2015. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "2015. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae"

Transcrição

1 Outubro/2015

2 2015. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação aos direitos autorais (Lei n 9.610). Informações e contatos Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Unidade de Gestão Estratégica UGE SGAS 605 Conj. A Asa Sul Brasília/DF CEP: Telefone: (61) Site: Presidente do Conselho Deliberativo Robson Braga de Andrade Diretor-Presidente Guilherme Afif Domingos Diretora Técnica Heloisa Regina Guimarães de Menezes Diretor de Administração e Finanças Luiz Eduardo Pereira Barretto Filho Unidade de Gestão Estratégica Gerente Pio Cortizo Elaboração: Paulo Jorge de Paiva Fonseca (coordenação técnica) Karina Santos de Souza Apoio: Betí Souto de Azambuja UGE/NA - NEP 2/63

3 Evolução do saldo líquido de criação de emprego formal no Brasil pelos pequenos negócios Outubro/2015 Em outubro deste ano, os pequenos negócios registraram saldo negativo de 49,7 mil empregos formais celetistas, sendo que o saldo negativo, apresentado pelas Médias e Grandes Empresas (MGE), foi bem maior, de -118,8 mil empregos, conforme mostrado no Gráfico 1. Computando-se a Administração Pública, o saldo líquido total de empregos gerados no país, em outubro, ficou negativo em postos de trabalho, considerando-se as declarações dentro do prazo. Gráfico 1 Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE e MGE em outubro/2015 Fonte: MTE/CAGED Outubro/2015 (declarações dentro do prazo). Elaboração: Sebrae/UGE Nota: MPE = Micro e Pequenas Empresas; MGE = Médias e Grandes Empresas Quadro 1: Evolução do saldo líquido de empregos gerados: MPE X MGE REF MPE MGE Administração Pública TOTAL M.T.E Out/ Nov/ Dez/ Jan/ Fev/ Mar/ Abr/ Mai/ Jun/ Jul/ Ago/ Set/ Out/ Fonte:MTE/CAGED UGE/NA - NEP 3/63

4 No mês de setembro, os pequenos negócios haviam apresentado saldo negativo de empregos. Conforme havia sido previsto no boletim anterior, este saldo foi reduzido para empregos, ao se incorporar novos postos de trabalho, advindos das declarações fora do prazo, informadas neste mês de novembro pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Assim, a expectativa é de que, em dezembro, quando o MTE divulgar os dados referentes às declarações fora do prazo do mês de outubro/2015, este saldo negativo também seja minimizado. Quadro 2: Saldo líquido de geração de empregos nas MPE e nas MGE (Declarações dentro do prazo de fora do prazo ) Mês/ano Declarações "DP" (A) Declarações "FP" (B) Total ajustado (C=A+B) Declarações "DP" (D) Declarações "FP" (E) Total ajustado (F=D+E) out/ nov/ dez/ jan/ fev/ mar/ abr/ mai/ jun/ jul/ ago/ set/ out/ nd nd DP = Dentro do Prazo; FP = Fora do prazo; nd = não disponível Fonte: MTE/CAGED Pequenos Negócios Médias e Grandes No ano, até outubro, os pequenos negócios acumulam saldo positivo ajustado 1 de empregos, 93,1% inferior ao saldo observado no mesmo período de 2014, enquanto as MGE registraram extinção líquida de vagas. O Gráfico 2, a seguir, mostra a evolução mensal do saldo ajustado de empregos gerados pelos pequenos negócios, incorporando-se as declarações fora do prazo. 1 Considera as declarações fora do prazo, além das declarações dentro do prazo. UGE/NA - NEP 4/63

5 Gráfico 2 - Evolução dos saldos de emprego nos Pequenos Negócios Declarações Fora do prazo Declarações Dentro do prazo out/14 nov/14 dez/14 jan/15 fev/15 mar/15 abr/15 mai/15 jun/ jul/15 ago/15 Set/15 Out/ Fonte: MTE/CAGED Do ponto de vista setorial, os pequenos negócios do setor de Serviços registraram extinção líquida de postos, puxada pelas atividades de Transportes e comunicações (-1.478) e de Serviços de alojamento e alimentação ( postos). Das outras atividades que compõem o setor, apenas duas apresentaram saldo positivo: Serviços médicos, odontológicos e veterinários (+501 empregos) e Comércio e administração de imóveis (+48 vagas). Já as MPE da Construção Civil, da Agropecuária e do Comércio experimentaram saldos negativos de, respectivamente, , e empregos. Gráfico 3: Geração líquida de empregos (MPE x MGE), por setor (outubro/2015) Fonte: MTE/CAGED outubro/2015. Elaboração: Sebrae/UGE Nota: MPE = Micro e Pequenas Empresas; MGE = Médias e Grandes Empresas UGE/NA - NEP 5/63

6 No tocante à Indústria de transformação, apenas as MPE da Indústria de produtos alimentícios e bebidas apresentaram saldo positivo (233 empregos). As demais atividades registraram extinção líquida de vagas, com os maiores saldos negativos sendo observados nas indústrias Têxtil do vestuário e artefatos de tecidos ( postos), Metalúrgica ( vagas) e Produtos minerais não metálicos ( vagas). As MPE da Indústria de transformação são as que mais têm sentido os reflexos da conjuntura econômica atual (aumento das taxas de juros, da inflação, retração da renda etc) e computaram, no total, extinção líquida de postos de trabalho. A Construção civil, por sua vez, está refletindo mais diretamente a redução do ritmo de crescimento da atividade econômica no país, principalmente dos investimentos em infraestrutura. Quadro 3 Ranking do saldo de empregos gerados pelas MPE, por UF outubro 2015 Ordem UF Saldo de Empregos 1 Maranhão Mato Grosso do Sul Alagoas Tocantins Sergipe Paraíba Amapá Roraima 16 9 Piauí Acre Rio Grande do Norte Amazonas Pernambuco Santa Catarina Espírito Santo Rondônia Distrito Federal Para Ceará Mato Grosso Rio de Janeiro Rio Grande do Sul Bahia Goiás Paraná Minas Gerais São Paulo Total Fonte: MTE/CAGED outubro/2015. Elaboração: Sebrae/UGE Em outubro de 2015, o estado do Maranhão liderou o ranking de saldo de empregos gerados no país, seguido pelo estado do Mato Grosso do Sul e Alagoas. A região Sudeste foi a que UGE/NA - NEP 6/63

7 apresentou o maior saldo negativo de empregos ( postos), sendo puxada pelos estados de São Paulo ( postos) e Minas Gerais ( postos). As regiões Sul, Centro-Oeste, Nordeste e Norte também registraram saldos negativos de, respectivamente, , , e postos de trabalho. Mapa da distribuição do saldo de empregos gerados em outubro/2015, por UF. Fonte: MTE/CAGED. Elaboração Sebrae/UGE. UGE/NA - NEP 7/63

8 Visão por UF dos saldos de empregos gerados no mês de outubro/2015 UGE/NA - NEP 8/63

9 Acre A - Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE - Outubro 2015 Fonte: CAGED B Saldo líquido de empregos gerados MPE e MGE últimos 12 meses REF MPE MGE Administração Pública TOTAL M.T.E Out/ Nov/ Dez/ Jan/ Fev/ Mar/ Abr/ Mai/ Jun/ Jul/ Ago/ Set/ Out/ UGE/NA - NEP 9/63

