Monitorização do Servidor de

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Monitorização do Servidor de"

Transcrição

1 Monitorização do Servidor de Neste documento pretende-se descrever os principais pontos críticos do funcionamento dos servidores de . Esta análise é feita sobre o modelo de servidor de anteriormente proposto. Na parte final apresenta-se como é que essa monitorização será efectuada. 1. Principais pontos críticos De um modo geral, pode-se definir as seguintes características como criticas no funcionamento de um servidor de As filas de espera Estas merecem muita atenção, pois são as filas que vão garantir alguns dos requisitos não funcionais como a fiabilidade, desempenho, robustez, etc. O escalonamento das mensagens é em parte influenciado pelo funcionamento e o estado das filas. Processos Todos os processos relacionados com o funcionamento do servidor de devem ser monitorizados. Por exemplo, alguns processos que não se tem o conhecimento de seu estado, podem ser utilizados para possíveis acessos não autorizado ao sistema. Partilha de recursos É necessário ter em atenção alguns dos recursos partilhados por parte dos processos, para evitar problemas de concorrência no seu acesso. Em principio o Sistema Operativo deve ser capaz de efectuar o escalonamento de recursos partilhados. Por exemplo, na escrita e leitura das mensagens da caixa de . Fluxo das mensagens alertas em caso de congestionamento. Capacidade de processamento Aqui tem-se em atenção o tempo de resposta do servidor, que está relacionado com o desempenho e a robustez do servidor. Recursos externos Em caso de recorrer a recursos externos, estes também devem ser monitorizados, de modo a verificar que estes estão a responder correctamente aos pedidos do servidor de . Por recursos externos entende-se que são recursos como a base de dados, o servidor de DNS, o servidor LDAP, o servidor de consulta das Listas Negras, etc. Assim deve-se monitorizar alguns de recursos disponibilizados por terceiros, ou pelo menos verificar que existe a comunicação entre estes. Interfaces de rede As interfaces devem ser monitorizados, pois estas permitem a ligação com a rede, tanto à intranet como à internet Actualização de valores As alterações de valores, por exemplo: das tabelas, de ficheiros ou da base de dados, têm que ser monitorizadas as ocorrências de erros caso as existiam. Acesso às caixas de Depende do formato das caixas de (mailbox, maildir ou outro formato), que pode levantar o problema de concorrência de recursos. Contas dos utilizadores Número total de utilizadores e as capacidades das suas caixas de . servidor_ _monitorizacao_v1.odt Página 1 de 5

2 2. Características a monitorizar De seguida apresenta-se uma visão geral dos pontos críticos a ter em conta: Na entrada... Estado do processo responsável pela recepção local. Estado da interface de rede. O ficheiro ou a tabela responsável pelo controlo de acessos. Pois deve-se registar as tentativas de acessos não autorizado ao sistema. Na espera e processamento... A comunicação com as configurações (ficheiros ou outro tipo de suporte) de funcionamento do servidor de . As configurações, por exemplo podem ser: as permissões de acesso aos recursos do servidor, as configurações dos vários filtros, as contas dos aliseses, etc. Caso exista, monitorizar os resultados das acções dos filtros anti-spam, entre outros. Possibilidade de poder actuar nas politicas dos filtros. Verificar o estado do processo em questão. Verificar o estado da interface de rede. Deve-se verificar se comunicação ao recurso em questão é feito correctamente. Consulta de um log, para verificar os acessos não autorizados. Essencialmente pela consulta dos diversos logs de registo, para simplificar a consulta dos mesmos pode-se aplicar filtros para separação das vários tipos de mensagens por categorias. Verificar o estado do funcionamento do filtros anti-spam. Também pela consulta dos logs de registo desses mesmos filtros. Envio de pedidos para se proceder à alterações de diversos valores. servidor_ _monitorizacao_v1.odt Página 2 de 5

3 Na entrega... A capacidade das caixas de e os resultados da escrita/leitura dos s. Ligação à Internet. Caso exista outros tipos de transportes ou interfaces de entrega, deve-se também ser monitoriza o estado das ligações das mesmas. Verificar o espaço em termos de capacidade do servidor disponibilizado para as caixas de . A ocorrência pode ver verifica pela consultada de logs de registo, mas depende do tipo de formato das caixas de utilizadas. Verificação do estado da interface de rede, e por efectuar pings aos hosts de serviços externos. Essencialmente pela verificação de disponibilidade do serviço, por exemplo pode ser verificado com um simples ping ou outro tipo de mecanismo semelhante. Em geral... O estado dos processos relativos ao funcionamento do servidor de . A utilização dos recursos partilhados, nomeadamente das caixas de . Monitorizar todos os dados necessários para gerar informações estatísticas do funcionamento do servidor de . Verificar no Sistemas Operativo, pelo estado dos processo em questão. Caso existam erros no acesso aos recursos partilhados, deve-se gerar uma notificação para a a estação de gestão. Registo das operações e dos dados obtidos em ficheiros, depois posteriormente a sua consulta. servidor_ _monitorizacao_v1.odt Página 3 de 5

4 3. Outras características Mensagens nas filas de espera Deve ser possível a sua listagem, filtragem e o controlo sobre as mesmas (por exemplo mudança de fila) Gestor de tarefas e notificações Executa tarefas definidas, efectua o seu escalonamento e envia notificações em caso de ocorrência de erros. Monitorização dos vários serviços normalmente monitorizadas nos equipamentos de rede, como por exemplo: Tráfego; Tempo de serviço; Ligações; Taxas de transferência na rede; Utilização da memória; etc... Estatísticas dos utilizadores, como por exemplo - Último acesso, as suas mensagens, o volume ocupado. Funcionamento do servidor - Periodicamente verificar o seu funcionamento e os erros gerados pelos protocolos. Domínios e servidores autorizados. Estatísticas das ligações, como por exemplo o número de clientes com ligações activas. servidor_ _monitorizacao_v1.odt Página 4 de 5

