X - SOFTWARES/LINGUAGENS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "X - SOFTWARES/LINGUAGENS"

Transcrição

1 23 X - SOFTWARES/LINGUAGENS O software é um conjunto de instruções que, colocadas numa seqüência lógica, informa ao computador o que deve ser feito. Dessa forma, o software é utilizado para gerir o funcionamento do computador e ampliar sua potencialidade, para que possamos ter a solução de um problema. Podemos dividir o software em três grupos: software básico, software utilitário e software aplicativo. SOFTWARE BÁSICO É um conjunto de programas que define o padrão de comportamento do equipamento, tornando-o utilizável, ou seja, são os programas usados para permitir o funcionamento do hardware. O Software básico é orientado para a máquina e torna possível a operação e a própria programação do computador. Sistema Operacional - São os programas que gerenciam todos os sistemas internos da máquina, supervisionando o funcionamento de todo o sistema e administrando os recursos e facilidades do computador. São as funções básicas que o computador realiza, tais como conhecer os seus periféricos, realizar tarefas inerentes a ele, como copiar, apagar, mover, renomear arquivos, etc. Exemplos: MS- DOS, OS/2, WINDOWS 9x, WINDOWS XP, WINDOWS 2000/2003, UNIX, XENIX e ECO-UNIX, LINUX, etc. Tradutores - São programas responsáveis pela tradução da língua conhecida pelo homem para a linguagem conhecida pelo computador (código binário ou linguagem de máquina). Esses programas transformam programas escritos em linguagem de alto nível (programa fonte) em linguagem de máquina (programa objeto). Compilador - Programa que traduz as instruções escritas em uma linguagem de programação legível como o Pascal, C ou Delphi e transforma em um programa

2 24 executável que o computador consegue entender e processar diretamente. O compilador transforma um programa fonte em programa objeto e somente depois de gerado integralmente é que será executado. Interpretador - É o tradutor de uma linguagem de programação de alto nível, que converte as instruções para a linguagem de máquina, mas não cria uma versão executável do programa. Os interpretadores traduzem e executam os programas ao mesmo tempo. Em geral são mais lentos que os compiladores, já que aqueles fazem a tradução de uma única vez e, a partir daí, executam diretamente o programa traduzido. SOFTWARE UTILITÁRIO São programas desenvolvidos com aplicações definidas, que facilitam a operação do computador por parte do usuário. Simuladores - Geradores de movimento (animação) ou geradores de som (sintetizadores). Ex.: Simuladores de vôo, de helicóptero, de submarino. Ferramentas Operacionais - Atuam junto ao sistema operacional, auxiliando na realização de algumas tarefas. Tem a função de auxiliar o usuário e corrigir problemas (simples) em disco, como compactar arquivos, ou verificar erros no disco, por exemplo. Ex.: Norton Utilities, Desfragmentador de arquivos, Scandisk.

3 25 SOFTWARE APLICATIVO São programas utilizados na automação das rotinas comerciais, industriais e científicas. É o conjunto de programas voltados para a solução de problemas do usuário ou seja, executa uma série de instruções comandadas pelo usuário. Aplicativo de Uso Específico - São aqueles programas que se destinam exclusivamente a um único tipo de aplicação, tais como Folha de Pagamento, Contabilidade, Contas a Pagar, etc. Satisfazendo um usuário específico. Aplicativos de Uso Geral - São programas que podem ser utilizados em vários tipos de aplicações diferentes, tais como editores de texto, planilhas eletrônicas, editores gráficos, gerenciadores de banco de dados, etc., satisfazendo as necessidades de vários usuários. Editor de Texto - O editor de texto permite que o usuário produza documento de modo rápido e eficiente, como por exemplo cartas comerciais e pessoais, relatórios e Manuais, informativos e panfletos. O editor de texto permite que o usuário altere facilmente o texto de um documento, fornece recursos poderosos que ajudam na edição de um documento de forma eficiente, localizando ou substituindo palavras, verificando ortografia e muito mais. Os editores de texto mais utilizados incluem MS-Word, Br.Office(Word), etc. Planilhas Eletrônicas - O programa de planilha ajuda a gerenciar, analisar e apresentar informações. As planilhas podem ser usadas para a criação de gráficos, controlar finanças pessoais e relatórios financeiros. O usuário pode usar diversas formulas para executar cálculos nos dados de uma planilha. A maioria das planilhas oferecem formulas prontas, chamadas de funções, que permitem executar cálculos sem digitar fórmulas longas e complexas. Ao alterar os dados de uma planilha, o usuário não precisa se preocupar em refazer os cálculos, a própria planilha os refaz automaticamente os resultados. As planilhas permitem a exibição dos dados em forma de gráficos e oferecem vários recursos para melhorar a aparência da apresentação dos dados. As planilhas mais conhecidas incluem o MS-Excel, Quattro-Pro, Lotus-123, etc. Gerenciador de Banco de Dados - Os gerenciadores de banco de dados ajudam o usuário a gerenciar grandes coleções de informações, agindo como assistentes pessoais do usuário. Os gerenciadores de banco de dados organizam, classificam, recuperam e comparam as informações armazenadas. As aplicações mais comuns dos gerenciadores de banco de dados são armazenar dados, analisar

4 26 dados, criar relatórios, criar etiquetas, cartas e envelopes. Alguns gerenciadores banco de dados: Access, DBU (Clipper), Fox-Pro, Paradox, etc. Editoração Eletrônica - Os programas de editoração eletrônica ajudam ao usuário na criação de documentos complexos, combinando textos e imagens na mesma página. O usuário pode usar um software de editoração eletrônica para criar informativos, panfletos, manuais, livros, folhetos, anúncios e revistas. Os programas mais conhecidos de editoração eletrônica incluem o Adobe, PageMaker, CorelDRAW, Ventura Publisher e QuarkXPress. Integrados - Softwares que realizam várias aplicações, permitindo comunicação entre seus módulos, de forma que os dados possam ser acessados pelo Editor de Texto ou pela Planilha Eletrônica. Os mais conhecidos incluem o MS- Works (Banco de Dados, Editor, Planilha), Open Access (Banco de Dados, Planilha, Editor, Gráficos), IBM - Works (banco de Dados, Planilha, Editor, Agenda). Geradores de Gráficos - Os softwares geradores de gráficos são utilizados para desenhar gráficos e elaborar desenhos e diagramas. Entre os softwares de gráficos mais populares incluem o PhotoShop, 3D Studio, Autocad. LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO As linguagens de programação são conjuntos de instruções que orientam a realização de uma tarefa pelo computador, servem de tradutores entre nós e a máquina. Com as linguagens de programação é que os programadores criam os aplicativos para os usuários trabalharem ou se divertirem. Existem diversos tipos de linguagens, cada uma possui suas vantagens e desvantagens e são utilizadas em diferentes aplicações. Linguagem de Máquina - Consiste na programação de códigos binários, atualmente é responsável pela programação básica fornecida pelo fabricante do hardware. Cada microprocessador tem o seu conjunto de instruções específico. Linguagem de Baixo Nível - Possuem maiores recursos de programação e permitem maior controle dos dispositivos do computador, são mais difíceis, pois são muito semelhantes à linguagem de máquina. O programador deve programar passo a passo cada instrução que o computador irá executar. Explora ao máximo a capacidade do computador a fim de ocupar menos espaço na memória. Para ser usada requer o uso de montador. Como exemplo de linguagem de baixo nível temos o Assembly. Linguagem de Alto Nível - São de fácil utilização, a maior parte dos comandos realiza internamente o controle dos dispositivos. Foram elaboradas para evitar a natureza tediosa e propensa a erros das linguagens de baixo nível, fazendo com que o computador faça o trabalho que gerar as instruções em linguagem de máquina. São semelhantes a linguagem natural, portanto os programas podem ser escrito e testados mais rapidamente, além da facilidade de adaptações, modificações e melhorias. Para serem usadas necessitam ser traduzidas para linguagem de máquina, através de compiladores ou interpretadores. As linguagens