10 C Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE e MGE em Outubro/2015, por setor MGE MPE Agropecuária Serv. Ind. de Util. Pública Serviços Comércio Construção Civil Indústria de Transformação Extrativa Mineral Fonte: MTE/CAGED UGE/NA - NEP 10/63

11 Alagoas A - Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE - Outubro 2015 Fonte: CAGED B Saldo líquido de empregos gerados - MPE e MGE últimos 12 meses REF MPE MGE Administração Pública TOTAL M.T.E Out/ Nov/ Dez/ Jan/ Fev/ Mar/ Abr/ Mai/ Jun/ Jul/ Ago/ Set/ Out/ Criação Líquida de Empregos = (Admissões - Demissões) UGE/NA - NEP 11/63

12 C Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE e MGE em Outubro/2015, por setor MGE MPE Agropecuária Serv. Ind. de Util. Pública Serviços Comércio Construção Civil Indústria de Transformação Extrativa Mineral Fonte: MTE/CAGED UGE/NA - NEP 12/63

13 Amapá A - Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE - Outubro 2015 Fonte: CAGED B Saldo líquido de empregos gerados - MPE e MGE últimos 12 meses REF MPE MGE Administração Pública TOTAL M.T.E Out/ Nov/ Dez/ Jan/ Fev/ Mar/ Abr/ Mai/ Jun/ Jul/ Ago/ Set/ Out/ Criação Líquida de Empregos = (Admissões - Demissões) UGE/NA - NEP 13/63

14 C Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE e MGE em Outubro/2015, por setor UGE/NA - NEP 14/63

15 Amazonas A - Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE - Outubro 2015 Fonte: CAGED B Saldo líquido de empregos gerados - MPE e MGE últimos 12 meses REF MPE MGE Administração Pública TOTAL M.T.E Out/ Nov/ Dez/ Jan/ Fev/ Mar/ Abr/ Mai/ Jun/ Jul/ Ago/ Set/ Out/ Criação Líquida de Empregos = (Admissões - Demissões) UGE/NA - NEP 15/63

16 C Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE e MGE em Outubro/2015, por setor Fonte: MTE/CAGED UGE/NA - NEP 16/63

17 Bahia A - Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE - Outubro 2015 Fonte: CAGED B Saldo líquido de empregos gerados - MPE e MGE últimos 12 meses REF MPE MGE Administração Pública TOTAL M.T.E Out/ Nov/ Dez/ Jan/ Fev/ Mar/ Abr/ Mai/ Jun/ Jul/ Ago/ Set/ Out/ Fonte CAGED Criação Líquida de Empregos = (Admissões - Demissões) UGE/NA - NEP 17/63

18 C Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE e MGE em Outubro/2015, por setor Fonte: MTE/CAGED UGE/NA - NEP 18/63

19 Ceará A - Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE - Outubro 2015 Fonte: CAGED B Saldo líquido de empregos gerados - MPE e MGE últimos 12 meses REF MPE MGE Administração Pública TOTAL M.T.E Out/ Nov/ Dez/ Jan/ Fev/ Mar/ Abr/ Mai/ Jun/ Jul/ Ago/ Set/ Out/ FonteCAGED Criação Líquida de Empregos = (Admissões - Demissões) UGE/NA - NEP 19/63

20 C Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE e MGE em Outubro/2015, por setor Fonte: MTE/CAGED UGE/NA - NEP 20/63

21 Distrito Federal A - Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE - Outubro 2015 Fonte: CAGED B Saldo líquido de empregos gerados - MPE e MGE últimos 12 meses REF MPE MGE Administração Pública TOTAL M.T.E Out/ Nov/ Dez/ Jan/ Fev/ Mar/ Abr/ Mai/ Jun/ Jul/ Ago/ Set/ Out/ Criação Líquida de Empregos = (Admissões - Demissões) UGE/NA - NEP 21/63

22 C Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE e MGE em Outubro/2015, por setor Fonte: MTE/CAGED UGE/NA - NEP 22/63

23 Espírito Santo A - Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE - Outubro 2015 Fonte: CAGED B Saldo líquido de empregos gerados - MPE e MGE últimos 12 meses REF MPE MGE Administração Pública TOTAL M.T.E Out/ Nov/ Dez/ Jan/ Fev/ Mar/ Abr/ Mai/ Jun/ Jul/ Ago/ Set/ Out/ FonteCAGED Criação Líquida de Empregos = (Admissões - Demissões) UGE/NA - NEP 23/63

24 C Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE e MGE em Outubro/2015, por setor Fonte: MTE/CAGED UGE/NA - NEP 24/63

25 Goiás A - Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE - Outubro 2015 Fonte: CAGED B Saldo líquido de empregos gerados - MPE e MGE últimos 12 meses REF MPE MGE Administração Pública TOTAL M.T.E Out/ Nov/ Dez/ Jan/ Fev/ Mar/ Abr/ Mai/ Jun/ Jul/ Ago/ Set/ Out/ Criação Líquida de Empregos = (Admissões - Demissões) UGE/NA - NEP 25/63

26 C Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE e MGE em Outubro/2015, por setor Fonte: MTE/CAGED UGE/NA - NEP 26/63

27 Maranhão A - Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE - Outubro 2015 Fonte: CAGED B Saldo líquido de empregos gerados - MPE e MGE últimos 12 meses REF MPE MGE Administração Pública TOTAL M.T.E Out/ Nov/ Dez/ Jan/ Fev/ Mar/ Abr/ Mai/ Jun/ Jul/ Ago/ Set/ Out/ Criação Líquida de Empregos = (Admissões - Demissões) UGE/NA - NEP 27/63

28 C Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE e MGE em Outubro/2015, por setor Fonte: MTE/CAGED UGE/NA - NEP 28/63

29 Mato Grosso A - Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE - Outubro 2015 Fonte: CAGED B Saldo líquido de empregos gerados - MPE e MGE últimos 12 meses REF MPE MGE Administração Pública TOTAL M.T.E Out/ Nov/ Dez/ Jan/ Fev/ Mar/ Abr/ Mai/ Jun/ Jul/ Ago/ Set/ Out/ Fonte:CAGED Criação Líquida de Empregos = (Admissões - Demissões) UGE/NA - NEP 29/63

30 C Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE e MGE em Outubro/2015, por setor Fonte: MTE/CAGED UGE/NA - NEP 30/63

31 Mato Grosso do Sul A - Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE - Outubro 2015 Fonte: CAGED B Saldo líquido de empregos gerados - MPE e MGE últimos 12 meses REF MPE MGE Administração Pública TOTAL M.T.E Out/ Nov/ Dez/ Jan/ Fev/ Mar/ Abr/ Mai/ Jun/ Jul/ Ago/ Set/ Out/ Criação Líquida de Empregos = (Admissões - Demissões) UGE/NA - NEP 31/63

32 C Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE e MGE em Outubro/2015, por setor Fonte: MTE/CAGED UGE/NA - NEP 32/63

