Ficha Técnica. Supervisão Comissão de Organização, Normas e Procedimentos CONP

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ficha Técnica. Supervisão Comissão de Organização, Normas e Procedimentos CONP"

Transcrição

1

2 Referência Ficha Técnica Plano de comunicação Resolução n 1.025, de 30 de outubro de 29 Supervisão Comissão de Organização, Normas e Procedimentos CONP Elaboração Projeto ART e Acervo Técnico - Equipe associada - Grupo Comunicação DF, PR, RJ, Apoio Assessoria de Comunicação ACOM/ Gerência de Relações Institucionais GRI/

3 Referência Sumário Plano de comunicação Resolução n 1.025, de 30 de outubro de 29 Apresentação 1. Introdução Objetivo Público alvo Erro! Indicador não definido. Capítulo I - Da campanha de divulgação da nova ART 1. Da campanha de divulgação da nova ART Da fundamentação Do objetivo da campanha Das fases da campanha 3 Capítulo II - Do Plano de comunicação 1. Do Plano de comunicação 5 2. Da execução do Plano de comunicação 5 3. Do acompanhamento do Plano de comunicação 6 Anexo - Da descrição dos produtos 1. Público: profissional e empresa registrados no Crea Público: estudantes Público: conselheiros e empregados dos e do Público: pessoas jurídicas de direito público e privado Público: sociedade civil. 15

4 Referência Apresentação Plano de comunicação Resolução n 1.025, de 30 de outubro de Introdução 1.1. Objetivo O objetivo do presente Plano de comunicação é dimensionar ações, políticas e estratégias para a divulgação da nova ART, possibilitando assim o reposicionamento da competência do Sistema /Crea perante os públicos internos e externos em face da aprovação da Resolução n 1.025, de 29. Este Plano de comunicação visa à integração de ações das instituições que compõem ou estão vinculadas ao Sistema /Crea de modo a possibilitar a unidade de procedimentos, buscando a mesma qualidade e eficiência dos mecanismos de comunicação em todas os estados brasileiros. Com a implantação deste Plano de comunicação integrado, pretendemos instituir um processo que possibilite o diagnóstico da efetividade dos veículos de comunicação e dos produtos divulgados de modo a propiciar a avaliação de resultados e a implementação de medidas de melhoria Público-alvo Com o advento da Resolução n 1.025, de 29, que normatiza os novos procedimentos para a Anotação de Responsabilidade ART e a Certidão de Acervo Técnico CAT, torna-se imprescindível a divulgação em larga escala dos novos procedimentos, os quais visam atender os seguintes públicos: o profissionais e empresas registradas nos ; o estudantes de cursos das profissões abrangidas pelo Sistema /Crea; o pessoas jurídicas de direito público e de direito privado que atuam no desenvolvimento, execução, controle ou gestão de obras e serviços das áreas profissionais abrangidas pelo Sistema /Crea; o conselheiros e empregados do e dos ; o sociedade civil para a qual o Sistema /Crea atua como órgão de fiscalização e regulamentação do exercício de atividades profissionais de Engenharia, Arquitetura, Agronomia, Geografia, Geologia e Meteorologia, em seus níveis técnico, tecnólogo e pleno. 1

5 Capítulo I Da campanha de divulgação da nova ART Plano de comunicação Resolução n 1.025, de 30 de outubro de Da campanha de divulgação da nova ART 1.1. Da fundamentação A Anotação de Responsabilidade Técnica ART é o registro, regulamentado pela Lei 6.496, de 1977, que identifica o responsável técnico por obras e serviços nas áreas das profissões abrangidas pelo Sistema /Crea. A exigência legal aliada à edição do Código de Defesa do Consumidor fixou o papel da ART na sociedade como um importante instrumento de registro dos deveres e direitos do profissional e do contratante. Firmou também seu papel como prova da contratação da atividade técnica, indicando a extensão dos encargos, os limites das responsabilidades das partes e a remuneração correspondente ao serviço contratado, exercendo simultaneamente as funções de contrato, certificado de garantia e registro de autoria, possibilitando a fiscalização do exercício profissional. O registro da ART possibilita a formalização do acervo técnico, que possui fundamental importância para o profissional, uma vez que passa a constituir prova de sua capacidade técnico-profissional; e para a sociedade, pois possibilita identificar a qualificação dos profissionais para o desempenho das atividades técnicas requeridas pelo mercado de trabalho. Entretanto, regulamentados por diversas resoluções, os procedimentos e os critérios para o registro da ART para composição do acervo técnico permaneceram durante algum tempo sem revisão, situação que levou à falta de uniformidade de ação pelos e, atualmente, é motivo de grande insatisfação, pois acarreta dificuldades para os profissionais e para as empresas que atuam simultaneamente em vários estados. Assim, em razão do desenvolvimento tecnológico, da mobilidade do profissional para atendimento das exigências do mercado de trabalho e do surgimento de leis federais, os procedimentos e os critérios para o registro da ART para a emissão da Certidão de Acervo Técnico CAT foram atualizados e ampliados com o objetivo de possibilitar a composição de banco de dados nacional relativo às atividades técnicas nas áreas da Engenharia, Arquitetura e Agronomia, e auxiliar, inclusive, o desenvolvimento das atividades de outros órgãos públicos. A Resolução n 1.025, de 29, tem o objetivo de unificar os procedimentos por meio da regulamentação de: a) novos critérios para registro da ART e emissão da CAT; b) proposição de um modelo unificado para a ART e a CAT; c) implantação de um sistema integrado para o registro eletrônico da nova ART; e d) consolidação das informações de interesse nacional no banco de dados do Sistema de Informação do /Crea SIC Do objetivo da campanha Parte essencial para a efetivação das mudanças proposta pela Resolução n 1.025, de 29, será sua ampla divulgação. 2

6 Além da divulgação interna, a campanha sobre a nova ART deverá ser apresentada aos profissionais e às empresas registradas nos, aos estudantes e aos órgãos públicos. Faz-se necessário ainda que a campanha atinja de forma ampla toda a sociedade brasileira, com o objetivo de orientar o cidadão acerca da importância de se exigir a ART relativa à execução de obra ou prestação de serviço nas áreas da Engenharia, Arquitetura e Agronomia. A campanha deverá apresentar como foco principal ao redor do qual os enfoques por público-alvo serão desenvolvidos que a ART mudou: será uma nova ART, unificada nacionalmente e eletronicamente registrada Das fases da campanha A campanha deverá ser desenvolvida em 2010 de acordo com as seguintes fases: Março e abril/2010 voltada para profissionais, órgãos públicos, instituições de ensino e estudantes. o Enfoque A: para os profissionais, a ART deverá ser reconhecida como documento que comprova sua capacidade técnico-profissional (acervo técnico). Considerando que tanto o documento, quanto os procedimentos serão nacionalmente unificados, o profissional deverá perceber que a adoção da nova ART, mediante a implantação do mesmo sistema eletrônico em todos os, facilitará sua atuação fora do estado, pois serão minimizadas as diferenças de procedimentos operacionais atualmente observadas. Esta situação proporcionará ao profissional maior praticidade em função da familiaridade com o formulário e com o sistema eletrônico, e maior agilidade e imparcialidade no atendimento pelos das solicitações relativas à ART e ao acervo técnico, ampliando para os demais a sensação de conforto e confiança que usualmente o profissional tem ao utilizar os serviços de seu Crea de origem. o Enfoque B: para os órgãos públicos, a ART deverá ser reconhecida como um dos aspectos que denota o compromisso social da empresa no desenvolvimento de seus objetivos institucionais, pois demonstra reconhecimento pelos profissionais que compõem seu quadro técnico, e valorização dos interesses da sociedade por meio do desenvolvimento de atividades tecnicamente qualificadas. Considerando a adoção do formulário unificado e a implantação do mesmo sistema eletrônico em todos os, o órgão público deverá perceber que a nova ART poderá levar ao seu conhecimento informações atualizadas e consistentes acerca da atuação profissional e das atividades econômicas desenvolvidas no país nas áreas da Engenharia, Arquitetura e Agronomia. o Enfoque C: para os estudantes, que não registram a ART, a campanha deve mostrar a importância do documento na vida do futuro profissional e no exercício da profissão com cidadania, uma vez que o desempenho de

