Programa de Apoio Ao Estudante - PAE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Programa de Apoio Ao Estudante - PAE"

Transcrição

1 Coleção Documentos Normativos da UnP Série Verde: Gestão de Recursos Humanos Título: Programa de Apoio ao Estudante Volume: 5 Programa de Apoio Ao Estudante - PAE (Criado pela Resolução n. 037/2006-ConSUni-UnP, de 30 de maio de 2006)

2 UnP Natal 2006 Todos os direitos reservados UNIVERSIDADE POTIGUAR UNIVERSIDADE POTIGUAR UnP Paulo Vasconcelos de Paula Chanceler Manoel Pereira dos Santos Reitor Mizael Araújo Barreto Vice-Reitor Sâmela Soraya Gomes de Oliveira Pró-Reitora de Graduação Lecy de Maria Araújo Gadelha Fernandes Pró-Reitora de Pesquisa e Pós-Graduação Jurema Márcia Dantas da Silva Pró-Reitora de Extensão e Ação Comunitária (pro-tempore) Eduardo Benevides de Oliveira Pró-Reitor Administrativo Eduardo Benevides de Oliveira Pró-Reitor para Assuntos Financeiros (pro-tempore) Editora Universidade Potiguar - Edunp Francisca Sirleide Pereira Coordenadora Sistema Integrado de Bibliotecas da UnP SIB/UnP Apoio PROGRAMA DE APOIO AO ESTUDANTE - PAE (Criado pela Resolução n. 037/2006-ConSUni-UnP, de 30 de maio de 2006) U58p Universidade Potiguar Programa de apoio ao estudante / Reitoria. Natal : Edunp, p. ; 14 cm. (Coleção Documentos Normativos da UnP. Série Verde: Gestão de Recursos Humanos; v.5). 1. Universidade Potiguar Programa de Apoio ao Estudante. 2. Apoio ao Estudante Programa. I. Título. Universidade Potiguar UnP Av. Nascimento de Castro, nº 1597, Dix-sept Rosado CEP Natal-RN Natal (RN) Dez/2006

3 Programa de Apoio ao Estudante - PAE APRESENTAÇÃO O Programa de Apoio ao Estudante - PAE - tem como principal característica a promoção do bem-estar do aluno da Universidade Potiguar - UnP -, facilitando a sua ambiência acadêmica do ponto de vista da aprendizagem e social. Vinculado à Pró-Reitoria de Extensão e Ação Comunitária e estruturado conforme as perspectivas políticas, fi losófi cas e educativas contidas no Projeto Pedagógico Institucional - PPI -, o PAE apresenta um amplo espectro de possibilidades para o coletivo dos alunos, nos campos da informática, saúde, jurídico, dentre outros. Na composição do PAE, os serviços e outras formas de atendimento aos alunos estão articulados a programas e projetos de ensino, pesquisa, extensão e ação comunitária, adotando como critério a relevância para o discente, compreendido nas dimensões física, psico-social, econômica, ambiental e educacional. As ações do PAE são efetivamente viabilizadas por meio de um suporte multidisciplinar que inclui espaços físicos, como as clínicas-escola, laboratórios e setores institucionais, docentes qualifi cados, pessoal técnico-administrativo especializado e um aparato tecnológico dos mais avançados. Todo o conjunto dessas iniciativas está indicado na presente publicação, cuja estrutura comporta 7 (sete) itens. Os dois primeiros explicitam, respectivamente, a missão e objetivos do PAE. O terceiro diz respeito a programas por meio dos quais os discentes podem ser benefi ciados, situando-se neste caso, por exemplo, o apoio pedagógico, psicopedagógico e a participação em eventos, ações de nivelamento, intercâmbios com outras Ins-

4 Programa de Apoio ao Estudante - PAE Programa de Apoio ao Estudante - PAE tituições de Ensino Superior - IES - e atividades desportivas. Já o quarto item trata de uma série de serviços que, diversifi cados, destinam-se a promover o bem estar do estudante, a exemplo dos situados em saúde, no auto-atendimento eletrônico e no Sistema Integrado de Bibliotecas - SIB/UnP. Os órgãos e setores institucionais de apoio ao discente integram o item quinto, com destaque para a Ouvidoria, Secretaria Geral e Centrais de Atendimento. Por fi m, nos itens sexto e sétimo encontram-se expressas as possibilidades de efetiva participação do alunado em órgãos colegiados e formas de representação estudantil. Na medida em que implementa este Programa, a Universidade Potiguar avança em direção ao cumprimento da sua missão, criando, continuamente, condições para a excelência da formação cidadã, desenvolvida sob os princípios da ética e da responsabilidade social. Manoel Pereira dos Santos Reitor Sumário APRESENTAÇÃO 5 1. MISSÃO 9 2. OBJETIVOS PROGRAMAS Apoio Pedagógico e Psicopedagógico Estágio Centro de Desenvolvimento de Carreiras / UnP Bolsas Bolsa Acadêmica Bolsa Administrativa Participação da UnP em Programas do Governo Federal Participação em Eventos Cenários de Aprendizagem Nivelamento Intercâmbio Esporte Acompanhamento de egresso SERVIÇOS Saúde Assistência jurídica Outras formas de atendimento ÓRGÃOS E SETORES DE APOIO Ouvidoria Secretaria Geral 43

5 Programa de Apoio ao Estudante - PAE Programa de Apoio ao Estudante - PAE Centrais de Atendimento ÓRGÃOS COLEGIADOS Conselho de Curso - CC Conselho Didático-Pedagógico - CDP Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - ConEPE REPRESENTAÇÃO ESTUDANTIL MISSÃO

