VI RELATÓRIO DO DIRETOR do CEED À IV REUNIÃO DO CONSELHO DIRETIVO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "VI RELATÓRIO DO DIRETOR do CEED À IV REUNIÃO DO CONSELHO DIRETIVO"

Transcrição

1 VI RELATÓRIO DO DIRETOR do CEED À IV REUNIÃO DO CONSELHO DIRETIVO Montevidéu, Uruguai, 11 de dezembro de Este Relatório do Diretor é a atualização do que o Centro de Estudos Estratégicos de Defesa do Conselho de Defesa Sul-Americano realizou desde a última Reunião do Conselho Diretivo em 14 de agosto passado, em Cartagena, República da Colômbia. 2. Em relação à infraestrutura tecnológica (equipamento de Vídeo e Telefonia IP), tenho o prazer de informar que o Sistema de Videoconferência, que foi apresentado na última reunião em Cartagena, Colômbia, está agora totalmente operacional. Prova disso são as muitas videoconferências realizadas durante os dois últimos meses, em especial as várias reuniões virtuais para discutir o Registro Sul-Americano de Inventários Militares, bem como a utilização do nosso sistema bilateral ou multilateralmente pelos Ministérios da Defesa dos países membros da UNASUL, o que permitiu trabalhar remotamente para desenvolver o projeto de proposta de o conteúdo do Plano de Ação do CDS 2015, assim como fazer intercâmbio e de contatos regulares entre os delegados nacionais ao CEED e seus Ministérios de Defesa. Temos visto, em muito pouco tempo, que essas facilidades tecnológicas permitiram concretamente a comunicação e o trabalho conjunto permanente virtual entre o CEED e os Ministérios e entre eles mesmos, economizando tempo e recursos financeiros para nossos países. A este respeito, tenho o prazer de informar a este Conselho que o Centro adquiriu recentemente doze kits

2 adicionais de estações remotas de videoconferência, que em breve também serão transferidos para os Centros de Estudos Nacionais Contrapartes. 3. Em relação ao Corpo de Especialistas do CEED, informo que desde agosto até a data de hoje foram incorporados: o novo Delegado da República Bolivariana da Venezuela e o segundo Delegado Argentino em substituição dos respectivamente sucedidos. Neste sentido, em dezembro de 2014, o Centro conta com 2 Delegados da Argentina; 2 Delegados do Brasil; 1 Delegado do Chile; 1 Delegado do Equador; 2 Delegados do Peru; 1 Delegado do Suriname; 2 Delegados do Uruguai; e 1 Delegado da Venezuela. O total de Delegados Nacionais ao CEED é atualmente 12, que representam 8 países membros do CDS. Além disso, espera-se que em breve seja designado o substituto para o recém-saído delegado do Paraguai e recorda-se a Bolívia, Colômbia e Guiana a importância que tem, para o CEED, a designação de seus delegados nacionais. 4. Tenho o prazer de informar que, em relação aos Centros Nacionais Contrapartes do CEED já designados oficialmente pelos respectivos Ministérios (que abrangem os de Bolívia, Brasil, Chile, Equador, Paraguai, Peru e Uruguai), em agosto passado, foi nomeado o correspondente à República do Suriname (representado pelo Departamento de Planejamento Estratégico de Defesa e Formação de seu Ministério de Defesa). Neste sentido, os Centros Nacionais Contrapartes já designados representam a 8 países do CDS. Em relação a este ponto, deixe-me aproveitar esta oportunidade para lembrar às delegações da Argentina, Colômbia, Guiana e Venezuela da importância de designarem seus centros nacionais contrapartes. 5. Em relação ao desenvolvimento de Atividades Institucionais, informo a este Conselho que: 2

3 Em setembro, o novo Secretário-Geral da UNASUL, Ernesto Samper Pizano, visitou o CEED, conheceu as suas instalações e realizou uma reunião de trabalho com a Direção, no final da qual o Secretário expôs ao Diretor, ao Secretário Administrativo e ao Corpo de Delegados Nacionais do CEED as principais linhas de sua agenda de gestão à frente da Secretaria Geral. Em novembro, o CEED foi visitado pelos alunos do III Curso Sul- Americano de Formação em Defesa, atividade correspondente ao Plano de Ação do CDS. Foi realizada uma apresentação institucional pelo Diretor e pelos Delegados Nacionais, durante a qual foram expostos os objetivos e missão do Centro e as principais linhas de trabalho, com especial ênfase nas linhas de Política de Gênero, Institucionalidade da Defesa, Registro Sul-Americano de Gastos em Defesa e Registro Sul-Americano de Inventários Militares. No mesmo mês de novembro, o CEED participou do II Seminário Workshop As Mulheres no âmbito da Defesa da UNASUL: Políticas públicas com perspectiva de gênero e metodologia aplicada, atividade do Plano de Ação do CDS. No âmbito deste Workshop, e de acordo com seu Plano de Trabalho 2014, o CEED apresentou para sua discussão e correspondente validação pelas delegações nacionais, a versão otimizada da Matriz de Informação e Análise da Mulher no Setor de Defesa. 6. Em relação ao progresso nos Estudos e Pesquisas realizado desde a última reunião deste Conselho até à data (Agosto a Dezembro de 2014) informa que: 3

4 Com relação ao eixo de trabalho do Registro Sul-Americano de Gastos em Defesa, de acordo com a decisão dos Ministros na VI Reunião Ordinária do CDS (Colômbia, 15 de agosto de 2014) que aprovou a publicação e o lançamento do primeiro Registro Sul- Americano de Gastos Agregados em Defesa , em coordenação com o Ministério da Defesa do Uruguai, o CEED trabalhou na organização deste evento de lançamento. No que se refere ao Registro de Gastos correspondente aos anos 2011, 2012 e 2013, o Centro está atualmente trabalhando no processamento dos dados para sua preparação: a conclusão deste trabalho dependerá de que os países que ainda não o fizeram apresentem a informação correspondente. Neste sentido, o CEED recebeu a informação completa de 9 países, faltando que sejam completados os dados relativos aos gastos de defesa da Bolívia (2012 e 2013) e da Venezuela (2012 e 2013) e a remissão da totalidade da informação (2011, 2012 e 2013) da Guiana. Em relação à elaboração e processamento dos dados para os anos 2011, 2012 e 2013, gostaria também de lembrar que na última reunião do Conselho Diretivo (Colômbia, em agosto passado) foi acordado definir nesta reunião qual será a modalidade de apresentação do Registro no futuro. Ou seja, em outras palavras, se ele vai continuar no formato agregado como foi o publicado nesta oportunidade, ou, em vez disso, será adotada a forma estabelecida pela metodologia que foi aprovada pelos Ministros da Defesa, que inclui o gasto país de cada Estado- Membro do CDS de forma desagregada. Com relação ao eixo de trabalho relativo ao Registro Sul-Americano de Inventários Militares (RESIM), nos últimos meses o CEED na sua 4

5 qualidade de instância técnica responsável da elaboração do mesmo realizou uma análise detalhada dos instrumentos aprovados na reunião de Paramaribo em fevereiro de 2014 (Estatuto, Manual e Formulário Sul-Americano de Inventários Militares) e daqueles Formulários nacionais que foram enviados com sua correspondente informação. Como resultado, o Centro identificou a necessidade de melhorar aspectos específicos do Manual e do Formulário para uma correta aplicação dos mesmos e, consequentemente, para permitir a adequada elaboração de um Registro de Inventários Militares final. Como resultado do exposto, o CEED preparou um projeto de Manual e Formulário procurando esclarecer e/ou completar algumas definições de conceitos nele contidos e adicionar ou desagregar algumas categorias do Formulário. Posteriormente, para apresentar e discutir esta nova versão de Manual e Formulário, o Centro realizou duas reuniões virtuais com os representantes nomeados pelos Ministérios da Defesa da maioria dos países da UNASUL, obtendo consenso sobre todas as propostas apresentadas de modificações e/ou adições. A fim de continuar avançando com esta importante medida de fomento da confiança, o CEED pede a seu Conselho Diretivo que sejam avaliadas as seguintes solicitações: a) Seja levado ao Conselho de Ministros, para sua correspondente apreciação e aprovação, esta versão otimizada de Manual e Formulário; b) Seja autorizada a distribuição desta versão otimizada de Manual e Formulário às respectivas delegações nacionais com os quais já foi acordada; 5