5 27 de alto nível mais usadas são o Cobol, Fotran, Pascal, Natural, Clipper, Logo, Visual Basic, C, Delphi, Java, etc. Linguagem de Quarta Geração - As linguagens de quarta geração são linguagens orientadas ao objeto (a um problema), utilizam tecnologia de Banco de Dados Relacionais. As linguagens de quarta geração são baseadas na linguagem de consulta SQL (Strutured Query Language) desenvolvida pela IBM. Ex.: PL SQL (Oracle), Progress, SQL (IBM). PRINCIPAIS LINGUAGENS Na prática as linguagens pertencem a duas grandes categorias: 1ª - Assembly - essencialmente da mesma natureza que as linguagens de máquina, os assemblers (programa objeto) facilitam o trabalho dos programadores. 2ª - Linguagens evoluídas - são linguagens de alto nível, com sintaxe mais próxima da escrita tradicional. Algumas linguagens evoluídas são: a) ADA - criada pelo Honeywell Bull em 1973/75 para o Departamento de Defesa dos Estados Unidos; voltada equipamentos com processadores múltiplos e grandes recursos de memória: é estruturada, aceita entrada e saída por múltiplos dispositivos e permite a execução de tarefas com controles de erros durante a execução. Seu nome é homenagem àquela considerada a primeira programadora; Augusta Ada Byron, condessa de Lovelace. b) ALGOL (Algorithimic Oriented Language) - voltada à expressão de algoritmos, portando de característica científica; a versão mais significativa é o ALGOL/60. É pouco difundida em face ao alto custo do compilador que requer. c) APL (A Programming Language) - destinada a terminais em aplicação interativas; muito própria para operar com vetores, matrizes e funções matemáticas. d) LINGUAGEM C - aplicações modernas tais como o CAD-CAM - apoio do computador no projeto, no desenho e na fabricação de peças e produtos -, a multimídia e automação de escritórios, a inteligência artificial e outras vem exigindo crescentes avanços e novas concepções na área de Software, tanto em nível de gerência de dados quanto ao que se refere a linguagem de manipulação e desenvolvimento. A linguagem de programação C está inserida neste contexto. e) BASIC - na maior parte dos microcomputadores está disponível a linguagem BASIC (Beginner`s All-purpose Symbolic Instruction Code). A proporção que os fabricantes sofisticam seus equipamentos, implementando-os com maior recursos e opções, o repertório de instruções disponíveis é incrementado, ou seja, surgem diferentes versões da linguagem. O BASIC, em sua concepção original, aplica-se às diversas famílias de microcomputadores. É comum, no entanto, haver necessidades de adaptações quando se deseja processar, em um segundo equipamento, programa de certa complexidade, desenvolvido com vistas a um outro equipamento de recursos diferentes. f) COBOL (Common Business Oriented Language) - é o resultado de um esforço para estabelecer uma linguagem padrão de programação de computadores no processamento de dados comerciais. Usuários e fabricantes de computadores (CODASYL) lançaram a sua primeira versão em agosto de 1961.

6 28 Os problemas comerciais, em sua maior parte, envolvem arquivos: dados estão cadastrados; são consultados, alterados, substituídos; a seguir, transfere-se o resultado desse processamento novamente para um ou mais arquivos. O COBOL está orientado exatamente para que o pessoal afeito a problemas dessa natureza tenha muita facilidade em dominá-lo a similitude criada em relação aos procedimentos rotineiros dos escritórios. Essa a razão pela qual tem extraordinária importância e é, ainda hoje, amplamente utilizado: trata-se da mais bem padronizada de todas as linguagens. g) FORTRAN - atende às necessidades de tratamento de cálculos sobre fórmulas matemáticas. h) LISP - voltada à tradução e documentação automática de textos, desenvolvida no início da década de 60. i) LOGO - especialmente desenvolvida para o meio educacional; inicialmente voltada para grandes computadores, em seguida, foi implementada em microcomputadores; presta-se prioritariamente, para introduzir o computador como instrumento e desenvolvimento intelectual, desde a pré-escola até o ensino universitário. j) MUMPS (Massachusetts General Hospital Utility Multi-Programming Sistem) - mais do que uma linguagem, trata-se de um sistema de programação completo, que facilita o trato de dados através da manipulação de símbolos. A linguagem é sucinta, presta-se a computadores pequenos (inclusive microcomputadores de 8 bits) e a processadores interativos. k) PASCAL - desenvolvida em 1971 a partir da ALGOL/60-68, estruturada e de uso geral: aplicações comerciais e científicas. Sua versão interpretada é mais difundida do que a versão compilada por requerer menor espaço de memória e ser compatível com qualquer microcomputador com sistema operacional CP/M. l) PL1 (Programming Language One) - representa o esforço da IBM no sentido de proporcionar uma linguagem orientada para problemas de qualquer natureza a partir dos recursos do ALGOL, do FORTRAN e do COBOL. m) SNOBOL (Strig Oriented Symbolic Language) - linguagem mais utilizada na criação de compiladores e editores de textos; presta-se ao processamento de string de caracteres e de expressões matemáticas. n) Java - é uma linguagem de programação orientada a objeto desenvolvida na década de 90 pelo programador James Gosling, na empresa Sun Microsystems. Diferentemente das linguagens convencionais, que são compiladas para código nativo, a linguagem Java é compilada para um "bytecode" que é executado por uma máquina virtual. Java tornou-se popular pelo seu uso na Internet e hoje possui seu ambiente de execução presente em web browsers, mainframes, SOs, celulares, palmtops e cartões inteligentes, entre outros.

7 29 XI MULTIMÍDIA A multimídia é uma mistura interessante de imagens, textos e som. Os títulos de multimídia fornecem um poderoso meio de transmitir informações em praticamente todas as áreas, tais como educação, história e política, artes, saúde e ciência e jogos. Os títulos multimídia permitem ao usuário ver imagem colorida em suas telas, bem como associar sons e textos a esta imagem. Um único CD-ROM pode armazenar informações de um conjunto de enciclopédias. Trabalhando com a filosofia de hipertexto, o usuário navega pelas informações conforme as dúvidas vão surgindo, selecionando as palavras em negrito ou sublinhadas, o texto é desviado para aquele conteúdo específico. O usuário pode assistir ao vídeo na tela de seu computador, ou pode transformá-lo em seu aparelho estéreo ou ouvir suas músicas preferidas enquanto usa em título multimídia. Pode também assistir ou criar animações que mostram como as coisas funcionam ou simular viagens espaciais e outras coisas. XII REALIDADE VIRTUAL A realidade virtual é um recurso do computador que visa simular as condições da realidade física, ou seja, sensações em tempo real e capacidade de interagir com o mundo ao seu redor. Permite ao usuário ter uma visão em três dimensões (3D), com seis graus de liberdade (6GDL). Isso mostra a capacidade do software de definir seis tipos de movimento: para frente/trás, acima/abaixo, esquerda/direita, inclinação para cima/para baixo, angulação a esquerda/direita e rotação a esquerda/direita; e também a capacidade do hardware em reconhecê-los. As ferramentas de realidade virtual, possibilitam ao usuário experimentar todos os tipos de realidades sem sair da frente do computador, como por exemplo: simular a realização de uma cirurgia sem estar em uma sala de operações, simular lições de vôo sem estar em um avião. Os produtos de realidade virtual simulam essas condições, de forma que, o usuário tem a sensação de tocar os objetos. Basicamente o usuário necessita de um vídeo de alta resolução. Podendo-se melhorar a sensação com tecnologia adicional, permitindo que o mundo virtual saia da tela pra dentro da sala. Para isso, pode-se usar um visor preso à cabeça como interface visual, que possibilita uma visão em 360 (por exemplo: olhar para cima e ver um céu virtual, olhar para baixo e ver o chão e, assim por diante). Pode-se também usar luvas que permitem ter a sensação de tato. Em breve os aplicativos de realidade virtual não serão um luxo, mas uma necessidade para operar o ambiente de negócios do futuro.