33 Minas Gerais A - Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE - Outubro 2015 Fonte: CAGED B Saldo líquido de empregos gerados - MPE e MGE últimos 12 meses REF MPE MGE Administração Pública TOTAL M.T.E Out/ Nov/ Dez/ Jan/ Fev/ Mar/ Abr/ Mai/ Jun/ Jul/ Ago/ Set/ Out/ Criação Líquida de Empregos = (Admissões - Demissões) UGE/NA - NEP 33/63

34 C Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE e MGE em Outubro/2015, por setor Fonte: MTE/CAGED UGE/NA - NEP 34/63

35 Pará A - Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE - Outubro 2015 B Saldo líquido de empregos gerados - MPE e MGE últimos 12 meses REF MPE MGE Administração Pública TOTAL M.T.E Out/ Nov/ Dez/ Jan/ Fev/ Mar/ Abr/ Mai/ Jun/ Jul/ Ago/ Set/ Out/ Criação Líquida de Empregos = (Admissões - Demissões) UGE/NA - NEP 35/63

36 C Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE e MGE em Outubro/2015, por setor Fonte: MTE/CAGED UGE/NA - NEP 36/63

37 Paraíba A - Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE - Outubro 2015 B Saldo líquido de empregos gerados - MPE e MGE últimos 12 meses REF MPE MGE Administração Pública TOTAL M.T.E Out/ Nov/ Dez/ Jan/ Fev/ Mar/ Abr/ Mai/ Jun/ Jul/ Ago/ Set/ Out/ Criação Líquida de Empregos = (Admissões - Demissões) UGE/NA - NEP 37/63

38 C Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE e MGE em Outubro/2015, por setor Fonte: MTE/CAGED UGE/NA - NEP 38/63

39 Paraná A - Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE - Outubro 2015 B Saldo líquido de empregos gerados - MPE e MGE últimos 12 meses REF MPE MGE Administração Pública TOTAL M.T.E Out/ Nov/ Dez/ Jan/ Fev/ Mar/ Abr/ Mai/ Jun/ Jul/ Ago/ Set/ Out/ Criação Líquida de Empregos = (Admissões - Demissões) UGE/NA - NEP 39/63

40 C Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE e MGE em Outubro/2015, por setor Fonte: MTE/CAGED UGE/NA - NEP 40/63

41 Pernambuco A - Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE - Outubro 2015 B Saldo líquido de empregos gerados - MPE e MGE últimos 12 meses REF MPE MGE Administração Pública TOTAL M.T.E Out/ Nov/ Dez/ Jan/ Fev/ Mar/ Abr/ Mai/ Jun/ Jul/ Ago/ Set/ Out/ Criação Líquida de Empregos = (Admissões - Demissões) UGE/NA - NEP 41/63

42 C Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE e MGE em Outubro/2015, por setor Fonte: MTE/CAGED UGE/NA - NEP 42/63

43 Piauí A - Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE - Outubro 2015 B Saldo líquido de empregos gerados - MPE e MGE últimos 12 meses REF MPE MGE Administração Pública TOTAL M.T.E Out/ Nov/ Dez/ Jan/ Fev/ Mar/ Abr/ Mai/ Jun/ Jul/ Ago/ Set/ Out/ Criação Líquida de Empregos = (Admissões - Demissões) UGE/NA - NEP 43/63

44 C Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE e MGE em Outubro/2015, por setor. Fonte: MTE/CAGED UGE/NA - NEP 44/63

45 Rio de Janeiro A - Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE - Outubro 2015 B Saldo líquido de empregos gerados - MPE e MGE últimos 12 meses REF MPE MGE Administração Pública TOTAL M.T.E Out/ Nov/ Dez/ Jan/ Fev/ Mar/ Abr/ Mai/ Jun/ Jul/ Ago/ Set/ Out/ Criação Líquida de Empregos = (Admissões - Demissões) UGE/NA - NEP 45/63

46 C Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE e MGE em Outubro/2015, por setor Fonte: MTE/CAGED UGE/NA - NEP 46/63

47 Rio Grande do Norte A - Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE - Outubro 2015 B Saldo líquido de empregos gerados - MPE e MGE últimos 12 meses REF MPE MGE Administração Pública TOTAL M.T.E Out/ Nov/ Dez/ Jan/ Fev/ Mar/ Abr/ Mai/ Jun/ Jul/ Ago/ Set/ Out/ Criação Líquida de Empregos = (Admissões - Demissões) UGE/NA - NEP 47/63

48 C Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE e MGE em Outubro/2015, por setor Fonte: MTE/CAGED UGE/NA - NEP 48/63

49 Rio Grande do Sul A - Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE - Outubro 2015 B Saldo líquido de empregos gerados - MPE e MGE últimos 12 meses REF MPE MGE Administração Pública TOTAL M.T.E Out/ Nov/ Dez/ Jan/ Fev/ Mar/ Abr/ Mai/ Jun/ Jul/ Ago/ Set/ Out/ Criação Líquida de Empregos = (Admissões - Demissões) UGE/NA - NEP 49/63

50 C Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE e MGE em Outubro/2015, por setor Fonte: MTE/CAGED UGE/NA - NEP 50/63

51 Rondônia A - Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE - Outubro 2015 Fonte: CAGED B Saldo líquido de empregos gerados - MPE e MGE últimos 12 meses REF MPE MGE Administração Pública TOTAL M.T.E Out/ Nov/ Dez/ Jan/ Fev/ Mar/ Abr/ Mai/ Jun/ Jul/ Ago/ Set/ Out/ Criação Líquida de Empregos = (Admissões - Demissões) UGE/NA - NEP 51/63

52 C Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE e MGE em Outubro/2015, por setor Fonte: MTE/CAGED UGE/NA - NEP 52/63

53 Roraima A - Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE - Outubro 2015 Fonte: CAGED B Saldo líquido de empregos gerados - MPE e MGE últimos 12 meses REF MPE MGE Administração Pública TOTAL M.T.E Out/ Nov/ Dez/ Jan/ Fev/ Mar/ Abr/ Mai/ Jun/ Jul/ Ago/ Set/ Out/ Criação Líquida de Empregos = (Admissões - Demissões) UGE/NA - NEP 53/63

54 C Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE e MGE em Outubro/2015, por setor UGE/NA - NEP 54/63

55 Santa Catarina A - Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE - Outubro 2015 Fonte: CAGED B Saldo líquido de empregos gerados - MPE e MGE últimos 12 meses REF MPE MGE Administração Pública TOTAL M.T.E Set/ Out/ Nov/ Dez/ Jan/ Fev/ Mar/ Abr/ Mai/ Jun/ Jul/ Ago/ Out/ Criação Líquida de Empregos = (Admissões - Demissões) UGE/NA - NEP 55/63

56 C Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE e MGE em Outubro/2015, por setor Fonte: MTE/CAGED UGE/NA - NEP 56/63

57 São Paulo A - Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE - Outubro 2015 Fonte: CAGED B Saldo líquido de empregos gerados - MPE e MGE últimos 12 meses REF MPE MGE Administração Pública TOTAL M.T.E Set/ Out/ Nov/ Dez/ Jan/ Fev/ Mar/ Abr/ Mai/ Jun/ Jul/ Ago/ Out/ Criação Líquida de Empregos = (Admissões - Demissões) UGE/NA - NEP 57/63

58 C Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE e MGE em Outubro/2015, por setor MGE MPE Agropecuária Serv. Ind. de Util. Pública Serviços Comércio Construção Civil Indústria de Transformação Extrativa Mineral Fonte: MTE/CAGED UGE/NA - NEP 58/63