6 c) Seja decidido que, na pendência da aprovação do CDS, os Ministérios comecem a trabalhar em 2015 com esta versão otimizada, mantendo o prazo para apresentação dos FOSIM nacionais para o 31 de julho de Nesse contexto, o CEED prevê ganhar tempo e avançar, entretanto, com os pontos de contato ministeriais em todo eventual esclarecimento necessário sobre a aplicação dos instrumentos a que se refere através do nosso Sistema de Comunicação Regional do CEED. Na próxima semana estaremos enviando a todos os Ministérios da Defesa uma proposta de datas para as reuniões virtuais no início de Com respeito ao eixo de trabalho de Institucionalidade da Defesa na América do Sul, cujo relatório preliminar foi apresentado na II Reunião do Conselho Diretivo (Suriname, 2014), e no marco da qual foi estabelecido um prazo de 45 dias para os Ministérios apresentarem ao CEED a ratificação, retificações ou acréscimos a seus capítulos nacionais, a fim de que o Centro possa continuar com o estudo, informou que até o momento, estamos no mesmo estado de coisas que na última reunião de agosto, em Cartagena: o CEED recebeu as ratificações, correções e/ou adições aos capítulos nacionais de Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Equador, Paraguai, Peru, Suriname, Uruguai e Venezuela, as quais já foram incorporadas na versão final de cada capítulo nacional. Atualmente, e para completar o estudo, ainda estão faltando as respostas dos Ministérios da Defesa de Colômbia e Guiana. Além disso, nos últimos meses, e com base na análise e sistematização dos denominadores comuns das diversas categorias que conformam os capítulos nacionais, o CEED completou a preparação do um rascunho 6

7 do Capítulo Regional de Institucionalidade da Defesa na América do Sul. Se a informação que falta acima mencionada for completada, este trabalho poderá ser publicado e apresentado como parte do Relatório Final deste estudo na próxima reunião do Conselho de Ministros. Em relação ao eixo de trabalho sobre Política de Gênero: A Mulher no Âmbito da Defesa, informo que, desde a última reunião deste Conselho, o CEED continuou avançando nas tarefas identificadas nas conclusões e recomendações contidas no Relatório Preliminar A Mulher no Âmbito da Defesa na América do Sul e devidamente aprovado pela instância diretiva. Por um lado, no aspecto quantitativo da pesquisa, nos últimos três meses, procedeu-se à otimização da Matriz de Informação e Análise da Mulher no Setor Defesa, e de sua respectiva Guia Metodológica. Como foi mencionado acima, esta ferramenta metodológica de natureza quantitativa foi então apresentada pelo CEED no II Seminário Workshop As Mulheres no âmbito da Defesa da UNASUL: Políticas públicas com perspectiva de gênero e metodologia aplicada, atividade do Plano de Ação do CDS 2014, organizada pela República Argentina, em novembro passado, na cidade de Buenos Aires. A Matriz de Informação e Análise desenvolvida pelo CEED foi discutida durante o Workshop com as delegações nacionais, a fim de esclarecer todos os aspectos metodológicos e/ou conceituais que fossem necessários e introduzir questões que fossem consideradas como ausentes. Neste sentido, pode-se sublinhar que os resultados deste trabalho foram: a) em primeiro lugar, a validação de todos os conteúdos da matriz apresentada pelo CEED; b) em segundo lugar, a ampliação da Matriz a partir da adição de novas variáveis e 7

8 indicadores resultantes do rico intercâmbio entre as delegações nacionais e os representantes do CEED. A versão otimizada da Matriz que nesta ocasião o CEED está entregando juntamente com o seu respectiva Guia Metodológica (Anexo Política de Gênero), incorporou todos os aspectos acordados com as delegações nacionais durante esse workshop. Depois disso, e usando o sistema de videoconferência, já se poderá, então, começar a trabalhar com o novo instrumento de coleta de informação. Finalmente, a Direção Executiva sugere que as matrizes com a informação correspondente ao ano 2014 sejam encaminhados para o CEED até 31 de março de Além disso, no que diz respeito ao aspecto qualitativo da pesquisa, o CEED desenhou um questionário sobre Gênero e Forças Armadas, o que também vem anexado a este informe (Anexo Política de Gênero). Este instrumento recolhe elementos qualitativos, tais como "cultura institucional" dentro das forças armadas; experiências e percepções das mulheres na admissão às escolas e institutos de formação profissional; incidência das exigências da carreira militar sobre a família e as crianças; condições e ambiente de trabalho; fatores que influenciam a permanência de mulheres nas Forças Armadas; ou, entre muitos outros, aspectos que afetam na adaptação às exigências da profissão, tais como destinos, mudança, etc. É importante notar que esse survey será formado a partir de uma amostra representativa de mulheres das forças armadas de cada país do CDS e será preenchido on-line de forma anônima, garantindo, assim, a confidencialidade da informação que será guardada em um servidor web especificamente instalado no CEED para esta atividade. Para os efeitos do desenho apropriado da amostra solicitou aos Ministérios da Defesa identificar, através de uma 8

9 comunicação ao Centro, um ponto de contato que seja responsável pelos assuntos de política de gênero no sector da defesa. A este respeito, informo que os dados obtidos serão estritamente confidenciais e só serão utilizados como insumos para a elaboração do Relatório Final de Gênero, que será apresentado na próxima reunião do CDS. Atualmente, o CEED está em processo de carregamento de cada um dos questionários país, através de um software especialmente desenhado para pesquisas on-line, que pode ser acessado a partir de um link que prontamente será enviado aos Ministérios da Defesa para sua distribuição entre as mulheres das forças armadas que foram selecionadas como parte da amostra de cada país. No relatório final também se planeja desenvolver um capítulo adicional de entrevistas para coletar as experiências oferecidas pelas mulheres que têm servido de Ministras da Defesa nos países que compõem a UNASUL. Finalmente, informo que, até à data, falta a remissão de Guiana de toda a informação relativa a esta matéria. 7. Na área programática Prospectiva e Estratégia, informo que o CEED concluiu a primeira fase do Estudo Prospectivo América do Sul Esta primeira fase focalizada na elaboração de um diagnóstico da realidade atual e da projeção de tendências para 2025 em relação ao uso e demanda de recursos naturais estratégicos que a região possui. Atualmente, a Direção Executiva do Centro está em fase de edição final do relatório da primeira fase, que será apresentado na próxima reunião deste Conselho, em conjunto com o progresso da segunda fase. Este trabalho envolveu: 9

10 a) Seleção, análise e sistematização de dados sobre reservas relevantes de recursos naturais estratégicos que possui a Região, prévia identificação de um universo de cerca de 30 ativos naturais críticos; b) Estudo comparativo destes com outras regiões do mundo com recursos semelhantes; c) Integração de dados e tendências da demanda desses recursos durante o período e sua projeção para 2025; d) Incorporação de análise e dados estatísticos e comparativos para o período relacionados com Investimentos Diretos Externos (IED) associados aos recursos naturais, bem como as tendências em matéria de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) e inovação tecnológica com insumo de recursos naturais estratégicos existentes na região. Em relação à segunda fase do estudo que utilizará como insumo o analisado e sistematizado na primeira etapa, deve-se notar que a mesma começará no início de 2015 e irá se concentrar propriamente em aspectos específicos relativos à defesa em sua dimensão regional e na utilização de ferramentas de diagnóstico participativo. De fato, uma vez que esta primeira fase seja concluída, em que as análises e projeções na matéria foram feitas por especialistas externos com experiência comprovada na projeção e prospecção deste tipo de cenário, a fase de estudo que vai começar em 2015, utilizando os resultados da que conclui, será a que propriamente vai impactar como trabalho direto do Centro e do corpo de delegados nacionais. 10