8 30 XIII - NOÇÕES SOBRE A ORGANIZAÇÃO DA INFORMAÇÃO ORGANIZAÇÃO DOS DADOS Quando são guardados dados em um disco, as informações são armazenadas em uma arquivo. Armazenar informações em um arquivo é como organizar dados em uma pasta dentro de um arquivo de gaveta comum. Um arquivo é uma coleção de informações identificada por um nome exclusivo que é atribuído pelo usuário. Os arquivos são a base para se usar o computador; sem eles, seu trabalho estaria perdido quando o computador fosse desligado. O arquivo pode ter qualquer tamanho, limitado apenas pelo espaço disponível no disco no qual é armazenado. As informações em um arquivo podem consistir em texto (como um memorando), dados (como um cadastro de alunos), ou programas (como o processamento de palavras). Os arquivos podem ser de dados, de comandos (os programas) ou texto. O nome do arquivo é o referencial único que o Usuário e o Sistema Operacional podem usar para diferenciar um conjunto de informações de outro. NOMES DE ARQUIVOS O formato do nome de arquivo é: NOME_PRINCIPAL.EXTENSÃO Ex.: Nome e Extensão devem ser separados por ponto CARTA.adoc CADCLI.MDB MUSICA.MP3 Quando é criado um grupo de arquivos relacionados entre si, é uma boa estratégia incluir em seus nomes um ou um grupo de caracteres que os possa associar. Os caracteres permitidos para os nomes de arquivos são: A - Z, 0-9, $, &, %, (, ), _, -, `, {, },! Não pode haver espaços em branco na identificação de um arquivo. DIRETÓRIOS E SUBDIRETÓRIOS Diretório é uma lista de arquivos que o disco contém, com as seguintes informações sobre cada um deles: nome, extensão, tamanho, além da data e da hora da última atualização e da sua localização inicial no disco. Todo o disco, depois de preparado para o uso, possui um diretório chamado RAIZ representado pela barra invertida ( \ ). O diretório RAIZ pode ser subdividido em outros diretórios. Entretanto, assim como existe o drive corrente, existe um diretório corrente.

9 31 XIV - CONCEITOS BÁSICOS SOBRE DADOS Banco de dados é qualquer sistema que reúna e mantenha organizada uma série de informações relacionadas a um determinado assunto em uma determinada ordem. A lista telefônica é um exemplo, nela percebemos que todos os dados referentes a uma pessoa estão na mesma linha, a qual chama-se registros. O tipo ou categoria da informação (nome, telefone, etc.) sobre uma pessoa está separada em colunas, as quais chamamos campos. Um Sistema Gerenciador de banco de dados relacionais(sgbdr) é usado para armazenar as informações de uma forma que permita às pessoas examiná-las de diversas maneiras. Tem-se discernido uma hierarquia de diversos níveis de dados diferenciando entre diferentes grupos ou elementos de dados. Os dados são organizados logicamente em: Caracter Um caracter é o elemento de lógico mais básico dos dados. Consiste em um único símbolo alfabético, numérico ou outro. Fisicamente um caracter equivale a um byte. Campo Um campo consiste em um grupamento de caracteres ou bytes. Um campo de dados representa um atributo (uma característica ou qualidade) de alguma entidade (objeto, pessoa, lugar ou evento). Registro Campos de dados afins são agrupados para formarem um registro. Assim, um registro representa uma coleção de atributos que descrevem uma entidade. Arquivo Um grupo de registros afins é conhecido como um arquivo ou tabela de dados. Os arquivos muitas vezes são classificados pelo aplicativo para o qual são primeiramente usados, tais como um arquivo de folha de pagamento ou um arquivo de estoque, ou pelo tipo de dados que contêm, tais como um arquivo de documento ou um arquivo de imagem gráfica. Banco de Dados Um banco de dados é um conjunto integrado de arquivos logicamente afins. Um banco de dados consolida registros previamente armazenados em arquivos separados em uma fonte comum de registros de dados que fornece dados para muitas aplicações. Os dados armazenados em um banco de dados são independentes dos programas aplicativos que os utilizam e do tipo de dispositivos de armazenamento secundário nos quais estão armazenados.

10 32 XV - INTRODUÇÃO ÀS TELECOMUNICAÇÕES O objetivo deste capítulo é apresentar uma visão geral de aplicações, tendências e redes de telecomunicações, incluindo a Internet, intranets, extranets, redes cliente/servidor e interorganizacionais, além de alternativas técnicas em telecomunicações. Aplicações das Telecomunicações Telecomunicações é toda forma de troca de informações (por exemplo, voz, dados, texto e imagens) por meio de redes baseadas em computadores. As aplicações de telecomunicações estão agrupadas em três categorias principais de sistemas que se baseiam no potencial de telecomunicações da Internet, intranets, extranets e outros tipos de rede empresarial e interorganizacional. A Revolução da Internet A Internet é hoje a maior rede de redes, chamada de supervia de informações. Aspectos diferenciais da Internet incluem: A Rede não dispõe de um servidor único ou de um centro de telecomunicações. Em vez disso, cada mensagem enviada pela Internet possui um código de endereçamento único para que qualquer servidor de Internet na rede possa encaminhá-la até seu destino. A Internet não possui uma sede ou um organismo que a governe. Aplicações da Internet WEB Telnet FTP Protocolo de Transferência de Arquivos CHAT Bate-papo Fóruns de Discussão CHAT Bate-papo Vídeo-Conferência As mais conhecidas aplicações da Internet são o , a navegação dos sites na rede e a participação em grupos de discussão e salas de bate-papo. Um software de navegação na Internet permite que milhões de usuários surfem na Rede Mundial de Computadores encaminhando-se por meio de cliques do mouse

11 33 para os recursos de informação em multimídia armazenados nas páginas com hiperlinks de empresas, governo e outros sites da rede. Os sites são os pontos de lançamento para transações de comércio eletrônico entre as empresas e seus fornecedores e clientes. A Internet fornece fóruns de discussão eletrônica e BBSs formadas e gerenciadas por milhares de grupos de notícias de interesse especial. Outras aplicações incluem o download de arquivos de software e informações e o acesso a bancos de dados fornecidos por milhares de empresas, governos e outras organizações. Manter conversas em tempo real com outros usuários da Internet. Reunir informações por meio de serviços on-line utilizando os navegadores de rede e instrumentos de procura. Uso Comercial da Internet O uso comercial da Internet está se expandindo da troca de informações eletrônicas para uma plataforma ampla para aplicações empresariais estratégicas. Os usos comerciais da Internet incluem: - Colaboração entre parceiros comerciais - Fornecimento de suporte a clientes e vendedores - Compra e venda de produtos e serviços - Aplicações de marketing, vendas e atendimento ao cliente - Crescimento de aplicações empresariais interfuncionais - Surgimento de aplicações em engenharia, manufatura, recursos humanos e contabilidade - Comunicações e colaboração entre empresas - Comércio eletrônico - Alianças comerciais estratégicas Comércio Eletrônico A Internet, a Rede Mundial de Computadores e as tecnologias baseadas na Internet, como intranets e extranets, fornecem links mundiais para os clientes e fornecedores de uma empresa. Isto possibilita aplicações de comércio eletrônico o marketing, compra, venda e assistência a produtos e serviços ao longo dessas redes. Essas aplicações incluem:

12 34 Um Modelo da Rede de Telecomunicações: C o m p o n e n te tes B á s ic ico s e m u m a R e d e d e T e le lec o m u n ic ica ç ã o P ro c e s s a d o re s d e T e le c o m u n ic a ç õ e s S o ftw a re d e T e le c o m u n ic a ç õ e s P C s, N C s, e O u tro s T e rm in a is C a n a is e M e io s d e T e le c o m u n ic a ç õ e s C o m p u ta d o re s Em geral, uma rede de telecomunicações é qualquer arranjo onde um emissor transmite uma mensagem para um receptor por um canal que consiste em algum tipo de veículo. A Figura acima ilustra um modelo conceitual simples de uma rede de telecomunicações, que mostra que ela consiste em cinco categorias básicas de componentes: Terminais São todos os dispositivos de entrada/saída que utilizam redes de telecomunicações para transmitir ou receber dados. Eles incluem: - Terminais de Vídeo - Microcomputadores - Telefones - Equipamento de Escritório - Terminais de Transação Processadores de Telecomunicações Apoiam a transmissão e recepção de dados entre terminais e computadores. Eles incluem: - Modems - Roteadores Canais de Telecomunicações e Mídia Os canais de telecomunicações fazem parte de uma rede de telecomunicações que conecta a fonte de mensagem ao receptor da mesma. Eles incluem o equipamento físico utilizado para conectar um local a outro com o objetivo de transmitir e receber informações. Os dados são transmitidos e recebidos por meio de canais, que utilizam uma diversidade de mídias de telecomunicações. As mídias incluem: - Cabos de Cobre - Cabos Coaxiais - Cabos de Fibra Ótica - Sistemas de Microondas

13 35 - Satélites de Comunicações Software de Controle de Telecomunicações Consiste em programas que controlam atividades de telecomunicações e gerenciam as funções das redes de telecomunicações. Eles incluem: Monitores de Telecomunicações (computadores principais) Sistemas Operacionais de Rede (servidores de rede de microcomputadores) Pacotes de Comunicações (para microcomputadores) Tipos de Redes de Telecomunicações Existem muitos tipos diferentes de redes de telecomunicações. Entretanto, do ponto de vista do usuário final, existem apenas alguns tipos básicos, tais como: Redes remotas Redes locais Redes interconectadas como a Internet, intranets e extranets Redes cliente/servidor e interorganizacionais Redes Remotas (WAN) R edes R em otas o O ntario 4-8 C alifórnia Norw ay M anitoba R ede R em otao B élgica B ritish ColumC bia PensilvâniaP Japão C hile R epública Dom inicana As redes remotas são redes de telecomunicações que cobrem amplas áreas geográficas. Essas redes cobrem áreas como: Uma grande cidade ou área metropolitana Um país todo Muitos países e continentes

14 36 Redes Locais (LAN): U m a R e d e L o c a ll 4-9 P C P C P C B a n co d e D a d o s e P acotes de Software C om partilhados S erve id o r d a R e d e Im p re s s o ra C o m p a rtilh a d a P C P C P ro c e ss ad o r In te rc o n e c ta d o a O u tra s R ed e s As redes locais são redes de telecomunicações que conectam dispositivos de processamento de informações dentro de uma área física limitada. Essas redes cobrem áreas como: - Escritórios - Salas de Aula - Prédios - Fábricas Algumas das características das LANs incluem: - Uso de várias mídias de telecomunicações, tais como cabeamento telefônico comum, cabo coaxial ou sistemas de rádio sem fio, para interconectarem estações de trabalho de microcomputadores e periféricos de computador. - A maioria das LANs utiliza um microcomputador potente que dispõe de um disco rígido de grande capacidade como um servidor de arquivo ou servidor de rede, que contém um programa de sistema operacional de rede (por exemplo, Novell NetWare) que controla as telecomunicações e o uso dos recursos da rede. - As LANs permitem aos usuários finais em um grupo de trabalho se comunicarem eletronicamente, compartilharem recursos de hardware, software e dados e concentrarem seus esforços no trabalho em projetos de grupo. Intranets e Extranets A meta de muitas arquiteturas conectadas em rede é criar uma rede de redes similares à Internet sem junções chamadas intranets dentro de cada organização. Esta rede de intranets é, em seguida, conectada à Internet, e às redes chamadas extranets que fornecem links eletrônicos para parceiros comerciais. As intranets são projetadas para serem redes abertas, seguras e internas, cujo software de navegação fornece acesso fácil de tipo apontar-e-clicar para usuários finais acessarem informações em multimídia em sites da rede interna. As extranets são redes que conectam alguns dos recursos de intranet de uma empresa com outras organizações e indivíduos. As organizações podem estabelecer

15 37 extranets privadas entre elas ou utilizar a Internet como parte das conexões de rede entre elas. Muitas organizações utilizam redes virtuais privadas (VPNs) para estabelecer intranets e extranets seguras. Uma rede virtual privada é uma rede segura que utiliza a Internet como sua principal rede backbone, mas se baseia em firewalls (dispositivos de proteção) e outros dispositivos de segurança de suas conexões Internet e intranet e os das organizações participantes. Redes Cliente/Servidor As redes cliente/servidor se tornaram a arquitetura predominante de informações na computação nas empresas. O poder de computação rapidamente se distribuiu e foi conectado em rede ao longo de muitas organizações por sistemas de computadores conectados em rede que assumem a forma de redes cliente/servidor. Características de uma rede cliente/servidor: PC do usuário final ou estações de trabalho NC são os clientes. Os clientes são interconectados por redes locais e compartilham o processamento de aplicações com servidores de rede, que também gerenciam as redes. O servidor pode distribuir programas ou arquivos de dados para outros computadores da rede à medida que estes os solicitam. Servidores podem ser mainframes, grandes workstations ou PC s poderosos. Problemas: as empresas precisam desenvolver novo software que possa dividir o processamento entre clientes e servidores; as redes cliente/servidor ainda não são tão confiáveis como os mainframes centrais. Mídias de Telecomunicações: Para ir de um lugar a outro, os dados devem se mover por meio de alguma coisa. Uma linha telefônica, um cabo ou a atmosfera são todas as formas de mídias, ou canais, de transmissão. Os canais de telecomunicações (linhas ou links de comunicação) são os meios pelos quais os dados e outras formas de comunicação são transmitidos entre os dispositivos de envio ou recepção em uma rede de telecomunicações. As mídias de telecomunicações são os meios físicos utilizados pelos canais de telecomunicações. Incluem: Fio de Pares Trançados Cabo Coaxial Cabo de Fibra Ótica Microondas Terrestres Satélites de Comunicações Sistemas de Telefonia Celular Rádio de Pacote e LAN Sistemas de Infravermelho Fio de Pares Trançados É o cabo telefônico comum, que consiste de fio de cobre trançado em pares (fio de pares trançados).