59 Sergipe A - Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE - Outubro 2015 Fonte: CAGED B Saldo líquido de empregos gerados - MPE e MGE últimos 12 meses REF MPE MGE Administração Pública TOTAL M.T.E Out/ Nov/ Dez/ Jan/ Fev/ Mar/ Abr/ Mai/ Jun/ Jul/ Ago/ Set/ Out/ Criação Líquida de Empregos = (Admissões - Demissões) C Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE e MGE em Outubro/2015, por setor UGE/NA - NEP 59/63

60 Fonte: MTE/CAGED UGE/NA - NEP 60/63

61 Tocantins A - Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE - Outubro 2015 Fonte: CAGED B Saldo líquido de empregos gerados - MPE e MGE últimos 12 meses REF MPE MGE Administração Pública TOTAL M.T.E Out/ Nov/ Dez/ Jan/ Fev/ Mar/ Abr/ Mai/ Jun/ Jul/ Ago/ Set/ Out/ Criação Líquida de Empregos = (Admissões - Demissões) UGE/NA - NEP 61/63

62 C Saldo líquido de empregos gerados pelas MPE e MGE em Outubro/2015, por setor Fonte: MTE/CAGED UGE/NA - NEP 62/63

63 UGE/NA - NEP 63/63

2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae

2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Julho/2016 2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação aos direitos

Leia mais

2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae

2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Junho/2016 2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação aos direitos

Leia mais

2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae

2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Setembro/2016 2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação aos

Leia mais

2015. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae

2015. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Janeiro/2015 2015. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação aos

Leia mais

Maio/ BRASIL. Análise do emprego. Brasil Maio/2014

Maio/ BRASIL. Análise do emprego. Brasil Maio/2014 Maio/2014 - BRASIL Análise do emprego Brasil Maio/2014 2014. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no

Leia mais

2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae

2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Dezembro/2016 e acumulado de 2016 2016. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui

Leia mais

Janeiro/ BRASIL. Análise do emprego. Brasil Janeiro/2014

Janeiro/ BRASIL. Análise do emprego. Brasil Janeiro/2014 Janeiro/2014 - BRASIL Análise do emprego Brasil Janeiro/2014 2014. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação,

Leia mais

Março/ BRASIL. Análise do emprego. Brasil Março/2014

Março/ BRASIL. Análise do emprego. Brasil Março/2014 Março/2014 - BRASIL Análise do emprego Brasil Março/2014 2014. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação,

Leia mais

Participação dos Pequenos Negócios no Emprego

Participação dos Pequenos Negócios no Emprego Participação dos Pequenos Negócios no Emprego CAGED fevereiro/2013 2013. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação,

Leia mais

Emprego industrial 25 de Fevereiro de 2014 FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA. Indústria Janeiro/2014

Emprego industrial 25 de Fevereiro de 2014 FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA. Indústria Janeiro/2014 EMPREGO INDUSTRIAL Janeiro de 2014 Emprego industrial 25 de Fevereiro de 2014 FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA SUMÁRIO EXECUTIVO A INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO APRESENTOU O MELHOR DESEMPENHO

Leia mais

Abril/2014 - BRASIL. Análise do emprego. Brasil Abril/2014

Abril/2014 - BRASIL. Análise do emprego. Brasil Abril/2014 Abril/2014 - BRASIL Análise do emprego Brasil Abril/2014 2014. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação,

Leia mais

EMPREGO INDUSTRIAL Dezembro de 2013

EMPREGO INDUSTRIAL Dezembro de 2013 EMPREGO INDUSTRIAL Dezembro de 2013 Emprego industrial 28 de Janeiro de 2014 FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA SUMÁRIO EXECUTIVO INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO - no acumulado do ano, foi

Leia mais

EMPREGO INDUSTRIAL SUMÁRIO EXECUTIVO EMPREGO MAIO DE 2013 A INDÚSTRIA FOI O SETOR QUE MAIS CONTRATOU EM MAIO E NO ACUMULADO DO ANO.

EMPREGO INDUSTRIAL SUMÁRIO EXECUTIVO EMPREGO MAIO DE 2013 A INDÚSTRIA FOI O SETOR QUE MAIS CONTRATOU EM MAIO E NO ACUMULADO DO ANO. EMPREGO INDUSTRIAL MAIO DE 2013 SUMÁRIO EXECUTIVO A INDÚSTRIA FOI O SETOR QUE MAIS CONTRATOU EM MAIO E NO ACUMULADO DO ANO. FORAM GERADAS 31.531 VAGAS ENTE JANEIRO E MAIO, correspondendo a um acréscimo

Leia mais

Acre Previsão por Coeficiente no Estado

Acre Previsão por Coeficiente no Estado Acre 0,6 121.073,55 262.729,59 0,8 161.431,39 350.306,12 1,0 201.789,24 437.882,66 1,2 242.147,09 525.459,19 1,4 - - 1,6 322.862,79 700.612,25 1,8 363.220,64 788.188,78 2,0 - - 2,2 - - 2,4 - - 2,6 524.652,03

Leia mais

Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007

Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007 Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007 REGIÃO NORTE 5.951.408 87,35 861.892 12,65 6.813.300 RONDÔNIA 760.521 88,11 102.631 11,89 863.152 ACRE 298.081 85,86 49.094

Leia mais

Na atividade de têxtil e confecção ocorreu o maior volume de contratações (1.069 postos).

Na atividade de têxtil e confecção ocorreu o maior volume de contratações (1.069 postos). JAN/2016 Sumário Executivo No mês de janeiro de 2016, o saldo de empregos em Santa Catarina aumentou em relação a dezembro (7.211 postos e variação de 0,4%). A indústria de transformação também teve desempenho

Leia mais

O setor de Serviços foi o maior gerador de empregos formais no mês de julho (1.372 postos), seguido da Construção Civil (564 postos).

O setor de Serviços foi o maior gerador de empregos formais no mês de julho (1.372 postos), seguido da Construção Civil (564 postos). EMPREGO INDUSTRIAL JULHO DE 2013 SUMÁRIO EXECUTIVO A INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO CATARINENSE APRESENTOU DIMINUIÇÃO DO EMPREGO EM JULHO. O número de demissões foi maior que o de admissões resultando em um

Leia mais

EMPREGO INDUSTRIAL Maio de 2014

EMPREGO INDUSTRIAL Maio de 2014 EMPREGO INDUSTRIAL Maio de 2014 EMPREGO INDUSTRIAL FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA SUMÁRIO EXECUTIVO O mercado de trabalho catarinense não cresceu em maio. A INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. Fevereiro/2013 (dados até Janeiro)

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. Fevereiro/2013 (dados até Janeiro) ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL (ICPN) Fevereiro/2013 (dados até Janeiro) Características da pesquisa Objetivo: - medir o impacto da conjuntura econômica nos Pequenos Negócios e suas

Leia mais

Emprego Industrial Julho de 2015

Emprego Industrial Julho de 2015 Emprego Industrial Julho de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de julho de 2015, o saldo de empregos em Santa Catarina reduziu em relação ao estoque de junho (-14.770 postos e variação de -0,7%). A indústria

