Guia Prático da Cooperação Universitária Franco-Brasileira

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Guia Prático da Cooperação Universitária Franco-Brasileira"

Transcrição

1 Guia Prático da Cooperação Universitária Franco-Brasileira

2 Sumário CenDoTec... p4 EduFrance no Brasil... p5 O sistema francês de ensino superior LMD...p6,7,8,9 Tabela comparativa dos sistemas de ensino brasileiro e francês...p10 Universidades... p11 Grandes écoles... p12, 13 Escolas especializados...p14 Os instrumentos de cooperação universitária franco-brasileira 1 Acordos e programas específicos CAPES-COFECUB...p15 BRAFITEC-BRAFAGRI...p16 PREFALC... p17 Programa Erasmus Mundus...p18 2 Auxílios à mobilidade Os programas europeus αlfa...p21 Os programas de bolsas do governo francês Eiffel...p24,25 Eiffel Doctorat...p25 2 3

3 CenDoTeC O CenDoTeC possui o duplo estatuto de Instituição com Autonomia Financeira do Ministério das Relações Exteriores (MAE) francês e de associação brasileira sem fins lucrativos. Seus recursos provêem principalmente do MAE. Sua missão fundamental consiste em servir como plataforma de documentação e de informação a serviço da cooperação acadêmica e científica entre a França e o Brasil. Essa missão geral se dá em quatro etapas: j informação destinada a brasileiros e franceses sobre a atualidade universitária e da pesquisa do outro país visando o desenvolvimento. e o aprofundamento da cooperação bilateral e multilateral no contexto. euro-latino-americano; j promoção dos estudos na França de um modo geral e no âmbito. da cooperação franco-brasileira. O CenDoTeC coordena a rede brasileira. da EduFrance, responsável pela promoção dos estudos na França; j centrode documentação sobre a França cujo acervo, de caráter científico. e técnico, é constituído de exposições, programas de vídeo e bases de dados; j apoio às associações de brasileiros estagiários e diplomados de instituições de ensino superior francesas. EduFrance no Brasil A Agence EduFrance é um organismo público criado em 1998 pelos Ministérios franceses da Educação e das Relações Exteriores, com a missão de promover o ensino superior francês. Informa e orienta as pessoas que desejam complementar seus estudos em estabelecimentos franceses. Sua sede fica em Paris e a agência possui representação em 40 países, nos cinco continentes. No Brasil, sua parceria com o CenDoTeC (Centro franco-brasileiro de Documentação Técnica e Científica), que coordena suas atividades no país, os serviços culturais da Embaixada da França e a Aliança Francesa forma uma rede de informação sobre o ensino superior francês. Os escritórios EduFrance possibilitam ao estudante dirigir-se diretamente a profissionais preparados para informá-lo e orientá-lo na escolha de seus estudos na França. Esses profissionais oferecem uma ajuda concreta no momento da inscrição: análise do projeto de estudos e orientação para a escolha do curso, constituição do dossiê de candidatura e acompanhamento junto ao estabelecimento até obtenção do parecer sobre a admissão. No Brasil, a EduFrance está implantada estrategicamente em diferentes regiões. Para conhecer todos os endereços, acesse o site 4 5

4 O sistema francês de ensino superior O Sistema LMD O sistema LMD, que começou a ser adotado em 2002 e ao qual 40 países já aderiram, estando. 5 em lista de espera, proporciona aos estudantes maior mobilidade nos países do Espaço Europeu de Ensino Superior. Nesse sistema, os estudos universitários organizam-se em três graus: Licence, Master e Doctorat, cada um deles declinado em semestres validados por créditos ECTS (European Credit Transfer System) reconhecidos em todas as universidades européias. Todo estudante matriculado no sistema de ensino público francês beneficia-se de uma bolsa, visto que deverá arcar somente com uma pequena taxa de inscrição anual. A França oferece auxílio de caráter social aos estudantes estrangeiros, a fim de ajudá-los no financiamento de sua acomodação, e subvenciona a maior parte de sua seguridade social. Licence A Licence é acessível após o Baccalauréat francês ou equivalente e é realizada em três anos,. totalizando 180 créditos (6 semestres de 30 créditos). No terceiro ano desse ciclo, os estudantes escolhem entre Licence Générale e Licence. Professionnelle. Na Licence Professionnelle, fruto da parceria entre instituições de ensino e empresas,. as disciplinas são ministradas por professores universitários e por profissionais em atividade. Estudantes brasileiros podem, após apresentação de dossiê contendo histórico escolar. (com carga horária e notas) e ementas, inscrever-se: k no segundo ano do curso universitário na França mediante validação do primeiro ano de graduação (60 créditos), k no terceiro ano do curso universitário (ano da Licence) mediante validação dos dois primeiros anos de graduação (120 créditos). 6 7

5 Master O Master organiza-se em dois anos e corresponde a 120 créditos depois da Licence, ou seja, 300 créditos após o Baccalauréat. De acordo com as novas orientações, o primeiro ano é uma etapa comum. No segundo ano, o estudante opta pelo Master Recherche, que conduzirá ao Doctorat, ou pelo Master Professionnel, formação especializada que inclui estágios de três a seis meses no segundo semestre. f Para inscrever-se no primeiro ano de um Master de sua área de formação, o estudante brasileiro deverá apresentar a validação dos três primeiros anos de licenciatura. (180 créditos) e dossiê para avaliação. f Para inscrever-se no segundo ano de um Master Professionnel ou Recherche de sua área de formação, o estudante brasileiro deverá apresentar seu diploma de graduação (a França considera que o quarto ano de graduação corresponde aos primeiros 60 créditos obtidos após a Licence) e dossiê para avaliação. Doctorat O Doctorat corresponde a 180 créditos além do Master, ou seja, 480 créditos depois do Baccalauréat. Consiste na redação de uma tese sobre um tema específico, além de seminários. e estágios de pesquisa. Corresponde ao doutorado no Brasil e é obtido em três anos após o Master Recherche, ou seja, após oito anos de estudos superiores. Habilitation à Diriger les Recherches (HDR) Na França, a qualificação para orientar pesquisas doutorais passa pela obtenção da HDR, que correspondente à livre docência. Os cursos de doutorado são organizados pelas écoles doctorales. Para inscrever-se no Doctorat, o estudante deve ser titular de um Master Recherche. Se esta condição não for atendida, o diretor da instituição pode inscrever no Doctorat um candidato titular do grau de Master ou equivalente. A autorização de inscrição no Doctorat e as dispensas de diploma são dadas pelo diretor do estabelecimento após proposta do diretor da école doctorale. e parecer do orientador da tese. A França considera que o mestrado brasileiro corresponde à aquisição de 300 créditos. O estudante brasileiro titular do mestrado pode ser inscrito, após exame de seu dossiê, num Doctorat de sua área de formação. Em função de seu currículo e das especificações do Doctorat ou do tema da tese, o estudante deverá freqüentar, paralelamente à elaboração da tese, alguns cursos complementares de acordo com decisão do orientador ou do diretor da école doctorale. Mais informações: Ministério da Educação francês: ECTS: Textos oficiais, programas de ensino, sites das universidades francesas: Comissão Européia: FAGE - Federação das Associações Gerais Estudantis: 8 9

6 Tabela comparativa dos sistemas de ensino brasileiro e francês Doutorado Mestrado (stricto sensu, de 500 à 1500 horas) Especialização (lato sensu de 500 à 1500 horas) Graduação Bacharelado ou Licenciatura De 2500 a 3000 horas Vestibular ou ENEM Brasil Doctorat Master Recherche 120 créditos 1500 horas Licence 180 créditos 2250 horas Baccalauréat França Master Professionnel 120 créditos 1500 horas NB: Todo estudante estrangeiro cursando o ensino superior em seu país de origem pode solicitar uma inscrição no ensino superior francês, desde que atenda aos critérios de admissão. O «Baccalauréat» (Bac) é o primeiro diploma do ensino superior francês e permite o acesso aos estudos superiores. É equivalente, no Brasil, à aprovação no vestibular. Embora o vestibular seja um concurso, e não um exame de conclusão, pelo fato de possibilitar o acesso aos estudos superiores, é aceito como equivalente ao Bac pelos estabelecimentos franceses de ensino superior (desde que o estudante tenha sido aprovado para ingresso em um curso na mesma área que pretende cursar na França). Universidades Distribuídas em todo o território, de estatuto público, as 87 universidades francesas - desde a Sorbonne, fundada em Paris em 1257, até o campus ultra-moderno de Nice-Sophia-Antipolis - abrangem todas as disciplinas: as ciências - matemática, química, física, biologia -, as tecnologias - informática, engenharia, eletrotécnica, materiais -, as letras, as línguas, as artes, as ciências humanas, o direito, a economia, a gestão, a saúde, o esporte. A universidade também soube responder às necessidades do mundo moderno, desenvolvendo áreas tecnológicas e formações profissionalizantes: i Formações técnicas nos IUT - Instituts Universitaires de Technologie - mais de 25 especialidades, i Formações profissionalizantes completas, desde o Bac + 1 até a Maîtrise, nos IUP - Instituts Universitaires Professionnalisés - 21 especialidades. O novo sistema outorga diplomas nacionais: Licence (3 anos), Master (+ 2 anos após a Licence). e Doctorat (+ 3 anos após o Master). A pesquisa é um componente estrutural das universidades: as Écoles Doctorales formam doutores por ano em parceria com mais de laboratórios de pesquisa mista (universidades e organismos de pesquisa). As Écoles Doctorales francesas sempre tiveram vocação internacional: 1 tese a cada 4 é defendida por um estudante estrangeiro. Além desse sistema principal, existem também outros diplomas nacionais outorgados pelo sistema de ensino francês que conferem títulos universitários: k Bac+2 anos (120 créditos ECTS): Brevet de Technicien Supérieur (BTS) ; Diplôme Universitaire de Technologie (DUT) ; Diplôme d Etudes Universitaires Scientifiques et Techniques (DEUST) ; Diplôme d Etudes Universitaires Générales (DEUG). Tanto o BTS quanto o DUT são diplomas que concedem um nível de estudos superiores gerais e profissionais. Eles certificam a qualificação profissional em um setor ou em uma profissão, por meio de formação cujo programa é elaborado em relação estreita com os profissionais, k Bac+4 anos (240 créditos ECTS): Maîtrise (Maîtrise IUP, Maîtrise de Sciences et Techniques, Maîtrise de Sciences de Gestion, Maîtrise de Méthodes Informatiques Appliquées à la Gestion des Entreprises), k Bac+5 anos (300 créditos ECTS): Diplôme de Recherche Technologique (DRT). Formações específicas de engenharia, gerenciamento e medicina são vinculadas à universidade da seguinte forma: i Formações de engenharia nas universidades concedem aproximadamente 50% dos títulos de engenheiros da França; i Formações de gerenciamento nos IAE Instituts d Administration des Entreprises; i Medicina, farmácia e odontologia nas universidades, em parceria com centros hospitalares, com organização e ciclos de estudos próprios