5 Referências [1] Kyle Dent. Postfix: The Definitive Guide. O Reilly Media, Inc., 1st edition, December [2] M. Hafiz. Security architecture of mail transfer agents. Master s thesis, University of Illinois at Urbana-Champaign, [3] Postfix Web Page. [4] Bryan Costales, Claus Assmann, George Jansen, and Gregory Shapiro. Sendmail, 4th Edition. O Reilly Media, Inc., 4 edition, October servidor_ _monitorizacao_v1.odt Página 5 de 5

1. Monitorização. Índice. 1.1 Principais pontos críticos Pontos críticos directos

1. Monitorização. Índice. 1.1 Principais pontos críticos Pontos críticos directos Monitorização e Gestão do Servidor de Email ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------ Índice 1. Monitorização...1 1.1 Principais

Leia mais

Caracterização de um Servidor de Email - Estudo detalhado do seu funcionamento -

Caracterização de um Servidor de Email - Estudo detalhado do seu funcionamento - Caracterização de um Servidor de Email - Estudo detalhado do seu funcionamento - Neste documento pretende-se descrever de uma forma detalhada o funcionamento de um servidor de email. Esta descrição tem

Leia mais

Trabalho Prático Nº6 Porta USB Processo de Enumeração

Trabalho Prático Nº6 Porta USB Processo de Enumeração Trabalho Prático Nº6 Porta USB Processo de Enumeração 1. OBJECTIVOS - Compreender o funcionamento geral de um dispositivo USB. - Entender e descrever em detalhe o processo de enumeração de um dispositivo

Leia mais

Solução em AntiSpam em Nuvem. Filtre mais de 99,98% dos s indesejados!

Solução em AntiSpam em Nuvem. Filtre mais de 99,98% dos  s indesejados! BluePex Security Mail - ANTISPAM Especificações Técnicas Mínimas Solução para antispam Fabricante A BluePex, empresa brasileira de controle e segurança da informação é a fabricante da solução em Antispam.

Leia mais

Principais correcções efectuadas

Principais correcções efectuadas GIAE Versão 2.1.0 15 Março de 2011 Com o objectivo de unificar a versão em todos os módulos do GIAE, incluindo o GestorGIAE, todos os módulos são actualizados para a versão 2.1.0. Muito Importante: Antes

Leia mais

Sistemas Operativos. Luís Paulo Reis. Sistemas Operativos. Sumário

Sistemas Operativos. Luís Paulo Reis. Sistemas Operativos. Sumário Sistemas Operativos Luís Paulo Reis Slide Nº 1 Sistemas Operativos Sumário O que é um Sistema Operativo (SO)? Modelo em Camadas de um SO Abstracções Suportadas por um SO: Utilizador Processo Ficheiro /

Leia mais

COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER CONTEÚDOS Nº HORAS ESTRATÉGIAS RECURSOS AVALIAÇÃO. (30 x 45 ) Windows XP Office 2003 Internet Explorer

COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER CONTEÚDOS Nº HORAS ESTRATÉGIAS RECURSOS AVALIAÇÃO. (30 x 45 ) Windows XP Office 2003 Internet Explorer PROFESSORES: Vasco Travassos /Alexandra Aragão *** GRUPO DISCIPLINAR: INFORMÁTICA [550] Módulo 1 - Introdução aos Sistemas Operativos Funções e características de um SO. Processos concorrentes. O Núcleo

Leia mais

Ficha de Unidade Curricular (FUC) de Gestão de Redes Informáticas

Ficha de Unidade Curricular (FUC) de Gestão de Redes Informáticas INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA INSTITUTO SUPERIOR DE CONTABILIDADE E ADMINISTRAÇÂO DE COIMBRA Aprovação do Conselho Pedagógico 30/3/2016 Aprovação do Conselho Técnico-Científico 20/4/2016 Ficha de Unidade

Leia mais

earte Portal de Arte e Cultura

earte Portal de Arte e Cultura v 2.0 Tutorial Guia Rápido de Utilização 2008-2011 SIQuant Engenharia do Território e Sistemas de Informação, Lda. Web: www.siquant.pt E-mail: mail@siquant.pt Copyright SIQuant 2008-2011. Todos os direitos

Leia mais

Sistemas Operativos. Multiprogramação; Multiplexação; Memória Física; Memória virtual; Trabalho/Job - Processo/Process/Task - Thread

Sistemas Operativos. Multiprogramação; Multiplexação; Memória Física; Memória virtual; Trabalho/Job - Processo/Process/Task - Thread Sistemas Operativos Multiprogramação; Multiplexação; Memória Física; Memória virtual; Trabalho/Job - Processo/Process/Task - Thread Resumo O SO necessita de código/software para gerir a memória - Gestão

Leia mais

FICHA TÉCNICA GESTWARE STOCKS

FICHA TÉCNICA GESTWARE STOCKS FICHA TÉCNICA GESTWARE STOCKS Todos os dados relativos aos Stocks podem ser obtidos autonomamente ou por integração automática a partir do Gestware Vendas e Compras. Destacamos aqui algumas das suas principais

Leia mais

S. R. MINISTÉRIO DAS FINANÇAS DIRECÇÃO-GERAL DO ORÇAMENTO

S. R. MINISTÉRIO DAS FINANÇAS DIRECÇÃO-GERAL DO ORÇAMENTO Exmo. Senhor OFÍCIO CIRCULAR 2009 Assunto: Instruções para iniciar o ano 2009 nos organismos com Sistema de Informação Contabilística (SIC) implementado. Deverá efectuar uma leitura atenta das presentes

Leia mais

IDO. Cobrança de Quotas. Aplicação Móvel Aplicação Web Impressora Portátil AGILE

IDO. Cobrança de Quotas. Aplicação Móvel Aplicação Web Impressora Portátil AGILE IDO AGILE Cobrança de Quotas Aplicação Móvel Aplicação Web Impressora Portátil WWW.SPOTFOKUS.PT info@spotfokus.pt +351 220 938 155 +351 916 534 623 Centro Empresarial Candal Park Rua 28 de Janeiro nº 350