11 Isto é, o objetivo desta etapa é identificar as vulnerabilidades e as disfunções que afetam a adequada proteção e utilização dos recursos nas diferentes dimensões de responsabilidade do Estado em especial as de jurisdição direta do setor defesa e desenvolver propostas desde o domínio da defesa, tendentes à superação daqueles. Como parte da metodologia de trabalho participativa, durante os meses de janeiro a março de 2015, o CEED configurará uma lista de especialistas dos países membros que, junto com o corpo de delegados nacionais do Centro e outros representantes dos Ministérios da Defesa, participaram no desenvolvimento do diagnóstico participativo acima mencionado e contribuíram à formulação das propostas deste estudo prospectivo América do Sul Em matéria do Centro de Documentação e Informação, afirmo que o CEED concluiu a implementação dos requisitos tecnológicos necessários para o mesmo e já consolidou um importante banco de dados institucional que deve, certamente, incrementar-se. Por um lado, foi elaborada a rede de informática servidores dedicados, rede de terminais, hardware e software de gestão, de segurança, etc. que ligam a todos os usuários do Centro e, no servidor desta rede, foi construída a base de dados institucional, exclusivamente interna, dedicada a cobrir as necessidades do trabalho interno e diário do corpo de delegados nacionais e da equipe técnica do CEED. Este banco de dados interno, que já está em funcionamento e disponível para todos os funcionários, contém a documentação primária dos órgãos da UNASUL Conselho de Presidentes, Chanceleres e Secretaria Geral, todos os 11

12 documentos e informações oficiais do Conselho de Defesa Estatuto, regulamento, Planos de Ação, circulares, relatórios e todas as informações relativas à institucionalidade e trabalhos do CEED desde Estatuto, Regulamento, Relatórios da Direção, até relatórios concluídos do Centro, matrizes de estudo, informação enviada pelos respectivos Ministérios, documentos de trabalho, atas de reuniões, etc.. Além disso, informo que o Centro também avançou nos trabalhos de criação da Biblioteca Digital ou Repositório Institucional, que será alojado no site web do CEED e vai outorgar acesso aos doze países membros e seus Centros Contrapartes através de permissões de usuário e senha. O objetivo desta ferramenta, que será colocada à disposição dos membros do CDS através do site web do Centro, é coletar e organizar todos os arquivos digitais dos órgãos mencionados da UNASUL, do Conselho de Defesa e do CEED, assim como documentação e qualquer material preparado por terceiros institucional ou de especialistas individuais de natureza oficial, acadêmico, de investigação, etc., relacionados com questões de interesse para o Conselho de Defesa, e em qualquer formato em que esse material estiver disponível livros, revistas, publicações, arquivos de vídeo, áudio ou fotográfico. Para a realização desta Biblioteca Digital ou Repositório Institucional, aos trabalhos já realizados pelo CEED pesquisa e consultoria sobre o desenho e funcionalidade necessária, feita com outros centros de documentação, como OLADE, CEPAL, FLACSO, etc.; ou avaliação das melhores opções de software livre, etc. recentemente, foram iniciadas as coordenações com a área correspondente da Secretaria Geral, de modo que o desenho e implementação 12

13 seja totalmente compatível com as novas orientações que nesta área estão sendo desenvolvidas por essa instância da UNASUL. 9. Em relação às iniciativas institucionais da Direção Executiva do CEED, são propostas as seguintes para apreciação do Conselho Diretivo: a) Dossier CEED: a proposta é conforme estabelecido no artigo 4º e 5º do Regulamento do CEED, e para efeitos do cumprimento da missão do CEED na geração e difusão de um pensamento estratégico da América do Sul o desenvolvimento de uma publicação seriada do Centro, que iria abordar e/ou sistematizar tópicos já abordados pelo CDS ou iria desenvolver outros concernentes a dimensões ligadas às áreas de estudo do CEED recursos naturais na América do Sul, Operações de Manutenção da Paz, Ajuda Humanitária, etc.. a) Conferência sobre Defesa Cibernética: informo que na recente reunião dos Presidentes da UNASUL em ocasião da inauguração da nova sede da Secretaria-Geral, na cidade de Quito, após o debate sobre defesa cibernética na região, foi recebida a manifestação de interesse pelo Secretário-Geral para que o CEED em apoio da Secretaria-Geral organize na nova sede da UNASUL uma conferência sobre o assunto, que teria como objetivo aprofundar o consenso existente em relação a uma abordagem comum nesta área e contribuir para o trabalho referido ao desenvolvimento de uma estratégia de defesa sul-americana no ciberespaço, em palavras do Secretário-Geral avançar em forma tangível para o conceito de Ciber-independência ou Ciber-soberania. Além disso, em consideração aos resultados e os progressos realizados pelo Grupo de Trabalho de Defesa Cibernética do CDS, para o 13

14 desenvolvimento dessa Conferência, o Secretário-Geral será responsável pela participação de outros Conselhos Setoriais que também têm responsabilidades nesta área COSIPLAN, por exemplo, a quem o Conselho de Chefes de Estado e de Governo encarregou para, junto com o CDS, coordenar-se regularmente com o recém-criado Grupo de Trabalho do MERCOSUL responsável pelas questões de telecomunicações Finalmente, como último ponto, gostaria de lembrar e solicitar a este Conselho que, nos termos da decisão em sua última reunião, levem em consideração definir e explicitar os aspectos relativos ao relacionamento do Centro de Estudos Estratégicos com instâncias ou órgãos extra-regionais. 1 Decisão Nº 29 da VII Reunião Ordinária do Conselho de Chefas e Chefes de Estado e de Governo, 30 de Agosto, 2013, Paramaribo. Na ata da IX Reunião do Comitê Coordenador do COSIPLAN (26 de junho de 2014, Santiago de Chile), o Grupo de Trabalho Telecomunicações declarou: Em relação ao acordo para trazer coordenação com o Conselho de Defesa Sul-Americano, foi acordado manter a regularidade nessas coordenações. 14

III RELATÓRIO DO DIRETOR DO CENTRO DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS DE DEFESA À REUNIÃO DO CONSELHO DIRETIVO DO CEED

III RELATÓRIO DO DIRETOR DO CENTRO DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS DE DEFESA À REUNIÃO DO CONSELHO DIRETIVO DO CEED III RELATÓRIO DO DIRETOR DO CENTRO DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS DE DEFESA À REUNIÃO DO CONSELHO DIRETIVO DO CEED VIII REUNIÃO DA INSTÂNCIA EXECUTIVA DO CONSELHO DE DEFESA SUL-AMERICANO Lima, 17 de maio, 2013

Leia mais

PLANO DE TRABALHO 2014

PLANO DE TRABALHO 2014 TRADUÇÃO DE CORTESIA PLANO DE TRABALHO 2014 O presente Plano de Trabalho do CEED para o ano 2014, que se apresenta para consideração e aprovação do Conselho Diretivo, contém a descrição e objetivos das

Leia mais

INFORME DO CENTRO DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS DE DEFESA PARA A VI REUNIÃO ORDINÁRIA DA INSTÂNCIA EXECUTIVA DO CDS Assunção, 4 de junho de 2012

INFORME DO CENTRO DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS DE DEFESA PARA A VI REUNIÃO ORDINÁRIA DA INSTÂNCIA EXECUTIVA DO CDS Assunção, 4 de junho de 2012 INFORME DO CENTRO DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS DE DEFESA PARA A VI REUNIÃO ORDINÁRIA DA INSTÂNCIA EXECUTIVA DO CDS Assunção, 4 de junho de 2012 O presente informe refere-se às atividades e produtos desenvolvidos

Leia mais

ATIVIDADE RESPONSÁVEL

ATIVIDADE RESPONSÁVEL EIXO 1 Políticas de Defesa N ATIVIDADE RESPONSÁVEL INÍCIO TÉRMINO LOCAL CORRESPONS. OBSERVAÇÕES 1.a Realizar um Seminário Internacional de Argentina, Defesa Cibernética com o objetivo de gerar, XO 1 POLÍTICAS

Leia mais

VERSÃO APROVADA Tradução de cortesia ANEXO 4

VERSÃO APROVADA Tradução de cortesia ANEXO 4 ANEXO 4 RELATÓRIO PRELIMINAR DO CEED AO CONSELHO DE DEFESA SUL- AMERICANO SOBRE OS TERMOS DE REFERÊNCIA PARA OS CONCEITOS DE SEGURANÇA E DEFESA NA REGIÃO SUL- AMERICANA O é uma instância de conhecimento

Leia mais

PLANO OPERACIONAL ANUAL E ORÇAMENTO DETALHADO 2013

PLANO OPERACIONAL ANUAL E ORÇAMENTO DETALHADO 2013 PLANO OPERACIONAL ANUAL E ORÇAMENTO DETALHADO 2013 1 Composição Orçamentária ISAGS - 2013 (*) Natureza Valor anual (US$) Percentual Projetos 42,6% 1.001.200,00 Pessoal 37,9% 892.958,00 Gastos Operacionais

Leia mais

aprovado no Foro de Ministros de Meio Ambiente (2004-2006) para 2005-2007.

aprovado no Foro de Ministros de Meio Ambiente (2004-2006) para 2005-2007. PROGRAMA LATINO-AMERICANO E CARIBENHO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL ACORDOS PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA ESTRATÉGIA DO PLACEA: 2005-2007 1 (DOCUMENTO EM VERSÃO PRELIMINAR) Introdução: Os especialistas em Gestão Pública

Leia mais

A Ministra do Meio Ambiente do Brasil, Senadora Marina Silva, apresentou a agenda para consideração dos participantes, tendo sido aprovada.