7 atividades técnicas, por profissionais habilitados, assegura o bem-estar e a segurança da sociedade Junho a setembro/2010 voltada para a sociedade. o Enfoque D: para a sociedade, a ART deverá ser apresentada como instrumento de identificação do responsável técnico pelas obras e serviços de Engenharia, Arquitetura e Agronomia, que tem a função de garantir que estas obras e serviços são desenvolvidos por profissionais habilitados e qualificados. A ART é um direito que deve ser exigido pelo cidadão. É um instrumento de defesa da sociedade contra o mau exercício ou o exercício ilegal da profissão. A campanha deverá incluir, além das ações de publicidade, a criação e produção de material, sua distribuição e veiculação em todas as capitais e principais praças do país (anúncios para TV, jornais e revistas, cartilhas, cartazes, folders, livros, audiovisuais, spots, selos, MKT, peças para internet, entre outros).

8 Capítulo II Do plano de comunicação Plano de comunicação Resolução n 1.025, de 30 de outubro de Do Plano de comunicação O Plano de comunicação será constituído dos seguintes elementos: o rede de comunicação que define as competências e as diretrizes para a integração das áreas de comunicação das instituições que compõem o Sistema /Crea; o descrição dos produtos publicitários que, genericamente, indicam o enfoque e o plano de ação para a elaboração de peças de divulgação para mídia impressa e eletrônica, vinculadas à campanha de divulgação da nova ART. o descrição dos produtos institucionais que, genericamente, apresentam minuta dos instrumentos voltados à comunicação institucional do Sistema /Crea com os públicos-alvo da campanha. 2. Da execução do Plano de comunicação Para execução do Plano de comunicação deverá ser implementada uma rede de comunicação composta pelo Sistema /Crea, e entidades nacionais e regionais de profissionais, visando à divulgação de forma integrada da campanha da nova ART a partir das diretrizes fixadas neste Plano de comunicação. o O coordenará o processo de divulgação por meio do acompanhamento das ações, sistematizando e divulgando os dados oriundos das campanhas nacional e regionais; o Os promoverão a campanha de divulgação da nova ART em suas respectivas circunscrições, por meio de parcerias com as Caixas de Assistência dos Profissionais e as entidades de classes nacionais e regionais; o A promoverá a campanha nacional em parceria com o e estimulará a parceria das Caixas de Assistência com os ; o As entidades de classe nacionais e regionais deverão ser inseridas no processo de divulgação da nova ART a partir das parcerias existentes ou que venham a ser formalizadas com o e os Das competências no âmbito da rede de comunicação Compete ao : o desenvolver a campanha da nova ART a ser adotada por todo o Sistema /Crea; o divulgar a campanha da nova ART em nível nacional, em parceria com a e as entidades nacionais; o acompanhar a divulgação da campanha da nova ART pelos e Compete à o divulgar a campanha da nova ART em nível nacional em parceria com o ; 5

9 o fomentar a parceria entre as Caixas de Assistência aos Profissionais e os Compete ao Crea o divulgar a campanha da nova ART em nível regional, em parceria com as Caixas de Assistência aos Profissionais e as entidades de classe registradas no Crea; o desenvolver pesquisa de satisfação sobre a nova ART, quanto ao sistema eletrônico e ao novo modelo Compete às entidade de classe regionais e nacionais divulgar a campanha da nova ART entre seus filiados, em parceria com os e com o Do cronograma O Plano de comunicação será executado a partir das orientações apresentadas no Anexo, considerados os cronogramas da campanha de divulgação do Congresso Nacional de Profissionais - CNP e da campanha nacional nova ART e Acervo Técnico. 3. Do acompanhamento do Plano de comunicação O acompanhamento da execução do Plano de comunicação será realizado mediante a apresentação de relatórios a serem elaborados pelo, pelos e pela O relatório terá periodicidade bimestral e deverá ser encaminhado por meio eletrônico para o endereço até o 15 dia útil de cada bimestre O relatório deverá apresentar as seguintes informações: o eventos promovidos/organizados e avaliação dos resultados alcançados com a comunicação; o material distribuído locais e quantidades; o notícias/matérias veiculadas; o gráficos estatísticos acerca da efetividade da campanha a partir dos seguintes parâmetros: impacto no número de registros de ART; impacto na arrecadação da receita de ART; pesquisa acerca do uso da nova ART impressão/satisfação do profissional quanto ao uso do sistema eletrônico e ao preenchimento da ART Os relatórios serão sistematizados pela Assessoria de Comunicação do ACOM, visando à apresentação dos resultados periódicos da campanha ao Conselho Diretor Os resultados constantes do relatório bimestral visam à avaliação da eficiência da campanha a partir dos critérios fixados pela área de comunicação e à adoção de medidas corretivas, se for o caso. 6

10 Plano de comunicação Resolução n 1.025, de 30 de outubro de 29 Anexo Da descrição dos produtos 1. Dos produtos para o público: profissional e empresa registrados no Crea. PÚBLICO: PROFISISIONAL E EMPRESA Produto O quê Quem Como Quando (orientativo) Onde Folder Reforçar importância da ART e sua relação com o acervo técnico Orientar acerca dos novos procedimentos Vincular à postura ética : arte gráfica /Caixas: impressão, distribuição Impressão 3 meses e distribuição 2 meses antes da implantação do sistema Sede, inspetorias, eventos, entidades, instituições parceiras Cartaz Chamada para nova ART Importância da ART: para profissional (acervo) para sociedade (segurança da sociedade e identificação do responsável técnico) : arte gráfica /Caixas: impressão, distribuição Impressão 3 meses e distribuição 2 meses antes da implantação do sistema Sede, inspetorias, eventos, entidades, instituições parceiras Manual Descrever procedimentos e orientações para registro e baixa da ART para obtenção da CAT : arte gráfica /Caixas: impressão, distribuição prever versão em pdf no site Impressão 3 meses e distribuição 2 meses antes da implantação do sistema Sede, inspetorias, caixas Pop up Chamada para nova ART vários temas / mês Importância da ART Relação acervo técnico Importância da baixa Novos procedimentos : arte gráfica / divulgação /: divulgação A partir de março/29 Site 7

11 ART a posteriori Boletim eletrônico Notícias sobre nova ART vários temas / semana importância da ART relação acervo técnico importância da baixa novos procedimentos ART a posteriori Produzir e compartilhar as notícias através da assessoria de comunicação: casos de sucesso entrevistas eventos estatísticas implantação eletrônica outras formar uma rede de comunicação sobre ART circulando semanalmente em todos os /confea/ A partir de março/29 Site, mkt Informe (impresso) Matérias Notícias sobre nova ART Vários temas / periodicidade Importância da ART Relação acervo técnico Importância da baixa Novos procedimentos ART a posteriori Matéria sobre nova ART vários temas / periodicidade / especificidade por segmento profissional Importância da ART Relação acervo técnico Produzir e compartilhar as notícias através da assessoria de comunicação: casos de sucesso, entrevistas, eventos, estatísticas, implantação eletrônica, outras Formar uma rede de comunicação sobre ART circulando mensalmente em todos os Produção de matérias acerca da relação da ART com diferentes segmentos profissionais Preferencialmente que sejam distribuídas antes da data da implantação do sistema 2010/2011 Revistas, informativos impressos Revistas técnicas, informativos impressos 8