Leia mais

Mecanismos de Autenticação

Mecanismos de Autenticação Mecanismos de Autenticação ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------ Índice 1. Introdução...1 1.2 Mecanismos de autenticação...1

Leia mais

CONFIGURAÇÃO DESKTOP OPEN SOURCE

CONFIGURAÇÃO DESKTOP OPEN SOURCE Fernando Rui Russell Pinto - ee09213 CONFIGURAÇÃO DESKTOP OPEN SOURCE CONFIGURAÇÃO DESKTOP OPEN SOURCE Introdução O estado da arte Parametrização do projecto Estudo e definição da especificação Prova de

Leia mais

3. O conceito de Rede ATM

3. O conceito de Rede ATM 3. O conceito de Rede ATM 3.1 Arquitectura da rede Definida em I.311. A rede de transporte ATM é estruturada em duas camadas: camada ATM e camada física. Camada de Adaptação Rede de transporte ATM Camada

Leia mais

Manual Nero InfoTool. Nero AG

Manual Nero InfoTool. Nero AG Manual Nero InfoTool Nero AG Informações sobre direitos de autor e marcas O manual do Nero InfoTool e todo o respectivo conteúdo estão protegidos por direitos de autor e são propriedade da Nero AG. Todos

Leia mais

Descrição de Funcionalidades

Descrição de Funcionalidades Descrição de Funcionalidades Registo de documentos externos e internos O registo de documentos (externos, internos ou saídas) pode ser efectuado de uma forma célere, através do preenchimento de um número

Leia mais

Sistema de avaliação da qualidade dos serviços de águas e resíduos prestados aos utilizadores

Sistema de avaliação da qualidade dos serviços de águas e resíduos prestados aos utilizadores Sistema de avaliação da qualidade dos serviços de águas e resíduos prestados aos utilizadores Seminário de apresentação da 2.ª geração do sistema de indicadores Adequação da interface com o utilizador

Leia mais

Apresentação de Serviço

Apresentação de Serviço Apresentação de Serviço Índice Apresentação de Serviço...2 Funcionalidades...3 Tarifário...5 Suporte Técnico à Instalação...5 Suporte Geral...6 1 APRESENTAÇÃO DE SERVIÇO O seu escritório na nuvem - esteja

Leia mais

Manual do Utilizador do Connection Manager

Manual do Utilizador do Connection Manager Manual do Utilizador do Connection Manager Edição 1.0 2 Índice Sobre a aplicação Gestor de ligações 3 Actualizar a aplicação Gestor de ligações 9 Resolução de problemas de ligação 10 Como começar 3 Abrir

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL

PROCEDIMENTO OPERACIONAL Página 1 de 5 1. Objectivo Estabelecer a metodologia para verificar as características do gás natural nas redes de distribuição de gás natural e registar anomalias nos valores analisados. 2. Âmbito Aplica-se

Leia mais

Segurança. Tecnologias de Informação I TI-16. Instituto do Emprego e Formação Profissional. Formador: Paulo Gomes

Segurança. Tecnologias de Informação I TI-16. Instituto do Emprego e Formação Profissional. Formador: Paulo Gomes Segurança A Segurança a da informação Protecção contra acesso por terceiros Palavra passe de rede Permite ao utilizador autenticar-se a uma rede e aceder aos recursos disponibilizados por esta(ficheiros,

Leia mais

Geralmente, o firewall também é configurado para não bloquear o tráfego de saída. Por exemplo, um banco pode querer isolar a rede da tesouraria do res

Geralmente, o firewall também é configurado para não bloquear o tráfego de saída. Por exemplo, um banco pode querer isolar a rede da tesouraria do res FIREWALL A conexão com a Internet traz às corporações os seguintes riscos: Relacionados a dados: confidencialidade, integridade e disponibilidade; Relacionados aos recursos e ativos da empresa; Relacionados

Leia mais

aplicação arquivo Condições Gerais de Utilização

aplicação arquivo Condições Gerais de Utilização aplicação arquivo Condições Gerais de Utilização Manual das condições gerais que regulam a utilização dos serviços disponibilizados pela aplicação Arquivo, plataforma de gestão de informação, do Municipio

Leia mais

Canais de Comunicação

Canais de Comunicação Canais de Comunicação February 24, 2010 Sumário Comunicação via Mensagens Propriedades dum Canal de Comunicação Protocolos da Internet UDP TCP Aplicação Distribuída O que é? É uma aplicação que consiste

Leia mais

Por exemplo, no endereço temos:

Por exemplo, no endereço temos: O protocolo de envio de e-mail (SMTP: Simple Mail Transfer Protocol) fornece códigos que relatam todo o trâmite da mensagem. Na ocorrrência de uma situação de erro, uma mensagem de retorno é enviada ao

Leia mais

MS Outlook Tudo sobre Correio Electrónico

MS Outlook Tudo sobre Correio Electrónico MS Outlook 2003 - Tudo sobre Correio Electrónico Curso MA0035 5 Dia(s) 17:30 Horas Introdução O presente curso corresponde a um grupo de três cursos de Outlook. Foi desenvolvido tendo em vista a aquisição

Leia mais

PRIMAVERA Office Extensions. Manual de Instalação. PRIMAVERA Office Extensions v1.0. Versão 1.3

PRIMAVERA Office Extensions. Manual de Instalação. PRIMAVERA Office Extensions v1.0. Versão 1.3 PRIMAVERA Office Extensions Manual de Instalação PRIMAVERA Office Extensions v1.0 Versão 1.3 Setembro 2011 Índice Índice... 1 Introdução... 2 Instalação... 3 Processo de Instalação... 3 Requisitos... 3