A Ministra do Meio Ambiente do Brasil, Senadora Marina Silva, apresentou a agenda para consideração dos participantes, tendo sido aprovada. II Reunião de Ministros de Meio Ambiente do MERCOSUL 8 de novembro de 2004, Brasília, Brasil Ata da Reunião nº 02/04 Realizou-se na cidade de Brasília, República Federativa do Brasil, no dia 8 de novembro

Leia mais

XI REUNIÃO DE MINISTROS DAS RELAÇÕES EXTERIORES DOS PAÍSES MEMBROS DA ORGANIZAÇÃO DO TRATADO DE COOPERAÇÃO AMAZÔNICA. (Manaus, 22 de novembro de 2011)

XI REUNIÃO DE MINISTROS DAS RELAÇÕES EXTERIORES DOS PAÍSES MEMBROS DA ORGANIZAÇÃO DO TRATADO DE COOPERAÇÃO AMAZÔNICA. (Manaus, 22 de novembro de 2011) XI REUNIÃO DE MINISTROS DAS RELAÇÕES EXTERIORES DOS PAÍSES MEMBROS DA ORGANIZAÇÃO DO TRATADO DE COOPERAÇÃO AMAZÔNICA (Manaus, 22 de novembro de 2011) COMPROMISSO DE MANAUS Os Ministros das Relações Exteriores

Leia mais

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS. Sistema on-line

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS. Sistema on-line Sistema on-line O Instituto Ethos Organização sem fins lucrativos fundada em 1998 por um grupo de empresários, que tem a missão de mobilizar, sensibilizar e ajudar as empresas a gerir seus negócios de

Leia mais

MENSAGEM N.º 594, DE 2015 (Do Poder Executivo)

MENSAGEM N.º 594, DE 2015 (Do Poder Executivo) CÂMARA DOS DEPUTADOS MENSAGEM N.º 594, DE 2015 (Do Poder Executivo) Aviso nº 682/2015 - C. Civil Texto da Decisão nº 10/12 do Conselho de Chefes de Estado e de Governo da União das Nações Sul-Americanas

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento Agrário Secretaria de Desenvolvimento Territorial. Sistema de Gestão Estratégica. Documento de Referência

Ministério do Desenvolvimento Agrário Secretaria de Desenvolvimento Territorial. Sistema de Gestão Estratégica. Documento de Referência Ministério do Desenvolvimento Agrário Secretaria de Desenvolvimento Territorial Sistema de Gestão Estratégica Brasília - 2010 SUMÁRIO I. APRESENTAÇÃO 3 II. OBJETIVOS DO SGE 4 III. MARCO DO SGE 4 IV. ATORES

Leia mais

1ª Fase: Período de Transição 1991 a 1994. Incorporação do tema Seguros: recomenda a criação de uma comissão

1ª Fase: Período de Transição 1991 a 1994. Incorporação do tema Seguros: recomenda a criação de uma comissão 1ª Fase: Período de Transição 1991 a 1994 Assunto: Seguros III ata Análise da atividade seguradora IV ata Incorporação do tema Seguros: recomenda a criação de uma comissão V ata Analise comparativa da

Leia mais

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Faculdade Educacional da Lapa 1 FAEL RESULTADOS - AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012 O referido informativo apresenta uma súmula dos resultados da autoavaliação institucional, realizada no ano de 2012, seguindo

Leia mais

REUNIÃO DO CENTRO DE COORDENAÇAO DE CAPACITAÇÃO POLICIAL DO MERCOSUL

REUNIÃO DO CENTRO DE COORDENAÇAO DE CAPACITAÇÃO POLICIAL DO MERCOSUL MERCOSUL/RMI/CAP/ATA Nº 03/06 REUNIÃO DO CENTRO DE COORDENAÇAO DE CAPACITAÇÃO POLICIAL DO MERCOSUL Realizou-se na cidade de Fortaleza/Ceará, República Federativa do Brasil, entre os dias 23 e 25 de agosto

Leia mais

EDITAL SAL/MJ Nº 11, DE 03 DE JULHO DE 2015. PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Contrato de Pessoa Física Modalidade Produto Nacional

EDITAL SAL/MJ Nº 11, DE 03 DE JULHO DE 2015. PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Contrato de Pessoa Física Modalidade Produto Nacional MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Secretaria de Assuntos Legislativos Esplanada dos Ministérios, Ed. Sede, bloco T, 4º andar, sala 44 (61) 2025 76 / 114 E-mail: sal@mj.gov.br EDITAL SAL/MJ Nº 11, DE 0 DE JULHO DE

Leia mais

Declaração de Brasília: Rumo à Cidadania Sul- Americana

Declaração de Brasília: Rumo à Cidadania Sul- Americana Declaração de Brasília: Rumo à Cidadania Sul- Americana XI Conferência Sul-Americana sobre Migrações Brasília, de 19 a 21 de outubro de 2011 Declaração de Brasília Rumo à Cidadania Sul-Americana Os representantes

Leia mais

Prêmio ESET de Jornalismo em Segurança da Informação 2015. - Regulamento Bases e Condições -

Prêmio ESET de Jornalismo em Segurança da Informação 2015. - Regulamento Bases e Condições - Prêmio ESET de Jornalismo em Segurança da Informação 2015 - Regulamento Bases e Condições - O Prêmio ESET de Jornalismo em Segurança da Informação 2015 (daqui em diante: CJSI) é uma iniciativa única, desenvolvida

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA 1. ANTECEDENTES:

TERMO DE REFERÊNCIA 1. ANTECEDENTES: TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA OU PROFISSIONAL CONSULTOR PARA O DESENHO, HABILITAÇÃO E MANUTENÇÃO DO PORTAL NA WEB DO INSTITUTO SOCIAL DO MERCOSUL. 1. ANTECEDENTES: Atualmente o site do Instituto

Leia mais

Parâmetros para avaliação de mestrado profissional*

Parâmetros para avaliação de mestrado profissional* Parâmetros para avaliação de mestrado profissional* 1. Natureza do mestrado profissional A pós-graduação brasileira é constituída, atualmente, por dois eixos claramente distintos: o eixo acadêmico, representado

Leia mais

Integração Física da América do Sul: avanços e desafios

Integração Física da América do Sul: avanços e desafios CENTRO BRASILEIRO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS Integração Física da América do Sul: avanços e desafios Mauro Marcondes Rodrigues Rio de Janeiro, 15 de março de 2012 Introdução A Iniciativa para a Integração

Leia mais

Projeto IPPDH Cooperação Humanitária Internacional

Projeto IPPDH Cooperação Humanitária Internacional TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONSULTORIA COORDENADOR/A DE CAPACITAÇÃO 1. Antecedentes Projeto IPPDH Cooperação Humanitária Internacional O Projeto Cooperação Humanitária Internacional tem por objetivo o desenvolvimento

Leia mais

Projeto IPPDH Cooperação Humanitária Internacional

Projeto IPPDH Cooperação Humanitária Internacional TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONSULTORIA PESQUISADOR/A ESPECIALISTA 1. Antecedentes Projeto IPPDH Cooperação Humanitária Internacional O Projeto Cooperação Humanitária Internacional tem por objetivo o desenvolvimento

