DIREITOS SINDICAIS DOS SERVIDORES PÚBLICOS. Direitos Sociais Constitucionais art. 39, 3º CF.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DIREITOS SINDICAIS DOS SERVIDORES PÚBLICOS. Direitos Sociais Constitucionais art. 39, 3º CF."

Transcrição

1 DIREITOS SINDICAIS DOS SERVIDORES PÚBLICOS Direitos Sociais Constitucionais art. 39, 3º CF.

2 DIREITOS SINDICAIS AS TRÊS DIMENSÕES QUE ESTRUTURAM A ATIVIDADE SINDICAL A associação sindical A negociação coletiva O direito de greve.

3 Direito à Associação Sindical É garantido ao servidor público civil o direito à livre associação sindical ( inc. VI, art. 37, CF). A lei não poderá exigir autorização do Estado para a fundação de sindicato, ressalvado registro no órgão competente, vedadas ao Poder Público a interferência e a intervenção na organização sindical.

4 Direito à Associação Sindical Ninguém será obrigado a filiar-se ou a manter-se filiado à sindicato ( inc. VI, art. 7º da CF); Ao sindicato cabe a defesa dos direitos e interesses coletivos ou individuais da categoria, inclusive em questões judiciais ou administrativas (inc. III, art. 8º da CF).

5 O Direito de Greve O direito de greve será exercido nos termos e nos limites definidos em lei específica ( inc. VII, art. 37, CF). A posição da Jurisprudência Evolução Aplicação por analogia a Lei de Greve do Setor Privado ( Lei 7.783, de 28/06/89 na ausência de lei específica.

6 NEGOCIAÇÃO COLETIVA DO TRABALHO BASE CONCEITUAL. O art. 2º da Convenção 154 da OIT. todas as negociações que têm lugar entre um empregador, um grupo de empregadores ou uma organização ou várias organizações de empregadores, por uma parte, e uma organização ou várias organizações de trabalhadores, por outra, com o fim de:

7 Negociação Coletiva do Trabalho Bases conceituais: A) fixar as condições de trabalho e emprego; ou b) regular as relações entre empregadores e trabalhadores; ou c) regular as relações entre empregadores ou suas organizações e uma organização ou várias organizações de trabalhadores, ou lograr todos esses objetivos de uma só vez

8 Negociação Coletiva do Trabalho Convenção Coletiva; negociação entre um ou mais sindicatos profissionais e um ou mais sindicatos patronais da mesma categoria Acordo Coletivo; Negociação entre sindicato profissional e uma ou mais empresas diretamente. Dissídio Coletivo.

9 Negociação Coletiva É obrigatória a participação dos sindicatos nas negociações coletivas de trabalho (inc. VI, art. 8º CF); É assegurada a participação dos trabalhadores e empregadores nos colegiados dos órgãos públicos em que seus interesses profissionais ou previdenciários sejam objeto de discussão e deliberação ( art. 10, CF).

10 Direito à Negociação Coletiva A Constituição não expressou o direito à negociação coletiva ao servidor público ( 3º, art. 39, CF) A posição do Supremo Tribunal Federal STF A negativa ao direito de negociação tradicional nos moldes exercidos no setor privado.

11 Direito à Negociação Coletiva O modelo alternativo de negociação do SUS. - A criação através do CNS; - Os integrantes As Experiências das Mesas de Negociação Permanente do SUS. - Os protocolos.

12 Direito à Negociação Coletiva A Convenção 151 da OIT Organização Internacional do Trabalho ratificada pelo Brasil que estabelece o direito à negociação coletiva no setor público Tendência da regulamentação desse direito.

13 MESA NACIONAL DE NEGOCIAÇÃ PERMANENTE DO SUS -MNNP Criada através da Resolução CNS 52, de 06/05/1993.

14 MNNP-SUS Objetivo: Estabelecer fórum permanente de negociação entre empregadores e trabalhadores do SUS sobre todos os pontos pertinentes à força de trabalho em saúde Tratamento de conflitos da relação de trabalho no SUS

15 MNNP-SUS Resolução 111 do CNS, 09/06/1994 Objetivo: Propor aos Estados e Municípios a Implantação de Mesas à semelhança da MNNP O CNS acompanha e estimula a implantação, sem que isso represente subordinação.

16 MNNPS-SUS Resolução CNS 229, de 08/05/1997. Objetivo: Reinstala a Mesa de Negociação, segundo o que dispõe a Resolução CNS 52/93

17 MNNP-SUS Resolução CNS, 331 de 04 de novembro de Objetivo: Ratificar o ato de reinstalação da MNNPS.

18 NORMAS INTERNACIONAIS DO TRABALHO DA OIT O que é a Organização Internacional do Trabalho As normas internacionais do trabalho A importância da ratificação pelo Brasil da Convenção 151 e a Recomendação 159 da OIT

PEC 369/2005 Poder Executivo

PEC 369/2005 Poder Executivo PEC 369/2005 Poder Executivo Dá nova redação aos arts. 8o, 11, 37 e 114 da Constituição. Art. 1o Os arts. 8o, 11, 37 e 114 da Constituição passam a vigorar com a seguinte redação: Art. 8o É assegurada

Leia mais

DIREITO DO TRABALHO. Direito Coletivo do Trabalho. Prof. Hermes Cramacon

DIREITO DO TRABALHO. Direito Coletivo do Trabalho. Prof. Hermes Cramacon DIREITO DO TRABALHO Direito Coletivo do Trabalho Prof. Hermes Cramacon Conceito: complexo de institutos, princípios e regras jurídicas que regulam as relações laborais de empregados e empregadores e outros

Leia mais

DIREITO COLETIVO (conceito) DIREITO DO TRABALHO II

DIREITO COLETIVO (conceito) DIREITO DO TRABALHO II Aula 13 O Direito Coletivo do Trabalho. Organização sindical; enquadramento sindical e contribuições sindicais. MARIA INÊS GERARDO www.mariainesgerardo.com.br Conteúdo Programático desta aula O Direito

Leia mais

1. Dissídio Coletivo: - Acordo coletivo: negociação coletiva pelo sindicato dos empregados de uma determinada categoria, diretamente com uma empresa.