12 Palestras spots Informar objetivos da ART: Responsabilidade, acervo, ética Capacitar sobre novos procedimentos entidades Apresentação aos profissionais por público específico: semestral e simultaneamente em todos os Hoje é dia da ART 2010/2011 Eventos organizados ou instituições parceiras Adesivo de carro Divulgar frase de efeito Sou (profissional), registro ART em defesa da sociedade Entidades nacionais entidades regionais - arte gráfica entidades/ - impressão e distribuição 2010 prevendo continuidade Entidades, eventos 9

13 Plano de comunicação Resolução n 1.025, de 30 de outubro de 29 Anexo Da descrição dos produtos 2. Dos produtos para o público: estudantes de cursos das profissões abrangidas pelo Sistema /Crea. PÚBLICO: ESTUDANTE Produto O quê Quem Como Quando (orientativo) Onde Folder Informar sobre: Sistema /Crea Exercício profissional Registro profissional Importância ART Relação acervo técnico vincular à postura ética : arte gráfica /: impressão, distribuição A partir do início do ano letivo, com ações permanentes Eventos, instituições de ensino Banner acadêmico Chamada para ART Importância da ART Relação acervo técnico : arte gráfica /: impressão Ações permanentes ao longo do ano letivo Uso na instituição de ensino durante período da palestra Boletim eletrônico Notícias sobre nova ART vários temas / semana Importância da ART Relação acervo técnico Importância da baixa novos procedimentos Cada Crea produzirá e compartilhará as notícias com os demais através da assessoria de comunicação: com foco na academia (ver Crea-Jovem) Formar uma rede de comunicação sobre ART circulando semanalmente em todos os Mensalmente que possuem cadastro de estudante Palestras spots Informar Sistema /Crea Exercício profissional Apresentação aos estudantes De acordo com planejamento dos regionais, atingindo todos Eventos organizados pelos Crea ou instituições 10

14 Objetivos da ART: Responsabilidade e acervo Esclarecer relação com a RES 1010 Capacitar nos novos procedimentos Vincular à postura ética entidades os cursos no exercício de parceiras 11

15 Plano de comunicação Resolução n 1.025, de 30 de outubro de 29 Anexo Da descrição dos produtos 3. Dos produtos para o público: conselheiros e empregados dos e do. PÚBLICO: CREA Produto O quê Quem Como Quando (orientativo) Onde Treinamento de multiplicadores Capacitar novos procedimentos ART e acervo Esclarecer competências dos setores dos Capacitação de multiplicadores (empregados dos /) para disseminar informação nos Dezembro/29 Eventos organizados pelo Treinamento Capacitar novos procedimentos para ART e acervo esclarecer competências dos setores dos Capacitação dos empregados dos e conselheiros acerca dos novos procedimentos A partir de janeiro/2010 Eventos organizados pelos Manuais Descrever os procedimentos e orientações acerca da ART e acervo : arte gráfica e conteúdo /: impressão, distribuição prever versão em pdf e eletrônica no sistema de registro da ART A partir de janeiro/2010 Site, sede e inspetorias Espera telefônica (15 segundos) Divulgar nova ART : produção e divulgação /mútua: divulgação A partir de março/2010 Espera de atendimento Inserção assinatura na de Divulgar nova ART : arte gráfica e divulgação /: divulgação A partir de março/2010 institucional 12

16 Plano de comunicação Resolução n 1.025, de 30 de outubro de 29 Anexo Da descrição dos produtos 4. Dos produtos para o público: pessoas jurídicas de direito público e privado que atuam no desenvolvimento, execução, controle ou gestão de obras e serviços das áreas profissionais abrangidas pelo Sistema /Crea. PÚBLICO: ÓRGÃO PÚBLICO Produto O quê Quem Como Quando (orientativo) Onde Ofício Comunicar alteração da legislação Orientar acerca dos novos procedimentos Informar possibilidade de convênio : minuta e distribuição /: distribuição Até 3 meses antes da implantação do sistema Órgão público, empresas Folder Descrever orientações para registro da ART de cargo ou função/ ART de obra ou serviço Esclarecer composição do acervo do profissional (cargo ou função + múltipla) Orientar comissão de licitação (CAT e registro de atestado) : arte gráfica /: impressão, distribuição prever versão em pdf no site Até 3 meses antes da implantação do sistema Órgão público, empresas site Convênios Formalizar parcerias para: Fiscalização de obras e serviços Acesso à base de dados/ troca de informações Regularização do acervo técnico dos profissionais (atividades concluídas) Composição do acervo técnicos dos Crea/ buscará entrar em contato com os órgãos para firmar parcerias Permanente Órgão público site 13

17 profissionais (ART múltipla) Palestras Informar objetivos da ART: responsabilidade, acervo, ética, segurança sociedade, qualidade obra/serviço, Informar sobre conformidade com a legislação profissional Vantagens do convênio: Regularização e composição do acervo técnico Capacitar sobre novos procedimentos entidades Apresentação aos profissionais/diretoria dos órgãos públicos e empresas Permanente Eventos organizados pelos Crea ou instituições parceiras Ofício Comunicar alteração da legislação Orientar acerca dos novos procedimentos Informar possibilidade de convênio : minuta e distribuição /: distribuição Até 3 meses antes da implantação do sistema Órgão público, empresas 14

18 Plano de comunicação Resolução n 1.025, de 30 de outubro de 29 Anexo Da descrição dos produtos 5. Dos produtos para o público: sociedade civil. SOCIEDADE Produto O quê Quem Como Quando (orientativo) Onde Folder Informar sobre: Importância da ART Composição do acervo técnico Direitos e deveres do profissional/cliente Relação com Código do Consumidor Segurança técnica e defesa da sociedade : arte gráfica /: impressão, distribuição A partir junho/2010 Sede, inspetorias, eventos, entidades, instituições parceiras Mídia espontânea/ Contrapartida: reportagens, vídeos, palestras, spots Notícias sobre nova ART vários temas / semana Importância da ART para defesa da sociedade Relação acervo técnico com Lei Licitação Relação da ART com Código do Consumidor ART e segurança das obras e serviços (construções, segurança alimentar, obras Crea/ produzirá ou compartilhará as notícias produzidas pela mídia local com os demais e diversos canais de comunicação fora do sistema através da assessoria de comunicação A partir junho/2010 Rádio, TV, revistas, jornal de massa ou instituições 15

19 públicas paralisadas) Informe (impresso) Notícias sobre nova ART vários temas Importância da ART Relação acervo técnico Importância da baixa Novos procedimentos ART a posteriori Produzir e compartilhar as notícias através da assessoria de comunicação: casos de sucesso, entrevistas, eventos, estatísticas, implantação eletrônica, outras Formar uma rede de comunicação sobre ART circulando mensalmente em todos os // A partir junho/2010 Revistas, informativos impressos Palestras Informar objetivos da ART: responsabilidade, segurança sociedade, qualidade obra/serviço, ética, conformidade com a legislação profissional entidades Apresentação a empresas e segmentos econômicos por público e eventos específicos (ex. síndicos, hospitais, transporte, etc.) A partir junho/2010 Eventos organizados pelos, empresas, instituições Propaganda impressa, outdoor, ônibus, elevador Chamada sobre nova ART segmento econômico / profissional Defesa da sociedade entidades - arte gráfica entidades/ - impressão e distribuição A partir junho/2010 Rádio, TV, revistas, jornal de massa/ instituições / segmento Matérias Matéria sobre nova ART vários temas Importância da ART Relação acervo técnico Especificidade por segmento profissional/econômico Todos produção de matérias acerca da relação da ART com diferentes segmentos profissionais A partir junho/2010 Publicação de interesse por segmento econômico 16