Leia mais

EMPREGO INDUSTRIAL Junho de 2014

EMPREGO INDUSTRIAL Junho de 2014 EMPREGO INDUSTRIAL Junho de 2014 Emprego industrial FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA SUMÁRIO EXECUTIVO A INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO CATARINENSE fechou 1.344 postos de trabalho em junho,

Leia mais

Emprego Industrial Fevereiro de 2015

Emprego Industrial Fevereiro de 2015 Emprego Industrial Fevereiro de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de fevereiro de 2015, o saldo de empregos em Santa Catarina cresceu em relação ao estoque de janeiro (12.108 postos e variação de 0,6%). A

Leia mais

Emprego Industrial Janeiro de 2015

Emprego Industrial Janeiro de 2015 Emprego Industrial Janeiro de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de janeiro de 2015, o saldo de empregos em Santa Catarina cresceu em relação a dezembro (14.637 postos e variação de 0,7%). A indústria de transformação

Leia mais

Emprego Industrial Dezembro de 2014

Emprego Industrial Dezembro de 2014 Emprego Industrial Dezembro de 2014 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de dezembro de 2014, o saldo de empregos em Santa Catarina recuou em relação ao estoque de novembro (-36.691 postos e variação de -1,8%). A

Leia mais

Emprego Industrial Junho de 2015

Emprego Industrial Junho de 2015 Emprego Industrial Junho de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de junho de 2015, o saldo de empregos em Santa Catarina reduziu em relação ao estoque de maio (-7.922 postos e variação de -0,4%). A indústria

Leia mais

9, R$ , , R$ ,

9, R$ , , R$ , Rondônia 2005 R$ 601.575,17 2005 10.154 2004 1.027.983 2004 108.139 2004 10,52 2006 R$ 609.834,21 2006 10.757 2005 1.025.249 2005 101.539 2005 9,90 2007 R$ 1.229.490,00 2007 9.100 2006 1.047.004 2006 111.068

Leia mais

Emprego Industrial Agosto de 2014

Emprego Industrial Agosto de 2014 Emprego Industrial Agosto de 2014 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de agosto de 2014, o saldo de emprego em Santa Catarina voltou a crescer (6.599 postos e variação de 0,3% em relação ao estoque de julho). A indústria

Leia mais

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS no Estado do Rio de Janeiro em 2013 FEVEREIRO DE 2014 RESUMO O país criou 730.687 novos postos de trabalho em 2013, desempenho este 16% menor do que o apresentado em 2012. No

Leia mais

Emprego Industrial Setembro de 2014

Emprego Industrial Setembro de 2014 Emprego Industrial Setembro de 2014 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de setembro de 2014, o saldo do emprego voltou a crescer em Santa Catarina (7.033 postos e variação de 0,3% em relação ao estoque de agosto).

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Abril de 2015 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Março de 2015 Sumário Executivo Indicadores de confiança são indicadores

Leia mais

Geração de Empregos Celetistas no Ceará - 1º Semestre de 2014

Geração de Empregos Celetistas no Ceará - 1º Semestre de 2014 Enfoque Econômico é uma publicação do IPECE que tem por objetivo fornecer informações de forma imediata sobre políticas econômicas, estudos e pesquisas de interesse da população cearense. Por esse instrumento

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Abril de 2016

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Abril de 2016 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Abril de 2016 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Abril de 2016 Sumário Executivo Indicadores de confiança são indicadores

Leia mais

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS no Estado do Rio de Janeiro JANEIRO DE 214 BRASIL O saldo líquido de empregos formais no primeiro mês de 214 foi de 29.595 empregos em todo o país, segundo o Cadastro Geral

Leia mais

Emprego Industrial Setembro de 2015

Emprego Industrial Setembro de 2015 Emprego Industrial Setembro de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de setembro de 2015, o saldo de empregos em Santa Catarina reduziu em relação ao estoque de agosto (-4.425 postos e variação de -0,2%). A indústria

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Novembro de 2015

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Novembro de 2015 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Novembro de 2015 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Novembro de 2015 Sumário Executivo Indicadores de confiança são indicadores

Leia mais

Na comparação com o mesmo mês, foi o menor saldo de empregos da indústria de transformação para fevereiro desde 2010.

Na comparação com o mesmo mês, foi o menor saldo de empregos da indústria de transformação para fevereiro desde 2010. Sumário Executivo FEV/2016 No mês de fevereiro de 2016, o saldo de empregos em Santa Catarina aumentou em relação a janeiro (4.793 postos e variação de 0,2%). A indústria de transformação também teve desempenho

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Junho de 2016

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Junho de 2016 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Junho de 2016 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Junho de 2016 Sumário Executivo Indicadores de confiança são indicadores

Leia mais

Emprego Industrial Dezembro de 2015

Emprego Industrial Dezembro de 2015 Emprego Industrial Dezembro de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de embro de 2015, o saldo de empregos em Santa Catarina reduziu em relação ao estoque de novembro (-34.971 postos e variação de -1,7%). A indústria

Leia mais

Emprego Industrial Outubro de 2015

Emprego Industrial Outubro de 2015 Emprego Industrial Outubro de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de ubro de 2015, o saldo de empregos em Santa Catarina reduziu em relação ao estoque de setembro (-4.475 postos e variação de -0,2%). A indústria

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015 DADOS GERAIS DO ESTADO DO MATO GROSSO Total Part % Brasil Part % Região Área Total - km² 903.386 10,63% 56,24% População

Leia mais

GERAÇÃO DE VAGAS ATINGIU MAIS DA METADE DOS SUBSETORES NO 1º TRIMESTRE

GERAÇÃO DE VAGAS ATINGIU MAIS DA METADE DOS SUBSETORES NO 1º TRIMESTRE GERAÇÃO DE VAGAS ATINGIU MAIS DA METADE DOS SUBSETORES NO 1º TRIMESTRE Apesar do saldo agregado negativo nos três primeiros meses do ano, 13 dos 25 subsetores de atividade geraram postos formais de trabalho.

Leia mais

EMPREGO INDUSTRIAL Março de 2014

EMPREGO INDUSTRIAL Março de 2014 EMPREGO INDUSTRIAL Março de 2014 Emprego industrial FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA SUMÁRIO EXECUTIVO A INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO APRESENTOU O MELHOR DESEMPENHO ENTRE OS SETORES DA

Leia mais

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS - ABRIL/2015

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS - ABRIL/2015 Saldo (Admissão - Desligamentos) Saldo (Admissão - Desligamentos) GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS - ABRIL/215 1. Geração de Empregos no Brasil - Mercado de Trabalho volta a Demitir O Ministério do Trabalho

Leia mais

Comércio em Números. Brasil. meses.