1. Dissídio Coletivo: - Acordo coletivo: negociação coletiva pelo sindicato dos empregados de uma determinada categoria, diretamente com uma empresa. 1 DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PONTO 1: Dissídio Coletivo PONTO 2: Dissídio Coletivo do Trabalho PONTO 3: Competência para Julgamento do Dissídio Coletivo 1. Dissídio Coletivo: - Acordo coletivo: negociação

Leia mais

Associação ou Sindicatos: Qual a diferença entre estas duas entidades. O que são os SINDICATOS

Associação ou Sindicatos: Qual a diferença entre estas duas entidades. O que são os SINDICATOS Associação ou Sindicatos: Qual a diferença entre estas duas entidades O que são os SINDICATOS Pp Antonieta Rosalina da Silva Salvador CRPP SINDICAL - Nº 010 Graduada em Letras pela UNIFACS, Teologia Bacharelado

Leia mais

FINANCIAMENTO DO SISTEMA SINDICAL: UMA INTRODUÇÃO NECESSÁRIA FLAVIA MOREIRA GUIMARÃES PESSOA

FINANCIAMENTO DO SISTEMA SINDICAL: UMA INTRODUÇÃO NECESSÁRIA FLAVIA MOREIRA GUIMARÃES PESSOA FINANCIAMENTO DO SISTEMA SINDICAL: UMA INTRODUÇÃO NECESSÁRIA FLAVIA MOREIRA GUIMARÃES PESSOA Distinções entre as relações coletivas e as relações individuais de trabalho a) Critério rio relativo aos sujeitos

Leia mais

NIVELAMENTO PARA PÓS GRADUAÇÃO. - Direito Individual do Trabalho - (aula 08/11)

NIVELAMENTO PARA PÓS GRADUAÇÃO. - Direito Individual do Trabalho - (aula 08/11) NIVELAMENTO PARA PÓS GRADUAÇÃO - Direito Individual do Trabalho - (aula 08/11) CUSTÓDIO NOGUEIRA Advogado militante especializado em Direito Civil e Processo Civil; Sócio da Tardem e Nogueira Assessoria

Leia mais

GABARITO (E ) Não paga taxas. Não extradita por crime político ou de opinião. Não depende de licença. Transmissível aos herdeiros. Correta.

GABARITO (E ) Não paga taxas. Não extradita por crime político ou de opinião. Não depende de licença. Transmissível aos herdeiros. Correta. Prepare-se para o concurso TJ-SP! Todas as semanas, FOLHA DIRIGIDA, em parceria com especialistas, publica um novo simulado para os seus estudos nesta seleção. Resolva abaixo algumas questões de Direito

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de Recursos Humanos

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de Recursos Humanos MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de Recursos Humanos Define o TERMO DE ACORDO resultante das negociações havidas entre o Governo Federal e as entidades sindicais representativas

Leia mais

CUSTEIO SINDICAL: ENTENDA SOBRE SUAS POSSÍVEIS FONTES

CUSTEIO SINDICAL: ENTENDA SOBRE SUAS POSSÍVEIS FONTES CUSTEIO SINDICAL: ENTENDA SOBRE SUAS POSSÍVEIS FONTES O Direito Coletivo do Trabalho tem como figura principal o sindicato, cuja finalidade é a defesa dos direitos e interesses coletivos ou individuais

Leia mais

Processo do Trabalho I

Processo do Trabalho I Processo do Trabalho I»Aula 5 Jurisdição e Competência Parte 1 Introdução Jurisdição Competência Em razão da Matéria Competência Funcional Jurisdição e competência da Justiça a do Trabalho I Introdução

Leia mais

PARECER JURÍDICO RESPOSTA À CONSULTA FORMULADA PELA ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ASSUFRGS

PARECER JURÍDICO RESPOSTA À CONSULTA FORMULADA PELA ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ASSUFRGS PARECER JURÍDICO RESPOSTA À CONSULTA FORMULADA PELA ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ASSUFRGS 1. A CONSULTA Consulta-nos a Assufrgs sobre a necessidade de compensação

Leia mais

GRCS CONTRIBUIÇÃO SINDICAL

GRCS CONTRIBUIÇÃO SINDICAL GRCS CONTRIBUIÇÃO SINDICAL O MTE Ministério do Trabalho e Emprego em http://portal.mte.gov.br/co nt_sindical/, descreve que: A contribuição sindical está prevista nos artigos 578 a 591 da CLT. Possui natureza

Leia mais

Base territorial, Itajaí, Navegantes, CARTILHA DA GREVE

Base territorial, Itajaí, Navegantes, CARTILHA DA GREVE CARTILHA DA GREVE INTRODUÇÃO A greve é um direito inalienável dos trabalhadores, públicos ou privados. O seu exercício envolve uma série de condições e implicações, que devem ser consideradas pelo movimento

Leia mais

Relações de Trabalho (Marlene Melo, Antônio Carvalho Neto e José Francisco Siqueira Neto)

Relações de Trabalho (Marlene Melo, Antônio Carvalho Neto e José Francisco Siqueira Neto) Relações de Trabalho (Marlene Melo, Antônio Carvalho Neto e José Francisco Siqueira Neto) Relações industriais, relações trabalhistas, relações sindicais ou relações profissionais: interações entre assalariados,

Leia mais

Sindicato e Organização das OCEMG

Sindicato e Organização das OCEMG Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado de MG - OCEMG Funções do sindicato patronal: Assistencial: no âmbito dos sindicatos patronais, essencialmente, e a assessoria na área jurídica e econômica.

