Programação Orientada a Objetos - 3º semestre AULA 01 Prof. André Moraes

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Programação Orientada a Objetos - 3º semestre AULA 01 Prof. André Moraes"

Transcrição

1 Pág 3 Programação Orientada a Objetos - 3º semestre AULA 01 Prof. André Moraes 1 APRESENTAÇÃO DA UNIDADE CURRICULAR A unidade curricular de Programação Orientada a Objetos tem por objetivo promover o estudo dos principais conceitos do Paradigma Orientado a Objetos, através da utilização de uma linguagem de programação como estudo de caso. A programação orientada a Objetos será estudada juntamente com linguagens que adotam seu uso e constante modificação, juntando toda a teoria de orientação a objetos juntamente com a prática das linguagens estudadas. 2 UMA ABORDAGEM INICIAL Como funciona de fato a linguagem Java? O que é que acontece quando precisamos programar para utilizar esta linguagem? Se fosse necessário descrever um processo inicial para poder entender como funcionam as tarefas que necessitamos realizar para programar em Java, poderíamos descrever os seguintes passos: Onde: Código-fonte: é o próprio código do programa que está-se desenvolvendo. Neste caso é necessário utilizar alguma linguagem de programação, que estabeleceremos inicialmente a linguagem Java. Compilador: Precisamos executar o código-fonte anteriormente desenvolvido para ser examinado pelo compilador, o qual procurará por erros. Caso existam erros, o mesmo não nos deixará avançar enquanto existirem problemas no código. Saída: Após a compilação será gerado um novo documento com nosso código, o qual chamamos de bytecode. Os bytecodes podem ser executados por qualquer equipamento que estiver preparado para executar a linguagem Java A seguir executaremos nosso primeiro exemplo de código feito em Java para podermos nos familiarizar com a linguagem:

2 Pág EXEMPLO 1: O famoso alô mundo Inicialmente escreveremos nosso código no editor textpad para posterior compilação e execução Java. Após a digitação salve o arquivo com o nome PrimeiroCodigo.java (obedecendo as letras maiúsculas que estão no nome indicado). Em seguida passamos ao processo de compilação da linguagem desenvolvida, para isso vá até Ferramentas/Compilar Java: O textpad retornará uma mensagem de compilação executada com êxito e então passaremos a execução de nosso código via textpad: E veremos a execução do código feito anteriormente: A tela anterior demonstra que o código digitado está sendo executado, pois o mesmo consiste em apenas imprimir na tela as mensagens de Estamos testando e Olá Mundo.

3 Pág EXEMPLO 2: Outro teste qualquer. Elaboraremos outro teste, porém agora envolvendo atribuições e a chamada de uma função interna para associação com a variável d. Salve com o nome SegundoCodigo.java, compile e em seguida execute o aplicativo para ver o resultado, demonstrado a seguir: 2.2 ALGUNS DETALHES SOBRE A ABORDAGEM JAVA Alguns detalhes serão importantes para o entendimento da linguagem Java e o formato de trabalho em seu ambiente, para tanto serão demonstrados alguns questionamentos O que existe no chamado arquivo FONTE? Um arquivo de código-fonte Java contém uma definição de classe. A classe representa uma parte de um programa, embora um aplicativo pequeno possa precisar apenas de uma classe, o que não é muito comum. Mas a classe deve ficar dentro de um par de chaves O que existe em uma CLASSE? Uma classe tem um ou mais métodos. Os métodos representam as ações que serão executadas. Um pequeno exemplo poderia ser representada pela classe humano. Os métodos do humano tudo o que ele pode fazer. Os métodos serão sempre declarados dentro de uma classe, ou seja, dentro das chaves existentes na classe O que existe dentro de um MÉTODO? Nas chaves de um método serão escritas as instruções de como ele será executado. O código do método é basicamente um conjunto de instruções. E inicialmente, poderíamos comparar o método como se fosse uma função ou um procedimento. No caso da classe humano, os seus métodos poderiam ser seriam falar, caminhar, pegaralgo, etc

4 2.2.4 Como são executados os procedimentos quando a classe é executada? Quando a Jvm começar a ser executada procurará a classe fornecida na linha de comando e em seguida o método escrito na forma: Depois a JVM executará tudo o que estiver entre as chaves { } de seu método principal. Todo o aplicativo escrito em Java precisa ter pelo menos uma classe e um método main(não um método main em cada classe que você criar, apenas por aplicativo desenvolvido). No código fornecido anteriormente no exemplo 1, tínhamos o código completo: E os detalhes do método principal são: : esta classe é publica para que todas as outras possam acessá-la. : este é o nome da classe que está sendo criada (deve ser o mesmo nome do arquivo.java que será salvo). : chave de abertura da classe, onde abrangerá todo o restante do código. O código seguinte tem a linha onde: : novamente, o público é para que os elementos externos possam acessá-lo. A diferença é que agora estamos lidando com um método. : este item será abordado posteriormente, apenas precisamos entender que sempre irá compor a linha. : sugere o tipo de retorno, void significa que não teremos um valor de retorno. : significa o nome deste método. : serão os argumentos do método em questão, este método deverá receber uma matriz de strings e a matriz se chamará args : chave de abertura do método. E o código que está dentro do método criado: Pág 6