Vírus Spywares e Malwares

Vírus Spywares e Malwares APOSTILA Vírus Spywares e Malwares Apostila Desenvolvida por André José Contel Trechos da Cartilha de Segurança para Internet http://cartilha.cert.br/ STI - UNESP - Campus de Araçatuba 1 - Conceitos 1.1

Leia mais

NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES

NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES 1. Conectando a Empresa à Rede As empresas estão se tornando empresas conectadas em redes. A Internet e as redes de tipo Internet dentro da empresa (intranets), entre uma

Leia mais

Capítulo 5 Redes e Telecomunicações nas Empresas

Capítulo 5 Redes e Telecomunicações nas Empresas Capítulo 5 Redes e Telecomunicações nas Empresas 1 As empresas estão se tornando empresas conectadas em redes. A Internet e as redes de tipo Internet dentro da empresa (intranets), entre uma empresa e

Leia mais

Módulo 3 Redes e Telecomunicações

Módulo 3 Redes e Telecomunicações Módulo 3 Redes e Telecomunicações 1 3.1. Conceitos As empresas estão se tornando empresas conectadas em redes. A Internet e as redes de tipo Internet dentro da empresa (intranets), entre uma empresa e

Leia mais

3. Redes e Telecomunicações

3. Redes e Telecomunicações 1 3. Redes e Telecomunicações 3.1. Conceitos As empresas estão se tornando empresas conectadas em redes. A Internet e as redes de tipo Internet dentro da empresa (intranets), entre uma empresa e seus parceiros

Leia mais

Módulo 3: Redes e Telecomunicações

Módulo 3: Redes e Telecomunicações Módulo 3: Redes e Telecomunicações Objetivos do Capítulo 1. Identificar os principais tipos de aplicações e o valor comercial da Internet e outras redes de Telecomunicações para as empresas. 2. Identificar

Leia mais

André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Redes

André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Redes André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Redes Noções de Redes: Estrutura básica; Tipos de transmissão; Meios de transmissão; Topologia de redes;

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Introdução Redes de Computadores Marco Antonio Montebello Júnior marco.antonio@aes.edu.br Rede É um conjunto de computadores chamados de estações de trabalho que compartilham recursos de hardware (HD,

Leia mais

Tecnologia da Informação Apostila 02

Tecnologia da Informação Apostila 02 Parte 6 - Telecomunicações e Redes 1. Visão Geral dos Sistemas de Comunicações Comunicação => é a transmissão de um sinal, por um caminho, de um remetente para um destinatário. A mensagem (dados e informação)

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais Administração de Sistemas de Informação Gerenciais UNIDADE V: Telecomunicações, Internet e Tecnologia Sem Fio. Tendências em Redes e Comunicações No passado, haviam dois tipos de redes: telefônicas e redes

Leia mais

Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio. slide 1

Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio. slide 1 Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio slide 1 Objetivos de estudo Quais os principais componentes das redes de telecomunicações e quais as principais tecnologias de rede? Quais os principais

Leia mais

Segurança na Internet. Disciplina: Informática Prof. Higor Morais

Segurança na Internet. Disciplina: Informática Prof. Higor Morais Segurança na Internet Disciplina: Informática Prof. Higor Morais 1 Agenda Segurança de Computadores Senhas Engenharia Social Vulnerabilidade Códigos Maliciosos Negação de Serviço 2 Segurança de Computadores

Leia mais

Universidade de Brasília

Universidade de Brasília Universidade de Brasília Introdução a Microinformática Turma H Redes e Internet Giordane Lima Porque ligar computadores em Rede? Compartilhamento de arquivos; Compartilhamento de periféricos; Mensagens

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Faculdade de Computação Curso de Introdução à Informática Prof: Anilton Joaquim da Silva / Ezequiel Roberto Zorzal

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Faculdade de Computação Curso de Introdução à Informática Prof: Anilton Joaquim da Silva / Ezequiel Roberto Zorzal UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Faculdade de Computação Curso de Introdução à Informática Prof: Anilton Joaquim da Silva / Ezequiel Roberto Zorzal AULA Informática: Aplicações e Benefícios Advocacia

Leia mais

Segurança de Computadores LUBRITEC. Ver. 4.0 Data Out/2010 Vigência: Out/2011. Prezado colaborador,

Segurança de Computadores LUBRITEC. Ver. 4.0 Data Out/2010 Vigência: Out/2011. Prezado colaborador, LUBRITEC Ver. 4.0 Data Out/2010 Vigência: Out/2011 1 Prezado colaborador, O nosso dia na empresa, começa quando ligamos o computador. Logo acessamos a rede interna; recebemos, respondemos e enviamos novos

Leia mais

TELECOMUNICAÇÕES E REDES

TELECOMUNICAÇÕES E REDES Capítulo 8 TELECOMUNICAÇÕES E REDES 8.1 2003 by Prentice Hall OBJETIVOS Quais são as tecnologias utilizadas nos sistemas de telecomunicações? Que meios de transmissão de telecomunicações sua organização

Leia mais

TELECOMUNICAÇÕES E REDES

TELECOMUNICAÇÕES E REDES TELECOMUNICAÇÕES E REDES 1 OBJETIVOS 1. Quais são as tecnologias utilizadas nos sistemas de telecomunicações? 2. Que meios de transmissão de telecomunicações sua organização deve utilizar? 3. Como sua

Leia mais

Sistemas de Informação James A. O Brien Editora Saraiva Capítulo 5

Sistemas de Informação James A. O Brien Editora Saraiva Capítulo 5 Para entender bancos de dados, é útil ter em mente que os elementos de dados que os compõem são divididos em níveis hierárquicos. Esses elementos de dados lógicos constituem os conceitos de dados básicos

Leia mais

15/02/2015. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais

15/02/2015. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais Curso de Preparatório para Concursos Públicos Tecnologia da Informação REDES Conceitos Iniciais; Classificações das Redes; Topologias de Redes; Meios de Transmissão; Arquitetura de Redes; Conteúdo deste

Leia mais

Meio Físico. Mensagem. Protocolo. Emissor e Receptor. Data Terminal Equipment Data Communications Equipment

Meio Físico. Mensagem. Protocolo. Emissor e Receptor. Data Terminal Equipment Data Communications Equipment Emissor Receptor Meio Físico Mensagem Protocolo Emissor e Receptor Data Terminal Equipment Data Communications Equipment (DTE) + (DCE) Meio Físico Mensagem ( pacote ) O meio físico É o elemento que transmite

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - SI

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - SI SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - SI Elaborado e adaptado por: Prof.Mestra Rosimeire Ayres Sistemas Colaborativos Empresariais (ECS) Os sistemas colaborativos nas empresas nos oferecem ferramentas para nos ajudar

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE 1 OBJETIVOS 1. Qual é a capacidade de processamento e armazenagem que sua organização precisa para administrar suas informações e transações empresariais?

Leia mais

Tecnologia da Informação. Prof Odilon Zappe Jr

Tecnologia da Informação. Prof Odilon Zappe Jr Tecnologia da Informação Prof Odilon Zappe Jr Internet Internet Internet é o conglomerado de redes, em escala mundial de milhões de computadores interligados, que permite o acesso a informações e todo

Leia mais

UTP ( PAR TRANÇADO SEM PROTEÇÃO)

UTP ( PAR TRANÇADO SEM PROTEÇÃO) Par Trançado UTP ( PAR TRANÇADO SEM PROTEÇÃO) O cabo UTP é composto por pares de fios, sendo que cada par é isolado um do outro e todos são trançados juntos dentro de uma cobertura externa, que não possui

Leia mais

Informática. Informática. Valdir

Informática. Informática. Valdir Informática Informática Valdir Questão 21 A opção de alterar as configurações e aparência do Windows, inclusive a cor da área de trabalho e das janelas, instalação e configuração de hardware, software

Leia mais

Fonte de Consulta: Sistemas de Informação e as Decisões Gerenciais na Era da Internet James A. O Brien NOTAS DE AULA

Fonte de Consulta: Sistemas de Informação e as Decisões Gerenciais na Era da Internet James A. O Brien NOTAS DE AULA NOTAS DE AULA 1. TENDÊNCIAS EM SISTEMAS DE MICROCOMPUTADORES Existem várias categorias principais de sistemas de computadores com uma diversidade de características e capacidades. Consequentemente, os

Leia mais

Redes de Computadores. Prof. Késsia Marchi

Redes de Computadores. Prof. Késsia Marchi Redes de Computadores Prof. Késsia Marchi Redes de Computadores Redes de Computadores Possibilita a conexão entre vários computadores Troca de informação Acesso de múltiplos usuários Comunicação de dados

Leia mais

MALWARE. Spyware. Seguem algumas funcionalidades implementadas em spywares, que podem ter relação com o uso legítimo ou malicioso:

MALWARE. Spyware. Seguem algumas funcionalidades implementadas em spywares, que podem ter relação com o uso legítimo ou malicioso: MALWARE Spyware É o termo utilizado para se referir a uma grande categoria de software que tem o objetivo de monitorar atividades de um sistema e enviar as informações coletadas para terceiros. Seguem

Leia mais

Tecnologia e Infraestrutura. Conceitos de Redes

Tecnologia e Infraestrutura. Conceitos de Redes Tecnologia e Infraestrutura Conceitos de Redes Agenda Introdução às Tecnologias de Redes: a) Conceitos de redes (LAN, MAN e WAN); b) Dispositivos (Hub, Switch e Roteador). Conceitos e tipos de Mídias de

Leia mais

Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 6.1

Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 6.1 Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 6.1 6 OBJETIVOS OBJETIVOS ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE 6.1 2003 by Prentice Hall Qual é a capacidade de processamento e armazenagem

Leia mais

O Firewall do Windows vem incorporado ao Windows e é ativado automaticamente.