Leia mais

ESTATUTO DO SINDICATO DOS TRABALHADORES E TRABALHADORAS TÉCNICOS EM MEIO AMBIENTE DO ESTADO DO PARANÁ SINDITTEMA-PR

ESTATUTO DO SINDICATO DOS TRABALHADORES E TRABALHADORAS TÉCNICOS EM MEIO AMBIENTE DO ESTADO DO PARANÁ SINDITTEMA-PR ESTATUTO DO SINDICATO DOS TRABALHADORES E TRABALHADORAS TÉCNICOS EM MEIO AMBIENTE DO ESTADO DO PARANÁ SINDITTEMA-PR TÍTULO I DA INSTITUIÇÃO, PRERROGATIVAS, DIREITOS E DEVERES DOS ASSOCIADOS Capítulo I

Leia mais

Brasília, 09 de julho de 2013 NOTA JURÍDICA. Assunto: Publicação do Ofício-Circular nº 5/2013/SEGEP-MP

Brasília, 09 de julho de 2013 NOTA JURÍDICA. Assunto: Publicação do Ofício-Circular nº 5/2013/SEGEP-MP Brasília, 09 de julho de 2013 NOTA JURÍDICA Assunto: Publicação do Ofício-Circular nº 5/2013/SEGEP-MP A título de consulta, o ANFFA Sindical, SINDICATO NACIONAL DOS FISCAIS FEDERAIS AGROPECUÁRIOS, solicita

Leia mais

PODER NORMATIVO DA JUSTIÇA DO TRABALHO. Davi Furtado Meirelles

PODER NORMATIVO DA JUSTIÇA DO TRABALHO. Davi Furtado Meirelles PODER NORMATIVO DA JUSTIÇA DO TRABALHO Davi Furtado Meirelles Resultado Negativo da Negociação - Mediação - é mais uma tentativa de conciliação, após o insucesso da negociação direta, porém, desta feita,

Leia mais

CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria nº 378 de 27/05/15-DOU de 28/05/15 PLANO DE CURSO

CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria nº 378 de 27/05/15-DOU de 28/05/15 PLANO DE CURSO CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria nº 378 de 27/05/15-DOU de 28/05/15 Componente Curricular: DIREITO DO TRABALHO II Código: DIR - 369 Pré-Requisito: Direito do Trabalho I Período Letivo: 2016.1

Leia mais

TERCEIRIZAÇÃO DE SERVIÇOS. Autor: Sidnei Di Bacco/Advogado da União

TERCEIRIZAÇÃO DE SERVIÇOS. Autor: Sidnei Di Bacco/Advogado da União TERCEIRIZAÇÃO DE SERVIÇOS Autor: Sidnei Di Bacco/Advogado da União LEI 8.666/1993 Art. 71. O contratado é responsável pelos encargos trabalhistas, previdenciários, fiscais e comerciais resultantes da execução

Leia mais

DIR. COLETIVO DO TRABALHO FABRÍCIO AITA IVO PONTO 1: DISSÍDIO COLETIVO PONTO 2: NEGOCIAÇÃO COLETIVA PONTO 3: SINDICATOS

DIR. COLETIVO DO TRABALHO FABRÍCIO AITA IVO PONTO 1: DISSÍDIO COLETIVO PONTO 2: NEGOCIAÇÃO COLETIVA PONTO 3: SINDICATOS DIR. COLETIVO DO TRABALHO DIR. COLETIVO DO TRABALHO PONTO 1: DISSÍDIO COLETIVO PONTO 2: NEGOCIAÇÃO COLETIVA PONTO 3: SINDICATOS DIREITO COLETIVO DO TRABALHO: os sujeitos são os Sindicatos. *DISSÍDIO COLETIVO:

Leia mais

TJ - SP Direito Constitucional Direitos Sociais Emilly Albuquerque

TJ - SP Direito Constitucional Direitos Sociais Emilly Albuquerque TJ - SP Direito Constitucional Direitos Sociais Emilly Albuquerque 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. TÍTULO II CAPÍTULO II DOS DIREITOS SOCIAIS Art. 6º São direitos

Leia mais

DIREITO DO TRABALHO. Fontes formais autônomas: elaboradas pelos próprios interessados em aplicá-las. (grupos sociais = sindicatos)

DIREITO DO TRABALHO. Fontes formais autônomas: elaboradas pelos próprios interessados em aplicá-las. (grupos sociais = sindicatos) DIREITO DO TRABALHO FONTES DO DIREITO DO TRABALHO: MATERIAIS: FORMAIS: Fontes formais autônomas: elaboradas pelos próprios interessados em aplicá-las. (grupos sociais = sindicatos) Convenções coletivas

Leia mais

PLANO DE CARREIRA DA EQUIPE TÉCNICO-ADMINISTRATIVA

PLANO DE CARREIRA DA EQUIPE TÉCNICO-ADMINISTRATIVA PLANO DE CARREIRA DA EQUIPE TÉCNICO-ADMINISTRATIVA PLANO DE CARREIRA DA EQUIPE TÉCNICO ADMINISTRATIVA Capítulo I Art. 1º - Este Plano de Carreira Técnico-Administrativo regula as condições de admissão,

Leia mais

Capacitação de Lideranças Empresariais Sindicais. Módulo VI. Legislação Sindical

Capacitação de Lideranças Empresariais Sindicais. Módulo VI. Legislação Sindical 2009 Capacitação de Lideranças Empresariais Sindicais Módulo VI Legislação Sindical Iconografia: Conceitos e pontos de vista Organograma e Fluxograma Exemplos e exposições Comparação Atores e responsáveis

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO Acórdão 10a Turma RECURSO ORDINÁRIO. SINDICATO. CONTRIBUIÇÃO ASSISTENCIAL E CONFEDERATIVA. Os sindicatos não podem cobrar contribuição assistencial e/ou confederativa de quem não seja filiado ao sindicato.

Leia mais

PARECER JURÍDICO ANUIDADE CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA COBRANÇA - ISENÇÃO

PARECER JURÍDICO ANUIDADE CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA COBRANÇA - ISENÇÃO PARECER JURÍDICO ANUIDADE CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA COBRANÇA - ISENÇÃO Interessado: COSEMS-MG 1. Relatório Trata-se de consulta realizada por diversos municípios do FORUM REGIONAL acerca da legalidade

Leia mais

A CLT cuidou de definir expressamente o conceito de uma Convenção Coletiva de Trabalho, em seu artigo 611:

A CLT cuidou de definir expressamente o conceito de uma Convenção Coletiva de Trabalho, em seu artigo 611: Conceito Entende-se por Convenção Coletiva de Trabalho como sendo um acordo de caráter normativo, pactuado entre dois ou mais sindicatos representativos de categorias econômicas e profissionais, com o

Leia mais

São Paulo, 03 de abril de Ao Sindicato das Indústrias do Calçado e Vestuário de Birigui. Prezados Senhores,

São Paulo, 03 de abril de Ao Sindicato das Indústrias do Calçado e Vestuário de Birigui. Prezados Senhores, São Paulo, 03 de abril de 2013. Ao Sindicato das Indústrias do Calçado e Vestuário de Birigui Prezados Senhores, Em resposta à consulta de V.Sas., no tocante à constitucionalidade do art. 2º, da Lei nº

Leia mais

ENTENDA SEUS DIREITOS. O SINDEMED reservou este espaço para esclarecer seus direitos trabalhistas.