6 Programa de Apoio ao Estudante - PAE 11 É missão do PAE prestar apoio ao aluno com vistas à sua efetiva integração acadêmica, por meio de programas de ensino, pesquisa e extensão, da prestação de serviços e do desenvolvimento de ações sociais e educacionais. O cumprimento desta missão implica na compreensão do estudante em sua totalidade, ou seja, como indivíduo que contém um conjunto de atributos intelectuais, físicos, sociais, culturais e éticos que lhe conferem a essencialidade humana. É, portanto, um entendimento que pressupõe o ser humano como condicionado pela história do seu tempo, da sua vida, do grupo social de que faz parte. Em respeito a esse conjunto que conforma a humanidade de cada um e do coletivo de alunos/unp, o Programa de Apoio ao Estudante caminha no sentido de que os discentes possam sentirse plenamente incorporados ao ambiente universitário, sendo-lhes oferecidas condições para: a) construir aprendizagens diversas, seja no campo da própria formação técnico-profi ssional, seja no terreno da constituição da cidadania; b) superar ou minimizar eventuais difi culdades e fatores que possam interferir nessas aprendizagens, considerando as diversas formas em que venham a se apresentar: psicológica, didáticopedagógica, social, jurídica e de saúde, observados os limites inerentes a um Programa da natureza do PAE;

7 12 Programa de Apoio ao Estudante - PAE Programa de Apoio ao Estudante - PAE 13 c) apreender os valores circunscritos à formação cidadã, convivendo ética e solidariamente com os colegas, professores e demais segmentos acadêmicos. Isto signifi ca que o PAE está diretamente articulado ao Projeto Pedagógico Institucional e aos projetos pedagógicos dos cursos de graduação, contribuindo para a sua implementação. E mais: exprime uma estratégia para que o discente cultive o sentimento de pertença, isto é, de ser aluno desta Universidade, mantendo com a sua Instituição laços identitários, inclusive, após a conclusão do curso. Portanto, na medida em que tem como foco o aluno e em que procura atender às suas expectativas, relativamente à concretização de aprendizagens adstritas à profissionalidade cidadã, o Programa de Apoio ao Estudante representa uma das expressões da responsabilidade social da Universidade Potiguar, constituindo-se em uma das iniciativas necessárias a excelência da formação cidadã. 2. OBJETIVOS

8 Programa de Apoio ao Estudante - PAE 15 A excelência da formação cidadã e uma perfeita ambiência acadêmica são intenções que perpassam os serviços e ações que compõem o PAE e que encontram desdobramentos nos objetivos seguintes: promover condições efetivas para que o aluno possa aprender a aprender, aprender a agir e aprender a ser, por meio da implementação de ações de natureza sócio-educacional, cultural, ambiental, científi ca e tecnológica, sob o princípio da indissociabilidade ensino, pesquisa e extensão; adotar estratégias de permanência do aluno na Universidade, observando-se como critérios básicos a qualidade do ensino e o respeito e atendimento a necessidades específi cas, à diversidade de interesses, de culturas e experiências; desenvolver mecanismos diversificados de apoio ao discente e ao egresso nos processos de continuidade de estudos e de inserção no mercado de trabalho. Todos esses objetivos, encontrando como fontes de referência as peculiaridades do alunado e as diretrizes da Universidade Potiguar, expressas no Projeto Pedagógico Institucional PPI e no Plano de Desenvolvimento Institucional - PDI - serão viabilizados de tal modo que o discente, cada vez mais, se identifi que com a missão da Universidade e com os objetivos do seu curso, e se perceba integrante de uma Instituição cujo foco de atuação deve resultar no exercício de uma profi ssão fundada na cidadania.

9 Programa de Apoio ao Estudante - PAE PROGRAMAS

10 Programa de Apoio ao Estudante - PAE 19 Uma das grandes marcas da Universidade Potiguar é o desenvolvimento de um amplo leque de programas e projetos de ensino, pesquisa, extensão e ação comunitária. Os mesmos são viabilizados a partir de expressivos investimentos aplicados na ampliação e aperfeiçoamento de todo o seu aparato físico, material, de recursos humanos e tecnológicos e da manutenção de convênios e de uma rede de parcerias com instituições e órgãos governamentais e não governamentais. Os programas e projetos, criados a partir de demandas sociais e educacionais identificadas interna e externamente, são implementados de modo que, simultaneamente, dêem sustentação ao desenvolvimento curricular dos cursos de graduação e manifestem a materialização da responsabilidade social da Universidade Potiguar, relativamente à sua comunidade acadêmica e aos diferentes segmentos populacionais que procuram os serviços da UnP. Nesse sentido é que estão organizados os vários programas, incidindo no apoio pedagógico e psicopedagógico, na concessão de bolsas, passando pela facilitação da realização de estágios, assistência jurídica e na saúde, até o encaminhamento ao mercado de trabalho. É um todo de ações, portanto, do qual se esperam repercussões positivas, sobretudo, na facilitação do processo de construir ou consolidar aprendizagens Apoio Pedagógico e Psicopedagógico O apoio pedagógico aos discentes da UnP é propiciado pelo Laboratório de Apoio Pedagógico - LAPe -, vinculado à Reitoria. Quando necessário, o LAPe é acionado pela diretoria