Leia mais

ASIA ASSET GESTORA DE RECURSOS LTDA. PLANO DE CONTINGÊNCIA E CONTINUIDADE DOS NEGÓCIOS

ASIA ASSET GESTORA DE RECURSOS LTDA. PLANO DE CONTINGÊNCIA E CONTINUIDADE DOS NEGÓCIOS ASIA ASSET GESTORA DE RECURSOS LTDA. PLANO DE CONTINGÊNCIA E CONTINUIDADE DOS NEGÓCIOS O presente Plano de Contingência e Continuidade de Negócios ( Plano ) tem como objetivo definir os procedimentos que

Leia mais

Rede Local - Instalação. Formador: David Casimiro

Rede Local - Instalação. Formador: David Casimiro Rede Local - Instalação Rede Local - Instalação Objectivo(s) Reconhecer a Estrutura de um Sistema Operativo. Definir um Plano de Instalação de um Servidor de Rede Local. Conteúdos Estrutura de um Sistema

Leia mais

Manual de Gestão de Contratos e Catálogos

Manual de Gestão de Contratos e Catálogos Manual de Gestão de Contratos e Catálogos Índice 1 Acesso aos Contratos e Catálogos... 3 2 Detalhes... 6 3 Definições... 7 4 Catálogo... 8 6 Gestão de Limites... 9 7 Encomendas... 10 8 Alertas... 11 9

Leia mais

Manual De Segurança Informática

Manual De Segurança Informática Manual De Segurança Informática Edição 01 MD.02/01 Página 1 de 10 APROVAÇÃO DO DOCUMENTO Elaborado por Função Nome e Assinatura Data André Duarte GS 02/02/2013 Aprovado por RG Luís Brito 03/02/2013 MD.02/01

Leia mais

Configuração do Router

Configuração do Router Configuração do Router Através de uma ligação TCP/IP é possível configurar o Router utilizando um navegador web. São suportados os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 ou superior, Netscape Navigator,

Leia mais

Como utilizador registado Eu quero ter acesso a um botão de "entrar" Para que possa fazer login na aplicação

Como utilizador registado Eu quero ter acesso a um botão de entrar Para que possa fazer login na aplicação Trust e- health Tema ID História de Usuário Critérios de Aceitação Comentários Autenticações AUT1 Como utilizador não registado Eu quero ter acesso a um botão de "registar" Para que possa definir os dados

Leia mais

A actividade fiscalizadora do agente de execução. 1ª Conferência Internacional Promover a Eficácia das Execuções

A actividade fiscalizadora do agente de execução. 1ª Conferência Internacional Promover a Eficácia das Execuções A actividade fiscalizadora do agente de execução 1ª Conferência Internacional Promover a Eficácia das Execuções A Fiscalização através de meios informáticos A Fiscalização através de meios informáticos

Leia mais

Controlo parental AVISO PARA OS PAIS. Vita antes de permitir que os seus filhos joguem. Defina o controlo parental no sistema PlayStation

Controlo parental AVISO PARA OS PAIS. Vita antes de permitir que os seus filhos joguem. Defina o controlo parental no sistema PlayStation Controlo parental AVISO PARA OS PAIS Defina o controlo parental no sistema Vita antes de permitir que os seus filhos joguem. 4-419-422-01(1) O sistema Vita oferece funções para ajudar os pais e tutores

Leia mais

Termos e Condições de Utilização na federação RCTSaai. Serviço Utilizador RCTS Maio de 2010

Termos e Condições de Utilização na federação RCTSaai. Serviço Utilizador RCTS Maio de 2010 Termos e Condições de Utilização na federação RCTSaai Serviço Utilizador RCTS Maio de 2010 19 de Maio de 2010 Termos e Condições de Utilização na federação RCTSaai Serviço Utilizador RCTS Fevereiro de

Leia mais

Novos domínios. Já descobriu que há novos domínios?

Novos domínios. Já descobriu que há novos domínios? Novos domínios Já descobriu que há novos domínios? Os novos domínios vão revolucionar a internet. Pré-registe agora o domínio da sua preferência e tenha mais hipóteses de que o seu registo seja feito com

Leia mais

DADOS CONTABILÍSTICOS

DADOS CONTABILÍSTICOS DADOS CONTABILÍSTICOS MAPAS CONTABILISTICOS (IVA) Para emitir os mapas de suporte contabilístico (Mapas de IVA) deve: 1. No menu Gestão escolha Dados contabilísticos, Fecho de Período, seleccione as datas

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE REGISTO DA AGÊNCIA PORTUGUESA DO AMBIENTE SIRAPA. Lígia Varandas, 23 Novembro 2010, S. João da Madeira

SISTEMA INTEGRADO DE REGISTO DA AGÊNCIA PORTUGUESA DO AMBIENTE SIRAPA. Lígia Varandas, 23 Novembro 2010, S. João da Madeira SISTEMA INTEGRADO DE REGISTO DA AGÊNCIA PORTUGUESA DO AMBIENTE SIRAPA Lígia Varandas, 23 Novembro 2010, S. João da Madeira Sistema Integrado de Registo da Agência Portuguesa do Ambiente SIRAPA O SIRAPA

Leia mais

Sistemas e Tecnologias de Informação. Adobe Connect 8. Manual de Utilização. Universidade Católica Portuguesa Centro Regional do Porto

Sistemas e Tecnologias de Informação. Adobe Connect 8. Manual de Utilização. Universidade Católica Portuguesa Centro Regional do Porto Sistemas e Tecnologias de Informação Adobe Connect 8 Manual de Utilização Universidade Católica Portuguesa Centro Regional do Porto Este manual tem como objectivo melhorar a interacção dos utilizadores

Leia mais

Redes de Computadores. Trabalho de Laboratório Nº2

Redes de Computadores. Trabalho de Laboratório Nº2 Redes de Computadores Curso de Eng. Informática Curso de Eng. de Electrónica e Computadores Trabalho de Laboratório Nº2 Configuração de TCP/IP numa rede computadores Utilização do Ping e Tracert 1 Objectivo

Leia mais

Windows Server 2008 Vamos criar um domínio

Windows Server 2008 Vamos criar um domínio Windows Server 2008 Vamos criar um domínio Date : 25 de Outubro de 2013 No Pplware temos abordado as características e funcionalidades dos mais diversos sistemas operativos. Apesar de hoje em dia os sistemas