Leia mais

XXVI REUNIÃO DE ALTAS AUTORIDADES EM DIREITOS HUMANOS (RAADH)

XXVI REUNIÃO DE ALTAS AUTORIDADES EM DIREITOS HUMANOS (RAADH) MERCOSUL/RAADH/ATA N 01/15 XXVI REUNIÃO DE ALTAS AUTORIDADES EM DIREITOS HUMANOS (RAADH) Realizou-se na cidade de Brasília, República Federativa do Brasil, no dia 6 de julho de 2015, sob a Presidência

Leia mais

Programa de Ações e Atividades para garantir os direitos das crianças e adolescentes migrantes e de seus familiares no marco do Eixo II do Plano

Programa de Ações e Atividades para garantir os direitos das crianças e adolescentes migrantes e de seus familiares no marco do Eixo II do Plano Programa de Ações e Atividades para garantir os direitos das crianças e adolescentes migrantes e de seus familiares no marco do Eixo II do Plano Estratégico de Ação no MERCOSUL Iniciativa do MERCOSUL sobre

Leia mais

PROGRAMA DE BOLSAS DE FORMAÇÃO ACADÊMICA MODALIDADE: MESTRADO E DOUTORADO

PROGRAMA DE BOLSAS DE FORMAÇÃO ACADÊMICA MODALIDADE: MESTRADO E DOUTORADO PROGRAMA DE BOLSAS DE FORMAÇÃO ACADÊMICA MODALIDADE: MESTRADO E DOUTORADO EDITAL Nº. 01/2008 O Presidente da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico FUNCAP, Prof. Tarcísio

Leia mais

CONSULTORIA PARA SISTEMATIZAÇÃO E ELABORAÇÃO DE TEXTO DE BOA PRÁTICA NA PRODUÇÃO DE ALGODÃO PELA AGRICULTURA FAMILIAR NA PARAÍBA, BRASIL

CONSULTORIA PARA SISTEMATIZAÇÃO E ELABORAÇÃO DE TEXTO DE BOA PRÁTICA NA PRODUÇÃO DE ALGODÃO PELA AGRICULTURA FAMILIAR NA PARAÍBA, BRASIL Projeto GCP/RLA/199/BRA: Fortalecimento do Setor Algodoeiro por meio da Cooperação Sul-Sul Termos de Referência: ESPECIALISTA EM SISTEMATIZAÇÃO DE EXPERIÊNCIAS (01 Consultor/a): CONSULTORIA PARA SISTEMATIZAÇÃO

Leia mais

X CONFERÊNCIA DE MINISTROS DA DEFESA DAS AMÉRICAS PUNTA DEL ESTE - REPÚBLICA ORIENTAL DO URUGUAI 8 A 10 DE OUTUBRO DE 2012

X CONFERÊNCIA DE MINISTROS DA DEFESA DAS AMÉRICAS PUNTA DEL ESTE - REPÚBLICA ORIENTAL DO URUGUAI 8 A 10 DE OUTUBRO DE 2012 X CONFERÊNCIA DE MINISTROS DA DEFESA DAS AMÉRICAS PUNTA DEL ESTE - REPÚBLICA ORIENTAL DO URUGUAI 8 A 10 DE OUTUBRO DE 2012 DECLARAÇÃO DE PUNTA DEL ESTE (10 de outubro de 2012) Os Ministros da Defesa e

Leia mais

PRIMEIRA CONFERÊNCIA DOS ESTADOS PARTES DA CONVENÇÃO INTERAMERICANA CONTRA A CORRUPÇÃO. Buenos Aires, Argentina 2, 3 e 4 de maio de 2001

PRIMEIRA CONFERÊNCIA DOS ESTADOS PARTES DA CONVENÇÃO INTERAMERICANA CONTRA A CORRUPÇÃO. Buenos Aires, Argentina 2, 3 e 4 de maio de 2001 PRIMEIRA CONFERÊNCIA DOS ESTADOS PARTES DA CONVENÇÃO INTERAMERICANA CONTRA A CORRUPÇÃO Buenos Aires, Argentina 2, 3 e 4 de maio de 2001 DOCUMENTO DE BUENOS AIRES SOBRE O MECANISMO DE ACOMPANHAMENTO DA

Leia mais

Elaboração do Projeto de Pesquisa

Elaboração do Projeto de Pesquisa Elaboração do Projeto de Pesquisa Pesquisa Pesquisa é um conjunto de atividades, que tem como finalidade solucionar e esclarecer dúvidas e problemas; comprovar hipóteses; Utiliza procedimentos próprios,

Leia mais

Composição Orçamentária ISAGS 2015(*) Natureza Valor Anual (US$) Porcentagem (%) Projetos 709.278,97 35,48% Pessoal 822.

Composição Orçamentária ISAGS 2015(*) Natureza Valor Anual (US$) Porcentagem (%) Projetos 709.278,97 35,48% Pessoal 822. Composição Orçamentária ISAGS 2015(*) Natureza Valor Anual (US$) Porcentagem (%) Projetos 709.278,97 35,48% Pessoal 822.543,34 41,14% Gastos Operacionais 467.445,69 23,38% TOTAL 1.999.268,00 100% 100%

Leia mais

Projeto IPPDH Cooperação Humanitária Internacional

Projeto IPPDH Cooperação Humanitária Internacional TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONSULTORIA PESQUISADOR/A ESPECIALISTA REFÚGIO 1. Antecedentes Projeto IPPDH Cooperação Humanitária Internacional O Projeto Cooperação Humanitária Internacional tem por objetivo

Leia mais

Estatutos da RIICOTEC

Estatutos da RIICOTEC ESTATUTO DA REDE INTERGOVERNAMENTAL IBEROAMERICANA DE COOPERAÇÃO TÉCNICA PARA O DESENVOLVIMENTO DE POLÍTICAS INTEGRAIS PARA AS PESSOAS IDOSAS E PESSOAS COM DEFICIÊNCIA (RIICOTEC) 1 (Com as modificações

Leia mais

Aplicação Prática de Lua para Web

Aplicação Prática de Lua para Web Aplicação Prática de Lua para Web Aluno: Diego Malone Orientador: Sérgio Lifschitz Introdução A linguagem Lua vem sendo desenvolvida desde 1993 por pesquisadores do Departamento de Informática da PUC-Rio

Leia mais

ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL

ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL Diretor Geral O Diretor Geral supervisiona e coordena o funcionamento das unidades orgânicas do Comité Olímpico de Portugal, assegurando o regular desenvolvimento das suas

Leia mais

XX REUNIÃO ESPECIALIZADA DA MULHER DO MERCOSUL ANEXO III. Memória da Reunião

XX REUNIÃO ESPECIALIZADA DA MULHER DO MERCOSUL ANEXO III. Memória da Reunião XX REUNIÃO ESPECIALIZADA DA MULHER DO MERCOSUL ANEXO III Memória da Reunião Realizou-se na cidade de Brasília, República Federativa do Brasil, dias 29 e 30 de outubro de 2008, a XX Reunião Especializada

Leia mais

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS. Sistema on-line

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS. Sistema on-line Sistema on-line O Instituto Ethos Organização sem fins lucrativos fundada em 1998 por um grupo de empresários, que tem a missão de mobilizar, sensibilizar e ajudar as empresas a gerir seus negócios de

Leia mais

Patrocínios: Governos Nacionais e Locais, empresas, organismos de cooperação internacional, universidades, doações.

Patrocínios: Governos Nacionais e Locais, empresas, organismos de cooperação internacional, universidades, doações. Criando ferramentas para a garantia ao direito à convivência familiar e comunitária. Documento Preparatório do Seminário Relaf 2013 Fortalecendo os Avanços. Criando ferramentas para a Garantia do Direito

Leia mais

PROJETO NOVAS FRONTEIRAS. Descrição dos processos de gerenciamento da qualidade

PROJETO NOVAS FRONTEIRAS. Descrição dos processos de gerenciamento da qualidade PROJETO NOVAS FRONTEIRAS PLANO DE GERENCIAMENTO DA QUALIDADE QUALITY MANAGEMENT PLAN Preparado por Mara Lúcia Menezes Membro do Time Versão 3 Aprovado por Rodrigo Mendes Lemos Gerente do Projeto 15/11/2010

Leia mais

Estudo de Caso. Projeto Correspondência Eletrônica nos Correios S.A.