11 20 Programa de Apoio ao Estudante - PAE Programa de Apoio ao Estudante - PAE 21 do curso ao qual o aluno está vinculado, para prestar orientações e equacionar problemas de ordem pedagógica, dentre os quais, por exemplo: rendimento acadêmico; relacionamento professor-aluno; relacionamento aluno-aluno; procedimentos metodológicos adotados pelos docentes; procedimentos e instrumentos de avaliação da aprendizagem utilizados pelo professor. Do ponto de vista psico-pedagógico, o discente conta com o Serviço Integrado de Psicologia - SIP -, com funcionamento na Unidade Salgado Filho, Campus Sede Natal, onde está localizado o Pólo de Ensino da Saúde/UnP. Os estudantes são atendidos por estagiários do Curso de Psicologia, sob a supervisão de docentes qualifi cados, para atendimento àqueles que se apresentem com difi culdades de aprendizagem ou distúrbios de comportamento Estágio O estágio, de acordo com o Regimento Geral da Universidade, compreende um conjunto de atividades de prática pré-profi ssional, realizadas em situações reais de trabalho, sem que haja vínculo empregatício. Sob esse entendimento e de acordo com as normas pertinentes, o estágio/unp está organizado em duas modalidades 1 : a) estágio curricular obrigatório, quando indicado pelas diretrizes curriculares nacionais para os cursos de graduação, como requisito sem o qual o aluno não pode concluir o seu curso; 1 Normas específicas integram o Regulamento dos estágios curriculares, da Universidade Potiguar, e dos Regulamentos de cada curso de graduação. b) estágio curricular não obrigatório, de livre escolha do aluno, em local de interesse próprio. Esta modalidade, mediante documento comprobatório, poderá integrar o histórico do aluno, sob a rubrica atividades complementares. Ambas as modalidades, previstas nos projetos pedagógicos dos cursos, são compreendidas como espaços para a ampliação e consolidação de aprendizagens e vivência de situações de trabalho em ambientes da Universidade e extra-universitários. Com isto, espera-se que o estudante possa ir clareando caminhos para um aprofundamento de estudos e se adaptando, psicológica e socialmente, às condições das futuras atividades profi ssionais. Do ponto de vista do apoio ao aluno, a UnP oferece convênios com empresas e instituições governamentais e não governamentais para oferta de campos de estágio, efetivando, também, o encaminhamento do estudante com melhor desempenho acadêmico a empresas diversas, para realização de estágio remunerado. Além disso, a UnP abre oportunidades de estágio não obrigatório nas diretorias de curso ou em setores técnicos institucionais, de acordo com as necessidades apresentadas. São mantidos também convênios com instituições e ou empresas, com vistas a facilitar a colocação do aluno em estágio, tais como: Instituto Euvaldo Lodi IEL; Centro de Integração Empresa-Escola CIEE; AC Informática; Central de Estágios GELRE; Agente de Integração LTDA; Sistema Social de Apoio Educacional. Há, ainda, convênios no campo do Direito, como: Tribunal de Justiça do Estado TJE; Tribunal Regional do Trabalho TRT/RN;

12 22 Programa de Apoio ao Estudante - PAE Programa de Apoio ao Estudante - PAE 23 Tribunal de Contas do Estado/RN TCE/RN; Procuradoria Geral do Estado; Procuradoria Geral de Justiça; varas cíveis e criminais estaduais e federais, dentre outros. A Mantenedora da Universidade Potiguar, a Associação Potiguar de Educação e Cultura - APEC -, oferece estágio interno, remunerado, aos alunos oriundos do Centro de Educação Profissional e Ambiental Escola das Dunas 2. Quando matriculados em cursos de graduação, esses alunos podem realizar estágio nos diversos setores administrativos e acadêmicos da Universidade Potiguar Centro de Desenvolvimento de Carreiras / UnP Merece destaque o Centro de Desenvolvimento de Carreiras da Universidade Potiguar - CDC/UnP 3 -, cujas ações, focalizadas no aprender a gerenciar a própria carreira, promovem o aprimoramento cultural, o zelo pela qualidade de vida e pelo crescimento pessoal e o desenvolvimento de habilidades inter-pessoais. Por meio do CDC, o aluno é colocado em estágio, sendo envolvido em atividades diversas: workshops, treinamentos específi cos, orientação sobre montagem de curriculum vitae, aconselhamento individual e de grupo, role playing sobre entrevistas de emprego, dentre outras. O CDC, também como responsável pelo acompanhamento de egressos, é uma iniciativa por meio da qual o aluno, antecipadamente, lida com questões e situações diretamente articuladas ao mercado de trabalho, sobretudo, no que diz respeito às condições de inserção e de um exercício profi ssional competente, do ponto de vista técnico e da cidadania Bolsas A política de bolsas/unp tem por objetivo estimular e apoiar a permanência do estudante de graduação na Universidade, possibilitando-lhe um melhor desempenho nas atividades acadêmicas e, conseqüentemente, melhor qualifi cação profi ssional. A UnP oferece duas modalidades de bolsas: I - bolsa acadêmica; II - bolsa administrativa. As duas modalidades são concedidas sob a forma de desconto no valor da parcela mensal da semestralidade, em percentuais fi xados pela Mantenedora da Universidade. Além disso são adotadas alternativas para facilitar o acesso de vários segmentos da população à Universidade, principalmente os de baixa renda, e a permanência deles no ensino superior, por meio da participação institucional em programas do governo federal. 2 Este Centro integra a estrutura física da UnP e está localizado em uma comunidade praieira - Pitangui, município de Extremoz/RN. Além de ofertar o ensino médio, gratuitamente, para os jovens que carecem desse nível de escolarização, o Centro, por meio da Escola das Dunas, tem se constituído em campo para pesquisa e estágio de cursos de graduação, propiciando serviços à população local. 3 Para informações mais completas v. ABREU, Cynara Carvalho de. O centro de desenvolvimento de carreiras: uma proposta de implantação na Universidade Potiguar. Natal, Bolsa Acadêmica A bolsa acadêmica objetiva estimular o aluno a participar de atividades de monitoria, de iniciação científica e de extensão e ação comunitária, disponibilizada por meio dos seguintes programas: Programa de Bolsas de Iniciação Científica - Pro- BIC, benefi ciando alunos participantes de projetos de