Comércio em Números. Brasil. meses. Belo Horizonte MG Dezembro de 2015 O é um acompanhamento sistemático das estatísticas econômicas. Trata-se de um estudo que busca acompanhar o comportamento das variáveis de desempenho do consumo e das

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica de Goiás N.39/Jul.2013

Boletim de Conjuntura Econômica de Goiás N.39/Jul.2013 Segue abaixo uma breve explicação sobre os indicadores analisados neste Boletim. Produção Industrial Mensal Produção Física (PIM-PF) A dinâmica da atividade econômica de uma região pode ser aferida de

Leia mais

Participação. Micro e Pequenas Empresas na Economia Brasileira REGIÃO NORDESTE

Participação. Micro e Pequenas Empresas na Economia Brasileira REGIÃO NORDESTE Elaboração de Estudo sobre a Participação das Micro e Pequenas Empresas na Economia Nacional e nas Unidades da Federação Sebrae Nacional Participação Dezembro de 2014 das Micro e Pequenas Empresas na Economia

Leia mais

Contabilizando para o Cidadão Entendendo as Finanças Públicas

Contabilizando para o Cidadão Entendendo as Finanças Públicas - ano 2015 Pernambuco 5,20% Ceará 5,44% Maranhão 5,14% Pará 4,89% Paraná 4,43% Rio Grande do Sul 4,37% Santa Catarina 2,54% Rio Grande do Norte 2,48% Espírito Santo 2,14% Amazonas 2,06% Sergipe 1,87% Alagoas

Leia mais

Participação. Micro e Pequenas Empresas na Economia Brasileira REGIÃO SUDESTE

Participação. Micro e Pequenas Empresas na Economia Brasileira REGIÃO SUDESTE Elaboração de Estudo sobre a Participação das Micro e Pequenas Empresas na Economia Nacional e nas Unidades da Federação Sebrae Nacional Participação Dezembro de 2014 das Micro e Pequenas Empresas na Economia

Leia mais

Ceará: Resultados do PIB Trimestral 3 0 Trimestre/2007

Ceará: Resultados do PIB Trimestral 3 0 Trimestre/2007 Ceará: Resultados do PIB Trimestral 2003-2007 eloisa@ipece.ce.gov.br rogerio.soares@ipece.ce.gov.br Fortaleza 2009 CEARÁ: COMPOSIÇÃO Ceará: DO Resultados PRODUTO INTERNO do PIB BRUTO Trimestral A PREÇOS

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DO RIO GRANDE DO NORTE

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DO RIO GRANDE DO NORTE OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DO RIO GRANDE DO NORTE Relatório Mensal: Movimentação do emprego formal em agosto de 2010 no Rio Grande do Norte Contrato de Prestação de Serviços Nº. 011/2010 - SETHAS/DIEESE

Leia mais

BNB Conjuntura Econômica Nº40

BNB Conjuntura Econômica Nº40 BNB Conjuntura Econômica Nº40 Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste - ETENE 4. Mercado de Trabalho O cenário atual da economia brasileira, que experimentou queda sucessiva do PIB nos dois

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DO RIO GRANDE DO NORTE

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DO RIO GRANDE DO NORTE OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DO RIO GRANDE DO NORTE Relatório Mensal: Movimentação do emprego formal em novembro de 2010 no Rio Grande do Norte Contrato de Prestação de Serviços Nº. 011/2010 - SETHAS/DIEESE

Leia mais

Na atividade de têxtil e confecção ocorreu o maior volume de contratações no ano (3.907 postos).

Na atividade de têxtil e confecção ocorreu o maior volume de contratações no ano (3.907 postos). Sumário Executivo MAR/2016 No mês de março de 2016, o saldo de empregos em Santa Catarina recuou em relação a fevereiro (-3.803 postos e variação de -0,2%). A indústria de transformação teve desempenho

Leia mais

PIB 2012 Estado do Tocantins

PIB 2012 Estado do Tocantins PIB 2012 Estado do Tocantins Parceiros: GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SANDOVAL LÔBO CARDOSO Governador do Estado TOM LYRA Vice-governador do Estado JOAQUIM CARLOS PARENTE JUNIOR Secretário JOAQUÍN EDUARDO

Leia mais

Panorama Econômico do Rio Grande do Sul Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Panorama Econômico do Rio Grande do Sul Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Panorama Econômico do Rio Grande do Sul 2008 Unidade de Estudos Econômicos COMPOSIÇÃO DO PIB PIB DO RIO GRANDE DO SUL 62% 9% 29% Estamos mais sujeitos a refletir crises agrícolas que a média da economia

Leia mais

EMPREGO INDUSTRIAL SUMÁRIO EXECUTIVO EMPREGO FEVEREIRO DE Eego industrial FEVEREIRO DE 2013

EMPREGO INDUSTRIAL SUMÁRIO EXECUTIVO EMPREGO FEVEREIRO DE Eego industrial FEVEREIRO DE 2013 EMPREGO INDUSTRIAL FEVEREIRO DE 2013 FEVEREIRO DE 2013 Eego industrial SUMÁRIO EXECUTIVO O número de assalariados com carteira assinada da indústria de transformação catarinense cresceu 1,50% em fevereiro

Leia mais

FNPETI FÓRUM NACIONAL DE PREVENÇÃO E ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL. Cenário do Trabalho Infantil Dados PNAD 2014

FNPETI FÓRUM NACIONAL DE PREVENÇÃO E ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL. Cenário do Trabalho Infantil Dados PNAD 2014 Cenário do Trabalho Infantil Dados PNAD 2014 Fonte: IBGE/Pnad. Elaboração própria. Nota: a PNAD até o ano de 2003 não abrangia a área rural da região Norte (exceto o Tocantins). Nos anos de 1994, 2000

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE DIADEMA

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE DIADEMA OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE DIADEMA Relatório Mensal: A Movimentação do Mercado de Trabalho Formal no Município de Diadema Março de 2008 Termo de Contrato Nº. 226/2007 MAIO de 2008 SUMÁRIO Apresentação

Leia mais

INFORME CONJUNTURAL. Comportamento do Emprego - Ano de 2014 - Brasil. Subseção Dieese Força Sindical. Elaboração: 23/01/15

INFORME CONJUNTURAL. Comportamento do Emprego - Ano de 2014 - Brasil. Subseção Dieese Força Sindical. Elaboração: 23/01/15 INFORME CONJUNTURAL Comportamento do Emprego - Ano de 2014 - Brasil Subseção Dieese Força Sindical Elaboração: 23/01/15 Segundo dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged),

Leia mais

ção: Motivaçõ ções e Metas

ção: Motivaçõ ções e Metas Equidade e Eficiência Educaçã ção: Motivaçõ ções e Metas RANKINGS REGIONAIS MOTIVOS DE EVASÃO Ranking Motivo de Evasão: TRABALHO (Demanda1) TOTAL BRASIL 1,43 0 a 17 anos 1 Minas Gerais 2,27 2 Pernambuco

Leia mais

O Sebrae e as empresas do Setor de Calçados e de Vestuários e Acessórios

O Sebrae e as empresas do Setor de Calçados e de Vestuários e Acessórios O Sebrae e as empresas do Setor de Calçados e de Vestuários e Acessórios Abril/2014 Todos os direitos reservados A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação aos

Leia mais

Produção Brasileira de Melão por Estado 2007 Estados Área (ha) Volume (Ton) Valor (Mil R$) Rio Grande do Norte Ceará 6.