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho IMPRENSA IT. 36 07 1 / 8 1. OBJETIVO Administrar o fluxo de informações e executar ações de comunicação junto aos públicos interno e externo do Crea GO de forma transparente, ágil, primando pela veracidade

Leia mais

Equipe da GCO: 1. Carlos Campana Gerente 2. Maria Helena 3. Sandro 4. Mariana

Equipe da GCO: 1. Carlos Campana Gerente 2. Maria Helena 3. Sandro 4. Mariana Gerência de Comunicação GCO tem por finalidade planejar, organizar, coordenar e controlar as atividades de comunicação e editoriais do Confea. Competências da GCO 1. Organizar e executar projetos editoriais:

Leia mais

EIXO EXERCÍCIO PROFISSIONAL

EIXO EXERCÍCIO PROFISSIONAL SEMINÁRIO CONFEA / CAU APRESENTADAS NOS GTs, ALINHADAS COM AS SOLUÇÕES BUSCADAS PELO SEMINÁRIO Brasília, 24 e 25 de julho de 2014 Eixo 1: Exercício Profissional Eixo 2: Fiscalização Eixo 3: Formação Profissional

Leia mais

FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM)

FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM) FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM) A extensão é o processo educativo, cultural e científico que articula, amplia, desenvolve e reforça o ensino e a pesquisa,

Leia mais

UNICEF BRASIL Edital de Seleção de Consultor: RH/2014/013

UNICEF BRASIL Edital de Seleção de Consultor: RH/2014/013 UNICEF BRASIL Edital de Seleção de Consultor: RH/2014/013 O UNICEF, Fundo das Nações Unidas para a Infância, a Organização mundial pioneira na defesa dos direitos das crianças e adolescentes, convida profissionais

Leia mais

MARCO REGULATÓRIO DA ENGENHARIA AMBIENTAL E ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA NO BRASIL

MARCO REGULATÓRIO DA ENGENHARIA AMBIENTAL E ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA NO BRASIL MARCO REGULATÓRIO DA ENGENHARIA AMBIENTAL E ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA NO BRASIL 2015 ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS ENGENHEIROS AMBIENTAIS - ANEAM Marco Regulatório da Engenharia Ambiental e Engenharia

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho IMPRENSA IT. 36 08 1 / 6 1. OBJETIVO Administrar o fluxo de informações e executar ações de comunicação junto a imprensa sediada na capital e no interior de forma transparente, ágil, primando pela veracidade

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho PUBLICIDADE IT. 40 09 1 / 4 1. OBJETIVO Estabelecer diretrizes para a execução das atividades de publicidade do Crea GO. 2. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA PO. 08 Avaliação da satisfação do cliente 3. PROCEDIMENTOS

Leia mais

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS 1 DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES E OBJETIVO DO MOVIMENTO 2 Artigo 1º O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade/Nós

Leia mais

INTRODUÇÃO. Apresentação

INTRODUÇÃO. Apresentação ANEXO ÚNICO DA RESOLUÇÃO ATRICON 09/2014 DIRETRIZES DE CONTROLE EXTERNO ATRICON 3207/2014: OS TRIBUNAIS DE CONTAS E O DESENVOLVIMENTO LOCAL: CONTROLE DO TRATAMENTO DIFERENCIADO E FAVORECIDO ÀS MICROEMPRESAS

Leia mais

Coordenação-Geral de Comunicação e Editoração (CGCE) Diretoria de Comunicação e Pesquisa (DCP) Maio/2015

Coordenação-Geral de Comunicação e Editoração (CGCE) Diretoria de Comunicação e Pesquisa (DCP) Maio/2015 Coordenação-Geral de Comunicação e Editoração (CGCE) Diretoria de Comunicação e Pesquisa (DCP) Maio/2015 A proposta de plano de comunicação elaborada pela Coordenação- Geral de Comunicação e Editoração

Leia mais

Portfolio de Produtos

Portfolio de Produtos Introdução O Guia de Produtos e Serviços da Assessoria de Comunicação (ASCOM) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) foi elaborado com o objetivo de apresentar os produtos e serviços prestados

Leia mais

e) visa estabelecer diretrizes aplicáveis ao posicionamento estratégico de comunicação e marketing das entidades integrantes do Sicoob.

e) visa estabelecer diretrizes aplicáveis ao posicionamento estratégico de comunicação e marketing das entidades integrantes do Sicoob. 1. Esta Política Institucional de Comunicação e Marketing: Política Institucional de Comunicação e Marketing a) é elaborada por proposta da área de Comunicação e Marketing da Confederação Nacional das

Leia mais

INGRESSO DE PROFISSIONAIS ESTRANGEIROS NO BRASIL

INGRESSO DE PROFISSIONAIS ESTRANGEIROS NO BRASIL INGRESSO DE PROFISSIONAIS ESTRANGEIROS NO BRASIL REGISTRO PROFISSIONAL E ACERVO TÉCNICO A EXPERIÊNCIA DO CREA-PR Eng. Civ. Joel Krüger Presidente CREA-PR Sistema CONFEA/CREAs 977.750 Profissionais 306

Leia mais

A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM

A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM DECRETO nº 1098, de 12 de fevereiro de 2009 Dispõe sobre alocação, denominação e atribuições dos órgãos que compõem a estrutura organizacional do Gabinete da Prefeita e dá outras providências. A PREFEITA

Leia mais

SICONV UM NOVO PARADIGMA NAS TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS DA UNIÃO: TRANSPARÊNCIA E CONTROLE SOCIAL DOS GASTOS PÚBLICOS

SICONV UM NOVO PARADIGMA NAS TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS DA UNIÃO: TRANSPARÊNCIA E CONTROLE SOCIAL DOS GASTOS PÚBLICOS SICONV UM NOVO PARADIGMA NAS TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS DA UNIÃO: TRANSPARÊNCIA E CONTROLE SOCIAL DOS GASTOS PÚBLICOS TAHOMA NEGRITO 16 ASSINATURAS SICONV O SICONV inaugurou uma nova era na gestão pública,

Leia mais

Política de Estruturação de Negócios e Gestão de Participações

Política de Estruturação de Negócios e Gestão de Participações Política de Estruturação de Negócios e Gestão de Participações Outubro de 2013 Conteúdo 1. Objetivo... 3 2. Princípios... 4 3. Diretrizes... 5 4. Responsabilidades... 6 5. Conceitos... 7 6. Disposições

Leia mais

AVALIAÇÃO TRIMESTRAL DE METAS PDI- 2011/2015

AVALIAÇÃO TRIMESTRAL DE METAS PDI- 2011/2015 AVALIAÇÃO TRIMESTRAL DE METAS PDI- 2011/2015 METAS AÇÕES PRAZOS Expansão do número de vagas do curso de Engenharia de Produção. SITUAÇÃO MARÇO DE 2015 AVALIAÇÃO PROCEDIDA EM 12.03.2015 CPA E DIRETORIA

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga 1. IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultoria para promover estudos, formular proposições e apoiar as Unidades

Leia mais

Serviços Relacionados à Pessoa Jurídica

Serviços Relacionados à Pessoa Jurídica Serviços Relacionados à Pessoa Jurídica Atenção: Documentos apresentados em fotocópia devem ser autenticados em Cartório ou acompanhados dos originais para receberem autenticação do CREA. Documentos obrigatórios