7 Grandes Écoles Particularidade do ensino francês, as grandes écoles, criadas paralelamente ao sistema universitário no início do século XIX, continuam oferecendo ensino profissional de alto nível e sendo muito seletivas. As grandes écoles outorgam diplomas de níveis Bachelor (Bac + 3), Master (Bac + 5) e de especialização: Master of Science (Bac + 4 a 5 anos) ou MBA (Bac + 5) ou ainda Mastère Spécialisé (Bac + 6). Atualmente existem admissões paralelas criadas especialmente para estudantes estrangeiros, baseadas em títulos e exames, para cursos que variam de 2 a 5 anos conforme o nível de ingresso exigido pelo estabelecimento. As Classes Preparatórias para as Grandes Écoles As Classes Preparatórias para as Grandes Écoles (CPGE) possuem duração de dois anos e são divididas em três categorias: classes preparatórias econômicas e comerciais, classes preparatórias literárias, classes preparatórias científicas. Como seu nome indica, elas preparam para os concursos de admissão das grandes écoles de engenharia, de gestão e da École Normale Supérieure (ENS). Alunos aprovados no vestibular podem apresentar dossiê para admissão no primeiro ano de uma CPGE. Acesso aos estudos de engenharia i Estudantes aprovados no vestibular podem ingressar, após apresentação de dossiê, no primeiro ano de classe preparatória de uma escola de engenharia. i Estudantes tendo cursado os três primeiros anos de engenharia no Brasil podem ingressar, após apresentação de dossiê e validação do histórico escolar, no primeiro ano do segundo ciclo de engenharia. i Estudantes graduados em engenharia podem ingressar, após apresentação de dossiê. e validação de histórico escolar, no segundo ano do segundo ciclo de engenharia. O diploma de engenheiro outorgado por um estabelecimento francês habilitado pelo Estado após avaliação periódica da Comissão de Títulos de Engenharia somente pode ser concedido a estudantes que cursaram pelo menos quatro semestres em uma escola de engenharia. O estágio em empresa (ou projeto de conclusão de curso) com duração de um semestre pode ser efetuado em uma empresa localizada no Brasil. As Grandes Écoles de Gestão e Comércio Privadas, as grandes écoles de gestão e comércio - aproximadamente oferecem cursos. e metodologias adaptados à evolução do ambiente econômico e às novas práticas do gerenciamento,. e são, com freqüência, articuladas em torno de estágios e intercâmbios internacionais. Os IEP Instituts d Études Politiques São nove, no total, públicos, e oferecem formação multidisciplinar baseada em cultura geral, metodologia de trabalho, economia, ciências políticas, direito e sociologia com grande abertura internacional. As Grandes Écoles de Engenharia Existem aproximadamente 240 escolas de engenharia na França. Todas apresentam características comuns, além de garantir a qualidade do diplôme d ingénieur que confere o título de Master e abrange todas as áreas da engenharia. Os cursos de engenharia possuem duração de 5 anos, divididos em dois ciclos: o primeiro corresponde a dois anos de classe preparatória, seguidos de 3 anos do ciclo de engenharia. Os diplômes d ingénieur são diplomas nacionais (reconhecidos pelo Estado). Importante As siglas CGE, EQUIS, AACSB e AMBA das escolas de gestão e comércio. Garantia de adequação aos padrões internacionais, essas siglas são atribuídas às escolas ou aos diplomas por elas outorgados e certificam a existência de uma equivalência internacional. CGE: Conferência das Grandes Écoles. EQUIS: sigla européia atribuída pela European Foundation for Management Development. AACSB: sigla americana atribuída pela American Assembly of Collegiate Schools of Business. AMBA: sigla atribuída pela Associação dos MBA de Londres aos MBA mais célebres

8 Escolas Especializadas As escolas especializadas completam a oferta de formação superior francesa em setores específicos como a arte, o design, a moda, o turismo, a arquitetura, a saúde, as carreiras sociais. Escolas de Arte Existem três tipos de escolas de arte: as Écoles Nationales Supérieures d Art, equivalentes às Grandes Écoles, que conferem o diploma nacional após 4 a 5 anos de estudos; as Écoles d Arts Appliqués, vinculadas ao Ministério da Educação, que outorgam o DSAA (Diplôme Supérieur d Arts Appliqués) em dois anos após o BTS (240 créditos ECTS) e as Écoles des Beaux-Arts, que dependem do Ministério da Cultura e concedem diplomas após 3 ou 5 anos de estudos. Todas elas possuem método de seleção rigoroso. Estudantes brasileiros podem integrar, após exame de seu dossiê pela comissão de admissão presidida pelo diretor do estabelecimento procurado, o ciclo de estudos sancionado por um DSAA desde que: i atendam as exigências feitas aos estudantes franceses, i apresentem histórico escolar comprovando terem cursado os dois primeiros anos de estudos superiores em uma formação relativa à vocação do DSAA escolhido. Escolas de Arquitetura Vinte escolas de arquitetura dependem do Ministério da Cultura e conferem o DPLG (Diplomé Par. Le Gouvernement), único diploma reconhecido para o exercício da profissão de arquiteto na França.. Os cursos, com duração de 6 anos, são organizados em 3 ciclos de 2 anos. Jornalismo e Comunicação No IFP Institut Français de Presse, na CELSA École des Hautes Études en Sciences de l Information et de la Communication ou no CFJ Centre de Formation des Journalistes. Os instrumentos da cooperação universitária franco-brasileira 1 Acordos e programas específicos Os acordos CAPES COFECUB e USP COFECUB Assinado em 1979, o acordo CAPES COFECUB (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Comitê Francês de Avaliação da Cooperação Universitária com o Brasil) permitiu, ao longo dos últimos vinte e cinco anos, a formação de mais de mil doutores brasileiros e a criação de uma rede sólida e permanente de relações científicas entre os dois países. Hoje, este programa oficial, apoiado pelo Ministério das Relações Exteriores da França (com um orçamento anual de cerca de euros) e pelo Ministério da Educação ( euros), permite a realização de 137 projetos de cooperação em todas as disciplinas. Todos os anos, são abertas inscrições para projetos nos sites da associação Égide ( e da CAPES ( Os projetos devem ser entregues simultaneamente na França e no Brasil antes do final do mês de maio. São selecionados entre 100 e 150 projetos com duração de dois anos, prorrogáveis uma vez. Cada projeto deve, necessariamente, incluir uma formação doutoral que beneficie a equipe brasileira acompanhada de diferentes meios de intercâmbios implementados pelo COFECUB. Num modelo similar, o Programa de Cooperação Universitária USP COFECUB foi criado em 1994 com o objetivo de desenvolver programas de pesquisa científica em comum, fomentar intercâmbios universitários franco-brasileiros e formar e aperfeiçoar acadêmicos e pesquisadores. No Brasil,. o programa refere-se especificamente a pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) que desejam montar projetos de cooperação com uma entidade de pesquisa francesa. Mais informações:

9 BRAFITEC: programa franco-brasileiro de intercâmbio de estudantes de engenharia O programa BRAFITEC foi criado pelo Ministério das Relações Exteriores e pelo Ministério. da Educação Nacional, do Ensino Superior e da Pesquisa, na França, e pela CAPES, no Brasil, no âmbito de um acordo assinado entre a CAPES e a CDEFI (Conferência dos Diretores de Escolas. e Cursos de Engenharia) em 25 de abril de Foi iniciado com base no Programa de Formação Integrada de Alunos Brasileiros de Engenharia na França que existiu de 1999 a 2002 graças a convenção assinada entre a CAPES, no Brasil,. e a CDEFI, na França. O objetivo de BRAFITEC é incentivar projetos de cooperação bilateral no que se refere à formação de engenheiros, ao intercâmbio de alunos e professores de engenharia nos dois sentidos,. aos estudos comparativos e à avaliação dos programas e métodos de ensino nos dois países. Os projetos são selecionados por um conselho diretor misto franco-brasileiro que se baseia em concurso regido por diretrizes específicas. BRAFITEC repousa na noção de projetos comuns de dois anos, prorrogáveis por mais dois e elaborados por instituições ou redes de instituições de ensino superior dos dois países. Os intercâmbios de alunos de engenharia duram 1 ou 2 semestres, e os projetos incluem intercâmbios de professores e organização de encontros e seminários. O primeiro concurso, realizado em 15 de outubro de 2002, resultou na seleção de 18 dossiês reunindo 22 projetos e 3 declarações de intenção de acordos futuros de cooperação no lado francês. No total, os projetos implicavam 41 escolas francesas (34 instituições reunidas em redes e 7 outras com projetos individuais) e 21 universidades brasileiras. O número e a qualidade dos projetos apresentados confirmam o interesse mútuo por essa parceria entre instituições francesas e brasileiras de formação de engenheiros. Desde seu lançamento, 360 alunos de engenharia brasileiros e 280 franceses participaram do Programa. Mais informações: BRAFAGRI Nos mesmos moldes do programa BRAFITEC, trata-se de acordo assinado em junho de entre a CAPES e o Ministério francês da Agricultura, da Pesca e dos Negócios Rurais. Este acordo refere-se à formação alternada de engenheiros agrônomos e especialistas em ciências biológicas. Mais informações: e PREFALC (Programa Regional França - América Latina Caribe) Objetivos do programa i Consolidar os acordos de cooperação em rede entre as universidades francesas e seus parceiros dos países da América Latina e do Caribe. i Exportar os Masters franceses para a América Latina e o Caribe e/ou implantar módulos. de formação francesa nos Masters das universidades parceiras. i Fomentara implementação de diplomas duplos de nível Master e de Doutorados em co-tutela. i Favorecer a integração regional. Modalidades de funcionamento Para participar do programa, as instituições de ensino superior devem apresentar referências de excelência acadêmica e inscrever-se no concurso de projetos publicado anualmente.. Cada projeto deve implicar, no mínimo, um estabelecimento de ensino superior na França e um estabelecimento de, pelo menos, dois países da região parceira. Os projetos são apresentados pelo serviço de relações internacionais da instituição francesa coordenadora e endereçados ao gerenciador do projeto, a Maison des Sciences de l Homme. Os projetos possuem duração de dois anos prorrogáveis por um ou dois anos após decisão do comitê. Cada projeto é objeto de um relatório anual. As instituições francesas participantes dos projetos são responsáveis pela sua implementação, pela redação do relatório anual de avaliação e pelo acompanhamento científico e pedagógico. Características dos projetos Os projetos apresentados devem: i referir-se a estudantes de nível Master nos estabelecimentos de cada zona regional, i valorizar a organização dos módulos de formação, i ser anexados aos dossiês de candidatura acompanhados dos documentos solicitados. Recursos financeiros dos programas O Ministério das Relações Exteriores da França, as Embaixadas dos países beneficiados. e o Ministério da Educação Nacional, do Ensino Superior e da Pesquisa francês contribuem para o suporte e a promoção deste dispositivo de cooperação. Os projetos selecionados beneficiamse de apoio financeiro sob forma de missões enviadas aos países da América Latina e do Caribe. Para sua implantação, a Maison des Sciences de l Homme assina uma convenção financeira com o serviço de relações internacionais de cada uma das instituições francesas responsáveis por um ou mais projetos. Calendário A inscrição dos projetos é feita em março para seleção em setembro do mesmo ano. Mais informações:

10 Programa Erasmus Mundus O que é Erasmus Mundus? Implementado pela União Européia, o programa Erasmus Mundus é composto por quatro ações distintas. As duas últimas interessam especialmente a cooperação franco-brasileira. Ação 1 Master Erasmus Mundus Implementação e financiamento de Masters de alto nível no âmbito de convênios envolvendo três universidades de, no mínimo, três países europeus. Ação 2 Bolsas Erasmus Mundus Atribuição de bolsas a estudantes, pesquisadores ou professores de países do terceiro mundo (países não membros da União Européia, do Espaço Econômico Europeu, da Associação Européia de Livre Comércio e que não sejam candidatos a entrar na UE). Ação 3 - Parcerias Implementação de parcerias entre universidades participantes da Ação 1 e universidades de outros países. Permite a mobilidade de estudantes, pesquisadores e professores da União Européia que obtiveram um primeiro diploma em uma instituição de ensino superior e estão inscritos nos cursos de Master Erasmus Mundus. Ação 4 Atratividade do Ensino Europeu Apoio a projetos destinados a melhorar a atratividade e o interesse pelo ensino superior europeu: atividades para melhoria da imagem, da visibilidade e do acesso ao ensino superior europeu com o intuito de contribuir à sua internacionalização e ao reconhecimento mútuo dos diplomas por outros países. Mais informações no site especializado da Comissão Européia: 2 Auxílio à mobilidade Os Programas Europeus Programa de Bolsas Alβan Em 2002, a Comissão Européia adotou o Programa Alβan, um programa de bolsas de estudos de nível Master e Doctorat dirigido à América Latina. Prevê-se que, até 2010, cerca de estudantes e profissionais latino-americanos sejam beneficiados por essas bolsas na União Européia, que contribui financeiramente com um montante da ordem de 75 milhões de euros. Países beneficiários Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, El Salvador, Equador, Guatemala, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela. Países participantes Alemanha, Áustria, Bélgica, Chipre, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Grécia, Países Baixos, Hungria, Irlanda, Itália, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Polônia, Portugal, Reino Unido, República Tcheca e Suécia. Duração Bolsa de Master: de 6 a 24 meses Bolsa de Doctorat: de 6 a 36 meses Especialização profissional: de 6 a 18 meses Atenção para os prazos: a data limite de recepção dos dossiês é o mês de dezembro para inscrição em setembro do ano seguinte. Montante da bolsa Em todos os casos, a contribuição anual da União Européia não excederá os montantes de euros (Master e Doctorat) e de euros (especialização) e não ultrapassará 75% do custo total estabelecido para cada projeto de educação/formação. Entende-se por custo total da formação o custo real da formação que inclui, entre outros, a subvenção atribuída pelo Ministério francês da Educação Nacional aos estabelecimentos

11 Condições mínimas de candidatura 1/ Ser originário e residente oficial de um dos 18 países latino-americanos beneficiários. j para as bolsas de estudos de Master e Doctorat 2/..Possuir um diploma de estudos universitários que permita a continuação dos estudos em Master ou Doctorat em uma instituição de ensino superior da União Européia e um projeto de estudos apoiado por uma instituição de ensino superior selecionada pelo Programa Alβan. j para as bolsas de especialização profissional 3/..Trabalhar em uma organização reconhecida em um dos países beneficiários da América Latina e desejar prosseguir formação ou requalificação profissional de alto nível na União Européia,. com o apoio da organização. 4/..Ter sido aceito em uma instituição de ensino superior ou em um centro de formação superior. de um país da União Européia para realizar seu projeto de educação/formação. 5/..Explicar como será a reintegração do candidato enquanto membro ativo de uma instituição ou organização em seu país de origem ao término do período de estudos/formação na União Européia. Preparação da candidatura Consulte: ou Como são avaliadas as candidaturas? As candidaturas às bolsas Alßan são inicialmente submetidas a uma verificação dos critérios de seleção. Em seguida, a qualidade das candidaturas selecionadas será avaliada por, pelo menos, dois especialistas acadêmicos internacionais e independentes. O grupo de especialistas Alßan é composto por universitários e cientistas renomados de todos os países participantes da América Latina e da União Européia. Instituições selecionadas A lista das instituições de ensino superior escolhidas é atualizada periodicamente. As instituições oficialmente reconhecidas que não fazem parte da lista devem contatar as autoridades competentes de seu país. Estudos de Master e Doctorat: a lista das instituições selecionadas está disponível no site Especialização profissional: devido ao número elevado de organizações suscetíveis de participar do programa, não foi estabelecida uma lista de referência. Mais informações: Portal Alßan: Programa Aliança para a Sociedade da é um programa da Comissão Européia cujo objetivo é reforçar a parceria entre a União Européia e a América Latina no campo da sociedade da informação. Seus objetivos são estabelecer o diálogo e a cooperação em política e normas reguladoras em áreas-chave e impulsionar interconexões entre redes de investigação e comunidades em ambas as regiões. Mais informações: Programa αlfa América Latina Formação Acadêmica Implementado e financiado pela Comissão Européia, o programa αlfa iniciou em 1996 com uma sessão αlfa 1, sucedida por αlfa 2 de 2000 a O programa consistia na implementação de redes de cooperação universitária entre a União Européia e a América Latina compostas de, pelo menos, seis instituições de ensino superior de seis países diferentes: três da União Européia e três da América Latina. αlfa permitia o financiamento de bolsas de Master ou de Doctorat de 6 a 36 meses para latinoamericanos e europeus (as co-tutelas são possíveis), organização de seminários, visitas de curta e média duração (curso, orientação de doutorandos, coordenação da rede ou estágios de estudos). A seleção e coordenação de projetos foi realizada por EuropAid (Organismo de Cooperação ao Desenvolvimento da Comissão Européia), que administrou e implantou a ajuda aos países externos à União Européia a partir de financiamentos da Comissão Européia e do Fundo Europeu de Desenvolvimento, bem com o auxílio de um grupo de dezesseis peritos europeus e latinoamericanos. Atualmente, 200 programas αlfa 1 estão em curso. Mais informações:

12 Programas de bolsas do governo francês Programa EIFFEL O primeiro objetivo do programa de excelência Eiffel do Ministério das Relações Exteriores é formar, nas instituições de ensino superior francês, os futuros tomadores de decisão estrangeiros, das esferas públicas ou privadas, em três campos de estudos prioritários (ciências da engenharia, economia-gestão, direito e ciências políticas).. O segundo objetivo é encorajar as candidaturas de estudantes originários dos países emergentes, com prioridade para aqueles não suficientemente representados entre a população estudantil francesa (principalmente países da Ásia e da América Latina).. O programa Eiffel é uma ferramenta oferecida aos estabelecimentos franceses em sua busca pelos melhores estudantes estrangeiros. As candidaturas são apresentadas exclusivamente pelas instituições franceses no âmbito de um procedimento definido em comum acordo.. A quem são destinadas as bolsas de excelência Eiffel? As bolsas de excelência Eiffel destinam-se aos estudantes estrangeiros cujas qualidades foram reconhecidas pelos estabelecimentos franceses de ensino superior que desejam recebê-los para a continuação de seus estudos. São aceitas candidaturas de estudantes não francófonos. Neste caso, os alunos beneficiam-se de uma formação lingüística prévia com duração de, no máximo, um ano, subvencionada pelo Programa Eiffel a pedido do estabelecimento francês de recepção. As candidaturas de estudantes provenientes do exterior são prioritárias em relação às de estudantes instalados na França. Quais os campos de estudo beneficiados pelas Bolsas Eiffel? Engenharia Economia e Gestão Direito e Ciências Políticas Ao apresentar seus candidatos às bolsas Eiffel, as instituições francesas comprometem-se a inscrevêlos em cursos que outorgam diplomas de Master ou Doctorat. Os estabelecimentos franceses devem certificar-se que os estudantes inscritos no Master Recherche ou no Doctorat não se destinam ao ensino ou a pesquisa, campos não agraciados pelo programa. Como são apresentadas as candidaturas? Os estabelecimentos franceses de ensino superior pré-selecionam, entre os melhores estudantes estrangeiros que desejam receber em seus cursos, os candidatos que irão apresentar para as bolsas Eiffel. Não são admitidas candidaturas diretas de estudantes ou apresentadas por estabelecimentos estrangeiros. Como é efetuada a seleção dos bolsistas Eiffel? A seleção é efetuada por uma comissão composta por três comitês de especialistas (um por campo de estudos). Os membros dos comitês não estão autorizados a participar da avaliação de dossiês apresentados pelos estabelecimentos aos quais estiverem vinculados institucionalmente

13 A comissão leva em conta três critérios: i a excelência do candidato, visível em seu percurso universitário anterior; i..a política internacional do estabelecimento francês que apresenta a candidatura, as ações realizadas nas áreas geográficas envolvidas, a adequação da candidatura apresentada; i a política de cooperação do Ministério das Relações Exteriores, com ênfase na prioridade dada aos países emergentes. Calendário Inscrição on-line dos dossiês de candidatura: setembro Data limite para recepção dos dossiês: 14 de janeiro do ano seguinte Resultados: início de março Qual a duração da bolsa Eiffel? A bolsa Eiffel é atribuída durante todo o tempo de preparação necessário à obtenção do diploma para a qual foi solicitada. Qual o montante da bolsa Eiffel? As bolsas Eiffel elevam-se a euros mensais. Contato O Ministério das Relações Exteriores confiou a gestão do Programa Eiffel a Égide: Programa Eiffel Doctorat Baseado no modelo do Programa de Bolsas Eiffel, oferece a doutorandos estrangeiros 1 ano de formação na França, de preferência o segundo ou o terceiro ano de tese. Mais informações:

NOTÍCIAS DA FRANÇA Dezembro de 2007

NOTÍCIAS DA FRANÇA Dezembro de 2007 NOTÍCIAS DA FRANÇA Dezembro de 2007 Bolsas de estudos com inscrições abertas BOLSA EIFFEL Bolsa de excelência oferecida pelo Ministério das Relações Exteriores da França com valor mensal de aproximadamente

Leia mais

A Participação do Conselho Superior da Magistratura em Organizações Internacionais

A Participação do Conselho Superior da Magistratura em Organizações Internacionais A Participação do Conselho Superior da Magistratura em Organizações Internacionais O Conselho Superior da Magistratura é membro de duas organizações internacionais que promovem a cooperação e concertação

Leia mais

E R A S M U S + ERASMUS+ Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa. Apresentação

E R A S M U S + ERASMUS+ Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa. Apresentação ERASMUS+ Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa Apresentação ERASMUS+ - Ensino Superior O Erasmus+ é o novo programa da UE dedicado à educação, formação, juventude e desporto. O programa tem início

Leia mais

O ENSINO DE ENGENHARIA NA EUROPA 1

O ENSINO DE ENGENHARIA NA EUROPA 1 O ENSINO DE ENGENHARIA NA EUROPA 1 Paulo César da Costa Pinheiro Departamento de Engenharia Mecânica da UFMG Av. Antônio Carlos 6627 31270-901 Belo Horizonte, MG DIPLOMAS OBTIDOS NAS ESCOLA DE ENGENHARIA

Leia mais

(Avisos) PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS COMISSÃO

(Avisos) PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS COMISSÃO 7.6.2008 C 141/27 V (Avisos) PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS COMISSÃO Convite à apresentação de propostas de 2008 Programa Cultura (2007-2013) Execução das seguintes acções do programa: projectos plurianuais

Leia mais

Entendendo a organização do sistema acadêmico brasileiro

Entendendo a organização do sistema acadêmico brasileiro Entendendo a organização do sistema acadêmico brasileiro Não é todo estudante que entende bem a organização do sistema educacional brasileiro e seus níveis de ensino. Nem todos sabem, por exemplo, a diferença

Leia mais

Mobilidade de Estudantes Sessão de Esclarecimento 2015/2016 janeiro 2015 Núcleo de Relações Internacionais do ISEL

Mobilidade de Estudantes Sessão de Esclarecimento 2015/2016 janeiro 2015 Núcleo de Relações Internacionais do ISEL Changing lives. Opening minds. Mobilidade de Estudantes Sessão de Esclarecimento 2015/2016 janeiro 2015 Núcleo de Relações Internacionais do ISEL ERASMUS + Uma porta aberta para a Europa : O novo programa

Leia mais

Duplo-Diploma na Área das Engenharias

Duplo-Diploma na Área das Engenharias Duplo-Diploma na Área das Engenharias Prof. Dr. Ricardo M. Naveiro Coordenador de Relações Internacionais Escola Politécnica da UFRJ Memórias do passado Sumário Cenário econômico mundial Histórico dos

Leia mais

Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007

Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007 Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007 1 Do programa e objetivo 1.1 O Programa CAFP/BA (Centros Associados para o Fortalecimento

Leia mais

Programa de Estudantes - Convênio de Pós-graduação - PEC-PG - 2006

Programa de Estudantes - Convênio de Pós-graduação - PEC-PG - 2006 Programa de Estudantes - Convênio de Pós-graduação - PEC-PG - 2006 1. Do objeto: O Ministério das Relações Exteriores (MRE), por intermédio do Departamento Cultural (DC), a Coordenação de Aperfeiçoamento

Leia mais

Programa UNIBRAL Edital CGCI n. 014 /2007

Programa UNIBRAL Edital CGCI n. 014 /2007 Programa UNIBRAL Edital CGCI n. 014 /2007 1 Do programa e objetivo 1.1 O Programa UNIBRAL, apoiado no acordo de cooperação assinado entre Brasil e Alemanha em 31 de outubro de 2000, tem como objetivo estimular

Leia mais

Estudar Ciência, Engenharia e Management na França

Estudar Ciência, Engenharia e Management na França Estudar Ciência, Engenharia e Management na França 0 PORQUE A MOBILIDADE INTERNACIONAL? Desenvolver a abertura internacional Em primeiro uma atitude: ela se concretisa por uma disposição e uma capacidade

Leia mais

Programa CAPES/BRAFITEC. Brasil/França Ingénieur Technologie. Edital CGCI n. 022/2007

Programa CAPES/BRAFITEC. Brasil/França Ingénieur Technologie. Edital CGCI n. 022/2007 Programa CAPES/ Brasil/França Ingénieur Technologie Edital CGCI n. 022/2007 1 Do programa O Programa (Brasil/França Ingénieur Technologie) é uma iniciativa da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal

Leia mais

3. EDUCAÇÃO. O Estado reconhece a todos o direito à educação e à cultura (CRP, art.º 73º), bem como ao ensino (CRP, art.º 74º).