Produção Brasileira de Melão por Estado 2007 Estados Área (ha) Volume (Ton) Valor (Mil R$) Rio Grande do Norte Ceará 6. Produção Brasileira de Abacaxi por Estado 2007 Pará 15.462 701.948 125.596 Paraíba 11.600 625.527 150.054 Minas Gerais 7.593 596.668 127.597 Bahia 6.430 282.634 63.185 São Paulo 3.620 271.380 76.161 Rio

Leia mais

BOLETIM EMPREGO Julho 2014

BOLETIM EMPREGO Julho 2014 Introdução A seguir são apresentados os últimos resultados disponíveis sobre o emprego no Brasil, com foco no ramo Metalúrgico. Serão utilizadas as bases de dados oficiais, são elas: a RAIS (Relação Anual

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MOTOCICLETAS DEZEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MOTOCICLETAS DEZEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MOTOCICLETAS DEZEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por

Leia mais

Emprego com carteira no RN tem primeiro saldo positivo depois de nove meses

Emprego com carteira no RN tem primeiro saldo positivo depois de nove meses Emprego com carteira no RN tem primeiro saldo positivo depois de nove meses Depois de nove meses com saldo negativo, o mercado de trabalho formal do Rio Grande do Norte criou 453 vagas com carteira assinada

Leia mais

SANTA CATARINA REGISTRA O SEGUNDO MENOR SALDO DE EMPREGOS PARA O MÊS DE JUNHO DESDE 2002

SANTA CATARINA REGISTRA O SEGUNDO MENOR SALDO DE EMPREGOS PARA O MÊS DE JUNHO DESDE 2002 Informação e Análise do Mercado de Trabalho Informativo Mensal de Emprego CAGED nº 07/2012 1 23/07/2012 SANTA CATARINA REGISTRA O SEGUNDO MENOR SALDO DE EMPREGOS PARA O MÊS DE JUNHO DESDE 2002 Os dados

Leia mais

PAINEL DO MERCADO DE TRABALHO

PAINEL DO MERCADO DE TRABALHO PAINEL DO MERCADO DE TRABALHO JANEIRO DE 212 - CAGED Emprego Formal na Economia Emprego no mês de Janeiro 213 - Ocorreu um saldo positivo de 28.9 postos de emprego e no comparativo dos meses de janeiro,

Leia mais

Alexsandre Lira Cavalcante *

Alexsandre Lira Cavalcante * 1. Volume de vendas do comércio varejista Alexsandre Lira Cavalcante * De acordo com dados da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), realizada pelo IBGE, o volume de vendas do comércio varejista comum cearense

Leia mais

Emprego Industrial Novembro de 2015

Emprego Industrial Novembro de 2015 Emprego Industrial Novembro de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de novembro de 2015, o saldo de empregos em Santa Catarina reduziu em relação ao estoque de ubro (-6.418 postos e variação de -0,3%). A indústria

Leia mais

MOVIMENTAÇÃO DO EMPREGO NO SETOR DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA

MOVIMENTAÇÃO DO EMPREGO NO SETOR DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA 2013 MOVIMENTAÇÃO DO EMPREGO NO SETOR DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA Sumário 1. EVOLUÇÃO GERAL... 2 1.1. Movimentação do emprego - comparação com o setor de Serviços e Construção Civil 5 1.1.1.

Leia mais

Informativo Mensal de Emprego CAGED. nº 10, outubro de 2012

Informativo Mensal de Emprego CAGED. nº 10, outubro de 2012 SECRETARIA DE ESTADO DA ASSISTÊNCIA SOCIAL, TRABALHO E HABITAÇÃO SST DIRETORIA DE TRABALHO E EMPREGO SETOR DE INFORMAÇÃO E ANÁLISE DO MERCADO DE TRABALHO Informativo Mensal de Emprego CAGED nº 10, outubro

Leia mais

INFORME CONJUNTURAL. Comportamento do Emprego Fevereiro de 2015 - Brasil. Subseção Dieese Força Sindical. Elaboração: 19/03/2015

INFORME CONJUNTURAL. Comportamento do Emprego Fevereiro de 2015 - Brasil. Subseção Dieese Força Sindical. Elaboração: 19/03/2015 INFORME CONJUNTURAL Comportamento do Emprego Fevereiro de 2015 - Brasil Subseção Dieese Força Sindical Elaboração: 19/03/2015 Segundo dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Leia mais

Em junho foram criados empregos formais em Santa Catarina

Em junho foram criados empregos formais em Santa Catarina Informativo Caged nº 07/2009 16/07/2009 Em junho foram criados 1.121 empregos formais em Santa Catarina No 1º semestre foram abertas 11,7 mil vagas e foi o pior resultado para o acumulado no primeiro semestre

Leia mais

ENCARGOS SOCIAIS SOBRE A MÃO DE OBRA HORISTA % GRUPO A

ENCARGOS SOCIAIS SOBRE A MÃO DE OBRA HORISTA % GRUPO A ACRE B1 Repouso Semanal Remunerado 18,06 0,00 18,06 0,00 B2 Feriados 4,77 0,00 4,77 0,00 B3 Auxílio - Enfermidade 0,91 0,69 0,91 0,69 B4 13º Salário 10,97 8,33 10,97 8,33 B7 Dias de Chuvas 1,68 0,00 1,68

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE DIADEMA

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE DIADEMA OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE DIADEMA Relatório Mensal: A Movimentação do Mercado de Trabalho Formal no Município de Diadema Maio de 2008 Termo de Contrato Nº. 226/2007 JUNHO de 2008 SUMÁRIO Apresentação

Leia mais

Guia de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social

Guia de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social Guia de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social 2º Semestre/2011 1 Guia de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social Informações Trabalhistas e Previdenciárias de acordo

Leia mais

MOVIMENTAÇÃO DO EMPREGO NO SETOR DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA

MOVIMENTAÇÃO DO EMPREGO NO SETOR DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA MOVIMENTAÇÃO DO EMPREGO NO SETOR DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA Sumário. EVOLUÇÃO GERAL..... Movimentação do emprego - comparação com todos os setores da economia, o setor de Serviços e Construção

Leia mais

Resultado do Estoque de Empregos Formais RAIS 2002 a 2013

Resultado do Estoque de Empregos Formais RAIS 2002 a 2013 Enfoque Econômico é uma publicação do IPECE que tem por objetivo fornecer informações de forma imediata sobre políticas econômicas, estudos e pesquisas de interesse da população cearense. Por esse instrumento

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DA BAHIA

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DA BAHIA OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DA BAHIA Evolução Trimestral do Mercado de Trabalho Formal da Bahia Janeiro, fevereiro e março de 2012 Contrato de Prestação de Serviços Nº. 004/2011 SETRE-BA e DIEESE MAIO DE

Leia mais

COMÉRCIO VAREJISTA NOVEMBRO DE 2016

COMÉRCIO VAREJISTA NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos COMÉRCIO VAREJISTA NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS no Estado do Rio de Janeiro Balanço de 2012

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS no Estado do Rio de Janeiro Balanço de 2012 NOTA CONJUNTURAL GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS no Estado do Rio de Janeiro Balanço de 2012 OBSERVATÓRIO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, JANEIRO DE 2013 19 2013 PANORAMA GERAL Os

Leia mais

8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014)

8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014) 8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014) Elaboração: Contraf-CUT, CNTV e Federação dos Vigilantes do Paraná Fonte: Notícias da imprensa, SSP e sindicatos Apoio: Sindicato dos Vigilantes de Curitiba