Leia mais

Câmara Municipal de Penacova

Câmara Municipal de Penacova Câmara Municipal de Penacova Pen@cova Net.ureza Normas de utilização e funcionamento I Disposições Gerais Norma 1 Definição 1. O Espaço Internet de Penacova define-se como local destinado aos cidadãos

Leia mais

Rui Carneiro, Rui Pereira, Tiago Orfão

Rui Carneiro, Rui Pereira, Tiago Orfão Geração de Gráficos SVG através de PHP Rui Carneiro, Rui Pereira, Tiago Orfão Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, R. Dr. Roberto Frias, 4200-465 Porto. {ei04073,ei04077,ei03102}@fe.up.pt

Leia mais

Gestor de Actividades TIC na Educação. Guia de Utilização. Versão 2.30

Gestor de Actividades TIC na Educação. Guia de Utilização. Versão 2.30 Gestor de Actividades TIC na Educação Guia de Utilização Versão 2.30 Desenvolvido por Paulo Reis (preis@ccems.pt) Centro de Competência «Entre Mar E Serra» (www.ccems.pt) Batalha, 2006 GATo CCEMS, 2006

Leia mais

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO ANO LECTIVO 2009/2010 1 DISCIPLINA: TECNOLOGIAS INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANO: 10.º DOMÍNIOS COMPETÊNCIAS PONRAÇÃO Conhecer a folha de cálculo e as suas finalidades funcionais; Usar a folha de cálculo de

Leia mais

Principais correcções efectuadas

Principais correcções efectuadas GIAE Versão 2.0.8 Janeiro de 2011 Com o objectivo de unificar a versão em todos os módulos do GIAE, incluindo o GestorGIAE, todos os módulos são actualizados para a versão 2.0.8. Muito Importante: Antes

Leia mais

Guia da Aula Prática H.323. Página 1 de 5

Guia da Aula Prática H.323. Página 1 de 5 Guia da Aula Prática H.323 A ficha seguinte deve ser executada a partir de grupos de 3 PCs, sendo que por PC deverá estar um grupo de alunos. Dois PCs serão os clientes e o terceiro será o Gatekeeper.

Leia mais

Firewalls Reginaldo Campos 1

Firewalls Reginaldo Campos 1 Firewalls Reginaldo Campos 1 Roteiro Introdução Características do Firewall Tipo de Firewall Filtro de Pacotes Servidores Proxy Tipos avançados de Firewall Bastion Host Firewalls híbridos 2 Roteiro (cont)

Leia mais

Sistemas de Troca de Mensagens

Sistemas de Troca de Mensagens Universidade Federal do Rio de Janeiro Programa de Pós-Graduação em Informática DCC/IM - NCE/UFRJ Arquitetura de Sistemas Paralelos Sistemas de Troca de Mensagens Sistemas de Comunicação O Sistema de Comunicação

Leia mais

Manual de Definições Gerais

Manual de Definições Gerais Manual do utilizador Manual de Definições Gerais 1 2 3 4 5 6 7 8 Ligar o Equipamento Definições do sistema Funções Copiador/Servidor de Documentos Funções da Impressora Funções do Scanner Registar Endereços

Leia mais

FÁCIL, SIMPLES E SEGURO

FÁCIL, SIMPLES E SEGURO WWW.GOFASTWAY.TV FÁCIL, SIMPLES E SEGURO DISTRIBUIÇÃO COMO FUNCIONA? PEDIR ADESÃO PEDIR ADESÃO NO SITE PREENCHER O FORMULÁRIO DE ADESÃO VALIDAÇÃO DA AUTENTICIDADE DA INFORMAÇÃO DO FORMULÁRIO DE ADESÃO,

Leia mais

Curso de Educação e Formação. Matriz da Prova de Avaliação Final

Curso de Educação e Formação. Matriz da Prova de Avaliação Final Grupo I DIRANEI 70 Pontos Conteúdos Objectivos Critérios de classificação Diagnóstico e reparação de avarias na unidade central Avarias na unidade central (U C). Avarias na fonte de alimentação. Avarias

Leia mais

Redes de Computadores. A arquitectura protocolar TCP/IP

Redes de Computadores. A arquitectura protocolar TCP/IP A arquitectura protocolar TCP/IP A arquitectura TCP/IP! Possui apenas 4 camadas ou níveis Aplicação FTP Telnet HTTP Transporte TCP UDP Rede IP Acesso à Rede Ethernet Pacotes por rádio ponto a ponto 2 Nível

Leia mais

Este curso pretende dotar os participantes dos conhecimentos e conceitos básicos envolvidos na operação dos sistemas operativos Linux (GNU/Linux).

Este curso pretende dotar os participantes dos conhecimentos e conceitos básicos envolvidos na operação dos sistemas operativos Linux (GNU/Linux). Linux Fundamentos Tecnologias de Informação - Redes e Sistemas Localidade: Lisboa Data: 05 Jun 2017 Preço: 420 ( Os valores apresentados não incluem IVA. Oferta de IVA a particulares e estudantes. ) Horário:

Leia mais

Compras Adicionar itens Tarefa 3c Concluir compra Compras Conclusão da Compra Tarefa 4a Manter janela de compras aberta e fazer

Compras Adicionar itens Tarefa 3c Concluir compra Compras Conclusão da Compra Tarefa 4a Manter janela de compras aberta e fazer Relatório da Aula 2 de Laboratório de CCU Círculo de Leitores Análise de Serviços Grupo 516A-001 45570 Ricardo Maurício, 46993 Vasco Pereira, 5490/M Vitor Fernandes 1. Identificação do Serviço TAREFA SERVIÇO

Leia mais

Manual do Utilizador. Módulo de Upload de Custos Directos

Manual do Utilizador. Módulo de Upload de Custos Directos Manual do Utilizador Módulo de Upload de Custos Directos Ver. 2.0 28 Setembro 2011 Introduzindo o Mapeamento de Centros de Custos Tal como referido pela Circular-Normativa n.º 27 de 28 de Maio 2011, os