5 Pág 7 : aqui fizemos apenas uma linha de comentários. Note que estes comentários são de linha mesmo. : significa uma instrução para exibir na saída padrão do sistema, normalmente utilizada para exibir qualquer item que precise ser exibido ao usuário. : a string que queremos exibir para o usuário. : esta é a chave de fechamento do método main; : esta é a chave de fechamento da classe PrimeiroCodigo. OBSERVAÇÕES: Em Java, tudo é inserido em uma classe, sempre precisaremos do arquivo de código-fonte (com a extensão.java); em seguida, o compilador o converterá em um novo arquivo de classe (com extensão.class); quando executarmos o programa, na verdade estaremos executando uma classe. Executar a classe significa informar à Java Virtual Machine (JVM) para carregar a classe criada e, em seguida executar o método main(); Toda a aplicação desenvolvida em Java, independente do tamanho, dependerá de algum método main() para dar início ao processo; EXEMPLO 3: executando pequenas iterações Um outro exemplo agora utilizando laços de repetição para compilar e executar no Java. Salve o seu arquivo Java como TerceiroCodigo.java Visualizando o resultado na execução do programa:

6 Pág 8 OBSERVAÇÕES: Porque inserir todo o código em uma classe? Por ser uma linguagem orientada a objetos estamos condicionados a este propósito. Diferente de linguagens mais antigas onde utiliza-se um código-fonte com uma pilha de procedimentos. É necessário sempre um método main em todas as classes? Não, um programa Java poderá usar várias classes, mas precisaremos apenas de um único método main responsável por fazer o programa começar a ser executado Exemplo 4: O código de Fibonacci: uma recursão simples Aqui utilizaremos um código bastante conhecido na área de programação, a recursão de fibonacci, exemplificada a seguir: Salve o arquivo como Fibonacci.java

7 Pág 9 OBSERVAÇÕES: O código de Fibonacci consiste em uma sequência iniciando com os termos 1 e 1 e cada termo seguinte sendo a soma dos dois termos anteriores. Um programa para imprimir Fibonacci é simples e ele demonstra como declarar variáveis, escrever um laço simples e executar aritmética básica. O exemplo declara uma classe Fibonacci que, como nos exemplos anteriores, possui um método main. As primeiras duas linhas de main são comandos que declaram duas variáveis locais lo e hi. Neste programa, hi é o termo atual e lo é o termo anterior, variáveis locais são declaradas dentro de um bloco de código Exemplo 5: Fibonacci com uso de constantes Constantes, ou literais como são conhecidos, consistem em uma maneira de especificar valores que não são calculados e recalculados, mas permanecem como constantes durante a vida de um programa. Salve o arquivo como Fibonacci2.java

8 Pág 10 OBSERVAÇÕES: O código Fibonacci anterior imprimia todos os números com valor inferior a 50. A constante 50 foi utilizada na expressão do laço while; De certa forma, fica um pouco difícil se quiséssemos alterar o valor da lista de fibonacci para os números com valor inferior a 100, pois seria necessário percorrer todas as ocorrências de 50 e deixando o código sujeito a erros; Uma constante denominada é um valor constante que é referido pelo seu nome melhorando a legibilidade; EXEMPLO 6: Imprimindo os números de Fibonacci marcando os números pares Tente desenvolver agora a sequência de Fibonacci marcando sempre os números da sequência que forem pares. DICA: Em Java usa-se o % para equivaler ao comando Mod utilizado em Pascal.

Fabiano Moreira.

Fabiano Moreira. Fabiano Moreira professor@fabianomoreira.com.br Um pouco de história Java 1.02 (250 classes, lenta) Java 1.1 (500 classes, um pouco mais rápida) Java 2, versões 1.2-1.4 (2300 classes, muito mais rápida)

Leia mais

JAVA. Professor: Bruno Toledo

JAVA. Professor: Bruno Toledo JAVA Professor: Bruno Toledo Funcionamento de uma LP Em uma Linguagem de Programação (LP) como C e Pascal, temos o seguinte quadro quando vamos compilar um programa. Código fonte em c Teste.c Gera código

Leia mais

Variáveis primitivas e Controle de fluxo

Variáveis primitivas e Controle de fluxo Variáveis primitivas e Controle de fluxo Material baseado na apostila FJ-11: Java e Orientação a Objetos do curso Caelum, Ensino e Inovação, disponível para download em http://www.caelum.com.br/apostilas/

Leia mais

Obs.: para realizar estas atividades tenha certeza de que já tenha instalado no sistema operacional o Java JDK e o NetBeans.

Obs.: para realizar estas atividades tenha certeza de que já tenha instalado no sistema operacional o Java JDK e o NetBeans. 1 - Criando meu primeiro programa em Java Para criar um programa Java podemos utilizar um editor de textos (Bloco de Notas/Windows, Notepad ++ ou GEdit/Linux) e o console do sistema operacional, ou um

Leia mais

7 Comandos e Estruturas de Controle

7 Comandos e Estruturas de Controle Lógica para a Programação - 1º semestre AULA 03 Prof. André Moraes 7 Comandos e Estruturas de Controle Na criação de algoritmos é comum utilizar conceitos de bloco lógico, entrada e saída de dados, constantes,

Leia mais

Introdução aos aplicativos Java. Prof. Marcelo Roberto Zorzan

Introdução aos aplicativos Java. Prof. Marcelo Roberto Zorzan Introdução aos aplicativos Java Prof. Marcelo Roberto Zorzan Aula de Hoje Aplicativo Java Primeiro programa Java Tipos de comentários Instruções de saída Aplicativo Java Um aplicativo java é um programa

Leia mais

Linguagem Técnica I. Prof. Jonatas Bastos

Linguagem Técnica I. Prof. Jonatas Bastos Linguagem Técnica I Prof. Jonatas Bastos Email: jonatasfbastos@gmail.com 1 Objetivo da Disciplina p Entender os conceitos da programação orientada a objetos; p Aplicar conceitos básicos relativos a objetos