O Firewall do Windows vem incorporado ao Windows e é ativado automaticamente. Noções básicas sobre segurança e computação segura Se você se conecta à Internet, permite que outras pessoas usem seu computador ou compartilha arquivos com outros, deve tomar algumas medidas para proteger

Leia mais

Softwares de Sistemas e de Aplicação

Softwares de Sistemas e de Aplicação Fundamentos dos Sistemas de Informação Softwares de Sistemas e de Aplicação Profª. Esp. Milena Resende - milenaresende@fimes.edu.br Visão Geral de Software O que é um software? Qual a função do software?

Leia mais

Introdução à Informática. Aula 04. Sistemas Operacionais Aplicativos e Utilitários Transmissão e meios de transmissão de dados. Prof.

Introdução à Informática. Aula 04. Sistemas Operacionais Aplicativos e Utilitários Transmissão e meios de transmissão de dados. Prof. Aula 04 Sistemas Operacionais Aplicativos e Utilitários Transmissão e meios de transmissão de dados Sistema Operacional Um conjunto de programas que se situa entre os softwares aplicativos e o hardware:

Leia mais

AFRE. a. ( ) Instalando um programa gerenciador de carregamento, como o LILO ou o GRUB. a. ( ) Data Werehouse ; Internet ; Linux

AFRE. a. ( ) Instalando um programa gerenciador de carregamento, como o LILO ou o GRUB. a. ( ) Data Werehouse ; Internet ; Linux 1. De que forma é possível alterar a ordem dos dispositivos nos quais o computador procura, ao ser ligado, pelo sistema operacional para ser carregado? a. ( ) Instalando um programa gerenciador de carregamento,

Leia mais

1. AULA 1 - INTRODUÇÃO À REDES DE COMPUTADORES

1. AULA 1 - INTRODUÇÃO À REDES DE COMPUTADORES 1. AULA 1 - INTRODUÇÃO À REDES DE COMPUTADORES Objetivos da Aula Aprender os conceitos básicos para compreensão das próximas aulas. Na maioria dos casos, os conceitos apresentados serão revistos com maior

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TELECOMUNICAÇÕES As telecomunicações referem -se à transmissão eletrônica de sinais para as comunicações, incluindo meios como telefone, rádio e televisão. As telecomunicações

Leia mais

milenaresende@fimes.edu.br

milenaresende@fimes.edu.br Fundação Integrada Municipal de Ensino Superior Sistemas de Informação A Internet, Intranets e Extranets milenaresende@fimes.edu.br Uso e funcionamento da Internet Os dados da pesquisa de TIC reforçam

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS. 01) Considere as seguintes assertivas sobre conceitos de sistemas operacionais:

SISTEMAS OPERACIONAIS. 01) Considere as seguintes assertivas sobre conceitos de sistemas operacionais: SISTEMAS OPERACIONAIS 01) Considere as seguintes assertivas sobre conceitos de sistemas operacionais: I. De forma geral, os sistemas operacionais fornecem certos conceitos e abstrações básicos, como processos,

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação I

Administração de Sistemas de Informação I Administração de Sistemas de Informação I Prof. Farinha Aula 03 Telecomunicações Sistemas de Telecomunicações 1 Sistemas de Telecomunicações Consiste de Hardware e Software transmitindo informação (texto,

Leia mais

Fundamentos de Sistemas de Informações: Exercício 1

Fundamentos de Sistemas de Informações: Exercício 1 Fundamentos de Sistemas de Informações: Exercício 1 Fundação Getúlio Vargas Estudantes na Escola de Administração da FGV utilizam seu laboratório de informática, onde os microcomputadores estão em rede

Leia mais

Atividade Capitulo 6 - GABARITO

Atividade Capitulo 6 - GABARITO Atividade Capitulo 6 - GABARITO 1. A Internet é uma força motriz subjacente aos progressos em telecomunicações, redes e outras tecnologias da informação. Você concorda ou discorda? Por quê? Por todos os

Leia mais

Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 1: Fundamentos dos SI. Resposta do Exercício 1

Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 1: Fundamentos dos SI. Resposta do Exercício 1 Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 1: Fundamentos dos SI Resposta do Exercício 1 Fundação Getúlio Vargas Leia o texto e responda o seguinte: a) identifique os recursos de: Hardware: microcomputadores,

Leia mais

EVOLUÇÃO DOS SIST. DE COMPUTAÇÃO DÉC. DE 50 E 60

EVOLUÇÃO DOS SIST. DE COMPUTAÇÃO DÉC. DE 50 E 60 INTRODUÇÃO REDES EVOLUÇÃO DOS SIST. DE COMPUTAÇÃO DÉC. DE 50 E 60 Computadores eram máquinas grandes e complexas, operadas por pessoas altamente especializadas; Não havia interação direta entre usuários

Leia mais

Anderson L. S. Moreira

Anderson L. S. Moreira Tecnologia da Informação Aula 9 Telecomunicações e Rede Interconectando a Empresa Anderson L. S. Moreira anderson.moreira@ifpe.edu.br Instituto Federal de Pernambuco Recife PE Esta apresentação está sob

Leia mais

Componentes dos sistemas computadorizados Aula 04 FTC FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS ADMINISTRAÇÃO IV SEMESTRE

Componentes dos sistemas computadorizados Aula 04 FTC FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS ADMINISTRAÇÃO IV SEMESTRE Componentes dos sistemas computadorizados Aula 04 FTC FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS ADMINISTRAÇÃO IV SEMESTRE Componentes da infraestrutura Hardware Software Tecnologia de gerenciamento de dados Tecnologia

Leia mais

Rede de Computadores. Arquitetura Cliente-Servidor

Rede de Computadores. Arquitetura Cliente-Servidor Rede de Computadores Arquitetura ClienteServidor Coleção de dispositivos de computação interconectados que permitem a um grupo de pessoas compartilhar informações e recursos É a conexão de dois ou mais

Leia mais

Processamento de Dados

Processamento de Dados Processamento de Dados Redes de Computadores Uma rede de computadores consiste de 2 ou mais computadores e outros dispositivos conectados entre si de modo a poderem compartilhar seus serviços, que podem

Leia mais

Painel de Controle e Configurações

Painel de Controle e Configurações Painel de Controle e Configurações Painel de Controle FERRAMENTAS DO PAINEL DE CONTROLE: - Adicionar Hardware: Você pode usar Adicionar hardware para detectar e configurar dispositivos conectados ao seu

Leia mais

ASSUNTO DA APOSTILA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E AS DECISÕES GERENCIAIS NA ERA DA INTERNET

ASSUNTO DA APOSTILA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E AS DECISÕES GERENCIAIS NA ERA DA INTERNET AULA 02 ASSUNTO DA APOSTILA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E AS DECISÕES GERENCIAIS NA ERA DA INTERNET JAMES A. O BRIEN CAPÍTULO 01 continuação Páginas 03 à 25 1 COMPONENTES DE UM SISTEMA DE INFORMAÇÃO Especialistas

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Rede é um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. O tipo de rede é definido pela sua área de abrangência, podemos classificar as redes

Leia mais

Telecomunicações e Redes. Objetivos do Capítulo

Telecomunicações e Redes. Objetivos do Capítulo Objetivos do Capítulo Identificar as principais tendências e avanços nas indústrias, tecnologias e aplicações de telecomunicações e da Internet nas empresas. Fornecer exemplos do valor comercial de aplicativos

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Rede é um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. O tipo de rede é definido pela sua área de abrangência, podemos classificar as redes

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE 6 ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE OBJETIVOS Qual é a capacidade de processamento e armazenagem que sua organização precisa para administrar suas informações e transações empresariais?