Leia mais

CARGOS E FUNÇÕES APEAM

CARGOS E FUNÇÕES APEAM CARGOS E FUNÇÕES APEAM 1. PRESIDÊNCIA A Presidência possui por finalidades a representação oficial e legal da associação, coordenação e integração da Diretoria Executiva, e o acompanhamento, avaliação,

Leia mais

5.4. Programa de Comunicação Social. Revisão 00 NOV/2013. PCH Dores de Guanhães Plano de Controle Ambiental - PCA PROGRAMAS AMBIENTAIS

5.4. Programa de Comunicação Social. Revisão 00 NOV/2013. PCH Dores de Guanhães Plano de Controle Ambiental - PCA PROGRAMAS AMBIENTAIS PCH Dores de Guanhães Plano de Controle Ambiental - PCA PROGRAMAS AMBIENTAIS 5.4 Programa de Comunicação Social Revisão 00 NOV/2013 Coordenador da Equipe Carlos Eduardo Alencar Carvalho CRBio 37538/4-D

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA nº 2014.0425.00020-0

TERMO DE REFERÊNCIA nº 2014.0425.00020-0 MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE SECRETARIA DE BIODIVERSIDADE E FLORESTAS (SBF) DIRETORIA DE ÁREAS PROTEGIDAS (DAP) PROGRAMA ÁREAS PROTEGIDAS DA AMAZÔNIA (ARPA) TERMO DE REFERÊNCIA nº 2014.0425.00020-0 OBJETIVO:

Leia mais

UNICEF BRASIL Edital de Seleção de Consultor RH/2013/015

UNICEF BRASIL Edital de Seleção de Consultor RH/2013/015 UNICEF BRASIL Edital de Seleção de Consultor RH/2013/015 O UNICEF, Fundo das Nações Unidas para a Infância, a Organização mundial pioneira na defesa dos direitos das crianças e adolescentes, convida profissionais

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS RESOLUÇÃO Nº xx/xxxx CONSELHO UNIVERSITÁRIO EM dd de mês de aaaa Dispõe sobre a criação

Leia mais

PROJETO DE FORTALECIMENTO DE CAPACIDADES PARA O DHL CNM/PNUD

PROJETO DE FORTALECIMENTO DE CAPACIDADES PARA O DHL CNM/PNUD PROJETO DE FORTALECIMENTO DE CAPACIDADES PARA O DHL CNM/PNUD TERMO DE REFERÊNCIA (Nº 16.2010) CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR(A) PARA FORMAÇÃO, CONSTRUÇÃO E ANIMAÇÃO DE REDE SOCIAL PARA OS BENEFICIÁRIOS E PARCEIROS

Leia mais

Seminário GVcev Franchising: Tendências e Desafios. Seleção e Recrutamento de Franqueados Filomena Garcia

Seminário GVcev Franchising: Tendências e Desafios. Seleção e Recrutamento de Franqueados Filomena Garcia Seminário GVcev Franchising: Tendências e Desafios Seleção e Recrutamento de Franqueados Filomena Garcia Filomena Garcia Sócia-Diretora do Grupo Cherto: Comercial, Expansão de Franquias e Rede de Negócios

Leia mais

PROJETO DE ORGANISMO INTERNACIONAL EDITAL Nº 1/2008 (BRA/03/032)

PROJETO DE ORGANISMO INTERNACIONAL EDITAL Nº 1/2008 (BRA/03/032) PROJETO DE ORGANISMO INTERNACIONAL EDITAL Nº 1/2008 (BRA/03/032) SELECIONA PROFISSIONAL, COM O SEGUINTE PERFIL: CONSULTOR (Consultor por Produto - Serviços Não Continuados) Consultor Especialista em Projetos

Leia mais

Política do Programa de Voluntariado Corporativo GRPCOM ATITUDE

Política do Programa de Voluntariado Corporativo GRPCOM ATITUDE Política do Programa de Voluntariado Corporativo GRPCOM ATITUDE O Programa de Voluntariado Corporativo GRPCOM ATITUDE visa fortalecer a missão de desenvolver a nossa terra e nossa gente e contribuir para

Leia mais

3601 - SECRETARIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA E RELAÇÕES INTERNACIONAIS - ADMINISTRAÇÃO DIRETA

3601 - SECRETARIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA E RELAÇÕES INTERNACIONAIS - ADMINISTRAÇÃO DIRETA 3601 - SECRETARIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA E RELAÇÕES INTERNACIONAIS - ADMINISTRAÇÃO DIRETA Legislação: Lei nº 15.506, de 31 de julho de 1991; Decreto nº 15.813, de 24 de abril de 1992; Lei nº 15.738, de

Leia mais

Ficha Técnica. Manual de Procedimentos Operacionais. Supervisão. Comissão de Organização, Normas e Procedimentos CONP. Documento original

Ficha Técnica. Manual de Procedimentos Operacionais. Supervisão. Comissão de Organização, Normas e Procedimentos CONP. Documento original 1 Referência Ficha Técnica Manual de Procedimentos Operacionais Resolução n 1.025, de 30 de outubro de 2009 Revisão 01 Data 28/01/2011 Supervisão Comissão de Organização, Normas e Procedimentos CONP Documento

Leia mais

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL RESOLUÇÃO. 147º COSU MIGUEL PEREIRA Campo Grande - MS. 21 A 24 de Janeiro de 2014. RESOLUÇÃO nº 01 /147º COSU

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL RESOLUÇÃO. 147º COSU MIGUEL PEREIRA Campo Grande - MS. 21 A 24 de Janeiro de 2014. RESOLUÇÃO nº 01 /147º COSU nº 01 /147º COSU Interessado: IAB/DN e IAB-RJ Proponente: Grupo de Trabalho UIA2020Rio do 147º Conselho Superior do IAB Ementa: Organização do Congresso Mundial de Arquitetos UIA2020Rio Considerando: 1.

Leia mais

3. Cronograma. Encaminhamento da solicitação de apoio, formatada conforme Roteiro de elaboração de projetos estabelecido no Anexo I.

3. Cronograma. Encaminhamento da solicitação de apoio, formatada conforme Roteiro de elaboração de projetos estabelecido no Anexo I. PROPOSTA DE EDITAL O Instituto de Compromisso com o Desenvolvimento Humano, fundado aos 09 (nove) dias do mês de Maio de 2007, tendo como objetivo promover o desenvolvimento humano em diversos âmbitos,

Leia mais

Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo

Leia mais

O CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE NORTE DO PARANÁ aprovou e eu, Reitora em exercício, sanciono a seguinte Resolução:

O CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE NORTE DO PARANÁ aprovou e eu, Reitora em exercício, sanciono a seguinte Resolução: Resolução CONSUN n o 046/2003. Credenciada pelo Decreto Federal de 03/07/97 - D. O. U. Nº 126, de 04/07/97 Aprova o Regulamento Geral da Agência de Comunicação Integrada, do Curso de Comunicação Social

Leia mais

PROJETO SERVIÇOS E CIDADANIA EDITAL N 002/2014

PROJETO SERVIÇOS E CIDADANIA EDITAL N 002/2014 PROJETO SERVIÇOS E CIDADANIA EDITAL N 002/2014 Abertura de prazo para solicitação de serviços pelas entidades cadastradas no Projeto Serviços e Cidadania e sediadas em Curitiba e Região Metropolitana O

Leia mais

V Ação Nacional FEBRAC Limpeza Ambiental 15 de setembro de 2012

V Ação Nacional FEBRAC Limpeza Ambiental 15 de setembro de 2012 V Ação Nacional FEBRAC Limpeza Ambiental 15 de setembro de 2012 Federação Nacional das Empresas de Serviços de Limpeza Ambiental (FEBRAC) Um dia de cidadania faz o mundo melhor Introdução Após analisar