Leia mais

Classes o Objetos. Classes, objetos, métodos e variáveis de instância

Classes o Objetos. Classes, objetos, métodos e variáveis de instância Classes o Objetos Um recurso comum de cada aplicativo feito até agora é que todas as instruções que realizavam tarefas localizavam-se no método main. Se você tornar parte de uma equipe de desenvolvimento

Leia mais

Fundamentos da programação Parte - 1

Fundamentos da programação Parte - 1 Fundamentos da programação Parte - 1 1. Objetivos Nesta lição discutiremos as partes básicas de um programa em Java. Começaremos explicando as partes do programa Hello.java mostrado na última lição. Discutiremos

Leia mais

Programação Orientada a Objetos - 3º semestre AULA 02 Prof. André Moraes

Programação Orientada a Objetos - 3º semestre AULA 02 Prof. André Moraes Pág 10 Programação Orientada a Objetos - 3º semestre AULA 02 Prof. André Moraes 2.3 CONTINUANDO A ABORDAGEM A ALGUNS CÓDIGOS ESCRITOS EM JAVA Faremos mais alguns programas apenas para nos certificarmos

Leia mais

Aula 02. Prof. Diemesleno Souza Carvalho

Aula 02. Prof. Diemesleno Souza Carvalho Programação Orientada a Objetos II Aula 02 Prof. Diemesleno Souza Carvalho diemesleno@iftm.edu.br http://www.diemesleno.com.br Na aula passada vimos... Na aula passada vimos... - O que é C# e.net - Um

Leia mais

Aula 01. Prof. Diemesleno Souza Carvalho /

Aula 01. Prof. Diemesleno Souza Carvalho / Programação Estruturada Aula 01 Prof. Diemesleno Souza Carvalho diemesleno@iftm.edu.br / http://www.diemesleno.com.br Na aula passada vimos... Na aula passada vimos... 00 Apresentação da disciplina; Na

Leia mais

Aula 08 Estruturas de Condição. Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes

Aula 08 Estruturas de Condição. Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes Aula 08 Estruturas de Condição Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes http://www.profbrunogomes.com.br/ Agenda da Aula Entrada de Dados; Estruturas de Controle: Estrutura de Sequência;

Leia mais

Declaração de Construtores em Java

Declaração de Construtores em Java Programando com Java Artigo http://mballem.wordpress.com/ Declaração de Construtores em Java Para que serve e como usar um Construtor em Java Autor Marcio Ballem: é formado em Sistemas de Informação e

Leia mais

Introdução à Programação. Introdução a Linguagem C. Prof. José Honorato F. Nunes

Introdução à Programação. Introdução a Linguagem C. Prof. José Honorato F. Nunes Introdução à Programação Introdução a Linguagem C Prof. José Honorato F. Nunes honorato.nunes@ifbaiano.bonfim.edu.br Resumo da aula Introdução Variáveis Tipos de dados Operadores e Expressões: Operadores

Leia mais

Introdução ao IDE Netbeans (Programação Java)

Introdução ao IDE Netbeans (Programação Java) Universidade Federal do ABC Disciplina: Processamento da Informação (BC-05045) Assunto: Introdução ao IDE Netbeans Introdução ao IDE Netbeans (Programação Java) Conteúdo 1. Introdução... 1 1.1. Programas

Leia mais

Curso básico de JavaScript Aula 2

Curso básico de JavaScript Aula 2 Tópicos 1 JavaScript é case sensitive... 1 2 Comentários... 1 3 Saídas do JavaScript... 1 4 Entrada de dados usando window.prompt( )... 3 5 Variáveis... 3 1.1 Regras para criar uma variável... 3 6 Literais...

Leia mais

Fluxogramas. Leandro Tonietto ago-09

Fluxogramas. Leandro Tonietto ago-09 Fluxogramas Leandro Tonietto ltonietto@unisinos.br ago-09 Introdução Planejar, modelar e projetar primeiro, depois fazer (programar). Maiores chances de sucesso na programação Facilita a resolução, pois

Leia mais

Vetores. e o programa deverá ler os valores separadamente:

Vetores. e o programa deverá ler os valores separadamente: Vetores Vetor é um tipo de dado usado para representar uma certa quantidade de variáveis de valores homogêneos (do mesmo tipo). Imagine o seguinte problema: calcular a média das notas da prova de 5 alunos.

Leia mais

Elementos básicos das linguagens de programação

Elementos básicos das linguagens de programação Elementos básicos das linguagens de programação Objetivos: Apresentar os últimos elementos básicos das linguagens de programação Elementos básicos já estudados Entrada (read, readln) Saída (write, writeln)

Leia mais

Estruturas de Repetição

Estruturas de Repetição Estruturas de Repetição Lista de Exercícios - 04 Programação de Computadores I Professor: Edwar Saliba Júnior Estruturas de Repetição O que são e para que servem? São comandos que são utilizados na programação

Leia mais

Algoritmos I Aula 13 Linguagem de Programação Java

Algoritmos I Aula 13 Linguagem de Programação Java Algoritmos I Aula 13 Linguagem de Programação Java Professor: Max Pereira http://paginas.unisul.br/max.pereira Ciência da Computação IDE Eclipse IDE (Integrated development environment) Criar um projeto

Leia mais

Lição 4 Fundamentos da programação

Lição 4 Fundamentos da programação Lição 4 Fundamentos da programação Introdução à Programação I 1 Objetivos Ao final desta lição, o estudante será capaz de: Identificar as partes básicas de um programa em Java Reconhecer as diferenças

Leia mais

Estruturas de Controle de Fluxo Estruturas de Repetição. Givanaldo Rocha

Estruturas de Controle de Fluxo Estruturas de Repetição. Givanaldo Rocha Estruturas de Controle de Fluxo Estruturas de Repetição Givanaldo Rocha givanaldo.rocha@ifrn.edu.br http://docente.ifrn.edu.br/givanaldorocha Conceito Em muitos algoritmos, ocorrerá a necessidade de executar

Leia mais

Aula 3. Objetivos Sequências de escapes ; Um aplicativo que adiciona inteiro; Aritmética.