3. EDUCAÇÃO. O Estado reconhece a todos o direito à educação e à cultura (CRP, art.º 73º), bem como ao ensino (CRP, art.º 74º). 3. EDUCAÇÃO Quadro legal O Estado reconhece a todos o direito à educação e à cultura (CRP, art.º 73º), bem como ao ensino (CRP, art.º 74º). A Lei de Bases do Sistema Educativo (Lei n.º 46/86, de 14 de

Leia mais

PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA, PARA ALUNOS DA UEA, PARA GRADUAÇÃO SANDUÍCHE NA FRANÇA

PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA, PARA ALUNOS DA UEA, PARA GRADUAÇÃO SANDUÍCHE NA FRANÇA PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA, PARA ALUNOS DA UEA, PARA GRADUAÇÃO SANDUÍCHE NA FRANÇA Tendo em vista a oportunidade propiciada pelo Programa Ciência sem Fronteiras, a Assessoria

Leia mais

V - promover a cooperação internacional na área de ciência, tecnologia e inovação;

V - promover a cooperação internacional na área de ciência, tecnologia e inovação; DECRETO Nº 7.642, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011 * Programa Ciência sem Fronteiras. * Institui o Programa Ciência sem Fronteiras. A Presidenta da República, no uso das atribuições que lhe confere o art. 84,

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR 1. Como são os cursos ofertados pela plataforma freire e quais os benefícios para os professores que forem selecionados? O professor sem formação poderá estudar nos

Leia mais

Guia de Instruções para Inscrições no Programa Ciência Sem Fronteiras

Guia de Instruções para Inscrições no Programa Ciência Sem Fronteiras Guia de Instruções para Inscrições no Programa Ciência Sem Fronteiras A Coordenadoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão do Centro Universitário de Sete Lagoas UNIFEMM, no uso de suas atribuições, divulga

Leia mais

Os Cursos de Especialização Tecnológica Em Portugal Nuno Mangas

Os Cursos de Especialização Tecnológica Em Portugal Nuno Mangas Os Cursos de Especialização Tecnológica Em Portugal Nuno Mangas Fórum novo millenium Nuno Mangas Covilhã, 22 Setembro 2011 Índice 1 Contextualização 2 Os CET em Portugal 3 Considerações Finais 2 Contextualização

Leia mais

Programa de Licenciaturas Internacionais CAPES/ Universidade de Lisboa

Programa de Licenciaturas Internacionais CAPES/ Universidade de Lisboa Programa de Licenciaturas Internacionais / (23 Dezembro de 2011) 1. Introdução 2. Objectivos 3. Organização e procedimentos 4. Regime de Titulação do Programa de Licenciaturas Internacionais /UL 5. Regime

Leia mais

2. CALENDÁRIO 3. ELEGIBILIDADE 4. INSCRIÇÃO DAS PROPOSTAS

2. CALENDÁRIO 3. ELEGIBILIDADE 4. INSCRIÇÃO DAS PROPOSTAS 1. INTRODUÇÃO A Universidade do Porto (U.Porto) e a Universidade de São Paulo (USP) celebraram um Acordo de Cooperação Internacional objetivando a cooperação académica em todas as áreas do conhecimento,

Leia mais

Universidade de Coimbra. Grupo de Missão. para o. Espaço Europeu do Ensino Superior. Glossário

Universidade de Coimbra. Grupo de Missão. para o. Espaço Europeu do Ensino Superior. Glossário Universidade de Coimbra Grupo de Missão para o Espaço Europeu do Ensino Superior Glossário ACÇÃO CENTRALIZADA Procedimentos de candidatura em que a selecção e contratação são geridas pela Comissão. Regra

Leia mais

Transferência de Cursos e Revalidação de Diplomas

Transferência de Cursos e Revalidação de Diplomas Transferência de Cursos e Revalidação de Diplomas BASE LEGAL A legislação básica sobre o sistema educacional brasileiro consiste na Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, também chamada de Lei Darcy

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MOBILIDADE BOLSAS SANTANDER LUSO-BRASILEIRAS CONVOCATÓRIA 2015

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MOBILIDADE BOLSAS SANTANDER LUSO-BRASILEIRAS CONVOCATÓRIA 2015 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MOBILIDADE BOLSAS SANTANDER LUSO-BRASILEIRAS CONVOCATÓRIA 2015 É do interesse das Instituições de Ensino Superior promover a excelência do ensino, propiciando aos seus estudantes

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ ASSESSORIA DE COOPERAÇÃO INTERNACIONAL COORDENAÇÃO INSTITUCIONAL PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS EDITAL Nº 01/2014

UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ ASSESSORIA DE COOPERAÇÃO INTERNACIONAL COORDENAÇÃO INSTITUCIONAL PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS EDITAL Nº 01/2014 UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ ASSESSORIA DE COOPERAÇÃO INTERNACIONAL COORDENAÇÃO INSTITUCIONAL PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS EDITAL Nº 01/2014 SELEÇÃO DE ALUNOS PARA GRADUAÇÃO SANDUÍCHE, ATRAVÉS DO PROGRAMA

Leia mais

EDITAL SRI/UNIFESP Nº 026/2013 EDITAL PARA INTERCÂMBIO INTERNACIONAL DE GRADUAÇÃO COM INSTITUIÇÕES CONVENIADAS

EDITAL SRI/UNIFESP Nº 026/2013 EDITAL PARA INTERCÂMBIO INTERNACIONAL DE GRADUAÇÃO COM INSTITUIÇÕES CONVENIADAS EDITAL SRI/UNIFESP Nº 026/2013 EDITAL PARA INTERCÂMBIO INTERNACIONAL DE GRADUAÇÃO COM INSTITUIÇÕES CONVENIADAS A da UNIFESP, juntamente com a, no uso de suas atribuições, nos termos do art. 19, inciso

Leia mais

Guia do Estudante Erasmus - Período de Estudos

Guia do Estudante Erasmus - Período de Estudos ESTE ANO VOU CONHECER NOVAS PESSOAS ESTE ANO VOU ALARGAR CONHECIMENTOS ESTE ANO VOU FALAR OUTRA LÍNGUA ESTE ANO VOU ADQUIRIR NOVAS COMPETÊNCIAS ESTE ANO VOU VIAJAR ESTE ANO VOU SER ERASMUS Guia do Estudante

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2012

Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Volume 39 Ano base 2011 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2010-2011

Leia mais

GUIA do ESTUDANTE ERASMUS+ 2015-2016

GUIA do ESTUDANTE ERASMUS+ 2015-2016 GUIA do ESTUDANTE ERASMUS+ 2015-2016 Esclarecimentos de dúvidas/informações adicionais: Carolina Peralta/Isabel Silva Gabinete de Relações Internacionais - GRI Rua de Santa Marta, 47, 1º Piso sala 112-1169-023

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2013

Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Volume 40 Ano base 2012 Guia de leitura Guia de leitura O Guia de Leitura tem o propósito de orientar

Leia mais

Notícias da França Especial Bolsas. Fevereiro 2010. Bolsas Master Ile-de-France 2010

Notícias da França Especial Bolsas. Fevereiro 2010. Bolsas Master Ile-de-France 2010 Notícias da França Especial Bolsas Fevereiro 2010 Bolsas Master Ile-de-France 2010 Estão abertas as inscrições para as bolsas Master Ile-de-France 2010 As bolsas consistem em uma ajuda anual de 10.500

Leia mais

Formação Inicial de Professores na União Europeia. Florbela Lages Antunes Rodrigues Instituto Politécnico da Guarda

Formação Inicial de Professores na União Europeia. Florbela Lages Antunes Rodrigues Instituto Politécnico da Guarda Formação Inicial de Professores na União Europeia Florbela Lages Antunes Rodrigues Instituto Politécnico da Guarda 1999 - O Processo de Bolonha Um Espaço Europeu de Ensino Superior (EEES) globalmente harmonizado

Leia mais

CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA DE INTERCÂMBIO PARA ALUNOS, PROFESSORES E SERVIDORES DA UEA PELO PROGRAMA ERAMUS EBW+ INSTRUÇÕES GERAIS

CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA DE INTERCÂMBIO PARA ALUNOS, PROFESSORES E SERVIDORES DA UEA PELO PROGRAMA ERAMUS EBW+ INSTRUÇÕES GERAIS Processo de Seleção para estudantes, diplomados e professores da área de educação e tecnologia estudarem em universidades estrangeiras dos países: Espanha, França, Itália, Letônia, Malta, Portugal e Suécia.

Leia mais

EDITAL Nº 02/2014 PIBID/COPEFOR/ PROGRAD/UFPR SELEÇÃO DE SUPERVISORES DO PIBID

EDITAL Nº 02/2014 PIBID/COPEFOR/ PROGRAD/UFPR SELEÇÃO DE SUPERVISORES DO PIBID MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PRO-REITORIA DE GRADUAÇÃO E EDUCAÇÃO PROFISSIONAL Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência PIBID/UFPR EDITAL Nº 02/2014 PIBID/COPEFOR/

Leia mais

II O contato com culturas distintas constitui-se em um importante instrumento de formação intelectual dos estudantes da IES;

II O contato com culturas distintas constitui-se em um importante instrumento de formação intelectual dos estudantes da IES; CONSIDERANDO QUE: I É de interesse da IES aprimorar o ensino, propiciando aos seus estudantes, estabelecer e desenvolver relações com instituições de ensino localizadas em países distintos através da participação

Leia mais

Geografia Econômica Mundial. Organização da Aula. Aula 4. Blocos Econômicos. Contextualização. Instrumentalização. Tipologias de blocos econômicos

Geografia Econômica Mundial. Organização da Aula. Aula 4. Blocos Econômicos. Contextualização. Instrumentalização. Tipologias de blocos econômicos Geografia Econômica Mundial Aula 4 Prof. Me. Diogo Labiak Neves Organização da Aula Tipologias de blocos econômicos Exemplos de blocos econômicos Algumas características básicas Blocos Econômicos Contextualização

Leia mais

Regulação, supervisão e avaliação do Ensino Superior: Perguntas Frequentes. 1

Regulação, supervisão e avaliação do Ensino Superior: Perguntas Frequentes. 1 Regulação, supervisão e avaliação do Ensino Superior: Perguntas Frequentes. 1 1. Quais são os tipos de instituições de ensino superior? De acordo com sua organização acadêmica, as instituições de ensino