ENTENDA SEUS DIREITOS. O SINDEMED reservou este espaço para esclarecer seus direitos trabalhistas. ENTENDA SEUS DIREITOS O SINDEMED reservou este espaço para esclarecer seus direitos trabalhistas. As contribuições cobradas pelos Sindicatos são motivos de muitas dúvidas pelos empregados. Assim, a fim

Leia mais

1. CONTRIBUIÇÃO SINDICAL: art. 8º, inciso IV, parte final, CF c/c arts. 578 e seguintes da CLT; 2. CONTRIBUIÇÃO CONFEDERATIVA: art.

1. CONTRIBUIÇÃO SINDICAL: art. 8º, inciso IV, parte final, CF c/c arts. 578 e seguintes da CLT; 2. CONTRIBUIÇÃO CONFEDERATIVA: art. 1 1. CONTRIBUIÇÃO SINDICAL: art. 8º, inciso IV, parte final, CF c/c arts. 578 e seguintes da CLT; 2. CONTRIBUIÇÃO CONFEDERATIVA: art.8º, inciso IV, CF; 3. CONTRIBUIÇÃO ASSISTENCIAL: art. 513, l, e, da

Leia mais

Fomento à Negociação Coletiva

Fomento à Negociação Coletiva 1 CONVENÇÃO N. 154 Fomento à Negociação Coletiva I Aprovada na 67ª reunião da Conferência Internacional do Trabalho (Genebra 1981), entrou em vigor no plano internacional em 11.8.83. II Dados referentes

Leia mais

Disciplina: Direito e Processo do Trabalho 3º Semestre Professor Donizete Aparecido Gaeta Resumo de Aula

Disciplina: Direito e Processo do Trabalho 3º Semestre Professor Donizete Aparecido Gaeta Resumo de Aula 1. Fontes materiais e formais. 2. Normas Jurídicas de Direito do Trabalho. Constituição, Leis, Atos do Poder Executivo, Sentença normativa, Convenções e Acordos Coletivos, Regulamentos de empresa, Disposições

Leia mais

Trabalho no SUS. Programa Sala Virtual de Apoio

Trabalho no SUS. Programa Sala Virtual de Apoio Programa Sala Virtual de Apoio à Negociação do Trabalho no SUS Conteúdos para suporte, monitoramento e atividades de formação no âmbito do Sistema Nacional de Negociação Permanente do SUS Regimento Interno

Leia mais

DIREITO COLETIVO (conceito)

DIREITO COLETIVO (conceito) Aula 13 O Direito Coletivo do Trabalho. Organização sindical; enquadramento sindical e contribuições sindicais. Aula 14 - Os conflitos coletivos de trabalho: formas de solução dos conflitos coletivos de

Leia mais

REMÉDIOS CONSTITUCIONAIS REMÉDIOS CONSTITUCIONAIS JUDICIAIS

REMÉDIOS CONSTITUCIONAIS REMÉDIOS CONSTITUCIONAIS JUDICIAIS REMÉDIOS CONSTITUCIONAIS ADMINISTRATIVOS E JUDICIAIS Remédios constitucionais administrativos São a todos assegurados, independentemente do pagamento de taxas: Direito de petição: o direito de petição

Leia mais

DIREITO COLETIVO DO TRABALHO. Professor: Leandro Antunes

DIREITO COLETIVO DO TRABALHO. Professor: Leandro Antunes DIREITO COLETIVO DO TRABALHO Professor: Leandro Antunes Conceito: Acordos coletivos e convenções coletivas; Os acordos e as convenções coletivas nada mais são do que espécies do gênero negociações coletivas.

Leia mais

R.: A contribuição sindical é devida por todos aqueles que participarem de uma determinada categoria econômica ou profissional.

R.: A contribuição sindical é devida por todos aqueles que participarem de uma determinada categoria econômica ou profissional. DÚVIDAS FREQÜENTES: 1. QUEM DEVE PAGAR A CONTRIBUIÇÃO R.: A contribuição sindical é devida por todos aqueles que participarem de uma determinada categoria econômica ou profissional. 2. EMPRESA NÃO FILIADA

Leia mais

PROCESSO Nº TST-RR A C Ó R D Ã O (4.ª Turma) GMMAC/r4/rjr/r/h/j

PROCESSO Nº TST-RR A C Ó R D Ã O (4.ª Turma) GMMAC/r4/rjr/r/h/j A C Ó R D Ã O (4.ª Turma) GMMAC/r4/rjr/r/h/j RECURSO DE REVISTA. CONTRIBUIÇÕES SINDICAIS. A contribuição assistencial patronal constante de cláusula coletiva, imposta a toda a categoria econômica, viola

Leia mais

ARTIGO: DA ILEGALIDADE DAS CLÁUSULAS CONSTANTES DE NORMAS COLETIVAS QUE IMPÕE O PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÃO SINDICAL A EMPREGADOS NÃO SINDICALIZADOS

ARTIGO: DA ILEGALIDADE DAS CLÁUSULAS CONSTANTES DE NORMAS COLETIVAS QUE IMPÕE O PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÃO SINDICAL A EMPREGADOS NÃO SINDICALIZADOS ARTIGO: DA ILEGALIDADE DAS CLÁUSULAS CONSTANTES DE NORMAS COLETIVAS QUE IMPÕE O PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÃO SINDICAL A EMPREGADOS NÃO SINDICALIZADOS Autores: Fabiana Amendola Barbieri, Bacharel em Direito

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DO TRABALHO DA VARA DO TRABALHO DA COMARCA DE VALPARAÍSO DE GOIÁS - GOIÁS

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DO TRABALHO DA VARA DO TRABALHO DA COMARCA DE VALPARAÍSO DE GOIÁS - GOIÁS EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DO TRABALHO DA VARA DO TRABALHO DA COMARCA DE VALPARAÍSO DE GOIÁS - GOIÁS SINDICATO DOS POLICIAIS CIVIS DO ESTADO DE GOIÁS SINPOL-GO, entidade sindical de primeiro grau,

Leia mais

Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação.

Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação. Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação. PLANO DE CURSO 2012/01 DISCIPLINA: DIREITO DO II PROFESSOR: FRANCISCA JEANE PEREIRA DA SILVA MARTINS TURMAS: 8

Leia mais

REFORMA TRABALHISTA. Reunião UGT

REFORMA TRABALHISTA. Reunião UGT REFORMA TRABALHISTA Reunião UGT Aumento da multa pelo não registro de trabalhadores: CLT PL 6787/2016 O valor da multa administrativa para as empresas que não registram seus empregados é de um salário

Leia mais

ARBITRAGEM COMO MEIO DE SOLUÇÃO DOS COFLITOS INDIVIDUAIS DE TRABALHO. AUTOR: José Roberto Fernandes Loureiro Júnior: advogado

ARBITRAGEM COMO MEIO DE SOLUÇÃO DOS COFLITOS INDIVIDUAIS DE TRABALHO. AUTOR: José Roberto Fernandes Loureiro Júnior: advogado ARBITRAGEM COMO MEIO DE SOLUÇÃO DOS COFLITOS INDIVIDUAIS DE TRABALHO AUTOR: José Roberto Fernandes Loureiro Júnior: advogado Questão polêmica é a utilização do juízo arbitral para a solução dos conflitos

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 12ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 12ª REGIÃO PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 12ª REGIÃO PROCESSO nº 0000073-50.2016.5.12.0034 (ROPS) RECORRENTE: VES COMERCIO DE ALIMENTOS EIRELI - ME RECORRIDO: SIND DE HOTEIS

Leia mais

Prioridades e Recomendações ( ) Relações do Trabalho

Prioridades e Recomendações ( ) Relações do Trabalho Prioridades e Recomendações (2011-2014) Relações do Trabalho Documento de Trabalho SESSÃO TEMÁTICA Relações do Trabalho Indicador de importância das prioridades (Resultado da pesquisa de opinião realizada

Leia mais

Sindicato dos Médicos Veterinários no Estado do Rio Grande do Sul

Sindicato dos Médicos Veterinários no Estado do Rio Grande do Sul Sindicato dos Médicos Veterinários do Estado do Rio Grande do Sul 513332-4383 Rua Ramiro Barcelos, 1793/603 Bom Fim Porto Alegre/RS simvetrs.com.br simvetrs@simvetrs.com.br Sindicato dos Médicos Veterinários

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA Faculdade Anísio Teixeira de Feira de Santana Autorizada pela Portaria Ministerial nº 552 de 22 de março de 2001 e publicada no Diário Oficial da União de 26 de março de 2001. Endereço: Rua Juracy Magalhães,

Leia mais

Lei remuneração de dirigentes: Uma discussão sobre a nova realidade do Terceiro Setor

Lei remuneração de dirigentes: Uma discussão sobre a nova realidade do Terceiro Setor Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400 - ramal 1529 (núcleo de relacionamento) Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva, 60 Higienópolis

Leia mais

COOPERATIVISMO e ENTIDADES MÉDICASM

COOPERATIVISMO e ENTIDADES MÉDICASM COOPERATIVISMO e ENTIDADES MÉDICASM 25 de Agosto de 2012 Salomão Rodrigues Filho Médico psiquiatra Presidente do CREMEGO A ORGANIZAÇÃO e os PAPÉIS das ENTIDADES MÉDICAS Sistema Conselhal Sistema Sindical

Leia mais

DIREITO COLETIVO DO TRABALHO. Professor: Leandro Antunes

DIREITO COLETIVO DO TRABALHO. Professor: Leandro Antunes DIREITO COLETIVO DO TRABALHO Professor: Leandro Antunes Conceito: Acordos coletivos e convenções coletivas; Os acordos e as convenções coletivas nada mais são do que espécies do gênero negociações coletivas.

Leia mais

A C Ó R D Ã O 6ª T U R M A E M E N T A

A C Ó R D Ã O 6ª T U R M A E M E N T A A C Ó R D Ã O 6ª T U R M A E M E N T A CONTRIBUIÇÃO SINDICAL INDEVIDA PELAS MICROEMPRESAS INSCRITAS NO SIMPLES, CONFORME ARTIGO 149 DA CRFB C/C ARTIGO 3º, 4º, DA LEI 9.317/1996 E ARTIGO 5º, 8º, DA INSTRUÇÃO

Leia mais

b) I, II e III. c) III e IV. d) I, III e IV. e) II e IV.

b) I, II e III. c) III e IV. d) I, III e IV. e) II e IV. 1 Exercícios sobre Greve para Curso Regular de Direito e Processo do Trabalho VERBO JURÍDICO - Aula do dia 19 de novembro de 2013 Professor: Rodrigo Galia 01) (JUIZ DO TRABALHO TRT 23ª REGIÃO-2008) Sobre

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA REGISTRO SINDICAL JUNTO AO M.T.E

PROCEDIMENTOS PARA REGISTRO SINDICAL JUNTO AO M.T.E SINDICAL JUNTO AO M.T.E SINDICAL JUNTO AO MTE INTRODUÇÃO - PERSONALIDADE JURÍDICA - CODÍGO CIVIL - PERSONALIDADE SINDICAL (SÚMULA 677 DO STF) REGISTRO SINDICAL NO MTE PORTARIA 186/2008 PROCEDIMENTOS PARA

Leia mais

A Regulamentação do Artigo 192: desenvolvimento e cidadania

A Regulamentação do Artigo 192: desenvolvimento e cidadania A Regulamentação do Artigo 192: desenvolvimento e cidadania Banco Central: função de Estado, autonomia e controle social São Paulo, 30 de abril de 2010 Ricardo Patah Presidente da União Geral dos Trabalhadores

Leia mais

Aposentadoria especial nos RPPS

Aposentadoria especial nos RPPS Aposentadoria especial nos RPPS Quem deve emitir o PPP e os Laudos Periciais? Conversão de períodos especiais em comum para servidores públicos; Regime Jurídico único????? Mandado de Injunção e Aposentadoria

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Direito do Trabalho II Código da Disciplina: JUR256 Curso: Direito Semestre de oferta da disciplina: 8 Faculdade responsável: Direito Programa em vigência a partir de:

Leia mais

APOSENTADORIA ESPECIAL DOS GUARDAS MUNICIPAIS

APOSENTADORIA ESPECIAL DOS GUARDAS MUNICIPAIS APOSENTADORIA ESPECIAL DOS GUARDAS MUNICIPAIS CURITIBA 15 DE SETEMBRO DE 2012 FESSMUC O QUE É APOSENTADORIA ESPECIAL O QUE É APOSENTADORIA ESPECIAL? EM RAZÃO DE CONDIÇÕES ESPECIAIS NOCIVAS À SAÚDE HÁ REDUÇÃO

Leia mais

O papel do médico autônomo e o médico empregado (CLT) no SUS. Claudia Bezerra Batista Neves advogada do Sindimed/BA

O papel do médico autônomo e o médico empregado (CLT) no SUS. Claudia Bezerra Batista Neves advogada do Sindimed/BA O papel do médico autônomo e o médico empregado (CLT) no SUS Claudia Bezerra Batista Neves advogada do Sindimed/BA Sistema Único de Saúde SUS Institucionalização Constitucionalizada ( art. 197 a 200, CF)

Leia mais

Contribuição e Enquadramento Sindical: algumas dúvidas

Contribuição e Enquadramento Sindical: algumas dúvidas Contribuição e Enquadramento Sindical: algumas dúvidas Contribuição Sindical Benefícios de recolher a Contribuição Sindical Patronal: A empresa contribuirá para o fortalecimento da sua categoria econômica;

Leia mais

QUAL O INTERESSE DA PESSOA NUM CONFLITO? ADVERSÁRIO OU A SOLUÇÃO QUE LHE PAREÇA JUSTA.

QUAL O INTERESSE DA PESSOA NUM CONFLITO? ADVERSÁRIO OU A SOLUÇÃO QUE LHE PAREÇA JUSTA. O ACESSO À JUSTIÇA QUAL O INTERESSE DA PESSOA NUM CONFLITO? ADVERSÁRIO OU A SOLUÇÃO QUE LHE PAREÇA JUSTA. A CONDENAÇÃO DO NO PRIMEIRO CASO, TÍPICO DE MATÉRIA PENAL, SOMENTE O ESTADO PODE PRODUZIR O RESULTADO

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO IV DA ORGANIZAÇÃO DOS PODERES CAPÍTULO IV DAS FUNÇÕES ESSENCIAIS À JUSTIÇA Seção I Do Ministério Público Art. 127. O Ministério Público é instituição

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO. Adalberto Martins 1 discorrendo sobre o Ministério Público, afirma sua origem no mundo e no Brasil, ao dizer:

MINISTÉRIO PÚBLICO. Adalberto Martins 1 discorrendo sobre o Ministério Público, afirma sua origem no mundo e no Brasil, ao dizer: MINISTÉRIO PÚBLICO O Ministério Público do Trabalho é parte integrante do Ministério Público da União, com funções diferenciadas por ter a incumbência de tratar das questões relacionadas com o direito

Leia mais

O Ocaso do Poder Normativo Nelson Mannrich 1

O Ocaso do Poder Normativo Nelson Mannrich 1 O Ocaso do Poder Normativo Nelson Mannrich 1 Finalmente, foi extinto o poder normativo da Justiça do Trabalho. Tal conclusão resulta de simples interpretação gramatical da nova redação dada ao art. 114,

Leia mais

TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Sindical CONSIDERAÇÕES SOBRE A ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO (OIT) Eugenio Garcia Advogado

TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Sindical CONSIDERAÇÕES SOBRE A ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO (OIT) Eugenio Garcia Advogado TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Sindical CONSIDERAÇÕES SOBRE A ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO (OIT) Eugenio Garcia Advogado APRESENTAÇÃO Ultimamente, tem se falado e escrito sobre as Convenções e sobre

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO ESCOLA DE DIREITO E RELAÇÕES INTERNACIONAIS COORDENAÇÃO DO CURSO DE DIREITO

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO ESCOLA DE DIREITO E RELAÇÕES INTERNACIONAIS COORDENAÇÃO DO CURSO DE DIREITO DIREITO COLETIVO *Histórico *Denominação *Conceito: segmento do Direito do Trabalho que regula a organização sindical, a negociação coletiva e os instrumentos normativos decorrentes e a greve (Gustavo

Leia mais

FISCALIZAÇÃO PREVIDENCIÁRIA DOS PLANOS DE PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS OU RESULTADOS ("PLR") ( )

FISCALIZAÇÃO PREVIDENCIÁRIA DOS PLANOS DE PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS OU RESULTADOS (PLR) ( ) FISCALIZAÇÃO PREVIDENCIÁRIA DOS PLANOS DE PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS OU RESULTADOS ("PLR") (17.10.2013) 1. Constituição Federal CF de 1946 Artigo 7º, inciso XI da CF/88 PLR Aspectos Gerais 2. Regulamentação

Leia mais

Brasília (DF), 24 de junho de 2008.

Brasília (DF), 24 de junho de 2008. Brasília (DF), 24 de junho de 2008. Ilustríssimo Senhor MANOEL DOS SANTOS OLIVEIRA CANTOARA, Digníssimo Secretário-Geral da FEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES EM EMPRESAS DE CORREIOS E TELÉGRAFOS E SIMILARES-FENTECT.

Leia mais

ENUNCIADOS ASSESSORIA CÍVEL

ENUNCIADOS ASSESSORIA CÍVEL ENUNCIADOS ASSESSORIA CÍVEL O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA, no uso de suas atribuições legais, tendo em vista o que consta nos autos do procedimento MPRJ nº 201100985004, FAZ SABER aos Membros do Ministério

Leia mais

CONVENÇÃO N Liberdade Sindical e Proteção ao Direito de Sindicalização

CONVENÇÃO N Liberdade Sindical e Proteção ao Direito de Sindicalização CONVENÇÃO N. 87 1 Liberdade Sindical e Proteção ao Direito de Sindicalização Aprovada na 31ª reunião da Conferência Internacional do Trabalho (São Francisco 1948), entrou em vigor no plano internacional

Leia mais

Cartilha de Contribuição

Cartilha de Contribuição Cartilha de Contribuição 1) O QUE É A CONTRIBUIÇÃO SINDICAL? É a principal fonte de custeio das entidades sindicais. Ela objetiva o fortalecimento das empresas que representa, pois financia as diversas

Leia mais

Espécies de Contribuições do art. 149, CF:

Espécies de Contribuições do art. 149, CF: 1.4.7.1. Espécies de Contribuições do art. 149, CF: Prof. Alberto Alves www.editoraferreira.com.br A Constituição de 1988 confere à União três espécies de contribuições: as sociais, as de intervenção no

Leia mais

PONTO 1: Fontes do Direito do Trabalho PONTO 2: Princípios 1. FONTES DO DIREITO DO TRABALHO. b.1) HETERÔNOMAS dispostas pelo legislador.