Aula 3. Objetivos Sequências de escapes ; Um aplicativo que adiciona inteiro; Aritmética. Objetivos Sequências de escapes ; Um aplicativo que adiciona inteiro; Aritmética. Sequências de escape \n Nova linha. Posiciona o cursor de tela no início da próxima linha. \t Tabulação horizontal. Move

Leia mais

Programação: Vetores

Programação: Vetores Programação de Computadores I Aula 09 Programação: Vetores José Romildo Malaquias Departamento de Computação Universidade Federal de Ouro Preto 2011-1 1/62 Motivação Problema Faça um programa que leia

Leia mais

Estruturas de Repetição

Estruturas de Repetição Estruturas de Repetição Introdução As estruturas de repetição, permitem executar mais de uma vez um mesmo trecho de código. Trata-se de uma forma de executar blocos de comandos somente sob determinadas

Leia mais

LINGUAGEM C: COMANDOS DE REPETIÇÃO

LINGUAGEM C: COMANDOS DE REPETIÇÃO LINGUAGEM C: COMANDOS DE REPETIÇÃO Prof. André Backes ESTRUTURAS DE REPETIÇÃO Uma estrutura de repetição permite que uma sequência de comandos seja executada repetidamente, enquanto determinadas condições

Leia mais

Fundamentos de Programação

Fundamentos de Programação Fundamentos de Programação Linguagem C++: arrays - aula I Bruno Emerson Gurgel Gomes 1 1 Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do RN (IFRN) 2012 Bruno Gomes (IFRN) Fundamentos de Programação

Leia mais

Algoritmo e Programação Matemática

Algoritmo e Programação Matemática Algoritmo e Programação Matemática Fundamentos de Algoritmos Parte 1 Renato Dourado Maia Instituto de Ciências Agrárias Universidade Federal de Minas Gerais Dados A funcionalidade principal de um computador

Leia mais

Preparação do ambiente para desenvolvimento em Java

Preparação do ambiente para desenvolvimento em Java Buscar comentários post favorito (1) Preparação do ambiente para desenvolvimento em Java Veja neste artigo a preparação do ambiente para desenvolvimento de aplicações com a linguagem Java, vendo desde

Leia mais

Estrutura de um Algoritmo, Variáveis, Comandos de Entrada e Saída e Expressões Aritméticas

Estrutura de um Algoritmo, Variáveis, Comandos de Entrada e Saída e Expressões Aritméticas Estrutura de um Algoritmo, Variáveis, Comandos de Entrada e Saída e Expressões Aritméticas Estrutura de um Programa em Linguagem Algorítmica Nesse curso nós vamos utilizar a linguagem algorítmica para

Leia mais

Introdução à Linguagem Lua Variáveis e Expressões

Introdução à Linguagem Lua Variáveis e Expressões Introdução a Programação em Lua Introdução à Linguagem Lua Variáveis e Expressões 1 Tópicos Principais Programando em Lua Funções Variáveis Operadores e Expressões Entrada e Saída Exemplos 2 Programando

Leia mais

PROGRAMAÇÃO I A LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO JAVA I

PROGRAMAÇÃO I A LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO JAVA I PROGRAMAÇÃO I A LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO JAVA I Prof. Dr. Daniel Caetano 2017-1 Objetivos Conhecer os tipos de dados, constantes e como declarar variáveis Conhecer os operadores e expressões Conhecer e

Leia mais

A resposta apresentada em aula, no quadro, (em Chapin e/ou Português Estruturado) está correta?

A resposta apresentada em aula, no quadro, (em Chapin e/ou Português Estruturado) está correta? 23 Algoritmos com Repetição Nos exemplos e exercícios vistos até agora, sempre foi possível resolver os problemas com uma sequência de instruções que eram executadas apenas uma vez. Existem três estruturas

Leia mais

<identificador>[<tamanho>]: <tipo>;

<identificador>[<tamanho>]: <tipo>; Vetores e Constantes Imagine uma situação na qual fosse necessário armazenar 100 valores para processamento. Por exemplo, pode ser necessário armazenar as notas de 100 provas de uma turma de alunos. Uma

Leia mais

Módulo 1. Introdução. Programação Orientada a Objetos I Java (Rone Ilídio)

Módulo 1. Introdução. Programação Orientada a Objetos I Java (Rone Ilídio) Módulo 1 Introdução Programação Orientada a Objetos I Java (Rone Ilídio) Dados Importantes E-mail: rone@ufsj.edu.br Página: www.ronepage.com Deitel, H. M., Deitel, T. J., Java, editora Bookman, 6ª edição

Leia mais

AULA INTERAÇÃO ENTRE OBJETOS

AULA INTERAÇÃO ENTRE OBJETOS AULA 16-17 INTERAÇÃO ENTRE OBJETOS Curso: Informática (Subseqüente) Disciplina: Programação Orientada a Objetos Prof. Abrahão Lopes abrahao.lopes@ifrn.edu.br Objetivos Criar objetos que controlem a criação

Leia mais

Linguagem de Programação

Linguagem de Programação Linguagem de Programação Vetores e Strings int vetor[] / rand() / #define / char string[] / gets() Gil Eduardo de Andrade Vetores Introdução Um vetor pode ser definido como é um conjunto de elementos (variáveis)