13 24 Programa de Apoio ao Estudante - PAE Programa de Apoio ao Estudante - PAE 25 pesquisa aprovados pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - ConEPE; Programa de Bolsas de Monitoria - ProBOM, benefi ciando alunos que têm interesse na atividade docente, estimulando o aprofundamento de estudos e o trabalho cooperativo; Programa de Bolsas de Extensão - ProBex incentiva a participação do aluno em ações desenvolvidas através de programas e projetos de extensão e ação comunitária relevantes acadêmica e socialmente Bolsa Administrativa A bolsa administrativa objetiva apoiar, fi nanceiramente: I - alunos da graduação; II - ex-alunos da graduação/unp em cursos de pós-graduação/unp. A bolsa administrativa é disponibilizada a discentes da Universidade Potiguar nas seguintes condições: I - para aluno de curso de graduação a) quando o pagamento da mensalidade for efetivamente realizado até o vencimento, ou seja, até o dia 05 de cada mês, sendo o valor nominal do desconto definido, em portaria, pela APEC. Essa fixa, também, o valor da parcela mensal da semestralidade escolar; b) quando ocorrer o pagamento antecipado da semestralidade escolar, incidindo o desconto sobre o valor vigente para o pagamento da parcela até o dia 05 de cada mês; c) Plano Família: destinado a aluno que tenha parente regularmente matriculado na UnP, especificamente pai, mãe, filho, irmãos ou cônjuges, condição a ser comprovada por documento hábil e aceito pela Universidade, incidindo o desconto sobre o valor vigente para o pagamento da parcela até o dia 05 de cada mês; d) o aluno que tenha concluído anteriormente curso de graduação na UnP faz jus a desconto de 10% (dez por cento), incidente sobre o valor pago até o dia 05 de cada mês; e) colaboradores da Mantenedora e da UnP também podem ser benefi ciados com desconto, em percentuais e formas estabelecidos em ato específi co; f) Plano Empresarial: no caso de interesses recíprocos entre a APEC e empresas, instituições ou associações, poderão ser celebrados convênios ou contratos, nos quais serão estabelecidas as condições específi - cas de descontos; g) para aluno do curso de graduação em Medicina serão aplicados, exclusivamente, os descontos relativos ao pagamento até o vencimento, ou seja, até o dia 05 de cada mês e a pagamento antecipado da semestralidade escolar. A aplicação dessas formas de desconto para alunos de graduação é efetivada de acordo com as seguintes regras gerais: a) o desconto incidirá na parcela subseqüente à data do requerimento da sua concessão; b) os descontos não são cumulativos, excetuando-se a hipótese de cumulação do desconto para pagamento até o dia 05 de cada mês (data de vencimento da parcela da semestralidade), com outro desconto estabelecido em portaria específi ca da Mantenedora; c) os descontos não incidem na primeira parcela da semestralidade escolar, excetuando-se, apenas, o caso de pagamento antecipado do semestre;

14 26 Programa de Apoio ao Estudante - PAE Programa de Apoio ao Estudante - PAE 27 d) não serão concedidos descontos retroativos; e) para usufruir do desconto, o benefi ciado deve comprovar seu vínculo com a Universidade regularizado, na forma e termos previstos no Regimento Geral e em observância aos prazos defi nidos no Calendário Acadêmico; f) o desconto terá validade exclusivamente para os pagamentos efetivados até o dia 05 de cada mês, data do vencimento, perdendo o desconto o aluno que efetivar o pagamento após o vencimento. II - para aluno de curso de pós-graduação O aluno de pós-graduação stricto sensu ou lato sensu pode ser benefi ciado com a concessão de descontos de até 20% (vinte por cento) em percentuais defi nidos quando da aprovação do projeto pedagógico de cada curso, e a partir da vigência estabelecida em ato específi co da Mantenedora. A concessão dos descontos em cursos de pós-graduação ocorre nas seguintes modalidades e condições: a) aluno vinculado à pessoa jurídica convenente com a UnP, para oferta de cursos de pós-graduação: I - 0 a 4 alunos - sem desconto; II - 5 a 8 alunos - 5% (cinco por cento); III - 9 a 12 alunos - 10% (dez por cento); IV - 13 a 16 alunos - 15% (quinze por cento); V - 17 alunos ou mais - 20% (vinte por cento). b) Plano Família: desconto de até 20% (vinte por cento), de acordo com o projeto pedagógico do curso, observando-se as mesmas defi nições para aluno da graduação; c) colaboradores: desconto de até 50% (cinqüenta por cento), de acordo com o projeto pedagógico do curso e mediante autorização expressa das Pró-Reitorias Administrativa e Financeira; d) pagamento antecipado da semestralidade escolar: desconto de 20% (vinte por cento) aplicado sobre o valor referente ao maior parcelamento disponível para o curso, excetuando-se os casos de prévia fi xação do valor para pagamento antecipado no projeto pedagógico do curso. Para a concessão dos descontos a alunos de curso de pósgraduação aplicar-se-ão as seguintes regras gerais: a) os descontos não são cumulativos; b) fi cam excluídos os alunos vinculados a cursos de pósgraduação em regime de parceria, objeto de contrato ou convênio específi co; c) os descontos incidirão, exclusivamente, para os pagamentos efetivados até o dia 05 de cada mês (vencimento); d) os descontos somente incidirão a partir da segunda parcela do curso de pós-graduação, ou quando requerida após esta data, na parcela imediatamente posterior à data do protocolo do requerimento e do seu deferimento; e) turmas constituídas, especifi camente, para atender a interesses de pessoa jurídica, serão objeto de contrato próprio Participação da UnP em Programas do Governo Federal A Universidade aderiu às iniciativas governamentais voltadas para o acesso e permanência de jovens egressos do ensino médio, tais como: Programa Universidade para Todos - ProUni, destinado a candidatos oriundos do ensino médio público, ou

15 28 Programa de Apoio ao Estudante - PAE Programa de Apoio ao Estudante - PAE 29 da rede privada, desde que, no segundo caso, tenham sido benefi ciados com bolsa de 100% durante todo este nível de ensino, e que tenham realizado o Exame Nacional do Ensino Médio - ENEM; Programa de Financiamento Estudantil - FIES, que benefi cia o aluno com bolsa de 50% do valor da parcela da mensalidade do curso Participação em Eventos Este programa está diretamente relacionado aos projetos pedagógicos dos cursos de graduação e objetiva ampliar e diversifi car cenários de aprendizagens para os estudantes, assim como aguçar o espírito investigativo, a autonomia intelectual e estimular o exercício das habilidades de interpretação, síntese, comunicação oral e escrita. Esta forma de apoio aos discentes é implementada por meio de ajuda de custos concedida pela UnP para: inscrição em eventos científi cos, como congressos, simpósios, seminários, fóruns, dentre outros; confecção de banners; produção de material para multimídia; transporte, hospedagem e alimentação. A concessão dessa forma de apoio está condicionada ao cumprimento dos critérios, a saber: a) aprovação do plano de metas da diretoria de curso, contendo as ações de participação dos alunos em eventos científi cos; b) a participação dos discentes deve ocorrer em eventos situados na sua área de formação; c) prioritariamente, devem ser benefi ciados estudantes envolvidos em projetos de pesquisa, iniciação científi - ca, extensão, ação comunitária e monitoria; d) somente é concedida a ajuda de custos a alunos que apresentem trabalhos, e que essa produção esteja relacionada às linhas institucionais de pesquisa e de extensão. A intenção, com este tipo de apoio, é que o aluno se engaje mais em projetos de pesquisa, extensão e ação comunitária, como bolsista ou voluntário, exercitando-se, desde a graduação, em atividades que promovam o seu contato com alunos e profi ssionais de outras IES ou de entidades de classe Cenários de Aprendizagem A implementação deste programa objetiva ampliar, fl exibilizar e enriquecer a formação do aluno, na medida em que lhe são dadas oportunidades para aprendizagens diversificadas, a partir de situações de problematização da realidade, do contato com diferentes espaços geográfi cos, culturas, segmentos sociais e de atividades solidárias. São iniciativas de ensino, pesquisa e extensão que irão motivar o aluno em direção a uma aprendizagem crítica e favorável ao estabelecimento da curiosidade epistemológica 4 ; a uma aprendizagem que instigue a curiosidade, que motive o estudante a exercer a sua autonomia, a ser criativo e saber intervir, com ética e rigor científi co, nas diferentes realidades. Nesse sentido é que o programa abrange um conjunto de iniciativas curriculares, a saber: 4 FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 33ª edição. Rio de Janeiro: Paz e Terra, O autor concebe a curiosidade epistemológica para além da curiosidade ingênua, isto é, do senso comum, pressupondo indagações, crítica e rigor metodológico.