Leia mais

Computação Avançada PARTE I

Computação Avançada PARTE I Computação Avançada Módulo 1 (Aula Teórico-Prática) Modelação e Análise de Sistemas Computacionais Nuno Pereira npereira@dei.isep.ipp.pt Eduardo Tovar emt@dei.isep.ipp.pt COMPA TP - Módulo 1; Sem Resoluções

Leia mais

Sistema de Gestão da Prevenção em

Sistema de Gestão da Prevenção em Sistema de Gestão da Prevenção em SST Trabalho realizado por: André Andrade nº18990 Curso: Engenharia do Ambiente Data: 29/10/2008 Disciplina: PARP Índice Introdução... 3 Sistema de gestão da prevenção

Leia mais

Partilha de Recursos. Através da Plataforma DropBox

Partilha de Recursos. Através da Plataforma DropBox Partilha de Recursos Através da Plataforma DropBox Autor: Fernando Rui Campos Licenciamento: Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 2.5 Portugal Versão 1.0 9 Janeiro 2011 Página 1 de 10 Introdução

Leia mais

manual de navegação [área reservada a entidades gestoras]

manual de navegação [área reservada a entidades gestoras] manual de navegação [área reservada a entidades gestoras] 2 1 1 O presente manual aborda as noções gerais de navegação na área de acesso reservado às entidades gestoras e não dispensa a consulta das instruções

Leia mais

Manual do Utilizador Sistema de Gestão Documental da Direcção Regional de Educação do Centro

Manual do Utilizador Sistema de Gestão Documental da Direcção Regional de Educação do Centro Versão 1.3 Manual do Utilizador Sistema de Gestão Documental da Direcção Regional de Educação do Centro TIPO DE DOCUMENTO: Público Este documento é propriedade da AMBISIG, não podendo ser reproduzido ou

Leia mais

MANUAL DE CONFIGURAÇÃO DASHBOARD MOBILE

MANUAL DE CONFIGURAÇÃO DASHBOARD MOBILE MANUAL DE CONFIGURAÇÃO DASHBOARD MOBILE www.xdsoftware.pt Para poder utilizar a XD Dashboard Mobile ligada a uma base de dados num cliente final é necessário cumprir com alguns pré-requisitos. Deverá depois

Leia mais

Grupo. 1 Introdução e objectivos. 2 Estudo do protocolo IETF Stream Control Transport Protocol SCT 2.2 Estudo do formato dos pacotes SCTP

Grupo. 1 Introdução e objectivos. 2 Estudo do protocolo IETF Stream Control Transport Protocol SCT 2.2 Estudo do formato dos pacotes SCTP Departamento de Ciências e Tecnologias da Informação Inteligência em Gestão de Redes e Serviços (2009/10) Laboratório 2.1 (versão 4.0): Sinalização sobre IP SCTP Grupo 1 Introdução e objectivos O objectivo

Leia mais

Centro degestão da RedeInformática do Governo

Centro degestão da RedeInformática do Governo O CEGER 1990-1994 1994-1997 1997-200x MONTAGEM, INSTALAÇÃO E CONECTIVIDADE TECNOLÓGICO CONSOLIDAÇÃO E CONTEÚDOS LISBOA O CEGER Dados Voz Vídeo O CEGER DIRECÇÃO 2 1 Secretariado Formação DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Requisitos Funcionais. Área onde os visitantes do site preechem um formulário de forma a proceder ao seu registo na BD de utilizadores.

Requisitos Funcionais. Área onde os visitantes do site preechem um formulário de forma a proceder ao seu registo na BD de utilizadores. Requisitos Funcionais 1. Sistema de registo de utilizador Área onde os visitantes do site preechem um formulário de forma a proceder ao seu registo na BD de utilizadores. 2. Sistema de login Área que permite

Leia mais

CONFIGURAÇÕES DE SERVIDORES DE CORREIO ELECTRÓNICO

CONFIGURAÇÕES DE SERVIDORES DE CORREIO ELECTRÓNICO CONFIGURAÇÕES DE SERVIDORES DE CORREIO ELECTRÓNICO Pedro Vale Pinheiro 1, Mário Bernardes 2 Centro de Informática da Universidade de Coimbra 3000 COIMBRA vapi@student.dei.uc.pt, mjb@ci.uc.pt Sumário Este

Leia mais

Exercícios de Sistemas Operacionais 3 B (1) Gerência de Dispositivos de Entrada e Saída

Exercícios de Sistemas Operacionais 3 B (1) Gerência de Dispositivos de Entrada e Saída Nome: Exercícios de Sistemas Operacionais 3 B (1) Gerência de Dispositivos de Entrada e Saída 1. A gerência de dispositivos de entrada e saída é uma das principais e mais complexas funções de um sistema

Leia mais

Manual de Instruções Formulário online

Manual de Instruções Formulário online Lista de Técnicos com Formação Regulamentada em Protecção Integrada, Produção Integrada e Modo de Protecção Biológico Manual de Instruções Formulário online O Formulário de Inscrição apresenta 2 etapas

Leia mais

Planificação Anual da disciplina de Comunicação de dados 12º 1PE

Planificação Anual da disciplina de Comunicação de dados 12º 1PE Conteúdos 1.Conceitos básicos 1.1. Rede de Comunicação 1.2. Redes de dados 1.3. Transmissão de Dados 1.4. A Informação 2.Redes de dados 2.1. Importância 2.2. Áreas de Aplicação 2.2.1.Perspectiva de evolução

Leia mais

Ensino Básico 1º Ciclo Informática no Ensino

Ensino Básico 1º Ciclo Informática no Ensino UTAD Departamento de Engenharias Ensino Básico 1º Ciclo Informática no Ensino 1º semestre 2005/2006 Equipa Docente Manuel Cabral Reis (mcabral@utad.pt Tel. 259 350 374) Salviano Soares (salblues@utad.pt