Leia mais

Ambiente de desenvolvimento

Ambiente de desenvolvimento Linguagem C Ambiente de desenvolvimento Um programa em C passa por seis fases até a execução: 1) Edição 2) Pré-processamento 3) Compilação 4) Linking 5) Carregamento 6) Execução Etapa 1: Criação do programa

Leia mais

LINGUAGEM C: ARRAY: VETORES E MATRIZES

LINGUAGEM C: ARRAY: VETORES E MATRIZES LINGUAGEM C: ARRAY: VETORES E MATRIZES Prof. André Backes POR QUE USAR ARRAY? As variáveis declaradas até agora são capazes de armazenar um único valor por vez. Sempre que tentamos armazenar um novo valor

Leia mais

Exercícios sobre algoritmos

Exercícios sobre algoritmos Exercícios sobre algoritmos Exercícios envolvendo estruturas de decisão Fazer um algoritmo para: 1) Receber um número do usuário e mostrar se esse número é par ou não par 2) Receber 3 valores numéricos,

Leia mais

Programação Orientada a Objetos Classes e Objetos. Prof. Vicente Paulo de Camargo

Programação Orientada a Objetos Classes e Objetos. Prof. Vicente Paulo de Camargo Programação Orientada a Objetos Classes e Objetos Prof. Vicente Paulo de Camargo A Programação Orientada a Objetos (POO) surgiu no final da década de 60 com a linguagem Simula-68. Os conceitos de POO foram

Leia mais

Linguagem C: Introdução

Linguagem C: Introdução Linguagem C: Introdução Linguagem C É uma Linguagem de programação genérica que é utilizada para a criação de programas diversos como: Processadores de texto Planilhas eletrônicas Sistemas operacionais

Leia mais

Apresentação da ferramenta de programação. Comandos de entrada e saída. Prof. Alex Camargo

Apresentação da ferramenta de programação. Comandos de entrada e saída. Prof. Alex Camargo UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS BAGÉ ALGORITMOS E PROGRAMAÇÃO Apresentação da ferramenta de programação. Comandos de entrada e saída Prof. Alex Camargo alexcamargoweb@gmail.com Linguagem C A linguagem

Leia mais

Revisão C++ - Parte 1

Revisão C++ - Parte 1 Revisão C++ - Parte 1 Prof. Gustavo Leitão Campus Natal Central Disciplina Programação para Ambiente de Redes 5/3/2010 Objetivo da Aula 5/3/2010 5/3/2010 OBJETIVO DA AULA Revisar os principais comandos

Leia mais

Plano de Ensino PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS

Plano de Ensino PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS Plano de Ensino PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS Título PE - Programação Orientada a Objetos Código da disciplina SIA CCT0079 16 Número de semanas de aula 6 Número de créditos Quantidade total de horas

Leia mais

Array em Java. Figura 1 - Exemplo de um array de inteiros

Array em Java. Figura 1 - Exemplo de um array de inteiros Array em Java 1. Objetivos Nesta lição, abordaremos Array em Java. Primeiro, definiremos o que é array e, então, discutiremos como declará-los e usá-los. Ao final desta lição, o estudante será capaz de:

Leia mais

Notas de Aula 01: Introdução à linguagem de programação Java e ao ambiente de desenvolvimento NetBeans

Notas de Aula 01: Introdução à linguagem de programação Java e ao ambiente de desenvolvimento NetBeans Notas de Aula 01: Introdução à linguagem de programação Java e ao ambiente de desenvolvimento NetBeans Objetivos da aula: Introduzir conceitos da linguagem Java Apresentar um histórico da linguagem Apresentar

Leia mais

Programação de Computadores III

Programação de Computadores III Programação de Computadores III Pseudocódigo e Estruturas Básicas de Controle Professor Hugo de Oliveira Barbalho hbarbalho@ic.uff.br Material produzido pelo professor: Leandro Augusto Frata Fernandes

Leia mais

Programação de Computadores:

Programação de Computadores: Instituto de C Programação de Computadores: Pseudocódigo e Estruturas Básicas de Controle Luis Martí Instituto de Computação Universidade Federal Fluminense lmarti@ic.uff.br - http://lmarti.com Roteiro

Leia mais

Esta categoria mais geral, à qual cada objeto pertence, denominamos de classe; IFSC/POO + JAVA - prof. Herval Daminelli

Esta categoria mais geral, à qual cada objeto pertence, denominamos de classe; IFSC/POO + JAVA - prof. Herval Daminelli Esta categoria mais geral, à qual cada objeto pertence, denominamos de classe; Tudo no mundo real pode ser representado por meio do conceito de "objeto": uma planta, uma mesa, uma pessoa, um sentimento,

Leia mais

Linguagem de programação métodos/funções

Linguagem de programação métodos/funções Instituto Federal de Minas Gerais Campus Ponte Nova Linguagem de programação métodos/funções Professor: Saulo Henrique Cabral Silva MÉTODOS / MODULARIZANDO Modularizando... 2 Métodos Funções Sub-rotinas

Leia mais

Introdução a classes e objetos. Prof. Marcelo Roberto Zorzan Prof a. Rachel Reis

Introdução a classes e objetos. Prof. Marcelo Roberto Zorzan Prof a. Rachel Reis Introdução a classes e objetos Prof. Marcelo Roberto Zorzan Prof a. Rachel Reis Estruturas de Seleção if... else Operador condicional (? : ) switch Aula de Hoje Estruturas de Repetição: while/do... while/for