Estudo de Caso. Projeto Correspondência Eletrônica nos Correios S.A. Estudo de Caso Projeto Correspondência Eletrônica nos Correios S.A. A Presidência dos Correios vislumbrou a possibilidade da Empresa apresentar aos seus clientes um novo serviço, que foi denominado de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013

RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013 Publicada no DJE/STF, n. 127, p. 1-3 em 3/7/2013. RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013 Dispõe sobre a Governança Corporativa de Tecnologia da Informação no âmbito do Supremo Tribunal Federal e dá outras

Leia mais

Ajuda ao SciEn-Produção 1. 1. O Artigo Científico da Pesquisa Experimental

Ajuda ao SciEn-Produção 1. 1. O Artigo Científico da Pesquisa Experimental Ajuda ao SciEn-Produção 1 Este texto de ajuda contém três partes: a parte 1 indica em linhas gerais o que deve ser esclarecido em cada uma das seções da estrutura de um artigo cientifico relatando uma

Leia mais

EDITAL 02 Perfil 02 - RETIFICADO

EDITAL 02 Perfil 02 - RETIFICADO EDITAL 02 Perfil 02 - RETIFICADO PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL 914BRZ3018 DESENVOLVIMENTO DA DEMOCRACIA PARTICIPATIVA POR MEIO DA ESPECIALIZAÇÃO DAS POLÍTICAS PÚBLICAS DE JUVENTUDE E DOS

Leia mais

Ministério da Ciência e Tecnologia Programa Sociedade da Informação - SocInfo

Ministério da Ciência e Tecnologia Programa Sociedade da Informação - SocInfo ANEXO 4: Proposta para Cooperação MERCOSUL/UE no âmbito do Projeto RECyT da Escola Virtual da Sociedade da Informação Ministério da Ciência e Tecnologia Programa Sociedade da Informação - SocInfo Proposta

Leia mais

Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 2013. PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD.

Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 2013. PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 203. PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. GESTÃO EAD Os currículos deverão ser encaminhados para o endereço eletrônico

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Art. 1º - A Diretoria de Tecnologia de Informação e Comunicação DTIC da Universidade FEDERAL DO ESTADO DO RIO

Leia mais

SERVICE DESK MANAGER SDM. Manual do Sistema - DPOI

SERVICE DESK MANAGER SDM. Manual do Sistema - DPOI SERVICE DESK MANAGER SDM Manual do Sistema - DPOI Conteúdo SERVICE DESK MANAGER SDM... 1 Manual do Sistema - DPOI... 1 INTRODUÇÃO... 4 ACESSO AO SISTEMA... 5 OPÇÕES DO SISTEMA... 6 SISTEMA... 7 Pesquisar

Leia mais

Estratégias para Gestão de Conteúdos e seu Alinhamento ao Desenho Curricular. Diretoria de Educação Profissional

Estratégias para Gestão de Conteúdos e seu Alinhamento ao Desenho Curricular. Diretoria de Educação Profissional Estratégias para Gestão de Conteúdos e seu Alinhamento ao Desenho Curricular Diretoria de Educação Profissional Elaboração e Implementação de Planos de Cursos Ação institucional organizada pelo Departamento

Leia mais

PROGRAMA DO: Governo da República Federativa do Brasil (Ministério das Cidades Ministério do Meio Ambiente)

PROGRAMA DO: Governo da República Federativa do Brasil (Ministério das Cidades Ministério do Meio Ambiente) PROGRAMA DO: Governo da República Federativa do Brasil (Ministério das Cidades Ministério do Meio Ambiente) COM APOIO DO: Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (UN-HABITAT) e o Programa

Leia mais

FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO ITAIPU - BRASIL PROCESSO FPTI-BR Nº. 0001/2014 Edital Nº 068/2014

FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO ITAIPU - BRASIL PROCESSO FPTI-BR Nº. 0001/2014 Edital Nº 068/2014 FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO ITAIPU - BRASIL PROCESSO FPTI-BR Nº. 0001/2014 Edital Nº 068/2014 A Fundação Parque Tecnológico Itaipu Brasil (FPTI-BR), por meio do PTI Ciência, Tecnologia e Inovação (PTI

Leia mais

Plano Estratégico de Cooperação Multilateral no Domínio da Educação da CPLP (2015-2020)

Plano Estratégico de Cooperação Multilateral no Domínio da Educação da CPLP (2015-2020) COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA Plano Estratégico de Cooperação Multilateral no Domínio da Educação da CPLP (2015-2020) - X Conferência de Chefes de Estado e de Governo da CPLP (ponto 11), Díli,

Leia mais

Coletiva de Imprensa Lançamento Sistema de Informação Estatística sobre TIC do OSILAC/CEPAL. Mariana Balboni osilac@cepal.org

Coletiva de Imprensa Lançamento Sistema de Informação Estatística sobre TIC do OSILAC/CEPAL. Mariana Balboni osilac@cepal.org Coletiva de Imprensa Lançamento Sistema de Informação Estatística sobre TIC do OSILAC/CEPAL Mariana Balboni osilac@cepal.org Agenda I. Programa Sociedade da Informação II. Sistema de Informação estatística

Leia mais

Como o CERNE foi construído?

Como o CERNE foi construído? Por que CERNE? O movimento brasileiro de incubadoras vem crescendo a uma taxa expressiva nos últimos dez anos, alcançando uma média superior a 25% ao ano. Atualmente, as incubadoras brasileiras apóiam

Leia mais

Introdução. O que é Serviços de Terminal

Introdução. O que é Serviços de Terminal Introdução Microsoft Terminal Services e Citrix MetaFrame tornaram-se a indústria padrões para fornecer acesso de cliente thin para rede de área local (LAN), com base aplicações. Com o lançamento do MAS

Leia mais

CPqD Gestão Pública. Gestão Escolar Guia de treinamento. Versão do produto: 4.0.0 Edição do documento: 2.0 Abril de 2010

CPqD Gestão Pública. Gestão Escolar Guia de treinamento. Versão do produto: 4.0.0 Edição do documento: 2.0 Abril de 2010 CPqD Gestão Pública Gestão Escolar Guia de treinamento Versão do produto: 4.0.0 Edição do documento: 2.0 Abril de 2010 CPqD Gestão Pública Gestão Escolar Guia de treinamento Versão do produto: 4.0.0 Edição

Leia mais

PLANO DE AÇÃO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO

PLANO DE AÇÃO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO PLANO DE AÇÃO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO 2014 APRESENTAÇÃO O Plano de Ação ora apresentado planeja o processo da Autoavaliação Institucional, que vem se consolidando na Faculdade Norte Capixaba de São

Leia mais

Aula 9.1 Conteúdo: Tentativas de união na América Latina; Criação do Mercosul. FORTALECENDO SABERES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES

Aula 9.1 Conteúdo: Tentativas de união na América Latina; Criação do Mercosul. FORTALECENDO SABERES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Aula 9.1 Conteúdo: Tentativas de união na América Latina; Criação do Mercosul. 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Habilidade:

Leia mais

BRA/12/018 DESENVOLVIMENTO DE METODOLOGIAS DE ARTICULAÇÃO E GESTÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS PARA PROMOÇÃO DA DEMOCRACIA PARTICIPATIVA

BRA/12/018 DESENVOLVIMENTO DE METODOLOGIAS DE ARTICULAÇÃO E GESTÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS PARA PROMOÇÃO DA DEMOCRACIA PARTICIPATIVA PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL BRA/12/018 DESENVOLVIMENTO DE METODOLOGIAS DE ARTICULAÇÃO E GESTÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS PARA PROMOÇÃO DA DEMOCRACIA PARTICIPATIVA PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO

Leia mais

COMO SE ASSOCIAR 2014

COMO SE ASSOCIAR 2014 2014 QUEM SOMOS FUNDADO EM 2004, O CONSELHO EMPRESARIAL BRASIL CHINA CEBC É UMA INSTITUIÇÃO BILATERAL SEM FINS LUCRATIVOS FORMADA POR DUAS SEÇÕES INDEPENDENTES, NO BRASIL E NA CHINA, QUE SE DEDICA À PROMOÇÃO

Leia mais

Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo

Leia mais

Estabelecer os procedimentos para o gerenciamento dos sistemas e demais aplicações informatizadas do TJAC.