Leia mais

CENSO BRASILEIRO DE SHOPPING CENTERS 2015/2016 CENSO BRASILEIRO DE SHOPPING CENTERS 2015/2016

CENSO BRASILEIRO DE SHOPPING CENTERS 2015/2016 CENSO BRASILEIRO DE SHOPPING CENTERS 2015/2016 CENSO BRASILEIRO DE SHOPPING CENTERS 2015/2016 V2 1 1. SETOR 2 UNIVERSO DISTRIBUIÇÃO MACRO REGIÕES SHOPPINGS EM OPERAÇÃO - UNIDADES 26 NORTE 80 NORDESTE 50 CENTRO OESTE 292 SUDESTE 520 +3,5% 538 SHOPPINGS

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DA GRANDE VITÓRIA

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DA GRANDE VITÓRIA OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DA GRANDE VITÓRIA Relatório Mensal sobre o Mercado de Trabalho Formal dos Municípios da Região Metropolitana de Vitória Junho de 2009 Contrato de Prestação de Serviços Nº. 28/2008

Leia mais

Santa Catarina gera novos empregos formais em setembro

Santa Catarina gera novos empregos formais em setembro 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 SINE/SC - SISTEMA NACIONAL DE EMPREGO Informativo Caged nº 10/2011 18/10/2011 Santa Catarina gera 10.297 novos empregos formais

Leia mais

RECUPERAÇÃO DO EMPREGO JÁ ATINGIU MAIS DA METADE DAS UNIDADES DA FEDERAÇÃO

RECUPERAÇÃO DO EMPREGO JÁ ATINGIU MAIS DA METADE DAS UNIDADES DA FEDERAÇÃO RECUPERAÇÃO DO EMPREGO JÁ ATINGIU MAIS DA METADE DAS UNIDADES DA FEDERAÇÃO De janeiro a junho deste ano, quatorze estados passaram a criar vagas de trabalho ou registraram saldos maiores do que os do mesmo

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. Outubro/2013 (dados até Setembro)

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. Outubro/2013 (dados até Setembro) ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL (ICPN) Outubro/2013 (dados até Setembro) Sumário Executivo (entrevistas realizadas em Setembro/13) Os dados desse relatório são apresentados da ordem

Leia mais

FLUXO CONSTRUÇÃO - OBRAS DE INFRA- ESTRUTURA POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO CONSTRUÇÃO - OBRAS DE INFRA- ESTRUTURA POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO - OBRAS DE INFRA- ESTRUTURA POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 29 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 29 FLUXO - OBRAS DE INFRA-ESTRUTURA, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

Econômico Contabilidade Nacional

Econômico Contabilidade Nacional Tabela 3.7.1 - Produto Interno Bruto a preço de mercado corrente (milhões de R$), do e Estados da região Norte - 2008-2011 Acre Roraima 3.032.205 3.239.404 3.770.085 4.143.013 154.251 163.207 201.511 230.011

Leia mais

Estatísticas e Indicadores do Ensino Fundamental e Médio. Tiragem Limitada

Estatísticas e Indicadores do Ensino Fundamental e Médio. Tiragem Limitada Estatísticas e Indicadores do Ensino Fundamental e Médio Tiragem Limitada República Federativa do Brasil Fernando Henrique Cardoso Ministério da Educação e do Desporto - MEC Paulo Renato Souza Secretaria

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica Fevereiro Tema: Emprego

Boletim de Conjuntura Econômica Fevereiro Tema: Emprego Boletim de Conjuntura Econômica Fevereiro Tema: Emprego Setor de Serviços lidera a geração de empregos com 48% dos empregos Gerados em Janeiro O setor de Serviços lidera a geração de empregos em 211, começou

Leia mais

INFORME CONJUNTURAL. Comportamento do Emprego 1º semestre de 2015 - Brasil. Dieese. Subseção Força Sindical. Elaboração: 21/07/2015

INFORME CONJUNTURAL. Comportamento do Emprego 1º semestre de 2015 - Brasil. Dieese. Subseção Força Sindical. Elaboração: 21/07/2015 INFORME CONJUNTURAL Comportamento do Emprego 1º semestre de 2015 - Brasil Dieese. Subseção Força Sindical Elaboração: 21/07/2015 De acordo com os dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Leia mais

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2017 ( t ) ( US$ / t )

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2017 ( t ) ( US$ / t ) BRASIL IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2017 (POR PAÍS) PAÍSES JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 399.473,26 422.403,60 501.033,08 371.050,32 437.918,87 2.131.879,13 Valor

Leia mais

Nosso negócio é fazer negócios! MERCADO BRASILEIRO SHOPPING CENTERS

Nosso negócio é fazer negócios! MERCADO BRASILEIRO SHOPPING CENTERS MERCADO BRASILEIRO SHOPPING CENTERS O comércio responde por 13% do PIB brasileiro O comércio varejista é responsável por 42% do comércio geral Os Shopping Centers representam 19% do comércio varejista

Leia mais

Déficit Habitacional 2009

Déficit Habitacional 2009 Déficit Habitacional 2009 Eduardo May Zaidan 28 de outubro de 2010 Déficit habitacional: conceito O déficit habitacional é a medida das carências de moradia de uma determinada sociedade. Essas carências

Leia mais

PIB PRODUTO INTERNO BRUTO DO ESTADO DE RONDÔNIA 2014

PIB PRODUTO INTERNO BRUTO DO ESTADO DE RONDÔNIA 2014 PIB PRODUTO INTERNO BRUTO DO ESTADO DE RONDÔNIA 2014 A Secretaria de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão SEPOG/RO, através da Gerência do Observatório em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia

Leia mais

Relatório Mensal: A Movimentação do Mercado de Trabalho Formal no Município de Diadema Outubro de 2008

Relatório Mensal: A Movimentação do Mercado de Trabalho Formal no Município de Diadema Outubro de 2008 OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE DIADEMA Relatório Mensal: A Movimentação do Mercado de Trabalho Formal no Município de Diadema Outubro de 2008 Termo de Contrato Nº. 226/2007 NOVEMBRO de 2008 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL (ICPN) Outubro / 2014 (dados até Setembro)

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL (ICPN) Outubro / 2014 (dados até Setembro) ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL (ICPN) Outubro / 2014 (dados até Setembro) Sumário Executivo Os dados desse relatório são apresentados da ordem geral para específico, ou seja, apresenta

Leia mais

Pressão sobre os salários continua em queda, apesar da taxa de desemprego estável

Pressão sobre os salários continua em queda, apesar da taxa de desemprego estável Pressão sobre os salários continua em queda, apesar da taxa de desemprego estável Estimativa da Fipe e da Catho para a taxa de desemprego do décimo mês do ano é de 5,0%, 0,1 ponto percentual maior do que

Leia mais

Características do candidato a Empreendedor Individual (MEI) no Brasil. SEBRAE-SP/Planejamento Abril de 2009

Características do candidato a Empreendedor Individual (MEI) no Brasil. SEBRAE-SP/Planejamento Abril de 2009 Características do candidato a Empreendedor Individual (MEI) no Brasil SEBRAE-SP/Planejamento Abril de 2009 1 Metodologia do trabalho Definição de candidato a MEI: Consideramos como proxy de candidato

Leia mais