Leia mais

Algoritmos e Programação

Algoritmos e Programação Algoritmos e Programação Aula 5 Estruturas de Repetição Profa. Marina Gomes marinagomes@unipampa.edu.br 26/04/2017 Engenharia de Computação - Unipampa 1 Aula de Hoje Estrutura de repetição Comando for

Leia mais

Working 03 : Conceitos Básicos II

Working 03 : Conceitos Básicos II Universidade Federal do Espirito Santo Centro Tecnologico Working 03 : Conceitos Básicos II Objetivos: Dominar a construção de estruturas de seleção em C; Aperfeiçoarse na resolução de problemas, da primeira

Leia mais

Vetores são estruturas indexadas utilizadas para armazenar dados de um mesmo tipo: int, char, float ou double. Oexemploaseguirédeumvetordeinteiros:

Vetores são estruturas indexadas utilizadas para armazenar dados de um mesmo tipo: int, char, float ou double. Oexemploaseguirédeumvetordeinteiros: 18 Vetores Ronaldo F. Hashimoto e Carlos H. Morimoto Nessa aula vamos introduzir o tipo vetor. Aofinaldessaaulavocêdeverásaber: Descrever o que são vetores na linguagem C. Declarar vetores. Como acessar

Leia mais

Linguagem de Programação

Linguagem de Programação Linguagem de Programação Laços de Repetição for() / while() / do{}while() Gil Eduardo de Andrade Introdução Laços de Repetição Um laço de repetição permite que um determinado trecho de código seja executado

Leia mais

4ª Lista de Exercícios de Programação I

4ª Lista de Exercícios de Programação I 4ª Lista de Exercícios de Programação I Instrução As questões devem ser implementadas em C. 1. Faça um algoritmo que leia 10 valores inteiros armazenando-os em um vetor e depois calcule a soma dos valores

Leia mais

Como construir um compilador utilizando ferramentas Java

Como construir um compilador utilizando ferramentas Java Como construir um compilador utilizando ferramentas Java p. 1/2 Como construir um compilador utilizando ferramentas Java Aula 1 - Introdução Prof. Márcio Delamaro delamaro@icmc.usp.br Como construir um

Leia mais

Infra-Estrutura de Hardware

Infra-Estrutura de Hardware Infra-Estrutura de Hardware Prof. Wilton O. Ferreira Universidade Federal Rural de Pernambuco UFRPE 1 Semestre/2012 Conjunto de Instruções Conteúdo Operações do Hardware do Computador Representando Instruções

Leia mais

Programação de Computadores III

Programação de Computadores III Programação de Computadores III Pseudocódigo e Estruturas Básicas de Controle Professor Leandro Augusto Frata Fernandes laffernandes@ic.uff.br Material disponível em http://www.ic.uff.br/~laffernandes/teaching/2013.1/tcc-00.157

Leia mais

Linguagem de Programação Visual

Linguagem de Programação Visual Linguagem de Programação Visual Unidade 4 - Introdução à API Swing - JOptionPane Curso Técnico em Informática SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 API SWING... 3 A CLASSE JOPTIONPANE... 3 PRINCIPAIS MÉTODOS DA CLASSE

Leia mais

Mini apostila de Python - Oficina de Vestibulandos. PET Computação - UFPR September 2016

Mini apostila de Python - Oficina de Vestibulandos. PET Computação - UFPR September 2016 Mini apostila de Python - Oficina de Vestibulandos PET Computação - UFPR September 2016 1 Sumário 1 Introdução 3 2 Obtenção e Instalação 3 3 Variáveis 3 4 Operações Matemáticas 5 5 Entrada de Dados 6 6

Leia mais

Funções em Linguagem C Parte II

Funções em Linguagem C Parte II Slides inicialmente preparados pelo Prof. Dr. Claudio Fabiano Motta Toledo Funções em Linguagem C Parte II Profa. Dra. Elisa Yumi Nakagawa 1. Semestre 2017 Sumário Introdução a Ponteiros Escopo de Variáveis

Leia mais

system("pause"); //Envia comando para o sistema operacional solicitando parada de execução do programa } //limitador do corpo do programa

system(pause); //Envia comando para o sistema operacional solicitando parada de execução do programa } //limitador do corpo do programa Atividade Prática no Ambiente Dev C++ Para as nossas atividades práticas vamos utilizar o ambiente de desenvolvimento da Linguagem C, Dev C++, ele é bastante fácil de utilizar e com muitos recursos. Segue

Leia mais

Introdução aos computadores, à Internet e à World Wide Web. Prof. Marcelo Roberto Zorzan

Introdução aos computadores, à Internet e à World Wide Web. Prof. Marcelo Roberto Zorzan Introdução aos computadores, à Internet e à World Wide Web Prof. Marcelo Roberto Zorzan História do Java Origem Linguagem desenvolvida pela Sun Microsystems Sintaxe similar ao C++ Inicialmente chamada

Leia mais

Atualização Técnica e Pedagógica de Professores no componente de Lógica de Programação com C# (console) Semana 4 Vetor e Matriz

Atualização Técnica e Pedagógica de Professores no componente de Lógica de Programação com C# (console) Semana 4 Vetor e Matriz Atualização Técnica e Pedagógica de Professores no componente de Lógica de Programação com C# (console) Semana 4 Vetor e Matriz Prof. Tiago Jesus de Souza Introdução Vetores e Matrizes em geral são caracterizadas

Leia mais

Alocação Dinâmica em C

Alocação Dinâmica em C Universidade de São Paulo São Carlos Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação Alocação Dinâmica em C Profa Rosana Braga Adaptado de material preparado pela profa Silvana Maria Affonso de Lara