Leia mais

ENEM - EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO

ENEM - EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO ENEM - EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO INSCRIÇÕES DE 23 DE MAIO A 10 DE JUNHO EXCLUSIVAMENTE NO SITE: http://sistemasenem2.inep.gov.br/inscricao PROVAS 22 E 23 DE OUTUBRO; INÍCIO DAS PROVAS 13h00 DURAÇÃO:

Leia mais

PROGRAMA DE BOLSAS PARA ESTUDOS DE DOUTORADO UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA (UNESP) DO BRASIL

PROGRAMA DE BOLSAS PARA ESTUDOS DE DOUTORADO UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA (UNESP) DO BRASIL PROGRAMA DE BOLSAS PARA ESTUDOS DE DOUTORADO UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA (UNESP) DO BRASIL PROGRAMA DE APOIO A ESTUDANTES DE DOUTORADO DO EXTERIOR (PAEDEX) CONVOCATÓRIA 2012 APRESENTAÇÃO O Programa

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARA COORDENADORIA DE ASSUNTOS INTERNACIONAIS CENTRO DE TECNOLOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARA COORDENADORIA DE ASSUNTOS INTERNACIONAIS CENTRO DE TECNOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARA COORDENADORIA DE ASSUNTOS INTERNACIONAIS CENTRO DE TECNOLOGIA EDITAL N 07, DE 12 DE SETEMBRO DE 2012 SELEÇÃO PARA O PROGRAMA DE DUPLO DIPLOMA DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA. (TURMA

Leia mais

Programa de Graduação Internacional em Dupla Titulação GCUB/UC Edital GCUB nº. 002/2010

Programa de Graduação Internacional em Dupla Titulação GCUB/UC Edital GCUB nº. 002/2010 1 Programa de Graduação Internacional em Dupla Titulação GCUB/UC Edital GCUB nº. 002/2010 A Associação Grupo Coimbra de Dirigentes de Universidades Brasileiras (GCUB), formalmente constituída em 27 de

Leia mais

Roteiro para apresentação de projetos de cooperação internacional, inclusive seu Plano Operacional. Identificação das Associações Universitárias

Roteiro para apresentação de projetos de cooperação internacional, inclusive seu Plano Operacional. Identificação das Associações Universitárias Roteiro para apresentação de projetos de cooperação internacional, inclusive seu Plano Operacional O objetivo deste roteiro é facilitar a apresentação e a análise das propostas de projetos encaminhadas,

Leia mais

EUROPA CRIATIVA (2014-2020) Subprograma «Cultura» Convite à apresentação de candidaturas n.º

EUROPA CRIATIVA (2014-2020) Subprograma «Cultura» Convite à apresentação de candidaturas n.º EUROPA CRIATIVA (2014-2020) Subprograma «Cultura» Convite à apresentação de candidaturas n.º EACEA 32/2014 : Projetos de cooperação europeia Execução das ações do subprograma «Cultura»: projetos de cooperação

Leia mais

A Assessoria Internacional do IFMA informa aos interessados que estão abertas inscrições para os programas abaixo relacionados:

A Assessoria Internacional do IFMA informa aos interessados que estão abertas inscrições para os programas abaixo relacionados: A Assessoria Internacional do IFMA informa aos interessados que estão abertas inscrições para os programas abaixo relacionados: 1. Programa Balboa oferece bolsas na Espanha Jornalistas têm oportunidade

Leia mais

MBA EM GESTÃO DE EMPRESAS COM ACESSO AO MESTRADO EDITAL Nº 015/2012

MBA EM GESTÃO DE EMPRESAS COM ACESSO AO MESTRADO EDITAL Nº 015/2012 De acordo com o disposto no protocolo internacional de cooperação interinstitucional firmado entre a Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias (ULHT) e o Instituto Superior de Educação Continuada

Leia mais

MESTRADO EM ECONOMIA E CIÊNCIA POLÍTICA MENÇÃO EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS

MESTRADO EM ECONOMIA E CIÊNCIA POLÍTICA MENÇÃO EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS PROGRAMA INTERNACIONAL pós-graduação stricto sensu MESTRADO EM ECONOMIA E CIÊNCIA POLÍTICA MENÇÃO EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS Programa Internacional PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU RESOLUÇÃO E RECONHECIMENTO

Leia mais

51 Fórum Nacional de Reitores

51 Fórum Nacional de Reitores Câmara de Apoio Técnico de Internacionalização Presidência: Julio Cezar Durigan Reitor - UNESP 51 Fórum Nacional de Reitores Temas: - Integração às atividades em curso - Reconhecimento de Créditos no Intercâmbio

Leia mais

Atualidades. Blocos Econômicos, Globalização e União Européia. 1951 - Comunidade Européia do Carvão e do Aço (CECA)

Atualidades. Blocos Econômicos, Globalização e União Européia. 1951 - Comunidade Européia do Carvão e do Aço (CECA) Domínio de tópicos atuais e relevantes de diversas áreas, tais como política, economia, sociedade, educação, tecnologia, energia, ecologia, relações internacionais, desenvolvimento sustentável e segurança

Leia mais

CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA PARA ALUNOS DA UEA REFERENTE A GRADUAÇÃO SANDUICHE NA ALEMANHA. Chamada pública Programa Ciência sem Fronteiras n.

CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA PARA ALUNOS DA UEA REFERENTE A GRADUAÇÃO SANDUICHE NA ALEMANHA. Chamada pública Programa Ciência sem Fronteiras n. CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA PARA ALUNOS DA UEA REFERENTE A GRADUAÇÃO SANDUICHE NA ALEMANHA Chamada pública Programa Ciência sem Fronteiras n. 118/2012 O QUE É GESTOR Processo de seleção de candidatos de

Leia mais

BOLSA CAPES EMBAIXADA AMERICANA FULBRIGHT CERTIFICAÇÃO NOS ESTADOS UNIDOS PARA PROFESSORES DE LÍNGUA INGLESA

BOLSA CAPES EMBAIXADA AMERICANA FULBRIGHT CERTIFICAÇÃO NOS ESTADOS UNIDOS PARA PROFESSORES DE LÍNGUA INGLESA BOLSA CAPES EMBAIXADA AMERICANA FULBRIGHT CERTIFICAÇÃO NOS ESTADOS UNIDOS PARA PROFESSORES DE LÍNGUA INGLESA Edital nº. 52/2010/CAPES 1. DA APRESENTAÇÃO A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível

Leia mais

MESTRADO EM DIREITO EMPRESARIAL E NEGÓCIOS INTERNACIONAIS

MESTRADO EM DIREITO EMPRESARIAL E NEGÓCIOS INTERNACIONAIS PROGRAMA INTERNACIONAL pós-graduação stricto sensu MESTRADO EM DIREITO EMPRESARIAL E NEGÓCIOS INTERNACIONAIS Programa Internacional PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU RESOLUÇÃO E RECONHECIMENTO DO MESTRADO MESTRADO

Leia mais

PROGRAMA DE BOLSAS IBERO-AMERICANAS PARA ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO FSG

PROGRAMA DE BOLSAS IBERO-AMERICANAS PARA ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO FSG PROGRAMA DE BOLSAS IBERO-AMERICANAS PARA ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO FSG 1- Apresentação A Faculdade da Serra Gaúcha e o Santander Universidades, oferecem aos alunos de graduação da FSG, a possibilidade de

Leia mais

Estatutos da Aliança Francesa

Estatutos da Aliança Francesa Estatutos da Aliança francesa Estatutos da Aliança Francesa Preâmbulo A Aliança francesa é um movimento internacional criado em 1883, apolítico e não confessional, que se deu por missão ensinar a língua

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE, UNICENTRO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS. Graduação Sanduíche no Exterior (SWG)

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE, UNICENTRO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS. Graduação Sanduíche no Exterior (SWG) Edital N o 02 SWG/UNICENTRO/MCTI/MEC/CNPq/CAPES A Universidade Estadual do Centro-Oeste, por meio da Coordenação Institucional do Programa Ciência sem Fronteiras, atendendo à chamada do Ministério da Ciência,

Leia mais

Ciência sem Fronteiras : O Programa Brasileiro de Mobilidade Científica no CNPq/MCT

Ciência sem Fronteiras : O Programa Brasileiro de Mobilidade Científica no CNPq/MCT Ciência sem Fronteiras : O Programa Brasileiro de Mobilidade Científica no CNPq/MCT Objetivos Avanço da ciência brasileira em tecnologia, inovação e competitividade, através da expansão da mobilidade internacional:

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Ficam aprovadas, conforme anexo, as Políticas de Atendimento a Discentes Estrangeiros da FAE Centro Universitário.