Estabelecer os procedimentos para o gerenciamento dos sistemas e demais aplicações informatizadas do TJAC. Código: MAP-DITEC-001 Versão: 00 Data de Emissão: 01/01/2013 Elaborado por: Gerência de Sistemas Aprovado por: Diretoria de Tecnologia da Informação 1 OBJETIVO Estabelecer os procedimentos para o gerenciamento

Leia mais

OIAPSS : UMA REDE DE INSTITUIÇÕES GOVERNAMENTAIS E NÃO

OIAPSS : UMA REDE DE INSTITUIÇÕES GOVERNAMENTAIS E NÃO O QUE DEVE SER OBSERVADO NUM SISTEMA DE SAÚDE? DESENVOLVIMENTO DE MATRIZ ANALÍTICA PARA ACOMPANHAMENTO DOS SISTEMAS DE SAÚDE DE PAÍSES IBERO-AMERICANOS AUTORES: Conill, E, Fernandes S, Dimitrov P, Xavier

Leia mais

Direitos das Pessoas Idosas e a Implementação da Convenção

Direitos das Pessoas Idosas e a Implementação da Convenção Direitos das Pessoas Idosas e a Implementação da Convenção Perly Cipriano Subsecretário de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos - Brasil Dados atuais sobre envelhecimento no mundo No ano de 2007, 10.7%

Leia mais

Setor Educacional do MERCOSUL - SEM

Setor Educacional do MERCOSUL - SEM MERCOSUL Setor Educacional do MERCOSUL - SEM Os Ministros de Educação do MERCOSUL se reúnem duas vezes por ano há 22 anos para elaborar, coordenar e executar políticas públicas em Educação entre países

Leia mais

XX Congresso Panamericano da Criança e do Adolescente

XX Congresso Panamericano da Criança e do Adolescente CD/doc. 18/08 Resolução CD/RES.07 (83-R/08) 5 de dezembro, 2008. PROJETO DE TEMÁRIO XX Congresso Panamericano da Criança e do Adolescente A realizar-se em Lima, Peru, setembro de 2009. Indice I. Introdução

Leia mais

Comunidade de Prática Internacional para apoiar o fortalecimento e liderança da BIREME OPAS/OMS Fortalecimento institucional da BIREME OPAS/OMS

Comunidade de Prática Internacional para apoiar o fortalecimento e liderança da BIREME OPAS/OMS Fortalecimento institucional da BIREME OPAS/OMS Comunidade de Prática Internacional para apoiar o fortalecimento e liderança da BIREME OPAS/OMS Fortalecimento institucional da BIREME OPAS/OMS TERMOS DE REFERÊNCIA Versão 17/07/2012 No âmbito de um processo

Leia mais

DECLARAÇÃO DO MÉXICO

DECLARAÇÃO DO MÉXICO DECLARAÇÃO DO MÉXICO No encerramento IV FÓRUM IBERO-AMERICANO DA AVALIAÇÃO DE DOCUMENTOS, realizado na cidade de México D.F., no período de 23 a 25 de maio de 2012, os membros do Grupo da Reflexão do Projeto

Leia mais

Capítulo I Da Assembléia Geral

Capítulo I Da Assembléia Geral 1 Regimento Interno do Núcleo de Gestão do Porto Digital Título I Do Regimento Interno Art. 1º O presente Regimento Interno tem como objetivo estabelecer as normas que regerão internamente o Núcleo de

Leia mais

Base de dados sobre Conferências Nacionais

Base de dados sobre Conferências Nacionais Base de dados sobre Conferências Nacionais Apresentação A base de dados aqui apresentada tem por objetivo sistematizar as distintas regras de funcionamento das conferências nacionais e as suas variações,

Leia mais

Hermes Management Consulting T: +54 11 4393 2019 www.hermesmc.com.ar

Hermes Management Consulting T: +54 11 4393 2019 www.hermesmc.com.ar Análise dos custos nas agências de viagem e formas de aperfeiçoamento do setor Hermes Management Consulting T: +54 11 4393 2019 www.hermesmc.com.ar Análise dos custos nas agências de viagem e formas de

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Grupo PETRA S.A. Departamento de Tecnologia da Informação POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Início da Vigência: 01/Maio/2010 Propriedade do Grupo PETRA S.A. 1. INTRODUÇÃO Este documento foi elaborado

Leia mais

MANUAL PARA UTILIZAÇÃO DO MOODLE FACULDADE INTERAÇÃO AMERICANA VIRTUAL - Versão: Aluno

MANUAL PARA UTILIZAÇÃO DO MOODLE FACULDADE INTERAÇÃO AMERICANA VIRTUAL - Versão: Aluno 1 MANUAL PARA UTILIZAÇÃO DO MOODLE FACULDADE INTERAÇÃO AMERICANA VIRTUAL - Versão: Aluno Acessando o sistema 1- Para acessar a Faculdade Interação Americana Virtual digite o seguinte endereço: http://ead.fia.edu.br/

Leia mais

CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES

CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES TERCEIRA REUNIÃO DE MINISTROS DA JUSTIÇA OEA/Ser.K/XXXIV.3 OU DE MINISTROS OU PROCURADORES-GERAIS REMJA-III/doc. 13/00 rev. 2 DAS AMÉRICAS 3 março 2000 1º a 3 de março de 2000 Original: espanhol San José,

Leia mais

BRA/12/018 DESENVOLVIMENTO DE METODOLOGIAS DE ARTICULAÇÃO E GESTÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS PARA PROMOÇÃO DA DEMOCRACIA PARTICIPATIVA

BRA/12/018 DESENVOLVIMENTO DE METODOLOGIAS DE ARTICULAÇÃO E GESTÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS PARA PROMOÇÃO DA DEMOCRACIA PARTICIPATIVA Edital 38/2015 PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL BRA/12/018 DESENVOLVIMENTO DE METODOLOGIAS DE ARTICULAÇÃO E GESTÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS PARA PROMOÇÃO DA DEMOCRACIA PARTICIPATIVA PROCESSO SELETIVO

Leia mais

Certificação para Parceiros de Canais Axis

Certificação para Parceiros de Canais Axis Axis Communications' Academy Certificação para Parceiros de Canais Axis O mais novo requisito para Parceiros de Soluções também é um dos seus melhores benefícios. Axis Certification Program o padrão mundial

Leia mais

O QUE PODEMOS FAZER PARA MELHORAR?

O QUE PODEMOS FAZER PARA MELHORAR? Manual para o Diagnóstico Institucional e o desenho do Plano de Melhoramento FICHAS DE APOIO O QUE PODEMOS FAZER PARA MELHORAR? Aplicação do Ciclo de Melhoramento Contínuo da Gestão Escolar PROGRAMA DE

Leia mais

Será considerado também: A informação contida no texto de apresentação do trabalho. O relato autobiográfico do autor como informação complementar.

Será considerado também: A informação contida no texto de apresentação do trabalho. O relato autobiográfico do autor como informação complementar. Por favor, leia estas bases antes de iniciar o processo de inscrição. Se necessitar de informação ou esclarecimento adicional nos escreva por meio do endereço: premioroche@fnpi.org 1. Prêmio O é uma iniciativa

Leia mais

Programa STIC AmSud/CAPES

Programa STIC AmSud/CAPES Programa STIC AmSud/CAPES PROGRAMA DE COOPERAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO FRANÇA - AMÉRICA DO SUL Edital CGCI n. 002/2008 1. Do programa 1.1 O Programa é uma iniciativa da

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS MISSÃO DO CURSO A concepção do curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas está alinhada a essas novas demandas

Leia mais

REGRAS DE PROCEDIMENTO DA CONFEDERAÇÃO PARLAMENTAR DAS AMÉRICAS

REGRAS DE PROCEDIMENTO DA CONFEDERAÇÃO PARLAMENTAR DAS AMÉRICAS REGRAS DE PROCEDIMENTO DA CONFEDERAÇÃO PARLAMENTAR DAS AMÉRICAS REGRAS DE PROCEDIMENTO DA CONFEDERAÇÃO PARLAMENTAR DAS AMÉRICAS 1. Desenvolvimento das reuniões do Comitê Executivo 1.1 Ordem do dia 1.2

Leia mais

SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A.

SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A. SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A. CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REGIMENTO INTERNO DOS COMITÊS COMITÊ DE FINANÇAS E ORÇAMENTO APROVADO PELO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO EM 24 DE SETEMBRO DE 2014 SUMÁRIO I INTRODUÇÃO

Leia mais

PROGRAMA PARA CAPACITAÇÃO DE INSPETORES PARA A VERIFICAÇÃO DO CUMPRIMENTO DAS BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO DE PRODUTOS MÉDICOS

PROGRAMA PARA CAPACITAÇÃO DE INSPETORES PARA A VERIFICAÇÃO DO CUMPRIMENTO DAS BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO DE PRODUTOS MÉDICOS MERCOSUL/GMC/RES Nº 25/98 PROGRAMA PARA CAPACITAÇÃO DE INSPETORES PARA A VERIFICAÇÃO DO CUMPRIMENTO DAS BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO DE PRODUTOS MÉDICOS TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo

Leia mais

FUNCIONAMENTO DOS CURSOS

FUNCIONAMENTO DOS CURSOS 1 SUMÁRIO Funcionamento dos Cursos... 03 Guia de Percurso... 05 Manual Acadêmico... 07 Ambiente Virtual de Aprendizagem... 09 Edição do Perfil... 12 Acessando as Atividades... 14 Iniciando o Semestre...

Leia mais

Projeto Parcelas Permanentes USP/ESALQ-FAPESP

Projeto Parcelas Permanentes USP/ESALQ-FAPESP BOLETIM DE ATIVIDADES DO PROJETO PARCELAS PERMANENTES - 02 Período: janeiro e fevereiro/2002. Principais temas discutidos na reunião de 06/02/2002 : 1) Seleção de Técnico de Nível Superior No dia 06/02/2002

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DOS GRUPOS DE PESQUISA DA UNISC CADASTRADOS JUNTO AO CNPq

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DOS GRUPOS DE PESQUISA DA UNISC CADASTRADOS JUNTO AO CNPq UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DOS GRUPOS DE PESQUISA DA UNISC CADASTRADOS JUNTO AO CNPq CAPÍTULO I DA NATUREZA E DA FINALIDADE Art. 1º Os grupos de pesquisa são uma

Leia mais

REGIMENTO INTERNO Aprovado dia 02 de julho de 1982

REGIMENTO INTERNO Aprovado dia 02 de julho de 1982 REGIMENTO INTERNO Aprovado dia 02 de julho de 1982 Artigo 1º. - A FUNDAÇÃO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM AGRONOMIA, MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA - FUNEP, além das disposições constantes de seu Estatuto

Leia mais

PDTI - Definição. Instrumento de diagnóstico, planejamento e

PDTI - Definição. Instrumento de diagnóstico, planejamento e PDTI - Definição Instrumento de diagnóstico, planejamento e gestão dos recursos e processos de Tecnologia da Informação que visa atender às necessidades tecnológicas e de informação de um órgão ou entidade

Leia mais

ACORDO SOBRE O PROJETO DE FOMENTO DE GESTÃO AMBIENTAL E PRODUÇÃO MAIS LIMPA EM PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS

ACORDO SOBRE O PROJETO DE FOMENTO DE GESTÃO AMBIENTAL E PRODUÇÃO MAIS LIMPA EM PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS MERCOSUL/CMC/DEC. Nº 03/02 ACORDO SOBRE O PROJETO DE FOMENTO DE GESTÃO AMBIENTAL E PRODUÇÃO MAIS LIMPA EM PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto e a

Leia mais

DECRETO Nº XX.XXX, DE XX DE XXXXXXXXXXXX DE 2009.

DECRETO Nº XX.XXX, DE XX DE XXXXXXXXXXXX DE 2009. DECRETO Nº XX.XXX, DE XX DE XXXXXXXXXXXX DE 2009. Institui a Política de Tecnologia da Informação e Comunicação no Governo do Estado do Piauí, cria o Sistema de Governança de Tecnologia da Informação e

Leia mais

REFERENCIAIS DE IMPLANTAÇÃO DE GESTÃO DO CONHECIMENTO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: MODELO IPEA

REFERENCIAIS DE IMPLANTAÇÃO DE GESTÃO DO CONHECIMENTO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: MODELO IPEA REFERENCIAIS DE IMPLANTAÇÃO DE GESTÃO DO CONHECIMENTO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: MODELO IPEA VALIDAÇÃO DO MODELO CONCEITUAL DE GC DOS CORREIOS POR MEIO DO PROCESSO PILOTO CEP Alceu Roque Rech CORREIOS 17.06.13

Leia mais

POLÍTICA DE PRIVACIDADE

POLÍTICA DE PRIVACIDADE POLÍTICA DE PRIVACIDADE Obrigado por acessar a BaxTalent, uma ferramenta do processo de inscrição online para vaga de trabalho da Baxter. Antes de usar a BaxTalent você deve ler esta política de privacidade.

Leia mais

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Outubro 2009 Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Sustentabilidade Articulação Ampliação dos limites Sistematização Elementos do Novo Modelo Incubação

Leia mais

A Política, a Estratégia e o Livro Branco de Defesa Nacional como instrumentos geradores de confiança mútua na América do Sul

A Política, a Estratégia e o Livro Branco de Defesa Nacional como instrumentos geradores de confiança mútua na América do Sul A Política, a Estratégia e o Livro Branco de Defesa Nacional como instrumentos geradores de confiança mútua na América do Sul Luiz Antônio Gusmão, pesquisador IPC/MD IX Curso de Extensão sobre Defesa Nacional

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SANTOS REGULAMENTO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Para os propósitos deste documento são aplicáveis as seguintes definições:

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SANTOS REGULAMENTO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Para os propósitos deste documento são aplicáveis as seguintes definições: 1 UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SANTOS REGULAMENTO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Para os propósitos deste documento são aplicáveis as seguintes definições: Professor-autor é aquele que possui pleno domínio da área

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO EDITAL 041/2010 - PROJETO BRA/06/032 CÓDIGO: CARTEIRA DE LONGO PRAZO O Projeto BRA/06/032

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO EDITAL 006/2011 - PROJETO BRA/06/032 CÓDIGO: WEB O Projeto BRA/06/032 comunica que estará

Leia mais

Declaração de Cusco sobre a Comunidade Sul-Americana de Nações

Declaração de Cusco sobre a Comunidade Sul-Americana de Nações Declaração de Cusco sobre a Comunidade Sul-Americana de Nações 1 Declaração de Cusco sobre a Comunidade Sul-Americana de Nações Textos aprovados por ocasião da III Cúpula de Presidentes da América do Sul

Leia mais

MERCOSUL. Subgrupo de Trabalho Nº 6 Meio Ambiente XXXI Reunião Ordinária do SGT Nº 6 Meio Ambiente Brasília, Brasil ANEXO III.

MERCOSUL. Subgrupo de Trabalho Nº 6 Meio Ambiente XXXI Reunião Ordinária do SGT Nº 6 Meio Ambiente Brasília, Brasil ANEXO III. MERCOSUL Subgrupo de Trabalho Nº 6 Meio Ambiente XXXI Reunião Ordinária do SGT Nº 6 Meio Ambiente Brasília, Brasil ANEXO III Resumo da Ata Brasília, 30 de agosto a 1º de setembro de 2004 RESUMO DA ATA

Leia mais

PARA A JUNTA DE CURADORES DOS GRUPOS FAMILIARES AL-ANON DO BRASIL

PARA A JUNTA DE CURADORES DOS GRUPOS FAMILIARES AL-ANON DO BRASIL Guia do Al-Anon C-12 PARA A JUNTA DE CURADORES DOS GRUPOS FAMILIARES AL-ANON DO BRASIL Este Guia define as funções e responsabilidades da Junta de Curadores dos Grupos Familiares Al-Anon do Brasil, bem

Leia mais