Leia mais

Meios de Transmissão. Conceito. Importância. É a conexão física entre as estações da rede. Influência diretamente no custo das interfaces com a rede.

Meios de Transmissão. Conceito. Importância. É a conexão física entre as estações da rede. Influência diretamente no custo das interfaces com a rede. Meios de Transmissão Conceito Importância É a conexão física entre as estações da rede. Influência diretamente no custo das interfaces com a rede. Meios de Transmissão Qualquer meio físico capaz de transportar

Leia mais

INFORMÁTICA IINTERNET / INTRANET

INFORMÁTICA IINTERNET / INTRANET INFORMÁTICA IINTERNET / INTRANET Objectivos História da Internet Definição de Internet Definição dos protocolos de comunicação Entender o que é o ISP (Internet Service Providers) Enumerar os equipamentos

Leia mais

MANUAL DE USO NA INTERNET PESSOA FÍSICA

MANUAL DE USO NA INTERNET PESSOA FÍSICA MANUAL DE USO NA INTERNET PESSOA FÍSICA APRESENTAÇÃO 1.Bem-vindo ao SICREDI Total Internet! Agora você encontra o SICREDI em casa, no trabalho ou onde você estiver. É o SICREDI Total Internet, cooperando

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores São dois ou mais computadores ligados entre si através de um meio.a ligação pode ser feita recorrendo a tecnologias com fios ou sem fios. Os computadores devem ter um qualquer dispositivo

Leia mais

Sistemas de Informações Gerenciais Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios

Sistemas de Informações Gerenciais Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Sistemas de Informações Gerenciais Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Capítulo 6 Pág. 167 Telecomunicações, Internet e Tecnologia Sem

Leia mais

1 - Processamento de dados

1 - Processamento de dados Conceitos básicos sobre organização de computadores 2 1 - Processamento de dados O que é processamento? O que é dado? Dado é informação? Processamento é a manipulação das informações coletadas (dados).

Leia mais

Comunicação sem fio (somente para determinados modelos)

Comunicação sem fio (somente para determinados modelos) Comunicação sem fio (somente para determinados modelos) Guia do Usuário Copyright 2006 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Microsoft e Windows são marcas registradas da Microsoft Corporation nos

Leia mais

Fornecer exemplos do valor comercial de aplicativos para a Internet, intranets, e extranets.

Fornecer exemplos do valor comercial de aplicativos para a Internet, intranets, e extranets. CAPÍTULO 6.I Telecomunicações e Redes VISÃO GERAL DO CAPÍTULO A finalidade deste capítulo é oferecer uma visão geral das redes de telecomunicações, aplicações e tendências, e rever as alternativas de telecomunicações.

Leia mais

Microsoft Internet Explorer. Browser/navegador/paginador

Microsoft Internet Explorer. Browser/navegador/paginador Microsoft Internet Explorer Browser/navegador/paginador Browser (Navegador) É um programa que habilita seus usuários a interagir com documentos HTML hospedados em um servidor web. São programas para navegar.

Leia mais

Programa que, além de incluir funcionalidades de worms, dispõe de mecanismos de comunicação com o invasor, permitindo que seja controlado remotamente.

Programa que, além de incluir funcionalidades de worms, dispõe de mecanismos de comunicação com o invasor, permitindo que seja controlado remotamente. TIPOS DE VÍRUS Principais Tipos de Códigos Maliciosos 1. Virus Programa que se propaga infectando, isto é, inserindo cópias de si mesmo e se tornando parte de outros programas e arquivos de um computador.

Leia mais

Evolução na Comunicação de

Evolução na Comunicação de Evolução na Comunicação de Dados Invenção do telégrafo em 1838 Código Morse. 1º Telégrafo Código Morse Evolução na Comunicação de Dados A evolução da comunicação através de sinais elétricos deu origem

Leia mais

Comunicação Sem Fio (Somente em Determinados Modelos)

Comunicação Sem Fio (Somente em Determinados Modelos) Comunicação Sem Fio (Somente em Determinados Modelos) Guia do Usuário Copyright 2007 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Microsoft é uma marca registrada da Microsoft Corporation nos Estados Unidos.

Leia mais

5.2 MAN s (Metropolitan Area Network) Redes Metropolitanas

5.2 MAN s (Metropolitan Area Network) Redes Metropolitanas MÓDULO 5 Tipos de Redes 5.1 LAN s (Local Area Network) Redes Locais As LAN s são pequenas redes, a maioria de uso privado, que interligam nós dentro de pequenas distâncias, variando entre 1 a 30 km. São

Leia mais

Revisão 7 Junho de 2007

Revisão 7 Junho de 2007 Revisão 7 Junho de 2007 1/5 CONTEÚDO 1. Introdução 2. Configuração do Computador 3. Reativar a Conexão com a Internet 4. Configuração da Conta de Correio Eletrônico 5. Política Anti-Spam 6. Segurança do

Leia mais

Redes de Computadores. Prof. Dr. Rogério Galante Negri

Redes de Computadores. Prof. Dr. Rogério Galante Negri Redes de Computadores Prof. Dr. Rogério Galante Negri Rede É uma combinação de hardware e software Envia dados de um local para outro Hardware: transporta sinais Software: instruções que regem os serviços

Leia mais

Projeto de Redes. Topologias padrão Principais componentes Utilizações Adequadas

Projeto de Redes. Topologias padrão Principais componentes Utilizações Adequadas Definir: Identificar as diferentes Topologias Objetivos: Descrever Vantagens/Desvantagens Topologia Adequada A topologia impacta sobre: Tipo de equipamentos utilizados A capacidade de cada equipamento

Leia mais

Verificação em duas etapas.

Verificação em duas etapas. <Nome> <Instituição> <e-mail> Verificação em duas etapas Agenda Senhas Verificação em duas etapas Principais tipos e cuidados a serem tomados Outros cuidados Créditos Senhas (1/4) Servem para autenticar

Leia mais

Curso Introdução à Educação Digital - Carga Horária: 40 horas (30 presenciais + 10 EaD)

Curso Introdução à Educação Digital - Carga Horária: 40 horas (30 presenciais + 10 EaD) ******* O que é Internet? Apesar de muitas vezes ser definida como a "grande rede mundial de computadores, na verdade compreende o conjunto de diversas redes de computadores que se comunicam e que permitem

Leia mais

Introdução. Disciplina: Suporte Remoto Prof. Etelvira Leite

Introdução. Disciplina: Suporte Remoto Prof. Etelvira Leite Introdução Disciplina: Suporte Remoto Prof. Etelvira Leite Os Benefícios do Trabalho Remoto O mundo assiste hoje à integração e à implementação de novos meios que permitem uma maior rapidez e eficácia

Leia mais

A INTERNET E A NOVA INFRA-ESTRUTURA DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO

A INTERNET E A NOVA INFRA-ESTRUTURA DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO A INTERNET E A NOVA INFRA-ESTRUTURA DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO 1 OBJETIVOS 1. O que é a nova infra-estrutura informação (TI) para empresas? Por que a conectividade é tão importante nessa infra-estrutura