16 30 Programa de Apoio ao Estudante - PAE Programa de Apoio ao Estudante - PAE 31 aulas de campo em outras cidades ou estados; atividades extensionistas e de pesquisa; eventos científicos, culturais e técnicos; divulgação de trabalhos e produção discente; participação em atividades sociais junto à comunidade. Operacionalmente são disponibilizados recursos fi nanceiros institucionais destinados a despesas com transporte dos alunos, desde que as atividades constem do projeto pedagógico e do plano de metas de cada curso e sejam aprovados pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão ConEPE, pela Mantenedora e pela Reitoria Nivelamento No âmbito das ações de apoio ao discente, a Universidade Potiguar adota uma política de nivelamento para superar fatores que estejam criando obstáculos às aprendizagens, prioritariamente dos alunos ingressantes. Assim, desde o primeiro momento da vivência na Universidade Potiguar, o acadêmico terá à disposição um conjunto de elementos materiais, de pessoal técnico-administrativo e docentes qualifi cados que irão auxiliá-lo a inserir-se, pedagógica e socialmente, no novo ambiente, de forma solidária e produtiva. Isto signifi ca considerar o fato de que, via de regra, o aluno originário do ensino médio tem à frente vários desafi os. Um deles é a necessidade de apreender, criticamente, conhecimentos em um nível de maior complexidade, o que requer, na maioria das vezes, habilidades também complexas e ainda não desenvolvidas. Outra difi culdade são as possíveis lacunas não preenchidas durante a escolaridade média, sobretudo, no tocante aos campos da língua portuguesa, da matemática e da compreensão dos condicionantes histórico-sociais que marcam a realidade. Depois, ainda existe a necessidade de uma conduta mais responsável e ética, comprometida com a própria aprendizagem e com a de seus colegas, respeitadas as exigências de uma convivência harmoniosa e de preservação do espaço físico universitário. As ações de nivelamento, portanto, têm como objetivos 5 : a) introduzir o aluno no ensino superior, trabalhando-se, principalmente, atitudes compatíveis com o ambiente acadêmico, a capacidade de leitura crítica da realidade, a capacidade de comunicar-se cientificamente e o desenvolvimento da autonomia intelectual; b) sedimentar conhecimentos situados no campo da educação geral, condição básica ao processo formativo, nas suas dimensões humanística e técnica; c) minimizar dificuldades de aprendizagem, cuja gênese esteja relacionada à diversidade e heterogeneidade, tanto do percurso formativo do ensino médio, quanto a forma de ingresso no curso, se por transferência ou processo seletivo. As ações de nivelamento podem ocorrer por meio de: oferta de disciplinas, na série regular, que integrem o Ciclo de Formação Geral (disciplinas integrativas e de formação geral) 6 ; aulas ou outras atividades de reforço, em horários alternativos, quando se detectam problemas de apren- 5 UNIVERSIDADE POTIGUAR. PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO. Política de nivelamento. Natal, Os cursos de graduação, a partir de 2006, têm uma organização curricular constituída de três ciclos de formação: 1) Ciclo de Formação Geral; 2) Ciclo de Formação Básica Profi ssionalizante e 3) Ciclo Profi ssionalizante.

17 32 Programa de Apoio ao Estudante - PAE Programa de Apoio ao Estudante - PAE 33 dizagem do aluno ingressante, relativamente à apreensão dos conhecimentos considerados essenciais a este ciclo formativo. A atividade de reforço incide nas demandas de cada curso/ grupo de alunos, e tem como critério básico a sua relevância para o processo de formação Intercâmbio A Universidade Potiguar mantém convênios com Instituições de Ensino Superior - IES - com fi nalidades diversas: cooperação técnica, acadêmica, científi ca, administrativa e de intercâmbio de interesses interinstitucionais; ações de titulação; intercâmbio de estudantes, dentre outros. São conveniadas instituições nacionais, como a Anhembi Morumbi e a Universidade de Fortaleza UNIFOR. Dentre as internacionais são mantidos intercâmbios com a Universidade Moderna de Lisboa, Universidad de Burgos, Instituto Politécnico da Guarda - IPG - e Southern Maine Technical College - SMTC Esporte O funcionamento do Setor de Esportes representa um dos aspectos da contemporaneidade da Universidade, na medida em que ao incentivar e promover a prática desportiva em todo o ambiente acadêmico, a Universidade está, efetivamente, interferindo na qualidade de vida das pessoas. As iniciativas no campo da atividade física são executadas com as seguintes intenções: a) adoção de um estilo de vida fi sicamente ativo e saudável; b) enriquecimento cultural; c) estímulo à convivência solidária e participativa; d) melhoria das condições físicas e psicológicas, com repercussões no desempenho acadêmico. Tendo como foco o movimento humano e algumas das suas formas de expressão, o programa de esportes termina por benefi ciar o aluno sob o ponto de vista fi siológico, psicológico e social, melhorando a capacidade funcional e a qualidade de vida. A viabilização desses objetivos é possibilitada mediante a oferta de várias modalidades de atividade física, como dança, ginástica, natação, pilates, dentre outros. Tais ações são asseguradas por meio de convênios e parcerias com associações e academias locais Acompanhamento de egresso Tendo em vista o fortalecimento dos laços entre a Universidade e o egresso, é adotada no âmbito institucional uma série de iniciativas sócio-educacionais, que valorizam a identidade que o ex-aluno mantém com a sua Universidade. Ao mesmo tempo o egresso representa uma das fontes de informações capazes de infl uenciar o aperfeiçoamento dos projetos pedagógicos e dos serviços educacionais que a UnP oferece. É sob essa perspectiva e da educação continuada que estão organizados diversos espaços para o egresso, como cursos de pós-graduação e atualização científica. Relevantes, também, são o encaminhamento do egresso ao mercado de trabalho, por meio do Centro de Desenvolvimento de Carreiras, e a sua participação nas associações de ex-alunos. Destaque-se que o egresso da Universidade Potiguar, ao assumir função docente ou técnico-administrativa na própria Instituição, pode ser benefi ciado pelo convênio existente com a Uni-