Leia mais

CARTILHA CAU/RS 2014 INSTRUÇÕES PARA ARQUITETURA DE INTERIORES SHOPPING CENTER

CARTILHA CAU/RS 2014 INSTRUÇÕES PARA ARQUITETURA DE INTERIORES SHOPPING CENTER CARTILHA CAU/RS 2014 INSTRUÇÕES PARA ARQUITETURA DE INTERIORES SHOPPING CENTER APRESENTAÇÃO O CAU/RS Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Rio Grande do Sul, na qualidade de Autarquia Federal deve na

Leia mais

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1.1 APRESENTAÇÃO O Plano de Comunicação e Participação Social subsidiará a elaboração do Plano Diretor de Mobilidade Urbana, criando as bases para

Leia mais

ESPECIALISTA EM POLÍTICAS PÚBLICAS E GESTÃO GOVERNAMENTAL - ESPECIALISTA EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO/DESENVOLVIMENTO

ESPECIALISTA EM POLÍTICAS PÚBLICAS E GESTÃO GOVERNAMENTAL - ESPECIALISTA EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO/DESENVOLVIMENTO ESPECIALISTA EM POLÍTICAS PÚBLICAS E GESTÃO GOVERNAMENTAL - ESPECIALISTA EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO/DESENVOLVIMENTO Requisitos: graduação em qualquer curso da área de Tecnologia da Informação - Elaborar

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ CONTROLADORIA E OUVIDORIA GERAL DO ESTADO - CGE

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ CONTROLADORIA E OUVIDORIA GERAL DO ESTADO - CGE GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ CONTROLADORIA E OUVIDORIA GERAL DO ESTADO - CGE Termo de Referência para Contratação de Serviço de Consultoria (Pessoa Jurídica) para Reestruturação do Portal da Transparência

Leia mais

POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA - NOR 350

POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA - NOR 350 MANUAL DE GESTÃO DE PESSOAS COD. 300 ASSUNTO: POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA APROVAÇÃO: Resolução DIREX nº 462, de 10/09/2012. VIGÊNCIA: 10/09/2012 POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA - NOR 350 1/6 ÍNDICE

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM SAÚDE CAPÍTULO I DA CATEGORIA E FINALIDADE

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM SAÚDE CAPÍTULO I DA CATEGORIA E FINALIDADE REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM SAÚDE CAPÍTULO I DA CATEGORIA E FINALIDADE Art. 1º O Núcleo de Inovação Tecnológica em Saúde da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto

Leia mais

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL Eixos Temáticos, Diretrizes e Ações Documento final do II Encontro Nacional de Educação Patrimonial (Ouro Preto - MG, 17 a 21 de julho

Leia mais

PLANO DE TRABALHO PLANO DE TRABALHO. CHAPA: Um CAU para os Arquitetos. Eleições 2014. Página1de 8 CHAPA - UM CAU PARA OS ARQUITETOS.

PLANO DE TRABALHO PLANO DE TRABALHO. CHAPA: Um CAU para os Arquitetos. Eleições 2014. Página1de 8 CHAPA - UM CAU PARA OS ARQUITETOS. PLANO DE TRABALHO CHAPA: Um CAU para os Arquitetos Página1de 8 SUMÁRIO: 1 INTRODUÇÃO...3 2 CONSELHEIROS...3 3 GESTÃO...4 4 INSTITUCIONAIS...5 5 PRÁTICAS PROFISSIONAIS...6 6 FISCALIZAÇÃO...7 7 ENSINO...8

Leia mais

Programa de Comunicação Interna e Externa

Programa de Comunicação Interna e Externa Programa de Comunicação Interna e Externa Aprovado na Reunião do CONASU em 21/01/2015. O Programa de Comunicação Interna e Externa das Faculdades Integradas Ipitanga FACIIP pretende orientar a execução

Leia mais

Plano de COMUNICAÇÃO do Planejamento Estratégico da Justiça Federal

Plano de COMUNICAÇÃO do Planejamento Estratégico da Justiça Federal Plano de COMUNICAÇÃO do Planejamento Estratégico da Justiça Federal PLANO DE COMUNICAÇÃO DA ESTRATÉGIA Introdução É importante ressaltar que um plano de comunicação tem a finalidade de tornar conhecida

Leia mais

Programa de Capacitação

Programa de Capacitação Programa de Capacitação 1. Introdução As transformações dos processos de trabalho e a rapidez com que surgem novos conhecimentos e informações têm exigido uma capacitação permanente e continuada para propiciar

Leia mais

Responsabilidade Técnica na Pesquisa com Agrotóxicos. Eng. Agr. Gilberto Guarido Coordenador da Câmara Especializada de Agronomia

Responsabilidade Técnica na Pesquisa com Agrotóxicos. Eng. Agr. Gilberto Guarido Coordenador da Câmara Especializada de Agronomia Responsabilidade Técnica na Pesquisa com Agrotóxicos Eng. Agr. Gilberto Guarido Coordenador da Câmara Especializada de Agronomia CONFEA CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA CREA CONSELHO REGIONAL

Leia mais

1. COMPETÊNCIAS DAS DIRETORIAS

1. COMPETÊNCIAS DAS DIRETORIAS 1. COMPETÊNCIAS DAS DIRETORIAS 1.1. Diretoria Executiva (DEX) À Diretora Executiva, além de planejar, organizar, coordenar, dirigir e controlar as atividades da Fundação, bem como cumprir e fazer cumprir

Leia mais

COMO SE ASSOCIAR 2014

COMO SE ASSOCIAR 2014 2014 QUEM SOMOS FUNDADO EM 2004, O CONSELHO EMPRESARIAL BRASIL CHINA CEBC É UMA INSTITUIÇÃO BILATERAL SEM FINS LUCRATIVOS FORMADA POR DUAS SEÇÕES INDEPENDENTES, NO BRASIL E NA CHINA, QUE SE DEDICA À PROMOÇÃO

Leia mais

Núcleo de Apoio Profissional ao Serviço Social e de Psicologia. Programa Família Acolhedora no Município de São Paulo -Projeto Piloto

Núcleo de Apoio Profissional ao Serviço Social e de Psicologia. Programa Família Acolhedora no Município de São Paulo -Projeto Piloto Introdução Programa Família Acolhedora no Município de São Paulo -Projeto Piloto O projeto se propôs a realizar mais uma ação para a efetivação da Política de Proteção as Crianças e Adolescentes em situação

Leia mais

VICE-DIREÇÃO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO REGIMENTO INTERNO DA COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO

VICE-DIREÇÃO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO REGIMENTO INTERNO DA COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO VICE-DIREÇÃO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO REGIMENTO INTERNO DA COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO Da Concepção e Objetivos Art.1º A extensão acadêmica é um processo educativo, cultural, que se articula ao ensino

Leia mais

Projetos de Captação de Recursos do Ministério Público do Trabalho

Projetos de Captação de Recursos do Ministério Público do Trabalho Plano de Gestão 2015-2017 Projetos de Captação de Recursos do Ministério Público do Trabalho Superintendência de Planejamento e Gestão Outubro/2015 Introdução Os recursos oriundos de multas ou indenizações

Leia mais

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 Versão 1.0 1 APRESENTAÇÃO O Planejamento

Leia mais

Prepare-se para uma viagem em

Prepare-se para uma viagem em Prepare-se para uma viagem em que você poderá:. conhecer diversas culturas e perspectivas,. desenvolver novas competências,. participar de uma organização estadual,. obter uma rede de contatos diferenciada,

Leia mais

POLÍTICA DE TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO

POLÍTICA DE TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO POLÍTICA DE TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO 1. Aplicação Esta política aplica-se a todos os colaboradores Técnico-administrativos, sejam vínculo CLT ou contrato de estágio. 2. Objetivo Estabelecer critérios