R E S O L U Ç Ã O. Ficam aprovadas, conforme anexo, as Políticas de Atendimento a Discentes Estrangeiros da FAE Centro Universitário. RESOLUÇÃO CONSEPE N. 22/2011 APROVA AS POLÍTICAS DE ATENDIMENTO A DISCENTES ESTRANGEIROS DA FAE CENTRO UNIVERSITÁRIO. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão CONSEPE, no uso das atribuições

Leia mais

Instituto de Educação

Instituto de Educação Instituto de Educação Universidade de Lisboa Oferta Formativa Pós-Graduada Mestrado em Educação Especialização: História da Educação (Regime a Distância) Edição Instituto de Educação da Universidade de

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO I. Objetivos II. Modalidades Pós Graduação Stricto Sensu: Pós Graduação Lato Sensu: Especialização

PÓS-GRADUAÇÃO I. Objetivos II. Modalidades Pós Graduação Stricto Sensu: Pós Graduação Lato Sensu: Especialização PÓS-GRADUAÇÃO O Programa de Pós Graduação Lato Sensu da FAEC foi aprovado pela Resolução do CAS, ATA 001/08, de 12 de março de 2008 e será implantado a partir do primeiro semestre de 2010, após aprovação

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MOBILIDADE BOLSA IBERO-AMÉRICA. ESTUDANTES DE LICENCIATURA E MESTRADO SANTANDER UNIVERSIDADES CONVOCATÓRIA 2015

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MOBILIDADE BOLSA IBERO-AMÉRICA. ESTUDANTES DE LICENCIATURA E MESTRADO SANTANDER UNIVERSIDADES CONVOCATÓRIA 2015 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MOBILIDADE BOLSA IBERO-AMÉRICA. ESTUDANTES DE LICENCIATURA E MESTRADO SANTANDER UNIVERSIDADES CONVOCATÓRIA 2015 O Programa Bolsas Ibero-américa. Estudantes de Licenciatura e

Leia mais

DIREITO COMUNITÁRIO. Aula 4 As revisões dos instrumentos fundamentais: o aprofundamento 2

DIREITO COMUNITÁRIO. Aula 4 As revisões dos instrumentos fundamentais: o aprofundamento 2 DIREITO COMUNITÁRIO Aula 4 As revisões dos instrumentos fundamentais: o aprofundamento 2 As revisões dos tratados fundadores 07/02/1992: Assinatura do Tratado sobre a União Européia,, em Maastricht; 20/10/1997:

Leia mais

Áustria, Dinamarca, Finlândia, França, Irlanda, Itália, Liechtenstein, Noruega, Suécia, Reino Unido

Áustria, Dinamarca, Finlândia, França, Irlanda, Itália, Liechtenstein, Noruega, Suécia, Reino Unido PROGRAMA ERASMUS+ AÇÃO 1 MOBILIDADE INDIVIDUAL PARA FINS DE APRENDIZAGEM ENSINO SUPERIOR 2015 TABELA DE BOLSAS DE MOBILIDADE ESTUDANTES PARA ESTUDOS E ESTÁGIOS TABELA 1 De Portugal Continental para: Valor

Leia mais

EDITAL Nº 01/2014 1. DISPOSIÇÕES GERAIS

EDITAL Nº 01/2014 1. DISPOSIÇÕES GERAIS CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FACULDADE ESTÁCIO DE SÁ DE BELO HORIZONTE Coordenação de Pesquisa e Extensão Coordenação Institucional-Programa Ciência sem Fronteiras EDITAL Nº 01/2014 SELEÇÃO DE ALUNOS PARA GRADUAÇÃO

Leia mais

Perguntas frequentes:

Perguntas frequentes: Perguntas frequentes: 1. Enade 1.1. Qual a legislação pertinente ao Enade? Lei nº 10.861, de 14 de abril de 2004: Criação do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes) Portaria Normativa

Leia mais

Programa Binacional Centros Associados de Pós-graduação Brasil/Argentina - (CAPG/BA) Edital CGCI n. /2008

Programa Binacional Centros Associados de Pós-graduação Brasil/Argentina - (CAPG/BA) Edital CGCI n. /2008 Programa Binacional Centros Associados de Pós-graduação Brasil/Argentina - (CAPG/BA) Edital CGCI n. /2008 1 Do programa e objetivo 1.1 O Programa CAPG/BA (Programa de Centros Associados de Pós-Graduação),

Leia mais

FACULDADES ADAMANTINENSES INTEGRADAS

FACULDADES ADAMANTINENSES INTEGRADAS FACULDADES ADAMANTINENSES INTEGRADAS EDITAL DE SELEÇÃO DE ALUNOS PARA O PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA VAGAS REMANESCENTES (PIBID/FAI 2014) EDITAL N O. 07/2014 1. APRESENTAÇÃO

Leia mais

GUIA PARA ESTUDAR NO EXTERIOR

GUIA PARA ESTUDAR NO EXTERIOR GUIA PARA ESTUDAR NO EXTERIOR O QUE É INTERCÂMBIO ACADÊMICO? É a ida de estudantes de um país para o outro por um determinado período do ano letivo. O objetivo é estender os estudos da Graduação para outra

Leia mais

PROFMAT - Programa de Mestrado Profissional em Matemática. Regimento. Coordenação do ensino de matemática nas escolas;

PROFMAT - Programa de Mestrado Profissional em Matemática. Regimento. Coordenação do ensino de matemática nas escolas; Capítulo I Objetivos Regimento Artigo 1º - O Objetivo do Programa de Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional é proporcionar ao aluno formação matemática aprofundada, relevante ao exercício

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM Dr. José Timóteo Montalvão Machado. Programa ERASMUS+ Acção-chave 1 Mobilidade para aprendizagem

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM Dr. José Timóteo Montalvão Machado. Programa ERASMUS+ Acção-chave 1 Mobilidade para aprendizagem ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM Dr. José Timóteo Montalvão Machado Programa ERASMUS+ Acção-chave 1 Mobilidade para aprendizagem GUIA DE CANDIDATURA PARA MOBILIDADE DE ESTUDANTES PARA ESTÁGIOS ERASMUS+ (SMP)

Leia mais

Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento e Inovação Tecnológica em Medicamentos UFC UFPB UFRN - UFRPE. Manual do Aluno

Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento e Inovação Tecnológica em Medicamentos UFC UFPB UFRN - UFRPE. Manual do Aluno Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento e Inovação Tecnológica em Medicamentos UFC UFPB UFRN - UFRPE Manual do Aluno Manual do aluno PPgDITM Bem-vindo! O Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento

Leia mais

PARTICIPE DA COMUNIDADE FRANÇA ALUMNI! BEM-VINDOS! SUMÁRIO

PARTICIPE DA COMUNIDADE FRANÇA ALUMNI! BEM-VINDOS! SUMÁRIO BEM-VINDOS! PARTICIPE DA COMUNIDADE FRANÇA ALUMNI! Há mais de 50 anos, Campus France, a Agência francesa para a promoção do ensino superior, o acolhimento e a mobilidade internacional, dedica-se a acompanhar

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO

FACULDADE DE DIREITO FACULDADE DE DIREITO FACULDADE DE DIREITO SUMÁRIO A. Mestrado e Pós-Graduação em Direito em Língua Chinesa Língua veicular: Língua Chinesa Área de especialização: Variante em Ciências Jurídicas B. Mestrado

Leia mais

POLÍTICA INSTITUCIONAL DE FORMAÇÃO E DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DA UNIVERSIDADE SEVERINO SOMBRA

POLÍTICA INSTITUCIONAL DE FORMAÇÃO E DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DA UNIVERSIDADE SEVERINO SOMBRA POLÍTICA INSTITUCIONAL DE FORMAÇÃO E DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DA UNIVERSIDADE SEVERINO SOMBRA Capítulo I Do Regulamento Art. 1º. O presente Regulamento define e regula a Política de Formação e Desenvolvimento

Leia mais

FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA. Programas e ações da Capes

FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA. Programas e ações da Capes FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA Programas e ações da Capes CAPES - atribuições (Lei 11.502/2007) No âmbito da educação superior Subsidiar o Ministério da Educação na formulação de políticas

Leia mais

Conteúdo. Community College Perguntas e Respostas Página 1

Conteúdo. Community College Perguntas e Respostas Página 1 Conteúdo A educação superior nos Estados Unidos... 2 O que é um Community College?... 2 O que é considerado uma instituição de educação superior?... 2 O que quer dizer ser credenciada regionalmente?...

Leia mais

EDITAL 1/2014 DE SELEÇÃO INTERNA DE CANDIDATOS AO PROGRAMA GRADUAÇÃO SANDUÍCHE NO ÂMBITO DO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS CNPq/CAPES

EDITAL 1/2014 DE SELEÇÃO INTERNA DE CANDIDATOS AO PROGRAMA GRADUAÇÃO SANDUÍCHE NO ÂMBITO DO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS CNPq/CAPES EDITAL 1/2014 DE SELEÇÃO INTERNA DE CANDIDATOS AO PROGRAMA GRADUAÇÃO SANDUÍCHE NO ÂMBITO DO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS CNPq/CAPES A Universidade Católica de Brasília é participante do Programa Ciência

Leia mais

Programa Estágio de Curta Duração. CAPES/Fundação Carolina

Programa Estágio de Curta Duração. CAPES/Fundação Carolina Programa Estágio de Curta Duração CAPES/Fundação Carolina Edital DRI/CAPES nº. 007/2010 A Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), por meio de sua Diretoria de Relações

Leia mais

EDITAL Nº. 003/2013 EDITAL COMPLEMENTAR ÀS CHAMADAS PÚBLICAS DO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS GRADUAÇÃO SANDUÍCHE

EDITAL Nº. 003/2013 EDITAL COMPLEMENTAR ÀS CHAMADAS PÚBLICAS DO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS GRADUAÇÃO SANDUÍCHE EDITAL Nº. 003/2013 EDITAL COMPLEMENTAR ÀS CHAMADAS PÚBLICAS DO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS GRADUAÇÃO SANDUÍCHE A (SCI) e a Pró-Reitoria de Graduação da Universidade Federal de Itajubá, abrem inscrições