Leia mais

Pagamento de Imposto Guia de Apoio

Pagamento de Imposto Guia de Apoio Pagamento de Imposto Guia de Apoio Pagamento de Imposto Guia de Apoio Pagamento de Imposto Guia de Apoio Enquadramento A Direcção Nacional de Impostos (DNI), entidade afecta ao Ministério das Finanças

Leia mais

A QUEM INTERESSA ESTE PROCEDIMENTO OPERACIONAL

A QUEM INTERESSA ESTE PROCEDIMENTO OPERACIONAL Pág.: 1 / 8 ÍNDICE 1. OBJECTIVO E ÂMBITO 2. DOCUMENTAÇÃO DE REFERÊNCIA 3. MODO DE PROCEDER 3.1. Introdução 3.2. Recolha de Currículos dos Candidatos 3.3. Organização Interna dos Currículos 3.3.1. Arquivo

Leia mais

Rua Paulo VI, 23B - Edifício Paulo VI, Escritórios 1 a 4, Leiria

Rua Paulo VI, 23B - Edifício Paulo VI, Escritórios 1 a 4, Leiria Rua Paulo VI, 23B - Edifício Paulo VI, Escritórios 1 a 4, 2410-149 Leiria info@microabreu.pt +351 244 852 207 1 O objetivo desta proposta é apresentar o software, os serviços e a experiência da MICROABREU

Leia mais

ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 Sobre a aplicação REALING... 3 Sobre este documento... 4 Contactos... 4 APLICAÇÃO, FERRAMENTAS E FUNCIONALIDADES...

ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 Sobre a aplicação REALING... 3 Sobre este documento... 4 Contactos... 4 APLICAÇÃO, FERRAMENTAS E FUNCIONALIDADES... 1 2 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 Sobre a aplicação REALING... 3 Sobre este documento... 4 Contactos... 4 APLICAÇÃO, FERRAMENTAS E FUNCIONALIDADES... 5 Aplicação... 5 Ferramentas ou Atividades... 5 Funcionalidades...

Leia mais

Servidor SENSE Unidades de Operación y Control

Servidor SENSE Unidades de Operación y Control DESCRIÇÃO GERAL Com o sistema aberto de operação e controlo SENSE podem-se configurar diferentes postos de operador de acordo com as necessidades e tipo de exploração do estacionamento. Este sistema está

Leia mais

UNIVERSIDADE TÉCNICA DE LISBOA INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO TRABALHOS DE LABORATÓRIO GESTÃO DE REDES E DE SISTEMAS DISTRIBUÍDOS

UNIVERSIDADE TÉCNICA DE LISBOA INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO TRABALHOS DE LABORATÓRIO GESTÃO DE REDES E DE SISTEMAS DISTRIBUÍDOS UNIVERSIDADE TÉCNICA DE LISBOA INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO TRABALHOS DE LABORATÓRIO DE GESTÃO DE REDES E DE SISTEMAS DISTRIBUÍDOS TEMA II: CONFIGURAÇÃO DE SERVIÇOS 2006/2007 1 1. Introdução A empresa WiZones

Leia mais

Configuração da Pesquisa no Ambiente de Trabalho Nepomuk. Sebastian Trueg Anne-Marie Mahfouf Tradução: José Pires

Configuração da Pesquisa no Ambiente de Trabalho Nepomuk. Sebastian Trueg Anne-Marie Mahfouf Tradução: José Pires Configuração da Pesquisa no Ambiente de Trabalho Nepomuk Sebastian Trueg Anne-Marie Mahfouf Tradução: José Pires 2 Conteúdo 1 Introdução 4 1.1 Configuração Básica.................................... 4

Leia mais

REGULAMENTO DE PREÇOS A PRATICAR NO ÂMBITO DAS ACTIVIDADES DOS SERVIÇOS DA UNIVERSIDADE DE AVEIRO

REGULAMENTO DE PREÇOS A PRATICAR NO ÂMBITO DAS ACTIVIDADES DOS SERVIÇOS DA UNIVERSIDADE DE AVEIRO REGULAMENTO DE PREÇOS A PRATICAR NO ÂMBITO DAS ACTIVIDADES DOS SERVIÇOS DA UNIVERSIDADE DE AVEIRO A ligação à sociedade em geral, nos diversos domínios que integram o seu âmbito de intervenção, constitui-se

Leia mais

INTRODUÇÃO. COMO FAZER O HACCP FUNCIONAR REALMENTE NA PRÁTICA* Sara Mortimore PREPARAÇÃO E PLANEAMENTO ETAPA 1 INTRODUÇÃO

INTRODUÇÃO. COMO FAZER O HACCP FUNCIONAR REALMENTE NA PRÁTICA* Sara Mortimore PREPARAÇÃO E PLANEAMENTO ETAPA 1 INTRODUÇÃO ESCOLA SUPERIOR AGRÁRIA DE COIMBRA MESTRADO EM ENGENHARIA ALIMENTAR SEGURANÇA ALIMENTAR INTRODUÇÃO Sistema de controlo simples e lógico COMO FAZER O FUNCIONAR REALMENTE NA PRÁTICA* Sara Mortimore Ana Santos,

Leia mais

Conteúdo de Formação

Conteúdo de Formação Microsoft Office Excel, Word e Access Avançado Objetivos Gerais Este Curso tem como objetivo dotar os participantes de prática e conhecimentos de nível avançado no nas ferramentas da Microsoft Word, Excel

Leia mais

Fundo de Compensação do Trabalho 2014

Fundo de Compensação do Trabalho 2014 1 Wosoft Fundo de Compensação do Trabalho 2013 Fundo de Compensação do Trabalho 2014 Manual de Utilização 2 Wosoft Fundo de Compensação do Trabalho 2013 Índice Introdução... 3 Configuração... 4 Configuração