PONTO 1: Fontes do Direito do Trabalho PONTO 2: Princípios 1. FONTES DO DIREITO DO TRABALHO. b.1) HETERÔNOMAS dispostas pelo legislador. 1 DIREITO DO TRABALHO PONTO 1: Fontes do Direito do Trabalho PONTO 2: Princípios 1. FONTES DO a) MATERIAIS OU INFORMAIS São as fontes históricas. b) FORMAIS Há documentos. b.1) HETERÔNOMAS dispostas pelo

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Página 1 de 7 TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ000281/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR063713/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.034431/2012-05

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE SÃO BERNARDO DO CAMPO. Autarquia Municipal PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU DIREITO E RELAÇÕES DO TRABALHO

FACULDADE DE DIREITO DE SÃO BERNARDO DO CAMPO. Autarquia Municipal PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU DIREITO E RELAÇÕES DO TRABALHO Módulo: Direito Coletivo do Trabalho Professores: Marcelo José Ladeira Mauad (Doutor em Direito das Relações Sociais pela PUC/SP) e Ivani Contini Bramante ( Doutora em Direito das Relações Sociais pela

Leia mais

Modernização das Leis Trabalhistas

Modernização das Leis Trabalhistas Modernização das Leis Trabalhistas Legislação trabalhista marcada por seu caráter protetivo e por sua rigidez. A CLT DE 1943 cumpriu o seu papel na proteção do trabalhador. Conflitos tirados das ruas,

Leia mais

Prefácio e Argumento Básico

Prefácio e Argumento Básico Palestra de Stanley Gacek Congresso Internacional de Direito Sindical, Fortaleza, Ceará Sindicalismo, Estado e Serviço Público Sindicalismo e Estado: A Visão da OIT 14 horas, 11 de abril do 2013 Introdução

Leia mais

SINDICATO DAS INDÚSTRIAS DE MÁQUINAS E IMPLEMENTOS AGRÍCOLAS NO RIO GRANDE DO SUL CIRCULAR ESPECIAL CONVENÇÃO COLETIVA CUT 2010/2011

SINDICATO DAS INDÚSTRIAS DE MÁQUINAS E IMPLEMENTOS AGRÍCOLAS NO RIO GRANDE DO SUL CIRCULAR ESPECIAL CONVENÇÃO COLETIVA CUT 2010/2011 CIRCULAR ESPECIAL CONVENÇÃO COLETIVA CUT 2010/2011 Pela presente informamos que foram encerradas as negociações coletivas do ano em curso, resultando na Convenção Coletiva de Trabalho com a Federação e

Leia mais

CONVENÇÃO N 98 SOBRE A APLICAÇÃO DOS PRINCÍPIOS DO DIREITO DE SINDICALIZAÇÃO E DE NEGOCIAÇÃO COLETIVA

CONVENÇÃO N 98 SOBRE A APLICAÇÃO DOS PRINCÍPIOS DO DIREITO DE SINDICALIZAÇÃO E DE NEGOCIAÇÃO COLETIVA CONVENÇÃO N 98 SOBRE A APLICAÇÃO DOS PRINCÍPIOS DO DIREITO DE SINDICALIZAÇÃO E DE NEGOCIAÇÃO COLETIVA A Conferência Geral da Organização Internacional do Trabalho: Convocada em Genebra pelo Conselho de

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS Disciplina: Direito do Trabalho II Professora: Cláudia Glênia JUR: MATERIAL APENAS PARA ROTEIRO DISCIPLINAR, NÃO DEVE SER USADO

Leia mais

DIREITO COLETIVO DO TRABALHO

DIREITO COLETIVO DO TRABALHO 1 UCG Universidade Católica de Goiás JUR Departamento de Ciências Jurídicas Disciplina: DIREITO DO TRABALHO II Prof.: Milton Inácio Heinen Texto 5 DIREITO COLETIVO DO TRABALHO Localização: - Cf, art. 5,XVII;

Leia mais

INTRODUÇÃO. Um bom passeio histórico pela Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público.

INTRODUÇÃO. Um bom passeio histórico pela Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público. INTRODUÇÃO No âmbito da Câmara dos Deputados, os trabalhos legislativos podem ser exercidos por comissões temáticas, ou seja, órgãos que compõem a estrutura da Câmara e se organizam segundo temas e matérias

Leia mais

Garantias Relativas à Equidade de Raça nas Negociações Coletivas Brasileiras

Garantias Relativas à Equidade de Raça nas Negociações Coletivas Brasileiras Garantias Relativas à Equidade de Raça nas Negociações Coletivas Brasileiras I ENCONTRO NACIONAL PARA A PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL Luís Augusto Ribeiro da Costa Técnico do SAIS - Sistemas de Acompanhamento

Leia mais

PARECER JURÍDICO FUNDAMENTADO

PARECER JURÍDICO FUNDAMENTADO PARECER JURÍDICO FUNDAMENTADO Inicialmente, o exercício do Direito de greve vem previsto e garantido na Constituição Federal em seu artigo 9º e parágrafos que assim dispõe: Art. 9º É assegurado o direito

Leia mais

CARTILHA GREVE SERVIDORES MUNICIPAIS DE VITÓRIA

CARTILHA GREVE SERVIDORES MUNICIPAIS DE VITÓRIA CARTILHA GREVE SERVIDORES MUNICIPAIS DE VITÓRIA 1. INTRODUÇÃO O exercício da greve constitui direito inalienável dos trabalhadores públicos ou privados. Envolve, contudo, uma série de particularidades