Leia mais

Java Variáveis e Controle Fluxo

Java Variáveis e Controle Fluxo Java Variáveis e Controle Fluxo 1 Variáveis primitivas p Todo bloco em java é delimitado por chaves ({ } ); p Dentro de um bloco, podemos declarar variáveis e usa las; p Em Java, toda variável tem um tipo

Leia mais

Aula 11 Introdução ao Java Script

Aula 11 Introdução ao Java Script Aula 11 Introdução ao Java Script Java Script é uma linguagem que permite trabalhar com a Lógica em páginas escritas em HTML (HiperText Mark-up Language). As páginas HTML podem ser escritas utilizando-se

Leia mais

Introdução ao C# com o Microsoft Visual Studio Community 2015

Introdução ao C# com o Microsoft Visual Studio Community 2015 José Roberto Madureira Junior Adaní Cusin Sacilotti Adriana Rodrigues Reginaldo Sacilotti Introdução ao C# com o Microsoft Visual Studio Community 2015 Primeira Edição São Paulo 2016 Sumário 1 INTRODUÇÃO

Leia mais

Estruturas de Repetição. for() while() do-while() break; continue;

Estruturas de Repetição. for() while() do-while() break; continue; Estruturas de Repetição for() while() do-while() break; continue; 1 Auto-Ajuda (!) Como ajudar a solucionar erros básicos do meu programa? Verificar os ; Verificar se não há comandos em maiúsculas; Verificar

Leia mais

BCC Introdu c ao ` a Programa c ao Portugol Guillermo C amara-ch avez UFOP 1/35

BCC Introdu c ao ` a Programa c ao Portugol Guillermo C amara-ch avez UFOP 1/35 BCC 201 - Introdução à Programação Portugol Guillermo Cámara-Chávez UFOP 1/35 Introdução I Lógica A lógica é usada no dia a dia das pessoas que trabalham com computação para solucionar problemas de forma

Leia mais

9. Comando de repetição com variável de controle (para.. de.. até.. faça)

9. Comando de repetição com variável de controle (para.. de.. até.. faça) 9. Comando de repetição com variável de controle (para.. de.. até.. faça) Com o uso das estruturas enquanto e repita é possível elaborar rotinas que efetuam a execução de um looping um determinado número

Leia mais

Universidade Federal de Goiás Bacharelado em Ciências da Computacão Compiladores

Universidade Federal de Goiás Bacharelado em Ciências da Computacão Compiladores Universidade Federal de Goiás Bacharelado em Ciências da Computacão Compiladores 2013-2 Compilador para a Linguagem Cafezinho Especificação dos trabalhos: T2 (Geração da Representação Intermediária e Análise

Leia mais

Introdução a Programação de Jogos

Introdução a Programação de Jogos Introdução a Programação de Jogos Aula 03 Introdução a Linguagem C Edirlei Soares de Lima Estrutura de um Programa C Inclusão de bibliotecas auxiliares: #include Definição

Leia mais

Algoritmos e Programação. Linguagem C Procedimentos e. Eliane Pozzebon

Algoritmos e Programação. Linguagem C Procedimentos e. Eliane Pozzebon Algoritmos e Programação Linguagem C Procedimentos e Funções Eliane Pozzebon Procedimentos e Funções Procedimentos são estruturas que agrupam um conjunto de comandos, que são executados quando o procedimento

Leia mais

MESMO QUE ESTAS VARIÁVEIS TENHAM NOME IDÊNTICOS

MESMO QUE ESTAS VARIÁVEIS TENHAM NOME IDÊNTICOS Funções As funções são blocos de instruções que facilitam o entendimento do código. Porque usar funções? Para permitir o reaproveitamento de código já construído (por você ou por outros programadores);

Leia mais

Bacharelado em Ciência e Tecnologia Processamento da Informação. Equivalência Portugol Java. Linguagem Java

Bacharelado em Ciência e Tecnologia Processamento da Informação. Equivalência Portugol Java. Linguagem Java Linguagem Java Objetivos Compreender como desenvolver algoritmos básicos em JAVA Aprender como escrever programas na Linguagem JAVA baseando-se na Linguagem Portugol aprender as sintaxes equivalentes entre

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS BAGÉ ALGORITMOS E PROGRAMAÇÃO. Estruturas de repetição. Prof. Alex Camargo

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS BAGÉ ALGORITMOS E PROGRAMAÇÃO. Estruturas de repetição. Prof. Alex Camargo UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS BAGÉ ALGORITMOS E PROGRAMAÇÃO Estruturas de repetição Prof. Alex Camargo alexcamargoweb@gmail.com Estruturas de repetição As estruturas de repetição provém uma maneira

Leia mais

UNISINOS - UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS (C6/6) Curso: Informática

UNISINOS - UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS (C6/6) Curso: Informática Programação 1 Prof. Osório Aula 05 Pag.: 1 UNISINOS - UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS (C6/6) Curso: Informática PROGRAMAÇÃO I AULA 05 Disciplina: Linguagem

Leia mais

Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) Estruturas Condicionais e de Repetição

Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) Estruturas Condicionais e de Repetição Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) Estruturas Condicionais e de Repetição 1 Comando while Deseja-se calcular o valor de: 1 + 2 + 3 +... + N. Observação: não sabemos, a priori, quantos termos

Leia mais

Algoritmos e Programação

Algoritmos e Programação ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA

Leia mais

Dicas para implementação do Trabalho 6

Dicas para implementação do Trabalho 6 Dicas para implementação do Trabalho 6 1 Passo a passo para implementação do trabalho 1 Faça um exemplo que contemple todos os possíveis comandos que sua linguagem aceita. Um possível exemplo, faltando