Leia mais

PROJETO CAPES-FIPSE CHAMADA DE SELEÇÃO, PARA ALUNOS DA UEA, PARA GRADUAÇÃO SANDUÍCHE APPALACHIAN STATE UNIVERSITY

PROJETO CAPES-FIPSE CHAMADA DE SELEÇÃO, PARA ALUNOS DA UEA, PARA GRADUAÇÃO SANDUÍCHE APPALACHIAN STATE UNIVERSITY PROJETO CAPES-FIPSE CHAMADA DE SELEÇÃO, PARA ALUNOS DA UEA, PARA GRADUAÇÃO SANDUÍCHE APPALACHIAN STATE UNIVERSITY A Assessoria de Relações Internacionais da Universidade do Estado do Amazonas, no uso de

Leia mais

ANEXOS COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO. relativa à iniciativa de cidadania «Um de nós»

ANEXOS COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO. relativa à iniciativa de cidadania «Um de nós» COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 28.5.2014 COM(2014) 355 final ANNEXES 1 to 5 ANEXOS à COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO relativa à iniciativa de cidadania «Um de nós» PT PT ANEXO I: ASPETOS PROCESSUAIS DA INICIATIVA

Leia mais

INSCRIÇÃO DE ESTUDANTES IRREGULARES

INSCRIÇÃO DE ESTUDANTES IRREGULARES 2013 INSCRIÇÃO DE ESTUDANTES IRREGULARES Este documento visa orientar as ações para a inscrição de estudantes irregulares no de anos anteriores e esclarecer as dúvidas que possam aparecer durante o processo

Leia mais

Apresentação... 5. 1. Convocação... 6. 2. Valor da bolsa... 7. 3. Requisitos dos solicitantes... 7. 4. Solicitação e documentação...

Apresentação... 5. 1. Convocação... 6. 2. Valor da bolsa... 7. 3. Requisitos dos solicitantes... 7. 4. Solicitação e documentação... Bolsas de estudo de pós-graduação em Seguros, Prevenção, Saúde e Meio Ambiente 2013-2014 Índice Apresentação... 5 1. Convocação... 6 2. Valor da bolsa... 7 3. Requisitos dos solicitantes... 7 4. Solicitação

Leia mais

EDITAL AREX 2013. Programa Ciência sem Fronteiras - Graduação Sanduíche no Exterior para segundo semestre de 2014

EDITAL AREX 2013. Programa Ciência sem Fronteiras - Graduação Sanduíche no Exterior para segundo semestre de 2014 EDITAL AREX 2013 Programa Ciência sem Fronteiras - Graduação Sanduíche no Exterior para segundo semestre de 2014 A Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior CAPES e o Conselho

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste

Universidade Estadual do Centro-Oeste EDITAL N 01/2013 - PRÓ-REITORIA DE ENSINO PROEN PLI - PROGRAMA DE LICENCIATURAS INTERNACIONAIS DA SELEÇÃO INTERNA DE LICENCIANDOS PARA O PLI PORTUGAL - EDITAL Nº 017/2013-CAPES A Pró-Reitoria de Ensino

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2015

Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Volume 42 Ano base 2014 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2013-2014

Leia mais

1 INFORMAÇÕES SOBRE O TITULAR DA QUALIFICAÇÃO. 1.1 Apelido(s): xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx. 1.3 Data de nascimento (ano/mês/dia): xxxxxxx

1 INFORMAÇÕES SOBRE O TITULAR DA QUALIFICAÇÃO. 1.1 Apelido(s): xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx. 1.3 Data de nascimento (ano/mês/dia): xxxxxxx SUPLEMENTO AO DIPLOMA Este Suplemento ao Diploma segue o modelo elaborado pela Comissão Europeia, pelo Conselho da Europa e pela UNESCO/CEPES. A finalidade deste Suplemento é fornecer dados independentes

Leia mais

SELEÇÃO DE ALUNOS INTERESSADOS NO PIBID/UFU

SELEÇÃO DE ALUNOS INTERESSADOS NO PIBID/UFU SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA PróReitoria de Graduação Diretoria de Ensino Divisão de Licenciaturas Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência

Leia mais

GABINETE DO REITOR COORDENAÇÃO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS

GABINETE DO REITOR COORDENAÇÃO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS GABINETE DO REITOR COORDENAÇÃO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS PROGRAMA DE GRADUAÇÃO / POSGRADUAÇÃO / MESTRADO E DOUTORADO / PESSOAL ACADEMICO FELLOW-MUNDUS Edital de Seleção de bolsas Fellow Mundus. 01.2015

Leia mais

PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS (CAPES-CNPq)

PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS (CAPES-CNPq) PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS (CAPES-CNPq) EDITAL PROPEPG Nº 06 de 04 de Junho de 2013 A Pró-Reitoria de Pesquisa, Extensão e Pós-Graduação vêm através deste Edital, divulgar no âmbito da Instituição

Leia mais

Missão. Objetivos estratégicos 2010-2013. Uma nova abordagem

Missão. Objetivos estratégicos 2010-2013. Uma nova abordagem Francofonia Institutos Desenvolvimento Universidades Agence universitaire de la Francophonie Novas tecnologias PESQUISA Campus virtuais Qualidade Gestão universitária ENSINO SUPERIOR Solidariedade Cooperação

Leia mais

REGIMENTO GERAL DA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU

REGIMENTO GERAL DA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU REGIMENTO GERAL DA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU (Regimento aprovado pelo Conselho Deliberativo da Fiocruz em 28/08/2008) 1. Dos Objetivos 1.1. A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) oferece programas de pós-graduação

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA PRÓ-REITORIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS E INTERNACIONAIS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA PRÓ-REITORIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS E INTERNACIONAIS EDITAL 05/2015-PROINT/UNILA Abertura das inscrições para o Programa de Mobilidade Internacional Unila para o segundo semestre letivo de 2015. 1. DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 1.1 A Pró-Reitoria de Relações

Leia mais

Universidade de St. Gallen, da Suíça, abre escritório internacional no Brasil para ampliar sua presença na América Latina Vestibular 1-14/07/2010

Universidade de St. Gallen, da Suíça, abre escritório internacional no Brasil para ampliar sua presença na América Latina Vestibular 1-14/07/2010 2 Clippings Media outlet: Vestibular 1 Section: Fique por dentro Date: July 14th, 2010 Universidade de St. Gallen, da Suíça, abre escritório internacional no Brasil para ampliar sua presença na América

Leia mais

COMISSÃO EUROPEIA. o reforço de capacidades das organizações de acolhimento e a assistência técnica às organizações de envio,

COMISSÃO EUROPEIA. o reforço de capacidades das organizações de acolhimento e a assistência técnica às organizações de envio, C 249/8 PT Jornal Oficial da União Europeia 30.7.2015 COMISSÃO EUROPEIA CONVITE À APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS EACEA 25/15 Iniciativa Voluntários para a Ajuda da UE: Destacamento de Voluntários para a Ajuda

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DOCENTE PARA O PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA CIENTÍFICA (PIBID/FAI) EDITAL N O.

EDITAL DE SELEÇÃO DOCENTE PARA O PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA CIENTÍFICA (PIBID/FAI) EDITAL N O. EDITAL DE SELEÇÃO DOCENTE PARA O PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA CIENTÍFICA (PIBID/FAI) EDITAL N O. 004/15 1. APRESENTAÇÃO A Direção-Geral das FACULDADES ADAMANTINENSES INTEGRADAS

Leia mais

PROGRAMAS DE MOBILIDADE INTERNACIONAL

PROGRAMAS DE MOBILIDADE INTERNACIONAL PROGRAMAS DE MOBILIDADE INTERNACIONAL 1) Se eu pretender realizar mobilidade apenas no 2º semestre do próximo ano académico, quando é que devo apresentar a candidatura? 2) Quando é que devo efectuar o

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO REITORIA ASSESSORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO REITORIA ASSESSORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO REITORIA ASSESSORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS EDITAL Nº 06, DE 18 DE AGOSTO DE 2014. PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n 69/ 2011 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em, Bacharelado, do Centro

Leia mais

Deliberação n.º 762/2003

Deliberação n.º 762/2003 Deliberação n.º 762/2003 de 27 de Maio Deliberação n.º 763/2003. - Por deliberação da Secção Permanente do Senado, em reunião de 5 de Fevereiro de 2003, foi aprovada a criação do curso de Mestrado em Ciências

Leia mais

Regulamento Erasmus 2011/2012

Regulamento Erasmus 2011/2012 1. Preâmbulo O Programa Erasmus tem como objetivo geral apoiar a criação de um Espaço Europeu de Ensino Superior e reforçar o contributo do ensino superior para, entre outros, o processo de inovação a

Leia mais

EDITAL N o. 10/2015 ARI/GR (Graduação Sanduíche - alvo 03/Doutorado sanduíche/pós-doutorado/staff - Docente e Pessoal Administrativo)

EDITAL N o. 10/2015 ARI/GR (Graduação Sanduíche - alvo 03/Doutorado sanduíche/pós-doutorado/staff - Docente e Pessoal Administrativo) EDITAL N o. 10/2015 ARI/GR (Graduação Sanduíche - alvo 03/Doutorado sanduíche/pós-doutorado/staff - Docente e Pessoal Administrativo) Para a seleção de bolsistas de mobilidade estudantil internacional

Leia mais