18 34 Programa de Apoio ao Estudante - PAE Programa de Apoio ao Estudante - PAE 35 versidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN -, no Curso de Pós-graduação Stricto Sensu em Engenharia de Produção. A exemplo do aluno/unp, o egresso de cursos de graduação pode procurar os respectivos diretores para que possa: participar de discussões de casos clínicos ou de outros situados nos campos de sua atuação profi ssional; proferir palestras em eventos promovidos pelos cursos; integrar bancas examinadoras de trabalho de conclusão de curso; divulgar trabalhos produzidos de forma autônoma ou trabalho fi nal de pós-graduação; participar do congresso científi co e da mostra de extensão/unp. A Universidade Potiguar, em sua página eletrônica, abre espaços destinados ao egresso, com os seguintes links: Centro de Desenvolvimento da Carreira Profi ssional - CDC; associações de classe; revistas especializadas; bibliotecas nacionais e internacionais; artigos em geral; artigos produzidos por ex-alunos; cadastro de egressos, por curso; banco de curriculum vitae; convênios e parcerias da UnP com o mercado de trabalho; concursos públicos (divulgação e cursos de preparação/unp). 4. SERVIÇOS

19 Programa de Apoio ao Estudante - PAE 37 Diversos serviços são oferecidos aos alunos dentro da própria Universidade, alguns dos quais vinculados aos cursos de graduação e outros em setores técnico-administrativos. Os serviços oferecidos por meio da graduação representam um desdobramento das atividades de ensino, pesquisa e extensão. Isto porque representa uma dupla perspectiva para o aluno: do ponto de vista da formação, abre-se uma nova dimensão profissional e do ponto de vista da cidadania e da qualidade de vida, porque eles encontram possibilidades de superar fatores de várias ordens que estejam, de alguma forma, interferindo na aprendizagem ou na ambiência acadêmica. Situam-se neste caso, por exemplo, a assistência jurídica e o atendimento em saúde. Já os serviços de natureza técnico-administrativa constituem apoio às atividades fi nalísticas da Universidade, facilitando o dia-a-dia acadêmico, por meio de setores diversos e de ferramentas tecnológicas Saúde Os serviços ofertados em saúde são implementados pelo Pólo de Ensino da Saúde/UnP, integrado pela graduação da área de Ciências Biológicas e da Saúde, por meio das Clínicas-escola e de outros ambientes específicos dos cursos de Educação Física, Enfermagem, Farmácia e Bioquímica, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Nutrição, Odontologia, Psicologia e Terapia Ocupacional.

20 38 Programa de Apoio ao Estudante - PAE Programa de Apoio ao Estudante - PAE 39 Esses serviços, realizados por docentes e alunos concluintes, sob a supervisão dos primeiros, são disponibilizados tanto por meio de projetos de pesquisa, de extensão e de ação comunitária, quanto mediante atividades práticas e de estágio curricular. Os discentes, portanto, são benefi ciados nas mais diferentes especialidades. Podem fazer exames no Laboratório de Análises Clínicas e Toxicológicas; submeter-se a tratamentos fi sioterápicos em ortopedia, reumatologia, mastectomia, dentre outros; fazer consultas e tratamentos fonoaudiológicos, além de exame audiológico, laringoscopia, por exemplo. Outros atendimentos podem ser realizados nos campos: da odontologia, mediante procedimentos relativos à exodontia, radiografi a, endodontia e tratamentos preventivos, inclusive no serviço de urgência e no trailler odontológico; da terapia ocupacional, sendo disponibilizados serviços em trauma-ortopedia, por exemplo, ou outros que requeiram o uso dos laboratórios de seeting (órteses e adaptações para cadeiras de rodas) e de vida diária, próteses e órteses Assistência jurídica A assistência jurídica é uma outra forma de apoio da Universidade Potiguar a seu aluno. Pelo Núcleo de Prática Jurídica Professor Otto de Brito Guerra - NPJ, principal campo de estágio do Curso de Direito, o estudante tem acesso à consultoria, assessoria e assistência jurídica, ou seja, consultas e orientações e, quando necessário, o ajuizamento e acompanhamento de ação Outras formas de atendimento No elenco das alternativas institucionais destinadas à facilitação do cotidiano acadêmico são disponibilizados ao estudante o Serviço de Atendimento ao Discente dos cursos de Comunicação Social - SIACom Discente, bem como laboratórios de informática, conectados à Internet e, ainda, todo um conjunto de ações originadas pelo Sistema Integrado de Bibliotecas da Universidade Potiguar SIB/UnP. - SIB/UnP O Sistema Integrado de Bibliotecas - SIB/UnP é inteiramente informatizado, contando com mecanismo de automação de dados por meio do qual fica assegurado o acesso imediato às informações, de tal modo que os usuários podem realizar consultas, empréstimos ou fazer reservas a partir de qualquer Unidade do Campus Sede Natal e do Campus Mossoró ou, ainda, via internet. Os usuários dispõem de tecnologias e ambientes especialmente organizados para leitura individual e em grupo; podem fazer pesquisas, por meio de acesso à Internet, reservas e empréstimos. - Apoio aos portadores de necessidades especiais O aluno que apresenta defi ciência física conta com toda a infra-estrutura física devidamente adaptada: banheiros com barras de apoio, rampas de acesso aos prédios, elevadores, reserva de vagas nos estacionamentos, telefones em altura adequada. Em particular, o discente que apresenta limitações auditivas dispõe de profi ssionais especializados, contratados para auxiliar o docente durante as aulas teóricas e práticas.