Leia mais

Política Ambiental das Empresas Eletrobras

Política Ambiental das Empresas Eletrobras Política Ambiental das Empresas Eletrobras Versão 2.0 16/05/2013 Sumário 1 Objetivo... 3 2 Princípios... 3 3 Diretrizes... 3 3.1 Diretrizes Gerais... 3 3.1.1 Articulação Interna... 3 3.1.2 Articulação

Leia mais

PROJETO SERVIÇOS E CIDADANIA EDITAL N 001/2015

PROJETO SERVIÇOS E CIDADANIA EDITAL N 001/2015 PROJETO SERVIÇOS E CIDADANIA EDITAL N 001/2015 Abertura de prazo para solicitação de serviços pelas entidades cadastradas no Projeto Serviços e Cidadania e sediadas em Curitiba e Região Metropolitana O

Leia mais

MANUAL DE PREENCHIMENTO DE ART OBRA OU SERVIÇO

MANUAL DE PREENCHIMENTO DE ART OBRA OU SERVIÇO MANUAL DE PREENCHIMENTO DE ART OBRA OU SERVIÇO A ART relativa à execução de obra ou à prestação de serviço, objeto de contrato único, deve ser registrada antes do início da respectiva atividade técnica,

Leia mais

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS Estabelece a política de pesquisa, desenvolvimento, inovação e extensão da Universidade Positivo (UP). O CONSELHO ACADÊMICO SUPERIOR (CAS), órgão da administração superior

Leia mais

Treinamento 2013. Programa de Desenvolvimento Sustentável do Sistema Apresentação Polyana Motta Zeller PRODESU- SECOP

Treinamento 2013. Programa de Desenvolvimento Sustentável do Sistema Apresentação Polyana Motta Zeller PRODESU- SECOP Treinamento 2013 Programa de Desenvolvimento Sustentável do Sistema Apresentação Polyana Motta Zeller - SECOP DN 86/2012 Aspectos importantes do Manual de Convênios Encaminhamento de proposta de parceria

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA (NEPEC/UCB)

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA (NEPEC/UCB) REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA (NEPEC/UCB) CAPÍTULO I - DO NEPEC E SEUS OBJETIVOS Artigo 1º - O presente Regulamento disciplina as atribuições,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO EDITAL Nº. 08/2014 PRE/UFSM SELEÇÃO DE SELEÇÃO DE CURSISTAS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO EDITAL Nº. 08/2014 PRE/UFSM SELEÇÃO DE SELEÇÃO DE CURSISTAS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO EDITAL Nº. 08/2014 PRE/UFSM SELEÇÃO DE SELEÇÃO DE CURSISTAS Inscrição para seleção de Candidatos à 3ª edição do Curso

Leia mais

Manual do Estagiário 2008

Manual do Estagiário 2008 Manual do Estagiário 2008 Sumário Introdução... 2 O que é estágio curricular... 2 Objetivos do estágio curricular... 2 Duração e carga horária do estágio curricular... 3 Requisitos para a realização do

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SANTA CATARINA

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SANTA CATARINA PARECER COREN/SC Nº 013/CT/2013 Assunto: Solicitação de Parecer Técnico acerca de critérios para abertura e funcionamento de Curso de Instrumentação Cirúrgica. I - Do Fato Solicitado Parecer Técnico ao

Leia mais

Audiência para tratar das possíveis tecnologias aplicadas com a finalidade de deter as aeronaves em riscos de acidentes nos aeroportos de pista curta

Audiência para tratar das possíveis tecnologias aplicadas com a finalidade de deter as aeronaves em riscos de acidentes nos aeroportos de pista curta Audiência para tratar das possíveis tecnologias aplicadas com a finalidade de deter as aeronaves em riscos de acidentes nos aeroportos de pista curta JAQUES SHERIQUE Eng. Mec. e de Seg. do Trab. Vice-Presidente

Leia mais

PROJETO DE ORGANISMO INTERNACIONAL EDITAL Nº 3/2008 (BRA/03/032)

PROJETO DE ORGANISMO INTERNACIONAL EDITAL Nº 3/2008 (BRA/03/032) PROJETO DE ORGANISMO INTERNACIONAL EDITAL Nº 3/2008 (BRA/03/032) SELECIONA PROFISSIONAL, COM O SEGUINTE PERFIL: CONSULTOR (Consultor por Produto - Serviços Não Continuados) Consultor Especialista em Projetos

Leia mais

DECRETO Nº XX.XXX, DE XX DE XXXXXXXXXXXX DE 2009.

DECRETO Nº XX.XXX, DE XX DE XXXXXXXXXXXX DE 2009. DECRETO Nº XX.XXX, DE XX DE XXXXXXXXXXXX DE 2009. Institui a Política de Tecnologia da Informação e Comunicação no Governo do Estado do Piauí, cria o Sistema de Governança de Tecnologia da Informação e

Leia mais

PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019

PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019 PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019 Candidato Gilmar Ribeiro de Mello SLOGAN: AÇÃO COLETIVA Página 1 INTRODUÇÃO Considerando as discussões realizadas com a comunidade interna

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL I INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL I INTRODUÇÃO O estágio curricular do curso de Serviço Social é uma atividade obrigatória, em consonância com as Diretrizes Curriculares Nacionais

Leia mais

COORDENADORES CARTILHA

COORDENADORES CARTILHA 2016 COORDENADORES CARTILHA 1.1 Coordenador de Negócios Liderar a equipe de negócios da FEJESC, prezar pela excelência na prestação do serviço aos parceiros e buscar novas oportunidades de patrocínio e

Leia mais

Apresentação do case sobre Educação Previdenciária da Forluz. José Ribeiro Pena Neto Diretor de Seguridade e Gestão

Apresentação do case sobre Educação Previdenciária da Forluz. José Ribeiro Pena Neto Diretor de Seguridade e Gestão Apresentação do case sobre Educação Previdenciária da Forluz José Ribeiro Pena Neto Diretor de Seguridade e Gestão Objetivos Principal: orientar os participantes, ampliando o conhecimento deles sobre orçamento

Leia mais

PROJETO BÁSICO AGÊNCIA DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA

PROJETO BÁSICO AGÊNCIA DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA PROJETO BÁSICO AGÊNCIA DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA Projeto Básico da Contratação de Serviços: Constitui objeto do presente Projeto Básico a contratação de empresa especializada em serviços de comunicação

Leia mais

Política de Logística de Suprimento

Política de Logística de Suprimento Política de Logística de Suprimento Política de Logística de Suprimento Política de Logística de Suprimento 5 1. Objetivo Aumentar a eficiência e competitividade das empresas Eletrobras, através da integração

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL RESOLUÇÃO CUNI Nº 085, DE 6 DE DEZEMBRO DE 2011. O Conselho Universitário da Universidade Federal de Lavras, no uso de suas atribuições regimentais, e tendo em vista o que foi deliberado

Leia mais

UFRB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA GABINETE DA REITORIA ASCOM ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO. Relatório de Gestão Setorial do Exercício 2012

UFRB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA GABINETE DA REITORIA ASCOM ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO. Relatório de Gestão Setorial do Exercício 2012 UFRB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA GABINETE DA REITORIA ASCOM ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO Relatório de Gestão Setorial do Exercício 2012 Cruz das Almas BA 2013 UFRB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO

Leia mais

CARTA DO PARANÁ DE GOVERNANÇA METROPOLITANA

CARTA DO PARANÁ DE GOVERNANÇA METROPOLITANA CARTA DO PARANÁ DE GOVERNANÇA METROPOLITANA Em 22 e 23 de outubro de 2015, organizado pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano SEDU, por meio da Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba COMEC,

