linha Agrícola Catálogo de Produtos 2014 uma marca Catálogo de Produtos 2014 1 2 Catálogo de Produtos 2014 ÍNDICE Linha Agrícola 4 04 Linha Pesada 37 Linha Manômetro 53 Linha Industrial 54 Linha Náutica

Leia mais

Sistemas Operacionais II. Prof. Gleison Batista de Sousa

Sistemas Operacionais II. Prof. Gleison Batista de Sousa Sistemas Operacionais II Prof. Gleison Batista de Sousa Objetivos de aprendizagem Conhecer o funcionamento dos sistemas operacionais para redes de computadores. Aprender como é feito o gerenciamento do

Leia mais

P623 - CONTROLE REMOTO

P623 - CONTROLE REMOTO P623 - CONTROLE REMOTO P623 Controle Remoto é um conjunto transmissor / receptor com até 12 funções programáveis para aplicações industriais, automotivas e residenciais. FUNCIONALIDADES Transmissor Comunicação

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br - Aula 2 - MODELO DE REFERÊNCIA TCP (RM TCP) 1. INTRODUÇÃO O modelo de referência TCP, foi muito usado pela rede ARPANET, e atualmente usado pela sua sucessora, a Internet Mundial. A ARPANET é de grande

Leia mais

SPS ZOOM 300. 3D Laser Scanner

SPS ZOOM 300. 3D Laser Scanner 3D Laser Scanner 3D Laser Scanner O 3D laser scanner é um equipamento que faz coletas de dados espaciais precisos de objetos ou ambientes. As nuvens de pontos coletadas podem ser utilizadas para construção

Leia mais

I. Dados Identificadores Tecnologia em Desenvolvimento de Sistemas de Informação

I. Dados Identificadores Tecnologia em Desenvolvimento de Sistemas de Informação Plano de Ensino 2013 I. Dados Identificadores Curso Tecnologia em Desenvolvimento de Sistemas de Informação Disciplina Redes de Computadores Módulo Organização da Informação Carga Horária Semanal: 04 ha

Leia mais

Pipo Communications. Sinalização DTMF de Alta Velocidade. AE-1... 2 Memórias. AE-2... 6 Memórias

Pipo Communications. Sinalização DTMF de Alta Velocidade. AE-1... 2 Memórias. AE-2... 6 Memórias Pipo Communications Sinalização DTMF de Alta Velocidade AE-1... 2 Memórias Ideal para: Radiocomunicação, ANI / ENI* Emissoras de Radio e Televisão Segurança Controle de Tráfego AE-2... 6 Memórias Ideal

Leia mais

Agricultura de Precisão

Agricultura de Precisão Agricultura de Precisão boletim técnico www.agricultura.gov.br 0800-7041995 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo Agricultura de

Leia mais

Inteligência Artificial

Inteligência Artificial Inteligência Artificial Prof. Rafael Stubs Parpinelli DCC / UDESC-Joinville parpinelli@joinville.udesc.br www.joinville.udesc.br/portal/professores/parpinelli www2.joinville.udesc.br/~coca/ Agentes Inteligentes:

Leia mais

AFRE. a. ( ) Instalando um programa gerenciador de carregamento, como o LILO ou o GRUB. a. ( ) Data Werehouse ; Internet ; Linux

AFRE. a. ( ) Instalando um programa gerenciador de carregamento, como o LILO ou o GRUB. a. ( ) Data Werehouse ; Internet ; Linux 1. De que forma é possível alterar a ordem dos dispositivos nos quais o computador procura, ao ser ligado, pelo sistema operacional para ser carregado? a. ( ) Instalando um programa gerenciador de carregamento,

Leia mais

Solução Integrada de Bilhetagem

Solução Integrada de Bilhetagem Solução Integrada de Bilhetagem A Digicon desenvolveu uma solução completa que garante o total gerenciamento do transporte de passageiros. São equipamentos e sistemas que oferecem maior agilidade, segurança

Leia mais

POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO DO SISTEMA ELETROBRÁS. Sistema. Eletrobrás

POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO DO SISTEMA ELETROBRÁS. Sistema. Eletrobrás POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO DO SISTEMA ELETROBRÁS Sistema Eletrobrás Política de Logística de Suprimento do Sistema Eletrobrás POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO 4 POLÍTICA DE Logística de Suprimento

Leia mais

INF 1771 Inteligência Artificial

INF 1771 Inteligência Artificial Edirlei Soares de Lima INF 1771 Inteligência Artificial Aula 02 Agentes Inteligentes Agentes Inteligentes Um agente é algo capaz de perceber seu ambiente por meio de sensores e de

Leia mais

ÂMBITO DA APLICAÇÃO DOS LOCALIZADOR

ÂMBITO DA APLICAÇÃO DOS LOCALIZADOR ÂMBITO DA APLICAÇÃO DOS LOCALIZADORES GPS BÁSICO E PORTÁTIL DA MERTEL , empresa Angolana de engenharia e prestação de serviços cujo objeto social abrange o rastreamento de veículos e gestão de frotas através

Leia mais