REGIMENTO INTERNO FACULDADE

REGIMENTO INTERNO FACULDADE 2014 REGIMENTO INTERNO FACULDADE Este é o Regimento Interno em vigor, e tem como objetivo normatizar e disciplinar o funcionamento da FACULDADE DE ECONOMIA E FINANÇAS IBMEC - RJ. SUMÁRIO TÍTULO I... 7

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO UNIVERSITÁRIA FASE/FMP

ADMINISTRAÇÃO UNIVERSITÁRIA FASE/FMP 1 ADMINISTRAÇÃO UNIVERSITÁRIA FASE/FMP Supervisora Geral Profª Maria Isabel de Sá Earp de Resende Chaves Diretor da Faculdade de Medicina de Petrópolis FMP Prof. Paulo Cesar Guimarães Diretora da Faculdade

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE RESOLUÇÃO Nº 171/2013-CONSEPE, de 5 de novembro de 2013. Aprova o Regulamento dos Cursos Regulares de Graduação da Universidade Federal

Leia mais

8. ENSINO FUNDAMENTAL

8. ENSINO FUNDAMENTAL 8. ENSINO FUNDAMENTAL 8.1 ORGANIZAÇÃO DO ENSINO FUNDAMENTAL A legislação educacional brasileira define que o ensino fundamental, com duração de oito anos, é de freqüência obrigatória e oferta gratuita

Leia mais

profissional técnica de nível médio

profissional técnica de nível médio As novas diretrizes curriculares nacionais para a educação básica e suas implicações na educação profissional técnica de nível médio Francisco Aparecido Cordão * Resumo O artigo apresenta o arcabouço legal

Leia mais

Equipe de Gestores. Colaborador. Cargo. E-mail paulogoncalves@fasam.edu.br italocastro@fasam.edu.br. Diretor-Geral Diretor Administrativo e Financeiro

Equipe de Gestores. Colaborador. Cargo. E-mail paulogoncalves@fasam.edu.br italocastro@fasam.edu.br. Diretor-Geral Diretor Administrativo e Financeiro Apresentação Com o intuito de interagir alunos e administração, a Faculdade Sul-Americana preparou este Manual do Aluno da Fasam, contendo o informações importantes sobre a Faculdade, procedimentos administrativos

Leia mais

SENADO FEDERAL SECRETARIA ESPECIAL DE EDITORAÇÃO E PUBLICAÇÕES SUBSECRETARIA DE EDIÇÕES TÉCNICAS. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional

SENADO FEDERAL SECRETARIA ESPECIAL DE EDITORAÇÃO E PUBLICAÇÕES SUBSECRETARIA DE EDIÇÕES TÉCNICAS. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional SENADO FEDERAL SECRETARIA ESPECIAL DE EDITORAÇÃO E PUBLICAÇÕES SUBSECRETARIA DE EDIÇÕES TÉCNICAS Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional BRASÍLIA - 2005 LEI DE DIRETRIZES E BASES DA EDUCAÇÃO

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO SERRA DOS ÓRGÃOS ESTATUTO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO SERRA DOS ÓRGÃOS UNIFESO

CENTRO UNIVERSITÁRIO SERRA DOS ÓRGÃOS ESTATUTO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO SERRA DOS ÓRGÃOS UNIFESO CENTRO UNIVERSITÁRIO SERRA DOS ÓRGÃOS ESTATUTO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO SERRA DOS ÓRGÃOS UNIFESO Aprovado no Conselho de Ensino e Pesquisa - CEP Parecer n.º 23/2006 Aprovado no Conselho de Administração

Leia mais

Diretrizes do Programa Ensino Integral

Diretrizes do Programa Ensino Integral 1 Diretrizes do Programa Ensino Integral GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Governador Geraldo Alckmin Vice Governador Guilherme Afif Domingos Secretário da Educação Herman Jacobus Cornelis Voorwald Secretário-Adjunto

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 01/79/CONSU. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal de Sergipe, no uso de suas atribuições legais e estatutárias,

RESOLUÇÃO Nº 01/79/CONSU. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal de Sergipe, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 01/79/CONSU Aprova Regimento Geral da Universidade Federal de Sergipe. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal de Sergipe, no

Leia mais

REFERENCIAL CURRICULAR DA EDUCAÇÃO BÁSICA PARA AS ESCOLAS PÚBLICAS DE ALAGOAS

REFERENCIAL CURRICULAR DA EDUCAÇÃO BÁSICA PARA AS ESCOLAS PÚBLICAS DE ALAGOAS GOVERNO DO ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO E DO ESPORTE SEE/AL PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA MEC-PNUD-SEE/AL REFERENCIAL CURRICULAR DA EDUCAÇÃO BÁSICA PARA AS ESCOLAS PÚBLICAS DE ALAGOAS

Leia mais

Diálogos sobre a Gestão Municipal Processos na Educação

Diálogos sobre a Gestão Municipal Processos na Educação Diálogos sobre a Gestão Municipal Processos na Educação Diálogos sobre a Gestão Municipal Processos na Educação I. APRESENTAÇÃO II. GESTÃO DA POLÍTICA DE EDUCAÇÃO MUNICIPAL 1. O panorama da Política Municipal

Leia mais

Introdução ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 7

Introdução ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 7 Introdução ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 7 O quadro atual ---------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Ministério da Educação MEC

Ministério da Educação MEC Ministério da Educação MEC PLANO DE METAS COMPROMISSO TODOS PELA EDUCAÇÃO GUIA DE PROGRAMAS BRASÍLIA, JUNHO DE 2007. 1 SUMÁRIO GESTÃO EDUCACIONAL 1. Planejamento Estratégico da Secretaria PES 2. Plano

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS ESTATUTO E REGIMENTO GERAL DA UFAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS ESTATUTO E REGIMENTO GERAL DA UFAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS ESTATUTO E REGIMENTO GERAL DA UFAL Maceió - Alagoas 2006 CORPO DIRIGENTE DA UFAL Ana Dayse Rezende Dorea Reitora Eurico de Barros Lôbo Filho Vice-reitor João Carlos Cordeiro

Leia mais

GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA

GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CENTRO DE EDUCAÇÃO E CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA 2007 1 UFSCar Reitor: Prof. Dr. Targino de Araújo Filho Vice-Reitora: Prof. Dr.