Leia mais

Edital 1/2014. Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica

Edital 1/2014. Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica Edital 1/2014 Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica A (PoloSul.org) torna pública a presente chamada e convida os interessados para apresentar propostas de incubação

Leia mais

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL ANEXO IV Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO 1-Promoção dos Direitos de Crianças e Adolescentes Buscar apoio das esferas de governo (Federal e Estadual)

Leia mais

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul Planejamento Estratégico de TIC da Justiça Militar do Estado do Rio Grande do Sul MAPA ESTRATÉGICO DE TIC DA JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO (RS) MISSÃO: Gerar, manter e atualizar soluções tecnológicas eficazes,

Leia mais

Relatório de Gestão Setorial 2010

Relatório de Gestão Setorial 2010 UFRB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA ASCOM ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO Relatório de Gestão Setorial 2010 Cruz das Almas BA 2010 ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO RELATÓRIO DE ATIVIDADES Período: Janeiro

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO CONSULTOR NACIONAL OPAS/OMS

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO CONSULTOR NACIONAL OPAS/OMS TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO CONSULTOR NACIONAL OPAS/OMS 1. Objetivo geral: Apoiar tecnicamente a gestão e a implementação das atividades do Termo de Cooperação 78 - Expansão da Estratégia Stop

Leia mais

CREA-JÚNIOR UM FUTURO PROMISSOR

CREA-JÚNIOR UM FUTURO PROMISSOR CREA-JÚNIOR UM FUTURO PROMISSOR LOMBARDO, Antonio lombardo@net.em.com.br, lombardo@crea-mg.com.br Universidade de Itaúna, Departamento de Engenharia Mecânica Campus Verde Universidade de Itaúna 35.680-033

Leia mais

Cooperação Técnica para Modernização dos Serviços Relativos à Propriedade Industrial

Cooperação Técnica para Modernização dos Serviços Relativos à Propriedade Industrial Programa 0393 PROPRIEDADE INTELECTUAL Objetivo Garantir a propriedade intelectual e promover a disseminação de informações, visando estimular e diversificar a produção e o surgimento de novas tecnologias.

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Estágio das Ações 2014

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Estágio das Ações 2014 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Estágio das Ações 2014 VICE PRESIDÊNCIA OBJETIVO ESTRATÉGICO 3.3 Valorizar o diálogo em todos os fóruns e junto aos poderes constituídos, orientando as ações para a defesa intransigente

Leia mais

ACESSO À INFORMAÇÃO PÚBLICA

ACESSO À INFORMAÇÃO PÚBLICA Boletim Informativo Edição 01 19 de Março de 2012 ACESSO À INFORMAÇÃO PÚBLICA Controladoria-Geral da União Implementação da Lei de Acesso a Informação A Lei de Acesso à Informação (LAI) representa mais

Leia mais

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html Página 1 de 5 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 1.559, DE 1º DE AGOSTO DE 2008 Institui a Política Nacional

Leia mais

PROGRAMA SELO DE QUALIDADE

PROGRAMA SELO DE QUALIDADE CONSELHO REGIONAL DE QUÍMICA IV REGIÃO (SP) COMISSÃO DE ENSINO TÉCNICO PROGRAMA SELO DE QUALIDADE PARA CURSOS TÉCNICOS DA ÁREA QUÍMICA CRITÉRIOS PARA A RECERTIFICAÇÃO VERSÃO 1 - NOVEMBRO DE 2010 WWW.CRQ4.ORG.BR

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO PARA O CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS DA UFPR

REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO PARA O CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS DA UFPR REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO PARA O CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS DA UFPR DA NATUREZA Art.1 o No Projeto Pedagógico do Curso de Ciências Econômicas, as diretrizes curriculares incluem o estágio

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

PPA 2012-2015 PLANO DE DESENVOLVIMENTO ESTRATÉGICO 1043 - PROGRAMA ESCOLA DO LEGISLATIVO

PPA 2012-2015 PLANO DE DESENVOLVIMENTO ESTRATÉGICO 1043 - PROGRAMA ESCOLA DO LEGISLATIVO 1043 - PROGRAMA ESCOLA DO LEGISLATIVO 100 - ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE GOIÁS O Programa Escola do Legislativo tem como objetivo principal oferecer suporte conceitual de natureza técnico-científica

Leia mais

MUNICÍPIO DE MORRINHOS Estado de Goiás

MUNICÍPIO DE MORRINHOS Estado de Goiás JANE APARECIDA FERREIRA =Responsável pelo placard= LEI Nº 2.689, DE 22 DE NOVEMBRO DE 2010. CERTIDÃO Certifico e dou fé que esta Lei foi publicada no placard do Município no dia- Autoriza a doação de lote

Leia mais

CONSELHO DE SECRETARIAS MUNICIPAIS DE SAÚDE

CONSELHO DE SECRETARIAS MUNICIPAIS DE SAÚDE ANEXO II TERMO DE REFERÊNCIA PROFISSIONAL NÍVEL SUPERIOR CONTEUDISTA (MESTRE) PARA O CURSO DE QUALIFICAÇÃO DE PROFISSIONAIS DA ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA, COM UTILIZAÇÃO DO SISTEMA NACIONAL DE GESTÃO DA

Leia mais

CURSO: CONTABILIDADE PÚBLICA E ANÁLISE DE BALANÇOS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: TEORIA E PRÁTICA. Período: Abril e Setembro

CURSO: CONTABILIDADE PÚBLICA E ANÁLISE DE BALANÇOS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: TEORIA E PRÁTICA. Período: Abril e Setembro CURSO: CONTABILIDADE PÚBLICA E ANÁLISE DE BALANÇOS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: TEORIA E PRÁTICA Período: Abril e Setembro Público Alvo: Servidores que trabalham na área contábil financeira do estado. Objetivo:

Leia mais

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MBA EM COMUNICAÇÃO CORPORATIVA INTEGRADA 1º Semestre de 2016

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MBA EM COMUNICAÇÃO CORPORATIVA INTEGRADA 1º Semestre de 2016 EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MBA EM COMUNICAÇÃO CORPORATIVA INTEGRADA 1º Semestre de 2016 As FACULDADES INTEGRADAS RIO BRANCO, na forma regimental torna público o presente Edital, estabelecendo as

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA 1. DO OBJETO

TERMO DE REFERÊNCIA 1. DO OBJETO TERMO DE REFERÊNCIA 1. DO OBJETO 1.1 Contratação de serviço de fornecimento de assinatura de jornais impressos e revistas, assim como acesso às matérias on line dos respectivos jornais e revistas para

Leia mais

POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO DO SISTEMA ELETROBRÁS. Sistema. Eletrobrás

POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO DO SISTEMA ELETROBRÁS. Sistema. Eletrobrás POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO DO SISTEMA ELETROBRÁS Sistema Eletrobrás Política de Logística de Suprimento do Sistema Eletrobrás POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO 4 POLÍTICA DE Logística de Suprimento

Leia mais

UNICEF BRASIL Edital de Licitação RH/2012/032

UNICEF BRASIL Edital de Licitação RH/2012/032 UNICEF BRASIL Edital de Licitação RH/2012/032 O UNICEF, Fundo das Nações Unidas para a Infância, a Organização mundial pioneira na defesa dos direitos das crianças e adolescentes, convida empresas e consultores

Leia mais

PROJETO BÁSICO AGÊNCIA DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA

PROJETO BÁSICO AGÊNCIA DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA PROJETO BÁSICO AGÊNCIA DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA Projeto Básico da Contratação de Serviços: Constitui objeto do presente Projeto Básico a contratação de empresa especializada em serviços de comunicação

Leia mais