Leia mais

Telecomunicações CONCEITOS DE COMUNICAÇÃO

Telecomunicações CONCEITOS DE COMUNICAÇÃO Telecomunicações CONCEITOS DE COMUNICAÇÃO 1 COMUNICAÇÃO A COMUNICAÇÃO pode ser definida como a transmissão de um sinal através de um meio, de um emissor para um receptor. O sinal contém uma mensagem composta

Leia mais

Computação Instrumental

Computação Instrumental Computação Instrumental Sistemas Operacionais Redes de Computadores Engenharia Ambiental 2º Semestre de 2013 1 Software Hardware O Sistema Operacional (SO) é um software que gerencia os recursos do computador,

Leia mais

prof.edney@superig.com.br Redes de Computadores

prof.edney@superig.com.br Redes de Computadores prof.edney@superig.com.br Redes de Computadores Apresentação do professor, da disciplina, dos métodos de avaliação, das datas de trabalhos e provas; introdução a redes de computadores; protocolo TCP /

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Rede é um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. O tipo de rede é definido pela sua área de abrangência, podemos classificar as redes

Leia mais

Sistemas Colaborativos Simulado

Sistemas Colaborativos Simulado Verdadeiro ou Falso Sistemas Colaborativos Simulado 1. Todos os tipos de organizações estão se unindo a empresas de tecnologia na implementação de uma ampla classe de usos de redes intranet. Algumas das

Leia mais

FileMaker Pro 12. Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o

FileMaker Pro 12. Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 12 Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 12 2007 2012 FileMaker Inc. Todos os direitos reservados. FileMaker Inc. 5201 Patrick Henry Drive Santa Clara,

Leia mais

Redes de Computadores. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Redes de Computadores. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Redes de Computadores Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Introdução à tecnologia de redes Redes de Computadores Século XX - Era da Informação -> invenção do computador. No início, os

Leia mais

INTRODUÇÃO À REDES DE COMPUTADORES. Dois ou mais computadores conectados um ao outro por um meio de transmissão.

INTRODUÇÃO À REDES DE COMPUTADORES. Dois ou mais computadores conectados um ao outro por um meio de transmissão. INTRODUÇÃO À REDES DE COMPUTADORES O que é uma Rede? Dois ou mais computadores conectados um ao outro por um meio de transmissão. Uma Rede de Computadores é constituída por vários computadores conectados

Leia mais

ATA - Exercícios Informática Carlos Viana. 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor.

ATA - Exercícios Informática Carlos Viana. 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. ATA - Exercícios Informática Carlos Viana 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. ATA EXERCÍCIOS CARLOS VIANA 22 - ( ESAF - 2004 - MPU - Técnico Administrativo ) O

Leia mais

Figura 1 Taxas de transmissão entre as redes

Figura 1 Taxas de transmissão entre as redes Conceitos de Redes Locais A função básica de uma rede local (LAN) é permitir a distribuição da informação e a automatização das funções de negócio de uma organização. As principais aplicações que requerem

Leia mais

Política de Privacidade

Política de Privacidade Política de Privacidade Este documento tem por objetivo definir a Política de Privacidade da Bricon Security & IT Solutions, para regular a obtenção, o uso e a revelação das informações pessoais dos usuários

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE Capítulo 6 ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE 6.1 2003 by Prentice Hall OBJETIVOS Qual é a capacidade de processamento e armazenagem que sua organização precisa para administrar suas informações

Leia mais

Introdução. Arquitetura de Rede de Computadores. Prof. Pedro Neto

Introdução. Arquitetura de Rede de Computadores. Prof. Pedro Neto Introdução Arquitetura de Rede de Prof. Pedro Neto Aracaju Sergipe - 2011 Ementa da Disciplina 1. Introdução i. Conceitos e Definições ii. Tipos de Rede a. Peer To Peer b. Client/Server iii. Topologias

Leia mais

Hardware (Nível 0) Organização. Interface de Máquina (IM) Interface Interna de Microprogramação (IIMP)

Hardware (Nível 0) Organização. Interface de Máquina (IM) Interface Interna de Microprogramação (IIMP) Hardware (Nível 0) Organização O AS/400 isola os usuários das características do hardware através de uma arquitetura de camadas. Vários modelos da família AS/400 de computadores de médio porte estão disponíveis,

Leia mais

02/03/2014. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais

02/03/2014. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais Curso de Preparatório para Concursos Públicos Tecnologia da Informação REDES Conceitos Iniciais; Classificações das Redes; Conteúdo deste módulo Equipamentos usados nas Redes; Modelos de Camadas; Protocolos

Leia mais

Capítulo VI Telecomunicações: Redes e Aplicativos

Capítulo VI Telecomunicações: Redes e Aplicativos Capítulo VI Telecomunicações: Redes e Aplicativos Uma rede nada mais é do que máquinas que se comunicam. Estas máquinas podem ser computadores, impressoras, telefones, aparelhos de fax, etc. Se interligarmos

Leia mais

TEORIA GERAL DE SISTEMAS

TEORIA GERAL DE SISTEMAS TEORIA GERAL DE SISTEMAS A Internet global A World Wide Web Máquinas de busca Surgiram no início da década de 1990 como programas de software relativamente simples que usavam índices de palavras-chave.

Leia mais

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Neste capítulo nós iremos examinar as características da interface do gerenciador de arquivos Konqueror. Através dele realizaremos as principais operações com arquivos

Leia mais

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal:

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal: Redes - Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Comunicação sempre foi, desde o início dos tempos, uma necessidade humana buscando aproximar comunidades distantes.

Leia mais

4. Rede de Computador

4. Rede de Computador Definição Uma rede de computadores é formada por um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos, interligados por um sub-sistema de comunicação, ou seja, é quando

Leia mais

Fundamentos em Informática

Fundamentos em Informática Fundamentos em Informática Aula 06 Redes de Computadores francielsamorim@yahoo.com.br 1- Introdução As redes de computadores atualmente constituem uma infraestrutura de comunicação indispensável. Estão

Leia mais

16/09/2012. Agenda. Introdução. Introdução. Tipos de Software (Básico) Tipos de Software. Curso Conexão Noções de Informática

16/09/2012. Agenda. Introdução. Introdução. Tipos de Software (Básico) Tipos de Software. Curso Conexão Noções de Informática Curso Conexão Noções de Informática Aula 2 Arquitetura de Computadores (Software) Agenda Introdução; Tipos de Software; Básico; Aplicativo; Livre; Proprietário. Pirataria de Software; Demos, Freewares

Leia mais

Proteção no Ciberespaço da Rede UFBA. CPD - Divisão de Suporte Yuri Alexandro yuri.alexandro@ufba.br

Proteção no Ciberespaço da Rede UFBA. CPD - Divisão de Suporte Yuri Alexandro yuri.alexandro@ufba.br Proteção no Ciberespaço da Rede UFBA CPD - Divisão de Suporte Yuri Alexandro yuri.alexandro@ufba.br Agenda Segurança o que é? Informação o que é? E Segurança da Informação? Segurança da Informação na UFBA

Leia mais

INTERNET -- NAVEGAÇÃO

INTERNET -- NAVEGAÇÃO Página 1 Acessando endereços simultaneamente Parte 2 Um recurso interessante e extremamente útil é o de abrir várias janelas ao mesmo tempo. Em cada janela você poderá acessar um endereço diferente na

Leia mais

Como montar uma rede Wireless

Como montar uma rede Wireless Como montar uma rede Wireless Autor: Cristiane S. Carlos 1 2 Como Montar uma Rede Sem Fio sem Usar um Roteador de Banda Larga Introdução Muita gente não sabe que com o Windows XP ou o Windows Vista é possível

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS NO WINDOWS. Professor Carlos Muniz

SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS NO WINDOWS. Professor Carlos Muniz SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS NO WINDOWS Se todos os computadores da sua rede doméstica estiverem executando o Windows 7, crie um grupo doméstico Definitivamente, a forma mais

Leia mais