Leia mais

TC500 / TC550 MANUAL DE UTILIZADOR

TC500 / TC550 MANUAL DE UTILIZADOR TC500 / TC550 MANUAL DE UTILIZADOR TELEMAX Telecomunicações e Electrónica, Lda Rua Barão de Forrester, 784 4050-272 Porto Rua da Venezuela, 57 A/B, 1500-618 Lisboa Tlf: (+351) 222085025 / (+351) 21758695

Leia mais

MANUAL PARA COLOCAÇÃO DE SERVIÇOS À VENDA NO SMARTFARMER

MANUAL PARA COLOCAÇÃO DE SERVIÇOS À VENDA NO SMARTFARMER MANUAL PARA COLOCAÇÃO DE SERVIÇOS À VENDA NO SMARTFARMER Esta funcionalidade é destinada aos Prestadores de Serviços que estão registados no SmartFarmer. NOTA: Se o seu serviço é de transportes/entregas,

Leia mais

Ficha de Unidade Curricular (FUC) de Gestão de Redes Informáticas

Ficha de Unidade Curricular (FUC) de Gestão de Redes Informáticas INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA INSTITUTO SUPERIOR DE CONTABILIDADE E ADMINISTRAÇÂO DE COIMBRA Aprovação do Conselho Pedagógico 26/3/2014 Aprovação do Conselho Técnico-Científico 21/5/2014 Ficha de Unidade

Leia mais

Introdução aos Sistemas Integrados de Gestão de Bibliotecas

Introdução aos Sistemas Integrados de Gestão de Bibliotecas Introdução aos Sistemas Integrados de Gestão de Bibliotecas (Integrated Library Systems ILS) (Library Management Systems LMS) O Que São Sistemas de Gestão de Bibliotecas? 1 Racional Percebendo a importância

Leia mais

CAMPO DE OBRAS NO SUDOESTE. Nível baixo de óleo. vale a pena saber. o novo product link

CAMPO DE OBRAS NO SUDOESTE. Nível baixo de óleo. vale a pena saber. o novo product link CAMPO DE OBRAS NO SUDOESTE Nível baixo de óleo vale a pena saber o novo product link O QUE ACONTECEU? Onde está? QUANTOS? 2 O NOVO PRODUCT LINK AGORA VOCÊ SABE. Conseguir informações precisas e em tempo

Leia mais

PLANIFICAÇÃO SEMESTRAL

PLANIFICAÇÃO SEMESTRAL Disciplina: Tecnologias de Informação e Comunicação PLANIFICAÇÃO SEMESTRAL 7.º Ano Unidade Temática e Conteúdos Domínios/Subdominios Descritores (objetivos Especificos) Estratégias de Aprendizagem N.º

Leia mais

MANUAL DE ATUALIZAÇÃO DE SOFTWARE PARA LEITURA DE CARTÕES

MANUAL DE ATUALIZAÇÃO DE SOFTWARE PARA LEITURA DE CARTÕES ÁREA RESERVADA A PRESTADORES MANUAL DE ATUALIZAÇÃO DE SOFTWARE PARA 26 de Maio de 2015 1269-152 Lisboa - Portugal Capital Social 27 000 000 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESTINATÁRIOS... 3 3. PRÉ-REQUISITOS...

Leia mais

Imobilizado Funcionalidades V

Imobilizado Funcionalidades V Imobilizado Funcionalidades V. 3.101 Medidata- Sistemas de Informação Para Autarquias, S. A. Sede: Rua Pêro de Alenquer, Nº 230 * 4150-615 Porto Tel.: 22 619 89 00 * Fax: 22 610 27 76 Email:webmaster@medidata.pt*

Leia mais

Segurança e Privacidade na Internet

Segurança e Privacidade na Internet Universidade Nova de Lisboa - Faculdade de Ciências e Tecnologias 2012 Objectivos Este trabalho visa claricar o mundo que esta por detrás de uma ligação à rede Internet. Serão abordados vários tópicos,

Leia mais

IBM SPSS DATA COLLECTION

IBM SPSS DATA COLLECTION IBM SPSS DATA COLLECTION VERSÃO 6.0 IBM e SPSS são marcas registadas da IBM Corporation A PSE Produtos e Serviços de Estatística, Lda distribui esta informação na qualidade de parceiro de negócio IBM.

Leia mais

Projeto MyHonda. Versão Nossa tecnologia para o seu sucesso

Projeto MyHonda. Versão Nossa tecnologia para o seu sucesso Projeto MyHonda Versão 6.14 Nossa tecnologia para o seu sucesso ÍNDICE Considerações Gerais... 3 Configurações Gerais... 4 Parâmetro de Envio... 28 Recepção MyHonda... 29 Aplicativo de Envio... 30 Controle

Leia mais

O COMPUTADOR POR DENTRO

O COMPUTADOR POR DENTRO 1 2 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO O COMPUTADOR POR DENTRO Ensino Recorrente 3 4 O CPU constitui o orgão central do computador. As suas características determinam, em grande medida, a performance global do sistema.

Leia mais

Certificação ISO no

Certificação ISO no Certificação ISO 27001 no Instituto t de Informática, I.P. (MTSS) 30-11-2010 1 Agenda O Instituto t de Informática, I.P.; Sistema de Gestão Integrado (ISO 9001, 27001, 20000) Manutenção da Certificação

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO MÓDULO: Itaú Shopline

MANUAL DO USUÁRIO MÓDULO: Itaú Shopline MANUAL DO USUÁRIO MÓDULO: Itaú Shopline Atualizado em: 08/09/2015 www.querycommerce.com Introdução O módulo Itaú Shopline da Query Commerce oferece uma forma de pagamento simples e eficaz. Permite geração

Leia mais

Sistema GP Gestão de Pombos

Sistema GP Gestão de Pombos Sistema GP Gestão de Pombos ADENDA AO MANUAL COM ALTERAÇÕES DA VERSÃO 16.01 DO SISTEMA GPC Versão para 2016 (01-2016) EMAIL: GERAL@SISTEMAGP.COM SITE: WWW.SISTEMAGP.COM Um produto POMOR Software de Gestão,

Leia mais