Leia mais

Unidade 11: Programando Swing com o NetBeans Prof. Daniel Caetano

Unidade 11: Programando Swing com o NetBeans Prof. Daniel Caetano Linguagem de Programação 1 Unidade 11: Programando Swing com o NetBeans Prof. Daniel Caetano Objetivo: Construir uma aplicação baseada na classe Jdialog do Java Swing. INTRODUÇÃO Na aula passada vimos

Leia mais

Programação Básica. Estrutura de um algoritmo

Programação Básica. Estrutura de um algoritmo Programação Básica Estrutura de um algoritmo Código-fonte Como vimos na aula anterior um algoritmo pode ser representado usando um fluxograma Um algoritmo pode também ser representado usando texto Esse

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Prof. Felippe Scheidt IFPR Campus Foz do Iguaçu. Introdução ao Javascript #1

Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Prof. Felippe Scheidt IFPR Campus Foz do Iguaçu. Introdução ao Javascript #1 Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Prof. Felippe Scheidt IFPR Campus Foz do Iguaçu JS Introdução ao Javascript #1 JavaScript é uma linguagem de programação. Desenvolvida

Leia mais

LP II Estrutura de Dados

LP II Estrutura de Dados LP II Estrutura de Dados Linguagem C Seleção e Repetição Prof. José Honorato F. Nunes honorato.nunes@ifbaiano.bonfim.edu.br Resumo da aula Estruturas de Seleção Simples Composta Aninhada Estruturas de

Leia mais

CURSO JAVA NA PRÁTICA

CURSO JAVA NA PRÁTICA CURSO JAVA NA PRÁTICA Módulo I Alguns conceitos, regras, convenções, preparação do ambiente, primeiro programa. Módulo II Noções de Orientação a Objetos, classes, métodos, variáveis, parâmetros, tipos

Leia mais

WINDOWS FORMS APPLICATION - Aplicação (Programa) que não usa a CONSOLE

WINDOWS FORMS APPLICATION - Aplicação (Programa) que não usa a CONSOLE WINDOWS FORMS APPLICATION - Aplicação (Programa) que não usa a CONSOLE 1. Introdução. Uma Aplicação Windows Forms consiste em programas GRÁFICOS fundamentados no conceito de JANELAS que, no Visual Studio,

Leia mais

Capítulo 6: Arquivos

Capítulo 6: Arquivos Capítulo 6: Arquivos Waldemar Celes e Roberto Ierusalimschy 29 de Fevereiro de 2012 1 Funções de entrada e saída em arquivos Nos capítulos anteriores, desenvolvemos programas que capturam seus dados de

Leia mais

LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO ESTRUTURADA CAPÍTULO 5 ESTRUTURAS DE REPETIÇÃO EM C#

LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO ESTRUTURADA CAPÍTULO 5 ESTRUTURAS DE REPETIÇÃO EM C# LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO ESTRUTURADA CAPÍTULO 5 ESTRUTURAS DE REPETIÇÃO EM C# As estruturas de repetição são muito úteis e empregadas quando se deseja executar uma, ou um bloco, de instruções diversas

Leia mais

INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO - EPET006 Aula 3

INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO - EPET006 Aula 3 INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO - EPET006 Aula 3 Heleno Pontes Bezerra Neto - helenopontes@lccv.ufal.br 2.3 Linguagem de Programação 2.4. Introdução ao MATLAB 2. NOÇÕES DE LÓGICA E ALGORITMOS Exercícios Escrever

Leia mais

Tipos de Dados, Variáveis e Entrada e Saída em C. DCC 120 Laboratório de Programação

Tipos de Dados, Variáveis e Entrada e Saída em C. DCC 120 Laboratório de Programação Tipos de Dados, Variáveis e Entrada e Saída em C DCC 120 Laboratório de Programação Variáveis Uma variável representa um espaço na memória do computador para armazenar um determinado tipo de dado. Em C,

Leia mais

Linguagens de Programação Classificação

Linguagens de Programação Classificação Classificação Classificação A proximidade que a linguagem de programação tem com a humana determina sua classe (o nível): Linguagem de máquina (primeira geração) Linguagem assembly - de montagem (segunda

Leia mais

INF1636 PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS

INF1636 PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS INF1636 PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS Departamento de Informática PUC-Rio Ivan Mathias Filho ivan@inf.puc-rio.br Programa Capítulo 9 Tratamento de Exceções Assertivas 1 Programa Capítulo 9 Tratamento

Leia mais

Apostila de Fortran. É uma pseudo-linguagem a qual oferece recursos para que o programador possa codificar e testar os seus algoritmos.

Apostila de Fortran. É uma pseudo-linguagem a qual oferece recursos para que o programador possa codificar e testar os seus algoritmos. Apostila de Fortran Fortran Uma das linguagens de programação mais velhas, o FORTRAN foi desenvolvido por uma equipe de programadores conduzida por John Backus na IBM, e foi primeiramente publicada em

Leia mais

Aula 4 Estruturas de Controle

Aula 4 Estruturas de Controle UNIP Universidade Paulista Ciência da Computação Aula 4 Estruturas de Controle Prof. Célio Ricardo Castelano 1 Tópicos Abordados 1) Instruções de seleção em Java: 2) Instruções de repetição em Java: 2

Leia mais

4 TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

4 TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Programação Orientada a Objetos Aula 4 Programação Orientada a Objetos Entrada e Saída de Dados GUI em Java: pacote Swing O exemplo abaixo emprega o pacote Swing (javax.swing), que emprega componentes

Leia mais