Leia mais

Regimento Acadêmico da Graduação - RAG

Regimento Acadêmico da Graduação - RAG Regimento Acadêmico da Graduação - RAG Resoluções atuais: Nº 36/1999 Altera o Regimento Acadêmico da Graduação (revogar) Nº 18/2002 Altera o Regimento Acadêmico da Graduação (revogar foi incorporada) Nº

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS REGIMENTO GERAL TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS REGIMENTO GERAL TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS REGIMENTO GERAL TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente Regimento Geral contém as disposições básicas sobre as atividades dos órgãos

Leia mais

Institui o Estatuto do Portador de Deficiência e dá outras providências. O Congresso Nacional decreta:

Institui o Estatuto do Portador de Deficiência e dá outras providências. O Congresso Nacional decreta: Institui o Estatuto do Portador de Deficiência e dá outras providências. O Congresso Nacional decreta: LIVRO I PARTE GERAL TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Fica instituído o Estatuto da Pessoa

Leia mais

Avaliação da Educação Superior no Brasil: do Provão ao ENADE

Avaliação da Educação Superior no Brasil: do Provão ao ENADE Avaliação da Educação Superior no Brasil: do Provão ao ENADE Robert Evan Verhine Lys Maria Vinhaes Dantas Documento preparado para o Banco Mundial Gerente responsável: Alberto Rodriguez Dezembro de 2005

Leia mais

Cartilha para ONGs: Como Elaborar um Programa de Aprendizagem a partir da Lei 10.097. Um Projeto a partir de uma Lei

Cartilha para ONGs: Como Elaborar um Programa de Aprendizagem a partir da Lei 10.097. Um Projeto a partir de uma Lei : Como Elaborar um Programa de Aprendizagem a partir da Lei 10.097 Um Projeto a partir de uma Lei A proposta de construir a Cartilha para ONGs: Como Elaborar um Programa de Aprendizagem a partir da Lei

Leia mais

agenda.indd 1 2/3/2009 14:48:33

agenda.indd 1 2/3/2009 14:48:33 agenda.indd 1 2/3/2009 14:48:33 Sumário Apresentação A Missão do Dirigente Municipal de Educação A Agenda dos Cem Primeiros Dias Aspectos gerais a) Uma leitura da realidade do município em termos sociais,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA REGIMENTO INTERNO DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU E LATO SENSU DA UFSM TÍTULO I DA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO

Leia mais

NORMAS E PROCEDIMENTOS ACADÊMICOS/ FINANCEIROS

NORMAS E PROCEDIMENTOS ACADÊMICOS/ FINANCEIROS NORMAS E PROCEDIMENTOS ACADÊMICOS/ FINANCEIROS FORMAS DE INGRESSO Concurso Vestibular ACADÊMICA 1 Nessa forma de ingresso, o candidato fará uma prova de redação e de CONHECIMENTOS GERAIS, esta com 30 questões

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE CAPACITAÇÃO DO SUAS PNC/SUAS

POLÍTICA NACIONAL DE CAPACITAÇÃO DO SUAS PNC/SUAS POLÍTICA NACIONAL DE CAPACITAÇÃO DO SUAS PNC/SUAS MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME SECRETARIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL DEPARTAMENTO DE GESTÃO DO SUAS COORDENAÇÃO-GERAL DE IMPLEMENTAÇÃO

Leia mais

NOB-RH/SUAS: ANOTADA E COMENTADA

NOB-RH/SUAS: ANOTADA E COMENTADA NOB-RH/SUAS: ANOTADA E COMENTADA MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME SECRETARIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL DEPARTAMENTO DE GESTÃO DO SUAS COORDENAÇÃO-GERAL DE IMPLEMENTAÇÃO E ACOMPANHAMENTO

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS DE BETIM CURSO DE DIREITO Portaria de Autorização nº 109, de 02.02.2007 Portaria de Reconhecimento nº 11 de 02.03.

FACULDADE PITÁGORAS DE BETIM CURSO DE DIREITO Portaria de Autorização nº 109, de 02.02.2007 Portaria de Reconhecimento nº 11 de 02.03. REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES AO ENSINO (ACE) DO DA FACULDADE PITÁGORAS DE BETIM RESOLUCAO N.º 006 /2013 Regulamenta as atividades complementares ao ensino (ACE) do curso de Direito da Faculdade

Leia mais

PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS INTRODUÇÃO AOS PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS

PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS INTRODUÇÃO AOS PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS INTRODUÇÃO AOS PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS Secretaria de Educação Fundamental Iara Glória Areias Prado Departamento de Política da Educação Fundamental Virgínia

Leia mais

RESOLUÇÃO SE Nº 52/2013 ANEXOS

RESOLUÇÃO SE Nº 52/2013 ANEXOS GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO RESOLUÇÃO SE Nº 52/2013 ANEXOS (publicado em DOE em 15/08/2013) GABINETE DO SECRETÁRIO Resolução SE 52, de 14-8-2013 (publicado no DOE de

Leia mais

Heloísa Lück Dimensões da gestão escolar e suas competências

Heloísa Lück Dimensões da gestão escolar e suas competências Heloísa Lück Dimensões da gestão escolar e suas competências Editora Positivo Curitiba 2009 Ficha Catalográfica Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP,

Leia mais