Leia mais

NOTA TÉCNICA SOBRE O ANTEPROJETO QUE DISCIPLINA O DIREITO DE GREVE NO SERVIÇO PÚBLICO CONSIDERAÇÕES CONSTITUCIONAIS

NOTA TÉCNICA SOBRE O ANTEPROJETO QUE DISCIPLINA O DIREITO DE GREVE NO SERVIÇO PÚBLICO CONSIDERAÇÕES CONSTITUCIONAIS NOTA TÉCNICA SOBRE O ANTEPROJETO QUE DISCIPLINA O DIREITO DE GREVE NO SERVIÇO PÚBLICO A ANAMATRA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS MAGISTRADOS DA JUSTIÇA DO TRABALHO apresenta nota técnica contra o anteprojeto de

Leia mais

PROJETO DE LEI 6.708/2009 CONTRIBUIÇÃO ASSISTENCIAL REGULAMENTAÇÃO

PROJETO DE LEI 6.708/2009 CONTRIBUIÇÃO ASSISTENCIAL REGULAMENTAÇÃO PROJETO DE LEI 6.708/2009 CONTRIBUIÇÃO ASSISTENCIAL REGULAMENTAÇÃO 1 1. EMENTA - Projeto de lei nº 6708/2009 (nº de origem no Senado 248/2006) de autoria do Senador Paulo Paim (PT/RS) dispondo sobre a

Leia mais

REFORMA SINDICAL E TRABALHISTA: EM ANÁLISE E DEBATE Rio de Janeiro, 11 de Maio de 2013

REFORMA SINDICAL E TRABALHISTA: EM ANÁLISE E DEBATE Rio de Janeiro, 11 de Maio de 2013 REFORMA SINDICAL E TRABALHISTA: EM ANÁLISE E DEBATE Rio de Janeiro, 11 de Maio de 2013 Helder Molina Historiador, mestre em Educação, Doutor em Políticas Públicas e Formação Humana, professor da Faculdade

Leia mais

Conteúdo: Direitos da Personalidade - Direito ao Nome. Pessoa Jurídica.

Conteúdo: Direitos da Personalidade - Direito ao Nome. Pessoa Jurídica. Turma e Ano: Flex A (2014) Matéria / Aula: Civil (Parte Geral) / Aula 08 Professor: Rafael da Motta Mendonça Conteúdo: Direitos da Personalidade - Direito ao Nome. Pessoa Jurídica. 4. Espécies de Direitos

Leia mais

Bom dia, hoje farei breves considerações sobre a aposentadoria por idade urbana. Espero que seja útil.

Bom dia, hoje farei breves considerações sobre a aposentadoria por idade urbana. Espero que seja útil. Bom dia, hoje farei breves considerações sobre a aposentadoria por idade urbana. Espero que seja útil. Diz o art. 48, da Lei 8.213/91: Art. 48. A aposentadoria por idade será devida ao segurado que, cumprida

Leia mais

V I S T O S, relatados e discutidos estes autos de

V I S T O S, relatados e discutidos estes autos de EMENTA RECURSO ORDINÁRIO, provenientes da UMUARAMA - PR, sendo Recorrente CONTRIBUIÇÃO ASSISTENCIAL/NEGOCIAL - HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS - Nas ações de cobrança de contribuição sindical, figurando nos pólos

Leia mais

4. Contribuições Previdenciárias

4. Contribuições Previdenciárias 4. Contribuições Previdenciárias Tema 4.1: Participação nos Lucros e Resultados PLR: análise da jurisprudência administrativa e judicial Fábio Pallaretti Calcini PLR Aspectos Gerais Contribuições Previdenciárias:

Leia mais

55ameaças. aos seus direitos em tramitação no Congresso Nacional

55ameaças. aos seus direitos em tramitação no Congresso Nacional 55ameaças aos seus direitos em tramitação no Congresso Nacional A assessoria do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap) realizou um levantamento das principais matérias tramitando no

Leia mais

Edição Número 128 de 06/07/2005

Edição Número 128 de 06/07/2005 Atos do Congresso Nacional Edição Número 128 de 06/07/2005 EMENDA CONSTITUCIONAL N o 47 Altera os arts. 37, 40, 195 e 201 da Constituição Federal, para dispor sobre a previdência social, e dá outras providências.

Leia mais

Como proceder nos contratos por prazo O que é estabilidade provisória? determinado?

Como proceder nos contratos por prazo O que é estabilidade provisória? determinado? O que é estabilidade provisória? É o período em que o empregado tem seu emprego garantido, não podendo ser dispensado por vontade do empregador, salvo por justa causa ou força maior. Encontram-se previstas

Leia mais

AVISO PRÉVIO PROPORCIONAL

AVISO PRÉVIO PROPORCIONAL OUTUBRO DE 2011 NOTA TÉCNICA AVISO PRÉVIO PROPORCIONAL A Lei 12.506/11, publicada no Diário Oficial da União do dia 13 de outubro de 2011, amplia o aviso prévio dos atuais 30 dias para até 90 dias. Esta

Leia mais

A Mesa Municipal de Negociação Permanente do Sistema Único de Saúde e a Efetivação da Política de Gestão do Trabalho no Município de Betim MG.

A Mesa Municipal de Negociação Permanente do Sistema Único de Saúde e a Efetivação da Política de Gestão do Trabalho no Município de Betim MG. A Mesa Municipal de Negociação Permanente do Sistema Único de Saúde e a Efetivação da Política de Gestão do Trabalho no Município de Betim MG. Prêmio Inova SUS 2011 Secretaria Gestão do Trabalho e Educação

Leia mais

A OBRIGATORIEDADE DE AS EMPRESAS PROMOVEREM O PREENCHIMENTO DE CARGOS COM PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA E REABILITADOS

A OBRIGATORIEDADE DE AS EMPRESAS PROMOVEREM O PREENCHIMENTO DE CARGOS COM PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA E REABILITADOS A OBRIGATORIEDADE DE AS EMPRESAS PROMOVEREM O PREENCHIMENTO DE CARGOS COM PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA E REABILITADOS Dinorá Carla de Oliveira Rocha Fernandes 1 Nos últimos anos as empresas têm sido

Leia mais

70 anos da CLT: Uma história de lutas e conquistas

70 anos da CLT: Uma história de lutas e conquistas Boletim Econômico Edição nº 03 Setembro de 2013 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico 70 anos da CLT: Uma história de lutas e conquistas 1 A Carteira de Trabalho Em 21 de março de

Leia mais